Escola Secundária de Alberto Sampaio 5raga 6 $,4,7$,44

Física e Química A
APSA5 nacional 11' Ano
1. Uma esfera metálica é solta e cai até ao chão. As relações entre a posição (x) da esfera relativamente ao local de onde foi abandonada, a velocidade (v), a aceleração (a), a energia cinética ( c) e o tempo decorrido desde o in!cio da "#eda (t), estão relacionadas graficamente com rectas o# com parábolas do $% gra#. & gráfico "#e descreve incorrectamente a depend'ncia entre tais grande(as corresponde ) alternativa*

!e"is#es para o teste interm$dio de 11.%2.2%11

E&ercícios e&emplo de e&ame

2.

A fig#ra representa, no instante t + t ,, #ma onda provocada por #ma fonte geradora de imp#lsos , "#e se propaga n#m determinado meio, no sentido positivo do eixo dos xx.

com per!odo

2.1 -om base na informação do gráfico, selecciona a alternativa "#e te permite obter a velocidade de propagação da onda em #nidades ./. A. B. C. D. 2.2. .elecciona o gráfico "#e melhor representa a mesma onda, n#m instante t + t, 0 1 2.

3ágina 4

A componente espacial é constit#!da por $= satélites com rel>gios at>micos. 5. velocidade e aceleração associadas a esse movimento.. em volta da 2erra.1. "#e descrevem >rbitas circ#lares em torno da 2erra. determina a locali(ação de #m receptor 93. #tili(ado nos carros é #ma parte do chamado sistema 93. como o sistema B ) f#nção da componente espacialC B ) f#nção da componente do #tili(adorC B ao processo de locali(ação do receptor 93. com velocidade de m>d#lo constante e as grande(as vectoriais força. & receptor está locali(ado n#m ponto de intersecção de tr's s#perf!cies esféricas centradas em cada satélite.:stem). regista o instante da recepção de cada sinal e calc#la a dist@ncia a "#e se encontra o satélite. -ada satélite envia #m sinal codificado com a s#a locali(ação e o instante de emissão do sinal. 3or isso. com base na informação contida no texto. pode ser descrito em termos de tr's componentes* a espacial.ul. Adaptado do s!tio Cosmo. com #m per!odo orbital de 4$ h. /ndica. distrib#!dos em ? planos orbitais. "#e foi criado e é controlado pelo . é determinar a posição de #m ob<ecto locali(ado na s#perf!cie da 2erra dando as tr's dimensões* longit#de.(.(. &s dados são depois enviados para #ma stação de -ontrolo.elecciona o es"#ema "#e pode representar estas grande(as "#ando o satélite passa no ponto 3 da tra<ect>ria descrita. a de controlo e a do #tili(ador.2. A componente do #tili(ador é constit#!da pelo receptor "#e se encontra na s#perf!cie da 2erra. o nAmero de voltas em torno da 2erra "#e #m satélite do sistema 93. & sistema 93. 5. 93. A finalidade do 93. com base na informação acima fornecida. referindo6se* 3ágina $ .fc. (9lobal 3ositioning . não é tão preciso como os rel>gios at>micos dos satélites. "#e analisa a posição relativa de cada satélite e pro<ecta as s#as tra<ect>rias e o comportamento dos rel>gios para as horas seg#intes. A posição de #m ob<ecto ) s#perf!cie da 2erra é fornecida pelos sinais electromagnéticos provenientes de tr's satélites. & rel>gio do receptor 93. 8' atentamente o seg#inte texto. A componente de controlo é constit#!da por #m con<#nto de estações terrestres "#e recebem contin#amente informação dos satélites. c#<o raio corresponde ) dist@ncia entre o receptor e o satélite. n#m determinado local. em -olorado .pt/crawford/artigos 5. screve #m texto no "#al expli"#e.epartamento de . . é #tili(ado #m sinal de #m "#arto satélite para sincroni(ar o rel>gio do receptor com os dos satélites.fis. -onsidera #m satélite "#e descreve #ma tra<ect>ria circ#lar. efect#a d#rante #m dia. & receptor 93.efesa dos stados Unidos da América. latit#de e altit#de.prings. & receptor 93.

*B+ & carro move#6se no sentido positivo da tra<ect>ria no intervalo de tempo E$. .0 !"#. ..2.F s.. Apresente todas as má"#ina. a finalidade do 93.C $.. é determinar a posição de #m ob<ecto ) s#perf!cie da 2erra dando as tr's dimensões* longit#de. *F+ A dist@ncia "#e separa o carro do marco "#ilométrico é máxima no intervalo de tempo E4..1...9 t + 15.... no intervalo de tempo E.F s. no intervalo de tempo E$.... em f#nção do tempo.2 -onsidera o intervalo de tempo E$.I J 4. no intervalo de tempo E..F s.1.. no intervalo E. 3ágina G etapas de resol#ção.= s e indi"#e a direcção e o sentido da velocidade nesse instante.C 4. *C+ A latit#de é medida em relação ao "#ador da 2erra. está a #ma latit#de diferente. Apresenta todas as etapas de resolu01o. .. 2endo em conta a nat#re(a destas dimensões.F s. -lassifica como verdadeiras (-) o# falsas (F) as afirmações seg#intes. o#.0 t2 + 12.(.C =. gráfico "#e melhor trad#( a força em f#nção do tempo.. Apresenta todas as etapas de resolu01o. ....L da energia do comb#st!vel do carro é cons#mida nos sistemas de arrefecimento e no escape......F s *C+ & movimento do carro foi #niformemente retardado no intervalo de tempo EG.e acordo com o texto.2.. 4.C =. . é maior do "#e no intervalo de tempo E$.C G.C ..1.F s. & gráfico da fig#ra representa a s#a posição relativamente a #m marco "#ilométrico.C 4... refira os . .F s. -alc#la a massa do sistema carro e ocupantes.).F s. -alc#la o m>d#lo da velocidade do carro no instante . . *A+ -ada local.etermina o valor da energia dissipada nos atritos. */+ & m>d#lo da velocidade do carro. *D+ & movimento do carro foi #niforme no intervalo de tempo E4. *B+ 3ode locali(ar6se #ma cidade conhecendo apenas a s#a longit#de.C $.2.C G.. .F s. é maior do "#e no intervalo de tempo EG. se #tili(ar a procedimentos efect#ados.(. latit#de e altit#de.+ A dist@ncia percorrida pelo carro..F s. na s#perf!cie da 2erra. selecciona a alternativa correcta.C G. *D+ A latit#de é medida em relação ao semi6meridiano de 9reenDich. . a lei do movimento do carro é x = -2...= K.C =..F s. *E+ & valor da velocidade do carro é negativo no intervalo de tempo EG. $IL é aproveitada para o movimento do carro e a restante é dissipada nos atritos..elecciona o aplicada no carro.. Admite "#e ?. .C 4.F s. A energia cinética do sistema carro e ocupantes nesse intervalo de tempo é H.5.. *.. A resol#ção pode ser efect#ada por cálc#los n#méricos o# #tili(ando a má"#ina de calc#lar gráfica.2.C G. *A+ A velocidade do carro vario# no intervalo de tempo E.. Um carro move6se hori(ontalmente ao longo de #ma estrada com velocidade de m>d#lo variável e descreve #ma tra<ect>ria rectil!nea.F s do gráfico da fig#ra..( Admite "#e.

o m>d#lo da componente da velocidade na direcção hori(ontal vai .). o cond#tor lanço# #ma bola. podem ser expressos pela f#nção A sin (P t). também experimentalmente. prod#(indo. selecciona a opção "#e completa correctamente a frase seg#inte. &s sons prod#(idos pelas cordas vocais. são #ma sobreposição de sons harm>nicos. m 4Q$.. Oelativamente a este tipo de sons. c#<o desenvolvimento se baseo# no conceito de campo. M#ando paro#. Um sinal sonoro propaga6se no espaço permitindo a com#nicação.elecciona a alternativa correcta relativamente ao movimento da bola. devido ) propagação dos sinais A e 5. por"#e a res#ltante das forças aplicadas. 2. 3ágina = . em cada instante. A velocidade de propagação do som no meio $ é s#perior ) velocidade de propagação do som no meio 4. Assim s#rgi# a teoria electromagnética. tem A tra<ect>ria é parab>lica. *D+ . direcção do movimento.. para fora do carro. m 4QG4. *C+ .1. t'm #ma fre"#'ncia inferior ) fre"#'ncia de vibração dessas cordas vocais. . *B+ .2. no meio 4 e no meio $. em geral. A e 5. em determinado instante. a possibilidade de ind#(ir corrente eléctrica n#m circ#ito fechado não ligado a #ma fonte de alimentação. 2. as cordas vocais vibram.. sons complexos.. por"#e a aceleração é... respectivamente... a partir de #m campo magnético "#e varia no tempo. 3. *A+ . *A+ *B+ *C+ *D+ .. -onsidera dois sinais sonoros. -ompara as fre"#'ncias dos sinais A e 5. Nos gráficos da fig#ra estão representadas as posições das part!c#las em cada #m dos meios.#rante a "#eda. &ersted verifico# experimentalmente "#e a corrente eléctrica prod#( efeitos magnéticos.. hori(ontalmente. direcção hori(ontal. perpendic#lar ) a#mentando. linearmente com o tempo. "#e se propagam. em cada instante. Rarada: evidencio#. K#stifica a resposta. o m>d#lo da componente da velocidade na direcção vertical a#menta A tra<ect>ria é parab>lica. 2.. provocam o movimento das part!c#las do ar na direcção perpendic#lar ) s#a propagação. #tili(ando a expressão matemática ade"#ada.. Na com#nicação verbal a c#rtas dist@ncias.#rante a "#eda..

*C+ .omos. no plano x&%. *B+ m A o campo tem a direcção e o sentido do eixo dos xx e em 5 o campo tem a direcção e o sentido do eixo dos %%. . a hipotética Adaptado de &'sica (i)ertida. A fig#ra representa. da mesma alt#ra.6$ S m64.3. a pedra grande e a pedra pe"#ena cairiam ao mesmo tempo. 4ZZ4 experi'ncia de 9alile# na torre de 3isa... ob<ectos diferentes. . #m m#ito grande e o#tro m#ito pe"#eno.. M#al é a pedra "#e deve. 4. deixando cair dois ob<ectos do mesmo material.1. . de facto. *B+ [ da s#a massa. 9radiva.. por exemplo. conforme il#stra a fig#ra. aproximadamente. . porém. colocada no plano x&%. o# a pedra pe"#enaU /gnorar a resist'ncia do ar significa "#e se imagina "#e não há atmosfera. está em repo#so e a espira se desloca verticalmente para cima.e se VdesligasseW a resist'ncia do ar. *D+ [ da alt#ra de "#eda... em "#e n#ma delas se sit#am os pontos A e 5. com a mesma velocidade. e a espira se deslocam verticalmente para cima. *C+ [ da s#a densidade. em 5 pode ter o m>d#lo de I J 4.1. -onsidera #m !man paralelo ao eixo dos $$ e #ma espira. ao mesmo tempo.2. No chamado Xt#bo de NeDtonY (#m t#bo de vidro onde se fa( o vác#o) pode6se deixar cair. de fio de cobre *A+ . o tempo de "#eda de #m ob<ecto depende[ *A+ [ da s#a forma. *B+ . cair primeiro. 3. *D+ m A e em 5 o campo tem direcção perpendic#lar ao plano x&%. e observar "#e chegam ao f#ndo do t#bo exactamente ao mesmo tempo. -onta a lenda "#e no séc#lo TS// o italiano 9alile# 9alilei tendo deixado cair #ma pedra grande e #ma pedra pe"#ena do cimo da torre de 3isa. A corrente eléctrica "#e passa na espira é n#la "#ando o !man.. *D+ . então.. 6$ S m64. 3ágina I . *A+ . . está em repo#so e a espira se desloca hori(ontalmente para a direita.elecciona a alternativa correcta. as linhas de #m campo eléctrico. em condições ideais.6$ S m64. 8' atentamente o seg#inte texto.. mesmo "#e se VdesligasseW a resist'ncia do ar. sse instr#mento permite efect#ar. A Nat#re(a nem sempre está.e fi(ermos a experi'ncia na 2erra.elecciona a opção "#e completa correctamente a frase seg#inte. selecciona a alternativa "#e completa correctamente a frase seg#inte. Na a#s'ncia de resist'ncia do ar. de acordo com as nossas int#ições mais imediatas. . levados pela int#ição a concl#ir "#e devia cair primeiro a pedra grande. constatamos "#e cai primeiro o ob<ecto maior. se se ignorar a resist'ncia do arU A pedra grande. 4. *C+ . verifico# "#e ambas chegavam ao chão. -arlos Riolhais. #ma chave e #ma pena.e o m>d#lo do campo em A for G J 4. em 5 tem também o m>d#lo de I J 4.e o m>d#lo do campo em A for I J 4. -om base na informação apresentada no texto.6$ S m64. e a espira se deslocam verticalmente para cima com velocidades diferentes..

& desn!vel entre o ponto A e o troço hori(ontal é de G. M#ando se est#dam m#itos dos movimentos "#e ocorrem perto da s#perf!cie terrestre. g. screve #m texto.I..4. por exemplo.com velocidade n#la. a resist'ncia do ar não s> não é despre(ável. inclinada entre os pontos A e 5. N. cai livremente a partir da posição A. sit#ada a #ma alt#ra h em relação ao solo. cm. #tili(ando planos inclinados. cai verticalmente até ao solo. ntre os pontos 5 e . chegando ao solo com velocidade n#la. E. sobre o bloco #ma força de atrito de intensidade . é habit#al #sar. onde os passageiros se sentam. colocado no ponto A. 4. desli(a ao longo da calha. "#e termina n#m troço hori(ontal 5-. Apresenta todas as etapas de resolu01o.(. no caso das torres de "#eda livre existentes em alg#ns par"#es de diversão. Nos se#s est#dos sobre o movimento dos corpos. Apresenta todas as etapas de resolu01o.G m s64. 1%. ntre os pontos A e 5 considera6se despre(ável o atrito. cont#do. abordando os seg#intes t>picos* B /dentificação das forças "#e sobre ele act#am. representado na fig#ra. e recorra excl#sivamente )s e"#ações "#e trad#(em o movimento. ap>s ter sido abandonado do cimo da torre de 3isa. atingindo o ponto . descrevendo o modo como variam as intensidades dessas forças. passa a act#ar 3ágina ? . inicialmente em repo#so. considera6 se despre(ável a resist'ncia do ar. M#ando atinge a posição B. para além da experi'ncia descrita no texto. firmemente amarrados.escrição. como tem #ma import@ncia f#ndamental no movimento. %(t) e )(t). d#rante a "#edaC B . \ o "#e acontece. f#ndamentada.1. 1%. calhas para o est#do dos movimentos. ele acaba por atingir a velocidade terminal. & elevador. da variação do m>d#lo da s#a aceleração d#rante a "#edaC B /dentificação dos dois tipos de movimento "#e ele ad"#ire d#rante a "#eda. -alc#la a dist@ncia a "#e o ponto 5 se encontra do solo. por isso. nos laborat>rios das escolas. 9alile# terá ideali(ado o#tras. com origem no solo. -onsidera #m ob<ecto "#e. sabendo "#e o m>d#lo da aceleração do elevador. -onsidera despre(áveis a resist'ncia do ar e todos os atritos entre a posição A e o solo. No#tros casos. A fig#ra representa #ma calha.endo apreciável o efeito da resist'ncia do ar sobre esse ob<ecto.. m s6$. . passa também a ser act#ado por #ma força de travagem constante..2. A fig#ra representa #ma torre de "#eda livre "#e dispõe de #m elevador. até ) posição B. -onsidere o referencial de eixo vertical. entre essas posições. Um bloco. é ig#al a $.a s#perf!cie da calha é r#gosa e. -alc#la o tempo "#e o bloco demora a percorrer o troço 5-. Analogamente. no "#al caracteri(e o movimento de "#eda desse ob<ecto. de massa 4. & elevador foi dimensionado de modo a atingir a posição 5 com velocidade de m>d#lo ig#al a G.

a $. em "#eda vertical. o m>d#lo da aceleração do pára6"#edista é constante. entro# n#m m#ndo estranho e desolado. A fig#ra representa #m feixe de laser. Um exemplo de movimento em "#e a resist'ncia do ar não é despre(ável é o movimento de "#eda de #m pára6"#edista. 3ágina H de transmissão de informação. na seg#nda metade do séc#lo TT. Uma fibra >ptica é constit#!da por #m filamento de vidro o# de #m material polimérico (nAcleo).%. a res#ltante das forças "#e act#am no con<#nto p*ra-+uedista 7 p*ra-+uedas tem sentido contrário ao do movimento do pára6"#edista.erra. t$F s. m#ito fino. 12. tGF s. o pára6"#edista encontra6se parado. 2endo em conta a sit#ação descrita. *C+ & @ng#lo de refracção é de ?. há conservação da energia mec@nica do sistema p*ra-+uedista / 7p*ra-+uedas + . e é g#iada ao longo desta. *. M#ando o astrona#ta Neil Armstrong piso# pela primeira ve( o solo l#nar.+ No intervalo de tempo E.2 Nas com#nicações por fibras >pticas #tili(a6se fre"#entemente l#( laser. *B+ No intervalo de tempo Et4. screve #m texto no "#al faças refer'ncia aos seg#intes t>picos* B #ma das propriedades do material do nAcleo da fibra >ptica. s e "#e o pára6"#edas é aberto no instante t$. desde (ero até #m valor ig#al ao do peso do con<#nto p*ra-+uedista 7 p*ra-+uedas. revol#ciono# a tecnologia 12.. t=F s. *B+ & @ng#lo de incid'ncia é de II%. a energia cinética do con<#nto p*ra-+uedista 7 p*ra-+uedas mantém6 se constante. t4F s. *E+ No intervalo de tempo Et$. */+ No intervalo de tempo EtG. de K#lho de 4Z?Z.1. t$F s. 2oda a s#perf!cie da 8#a está coberta por #m manto de solo poeirento. t4F s. *D+ No intervalo de tempo E. -onsidera "#e o movimento se inicia no instante t + . *C+ No intervalo de tempo Et$. ms]$. 8' atentamente o seg#inte texto. & gráfico da fig#ra = representa o m>d#lo da velocidade de #m pára6"#edista. *D+ & @ng#lo de refracção é de GI%.11. a res#ltante das forças "#e act#am no pára6"#edista é n#la. A l#( incide n#ma extremidade da fibra. coberto por #m revestimento de !ndice de refracção diferente. seg#ndo #m @ng#lo ade"#ado. o m>d#lo da aceleração do pára6"#edista é ig#al a 4. t4F s.%. em f#nção do tempo. 12. & desenvolvimento das fibras >pticas.. tGF s. selecciona a alternativa correcta. *F+ No intervalo de tempo Et4. . -lassifica como verdadeira (S) o# falsa (R) cada #ma das afirmações seg#intes.. "#e se propaga no ar e incide na s#perf!cie de #m vidro. até ) o#tra extremidade. "#ase sem aten#ação. "#e permite "#e a l#( se<a g#iada no se# interior. 1(. "#ase sem aten#açãoC B o fen>meno em "#e se baseia a propagação da l#( no interior da fibra >pticaC B as condições em "#e esse fen>meno ocorre. *A+ No intervalo de tempo E. a intensidade da resist'ncia do ar a#menta. *A+ & @ng#lo de incid'ncia é de G.

&g8#a. 1(. e ) s#perf!cie da 8#a.2.. 1(. "#e também ocorre na atmosfera da 2erra. explica por "#e motivo. A atmosfera de Sén#s é constit#!da por cerca de ZHL de di>xido de carbono e por #ma pe"#ena percentagem de a(oto. de modo a tornar verdadeira a afirmação seg#inte. 9radiva. embora em menor extensão.. por"#e ali não existe atmosfera apreciável. 1(. hélio e o#tros gases. mas não deixam escapar a radiação infravermelha emitida pelas rochas da s#a s#perf!cie.ol "#e incide na s#perf!cie l#nar é absorvida.$ (adaptado) 1(.Não há cé# a(#l. A temperat#ra ) s#perf!cie chega a atingir =Q$ %-. selecciona o gráfico "#e trad#( o modo como variam os m>d#los da velocidade de #m corpo em movimento de 3ágina Q . (b) e (c). respectivamente.inah ^oché. #ma ve( "#e a espessa camada de n#vens "#e o envolve reflecte grande "#antidade da l#( proveniente do . #ma ve( "#e a s#perf!cie da 8#a *b+ grande parte da radiação solar incidente e a atmosfera de Sén#s *c+ a maior parte dessa radiação. -stronomia. & sil'ncio é total.1. na 8#a. *A+ *B+ *C+ *D+ . -om base na informação apresentada no texto. &g2erra.5 -om base na informação apresentada no texto. s#perior [ absorve [ absorve [ [ inferior [ absorve [ reflecte [ [ s#perior [ absorve [ reflecte [ [ inferior [ reflecte [ absorve [ 1(. selecciona a alternativa "#e contém os termos "#e devem s#bstit#ir as letras (a).. "#ando colocado ) s#perf!cie da 2erra. com vest!gios de vapor de ág#a. por"#e o di>xido de carbono e o vapor de ág#a atmosféricos se deixam atravessar pela l#( vis!vel do . n#vens. Vo sil'ncio é totalW. /dentifica o efeito descrito no Altimo per!odo do texto.ol. 2endo em conta a informação dada no texto. A maior parte da l#( do . selecciona a alternativa "#e compara correctamente a intensidade da força grav!tica "#e act#a sobre #m mesmo corpo. A aceleração da gravidade ) s#perf!cie da 8#a é cerca de 47? da "#e se verifica ) s#perf!cie da 2erra. f>sseis nem organismos de "#al"#er espécie.epois da 8#a. Nas análises laboratoriais de rochas e solo tra(idos da 8#a não foram encontrados ág#a. & albedo da 8#a é *a+ ao de Sén#s.(.).ol. sendo o albedo médio da 8#a de apenas 44L. -om base na informação apresentada no texto. $. . Sén#s é o astro mais brilhante no cé# noct#rno. nem fen>menos meteorol>gicos de espécie alg#ma. .

G s.. 1). recolhiam amostras na s#perf!cie l#nar. *D+ & trabalho reali(ado pela res#ltante das forças aplicadas no ^. h. passando na posição A 3ágina Z .? m. pr>ximo da s#perf!cie da 8#a. da missão Apollo 44.percorre# #ma dist@ncia de 4. inadvertidamente.Z J 4. s#<eito apenas ) Oelativamente ) sit#ação descrita. */+ & valor da energia cinética do ^. com #m per!odo de $.. o se# colega ^. *F+ & m>d#lo da velocidade linear do ^.foi Q. selecciona o diagrama "#e representa correctamente as forças de interacção entre o ^>d#lo de -omando e a 8#a.Z J 4. ^>d#lo de -omando (^-) descreve#."#eda livre vertical. -onsidera "#e o força grav!tica exercida pela 8#a. g.? m. diversas >rbitas circ#lares. como representado na fig#ra escala+. *. )2erra. em >rbita ) volta da 8#a (8). 1).( 3ara recolher amostras na s#perf!cie l#nar. *a 5i6ura n1o está representada 7 1). em f#nção do tempo de "#eda.2. de raio 4.vario# ao longo da >rbita. 1).H J 4. -ollins permanecia no ^>d#lo de -omando (^-). e pr>ximo da s#perf!cie da 2erra. *B+ A velocidade linear do ^.]= rad s]4. *C+ m $.pelo per!odo do se# movimento é independente do raio da >rbita.foi n#lo. h o ^. tal como representado na fig#ra. "#ando #m dos astrona#tas tento# recolher #ma amostra.. *E+ & prod#to do m>d#lo da velocidade ang#lar do ^.manteve6se constante. 2endo em conta a sit#ação descrita. /magine "#e.+ & m>d#lo da velocidade ang#lar do ^.depende da s#a massa. *A+ & ^. esta desli(o#. v8#a. de massa $. n"#anto os astrona#tas N.1.descreve# cada volta completa em H. os astrona#tas #saram #m #tens!lio de cabo extens!vel. n#ma (ona onde o solo era inclinado. Armstrong e .$ J 4. classifica como verdadeira (S) o# falsa (R) cada #ma das afirmações seg#intes. Aldrin.

a energia potencial grav!tica do sistema amostra + . sendo menor a energia "#e o circ#ito pode disponibili(ar. 2endo em conta a sit#ação descrita. sendo menor a energia "#e o circ#ito pode disponibili(ar. #m gr#po de al#nos monto#.ua dimin#i# Q. mesmo a pe"#ena dist@ncia. antes de poder ser enviado sob a forma de #ma onda electromagnética. #ma calha polida.). descoberto por Rarada:. 1). a #m microfone de ind#ção. M#anto mais rápido é o movimento do !man no interior da bobina. 1). "#e terminava n#m troço hori(ontal. M#al"#er sinal sonoro. [ *A+ *B+ *C+ *D+ . & f#ncionamento do microfone de ind#ção baseia6se no fen>meno da ind#ção electromagnética. & sinal eléctrico gerado n#m microfone tem fre"#'ncias demasiado baixas para ser encaminhado directamente para a antena emissora.]$ K. Além do sinal eléctrico gerado no microfone. Serifica6se "#e esse aparelho de medida detecta a passagem de corrente no circ#ito..I m em relação ao solo. de massa m.).1. sendo maior a energia "#e o circ#ito pode disponibili(ar.. 3ara est#dar a relação entre a velocidade de lançamento hori(ontal de #m pro<éctil e o se# alcance.. *a 5i6ura n1o se encontra 7 15..2. sit#ado a #ma alt#ra de $. no ponto A e verificaram "#e ela atingia o solo no ponto -. admitindo "#e a"#ela se manteve constante. Nesse perc#rso. tal como es"#emati(ado na Rig#ra escala+. 3ágina 4.) Uma ve( "#e na 8#a Vo sil'ncio é totalW. "#ando se move #m !man no interior da bobina. os astrona#tas com#nicavam entre si. -alc#la a intensidade da força de atrito "#e act#o# sobre a amostra no perc#rso considerado.I. 1). tendo percorrido I4 cm entre estas posições. o processo de mod#lação re"#er o#tro sinal. por esse motivo. deve ser transformado n#m sinal eléctrico. m s64 e parando na posição 5.eve.1. .4? J 4. sobre #m s#porte ade"#ado. 15. sofrer #m processo de mod#lação. [maior é o m>d#lo da força electromotri( ind#(ida. selecciona a alternativa "#e completa correctamente a frase seg#inte. por exemplo. &s al#nos abandonaram #ma esfera. sendo maior a energia "#e o circ#ito pode disponibili(ar. por meio de ondas electromagnéticas.com #ma velocidade de m>d#lo ig#al a . ste fen>meno pode ser evidenciado com #m circ#ito constit#!do apenas por #ma bobina ligada a #m aparelho de medida ade"#ado. Apresenta todas as etapas de resolu01o. recorrendo. [menor é o m>d#lo da força electromotri( ind#(ida. . /dentifica esse sinal e explica s#cintamente em "#e consiste o processo de mod#lação. [maior é o m>d#lo da força electromotri( ind#(ida.menor é o m>d#lo da força electromotri( ind#(ida.

. então. passará em 5 com #ma velocidade de m>d#lo[ *A+ )4 *B+ $ )4 *C+ 47$ )4 *D+ = )4 1. o m>d#lo da velocidade desse satélite. levando cerca de I. de raio H.e for despre(ável a resist'ncia do ar e o atrito entre as esferas e a calha. -onsidera "#e #ma esfera. .2.1. screve a e"#ação da recta obtida pelos al#nos "#e melhor se a<#sta ao con<#nto de pontos experimentais 15. abandonada no ponto A.2. #ma esfera de massa $m4. em >rbita ) volta da 2erra... abandonada no ponto A. Apresenta todas as etapas de resolu01o. 2raça os vectores "#e representam a velocidade do satélite e a força "#e o mantém em >rbita ) voltada 2erra.etermina o valor da velocidade da esfera ) sa!da da calha (ponto 5). em m s]4. A Rig#ra representa #m satélite. & telesc>pio espacial /u00le descreve >rbitas praticamente circ#lares. a dist@ncia entre os pontos & e -. consoante a aplicação a "#e se destinam. .. Oecorre excl#sivamente )s e"#ações % (t ) e x(t ) "#e trad#(em o movimento da esfera.eg#idamente.? m. J 4.elecciona a Anica opção "#e permite obter #ma afirmação correcta.(.. &btiveram o con<#nto de valores de alcance e de velocidade de lançamento registados na 2abela -om base nos valores constantes na tabela anterior e #tili(ando a calc#ladora gráfica. &s satélites artificiais da 2erra podem ter >rbitas praticamente circ#lares o# >rbitas el!pticas. passa em 5 com #ma velocidade de m>d#lo )4. de massa m4. 3ágina 44 . . 15. os al#nos traçaram o gráfico do alcance em f#nção da velocidade de lançamento. 1.^ediram.H? J 4. em tr's ensaios consec#tivos. mas abandonando a esfera de diferentes pontos da calha. os al#nos repetiram o procedimento anterior.G s a completar #ma volta em torno da 2erra. . 1. com movimento circ#lar #niforme.elecciona a Anica opção "#e permite calc#lar. tendo obtido os valores "#e se encontram registados na 2abela. considerando o referencial bidimensional representado na Rig#ra.

12.(. entre o#tros. em f#nção do tempo.. tendo em conta os valores de !ndice de refracção. d#plicaria 1. a intensidade da força "#e a 2erra exerce sobre ele _____. com base na lei de Rarada:. 13. xplica. ^`( e =. "#e foram detectados por radioamadores de diversos pa!ses. provocando a rotação do !man. 13. d#plicaria *D+ se red#(isse a metade. "#ando a roda está parada. de modo a obter #ma afirmação correcta.eve6se a ^. ocorrem. "#adr#plicaria *B+ d#plicasse.e a dist@ncia de #m satélite ao centro da 2erra _____. M#ando #m feixe l#minoso incide na s#perf!cie de separação de dois meios transparentes.elecciona a Anica opção "#e apresenta a resposta correcta. .elecciona a Anica opção "#e identifica correctamente os meios / e //.. M#ando a roda da bicicleta está em movimento.. *C+ o mesmo comprimento de onda e velocidades de propagação diferentes.. enviava sinais electromagnéticos. *C+ / ] ar C // ] vidro.. / e //. "#e incide na s#perf!cie de separação de dois meios. & gráfico da Rig#ra representa o fl#xo magnético "#e atravessa #ma espira metálica. .elecciona a Anica opção "#e contém os termos "#e preenchem. *B+ comprimentos de onda diferentes e a mesma velocidade de propagação. Alg#mas bicicletas dispõem de far>is c#<as l@mpadas estão ligadas a #m d!namo. ^`(.. *B+ / ] >leo C // ] ar. se"#encialmente. esses dois sinais teriam[ *A+ o mesmo comprimento de onda e a mesma velocidade de propagação. Rarada: a descoberta da ind#ção electromagnética..1. fen>menos de reflexão e de refracção. m "#al dos intervalos de tempo seg#intes o m>d#lo da força electromotri( ind#(ida na espira é maiorU 3ágina 4$ . "#e permite a prod#ção de corrente eléctrica em m#itos dispositivos. 13. o !putni1 1. . a l@mpada não acende. No vác#o. . 3orém. *D+ / ] ar C // ] >leo. o eixo do d!namo gira. "#adr#plicaria *C+ d#plicasse. listados na 2abela.. *A+ / ] >leo C // ] ág#a. n. . *D+ comprimentos de onda e velocidades de propagação diferentes.1. os espaços seg#intes.elecciona a Anica opção "#e permite obter #ma afirmação correcta. de fre"#'ncias $. m#ito fino. & primeiro satélite artificial da 2erra.. semelhante ao representado na fig#ra. A Rig#ra representa #m feixe l#minoso.. *A+ red#(isse a metade. e a l@mpada acende.).2. . o aparecimento de #ma corrente eléctrica no circ#ito apenas "#ando a roda está em movimento.

sabendo "#e essa expressão é da forma 2 + 2máx. em "#e a base de tempo foi reg#lada para I ms7div e o amplificador vertical para I S7div. 2. & gráfico da fig#ra representa #m sinal eléctrico. . comandante da missão Apollo 4I. /dentifica o facto. caem com acelerações ig#ais. para esse sinal. a. a 9alile#. No filme "#e registo# essa experi'ncia. caem com acelerações diferentes. devemo6lo. *D+ diferentes. "#e tenho na mão direita. selecciona a Anica opção "#e. e o tempo. 8' o seg#inte texto.cott exclama* V/sto mostra "#e 9alile# tinha ra(ãobW 3ttp4//3istor%. A $ de Agosto de 4ZH4. referido no texto.. &s dois ob<ectos caem lado a lado e chegam ao chão praticamente ao mesmo tempo.(. 3ágina 4G . .2.cott. "#e fe( #ma descoberta m#ito importante acerca da "#eda dos corpos em campos grav!ticos. & martelo e a pena caem lado a lado e chegam ao chão praticamente ao mesmo tempo... 14.cott a considerar "#e a 8#a era #m l#gar privilegiado para testar a hip>tese de 9alile# sobre o movimento de corpos em "#eda livre.. o astrona#ta .1.2.). 14.nasa. estando s#<eitos a forças grav!ticas[ *A+ diferentes.cott* V.(. Apresenta todas as etapas de resol#ção. *C+ ig#ais.3tml71890255 (adaptado) 14. mas é independente da s#a massa.G ag). screve a expressão "#e trad#( a relação entre a diferença de potencial. para o sistema pena + . *C+ é independente da forma do ob<ecto. e a largá6los em sim#lt@neo. ) mesma alt#ra. por"#e. 14.5. recebido n#m oscilosc>pio. é a amplit#de do sinal. *B+ ig#ais. em "#e 2máx. permite obter #ma afirmação correcta. entre o#tros. caem com acelerações ig#ais.G$ ag) e #ma pena de falcão (de massa . deixar cair o martelo. reali(o# na 8#a (onde a atmosfera é praticamente inexistente) #ma pe"#ena experi'ncia com #m martelo geol>gico (de massa 4. sin(P t ). t . o tempo de "#eda[ *A+ depende da forma e da massa do ob<ecto. -onsidero "#e não há melhor l#gar para confirmar as s#as descobertas do "#e a 8#a. 9alile# previ# "#e. Nos itens 14.go)/als5/a15/a15. a 14. em cada caso.W Nas imagens registadas.e estamos a"#i ho<e.*A+ E. "#e tenho na mão es"#erda.cott a seg#rar no martelo e na pena. *B+ depende da forma do ob<ecto.#rante a "#eda da pena manteve6se constante. "#e levo# ..C t4F *B+ Et $C t GF *C+ Et =C t IF *D+ Et ?C t HF 13. caem com acelerações diferentes. por isso. 14. e a pena. *D+ é independente da forma e da massa do ob<ecto. mas depende da s#a massa. e espero "#e cheg#em ao chão ao mesmo tempo.clsout6.avid . v'6se .ua. é poss!vel o#vir as palavras de . na "#eda livre de #m ob<ecto. So#. aproximadamente.

elecciona a Anica opção em "#e a res#ltante das forças aplicadas no <ipe está indicada correctamente. -onsidera "#e. *B+ soma das energias cinética e potencial grav!tica. o <ipe se afasto# do ponto de partida. de ig#al área e s#bmetidas ) mesma diferença de temperat#ra. t 4F. . #ma pe"#ena rampa. mas. *B+ Et 4. 3ágina 4= . *D+ Et G. *C+ Q ve(es s#perior na camada 5. os astrona#tas da Apollo 4I #saram #m ve!c#lo conhecido como <ipe l#nar. encontra6se representado o gráfico da dist@ncia percorrida pelo <ipe. n#m dado local. o <ipe esteve parado. sendo reflectido por essa s#perf!cie. os valores de cond#tividade térmica da camada mais s#perficial da 8#a (camada A) e de #ma camada mais prof#nda (camada 5).). Admite "#e o <ipe sobe. sses valores encontram6se registados 2%. n#m dado perc#rso. 2%. sendo a espess#ra da camada 5 d#pla da espess#ra da camada A. 14.. t $F. nos itens 2%. com velocidade constante. o <ipe pode ser representado pelo se# centro de massa (modelo da part!c#la material). *B+ = ve(es s#perior na camada 5. 3ara a#mentar a área de s#perf!cie l#nar s#scept!vel de ser explorada.elecciona a Anica opção "#e representa correctamente a sit#ação descrita.%. a 2%. na tabela seg#inte. o <ipe descreve# #ma tra<ect>ria c#rvil!nea. -omparando porções das camadas A e 5. no intervalo de tempo[ *A+ E. 2%. . *C+ Et $.1. 14. & gráfico permite concl#ir "#e. .2. A dist@ncia 2erra ] 8#a foi determinada.elecciona a Anica opção "#e permite obter #ma afirmação correcta. t GF. por reflexão de ondas electromagnéticas em reflectores colocados na s#perf!cie da 8#a. *D+ 4? ve(es s#perior na camada 5. "#e incide sobre #ma s#perf!cie plana seg#ndo #m @ng#lo de incid'ncia de $. com grande rigor. em f#nção do tempo. *D+ diferença entre as energias cinética e potencial grav!tica. t =F... &s astrona#tas da missão Apollo 4I implantaram sensores "#e permitiram medir. -onsidera #m feixe laser. o <ipe inverte# o sentido do movimento. é de prever "#e a taxa temporal de transmissão de energia como calor se<a cerca de[ *A+ $ ve(es s#perior na camada 5.1.. m#ito fino.*A+ energia cinética.5. Na Rig#ra. *C+ energia potencial grav!tica.

diversas aplicações tecnol>gicas. responsável pelo movimento do se# centro de massa. -alc#la o trabalho reali(ado pelas forças dissipativas.elecciona a Anica opção "#e permite obter #ma afirmação correcta.(. a inexist'ncia de atmosfera impede "#e ocorra o mecanismo de convecção "#e. era H. 3ágina 4I . Oefere o "#e se pode concl#ir deste res#ltado. . & <ipe estava e"#ipado com #m motor eléctrico com pot'ncia Atil. *D+ ig#al em 3$ e em 34. <#stificando. As s#cessivas posições estão registadas a intervalos de tempo de 4. facilitaria o arrefecimento do motor do <ipe. entre as posições A e 5. A Rig#ra representa linhas de campo magnético criadas por #m !man em barra e por #m !man em U. /ndica. Apresenta todas as etapas de resolu01o. 21. 21. *B+ ig#al em 3= e em 3G. . &s !manes t'm.= J 4.1. 2%.$ c.elecciona a Anica opção "#e apresenta correctamente a orientação de #ma bAssola.5.(. &ersted observo# "#e #ma ag#lha magnética. *C+ maior em 3$ do "#e em 34. & m>d#lo do campo magnético é[ *A+ maior em 3= do "#e em 3G. 2%. sofria #m pe"#eno desvio. ho<e em dia.escreve o modo como a"#ele mecanismo de convecção se processa. Na 8#a. 21.). Admite "#e a fig. c#<o p>lo norte está assinalado a a(#l. "#ando colocada na proximidade de #m fio percorrido por #ma corrente eléctrica. .2. colocada na proximidade do !man representado nos es"#emas seg#intes.2%. representa #ma imagem estrobosc>pica do movimento desse <ipe. o valor do trabalho reali(ado pela força grav!tica aplicada no <ipe "#ando este se desloca sobre #ma s#perf!cie hori(ontal. entre os pontos A e 5 de #ma s#perf!cie hori(ontal. na 2erra. s. 21.

$I *D+ 4.$.#põe "#e a escapat>ria não tinha o perfil atrás representado (sit#ação A). 2(. 2(. (a n1o está 7 escala+. Apresenta todas as etapas de resolu01o. . *B+ cinética do a#tom>vel seria maior. 22.. está representado #m gráfico "#e trad#( a periodicidade temporal do movimento vibrat>rio de #ma part!c#la do ar sit#ada a #ma certa dist@ncia de #ma fonte sonora. imobili(ando6se a"#ele a #ma alt#ra de =.1.e a intensidade das forças dissipativas "#e act#am sobre o a#tom>vel fosse maior. nas mesmas condições.Q m em relação ) base da rampa.2. e as escapat>rias destinadas ) imobili(ação de ve!c#los com falhas no sistema de travagem. 2(. como os postos . A velocidade de propagação de #ma radiação monocromática na ág#a em fase l!"#ida é cerca de 1 da velocidade de propagação dessa radiação no vác#o. no perc#rso considerado. As a#to6estradas dispõem de diversos dispositivos de seg#rança. devido a #ma falha no sistema de travagem. *D+ cinética do a#tom>vel seria menor.Q m) (a 5i6ura n1o está 7 escala). *C+ potencial grav!tica do sistema autom:)el -. desde o in!cio da escapat>ria até ao ponto em "#e o a#tom>vel se imobili(a. no item 2(.1. Na Rig#ra. a variação da energia.4 m. m s]4. ap>s ter percorrido IG.&.). J 4.. verificar6se6ia "#e. a velocidade do som. A Rig#ra representa o perc#rso do a#tom>vel na escapat>ria.elecciona a Anica opção "#e apresenta #m valor aproximado do !ndice de refracção da ág#a em fase l!"#ida. Apresenta todas as etapas de resolu01o.HI *B+ 4. -onsidera #m a#tom>vel "#e.G ag .1.. dispositivos "#e permitem converter #m sinal sonoro n#m sinal eléctrico. 5i6ura -alc#la a intensidade da res#ltante das forças não conservativas "#e act#am sobre o a#tom>vel...1.etermina o comprimento de onda do sinal sonoro. era G=$ m sd4.$. nesse meio. 2(. o a#tom>vel pode ser representado pelo se# centro de massa (modelo da part!c#la material). .1.GG *C+ $. 2(. Admite "#e a massa do con<#nto autom:)el 0 ocupantes é 4.21. e "#e o a#tom>vel se imobili(ava ) mesma alt#ra (=.elecciona a Anica opção "#e permite obter #ma afirmação correcta.erra seria menor. Admite "#e essas forças se mant'm constantes e "#e a s#a res#ltante tem sentido contrário ao do movimento. 3ágina 4? .(. *A+ potencial grav!tica do sistema autom:)el -. -onsidera "#e o a#tom>vel entra na escapat>ria. para a"#ela radiação. . mas tinha o perfil representado na Rig#ra (sit#ação 5). *A+ . no intervalo de tempo considerado.erra seria maior.1. no ar. . . -onsidera "#e. entra n#ma escapat>ria com #ma velocidade de m>d#lo $I. admitindo "#e. &s !manes são #m dos constit#intes dos microfones de ind#ção.

colocado n#m local onde a pot'ncia média da radiação solar incidente é ?. entre as placas T e h[ *A+ red#(6se a metade.5. . 2). .m$ e de rendimento médio 4.A g . 2).A. *A+ .eleccione a Anica alternativa "#e contém os termos "#e preenchem. representada na fig#ra G. desde o in!cio da escapat>ria até ao ponto em "#e o a#tom>vel se imobili(a. 2). . 2(. -onsidera #m painel fotovoltaico. a energia transferida por #nidade de tempo.A e .2.2. origina #ma onda sonora. ao propagar6se no ar.. .(. 2). maciça e homogénea. de espess#ra _.1. mantida a #ma temperat#ra constante.eleccione a Anica alternativa "#e permite obter #ma afirmação correcta. . descreve como ocorre a propagação de #m sinal sonoro no ar. m sit#ações de emerg'ncia.A + . *B+ "#adr#plica. de área . .e a placa de cobre for s#bstit#!da por o#tra.5 2(.. na sit#ação A.L. permite a dissipação de energia de #ma fonte "#ente (placa metálica T). expressa em c. 2). *C+ d#plica.A f . id'ntica. se"#encialmente.). Nas a#to6estradas. <T. /dentifi"#e a propriedade f!sica "#e permite disting#ir bons e ma#s cond#tores de calor.elecciona a Anica opção "#e compara correctamente o trabalho reali(ado pela força grav!tica aplicada no a#tom>vel. <h. os a#tomobilistas podem #sar a b#(ina para emitir #m sinal sonoro "#e. /dentifi"#e o mecanismo de transfer'ncia de energia como calor entre as placas T e h.I. .(. de modo a obter #ma afirmação correcta. *D+ red#(6se a 47=.. os espaços seg#intes. A placa T encontra6se a #ma temperat#ra _____ ) 3ágina 4H . os telefones dos postos . mantida a #ma temperat#ra constante.5 *B+ . c md$. com metade da espess#ra. e na sit#ação 5. através da placa de cobre. para #ma fonte fria (placa metálica h). A placa de cobre.abendo "#e #ma onda sonora é #ma onda mec@nica longit#dinal.elecciona a Anica opção "#e permite calc#lar a pot'ncia Atil desse painel. são alimentados com painéis fotovoltaicos.5 *C+ .5 *D+ .&.

Admita "#e a corrente eléctrica assim prod#(ida é #tili(ada para a"#ecer #m bloco de prata. -alc#le a capacidade térmica mássica do material constit#inte desse bloco.. 3ara fabricar esse recipiente. 2.. . *D+ . em f#nção da energia. "#e prod#( corrente eléctrica sempre "#e se deixa cair o corpo -.G. fornecida a cada esfera. & conhecimento de propriedades f!sicas. 22. é f#ndamental "#ando se analisam sit#ações "#e envolvem transfer'ncias de energia sob a forma de calor. g... & gráfico representa o modo como vario# a temperat#ra de #m desses blocos.I. em f#nção do tempo de a"#ecimento. elevada capacidade térmica mássica e elevada cond#tividade térmica. 22. de massa Q..2. sendo o comprimento de onda da radiação mais intensa emitida pela placa T _____ do "#e o comprimento de onda da radiação mais intensa emitida pela placa h. como a capacidade térmica mássica e a cond#tividade térmica. de d#as esferas de cobre A e 5.G K em cada min#to. #sando blocos de diversos materiais. -onsidere "#e a temperat#ra do bloco de prata a#menta . & gráfico representa a variação de temperat#ra. 2. As transfer'ncias de energia podem ser reali(adas com maior o# menor rendimento.. J 4. #m l!"#ido nele contido. cai $. 3ara escolher o material a #tili(ar. %.Q. <6 1 'C 1. "#ando colocado sobre #ma chama. ag. bons cond#tores térmicos e eléctricos. rapidamente.. baixa capacidade térmica mássica e baixa cond#tividade térmica.... ag.. N#ma fábrica..temperat#ra da placa h.1.. são. de massa 4. *B+ .1.. *A+ . nas condições da fig#ra. 2endo em conta a sit#ação descrita. Apresente todas as etapas de resolu01o. baixa capacidade térmica mássica e elevada cond#tividade térmica. consoante as condições em "#e ocorrem. -alc#le o rendimento do processo global de transfer'ncia de energia. deve escolher6se #m material "#e tenha. Apresente todas as etapas de resolu01o.. permita a"#ecer. elevada capacidade térmica mássica e baixa cond#tividade térmica. Na fig#ra está representado #m gerador. ij. &s metais. m. e #ma fonte de a"#ecimento "#e fornecia. reali(aram6se diversos ensaios. seleccione a alternativa "#e completa correctamente a frase seg#inte. *A+ s#perior [ maior *B+ inferior [ menor *C+ s#perior [ menor *D+ inferior [ maior 25. como por exemplo o cobre."#ando o corpo -. em geral. de massa ?. pretende6se escolher #m material ade"#ado ao fabrico de #m recipiente "#e. *C+ .eleccione a 3ágina 4Q .. c *capacidade t$rmica mássica da prata+ 8 29() : 1%2 . =... a cada #m desses blocos. $. 2.

2. B Rorma e posição relativa das linhas de campo n#m campo magnético #niforme. mas as novas tecnologias m#ltiplicaram os campos electromagnéticos ) nossa volta. &s seres vivos evol#!ram n#m m#ndo com campos eléctricos e magnéticos nat#rais de baixa intensidade. força eléctrica.. sendo a energia transferida sob a forma de ___. mA e m5.calor 23. Uma resist'ncia térmica de cobre de I.eleccione o Anico es"#ema "#e representa correctamente o sentido da linha de campo e a act#a na part!c#la.Anica alternativa "#e trad#( a relação correcta entre as massas das d#as esferas. "#e 23. %-. Admita "#e no ponto 3.. A transfer'ncia de energia entre a resist'ncia térmica e a ág#a processa6se essencialmente por ___.1.. ..eleccione a Anica alternativa "#e contém os termos "#e preenchem. .. 3ágina 4Z . 22. originando #m campo eléctrico #niforme.2.. g de ág#a a $.1. o sentido e a intensidade do vector campo magnético e as linhas de campo magnético.2. para "#e a temperat#ra final da ág#a se<a Z. *A+ mA + $ m5 *B+ mA + m5 *C+ mA + G m5 *D+ mA + m5 22. Na fig#ra estão representadas d#as placas metálicas paralelas.calor *C+ convecção [radiação *D+ cond#ção. B Oelação entre a direcção. os espaços seg#intes.2. de modo a obter #ma afirmação correcta. é colocada #ma part!c#la com carga negativa. . respectivamente. abordando os t>picos seg#intes* B -omo são criados os campos magnéticos.. *A+ cond#ção. se"#encialmente. #ma com carga positiva e o#tra com carga negativa. c foi introd#(ida n#m recipiente com I. 23. <6 1 'C 1 c*capacidade t$rmica mássica da á6ua+ 8 )913 : 1%( 22. Apresente todas as etapas de resolu01o..etermine o intervalo de tempo d#rante o "#al a resist'ncia deve estar ligada. labore #m texto.radiação *B+ convecção. . %-.2. considerando "#e toda a energia fornecida pela resist'ncia é absorvida pela ág#a.