You are on page 1of 3

Curso: Anual Noturno Disciplina: Direitos Difusos Professor: Guilherme Madeira Data: 12.08.

2011 Twiter professor: @madeiradez - professormadeira.com Civil ECA Ato infracional Crimes 1 – istemas le!islati"os de prote#$o da inf%ncia (Sistema internacional) a. istema !eral Sistemas internacionais de proteção da inf ncia a!. "eclaração #niversal dos direitos do $omem % !&'( a). *acto internacional so+re os direitos civis e pol,ticos % !&-&. istemas espec'ficos São os sistemas internacionais .#e c#idam especificamente da criança. +.! "eclaração de /ene+ra o# Carta da 0i1a so+re a Criança % !&)' (!2 declaração internacional .#e c#ida especificamente da criança). +.). Convenção so+re os direitos da criança % !&(& % 3 o tratado com maior n4mero de ratificaç5es 67 feitas at3 $o6e. 2 – (ases da inf%ncia e da )u"entude no *rasil 8 +aseado na o+ra do prof. *a#lo Afonso /arrido de *a#la. !2 9ase: (ase da a&soluta indiferen#a )2 9ase: (ase da mera imputa#$o criminal 8 a fase das ordenaç5es: do c;di1o criminal do imp3rio de !(<= e do C;di1o *enal de !(&=. A.#i se c#ida da criança e adolescente como praticante de crime. >ão $avia a definição de ato infracional. <2 9ase: (ase +utelar 9ase do C;di1o ?ello ?atos de !&)@ e do anti1o C;di1o de ?enores de !&@&. '2 9ase (at#al): (ase da prote#$o inte!ral (fase do ECA) Aten#$o 1: *revisão constit#cional so+re inf ncia e 6#vent#de: C9: arti1os: -A: )': BC: )=<: )=(: DC e ))@. 1

))@: C9 incl#indo o 6ovem) % 6ovem 3 a pessoa entre !G e )& anos.#e a capacidade civil não afeta as re1ras do ECA (caso de emancipação). )A: *ar. !==: par.-&)H=( . Adoção do maior de !( e menor de )! anos 3 re1ida pelo ECA se 67 estava na 1#arda do adotante.1ico e não de capacidade civil. Essa faiIa et7ria tam+3m est7 no *0 )@H)==@: . .– . Celso de ?ello: ))H!!H=G: >ão eIiste reserva do poss. c) EIiste a lei !!.#e $a6a eIpressa previsão le1al e car7ter eIcepcional % art. Aten#$o . )A).: "#as medidas aplic7veis ao maior de !( e menor de )! anos: ?edidas socioed#cativas de internação e semili+erdade. !A: art.nterpreta#$o – art. E ST9: no MC &'&HNJ: !)H=(H=(: ministra Carmen 0#cia: disse .#e cria o *ro Jovem % esta+elece . E crit3rio de proteção 3 #m crit3rio +iol. 3 – Princ'pios a) Princ'pio da prote#$o inte!ral % ECA: art. Adolescente 3 a pessoa entre !) e !( anos % art. !==: DDD e DC.*ode ser aplicado desde . <A: art. Dmportante para todos os conc#rsos eIceto para *roc#radoria: Acordão ST9 % NE '!=@!G: A/NHS*O relator: ?in.: Aplicação do ECA ao maior de !( e menor de )! anos . a) E art. *ara a E>F: 6ovem 3 a pessoa entre !G e )' anos. 4nico: DD.vel em sede de inf ncia e 6#vent#de ante a prioridade a+sol#ta. )A: ECA.#e cria o Estat#to da J#vent#de. A capacidade civil não afasta a incidLncia do ECA. 'A: caput e par71rafo: art. 2 . Aten#$o -: A emancipação afeta a incidLncia do ECA no m+ito civilK >ão afeta. Aten#$o 2: Como a Convenção dos direitos da Criança e adolescente fala da criançaK Criança 3 a pessoa com menos de !( anos. /0 1 2CA E art.ticas p4+licas: eIec#tar as pol. b) A *EC <&'H=G (modifica o art. EI. ))@: C9 fala do 6ovem. b) Princ'pio da !arantia da prioridade a&soluta % ECA: art. -A do ECA diz .#e na interpretação desta lei ser7 levado em conta os fins sociais: as eIi1Lncias do +em com#m: direitos e deveres individ#ais e coletivos e a condi#$o peculiar da crian#a e do adolescente como pessoas em desen"ol"imento .ticas p4+licas e destinação privile1iada de rec#rsos.. A 1arantia da prioridade consiste em proteção e socorro: em ela+orar pol. – Conceito de crian#a e adolescente Criança 3 a pessoa com at3 !) anos incompletos.#e 6ovem 3 a pessoa entre !G e )& anos (art. 4nico: ECA.

3 .