You are on page 1of 7

10/13/2007

Introdução ao Sistema Nervoso Periférico SNP
Profa. Camila Figueirêdo Profa. Salvador, 2007

SNC (cérebro e ME) ↓ Fibras aferentes Fibras eferentes

SNA Somático – JNM

SNP

Como se faz essa comunicação comunicação? ?
Detecção de sinal Dendritos Corpo celular Corpo celular

A Sinapse

Nodo de Ranvier Bainha de mielina

Axônio

Direção do sinal

Célula de Schwann

Núcleo

Núcleo Nodos de Ranvier Bainha de mielina Sinapses Célula de Schwann

• Os neurônios usam neurotransmissorespar a se comunicar

Potencial de ação
etapa de repouso

Neurotransmissão – sequência de eventos

• O potencial de ação
Potencial de repouso

etapa de despolarização etapa de hiperpolarização
Potencial de ação

Polaridade Interior do axônio Membrana do axônio Distribuição de íons Íons orgânicos negativos Direção do impulso

Um potencial de ação chega ao terminal Abertura dos canais de Ca2+ F ã d Fusão das vesículas í l c/ / a membrana pré présináptica Transmissor liberado na fenda sináptica Ligação com receptores póspós -sinápticos

1

10/13/2007 SNA JNM Sistema Nervoso Autônomo Independente de controle voluntário Regula processos como: contração e relaxamento músculos lisos batimento cardíaco secreção hormônios processos metabólicos glicose Sistema Nervoso Autônomo SN SIMPÁTICO Luta e Fuga SN PARASSIMPÁTICO Repouso e digestão 2 .

Nicot órgãos sex Inervação seletiva SE Somático ACh Sistema nervoso colinérgico Os gânglios simpáticos e parassimpáticos não podem ser diferenciados farmacologicamente Fibras p prépré -g ganglionares g colinérgicas Sistema nervoso parassimpático (cont.C.) • Receptores nicotínicos (NN.Receptores SNC Rec. β ) Rec.10/13/2007 Ações dos SN SIMPÁTICO vs SN PARASSIMPÁTICO Midríase ↑ F.C. ↓ contratilidade Sistema Nervoso Periférico . Nicot ACh Ações opostas Olhos Rec. Adren Rec (α . Musc ACh SNP M2 pré ACh M2 pré M2 pré Nor Ações semelhantes ou sinérgicas glândulas (salivar) α2 pré SNS (+) secreção (+) ejaculação (+) secreção (+) ereção Rec. ↑ contratilidade Miose ↓ F.M) 3 . Nicot Rec.

) • Localização de receptores M1-5 4 .) • Receptores muscarínicos (M1-3) Sistema nervoso parassimpático (cont.M) As drogas podem agir acentuando ou boqueando a transmissão Podem interferir com a síntese e o armazenamento de colina Não existe droga que inibe a acetilcolina transferase Drogas colinomiméticas impedem a formação de Ach e seu armazenamento Drogas bloqueadoras do sistema de transporte de colina Bloqueadoras ganglionares – bloqueiam toda a transmissão – primeiros agentes AD Sistema nervoso parassimpático (cont.10/13/2007 As drogas e a transmissão gangliônica Sistema nervoso somático • Receptores nicotínicos (NN.

10/13/2007 Síntese de catecolaminas Sistema nervoso simpático Principais NT : Noradrenalina Adrenalina Sistema nervoso simpático • Receptores adrenérgicos pós pós-ganglionares prépré-sinápticos Sistema nervoso simpático (cont.) • Receptores adrenérgicos pós pós-ganglionares póspós-sinápticos 5 .

simpaticomiméticas.10/13/2007 Terminal adrenérgico. agonistas Inibidoras da incorporação (recaptação recaptação) ) ou da MAO D Drogas que interferem i t f com o acúmulo ú l de d noradrenalina nas vesículas Drogas que impedem a liberação das vesículas Sistema não colinérgico e não adrenérgico (NANC) CoCo -transmissores Não se sabe muito bem os NT envolvidos NO sugerido como sendo um desses NT: Pênis Pulmão P l ã Não possuem como função primária a neurotransmissão Função moduladora E ATP Ex: ATP. substancia b t i P. P etc t 6 . gránulos secretorios de NE As drogas e o SNS Drogas simpaticomiméticas.

Farmacologia Integrada. 2004. Penildon. 7 ed. J G. M.. 9 ed. M. P. [3]. Farmacologia. [4] Page e Curtis et al.10/13/2007 Classificação das drogas autonômicas Bibliografia [1]. 1997. Rio de Janeiro.. ed. G. GrahameGrahame-Smith e Aronson. 7 . [3] J. 7ed. Manole. 2004. [5] H. Rio de janeiro 2006. Rio de Janeiro. New York/Rio de Janeiro.. 1998. Norwalk. São Paulo. 1996. 3 ed. [6] B. 2 ed.. Farmacologia. 3 ed. Basic and Clinical Pharmacology. Appleton and Lange.. Bases Farmacológicas da Prática Médica . Rang. Guanabara Koogan. Tratado de Farmacologia Clínica e Farmacoterapêutica. Silva. [7] Artigos científicos relacionados ao tema. McGrawMcGrawHill/Guanabara Koogan. Ritter.Goodman e Gilman. G Hardman et al. Dale e J. Guanabara Koogan. Katzung. Guanabara Koogan. [2]. M.