ESCOLA DE COMUNICAÇÕES CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SISTEMAS TÁTICOS DE COMANDO E CONTROLE

Cap Com SÉRGIO AUGUSTO FUJITA

O EMPREGO DO SISTEMA INTEGRADO DOS SISTEMAS DA AVIAÇÃO DO EXÉRCITO (SISAVEX EM CAMPAN!A

"#a$%&'a ()*+

Cap Com SÉRGIO AUGUSTO FUJITA

O EMPREGO DO SISTEMA INTEGRADO DOS SISTEMAS DA AVIAÇÃO DO EXÉRCITO (SISAVEX EM CAMPAN!A

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Escola de Comunicações, como requisito parcial para a obtenção do Título de PósGraduação em istemas T!ticos de Comando e Controle"

O#',-.a/o#0 Cap A#. JAIDER DELLA NINA DA SILVA

"#a$%&'a ()*+

Cap Com #$G%& '(G( T& )(*%T' O EMPREGO DO SISTEMA INTEGRADO DOS SISTEMAS DA AVIAÇÃO DO EXÉRCITO (SISAVEX EM CAMPAN!A Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Escola de Comunicações, como requisito parcial para a obtenção do Título de PósGraduação em istemas T!ticos de Comando e Controle"

'pro+ado em, --------.--------------./012

C&3%

4& 5E '6'7%'84&

----------------------------------*'%5E$ 5E77' 9%9' 5' %76' : Cap 'rt Escola de Comunicações

-----------------------------------------*E$E3%' 7E'95$& 5E %76' &(;' : Cap 'rt Escola de Comunicações

-------------------------------------------3<$C%& $%C'$5& =&))3'99 $EC> : Cap Com Escola de Comunicações

uma homenaAem pelo apoio em todos os momentos e a todos aqueles que direta ou indiretamente colaboraram para que este proBeto @osse concluído" .AGRADECIMENTOS 'os meus pre?ados @amiliares e amiAos.

quanto mais frequentemente e com maior assiduidade delas se ocupa a reflexão: O céu sobre mim e a lei moral em mim.Duas coisas enchem o ânimo de admiração e veneração sempre novas e crescentes. CKantD" .

conceituou-se o termo a+iação de seu conceito mais amplo ao seu empreAo militar" Em seAundo luAar. tem-se o posicionamento do autor a respeito da importIncia de um empreAo consistente da TecnoloAia da %n@ormação no que di? respeito ao apoio à loAística e à manutenção na '+iação do EEFrcito" PALAVRAS1C!AVE0 A2'a34o5 &o6%$.-34o9 .. introdu?iu-se o leitor ao uni+erso da '+iação do EEFrcito e seus órAãos componentes" E+idenciado esse @ato. analisou-se as características desse sistema operacional" Por Hltimo.'7a5 ma-8.RESUMO " & presente trabalho @a? uma an!lise sobre a utili?ação do istema %nteArado dos istemas da '+iação do EEFrcito em operações militares do EEFrcito Grasileiro" Primeiramente.

the reader is introduced to the Lorld o@ 'rmK '+iation and its component orAans" E+idenced this @act. .-a-7.A"STRACT This paper maJes an analKsis on the use o@ the %nteArated Kstems 'rmK '+iation operations in the Gra?ilian 'rmK" )irst o@ all. Le analK?ed the characteristics o@ the operatinA sKstem" )inallK. it is thouAht the term a+iation broader concept to its militarK use" econdlK.'o-5 &o6'$. there is the positioninA o@ the author about the importance o@ a consistent use o@ in@ormation technoloAK Lith reAard to loAistics support and maintenance on 'rmK '+iation" :E.. <ORDS0 A2'a.'7$5 ma'-.

LISTA DE FIGURAS )iAura 1 )iAura / )iAura 2 )iAura P )iAura M )iAura R )iAura N )iAura O )iAura Q )iAura 10 Gatalhão de '+iação do EEFrcito Esqda 3nt up 'n+ Gatalhão de 3anutenção e uprimento de '+iação do EEFrcito Companhia 7e+e de 3anutenção Companhia de 3anutenção Companhia de uprimento e Transporte de '+iação % '6ES %ntra+eE ConeEão 6P9 1 ConeEão 6P9 / 1M 1N 1O 1Q /0 /0 // /M /N /N .

LISTA DE A"REVIATURAS '+EE G'+EE G3nt up'+EE C'+EE C%'+EE 53'+EE 9'$3'+EE & $ i '+EE T% ('e '+iação do EEFrcito Gatalhão de '+iação do EEFrcito Gatalhão de 3anutenção e uprimento de '+iação do EEFrcito Comando de '+iação do EEFrcito Centro de %nstrução de '+iação do EEFrcito 5iretoria de 3aterial de '+iação do EEFrcito 9ormas de $eAulamentação de 3aterial de '+iação do EEFrcito &rdem de er+iço $equisição de uprimento istema %nteArado dos istemas da '+iação do EEFrcito TecnoloAia da %n@ormação (nidade 'Frea .

SUMÁRIO 1" %9T$&5(84&"""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""" 10 1"1 P$&G7E3'""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""" 11 1"/ &G*ET%6&""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""1/ 1"2 T(E TUE 5E E T(5&""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""" 1/ 1"P *( T%)%C'T%6'""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""1/ /" 3ET&5&7&G%'"""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""1P 2" 'P$E E9T'84& E 5% C( 4& 5E $E (7T'5& """""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""1M 2"1" '7G(9 C&9CE%T& 5E '6%'84&"""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""" 1M 2"1"1 ' '+iação do EEFrcito Grasileiro C'+EED""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""1R 2"1"/ ' 3anutenção nos Gatalhões de '+iação do EEFrcito"""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""1N 2"1"2 ' 3anutenção e 5istribuição de uprimento por Parte do Gatalhão de 3anutenção e uprimento de '+iação do EEFrcito CG3nt up'+EED"""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""1Q 2"/ TEC9&7&G%' 5' %9)&$3'84&9' '6ES"""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""// 2"/"1 istema %nteArado dos istemas da '+iação do EEFrcito C % '+EED""""""""""""""""""""""// 2"/"/ istema de 3anutenção de 'erona+es de '+iação do EEFrcito C % 3'9(TD""""""/P 2"/"2 istema de Controle de uprimentos de '+iação C % (P$%D""""""""""""""""""""""""""""""""/P 2"/"P istema de Controle de $epar!+eis de '+iação C % $EPD"""""""""""""""""""""""""""""""""""""" /M 2"/"M istema de Controle de =oras de 6oo C % =6D"""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""/M 2"/"R %ntr'+EE e EGnet""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""" /R 2"2 6%$T('7 P$%6'TE 9ETV&$> C6P9D"""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""/N 2"P % '6ES E95& (T%7%.'5& E3 C'3P'9='"""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""" /O 2"P"1 olicitações 7oAísticas 'tualmente""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""/O 2"P"/ % '6ES &perado )ora de ede"""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""/Q P" C&9C7( 4&"""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""" 21 M" $E)E$W9C%' """"""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""""22 .

em especial no que di? respeito ao istema %nteArado dos istemas da '+iação do EEFrcito C % '+EED. aumentando a e@iciXncia dos processos internos. se isola de sua base loAística e de manutenção" )icando assim as &3'+EE C&rAani?ações 3ilitares da '+iação do EEFrcitoD em operações. uma das Arandes rodas propulsoras dessas mudanças. a '+EE. representada por meio de seus Gatalhões 'Freos ou por parte deles. no+as reAras são necess!rias para orientar esses no+os processos" 'ssim sendo esse Trabalho de Conclusão de Curso tem como obBeti+o principal apresentar os bene@ícios em se asseAurar aos usu!rios de sistemas de in@ormação. Aerou e tem Aerado trans@ormações e soluções principalmente na +ida pr!tica do homem" Com +istas nessas soluções na +ida pr!tica do ser humano. F Aerada a necessidade de se adaptar a essa no+a atmos@era de trans@ormação e sem se perder no meio dela.10 *9 INTRODUÇÃO ' sociedade mundial tem +i+enciado mudanças pro@undas nos di+ersos Imbitos do seu hori?onte em espaços de tempo muito curtos" ' $e+olução TecnolóAica. sendo que quando se @a? necess!ria uma manutenção de maior escalão ou necessidade de suprimento que por +entura a &3'+EE não possua. um controle Aerencial do mesmo. dispondo apenas da manutenção prestada por suas Esquadrilhas de 3anutenção e uprimento de 'erona+es CEsqda 3nt up 'n+D que praticam o 1Y e o /Y Escalão de 3anutenção. empreAo @leEí+el e rapide? de acionamento em operar quando determinado pelo comando da )orça Terrestre" Por atuar nos mais di+ersos rincões de nosso país. diariamente. entre eles o presente trabalho destaca a importIncia principalmente do =elicóptero e da TecnoloAia da %n@ormação como +erdadeiras molas propulsoras no dinamismo da +ida humana e a Bunção da loAística de manutenção de a+iação com a tecnoloAia quando empreAadas em operações militares em campanha" Com a e+olução da sociedade. +!rias ati+idades @oram reali?adas. permitindo aos di+ersos ní+eis de Comando e Controle a an!lise e o apoio à decisão" ' '+iação do EEFrcito Grasileiro C'+EED opera de @orma descentrali?ada ou não em todo território nacional. conhecidas por sua mobilidade. o Gatalhão de 3anutenção e uprimento de '+iação do EEFrcito CG3nt up'+EED F . processos que +iabili?aram @acilitar o dia-a-dia do homem. in+entos criados. sendo uma das componentes das chamadas )orças de 'ção $!pida.

as &3'+EE solicitam suprimento e manutenções mais especí@icas por meio do % '+EE que est! instalado no ser+idor do Comando de '+iação do EEFrcito CC'+EED" ' intenção do presente Trabalho de Conclusão de Curso não F ensinar a operar o % '6ES. mas tambFm de todo sistema" & presente trabalho ser! @ocado no controle da Aestão do % '+EE em campanha. +em tambFm toda a necessidade de uma cadeia loAística especi@ica para suprir não só as carXncias das aerona+es propriamente ditas. @acilitando assim a loAística e a manutenção em campanha. utili?ando a TecnoloAia da %n@ormação em prol do istema '+iação. que ser+e de alicerce para a tomada de decisão no que di? respeito principalmente sobre as condições de disponibilidade das aerona+es e os meios que possibilitarão com que as mesmas @iquem disponí+eis para empreAo" . nem tão pouco @alar sobre a instalação de redes corporati+as de campanha. mas sim suAerir o uso do % '+EE em operações em que a '+EE tenha seus Gatalhões empreAados.11 contactado e esse toma as pro+idXncias relati+as às necessidades da (nidade que est! em campanha e que solicitou o re@erido apoio" & acionamento do G3nt up'+EE F @eito por meio de contato tele@Znico pelos &@iciais de 7iAação de 3anutenção que acompanham as &perações" Contudo. um passo de eEtrema importIncia para o dinamismo no reparo das aerona+es em campanha. sendo esse. o EEFrcito Grasileiro recria na dFcada de O0 a sua eEtinta '+iação" $ecriada. a )orça Terrestre. e com a saturação dos meios @ornecidos pela )orça 'Frea. necessita de meios de apoio ao combate e de combate mais dinImicos. a '+EE @ica constituída com aerona+es de @abricação @rancesa e @abricação norte-americana. possibilitando um melhor apoio do C'+EE ao EEFrcito Grasileiro nas operações em que esti+er enquadrado" *9* PRO"LEMA Com atuação em todo território nacional. quando em sede.

@acilitando dessa maneira a tomada de decisão dos elementos respons!+eis pelo comando e controle Ccomandantes dos mais di+ersos ní+eisD nas ati+idades em campanha" *9+ =UESTÕES DE ESTUDO 'lAumas questões de estudo podem ser @ormuladas no entorno deste questionamento. @a+orecendo de maneira incomensur!+el o correto Aerenciamento da loAística.12 Contudo como ser! a Aestão do % '+EE em campanha[ ua administração ser! possibilitada com a utili?ação dos meios de TecnoloAia da %n@ormação disponí+eis[ *9( O"JETIVO & presente estudo pretende inteArar os conceitos b!sicos de @uncionamento do istema %nteArado dos istemas da '+iação do EEFrcito C % '+EED e in@ormações rele+antes atuali?adas. principalmente a +oltada para a manutenção da @rota da '+EE em combate" . aD Tuem est! habilitado a operar o sistema[ bD Tual a estrutura do sistema em sede e como seria em operações[ cD Tuais são os bene@ícios em se empreAar o sistema em campanha[ *9> JUSTIFICATIVA ' '+iação do EEFrcito Grasileiro ainda não possui uma doutrina que auEilie o empreAo de um sistema de in@ormações em campanha. a @im de @ornecer subsídios para seu empreAo em operações com a @inalidade principal de aAili?ar a disponibilidade da @rota de aerona+es do EEFrcito Grasileiro.

F necess!ria uma correta a+eriAuação dos dados re@erentes as manutenções necess!rias e em especial dos suprimentos que de+em ser lançados no sistema para que a cadeia loAística +eri@ique a real disponibilidade em se reali?ar o @ornecimento. tendo em +ista o binZmio necessidade S tempo de entreAa do suprimento.13 obre as peculiaridades de cada tipo de operação. para que o suprimento realmente cheAue ao seu destino em tempo de ser utili?ado ainda na mesma operação" Em operações continuadas cresce ainda mais a necessidade de um sistema e@ica? e dinImico que @a+oreça aos Comandantes a capacidade de poder reali?ar seus planeBamentos com a Aarantia de que suas peças de manobra C'erona+esD estarão em plenas condições de empreAo" .

para sua consecução. por ter por obBeti+o Aerar conhecimentos para aplicação pr!tica dos mesmos à solução de problemas especí@icos relacionados à 7oAística de '+iação e ao Aerenciamento dos recursos tecnolóAicos disponí+eis para empreAo direcionado ao comando e controle em operações militares" Trata-se de estudo biblioAr!@ico que. bem como sua re+isão inteArati+a. de @orma a consubstanciar um corpo de literatura atuali?ado e compreensí+el" & delineamento de pesquisa contemplar! as @ases de le+antamento e seleção da biblioAra@ia\ coleta dos dados.14 (9 METODOLOGIA Tuanto à nature?a o presente estudo caracteri?a-se por ser uma pesquisa do tipo biblioAr!@ica em manuais de campanha do EEFrcito Grasileiro. crítica dos dados. leitura analítica e @ichamento das @ontes" . ter! por mFtodo a leitura eEploratória e seleti+a do material de pesquisa.

sendo eles eEecutados por aparelhos mais pesados que o ar. apesar de quase sempre termos a clara noção do que elas siAni]cam" Tuando isso acontece.o "#a$'&. ainda. que não os tema" Com base nas de@inições apresentadas e em conhecimentos pro@issionais adquiridos com o tempo de trabalho na !rea. seus +oos são reali?ados de maneira di@erentes. a !rea de ati+idades e pesquisas relacionadas ao +oo. a militar `a que se destina a operações de combatea *! no Dicion rio "urélio On line ^ LLL"dicionariodoaurelio"com. helicópteros.'#o (A2E? . ressaltando que a+iação F um dos dois ramos contidos no termo 'eron!utica. tendo em +ista a '+iação do EEFrcito Grasileiro empreAar somente este tipo de aerona+e" =elicóptero F `aerona+e dotada de hFlices hori?ontais que a tornam capa? de se estabili?ar no ar ou de se deslocar em qualquer sentido"a %sso seAundo o Dicion rio "urélio On line. o helicóptero possui a +antaAem de reali?ar manobras que o a+ião não tem condições de eEecutar" +9*9* A A2'a34o /o E?@#7'._ a+iação F o ` istema de na+eAação aFrea reali?ada por meio de aparelhos mais pesados que o ar ou de balõesa de@ine. Aeralmente recorremos aos dicion!rios" eAundo o Dicion rio !ichaelis On line ^michaelis"uol"com"br. a a+iação que o presente trabalho ir! tratar. porFm com o acrFscimo da seAuinte de@inição `""" pro+idos estes de motorCesD de eEplosão ou de reação. e como bem de@ine 'urFlio em seu dicion!rio. sendo o seAundo a 'erostação que não ser! abordada no trabalho em questão" 5entro dessa !rea Ca+iaçãoD trataremos somente sobre aerona+es de asa rotati+a. de@inir a+iação de maneira mais compreensí+el seria di?er que F. sal+o os planadores.15 +9 APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DE RESULTADOS +9*9 ALGUNS CONCEITOS DE AVIAÇÃO '+iação F uma daquelas pala+ras cuBos conceitos nos são muito di]ceis de elaborar. porFm muitos leiAos em se tratando de a+iação sabem di@erenciar um helicóptero de um simples a+ião._ encontramos uma de@inição semelhante.

isso com +istas a suprir as necessidades constatadas em con@litos bFlicos que mostraram a importIncia de a )orça Terrestre utili?ar e dominar a @aiEa in@erior do espaço aFreo" Com a recriação da '+iação do EEFrcito @oram adquiridas aerona+es de asa rotati+as ChelicópterosD para Auarnecer o batalhão recFm-criado" )oram adquiridas inicialmente 1R aerona+es =G 2M0 71 : Esquilo ='-1 e 2R aerona+es ' : 2RM > : Pantera =3-1. 1Y e /Y Gatalhões de '+iação do EEFrcito C1Y e /Y G'+EED.o udeste. Centro de %nstrução de '+iação do EEFrcito uprimento de '+iação do EEFrcito CG3nt up'+EED sediados em TaubatF. sendo em 1Q/N a criação da 'rma de '+iação do EEFrcito" Contudo com a criação do 3inistFrio da 'eron!utica em 1QP1. criado o Gatalhão 7oAístico de '+iação do EEFrcito. sendo dessa @orma. em 3anaus-'3\ no Comando 3ilitar do CC%'+EED e Gatalhão de 3anutenção e de '+iação do EEFrcito C2Y G'+EED +9*9( A Ma-8. a '+iação do EEFrcito @oi eEtinta" 9o ano de 1QOR F criada a 5iretoria de 3aterial de '+iação do EEFrcito C53'+EED e o 1Y Gatalhão de '+iação do EEFrcito C1Y G'+EED.16 ' '+iação do EEFrcito Grasileiro tem seu primeiro empreAo na Guerra da Tríplice 'liança por ordem do 5uque de CaEias ao utili?ar balões com a @inalidade de obser+ar as linhas inimiAas" endo ao @im dessa Auerra a determinação da criação do er+iço de 'erostação 3ilitar que @oi empreAada por mais de quarenta anos" 9o ano de 1Q12 F criada a Escola Grasileira de '+iação no $io de *aneiro-$* que impulsionou o ideal de empreAo das aerona+es. que após alAumas mudanças de denominações hoBe F denominado Gatalhão de 3anutenção e uprimento de '+iação do EEFrcito" 9o que se re@ere ao Teatro de &perações. em 1QQ1.a&AB. 2Y Gatalhão .$ /. a '+iação do EEFrcito.-34o -o$ "a.P\ e no Comando 3ilitar do &este.. como )orça de 'ção $!pida e estratFAica do EEFrcito Grasileiro atua em todo território nacional. PY Gatalhão de '+iação do EEFrcito CPY G'+EED. sendo mais tarde adquiridas mais /0 aerona+es ' MM0 '/ : )ennec" Com essa Arande quantidade de aerona+es cresce a necessidade de uma cadeia loAística e@ica?. 9o Comando 3ilitar da 'ma?Znia. A2'a34o /o E?@#7'. com &3'+EE locali?adas em trXs Comandos 3ilitares de <rea.

17 &s Gatalhões de '+iação do EEFrcito CG'+EED tem por missão de acordo com as %nstruções Pro+isórias 1-/0 . %P 1-/0. missões de apoio ao sal+amento em !reas deAradadas pela nature?a e missões de apoio ao Go+erno )ederal como Copa das Con@ederações" Estes Gatalhões atuam constantemente @ora de sede. /002 bCque desatuali?ados ainda denominam os Gatalhões como EsquadrõesDc. @ato que torna o @ornecimento de suprimento e as ati+idades relacionadas a manutenção das aerona+es ainda mais compleEas" (m G'+EE C)iAura 1D F composto por. apoio ao combate e apoio loAísticoa" 'tuam em todo o território nacional cumprindo alFm de sua missão pre+ista.9 Esquadrilha de 3anutenção e uprimento de 'erona+es CEsqda 3nt up 'n+D . & Gatalhão de '+iação do EEFrcito. /002. Gatalhão de '+iação do EEFrcito C#onte. p" /-PD a9 Comando e Estado-3aior C9 Esquadrilha de Comando e 'poio CEsqda C 'pD 79 Esquadrilha de =elicópteros de $econhecimento e 'taque CEsqda =e $ec 'tqD /9 / CduasD Esquadrilhas de =elicópteros de EmpreAo Geral CEsqda =e Emp GeD . 5). cumprindo operações aeromó+eis de combate. F'68#a *. dproporcionar aeromobilidade ao escalão da @orça terrestre enquadrante.o esquadrão de a+iação do eEFrcito" 1" Ed" Grasília.

9 ' Esqda 3nt up F constituída pelos elementos especi@icados na )iAura /. 5). /sqda 0e) (c) instalar e operar até 1 2tr3s4 postos de ressuprimento avançados256"4) (d) receber e enquadrar reforços de outras or(ani%aç7es inte(rantes do sistema lo(*stico espec*fico de aviação. aumentado suas capacidades de manutenção) (f) asse(urar. $(a) reali%ar a manutenção de &' escalão das "nv or(ânicas da unidade) (b) asse(urar o fluxo do suprimento espec*fico de aviação entre "+... de acordo com as %nstruções Pro+isórias 1-/0 . com limitaç7es. a fim de aumentar sua capacidade de apoio) (e) reforçar as esquadrilhas de helic8pteros. CaD Comando\ CbD Pelotão de Comando e 'poio CPel C 'pD\ CcD Pelotão de 3anutenção de =elicópteros CPel 3nt =eD\ e CeD Pelotão de uprimento CPel upD up 'n+ tem como atribuições principais. . Op /sqd e as .18 5entre essas M CcincoD esquadrilhas iremos @ocar na Esquadrilha de 3anutenção e uprimento de 'erona+es CEsqda 3nt up 'n+D" ' Esqda 3nt /002.& Esquadrão de '+iação do EEFrcito" 1" Ed" Grasília. a sua pr8pria defesa e a de suas instalaç7es.

B! as manutenções que ultrapassem o /Y escalão serão eEecutadas e Aerenciadas pelo Gatalhão de 3anutenção e uprimento de '+iação do EEFrcito CG3nt up'+EED" +9*9+ A Ma-8. tem por missão $5roporcionar apoio lo(*stico nas funç7es de manutenção.-34o .. Ma-8. /002. suprimento. & Esquadrão de '+iação do EEFrcito. S8p#'m. /010.S8pA2E? & G3nt up'+EE. D'$. %P 1-/0.19 F'68#a (0 Esqda 3nt up 'n+ C#onte. /o "a..#'C8'34o /. A2'a34o /o E?@#7'.o /. p" /-ND Essa esquadrilha F a respons!+el por lançar no % '+EE todas as &rdens de er+iço C& D re@erentes às manutenções eEecutadas e pre+istas.-34o .a&A4o /. con@orme o 3anual de Campanha 1-/1. .. & Gatalhão de 3anutenção e uprimento de '+iação do EEFrcito" /" Ed" Grasília.o ("M-.-. S8p#'m.o po# Pa#. bem como as necessidades de suprimento re@erente à eEecução dos ser+iços 3anutenções de 1Y escalão são reali?adas pelos mecInicos de +oo das esquadrilhas de =elicópteros. 5).-.

9 e F constituído da seAuinte maneira C)iAura 2D. à Companhia de 3anutenção de '+iação e à Companhia de uprimento e Transporte de '+iação" ' Companhia 7e+e de 3anutenção de '+iação F respons!+el em prestar apoio cerrado de manutenção de /Y escalão.20 salvamento e transporte na rea espec*fica da lo(*stica de aviação. Gatalhão de 3anutenção e uprimento de '+iação do EEFrcito C#onte.9 Companhia de uprimento e Transporte de '+iação 5entre as ubunidades apresentadas. con@orme a )iAura P. & Gatalhão de 3anutenção e uprimento de '+iação do EEFrcito. porFm prestando ser+iços de # orAani?ado com um pelotão de comando e trXs pelotões le+es de manutenção. /010. complementar a manutenção de /Y escalão da Companhia de 3anutenção de '+iação" )unciona de @orma similar às manutenção de aerona+es" ubunidades 7e+es de 3anutenção dos Gatalhões 7oAísticos CG7oAD do EEFrcito Grasileiro. p" /-/D a9 Comando e Estado-3aior C9 Companhia de Comando e 'poio 79 Companhia 7e+e de 3anutenção de '+iação /9 Companhia de 3anutenção de '+iação .da "v /x. C 1-/1. :s unidades da . F'68#a +. atenção especial de+e ser dada à Companhia 7e+e de 3anutenção de '+iação. quando determinado pelo Comando do G 3nt up '+ EE. . complementar ao apoio de manutenção de 1Y escalão das (nidades 'Freas 'poiadas e.

p" /-RD ' principal atribuição dessa ubunidade F prestar o apoio direto às (nidades 'Freas que esteBam em operações ou não" Ela ser! empreAada pelo Gatalhão de 3anutenção. /010. Companhia de 3anutenção C#onte. & Gatalhão de 3anutenção e uprimento de '+iação do EEFrcito. & Gatalhão de 3anutenção e uprimento de '+iação do EEFrcito. composto por o@icinas que reali?am o reparo de componentes aeron!uticos em Aeral e por pelotões de manutenção que eEecutam inspeções mais lonAas nas aerona+es" eus ser+iços são reali?ados dentro das instalações do Gatalhão de 3anutenção" ua composição b!sica F similar à Cia 7 3nt. caso o mesmo seBa acionado em caso de necessidade de manutenção que @uBa da competXncia das demais &3'+EE" ' Companhia de 3anutenção de '+iação @unciona de maneira similar aos Parques de 3anutenção da )orça Terrestre espalhados pelo Grasil. F'68#a D.21 F'68#a >0 Companhia 7e+e de 3anutenção C#onte. con@orme )iAura M. /010. C 1-/1. p" /-OD . C 1-/1. com um pelotão de comando e trXs de manutenção.

C1D uprir a Arande unidade e elementos e+entualmente em re@orço. & Gatalhão de 3anutenção e uprimento de '+iação do EEFrcito. bem como ao transporte dos mesmos atF seu destino @inal.22 's ações relacionadas aos suprimentos. Companhia de uprimento e Transporte de '+iação C#onte. como tambFm con@orme a urAXncia das (nidades 'Freas em operações em campanha" . p" /-QD ' Cia up participa diretamente no Aerenciamento dos suprimentos. são eEecutadas pela Companhia de '+iação. nas classes %%. auEiliada pelo Gerente de uprimentos do Gatalhão de 3anutenção" $eali?a a distribuição dos mesmos de acordo com as prioridades estabelecidas. %%%-'. C 1-/1. 6C3D-' e %S-'. que tem por missão doutrin!ria CC 1-/1D. /010. uprimento e Transporte de F'68#a E. e reali?ar o Trnp e 5istr desses suprimentos" C/D EEercer o controle do suprimento Classe 6C3D-'" C2D $eali?ar a preparação para o Trnp de 'n+ em aerona+es de Arande porte ou 6tr" CPD Preparar e operar um Terminal de CarAas 'Frea" &rAani?ada de acordo com a )iAura R.

.23 +9( TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃONA AVEX +9(9* S'$. estão centrali?adas no Comando de '+iação do EEFrcito CC'+EED. planilhas eletrZnicas.. a distribuição de suprimento. como as criptoAra@ias reali?adas em outras Fpocas pelos operadores de Centros de Comunicações" =oBe. cresce a necessidade de que os mecanismos de controle seBam ainda mais e@ica?es.ma I-. inspetores e mecInicos que participaram da manutenção dos itens. principalmente. panes apresentadas. como tambFm das aerona+es manutenidas" & correto Aerenciamento desse istema @acilita o controle das inspeções. atF cheAar ao que hoBe F conhecido na '+iação do EEFrcito como % '+EE.. auEilia na +eri@icação das reais necessidades das (nidades 'Freas re@erentes à manutenção de suas aerona+es orAInicas e principalmente contribui para que a prestação de ser+iços de manutenção em Aeral seBam o mais e@ica? possí+el" & % '+EE C)iAura ND possui R CseisD subsistemas.ma$ /a A2'a34o /o E?@#7'. que F um Ganco de 5ados baseado em &racle" 's in@ormações de toda a @rota. em TaubatF. Araças ao a+anço tecnolóAico podemos inserir as in@ormações em bancos de dados in@ormati?ados. 1" istema de 3anutenção de 'erona+es de '+iação do EEFrcito C % 3'9(TD\ /" istema de Controle de uprimentos de '+iação C % (P$%D\ . inspeções.6#a/o /o$ S'$. Aerentes. mas como tambFm da mão-de-obra que de+e ser empreAada na manutenção em Aeral" e antiAamente o controle era @eito por meio de tabelas manuscritas com caneta e papel.o (SISA2E? 5iante do desa@io de se Aerenciar e coordenar toda essa quantidade de aerona+es. não só em +irtude da quantidade de componentes e aerona+es que @oram adquiridas pela )orça Terrestre.P. como ordens de ser+iço. abranAendo todo o histórico dos componentes.

A. % $EP e % =6" +9(9( S'$. % '6ES C#onte..o (SISMANUT & istema de 3anutenção de 'erona+es de '+iação do EEFrcito F o banco de dados onde os usu!rios do istema 3anutenção de 'erona+es da '+iação do EEFrcito reali?am suas solicitações re@erentes às manutenções calend!ricas e hor!rias ou mesmo .$ /. % (P$%. A2'a34o /o E?@#7'.-34o /.#o-a2..sisa+eE_D 9o presente trabalho destacaremos P CquatroD desses subsistemas. Ma-8. % 3'9(T. ^intra+eE"a+eE"eb"mil"br. seBam eles.24 2" P" M" istema de Controle de $epar!+eis de '+iação C % $EPD\ istema de Controle de =oras de 6oo C % =6D\ istema de Gerenciamento da 5iretoria de 3aterial de '+iação do EEFrcito C % 53'6ESD\ e R" istema de 'poio à 5ecisão da '+iação do EEFrcito" F'68#a F.ma /.

25 pedidos de reali?ações de ser+iços isolados que as (nidades 'Freas não possam reali?ar" Essas solicitações são @eitas por meio de &rdens de er+iço on-line" E os ser+iços serão reali?ados pelo G3nt up'+EE dentro das prioridades estabelecidas pela equipe de PlaneBamento e Controle do Gatalhão ou por determinação direta do C'+EE" +9(9+ S'$.pa#G2. suprimentos no+os que serão utili?ados e após o seu uso ou ter seu pra?o de +ida Htil prescrito são descartados da cadeia de suprimento" Esse sistema F administrado pelo Gerente de uprimentos e a distribuição reali?ada pela Cia up. Co-. A2'a34o (SISREP Esse ubsistema opera e administra os suprimentos repar!+eis que hoBe são considerados o `AarAaloa da '+EE. atrasando dessa @orma a manutenção das aerona+es que aAuardam a cheAada do suprimento reparado por elas" ' utili?ação de suprimentos repar!+eis F uma tendXncia internacional.-.ma /. A2'a34o (SISSUPRI & istema de Controle de uprimentos de '+iação tem por missão receber as solicitações das (nidades 'Freas e das &@icinas do G3nt up'+EE re@erentes aos suprimentos considerados de consumo. adotada por empresas de manutenção de aerona+es. os suprimentos repar!+eis são aqueles que entram e saem da cadeia de suprimento por di+ersas +e?es. S8p#'m. que por muitas +e?es não cumprem os pra?os contratuais. R.#o&.'$ /. pois sua manutenção F reali?ada por empresas ci+is homoloAadas pela 'AXncia 9acional de '+iação Ci+il C'9'CD.o$ /.. /. ambos do G3nt up'+EE" +9(9> S'$. /.ma /.. pois di@erentemente dos suprimentos consumí+eis. desonerando a )orça Terrestre com custos de contratação de alAuns ser+iços em empresas do seAmento ci+il de nossa sociedade" . so@rendo manutenção quando dani@icados ou com pra?os de +alidade +encidos" e tornaram o chamado `AarAaloa. Co-.#o&. pois a repotenciali?ação de materiais aeron!uticos F de menor custo do que a aquisição dos mesmos no+os" Esse subsistema F coordenado pelo Gerente de $epar!+eis do G3nt up'+EE e o suprimento F distribuído pela Companhia de uprimento do mesmo Gatalhão" 6ale ressaltar que as o@icinas do G3nt up'+EE reali?am alAumas manutenções em suprimentos repar!+eis.

E"-.#A2E? . !o#a$ /. consulta a boletins..#o&. Pilotos. & Comando de '+iação por intermFdio de sua seção de in@orm!tica criou a $ede %nterna Corporati+a da '+iação do EEFrcito C)iAura OD" & usu!rio da %ntra+eE tem a sua disposição uma in@inidade de recursos. Voo (SIS!V & % =6 administra as horas +oadas pelos militares da '+EE. Pessoal de al+amento e $esAate. seBam eles. e principalmente acesso ao % '6ES" . Gerentes. consulta a normas de a+iação.ma /. /. entre outras @uncionalidades. 3ecInicos de +oo. auEiliando assim os Aerentes respons!+eis pelo PlaneBamento e Controle das (nidades 'Freas e principalmente ao Aerente da @rota do G3nt up'+EE a traçar a chamada 5iaAonal de 3anutenção que tem por obBeti+o disponibili?ar sempre. Co-. Controladores de +oo e militares que atuam na ati+idade aFrea em Aeral" E esse pessoal F chamado no istema '+EE de 'erona+eAantes" & % =6 administra tambFm as horas +oadas pelas aerona+es da '+iação do EEFrcito.26 +9(9D S'$.. entre arranchamento. em qualquer situação 1.2 da @rota '+EE em condições de empreAo" +9(9E I-.

EGnet. tambFm possui sua $ede Corporati+a. que Aerencia os domínios : eb"mil"br : entre os quais se encontra a %ntra+eE" ' EGnet F administrada pelo Centro %nteArado de Telem!tica do EEFrcito que proporciona as bases @ísica e lóAica para o @uncionamento dos sistemas de interesse do istema EstratFAico de Comando e Controle do EEFrcito" Posteriormente a inteAração das duas redes corporati+as pri+adas C%ntra+eE e EGnetD ser! citada" +9+ VIRTUAL PRIVATE NET<OR: (VPN . %ntra+eE C#onte. ^intra+eE"a+eE"eb"mil"br_D & EEFrcito Grasileiro como %nstituição enquadrante da '+iação.27 F'68#a H.

e por essa coneEão. se utili?a de um pro+edor de %nternet. o tra@eAo de dados dentro da %nternet.BacJson. tem em suas eEtremidades duas redes interliAadas por um linJ dedicado e a coneEão 6P9. proteAendo dessa @orma os dados que tra@eAam dentro da %nternet. `caminho seAuroa. `caminho seAuroa ou `tHnela como F chamado na )iAura 10. por eEemploD. tendo em +ista a %nternet ser uma rede pHblica. ^http. porFm em se tratando de seAurança no trImite dos dados B! não se pode di?er o mesmo. ConeEão 6P9 1 C#onte. onde +ale destacar duas. se +incula à rede pri+ada por um `tHnela.. F'68#a I. pois não F necess!rio o Aasto para estruturação da rede.+pn"htm_D 9a seAunda @orma. Aerando assim uma rede +irtual com seAurança dentro da mesma" (ma 6P9 pode ser estruturada de alAumas @ormas. como a %nternet para transmissão de dados de @orma seAura" ' solução em se utili?ar a in@raestrutura da internet para a coneEão entre hosts de uma rede pri+ada se tornou um eEcelente recurso quando se trata de in+estimentos @inanceiros. Aarante a seAurança dos dados" . (m dispositi+o mó+el ou instalado eEterno à rede pri+ada Cintranet. como o nome mesmo a de@ine nada mais F que uma rede pri+ada que utili?a a in@raestrutura de uma rede pHblica. sistemas criptoAr!@icos @oram incorporados entre a comunicação dos hosts da rede pri+ada. a )iAura Q ilustra bem essa situação.LLL"portalchapeco"com"br.. e os dados que por ela transitam podem ser acessados por qualquer pessoa que utili?e a Arande rede" Tendo em +ista tal situação.28 ' chamada 6irtual Pri+ate 9etLorJ ou $ede Pri+ada 6irtual.

caso a mesma (nidade esti+esse operando em uma localidade distante" ' peculiaridade do caso seria a @orma da distribuição do suprimento e o deslocamento da equipe de manutenção ou ambos" +9>9( SISAVEX Op.a3B. nesse caso o % '6ES F utili?ado" & Aerente da (nidade 'Frea conBuntamente com sua equipe de manutenção.-. ..$ Lo6%$.+pn"htm_D +9> SISAVEX SENDO UTILIZADO EM CAMPAN!A +9>9* So&'7'. por meio dos &@iciais de 7iAação" 5i@erentemente de quando os Gatalhões 'Freos se encontram em sede./.BacJson. reali?a os pedidos loAísticos de sua (nidade. hoBe quando a '+iação do EEFrcito est! operando em di@erentes localidades do Grasil.#a/o Fo#a /. Em linhas Aerais. ConeEão 6P9 / C#onte.'7a$ A. solicitações re@erentes aos suprimentos e às manutenções são reali?adas principalmente por contatos tele@Znicos direto com o Gatalhão de 3anutenção.29 F'68#a *)..LLL"portalchapeco"com"br.. em sede. S. utili?ando o istema por meio da %ntra+eE" 7! os dados necess!rios aos pedidos são lançados e atendidos prontamente pela equipe respons!+el no Gatalhão de 3anutenção" 9ão muito di@erente seria essa situação. ^http.8a&m.

com a @inalidade de +iabili?ar ao Comandante do Gatalhão maior comando e controle de suas ações" Complementando dessa @orma as redes r!dio lançadas pelo pessoal do pelotão de Comunicações" ' rede local de computadores nessa situação ser+e para comunicação em Aeral do Comandante com seus membros de Estado-3aior e Comandantes de ubunidades" PorFm a eEistXncia dessa rede local não de+e ser utili?ada apenas para troca de mensaAens entre seus usu!rios" (ma coneEão 6P9 de+e ser estabelecida. pois o pra?o de aerona+es indisponí+eis em operações ser! redu?ido. entre todas as outras @uncionalidades que o % '6ES e seus subsistemas o@erecem. liAando essa rede eEterna à EGnet. !rea de pernoite. poderão ser utili?adas e eEecutadas" Com essa estrutura estabelecida o @oco principal de um G'+EE estar! Aarantido. tendo em +ista a maior rapide? no processo loAístico" . horas +oadas pelas aerona+es. horas +oadas dos componentes das aerona+es. o aeródromo de campanha. onde seriam estabelecidos sua !rea de rancho. atuali?ação da diaAonal de manutenção on-line. que de @orma transparente ao usu!rio. lançamentos de horas +oadas por parte das tripulações. cumprir missões aFreas. possibilitar! o acesso à %ntra+eE e consequentemente a todo o banco de dados da '+iação do EEFrcito" & acesso remoto à %ntra+eE pelos elementos de manutenção CEsqda 3nt up 'n+D da re@erida (nidade 'Frea lhes dar! condições de utili?ar o % '6ES" &u seBa. entre outras instalações que são preparadas. um Gatalhão de '+iação CG'+EED operando @ora de sede com suas aerona+es e pessoal orAInico. reser+a de armamento.30 Em uma situação hipotFtica. solicitações de suprimentos. a !rea de manutenção de aerona+es. pedidos de manutenção. uma rede local de computadores seria instalada pelos militares da seção de in@orm!tica da (nidade. no momento da instalação do seu Posto de Comando.

31 .

não operati+as. a história da )orça Terrestre tem presente na sua estrutura histórica a '+iação. Aarantindo credibilidade e principalmente um planeBamento seAuro de que as ações elaboradas serão cumpridas con@orme o pre+isto" ' '+iação do EEFrcito. o 5iretor de 3aterial de '+iação do EEFrcito. uma das ilhas de modernidade da )orça Terrestre. seBa por seus modernos sistemas de na+eAação. seBa pelos seus modernos equipamentos a+iZnicos ou mesmo por seus motores eEtremamente potentes e le+es" & uso de tecnoloAias disponí+eis F uma constante no meio aeron!utico" 'o que di? respeito à TecnoloAia da %n@ormação não tem sido di@erente nos dias atuais no mundo" ' Bunção T% e '+iação de+e ser desen+ol+ida e praticada" ' utili?ação de 6P9s . o@icinas especiali?adas e nacionalmente reconhecidas no que di? respeito à manutenção de componentes aeron!uticos e de aerona+es. entre outros recursos in+eB!+eis. participando de e+entos de Arande importIncia" *! a '+iação tem em sua oriAem a presença @orte e marcante da impulsão da re+olução da tecnoloAia. de um Centro de @ormação de eEcelXncia de recursos humanos +oltados para ati+idade aFrea. detentora de um capital humano incompar!+el. sendo a '+EE seu braço aFreo que constantemente F acionado para apoiar as mais di+ersas operações" Para tanto. de simuladores de +oo. não pode deiEar de utili?ar em seu @a+or todos os recursos que a tecnoloAia dispõe" & % '6ES @oi criado com o intuito principal de apoiar o comando e controle da '+EE" Com ele hoBe. impossibilitando o apoio" Em contra partida um sistema de manutenção e@ica? e con@i!+el @a? uma '+iação presente e constante. os Comandantes dos G'+EE e do Gatalhão de 3anutenção e uprimento de '+iação do EEFrcito podem tomar decisões importantes apenas reali?ando uma simples consulta ao istema" Como eEposto no presente trabalho. de+e estar sempre em condições de pleno empreAo" Contudo um sistema de manutenção ine@iciente resultar! em aerona+es em baiEa. a '+ES. o Comandante de '+iação do EEFrcito.32 >9 CONCLUSÃO ' )orça Terrestre opera em todo território nacional.

&perações reais entre outras ati+idades em que a '+EE se @aça presente" Esse ser! o Arande di@erencial no campo de batalha e nas operações" . para o sistema de reabastecimento de aerona+es. possibilitar! o acesso ao % '+EE.33 para interliAar as redes de campanha da '+EE ! %ntra+eE. 3anobras. para o controle do espaço aFreo. mas em especial e principalmente para a disponibilidade das aerona+es militares enquadradas em EEercícios. @ornecendo assim aos elementos que esteBam em campanha in@ormações e recursos loAísticos que contribuirão para a manutenção em operações. para seAurança do +oo.

loAística de a+iação do eEFrcito" 1" Ed" Grasília..34 D9 REFERJNCIAS 1" G$' %7" EEFrcito" Estado:3aior" IP *1*. /010" M" G$' %7" EEFrcito" Estado:3aior" C *1(I...&'$9 5isponí+el em..7K9 5isponí+el em. 5).LLL"dicionariodoaurelio"com.LLL"portalchapeco"com"br. ^http. ^http. 0/ Bun /012" O"C='PECe Portal" Po#.a& CAap. o batalhão de manutenção e suprimento de a+iação do eEFrcito" /" Ed" Grasília.^http.+pn"htm_" 'cesso em. 5).. briAada de a+iação do eEFrcito" 1" Ed" Grasília._" 'cesso em._" 'cesso em. 0/ Bun /012" .BacJson.. 5). o esquadrão de a+iação do eEFrcito" 1" Ed" Grasília. /002" 2" G$' %7" EEFrcito" Estado:3aior" IP *1+). 0/ Bun /012" N"3ichaelis &n-line" D'7'o-G#'o M'7Aa. /002" P" G$' %7" EEFrcito" Estado:3aior" C *1(*.LLL"michaelis"uol"com"br. /00Q" R"'($#7%& &n-line" D'7'o-G#'o /o A8#@&'o9 5isponí+el em. /000" /" G$' %7" EEFrcito" Estado:3aior" IP *1(). empreAo da a+iação do eEFrcito" 1" Ed" Grasília. 5). 5).