Planoauxiliar

Arquitectura

Planoauxiliar—PORTFOLIO

2008

DESCRIÇÃO
A empresa Plano Auxiliar, Desenho de Arquitectura, Lda, criada em 1999 desenvolvendo a sua
actividade principal, o projecto, em diversas
áreas diferenciadas tais como o Urbanismo, a
Arquitectura e o Paisagismo.
Os sócios gerentes Luís Filipe Santos (arquitecto)
e Teresa Chambel (arquitecta paisagista) contribuíram desde o início da actividade com a
experiência profissional adquirida como profissionais liberais no âmbito do projecto, coordenação e gestão de obras, quer em Portugal quer

Fora do país, nomeadamente em África, no
período 1999 a 2004.
Alguns dos trabalhos compilados neste portfolio
tiveram o seu início ainda antes da constituição
da empresa, tendo sido seleccionados pela relevância que tiveram quer no percurso quer dos
técnicos quer da empresa, pela experiência profissional adquirida e pela demonstração da
capacidade técnica de ambos no desenvolvimento dos trabalhos, confundindo-se em muitos
casos o percurso de ambos.

ÍNDICE DE TRABALHOS
URBANISMO
U.01 ......................................................................................................... (VILA FRANCA DO CAMPO) PARQUE EMPRESARIAL
U.02 ...................................................................................................................... (SANTA CRUZ) URBANIZAÇÃO RESIDENCIAL
U.03 ........................................................................................................................... (ODIVELAS) URBANIZAÇÃO RESIDENCIAL

ARQUITECTURA
A.01 - EDIFÍCIOS DE HABITAÇÃO COLECTIVA
A.01.01 ............................................................................................................................... (RESTELO) HABITAÇÃO COLECTIVA
A.01.02 ........................................................................................................................... (ODIVELAS) CONJUNTO RESIDÊNCIAL
A.02 - EDIFÍCIOS PÚBLICOS
A.02.01 .................................................................................................................. (PONTA DELGADA) PAVILHÃO MULTIUSOS
A.02.02 ................................................................................................................ (PONTA DELGADA) PARQUE DE MÁQUINAS
A.02.03 ............................................................................................................................. (PORTIMÃO) MERCADO MUNICIPAL
A.02.04 ...................................................................................................................................... (LOULÉ) MERCADO MUNICIPAL
A.02.05 ............................................................................. (SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE) SANTA CASA DA MISERICÓRDIA—SEDE
A.02.06 ......................................................................... (SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE) INSTITUTO DE SEGURANÇA SOCIAL—SEDE
A.02.07 ................................................................................................. (SANTARÉM) REFEITÓRIO - C.R. SEGURANÇA SOCIAL
A.02.08 .......................... (SANTARÉM) ATENDIMENTO/SERVIÇOS - INST. GESTÃO FINANCEIRA DA SEGURANÇA SOCIAL
A.02.09 .............................................................................................. (FÁTIMA) SERVIÇO LOCAL - C.R. SEGURANÇA SOCIAL
A.02.10 ......................................................................................... (ABRANTES) SERVIÇO LOCAL - C.R. SEGURANÇA SOCIAL
A.02.11 ..................................................................................... (CHAMUSCA) SERVIÇO LOCAL - C.R. SEGURANÇA SOCIAL
A.02.12 ........................................................................................................ (LISBOA) SERVIÇOS CAMARÁRIOS - C.M.LISBOA
A.02.13 ........................................................................................................ (LISBOA) SERVIÇOS CAMARÁRIOS - C.M.LISBOA
A.02.14 ......................................................................................... (CORUCHE) SERVIÇO LOCAL - C.R. SEGURANÇA SOCIAL
A.02.15 ........................................................................................................ (SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE) EMBAIXADA DO BRASIL

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

Planoauxiliar—PORTFOLIO

2008

ÍNDICE DE TRABALHOS
ARQUITECTURA

(CONT.)

A.03 - HOTELARIA/RESTAURAÇÃO
A.03.01 ...................................................................................................................... (SESIMBRA) APARTAMENTOS TURÍSTICOS
A.03.02 ................................................................................................................................. (LISBOA) RESTAURANTE HIMALAIA
A.03.03 .............................................................................................................. (SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE) UNIDADE HOTELEIRA
A.04 - MORADIAS UNIFAMILIARES
A.04.01 ................................................................................................................ (SANTARÉM) MORADIA NA AZÓIA DE CIMA
A.04.02 ............................................................................................................................ (CARTAXO) MORADIA EM PONTÉVEL
A.04.03 .................................................................................................... (SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE) MORADIA EM S. NICOLAU
A.04.04 .......................................................................................................... (ODIVELAS) MORADIA, COURELA DOS FORNOS
A.05 - EQUIPAMENTOS SOCIAIS
A.05.01 ................................................................................................................... (OEIRAS) LAR DE IDOSOS, ALGÉS DE CIMA
A.05.02 ......................................................................................................... (OEIRAS) LAR DE IDOSOS, S. AMARO DE OEIRAS
A.05.03 ......................................................................................................... (OEIRAS) LAR DE IDOSOS, S. AMARO DE OEIRAS
A.05.04 ........................................................................................................ (ANGOLA, LUBANGO) SEMINÁRIO CLARETIANO
A.05.05 .......................................................................................................(CASCAIS) LAR DE IDOSOS, S. PEDRO DO ESTORIL
A.05.06 .................................................................................................................... (SINTRA) LAR DE IDOSOS, VALE DE LOBOS
A.05.07 ......................................................................................................... (TORRES VEDRAS) LAR DE IDOSOS, SANTA CRUZ
A.05.08 ...................................................................................... (SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE) CENTRO DE DIA, RIBEIRA AFONSO
A.05.09 ............................................................................................................................. (SESIMBRA) LAR DE IDOSOS, CAIXAS
A.05.10 .................................................................................... (SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE) CENTRO DE DIA, ILHA DO PRÍNCIPE
A.05.11 ......................................................................................................... (SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE) LAR DE IDOSOS, NEVES
A.06 - DIVERSOS
A.06.01 .................................................................................................. (PONTA DELGADA) UNIDADE INDUSTRIAL, GRÁFICA
A.06.02 ......................................................................................................................... (LISBOA) ESTACIONAMENTO, BENFICA
A.06.03 ............................................................................................... (PORTUGAL) ANTENAS REDE MÓVEL, GSM, UTMS (3G)
A.06.04 ............................................................................................................... (SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE) ISLAND BANK, SEDE

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

L.01
L.01 - PARQUE EMPRESARIAL

2005

DESCRIÇÃO
Este projecto visa a ampliação/requalificação
do actual Parque Industrial de Vila Franca do
Campo, na Ilha de São Miguel, no arquipélago
dos Açores.

O projecto redefine o esquema geral de circulações, propõe a modelação de terreno que permitirá a optimização da morfologia da zona de
intervenção para a função pretendida.

A proposta tem como objectivo a reconversão e
ampliação da área existente com o alargamento para Este, utilizando-se para tal um terreno
com uma área superior à existente actualmente.

A proposta define ainda um esquema de princípio para os pavilhões a edificar na nova zona de
expansão.

ÍNFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO ............................................................................ VILA FRANCA DO CAMPO, S.MIGUEL, AÇORES
CLIENTE ............................................................................................................................................. VILA FRANCA PARQUE, S.A.
ÁREA DA INTERVENÇÃO ....................................................................................................................................................... 13 ha
FASE .......................................................................................................................................................................... EM PROJECTO

RUA DE ACESSO

VISTA AÉREA DO CONJUNTO

PLANO GERAL

PERFIL LONGITUDINAL

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

CORTE DO PAVILHÃO TIPO

LOTEAMENTOS

Arquitectura

L.02
L.02 - URBANIZAÇÃO RESIDENCIAL

1999/2002

DESCRIÇÃO
O projecto define o esquema de circulações,
propõe a modelação de terreno que indica um
esquema de ocupação para a área adjacente,
já fora do perímetro da intervenção. A proposta
define ainda um esquema de princípio para os
A proposta tem como objectivo a definição de
edifícios assumindo um piso para estacionamenum conjunto habitacional misto propondo-se
to comum, abaixo da cota de soleira.
moradias unifamiliares e edifícios de 3 pisos, cumprindo o definido no PDM de Torres Vedras para a O loteamento para Santa Cruz encontra-se já
licenciado.
zona.
Este projecto visa a proposta de urbanização de
um lote de terreno com cerca de 5.000 m² localizado na localidade de S. Cruz, no extremo norte
de uma área consolidada.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO ..........................................................................................................SANTA CRUZ, TORRES VEDRAS
CLIENTE ...................................................................................................................................... ANA JUDITE TAVARES DA SILVA.
ÁREA DA INTERVENÇÃO ...................................................................................................................................................... 0,5 ha
FASE ............................................................................................................................................................................ LICENCIADO

PLANO GERAL

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

LOTEAMENTOS

Arquitectura

L.03
L.03 - URBANIZAÇÃO RESIDENCIAL

1994/1998

DESCRIÇÃO
Este projecto teve como objectivo a elaboração
de uma proposta de urbanização para um lote
de terreno com cerca de 30.000 m² localizado na
localidade de Courela dos Fornos, numa antiga
pedreira desactivada.
A proposta tem como objectivo a definição de
um conjunto habitacional misto propondo-se
moradias unifamiliares e edifícios de 4 pisos, cumprindo o definido no PDM de Loures para a zona.

O projecto define o esquema de circulação, propõe a modulação de terreno que indica um
esquema de ocupação para a área destinada
ao realojamento de um bairro de génese ilegal.
A proposta define ainda um esquema de princípio para os edifícios.
O loteamento para a Courela dos Fornos encontra-se já licenciado e construído.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO .............................................................................. COURELA DOS FORNOS, RAMADA, ODIVELAS
CLIENTE ....................................................................................................................................................................GIMAGO, Lda.
ÁREA DA INTERVENÇÃO ......................................................................................................................................................... 3 ha
FASE ........................................................................................................................................................................... CONSTRUÍDO

PLANTA SÍNTESE

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

LOTEAMENTOS

Arquitectura

A.01 - EDIFÍCIOS DE HABITAÇÃO
A.01.01 - HABITAÇÃO COLECTIVA

Arquitectura

2003/2006

DESCRIÇÃO

A proposta acompanha os índices assumidos
pelos edifícios adjacentes, mantendo os alinhamentos de fachada definidos nas restantes construções. O edifício tem sete pisos acima do solo e
dois abaixo, estes últimos para estacionamento.

Propõe-se para o edifício uma distribuição de
três fogos por piso com tipologias T4 (2) e T0 (1).
Cada fogo dispõe de uma zona semi-pública
com ligação directa às zonas sociais, e de uma
zona privada onde se localizam os quartos .
As cozinhas têm acesso directo às zonas de
estendal/lavandaria. No piso 0 localizam-se dois
espaços comerciais e no Terraço a Sala de Condomínio.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO ..........................................................................................RUA RODRIGO REINEL, LOTE 1804/1805
CLIENTE .................................................................................. CPVI, CONSTRUÇÕES PROMOÇÃO E VENDA DE IMÓVEIS, S.A.
ÁREA DE CONSTRUÇÃO ................................................................................................................................................. 3.500 m²

ARQUITECTURA

FASE ............................................................................................................................................................... EM LICENCIAMENTO

A.01.01

Este projecto define um só edifício a edificar em
dois lotes de terreno, identificados como 1804 e
1805 na R. Rodrigo Reinel, no Restelo em Lisboa.

PLANTA

CORTE

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

ALÇADO

Arquitectura

A.01 - EDIFÍCIOS DE HABITAÇÃO
A.01.02 - CONJUNTO RESIDENCIAL

2000/2006

DESCRIÇÃO

INFORMAÇÕES DE PROJECTO

CO-AUTORIA ARQª MÓNICA FRANCÊS DE MATOS

LOCAL DA INTERVENÇÃO .............................................................................. COURELA DOS FORNOS, RAMADA, ODIVELAS
CLIENTE ................................................................................................................................................................... GIMADO, Lda..
ÁREA DE CONSTRUÇÃO ............................................................................................................................................... 19.000 m²
FASE ................................................................................................................................................................... EM CONSTRUÇÃO

ALÇADO

ALÇADO

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

A.01.02

A estrutura funcional do conjunto edificado é
condicionada pela morfologia do terreno, funcionando os edifícios correspondentes aos lote

A estrutura funcional do conjunto edificado é
condicionada pela morfologia do terreno, funcionando os edifícios correspondentes aos lote
16, 17 18 e 19 como muro de suporte do talude
associado à estrada. O projecto garante no
entanto ventilação e iluminação em condições
favoráveis para todos os fogos propostos. O
acesso a cada edifício realiza-se por um espaço
semi-privado exterior.

ARQUITECTURA

O projecto define os edifícios para os lotes previstos na operação de loteamento realizada previamente. Os oito edifício integram funções mistas, nomeadamente serviços, habitação, comércio e indústria/armazéns. O Piso –1 é destinado a
estacionamento privado das fracções.

A.02 - EDIFÍCIOS PÚBLICOS
A.02.01 - PAVILHÃO MULTIUSOS

Arquitectura

2006

DESCRIÇÃO
A cobertura permite a entrada indirecta de luz
na zona superior da nave principal e garante a
ventilação natural de todo o interior, sendo um
elemento marcante na imagem do conjunto.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO ................................................................................FAJÃ DE CIMA, PONTA DELGADA, S. MIGUEL
CLIENTE .................... AZORES PARQUE, SOCIEDADE DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DE PARQUES EMPRESARIAIS, S.A.
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .................................................................................................................................................. 5250 m²
FASE ............................................................................................................................................................................... EM ESTUDO

VISTA GERAL DE SUDOESTE

VISTA GERAL DE NASCENTE

ALÇADO
ALÇADO POENTE

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

A.02.01

A iluminação natural e a polivalência dos espaços associados à nave central, bem como os
periféricos condicionam fortemente quer a imagem do edifício quer a estrutura funcional.

ARQUITECTURA

O projecto tem como pressupostos a necessidade de um pavilhão destinado a eventos desportivos, actividades culturais e eventuais acções
promocionais ou feiras. Propõem-se igualmente
espaços de serviços, constituindo-se um pólo
empresarial de apoio à formação de novas
empresas. Estes espaços de escritórios localizamse nos módulos laterais ocupando integralmente
os “cunhais” do edifício.

Arquitectura

A.02 - EDIFÍCIOS PÚBLICOS
A.02.02 - PARQUE DE MÁQUINAS CMPD

2005/2006

DESCRIÇÃO
O Parque de Máquinas distribui-se por três plataformas, tendo-se definido as cotas altimétricas
em função da estrutura funcional dos edifícios e
das condicionantes associadas à morfologia do
terreno.
Na relação com a rua de acesso, o edifício apresenta-se só com um piso, localizando-se na faixa
adjacente o estacionamento para o público e
funcionários bem como a portaria.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO ................................................................................FAJÃ DE CIMA, PONTA DELGADA, S. MIGUEL
CLIENTE .................... AZORES PARQUE, SOCIEDADE DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DE PARQUES EMPRESARIAIS, S.A.
ÁREA DE CONSTRUÇÃO ................................................................................................................................................. 3.500 m²

ARQUITECTURA

FASE ................................................................................................................................................................... EM CONSTRUÇÃO

VISTA PARCIAL DE SUL

VISTA GERAL DE NOROESTE

IMPLANTAÇÃO

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

A.02.02

O projecto respondeu à necessidade manifestada pela Câmara Municipal de Ponta Delgada
para a transferência do actual Parque de Máquinas, localizado numa zona central da cidade. O
conjunto edificado permite a ampliação da
capacidade de armazenagem, parqueamento
de viaturas, áreas de escritório e áreas sociais
para os funcionários, instalações sanitárias, balneários e refeitório.

IMPLANTAÇÃO

Arquitectura

A.02 - EDIFÍCIOS PÚBLICOS
A.02.03 - MERCADO MUNICIPAL DE PORTIMÃO

2003/2004

DESCRIÇÃO

Propõem-se três acessos independentes para o
público, ao Piso 01, nível principal do mercado.
Propõe-se ao nível do Piso 00 um estacionamento
público e dois núcleos de lojas.
INFORMAÇÕES DE PROJECTO

Estes espaços comerciais tem acesso directo da
via pública e funcionam de forma independente.
No Piso 02 localiza-se um restaurante, igualmente
com funcionamento independente do mercado,
mas com acessos comuns.
O mercado dispõe de estacionamento próprio
com acesso directo aos cais de serviço, para os
operadores residentes.
COORDENAÇÃO ARQ. ABEL CORTEREAL PEREIRA

LOCAL DA INTERVENÇÃO .......................................................................................................................................... PORTIMÃO
CLIENTE ............................................................... SIMAB, SOCIEDADE INSTALADORA DE MERCADOS ABASTECEDORES, S.A.
ÁREA DE CONSTRUÇÃO ................................................................................................................................................. 7.000 m²

ARQUITECTURA

FASE ................................................................................................................................................................... EM CONSTRUÇÃO

A.02.03

As novas instalações do Mercado Municipal de
Portimão, localizam-se no espaço adjacente ao
actual mercado. O programa funcional definiu a
necessidade de recolocação operadores sedeados no actual edifício.

VISTA GERAL DE NORTE

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

VISTA GERAL DE SUDOESTE

Arquitectura

A.02 - EDIFÍCIOS PÚBLICOS
A.02.04 - MERCADO MUNICIPAL DE LOULÉ

2003/2004

A reabilitação do Mercado Municipal de Loulé
tem como objectivo principal a manutenção da
função inicial do edifício, adequada às novas
exigências legais e funcionais. Acrescem ainda
preocupações de projecto com a segurança e
conforto quer de operadores quer de utentes.

Foi desde o início do processo assumida a necessidade de repor alguma coerência e lógica formal na ala sul do mercado, substituindo-se o sistema estrutural de suporte da cobertura por
outro com uma linguagem próxima do existente
na ala norte.

O projecto intervém ao nível da distribuição
espacial, redefinição de materiais de revestimento e ampliação de instalações sanitárias.

O Projecto propõe ainda a valorização dos torreões Sul, sem seguir os desenho existente a Norte.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO

COORDENAÇÃO ARQ. ABEL CORTEREAL PEREIRA

LOCAL DA INTERVENÇÃO ...................................................................................................................................................LOULÉ
CLIENTE ............................................................... SIMAB, SOCIEDADE INSTALADORA DE MERCADOS ABASTECEDORES, S.A.
ÁREA DE CONSTRUÇÃO ................................................................................................................................................. 7.000 m²

ARQUITECTURA

FASE ................................................................................................................................................................... EM CONSTRUÇÃO

A.02.04

DESCRIÇÃO

VISTA PARCIAL—FACHADA POENTE

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.01 - EDIFÍCIOS PÚBLICOS
A.02.05 - SANTA CASA DA MISERICÓRDIA STP - SEDE

2003/2004

DESCRIÇÃO
O edifício resulta assim num misto de funções
com espaços de serviços no Piso 00, zona administrativa no Piso 01 e ainda três unidades habitacionais, T1, para uso da Santa Casa, no acolhimento de consultores e parceiros externos na
deslocação a São Tomé e Príncipe.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO

CO-AUTORIA ARQ. DELMIRA CORREIA

LOCAL DA INTERVENÇÃO ............................................................................. CIDADE DE SÃO TOMÉ, SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE
CLIENTE ....................................................................................... SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE.
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .....................................................................................................................................................400 m²
FASE ........................................................................................................................................................................... CONSTRUÍDO

ANTES DA INTERVENÇÃO

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

DURANTE A OBRA

A.02.05

O espaço exterior foi igualmente reabilitado propiciando a separação das distintas funções.

ARQUITECTURA

A antiga estação de comboios de S. Sebastião
na cidade de São Tomé foi reabilitada reconvertendo-se na sede da Santa Casa da Misericórdia.
A intervenção teve como objectivo, por um lado,
a reabilitação do edifício existente, tendo-se
demolido ampliações que não correspondiam à
fase inicial da construção inicial, e por outro a
qualificação do imóvel para servir as novas funções definidas.

Arquitectura

A.02 - EDIFÍCIOS PÚBLICOS
A.02.06 - INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL—STP

2001/2003

DESCRIÇÃO
O edifício resulta assim num misto de funções
com espaços de serviços no Piso 00, zona administrativa no Piso 01 e ainda três unidades habitacionais, T1, para uso da Santa Casa, no acolhimento de consultores e parceiros externos na
deslocação a São Tomé e Príncipe.
O espaço exterior foi igualmente reabilitado propiciando a separação das distintas funções.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO .......................................... PRAÇA YON GATO, CIDADE DE SÃO TOMÉ, SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE
CLIENTE ................................................................... MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE E SEGURANÇA SOCIAL DE PORTUGAL.
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .................................................................................................................................................. 1000 m²

VISTA DO LOGRADOURO

VISTA NOCTURNA

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

ARQUITECTURA

FASE ........................................................................................................................................................................... CONSTRUÍDO

A.02.06

A antiga estação de comboios de S. Sebastião
na cidade de São Tomé foi reabilitada reconvertendo-se na sede da Santa Casa da Misericórdia.
A intervenção teve como objectivo, por um lado,
a reabilitação do edifício existente, tendo-se
demolido ampliações que não correspondiam à
fase inicial da construção inicial, e por outro a
qualificação do imóvel para servir as novas funções definidas.

VISTA DO LOGRADOURO

CIRCULAÇÃO - PISO 01

Arquitectura

A.02 - EDIFÍCIOS PÚBLICOS
A.02.07 - REFEITÓRIO - C. R. S. SOCIAL SANTARÉM

2002

DESCRIÇÃO

O projecto introduziu melhorias ao nível do conforto, segurança, funcionalidade, condições de
salubridade geral e polivalência do espaço.
A escolha dos materiais de revestimento e sistemas de iluminação permitem a utilização desta
INFORMAÇÕES DE PROJECTO

desta sala para fins diversos. A versatilidade fica
no entanto comprometida sem a montagem do
vão de porta que permite o encerramento da
zona da cozinha.
Foi ainda definido um guarda-vento que garante
o conforto deste espaço na utilização diária.
A intervenção foi concluída em 2002 encontrando-se em funcionamento.
ESTUDO PRÉVIO DESENVOLVIDO POR PA PARA LFS

LOCAL DA INTERVENÇÃO .......................................................................................................................................... SANTARÉM
CLIENTE ...................................................... CENTRO REGIONAL DE SEGURANÇA SOCIAL DE SANTARÉM (CONSULTOR LFS)
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .....................................................................................................................................................280 m²

ARQUITECTURA

FASE ........................................................................................................................................................................... CONSTRUÍDO

A.02.07

A intervenção teve como objectivo principal a
reabilitação das instalações onde funciona o
Refeitório do CRSS de Santarém.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.02 - EDIFÍCIOS PÚBLICOS
A.02.08 - ESPAÇO DE SERVIÇOS - I. GEST. FIN. S.

2002

DESCRIÇÃO

A ligação entre as duas fracções resolve a diferença entre os níveis dos pavimentos.
A intervenção foi concluída em 2002 encontrando-se em funcionamento.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO .......................................................................................................................................... SANTARÉM
CLIENTE ........................................................ INSTITUTO DE GESTÃO FINCANCEIRA DA SEGURANÇA SOCIAL DE SANTARÉM
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .....................................................................................................................................................240 m²
FASE ........................................................................................................................................................................... CONSTRUÍDO

VISTA INTERIOR

VISTA INTERIOR

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

A.02.08

A solução permitiu implantar as diversas zonas
funcionais definidas no Programa Funcional e
acomodar o número de funcionários previsto
como máximo admissível para este serviço.

Existe uma zona directamente acessível pelo
público, onde se realiza o atendimento , localizando-se numa área mais privada os gabinetes
técnicos e sala de reuniões.

ARQUITECTURA

A Secção de Processo de Santarém do Instituto
de Gestão Financeira da Segurança Social, ocupa duas fracções anexas. A intervenção permitiu
a interligação dos espaços, resolvendo de forma
adequada a diferença de cota dos pavimentos.

Arquitectura

A.02 - EDIFÍCIOS PÚBLICOS
A.02.09 - SERVIÇO LOCAL FÁTIMA - CRSSSANTARÉM

2000/2001

DESCRIÇÃO

A intervenção permitiu a interligação dos espaços, resolvendo de forma adequada a definição
das entradas. Apesar da reduzida dimensão da
intervenção a solução permitiu implantar as
diversas zonas funcionais definidas no Programa
INFORMAÇÕES DE PROJECTO

Funcional e acomodar o número de funcionários
previsto como máximo admissível para este serviço.
Existe uma zona directamente acessível pelo
público, onde se realiza o atendimento , localizando-se numa área mais privada o gabinete
técnico e Back Office, com entrada própria.
A intervenção foi concluída em 2001.
ESTUDO PRÉVIO DESENVOLVIDO POR PA PARA LFS

LOCAL DA INTERVENÇÃO ................................................................................................................................................ FÁTIMA
CLIENTE ...................................................... CENTRO REGIONAL DE SEGURANÇA SOCIAL DE SANTARÉM (CONSULTOR LFS)
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .....................................................................................................................................................100 m²

ARQUITECTURA

FASE ........................................................................................................................................................................... CONSTRUÍDO

A.02.09

O Serviço Local de Fátima do Centro Regional
de Segurança Social de Santarém, ocupa o
espaço de uma duas lojas numa zona comercial
da localidade.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.02 - EDIFÍCIOS PÚBLICOS
A.02.10 - SERVIÇO LOCAL ABRANTES - CRSSSANTA-

2000

DESCRIÇÃO

A solução permitiu implantar as diversas zonas
funcionais definidas no Programa Funcional e
INFORMAÇÕES DE PROJECTO

A intervenção foi concluída em 2000 encontrando-se desde essa data em funcionamento.

ESTUDO PRÉVIO DESENVOLVIDO POR PA PARA LFS

LOCAL DA INTERVENÇÃO ........................................................................................................................................... ABRANTES
CLIENTE ...................................................... CENTRO REGIONAL DE SEGURANÇA SOCIAL DE SANTARÉM (CONSULTOR LFS)
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .....................................................................................................................................................240 m²
FASE ........................................................................................................................................................................... CONSTRUÍDO

BACK OFFICE

SALA DE REUNIÕES

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

A.02.10

A intervenção permitiu a interligação dos espaços, resolvendo de forma adequada a definição
das entradas.

acomodar o número de funcionários previsto
como máximo admissível para este serviço. Existe
uma zona directamente acessível pelo público,
onde se realiza o atendimento , localizando-se
numa área mais privada os gabinetes técnicos e
Back Office.

ARQUITECTURA

O Serviço Local de Abrantes do Centro Regional
de Segurança Social de Santarém, ocupa três
fracções anexas.

Arquitectura

A.02 - EDIFÍCIOS PÚBLICOS
A.02.11 - SERVIÇO LOCAL CHAMUSCA CRSSSANTA-

2000

DESCRIÇÃO

A solução permitiu implantar as diversas zonas
funcionais definidas no Programa Funcional e
INFORMAÇÕES DE PROJECTO

Existe uma zona directamente acessível pelo
público, onde se realiza o atendimento , localizando-se numa área mais privada os gabinetes
técnicos. Foi ainda reabilitado o páteo associado
à entrada de serviço.
A intervenção foi concluída em 2000.
ESTUDO PRÉVIO DESENVOLVIDO POR PA PARA LFS

LOCAL DA INTERVENÇÃO ........................................................................................................................................ CHAMUSCA
CLIENTE ...................................................... CENTRO REGIONAL DE SEGURANÇA SOCIAL DE SANTARÉM (CONSULTOR LFS)
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .....................................................................................................................................................175 m²
FASE ........................................................................................................................................................................... CONSTRUÍDO

ANTES

DEPOIS

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

A.02.11

A intervenção permitiu a interligação dos espaços, resolvendo de forma adequada a definição
das entradas, uma de serviço e outra geral.

acomodar o número de funcionários previsto
como máximo admissível para este serviço.

ARQUITECTURA

O Serviço Local da Chamusca do Centro Regional de Segurança Social de Santarém, ocupa
duas fracções anexas.

Arquitectura

A.02 - EDIFÍCIOS PÚBLICOS
A.02.12 - EDIFÍCIO DE ESCRITÓRIOS

2000

DESCRIÇÃO

Ao nível do Piso 02 servia os funcionários e permitia o acesso directo ao refeitório. Ao nível das
caves permitia a interligação dos estacionamentos e a reformulação da circulação e dos acessos ao conjunto.
INFORMAÇÕES DE PROJECTO

O edifício albergava ainda o arquivo central da
DMPGU, nas caves, servido pelo sistema de transporte de documentos TYSSEN/TELELIFT com ligação directa aos pisos desta Direcção no edifício
da CML.
Com o recurso ao vidro como elemento de
revestimento exterior o edifício integra ainda sistemas passivos de ensombramento de modo a
garantir o necessário conforto térmico.
CO-AUTORIA ARQ. JOÃO MIGUEL DUARTE FERREIRA

LOCAL DA INTERVENÇÃO ............................................................................................................................ AVª 5 DE OUTUBRO
CLIENTE .............................................................................................. CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA (VIA GRUPOBRA S.A.)
ÁREA DE CONSTRUÇÃO ............................................................................................................................................... 25.000 m²

ARQUITECTURA

FASE ................................................................................................................PROJECTO DE EXECUÇÃO (NÃO CONSTRUÍDO)

A.02.12

O edifício foi concebido como extensão das instalações da Câmara Municipal de Lisboa no
Campo Grande. Propuseram-se ligações físicas
em dois níveis.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.02 - EDIFÍCIOS PÚBLICOS
A.02.13 - CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA

1996/1998

A definição do interior do edifício foi desenvolvida de modo a dar cumprimento ao Programa
Funcional definido pela Câmara Municipal de
Lisboa.

Foi desenvolvido para a PROGEL/TYSSEN o estudo
de implantação do sistema de transporte de
documentos TELELIFT com ligação directa entre
todos os pisos.

Foram estudadas as áreas de implantação de
cada um dos serviços nos pisos acima do solo.
Nas caves foram criadas áreas de arquivo e de
estacionamento com acesso quer pelo Campo
Grande quer pela Avª 5 de Outubro.

Com as condicionantes resultantes da estrutura
física existente foram optimizados os espaços
para público/funcionários de modo a permitir a
ocupação de todos os serviços considerados
necessários.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO

CO-AUTORIA ARQ. JOÃO MIGUEL DUARTE FERREIRA

LOCAL DA INTERVENÇÃO ............................................................................................ AVª 5 DE OUTUBRO/CAMPO GRANDE
CLIENTE ..................................................................................................................................... CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA
ÁREA DE CONSTRUÇÃO ............................................................................................................................................... 35.000 m²

ARQUITECTURA

FASE ........................................................................................................................................................................... CONSTRUÍDO

A.02.13

DESCRIÇÃO

SISTEMA TELELIFT

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.02 - EDIFÍCIOS PÚBLICOS
A.02.14 - SERVIÇO LOCAL CORUCHE CRSSSANTARÉM

1998/1999

O Serviço Local de Coruche do Centro Regional
de Segurança Social de Santarém, ocupa o
espaço de uma antiga mercearia, no Piso intermédio de um edifício com três níveis.

A solução permitiu implantar as diversas zonas
funcionais definidas no Programa Funcional e
acomodar o número de funcionários previsto
como máximo admissível para este serviço.

A intervenção permitiu a interligação dos dois
espaços, resolvendo de forma adequada a definição das entradas, o acesso a pessoas com
mobilidade reduzida e a distribuição das áreas
funcionais propostas.

Existe uma zona directamente acessível pelo
público, onde se realiza o atendimento , localizando-se numa área mais privada os gabinetes
técnicos e Back Office, com entrada própria.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO

ESTUDO PRÉVIO DESENVOLVIDO POR PA PARA LFS

LOCAL DA INTERVENÇÃO ........................................................................................................................................... CORUCHE
CLIENTE ...................................................... CENTRO REGIONAL DE SEGURANÇA SOCIAL DE SANTARÉM (CONSULTOR LFS)
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .....................................................................................................................................................260 m²

ARQUITECTURA

FASE ........................................................................................................................................................................... CONSTRUÍDO

A.02.14

DESCRIÇÃO

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.02 - EDIFÍCIOS PÚBLICOS
A.02.15 - CONSULADO/EMBAIXADA DO BRASIL EM STP

2004

DESCRIÇÃO

A proposta garante a relação visual com o jardim, propondo-se uma séria de elementos verticais em pedra que irão limitar e condicionar a
relação visual com o edifício da residência sem
no entanto impedir a fruição do jardim e espelho
de água.

Foi igualmente tida em consideração a separação formal entre o funcionamento da Embaixada e do Consulado, definindo-se dois acessos
independentes que comunicam com espaços
autónomos e limitados, com acesso reservado.
Internamente existe um terceiro acesso, desde a
residência do Embaixador à zona zona privada,
localizada no extremo do edifício da embaixada.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO .......................................................................................................................SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE
CLIENTE ..................................................................................................... CONSULADO DO BRASIL EM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .....................................................................................................................................................400 m²

ARQUITECTURA

FASE ............................................................................................................................................................... ESTUDO PRELIMINAR

A.02.15

O novo Consulado/Embaixada do Brasil em São
Tomé e Príncipe irá ser implantado no jardim da
actual residência do Embaixador.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.03 - HOTELARIA/RESTAURAÇÃO
A.03.01 - APARTAMENTOS TURÍSTICOS - SESIMBRA

2001/2002

DESCRIÇÃO

A distribuição dos apartamentos, bem como a
compartimentação interior foram redefinidas
neste estudo, tendo-se alterado igualmente a
estrutura de acesso aos fogos e o desenho dos
vãos de janela/porta.

Foram igualmente proposta a distribuição de
mobiliário e de equipamento das copas tendo-se
coordenado os projectos de instalações eléctricas e de ventilação mecânica.
A intervenção teve ainda como alvo a zona
exterior adjacente ao edifício, a nascente com a
proposta de um plano para as plantações da
área envolvente da escada exterior de acesso/
circulação

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO ........................................................................................................... PONTA D’ARGEIS—SESIMBRA
CLIENTE ....................................................................................................................................PANORÂMICA DE SESIMBRA, Lda
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .....................................................................................................................................................700 m²
FASE ........................................................................................................................................................................... CONSTRUÍDO

A.03.01

A intervenção teve como objectivo a reabilitação de uma antiga estrutura de betão já concebida para o efeito.

DURANTE

DEPOIS

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

ARQUITECTURA

ANTES

Arquitectura

A.03 - HOTELARIA/RESTAURAÇÃO
A.03.02 - RESTAURANTE HIMALAIA - LISBOA

2003

O restaurante Himalaia localiza-se numa fracção
integrada no edifício do Hotel Impala, na rua
Filipe Folque em Lisboa.

A imagem exterior e sinalética foram igualmente
alvo de um estudo de imagem, integrando o
projecto geral de reabilitação deste espaço.

A intervenção resulta na reabilitação e adequação do espaço para o fim pretendido. O espaço
já funcionava como restaurante mas o projecto
alterou a capacidade da sala, a localização da
cozinha e a distribuição funcional no interior do
mesmo.

Os equipamentos de iluminação foram pensados
e desenhados para este espaço, contribuindo, a
par do tecto preto, para a obtenção de uma luz
suave e localizada, contribuindo desta forma
para a definição do ambiente pretendido.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO .............................................................................................................. RUA FILIPE FOLQUE, LISBOA
CLIENTE ................................................................................................................................................ IMOBILIÁRIA ROCHA, Lda
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .....................................................................................................................................................110 m²

ARQUITECTURA

FASE ........................................................................................................................................................................... CONSTRUÍDO

A.03.02

DESCRIÇÃO

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.03 - HOTELARIA/RESTAURAÇÃO
A.03.03 - UNIDADE HOTELEIRA - STP

2004

DESCRIÇÃO

A zona envolvente, exterior, dispõe de piscina e
espaço verde para lazer, resguardando-se a privacidade desta área relativamente à rua.

As zonas de salas e restaurante localizam-se no
eixo central do “L”, com relação directa com o
jardim privado e com vista directa para o mar.
A maioria dos quartos dispõe de vista directa
para o mar e piscina.
A cobertura encontra-se associada à zona de
refeições dispondo de uma pérgola e zona de
esplanada.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO .......................................................................................................................SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE
CLIENTE ...................................................................................................................................................................... ISLAND BANK
ÁREA DE CONSTRUÇÃO ................................................................................................................................................. 2.500 m²

ARQUITECTURA

FASE ............................................................................................................................................................... ESTUDO PRELIMINAR

A.03.03

O estudo da unidade hoteleira foi desenvolvido
para o quarteirão localizado junto do actual
Hotel Miramar, na cidade de São Tomé. A entrada principal comunica directamente com esta
artéria assumindo-se um núcleo turístico constituído pelas duas unidades.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.04 - MORADIAS UNIFAMILIARES
A.04.01 - MORADIA, AZOIA DE CIMA - SANTARÉM

2006

DESCRIÇÃO

Assumindo uma imagem contemporânea, contrariamente ao que se tem vindo a desenvolver
na envolvente próxima, o edifício potência a
utilização de espaços diferentes pelos seus utilizadores, privilegiando a privacidade dos espaços

mais recatados sem no entanto deixar de convidar à fruição dos espaços públicos definidos nas
zonas sociais.
O relevo foi utilizado proporcionando por um
lado condições de salubridade e por outro uma
excepcional relação de vistas quer dos espaços
públicos quer do quarto principal.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO ............................................................................................................ AZOIA DE CIMA, SANTARÉM
CLIENTE ...................................... PLANO AUXILIAR II, SOCIEDADE DE PROMOÇÃO IMOBILIÁRIA E GESTÃO DE OBRA, Lda
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .....................................................................................................................................................250 m²

ARQUITECTURA

FASE ................................................................................................................................................................................ PROJECTO

A.04.01

O projecto teve em consideração a localização
do terreno, relação de vistas com a envolvente,
orientação do lote, relação com a estrada de
acesso e por fim a morfologia do local.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.04 - MORADIAS UNIFAMILIARES
A.04.03 - MORADIA, SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

2003

O projecto foi desenvolvido tendo em consideração as condicionantes impostas pela construção
existente, da qual se mantém o perímetro da
base e os níveis altimétricos da mesma.

Propõe-se a criação de uma varanda, que permite a realização de refeições no exterior. Esta
varanda dispõe de ligação directa com a sala e
com a cozinha.

A construção mista recorre à madeira, estrutura e
revestimento, nas zonas secas e a alvenaria rebocada nas zona húmidas. À diferença de texturas
associam-se cores diferentes pelo tipo de material usado e revestimento escolhido.

A distribuição dos vão contribui para a eficácia
da ventilação cruzada, fundamental para o conforto térmico do edifício. Propõe-se um segundo
conjunto de vãos, de correr, somente com rede
mosquiteira impregnada.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO ................................................................................................. S.NICOLAU, SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE
CLIENTE ......................................................................................................................................... ANTÓNIO GASTÃO CARDOSO
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .....................................................................................................................................................100 m²

ARQUITECTURA

FASE ................................................................................................................................................................................ PROJECTO

A.04.03

DESCRIÇÃO

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.04 - MORADIAS UNIFAMILIARES
A.04.02 - MORADIA, PONTÉVEL L13 - CARTAXO

2005

DESCRIÇÃO

A imagem adoptada segue o contexto verificado na zona, procurando desta forma, e por
orientação do promotor responder às solicitações de mercado.
Na distribuição interior procurou-se pontualmente

dotar o edifício de parâmetros de funcionalidade e conforto associados normalmente a moradias de segmento superior ao definido para este
caso.
A implantação e o tratamento da zona envolvente explora a possibilidade de fruição do espaço exterior como complemento à vivência da
casa.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO .......................................................................................................................PONTÉVEL, SANTARÉM
CLIENTE ...................................... PLANO AUXILIAR II, SOCIEDADE DE PROMOÇÃO IMOBILIÁRIA E GESTÃO DE OBRA, Lda
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .....................................................................................................................................................150 m²

ARQUITECTURA

FASE ..................................................................................................................................................................... LICENCIAMENTO

A.04.02

O projecto foi desenvolvido tendo em consideração as condicionantes impostas pelo Alvará de
Loteamento emitido para o local.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.04 - MORADIAS UNIFAMILIARES
A.04.04 - MORADIA, COURELA DOS FORNOS

1997

DESCRIÇÃO

A imagem adoptada não segue o contexto verificado na zona, privilegiando um desenho mais
limpo e de certa forma actual, de modo a responder às solicitações do mercado.
Na distribuição interior procurou-se pontualmente

dotar o edifício de parâmetros de funcionalidade e conforto associados normalmente a moradias de segmento superior ao definido para este
caso, contribuindo o Piso –1 como área de reserva para actividades lúdicas/convívio.
A implantação e o tratamento da zona envolvente explora a possibilidade de fruição do espaço exterior como complemento à vivência da
casa.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO .............................................................................. COURELA DOS FORNOS, RAMADA, ODIVELAS
CLIENTE ..................................................................................................................................................................... GIMAGO, lda
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .....................................................................................................................................................250 m²

ARQUITECTURA

FASE ................................................................................................................................................................................ PROJECTO

A.04.04

O projecto foi desenvolvido tendo em consideração as condicionantes impostas pelo Alvará de
Loteamento emitido para o local.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.05 - EQUIPAMENTOS SOCIAIS
A.05.01 - LAR DE IDOSOS - ALGÉS DE CIMA

2006

DESCRIÇÃO

Assumindo uma imagem contemporânea, o projecto responde às exigências legais em vigor o
garantindo ainda a utilização de espaços diferentes pelos seus utilizadores, privilegiando a privacidade dos espaços mais recatados sem no

entanto deixar de convidar à fruição dos espaços públicos definidos nas zonas sociais.
O relevo foi utilizado proporcionando por um
lado condições de salubridade e por outro uma
excepcional relação de vistas quer dos espaços
públicos quer dos quartos orientados a Sul, sendo
esta fachada tratada de modo a garantir o
ensombramento adequado dos vãos.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO .................................................................................................................. ALGÉS DE CIMA, OEIRAS
CLIENTE ............................................................................................................................ CASA DE REPOUSO “O BOM PASTOR”
ÁREA DE CONSTRUÇÃO ................................................................................................................................................. 1.580 m²

ARQUITECTURA

FASE ..................................................................................................................................................................... LICENCIAMENTO

A.05.01

O projecto teve em consideração a localização
do terreno, relação de vistas com a envolvente,
orientação do lote, relação com a estrada de
acesso e por fim a morfologia do local.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.05 - EQUIPAMENTOS SOCIAIS
A.05.02 - LAR DE IDOSOS - S. AMARO DE OEIRAS

2006

DESCRIÇÃO
Assumindo uma imagem contemporânea, o projecto responde às exigências legais em vigor o
garantindo ainda a utilização de espaços diferentes pelos seus utilizadores, privilegiando a privacidade dos espaços mais recatados sem no
entanto deixar de convidar à fruição dos espaços públicos definidos nas zonas sociais.
O projecto propõe ainda estacionamento na via
de acesso, destinado ao público em geral.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO ......................................................................................................... S. AMARO DE OEIRAS, OEIRAS
CLIENTE ................................................................................................................................ CASA DE REPOUSO “VILA MENDES”
ÁREA DE CONSTRUÇÃO ................................................................................................................................................. 1.000 m²

ARQUITECTURA

FASE ..................................................................................................................................................................... LICENCIAMENTO

A.05.02

O projecto teve em consideração a localização
do terreno, a relação de vistas com a envolvente, a orientação do lote, a relação com a estrada de acesso e por fim a morfologia do local.
Houve uma preocupação adicional com o
impacto da via férrea na vivência do edifício,
tendo-se optado por criar uma empena cega e
utilizar as restantes três frentes para localização
de vãos.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.05 - EQUIPAMENTOS SOCIAIS
A.05.03 - LAR DE IDOSOS - S. AMARO DE OEIRAS

2006

DESCRIÇÃO

A intervenção passa pela introdução de um
meio mecânico para transporte de utentes com
mobilidade reduzida, pela reformulação pontual
da compartimentação no interior , pela reformulação das instalações sanitárias e pela criação
de um edifício a sul onde se irá localizar a entra-

da principal do equipamento a sala de estar/
refeições e uma zona de lavandaria.
Para além da proposta de distribuição de mobiliário no interior, propõe-se a reformulação dos
acessos e do espaço envolvente à zona ampliada garantido assim fruição do logradouro pelos
utentes do lar e visitantes, com a criação de
lugares de estacionamento para uso exclusivo
do equipamento.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO ......................................................................................................... S. AMARO DE OEIRAS, OEIRAS
CLIENTE .................................................................................................................. CASA DE REPOUSO “S. AMARO DE OEIRAS”
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .....................................................................................................................................................530 m²

ARQUITECTURA

FASE ..................................................................................................................................................................... LICENCIAMENTO

A.05.03

O projecto introduz numa moradia de 1920 as
alterações consideradas necessárias para a adequação do edifício ao fim pretendido.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.05 - EQUIPAMENTOS SOCIAIS
A.05.04 - SEMINÁRIO CLARETIANO - LUBANGO

2005

DESCRIÇÃO

Recorrendo a sistemas construtivos simples,
garantiu-se a necessária contenção de custos e
permitiu-se a viabilidade da execução com
meios técnicos e humanos com limitações deri-

vadas de condicionantes várias.
O grande claustro une e separa a zona do noviciado da zona da comunidade de padres Claretianos destacados para esta missão. Tudo se
desenvolve em torno do claustro incluindo a circulação.
A igreja dispõe de dois acessos independentes,
um para o público e outro para a comunidade.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO ......................................................................................................... ARIMBA, LUBANGO, ANGOLA
CLIENTE .......................................................................................................................................... MISSIONÁRIOS CLARETIANOS
ÁREA DE CONSTRUÇÃO ................................................................................................................................................. 1.700 m²

ARQUITECTURA

FASE ................................................................................................................................................................... EM CONSTRUÇÃO

A.05.04

O projecto do seminário dos Missionários Claretianos na localidade de Arimba no Lubango em
Angola foi desenvolvido com base num Programa Funcional ambicioso e que pretende dar resposta às solicitações futuras da região.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.05 - EQUIPAMENTOS SOCIAIS
A.05.05 - LAR DE IDOSOS - S. PEDRO DO ESTORIL

2003

DESCRIÇÃO

Houve uma preocupação adicional com o
impacto da via férrea na vivência do edifício,
tendo-se optado por definir uma zona tampão a

Norte onde se localiza o logradouro e a barreira
verde de protecção.
Assumindo uma imagem contemporânea, o projecto responde às exigências legais em vigor o
garantindo ainda a utilização de espaços diferentes pelos seus utilizadores, privilegiando a privacidade dos espaços mais recatados sem no
entanto deixar de convidar à fruição dos espaços públicos interiores e exteriores.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO ...................................................................................................... S. PEDRO DO ESTORIL, CASCAIS
CLIENTE ................................................................................................ UNIVERSAL CASA DE REPOUSO E CENTRO DE DIA, Lda
ÁREA DE CONSTRUÇÃO ................................................................................................................................................. 1.700 m²

ARQUITECTURA

FASE ........................................................................................................................................................................... CONSTRUÍDO

A.05.05

O projecto teve em consideração a localização
do terreno, a relação com a envolvente, a orientação do lote, a relação com a estrada de acesso e por fim a ligação directa do edifício proposto com a moradia existente e que fará parte integrante do conjunto.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.05 - EQUIPAMENTOS SOCIAIS
A.05.06 - LAR DE IDOSOS - VALE DE LOBOS

2003

DESCRIÇÃO

A intervenção passa pela introdução de um
meio mecânico para transporte de utentes com
mobilidade reduzida que serve duas alas até
agora sem esta facilidade, pela reformulação
pontual da compartimentação no interior , pela
reformulação das instalações sanitárias e pela

reformulação pontual das condições de segurança introduzindo-se saídas adicionais de modo
a dar cumprimento à legislação em vigor e
garantir assim a segurança dos utentes.
O projecto não introduz alterações no exterior do
edifício nem na zona envolvente mantendo-se o
existente.
O edifício funciona já como lar de idosos.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO ...........................................................................VALE DE LOBOS, ALMARGEM DO BISPO, SINTRA
CLIENTE ................................................................................................................. CASA DE REPOUSO DE VALE DE LOBOS, Lda
ÁREA DE CONSTRUÇÃO ................................................................................................................................................. 4.700 m²

ARQUITECTURA

FASE ....................................................................................................................................... ALTERAÇÕES EM LICENCIAMENTO

A.05.06

O projecto introduz num Hotel da década de 50
as alterações consideradas necessárias para a
adequação do edifício ao fim pretendido.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.05 - EQUIPAMENTOS SOCIAIS
A.05.07 - LAR DE IDOSOS - SANTA CRUZ

2003

DESCRIÇÃO

Houve uma preocupação adicional com o
impacto do loteamento em que o lote se insere
na vivência do edifício, tendo-se optado por criar
uma fachada cega e utilizar as restantes para

localização de vãos privilegiando o páteo interior
para a ligação dos espaços o sociais.
Assumindo uma imagem contemporânea, o projecto responde às exigências legais em vigor o
garantindo ainda a utilização de espaços diferentes pelos seus utilizadores, privilegiando a privacidade dos espaços mais recatados sem no
entanto deixar de convidar à fruição dos espaços públicos definidos nas zonas sociais.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO ......................................................................................................... SANTA CRUZ, TORRES VEDRAS
CLIENTE ...................................................................................ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL DE SANTA HELENA
ÁREA DE CONSTRUÇÃO ................................................................................................................................................. 1.800 m²

ARQUITECTURA

FASE ............................................................................................................................................................................ LICENCIADO

A.05.07

O projecto teve em consideração a localização
do terreno, a relação de volumetrias com a
envolvente, a orientação do lote, a relação com
a estrada de acesso e por fim a morfologia do
local.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.05 - EQUIPAMENTOS SOCIAIS
A.05.08 - CENTRO DE DIA - RIBERIA AFONSO, STP

2002

DESCRIÇÃO

Privilegiou-se a ventilação passiva de todos os
espaços, até para garantir o necessário conforto

num clima extremamente húmido. Acresce o
facto de Ribeira Afonso ter níveis de precipitação
superiores a outras zonas da ilha.
Definiram-se espaços abertos e cobertos associadas às zonas sociais. Houve uma preocupação
especial na definição da interligação entre cozinha/sala/lavagem evitando o cruzamento desnecessário de circuitos.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO ....................................................................................... RIBEIRA AFONSO, SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE
CLIENTE ........................................................................................ SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .....................................................................................................................................................250 m²

ARQUITECTURA

FASE ........................................................................................................................................................................... CONSTRUÍDO

A.05.08

Com recursos muito simples e técnicas de construção correntes o projecto definiu um edifício
polivalente que tem como objectivo principal
acolher uma população idosa e carenciada. Os
diferentes espaços considerados procuram no
seu conjunto das a resposta necessária às carências diárias ou ocasionais dos seus utentes.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.05 - EQUIPAMENTOS SOCIAIS
A.05.09 - LAR DE IDOSOS - CAIXAS, SESIMBRA

2007

DESCRIÇÃO

Houve uma preocupação adicional com o
impacto do loteamento adjacente na vivência
do edifício, tendo-se optado por criar uma
fachada associada às circulações, optando-se

por relacionar os vãos dos quartos e zonas sociais
com o jardim, orientados desta forma a Sul/
Poente.
Assumindo uma imagem contemporânea, o projecto responde às exigências legais em vigor ,
privilegiando a privacidade dos espaços mais
recatados sem no entanto deixar de convidar à
fruição dos espaços públicos definidos nas zonas
sociais.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO ............................................................................................................................ CAIXAS, SESIMBRA
CLIENTE ..............................................................................................................................................RESIDENCIAL PARAÍSO, Lda
ÁREA DE CONSTRUÇÃO ................................................................................................................................................. 2.800 m²

ARQUITECTURA

FASE ................................................................................................................................................................................ PROJECTO

A.05.09

O projecto teve em consideração a localização
do terreno, a relação de volumetrias com a
envolvente, a orientação do lote, a relação com
a estrada de acesso e por fim a morfologia do
local.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.05 - EQUIPAMENTOS SOCIAIS
A.05.10 - CENTRO DE DIA - ILHA DO PRÍNCIPE

2003/2006

DESCRIÇÃO

Privilegiou-se a ventilação passiva de todos os
espaços, até para garantir o necessário conforto

num clima extremamente húmido. Acresce o
facto da Ilha do Príncipe ter níveis de precipitação superiores à de São Tomé.
Definiram-se espaços abertos e cobertos associadas às zonas sociais. Houve uma preocupação
especial na definição da interligação entre cozinha/sala/lavagem evitando o cruzamento desnecessário de circuitos.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO ............................................................................................. ILHA DO PRÍNCIPE, SANTO ANTÓNIO
CLIENTE ........................................................................................ SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .....................................................................................................................................................500 m²

ARQUITECTURA

FASE ......................................................................................................................................................................... CONSTRUÇÃO

A.05.10

Com recursos muito simples e técnicas de construção correntes o projecto definiu um edifício
polivalente que tem como objectivo principal
acolher uma população idosa e carenciada. Os
diferentes espaços considerados procuram no
seu conjunto das a resposta necessária às carências diárias ou ocasionais dos seus utentes.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

A.05 - EQUIPAMENTOS SOCIAIS
A.05.11 - LARDE IDOSOS - NEVES

Arquitectura

2001/2002

DESCRIÇÃO

O terreno encontrava-se vedado com muro de
alvenaria e a proposta responde com um edifício
em “U”, assumindo-se as circulações exteriores,
cobertas, o garante a necessária ventilação dos
compartimentos adjacentes.

Na zona central localiza-se a sala de estar/
refeições equidistante das alas dos quartos e
com ligação directa à cozinha. È nesta zona
central que se localizam as Instalações Sanitárias
de apoio ao equipamento.
O conjunto integra ainda uma sala para apoio
aos técnicos sociais e de saúde bem como uma
lavandaria que garante o tratamento de roupa
para o Lar/Centro de Dia.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO .......................................................................................................................SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE
CLIENTE ........................................................................................ SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .....................................................................................................................................................250 m²

ARQUITECTURA

FASE ........................................................................................................................................................................... CONSTRUÍDO

A.05.11

O projecto propõe um conjunto de espaços que
de uma forma simplificada responde à estrutura
funcional mínima para definir um Lar de Idosos,
com Centro de Dia.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.06 - DIVERSOS
A.06.01 - UNIDADE INDUSTRIAL, NOVA GRÁFICA

2003/2005

DESCRIÇÃO

Houve uma preocupação adicional com a relação funcional do edifício quer com visitantes/
clientes quer com fornecedores, tendo-se definido áreas diferenciadas de acesso e de parque.

Para além destas duas zonas definiu-se ainda
uma terceira entrada para funcionários, com
acesso directo à zona de serviço.
O edifício é composto por uma unidade industrial
com capacidade para o equipamento proposto
e uma unidade de serviços/escritórios, que acolhe toda a zona administrativa, criativa e de préprodução da empresa.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO ................................................................................................... FAJÃ DE CIMA, PONTA DELGADA
CLIENTE ................................................................................................................................................................. NOVA GRÁFICA
ÁREA DE CONSTRUÇÃO ................................................................................................................................................. 3 500 m²

ARQUITECTURA

FASE ..........................................................................................................................................................................EM PROJECTO

A.06.01

O projecto teve em consideração a localização
do terreno, a relação de volumetrias com a
envolvente, a orientação do lote, a relação com
a estrada de acesso e por fim a morfologia do
local.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.06 - DIVERSOS
A.06.02 - ESTACIONAMENTO, BENFICA

2003/2005

DESCRIÇÃO

A definição da zona de entrada de viaturas teve
em consideração os ângulos de visibilidade para
a inserção em segurança na via adjacente. As
entradas de peões cumprem as distâncias de

Segurança definidas para o tipo de uso do edifício.
Ambos os pisos são servidos por elevador, de
modo a garantir a acessibilidade a utentes com
mobilidade reduzida. A distribuição dos lugares
foi condicionada pelas condições de circulação,
solução estrutural, configuração geométrica do
lote e legislação específica em vigor para o uso.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO ............................................................................................................................... LISBOA, BENFICA
CLIENTE .................................................................................................................................................................... ISOLREVE, LDA
ÁREA DE CONSTRUÇÃO ................................................................................................................................................. 2 400 m²

ARQUITECTURA

FASE ............................................................................................................................................................................ LICENCIADO

A.06.02

O projecto responde ao programa funcional
apresentado com uma proposta de ocupação
do subsolo de um lote de terreno com dois pisos
de estacionamento, mantendo a superfície acessível e integrada no domínio público.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.06 - DIVERSOS
A.06.03 - 100 ANTENAS REDE MÓVEL, GSM, UMTS (3G)

2000/2002

DESCRIÇÃO

Os projectos incluíram o levantamento da zona
de implantação do equipamento, quer em terreno aberto, quer na cobertura de edifícios existentes, bem como a localização do mesmo.
INFORMAÇÕES DE PROJECTO

A definição dos esquemas de montagem, ligação e integração dos equipamentos e estruturas
de segurança e suporte, incluiu a produção de
projectos detalhados de construção.
Alguns dos projectos foram desenvolvidos como
projectos de licenciamento, instruídos de acordo
com a legislação específica em vigor para o
licenciamento de obras particulares.

CO-AUTORIA ANTÓNIO TRINDADE, SERVIÇOS DE ENGENHARIA, Lda.

LOCAL DA INTERVENÇÃO ...........................................................................................................................................PORTUGAL
CLIENTE ............................................................................................................................................................... NORTEL/ONIWAY
ÁREA DE CONSTRUÇÃO ............................................................................................................................................................... .

ARQUITECTURA

FASE ..................................................................................................................................................... PROJECTO/CONSTRUÍDOS

A.06.03

Os projectos desenvolvidos no âmbito deste trabalho em parceria com a António Trindade, Serviços de Engenharia, Lda destinaram-se a reforçar ou aumentar a rede de antenas da rede
móvel no território português.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Arquitectura

A.06 - DIVERSOS
A.06.04 - ISLAND BANK, SEDE EM STP

2004

DESCRIÇÃO
O projecto apresentado foi desenvolvido para o
ISLAND BANK e corresponde ao edifício sede desta instituição em São Tomé e Príncipe.

O edifício com dois pisos inclui a zona de Agência no Piso 00 e zona de Administração e serviços
administrativos no Piso 01.

A imagem simples e “limpa” proposta para o edifício contrasta com a estrutura do alçado de
conjunto do arruamento, procurando marcar de
forma sóbria e serena a sua presença no conjunto edificado. As zonas de vidro são protegidas
por palas de ensombramento para protecção.

Em ambas as extremidades do lote existem portas de acesso ao interior, uma para viaturas e
outra mais estreita para pessoas.

INFORMAÇÕES DE PROJECTO
LOCAL DA INTERVENÇÃO .......................................................................................................................SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE
CLIENTE ...................................................................................................................................................................... ISLAND BANK
ÁREA DE CONSTRUÇÃO .................................................................................................................................................................

ARQUITECTURA

FASE ............................................................................................................................................................... ESTUDO PRELIMINAR

A.06.04

A entrada principal encontra-se associada a um
átrio exterior coberto.

Planoauxiliar, Desenho de Arquitectura, lda.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful