You are on page 1of 7

Condutores

• Obtenção A obtenção dos metais é um estudo que cabe à metalurgia. A matéria prima básica são os minérios, ou seja, as ligações do metal com oxigênio, enxofre, sais e ácidos. a nature!a, encontramos no estado puro apenas os metais nobres, como o ouro e a platina, conta com particularidades, redutores pr"prios e métodos de purificação. a obtenção dos metais, #amos, no presente estudo, restringir$se aos de maior uso elétrico. • Obtenção do Cobre % principal minério de cobre é o &u'(, o &u)*e(), o &u'% e o &u&o) . &u+%,-'. A porcentagem de cobre nesses minérios #aria de ),. a /,.0. As principais ja!idas se locali!am no &ongo, 1odésia do orte, 2stados 3nidos da América, Austrália, 2span4a, (uécia, oruega e &4ile. %s 5rocessos de obtenção se classificam em processo seco e por #ia 6mida. 5rocesso seco. Ap"s a eliminação parcial do enxofre, efetua$se uma redução em fornos de fusão, atra#és de car#ão e aditi#os ácidos que irão absor#er grande parte do ferro. %btém$se, assim, dois l7quidos de peso espec7fico diferente, ficando, na parte de baixo, um composto de cobre, contendo cerca de 8.0 desse material. A reação qu7mica que ai se processa é a seguinte9 '&u'% : &u'( ;&u : (%' 5or #ia 6mida. <inérios pobres são industriali!ados por um processo 6mido. Aplicando$se ao minério uma solução de enxofre, obtém$se uma solução de sulfato de cobre. =a qual o cobre, representando por mais de >/0 de todo o cobre obtido mundialmente.

A refrigeração de#e ser efetuada em ambiente de 4idrogênio. • Obtenção de Tungstênio %s principais minérios de tungstênio +E. analisando mais adiante. Zinco e Níquel % minério de c4umbo +5b. . do que resulta um Iolframato de s"dio. 5rocesso seco. &om isso. o 5bE%) e a Eolframita F+<n. é mais raramente encontrados.geralmente encontrados são sulfatos. o processo de redução se torna mais complexo. que. pelo fato de a temperatura de fusão ser de >/@ A&. obtém$se n7quel. na presença de gás carbCnico.• Obtenção de Chumbo. Hurma. A reação qu7mica é a seguinte9 WO)+3H' W+3H'O A redução do E%) pode ser feita tanto por carbono finalmente di#idido quanto por mon"xido de carbono +&%-. 1edu!indo na presença de #apor de água a 8// A&. % minério de n7quel é inicialmente con#ertido em i%. *e-E%8G. %s grãos de p" metálico serão tanto maior quanto mais ele#ada a temperatura e mais longo o tempo de redução..8. 2stados 3nidos. o que fa! com que se refira o processo eletrolitico. ou mesmo impossibilita.e de !inco +?n.são o &aEo 8. que é na fabricação de filamentos de lLmpadas. 4a#endo posteriormente a decomposição do &%. % n7quel assim obtido tem pure!a de >>. o "xido é redu!ido à p" a D// J K/// A&. %s minérios são inicialmente tratados com soda. aplicando a K/// A&. 2sse fato dificulta extremamente. que é na adequação à obtenção de tungstênio para uma das suas principais aplicações. % tungstênio possui uma temperatura de fusão muito ele#ada. e que fornece "xido de tungstênio +E% )-. 2sses minérios são encontrados principalmente na &4ina.>0. na fase de redução o !inco já está no estado de #apor. o caso particular do !inco. da ordem de ))// a )8// A&. Ap"s uma secagem a )// A&. sua fusão. B o mais imperfeito. <alásia. 5ortugal e Hol7#ia. respecti#amente 5b( e ?n(. por seu lado. D/ A&. forma um gás com composição de i+&%. % n7quel + i-. o que exige fornos fec4ado para o processo. fa!endo com que geralmente seja usado o processo da sinteti!ação dos p"s. 2sse 6ltimo processo parece menos adequado à obtenção de tungstênio para uma das suas principais aplicações.

como o ferro e outros aditi#os. Puanto aos gasosos. 4idr"xido de alum7nio FAl%+%. em seguida. apresenta oxidação rápida. • !"teri"is Condutores A circulação de uma corrente elétrica é notada em materiais s"lidos e nos l7quidos. o alum7nio ocupa lugar cada #e! mais importante. #ale mencionar os metais em estados de fusão. também nos gasosos. 2sse aspecto fa! com que a redução normal do alum7nio perante carbono ou &% não seja recomendada. eletr"litos e o caso particular do merc6rio. ser$l4e aplicando o processo eletrolitico.• Obtenção do lumínio %s principais minérios são a bauxita +Al'%) . os gases.-. freqMentemente misturando com impure!as. e dentro desse grupo. que fica sob a ação de uma tensão de aproximadamente . B o caso das descargas atra#és de meios gasosos. não podem ser utili!ados nem considerados como condutores. . sobretudo de#ido às ja!idas relati#amente grandes que existem @0 de toda crosta terrestre é alum7nio. (ob o ponto de #ista prático. &omo temperatura de fusão do "xido de alum7nio é muito ele#ada +'/. sob condições fa#orá#eis. a maior parte dos materiais condutores são s"lidos. ou. por ser uma alternati#a técnica e economicamente #álida para substituir o cobre. para. % alum7nio se caracteri!a por uma grande afinidade com o oxigênio. ou seja. se encontra no estado l7quido.-G. e tanto. os metálicos. em outra forma. % merc6rio solidifica$se apenas a J )> A&. passando$se ao processo de obtenção./ A& em fluorito de alum7nio e s"dio + a)Al*./ A&-. como na abertura arco com a formação de um meio condutor con4ecido por plasma. o grupo dos materiais condutores.'%-. este é dissol#ido a >. . o grupo dos l7quidos. em fusão. mesmo os de origem metálica. à temperatura ambiente. normalmente. quando então se podem ioni!ar. e.N e a corrente de K/OA a )/OA. 6nico metal que. % alum7nio que se deposita no gatodo é pouco mais pesado que o eletrol7tico em fusão. estes adquirem caracter7sticas condutoras sob a ação de campos muito intensos. % alum7nio é o meio l7quido. com destaque especial. o que fa! com que se deposite no fundo.

e que se fa! notar por um aquecimento do corpo. Assim.• Conduti#id"de !et$lic" A conceituação da circulação da corrente elétrica tem sofrido algumas modificações sens7#eis. pela teoria que têm sido desen#ol#idas. pela teoria eletrCnica clássica. o deslocamento dessa nu#em de elétrons atra#és do corpo. 2sses elétrons li#res são pro#enientes dos átomos da matéria. moti#adas pela energia dos elétrons que compõem a nu#em. en#ol#endo o 7ons. uma nu#em de elétrons li#res. metálico. A existência de uma nu#em de elétrons. não se pode obser#ar uma difusão de átomos de um metal no outro. e deslocados destes pela ação de uma força externa. supões$se que o corpo condutor s"lido ten4a uma cadeia cristalina iCnica. Qe#ando$se um elemento que condu! corrente elétrica a #elocidades ele#adas. em função da energia térmica incidente. conforme mencionamos nas lin4as anteriores. e freando$se instantaneamente o condutor. podendo alguns destes. nota$se uma maior concentração de elétrons numa das extremidades. este se c4ocam com os 7ons do sistema cristalino.   Condutor %ob " "ção de um" di&erenç" de 'otenci"l () . este atua sobre os elétrons que formam a nu#em. perdendo energia de deslocamento. Puando um metal sofre aquecimento. até abandonar o elemento condutor. podem ser constatadas pelos seguintes fatos9  =urante a passagem de uma corrente elétrica por um elemento condutor.

" condutor ou isol"nte. se. que o estudo do com'ort"mento t*rmico do m"teri"l em'reg"do. n"s condiç+es de ser#iço 're#ist"s. correl"cion"ndo correntes que circul"m sob um 'otenci"l "'lic"ndo.C -4)35 -7)33 -3)<= -3)87 -3)55 -3)53 -3)4? -3)43 . que são im'ossí#eis de serem e#it"d"s. o equi'"mento não so&rer$ d"nos) • C"r"cteristic"s dos !et"is Condutores !"teri"l Cobre lumínio Zinco 2st"nho Chumbo !"t*ri" !"gn*sio lumínio Zinco Cromo >erro C$dmio Cob"lto Níquel bre#i"tur" !g l Zn Cr >e Cd Co Ni 1esistênci" T*rmic" 3)45 3)53 3)63 7)88 3)33 9otenci"l em : " 48 .ig"s %endo &onte d"s 'erd"s de energi" o condutor 'elo qu"l circul" " corrente el*tric" e ess"s 'erd"s. '"r" e#it"r. * de im'ort/nci" ele#"d". ser#e indiret"mente de medid" d" qu"ntid"de de energi" "bsor#id" 'or im'er&eiç+es crist"lin"s e outros &"tores) • Conduti#id"de T*rmic" de !et"is e %u"s . '"r" e#it"r que " energi" t*rmic" "ltere "s condiç+es do m"teri"l) Com'reende-se "ssim.• Coe&iciente de tem'er"tur" e Conduti#id"de T*rmic" resistênci" el*tric". desde logo. ger"m c"lor. '"r" se Ter certe0" de que. de#e este ser liber"do "o "mbiente o m"is de'ress" 'ossí#el.

!"t*ri" 2st"nho Chumbo Hidrogênio Cobre 9r"t" !erc@rio Ouro 9l"tin" bre#i"tur"s %n 9b H Cu g Hg u 9t 9otenci"l em : " 48 .C -3)7= -3)74 3)33 +3)35 +3)<6 +3)38 +7)3= +7)=3 .