Concurso de pessoas http://www.youtube.com/watch?

v=9x22DlVerkE&feature=related Teoria monista ou unitária: teoria adotada no Brasil; No concurso de pessoas todos os que colaboram pela pratica de um crime respondem por este mesmo crime, Ex. funcionário público acompanhado de outra pessoas que não é rouba algo os dois respondem por roubo e peculato mesmo o outro não sendo servidor Teoria pluralista: cada colaborador responde por um crime diferente e adotado no Brasil como exceção Requisitos para que se possa definir o concurso de pessoas: 1: pluralidade de pessoas 2: é o liame ,ligação subjetivo e aderência de uma vontade a outra é necessário que a vontade de um venha aderir a vontade do outro 3: relevância causal do comportamento, é necessário que o comportamento seja minimamente importante para a relevância do crime 4: unidade de crime são varias pessoas com liame subjetivo com comportamentos relevantes para a prática de crime unidade de crime A colaboração, a forma de colaborar costuma ser dividida em co autoria e participação Sendo que o co autor tem uma pena maior - a teoria adotada para se dicernir o co autor do participe e chamada de teoria do verbo nuclear ou teoria objetivo formal que diz que co autor é aquele que realiza o verbo ex. aquele que mata, rouba e o participe é aquele que colabora sem realizar o verbo ex. segura para o outro matar e o que vigia enquanto o outro subtrai - teoria do domínio do fato: o co autor domina o fato é o dono dos motivos do crime e da realização do crime é aquele que resolve se o crime acontece e porque o crime acontece é chamado co autor e aquele que colabora sem ter este domínio é o participe Teoria pluralista e suas exeções _ a previsão autônoma de cada conduta em um tipo de verso ou seja o legislador entendeu que separar as condutas seria a forma mais justa de tratar o caso concreto Ex. exceção 1 corrupção e aborto No caso de corrupção entende-se que Aquele que solicita a vantagem indevida não deve receber a mesma pena daquele que oferece, daquele que faz a promessa da vantagem. O funcionário que solicita a vantagem responde por corrupção passiva e o oferece responde por corrupção ativa

No crime de aborto: quando praticado pela própria gestante quando ela consente para que outrem lhe pratique o aborto ela responde através do artigo 124 que tem uma pena mais amena do que a do 126 o art 126 é usado para enquadrar o farmacêutico que aplicou a injeção abortiva Ex. exceção 2 Cooperação dolosamente distinta: é aquele que só aceitou colaborar para um crime menos grave deve responder nos limites do crime que aceitou colaborar, responder nos limites do seu dolo ex. 2 sujeitos combinan praticar um furto 1 vigia do lado de fora enquanto outro rouba O segundo volta com uma sacola de coisas e entrega ao primeiro enquanto volta pra dentro da casa para pegar mais coisas, o segundo estando novamente dentro da casa descobre que a dona da casa está dormindo e decide praticar estupro sendo que o 1 não sabe o que está havendo dentro da casa então o 1 deverá responder somente pelo crime que aceitou praticar. Autoria mediata: é aquele que se serve de um inculpável ou de alguém já determinado a praticar erro para a prática criminosa Autoria colateral: é a prática coincidente da mesma infração penal por duas ou mais pessoas sem o liame subjetivo ou seja neste caso não há concurso de pessoas - Autoria incerta em autoria colateral: há uma autoria colateral onde 2 ou mais sujeitos por coincidência mas não se sabe quem foi o autor do resultado então só se pode punir pelo que é certo que os dois fizeram que foi a tentativa já que não há como saber quem foi o autor do resultado