Mini-Curso Básico de Linux

Utilizando Ubuntu

Andre Abdala Noel
Bacharel em Ciência da Computação/UEM Desenvolvedor e Designer Web Ubuntu Brazilian Portuguese Translators http://andrenoel.com.br/

andrenoel@ubuntu.com

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu

Copyright (c) 2008 Andre Noel. Permission is granted to copy, distribute and/or modify this document under the terms of the GNU Free Documentation License, Version 1.2 or any later version published by the Free Software Foundation; with no Invariant Sections, no Front-Cover Texts, and no Back-Cover Texts. A copy of the license is included in the section entitled "GNU Free Documentation License".

2

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu

Índice
1. Introdução.......................................................................................................5 2. Conhecendo o Sistema....................................................................................6 2.1. Sobre o Linux...........................................................................................6 2.2. Sobre o Ubuntu........................................................................................6 2.3. Sobre o Nome...........................................................................................7 2.4. Software Livre..........................................................................................7 3. Testes, Instalação e Configuração..................................................................8 4. O Básico do Linux...........................................................................................9 4.1. Sistemas de Arquivo e Diretórios.............................................................9 4.2. Permissões.............................................................................................10 4.3. Usuários e Grupos..................................................................................10 4.4. Tarefas Administrativas.........................................................................11 5. Utilização em modo texto.............................................................................12 5.1. Terminais................................................................................................12 5.2. Comandos Comuns.................................................................................12 5.2. Alternar para o modo Console...............................................................15 6. Adicionar, Remover e Atualizar Aplicações..................................................16 6.1. Adicionar/Remover Programas..............................................................16 6.2. Gerenciador de Pacotes Synaptic..........................................................16 6.3. Gerenciamento de Pacotes pela Linha de Comando com o APT............17 7.2. Repositórios de software........................................................................17 7. Principais aplicações.....................................................................................19 7.1. OpenOffice.org.......................................................................................19 7.2. Mozilla Firefox.......................................................................................19 7.3. Correio do Evolution..............................................................................20 7.4. Mensageiro Instantâneo Pidgin.............................................................20 7.5. O GIMP (Gnu Image Manipulation Program)........................................20 7.6. Editor de Vetores Gráficos Inkscape......................................................20 7.7. Reproduzindo e Organizando Arquivos de Música................................20 7.8. Reproduzindo e Extraindo CDs de Áudio...............................................21 7.9. Gravando CDs........................................................................................21 7.10. Reprodução de vídeo............................................................................22 7.11. Codecs de Multimídia...........................................................................22 8. Configuração de periféricos..........................................................................23 8.1. Teclado e Mouse....................................................................................23 8.2. Impressoras............................................................................................24 9. Partições e boot............................................................................................25 9.1. Editor Gráfico de Partições....................................................................25 9.2. Tornar as partições Windows disponíveis a partir do Ubuntu...............25 9.3. Montar/desmontar CD/DVD-ROMs manualmente, e mostrar todos os arquivos/pastas associados e ocultos............................................................25 10. Dicas Úteis..................................................................................................26 10.1. Entrar automaticamente quando o computador iniciar.......................26 3

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu 10.2. Instalar Fontes Extras..........................................................................26 10.3. Reiniciar o GNOME sem reiniciar o computador................................26 11. Obtendo Ajuda............................................................................................27 11.1. Documentação do Sistema...................................................................27 11.2. Wiki......................................................................................................27 11.3. Guia Inicial Não Oficial do Ubuntu......................................................27 11.4. Fórum...................................................................................................27 11.5. Listas de Discussão..............................................................................28 11.6. Chat no IRC..........................................................................................28 12. Colabore......................................................................................................29 12.1. Divulgue...............................................................................................29 12.2. Teste.....................................................................................................29 12.3. Crie.......................................................................................................29 12.4. Sugira...................................................................................................29 12.5. Desenvolva...........................................................................................30 12.6. Traduza................................................................................................30 12.7. Suporte.................................................................................................30 13. Links............................................................................................................31 14. Código de Conduta do Ubuntu....................................................................32 6. Referências Bibliográficas............................................................................34 7. GNU Free Documentation License...............................................................35

4

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu

1. Introdução
Este material é uma compilação de artigos e idéias que permeiam o dia-a-dia da comunidade de usuários do Ubuntu1. Através de discussões, documentações e arquivos de ajuda é possível encontrar uma ampla variedade de conhecimento sobre a utilização trivial e avançada do sistema operacional Ubuntu Linux. O mini-curso tem por objetivo cobrir as principais funções e atividades realizadas no uso doméstico e comercial de um computador pessoal ou laptop. O capítulo atual pretende fazer uma pequena explanação sobre o conteúdo e sua disposição através do material. Seguido no capítulo 2 de uma explicação sobre o sistema operacional e sua filosofia. Iniciamos a parte prática no capítulo 3, onde temos o primeiro contato com o sistema e uma visão geral. A partir disso, podemos tratar, no capítulo 4, sobre o básico do sistema operacional Linux, o que se assemelha muito entre as diversas distribuições. No capítulo 5, conhecemos um pouco do sistema em linha de comando, como realizar operações comuns em modo texto. Em seguida, no capítulo 6, vemos como funciona a instalação, remoção e atualização de programas, seguindo para as principais aplicações no capítulo 7. Passando pelos conhecimentos básicos, podemos estudar algumas resoluções de problemas e dicas mais avançadas nos capítulos 8 a 10. No capítulo 11 temos uma idéia de onde procurar ajuda para os problemas não contemplados por este material e formas de colaborar com o Ubuntu, no capítulo 12. Por fim, é oferecida uma lista de links úteis, que também serviram de referência para este material; e o código de conduta que rege toda a comunidade envolvida com o Ubuntu. Com certeza, muito mais páginas poderiam ser incluídas, mas acredito que este material fornece as informações necessárias para situar um novo usuário do sistema operacional Ubuntu Linux.

1 Ubuntu é marca registrada da Canonical Ltd.

5

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu

2. Conhecendo o Sistema
2.1. Sobre o Linux
O Linux foi criado em 1991 por um estudante Finlandês chamado Linus Torvalds. Na época, o mesmo só funcionava em sistemas i386, e era essencialmente um clone do kernel do UNIX criado independentemente, que pretendia tirar vantagem da recém-criada arquitetura i386. Hoje em dia, graças a uma quantidade substancial de esforço de desenvolvimento de pessoas de todo o mundo, o Linux roda em praticamente qualquer arquitetura moderna. O kernel do Linux ganhou uma importância ideológica além da tecnológica. Existe toda uma comunidade de pessoas que acreditam no ideal de software livre e passam seu tempo ajudando a fazer a tecnologia de código aberto tão boa quanto possível. Pessoas desta comunidade deram suas ajudas a iniciativas como o Ubuntu, comitês de padronização que modelam o desenvolvimento da internet, organizações como a Fundação Mozilla, responsável pela criação do Mozilla Firefox, e diversos outros projetos de software dos quais você certamente já se beneficiou no passado. O espírito do código aberto, normalmente atribuído ao Linux, está influenciando desenvolvedores e usuários de software em todo o mundo a criar comunidades com objetivos comuns.

2.2. Sobre o Ubuntu
O Ubuntu é um sistema operacional de código totalmente aberto, construído em volta do kernel Linux. A comunidade do Ubuntu é construída em volta dos ideais descritos na Filosofia Ubuntu: que software deve ser disponibilizado gratuitamente, que ferramentas de software devam ser usáveis pelas pessoas em suas línguas locais e apesar de qualquer deficiência, e que as pessoas devem ter a liberdade de personalizar e alterar o software de qualquer maneira que os atenda. Por estas razões:

O Ubuntu sempre será gratuito, e não existe taxa adicional por uma "versão empresarial". O nosso melhor trabalho está disponível para todos. O Ubuntu inclui as melhores traduções e infra-estrutura de acessibilidade que a comunidade de software livre tem a oferecer, fazendo o Ubuntu utilizável pelo maior número de pessoas possível. Novas versões do Ubuntu são liberadas regularmente; uma nova versão é feita a cada seis meses. Você pode usar a versão estável ou de desenvolvimento. Cada versão é suportada por, no mínimo, 18 meses. O Ubuntu é totalmente comprometido com os princípios de 6

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu desenvolvimento de software livre; nós encorajamos os usuários a utilizarem, melhorarem e distribuírem os nossos softwares.

2.3. Sobre o Nome
Ubuntu é uma ideologia ética Sul Africana focada no compromisso e relações entre as pessoas. A palavra vem das línguas Zulu e Xhosa. Ubuntu (pronunciado "u-BUN-tu") é visto como um conceito tradicional Africano, é tratado como um dos princípios fundamentais da nova república Sul Africana e é conectado à idéia de um Renascimento Africano. Uma tradução rápida do princípio de Ubuntu é "humanidade para os outros". Outra tradução poderia ser: "a crença em uma ligação universal de compartilhamento que conecta toda a humanidade" “Uma pessoa com ubuntu é aberta e disponível aos outros, assistente aos outros, não se sente ameaçada por outros que são capazes ou bons, uma vez que ele ou ela tem uma auto-confiança que vem do saber que ele ou ela pertence a um conjunto maior e é diminuído quando outros são humilhados ou diminuídos, quando outros são torturados ou oprimidos." Arcebispo Desmond Tutu Como uma plataforma baseada no Linux, o sistema operacional Ubuntu traz o espírito do ubuntu ao mundo do software.

2.4. Software Livre
Software livre significa mais do que somente estar disponível a custo zero. A filosofia do software livre é de que as pessoas devem ser livres para usar o software em todas as maneiras que são "socialmente úteis". "Software Livre" não quer somente dizer que você não precisa pagar pelo mesmo, também significa que você deve poder usar o software de qualquer maneira que desejar: o código que faz o software livre é disponível para qualquer pessoa fazer download, modificar, consertar, e usar de qualquer maneira. Então, além do fato de que o software livre normalmente é disponibilizado sem nenhum custo, esta liberdade também tem suas vantagens técnicas: quando programas são desenvolvidos, o trabalho de outras pessoas pode ser reutilizado. Com softwares não-livres, isto não pode acontecer e quando programas são desenvolvidos, eles devem ser começados do zero. Por este motivo, o desenvolvimento de software livre é rápido, eficiente e animador! “Da multidão dos que creram, uma era a mente e um o coração. Ninguém considerava unicamente sua coisa alguma que possuísse, mas compartilhavam tudo o que tinham.” Atos dos Apóstolos 4:32

7

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu

3. Testes, Instalação e Configuração
Através do Desktop CD do Ubuntu (ou LiveCD) é possível utilizar o sistema operacional sem a necessidade de instalação no disco rígido. Com isto, é possível testar o sistema de acordo com suas configurações de hardware, verificando o que é ou não reconhecido automaticamente. O Ubuntu possui um instalador gráfico, RÁPIDO e FÁCIL que pergunta somente o essencial para a instalação, sem perguntas complicadas ou difíceis. A instalação está contida em um único CD, e todos os demais programas que você precisar estão disponíveis on-line nos repositórios do projeto, caso você precise, junto com as atualizações de segurança. Em um computador comum, a instalação do Ubuntu não deve levar mais do que 25 minutos. Você só precisará dele uma única vez, pois as atualizações podem ser feitas pela internet, de versão para versão. Você não precisa reinstalar o sistema operacional quando uma nova versão é disponibilizada, você só precisa atualizar a sua versão, no momento que você preferir. Logo após completar a instalação do Ubuntu seu sistema já está imediatamente pronto para o uso. Você tem uma completa suíte de aplicativos para produtividade em escritório, aplicações para internet, aplicações gráficas e de desenho, e também alguns jogos. Em um único CD você tem um desktop completo, com muitos aplicativos para escritório, casa e notebook instalados por padrão. Existem também milhares de pacotes e programas adicionais que você pode instalar com apenas alguns cliques.

8

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu

4. O Básico do Linux
4.1. Sistemas de Arquivo e Diretórios
O sistema de arquivos do Linux e Unix é organizado em um formato hierárquico, com uma estrutura no estilo árvore. O nível mais alto do sistema de arquivos é o / ou diretório root. Na filosofia de desenho do Unix e Linux, tudo é considerado como um arquivo - incluindo discos rígidos, partições, e mídia removível. Isto significa que todos os outros arquivos e diretórios (incluindo outros discos e partições) existem sob o diretório root. Por exemplo, /home/astrogildo/queijos.odt mostra o caminho completo correto para o arquivo queijos.odt que existem no diretório astrogildo, o qual está sob o diretório home, que por sua vez está sob o diretório root (/). Sob o diretório root (/), existe um grupo importante de diretórios de sistema que são comuns e ntre a maioria das distribuições Linux que são usadas. A seguinte lista contém os nomes de diretórios comuns que estão diretamente sob o diretório root (/):
● ● ● ● ● ● ●

/bin - aplicativos binários (programas executáveis) /boot - arquivos que são necessários para iniciar /dev - os arquivos de dispositivos /etc - arquivos de configuração, scripts de inicialização, etc... /home – pasta pessoal do usuário local /lib - bibliotecas do sistema /lost+found - fornece um sistema de “achados e perdidos” para arquivos que existem sob o diretório root (/). /media - mídia removível montada (carregada) tal como CDs, câmeras digitais, etc... /mnt - sistemas montados /opt - fornece um local para aplicativos opcionais serem instalados /proc - diretório especial dinâmico que mantem informação sobre o estado do sistema, incluindo os processos atualmente executados /root - diretório home do usuário root, pronunciado 'barra-root' /sbin - binários (programas) importantes para o sistema /sys - contém informações sobre o sistema /tmp - arquivos temporários /usr - aplicativos e arquivos que são na maioria das vezes disponíveis ao acesso de todos usuários. /var - arquivos variáveis tal como logs e bancos de dados. 9

● ● ●

● ● ● ● ●

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu

4.2. Permissões
Todo arquivo em um sistema do Linux tem permissões de acesso, o que permite ou impede os usuários de vê-lo, modificá-lo ou executá-lo. O super usuário "root" tem a habilidade de acessar qualquer arquivo no sistema. Cada arquivo contém restrições de acesso, restrições de usuário e tem uma associação de dono/grupo. Todo arquivo é protegido pelos seguintes grupos de permissão, em ordem de importância:
● ● ●

usuário – aplica-se para o usuário que é o dono do arquivo. grupo – aplica-se ao grupo que está associado ao arquivo. outros – aplica-se a todos os outros usuários

Você pode configurar diferentes permissões para cada categoria de usuário. Estas permissões se comportam de maneiras distintas para arquivos e pastas, como a seguir:

leitura
○ ○

arquivos podem ser exibidos/abertos conteúdo de diretórios podem ser exibidos arquivos podem ser editados ou apagados conteúdo de diretórios podem ser modificados arquivos executáveis podem ser executados como um programa diretórios podem ser acessados

escrita
○ ○

execução
○ ○

Para visualizar e editar as permissões de arquivos e diretórios, abra Locais → Pasta Pessoal e clique com o botão direito em um arquivo ou diretório. Selecione Propriedades. As permissões estão na aba Permissões onde você pode alterar todos os níveis de permissão, desde que você seja o dono do arquivo.

4.3. Usuários e Grupos
Para adicionar usuários ou grupos ao seu sistema, você pode utilizar o aplicativo Usuários e Grupos localizado em Sistema → Administração → Usuários e Grupos. Lembre-se de fechar a sessão e iniciá-la novamente para que as mudanças produzam efeito. Para adicionar um novo usuário, clique em Adicionar usuário, preencha os campos de dados e então clique em OK. Para editar as propriedades de cada usuário, clique no botão Propriedades localizado na janela principal Usuários. 10

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu Para adicionar um novo grupo, selecione a aba Grupos e clique em Adicionar grupo. Escolha o nome para o novo grupo e, se você desejar, modifique o valor padrão para o ID do Grupo. Se você tentar alocar um ID de Grupo que já está em uso o sistema irá lhe avisar. Você pode adicionar usuários no grupo recém criado selecionando um usuário a partir do menu esquerdo e clicando no botão Adicionar. Remover um usuário é tão simples quanto adicionar um: selecione um usuário a partir do menu direito e então clique em Remover. Quando você estiver pronto clique em OK e o novo grupo com os seus usuários, se inseridos, será criado. Para editar as propriedades de um grupo, a partir da janela principal Grupos, escolha o nome do grupo e clique no botão Propriedades. Para remover um usuário ou um grupo do sistema, selecione o usuário ou o grupo que você quer apagar e clique em Apagar.

4.4. Tarefas Administrativas
No Ubuntu, por razões de segurança, tarefas administrativas são restritas a usuários com privilégios especiais. Acesso administrativo é dado para determinados usuários, que podem usar o comando sudo para realizar tarefas administrativas. A primeira conta que você criou neste sistema durante a instalação terá, por padrão, acesso ao sudo. Você pode restringir e habilitar acesso ao sudo para os usuários com o aplicativo Usuários e Grupos. Quando você executa uma aplicação que requer privilégios do root, o sudo pedirá que você digite sua senha normal de usuário. Isto assegura que aplicações suspeitas não possam danificar seu sistema, e serve como um lembrete que você está a ponto de executar ações administrativas que requerem muita cautela! Para usar o sudo quando usando a linha de comando, simplesmente digite "sudo" antes do comando que você deseja executar. Sudo irá então alertá-lo para pôr sua senha. O sudo lembrará sua senha por um certo tempo, que por padrão é 15 minutos, mas pode ser alterado. Esse recurso foi criado para permitir que os usuários executem várias tarefas administrativas sem que seja solicitada uma senha a cada comando. Tome cuidado quando estiver fazendo tarefas administrativas; você pode danificar seu sistema! Algumas outras dicas relativas ao uso do sudo:
● ●

Para usar o terminal como "root", digite "sudo -i" na linha de comando. Todas as ferramentas de configuração gráfica padrão do Ubuntu já usam sudo, então elas irão te pedir sua senha se for necessário. Para maiores informações sobre o programa sudo e a ausência de um usuário root no Ubuntu, leia a página sudo no wiki do Ubuntu (http://wiki.ubuntu-br.org/RootSudo). 11

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu

5. Utilização em modo texto
Linux é inspirado pelo sistema operacional Unix, o qual apareceu em 1969, e continua em uso e desenvolvimento contínuo desde então. Muitas das convenções de desenho por trás do Unix também existem no Linux e são primordiais ao entender a base do sistema. Unix foi primeiramente orientado ao uso de uma interface de linha de comandos, e este histórico é continuado pelo Linux. Portanto, a interface de usuário gráfica com suas janelas, ícones e menus são construídas sobre uma interface de linha de comandos básica. Ou seja, isso significa que o sistema de arquivos do Linux é estruturado para ser gerenciado facilmente e ser acessível pela linha de comando.

5.1. Terminais
Trabalhar na linha de comando não é uma tarefa tão assustadora como você imagina. Não há nenhum conhecimento especial necessário para saber usar a linha de comando. É um programa como qualquer outro. A maioria de coisas em Linux podem ser feitas usando a linha de comando, embora existem ferramentas gráficas para a maioria dos programas, às vezes elas não são o bastante. É aí que a linha de comando é útil. O terminal é freqüentemente chamado de linha de comando ou shell. Antigamente, esta era a maneira que o usuário interagia com seu computador, porém os usuários de Linux descobriram que o uso do shell pode ser mais rápido do que um método gráfico e ainda merece mérito hoje em dia. Aqui você aprenderá como usar o terminal. O uso original do terminal era como um navegador de arquivos e certamente ainda é usado navegador de arquivos, no evento de falha gráfica do ambiente ou na administração de um servidor remoto. Você pode usar o terminal como um navegador de arquivos para navegar seus arquivos e desfazer modificações que tenham sido feitas. Para abrir um Terminal faça o seguinte:
● ●

Escolha Aplicações ▸ Acessórios ▸ Terminal; Ou aperte Alt +F2 e digite gnome-terminal.

5.2. Comandos Comuns
Obs: Note que o Linux é sensível a maiúsculas e minúsculas. Usuário, usuário e USUÁRIO são todos diferentes para o Linux. 5.2.1. Comandos de Arquivos e Diretórios
cd

O comando cd muda a pasta. Quando você abrir um terminal você estará em 12

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu sua pasta pessoal. Para navegar pelo sistema de arquivos, você usará cd.

Para navegar para o diretório raiz, digite: Para navegar em sua pasta pessoal, digite:

cd /

cd

ou
cd ~

O caracter ~ representa a pasta pessoal do usuário atual. Como visto acima, cd é equivalente a cd /home/nomedousuario/. No entando, ao rodar um comando como root (usando sudo, por exemplo), ~ aponta para /root. Ao rodar um comando com sudo, o caminho completo para a sua pasta pessoal deve ser dado.

Para navegar em um diretório acima, digite: Para navegar em um diretório anterior (ou voltar) digite: Para navegar através de múltiplos níveis de diretórios de uma vez, especifique o caminho completo do diretório que você quer ir. Por exemplo, digite:

cd ..

cd ●

cd /var/www

para ir diretamente ao subdiretório /www de /var/.

Como outro exemplo, digite:

cd ~/Desktop

para mover-se ao subdiretório Desktop dentro do seu diretório home.
pwd

O comando pwd mostra em qual pasta você está atualmente localizado (pwd significa “print working directory”, ou “imprimir pasta de trabalho”). Por exemplo, digitar
pwd

na pasta Área de Trabalho irá mostrar /home/nomedousuario/Área de Trabalho. O Terminal GNOME também mostra esta informação na barra de título de sua janela.
ls

O comando ls mostra uma lista de arquivos na pasta atual. Por exemplo, digitar
ls ~

irá mostrar os arquivos que estão em sua pasta pessoal. Usado com a opção -l, ls mostra várias outras informações junto ao nome, como as permissões atuais do arquivo e o dono do mesmo. 13

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu Teste ainda: ls -la, ls -lh, ls -lr, ls -lR, ls -t
cp

O comando cp faz uma cópia de um arquivo. Por exemplo, digite:
cp foo bar

para fazer uma cópia exata de foo e nomeá-la como bar. foo não será alterado.
mv

O comando mv move um arquivo para uma outra localização ou renomeia o arquivo. Os exemplos são os seguintes:
mv foo bar

irá renomear o arquivo foo para bar.
mv foo "~/Área de Trabalho"

irá mover o arquivo foo para a sua pasta Área de Trabalho mas não irá renomeá-lo.
rm

rm é usado para apagar arquivos.
rm foo

apaga o arquivo foo da pasta atual. Por padrão, o rm não irá remover diretórios. Para remover um diretório, você deve usar a opção -R. Por exemplo,
rm -R foobar

irá remover o diretório foobar, e todo o seu conteúdo! Atenção: Nunca, mas nunca mesmo, digite “rm -fR /”. E também não use “rm -fR .” para apagar a pasta atual.
mkdir

O comando mkdir permite que você crie pastas. Por exemplo, digitando:
mkdir musica

irá criar uma pasta chamada musica na pasta atual. 5.2.2. Informações de comandos sobre o sistema
df

O comando df mostra o uso de disco do sistema de arquivos para todas as partições.
df -h

irá lhe fornecer informações usando megabytes (M) e gigabytes (G) ao invés de blocos (-h significa "human-readable (Legível para o homem)"). 14

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu
free

O comando free mostra a quantidade de memória livre e usada no sistema.
free -m

irá mostrar a informação usando megabytes, a qual provavelmente é a mais útil para os computadores atuais.
top

O comando top mostra informações sobre seu sistema GNU/Linux, processos que estão sendo executados e recursos do sistema, incluindo CPU, RAM, uso da swap e número total de tarefas sendo executadas. Para sair do top, aperte q.
uname

O comando uname com a opção -a, exibe todas as informações do sistema, incluindo nome da máquina, nome do kernel & versão, e alguns outros detalhes. Muito útil para saber qual kernel você está usando.
lsb_release

O comando lsb_release com a opção -a imprime informações de versão para a versão do Linux que você está executando. Por exemplo, digitando:
lsb_release -a

irá te mostrar:
No LSB modules are available. Distributor ID: Ubuntu Description: Ubuntu 8.04 Release: 8.04 Codename: hardy

ifconfig

O comando ifconfig relata as interfaces de rede do seu sistema.

5.2. Alternar para o modo Console
O método normal de acesso à linha de comando no Ubuntu é iniciar um terminal, porem às vezes é útil mudar para o console de verdade: 1. Use as teclas de atalho Ctrl+Alt+F1 para alternar para a primeira console. 2. Para alternar de volta ao modo Desktop, use as teclas de atalho Ctrl+Alt+F7. Existem seis consoles disponíveis. Cada uma é acessada com as teclas de atalho Ctrl+Alt+F1 até Ctrl+Alt+F6.

15

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu

6. Adicionar, Remover e Atualizar Aplicações
Para adicionar ou remover programas no Ubuntu, você precisará usar um gerenciador de pacotes. Este é o programa que instala e remove softwares, e também busca todos as peças e componentes que este software precisa. Existem três principais gerenciadores de pacotes que você pode usar no Ubuntu:

Adicionar/Remover... - A maneira mais fácil de instalar e remover programas. Synaptic - Controle avançado de softwares e outros componentes do sistema. Apt-Get/Aptitude - Para se você preferir usar o terminal.

Se você abrir mais de um destes programas ao mesmo tempo, eles não funcionarão. Feche todos eles e abra somente um. Você precisa de acesso administrativo para usar alguns destes programas.

6.1. Adicionar/Remover Programas
Com o item Adicionar/Remover… do menu Aplicações, você pode instalar programas para fazer coisas novas com o Ubuntu. Você também pode remover os programas que você não quer. Você precisa ter acesso administrativo para usar o Adicionar/Remover Programas. Se você souber o nome de um programa que você quer instalar, digite-o no campo Busca. Se não, comece escolhendo uma categoria de software à esquerda. Os programas que já estão instalados começam com uma marca de verificação próxima ao seu nome. Se você quiser removê–lo do seu computador, desmarque o programa. Quando você clicar em Aplicar ou em OK, todo o software novo será baixado da internet e o Ubuntu fará as mudanças que você selecionou. Se você não ativou o repositório de pacotes on-line, pode ser pedido que você introduza o CD-ROM do Ubuntu para instalar alguns pacotes. Alguns programas não podem ser instalados ou removidos utilizando Adicionar/Remover Programas. Se você não consegue encontrar o pacote pelo qual procura, clique em Avançado para abrir o Synaptic.

6.2. Gerenciador de Pacotes Synaptic
Synaptic é um aplicativo de gerenciamento avançado de pacotes que pode instalar e remover qualquer pacote disponível para o seu sistema. A interface é gráfica como Adicionar/Remover Programas, mas apresenta muito mais informações e te dá controle completo sobre o software em seu computador Para iniciar o Synaptic, a partir do menu Sistema, escolha Administração → 16

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu Gerenciador de Pacotes Synaptic. Você precisa de acesso administrativo para usar o Synaptic. Se você souber o nome do pacote que você quer instalar ou remover, clique no botão Procurar e digite o nome do pacote ou um termo curto para pesquisa. Você pode também procurar os pacotes pela descrição (por exemplo, você pode encontrar todos os pacotes mencionando “arcade” ou “mathematics”). Use as categorias à esquerda para filtrar a lista de pacotes. Para retornar à lista de categorias após realizar uma pesquisa, clique em Seções. Para instalar um pacote, clique na caixa próxima a ele e escolha Marcar para Instalação. Se você mudar de idéia, escolha Desmarcar. Para remover um pacote que já está instalado, escolha Marcar para Remoção. Quando terminar, clique em Aplicar e o Ubuntu fará as mudanças que você selecionou. Se você não quiser realizar nenhuma mudança, simplesmente feche a janela.

6.3. Gerenciamento de Pacotes pela Linha de Comando com o APT
Se você está habituado com a utilização do Terminal, você pode utilizar o apt (Advanced Packaging Tool) na instalação ou remoção de software. Será preciso acesso administrativo para a utilização do apt. Para atualizar a lista local de pacotes, digite no Terminal:
sudo apt-get update

Para instalar todas as atualizações disponíveis:
sudo apt-get upgrade

Para instalar um pacote:
sudo apt-get install pacote

Para remover um pacote:
sudo apt-get remove pacote

Para listar outros comandos e opções do apt:
apt-get help

7.2. Repositórios de software
Um repositório de software é um lugar de onde você pode baixar e instalar programas pela Internet. Há milhares de programas disponíveis para instalação no Ubuntu. Esses programas são armazenados em arquivos de software (repositórios) e disponibilizados livremente para instalação pela Internet. Isto torna muito fácil a instalação de novos programas no Linux e também muito segura, pois cada programa que você instalar é feito especialmente para o Ubuntu e verificado antes da instalação. Para organizar os programas, os repositórios do Ubuntu são categorizados em quatro grupos: Main, Restricted, Universe, e Multiverse. A lógica utilizada 17

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu para determinar quais programas entram em cada categoria é baseada no nível de suporte que as equipes de desenvolvimento fornecem ao programa e ao nível de obediência que o programa tem em relação à Filosofia de Software Livre. O CD padrão de instalação do Ubuntu contém alguns programas das categorias Main e Restricted. Se o seu sistema está conectado à Internet, muitos outros programas estão disponíveis para instalação. Por exemplo, os repositórios “Universe” e “Multiverse” só estão disponíveis pela Internet.
O repositório Multiverse contém programas que são classificados como nãolivres. Estes programas podem não ser permitidos em algumas jurisdições. Ao instalar um pacote desse repositório, você deveria verificar se as leis de seu país permitem o uso do mesmo. Além disso, esse programa pode não incluir atualizações de segurança.

Você pode encontrar maiores informações sobre repositórios no site do Ubuntu.

18

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu

7. Principais aplicações
7.1. OpenOffice.org
Ubuntu vem com OpenOffice.org, uma suíte de escritório que inclui um poderoso processador de textos, planilha eletrônica, criador de apresentações e um gerenciador de banco de dados. Esta suíte tem excelente compatibilidade com outras suítes mais conhecidas, como Microsoft Office.

7.2. Mozilla Firefox
O poderoso e seguro navegador web Mozilla Firefox é incluído no Ubuntu. O Firefox inclui navegação por abas, bloqueio de popup, mecanismos de busca embutido, favoritos e muito mais. Também são suportados os plugins populares tais como Java, Macromedia Flash e Real Player. O Firefox pode ser iniciado clicando em Aplicações → Internet → Firefox. 7.2.1. Visualizando Áudio e Vídeo Online no Firefox Muitos vídeos disponíveis na Internet podem ser reproduzidos dentro de seu navegador web. Contudo, muitos deles requerem que plug-ins adicionais sejam instalados anteriormente. Os plug-ins que você precisa dependem do formato de vídeos que deseja assistir. Uma pequena lista de plug-ins disponíveis para o Navegador Web Firefox é fornecida abaixo:
● ● ● ●

Para o plug-in Mplayer, instale o pacote mozilla-mplayer. Para o plug-in VLC, instale o pacote mozilla-plugin-vlc. Para o plug-in Helix, instale o pacote mozilla-helix-player. Para um plug-in Flash livre (código-aberto), instale o pacote mozillaplugin-gnash. Para o plug-in Flash proprietário, instale o pacote flashplugin-nonfree.

Para obter ajuda sobre como instalar programas adicionais, veja Adicionar Aplicações. Reinicie o Firefox para tornar disponíveis os plug-ins recém instalados. 7.2.2. Java browser plug-in Alguns sites utilizam pequenos programas Java, os quais requerem o plugin Java instalado para poderem executar. Essas instruções são somente para computadores i386 e AMD64. O plugin não está disponível atualmente para outros computadores.

Se você está usando um computador i386 instale o pacote sun-java5plugin a partir do repositório “Multiverse”. 19

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu

Se você está usando um computador AMD64 instale o pacote j2re1.4mozilla.plugin a partir do repositório “Multiverse”.

7.3. Correio do Evolution
A suíte Evolution consegue lidar todo o seu e-mail, listas de contato, tarefas e calendário. Pode também servir como newsreader e também se integra com o relógio do painel Gnome, dando-lhe acesso com um clique à sua lista de tarefas. Evolution pode ser iniciado clicando em Aplicações → Internet → Correio do Evolution do sistema de menu do desktop.

7.4. Mensageiro Instantâneo Pidgin
O Pidgin é o cliente de mensagens intantâneas padrão no Ubuntu e era conhecido como Gaim. Com o Pidgin você pode conversar com pessoas que usam AIM/ICQ, Gadu-Gadu, GroupWise, IRC, Jabber, MSN, Napster, Bonjour e Yahoo, e pode listar todos os seus amigos em uma única janela. Para iniciar o Pidgin, escolha Aplicações ▸ Internet ▸ Pidgin Internet Messenger. Existem diversos pacotes extras disponíveis para o Pidgin, que adicionam novos recursos e melhoram o visual. Você pode encontrá-los no Gerenciador de Pacotes Synaptic.

7.5. O GIMP (Gnu Image Manipulation Program)
O GIMP lhe possibilita desenhar, pintar, editar imagens, e muito mais. O GIMP inclui a funcionalidade e plug-ins de outros famosos programas editores de imagens. O GIMP é instalado por padrão no Ubuntu e pode ser iniciado, escolhendo Aplicações → Gráficos → GIMP Image Editor

7.6. Editor de Vetores Gráficos Inkscape
O Inkscape é um editor poderosos para trabalhar com o formato SVG (Scalable Vector Graphics). 1. Instale o pacote inkscape. 2. Para iniciar o Inkscape, selecione Aplicações → Gráficos → Inkscape SVG Vector Illustrator

7.7. Reproduzindo e Organizando Arquivos de Música
Para reproduzir e organizar suas músicas, o Ubuntu vem com o Reprodutor de Músicas Rhythmbox, que se assemelha ao iTunes. Quando iniciado pela primeira vez o Rhythmbox, irá procurar em sua pasta pessoal qualquer 20

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu arquivo de música suportado, adicionando-os à base de dados. Para iniciar o Rhythmbox, escolha Aplicações → Som & Vídeo → Reprodutor de Músicas Rhythmbox. O Ubuntu não suporta diretamente o formato MP3, porque é restrito por patentes e direitos proprietários. Em vez disso, o Ubuntu suporta o formato Ogg Vorbis nativamente, um formato completamente livre, aberto e não patenteado. Arquivos Ogg Vorbis também possuem um som melhor do que os arquivos MP3 do mesmo tamanho e são suportados por muitos reprodutores de música portáteis. Você pode ainda reproduzir seus arquivos de MP3 instalando o suporte para MP3. Instruções para outros formatos, tais como o Windows Media Áudio (wma/wmv) e outros formatos patenteados podem ser encontradas no Wiki do Ubuntu. O Cowbell editor de marcadores ID3 pode editar o meta-dado em seu mp3 e outros arquivos de música. Para usar o Cowbell: 1. Instale o pacote cowbell do repositório “Universe” (veja Capítulo : Adicionar, Remover e Atualizar Aplicações); 2. Para executar o Cowbell, selecione Aplicações → Som & Vídeo → Cowbell Organizador de Música.

7.8. Reproduzindo e Extraindo CDs de Áudio
Quando você insere um CD de áudio, o reprodutor de CDs e ripper Sound Juicer abre automaticamente. Para reproduzir o CD, clique no botão Reproduzir ou pressione Ctrl+P. Para reproduzir uma faixa em particular, clique duas vezes na faixa ou selecione-a e clique Reproduzir. Para extrair (rip) um CD de áudio, certifique-se que as faixas que você pretende extrair estão selecionadas, e depois clique no botão Extrair ou pressione Ctrl+Enter. Se você estiver conectado à Internet, o Sound Juicer irá buscar os dados de artista, título e faixas do CD no MusicBrainz.org, uma base de dados de mais de 360.000 álbuns mantida pela comunidade. Para iniciar manualmente o Sound Juicer, selecione Aplicações → Som & Vídeo → Extrator de CDs Sound Juicer. Você pode usar a janela de preferências para controlar onde os arquivos de áudio extraídos serão gravados no seu computador, o nome dos arquivos de áudio extraídos, o formato do arquivo e o codec utilizado nos arquivos. Na janela principal, escolha Editar → Preferências.

7.9. Gravando CDs
Quando você introduz um CD em branco no drive o Ubuntu irá lhe perguntar se deseja criar um CD de áudio ou de dados. Clicando em Criar um CD de Áudio lança a aplicação Serpentine. Para adicionar música ao seu CD de 21

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu áudio, ou arrastando música do Gerenciador de Arquivos ou use o botão Adicionar. É também necessário selecionar o tamanho do seu CD (21, 74, 80 ou 90 minutos). Serpentine o alertará caso exceder o limite. Para criar um CD de fotos ou dados, clique em Criar CD de Dados. O Ubuntu abrirá uma janela do Criador de CD/DVD. O criador de CD está embutido no Gerenciador de Arquivos, e lhe permite adicionar qualquer pasta ou arquivo que você tenha permissão de acesso. Quando estiver pronto para gravar no CD, clique em Gravar no Disco. O Ubuntu pedirá então para selecionar o drive que contém o CD virgem, e dará a oportunidade de dar um nome ao CD e selecionar a velocidade de escrita. Finalmente, clique em Gravar para criar o novo CD de fotos ou dados.

7.10. Reprodução de vídeo
Para reproduzir vídeos, Ubuntu vem com Reprodutor de filmes Totem, que possui funções similares ao Windows Media Player. Características do Totem incluem listas de reprodução personalizadas e reprodução de DVD. Você pode iniciar o Totem em: Aplicações → Som & Vídeo → Reprodutor de Filmes do menu do computador. Para ler arquivos de vídeo, o Totem utiliza a framework Gstreamer. Para reproduzir alguns formatos de vídeo, você pode precisar de adicionar suporte para alguns codecs. Existem também outras aplicações de multimídia disponíveis. Exemplos incluem Mplayer, Xine e Totem-xine (que usam a estrutura Xine, ao invés da estrutura Gstreamer). Você pode se beneficiar ao usar estes reprodutores de vídeo alternativos.

7.11. Codecs de Multimídia
Muitas aplicações no Ubuntu usam o framework multimídia de código aberto GStreamer. Os codecs para o GStreamer são organizados em diferentes pacotes dependendo da licença aplicada aos vários codecs. Você pode ver quais codecs contém em qual plugin na página do GStreamer. Outras aplicações, como o Mplayer e Xine, não usam o framework Gstreamer. Devido a restrições de patentes e copyright, os codecs para estes programas não são totalmente incluídos no Ubuntu. Para mais informações sobre isso, leia a página wiki Formatos Restritos. Para instalar codecs extras para o Gstreamer: Instale os seguintes pacotes dos repositórios “Universe” e “Multiverse” (veja Capítulo : Adicionar, Remover e Atualizar Aplicações):
gstreamer0.10-plugins-ugly gstreamer0.10-plugins-ugly-multiverse gstreamer0.10-plugins-bad gstreamer0.10-plugins-bad-multiverse gstreamer0.10-ffmpeg

22

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu

8. Configuração de periféricos
8.1. Teclado e Mouse
Durante a instalação do Ubuntu ele já configura seu teclado, logo após você selecionar seu idioma. Mas iremos mostrar como fazer para que o teclado brasileiro ABNT2 funcione corretamente no Ubuntu, caso você esteja enfrentando problemas para fazê-lo funcionar ou não o tenha configurado durante a instalação. Também indicamos como configurar um mouse serial no sistema Ubuntu. 8.1.1. Como configurar o teclado BR-ABNT2 corretamente Durante a instalação do Ubuntu ele já configura seu teclado, logo após você selecionar seu idioma. Mas iremos mostrar como fazer para que o teclado brasileiro ABNT2 funcione corretamente no Ubuntu, caso você esteja enfrentando problemas para fazê-lo funcionar ou não o tenha configurado durante a instalação.
Editando /etc/X11/xorg.conf

Primeiro, iremos abrir o arquivo /etc/X11/xorg.conf, que contém informações sobre todos os dispositivos usados pelo X, inclusive o teclado. Abra uma janela do terminal e digite:
sudo gedit /etc/X11/xorg.conf

as

Procure pela seção 'InputDevice', que deve estar mais ou menos assim:
Section "InputDevice" Identifier "Keyboard0" Driver "keyboard" Option "CoreKeyboard" Option "XkbRules" "xorg" Option "XkbModel" "pc104" Option "XkbLayout" "us" EndSection

Altere-a para que fique desta forma:
Section "InputDevice" Identifier "Keyboard0" Driver "keyboard" Option "CoreKeyboard" Option "XkbRules" "xorg" Option "XkbModel" "abnt2" Option "XkbLayout" "br" EndSection

Salve o arquivo, salve o seu trabalho e então reinicie o X (CRTL+ALT+BACKSPACE), faça o login novamente e então o Gnome irá avisá-lo que o layout do X é diferente do que o Gnome usa, e irá pedir para que você opte por um deles. Escolha o layout do X (X Windows configuration) e pronto! 23

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu Logo no início da instalação, após perguntar pelo idioma (que selecionei "Português Brasileiro"), o instalador pediu para confirmar o tipo de teclado, e lá já estava selecionado o ABNT2. O Xorg foi configurado corretamente e não precisei fazer nenhuma modificação quanto a isso. 8.1.2. Mouse Serial Se o Ubuntu carregou normalmente e você conseguiu logar: 1. Alt + F1 = Para abrir o "Menu Aplicações" 2. Usando os direcionais do teclado, vá em Acessórios e abra o Terminal. No terminal, acesse o arquivo usando o editor Gedit:
sudo gedit /etc/X11/xorg.conf

Ele vai pedir sua senha de usuario, basta digitar e teclar ENTER. Vai abrir na tela um arquivo texto pra vc editar, neste arquivo vc tera q achar a seguinte sessao:
Section "InputDevice" Identifier Driver Option Option Option Option Option EndSection "Configured Mouse" "mouse" "CorePointer" "Device" "Protocol" "Emulate3Buttons" "ZAxisMapping"

"/dev/input/mice" "ImPS/2" "true" "4 5"

Troque o valor da Opção Protocol que esta como "ImPS/2" para "Microsoft" | e o valor da opção Device por "/dev/ttyS0". Comente as linhas que contém “Emulate3Buttons” e “ZaxisMapping” colocando um sustenido (#) na frente.
Section "InputDevice" Identifier "Configured Mouse" Driver "mouse" Option "CorePointer" Option "Device" Option "Protocol" # Option "Emulate3Buttons" # Option "ZAxisMapping" EndSection

"/dev/ttyS0" "Microsoft" "true" "4 5"

Agora basta salvar o arquivo e reiniciar o X com o comando CTRL + ALT + Backspace.

8.2. Impressoras
Algumas impressoras são detectadas automaticamente pelo Ubuntu; para aquelas que não são, selecione Sistema → Administração → Impressoras, então selecione Impressora → Adicionar Impressora. Algumas impressoras necessitam de configurações. Procure-as no banco de 24

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu dados do LinuxPrinting.org ou verifique a página de impressoras do Ubuntu wiki (https://wiki.ubuntu.com/HardwareSupportComponentsPrinters) para possíveis informações sobre sua impressora.

9. Partições e boot
9.1. Editor Gráfico de Partições
Gparted é uma ferramenta gráfica para editar partições de disco.

Instalar o pacote gparted (veja Capítulo : Adicionar, Remover e Atualizar Aplicações). Você pode executar a aplicação com o Sistema → Administração Gnome Partition Editor. →

9.2. Tornar as partições Windows disponíveis a partir do Ubuntu
As partições Windows devem estar automaticamente disponíveis em qualquer sistema Ubuntu. Se elas não estiverem, você pode torná-las disponíveis da seguinte forma: 1. Abra o terminal. 2. Edite o arquivo /etc/fstab com permissões administrativas (ex: sudo vim /etc/fstab) 3. Adicione a linha:

/dev/hda1 /media/windows vfat user,rw,auto 0 0
■ ■

onde: “/dev/hda1” deve ser o caminho do dispositivo (da partição); “/media/windows” deve ser a pasta de destino de montagem (deve estar criada); “vfat” é o tipo do sistema de arquivos (pode ser também “ntfs”); “user,rw,auto” são as opções de montagem, respectivamente permitindo a montagem pelo usuário, permitindo leitura e escrita e montagem automática ao iniciar o sistema; “0 0” para não fazer verificação no sistema de arquivos ao iniciar.

■ ■

9.3. Montar/desmontar CD/DVD-ROMs manualmente, e mostrar todos os arquivos/pastas associados e ocultos.
Assumindo que /media/cdrom0/ é a localização do CD/DVD-ROM Para montar um CD/DVD-ROM:
sudo mount /media/cdrom0/ -o unhide

25

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu Para desmontar um CD/DVD-ROM:
sudo umount /media/cdrom0/

10. Dicas Úteis
10.1. Entrar automaticamente quando o computador iniciar
Para entrar automaticamente quando o computador iniciar: 1. Acesse Sistema → Administração → Janela de início de sessão. 2. Selecione Segurança e ative a opção Ativar Início Automático de Sessão. 3. Escolha a conta com a qual você quer entrar. Isto não é recomendado para a maioria dos computadores, pois não é seguro e outras pessoas podem ter acesso aos seus dados.

10.2. Instalar Fontes Extras
Esta seção descreve como instalar fontes adicionais a partir dos repositórios do Ubuntu. Para fontes Microsoft TrueType, instale o pacote msttcorefonts do repositório “Multiverse” (veja Capítulo: Adicionar, Remover e Atualizar Aplicações). Para fontes Ghostscript , instale o pacote gsfonts-x11 (veja Capítulo: Adicionar, Remover e Atualizar Aplicações). Depois de instalar qualquer fonte nova, recarrege o arquivo de informações de fonte digitando o seguinte comando em um Terminal:
sudo fc-cache -f -v

Se você preferir baixar as fontes individualmente, você pode instalá-las de forma simples e fácil abrindo um gerenciador de arquivos e digitando fonts:/// na barra de localização (ou aperte alt+f2 e digite nautilus fonts:/// na caixa de texto). Então você pode simplesmente arrastar a fonte baixada para o grupo de fontes existentes.

10.3. Reiniciar o GNOME sem reiniciar o computador
1. Salvar e fechar todas as aplicações abertas. 2. Use as teclas de atalho Ctrl+Alt+Backspace para reiniciar o GNOME. 3. Se estiver desabilitado /etc/init.d/gdm restart. Ctrl+Alt+Backspace, digite sudo

26

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu

11. Obtendo Ajuda
Surgiu uma dúvida ou problema no Ubuntu? Não se apavore! Provavelmente em uma das fontes citadas abaixo, você poderá encontrar a resposta de sua pergunta ou dúvida. Acesse-as e surpreenda-se com a excelente documentação disponibilizada pela comunidade. Procure sempre manter o hábito de consultar sobre o assunto antes de pedir ajuda em qualquer um dos canais. Desta forma, você estará contribuindo para a otimização do suporte.

11.1. Documentação do Sistema
O Ubuntu possui uma documentação muito extensa e completa. Uma das documentações disponíveis é o Guia Desktop Ubuntu. O guia contempla uma introdução ao mundo Ubuntu, abordando comandos básicos, tarefas comuns e como configurar o sistema operacional. Para aqueles que estão iniciando no Ubuntu é uma leitura indispensável, imprescindível e o mais importante, acessível com apenas alguns cliques do mouse a partir do menu Sistema no seu desktop.

Acesse o Menu: Sistema > Ajuda e Suporte

11.2. Wiki
O Wiki do Ubuntu Brasil comporta a documentação do Ubuntu em português do Brasil. É composto por uma grande quantidade de dicas e tutoriais sobre a utilização do Ubuntu feito pela comunidade brasileira.
● ●

Acesse http://wiki.ubuntu-br.org Faça sua busca na caixa de texto localizada no canto superior direito do site.

Obs: Por padrão, o sistema de busca do wiki procura somente pelos títulos das páginas e não pelo conteúdo (corpo). Logo, lembre–se de clicar no botão texto no momento da consulta, para forçar uma busca full-text, caso a busca por títulos não retorne nada.

11.3. Guia Inicial Não Oficial do Ubuntu
Guia para iniciantes baseado no Ubuntu Guide. No estágio atual, enquanto seu conteúdo não amadurece, encontra-se na forma de um laboratório. É aconselhável para usuários interessados na forma mais rápida e objetiva de instalação de softwares e configuração do sistema operacional Ubuntu. http://guia.ubuntu-br.org

11.4. Fórum
Lugar onde os usuários fazem e respondem perguntas. Antes de perguntar, 27

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu pesquise, pois é bastante provável que seu problema ou dúvida já tenha sido levantado e respondido aqui. http://forum.ubuntu-br.org

11.5. Listas de Discussão
As listas de discussão do Ubuntu e da comunidade são os locais onde são discutidas as novidades, idéias e questões sobre o Ubuntu. http://wiki.ubuntu-br.org/Listas

11.6. Chat no IRC
As atividades da comunidade Ubuntu estão concentradas na rede FreeNode. Acesse a rede e converse em tempo real com os membros da comunidade.
● ●

Acesse irc://freenode.net/ubuntu-br (#ubuntu-br @ irc.freenode.net) Caso não saiba usar o irc, acesse http://wiki.ubuntu-br.org/UsandoIRC .

28

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu

12. Colabore
Você quer participar da comunidade do Ubuntu e Ubuntu Brasil mas não tem muito tempo, habilidades ou simplesmente não sabe como? Todo usuário Ubuntu pode participar na comunidade. Deixe-nos mostrar a você algumas coisas simples e fáceis que você pode fazer. Obs: Links no final do material.

12.1. Divulgue
1. Apresente o Ubuntu a alguém - Dê um CD gravado à ele(a) e compartilhe suas impressões do Ubuntu com ele! 2. Experimente comprar um computador com o Ubuntu préinstalado - Se você conhece algum revendedor que ofereça o Ubuntu pré-instalado em um computador, experimente comprá-lo, se puder. Caso você adquira um computador com o Ubuntu instalado, não deixe de compartilhar suas experiências.

12.2. Teste
1. Teste sua câmera digital, scanner, impressora ou outro dispositivo - Testar um hardware novo não é difícil. Simplesmente conecte o hardware e o faça funcionar. Caso ele não tenha funcionado corretamente, reporte os problemas no Malone. 2. Experimente o Live CD - Leve um Live-CD na casa de um amigo e experimente-o no PC dele, ou dela. Conte-nos se algo não funcionou, e arquive seu bug no Malone.

12.3. Crie
1. Algo bonito - Crie um fundo de tela, conjunto de ícones, um botão ou qualquer arte bonita para o Ubuntu! Visite a página de artes para mais detalhes. 2. Documentação - Documente como você conseguiu colocar aquele periférico funcionando! Visite a página http://wiki.ubuntubr.org/TimeDeDocumentacao para mais detalhes.

12.4. Sugira
1. Idéias - Acrescente suas idéias na Idea Pool para recursos que você gostaria de ver em produtos Ubuntu, sugestões de marketing e quaisquer outras. 2. Wiki - Participe das discussões e troca de idéias no Ubuntu Wiki, onde nós trabalhamos em documentos com alta rotatividade antes deles estarem prontos para publicação no web site principal. 29

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu 3. Sugira pacotes - Ajude a escolher quais pacotes serão instalados por padrão em uma instalação desktop do Ubuntu. Esta é uma decisão das mais críticas que o time Ubuntu tem que tomar em cada release.

12.5. Desenvolva
1. Mantenha pacotes - Torne-se um membro do Time de Mantenedores do Ubuntu e tenha a possibilidade de fazer upload de pacotes para o Ubuntu. Uma vez membro do time você pode fazer alterações em QUALQUER pacote na distribuição, embora seja considerado cortês a discussão das mudanças com outras pessoas que estejam trabalhando no pacote.

12.6. Traduza
1. Traduza o Ubuntu - Isso mesmo! Você pode ajudar traduzindo as aplicações do Ubuntu para Português do Brasil! Para isso, basta você ter um conhecimento básico de Ingês e boa vontade! Visite a página do Time de Tradução e veja como ajudar.

12.7. Suporte
1. Nos fóruns - Vá até o forum em inglês ou em português e procure por dúvidas de outros usuários que você se sinta qualificado a responder. Tenha certeza de ler as regras do fórum e as recomendações de postagens. 2. No IRC - Entre no canal #ubuntu ou #ubuntu-br na irc.freenode.org, e ajude os outros usuarios respondendo perguntas, ou fornecendo dicas para solucionar seus problemas. rede suas

3. Nas listas de discussões - Assine a lista do Ubuntu ou do Ubuntu-BR e ajude respondendo as perguntas dos usuários por email!

30

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu

13. Links
Página Oficial do Ubuntu: http://www.ubuntu.com Ubuntu Wiki: http://wiki.ubuntu.com/ Ubuntu Brasil: http://www.ubuntu-br.org Wiki Ubuntu Brasil: http://wiki.ubuntu-br.org Planeta Ubuntu Brasil: http://planeta.ubuntu-br.org Guia Não Oficial do Ubuntu: http://guia.ubuntu-br.org Time de Documentação: http://wiki.ubuntu-br.org/TimeDeDocumentacao Time de Mantenedores: https://wiki.ubuntu.com/MOTU Time de Tradução: http://wiki.ubuntu-br.org/TimeDeTraducao Fórum Internacional: http://www.ubuntuforums.org/ Fórum em Português: http://forum.ubuntu-br.org/ Listas de Discussões: http://wiki.ubuntu-br.org/Listas Malone: https://launchpad.net/malone Rosetta: https://launchpad.net/rosetta Idea Pool: http://wiki.ubuntu.com/IdeaPool

31

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu

14. Código de Conduta do Ubuntu
Este Código de Conduta cobre o seu comportamento como um membro da Comunidade Ubuntu, em qualquer fórum, lista de discussão, wiki, site, canal de irc, install-fest, encontros públicos ou correspondências privadas. O Conselho Comunitário do Ubuntu irá arbitrar em qualquer discussão sobre a conduta de um membro da comunidade.

Considere. Seu trabalho será utilizado por outras pessoas, e você por sua vez irá depender do trabalho de outros. Qualquer decisão que você tomar, afetará usuários e colegas, e esperamos que você leve em consideração essas consequências quando for decidir algo. Por exemplo, quando estivermos em um "congelamento do adicionamento de recursos", por favor, não faça o envio excessivo de novas versões de softwares críticos, pois as outras pessoas estarão testando o "sistema congelado" e não estarão esperando por grandes mudanças. Respeite. A Comunidade Ubuntu e seus membros tratam uns aos outros com respeito. Todos podem fazer uma contribuição valiosa ao Ubuntu. Nós podemos não concordar sempre, mas discordância não é desculpa para mau comportamento e maus modos. Podemos todos experienciar alguma frustração às vezes, mas não podemos permitir que essa frustração se torne um ataque pessoal. É importante lembrar que uma comunidade onde as pessoas se sentem desconfortáveis ou ameaçadas não é uma comunidade produtiva. Nós esperamos que os membros da comunidade Ubuntu sejam respeitosos quando estiverem lidando com outros contribuintes, tanto quanto com pessoas fora do projeto Ubuntu, quanto com seus usuários. Colabore. Ubuntu e Software Livre são símbolos de colaboração e trabalho em equipe. Colaboração reduz a redundância do trabalho feito no mundo do Software Livre, e aperfeiçoa a qualidade dos programas produzidos. Você deve ter como objetivo colaborar com outros mantenedores Ubuntu, assim como com a comunidade diretamente envolvida que está interessada no trabalho que você faz. Seu trabalho deve ser feito de forma transparente e as correções do Ubuntu devem ser enviadas de volta à comunidade quando forem feitas, e não apenas em lançamentos da distribuição. Se você desejar trabalhar em novo código para projetos existentes, pelo menos mantenha esses projetos informados sobre suas idéias e seu progresso. Pode não ser possível chegar a um consenso com o projeto ou mesmo com seus colegas sobre a implementação correta de uma idéia, portanto não se sinta obrigado a ter esse entendimento antes de começar. Pelo menos mantenha o mundo ao redor informado sobre seu trabalho, e publique-o de uma forma que permita as pessoas de fora testarem, discutirem e contribuírem aos seus esforços. Quando você discordar, consulte os outros. Divergências, tanto políticas quanto técnicas, acontecem em todas as equipes e a 32

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu comunidade Ubuntu não é uma exceção. O ponto principal não é evitar divergências ou diferentes pontos de vista, mas resolvê-los construtivamente. Você deve se voltar à comunidade e o seu processo para buscar conselho e resolver divergências. Nós temos o Quadro Técnico e o Conselho da Comunidade e ambos irão ajudar a decidir o rumo do Ubuntu. Existem também várias Equipes de Projetos e Líderes de Equipe, os quais poderão estar habilitados a ajudá-lo a compreender qual direção será mais aceitável. Se você deseja realmente seguir um caminho diferente, nós o encorajamos a fazer uma distribuição derivada ou conjunto alternativo de pacotes usando o Ubuntu Package Management framework. Assim, toda a comunidade pode testar suas alterações e idéias por si própria e contribuir com a discussão.

Quando você estiver incerto, peça ajuda. Ninguém sabe tudo e não se espera que ninguém seja perfeito na comunidade Ubuntu (exceto, é claro, o SABDFL). Pedir ajuda evita muitos problemas pelo caminho, então perguntas são encorajadas. Aqueles que são questionados devem ser compreensivos e atenciosos. Entretanto, ao fazer uma pergunta, deve-se tomar cuidado para fazê-la em um fórum apropriado. Questões fora do tema, tais como pedido para ajuda em uma lista de e-mails de desenvolvimento, causam prejuízos às discussões produtivas. Se demita com consideração. Desenvolvedores em todos os projetos vêm e vão, e no Ubuntu não é diferente. Quando você deixar ou se desengajar do projeto, integralmente ou em parte, nós pedimos que você o faça de maneira a minimizar descontinuidades no projeto. Isto significa que você deve avisar as pessoas apropriadas que você está saindo e realizar as etapas apropriadas para garantir que os outros possam continuar.

33

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu

6. Referências Bibliográficas
Ajuda do Ubuntu. https://help.ubuntu.com/ Ubuntu Team Wiki. http://wiki.ubuntu.com/ Wiki do Ubuntu-BR. http://wiki.ubuntu-br.org/

34

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu

7. GNU Free Documentation License
Version 1.2, November 2002
Copyright (C) 2000,2001,2002 Free Software Foundation, Inc. 51 Franklin St, Fifth Floor, Boston, MA 02110-1301 USA Everyone is permitted to copy and distribute verbatim copies of this license document, but changing it is not allowed.

0. PREAMBLE The purpose of this License is to make a manual, textbook, or other functional and useful document "free" in the sense of freedom: to assure everyone the effective freedom to copy and redistribute it, with or without modifying it, either commercially or noncommercially. Secondarily, this License preserves for the author and publisher a way to get credit for their work, while not being considered responsible for modifications made by others. This License is a kind of "copyleft", which means that derivative works of the document must themselves be free in the same sense. It complements the GNU General Public License, which is a copyleft license designed for free software. We have designed this License in order to use it for manuals for free software, because free software needs free documentation: a free program should come with manuals providing the same freedoms that the software does. But this License is not limited to software manuals; it can be used for any textual work, regardless of subject matter or whether it is published as a printed book. We recommend this License principally for works whose purpose is instruction or reference. 1. APPLICABILITY AND DEFINITIONS This License applies to any manual or other work, in any medium, that contains a notice placed by the copyright holder saying it can be distributed under the terms of this License. Such a notice grants a world-wide, royaltyfree license, unlimited in duration, to use that work under the conditions stated herein. The "Document", below, refers to any such manual or work. Any member of the public is a licensee, and is addressed as "you". You accept the license if you copy, modify or distribute the work in a way requiring permission under copyright law. A "Modified Version" of the Document means any work containing the Document or a portion of it, either copied verbatim, or with modifications and/ or translated into another language. A "Secondary Section" is a named appendix or a front-matter section of the Document that deals exclusively with the relationship of the publishers or authors of the Document to the Document's overall subject (or to related matters) and contains nothing that could fall directly within that overall subject. (Thus, if the Document is in part a textbook of mathematics, a Secondary Section may not explain any mathematics.) The relationship could 35

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu be a matter of historical connection with the subject or with related matters, or of legal, commercial, philosophical, ethical or political position regarding them. The "Invariant Sections" are certain Secondary Sections whose titles are designated, as being those of Invariant Sections, in the notice that says that the Document is released under this License. If a section does not fit the above definition of Secondary then it is not allowed to be designated as Invariant. The Document may contain zero Invariant Sections. If the Document does not identify any Invariant Sections then there are none. The "Cover Texts" are certain short passages of text that are listed, as FrontCover Texts or Back-Cover Texts, in the notice that says that the Document is released under this License. A Front-Cover Text may be at most 5 words, and a Back-Cover Text may be at most 25 words. A "Transparent" copy of the Document means a machine-readable copy, represented in a format whose specification is available to the general public, that is suitable for revising the document straightforwardly with generic text editors or (for images composed of pixels) generic paint programs or (for drawings) some widely available drawing editor, and that is suitable for input to text formatters or for automatic translation to a variety of formats suitable for input to text formatters. A copy made in an otherwise Transparent file format whose markup, or absence of markup, has been arranged to thwart or discourage subsequent modification by readers is not Transparent. An image format is not Transparent if used for any substantial amount of text. A copy that is not "Transparent" is called "Opaque". Examples of suitable formats for Transparent copies include plain ASCII without markup, Texinfo input format, LaTeX input format, SGML or XML using a publicly available DTD, and standard-conforming simple HTML, PostScript or PDF designed for human modification. Examples of transparent image formats include PNG, XCF and JPG. Opaque formats include proprietary formats that can be read and edited only by proprietary word processors, SGML or XML for which the DTD and/or processing tools are not generally available, and the machine-generated HTML, PostScript or PDF produced by some word processors for output purposes only. The "Title Page" means, for a printed book, the title page itself, plus such following pages as are needed to hold, legibly, the material this License requires to appear in the title page. For works in formats which do not have any title page as such, "Title Page" means the text near the most prominent appearance of the work's title, preceding the beginning of the body of the text. A section "Entitled XYZ" means a named subunit of the Document whose title either is precisely XYZ or contains XYZ in parentheses following text that translates XYZ in another language. (Here XYZ stands for a specific section name mentioned below, such as "Acknowledgements", "Dedications", "Endorsements", or "History".) To "Preserve the Title" of such a section when you modify the Document means that it remains a section "Entitled XYZ" according to this definition. 36

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu The Document may include Warranty Disclaimers next to the notice which states that this License applies to the Document. These Warranty Disclaimers are considered to be included by reference in this License, but only as regards disclaiming warranties: any other implication that these Warranty Disclaimers may have is void and has no effect on the meaning of this License. 2. VERBATIM COPYING You may copy and distribute the Document in any medium, either commercially or noncommercially, provided that this License, the copyright notices, and the license notice saying this License applies to the Document are reproduced in all copies, and that you add no other conditions whatsoever to those of this License. You may not use technical measures to obstruct or control the reading or further copying of the copies you make or distribute. However, you may accept compensation in exchange for copies. If you distribute a large enough number of copies you must also follow the conditions in section 3. You may also lend copies, under the same conditions stated above, and you may publicly display copies. 3. COPYING IN QUANTITY If you publish printed copies (or copies in media that commonly have printed covers) of the Document, numbering more than 100, and the Document's license notice requires Cover Texts, you must enclose the copies in covers that carry, clearly and legibly, all these Cover Texts: Front-Cover Texts on the front cover, and Back-Cover Texts on the back cover. Both covers must also clearly and legibly identify you as the publisher of these copies. The front cover must present the full title with all words of the title equally prominent and visible. You may add other material on the covers in addition. Copying with changes limited to the covers, as long as they preserve the title of the Document and satisfy these conditions, can be treated as verbatim copying in other respects. If the required texts for either cover are too voluminous to fit legibly, you should put the first ones listed (as many as fit reasonably) on the actual cover, and continue the rest onto adjacent pages. If you publish or distribute Opaque copies of the Document numbering more than 100, you must either include a machine-readable Transparent copy along with each Opaque copy, or state in or with each Opaque copy a computernetwork location from which the general network-using public has access to download using public-standard network protocols a complete Transparent copy of the Document, free of added material. If you use the latter option, you must take reasonably prudent steps, when you begin distribution of Opaque copies in quantity, to ensure that this Transparent copy will remain thus accessible at the stated location until at least one year after the last time you distribute an Opaque copy (directly or through your agents or retailers) of that edition to the public. It is requested, but not required, that you contact the authors of the Document 37

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu well before redistributing any large number of copies, to give them a chance to provide you with an updated version of the Document. 4. MODIFICATIONS You may copy and distribute a Modified Version of the Document under the conditions of sections 2 and 3 above, provided that you release the Modified Version under precisely this License, with the Modified Version filling the role of the Document, thus licensing distribution and modification of the Modified Version to whoever possesses a copy of it. In addition, you must do these things in the Modified Version:

• • • •

• • •

A. Use in the Title Page (and on the covers, if any) a title distinct from that of the Document, and from those of previous versions (which should, if there were any, be listed in the History section of the Document). You may use the same title as a previous version if the original publisher of that version gives permission. B. List on the Title Page, as authors, one or more persons or entities responsible for authorship of the modifications in the Modified Version, together with at least five of the principal authors of the Document (all of its principal authors, if it has fewer than five), unless they release you from this requirement. C. State on the Title page the name of the publisher of the Modified Version, as the publisher. D. Preserve all the copyright notices of the Document. E. Add an appropriate copyright notice for your modifications adjacent to the other copyright notices. F. Include, immediately after the copyright notices, a license notice giving the public permission to use the Modified Version under the terms of this License, in the form shown in the Addendum below. G. Preserve in that license notice the full lists of Invariant Sections and required Cover Texts given in the Document's license notice. H. Include an unaltered copy of this License. I. Preserve the section Entitled "History", Preserve its Title, and add to it an item stating at least the title, year, new authors, and publisher of the Modified Version as given on the Title Page. If there is no section Entitled "History" in the Document, create one stating the title, year, authors, and publisher of the Document as given on its Title Page, then add an item describing the Modified Version as stated in the previous sentence. J. Preserve the network location, if any, given in the Document for public access to a Transparent copy of the Document, and likewise the network locations given in the Document for previous versions it was based on. These may be placed in the "History" section. You may omit a network location for a work that was published at least four years before the Document itself, or if the original publisher of the version it refers to gives permission. K. For any section Entitled "Acknowledgements" or "Dedications", Preserve the Title of the section, and preserve in the section all the 38

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu substance and tone of each of the contributor acknowledgements and/or dedications given therein. L. Preserve all the Invariant Sections of the Document, unaltered in their text and in their titles. Section numbers or the equivalent are not considered part of the section titles. M. Delete any section Entitled "Endorsements". Such a section may not be included in the Modified Version. N. Do not retitle any existing section to be Entitled "Endorsements" or to conflict in title with any Invariant Section. O. Preserve any Warranty Disclaimers.

• • •

If the Modified Version includes new front-matter sections or appendices that qualify as Secondary Sections and contain no material copied from the Document, you may at your option designate some or all of these sections as invariant. To do this, add their titles to the list of Invariant Sections in the Modified Version's license notice. These titles must be distinct from any other section titles. You may add a section Entitled "Endorsements", provided it contains nothing but endorsements of your Modified Version by various parties--for example, statements of peer review or that the text has been approved by an organization as the authoritative definition of a standard. You may add a passage of up to five words as a Front-Cover Text, and a passage of up to 25 words as a Back-Cover Text, to the end of the list of Cover Texts in the Modified Version. Only one passage of Front-Cover Text and one of Back-Cover Text may be added by (or through arrangements made by) any one entity. If the Document already includes a cover text for the same cover, previously added by you or by arrangement made by the same entity you are acting on behalf of, you may not add another; but you may replace the old one, on explicit permission from the previous publisher that added the old one. The author(s) and publisher(s) of the Document do not by this License give permission to use their names for publicity for or to assert or imply endorsement of any Modified Version. 5. COMBINING DOCUMENTS You may combine the Document with other documents released under this License, under the terms defined in section 4 above for modified versions, provided that you include in the combination all of the Invariant Sections of all of the original documents, unmodified, and list them all as Invariant Sections of your combined work in its license notice, and that you preserve all their Warranty Disclaimers. The combined work need only contain one copy of this License, and multiple identical Invariant Sections may be replaced with a single copy. If there are multiple Invariant Sections with the same name but different contents, make the title of each such section unique by adding at the end of it, in parentheses, the name of the original author or publisher of that section if known, or else a unique number. Make the same adjustment to the section titles in the list of Invariant Sections in the license notice of the combined work. 39

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu In the combination, you must combine any sections Entitled "History" in the various original documents, forming one section Entitled "History"; likewise combine any sections Entitled "Acknowledgements", and any sections Entitled "Dedications". You must delete all sections Entitled "Endorsements." 6. COLLECTIONS OF DOCUMENTS You may make a collection consisting of the Document and other documents released under this License, and replace the individual copies of this License in the various documents with a single copy that is included in the collection, provided that you follow the rules of this License for verbatim copying of each of the documents in all other respects. You may extract a single document from such a collection, and distribute it individually under this License, provided you insert a copy of this License into the extracted document, and follow this License in all other respects regarding verbatim copying of that document. 7. AGGREGATION WITH INDEPENDENT WORKS A compilation of the Document or its derivatives with other separate and independent documents or works, in or on a volume of a storage or distribution medium, is called an "aggregate" if the copyright resulting from the compilation is not used to limit the legal rights of the compilation's users beyond what the individual works permit. When the Document is included in an aggregate, this License does not apply to the other works in the aggregate which are not themselves derivative works of the Document. If the Cover Text requirement of section 3 is applicable to these copies of the Document, then if the Document is less than one half of the entire aggregate, the Document's Cover Texts may be placed on covers that bracket the Document within the aggregate, or the electronic equivalent of covers if the Document is in electronic form. Otherwise they must appear on printed covers that bracket the whole aggregate. 8. TRANSLATION Translation is considered a kind of modification, so you may distribute translations of the Document under the terms of section 4. Replacing Invariant Sections with translations requires special permission from their copyright holders, but you may include translations of some or all Invariant Sections in addition to the original versions of these Invariant Sections. You may include a translation of this License, and all the license notices in the Document, and any Warranty Disclaimers, provided that you also include the original English version of this License and the original versions of those notices and disclaimers. In case of a disagreement between the translation and the original version of this License or a notice or disclaimer, the original version will prevail. If a section in the Document is Entitled "Acknowledgements", "Dedications", or "History", the requirement (section 4) to Preserve its Title (section 1) will typically require changing the actual title.

40

Mini-curso Basico de Linux Utilizando Ubuntu 9. TERMINATION You may not copy, modify, sublicense, or distribute the Document except as expressly provided for under this License. Any other attempt to copy, modify, sublicense or distribute the Document is void, and will automatically terminate your rights under this License. However, parties who have received copies, or rights, from you under this License will not have their licenses terminated so long as such parties remain in full compliance. 10. FUTURE REVISIONS OF THIS LICENSE The Free Software Foundation may publish new, revised versions of the GNU Free Documentation License from time to time. Such new versions will be similar in spirit to the present version, but may differ in detail to address new problems or concerns. See http://www.gnu.org/copyleft/. Each version of the License is given a distinguishing version number. If the Document specifies that a particular numbered version of this License "or any later version" applies to it, you have the option of following the terms and conditions either of that specified version or of any later version that has been published (not as a draft) by the Free Software Foundation. If the Document does not specify a version number of this License, you may choose any version ever published (not as a draft) by the Free Software Foundation.

41

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful