You are on page 1of 12

Av. Pe.

Airton Freire de Lima, 81


Bairro Guanabara - Betim/MG
CEP: 32 534 368
(31) 3592.6219 • 8484.1946
proviver@gmail.com
www.provivercrianca.org.br

Informativo do Pró-Viver Ano 3 número 3 Julho de 2009

Nicole - 5 anos
Integrante da
Ginástica Olímpica

Programa Pra Viver!


Jovens aprendem jornalismo
para TV, com o apoio da
Petrobras. Pág. 4

Veja os depoimentos das


pessoas que conhecem o
Pró-Viver. Pág. 4-5

Cultura Pra Viver! Meninos


do Pró-Viver se apresentam
Pró-Viver em Pernambuco. Pág. 6-7
em números
5.000 refeiçôes servidas por mês 1.000 m2 de área construída 8 banheiros
350 famílias atendidas 1 cinema com 150 lugares 20 salas de aula
22 oficinas 1 estúdio de TV (HDV) 50 instrumentos musicais
15 empresas parceiras 1 estúdio de áudio 30 computadores
1 moderno laboratório de informática
1 sala de 80m2 para dança

Centenas de crianças protegidas e longe da violência.


EDITORIAL
Geraldo Lara

NOVOS
A Regional PTB tem aparecido frequentemente na mídia, na maioria das vezes, relacionada à violência e à
criminalidade, o que acaba criando uma imagem negativa da região e de toda sua população.
Realmente, os índices dos diagnósticos sociais realizados mostram um quadro de exclusão, mas, isso não

TEMPOS quer dizer que não tem nada de positivo. Pelo contrario esta regional e seus moradores devem se orgulhar
do lugar onde moram e lutar para serem respeitados como cidadãos.
A região do PTB apresenta baixos índices de desenvolvimento humano (IDH) e grande parte dos

PARA O moradores vive em situação de exclusão social.


O Diagnóstico da Oferta e Demanda dos Serviços Alternativos para as Crianças e Adolescentes do

PTB. Município de Betim, realizado em 2005, pela PUC MINAS/ Betim, em parceria com o Conselho Municipal de
Direitos da Criança e do Adolescente - CMDCA/ Betim, constatou que o PTB é uma das quatro regionais de
Betim em que há maior demanda de atendimento de crianças e adolescentes em serviços alternativos.
“Identificou-se que a faixa etária de maior risco social, em função de ser a que engloba o momento
da iniciação ao uso de drogas lícitas e ilícitas e a de maior risco de uma gravidez indesejada, é a que vai dos
9 aos 16 anos de idade. Do total da população de Betim em maior risco social, apenas 16,5% dos jovens
entre 6 e 17 anos são atendidos de alguma forma pelos serviços alternativos já ofertados, ou, dito de outra
forma, a rede atual deixa à margem do atendimento ofertado 83,5% desse público, ou seja, aproximada-
mente 82.320 crianças e adolescentes”.
O diagnóstico sugere que na Região do PTB somente 20% dos adolescentes recebem atendimento
em serviços alternativos (poder público, ONG’s etc), de modo que 3.902 jovens permanecem à margem do
atendimento ofertado, o que indica que há grande demanda reprimida.
Daí a importância e a necessidade da atuação de entidades como o Pró-Viver. O Programa pra Viver!,
que está sendo desenvolvido pelo Pró-Viver, com o apoio da Petrobras, vem atender parte dessa demanda
reprimida existente na Região do PTB. Serão atendidas diretamente 150 crianças e adolescentes nas ofici-
nas oferecidas e vai contribuir para a educação em direitos humanos de toda a população betinense e para
a garantia dos direitos da população infanto-juvenil do município.
No que depender da atuação do Pró-Viver, a região do PTB e seu povo só irão estampar as man-
chetes dos jornais sérios desta cidade, com boas notícias.

Vista parcial do
bairro PTB

EXPEDIENTE
Jornal Comunicando, nº 3
Pró-Viver - Projeto Vida e Verde
CNPJ: 22.734.412/0001-98
Tiragem 5.000 exemplares
Jornalista: Renata Abritta Teixeira 11504/MG -
DRT/MG 46211.007591/2006-65
Fotografia: Geraldo Lara (31-9979-0705)
Projeto Gráfico: Luciano Bonfim

2
PROGRAMA PRA VIVER!
Jovens de 12 a 18 anos da Região do PTB estão produzindo programas de televisão. O Programa
compreende aulas de jornalismo e tv, edição de áudio e vídeo, além de oficinas de musicalização.

O Programa pra Viver! é mais uma iniciativa do Pró- abordados principalmente:


Viver para a promoção do desenvolvimento humano, -a realidade das escolas, dando voz aos alunos da
com ênfase na garantia dos direitos da criança e do rede municipal e estadual de ensino público;
adolescente. O projeto conta com apoio da Petro- -CMDCA e suas instituições inscritas: entrevistando
bras, por meio da destinação de recursos ao Fundo e divulgando as ações das mais de 70 entidades e
da Infância e da Adolescência (FIA). do próprio CMDCA.
A idéia fundamental é ampliar as possibilidades -a divulgação do ECA e seus desafios na atualidade
de escolha da população atendida, conforme os -educação ambiental e em direitos humanos;
Relatórios de Desenvolvimento Humano do Pro- -música e manifestações culturais;
grama das Nações Unidas para o Desenvolvimento - -pauta social, divulgando a agenda dos eventos e
PNUD. Observando que “o termo ‘desenvolvimento informações importantes para os projetos sociais
humano’ passou a ser aceito na literatura da econo- no Município;
mia do desenvolvimento como uma expansão das -campanhas de prevenção à violação de direitos da
capacidades humanas, uma ampliação de escolhas, criança e do adolescente (contra abuso e explora-
um fortalecimento das liberdades e respeito aos ção sexual infanto-juvenil, o trabalho infantil, vio-
direitos humanos (...)”. lência doméstica etc)
São atendidas diretamente 150 crianças e adoles- -discussão de questões relevantes, como gravidez
centes em situação de risco e/ou vulnerabilidade e paternidade na adolescência, uso e abuso de dro-
social. O Programa visa à educação em direitos hu- gas, delinqüência juvenil, violência urbana. Professores e participantes
manos da população de Betim/MG, através da exi- As oficinas de capacitação em recursos audiovisuais do curso de jornalismo.

Nícolas no curso
Natália no curso
de cinegrafista.
de jornalismo.

bição e discussão de filmes e documentários para a abrangem as áreas de comunicação e jornalismo, Formação cultural: através da exibição e discussão
comunidade e da realização de programa a ser exi- fotografia, edição de áudio e vídeo, edição de fo- de filmes, e documentários para as crianças e ado-
bido quinzenalmente pela TV Betim, canal 53. tografia, operação de áudio e vídeo, designer grá- lescentes atendidos, para suas famílias e para co-
Os programas de TV são idealizados, produzidos e fico, roteirista e arte finalizador. munidade.
apresentados pelos adolescentes participarem das
oficinas de recursos audiovisuais. Os jovens foram O Programa Pra Viver! também oferece: O Programa pra Viver! é realizado no novo
selecionados em 4 escolas da região: E. M. Maria CENTRO CULTURAL do Pró-Viver, que funciona no
Mourice Granieri, E. M. Adelina Januzzi Mesquita, Educação musical: oficinas de musicalização e dan- mesmo endereço. O edifício tem dois pavimentos,
E. M. Edir Terezinha e E. E. Professora Vera Maria ça, visando ao desenvolvimento da habilidade de com 200 metros quadrados por andar, perfazendo
Rezende. Os jovens têm entre 12 e 18 anos e apren- tocar instrumentos musicais como flauta, violão, um total de 400 metros quadrados. No primeiro
dem todo o processo de produção de tv, desde a percussão, técnica vocal e expressão corporal. pavimento, há quatro salas utilizadas para estúdio
filmagem e a reportagem até a edição de imagens. de televisão, estúdio de áudio, laboratório de in-
Educação ambiental e em direitos humanos: pro- formática e sala de edição de imagens. O segundo
As produções audiovisuais são voltadas à superação moção do empoderamento dos atendidos através piso é constituído por um auditório de 200 metros
de atitudes sociais negativas, como o preconceito da educação em direitos humanos, de acordo com quadrados e uma cabine de projeção de vídeo e
e a discriminação racial, étnica, de cor, religiosa, de o Plano Nacional de Educação em Direitos Huma- som, com capacidade para 150 pessoas.
origem, de orientação sexual e de gênero. Serão nos – PNEDH/2006.

3
DEPOIMENTOS Padre Airton Freire

Eu, padre Airton Freire, fundador da Fundação Ter-


DE QUEM ra há 25 anos, conheço o projeto Pró-Viver desde
seu nascimento. Em conversa inspirada com o

CONHECE, Geraldo, foi definido como um projeto em favor


da vida e da esperança. Em favor da vida e da es-
perança o projeto tem se estabelecido e pela vida
ACREDITA E e pela esperança tem trabalhado e, assim, se man-
tido. Confio no projeto, sei da seriedade do projeto.

APOIA O Conheço o fundador Geraldo Lara, sei de sua se-


riedade, abnegação e amor aos pequenos. Almejo
ao Geraldo e ao projeto Pró-Viver todo o sucesso,
PRÓ-VIVER. toda a luz, todo o apoio, todo o reconhecimento.
É o que desejo e agradeço a Deus por Cristo o
Senhor Nosso. Amém.

Ângela Maria Carvalho Fabrício Freire Pedro Soares


Comunidade Cor&Arte Laborclínica

Conheço o trabalho desenvolvi- Quem conhece o projeto Apoiamos e participamos


do pelo Projeto desde o início e Pró-Viver desde o início do grande trabalho que o
é um prazer ver que o Pró-Viver como eu conheço, sabe Geraldão desenvolve a frente
hoje tem o seu próprio Centro da sua importância para do Pró-Viver, ajudando mui-
Cultural. Prazer maior eu sinto a comunidade e da serie- tas pessoas carentes do
em ver a importância de suas oficinas, na vida das dade e responsabilidade da sua direção. Para quem nosso Município,com muito esforço e dedicação.
crianças e adolescentes da nossa comunidade. Vi o não conhece, faça uma visita e você se surpreenderá Que Deus e o Padre Airton continuem abençoando
crescimento gradativo do Projeto e daqueles assis- com o local, com as crianças e sua história. Ali, são o seu idealismo e a sua obra assistencial.
tidos por ele. O maior benefício do Pró-Viver para acolhidas crianças que, com certeza, serão homens
seus usuários é ter dado a esses o direito de sonhar e mulheres com caráter, dignidade, honestidade e Guilherme Moreira • Diretor
sonhos passíveis de serem realizados, ajudando na uma elevada auto-estima. Geral do Jornal Mulher
formação de cidadãos conscientes de seus dire- Betim
itos e deveres, além de proporcionar que os jovens Cida • Presidente do Conselho
voem alto, contrariando a política de reprodução Municipal dos Direitos da O Pró-Viver é um dos tra-
da subalternidade alimentada ao longo dos anos. Criança e do Adolescente de balhos sociais mais impor-
Betim tantes que conheci. Nele
Maria do Céu Moutinho da Costa crianças e adolescentes em situação de vulnerabili-
Auditora Fiscal da Receita Falar do Pró-Viver é reconhecer, dade social tem a oportunidade de aprender uma
Federal do Brasil em Belo no Estatuto da Criança e do profissão, qualificar plenamente em áreas de alto
Horizonte, representante Adolescente, um instrumen- nível para o mercado de trabalho. Além de pro-
da Equipe de Educação Fis- to de promoção da vida humana e de forma mover na comunidade a paz com muita educação
cal de BH. libertadora, onde propõe coerência e solidarie- e cultura, trazendo dignidade a quem precisa. O re-
dade, transformando os desafios enfrentados no sultado de tudo isso é a redução da criminalidade
dia-a-dia em possibilidade de crescimento individual e a minimização da violência em toda região que o
Desde 2006, acompanho
e coletivo. projeto abrange. Foi por isso que o Jornal Mulher
e, dentro do possível, participo do Pró-viver, desti- Pensar no Pró-Viver é acreditar na oportunidade de
nando recurso através da renúncia fiscal - FIA, com Betim, escolheu o Pró-Viver para ajudar e estar
reflexão e transformação que é dada a cada criança sempre apoiando de várias formas. Parabéns!
a utilização da dedução dos 6% do imposto devido e adolescente no sentido de vivenciar a prática da
da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física cidadania, a convivência social, dando assim um
- DIRPF, como também, divulgando o excelente novo significado à vida de cada um.
trabalho desenvolvido pela equipe deste projeto Parabéns pelos princípios de liberdade, democra-
social de Betim. Os resultados do Pró-viver trazem cia, ética e responsabilidade.
à tona o verdadeiro trabalho do terceiro setor, com- O Pró-Viver é exemplo de parceria e de sucesso na
prometido com o resgate de vidas e, a possibilidade busca incessante de promoção e desenvolvimento
de construirmos uma cidade mais justa. das relações sociais com a sociedade civil e o governo.

Luciana D’Elboux • gerente corpora- Maria de Fátima Ocani Rosa


tiva de Comunicação, Marketing PETROBRAS
e Responsabilidade Social da Plas-
car. O Pró-Viver é um pro-
jeto que sempre nos sur-
O projeto Pró-Viver vem ao encon- preende pela capacidade
de levar o melhor para as Sandra Angélica, Inês (UFMG) e Luciana (Pró-Viver)
tro das políticas de responsabili-
dade social adotadas pela Plascar crianças e adolescentes, Sandra Angélica Castro Gomes
que priorizam o desenvolvimento em termos de formação Secretária Adjunta de Educação
das pessoas por meio da educação e da cidadania. cidadã e artística, desempenhando um importante
A preocupação do Pró-Viver em formar cidadãos papel na formação destes jovens. Eles demonstram “O trabalho desenvolvido pelo Pró-viver é uma
de bem, reduzindo os riscos sociais a que estão confiança ao lado de habilidades e conhecimentos referência para a consolidação da escola integral
sujeitos, e oferecer-lhes a oportunidade de cresci- que se ampliam a cada dia, sem perder o sorriso que estamos implantando em Betim, que é o pro-
mento pessoal e profissional, está sintonizada com inocente e terno com que sempre nos brindam. Cer- grama Escola da Gente. No Pró-viver, o trabalho é
os valores da Plascar. Temos orgulho desta parceria tamente, a realidade em que vivem muitos deles diferenciado. A preocupação não é apenas com o
pois sabemos que o projeto gera vidas mais felizes não daria motivo para alegrias, mas o Pró-Viver tem simples ensinamento de atividades, mas com a
e realizadas. A Plascar sempre contribuirá com o oferecido e desempenhado com maestria seu pa- qualidade e seriedade com que é repassado aos
Pró-Viver naquilo que nos for possível, porque pel de proteger a infância e adolescência, gerando alunos. O mais importante é que tudo isso é cer-
acreditamos que iniciativas como esta nos oportunidades de crescimento e descobertas, po- cado de muita afetividade, um dos principais ingre-
conduzirão a uma sociedade mais justa e humana. tencializando o melhor de seu público-alvo. dientes para uma boa formação do ser humano.”

4
Ivair Nogueira Gilvan Lima Barros • Analista
Deputado Estadual de Recursos Humanos Neu-
mayer Tekfor
Eu apoio o projeto porque
acredito que seja impor- A Neumayer Tekfor Auto-
tante para a cidadania em motive Brasil é parceira do
Pró-Viver há cerca de dois
Betim. As oficinas e cursos Maria do Carmo Lara
anos. Colaboramos com a
de capacitação oferecidos doação de computadores Prefeita de Betim
permitem que os jovens de regiões carentes da e ajuda financeira, disponibilizada por meio do Fia
cidade não fiquem ociosos nas ruas e tenham a - Fundo da Infância e da Adolescência. Nossa inten-
chance de um futuro próspero. A ONG tem como ção é contribuir com a melhoria da qualidade de Eu conheço o
presidente Geraldão, um homem que vem vida dos moradores da região na qual a empresa Pró-viver desde
demonstrando, ao longo dos anos, que busca está instalada. É fundamental estar em parceria
seu nascimento.
inserção social. Hoje, nós temos exemplos do com a comunidade e acreditamos que ao lado do
Pró-Viver investindo na música e na dança, os Pró-Viver, é mais fácil alcançar esse objetivo. É uma entidade séria, uma ONG séria, que faz um
resultados são eficazes.” trabalho nessa linha de prevenção na periferia da
Natália Andrade Guimarães, cidade, num local onde não tem muita opção de
Léia Nogueira Integrante lazer, nem diversão ou entretenimento. Faz o tra-
Diretora da Tv Betim balho de socialização e de geração de renda com
É importante pra mim. Mu- as famílias, trabalha como um todo a criança e a
dou totalmente minha vida.
Eu tive a honra de ver o Eu gostaria muito de fazer família. Acho que o Pró-Viver realmente tem a ver. É
projeto Pró-Viver nascer cursos e, quando vim pra cá, trabalhar a vida. E a vida de pessoas que merecem
no inicio de 2001. E é tão participei de muitas ofici- ser cidadãs. O local em que o Pró-Viver está local-
bom quando vemos um nas. Hoje, a que eu mais me izado é um local muito importante, é a periferia da
projeto desta enverga- destaquei foi na oficina de judô, eu já passei pra cidade e oferece grandes oportunidades a crianças
dura nascer, crescer e dar faixa cinza. Além de ser muito importante pra mim e jovens que, às vezes, não teriam outra opção se o
frutos como tem dado. Frutos de amor, de fraterni- tem pessoas com as quais criei vínculos. Eu acho
Pró-Viver não estivesse lá.
dade, de solidariedade e tantas outras bênçãos que que se eu ganhasse na Mega-Sena eu ia ajudar
a comunidade tem recebido deste grande projeto. aqui, não ia pensar em outra coisa não.”
Que Deus abençoe a todos que estão a frente do
projeto, de todos os parceiros, que também temos 5.000
a honra de ser. Pedro Henrique de L. Cordeiro
Integrante refeiçôes servidas por mês
350
Celso Moretti Pra mim, o Pró-Viver sig- famílias atendidas
Músico nifica muito porque aqui
eu tenho acesso a coisas
22
que eu sempre quis, mas oficinas
Quem conheceu as instala-
nunca tive condições de 15
ções do Pró-Viver no seu iní- pagar, e também é um lu-
cio e quem não conhecia o empresas parceiras
gar onde eu posso passar meu tempo, aprender
Geraldão, com certeza duvi- coisas boas. Pra mim, o Pró-Viver é um ótimo lu-
daria do futuro deste grande trabalho social. Não é gar. Agora, eu trabalho aqui, de manhã, como es- 1.000
este o meu caso, pois conhecia o Projeto Pró-Viver tagiário, e, à tarde, eu faço as minhas aulas. Ainda m2 de área construída
ganho um dinheiro que me ajuda. Faço compra lá
e conhecia também o seu condutor e tinha con- pra casa e ajudo no aluguel.
1
vicção de que ia dar certo. Hoje o Pró-Viver é uma cinema com 150 lugares
realidade, é uma atitude somada às várias ações Alejandro Solis 1
que resultam em um exemplo de como se deve Superintendente da Comau estúdio de TV (HDV)
Mercosul
trabalhar com o “social” tendo uma visão ampliada, 1
abrangendo do indivíduo a comunidade. Mesmo “Optamos por beneficiar o estúdio de áudio
conhecendo o Projeto e o seu timoneiro, ainda sou Pró-Viver devido ao envolvi- 1
surpreendido positivamente. mento social dos projetos da
ONG, que contribuem para moderno laboratório de informática
Eu tive a honra de participar do CD “ECA’NTADO”
mudar a realidade de cente- 1
com a música “Mudar o mundo” que compus es- nas de crianças e adolescentes da periferia de Betim. sala de 80m2 para dança
pecialmente para esse fim, e que me trouxe um A Comau acredita em iniciativas que investem na
indescritível prazer, pois gravei ao lado de alguns
8
cultura e educação, em busca de um futuro melhor
garotos do Projeto e isso enriqueceu muito o meu para jovens carentes. Para nós é gratificante fazer banheiros
currículo musical. Desejo longevidade a este bom parte deste projeto e ver resultados positivos na 20
comunidade onde atuamos.” salas de aula
exemplo de formação de futuros cidadãos betin-
enses no exercício da honestidade e da abertura de 50
oportunidades de conhecimentos e respeito. Anderson Roberto Miranda instrumentos musicais
Apoiador 30
Miracy Santos Batista computadores
Comunidade O Pró-Viver demonstra uma vocação para o auxílio
humano. O reconhecimento do trabalho que é de-
O Pró-viver é um lugar senvolvido em prol de crianças é que me faz crer
muito bom, que tira os jo- que vale a pena ajudar. Essa idéia vem ao encontro Centenas
vens da rua. Para minha da consciência e da necessidade de nos tornarmos
filha, principalmente, foi homens de bem na melhor acepção da palavra, de crianças
muito bom, ela era muito agindo de forma transparente e ética em favor do
vergonhosa e, hoje, é mais desinibida. Ela adora as próximo.
protegidas e longe da
oficinas de canto, ginástica olímpica, as aulas de
jornalismo e samba de coco. Eu vejo muita diferença
violência.
nos meninos que chegam. Tem menino aqui que
consertou muito, se deixar, eles ficam aqui o dia in-
teiro, longe das ruas, longe das drogas e das más
companhias. Então é muito importante para eles e
Pró-Viver
para a comunidade toda. em números
5
Comunidade de vida do Pe. Airton Freire
CARAVANA
TERRA DOS ALTO
DE BELEZAS SOBER
NOVA ROMA DE BRAV
PERNAMBUCO

PRÓ-VIVER EM PERNAMBUCO.

A VIAGEM
A comitiva formada por 22 pessoas, sendo 18 cri-
anças e adolescentes e 4 adultos, embarcou no dia
21 de junho no Aeroporto de Confins. A primeira
experiência nova foi voar. “Andar de avião foi muito
bom, encontramos o Gilberto Gil no aeroporto
e tiramos fotos com ele”, recorda Gabriel Pereira
Coelho. Depois de uma escala em Salvador, o grupo
aterrissou em Recife, de onde partiu para a cidade
de Arcoverde, de ônibus.

A segunda experiência marcante foi conhecer a


“Rua do Lixo”. O lixo produzido na cidade era joga-
Beatiz fazendo check-in do no local e os moradores se alimentavam desses
dejetos. Depois da atuação de Padre Airton Freire, a
situação foi amenizada. “As pessoas tinham lixo para
comer e para não morrer de fome, agora as pessoas
usam o lixo para fazer reciclagem, comida e acesso
à educação elas tem”, conta Geraldo Magela Lara,
fundador do Pró-Viver.
A alegria das pessoas da rua, apesar da situação
de pobreza, chamou atenção dos meninos do Pró-
Viver. “Eu achei interessante a cultura e a humildade
Aeroporto de Guararapes das pessoas da Rua do lixo, onde funciona a Funda-
Aeroporto de Confins
ção Terra do Padre Airton. É um lugar onde antes
era tudo lixo, até o Padre fazer a Fundação que
melhorou a vida deles”, explica Marcos Cardoso.

Os meninos e meinas do Pró-Viver presenci-


aram as manifestações culturais de Pernambuco: o
São João de Arcoverde, o segundo mais movimen-
tado do estado. Eles também fizeram duas apre-
sentações com grupos de samba de coco. “Fizemos
apresentações com o grupo Quebra Coco Aliança,
e o Coco Raízes de Arco Verde, o grupo que resga-
tou a cultura do samba de coco na região”, conta
Henrique.

Dentro do
avião

Cabine do
avião
PRA VIVER
LTOS COQUEIROS!
BERBO ESTENDAL!
RAVOS GUERREIROS!
UCO, IMORTAL!
Ilha de Itamaracá. Meninos do Pró-Viver entram no mar pela primeira vez.

Galpão de
A comitiva também passou por Caruaru, onde ensaio do
conheceu a história de Mestre Vitalino. “Conhece- Coco Raízes.
mos o filho do mestre Vitalino e a casa dele”, relem-
bra Beatriz Roque, de 11 anos. Antes de retornar, a
turma conheceu a Ilha de Itamaracá. Para muitos Gilberto Gil
deles, esse foi o primeiro contato com o mar. recebe o CD
ÉCAntado.
Os meninos do Pró-Viver desembarcaram
em Belo Horizonte, no dia 30 e foram recepcionados
pelos pais no aeroporto com faixas e cartazes com
Apresentação com o Grupo Coco
os dizeres: “Nós te amamos” e “Sejam bem-vindos”. raízes de Arcoverde.
Na bagagem, além de presentes, eles trouxeram
muito aprendizado. Ítalo
Calixto
“Eu aprendi que o pessoal de Pernambuco é bastante
humilde, mas, apesar de não terem muita coisa, eles
vivem com alegria. Tem muita pobreza mas as pes-
soas são muito felizes e vivem felizes com o que
fazem”, declarou Maria José, uma das integrantes
da comitiva. “Eu achei muito bom porque nós não
temos muitas oportunidades de estar indo para
outros lugares como Pernambuco”, afirmou Beatriz.

Esse é o ideal do Pró-Viver, nas palavras de Geraldo


Magela Lara: “Dar oportunidades, para que através Rua do Lixo
dessas oportunidades, esses meninos sejam su- (Arco Verde-PE)
jeitos autônomos de direito e possam, ao longo de
sua vida, saber optar pelo sim e pelo não, naquilo
que lhes convém e naquilo que não lhes convém. A
diferença entre as pessoas de classe média alta e as
pessoas da periferia é apenas o número de oportu-
nidades, no mais são todas iguais”.

Agradecemos às empresas: Incentivare Brasil Via-


gem e Turismo, My bus (Pernambuco), Angel Tour
(Betim), às pessoas: Mariângela Prado, Lula e Marga-
rete Malta, Adilma e Maria do Carmo Lara e às famí-
lias por todo apoio e empenho pra que essa viagem
acontecesse.

Rua do Lixo
(Arco Verde-PE)
Retorno da Viagem
CULTURA PRA VIVER!
VITALINO PEREIRA DOS SANTOS, 100 ANOS, O MESTRE.
Vitalino Pereira dos Santos nasceu em 1909. Ele era ainda um menino, quando, apareceu na famosa
feira de artesanato de Caruaru, em Alto do Moura, cidade pernambucana a poucos quilômetros de Recife.
Filho de pai lavrador e mãe artesã, tinha uma imaginação tão fértil quanto o massapê. Para se distrair, o
pequeno Vitalino ganhava da mãe sobras de barro que ele utilizava para modelar animais, bonecos e
pratinhos. Ele acompanhava os pais à feira, onde vendia seus brinquedos.
Na década de 30, com 20 anos de idade, Vitalino fez suas primeiras figuras humanas de barro. Eram
cangaceiros e soldados, retratos da cultura local da época. O talento e a criatividade das obras
transformaram Vitalino em mestre.
Entre as peças mais famosas estão retirantes, padres, casa da farinha,
terno de zabumba, cenas de batizados, casamentos e vaquejadas e ainda
banda de pífanos. Ele também fez obras sob encomenda como dentistas,
médicos e advogados.
Depois de ficar conhecida em Caruaru e em Pernambuco, a obra de
Mestre Vitalino ultrapassou fronteiras e, na década de 40, foi divulgada no Rio
de Janeiro, irradiando-se para todo o País.
O mestre faleceu em 1963, deixando para os filhos, Severino e Amaro, uma
herança: talento para continuar recriando no barro os personagens do mun-
do nordestino.
Hoje, as obras de mestre Vitalino são peças de museus e coleções par-
ticulares de estudiosos do folclore, símbolo da arte popular. Uma arte figura-
Mestre Vitalino
tivista, de apelo ao imaginário do povo.

Meninos do Pró-Viver diante


da placa comemorativa dos
100 anos do Mestre Vitalino.

Casa onde
viveu Mestre
Vitalino, hoje
Museu.

Severino. Filho do Mestre Vitalino


Vitalino Neto.
Neto do Mestre Vitalino

Portal de entrada
do Alto do Moura
(Caruaru-PE).

8
SAIBA MAIS SOBRE A CULTURA
DE PERNAMBUCO

MESTRE Mestre Nado


tocando

NADO
bum d’água.

Aguinaldo da Silva, o Mestre Nado, nasceu


em Olinda, PE. Oleiro de profissão, dedicava-se à
fabricação da quartinha de barro. Numa ocasião, ele
tentava transformar a quartinha em apito e acabou
descobrindo a ocarina. Foi o primeiro passo para
que Nado utilizasse o barro para criar instrumentos
de sopro.
Depois de descobrir a ocarina, o mestre pas-
sou a pesquisar a fundo, experimentar formas e
arriscar sonoridades, criando não somente instru-
mentos musicais, mas também uma obra de arte
inédita, inspirada em formas da natureza. Surgiram
novos instrumentos: Flautas Nado (hoje com sete
versões diferentes), os Maracas, o Raco-raco e o
Bum D’água.
O interesse pela música levou o escultor
a ser também compositor. Nado começou a fazer
cirandas e outras canções que eram executadas
em suas criações. O talento de mestre das ocarinas
Mestre Nado acabou sendo descoberto e ficou famoso no Brasil
tocando ocarina. e em vários países. Os instrumentos já foram usa-
dos nas performances de Milton Nascimento, Ney
Matogrosso e dos pernambucanos Antônio Carlos
Nóbrega e Antúlio Madureira. As obras foram ex-
“O grande desafio sempre foi, e continuará sendo, a gente se portadas para Alemanha, França e Itália.
Os filhos do Mestre aprenderam a profissão e
manter firme no que sabe fazer. Faz porque gosta, e gosta porque a família criou uma banda musical batizada de “Som
faz, fazendo e aprendendo, querendo aprender mais.” do Barro”. Hoje o grupo tem presença obrigatória
em vários movimentos culturais do estado pernam-
Mestre Nado bucano e Mestre Nado dá continuidade à sua obra
ensinando a arte de manusear a argila.

OFICINA DE aprofundam o conhecimento sobre a rica cultu-


ra pernambucana. Inspirado em Mestre Nado, o
co. Na hora, houve o interesse de fazer o curso:
“tem todos os elementos que ele usa pra passar

CERÂMICA Pró-Viver, hoje, ensina as crianças a trabalharem o


som no barro. O professor de cerâmica conta que
a música, o som pro instrumento”, explica Sérgio.
O ceramista fez o curso com Mestre Nado e, hoje,

NO PRÓ-VIVER conheceu o trabalho numa viagem a Pernambu- ensina a arte para crianças e jovens do PTB.

Entre as várias oficinas oferecidas pelo Pró-Viver


estão as de Cerâmica, Ciranda e Samba de coco.
A relação entre o artesanato e a música é muito
mais estreita do que se pode imaginar. Prova disso
Ocarina e flautas
são as obras de Mestre Nado, que extrai som do de barro
barro. Ou ainda, as peças produzidas por Mestre
Vitalino, que reproduzem bandas de pífanos e
outras manifestações culturais. Por meio das ofi-
cinas realizadas no Pró-Viver, crianças e jovens

9
FERNANDA MENDES DE CARVALHO ADELSON COELHO
Fernanda Mendes de Carvalho é
E N T R E V I S TA S Adelson Coelho é bailarino e
Bióloga, com atuação na área de arte coreógrafo com formação nas danças
e educação. Já esteve no Pró-Viver en- Clássica, Contemporânea e de Salão.
tre maio e julho de 2007. Neste mes- Já atuou em várias companhias de Mi-
mo ano, como dançarina, participou nas Gerais e de Pernambuco. Ele está
de festivais Internacionais de Folclore no Pró-Viver desde o início deste ano.
na Holanda e Bélgica. Desde janeiro
de 2009, ela está de volta ao projeto.
O que você faz no Pró-Viver?
Sou professor de dança.
O que você faz no Pró-Viver?
Sou professora de danças populares Como é a relação com as crianças?
brasileiras.
Uma relação de amizade, parceria e
aprendizado. É uma constante troca.
Como é a relação com as crianças?
É uma relação harmoniosa. Sou muito
exigente em sala de aula, porque Como você observa o desenvolvimento das
disciplina e concentração são funda- crianças atendidas?
mentais para o desenvolvimento do Minha oficina ainda é muito recente
aprendizado em dança. no projeto. Estamos no início de um
processo, mas a expectativa é grande,
Como você observa o desenvolvimento das crianças atendidas? baseada no que já tive acesso e na
A oficina auxilia no desenvolvimento da responsabilidade, atenção e auto-estima, características que vontade de aprender que os alunos
auxiliam no trabalho diário do comprometimento e envolvimento das crianças com os valores e respeito
demonstram.
ao outro indivíduo e ao meio ambiente. Permite estabelecer um diálogo entre a prática cultural a prática
socioambiental, mostrando que cada um pode fazer diferença no mundo.
Quais os benefícios das oficinas?
Quais os benefícios das oficinas? São vários benefícios. Na parte física, os alunos têm
Contribui para a educação e formação de cidadãos mais conscientes de sua cultura, de suas origens, contato com alongamento, relaxamento, reeduca-
proporcionando o diálogo com a questão ambiental e a formação de opiniões acerca das diferentes mani- ção corporal, postura, etc. Do ponto de vista socio-
festações brasileiras. Desenvolve e incentiva a prática cultural oferecendo novas oportunidades e auxilia- educativo, as oficinas ajudam na educação, disci-
ndo no processo de construção cidadã. plina, respeito e socialização.

Qual é a importância desse projeto?


Qual é a importância desse projeto?
É importante porque auxilia no desenvolvimento de atividades culturais que contribuem para o resgate
É importante por tudo que ele proporciona. Pela
e construção de sonhos, afinal quando lidamos com “pessoas em desenvolvimento”, que buscam a com-
preensão de si mesmas e de suas relações com as outras pessoas e grupos, principalmente suas famílias e oportunidade que oferece a crianças e jovens em
comunidade, é preciso estar comprometidos com processos educativos para a socialização e a promoção situação de vulnerabilidade social. Reconhecendo
social cidadã e a cultura da paz, com a formação de protagonistas juvenis co-responsáveis por mudanças que a educação, a arte, o esporte e muito carinho
efetivas na vida pessoal e coletiva. são células de transformação para um mundo
melhor, com cidadãos esclarecidos e mais felizes.

Comau, Puc-Minas, Assin (CEMIG), Neumayer Tekfor, IPA e Pró-Viver,


Parcerias em favor da vida e do bem estar social.

Parceria possibilita a realização de cursos de informática básica e manutenção de Kennedy

computadores para os jovens do PTB.


As empresas Comau, Puc-Minas, Assin (CEMIG) e excelente, não tem outra igual. Os alunos vão poder
Neumayer Tekfor, IPA e o Pró-Viver, fizeram uma aproveitar bastante”, avalia o professor de informáti-
parceria por meio do Fia - Fundo da Infância e da Ado- ca, Luiz Henrique Diniz Souza.
lescência. Sérgio Almeida de Jesus, de 17 anos, morador do
Os recursos repassados pelas empresas são uti- bairro Vila Kennedy, já fez sua inscrição no curso de
Informática Básica. Ele considera a oportunidade
lizados nas áreas de tecnologia e informática. O
muito interessante. “Vou precisar para trabalhar.
Pró-Viver, hoje, tem um novo espaço para aulas
Isso pode dar um bom resultado no nosso futuro”,
de computação com máquinas de última geração afirmou.
e professores remunerados. Os computadores re- O objetivo desta parceria é contribuir com a melho-
cebidos são usados nas aulas de Montagem e Ma- ria da qualidade de vida dos moradores da região
nutenção. Já estão fechadas duas turmas de 10 alu- na qual a empresa está instalada. Segundo Gilvan
nos, com início das aulas previsto para o início de Lima Barros, analista de Recursos Humanos, é fun-
agosto. damental “estar em parceria com a comunidade”.
Para Geraldo Magela Lara, fundador do Pró-Viver,
A partir de agora, o Pró-Viver também vai oferecer esta contribuição é benvinda e necessária. “A im-
portância das empresas se responsabilizarem pela Stephany
curso de informática básica. Os alunos vão ser
capacitados a utilizar Windows, Word, Power Point, comunidade em seu entorno, contribuindo com o
Excel e Internet. Serão atendidos 60 jovens, dividi- Pró-Viver, é um ato concreto de responsabilidade
dos em 4 turmas. As aulas começam no mês de social e este ato é transformador”, avalia. Os for-
mandos receberão certificado da Puc-Minas, com o
agosto e a idéia é que, em seguida, sejam oferta-
apoio do curso de Sistemas de Informação, através
dos cursos avançados. “A estrutura do Pró-Viver é
do professor Sandro Laudares.

10
ESPORTE PRA
VIVER
INTEGRANTES DO
PRÓ-VIVER CONQUISTAM
MEDALHAS EM
COMPETIÇÕES

KARATÊ
Raphaela Barreto Silva, de 15 anos, participou da terceira etapa do
Campeonato Mineiro de Karatê Inter-estilos, realizada no Ginásio Po-
liesportivo Divino Braga, na primeira semana de julho. A jovem, que
faz oficina de karatê no Pró-Viver, com o Mestre Kim, conquistou duas
medalhas: uma de prata (kata) e uma de bronze (Faixa Laranja). A disputa
reuniu 400 atletas de 111 cidades de Minas Gerais. Raphaela é moradora
do Bairro Kennedy e participou pela primeira vez de uma competição. “Foi
uma ótima experiência, quero participar de todos os campeonatos que
eu puder”, afirmou. O sonho da integrante do Pró-Viver é ser uma atleta
olímpica.

GINÁSTICA RÍTMICA
A pequena Nicoly Paula, de 8 anos, começou a fazer ginástica rítmica no Pró-Viver há poucos
meses, e já se destacou no torneio estadual de ginástica artística realizada no Sesi Betim, no
ENTREVISTA COM NICOLY
dia 11 de julho. Ela conquistou a medalha de bronze. Outras duas integrantes do Pró-Viver,
Qual foi a sensação antes de sua
Luciana e Roberta, também ganharam medalhas, para alegria dos professores Ludmila Bonfim apresentação?
e Ricardo Alcântara. Muito medo de errar.

Sonho Esportivo
Fiquei muito nervosa.

E depois de ganhar a medalha, o que


você sentiu?
PTB poderá abrigar um dos mais completos centros Esportivos de Betim Uma sensação muito boa de felicidade.
O sonho de construir um Centro Esportivo no PTB é antigo. O projeto está quase pronto e, em breve, vai sair
do papel para se tornar realidade e atender centenas de jovens de uma das regiões mais carentes de Betim. E o que mudou pra você depois que
entrou no Pró-Viver ?
O Centro Esportivo vai contar com quadra de futebol, piscina semi-olímpica, arquibancadas, vestiários e
Eu sempre tive vontade de fazer a Ginástica
academia de ginástica. Artística, mas nunca tive oportunidade e
O Programa recebeu o nome de “Esporte Pra Viver” e vai oferecer uma série de atividades esportivas para condições para praticar essa modalidade em
crianças e adolescentes da comunidade. “O Centro terá capacidade para abrigar aulas de futebol, natação, outro lugar, e com o Pró-Viver, e, agora, que
vôlei, handebol, ginástica olímpica, karatê, judô, capoeira, entre outras”, explica Geraldo Lara, idealizador faço, busco sempre o meu melhor.
do projeto. O local ainda poderá sediar campeonatos de várias modalidades.
O projeto arquitetônico já está sendo elaborado gratuitamente pela Formato Arquitetura, e assim oferecerá
mais conforto e aproveitamento do espaço físico. A previsão é de que, após o início das obras o Centro
Esportivo seja concluído em dois anos, e entregue aos moradores do PTB. O terreno será doado pela
Prefeitura de Betim, através da Prefeita Maria do Carmo Lara e os recursos para construção da obra virão
através da Lei do Incentivo ao Esporte.

11
MENINOS DO PRÓ-VIVER FAZEM COBERTURA
JORNALÍSTICA DO MUNDIAL DE VÔLEI FEMININO
Pedro, Cleurí, Nicolas, Gabriel e Henrique, foram escalados para fazer a
cobertura em vídeo da fase classificatória para o mundial de vôlei feminino,
Cleurí
que aconteceu em Betim, no Ginásio Poliesportivo Divino Braga, nos dias 24
a 26 de julho.
“A possibilidade desses adolescentes acompanharem a imprensa nacional
e internacional e de estar no meio deles observando e aprendendo como
fazer uma cobertura para TV é, por si só, uma grande experiência” conta o
presidente do Pró-Viver, Geraldo Lara.
Para Henrique Souza de 15 anos: “aprender cinegrafia foi uma oportunidade
única de estar perto das jogadoras e ao mesmo tempo de praticar com re-
sponsabilidade o que aprendemos no projeto”.
O Brasil se classificou em primeiro lugar numa final relativamente fácil con-
tra a seleção do Peru, por 3x0 (sets).
É o acesso ao lazer, ao esporte e à profissionalização, transformando a vida
dos adolescentes do Pró-Viver.
Pedro
As imagens e entrevistas serão utilizadas no Programa Prá-Viver!, no quadro
intitulado “Esporte Pra-Viver”, que será exibido pela TV Betim, em breve. Sassá
Aguardem!
Henrique

Cleurí

Pedro

Seleção
Brasileiira

Ginásio Poliesportivo Divino Braga

(31) 3222-4402

Patrocínio

EMPRESAS E ENTIDADES PARCEIRAS DO PRÓ-VIVER