You are on page 1of 51

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

ESCOLA DE MÚSICA
CURSO TÉCNICO EM MÚSICA
EDIÇÃO DE ÁUDIO II




SONAR 2.0






TUTORIAIS




ADAPTAÇÃO E TRADUÇÃO



PROF. ALEXANDRE VIANA
VIANA@MUSICA.UFRN.BR
WWW.MUSICA.UFRN.BR/~VIANA



Este documento também se encontra em
www.musica.ufrn.br/ctm/ea2/tutoriais-sonar2.pdf



NATAL, RN – 2003
TUTORAIS – SONAR 2.0

SUMÁRIO

Tutorial 1 – Conceitos Básicos __________________________________________________ 5
Abrir e tocar um projeto ____________________________________________________ 5
Configurando as Saídas _____________________________________________________ 5
Tocando o projeto.__________________________________________________________ 6
Reiniciando o projeto Automaticamente________________________________________ 8
Mudando o tempo __________________________________________________________ 9
Silenciando (Muting) e Solando (Soloing) Trilhas _______________________________ 11
Mudando um Instrumento de uma Trilha _____________________________________ 12
Tocando Música em um Teclado Eletrônico____________________________________ 13
Tutorial 2 – Gravando MIDI ___________________________________________________ 14
Criando um Novo Projeto___________________________________________________ 14
Gravando uma trilha MIDI _________________________________________________ 14
Salvando seu trabalho______________________________________________________ 17
Gravação em Loop ________________________________________________________ 17
Gravação Punch-In (tempo pré-determinado) __________________________________ 18
Tutorial 3 – Gravando Áudio Digital_____________________________________________ 20
Configurando a taxa de amostragem _________________________________________ 20
Configurar o driver da resolução (bit depth) ___________________________________ 20
Configurar a Resolução do Som (Bit Depth) ___________________________________ 20
Criar um Novo Projeto _____________________________________________________ 21
Configurando uma pista de áudio ____________________________________________ 21
Verificando os níveis de entrada _____________________________________________ 21
Gravando Áudio Digital ____________________________________________________ 22
Ouvindo a Gravação _______________________________________________________ 22
Gravando outra Tomada ___________________________________________________ 22
Monitorando a Entrada ____________________________________________________ 23
Gravação em Loop e Punch-In ______________________________________________ 23
Gravando Múltiplos Canais _________________________________________________ 23
Tutorial 4 – Editando MIDI____________________________________________________ 24
Transpondo ______________________________________________________________ 24
Copiando Clips com Arrastar e Soltar (Drag and Drop) _________________________ 24
Editando Notas no Piano Roll _______________________________________________ 25
Edição de Slip ____________________________________________________________ 26
Desenhando Envelopes MIDI________________________________________________ 26
Convertendo MIDI para Áudio ______________________________________________ 27
Tutorial 5 – Editando Áudio ___________________________________________________ 29
Abrindo o projeto _________________________________________________________ 29
Importando um Arquivo Wave ______________________________________________ 29
Movendo e criando Loops nos Clips __________________________________________ 29
Edição Slip de um Clip _____________________________________________________ 30
Crossfade Automático______________________________________________________ 30
Combinando (Bouncing) Trilhas _____________________________________________ 31
Tutorial 6 – Usando Clips de Groove ____________________________________________ 32
Adicionando Clips de Groove a um Projeto ____________________________________ 32
Repetindo (Looping) Clips de Groove_________________________________________ 33
Alterando a Altura dos Clips de Groove_______________________________________ 34
Mudando o Tempo do Seu Projeto ___________________________________________ 35
Criando Seu Próprio Clip de Groove _________________________________________ 35
Tutorial 7 – Mixando _________________________________________________________ 38
Adicionando Efeitos em Tempo Real _________________________________________ 38
Automatizando Efeitos Individuais ___________________________________________ 38
Agrupando Controles ______________________________________________________ 39
Automatizando Seu Mix ____________________________________________________ 39
Exportando para MP3 _____________________________________________________ 40
Tutorial 8 – Mapeador de Bateria _______________________________________________ 42
Criar um Mapa de Bateria__________________________________________________ 42
Criar uma Trilha de Bateria ________________________________________________ 42
Notas do Mapa de Baterias para Diferentes Saídas ______________________________ 43
Tutorial 9 – Usando os Softwares Sintetizadores ___________________________________ 45
Inserindo o VSC num Projeto _______________________________________________ 45
Tocando Trilhas MIDI através de um Dxi _____________________________________ 46
Adicionando Efeitos à um Dxi _______________________________________________ 46
Tocando o VSC em Tempo Real _____________________________________________ 47
Convertendo Sua Trilha DXi para Áudio______________________________________ 47
Gravando Automação no VSC_______________________________________________ 48
Tutorial 10 – Introdução ao Cyclone_____________________________________________ 49
Para Abrir o Cyclone DXi __________________________________________________ 49
Adicionando Arquivos a um Grupo de Pad ____________________________________ 49
Configurando o Volume e Pan de um Pad _____________________________________ 50
Tocando o Cyclone ________________________________________________________ 50
Editando Loops no Editor de Loop ___________________________________________ 50



Tutorial 1 – Conceitos Básicos
O primeiro tutorial lhe ensina os conceitos básicos do SONAR.
Abrir e tocar um projeto
O SONAR armazena dados MIDI e áudio digital em arquivos de projeto. A primeira
coisa que você precisa fazer é abrir um arquivo de projeto.
1. Escolha File-Open.
2. Na caixa de diálogo Abrir, navegue pelo diretório que você instalou o SONAR, dois
cliques na pasta Tutorials para abri-la e então selecione o arquivo tutorial1.cwp.
3. Clique o botão Open
O SONAR lê o projeto e abre a Visualização das Trilhas. Sinta-se livre para mover e
redimensionar a Visualização das Trilhas para preencher sua tela.
Configurando as Saídas
Antes de você tocar um projeto, você deve configurar as saídas. Assim, você estará
dizendo ao SONAR em qual saída você que ouvir o som. Você pode ter uma placa de som com
uma única saída, ou várias placas de sons cada uma com várias saídas.
Antes de atribuir uma trilha a uma saída, certifique-se que a saída que você quer usar
está disponível.
Para ativar saídas MIDI
1. Selecione Options-MIDI Devices no menu para abrir a caixa de diálogo do dispositivo
MIDI.
2. No campo Output, selecione as saídas que você quer utilizar. Para anular a seleção
clique novamente na opção. Se você quiser colocar um ou mais de um dispositivo no
topo da lista selecione-o(s) e clique em Move Selected Devices to Top
3. Clique Ok
Nota: Se você possuir uma grande quantidade de saídas MIDI, pode ocorrer erros de
transmissão MIDI ou surgir mensagem de pouca memória. Você pode tentar eliminar algumas
seleções de saída ou diminuir o número de buffer Sysx usando o comando Options-Global: na
página MIDI, diminua o valor no campo ‘Number of Buffers’ para 16.
Para ativar Saídas de Áudio
1. Selecione Options-Audio
2. Clique na página Drivers
3. No campo Output Drivers, selecione os drivers que você quer usar
4. Clique Ok.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
6
Para configurar Saídas MIDI nas trilhas do seu projeto
Na Visualização das Trilhas, clique no caixa de combinação de uma trilha. Você pode
aumentar a trilha para poder visualizar o controle Out. Na trilha 1, clique no botão de restaurar
para expandir a trilha.
1. Selecione a saída que você quer usar
2. Pressione a seta de direção (para baixo) do teclado do seu computador para mover o
campo Out para a próxima trilha e escolher uma saída
3. Repita o passo 3 para cada trilha.
4. Toque o projeto.
Tocando o projeto.
Os botões da barra de ferramenta (grande) Transport, visto na figura abaixo, controla as
principais funções de execução do SONAR. Se você não estiver vendo a barra de ferramentas,
clique em View-Toolbars e marque Transport (Large).

NOTA: Para ocultar ou mostrar as barras de ferramentas utilize View-Toolbars ou então clique
com o botão direito sobre algum ícone de qualquer barra de ferramenta visível e escolha a
opção desejada. Você também pode mover as barras de ferramentas e organizar a sua
maneira. Para isso, clique no canto esquerdo da barra e arraste.


Para iniciar a execução
1. Para tocar o projeto, clique no botão Play ou pressione a barra de espaços
Para reiniciar um projeto
Quando o SONAR chega ao fim de um projeto, ele pára. Para tocar novamente o
projeto faça o seguinte:
1. Clique no botão voltar ou pressione w para retornar ao primeiro compasso.
2. Clique no botão play ou pressione a barra de espaços.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
7
Para parar uma execução
1. Para parar temporariamente uma execução clique no play ou pressione o botão
parar ou pressione a barra de espaços. Clique no botão play novamente para
continuar a execução.
Algumas funções só funcionam se o projeto estiver parado. Se uma função ou comando
não estiver funcionando, tente parar o projeto.
O tempo agora (Now Time)
O Tempo Agora é o tempo atual no projeto. No Painel dos Clips da Visualização das
Trilhas, o ‘tempo agora’, também visto na barra de ferramentas Transport aparece no formato
MBT (measure/beat/tick) compasso/tempo/pedaço e no formato de tempo
(hour/minute/second/frame) hora/minuto/segundo/quadro. Durante a execução, o Tempo Agora
muda de acordo com a execução do projeto.
Você pode configurar o ‘tempo agora’ do projeto clicando na régua do tempo no Painel
dos Clipes ou (quando não estiver tocando) arrastando o slide na barra de ferramentas de
transport.
Enquanto você estiver tocando o projeto, você pode manter o olho no ‘tempo agora’. A
Visualização do ‘Big Time’ (tempo grande) mostra a posição do cursor com uma fonte enorme
permitindo você ver de longe. Para abrir esta visualização, clique em View-Big Time. Você
pode mudar o formato do tempo mostrado no ‘Big Time’ simplesmente clicando nele. Você
pode mudar a fonte clicando com o botão direito do mouse sobre ele.

Iniciando a partir de um marcador
Os marcadores são uma maneira fácil de encontrar certos pontos dentro de um projeto.
Você pode configurar os marcadores no início de cada seção ou em posições que necessitem
sincronizações. A barra de ferramentas de marcadores permite mover o ‘tempo agora’ para um
marcador, adicionar um novo marcador no ‘tempo agora’ e editar a lista de marcadores.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
8

O atual projeto possui vários marcadores. Vamos tentar tocar a partir do marcador ‘C’:
1. Se o projeto estiver tocando, pare-o.
2. Na caixa de combinação do marcador atual na barra de ferramentas marcadores (no
canto esquerdo), selecione o marcador ‘C’. O ‘tempo agora’ move para o início do
compasso 17.
3. Clique em Play
Você pode pular para o próximo marcador ou anterior selecionando Ctrl+Shift+Page
Down ou Ctrl+Shift+Page Up.
Reiniciando o projeto Automaticamente
Não seria mais fácil você praticar seu solo se você não tivesse que voltar e reiniciar o
projeto toda vez que chegasse ao fim? Ao invés de voltar manualmente e reiniciar seu projeto,
você pode fazer o SONAR voltar automaticamente ao início.
Criando um retorno (loop) do projeto inteiro
Para controlar as voltas (loop), use as ferramentas Loop/Auto Shuttle. Se você não
estiver vendo-as, clique em View-Toolbars e selecione Loop.

Para voltar o projeto inteiro, faça o seguinte:
1. Na barra Loop, clique no início do tempo. Agora você pode digitar...
2. Para voltar ao início você deve digitar 1:01:000. Se já não estiver este valor, use o
teclado do computador ou as setas de controle. Você pode simplesmente digitar 1 ficar
1:01:000.
3. Clique no tempo final da volta
4. Pressione F5 para abrir a caixa de diálogo dos marcadores.
5. Selecione o marcador chamado <End> e clique OK. O tempo final da volta será
automaticamente preenchido com o tempo do final do projeto.
6. Clique no botão de volta para ativar a volta.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
9
7. Clique Play

Quando o loop estiver ativo, a régua do tempo (Time Ruler) mostra alguns marcadores
especiais que indicam o início e término do loop. Você pode arrastar estes marcadores para
mudar o loop.

Para desativar loop, clique no botão de loop novamente.
Fazendo um loop pular uma seção
Talvez você queira praticar uma seção de um projeto muitas vezes. Ou talvez, você
queira que uma seção seja repetida até que você pratique um grande solo. Em ambos os
casos, você precisa configurar o tempo de início e término da seção do loop. Vamos fazer o
SONAR retornar a seção entre os marcadores C e D:
1. Na barra de ferramentas de loop, clique em Loop From
2. Pressione F5 para abrir a caixa de diálogo dos marcadores
3. Selecione o marcador C e clique OK. O tempo inicial do loop é configurado no tempo do
marcador.
4. Na barra de ferramentas de loop, clique no campo Loop Thru
5. Pressione F5
6. Clique no marcador D e então OK
7. Clique no botão Loop para ativar o loop
8. Clique Rewind. O projeto volta para o tempo Loop From
9. Clique Play

Uma forma rápida de selecionar o tempo do loop no exemplo anterior seria
simplesmente clicar na área entre os marcadores no topo do Painel dos Clips e então clicar em
para copiar os tempos de início e término da seleção para a barra de ferramentas
LoopAuto Shuttle.

Mudando o tempo
Se o projeto está lhe dando trabalho, você pode facilmente aumentar ou diminuir a
velocidade de andamento, desde que eles contenham apenas dados MIDI. Há duas formas de
fazer isto: mudando o tempo ou a taxa de tempo (determina o tempo multiplicando-o por um
valor definido). As duas formas de faze, você encontra na barra de ferramentas Tempo.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
10

Configurando o Tempo
Vamos ter um pouco de paciência. Faça o seguinte:
1. Com o projeto tocando, clique no campo tempo na barra de ferramentas Tempo. O
tempo ficará selecionado e então surge setas de controle.
2. Digite o tempo para 100 batidas por minuto
3. Pressione Enter. O projeto tocará um pouco mais rápido.
Mudando o tempo com os botões de taxa de tempo

Por padrão, os botões da taxa de tempo permitem que você toque o projeto na metade
ou no dobro do tempo. Tente isto:
1. Clique no primeiro botão . O projeto vai para a metade do tempo normal. Note que o
valor mostrado no tempo não muda.
2. Clique no terceiro botão . O projeto aumenta a velocidade duas vezes do normal.
3. Clique no botão do meio . O projeto volta ao tempo normal.

Nota: os botões das taxas de tempo não funcionam em projetos contendo áudio digital.
Configurando Taxas de Tempo
As taxas de tempo podem ser alteradas segurando-se a tecla shift, clicando sobre a
barra de ferramentas Tempo e digitando um novo número. Por padrão, as taxas de tempo
estão configuradas em 0.50, 1.00 e 2.00 respectivamente.
Controle Avançado do Tempo
Este projeto possui apenas um tempo para todo o projeto. Se você quiser variar o
andamento do projeto, o SONAR permite que você insira mudanças de tempo. As mudanças
de tempo podem ser inseridas individualmente possibilitando seções serem tocadas em
diferentes tempos ou você pode inseri-las graficamente na Visualização de Tempo.
As mudanças de tempo afetam o projeto inteiro mesmo se ocorrer mudanças de tempo.
O SONAR sempre multiplica o tempo atual no projeto pela taxa de tempo determinada para
tocar.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
11
Silenciando (Muting) e Solando (Soloing) Trilhas
Silenciar uma trilha faz com que o som não saia quando você toca seu projeto. Solar
uma trilha faz com que todas as outras trilhas sejam silenciadas exceto a que está solada.
Você pode mudar para solo ou mute uma trilha enquanto o projeto estiver tocando.
Silenciar uma Trilha
Você pode desativar temporariamente um ou mais instrumentos na sua música. O
SONAR faz isto facilmente em todas as partes que você não queira ouvir.
Por exemplo, suponha que você esteja praticando a parte de piano deste projeto e quer
ouvir apenas os outros instrumentos. Vamos silenciar a parte de piano. Com o projeto tocando,
faça o seguinte:
1. No Painel das Trilhas, clique no botão Mute da trilha do piano (trilha 1). O botão fica
amarelo e o som da parte do piano desaparece do projeto.
2. Para voltar a ouvir o som do piano, clique no botão mute novamente.

Note que aparece uma luz amarela que indica o MUTE na barra de status toda vez que
uma trilha estiver silenciada (a barra de status está localizada na parte inferior da janela do
SONAR). Isso pode ser muito útil se houver trilhas silenciadas no projeto mas que não estejam
visíveis.
Vamos tentar usar um método diferente para silenciar duas trilhas simultaneamente:
1. No Painel das Trilhas, clique no número da trilha (a coluna mais à esquerda) do piano.
A trilha é selecionada.
2. Enquanto segura Ctrl, clique no número da trilha do Sax. As trilhas de piano e sax são
selecionadas.
3. Botão direito do mouse sobre uma das trilhas selecionadas. Surge um menu suspenso.
4. Escolha Mute (feito isto ficará uma marcação de check ao lado)
O SONAR tira o silêncio de todas as trilhas. Você pode também ativar todas as trilhas
simplesmente clicando o indicador de Mute localizado na barra de status.
Tocando uma Trilha Solo
Se você quiser ouvir apenas uma trilha, você deve silenciar todas as outras. Mas há
uma forma mais rápida para fazer isto – o botão solo. Por exemplo, para tocar apenas a trilha
da bateria, faça o seguinte:
Clique no botão Solo na trilha da bateria (Drum) (trilha 5). Pronto, um solo de percussão.
Para fazer os outros instrumentos voltarem a soar, clique no botão de Solo da bateria
novamente.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
12
Solo não é exclusivo – você pode deixar muitos instrumentos em solo no projeto. Note
que a luz indicadora de SOLO na barra de status aparece toda vez que uma trilha estiver
‘solada’.
Vamos usar um método diferente para solar as 3 partes de percussão.
1. No Painel das Trilhas, clique na trilha da Bateria. A trilha é selecionada.
2. Enquanto segura o Shift, clique na trilha do Triangulo. Todas as três trilhas são
selecionadas.
3. Clique na opção Solo localizado no menu Track.

Quando você quiser voltar a ouvir todo o projeto, basta clicar na luz indicadora de Solo
na barra de status ou então selecionar todas as trilhas solo e escolher Track-Solo. Uma
terceira opção: clique com o botão direito, aparece um menu suspenso e então selecione solo.
Note que Solo tem prioridade sobre o Mute. Se ambos estiverem selecionados numa
trilha, a trilha continua tocando.
Mute e Solo na Visualização de Console
A Visualização de Console possui os botões Mute e Solo idênticos aos da Visualização
de Trilhas. Os dois conjuntos de botões são sincronizados. Faça o seguinte:
1. Na Visualização de Console, mute o Baixo, Sax e Bateria.
2. Sole a trilha de Piano.
3. Na Visualização de Trilhas verifique que a primeira trilha está solada e as trilhas 2, 3 e 5
estão mutadas. Clique nos botões selecionados Solo e Mute para voltar ao normal.
Mudando um Instrumento de uma Trilha
Se sua placa de som for como a maioria delas são, então ela é capaz de reproduzir pelo
menos 128 diferentes instrumentos além de vários sons de percussão. Agora você verá como
trocar os instrumentos. Vamos tentar mudar o instrumento da trilha do piano.
Mudando o Timbre na Visualização de Trilhas
Com o projeto tocando, faça o seguinte:
1. Sole a trilha de piano.
2. Loop o projeto ou uma parte do projeto e clique Play.
3. Na trilha do piano, localize o controle Pch. Clique na seta localizada no canto direito do
controle do patch (o nome patch deve estar algo como Acoustic Grand Piano).
4. Para mudar o timbre, selecione um novo patch no menu. SONAR fecha
automaticamente o menu e imediatamente começa a tocar a trilha do piano com o novo
instrumento.
5. Divirta-se e tente outros timbres diferentes!
6. Clique no botão Solo na trilha 1 novamente para tirar o solo da trilha Piano.
Você pode mudar o timbre em outros trechos no projeto ao invés do início usando o
comando Insert Bank / Patch Change.
1. Pare a execução
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
13
2. Selecione a trilha na qual você quer inserir uma mudança de timbre clicando sobre o
seu número.
3. Clique na régua do tempo, no lugar que você quer inserir a mudança de timbre
4. Use o comando Insert Bank / Patch Change. Surge uma caixa de diálogo.
5. Escolha o timbre no campo Patch e clique OK.
6. Clique em lugar antes de onde você inserir a mudança de timbre e clique Play.
7. Escute até que a mudança de timbre ocorra.

Você pode experimentar mudanças de timbre em todos os instrumentos do projeto.
Uma coisa você deve se lembrar: as mudanças de instrumento em uma trilha de percussão (tal
como a Bateria, Shaker ou Triangulo) pode não ter efeito. Os instrumentos de percussão são
tocados no canal 10, que no General MIDI é exclusivo para percussão. A nota é que determina
o instrumento da percussão e o timbre é irrelevante.
Mudando o timbre na Visualização de Console
Você também pode mudar o timbre de uma trilha na Visualização de Console. Por
exemplo, para mudar o timbre da trilha do Piano, clique no botão Patch no módulo de Piano e
escolha um novo patch do menu.
Tocando Música em um Teclado Eletrônico
Se você tiver um teclado MIDI conectado (ou outro instrumento) ao seu computador
através da interface MIDI da sua placa de som, você pode tocar uma ou mais trilhas do projeto
no teclado ao invés do som da placa de som.
Tutorial 2 – Gravando MIDI
Neste tutorial você aprenderá como gravar MIDI no SONAR.
Criando um Novo Projeto
A primeira coisa que você precisa fazer é criar um arquivo de projeto:
1. Escolha File–New
2. Na caixa de diálogo “New Project File”, selecione o modelo MIDI.
3. Clique OK.

O SONAR abre um novo projeto, contendo apenas trilhas MIDI.
Gravando uma trilha MIDI
Primeiramente precisamos configurar o metrônomo para auxiliar na gravação.
Configurando o Metrônomo
Os músicos normalmente usam o metrônomo para seguir o tempo. O metrônomo do
SONAR é mais versátil do que muitos metrônomos reais. Você pode configurar o som tanto na
execução quanto na gravação; ele pode contar qualquer número de compassos ou batidas
antes de começar a gravar; ele pode usar o alto-falante do PC ou notas MIDI para produzir
sons; podendo acentuar o primeiro tempo de cada compasso. Ele acompanha qualquer
mudança de tempo que possa ocorrer no projeto.
Você pode configurar o metrônomo com a barra de ferramentas metrônomo. Se você
não estiver vendo-a, clique em View-Toolbars e selecione Metronomo.


SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
15
Vamos configurar o metrônomo para executar 2 compassos de entrada no auto-falante
do computador. Faça o seguinte:
1. Na barra de ferramentas do metrônomo, clique na caixa Count-in
2. Use os botões + ou – para chegar ao valor 2.
3. Clique na opção de compasso do Count-in .
4. Desmarque a opção do metrônomo durante a gravação
5. Selecione a opção de usar o auto-falante do PC
6. Desmarque a opção de usar o metrônomo MIDI

Desativando a opção do metrônomo durante a gravação, você faz com que o
metrônomo se desligue depois de contar o número de compassos predefinido no Count-in. Se
você preferir ouvir o metrônomo durante a gravação, ative a opção .
Neste exemplo, o metrônomo conta antes da gravação e pára durante a execução.
Configurando entradas MIDI
Vamos ter certeza que o SONAR está configurado para receber dados MIDI do seu
instrumento.

1. Escolha Options-MIDI Devices para abrir a caixa de diálogo dos dispositivos MIDI.
2. Na coluna de entradas, selecione a opção da sua placa de som ou MIDI externo.
3. Clique Ok.

Configurando Execução
Durante a gravação, o SONAR tocará as pausas de um projeto. Dependendo em qual
parte de instrumento do projeto você estiver gravando, você pode silenciar uma ou mais trilhas
ou solar outras. Por exemplo, se você estiver gravando uma parte de piano, você pode silenciar
uma parte de piano anterior (velha) para não atrapalhar a sua execução (você também pode
gravar por cima da antiga –arme a trilha do piano e certifique-se de ativar a opção de Overwrite
nas opções de gravação – Transport-Record Options).
Já que este é um novo projeto, não há necessidade de silenciar ou solar qualquer trilha.
Você também pode configurar outras opções de execução, tal como a taxa de tempo,
para deixar sua gravação mais fácil.
Gravando MIDI
Agora você gravará uma trilha no projeto. Faça o seguinte:
1. Certifique-se que seu instrumento está ligado e configurado para transmitir dados
MIDI.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
16
2. Se você não possui uma trilha sem dados (não usada) no seu projeto, crie-a uma
nova clicando com o botão direito no Painel das Trilhas e selecione Insert MIDI
Track.
3. Numa trilha MIDI, clique no botão de armar (armando uma trilha,
automaticamente configura o campo de entrada para MIDI Omni, significando que
esta trilha está apta a receber os dados vindos de qualquer canal MIDI).
4. Na barra de transporte clique em Gravar , ou pressione r.

O metrônomo conta dois compassos de entrada e então o SONAR começa a gravar.
1. Toque no seu instrumento MIDI
2. Quando terminar a gravação, clique no botão parar ou então pressione a
barra de espaços.

Se você tocou algumas notas, um novo clip aparece no Painel de Clips na trilha que você
gravou.
Ouvindo a gravação
Vamos ouvir sua gravação na sua placa de som. Faça o seguinte:
1. Mostre os controles da trilha que você gravou clicando no botão restaurar ou
arrastando o controle de zoom vertical localizado no canto inferior direito do Painel dos
Clips.
2. Clique na seta do campo Out para exibir as opções disponíveis.
3. Selecione sua placa de som (se você não estiver vendo o que você espera, use o
comando Options-MIDI Devices para ativar as saídas)
4. No campo Ch, clique na lista para selecionar o canal MIDI e selecione um canal que
não esteja sendo utilizado.
5. No campo Pch, selecione qualquer timbre
6. Escolha View-Piano Roll para ativar a Visualização de Piano Roll
7. Escolha View-Staff para abrir a Visualização da Pauta
8. Escolha View-Event List para abrir a Visualização da Lista de Eventos
9. Escolha Windows-Tile in Rows para organizar as janelas de visualizações
10. Para retornar o início do projeto clique no botão Rewind ou pressione w.
11. Clique play ou pressione a barra de espaços para iniciar a execução.

As Visualizações de Piano Roll, Pauta, e Eventos, mostram as mesmas informações
básicas – as notas que você tocou na gravação. O Piano Roll mostra as trilhas como se fosse
um piano de rolo. A pauta mostra as notas na notação tradicional. A lista de eventos mostra
todos os eventos MIDI para cada trilha. Quando quiser editar um trilha, você pode trabalhar em
qualquer uma destas visualizações. Você pode usar várias visualizações.
Quando você estiver pronto para continuar, feche as Visualizações de Piano Roll, pauta
e eventos.
Gravando outra ‘tomada’
Talvez sua primeira performance não tenha sido a melhor possível. Se você quiser
remover sua primeira gravação e tentar novamente, faça o seguinte:
1. Escolha Edit-Undo Recording ou pressione Ctrl+Z para desfazer sua gravação.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
17
2. Clique Rewind , ou pressione w. A trilha continua armada, então você não precisa
re-armar
3. Clique Record ou pressione r.
4. Quando você terminar a gravação,clique no botão parar ou pressione a barra de
espaços.

Você também poderia gravar uma outra tentativa em uma nova trilha. Depois você
escolheria a que melhor ficou. Também é possível combinar trechos de várias trilhas. Se você
for gravar em uma nova trilha, lembre-se de desarmar a trilha anterior.
Salvando seu trabalho
Quando você quiser guardar seu trabalho, lembre-se de salvar o projeto fazendo o
seguinte:
1. Escolha File-Save As
2. Na caixa de Nome de Arquivo, digite um novo nome de arquivo
3. Clique Ok.

O SONAR salva o projeto com o nome digitado. A partir de agora é só clicar no botão salvar
para salvar suas alterações no projeto.
Gravação em Loop
Se você quiser que o SONAR grave várias tomadas sucessivamente, você pode
configurar o SONAR para gravar em loop de todo o projeto, ou apenas em uma seção. O
SONAR gravará uma nova trilha durante cada loop, armazenando cada tomada em um novo
clip. Você pode configurar o SONAR para colocar cada clip em uma nova trilha ou empilhar
todos os clips em uma única trilha.
Vamos tentar gravar uma nova tomada dos primeiros quatro compassos de um projeto,
colocando cada tomada em uma nova trilha.
Configurando o Loop
Primeiro vamos configurar o SONAR para retornar os quatro primeiros compassos:
1. Clique na seta do botão de Snap to Grid para abrir a caixa de diálogo.
2. Clique no botão Musical Time e selecione Measure na lista de durações. No campo
Mode, selecione Move To, e clique Ok para fechar a janela.
Agora você pode selecionar blocos de compassos inteiros na régua de tempo, localizada no
topo do Painel dos Clips.
3. Na régua do tempo, arraste do 1° até o 4° compasso para seleciona-los
4. Na barra de ferramentas Loop/Auto Shuttle, clique no ícone para configurar a
seleção para se tornar Loop. Os campos Loop From e Loop Thru serão preenchidos
automaticamente.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
18

Configurando as Trilhas
Agora vamos configurar a primeira trilha onde os dados serão armazenados:
1. Arme a trilha MIDI clicando no botão
2. Clique no campo de saída para selecionar o sintetizador da sua placa de som
3. Use o campo Ch para um canal não utilizado
4. Use o campo Pch para selecionar um instrumento

Você também pode configurar as trilhas para tocar no seu instrumento MIDI especificando a
saída e o canal específicos.
Gravação em Loop
Finalmente vamos gravar nossa tomada:
1. Escolha Transport-Record Options para mostrar as opções de gravação
2. Escolha a opção para armazenar em trilhas separadas
3. Clique Ok
4. Clique Rewind
5. Clique Gravar

O SONAR repete a seção selecionada e grava cada repetição em uma trilha separada. Se
você quiser apagar a tomada mais recente, durante a fase de gravação, escolha Transpor-
Reject Loop Take.

1. Para parar a gravação, clique em Parar ou pressione a barra de espaços
2. Agora você pode ouvir para tomada individualmente silenciando as outras ou
solando a que você quer ouvir.
Gravação Punch-In (tempo pré-determinado)
Suponha que uma das suas tomadas foi a ideal, exceto por uma ou duas notas em um
determinado compasso. Ao invés de gravar tudo novamente, você gravar só o compasso que
ficou errado.
A gravação Punch-In permite você substituir uma seção de uma trilha. A forma de fazer
isto pe: Primeiro você configurar o compasso de início e término da seção que você quer
substituir e aciona a gravação Punch. Então, você arma a trilha e inicia a gravação. Você pode
tocar desde o início para ‘pegar’ o tempo. No entanto, nada será gravado até que o Tempo
Agora chegue o tempo de início do Punch. Durante o Punch, o material já armazenado na trilha
será substituído com o que você gravou. Quando o Punch chegar ao final, o projeto continuará
tocando mas a gravação pára.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
19
Vamos tentar. Suponha que você queira substituir alguns compassos da gravação feita
anteriormente neste tutorial.
1. Na barra de ferramentas de Gravação, clique em Punch In Time (Tempo de Entrada)
2. Digite o número do compasso que você quer iniciar a gravação e pressione Enter
3. Clique no campo Punch Out Time (Saída de Tempo) do Punch
4. Digite o número do compasso que você quer terminar a gravação e pressione enter.
5. Selecione Auto Punch na lista de opções disponíveis
6. Arme a trilha que você quer gravar
7. Se loop estiver ativado, clique no botão para desativa-lo
8. Clique Rewind
9. Clique Record

Toque desde o início até que o Punch chegue ao tempo final e então clique Parar.
Repita sua tomada para ouvir a diferença. Se não estiver correto, tente novamente.
Um método diferente seria selecionar os compassos clicando e arrastando na régua do
tempo, então clicaria com o botão direito e escolheria Set Punch Points.
Quando Auto Punch estiver ativado, a régua de tempo mostra marcadores especiais
que indicam o tempo de início e término. Você pode arrastar estes marcadores para altera-los.

Tutorial 3 – Gravando Áudio Digital
Configurando a taxa de amostragem
Cada projeto do SONAR tem um parâmetro que especifica a resolução da taxa de
amostragem para todos os dados de áudio digital. Você deve configurar estes parâmetros
antes de gravar qualquer áudio digital.
Para configurar a taxa de amostragem:
1. Escolha Options-Audio para abrir a caixa de diálogo das opções de áudio
2. Clique em General
3. Nas configurações padrão para Novos projetos, selecione a taxa de amostragem. Para
sons na qualidade de CD, use 44100Hz.
4. Clique OK.
Baixas taxas de amostragem economiza espaço em disco porém resulta em áudio de
baixa qualidade. Antes começar a gravar projetos importantes, experimente diversas taxas para
determinar qual a melhor para as suas necessidades.
Configurar o driver da resolução (bit depth)
Os drivers da maioria das placas de sons usam algo entre 16 e 24 bits para manipular e
calcular os dados para o processamento do áudio. CDs usam 16 bits. Você pode
possivelmente obter melhor qualidade sonora se gravar em altas taxas de resolução e depois
converter para 16 bits quando for masterizar seu projeto, mas lembre-se que 24 bits de áudio
consome 50% a mais de memória do que 16 bits, provavelmente a capacidade de
armazenamento e velocidade de operação do seu computador vai ser prejudicada.
A documentação da placa de som deve ter alguma informação sobre a escolha da
resolução do áudio a ser usada.
Para configurar a resolução do driver:
1. Use o comando Options-Audio para abrir a janela
2. Em General, localize o campo Áudio Driver Bit Depth e selecione uma das opções
3. Clique OK.
Configurar a Resolução do Som (Bit Depth)
A resolução é o tamanho de blocos de memória que o SONAR aloca para armazenar os
dados de áudio. O SONAR aloca memória em bytes de 8 bits. Se você estiver usando um
driver de resolução de 16 bits, escolha uma resolução de 16. Se você estiver usando um driver
de resolução maior do que 16, use uma resolução de 24.
Para configurar:
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
21
1. Use o comando Options-Audio para abrir a janela
2. Em General, localize o campo Áudio Bit Depth e selecione 16 ou 24.
3. Clique OK.
DICA: Todo projeto de música você deve usar pelo menos os valores padrão do CD. 44100Hz,
16 Bit.
Criar um Novo Projeto
Vamos criar um novo projeto para este tutorial.
1. No menu File selecione New
2. Selecione o modelo Normal e clique Ok
Configurando uma pista de áudio
1. Insira uma nova pista fazendo o seguinte: no Painel Track, clique com o botão direito
abaixo da última pista, ou toda vez que você quiser inserir uma pista, e escolha Insert
Audio Track no menu suspenso. Surge uma nova pista de áudio
2. No campo Out da pista, clique na seta e selecione uma saída de áudio.
3. No campo In da pista, escolha uma entrada de áudio. Normalmente você seleciona o
canal esquerdo da sua placa de som para gravar pistas mono.
Verificando os níveis de entrada
Antes de gravar, você precisa verificar e ajustar o nível de entrada do sinal do áudio. Se
o nível de entrada da sua placa de som for muito baixo, você terá muito ruído de fundo. Se for
muito alto, você terá muita distorção (clip- não é o clip do Painel dos Clips). Antes de verificar
os níveis de entrada, certifique-se que o botão Show Record VU Meter na pista está
selecionado. Você pode arrastar a barra que separa o Painel das pistas do Painel dos Clips
para a direita para ver todos os botões na barra de ferramentas da pista.
Para verificar os níveis de entrada:
1. Clique no botão Arm na sua pista de áudio. O medidor da pista se torna o medidor
de gravação. Você pode usar o controle de zoom vertical (Vertical Zoom Control)
localizado o canto inferior direito do Painel Clips para ver o medidor da pista.
2. Fale no microfone ou toque se estiver usando algum instrumento, como se você
estivesse já gravando. Veja que o medidor responde à pressão sonora produzida. Se o
medidor não responder, você pode aumentar o volume do seu instrumento. Também,
certifique-se que o botão Audio Engine no menu Transport esteja selecionado.
Se você continuar não vendo qualquer movimento no medidor, pode ser que haja algum
problema na entrada do áudio.
1. Se o medidor nunca chegar o máximo, aumente o nível de entrada usando o mixer
do windows ou do software da sua placa de som (se você estiver gravando de um
instrumento ligado a um amplificador, microfone preamplificado, aumente-os).
2. Se o medidor ocasionalmente chegar ao máximo, diminua o nível de entrada.

SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
22
Tente deixar o mais alto possível, mas nunca deixe distorcer. Assim, você obterá o
melhor sinal possível (relação sinal x ruído).
Os medidores (meters) do SONAR são extremamente ajustáveis para mostrar qualquer
tipo e variação de dados
Gravando Áudio Digital
É hora de gravar.
1. Configure o metrônomo para uma contagem de dois compassos de entrada.
2. A pista está pronta para gravação
3. Na barra de transporte clique em Record , ou pressione r no teclado do seu
computador.
Você ouvirá a contagem de dois compassos e então comece a gravar.
1. Vá em frente e toque!
2. Quando você terminar a gravação, clique no botão Stop ou pressione a barra de
espaços.
Um novo desenho da onda aparece no Painel Clips. Se nenhum desenho aparecer,
clique com o botão direito no Painel Clips e escolha View-Options para abrir as opções de
visualização da pista- certifique-se que selecionar Display Clip Names e Display Clip
Contents.
Ouvindo a Gravação
Vamos executar a sua gravação. Faça o seguinte:
1. No campo Out da trilha, clique na seta para baixo para visualizar as saídas disponíveis
e selecione a saída estéreo da sua placa de som.
2. Para retornar ao início da sua música clique no botão Rewind.
3. Desarme a trilha clicando novamente no botão Arm – isto altera a visualização do
medidor de nível para a execução. A trilha é desarmada quando o botão Arm não
estiver aceso.
4. Clique Play
5. Observe o medidor da trilha. Se o nível não for o que você esperava, grave novamente.
Gravando outra Tomada
Desfaça a gravação e tente novamente:
1. Escolha Edit-Undo Recording para desfazer a gravação ou pressione Ctrl+Z
(desfazer)
2. Clique Rewind ou pressione w.
3. Certifique-se de que a trilha esteja armada para gravação
4. Clique Record .
5. Quando terminar de gravar, clique no botão Stop ou pressione a barra de
espaços.

Você também pode gravar uma segunda tentativa em outra trilha.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
23
Monitorando a Entrada
O SONAR tem uma característica chamada input monitoring (monitorando a
entrada) que possibilita você ouvir qualquer instrumento conectado (plugado) na placa de som
sempre que você estiver fazendo uma gravação ou não. Você pode ouvir seu instrumento,
incluindo qualquer efeito plug-in, sempre que o monitoramento estiver ativado e o botão da
‘máquina de áudio’ (Audio Engine) localizado na barra de transport estiver pressionado.
Você ativa o monitoramento de entrada usando no menu Options-Audio para visualizar a
caixa de diálogo e na aba Input Monitoring selecionando sua placa de som.
Cuidado: Se você tiver qualquer tipo de retorno no mixer, pode acontecer de a saída da
placa de som criar um ‘feedback’ (retorno) do sinal e surgir um eco. Baixe o nível da entrada da
placa de som. Desligue as caixas de som toda vez que você ativar o monitoramento de entrada
e aumente o volume gradualmente até o retorno desaparecer. Se você ouvir o feedback,
clique no botão Áudio Engine localizado na barra de ferramentas de transport, para
desativa-lo. Usar a opção “What-you-hear” (o que você ouve) da placa de som, faz com que
apareça o feedback, se a opção de monitoramento de entrada estiver ativada.
Gravação em Loop e Punch-In
As gravações em loop e Punch-In no áudio digital funcionam da mesma maneira para a
gravação MIDI. Qualquer dúvida reveja o Tutorial 2.
Gravando Múltiplos Canais
Se você quer gravar todo o conjunto musical no computador e você tiver o equipamento
apropriado, você pode gravar vários instrumentos ao mesmo tempo. Se você possui vários
instrumentos MIDI, você pode rotear suas entradas diretamente para a placa de som através
de um ‘MIDI merger’ (equipamento próprio para mixar vários instrumentos MIDI – sua placa de
som provavelmente só possui uma conexão MIDI). Os dados que chegam de diferentes canais
MIDI podem ser direcionados para diferentes trilhas. Da mesma forma, uma placa de som
comum pode gravar áudio nos canais direito e esquerdo – cada um pode ser gravado em uma
trilha diferente escolhendo como entrada de uma trilha o canal direito e a outra trilha como
entrada o canal esquerdo. Placas de sons com múltiplas entradas/saídas expandem o número
de entradas possíveis.
Tutorial 4 – Editando MIDI
O SONAR possui muitas características MIDI poderosas para poder ser vista em
apenas um tutorial. Então vamos ver algumas características básicas e a edição de Slip e
envelopes MIDI, bastantes interessantes.
Neste tutorial, comece abrindo o arquivo tutorial4.cwp na pasta dos Tutorials.
Transpondo
Veja duas formas de transpor dados MIDI no SONAR:
1. Você pode usar o comando Process-Transpose para transpor os dados selecionados
2. Você pode usar o controle Key+ para uma trilha específica – o controle Key+ está
localizado, juntamente com outros parâmetros de controle, no Painel das Trilhas. Este
método faz com que a trilha toque, mais alto ou mais baixo (freqüências) definido pelo
número de passos (semitons) que você coloca no contorle Key+. Esta forma é uma
edição ‘não-destrutiva’ que não altera as notas dos dados originais, mas adiciona um
‘offset’ (deslocamento) quando a música é tocada.
Para transpor o arquivo do Tutorial
1. Selecione todas as notas na TRILHA DO BAIXO clicando no número da trilha. O
número da trilha deve ficar numa cor diferente das outras.
2. Selecione todas as notas na TRILHA DO ÓRGÃO segurando a tecla Ctrl e clicando no
número da trilha. Ctrl+cliques permite você selecionar múltiplas seleções.
3. Use o comando Process-Transpose para abrir a caixa de diálogo de Transposição.
4. Digite –2 (2 negativo) no campo Amount e clique Ok.
5. Ctrl+clique nas duas trilhas novamente para tirar a seleção.

O SONAR transpõe todas as notas, das duas trilhas, em 1 tom (2 semitons). Escolha a
saída MIDI das trilhas e toque o projeto. Você pode desfazer a transposição apertando as
teclas Ctrl+Z e se quiser refazer a transposição aperte Ctrl+Shif+Z.
Copiando Clips com Arrastar e Soltar (Drag and Drop)
O primeiro clip na trilha do baixo possui dois compassos de comprimento; podemos
facilmente copia-lo para ficar com oito compassos de tamanho. Quando copiamos alguns clips
já existentes, podemos torna-los ‘clips linkados’. Quando você editar um clip linkado, o
SONAR altera a mesma edição em todos os outros clips que estão linkados a ele.
Para copiar clips usando Arrastar e Soltar
1. Na barra de ferramentas da Visualização da Trilhas, clique na ‘seta para baixo’ do
ícone Snap to Grid.
2. Certifique-se que o botão ‘Musical Time’ esteja selecionado, e na lista ao lado
direito dele, selecione measure.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
25
3. No campo Mode, selecione ‘Move By’ e clique Ok. Agora podemos mover apenas
os clips no Painel de Clips pela distância exata de um ou vários compassos.
4. Segure a tecla Ctrl e arraste o primeiro clip na trilha do baixo para a direita e solte o
botão do mouse quando o início do clip estiver no compasso 3. Aparece as opções
de Clicar e Arrastar
1
. Clique OK – o SONAR coloca uma cópia do clip nos
compassos 3 e 4. Ctrl+clique copia e move um clip enquanto só arrastar sem
segurar o Ctrl apenas move o clip sem copia-lo.
5. Agora vamos copiar um clip e linka-lo: Segure Ctrl, clique no clip do compasso 3 a 5
e arraste para o inicio do compasso 5. Quando a janela das opções aparecer, clique
na opção Copy Entire Clips as Linked Clips e clique OK. O SONAR coloca o clip
linkado nos compassos 5 e 6. Os dois clips linkados possui uma linha pontilhada
para indicar que são linkados.
6. Faça outra cópia linkada de um dos clips linkados e coloque no compasso 7 e 8.
Observe que esta cópia irá sobrepor o clip do compasso 9, então certifique-se que a
opção Blend Old and New está marcada na caixa de diálogo das opções de
arrastar e soltar. Já que nenhuma das notas nos dois clips se sobrepõe, a
combinação dos dois clips não faz nenhuma mudança dos seus dados.

Agora você possui cópias linkadas nos compassos 3 a 8: quando você editar qualquer
um desses três clips, o SONAR altera os outros dois clips linkados.
Editando Notas no Piano Roll
O Piano Roll do SONAR lhe dá um controle completo das propriedades das notas.
Vamos editar algumas notas.
Para Editar Notas no Piano Roll
4. Dê dois cliques no primeiro clip do baixo para abrir a Visualização do Piano Roll. No
Piano Roll você pode usar as setas de movimentação para cima e para baixo do teclado
do computador para mover as notas para melhor visualização. (as setas a esquerda e
direita)
5. Arraste o controle de zoom horizontal (no canto inferior direito do Painel das notas) para
aumentar a largura dos dados das notas e facilitar a edição.
6. Na barra de ferramentas do Piano Roll, clique com o botão direito no botão Snap to Grid
para abrir a caixa de diálogo (as configurações do Snap to Grid são independentes
em cada tipo de visualização)
7. Certifique-se que a opção Musical Time esteja selecionada e na janela à direita
selecione ‘Eighth – colcheia’
8. No campo Mode, escolha a opção Move By e clique OK. Agora você só pode mover os
dados em distâncias exatas de uma ou mais colcheias
9. Na barra de ferramentas clique na ferramenta Draw (desenhar) para ativa-la.
10. Localize a nota que começa no início do 3° compasso e arraste para a esquerda em
meio tempo e solte o botão do mouse.

O SONAR move a nota para a esquerda em uma colcheia e também move as notas
idênticas dos outros dois compassos linkados.

1
Se as opções de Arrastar e Soltar não aparecer, você deve ir ao menu Options-Global-Editing e marcar a opção
Ask Every Time
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
26
1. Arraste para o local original a nota anteriormente modificada
2. Feche a Visualização de Piano Roll

Se você quiser desfazer os links quando você terminar de edita-los, selecione os clips e
com o botão direito do mouse escolha a opção Unlink do menu popup e selecione
‘Independent – Not Linked At All’ e clique Ok.
Você também pode usar a ferramenta de desenho (Draw) para mover as notas para
cima ou para baixo, bem como colocar novas notas.
Edição de Slip
Agora vamos conhecer um dos recursos mais interessantes do SONAR: Edição de Slip.
Este recurso permite você arrastar as bordas de início e/ou término de um clip para ocultar
notas ou dados MIDI (também funciona para clips de áudio). O SONAR não deleta estas notas
ou dados. Só não os executa. Assim que você arraste novamente as bordas e veja as
informações no clip, o SONAR as executa novamente. A Edição de Slip é uma forma rápida e
conveniente para você tentar diferentes sons sem ter que apagar qualquer informação. Você
também pode deixar as bordas dos clips inalteradas e apenas arrastar os dados contidos nele,
processo chamado de ‘scroll-trimming’. O scroll-trimming muda a colocação rítmica dos dados
sem mudar as bordas dos clips.
Edição de Slips no Tutorial4.cwp
1. Arraste o controle de zoom horizontal no Painel dos Clips para que fique somente 2
compassos na tela
2. Clique na seta do Snap to Grid e escolha Musical Time, Eighth e Move By
3. No Painel dos Clips da trilha do Órgão, coloque o cursor na borda direita do primeiro clip
até que o a seta mude de formato para um quadrado. Clique e arraste a borda para a
esquerda até que os dados MIDI do compasso 6 desapareçam.

Agora você não pode ouvir essas notas.
1. Arraste o final do segundo clip para a esquerda para ocultar o glissando
2. No 3° clip segure as teclas Alt e Shift e arraste apenas os dados internos do clip para a
esquerda aproximadamente em uma colcheia.

Experimente o máximo possível de combinações, tudo sem destruir nenhum dado.
Desenhando Envelopes MIDI
Os envelopes MIDI são linhas e curvas que você desenha no Painel dos Clips para
atuar sobre os dados MIDI. Cada envelope produz controles contínuos sobre um dos seguintes
parâmetros: volume, pan, chorus, reverb, automação de mute ou controladores MIDI. Você
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
27
pode mostrar ou ocultar qualquer envelope que você cria mas os envelopes continuarão sendo
executados. Neste tutorial, vamos criar envelopes de volume MIDI.
Para desenhar e editar envelopes de volume MIDI
1. No Painel dos Clips na trilha do Órgão, clique com o botão direito e escolha Envelopes-
Track-Volume no menu popup

O SONAR cria uma linha azul na trilha do órgão com dois pequenos quadrados (nó –
controle) no início e no fim. Se a trilha tiver um volume inicial, a linha mostrará o volume. Se
não, ele mostrará um valor padrão.
1. Mova o ‘Now Time’ para o próximo marcador selecionando as teclas Ctrl+Shift+Page
Down; o marcador se chama ‘Verse’ e está localizado no 9° compasso. Ajuste o
controle de zoom horizontal para que o marcador fique visível na régua do tempo (Time
Ruler)
2. Coloque o cursor do mouse no 4° tempo do compasso 8, até que ele mude para uma
seta de dois sentidos (seta p/ cima e p/ baixo), clique com o botão direito e escolha Add
Node do menu popup. Um atalho para adicionar um nó é dar dois cliques na linha.
3. No início do 9° compasso, adicione outro nó.
4. Leve o cursor do mouse sobre o nó (aparece uma seta cruzada) e arraste o nó para
baixo dos dados MIDI no início do clip.
5. No 4° tempo do 12° compasso, adicione outro nó e arraste para a parte superior da
trilha. Agora você possui um aumento gradual (volume) de 4 compassos na trilha do
órgão.
6. No início o 13° compasso adicione outro nó e arraste para baixo dos dados MIDI no
início do compasso
7. Clique com o botão direito na linha dos dois últimos nós e escolha Slow Curve do menu
popup. O SONAR muda a linha para uma curva. Agora o volume será um pouco mais
gradual.

Agora você possui algumas dinâmicas na trilha. Você pode adicionar mais envelopes se
você desejar. Você também pode copiar e colar envelopes.
Convertendo MIDI para Áudio
Quando você finalizar toda edição dos dados MIDI do seu projeto, você pode converter
as trilhas MIDI para áudio digital tal como Wav, MP3 e outros formatos. Se você estiver usando
um módulo externo, simplesmente conecte a saída do módulo na entrada da placa de som. Se
você estiver usando o sintetizador interno (placa de som), você pode usar a opção “what you
hear” ou “sintetizador wave” ou ainda “mix” nas propriedades de gravação da sua placa de som
para converter as trilhas MIDI.
Para Converter MIDI para Áudio
1. Certifique-se que o botão Áudio Engine esteja desativado.
2. Selecione Options-Audio e clique em Input Monitoring. Certifique-se que o dispositivo
de áudio não esteja selecionado.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
28
3. Crie uma nova trilha de áudio e no campo In coloque Stereo (nome da placa de som)

NOTA: Se você tiver mais de uma placa de som, selecione a que usa o sintetizador interno que
está nas trilhas MIDI.

4. Arm a trilha de destino
5. Mute ou arquive as trilhas que você não quer gravar na trilha de destino
6. Se o metrônomo estiver ativado, desative-o para não gravar o som do mesmo.
7. Volte ao início do projeto e clique no botão Record e clique no botão Stop quando
terminar.

Após terminar, mute as trilhas MIDI que você gravou para não ouvi-las juntamente com a
trilha gravada.

Tutorial 5 – Editando Áudio
Neste tutorial nós veremos como editar um conjunto de arquivos com bateria, baixo,
guitarra e órgão. Veremos como adicionar uma percussão e como editar algumas trilhas já
existentes.
Abrindo o projeto
1. Clique em menu File-Open
2. Abra a pasta ‘Tutorials’ localizado no diretório onde o SONAR foi instalado e selecione o
Tutorial5.cwb

Os dados de áudio são lidos no SONAR e o Tutorial5.cwb abre
Importando um Arquivo Wave
Agora que você já abriu o arquivo, clique no botão Play para ouvir o projeto. O projeto
possui uma trilha de bateria, uma de baixo e 2 de guitarras. Vamos importar uma trilha de
órgão.
Para Importar um Arquivo Wave
1. Clique na seta de ‘Snap to Grid’
2. Clique em ‘Musical Time’ e selecione measure na lista de durações
3. Certifique-se que o botão ‘Snap to Grid’ esteja ativado
4. No Painel das Trilhas, clique com o botão direito e selecione Insert Audio Track
5. Clique no número da trilha que você acabou de criar para seleciona-la
6. Vamos inserir uma nova parte a partir do compasso 18. Então clique na Régua do
Tempo no compasso 18.
7. Selecione File-Import Audio (abre-se a caixa de diálogo)
8. Abra a pasta ‘Tutorials’ localizado no diretório onde o SONAR foi instalado
9. Selecione organ.wav e clique Open
Um novo clip aparece na trilha selecionada a partir do compasso 18.
10. Dê dois cliques no nome da trilha e digite um novo nome: “Órgão” e pressione Enter.
11. Mova o ‘tempo agora’ (Now time) para o início, insira uma nova trilha de áudio, importe
o arquivo ‘maracas.wav’ e nomeie a trilha
Depois de você importar maracas.wav, note que o clip possui cantos arredondados ao
invés de quadrados. Veremos mais informações sobre clips de Groove no próximo tutorial.
12. Insira outra trilha de áudio, importe o arquivo congas.wav (que também é um clips de
Groove) e nomeie a trilha
Movendo e criando Loops nos Clips
Quando você arrasta e solta os clips no Painel dos Clips, as configurações do Snap to
Grid definem a resolução na qual os clips “devem ficar”. Se o Snap to Grid estiver configurado
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
30
em ‘Measures’ e você arrastar um clip entre dois compassos, o clip aparece alinhado o mais
próximo possível ao compasso.
Inserimos dois clips de percussão no nosso projeto que estão “cortados” (só no início) e
precisamos faze-lo tocar várias vezes e não apenas o 1° compasso.
Vamos fazer os dois clips tocarem a partir do 18° compasso até o 28°do projeto.
1. Clique e arraste o clip maracas para o compasso 18 (Snap to Grid deve ser measure)
Aparece a caixa de diálogo com as opções de Arrastar e Soltar. Estas opções serão
apenas para o trecho arrastado. Já que o clip que estamos arrastando em um lugar vazio e
não em um lugar com informações, vamos aceitar as opções padrão.
2. Clique em Ok para aceitar as configurações padrão. O clip agora aparece a partir do
compasso 18.
3. Agora mova o clip congas para o compasso 18 fazendo o mesmo procedimento

Agora vamos criar um loop dos clips de percussão para fazer cópias deles usando as
características de clip de Groove:
1. Mova o cursos para o final do clip maracas até que o cursor fique assim
2. Quando o cursor mudar, clique no final do clip e arraste para a direita até o final do
compasso 28.
3. Faça o mesmo para o clip congas.
Edição Slip de um Clip
Sole as duas guitarras e escute o projeto. Agora vamos combinar essas duas trilhas e
criar um ‘crossfade’ automático entre elas. Antes de fazer isso, vamos ocultar o início da
segunda guitarra para não afetar o crossfade. Para fazer esta tarefa, vamos usar a edição Slip.
1. Desative o Snap to Grid. O as configurações do Snap to Grid também afeta a edição de
Slip.
2. Mova o cursor para cima do início do segundo clip da guitarra.
3. Quando o cursor ficar um retângulo, clique e arraste o início do clip até alcançar o início
da forma de onda.
O início do clip agora fica oculto. Os dados não são apagados, se você não os puder
ver. Os dados Slip-editados continuam no projeto apenas você não os vê ou escuta.
Crossfade Automático
Vamos combinar as duas trilhas e criar um crossfade.
1. Ativa o crossfade automático clicando (ativando) o botão localizado próximo ao
botão Snap to Grid.
2. Clique na seta a sua direita e selecione Default Crossfade Curves e escolha uma
opção (observe que já existe um padrão definido)
3. Certifique-se que nenhum clip esteja selecionado clicando em nenhum clip no Painel
dos Clips
4. Segure a tecla Shift e arraste a segunda guitarra para cima (primeira guitarra) e solte;
escolha a opção ‘Blend Old na New’ das opções da caixa de propriedades de Arrastar e
Soltar. Clique Ok. Segurando a tecla Shift garante que o clip apenas mova-se
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
31
verticalmente e não horizontalmente assim você não precisa ativar o botão Snap to Grid
para manter a mesma posição rítmica de um clip arrastado.
Os dois clips ficam na mesma trilha com um marcador de crossfade sobre os dados. A
primeira guitarra faz um ‘fade out’ e a segunda guitarra faz um ‘fade in’.
Combinando (Bouncing) Trilhas
Quando você termina a edição de algumas trilhas de áudio, você pode memorizar e
simplificar a mixagem bouncing (combinando) algumas trilhas em apenas uma ou duas. Você
pode optar por incluir algum efeito e automatiza-las em uma nova trilha as trilhas que você quer
combinar, reduzindo consideravelmente o uso da CPU.
Vamos combinar as trilhas de percussão em apenas uma:
1. Certifique-se que não haja nenhuma seleção clicando no Painel dos Clips fora de
qualquer clip.
2. Selecione as trilhas que você quer combinar: neste caso Maracas e Congas. Você
também pode sola-las ao invés de seleciona-las.
3. Clique em Snap to Grid para ativa-lo
4. Na régua do tempo selecione do compasso 18 ao 28.
5. Use o comando Edit-Bounce to Track(s) para abrir a caixa de diálogo
6. No campo Destination escolha <8> New Track
7. No campo formato, já que as trilhas originais estão em estéreo, escolha Mix To Single
Track Stereo Event(s), para preservar as características de estéreo.
8. No campo Source Bus(es), certifique-se que o nome da placa de som que você usa
esteja selecionada
9. No campo Mix Enable, marque todas as opções exceto Master FX – você pode incluir
efeitos máster quando você for mixar o trabalho final. Selecionando a opção Mute/Solo
da trilhas, você garante que o SONAR só mixa as trilhas não ‘mutadas’. Se alguma
trilha estiver em solo, esta opção faz o SONAR mixar apenas as trilhas solo.
10. Clique OK.

O SONAR cria uma nova trilha (estéreo) que combina as duas trilhas de percussão.
Agora você pode arquivar (archive) as trilhas antigas de percussão para que elas não
consumam memória. Para fazer isto, clique com o botão direito em cima do número da trilha e
escolha Archive.
Tutorial 6 – Usando Clips de Groove
Clips de Groove são clips de áudio que “conhecem” a duração e altura (afinação) da
fundamental. O SONAR usa estas informações para ajustar os clips nas mudanças de tempo e
para transpor a fundamental para ‘casar’ com as mudanças de altura.
Você pode criar inúmeras repetições de clips dos Grooves simplesmente arrastando
suas terminações na Visualização de Trilhas.
Você pode mudar a altura dos clips de Groove inserindo marcadores de altura na régua
do tempo. O padrão de altura de um clips de Groove de um projeto é C (dó). A nota
fundamental do seu clip de Groove é transposta para o padrão em qualquer parte que se
iniciam com um marcador de altura. Você pode criar e editar clips de Groove na Visualização
de Construção de Loop.
Adicionando Clips de Groove a um Projeto
Há duas formas de adicionar um clip de Groove no projeto. Vamos conhecer as duas.
Para Importar um Clip de Groove
1. Selecione File-New para criar um novo projeto
2. Atribua o padrão de altura para E clicando na seta da barra de ferramentas Marcadores.

3. Clique no botão Rewind (w)
4. Selecione a trilha 1
5. Selecione File-Import Audio
6. Na pasta dos tutoriais escolha o arquivo 100fx.wav

Os cantos arredondados do clip indicam que são clips de Groove. Antes de importar
outro loop, vamos dar um nome à trilha. Dois clique no título da trilha e digite o nome ‘Sound
Effect’ e pressione Enter.
Vamos adicionar mais clips de Groove:
Para Arrastar e Soltar um Clip de Groove
1. Clique na seta do Snap to Grid.
2. Selecione “Musical Time”, “Measure” e “Move To
3. Abra a Visualização de Explorando Loop clicando em
4. Selecione 100onetwo.wav e arraste para o 3° compasso abaixo da trilha “Sound Effect”.

Repita o passo 4 arrastando:
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
33
a. 100beat2.wav para a trilha 3 no compasso 7
b. 100organ.wav para a trilha 4 no compasso 1

O SONAR automaticamente cria todas as trilhas de áudio necessárias quando você
importa dados de áudio. Feche a Visualização de Explorando Loop.
Agora você tem um projeto com quatro trilhas. Agora dê uma escutada antes de
começarmos a arranjar os clips.
Repetindo (Looping) Clips de Groove
É aqui onde os clips de Groove começam a ficar interessantes. Você só precisa arrastar
o início e final dos clips de Groove para criar repetições.
Primeiramente vamos copiar o clip de Groove na trilha 2.
Para Copiar um Clip de Groove
1. Pressione a tecla Ctrl e clique e arraste o clip até o início do compasso 8 e solte.
2. Certifique-se de marcar a opção “Copy Entire Clips as Linked Clips” e clique OK.
Para Retornar um Clip de Groove
1. Mova o cursor para o final do primeiro clip de Groove na trilha 2 até o cursor ficar
2. Clique e arraste até o final do compasso 6

Você também pode criar um loop parcial. Nas opções de Snap to Grid configure um
valor menor que o “Measure”. Por exemplo, se nas opções do Snap to Grid estiver “quarter
notes” (semínimas), você cria repetições parciais do tamanho de semínimas.
Agora vamos editar o clip copiado na trilha 2.
Para Cortar um Clip de Groove
1. Botão direito em Snap to Grid e configure: “Musical Time”, “Quarter” e OK.
2. Mova o cursor para o início do 2° clip
3. “Corte” o início do clip em um compasso e um tempo (se você quiser, você pode
expandir o Painel dos Clips usando o Zoom Horizontal)


4. Corte o final do clip em um tempo
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
34

4. Clique no clipe e arraste 1 compasso para a esquerda

5. Nas opções de Arrastar e Soltas clique em “Blend Old and New” e clique OK.

Vamos ouvir o que temos...

Alterando a Altura dos Clips de Groove
Agora que você ouvir como está o projeto, vamos alterar a altura dos grooves.
Para Configurar um Clip de Groove para Não Acompanhar a Tonalidade do
Projeto
3. Dois cliques no clip de Groove na trilha 4. Aparece a Visualização de Construção de
Loop
4. Desmarque o botão “Seguir a Altura do Projeto”
5. Feche a Visualização de Construção de Loop e escute o projeto novamente.
O som da trilha 4 soa diferente devido ao clip de Groove não acompanhar a tonalidade de
E. Ele simplesmente executa na tonalidade de C.

Vamos adicionar marcadores de altura.
Para Adicionar Marcadores de Altura
1. Clique no botão Solo da trilha 4
2. Botão direito na Régua do Tempo no início do compasso 1 e selecione “Insert
Marker”
3. Na seta das opções do “Groove Clip Pitch” selecione C e clique Ok.
4. Crie outro marcador de altura no início do compasso 2, desta vez selecionando F
5. Dois cliques no clip da trilha 4 para abrir a Visualização de Construção de Loop
6. Ative o botão “Follow Project Pitch”
Escute o projeto. Devido o padrão da altura do projeto ser C no compasso 1, o clip na
trilha 4 soa como original, porque a fundamental original é C. Quando o Tempo Agora chega no
compasso 2, o projeto muda para F que força a transposição do clip em uma 4
a
de C para F.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
35
Agora vamos mudar o tempo do projeto.
Mudando o Tempo do Seu Projeto
Os clips de Groove acompanham o tempo do projeto, assim podemos mudar o tempo
do projeto inteiro ou apenas uma parte e todos os continuarão tocando cada um no seu tempo.
Para Mudar o Tempo do Projeto
1. Selecione Insert-Tempo
2. No campo Tempo, digite 110 e clique Ok.
Toque o projeto. Ouviu a diferença? Tente outros tempos.
Agora que criamos um projeto que usa clips já existente, vamos para o próximo passo e
aprender como criar nossos próprios clips de Groove.
Criando Seu Próprio Clip de Groove
Qualquer clip de áudio (de um tamanho razoável) pode ser um clip de Groove.
Para Criar um Clip de Groove (exemplo 1)
Neste exemplo nós importaremos um pequeno clip de baixo, editaremos e
converteremos em um clip de Groove.
1. Selecione File-New para criar um novo projeto
2. Snap to Grid para “Musical Time”, “Measure” e Ok.
3. Clique em
4. Arraste o arquivo Bass.wav para o compasso 1
5. Dois clique no clip
Surge a Visualização de Construção de Loop. Você pode verificar que há silêncio no
início e no final do clip. Vamos então editar o clip para que o início do clip seja a primeira nota e
o final do clip seja o final da última nota.
1. Mova o cursor para o início do clip e arraste até o início do sinal mais alto da forma de
onda.
Nota: Você não pode fazer a edição de Slip que possui as características de clip de Groove
ativadas. Você pode ativar/desativar as características de um clip de Groove na Visualização
de Construção de Loop ou no Painel dos Clips. No Painel dos Clips, clique com o botão direito
no clip que escolha Groove-Clip Looping.
2. Clique no botão de Ativar Looping
O SONAR automaticamente atribui as divisões do clip. Note que o SONAR faz isto em
intervalos de colcheias. Este é um clip com uma forma de onda que não possui mudanças
bruscas de intensidades. Para estes clips, os marcadores trabalham muito bem.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
36
A trilha do baixo agora é um clip de Groove, assim você pode mover para qualquer lugar
ou criar repetições clicando e arrastando nos cantos.
Vamos criar outro clip de Groove.
Para Criar um Clip de Groove (exemplo 2)
Neste exemplo vamos usar um clip que não pode ser Slip-editado.
1. Na Visualização Explorando vá na pasta onde possui os tutoriais
2. Arraste e solte o arquivo drums.wav abaixo da trilha do baixo, no compasso 1.
3. Dois clique no clip
4. Clique Ativar Loop
Note que o SONAR colocou marcadores em intervalos de colcheia e em alguns outros
lugares ‘menores’. Isto se chama “transientes”. Mudanças bruscas de amplitudes.
Os marcadores na Visualização de Construção de Loop são usados para dizer ao
SONAR onde preservar o tempo. A idéia é manter o clip mesmo que possa haver mudança de
tempo. Quando um clip possui muitos transientes, como este que adicionamos, é importante ter
certeza que os marcadores compreenderão a início dos transientes, assim preservando o
tempo. Este clip possui vários marcadores que podem ter pequenos ajustes para dar um
melhor resultado. Vamos mover alguns marcadores para melhorar a preservação do tempo
deste clip.
Para Ajustar Marcadores em um Clip de Groove
1. Identifique os marcadores que estão o mais próximo possível de um transiente. Um
exemplo de transiente que deve ser movido:

8. Clique na ferramenta de seleção
9. Clique e arraste os marcadores para o mais próximo possível do transiente.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
37

Use os dois projetos que você criou para trabalhar mais com os clips de Groove. Tente
novos loops, mudar tempos, adicionar marcadores de altura, gravar clips e usa-los para
criar seus próprios loops.
Tutorial 7 – Mixando
O SONAR possui um número ilimitado de ferramentas para lhe auxiliar no processo de
mixagem final. Você pode automatizar qualquer knob, fader ou botões usando vários métodos.
Você pode ainda automatizar configurações internas com os mesmos efeitos – não apenas os
controle de saídas auxiliares mas os controle individuais de efeitos. Quando seu projeto tiver
soando do jeito que você quer, você pode salvar e exporta-lo nos formatos Wave, MP3, Real
Audio ou Windows Media Advanced Streaming.
Vamos trabalhar no tutorial5.cwb
Adicionando Efeitos em Tempo Real
Vamos adicionar um pouco de flange na primeira guitarra do tutorial5.cwb.
1. Botão direito na trilha da guitarra no campo Fx e escolha Audio Effects-Cakewalk-
FxFlange
2. Escolha um modelo de flange
3. Toque o projeto. Você pode continuar ajustando os efeitos enquanto o projeto toca; há
um pequeno atraso antes dos seus ajustes serem ouvidos.

Feche a caixa de diálogo. Você pode adicionar efeitos para as saídas aux e/ou main
usando o mesmo procedimento (botão direito...)
Você pode deletar os efeitos do campo FX field clicando com o botão direito em cima do
efeito e escolhendo Delete. Ao invés de mover os controles manualmente, vamos automatizar
desenhando um envelope no Painel dos Clips.
Automatizando Efeitos Individuais
Vamos desenhar um envelope para automatizar um dos controles do flanger:
1. No Painel dos Clips, botão direito na trilha da 1
a
guitarra (a trilha que você adicionou o
efeito FxFlange) e escolha Envelopes-Create Track Envelope-FxFlange. (surge a
caixa de diálogo FxFlange
2. Vamos criar apenas um envelope, pois poderíamos criar vários: marque a opção “Voice
1 Feedback” para criar um envelope que controla o nível de feedback (retorno) da voz 1
do efeito FxFlange
3. Click OK (você poderia ter escolhido uma cor antes de clicar Ok)

Uma linha pontilhada, com um nó no início, aparece por cima do clip da guitarra. A linha
pontilhada significa que não há dados automatizados na área da trilha – apenas os nós e as
linhas sólidas representam valores atuais
4. Vamos adicionar um nó no compasso 17: mova o cursor sobre a linha pontilhada no
compasso 17 até que a dupla seta vertical apareça. Clique botão direito.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
39
5. Escolha Add Node
6. Coloque o cursor sobre o nó até surgir uma cruz e arraste o nó até o topo da trilha.
Agora você possui um aumento gradual no nível do Feedback da Voz 1. Note que a
linha entre os dois nós é sólida, indicando que há dados de automação em todo o
momento entre os dois nós.
7. Mude o desenho da linha entre os dois nós, de Formato Linear (Linear shape) para
uma Curva Lenta (Slow Curve), posicionando o cursor sobre a linha reta, clicando com
o botão direito e escolhendo Slow Curve.

Agora você possui uma mudança gradual e não linear no aumento do nível do
Feedback da Voz 1 do efeito flange. Você pode arrastar verticalmente os formatos linear e
curvo. Para mudar as posições horizontais, arraste o nó final de um formato. Você pode
arrastar os nós em qualquer direção.
Agrupando Controles
Para ajudar na manipulação dos controles, você pode agrupar faders (botões tipo
volume de uma mesa) à outros. Por exemplo, se você quiser aumentar o volume sobre várias
trilhas ao mesmo tempo, você pode atribui-los a um grupo. Então, quando você mover um fader
do volume, você moverá todos. Você também pode ter controle movendo-se em direção
oposta. Por exemplo, você pode aumentar o volume (fade in) de um e baixar (fade out) o outro.
Para agrupar faders:
1. Na Visualização de Trilhas (você pode usar a Visualização de Console), clique botão
direito no fader do volume da trilha 2 (baixo)
2. No menu pop-up escolha Group e selecione A. Um marcador vermelho aparece
próximo ao fader de volume indicando que ele pertence ao grupo A, cuja cor é
vermelha.
3. Repita os passos 1 e 2 para as trilhas 3 e 4.

Agora você possui os faders de volume das 3 trilhas agrupados. Quando você mover
um fader, todos os outros se moverão também. Se você quiser mover apenas um fazer
independentemente dos outros, segure a tecla Ctrl e mova o fader. Para desagrupar um fader,
clique botão direito e escolha Ungrup,
Automatizando Seu Mix
Você pode gravar movimentos de faders do mix. Esta operação se chama
automatização. Para faze-la:
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
40
1. Volte ao início da música
2. Mova os faders, pans e quaisquer outros controles para as configurações que você
desejar. Você deve configurar um bom balanceamento entre as trilhas.
3. Arme o fader de volume da trilha 4 clicando com o botão direito em cima do fade de
volume e escolhendo Arm for Automation. Um retângulo destacado (vermelho)
aparece sobre o fader armado.
4. Ative a barra de ferramentas de Automação clicando em View-Toolbars-Automation
5. Certifique-se de ativar a opção “Executar a Automação”
6. Para iniciar a gravação da automação, clique no botão “Gravar Automação” na barra
de Transport e mova os botões de volume e/ou pan à sua maneira.
7. Pare a gravação

Agora você automatizou o fader de volume da trilha 4 – o SONAR desenha um gráfico
(envelope) de uma automação no Painel dos Clips da trilha 4. Você pode ocultar ou mostrar
envelopes clicando na seta do botão de Envelope localizado na barra de ferramentas da
Visualização de Trilhas.
Agora vamos ouvir novamente o projeto e observar os movimentos do fader
automaticamente.
Você verá o fader se mover da mesma forma quando você moveu durante a gravação.
Você pode comparar esta opção mix a mix desativando a automação clicando no botão “Ativar
Automação na Execução” e tocando novamente seu projeto.
Exportando para MP3
Quando seu projeto estiver todo pronto, você pode exportar para qualquer um dos
seguintes formatos: Wave, MP3, Real Audio, Windows Media Advanced Streaming Format
Quando você exportar um arquivo do SONAR, você pode escolher por incluir os efeitos,
automação e configurações de solo e mute.
Vamos exportar nosso projeto para MP3:
1. Certifique-se que todas as trilhas que você quer exportar não estejam mutadas e não
arquivadas. Se você só quiser exportar uma ou duas trilhas, é mais fácil solar as duas
do que mutar todas as outras.
2. Faça uma seleção do tempo, se necessário. Se alguma trilha usa efeitos em tempo real
como por exemplo um reverb ou delay, selecione alguns compassos extras para que
não se corte o efeito que pode durar algum tempo depois da última nota tocada.
3. Escolha File-Export Audio
4. Escolha uma pasta de destino
5. Digite o nome do arquivo
6. Escolha MP3 na lista de opções dos tipos de arquivo.
7. No campo Formato, selecione uma das seguintes opções:
a. Export to Stereo File(s) —Todas as trilhas exportadas serão mixadas para um
único arquivo
b. Export to Separate Left and Right Files — Todas as trilhas exportadas serão
mixadas para dois arquivos mono (esquerdo e direito)
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
41
c. Export to Mono File(s) — Todas as trilhas exportadas serão mixadas para um
único arquivo mono.
8. No campo Bit Depth (Resolução) selecione a resolução do áudio que você quer
exportar. Para MP3 use 16 (padrão do CD).
9. No campo Source Bus(es), selecione a(s) placa(s) de son(s) da lista. Se você tiver mais
de uma, você pode selecionar cada Fonte para um Submix Independente para criar
arquivos separados para cada dispositivo selecionado.
10. No campo Mix Enables, selecione os efeitos que você quer incluir no seu novo arquivo –
normalmente, você seleciona todas as opções listadas.
11. Clique Export

Tutorial 8 – Mapeador de Bateria
No SONAR, o mapeador de bateria permite que você atribua múltiplas saídas à uma
única trilha MIDI. As trilhas de bateria MIDI aparecem no Painel da Bateria (Drum Grid)
localizado na Visualização de Piano Roll. No Painel de Mapeador de Notas (Note Map) você
pode mapear alturas de notas à inúmeras saídas de software ou hardware.
Neste tutorial vamos criar um mapa de bateria, criar uma trilha de bateria MIDI usando o
“Modelo Escova” e mapear notas à várias saídas diferentes.
Criar um Mapa de Bateria
Primeiramente, crie um novo projeto com trilhas MIDI. Por padrão, são criadas duas
trilhas de áudio e duas de MIDI. Só vamos precisar de uma trilha MIDI.
1. Na trilha MIDI, clique na seta de saída (Out) e escolha Drum Map Manager.
2. Clique no botão para criar um novo Mapa de Bateria.
3. Clique na lista de Modelos (presets) e selecione GM Drums (Complete Kit).
4. Na coluna Out Port, escolha uma das portas disponíveis (veja as opções em Options-
Midi Devices). Se você quiser alterar todas de uma vez só, segure as teclas Ctrl e Shift
e clique na opção desejada.
5. Na coluna Chn certifique-se que todas estão configuradas em 10.
6. Feche o Gerenciados de Mapas de Bateria
Criar uma Trilha de Bateria
Vamos atribuir o Mapa de Bateria criado anteriormente à uma trilha MIDI, clicando na
saída Out e selecionando DM1-GM Drums (Complete Kit).
Para criar uma trilha de Bateria usando o “Modelo Escova”
1. Exiba a Visualização de Piano Roll da trilha que você atribuiu o Mapa de Baterias
Aparece a trilha de bateria no Painel de Bateria na Visualização de Piano Roll.

2. No Piano Roll, clique na seta da Ferramenta Modelo de Escova e selecione Kick +
Snare Patterns (R-T)-Stacy 7.
Painel de Bateria
no Piano Roll
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
43
3. Clique na seta novamente e selecione Use Pattern Polyphony. Esta opção diz ao
SONAR para usar as alturas (valores) originais quando for “pintar” as notas no Painel da
Bateria
4. Clique no “Modelo Escova” para seleciona-la (ativar)
5. Comece no início da trilha, clicando e arrastando a ferramenta de “Modelo Escova” por
alguns compassos no Painel da Bateria

Aparece uma série de notas em diferentes valores de altura. Se você não estiver vendo as
notas utilize a barra de rolagem vertical.

6. Clique na seta do “Modelo Escova” novamente e selecione Cymbal Patterns (C-F)-Fill
4.
7. Repita o passo 5.
8. Escute a trilha.

Agora vamos enviar alguns dos sons de bateria para diferentes saídas.
Notas do Mapa de Baterias para Diferentes Saídas
Primeiramente, precisamos criar uma saída. Vamos abrir o EDIROL VSC e usar um
software sintetizador.
Para Abrir o EDIROL VSC
1. Selecione View-Synth Rack
2. Clique no botão Inserir Dxi e selecione EDIROL VSC.
3. Na caixa de diálogo, certifique-se que a opção “MIDI Source Track” esteja desmarcada
4. Na seção “Create These Tracks” marque a “First Synth Output (Audio). Esta opção cria
uma única trilha áudio de saída
5. Na seção “Open Tese Windows”, marque a opção “Synth Property Page”. Esta opção
abre a janela do EDIROL VSC quando clicar em OK.
6. Clique OK
7. Uma nova saída de áudio para o EDIROL VSC aparece nas opções de saída das
trilhas.

Agora você pode mapear as notas para diferentes saídas.
Para Mapear uma Nota para uma Nova Saída
1. Selecione a trilha de bateria e abra a Visualização de Piano Roll (View-Piano Roll)
2. Botão direito no Painel de Mapeamento da Notas (a lista de nome de baterias no canto
esquerdo do Piano Roll) e escolha “Drum Map Manager”
3. No gerenciador de Mapa de Bateria, em Out Port para a nota de entrada (In Note) 45
(Bb3) a EDIROL VSC

Um novo par de Porta/Canal de EDIROL VSC 1/1 aparece no campo Port/Channel na parte
inferior da janela.

4. Mude o Out Port da nota In 46(Bb3) para o canal 1
5. Na coluna Bank da porta EDIROL VSC 1 /1, selecione 15360-GM2 Drum Set
6. Na coluna Patch da porta EDIROL VSC 1 /1, selecione Jazz.
7. Mude o Out Port da nota In 38(D3) para EDIROL VSC

SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
44
Um novo par de Porta/Canal de EDIROL VSC 1/10 aparece no campo Port/Channel na
parte inferior da janela.

8. Na coluna Bank da porta EDIROL VSC 1 /10, selecione 15360-GM2 Drum Set
9. Na coluna Patch da porta EDIROL VSC 1 /10, selecione Standard 1
10. Feche o Gerenciador de Mapa de Bateria e toque o projeto para ouvir as diferenças de
sons.

Tutorial 9 – Usando os Softwares Sintetizadores
Um software sintetizador é um programa que produz vários sons diretamente na
interface de áudio, independentemente do tipo de placa de som. Quem irá fazer o
processamento é a CPU e não o hardware da placa de som. O SONAR aceita os principais
softwares sintetizadores, incluindo os instrumentos DX (DXi's) e ReWire. O SONAR possui uma
Visualização Módulo de Sintetizador para poder inserir instrumentos DXi e ReWire de uma
forma bastante simplificada.
O EDIROL VSC é um bom exemplo de um DXi, que vamos usar neste tutorial. Devido
ao fato de DXi suportar o formato DXi2, ele possui múltiplas saídas (4) e você pode gravar
movimentos do mesmo controle tal como uma automação.
Inserindo o VSC num Projeto
1. Abra o projeto tutorial8.cwp
2. Use o comando Insert-DXi Synth e clique EDIREL VSC
3. No campo ‘Create These Tracks’, desmarque ‘MIDI Source Track’ porque nós queremos
usar algumas trilhas pre-existentes nno VSC.
4. Selecione ‘All Synth Outputs (Audio) porque vamos usar uma trilha de áudio diferente
para cada uma das 4 saídas do VSC. A nova trilha de áudio possui o VSC direcionada
para as entradas de áudio.
5. No campo ‘Open These Windows’ marque as opções “Synth Propert Page e Synth Rack
view”

A janela deverá ficar igual a figura mostrada abaixo:


6. Clique Ok

O SONAR insere 4 trilhas de áudio cada uma contendo uma das saídas VSC como uma
entrada, abre a Visualização do Módulo de Sintetizador e abre a página de propriedades do
VSC.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
46
Tocando Trilhas MIDI através de um Dxi
1. Na trilha da Guitarra 1, clique na seta do campo de Saída “Out” e escolha VSC como
saída.
Note que quando você escolha como saída o VSC, o timbre na janela do VSC também
muda
2. Atribua as saídas das outras trilhas para VSC.

Nota: Quando o cursor estiver no campo de saída de uma trilha, pressione as setas de
movimentação para cima ou para baixo e o cursor passará para o mesmo campo da outra
trilha.


3. Vamos inserir uma mudança de timbre na trilha 1: clique no número da trilha da Guitarra
1 para seleciona-la e mova o ‘tempo agora’ para o Verso 1 clicando no botão ‘Próximo
Marcador’
4. Use o comando Insert-Patch/Bank Change
5. No campo Bank, selecione 15488-GM2 Bank 0 e no campo Patch selecione Overdrive
Gt e clique OK.

Agora você direcionou as trilhas MIDI para o EDIROL VSC e inseriu uma mudança de
timbre. Volte o projeto e toque para ouvir as mudanças.
Adicionando Efeitos à um Dxi
Você pode adicionar efeitos ao EDIROL VSC tanto na sua interface como também de
dentro do SONAR. Vamos usar efeitos do SONAR e ter como vantagem as múltiplas saídas do
VSC.
Para Usar Efeitos em Múltiplas Saídas
1. Se a interface do VSC não estiver aberta, abra-a clicando no botão propriedades
na Visualização do Módulo de Sintetizador. Você também pode abrir dando dois cliques
no nome EDIROL VSC numa saída de uma trilha MIDI ou no campo de Entrada de uma
trilha de áudio.
2. No canto inferior direito da interface do VSC, localize o botão Setup e clique nele.
3. Em Output Assign, faça as seguintes atribuições:
a. Na linha Output 1 clique na coluna 1.
b. Na linha Output 2 clique na coluna 2.
c. Na linha Output 3 clique na coluna 3.
d. Na linha Output 4 clique na coluna 4.
e. Na linha Output 3 clique na coluna 10. (Vamos colocar o baixo e a bateria na
mesma saída)
4. Clique OK.
5. Na trilha 6 (EDIROL VSC), note que o campo de entrada In está como uma Saída
EDIROL VSC 1. Altere o timbre desta trilha para mudar o som da Guitarra 1.
6. Altere os timbres das trilhas 7, 8 e 9. Já que o Baixo e a Bateria estão direcionados para
a mesma saída 3, localizado na trilha 8, use um efeito na trilha 8 para que o Baixo e a
Bateria possam usar, como por exemplo um compressor.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
47

Toque o projeto e ajuste os efeitos. Se você quiser usar mais de 4 saídas para o VSC,
você pode inserir uma outra instância dela usando o comando Insert-DXi Synth novamente.
Isto he dará um VSC extra com mais 4 saídas.
Você também pode usar apenas uma trilha de áudio (saída máster) para o VSC. Na
página de atribuições de saída do EDIROL VSC, por padrão, todos os canais são direcionados
para a saída 1.
Tocando o VSC em Tempo Real
Se você possui um driver WDM instalado, você pode tocar um DXi em tempo real de um
controlador MIDI. Sem o driver WDM, a resposta será muito lenta.
Para Tocar o VSC em Tempo Real
1. Certifique-se que o controlador esteja conectado à interface MIDI e ligado
2. Insira uma nova trilha MIDI
3. No campo da Saída, escolha VSC e também escolha um canal MIDI e um timbre (não
escolha o mesmo canal que outra trilha esteja usando – isto fará com que a outra trilha
mude o timbre)
4. Certifique-se que o botão Audio Engine esteja ativado
5. Toque seu controlador – você deverá ouvir o timbre que você selecionou para a nova
trilha MIDI.
Você pode mover o tempo agora para o marcador chamado Solo e tocar o projeto. Se
você quiser você pode armar uma nova trilha e gravar seu solo.
Convertendo Sua Trilha DXi para Áudio
Um vez que o projeto esteja soando do jeito que você quer, é extremamente fácil
converter suas trilhas DXi para novas trilhas de áudio ou Wave, MP3 ou outros arquivos
exportáveis.
Para Converter Suas Trilhas DXi para Novas Trilhas de Áudio
1. Mute todas as trilhe que você não quer converter; certifique-se que você não mutou as
trilhas de áudio que estão direcionadas para o DXi ou as trilhas MIDI que você não está
usando como fonte.
2. Use o comando Edit-Bounce to Track(s)
3. Escolha um destino da trilha e um formato
4. No campo Mix Enables, certifique-se de que todas as escolhas estão marcadas
5. Clique Ok

O SONAR cria uma nova trilha de áudio da trilha MIDI selecionada. Quando você for
ouvir, não se esqueça de mutar as trilhas DXi ja existentes para que você escute as duas
informações ao mesmo tempo.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
48
Para Exportar as Trilhas DXi para Wave, MP3 ou Outro Tipo de Arquivo
1. Mute todas as trilhas que você não quer exportar
2. Use o comando File-Export Audio
3. No campo ‘Examinar’, escolha o local onde você quer que o arquivo seja exportado
4. Digite o nome do arquivo
5. Escolha um tipo, o formato e a resolução do novo arquivo que será criado
6. No campo Mix Enables, certifique-se que todas as opções estão selecionadas
7. Clique OK

O SONAR cria um novo arquivo de áudio que você especificou. Agora você pode ouvir o
arquivo com o programa que você usa para ouvir os arquivos neste formato.
Gravando Automação no VSC
Você pode gravar automação na interface do VSC.
Para Gravar Automação no VSC
1. Crie um novo projeto
2. Insira o EDIROL VSC
3. Ative a gravação de automação no VSC clicando no botão de Setup: na página Misc,
marque a opção “Record VSC Panel operations”
4. Na trilha MIDI que você quer gravar a automação, atribua o EDIROL VSC para o campo
de saída Out.
5. Arm a trilha
6. Na Interface do VSC, mova qualquer um dos sliders:
a. Volume
b. Panpot
c. Expression
d. Reverb
e. Chorus
f. Delay
g. Master Volume
7. Pare a gravação

O SONAR grava a automação e mostra no Painel dos Clips na trilha que você armou.
Quando você estiver ouvindo, observe os controles do VSC se movendo. Se você usa qualquer
tipo de efeito no VSC, esta é a melhor forma de controla-los.
NOTA: por padrão, você só pode gravar uma automação de um DXi dentro de uma trilha que
contenha o DXi no campo de saída Out. Se você quiser gravar uma automação DXi para
qualquer trilha armada, selecione Options-Global e na página MIDI, marque o Echo DXi Input
para todas as trilhas MIDI. Mas seja cauteloso, porque esta opção também possibilita mover
um controle (fader) de um DXi e mudar a configuração de outro DXi se o foco dele estiver em
uma trilha MIDI que esteja direcionada para um segundo DXi.
Tutorial 10 – Introdução ao Cyclone
Cyclone DXi permite você ativar partes individuais ou “fatias” de arquivos Riff Wave e
ACIDized. São 16 pads e você pode atribuir um arquivo para cada pad. Você pode ativar os
pads com arquivos MIDI, com o mouse ou um teclado MIDI. Você pode editar o conteúdo e
comprimento de cada arquivo tudo sincronizado as mudanças de tempo e marcadores de
altura (pitch).
Para Abrir o Cyclone DXi
Crir um novo projeto
Selecione View-Synth Rack
Adicione um novo instrumento DXI e selecione Cyclone
Selecione “First Synth Output (Audio)” e “Open These Windows Section”
Clique Ok
Adicionando Arquivos a um Grupo de Pad
Há várias formas de atribuir um arquivo a um grupo de pad.
Para Importar Arquivos a um Grupo de Pad
Clique no botão “Load Files” no grupo de pad 1
Na pasta Tutorials localize o arquivo 100beat2.wav e clique Open


Para Importar Arquivos para o Loop Bin (ferramenta de loops)
Clique no botão Load Files do Loop Bin
Na pasta Tutorials localize o arquivo 100fx.wav e clique Open
Para Arrastar Arquivos do Loop Bin para um Grupo de Pad
Clique no 100FX do Loop Bin e arraste para o Pad 2
Para Arrastar Arquivos do Loop Explorerpara o Loop Bin
Selecione View-Loop Explorer
Vá na pasta Tutorials, clique e arraste o arquivo 100onetwo.wav para o pad3 e
100organ.wav para o pad4

Clique no botão Preview para ouvir a música...
Botão Load
Files
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
50
Configurando o Volume e Pan de um Pad
Agora vamos mexer nos controle dos grupos dos pads.
Par Mudar o Volume e Pan de um Grupo de Pad
1. No grupo de pad 2, clique no botão de Volume e arraste o mouse para baixo até o
botão ficar horizontal
2. Repita o passo 1 para o volume do pad 3
3. No pad2 clique no botão de Pan e arraste o mouse para cima até que fique todo à
esquerda
4. No pad4 clique no pan e coloque todo à direita
5. Clique Play para ouvir todos os grupos de pad juntos
Agora vamos explorar uma forma diferente de usar o Cyclone
Tocando o Cyclone
Agora que já adicionamos loops e ajustamos alguns dos controles dos pads, vamos
colocar o Cyclone para tocar um instrumento em tempo real como se fosse um equipamento.
Par Tocar uma Trilha MIDI Existente Através do Cyclone
Primeiramente vamos criar uma trilha MIDI que será usada para ativar os pads no
Cyclone.
1. Selecione uma trilha MIDI vazia.
2. Atribua o Cyclone na porta de saída Out.
3. Selecione a trilha e visualize o Piano Roll
4. No Piano Roll, botão direito em Snap to Grid. Selecione Musical Time e Measure
5. Clique na ferramenta de desenho
6. Coloque um C5 no início
7. Coloque um D5 no 5° compasso
8. Coloque um E5 no início
9. Coloque um F5 no 5° compasso
10. Arraste as terminações das notas C5 e E5 até que suas durações fiquem em 8
compassos. (Se o “Auto Erase” estiver ativado, você deve desativar. Desative o “Auto
Erase” clicando na seta preta à direita da ferramenta de desenho e clicando em Auto
Erase)
11. Arraste o final da nota D5 até que a duração dela fique em 4 compassos (até o
compasso 8)
12. Arraste o final da nota F5 até que sua duração fique em 2 compassos (do compasso 2 e
6 respectivamente)
13. Volte o projeto e toque
14. Experimente mudar o ponto de partida e as durações das notas.
Editando Loops no Editor de Loop
Cada ‘batida’ de um loop que aparece na Visualização de Loop ou no Editor de Pad
pode ser substituído por uma ‘batida’ de outro loop.
SONAR 2.0 – Tutoriais – Prof. Alexandre Viana – Escola de Música UFRN - 2003
51
Para Recolocar as Fatias
1. Clique no botão Load Files no pad5 e selecione maracas.wav da pasta Tutorials
2. Na barra de ferramentas do Cyclone DXi, clique em Auto Preview
3. Selecione o loop maracas do Loop Bin
4. Clique na primeira fatia do loop maracas na Visualização de Loop. Vamos usar este
pedaço para substituir alguns pedaços no pad1
5. clique e arraste a primeira fatia de maracas para o pad1
6. Delete o 3° pedaço de maracas, um som de chimbal
7. Escute os outros pedaços do pad 1 e substitua todos os sons de chimbal com o 1
o

pedaço de maracas
Clique Play para ouvir as mudanças