You are on page 1of 25

1.

INTRODUÇÃO E DEFINIÇÃO

Os materiais cerâmicos são materiais inorgânicos e não-metálicos que consistem em compostos que são formados entre elementos metálicos e não-metálicos, para os quais as ligações interatômicas ou são totalmente iônicas ou são predominantemente iônicas com alguma natureza covalente. O termo “cerâmica” vem da palavra grega “keramitos”, que significa matéria prima queimada, indicando que as propriedades desejáveis desses materiais são normalmente atingidas através de um processo de tratamento térmico a alta temperatura, conhecido por ignição ou cozimento. As cerâmicas são comumente dividas em dois grandes grupos:  Cerâmica Tradicional - Inclui cerâmica de revestimentos, como ladrilhos, azulejos e também potes, vasos, tijolos e outros objetos que não têm requisitos tão elevados se comparados ao grupo seguinte.  Cerâmica "Avançada" ou de engenharia - Geralmente são materiais com solicitações maiores e obtidos a partir de matéria prima mais pura. São utilizados em ferramentas de corte para usinagem, tijolos refratários para fornos. Os materiais cerâmicos possuem comportamento mecânico superior ao de outros materiais – resistência a altas temperaturas (refratariedade), alta resistência à abrasão (perda de material pela passagem de partículas rígidas sobre uma superfície), inércia química. Apesar disso, apresentam algumas características negativas: fratura frágil; não apresentam deformação plástica apreciável; baixa tenacidade; resistência ao impacto reduzida. Além disso, é comum encontrar grandes variações de resistência à fratura entre corpos de prova ou peças de um mesmo lote. Graças a essas características negativas, as cerâmicas não são amplamente utilizadas na engenharia com fins estruturais. Por outro lado, graças às características positivas, são excelentes candidatas a aplicações futurísticas, tais como motores cerâmicos, implantes ortopédicos e ferramentas de corte. As indústrias de componentes eletrônicos, computadores,

1

comunicação e a indústria aeroespacial e uma gama de outras indústrias também dependem do uso desses materiais. A minimização dos problemas citados acima é um problema formidável, tanto científica quanto tecnologicamente, e é uma área extremamente atrativa para futuros desenvolvimentos. Neste trabalho, apresentaremos um conjunto de pesquisas a respeito dos materiais cerâmicos, apresentando suas principais propriedades, ensaios mecânicos, classificação e aplicação.

2

pois os íons de mesma carga rompem-se quando em contato íntimo. Isto porque as fortes ligações químicas encontradas em seus compostos. como os líquidos. Sob tensão. a trinca propaga-se rapidamente. através dos grãos e ao longo dos planos cristalográficos de sua estrutura atômica. Uma vez iniciada. na realidade. Esse fato ocorre geralmente nos materiais cerâmicos cristalinos em que a ligação é predominantemente iônica. fazendo com que a cerâmica seja um material não dúctil e com pouca deformação plástica. origina. Há possibilidades de escorregamento dos átomos já que não há estrutura cristalina. e a aplicação de uma tensão faz com que átomos quebrem e refaçam suas ligações. Pequenos aumentos da ductilidade podem diminuir sensivelmente a probabilidade de ruptura de qualquer material. ou seja. Já as cerâmicas não-cristalinas deformam-se plasticamente por escoamento viscoso. que iniciaria a deformação plástica no material por escorregamento dos planos cristalográficos com consequente deslocamento de discordâncias. O escorregamento nos materiais cerâmicos é evitado ou limitado em algumas direções. não dão a possibilidade de haver rearranjo atômico para deslocamento das discordâncias no material após tal escorregamento (a ruptura ocorre antes). Há uma concentração das tensões nos poros. sua incapacidade de deformarem-se antes da ruptura de sua microestrutura. uma trinca perpendicular à direção de aplicação da carga. em geral iônicas ou covalentes. a quebra de ligações internas. a probabilidade da ruptura antes do escorregamento é grande. Cerâmicas cristalinas com ligações covalentes também são de difícil escorregamento. cantos de grãos ou microfissuras. 3 . que desencadeará a ruptura do material.2. Por isso. PROPRIEDADES MECÂNICAS E FÍSICAS Talvez a mais conhecida propriedade mecânica dos materiais cerâmicos seja a sua fragilidade. tanto pela força das ligações como pelo número limitado de sistemas de escorregamento.

Corpos grandes em geral têm menor resistência à fratura do que pequenos. para tensões de compressão. que servem como pontos de concentração de tensões e. pois a ruptura por tração ocorre pela concentração de tensões nas falhas da microestrutura. são grandes. aumento de tensões devido a defeitos existentes. deste modo. portanto. que. Sua resistência à compressão. como sabemos. Já a resistência à compressão é bem maior. Daí também provém a tamanha distância entre suas resistências à compressão e à tração: a resistência à tração pode ser medida pela probabilidade de encontrarmos um defeito no material que possa iniciar uma trinca. que possui fortes ligações. pois os compostos cerâmicos não se rompem por deslizamento. está intimamente relacionada às suas forças de ligações interatômicas.A resistência à fratura real das cerâmicas é sempre inferior à que pode ser estimada pela análise de sua microestrutura. já que as ligações fortes as impedem de mover-se por escorregamento. de ocorrência de prováveis trincas. A responsabilidade dessa diferença de resistência real para a estimada é dos defeitos presentes no material. A probabilidade de encontrarmos defeitos é maior nos grandes. evidenciadas no esforço de tração. 4 . não existindo.

ENSAIO DE FLEXÃO (DOBRAMENTO) As cerâmicas são intrinsecamente materiais frágeis. que praticamente não possuem regime plástico de deformação. Tais características desencadeiam dois aspectos fundamentais da Mecânica da Fratura destes materiais: • Baixa tenacidade à fratura: os defeitos existentes na cerâmica provocam concentrações de tensão na estrutura. 2). distribuídos probabilisticamente ao longo de uma faixa relativamente ampla de tensões.3. Em outras palavras: ao se tentar avaliar empiricamente a resistência de um material frágil. que. ENSAIOS MECÂNICOS 3. É um procedimento de baixo custo e de execução rápida. 5 . ao serem tracionadas. o que acaba por inferir uma natureza probabilística à resistência mecânica. chega-se a um conjunto de dados espalhados. os corpos-de-prova são delgados e podem assumir seção transversal circular. ao invés de ser obtido um valor definido e único. Pode-se dizer que elas são materiais de baixa tenacidade. até um ponto crítico no qual se rompem sem aviso prévio. porém possui o inconveniente de apresentar grandes variações no nível de resistência medida em função das dimensões dos corpos-de-prova e do modo de aplicação da carga. falham no elo mais fraco). que se rompe no ponto que primeiro atingir sua tensão crítica (análogo ao caso das correntes. O ensaio geralmente usado para caracterizar as cerâmicas é o de flexão (dobramento) e. classicamente. quadrada ou retangular. Nele. torna-se impossível conhecer plenamente as concentrações de tensão e a localização do defeito crítico.1. absorvem a energia aplicada sobre elas sem se deformar plasticamente. • Natureza estatística dos valores mensurados: como a distribuição dos defeitos nestes materiais é aleatória. isto é. é feito em três ou quatro pontos (fig.

2: Esquema simplificado dos Ensaios de Flexão e suas respectivas distribuições de momentos fletores. a uma tensão de 500MPa. pois não sofre deformação plástica. após a tensão de escoamento da cerâmica fratura. ENSAIO DE TRAÇÃO Intuitivamente. logo seu modulo de Young é: E=375/0. 1: Gráfico da tensão em função da deformação para uma amostra de cerâmica . A amostra fratura no ponto (110. 375).vidro . 1990. percebe-se que um material cerâmico não possui deformação plástica e que seu módulo de Young é maior do que a maioria dos metais. (Fig. FONTE: PIORINO NETO. 3.2. Nota-se que a amostra de cerâmica. Adotemos como fundo de escala 1:0.005. p.submetida a um ensaio de tração). 23.(Fic. B – ensaio em 4 pontos).0011=341. A – ensaio em 3 pontos.0GPa 6 .

VIDROS Não são líquidos nem sólidos em temperatura ambiente. a maioria destes materiais se enquadra em um esquema de aplicação-classificação que inclui os seguintes grupos: pedras naturais. 7 . devido à sua estrutura atômica – têm aspecto de sólidos e movimento de partículas próprio de líquidos. 3: Classificação dos materiais cerâmicos com base na sua aplicação) FONTE: http://emateriais. como recipientes.br/2011/10/ceramicos. K2O.html 4.1. Na2O. produtos estruturais a base de argila. abrasivos.blogspot. entre outros.4. São aplicados em diversas áreas e com diversas utilidades. (Fig.com. refratários. portanto é considerado um líquido super-resfriado. lentes e fibra de vidro. CLASSIFICAÇÃO Os materiais cerâmicos apresentam diferentes tipos e aplicações. cimentos e as recentemente desenvolvidas cerâmicas avançadas. A principal característica do vidro que o leva a tão ampla aplicação deve-se à sua transparência óptica. vidros. Contém óxidos como CaO.

materiais compostos basicamente por Sílica. Nesse grupo estão incluídas porcelana. Este tratamento térmico provoca a sua cristalização. Ela é encontrada no solo em grande abundância.  À base de sílica . e louças sanitárias. louças de barro. louças vitrificadas. Ao contrário de cerâmicas sintetizadas. não têm poros entre os cristais. louças para mesa. Outra razão para sua popularidade é sua fácil modelagem. e são utilizados principalmente na construção de fornos.sem nenhum beneficiamento. para confinar atmosferas quentes e para isolar termicamente os elementos estruturais de temperaturas excessivas. 4. São utilizados em peças para ir ao forno. janelas de fornos e tampas de fogões de cozinha.3. Existem dois tipos de produtos à base de argila:  Os produtos estruturais. Com base em sua composição existem quatro classificações de refratários:  Os refratários de argila – são argilas de alta pureza. e geralmente é usada da forma que é extraída . que se tornam brancas após um cozimento em alta temperatura. 8 . são usados no teto em arco dos fornos para produzir aços e vidros. e as  Louças brancas. 4. que incluem tijolos de construção. à mesa. telhas e tubulações de esgoto .aplicações onde a integridade estrutural é importante.São obtidas submetendo o vidro comum a temperaturas elevadas (de 500°C a 1000°C). Vidrocerâmicas . PRODUTOS À BASE DE ARGILA Uma das matérias primas cerâmicas mais baratas e utilizadas é a argila. REFRATÁRIOS São cerâmicos de grande importância devido à sua capacidade de suportar altas temperaturas sem se fundir ou de compor e ser um grande isolante térmico.2. têm maior resistência mecânica e capacidade de utilização em temperaturas relativamente elevadas.

como rolamentos de esferas. 4. Básicos .  Especiais . e em aplicações que exploram o comportamento piezoelétrico (emissor de som em uma frequência definida) de uma variedade de materiais cerâmicos. teve início e continuará para estabelecer um nicho proeminente em nossas tecnologias de ponta. gesso-de-paris e cal. quanto como decoração usando assim sua fácil modelagem e sua rigidez. 9 . Esse comportamento é útil no sentido de que estruturas sólidas e rígidas com praticamente qualquer forma podem ser moldadas com rapidez. como componentes internos de fornos. Refratários especiais são usados em elementos de aquecimento elétrico. CIMENTOS Vários materiais cerâmicos familiares são classificados como cimentos inorgânicos: cimento. e combinações de propriedades exclusivas das cerâmicas.5. A característica especial destes materiais é que quando são misturados a água eles formam uma pasta que. os quais consistem em um grande número de dispositivos mecânicos que estão integrados a grandes quantidades de elementos elétricos em um substrato de silício.alguns destes são óxidos com purezas elevadas. Em particular. as propriedades elétricas. os quais são produzidos em quantidades extremamente grandes. CERÂMICAS AVANÇADAS Embora as cerâmicas tradicionais correspondam à maior parte da produção. São usados para contenção de escorias com elevados níveis de MgO e de CaO e em fornos de soleira aberta usados para a fabricação de aços. chamadas de “cerâmicas avançadas”. têm sido exploradas em uma gama de novos produtos.4.materiais ricos em periclásio ou magnésia. Esses materiais podem ser moldados com facilidade e formar estruturas sólidas e rígidas. subsequentemente. em sistemas microeletromecânicos. Além disso. São usados na construção civil tanto como sustentação e estruturação.  Sistemas microeletromecânicos – são sistemas inteligentes em miniatura. o desenvolvimento de novas cerâmicas. magnéticas e ópticas. 4. pega e endurece. as cerâmicas avançadas são utilizadas em sistemas de comunicação por fibras ópticas.

 Fibras Ópticas – são feitas de sílica com pureza extremamente elevada. Técnicas de processamento muito avançadas e sofisticadas foram desenvolvidas para a produção de fibras que atendam às rigorosas restrições necessárias para essa aplicação. extremamente resistentes à corrosão e podem ser polidos até um acabamento superficial muito liso. Essa combinação de esferas cerâmicas e pistas em aço é denominada rolamento híbrido. tradicionalmente. instrumentos médicos portáteis de precisão e equipamentos químicos. mesmo de quantidades diminutas. tanto os componentes das esferas quanto os componentes da pista eram feitos de aços para mancais. Na maioria dos casos. as pistas ainda são feitas em aço. roscas sem fim em ferramentas de usinagem. 10 . os quais são muito duros.  Rolamentos de Esferas Cerâmicas – Um rolamento consiste em esferas e pistas que estão em contato entre si e que se atritam quando em uso. uma vez que suas várias propriedades o tornam um material mais desejável. de contaminantes e de outros efeitos que absorvam. Algumas das aplicações que empregam esses rolamentos híbridos incluem bicicletas. Os rolamentos totalmente feitos em cerâmica estão sendo utilizados atualmente de uma forma limitada em aplicações onde é exigido um alto grau de resistência à corrosão. esferas em nitreto de silício começaram a substituir as esferas em aço em diversas aplicações. pois o seu limite de resistência à tração é superior ao do nitreto de silício. No passado. Ao longo da última década. têxteis e de processamento de alimentos. que deve estar isenta. motores elétricos. espalhem ou atenuem um feixe de luz.

na maioria dos casos. 11 . os quais. Os vidros são conformados em temperaturas elevadas. Os cimentos são conformados pela colocação em moldes de uma pasta fluida que endurece e assume uma pega permanente devido a reações químicas. sua fundição é normalmente impraticável. Além disso. ao final. a partir de uma massa fluida que se torna muito viscosa no resfriamento. a fragilidade desses materiais impede a sua deformação. FABRICAÇÃO E PROCESSAMENTO Uma vez que os materiais cerâmicos possuem temperaturas de fusão relativamente elevadas.5. Algumas peças cerâmicas são conformadas a partir de pós. devem ser secos e cozidos.

ÓXIDO DE ALUMÍNIO Os abrasivos de óxido de alumínio são geralmente recomendados para trabalhos em materiais de alta resistência à tração (materiais ferrosos). A importância nas operações de abrasão reside no fato de que elas corrigem os defeitos das operações precedentes.1. a base de óxido de alumínio. 6. TIPOS DE ABRASIVOS São determinados basicamente em função do tipo de aplicação.1. dos materiais a serem trabalhados. Esta ação de esfregar uma peça contra outra para modificar sua forma geométrica ou afiá-la. mudanças para máquinas de controle numérico foram necessárias. 12 . de qualidade constante e com produções elevadas. As pesquisas neste campo tiveram os primeiros sucessos na descoberta do carbureto de silício (SiC) e do óxido de alumínio (Al2O3). como a racionalização e automação dos processos. ferro fundido nodular e ferro fundido maleável. aço carbono. como aço e suas ligas. Com o crescimento das atividades industriais tornou-se necessária a obtenção de grãos abrasivos de características controladas. ABRASIVOS CERÂMICOS Abrasão é definida como sendo a operação de remover partículas de um material por atrito contra outro material que será quase sempre mais duro que o primeiro. Da definição acima concluímos que abrasivos são ferramentas destinadas aos processos de abrasão. Essas mudanças resultaram na demanda por abrasivos mais confiáveis. nos processos de usinagem.6. Os grãos abrasivos mais utilizados são óxido de alumínio e carbureto de silício. pertence ao instinto do homem primitivo. dos níveis de severidade da operação e das exigências de processo. como os superabrasivos (diamantes sintéticos. 6. nitrito cúbico de boro) e os materiais cerâmicos de alto desempenho. Devido às exigências de mercado.1. como por exemplo.

retíficas.Óxidos de Alumínio Zirconado São grãos abrasivos de óxido de alumínio fundidos com óxido de zircônio (obtido a partir de areia zirconada).1. no caso de aplicações com lixas. desbaste e precisão. Também são usados para materiais não ferrosos.1. Óxido de Alumínio Tipo 38A (Branco): Operações de precisão (acabamento). O bloco formado é posteriormente fraturado e triturado. alavancas. para facas. talhadeiras. são usados em materiais de alta resistência à tração. seguida de resfriamento.1. sendo ideais para aplicações de corte rápido e desbaste pesado. como afiação de ferramentas.  Óxido de Alumínio Zirconado Tipo NZ (Norzon): Rendimento 2 a 3 vezes superior aos grãos convencionais. Óxidos de Alumínio Convencionais São grãos extremamente robustos e sua forma de cunha permite penetração rápida sem fraturar-se ou desgastar-se excessivamente. picaretas. ferro.A obtenção do óxido de alumínio abrasivo consiste na fusão da bauxita.     6. ferramentaria. Óxido de Alumínio Tipo 55A: Operações de precisão.2. e depois misturada com pequena porcentagem de coque. a temperatura de cerca 1. 6. Portanto.  Óxido de Alumínio Tipo A (Marrom): Operações de corte. como aço e suas ligas.1. ferro fundido nodular e maleável. Óxido de Alumínio Tipo 19A: Operações específicas (38A + A). cortando por muito mais tempo com menos calor. Indicado para desbaste pesado e corte rápido de metais ferrosos. 13 . triturada e calcinada. A fusão ocorre a uma temperatura entre 1900ºC a 2000ºC em um forno elétrico a arco por um período de 36 horas.900° C.1. Óxido de Alumínio Tipo 25DR: Operações intermediárias com pontas montadas. enquanto o resfriamento pode ser de até uma semana. Utilizado em aços de baixo carbono. etc. Estes grãos possuem arestas super afiadas que se renovam durante o processo. titânio e óxido de magnésio (MgO2).

etc. Indicado para operações de condicionamento de barras. O formato mais pontiagudo do abrasivo SGQ/SCQ é mais friável. aliado à estrutura microcristalina. proporcionando maiores taxas de remoção e menor geração de calor. 3SG e 5SG: Possuem formato arredondado e extrema friabilidade.1. retífica cilíndrica e interna. em função das impurezas que contém. e a duração é de 36 a 40 horas.Óxido de Alumínio Cerâmico . 3SGQ e 5SGQ: É o grão abrasivo cerâmico seeded gel com novo desenho que. 6. em que a pressão de trabalho é extremamente elevada. Indicado para desbaste pesado e alta remoção de metais ferrosos em aciaria e fundição. permitindo microfraturas em operações de baixa pressão. Óxido de Alumínio Zirconado ZS: Alta resistência. Indicados para uso em materiais de difícil retificação.Seeded Gel (SG) São grãos abrasivos com uma controlada estrutura cristalina submicrométrica derivada de um processo exclusivo de sinterização. qualidade e redução de custos.  Óxido de Alumínio Cerâmico .Targa (TG): Grão de formato alongado.. A temperatura de produção oscila entre 1900ºC a 2400ºC. Óxido de Alumínio Zirconado ZF: Resistência e desempenho elevados. retificações cilíndrica e interna em aços onde o mais importante é a integridade metalúrgica da peça-obra. Este é utilizado em operações de desbaste pesado. operações de acabamento e ferramentaria. São utilizados em retificações de precisão em ferramentaria e acabamento.  Óxido de Alumínio Cerâmico (SG) o Tipos 1SG. Possuem dureza e resistência superiores que as dos óxidos de alumínio convencionais. especialmente em retífica interna. A cor do carbureto de silício varia de verde claro a preto.3.  6. em que necessitam ser maximizadas produtividade. 14 . proporciona maior friabilidade em operações de baixas pressões. o Tipos 1SGQ.2.1.1. CARBURETO DE SILÍCIO O carbureto de silício é produzido em fornos elétricos de resistência e com carga básica constituída por 60% de sílica e 40% de coque de petróleo. placas.

etc.3. esmeril. como aços temperados e ferro tic. como: metal duro. vidro.1. BORNITRID (CBN – NITRITO DE BORO CRISTALINO CÚBICO) O bornitrid (CBN) é empregado em materiais ferrosos que possuem carbono. 15 . plásticos. É principalmente usado em usinagem e acabamento de vidros. exceto em ferramentas de metal duro (widia).2.4. mármore. semicondutores. 6. etc.Os abrasivos de carbureto de silício são geralmente recomendados para trabalhos em materiais de baixa resistência à tração (materiais não ferrosos e não metálicos). granito. construção civil. ferramentas PCD e PCBN. fibra de vidro. desbaste e retífica.1. refratários.Diamante Mono-cristalino Sintético Conhecido como o material mais duro. DIAMANTE ABRASIVO SINTÉTICO O diamante é empregado no trabalho de materiais duros e frágeis. carbureto de tungstênio. pedras preciosas e semipreciosas. na área espacial. componentes eletrônicos. quartzo. latão.  6. processos mecânicos. perfuração de petróleo. aviação.  Carbureto de Silício Tipo 37C (Carbureto de Silício Preto): Utilizado nas diversas operações de corte.3. cerâmica. ferrite. Carbureto de Silício Tipo 39C (Carbureto de Silício Verde): Utilizado exclusivamente em afiação de ferramentas de metal duro (widia). alumínio. o diamante mono-cristalino sintético é largamente usado em metalurgia. cobre.1. tais como: bronze.Micro-pó de Diamante Sintético SFD Micro-pó de diamante é indicado para afiação.1.1.3. grafite. e outros. instrumentos. cerâmicas. 6. polimento e aplicações de acabamento fino. 6. borrachas. indústria eletrônica.

sendo mais utilizada para retificações de precisão. que ocorre nas altas temperaturas do ponto de contato no trabalho em aços. Resinóides e Borracha. retificação de 16 . (9) coríndon. é definida de acordo com a escala de Mohs. risca o feldspato. As ferramentas vitrificadas são mais indicadas para operações de acabamento. o topázio corta o quartzo. afiação de ferramentas. (2) gesso. formando assim a ferramenta abrasiva. o bornitrid não apresenta o fenômeno de grafitização. em ordem crescente: (1) talco e grafita. (5) apatita. e não sofrem ataque dos fluidos refrigerantes. As ligas são classificadas em Vitrificadas. quartzo e feldspato. ESCALA DE MOHS A dureza dos abrasivos. e (10) diamante. e que após combinados quimicamente e submetidos a temperaturas da ordem de 1200ºC. mas não o quartzo. o aço. As ligas vitrificadas e resinoides passam por modificações que servem para adequar o produto a cada tipo de operação. perdendo a dureza e fazendo com que o grão se solte prematuramente da liga aglomerante. formam uma estrutura vitrificada de extrema rigidez. As ferramentas abrasivas vitrificadas têm como principais características friabilidade no corte (menor queima da peçaobra) e manutenção de seu perfil de corte por mais tempo que as ferramentas com ligas resinóides. LIGAS OU AGLUTINANTES A liga tem como função manter os grãos abrasivos unidos entre si.3. porém frágil contra impactos e grandes pressões de trabalho. (7) quartzo. (6) ortoclásio. pelo qual é riscado. onde o diamante muda sua estrutura Química. A escala compõe-se de dez minerais. 6. (4) fluorita. 6. aos quais se atribuíram valores arbitrários de dureza.  Vitrificadas ou Inorgânicas: Constituída de materiais naturais como argila. mas não o coríndon. (8) topázio. criada em 1812 pelo mineralogista alemão Friedrich Mohs. (3) calcita. que tem grau de dureza entre os números 6 e 7. Isto é. ou seja.Embora não possua a mesma dureza que o diamante.2. Podem operar normalmente até 60 m/s. pelo qual se deixa cortar. sua capacidade de riscar outros materiais.

Quanto maior a granulação. machos. Centerless. que se refere ao número de grãos de areia por centímetro quadrado. Para operações refrigeradas em retíficas de precisão. frequentemente utilizado para polir madeira. etc. deixando um resíduo esponjoso de cobre) de brocas de aço rápido.  eixos comando. Resinoides ou Orgânicas: É uma liga que se caracteriza por conferir as ferramentas abrasivas uma elevada resistência e resiliência (resistência ao impacto). Roll Grinding. podendo chegar a 100m/s dependendo da aplicação e do tipo de construção da liga. as ferramentas abrasivas fabricadas com esse tipo de liga podem operar normalmente até 48 m/s. mais fina ela é. elementos vulcanizadores e borracha sintética. e para esta aplicação sua construção inclui elementos que conferem maior resistência mecânica aos rebolos.). FERRAMENTAS ABRASIVAS 6. é mais indicada para paredes e madeira. por exemplo. As ligas resinoides são normalmente empregadas em operações de corte. Têm como principais desvantagens o fato de que a liga é atacada por soluções alcalinas (fluidos refrigerantes e de corte). Uma lixa 200. Sua construção é feita basicamente com borracha natural.4. BZZ. As lixas mais finas são normalmente utilizadas para polimento. pois uma vez polimerizada a liga resinoide se converte em aglomerante de alta resistência. LIXAS A lixa é um papel com material de superfície abrasiva composta geralmente por minerais. DiscGrinding. operações severas de desbaste (pendular. Borracha: É uma liga que tem uma grande resiliência (resistência ao impacto). entre outros.0. o pH do líquido refrigerante deve estar na faixa de 8. 6. pedestal.). podendo operar até 70 m/s. etc.5 ~9. Sua granulação varia de 16 a 3000.1. fresas. 17 .4. e por este motivo tem sua principal aplicação na construção de rebolos de arraste e para retificação centerless podendo operar até 33 m/s. virabrequins e retificação de peças com perfis complexos. Também é usada na construção de rebolos para detalonagem (Forma de corrosão de latão. etc. e por ser orgânica sofre degradação ao longo do tempo. metais. operações de precisão como abertura de canais em ferramentas de corte (brocas. Desta forma. na qual o zinco é retirado da liga.

começa-se com a pedra de grãos maiores. a primeira lixa nos acabamentos mais finos.Média. de utilização em geral 220/240 .Extremamente finas. 6.4. São fabricadas a partir de grãos de materiais duros. recomendada para lustrar. PEDRAS DE AFIAR São pedras. Muito utilizado em retíficas de motores. como esmeril. médio. em geral tem a forma de disco e é normalmente utilizado com o auxílio de uma lixadeira ou politriz para fazer desbaste em superfícies ou para amolar ferramentas cortantes. As pedras artificiais são tão eficientes quanto as naturais. uma lâmina). Um exemplo de pedra natural é a novaculite (conhecida como "Arkansas Stone". recomendada para madeiras.3.4. 80/100 . usadas para retirar material de uma superfície metálica (normalmente. naturais ou sintéticas.Fina. indicadas para lustre e polimento. 600/1200 . recomendadas para Lustre de joias. REBOLO Rebolo é uma ferramenta fabricada com material abrasivo. cada qual com utilizações em materiais diferentes.4. devido à sua abundância nas minas do estado de Arkansas. Ao se riscar a lâmina com a pedra. 400 .2.6. A novaculite pode ser encontrada em quatro graus de granulação: suave.Extremamente grossa.Fina. quartzo. com grande capacidade de desbaste.Muito finas. fino e duro.1. nos EUA).Grossa.Grossa. carboneto de silício e 18 . 6. 36 . 60 . podem desgastar e dar polimentos nas peças do motor. 320 . São fabricadas normalmente em óxido de alumínio e carbureto de silício. Numeração           20 . Maior que 1600 . com grande capacidade de desbastes para madeiras e outros maleáveis.1. granada.Extremamente grossa. utilizada em remoção de oxidações de metais e para áreas com pinturas de difícil remoção 120/180 – Média. e depois vai-se diminuindo o tamanho para se acertar o polimento do fio.

4. 19 . Portanto. podem ser bastardas (usadas para desbastar) ou murças (usadas para acabamentos). Quanto à rugosidade dos dentes. Rebarbas de peças fundidas. triangular ou meia-cana.óxido de alumínio. 6. Preparação superficial para pintura ou revestimento. os grãos são unidos com argila. Ao se moer os grãos. DISCOS ABRASIVOS DE DESBASTE Os discos abrasivos de desbaste são ferramentas abrasivas utilizadas em máquinas portáteis nas operações de: • • • • • Limpeza de superfície antes da solda. A operação de desbaste com máquina portátil é aquela em que o operador manuseia a máquina com as mãos e a leva de encontro à peça que será trabalhada. Depois. uniformizar superfícies e fazer acabamento em peças. para evitar sua ruptura. separa-se por diâmetro para pedras com diferentes granas.4. manualmente. LIMAS ABRASIVAS São ferramentas feitas com materiais abrasivos (e às vezes uma haste de aço para se segurar) e usadas manualmente para desbastar. redonda. Desbaste em cordões de solda. vidro ou resinas. são divididas em quatro grupos: quadrada. Conforme seus formatos. Essas máquinas podem ser pneumáticas ou elétricas. A finalidade de sua depressão central é facilitar a tomada de diversas posições pelo operador e impedir que o flange de fixação possa atrapalhar durante o trabalho. é preciso que os discos possuam certo grau de resiliência (flexibilidade / capacidade de absorver impactos). Por isso. os discos são fabricados exclusivamente em liga resinóide e com telas de fibra de vidro para reforço.5. 6. Remoção de imperfeições em peças fundidas.4. tanto pela irregularidade das áreas de contato como pela quantidade de material removido e diferenças de pressões. Os discos de desbaste são submetidos a muitos esforços.

20 . forjaria. As Pontas Montadas são dividas em 3 grupos:  Grupo A: Com hastes de 6 ou 6.120 RPM. fundições. Não devem operar em grandes velocidades. São sempre utilizadas em operações manuais. provida de um pequeno rebolo fixado em uma haste de aço. PONTAS MONTADAS A Ponta Montada é uma ferramenta abrasiva. em rebarbação de furos e em entalhes de difícil acesso.17 mm de diâmetro e 40 mm de comprimento.35 mm de diâmetro e 40 mm de comprimento. Normalmente o rebolo é fabricado em liga vitrificada.  Grupo B: Com hastes de 3 ou 3.6. como a ferramentaria.6. podendo ser utilizadas para operações de desbaste e acabamento em locais de difícil acesso. São de uso industrial e doméstico. São produzidas de óxido de alumínio rosa. geralmente não ultrapassando a 33 m/s ou 61.4. de acordo com método de fabricação utilizado . o que possibilita um poder de corte melhor e uma vida útil maior.

o corte com discos abrasivos é tanto mais vantajoso. cerâmica ou vidro.35 mm/10 ou 9. TIJOLO PARA MARMORISTA Produzido em Carbeto de Silício. em forma de barras. TIJOLO PE 80: Granulometria 24 e 36 e Dimensões 76. polimento.17 mm/ 6 ou 6. chapas e perfis além de serem aplicados para abertura de canaletas. metálicos e não-metálicos. como aço.4. Normalmente.8.8 6. pois podem ser utilizados em máquinas portáteis ou estacionárias que garantem maior qualidade no corte.7.2 x 76. latão. Comparado com serras de aço. utilizam-se discos fabricados em óxido de alumínio para materiais de alta resistência à tração (aços e suas ligas) e discos fabricados em carbeto de silício 21 . os discos duros ou de grãos grossos são utilizados para o corte de materiais macios.8. granito. tungstênio. granilite. Como regra geral. alta resistência ao desgaste e facilidade de corte. Grupo C: Com hastes de 3 ou 3. titânio. etc. acabamento de pisos de mármore. para uso em operações de desbaste.4.25 mm de diâmetro e 40 mm de comprimento. Existem dois tipos de tijolo para marmorista que se diferenciam pela granulometria e dimensões. Os principais benefícios do uso do tijolo para marmorista são alto desempenho. bronze. ferro fundido.2 x 50. já para materiais duros usamos discos moles ou de grãos mais finos.2 x 50. TIJOLO PE 72: Granulometria 24 e 120 e Dimensões 152. DISCOS DE CORTE Discos de corte são ferramentas abrasivas utilizadas para o corte de diversos tipos de materiais.4 x 76. tubos. placas. 6.

serralharias. manutenção industrial. em gasodutos.4. petroleira.em materiais de baixa resistência à tração (ferro fundido cinzento e materiais não ferrosos ou não metálicos).9. oficinas de pintura e mecânica de autos. borracharias. construções metálicas. madeira e borracha. 22 . além das aplicações do dia-a-dia. ESCOVAS ABRASIVAS Indicadas para rebarbação e tratamento de superfícies metálicas. indústria automotiva. fundições. na construção civil. as escovas são amplamente utilizadas nas industrias naval. 6.

São essenciais para a indústria de construção. Geralmente. para a indústria petroquímica. Uma classe inteira de cerâmicas resistentes ao calor. a primeira coisa que vem às nossas mentes são pratos. Componentes eletrônicos individuais e circuitos integrados complexos com multicomponentes têm sido fabricados de cerâmicas. para gerar eletricidade. tão resistentes que podem sustentar e proteger nosso próprio corpo e tão duradouros que permanecem depois de milhares de anos mostrando-nos a história que nossos antepassados deixaram para trás. elétricas e óticas. Elas são usadas até mesmo por dentistas em próteses. desde os tijolos das paredes até cabos de fibra óptica. torna possível a construção de altos-fornos siderúrgicos e usinas nucleares. coroas. xícaras. para as comunicações. mas eles fornecem uma ideia pouco precisa sobre a dimensão e o universo da indústria de cerâmica nos dias atuais. exploração espacial. velas na combustão interna de motores e. têm sido confeccionados para proteger aviões. nos edifícios que moramos e nas calçadas que pisamos. Escudos de cerâmica. Alguns tipos de cerâmicas têm importantes aplicações mecânicas. que têm aplicações em várias áreas. quando ouvimos a palavra “cerâmica”. A resistência ao calor é uma das características mais procuradas nos materiais cerâmicos. Cerâmicas têm propriedades elétricas como isolantes de alta tensão. como a memória em computadores. e implantes dentários. em resistores e capacitores. chamadas de refratários. veículos militares e soldados. sanitarismo. como a de telecomunicações. tais produtos são cerâmicos. os quais são leves e resistentes ao impacto. que são o coração da indústria moderna.7. por essa razão telhas de cerâmica fornecem blindagem ao aquecimento nos ônibus espaciais de hoje.nos carros que dirigimos. 23 . Cerâmicas estão por toda parte . Entre as cerâmicas existem itens tão frágeis que podem ser fraturados por um pequeno toque. em aplicações de supercondutores de alta temperatura. objetos de arte. CONCLUSÃO Cerâmicas são encontradas em praticamente todos os ambientes. mais recentemente. medicina. Evidentemente.

%20MATERIAIS%20CERAMICOS%2 0GRAD.org/wiki/Reprodutibilidade>. 24 . (Documento online)  Materiais Cerâmicos: Estrutura e Propriedades. Estrutura e Propriedades dos Materiais: Materiais Cerâmicos.br/AULA_APRESENTACAO_integral.br/~caram/6. Acesso em: 14/08/2013. Dicionário Informal.arq. REFERÊNCIAS  Deformação dos Materiais. Disponível em: <http://pt.ufsc.pdf>. Abrasão. 14/08/2013.utl.unicamp. Acesso em: 14/08/2013.ist. Disponível em: <http://disciplinas.br/artpdf/c37m. Disponível em: <http://www. 7ª edição.ufsc. Cerâmicas e Polímeros. Acesso em: 14/08/2013.prof. William.html>.dicionarioinformal.br/arq5661/trabalhos_20101/deformacoes/deformacoes_2010-1. (Documento online)  Propriedades Mecânicas de Materiais Cerâmicos: Uma Introdução. Acesso em: 20/08/2013 (Documento online)      Cerâmicas.wikipedia.org/wiki/Rigidez>.pdf>. Disponível em: <http://www. Disponível em: <http://www. PIEZOELÉTRICO.8.com.org/wiki/Abras%C3%A3o>. Reprodutibilidade.fredel.pdf>.br/arq5661/trabalhos_20052/azulejos/propriedades.br/piezoel%C3%A9trico/>. Acesso em: 14/08/2013. Disponível em: <http://pt.fem.ufsc.wikipedia.pt/qgeral/mecanica/MetCerPol. Disponível em: <http://www. (Documento online)   CALLISTER.pdf>.wikipedia. Acesso em: 14/08/2013. Ciência e Tecnologia dos Materiais: uma Introdução. Acesso em: 14/08/2013.arq. Disponível em: <http://www. Disponível em: <http://pt. Acesso em: 28/08/2013. (Documento online)  Propriedades Mecânicas de Metais.lamav.ufscar. Disponível em: Acesso em: <http://emc5717. Acesso em: 14/08/2013.pdf>. Rigidez.

com. Disponível em: <http://pt. Acesso em: 22/01/2014.php> Acesso em: 23/01/2014 Escovas. Acesso em: 22/01/2014.aspx>.com. Disponível em: < http://www.br/abrasivos. Disponível Acesso em: em: http://www.br/c-Conceitos%20Gerais.aspx?id=185588>. abrasivos.com.br/discosdecorte/lit_discos_desbaste. (Documento online)   Abrasivo.br/landingimg.com.wikipedia.com. Disponível Acesso em: em: http://www. Discos Abrasivos de Desbaste. Disponível em: <http://www.com/page003.br/01d_abrasivo_sintetico.carbo-abrasivos. 23/01/2014 Tijolo <   Para Marmorista.starrett.html> Acesso em: 23/01/2014 25 . Acesso em: 23/01/2014  Pontas <  Montadas.abramarabrasivos. (Documento online)    Lixa. Disponível em: < http://site. Disponível em: <http://pt.html>. Disponível em: < http://www.sgabrasivos. Acesso em: 22/01/2014.html>. Disponível em: <http://www.com. Acesso em: 22/01/2014.html>.winter.org/wiki/Abrasivo>. Diamante Abrasivo Sintético. Acesso em: 22/01/2014. Disponível em: <http://www.villasweb. (Documento online) Tipos de Abrasivos.aspx>.wikipedia.com/tw. Rebolo (ferramenta).  Abrasivos.promaquinaAcesso em: 22/01/2014.trustdiamond. 23/01/2014 Discos de Corte.org/wiki/Lixa>.org/wiki/Rebolo_(ferramenta)>.wikipedia. Disponível em: <http://pt.br/tijolo-marmorista.