Acionamentos

Elétricos
Leonardo Adams
Seminário
Assuntos
História
História
1
Princípio de Funcionamento
2
Tipos de Motores
3
Corrente Contínua
3.1
Corrente Alternada
3.2
Motor de Passo
3.3
er!o Motor
3."
Identificação das Partes
#C er!o Motor
3.$
1
Funcionamento 2
Controle 3
Vantagens/Desvantagens "
Aplicações $
Produtos WE %
História
1
%"1 a.C !ales o"servou o fen#meno da eletricidade eletrost$tica
1%&& William il"ert pu"licou De %agnete &força de atração magn'tica(
1%%3 )tto ueric*e construiu a primeira m$+uina eletrost$tica
1'2&
,ans C-ristian )ersted o"servou a ligação entre magnetismo e
eletricidade &eletromagnetismo( . primeiro passo para o
desenvolvimento do motor el'trico
1'2$ William /turgeon inventou o eletro0mã
1'32
/1 Dal 2egro construiu a primeira m$+uina de corrente alternada
com movimento da vaiv'm
1'33 W1 3itc-ie WInventou o comutador
História
1'3'
%orit4 ,ermann von 5aco"i desenvolveu um motor el'trico
alimentado por "ateria para um "ote
1'%% Construção de um gerador sem a utili4ação de 0mã permanente
1'()
A firma /iemens e ,als*e desenvolveu a primeira locomotiva
el'trica
1''$ Construiu o 67 motor de corrente alternada
1'')
Do"ro8ols*i9 da empresa AE9 entrou com o pedido de patente
de um motor trif$sico com rotor de gaiola
1')1
Desenvolveu a primeira fa"ricação em s'rie de motores
ass0ncronos
1
Princípio de Funcionamento
2
Tipos de Motores
3
%otor CA
%otor CC
/ervo %otor
%otor de Passo
Corrente Contínua
3.1
Identificação das Partes 1
3otor &Armadura( Estator &Campo(
Identificação das Partes 1
Comutador Escovas
Corrente Contínua
3.1
3otor com Enrolamento
Comutador&:(
Ei;o&<(
Carcaça&6(
P=los de e;citação&>(
P=los de comutação&?(
Enrolamento de compensação
Con@unto porta Escovas e escovas&A(
3otor &Armadura( Estator &Campo(
Corrente Contínua
3.1
Identificação das Partes 1
Comutador e Escovas
Corrente Contínua
3.1
Funcionamento 2
Corrente Contínua
3.1
Funcionamento 2
Corrente Contínua
3.1
Controle 3
Variação continua da tensão aplicada no motor&Anal=gico(
Conversor de corrente CA/CC
Corrente Contínua
3.1
Vantagens/Desvantagens "
Corrente Contínua
3.1
Corrente Contínua
3.1
Aplicações $
Por'm9 em alguns setores sua utili4ação ainda ' vanta@osaB
C%$+uinas de Papel
CDo"inadoras e des"o"inadoras
CEaminadores
C%$+uinas de Impressão
CE;trusoras
CPrensas
CElevadores
C%ovimentação e elevação de cargas
C%oin-os de rolos
CIndFstria de "orrac-a
C%esa de testes de motores
%otores CC estão sendo su"stitu0dos por motores CA acionados
por inversores de fre+GHncia
Corrente Contínua
3.1
Produtos WE %
3efrigeração (
Ventilação
Forçada
IndependenC
te
Auto
Ventilado
Ventilação
Forçada
IndependenC
te A;ial
/em
Ventilação
Ventilação
por !rocador
de Calor A3C
A3
Ventilação
por !rocador
de Calor A3C
IJA
Corrente Contínua
3.1
Identificação %
Corrente Contínua
3.1
!ipos de
E;citações
%
Corrente Contínua
3.1
%otor de Indução !rif$sico
Principais Partes
3otor
Estator
Estator
Carcaça&6(
2Fcleo de C-apas&>(
Enrolamento !rif$sico&K(
3otor
Ei;o&:(
2Fcleo de C-apas&?(
Darra de an'is de curto
circuito&6>(
Corrente Alternada
3.2
%otor de Indução !rif$sico
)utras Partes
!ampa &A(
Ventilador &<(
!ampa defletora &L(
Cai;a de ligação &M(
!erminais &6N(
3olamentos &66(
Corrente Alternada
3.2
Corrente Alternada
3.2
Funcionamento 2
%otor CA /0ncrino
%otor CA /0ncrino
Corrente Alternada
3.2
%otor de aiola
Enrolamento %onof$sico Enrolamento !rif$sico
Corrente Alternada
3.2
3egulagem da velocidade
nFmero de p=los
escorregamento
fre+GHncia da tensão
%otores de indução alimentados por
inversores de fre+GHncia
Vantagens
Facilidade de controle
Economia de energia
3edução do preço dos inversores
Inversor influencia nas caracter0sticas
construtivas do motor &tipo de aplicação
/ fai;a de velocidade(
Corrente Alternada
3.2
Vantagens/Desvantagens "
VantagensB
C3ede de energia ' alternada
CDarato
Corrente Alternada
3.2
Aplicações $ Produtos WE %
%otor !rif$sico
IP<<
Dom"as9
ventiladores9
e;austores9
compressores
%otor !rif$sico
para "om"a de
com"ust0vel
%otor !rif$sico
para "om"a de
com"ust0vel
Corrente Alternada
3.2
Corrente Alternada
3.2
Partida (
Partida direta atrav's de contatores
Corrente de partida
elevada
C Oueda de tensão
C /istema de proteção deve ser
superdimensionado
C Concession$rias limitam a +ueda
de tensão
/istemas de
partida indireta
C-ave estrala triPngulo
C-ave Compensadora
C-ave s'rieCparalelo
Partida Eletr#nica &/oftC!arter(
Corrente Alternada
3.2
Motor de Passo
3.3
3otor
3otor 6 &2orte(
3otor > &/ul(
Qmã permanente
Estator
Do"inas &Fases(
Identificação das partes 1
Caracter0sticas 1.1
Motor de Passo
3.3
%otores de passo são constru0dos comB
6>9>A9:>96AA e >NN passos por revolução
? etapasB parado9 ativado com rotor travado ou girando em etapas
%ovimento pode ser "rusco ou suave9 dependendo da fre+ e da
amplitude dos passos
3esultam em incrementos deB
?N96<9<9>1<9>961K
Funcionamento 2
Motor de Passo
3.3
Motor de Passo
3.3
Motor de Passo
3.3
Controle 3
*nipolar
E+cita,-o
imples
%otor unipolar com passo inteiro
Motor de Passo
3.3
E+cita,-o de
.uas /o0inas
Meio Passo
Motor de Passo
3.3
%otor unipolar com meio passo
/ipolar
%otor "ipolar com passo inteiro
%otor "ipolar com meio passo
Motor de Passo
3.3
Motor de Passo
3.3
Controlador
Digital
Driver
%otor de
Passo
Escol-a de motor de passo
Caracter0sticas el'tricas
3e+uisitos mecPnicos
Pro@eto eletr#nico de controle
2ormal
&FullCstep(
E;citação
Rnica
2ormal
&FullCstep(
E;citação
Dupla
%eio passo
&,alfCstep(
%icro Passo
Ctor+ue e velocidade não são importantes
Cpro"lemas com ressonPncia podem impedir a
operação em "ai;as velocidades
CDom tor+ue e velocidade
CPouco pro"lema com ressonPncia
C3e+uer o do"ro de potHncia da fonte
CDo"ra a resoluçãoS
C) tor+ue do motor varia ao alternar o passo
C)pera em grande fai;a de velocidade
CEivre de pro"lemas de ressonPncias
C)pera com +ual+uer carga encontrada comumente
CJsado onde ' necess$rio movimento macio ou maior
resolução
Motor de Passo
3.3
Motor de Passo
3.3
Vantagens/Desvantagens "
VantagensB
C!aman-o e custos redu4idos
C!otal adaptação T l=gica digital &controle preciso da velocidade9
direção e distPncia(
CCaracter0sticas de "lo+ueio
CPouco desgaste
CDispensa realimentação
DesvantagensB
Cm$ relação potHnciaCvolume
Aplicações $
C%esas UV
CPerif'ricos de computadores
CC'lula de manufatura integrada
C/istemas ro"=ticos
Motor de Passo
3.3
Servo Motor
3."
Identificação das Partes 1
!odo motor pro@etado para ser um servo motor deveB
C)perar em escalas de velocidade sem a+uecer
C,a"ilidade para operar em velocidade 4ero
C3eter tor+ue suficiente para segurar uma carga em posição
C,a"ilidade para operar em "ai;as velocidades por longos
per0odos sem a+uecer
Servo Motor
3."
Servo Motor
3."
Funcionamento 2
%otor CC ou CA
Controle 3
CPW% C Acionamento
CEncoder93esolver9etc C sensor
CControle l=gico
CControle Eletr#nico . amplificador do sinal &driver(
Servo Motor
3."
Servo Motor
3."
Vantagens/Desvantagens "
VantagensB
C%aior Precisão
C%aior !or+ue
C%aiores Velocidades
Carantia de movimento cont0nuo
Aplicações $
C%$+uinas C2C
CCarrin-o de controle remoto
C3o"=tica
C/istemas flWC"WC8ire
RC Servo Motor
3.$
/ervo %otor DC utili4ado em modelos controlados por controle remoto
%otor9 realimentador9 engrenagens9 circuito de controle
%otor DC unido mecanicamente a um potenci#metro &dispositivo
realimentador(
AplicaçãoB
Eeme de "arco
Flaps de aviões
RC Servo Motor
3.$