EDIFICIOS ARQUITETONICOS : ESCULTURAS NENHUM HORIZONTE.

Jimy Herique Arquitetura e Urbanismo

Resumo: O artigo analisa as linhas modernistas dos grandes prédios que ganham a paisagem com o crescimento urbano nas grandes cidades pelo mundo como Chicago, São Paulo e Nova York, as quais serão as cidades mencionadas e analisadas para defini ão estudo dos edificios arquitetonicos e o hori!onte onde cria"se o Sk#line $ Palavras- !ave% &dificios$ 'ori!onte$ Sk#line$ I"#ro$u%&o Conhecer, compreender e utili!ar as técnicas construtivas possibilita a arquitetura a ampliar, cada ve! mais, as maneiras de consolidar suas idéias$ ( revolu ão industrial, a evolu ão do progresso tecnologico, influenciou diretamente na arquitetura, alimentada pelo ideal do conhecimento pela ra!ão$ )esta forma, as inova *es estruturais foram fundamentais na primeira fase do modernismo$ O periodo abordado neste artigo, que vai da decada de +, a -, do século passado mostrando a evolu ão entre a arquitetura e a evolu ão urbana das grandes cidades pelo mundo $ $ ' C!( a)o a m&e $os arra"!a- *us .udo come ou ap/s o lend0rio e tr0gico inc1ndio que quase acabou com a cidade em 2342$ ( 5ind# Cit# 6Cidade do 7ento8 renasceu das cin!as como metr/pole plane9ada$ :ma inova ão para a arquitetura, a mistura do a o e vidro ergueu os grandes prédios e deu in;cio ao movimento conhecido como <&scola de (rquitetura de Chicago=, com sua tecnologia nova , que permitia aos pro9etistas elevar os edif;cios a alturas sem precedentes, criando um novo formato% arranha"céu$ O primeiro espigão constru;do l0 6e no mundo8 foi o <'ome >nsurance ?uilding=, entre 2332 a 233@$ )epois, vieram muitos outros criados por renomados arquitetos internacionais do in;cio do século +,$ :m bom eAemplo é o edif;cio Bohn 'ancock Center$ Possui CD andares e um observat/rio que tem vista para os estados de >llinois, >ndiana, Eichigan e 5isconsin$ Os elevadores mais r0pidos do mundo a9udam na subida F são apenas GC segundos para chegar até o topo$ Outras refer1ncias são o 5rigle# ?uilding, prédio hist/rico da avenida Eichigan, e a sede neocl0ssica do >nstituto de (rte de Chicago, de 234G, dono da imponente est0tua de leão pro9etada por &dHard Ieme#s na entrada$ Não d0 para deiAar de fora da lista a Sears .oHer, o mais alto prédio da cidade com 22, andares$

assim. e 2CD. em 2CDG. consubstanciados em tra9et/rias individuais significativas$ São destacadas algumas destas tra9et/rias. é uma das pupilas do &stados :nidos da (merica com sua arquitetura contagiante e esplendida$ + S&o Paulo e sua ur.pios e ob9etivos comuns. Nova /or0 alem $o Em1(re S#a#e ( arquitetura de Nova York. entretanto. a grande metr/pole capitalista vem evoluindo cada ve! mais com o decorrer do tempo . de profissionais formados no Nio F aus1ncia essa 90 patente desde o século passadoO a Jnica eAce ão ser0 (belardo de Sou!a. tomando conta do hori!onte e tornando a mistura de esculturas e seu hori!onte urbano que s/ tende a crescer e evoluir com maiores prédios$Chicago encanta os amantes da arquitetura com seu Sl#line. na aglutina ão desses arquitetos em um grupo coeso compartilhando princ. a aus1ncia.Eas o cen0rio urbano de Chicago não é feito s/ de arranha"céus$ (s ruas e pra as estão abarrotadas de esculturas e obras de arte pJblicas$ & h0 v0rios outros pro9etos arquitetKnicos que chamam a aten ão.$ )e fato. não logrou reverter o marasmo arquitetKnico vigente na cidade. a ambi ão do grande poder econKmico do em evoluir a arquitetura em demonstra ão do seu poder$ . arquiteto carioca. enfati!ando a importMncia de sua atua ão num meio profissional absolutamente conservador e acomodado$)estaca"se também a importMncia da funda ão do >(?SP. apesar de São Paulo iniciar nestes anos seu processo de metropoli!a ão. a evolu ão não deiAa a cidade longe para o crescimento urbano e arquitetKnico . formado pela &N?( em 2CG+.lia $ São Paulo é o palco dos grandes prédios .s$ ( iniciativa pioneira de Lregori 5archavchik na década de +. vai muito além do &mpire State e da &st0tua da Piberdade$ '0 diversas edifica *es que roubam a cena$ Os . atravessando um surto de urbani!a ão acelerada e de intensa atividade de constru ão. o processo ocorreu de maneira bem diversa$ Chama a aten ão. inicialmente. não é poss. a respaldar eventuais iniciativas de renova ão no campo da arquitetura$ &m São Paulo. considerar os processos em curso que convergem para a arquitetura moderna.vel demarcar claramente a implanta ão de uma nova forma de conceber e pro9etar a arquitetura$ Parece mais adequado. onde os grandes prédios tomam conta do hori!onte$ Seu sk#line não se iguala a grandes arranha"céus de Chigago e Nova York. no mercado paulistano de trabalho. porem é lindo. nas décadas de 2CG.a"(-a%&o a elera$a ( dissemina ão da arquitetura moderna em São Paulo apresenta peculiaridades em rela ão ao restante do pa. autor dos principais prédio modernistas brasileiros bem como os de ?ras. que em 2CGC radicou"se em São Paulo e aqui desenvolveu sua obra$ Oscar Nieme#er um dos principais arquitetos eApoentes da arquitetura < moderna mundial < . nos &stados :nidos.

2G. tanto com o crescimento arquitetKnico . marcado por muito trabalho e cercado por empresas$ :m dos edif.vel em% R!##1:55666.. S$ (cesso em% +.'.v(#ruv(us. Carlos Cassemiro. populacional e arquitetonica tomam conta das grandes e pequenas cidades que tambem evoluem .vel em% R!##1:55666.nov$ +.r5rev(s#as5rea$5ar7u(#e8#os5'+. )ispon.a"(-a%&o mu"$(al.=>?5:'. Arra"!a.2G.9:.arranha"céus espelhados são os mais famosos e dividem espa os com as igre9as de estilo g/tico$ Os prédios imponentes tradu!em o dia a dia da cidade. Evolu%&o $o S0@l("e $e N/C $ )ispon.r5rev(s#as5rea$5ar7u(#e8#os5'+.nov$ +. uma das mais movimentadas da metr/pole$ (ntes de come ar o trabalho. sempre em transforma ão$( sua evolu ão economica 9untamente com evolu ão urbana.vel em% R!##1:55#6(s#e$s(4#er. imponente e chamativo maior o seu poder aquisitivo e influ1ncia$ ( t1ndencia é s/ crescer e se trasnformar cada ve! mais com o decorrer do tempo $ & os espa os va!ios vão dando lugar a grandes torres que se perdem na imensidão notada no sk#line das edifica *es verticais$ 3(.'. om. Carlos (lberto Cerqueira. portanto a constru ão de grandes prédios .vel em% R !##1:55666. S$ (cesso em% +.. )ispon.5.-. pro9etada pelo arquiteto ingl1s Norman Qoster$ &ntregue em +.cio de seis andares que eAistia no local e optou por us0"la como base para mais D+ andares. omS$ (cesso em% +.r5rev(s#as5rea$5ar7u(#e8#os5=>.l(o)ra4(a Co"sul#a$a C(S(N>P.*us: evolu%&o e ma#er(al($a$e "a ur. O mo$er"(smo ar7u(#e#<"( o em S&o Paulo. o profissional estudou o antigo edif.nov$ +. P&EOS. criando um verdadeiro encontro do passado com o futuro$ ( fachada é composta por diversos triMngulos de vidro e esqueleto met0lico$ Nova York não para . om. arranha"céus torna"se uma demosntra ão de disputa do poder economico . onde grandes arranha"céus tomam conta da Sk#line da cidade . onde o seu hori!onte é tomado por grandes prédios$ Co"s($era%2es F("a(s Cidades são como organismos vivos.2G.5. C!( a)o$)ispon. quanto mais alto .nov$ +..v(#ruv(us. ..cios mais conhecidos é a .. S$ (cesso em% +..9:.orre 'earst. ela possui 23+ m de altura e est0 na Oitava (venida. om.2G.v(#ruv(us.

vel em% R !##1:55lauamaral.nov$ +.2G.Ar7u(#e#ura : Ne6 /or0 1or Fra"0 Ae!r@.6or$1ress.5'+5ar7u(#e#ura-"e6-@or0-1or-4ra"0)e!r@5S$ (cesso em% +. )ispon. . om5+=''5=.