01

Direção: Profª Renata Teixeira Junqueira Freire Vice Direção Administrativa: Márcio Lóes Alcalá Coordenação Pedagógica Educação Infantil e 1º Ano Ensino Fundamental I Profª. Hevelyn Tatiane Silva Barcelos Campelo Coordenação Pedagógica Ensino Fundamental I: Profª. Marta Candido Moreira Coordenação Pedagógica Ensino Fundamental II: Profª. Adriene Cristina Pontes Alves Silva Coordenação Pedagógica Ensino Médio: Profª. Neusi Rosa Gonzaga Oliveira

02

NOSSA MISSÃO A Missão da UBEE-UNBEC é educar e evangelizar crianças e jovens, fundamentada em São Marcelino Champagnat, para formar cristãos e cidadãos comprometidos na construção de uma sociedade sustentável, justa e igualitária. VISÃO DE FUTURO Ser referência nacional em educação, pastoral e ação social, reconhecida por: • Excelência acadêmica e formação em valores • Empreendedorismo educacional, social e cultural • Desenvolvimento do protagonismo infanto-juvenil • Gestão profissional e estratégica • Forte identidade e imagem institucional • Efetiva articulação com a comunidade eclesial e a sociedade. PROPOSTA CURRICULAR Senhores pais, Ao apresentarmos a proposta curricular 2010 queremos ressaltar a importância da parceria entre a família e a escola. Somos parceiros na tarefa educativa. Que sejamos aliados. Que possamos compreender a escola, como uma instituição de precioso valor na formação de nossas crianças e jovens. Nosso projeto educativo integra o desenvolvimento dos nossos

03

alunos na dimensão formativa e informativa. Ou seja, queremos garantir uma excelente formação acadêmica, que permita o desenvolvimento das diferentes capacidades de nossos alunos; intelectuais, sócio-afetivas e psicomotoras. Uma escola, que realmente, possa solidificar bases necessárias para o sucesso futuro de nossos alunos na carreira profissional, que escolherem. Ao mesmo tempo, consideramos de extrema importância, a formação de valores, como a defesa da justiça social, da solidariedade, do amor ao próximo. Consideramos a fé, como alicerce para a força interior e estruturação humana. Assim, ser, conviver, refletir, sentir, construir , expressar, são ações que se tornam princípios e perspectivas de nosso trabalho. Precisamos formar profissionais, mas profissionais que sejam pessoas humanas, equilibradas e felizes. Contamos com a confiança e a parceria efetiva durante o ano, para que os conteúdos trabalhados, sejam realmente instrumentos para o desenvolvimento intelectual e humano de nossos alunos. Recebam o nosso abraço fraterno.

Márcio Alcalá Vice-diretor Administrativo

Renata Teixeira Junqueira Freire Diretora

04

Querido(a) aluno(a) Ao entregarmos a proposta curricular 2010 destacamos a importância da sua participação e compromisso para o sucesso do nosso projeto educativo. Assim se constitui de fundamental importância a sua responsabilidade em aspectos como: Pontualidade e assiduidade Participação efetiva nas aulas Estudo e cumprimento das tarefas de casa Empenho nas avaliações e atividades pedagógicas Postura de aprendiz, ou seja, a demonstração do desejo de aprender, de buscar, de querer aprender. Neste caderno estão importantes informações sobre a programação curricular que será desenvolvida em 2010. Conheça o que será estudado, acompanhe nosso trabalho e traga suas perguntas, ideias e sugestões. Lembre-se que na sua caminhada como estudante, você contará com as nossas orientações, apoio e confiança. Conte conosco! O seu sucesso é o nosso sucesso! Renata Teixeira Junqueira Freire

AVALIAÇÃO DE APRENDIZAGEM
“Queremos cabeças bem cheias ou bem feitas? Alunos alegres ou instruídos? Um desenvolvimento global ou aquisição de noções? Queremos interiorizar normas ou desenvolver a criatividade e a autonomia? PERRENOUD, Phillipe

Nas disposiçõe gerais do Capítulo II do artigo 21, Lei 9394/96 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional), constam, entre os critérios, para

05

a verificação do rendimento escolar na Educação Básica:
— A avaliação contínua e cumulativa do desempenho do educando, destacando-se os aspectos, qualitativos e os resultados no processo sobre os quantitativos e os das provas finais; — Os estudos de recuperação obrigatórios e preferencialmente paralelos ao período letivo. Assim, em consonância com o que determina a lei e, de acordo com a concepção de ensino-aprendizagem adotada no Colégio Marista Diocesano, organizamos o processo de avaliação da seguinte forma: a) Os períodos de avaliação A avaliação é durante todo o processo de ensino aprendizagem, por meio de instrumentos formais e estratégias informais de observação e interpretação qualitativa das habilidades, competências e conhecimentos construidos pelo educando. Os alunos realizam semanalmente provas escrita, individuais, conforme cronograma apresentado no início de cada etapa letiva. Além das provas individuais semanais, desenvolvem-se atividades e projetos interdisciplinares, trabalhos individuais, estudos dirigidos, debates, seminários, pesquisas, entre outros. Às três etapas letivas, determinadas no calendário escolar anual, correspondem os períodos de avaliação da aprendizagem e a distribuição de pontos, a saber: 1ª etapa: 30 pontos 2ª etapa: 30 pontos 3ª etapa: 40 pontos No final do ano letivo, será considerado aprovado o aluno que: tiver frequência igual ou superior a 75% do cômputo geral da carga horário oferecida na série; obtiver, em cada disciplina, total igual ou superior a 60% da soma dos pontos distribuídos ao longo do ano letivo. Quanto à avaliação do aluno no aspecto processual e qualitativo con

06

sidera-se o Conselho de Classe o órgão legalmente instituído (conforme Regimento do Colégio Marista) para a sua realização. b) Os estudos de recuperação Com o objetivo de oferecer ao aluno outras possibilidades de construção da aprendizagem de conteúdos e competências, realizam-se os estudos de recuperação paralela e recuperação final. O processo de recuperação se desenvolve em sistema de monitoria, por disciplina, durante a etapa letiva, e realização de provas, após o encerramento da etapa. Os estudos de recuperação poderão ser realizados em todas as disciplinas em que o estudante não atingiu a média mínima necessária. Com o objetivo de buscar a recuperação de conteúdos e notas assim se distribuem os pontos dos estudos de recuperação que anulam os pontos obtidos em cada etapa. 1ª etapa: 30 pontos 2ª etapa: 30 pontos Recuperação Final: 100 pontos Entre a nota da etapa e a da recuperação, prevalece a maior nota, observando-se o limite da média (60%). O aluno pode obter, como resultado máximo da recuperação final e do respectivo ano letivo, o correspondente à média: 60% do total distribuído durante o ano. SÃO FUNÇÕES DA AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NO COLÉGIO MARISTA DIOCESANO DE UBERABA. Diagnosticar: caracterizar o aluno quanto aos seus interesses, necessidades, conhecimentos e habilidades; identificar dificuldades e possíveis causas; Retroinformar: oferecer subsídios para replanejamento do trabalho docente; Estimular o desenvolvimento individual do aluno, a partir do seu

07

autoconhecimento; Verificar o rendimento escolar com vistas à certificação da aprovação para a série seguinte. No contexto do programa de Educação Integral, desenvolvido no CMDS, consideramos a importância de diferentes tipos de aprendizagem, além dos aspectos conceituais inerentes à cada disciplina escolar. Abordamos e avaliamos, portanto, o conhecimento do aluno nas seguintes categorias: a) A avaliação dos conteúdos atitudinais, feita pela observação sistemática dos alunos através de opiniões emitidas e de suas atuações nas atividades grupais, nos debates, nas assembléias, nas manifestações dentro e fora de sala de aula, nas atividades de campo, excursões, nas distribuições das tarefas e responsabilidades, durante o recreio, nas atividades esportivas, etc. b) A avaliação dos conteúdos procedimentais, que implicam no saber fazer, isto é, se dá quando verificamos o desempenho do aluno na aquisição do saber dialogar, debater, fazer pesquisa, trabalhar em equipe, utilizar instrumentos. c) A avaliação dos conteúdos conceituais, que se situam, especialmente, dentro das capacidades cognitivas. A metodologia que adotamos para avaliação da aprendizagem dos conceitos é o domínio deles expresso por meio de representações por escrito, utilizando de habilidades cognitivas de progressiva complexidade, tais como: transferência, dedução, classificação, inferência, análise, síntese, julgamento, etc.

08

9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL ENSINO RELIGIOSO CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS INTENÇÃO EDUCATIVA DA ÁREA: Promover a compreensão, a interpretação e a (re) significação da religiosidade e do fenômeno religioso em suas diferentes manifestações, linguagens e paisagens religiosas presentes nas culturas e nas sociedades. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Os problemas básico da sobrevivência humana e o posicionamento religioso diante deles. Fé e transformação social A corresponsabilidade pela vida de todos O cidadão do mundo A modernidade e o pluralismo religioso O Pluralismo Religioso, suas causas e consequências As diversas culturas religiosas Conflitos étnicos, os preconceitos e a intolerância religiosa Fundamentalismo religioso O Movimento Ecumênico O Diálogo inter-religioso O religioso e a liberdade religiosa Contribuições religiosas no contexto histórico da humanidade

09

Desaparecimento e nascimento de novas religiões As novas igrejas e os movimentos religiosos contemporâneos Consciência religiosa da E na humanidade Organizações humanas (ONG’s) que explicam o sentido da vida sem e com referências religiosas O caráter comunitário da vocação humana HISTÓRIA INTENÇÃO EDUCATIVA DA ÁREA Entender a História como o estudo dos seres humanos em suas relações sociais sob diferentes tempos e espaços, perceber as experiências humanas em seu constante processo de transformação fazendo com que os homens sejam sujeitos e produtos da História, perceber o movimento e a diversidade, estabelecendo comparações entre grupos e sociedades, situar-se diante das permanências e mudanças, rupturas e continuidades. Objetiva-se que os alunos possam ampliar suas capacidades lançando um novo olhar sobre as múltiplas possibilidades da sociedade e dos processos de compreensão humana e desenvolvendo a autonomia e a compreensão da realidade e descubrase como participante e corresponsável na vida social. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Introdução ao estudo do século XX e início do século XXI Um século breve A História continua

10

Brasil – A construção da república A República: ruptura ou continuidade? O Governo Provisório A República da Espada A República café com leite Os governos oligárquicos República: Primeira revoltas populares Revoltas urbanas Revoltas no campo A primeira guerra mundial Contrastes da Belle Époque Tensões e disputas O desenrolar do conflito Os tratados de paz A revolução Russa e a URSS Socialismo e Revolução O prelúdio da Revolução Russa O processo revolucionário Desdobramentos da Revolução Crises e totalitarismo O entre guerras A Crise de 1929 Stalin e a URSS O nazifascismo A Guerra Civil Espanhola

1 1

Brasil: A crise da república oligárquica A crise da República Oligárquica O Movimento Tenentista Os governos de 1919 a 1930 A Revolução de 1930 Vargas no poder A Era Vargas O Governo Provisório Vargas de 1934 a 1937 O Estado Novo Paternalismo e intervenções A segunda guerra e a queda de Vargas A formação do Eixo O avanço do Eixo A vitória dos Aliados O Brasil na guerra Os acordos finais da guerra Bipolarização: O mundo dividido Estados Unidos x União Soviética A Revolução Chinesa Conflitos no Oriente A caminho da paz? 1960: os Anos Rebeldes Brasil: Da democracia à ditadura O cenário brasileiro após a Segunda Guerra Mundial

12

De JK a Jango Os Anos de Chumbo A vez dos generais América Latina: em busca da democracia Da independência à Guerra Fria Confrontos na América Central América do Sul: populismo e ditadura A descolonização da Ásia e da África O processo de descolonização África: guerras de independência Os conflitos do Oriente Médio O fim do bloco soviético A crise da URSS Mudanças no Leste Europeu O fim da União Soviética Uma nova ordem internacional O mundo sob nova ordem Neoliberalismo na América Latina Destaques recentes da América do Sul O Brasil e a globalização O retorno da democracia O governo de Fernando Henrique Luiz Inácio Lula da Silva

13

INGLÊS INTENÇÃO EDUCATIVA DA ÁREA: A área tem como objetivo principal que o educando perceba o texto em sua função sociocomunicativa, por isso privilegia o estudo da estrutura das características e da finalidade de diversos gêneros textuais. Espera-se que ele interaja com o texto como seu interlocutor e, portanto, escolha entre as possibilidades da língua inglesa, as formas apropriadas às diversas situações de comunicação. Como leitor, desejase que o aluno ouça, analise, interprete, avalie e critique as produções de fala e de escrita do outro; como produtor de texto, que expresse seu ponto de vista, com clareza e objetividade, considerando a situação comunicativa e o ponto de vista do interlocutor. Conteúdo Programático ( Nível 1) Basic Level – Nível 1 Grammar: Simple Present x Present Continuous Going to/ Future with Will Have to (obligation)/ Can ( permission) Used to/ Simple Past Tense / There was/ were Simple Past x Past Progressive First Conditional Some/ any/ every + (- thing/ -one/ - where) Should/ shouldn´t ( advice and obligation) Present Perfect ( just, ever, never, yet, for, since) x Simple Past Defining Relative Clauses ( who, which, where, whose, when) Question Tags

14

Vocabulary: places; chores; clothes; food; parts of the body; Bus parts; words related to superstitions; words related to the environment; sports verbs; physical problems; skateboarding words; dictionary pages. Functions/ Reading Models: description comparing places; magazine article; quiz; narrative ( a true story); website page; magazine interview; newspaper articles; short biography; stories. Advanced Level – Nível 2 Welcome unit- Past simple and comparative forms/future predictions with will and might/adjectives with –ed and –ing/gerunds/extreme sports’ equipment. Present perfect(aff) for past experiences/past participles(reg and irreg)/Have you ever…?short answers/past participles (irreg)/ should-shouldn’t /must-mustn’t/it’s( not) a good idea…/present perfect x past simple/verbs/verb expressions/teen jobs/jobs and related words. Present perfect (aff-neg-int) for recent actions/present perfect with already –yet and just/tense review/exclamations/everyday objects/in the news: verb + noun/collocations/newspaper sections. Adverbs of manner (reg and irreg)/comparative form of adverbs/ used to (aff-neg-int)/teen types/clothes/household appliances. Present perfect with for and since/how long present perfect/ not as…as/adjective+prepositions +noun/-ing/work places/jobs/ adjectives for describing jobs.

15

What+look like?/what + be like?/relative clauses with who-thatwhere/pronouns: one-ones/adjectives/buildings and places. Pronouns: somebody-someone-something and somewhere/ pronouns: some,any, no+body,-thing, -where and –one/question tags/possessive ‘s (sing and plural)/sleep and dreams/health problems. Present passive (aff –neg-int)/past passive (aff-neg-int)/passive voice with and without by/computer technology/video game productions=. Going to and will/ present continuous for future arrangements/ If I were you, I would(n’t)…/ought to/should/second conditional/ school project materials/do and make/chat abbreviations/multiword verbs/household gadgets. LÍNGUA PORTUGUESA INTENÇÃO EDUCATIVA DA ÁREA: A área tem como objetivo principal que o educando perceba o texto em sua função sociocomunicativa, por isso privilegia o estudo da estrutura das características e da finalidade de diversos gêneros textuais. Espera-se que ele interaja com o texto como seu interlocutor e, portanto, escolha entre as possibilidades da língua materna, as formas apropriadas às diversas situações de comunicação. Como leitor, deseja-se que o aluno ouça, analise, interprete, avalie e critique as produções de fala e de escrita do outro; como produtor de texto, que expresse seu ponto de vista, com clareza e objetividade, considerando a situação comunicativa e o ponto de vista do interlocutor. Em relação à Literatura, objetivam-se o desenvolvimento pelo gosto da leitura e a apreciação, da dimensão estética dos textos literários. É

16

importante também que o aluno reconheça a literatura como forma de expressão estética de sentimentos humanos e valores sociais, produto de um trabalho do homem historicamente situado. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Linguagem oral Leitura oral: expressividade, entonação, musicalidade, dicção Interpretação do texto oral, considerando a polissemia, ambiguidade a subjetividade do discurso. Análise de informações explícitas, inferências e informações implícitas do enunciador, bem como posicionamento crítico em relação às vozes do discurso. Argumentação e contra-argumentação com consistência e objetividade. Elaboração de sínteses orais, a partir da escuta de idéias, debates, teses, opiniões e/ou a partir de leituras diversas. Linguagem escrita Gêneros textuais: conto, crônica, cartum, charge, tira, poema, romance, reportagem, notícia, entrevista, artigo de opinião, editorial, carta do leitor, manifesto,carta argumentativa, resenha crítica. Análise e reflexão sobre a língua Característica dos diversos gêneros discursivos Análise das sequências discursivas Dissertação/ argumentação (tópico frasal) Variação linguística Figuras de linguagem

17

Léxico: sinonímia, antonímia, ambiguidade, polissemia Ortografia Pontuação e seus efeitos expressivos Estrutura e processos de formação de palavras Sintaxe do período composto ( coordenação e subordinação) Relações de concordância verbal e nominal entre os termos da oração Regência de nomes e verbos e suas implicações de sentido Colocação pronominal REDAÇÃO INTENÇÃO EDUCATIVA DA ÁREA: A área tem como objetivo principal que o educando perceba o texto em sua função sociocomunicativa, por isso privilegia o estudo da estrutura das características e da finalidade de diversos gêneros textuais. Espera-se que ele interaja com o texto como seu interlocutor e, portanto, escolha entre as possibilidades da língua materna, as formas apropriadas às diversas situações de comunicação. Como leitor, deseja-se que o aluno ouça, analise, interprete, avalie e critique as produções de fala e de escrita do outro; como produtor de texto, que expresse seu ponto de vista, com clareza e objetividade, considerando a situação comunicativa e o ponto de vista do interlocutor. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Linguagem oral Leitura oral: expressividade, entonação, musicalidade, dicção Interpretação do texto oral, considerando a polissemia, a ambiguidade e a subjetividade do discurso

18

Percepção das intencionalidades discursivas ao analisar as informações explícitas e implícitas, as inferências e os pressupostos, além de posicionamento crítico em relação às vozes do discurso Argumentação e contra-argumentação com consistência e objetividade Elaboração de sínteses orais a partir da escuta de ideias, debates, teses e opiniões, levando-se em conta leituras diversas Linguagem escrita – Produção de textos Reconhecimento e caracterização dos diversos gêneros textuais: conto, crônica, cartum, charge, tira, poema, reportagem, noticia, artigo de opinião, editorial, carta do leitor, manifesto, carta argumentativa, resenha critica , romance, entrevista Os elementos estruturadores do texto argumentativo Os tipos de argumento A clareza e a objetividade Os elementos de textualidade O tópico frasal A legibilidade, a organização no espaço, a correção e a pontuação A coesão e a coerência MATEMÁTICA INTENÇÃO EDUCATIVA DA ÁREA: As reflexões sobre o conhecimento matemático, sua natureza, seu papel na sociedade hoje, sua construção individual e coletiva trazem para a educação o desafio de refletir a respeito da colaboração que a Matemática tem a oferecer com vistas à formação da cidadania. Ou seja, sua contribuição para a constituição de condições humanas de

19

sobrevivência, inserção das pessoas no mundo do trabalho, das relações sociais e da cultura, com o desenvolvimento de posicionamento crítico e propositivo diante das questões sociais. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Números e Operações Potências e suas propriedades Radical aritmético e suas propriedades Notação Científica Conjuntos numéricos Reta numérica Álgebra Equações do 1º e 2º graus Equações fracionárias e irracionais Sistemas de equações do 1º e 2º graus Inequação do 1º grau Noção de função Função Polinomial do 1º grau Construção de gráficos da função do 1º grau Função Polinomial do 2º grau Construção de gráfico da função do 2º grau Geometria Estudo do triângulo retângulo Teorema de Pitágoras Relações métricas no triângulo retângulo

20

Razões trigonométricas Polígonos inscritos e circunscritos Relações fundamentais da Trigonometria Grandezas e medidas Cálculo de área de figuras planas Cálculo de área de figuras compostas Cálculo de volume Tratamento da Informação Noções elementares de Estatística Estudo das médias Análise de tabelas Análise de gráficos Conceito de população amostral e probabilidade Obs: Os conteúdos são trabalhados com ênfase na resolução de problemas envolvendo o cotidiano do aluno. GEOGRAFIA INTENÇÃO EDUCATIVA DA ÁREA: Levar o aluno a compreender e explicar as relações da sociedade com o meio em que vive, a partir de conceitos, imagens, dados estatísticos, categorias e procedimentos básicos que fundamentam a ciência geográfica. Além disso, permitir a capacidade de instrumentalizar o espaço geográfico no qual as relações se harmonizem em busca de uma sociedade justa, cidadã e ciente da importância da preservação do espaço geográfico.

21

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Os países e conflitos mundiais O mapa múndi e os Estados Nacionais Os conflitos mundiais, suas causas e consequências A globalização e as organizações mundiais A globalização e seus efeitos sobre o mundo O meio ambiente e as ações globais Os blocos econômicos, a ONU, a OMC e o FMI O continente europeu As características físicas e os problemas ambientais A qualidade de vida e os problemas sociais O desenvolvimento econômico e a União Europeia O Leste Europeu e o Socialismo A Comunidade dos Estados Independentes O continente asiático As características físicas e os problemas ambientais A diversidade étnica e religiosa O desenvolvimento econômico e as grandes regiões econômicas O continente africano As características físicas e a formação dos desertos As condições de vida e os conflitos A economia e as fronteiras Oceania e regiões polares A composição territorial, a formação econômica e as características naturais

22

Os desafios das ciências nas regiões polares CIÊNCIAS NATURAIS INTENÇÃO EDUCATIVA DA ÁREA: Envolve as disciplinas de Ciências do Ensino Fundamental I e II (Ciências Naturais, de acordo com os PCN’s), Biologia, Física e Química do Ensino Médio. Temos substituído a visão puramente lógica por uma participação efetiva do aluno no processo de aprendizagem. São criadas condições para que o aluno identifique problemas, a partir de observações sobre um fato, proponha e teste hipóteses, podendo ou não refutá-las. Trata-se de permitir que o aluno possa “redescobrir” o que a ciência já conhece. Adequados a cada nível, os temas: meio ambiente, saúde e tecnologia são sempre abordados e, quando possível, de forma inter e transdisciplinar. Entendemos que valorizar o conhecimento da natureza é permitir ao aluno posicionar-se melhor frente aos desafios crescentes, em especial, o de um modelo para o desenvolvimento sustentável e os avanços da biotecnologia. Outra ação que é desenvolvida pela área é o incentivo a leitura e interpretação de textos de cunho científico e a aplicação dos conhecimentos de Biologia, Física e Química na compreensão dos fenômenos naturais. Atividade relevante desenvolvida pela área são as aulas práticas – laboratórios de Ciências, Biologia, Física e Química. As aulas práticas permitem reforço e auxílio ao desenvolvimento dos conteúdos aplicados em sala de aula, inclusive com o desenvolvimento de projetos científicos que, em geral, são expostos durante a Mostra de Ciências e Tecnologia.

23

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Conteúdo: Ciências: Física e Química O que a física e a química estudam O Método Científico O cientísta estuda o Mundo e você também. Matéria e energia e propriedades gerais: Propriedades gerais da matéria Medidas Átomos e moléculas Os estados físicos da matéria O calor e o movimento das partículas As mudanças de estado físico Ciência no dia-a-dia A energia se transforma Ciência e história - História das medidas 2 - Propriedades específicas da matéria: Os fenômenos físicos e químicos Ciência e tecnologia A química na cozinha Ciência e atitude - Viva a curiosidade! Ciência e história - Arquimedes e a coroa do rei. A Química O átomo Teorias sobre o átomo

24

O número atômico O número de massa A organização dos elétrons no átomo Ciência e tecnologia A órbita dos elétrons e as pistas de corrida Identificando as partículas atômicas Os elementos químicos O que são elementos químicos? Os símbolos dos elementos Ciência e história - De onde vêm os nomes dos elementos Os isótopos Massa atômica Os átomos radioativos Organizando os elementos: A classificação periódica A construção da tabela periódica A tabela periódica moderna Ciência e tecnologia - Fabricando átomos A tabela periódica e as propriedades dos elementos Os metais Os não-metais Os gases nobres Ciência e ambiente - A reciclagem Ciência e tecnologia - A nanotecnologia.

25

As ligações químicas A estabilidade dos gases nobres A ligação iônica A ligação covalente A ligação metálica Ligações e estados físicos As substâncias e as misturas O que é uma substância pura As misturas Separando os componentes de uma mistura Destilação fracionada Ciência e tecnologia – Dessalinização e Combustíveis adulterados Funções químicas: ácidos e bases Os ácidos O uso de alguns ácidos e o Cuidado com os ácidos! As bases O uso de algumas bases Funções químicas: sais e óxidos Os sais O uso de alguns sais Os óxidos Reações químicas Representando reações químicas

26

Balanceando equações químicas Tipos de reação química Reações químicas reversíveis A energia inicial e o catalisador As leis das reações químicas Uma reação perigosa: a destruição da camada de ozônio A química e a segurança nas estradas A Física O movimento com velocidade constante O movimento é relativo Trabalhando com velocidades Fazendo cálculos O movimento retilíneo uniforme O movimento com aceleração Calculando a aceleração A aceleração e os acidentes de trânsito A queda dos corpos. Ciência e história - Galileu e a queda livre Quando a velocidade muda de direção Forças Forças no dia-a-dia Medindo forças As Leis de Newton A inércia dos corpos

27

O atrito Força e aceleração Ação e reação O peso e a resistência do ar A atração gravitacional Matéria atrai matéria O peso dos corpos A força centrípeta O movimento dos planetas e dos satélites Ciência e tecnologia - O GPS O empuxo Trabalho e energia O conceito científico de trabalho Trabalho e potência A potência e o consumo de energia Ciência no dia-a-dia - Economize energia As transformações da energia Máquinas que facilitam o dia-a-dia A alavanca Rodas, roldanas e engrenagens O plano inclinado Identificando máquinas simples O calor Calor e temperatura Ciência e história - O experimento de Joule

28

Medindo a temperatura Medindo o calor Ciência no dia-a-dia - As calorias e os alimentos A mudança de estado físico O calor e a dilatação dos corpos A transmissão do calor Condução Convecção Irradiação O efeito estufa O aquecimento global Ciência e ambiente - A luta contra o aquecimento global O ciclo do carbono As ondas e o som Vamos produzir ondas? As características de uma onda A onda sonora Ciência e tecnologia - O ultrassom A velocidade do som A frequência do som Intensidade do som O timbre Ciência no dia-a-dia - Instrumentos musicais O eco – Falando – Ouvindo

29

A natureza da luz A luz é um tipo de onda Conheça as ondas eletromagnéticas Ciência e tecnologia - Forno de micro-ondas As propriedades da luz A decomposição da luz branca 241 Ciência e história - Newton e a dispersão da luz A cor dos corpos Ciência e tecnologia - O laser Espelhos e lentes A reflexão da luz A imagem no espelho plano Espelhos curvos A formação de imagens nos espelhos esféricos A refração da luz Lentes A formação de imagens nas lentes 26C O olho humano Instrumentos ópticos. Eletricidade e magnetismo A eletricidade estática Ciência no dia-a-dia - Cuidado com a eletricidade estática! Raios e trovões! A corrente elétrica Ciência e tecnologia

30

Transformações de energia Cuidado com as instalações elétricas! O magnetismo O eletromagnetismo Motores elétricos A luz e o eletromagnetismo Ciência e tecnologia - As aplicações do eletromagnetismo SERVIÇO EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR ( SEFE) INTENÇÃO EDUCATIVA DA ÁREA: Contribuir para a formação integral e para a qualidade de vida dos alunos, possibilitando uma reflexão sobre suas potencialidades corporais. Assim, por meio do desenvolvimento de sua autonomia, o aluno poderá exercer sua função de integrante, dependente e agente transformador da sociedade, dentro de uma vivência cristã e culturalmente significativa. Dessa forma, será considerado o todo: os aspectos sociais, psicoafetivos, emocionais e corporais, de maneira interligada. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS NÚCLEOS ESTRUTURADORES E ESTRUTURANTES DO CURRÍCULO: Corpo Identidade Estrutura e funcionamento Saúde Jogos e Brincadeiras Contextualização sócio-histórica e cultural

31

Características Regras Técnicas Táticas Esporte Contextualização sócio-histórica e cultural Características Regras Técnicas Táticas Basquete Futsal Futebol de campo Voleibol Peteca Atletismo Jogos de salão: dama, xadrez e tênis de mesa Ginástica geral e de solo Contextualização sócio-histórica e cultural Características Princípios e normas Técnicas Lutas Contextualização sócio-histórica e cultural Características Regras Técnicas

32

Eventos Organização Características Competição Jogos internos Jogos municipais Amistosos Olimpíada Provincial Marista

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful