You are on page 1of 158

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO – UFES

CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DA UFES – CCA-UFES
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA RURAL - ERU


APOSTILA DA DISCIPLINA DE
INGLÊS INTRUMENTAL
(ENG06849)


PROFESSOR: DR. ALEXANDRE ROSA DOS SANTOS







ALEGRE, JANEIRO DE 2013


1
Disciplina Classe C.H.Semestral T.E.L.
ENG06849 - INGLÊS INSTRUMENTAL OBR 30h 2+0+0
Pré-requisitos: ---
Ementa:
Fundamn!"# $%ama!&'a&# a()&'ad"#* E#!%a!+$&a# d )&!u%a (a%a a '"m(%n#," d !-!"#
a'ad.m&'"# m )/n$ua &n$)#a*
Bibliografia:
− S"u0a1 A* G* F*2 A3#41 5* A*2 5"#!a1 G* 5*2 ! a)* L&!u%a m L/n$ua In$)#a6 uma
A3"%da$m In#!%umn!a)* 7d1 Ed* 8&#a)1 2009* ISBN6 8989933392*
− Munh"01 R*2 In$).# In#!%umn!a)6 E#!%a!+$&a# d L&!u%a - M:du)" I* Ed* T-!"n";"1
2007* ISBN6 9<88989<3436<*
− Munh"01 R*2 In$).# In#!%umn!a)6 E#!%a!+$&a# d L&!u%a - M:du)" II* Ed* T-!"n";"1
2007* ISBN6 9<88989<34404*
− Ga))"1 L* R*2 In$).# In#!%umn!a) (a%a In="%m>!&'a - M:du)" I* 7d1 Ed* ?'"n1 2008*
ISBN6 9<8892<409<42*
− Ma%&n"!!"1 8*2 Rad&n$ "n In=" T'h* 2d1 Ed* N";a!'1 200<* ISBN6 9<889<922776<*















2
5AM@US6 5n!%" d 5&.n'&a# A$%>%&a# A 55A-UFES
5URSO6 SISTEMAS 8E INFORMABCO
DABILITABCO6 BA5DAREL EM SISTEMAS 8E INFORMABCO
O@BCO6
8E@ARTAMENTO RES@ONSEFEL6 ENGENDARIA RURAL - ERU
I8ENTIFI5ABCO6
5G8IGO 8IS5I@LINA OU ESTEGIO @ERIO8IHABCO I8EAL
ENG06849 INGLÊS INSTRUMENTAL
7
OBRIG*IO@T* @RJI5OIREKUISITOS ANUALISEM*
O3%&$a!:%&a Nnhum Sm*
5RJ8ITO 5ARGA
DORERIA
TOTAL
8ISTRIBUIBCO 8A 5ARGA DORERIA
TEGRI5A ELER5?5IO LABORATGRIO OUTRA
30 30
NMMERO MELIMO 8E ALUNOS @OR TURMA
AULAS
TEGRI5AS
AULAS 8E
ELER5?5IO
AULAS 8E
LABORATGRIO
OUTRA
90 0 0 0


OBNETIFOS OA" !+%m&n" da d&#'&()&na " a)un" d;%> #% 'a(a0 d6P
Levar o aluno à plena utilização das técnicas de Inglês Instrumental para planejar,
coletar, manipular, elaborar e interpretar textos da língua inglesa..




3
5ONTEM8O @ROGRAMETI5O OT/!u)" d#'%&m&naQ," da# Un&dad#P
1) A importância do ensino da língua inglesa no terceiro graus;
Interpretação de texto 01.
2) A priorização da leitura;
Interpretação de texto 02.
3) Ensino, aprendizagem da leitura em língua estrangeira: habilidades e
estratégia;
Interpretação de texto 03.
4) Desenvolvimento das habilidades linguísticas;
Interpretação de texto 04.
5) Sugestão de exercícios complementares;
Interpretação de texto 05.
6) Avaliação de leitura;
Interpretação de texto 06.
7) Avaliação da compreensão da linguagem oral;
Interpretação de texto 07.
8) Avaliação da produção oral e escrita.
Interpretação de texto 08.



BIBLIOGRAFIA BESI5A
− S"u0a1 A* G* F*2 A3#41 5* A*2 5"#!a1 G* 5*2 ! a)* L&!u%a m L/n$ua In$)#a6 uma
A3"%da$m In#!%umn!a)* 7d1 Ed* 8&#a)1 2009* ISBN6 8989933392*
− Munh"01 R*2 In$).# In#!%umn!a)6 E#!%a!+$&a# d L&!u%a - M:du)" I* Ed* T-!"n";"1
2007* ISBN6 9<88989<3436<*
− Munh"01 R*2 In$).# In#!%umn!a)6 E#!%a!+$&a# d L&!u%a - M:du)" II* Ed*
T-!"n";"1 2007* ISBN6 9<88989<34404*
− Ga))"1 L* R*2 In$).# In#!%umn!a) (a%a In="%m>!&'a - M:du)" I* 7d1 Ed* ?'"n1
2008* ISBN6 9<8892<409<42*


4
Ma%&n"!!"1 8*2 Rad&n$ "n In=" T'h* 2d1 Ed* N";a!'1 200<* ISBN6 9<889<922776<*

5RITJRIOS 8E AFALIABCO 8A A@REN8IHAGEM
Provas
Duas provas individuais e sem consulta valendo dez pontos e exercícios
práticos contabilizando 5 exercícios no total. A média será igual:
3
5
) 5 4 3 2 1 (
2 Pr 1 Pr 




 + + + +
+ +
=
EX EX EX EX EX
ova ova
MÉDIAFINAL

EMENTA OT:(&'"# Ru 'a%a'!%&0am a# un&dad# d"# (%"$%ama# d n#&n"P
Fundamn!"# $%ama!&'a&# a()&'ad"#* E#!%a!+$&a# d )&!u%a (a%a a '"m(%n#," d
!-!"# a'ad.m&'"# m )/n$ua &n$)#a*

A@ROFABCO ONSm%" d"# %#('!&;"# d"'umn!"#P
5TMARA 8E@ARTAMENTAL 5OLEGIA8O 8E 5URSO 5ONSELDO
8E@ARTAMENTAL





ASSINATURA OSP 8OOSP RES@ONSEFELOEISP







5
UUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU
UU
@%"=##"% 8%* A)-and% R"#a d"#
San!"#
8(a%!amn!" d En$nha%&a Ru%a)
UUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU
UU
@%"=* 8%* G&";ann& d O)&;&%a Ga%'&a
5h= d" 8(a%!amn!" d En$nha%&a
Ru%a)
























6
5AM@US6 5n!%" d 5&.n'&a# A$%>%&a# A 55A-UFES
5URSO6 5IÊN5IA 8A 5OM@UTABCO
DABILITABCO6 BA5DAREL EM 5IÊN5IA 8A 5OM@UTABCO
O@BCO6
8E@ARTAMENTO RES@ONSEFEL6 ENGENDARIA RURAL - ERU
I8ENTIFI5ABCO6
5G8IGO 8IS5I@LINA OU ESTEGIO @ERIO8IHABCO I8EAL
ENG06849 INGLÊS INSTRUMENTAL
7
OBRIG*IO@T* @RJI5OIREKUISITOS ANUALISEM*
O3%&$a!:%&a Nnhum Sm*
5RJ8ITO 5ARGA
DORERIA
TOTAL
8ISTRIBUIBCO 8A 5ARGA DORERIA
TEGRI5A ELER5?5IO LABORATGRIO OUTRA
30 30
NMMERO MELIMO 8E ALUNOS @OR TURMA
AULAS
TEGRI5AS
AULAS 8E
ELER5?5IO
AULAS 8E
LABORATGRIO
OUTRA
90 0 0 0


OBNETIFOS OA" !+%m&n" da d&#'&()&na " a)un" d;%> #% 'a(a0 d6P
Levar o aluno à plena utilização das técnicas de Inglês Instrumental para planejar,
coletar, manipular, elaborar e interpretar textos da língua inglesa..




7
5ONTEM8O @ROGRAMETI5O OT/!u)" d#'%&m&naQ," da# Un&dad#P
9) A importância do ensino da língua inglesa no terceiro graus;
Interpretação de texto 01.
10) A priorização da leitura;
Interpretação de texto 02.
11) Ensino, aprendizagem da leitura em língua estrangeira: habilidades e
estratégia;
Interpretação de texto 03.
12) Desenvolvimento das habilidades linguísticas;
Interpretação de texto 04.
13) Sugestão de exercícios complementares;
Interpretação de texto 05.
14) Avaliação de leitura;
Interpretação de texto 06.
15) Avaliação da compreensão da linguagem oral;
Interpretação de texto 07.
16) Avaliação da produção oral e escrita.
Interpretação de texto 08.



BIBLIOGRAFIA BESI5A
− S"u0a1 A* G* F*2 A3#41 5* A*2 5"#!a1 G* 5*2 ! a)* L&!u%a m L/n$ua In$)#a6 uma
A3"%da$m In#!%umn!a)* 7d1 Ed* 8&#a)1 2009* ISBN6 8989933392*
− Munh"01 R*2 In$).# In#!%umn!a)6 E#!%a!+$&a# d L&!u%a - M:du)" I* Ed* T-!"n";"1
2007* ISBN6 9<88989<3436<*
− Munh"01 R*2 In$).# In#!%umn!a)6 E#!%a!+$&a# d L&!u%a - M:du)" II* Ed*
T-!"n";"1 2007* ISBN6 9<88989<34404*
− Ga))"1 L* R*2 In$).# In#!%umn!a) (a%a In="%m>!&'a - M:du)" I* 7d1 Ed* ?'"n1
2008* ISBN6 9<8892<409<42*


8
Ma%&n"!!"1 8*2 Rad&n$ "n In=" T'h* 2d1 Ed* N";a!'1 200<* ISBN6 9<889<922776<*

5RITJRIOS 8E AFALIABCO 8A A@REN8IHAGEM
Provas
Duas provas individuais e sem consulta valendo dez pontos e exercícios
práticos contabilizando 5 exercícios no total. A média será igual:
3
5
) 5 4 3 2 1 (
2 Pr 1 Pr 




 + + + +
+ +
=
EX EX EX EX EX
ova ova
MÉDIAFINAL

EMENTA OT:(&'"# Ru 'a%a'!%&0am a# un&dad# d"# (%"$%ama# d n#&n"P
Fundamn!"# $%ama!&'a&# a()&'ad"#* E#!%a!+$&a# d )&!u%a (a%a a '"m(%n#," d
!-!"# a'ad.m&'"# m )/n$ua &n$)#a*

A@ROFABCO ONSm%" d"# %#('!&;"# d"'umn!"#P
5TMARA 8E@ARTAMENTAL 5OLEGIA8O 8E 5URSO 5ONSELDO
8E@ARTAMENTAL





ASSINATURA OSP 8OOSP RES@ONSEFELOEISP







9
UUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU
UU
@%"=##"% 8%* A)-and% R"#a d"#
San!"#
8(a%!amn!" d En$nha%&a Ru%a)
UUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU
UU
@%"=* 8%* G&";ann& d O)&;&%a Ga%'&a
5h= d" 8(a%!amn!" d En$nha%&a
Ru%a)
























10



TÓPICO 01 DA EMENTA








A IMPORTÂNCIA DO ENSINO DA
LÍNGUA INGLESA NO TERCEIRO
GRAUS

INTERPRETAÇÃO DE TEXTO 01








11

SUBJECT PRONOUNS, BE - SIMPLE
PRESENT
INTERROGATIVE WORDS - WHO, HOW
DEMONSTRATIVE PRONOUNS - THIS, THAT
01
GRAMÁTICA

GRAMÁTICA 01

Os assuntos abordados neste capítulo serão:

Subject pronouns, be - simple present
Interrogative words - who, how
Demonstrative pronouns - this, that

1 – DIALOGUE 1 (DIALOGO 1).

TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
Dikson: Excuse me. Are you Libny?
Girl: No, I am not. That girl is Libny.
Dikson: Thank you.
Dikson: Libny? Hi! I am Dikson Delgado!
Libny: Hello, Dikson!
Dikson: This is Libny, Mom.
Mrs. Delgado: Hello, Libny. I am Géssica
Delgado.
Libny: Hello! How are you, Mrs. Delgado?
Mrs. Delgado: Just fine, thanks.
Dikson: Com licença. Você é Libny?
Girl: Não, Eu não sou. Aquela garota é Libny.
Dikson: Obrigada.
Dikson: Libny? Oi! Eu sou Dikson Delgado!
Libny: Oi, Dikson!
Dikson: Esta é Libny, Mãe.
Mrs. Delgado: Oi, Libny. Eu sou Géssica
Delgado.
Libny: Oi! Como vai você, Mrs. Delgado?
Mrs. Delgado: Muito bem, obrigada.





12
2 – ORAL LANGUAGE PRACTICE 1 (PRÁTICA DE LINGUAGEM ORAL 1)

TEXTO EM INGLÊS TEXTO EM PORTUGUÊS
1. That girl is Libny. 1. Esta garota é Libny.
boy Arthur Este garoto é Arthur
Man Mr. Delgado Este Homem é Mr. Delgado
woman Mrs. Simpson Esta mulher é Mrs. Simpson


TEXTO EM INGLÊS TEXTO EM PORTUGUÊS
2. I am Dikson Delgado 2. Eu sou Dikson Delgado
You are Você é
She is Ela é


TEXTO EM INGLÊS TEXTO EM PORTUGUÊS
3. Mrs. Delgado is just fine. 3. Mrs. Delgado está (com) bem.
well bem.
okay ok (bem)
all right bem
tired cansado
sleepy sono
hungry fome
thirsty sede


TEXTO EM INGLÊS TEXTO EM PORTUGUÊS
4. I am hot. 4. Eu estou com calor.
cold frio


3 – STRUCTURE OBJECTIVES 1 (ESTRUTURAS OBJETIVAS 1)

1. Subject pronouns (Pronomes subjetivos)

I
you
he (Mr.Delgado, Arthur, a boy, a man, etc.).
she (Mrs. Delgado, Libny, Géssica, a girl, a woman, etc.).






13
2. BE – Simple Present (Presente Simples)

TEXTO EM INGLÊS
Interrogative - Is Libny from Brazil?
Affirmative - Yes, Libny is from Brazil.
Negative - She is not (isn’t) from the United States.

TEXTO EM PORTUGUÊS
Interrogative - Libny é do Brasil?
Affirmative - Sim, Libny é do Brasil.
Negative - Ela não é dos Estados Unidos.

AFFIRMATIVE NEGATIVE INTERROGATIVE
I am I’m I am not I’m not Am I …?
You are You’re You are not You aren’t Are you …?
He is He’s He is not He isn’t Is he …?
She is She’s She is not She isn’t Is she …?

3. Interrogative Words (Palavras interrogativas)

Who (person, name)
Question: Who is that girl?.
Answer: That girl is Libny.

How (state, condition)
Question: How is Mrs. Delgado?
Answer: Mrs. Delgado is just fine.

4. Demonstrative Adjectives (Adjetivos demonstratives)

This (near)
This girl here is Libny.
That (distant)
That girl there is Géssica.





14
4 – Verbs (verbos)

TEXTO EM INGLÊS TEXTO EM PORTUGUÊS
You study. Você estuda.
I eat. E como.
You like to visit. Você gosta de visitar.
You visit. Você visita.
I drink. Eu bebo.
I like to drink. Eu gosto de beber.
You like to study. Você gosta de estudar.
I like to eat. Você gosta de comer.


5 – Vocabulary (vocabulário)

TEXTO EM INGLÊS TEXTO EM PORTUGUÊS
with com
and e
your seu, sua(s), teu, tua
my meu, minha(s)
you você, vocês
i eu
lesson lição
english inglês
egg(s) ovo(s)
fruit fruta, frutas
honey mel
cheese queijo


15
ham presunto
buther manteiga
bread pão
tea chá
lemonade limonada
milk leite
water água
daughter filha
son filho
sister irmã
brother irmão
father pai
mother mãe
friends amigo(s), amiga(s)

6– Idiomatic expressions (expressões idiomáticas)

TEXTO EM INGLÊS TEXTO EM PORTUGUÊS
hi oi
thank you; tanks obrigado
good morning bom dia
please por favor
you’re welcome por nada
welcome bem-vindo
good-bye adeus, até logo.
bye-bye, bye tchau.





16
7– Word Informatic (palavras da informática)

PALAVRAS COM INICIAL A

AC
Aternating Current, corrente alternada. A forma como a eletricidade vem apartir da usina e
consequentemente apartir das tomadas. A direção é alternada 60 vezes por segundo (50 na
Europa).


Access
Acesso, leitura ou gravação de dados na memória RAM ou em outro meio qualquer, como um
disco rígido.
Access Time
Tempo de acesso, o tempo que o dispositivo acesso demora para entregar os dados
requisitados, ou armazenar a informação desejada. Quanto mais baixo for o tempo acesso,
mais rápido será o dispositivo.Na memória RAM o tempo de acesso é medido em
nanossegundos, sendo que as memórias SDRAM mais rápidas chegam a 6 nanos. Em HDs o
tempo de aceso é bem mais alto, medido em milessegundos. Os HDs mais rápidos chegam a 8
milessegundos.
ACPI
Advanced Configuration and Power Interface. É o modo de economia de energia utilizado pelos
PCs atuais. Micros mais antigos suportam o DPMA, que é o padrão anterior
Acrobat
Formato de arquivo desenvolvido pela Adobe que permite que documentos sejam exibidos em
qualquer micro com as fontes e layout Corretos, alem de também suportar imagens, tabelas e
recursos de Segurança. A Adobe lançou no mercado dois produtos relacionados ao formato, o
Acrobat Reader que permite apenas visualizar os arquivos e é gratuito e o Acrobat Writer, que
permite gerar os arquivos e é pago.
Active-X
Linguagem de programação usada para construir páginas Web dinâmicas, com scripts que
rodam a partir do servidor. Apresenta algumas incompatibilidade com os Browser, falhas na
segurança e sobrecarrega o servidor pela grande quantidade de processamento exigido.
Actuator
Num HD, é o mecanismo de movimenta as cabeças de leitura. Basicamente é composto por
um braço móvel em forma de triângulo. Na ponta do triângulo encontra-se as cabeças de
leitura do HD, enquanto na base temos um eixo e dois eletroímãs, que controlados pela placa
lógica do HD movimentam o mecanismo com uma velocidade e precisão espantosas. Em HDs
muito antigos e em drives de disquete, é utilizado um motor de passo no lugar do actuator, por
isso esses dispositivos são extremamente lentos.


17
ADC
Analogue-to-Digital Converter, componente que faz conversão de um sinal analógico para
digital. Todas as placas de som possuem um ADC, responsável por digitalizar os sons
analógicos vindos do microfone ou outro dispositivo analógico qualquer. Veja também: DAC
Additive Colour
Uma cor produzida através da mistura de diferentes tonalidades de algumas cores primárias.
Num monitor as cores são obtidas através da mistura de pontos azuis, vermelhos e verdes.
Adware
São programas, geralmente gratuítos, que mostram anúncios, na forma de banners
incorporados à interface do programa, ou mesmo janelas pop-up. As propagandas são uma
forma alternativa dos desenvolvedores ganharem dinheiro com o programa. Existem claro os
contrários à idéia, que argumentam que, como acessam a rede para baixar os banners a serem
exibidos, estes programas podem ser usados para investigar os hábitos de navegação do
usuário. Muitas vezes existe a opção de comprar uma versão do programa que não mostra os
anúncios.
Altair 8080
Lançado em 1974 é considerado por muitos o primeiro computador pessoal da história. O Altair
era baseado no 8080 da Intel e vinha com apenas 256 bytes de memória, realmente bem
pouco. No modelo básico, o Altair custava apenas 439 dólares na forma de Kit, isso em 1975,
quando começou a ser comercializado, em valores de hoje isso equivale a quase 4.000
dólares, parece bastante, mas na época esse valor foi considerado uma pechincha, tanto que
foram vendidas 4.000 unidades em 3 meses, depois de uma matéria da revista Popular
Eletronics. Esse "modelo básico" consistia nas placas, luzes, chips, gabinete, chaves e a fonte
de alimentação, junto claro com um manual que ensinava como montar o aparelho. Existia a
opção de compra-lo já montado, mas custava 182 dólares a mais. Pouco tempo depois
começaram a surgir vários acessórios para o Altair: um teclado que substituía o conjunto de
chaves que serviam para programar o aparelho, um terminal de vídeo (bem melhor que ver os
resultados na forma de luzes, um drive de disquetes (naquela época ainda se usavam
disquetes de 8 polegadas), placas de expansão de memória e até uma impressora, para quem
tivesse muito dinheiro, claro . Até mesmo Bill Gates ajudou, desenvolvendo uma versão do
Basic para o Altair. O Altair era realmente um sistema muito simples, que não tinha muita
aplicação prática, mas serviu para demonstrar a grande paixão que a informática podia exercer
e que, ao contrário do que diziam muitos analistas da época, existia sim um grande mercado
para computadores pessoais.
ASP+
Também conhecida como Asp.Net, será a próxima geração da linguagem ASP. O ".Net" indica
que a linguagem visa criar uma plataforma de desenvolvimento para os serviços .Net com os
quais a Microsoft pretende aumentar sua participação na área de serviços ia Web. O ASP +
possui vários recursos entre eles o suporte a código escrito em outras linguagens, como o
Visual Basic, C++ e Perl. Os scripts em ASP + não são compatíveis com os em ASP, mas nada
impede de rodar os dois tipos no mesmo servidor. A extensão dos arquivos ASP + é .ASPX
ADSL
O Assimetric Digital Subscriber Line é uma tecnologia de acesso rápido à internet que usa a
linha telefonica em uma freguencia de operação acima da frequencia de voz (aproximadamente
5000KHz). A vantagem é usar a infra-estrutura telefonica já instalada deixando a linha livre
para o uso telefonico. Sua velocidade varia de 256K a 2Mbps e é necessário que o micro tenha
uma placa de rede.


18
AGP
O Acelerated Graphics Port é um barramento de dados extremamente rápido que foi
desenvolvido para permitir o uso de placas de vídeo 3D como as Voodoo da 3Dfx e a Viper770.
O modo AGP1x pode transmitir até 266mb/s, o modo AGP2x 533mb/s e o modo AGP4x
1066bm/s. As versões AGP Pro50 e AGP Pro110 dizem respeito a capacidade de fornecimento
elétrico do slot. Há placas que são fabricadas no modelo AGP mas não fazem uso dos
recursos do padrão AGP. Estes slot's aparece nas placas-mãe como um slot de cor marrom.
Alias
Apelido, pode ser usado em várias áreas, como por exemplo para indexar um banco de dados
ou no e-mail. Caso você tenha uma conta, fulano@fulano.com, e um alias
fulaninho@fulano.com, todos os e-mails endereçados ao alias será encaminhados para a conta
real. O alias é um dos comandos básicos do unix.
ALU
Arithmetic Logic Unit. Parte do processador principal encarregada de processar os cálculos de
ponto flutuante. O termo ALU, dependendo da conotação, pode ser tanto usado em relação ao
coprocessador aritmético como um todo, quanto em relação a apenas uma das unidades de
execução que formam os coprocessadores modernos
A!
O Audio Modem Riser é um barramento criado pela Intel para a instalação de placas de som e
modem. A grande vantagem é que estes dispositivos são relativamente baratos. Um modem
AMR custa algo em torno de U$10,00. os slot AMR aparecem na placa-mãe na cor marrom.
A"odo
Um dos componentes dos monitores CRT. Consiste em um eletrodo carregado com cargas
positivas, que atraí cargas negativas, no caso os elétrons usados para criar a imagem.
Também eletrodo positivo de um diodo. Parte do componente com cargas positivas, oposta a
do catodo.
A"o"#mous
Nome normalmente utilizado para o login num servidor FTP, e indica tratar-se de um usuário
anônimo, ou seja, não cadastrado na máquina em questão. A password a fornecer em seguida
deve ser o e-mail do usuário. Em geral, usuários anônimos tem acesso a apenas alguns
arquivos do servidor.
API
Application Programming Interface, um conjunto de funções e sub-rotinas usadas pelos
programas que informam ao sistema operacional como executar determinada tarefa. Por
exemplo, os jogos 3D são construídos com base no D3D, OpenGL ou Glide. De forma
semelhante, qualquer programa for Windows, escrito em C++ ou qualquer outra linguagem,
pode usar qualquer uma das mais de 1000 funções que abrem janelas, abrem ou gravam
arquivos, e outras tarefas semelhantes. É o fato de usarem APIs diferentes que fazem os
programas serem incompatíveis com outros sistemas operacionais.
AP
Advanced Power Management. Padrão avançado de gerenciamento do Consumo de energia
desenvolvido pela MicroSoft que permite diminuir o consumo elétrico do computador. Útil
sobretudo em micros portáteis.
Arc$ie
Serviço de busca de arquivos armazenados em servidores FTP. Os arquivos podem ser


19
localizados por nome ou palavra chave. É um serviço pouco utilizado atualmente
Arte%act
"Sujeiras" que aparecem em imagens escaneadas, filmes digitalizados, etc. causados por
poeira, infidelidade na reprodução das cores (pelo digitalizador), entre outros fatores.
Arti%icial I"telli&e"ce
Inteligência artificial, consiste em criar programas capazes de aprender com a experiência e
tomar decisões com base nas experiências obtidas anteriormente. É usada em várias áreas, de
jogos a aplicações médicas.
ASCII
American Standard Code for Information Interchange, é ainda o código de caracteres de texto
mais usado. Cada caractere de texto ASCII ocupa 8 bits de dados (1 byte), o suficiente para
256 combinações diferentes, que incluem caracteres, números e símbolos diversos. Na gíria,
"ASCII" também é usado em relação a um arquivo de texto puro, sem formatação. Mais
detalhes sobre o padrão ASCII podem ser vistos em: http://www.jimprice.com/jim-asc.htm O
padrão mais atual que vem substituindo o ASCII gradualmente é o Unicode, onde são usados 2
bytes para cada caracter. A vantagem do Unicode é conter caracteres de várias línguas:
japonês, chinês, etc.
ASIC
Application Specific Integrated Circuit, um processador construído para executar uma tarefa
específica, ou seja, um processador dedicado. Exemplos de processadores dedicados são os
coprocessadores aritméticos e os chipsets de vídeo.
ASP
Active Server Pages, linguagem de programação para a Internet.
ASPI
Advanced SCSI Protocol Interface, interface desenvolvida pela Adaptec que se tornou padrão
para placas SCSI.
Ass'"cro"o
(Asynchronous), transferências de dados em que os dispositivos envolvidos não são
sincronizados. Exemplos são as antigas memórias EDO e FPM, que utilizavam tempos de
espera.
AT
Advanced Tecnology (técnologia Avançada). Quando a IBM lançou o 286, este ficou conhecido
como AT286, porem hoje em dia refere-se ao modelo do gabinete e sua fonte de alimentação e
ao formato da placa-mãe
ATA
Especificação para as interfaces e discos rígidos IDE. O Ultra ATA 2 equivale ao Ultra DMA 33,
o Ultra ATA 4 equivale ao UDMA 66 enquanto o Ultra ATA 6 equivale ao UDMA 100.
ATAPI
Advanced Technology Packet Interface, padrão que permite instalar CD-ROMs, Zips, drives de
fita e outros periféricos em interfaces IDE, que originalmente foram projetadas para acomodar
apenas discos rígidos.
AU
Formato de arquivo de som gerado por alguns programas UNIX/Linux.


20

INGLÊS INSTRUMENTAL - ENG 06849
PROF. DR. ALEXANDRE ROSA DOS SANTOS
TESTE 1 / VALOR = 10 PONTOS (PESO 1)
01
TESTE

Graduando (a): ___________________________________________________

TESTE 01


1) Fill in the blanks (preencha os espaços em branco)

1) _______ am not Telma. I ________ Libny.

2) Who _______ that girl? She is _______ Libny.

3) _______girl here is not Telma. _______ girl there _______Telma.

4) That _______ is Mrs. Delgado, and that _______ is Mr. Delgado.

5) _______ is she? She _______ Mrs. Delgado.


2) Make the sentences Interrogative and Negative:

1) That girl is Telma.

Int - _____________________________________________


Neg - ____________________________________________




21
2) He is Alexandre.

Int - _____________________________________________


Neg - ____________________________________________

3) You are sleepy.

Int - _____________________________________________


Neg - ____________________________________________


3) Ask questions on the words in boldface using who or how.

Model: Libny is tired. Who is tired?

Mrs. Delgado is just fine. How is Mrs. Delgado?

1) Libny is well. _______________________________________

2) Mikaio is tired. ______________________________________

3) Mr. Santos is thirsty.._________________________________

4) Mr. Delgado is okay. _________________________________







22
4. Answer the questions. Use Subject Pronouns (he, she, I) in your answer:

Model: Is Gleissy thirsty? No, she isn’t thirsty. She is hungry.

1) Is Mateus hungry?

No, _______________________ . _________ ________tired.

2) Is that girl Fabrícia?

No, _______________________ . ___________________ Libny.


3) Are you Franciane Louzada?

No, I _______________________ . I_______________ Franciane Lira.



5. For translation into English.

1) Tchau, Filho.

_______________________________________

2) Tchau, Mãe.

_______________________________________


3) Adeus, Pai.

_______________________________________


23
4) De nada.

_______________________________________


5) Obrigado, eu gosto de sua limonada.

_______________________________________


6) Bom dia. Eu gosto de comer frutas, por favor.

_______________________________________


7) Obrigado, eu gosto de chá.

_______________________________________


8) Oi, eu bebo limonada. E você?

_______________________________________










24

INGLÊS INSTRUMENTAL - ENG 06849
PROF. DR. ALEXANDRE ROSA DOS SANTOS
TESTE 1 / VALOR = 10 PONTOS (PESO 1)
01
CORREÇÃO
TESTE

Graduando (a): ___________________________________________________

CORREÇÃO TESTE 01

1) Fill in the blanks (preencha os espaços em branco)

6) ___I___ am not Telma. I _am__ Libny.

7) Who ___is____ that girl? She ____is___ Libny.

8) ___This____girl here is not Telma. _That__ girl there ____is___Telma.

9) That ___woman____ is Mrs. Delgado, and that _man_ is Mr. Delgado.

10) __Who ____ is she? She __is_____ Mrs. Delgado.


2) Make the sentences Interrogative and Negative:

4) That girl is Telma.

Int - ___Is that girl Telma?______________________


Neg - __That girl is not (isn’t) Telma.___________



25
5) He is Alexandre.

Int - ___Is he Alexandre?________________________


Neg - __He is not (isn’t) Alexandre._____________

6) You are sleepy.

Int - __Are you sleepy?___________________________


Neg - __You are not (aren’t) sleepy.__ ____________


4) Ask questions on the words in boldface using who or how.

Model: Libny is tired. Who is tired?

Mrs. Delgado is just fine. How is Mrs. Delgado?

5) Libny is well. _How is Libny?_______________________

6) Mikaio is tired._Who is tired?________________________

7) Mr. Santos is thirsty._Who is thirsty?__________________

8) Mr. Delgado is okay. _How is Mr. Delgado?___________





26
4. Answer the questions. Use Subject Pronouns (he, she, I) in your answer:

Model: Is Gleissy thirsty? No, she isn’t thirsty. She is hungry.

4) Is Mateus hungry?

No, _He isn’t hungry____ . _He is_____tired.

5) Is that girl Fabrícia?

No, _She isn’t Fabrícia____ . _She is____ Libny.


6) Are you Franciane Louzada?

No, I __am not Franciane Louzada___ . I am ___Franciane Lira.


5. For translation into English.

9) Tchau, Filho.

_Bye, Son.___________________________

10) Tchau, Mãe.

__ Bye, Mother._______________________

11) Adeus, Pai.

__Good-bye, Father.________________


27
12) De nada.

_You’re welcome.____________________


13) Obrigado, eu gosto de sua limonada.

_ Thanks, I like your lemonade._____


14) Bom dia. Eu gosto de comer frutas, por favor.

__Good morning. I like to eat fruit, please._


15) Obrigado, eu gosto de chá.

_ Thanks. I like tea.__________________________


16) Oi, eu bebo limonada. E você?

__Hi, I drink lemonade . And you?______________









28
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO 01

A BRIEF HISTORY OF PCs
It’s hard to imagine life without the personal computer But 30 years ago they didn’t exist Early models weren’t so user-
friendly Here are some of the milestones on the way to today’s slick machines.
1975: The Altair 8800. Debuts on the cover of Popular Electronics magazine. Users had to build it themselves, and
enter Instructions via switches, since it had no keyboard.
1976: The first Apple, now in the Smithsonian
1977: The low-priced. TRS-80, a.k.a. the “Trash-80”, makes computers affordable for the masses.
1977: The first color computer, Apple II, is widely adopted in schools, introducing a generation of students to computing.
1981: Osborne introduces the first “portable”. It weights in at 25 pounds.
1981: With an Intel chip and Microsoft programming, the IBM PC quickly dominates the market, Inspiring an army of
clones.
1982: A low price, plus lots of cool softwares, make Commodore 64 a top seller.
1983 The Compaq Portable is the first fuly compatible IBM clone.
1984 The Macintosh’s graphical user interface offers intuitive, mouse-driven operation at a reasonable price. Its pull-
down menus and icons contrast sharply with the text-driven input of previous personal computers.
1985-89 Portable PCs finally become portable, with lightweight, notebook – style laptops, including models by Radio
Shack, Compaq and NEC.
1993 One of the first personal digital assistants to recognize hand-writing on its small screen, the short-lived Apple.
Newton: Is viewd as fatally flawed by some and a headof is time by others.
1995: Oracle’s Larry Ellison promotes the idea of a low-cost, limited-function $500 “network computer”. But price cuts in
full-fledged PCs make the initiativemoot.
1998: Apple rolls out its low-priced iMac, designed to give users easy access to Internet.
2002: Eight manu-factures introduce versions of the Microsoft-designed Tablet PC, a Wi-Fi- equipped laptop you can
write on.







29
CORREÇÃO DO TEXTO 01

A Brief History of PCs

A Brief History of PCs

Uma Breve História dos computadores



It’s hard to imagine life without the personal computer.
É difícil imaginar uma vida sem o computador pessoal.

But 30 years ago they didn’t exist.
Mas 30 anos atrás eles não existiam.


Early models weren’t so user-friendly.
Os primeiros modelos não eram tão amigáveis.


Here are some of the milestones on the way to today’s slick machines.
Aqui estão alguns dos marcos no caminho para as máquinas leves (versáteis) de hoje.



30
COMPUTER AGE
IDADE(ERA) DOS COMPUTADORES

1975: The Altair 8800
1975: O Altair 8800

Debuts on the cover of Popular Electronics magazine.
Exibido na capa da revista Popular Electronics (Eletrônicos Populares).

Users had to build it themselves,
Os usuários tiveram que construir por si próprios,

and enter Instructions via switches,
e digitar (entrar) as instruções através (por meio) de interruptores,

since it had no keyboard.
já que não tinha teclado.

1976: The first Apple, now in the Smithsonian
1976: O primeiro Apple, agora no Smithsonian (“Deteminado museu famoso”)

1977: The low-priced
1977: O baixo preço

TRS-80, a.k.a. the “Trash-80”, makes computers affordable for the masses.


31
TRS-80, também conhecido como o "Trash-80", tornou os computadores acessíveis
para as massas (populations).


1977: The first color computer, Apple II,
1977: O primeiro computador colorido, Apple II,

is widely adopted in schools,
é amplamente adotado em escolas,

introducing a generation of students to computing.
Introduzindo uma geração de estudantes de computação.

1981 Osborne introduces the first “portable”.
1981: A Osborne apresenta o primeiro "portátil".


It weights in at 25 pounds.
Pesa cerca de 25 libras (11,34 kg).

1981 With an Intel chip and Microsoft programming,
1981: Com um chip Intel e programado pela Microsoft,

the IBM PC quickly dominates the market, Inspiring an army of clones.
o PC da IBM rapidamente domina o mercado, inspirando um exército de clones.


32
1982 A low price, plus lots of cool softwares,
Um preço baixo, além de muitos softwares (programas) legais (ótimos),

make Commodore 64 a top seller.
Fez do Commodore 64 um best-seller (campeão de vendas).

1983 The Compaq Portable is the first fuly compatible IBM clone.
1983 O Compaq Portable (Portátil) é o primeiro totalmente compatível com clones da
IBM.

1984 The Macintosh’s graphical user interface offers intuitive,
1984 A interface de uso gráfico da Macintosh oferece com intuição,

mouse-driven operation at a reasonable price.
operação de controle do mouse (mouse-dirigido), a um preço razoável.

Its pull-down menus and icons contrast sharply with the text-driven input of previous
personal computers.
Seus menus supensos (sub-menus) e ícones contrasta com a entrada de texto
orientado de computadores pessoais anteriores.

1985-89 Portable PCs finally become portable, with lightweight, notebook – style
laptops, including models by Radio Shack, Compaq and NEC.
1985-89 PCs portáteis, finalmente, tornar-se portátil, com peso leve, notebook -
laptops estilo, incluindo modelos de Radio Shack, Compaq e NEC.



33
1993 One of the first personal digital assistants to recognize hand-writing on its small
screen, the short-lived Apple.
1993 1993 Um dos primeiros assistentes pessoais digitais para reconhecer a escrita
em sua tela pequena, o Apple de curta duração.

Newton
Is viewd as fatally flawed by some and a headof is time by others.

Newton
É visto como fatalmente falho por alguns e está à frente do tempo pelos outros.

1995: Oracle’s Larry Ellison promotes the idea of a low-cost, limited-function $500
“network computer”. But price cuts in full-fledged PCs make the initiativemoot.
1995: Larry Ellison, da Oracle, promove a idéia de um baixo custo, com funções
limitadas $ 500 "rede informática". Mas os cortes de preços em PCs de pleno direito
tornou a iniciativa discutível.

1998: Apple rolls out its low-priced iMac, designed to give users easy access to
Internet.
1998: Apple lança iMac de baixo custo, projetado para dar aos usuários acesso fácil à
Internet.
.


2002: Eight manu-factures introduce versions of the Microsoft-designed Tablet PC, a
Wi-Fi- equipped laptop you can write on.
2002: Oito fábricas introduziram versões do Microsoft Tablet PC projetado, um laptop
Wi-Fi equipado, que você pode escrever.




34




TÓPICO 02 DA EMENTA








A PRIORIZAÇÃO DA LEITURA


INTERPRETAÇÃO DE TEXTO 02











35

SUBJECT PRONOUNS, BE - SIMPLE
PRESENT
INTERROGATIVE WORDS - WHERE
INDEFINITE ARTILE - A, AN
02
GRAMÁTICA

GRAMÁTICA 02


Os assuntos abordados neste capítulo serão:

Subject Pronouns, BE - Simple Present
Interrogative Words - where
Indefinite Artile - a, an

1 – DIALOGUE 2 (DIALOGO 2)

DIÁLOGO ANTERIOR (DIALOGO 1)

TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
Dikson: Excuse me. Are you Libny?
Girl: No, I am not. That girl is Libny.
Dikson: Thank you.
Dikson: Libny? Hi! I am Dikson Delgado!
Libny: Hello, Dikson!
Dikson: This is Libny, Mom.
Mrs. Delgado: Hello, Libny. I am Géssica
Delgado.
Libny: Hello! How are you, Mrs. Delgado?
Mrs. Delgado: Just fine, thanks.
Dikson: Com licença. Você é Libny?
Girl: Não, Eu não sou. Aquela garota é Libny.
Dikson: Obrigada.
Dikson: Libny? Oi! Eu sou Dikson Delgado!
Libny: Oi, Dikson!
Dikson: Esta é Libny, Mãe.
Mrs. Delgado: Oi, Libny. Eu sou Géssica
Delgado.
Libny: Oi! Como vai você, Mrs. Delgado?
Mrs. Delgado: Muito bem, obrigada.


36
DIALOGUE 2 (DIALOGO 2).

TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
Dikson: Here is Emanuel, Libny.
Mr. Delgado: I am Guilherme Delgado. Nice
to meet you, Libny!
Libny: Nice to meet you, Mr. Delgado.
Mr. Delgado: Let’s go. Libny is tired.
Dikson: Where is Erik?
Mrs. Delgado: He is in that shop.
Libny: Who is Erik?
Mr. Delgado: He is an old friend.
Dikson: We are classmates.
Dikson: Aqui está Emanuel, Libny.
Mr. Delgado: Eu sou Guilherme Delgado. Prazer
em conhecê-lo, Libny!
Libny: Prazer em conhecê-lo também, Mr.
Delgado.
Mr. Delgado: Vamos. Libny está cansada.
Dikson: Onde está Erik?
Mrs. Delgado: Ele está no shop.
Libny: Quem é Erik?
Mr. Delgado: Ele é um velho amigo.
Dikson: Nós somos amigos de sala.



2 – ORAL LANGUAGE PRACTICE 2 (PRÁTICA DE LINGUAGEM ORAL 2)


TEXTO EM INGLÊS TEXTO EM PORTUGUÊS
1. Erik is in that shop. 1. Erik está no shop.
there lá
in the classroom na sala de aula
here aqui
at home em casa
at work no trabalho
at school na escola


TEXTO EM INGLÊS TEXTO EM PORTUGUÊS
2. Erik is an od friend 2. Erik é um velho amigo.
a pal um amigo de perto
a new friend um novo amigo
an acquaintance um conhecido



37
TEXTO EM INGLÊS
3. Erik and Dikson
are classmates.
They

Jane and I
are classmates
We

The boy and the girl
are classmates
They

The man and the woman
are classmates
They

Libny, Dikson and I
are classmates
We
TEXTO EM PORTUGUÊS
3. Erik e Dikson
são amigos de sala.
Eles

Patricia e eu
são amigos de sala
Nós

O garoto e a garota
são amigos de sala
Eles

O homem e a mulher
são amigos de sala
Eles

Libny, Dikson e eu
são amigos de sala
Nós


TEXTO EM INGLÊS TEXTO EM PORTUGUÊS
4. They are classmates 4. Eles são amigos de sala
boys Eles são garotos
girls Elas são garotas
men Eles são homens
women Elas são mulheres
pals Eles são conhecidos


3 – STRUCTURE OBJECTIVES 2 (ESTRUTURAS OBJETIVAS 2)

1. Subject pronouns (Pronomes subjetivos)

we
you
they



2. BE – Simple Present (Presente Simples)

TEXTO EM INGLÊS TEXTO EM PORTUGUES
Interrogative - Are the Delgados Canadians? São os Delgados Americanos?
Negative - No, they are not (aren’t) Canadians. Não, eles não são Canadenses.
Affirmative - They are (they’re) Americans. Eles são Americanos.



38
AFFIRMATIVE NEGATIVE INTERROGATIVE
We are We’re We are not We aren’t Are we …?
You are You’re You are not You aren’t Are you …?
They area They’re They are not They aren’t Are they…?

3. Interrogative Words (Palavras interrogativas)

Where (location)
Question: Where is Erik?.
Answer: He is that shop.


4. Indefinite Articles (Artigos indefinidos)

A:
Erik is a classmate.
An:
Erik is an acquaintance.


A:
Erik is a classmate.
An:
Erik is an acquaintance.

NOTE THIS: A and an are not used before plural nouns.








39
4 – Verbs (verbos)


to want, wanted, wanted querer
to buy, bought, bought (for, from) comprar (para, de)
to work, worked, worked (with, at, for) trabalhar (com, em, para)
to play, played, played (with, at, in) tocar; jogar; brincar (com, em, no, na)
to sleep, slept, slept (with, at) dormir (com, em)
to go, went, gone (to) ir (a)

5 - Vocabulary (Vocabulário)

we nós
they eles, elas
house casa
farm fazenda
car carro
pen caneta
pencil lapis
eraser borracha
notebook caderno
paper papel
university universidade
in (the) no(a), nos(as), dentro de
on (the) no(a), nos(as), em, sobre, em cima de
at (the) no(a), nos(as), em
shirt camisa
boss chefe, patrão


40
teacher professor(a)
the o, a, os,as
girl(s) menina(s), garota(s)
boy(s) menino(s), garoto(s)
piano piano
flute flauta
basketball basquetebol
volleyball voleibol
alone sozinho (a, os, as)
together juntos(as)
a um, uma
an um, uma
office escritório
home lar, casa

6 - Idiomatic expressions (expressões idiomáticas)

work Trabalho; o trabalho
At work No trabalho
home Cada (lar); para casa
At home Em casa
Nice to meet you Prazer em conhecê-lo
Excuse me Com licença
Every day Todos os dias
Let’s Vamos
Let’s Vamos (ir)





41
7– Word Informatic (palavras da informática)


B2B
Business to Business, negócios entre empresas, envolvendo produtos, serviços ou parcerias.
Este termo é mais usado em relação aos sites que promovem este tipo de comércio,
oferecendo toda a praticidade e infra-estrutura necessária, cobrando em troca uma
mensalidade ou comissão sobre as transações.
B2C
Business to Consumer, vendas diretas ao consumidor. É geralmente usado em relação aos
sites que vendem produtos no varejo.
BABT
British Approval Board for Telecommunications, um selo de aprovação para modems que existe
na Inglaterra, uma espécie de controle de qualidade.
Back Office
Uma suíte de aplicativos da Microsoft voltada para o mercado empresarial. Não confundir com
o Trojam Back Orifice.
Background
É geralmente usado em relação a um programa que está sendo executado em segundo plano.
Este recurso é muito usado quando se opera o Linux em modo texto. É possível deixar a
compactação de um grande arquivo, ou outra tarefa demorada sendo executada em
background enquanto trabalha-se em outra coisa.


Back-orifice
É um programa, conhecido como Trojan ou Cavalo de troia, que permite a manipulação de
computadores remotamente, permitindo que o computador possa ser controlado remotamente,
via Internet. Esse programa consiste em duas partes: o cliente e o servidor, e foi criado por um
grupo de hackers com um só propósito: invadir máquinas alheias.
Backbone
Link de alta velocidade, usado geralmente como espinha dorsal de grandes redes. A Internet é
formada por inúmeros backbones que interligam as redes de universidades, empresas,
provedores de acesso, etc.
Backlight


42
Encontrada em monitores LCD, e telas de cristal líquido em geral é uma fonte de luz instalada
atrás da tela, que permite ver a imagem no escuro, além de melhorar bastante o contraste e
brilho da imagem.
Backside Bus
É o barramento rápido que conecta o núcleo do processador ao cache L2 em processadores
que trazem cache L2 embutido, como os Pentium II e III, Celeron, Athlon, etc.
Backup
Cópia de segurança. Copiar dados em um meio separado do original, de forma a protegê-los
de qualquer eventualidade. Essencial para dados importantes.
Bandwidth
Largura de banda, se refere à capacidade de transmissão de uma rede ou um tipo qualquer de
conexão. A largura de banda de uma conexão via modem é de 56 Kbits. Por exemplo, um slot
AGP 1X trabalha a 66 MHz e 32 Bits por transferência, resultando numa banda de 266 MB por
segundo.
Banner
Faixa. Atualmente é usado com relação às propagandas encontradas na Internet. Uma imagem
retangular que quando clicada leva ao site do anunciante.
BBS
Bulletin Board Service. Os primeiros serviços online, bem antes da Internet. A conexão era feita
via modem, na época ainda modelos de 1200 ou 2400 bips.
BCN
Conector usado em cabos de rede coaxiais.
Bezel
Termo em Inglês, usado para descrever o painel de plástico Frontal, encontrado em drives de
disquetes, CD-ROMs e outros drives que são encaixados nas baias do gabinete.
Binary
Binário, sistema numérico usado em computação que consiste em apenas dois valores, 1 e 0.
Todas as operações que são possíveis no sistema decimal, assim como processamento de
texto, sons, imagens e outros dados podem ser feitos usando o sistema digital.
BIOS
Basic Input / Output System. A primeira camada de software do sistema, responsável por "dar a
partida" no micro.
Bit Depth


43
Número de bits usados para representar cada ponto de uma imagem escaneada. Quanto mais
bits por ponto, mais cores e melhor será a fidelidade da imagem, porém, maior será o arquivo
gerado.
Bluetooth
O Bluetooth é uma tecnologia de transmissão de dados via sinais de rádio de alta freqüência,
entre dispositivos eletrônicos próximos. A distância ideal é de no máximo 10 metros e a
distância máxima é de 100 metros. Um dos trunfos é o fato dos transmissores serem baratos e
pequenos o suficiente para serem incluídos em praticamente qualquer tipo de dispositivo,
começando por notebooks, celulares e micros de mão, passando depois para micros de mesa,
mouses, teclados, joysticks, fones de ouvido, etc.
BNC
Um padrão de cabos e conectores usado em monitores. O cabo é composto por apenas 5 fios,
três para as cores (verde, azul e vermelho) e dois para os sinais de sincronismo vertical e
horizontal.
Boot
bootstrap, é o processo de inicialização do micro, onde é lido primeiramente o BIOS, o POST
(Power on self test) e em seguida carregado o sistema operacional e programas.
Boot Drive
Drive de boot, a unidade de disco usada para dar boot no micro. Normalmente é o disco rígido,
mas pode ser um disquete, CD-ROM, Zip, ou qualquer outra unidade de armazenamento de
dados.
Boot Manager
Um pequeno programa, instalado no setor de boot do HD, que permite instalar vários sistemas
operacionais no mesmo micro. Toda vez que o micro for ligado, o Boot manager será
carregado e perguntará qual dos sistemas operacionais deve ser carregado. Exemplos de Boot
Managers são o lilo do Linux, o NTBoot do Windows NT e 2000 e o Boot Magic do Partition
Magic.
Boot Sector
Também chamado de trilha MB, ou trilha zero, o setor de Boot do HD armazena informações
sobre o sistema operacional instalado, qual arquivos devem ser carregados para inicializar o
sistema etc. Caso o setor de boot seja danificado por qualquer motivo, não será mais possível
dar boot pelo HD. Ao instalar qualquer sistema operacional, este irá reescrever o setor de boot,
deixando as instruções que permitirão ao BIOS carrega-lo. Para limpar o setor de boot do HD,
pode ser usado o comando FDISK /MBR
BPS
bits per second, é usada para medir a velocidade de modems e redes em geral. Refere-se ao
números de bits transmitidos por segundo, lembrando que 8 bits eqüivalem a 1 byte
Bridge


44
ponte, serve para conectar duas redes distintas, permitindo comunicações entre elas. O bridge
pode ser um dispositivo dedicado ou então um PC com duas placas de rede, configurado para
executar esta função.
Broadband
Banda Larga, uma forma qualquer de acesso rápido à Internet, como acesso via cabo, ADSL,
satélite, etc.
Browser
O mesmo que Navegador, programas usados para visualizar páginas Web: Explorer, Netscape,
Opera, etc.
BTW
By the Way, é uma abreviação geralmente usada em grupos de discussão: "A propósito",
"Falando nisso..." etc.
Buffer
Uma pequena área de memória ultra-rápida usada para melhorar a velocidade de acesso a um
determinado dispositivo. É encontrado em HDs, gravadores de CD, modems, e muitos outros.
Apesar de serem sinônimos, o termo "buffer" é mais usado em relação aos dispositivos
anteriormente citados enquanto o termo "cache" é mais usado com relação aos processadores
e memória RAM
Burn-Proof
Uma tecnologia desenvolvida pela Sanyo que aumenta a Segurança na gravação de CDs. Ao
ocorrer algum erro inesperado, um Problema de buffer underrun, etc. a gravação é
automaticamente Interrompida. A grande vantagem, é que ao invés da mídia ser Inutilizada,
como aconteceria normalmente, é possível terminar a Gravação ao ser solucionado o
problema. Esta tecnologia é suportada por muitos gravadores de CD, que gravam a 12x ou
mais, já que quanto mais alta a taxa de gravação, maior é a possibilidade de surgirem
problemas de buffer underrun ou outros erros. Tudo é feito automaticamente pelo gravador,
sem intervenção do usuário.
Burst Mode
Modo de acesso suportado por vários tipos de memória e cache que consiste em vários
acessos seqüenciais, realizados antes que o anterior termine. Isto permite melhorar bastante a
velocidade dos acessos.
BUS
Barramento, meio de transmissão de dados entre dois ou mais componentes. Exemplos são os
barramentos PCI, AGP e ISA da placa mãe, que ligam os periféricos ao chipset e
consequentemente ao processador.
Bus Mastering
É uma característica suportada por algumas arquiteturas de barramento que permite que a
controladora conectada ao mesmo se comunique diretamente com outros dispositivos do
barramento sem passar pela CPU. Um HD com os Drivers de Bus Mastering seria capaz de


45
acessar diretamente a memória, sem ter que recorrer ao processador, o que além de melhorar
o desempenho, não consumiria a CPU que ficaria livre para fazer outras coisas. HDs UDMA
utilizam o Ultra DMA, enquanto HDs Pio Mode 4 utilizam o Mult. Word DMA 2. Em ambos os
casos você deverá instalar os drivers de Bus Mastering que acompanham sua placa mãe a fim
de ativar este recurso. O Windows 98 já possui drivers de Bus Mastering para a grande maioria
das placas mãe, dispensando a instalação dos drivers do fabricante na maioria dos casos.

























46

INGLÊS INSTRUMENTAL - ENG 06849
PROF. DR. ALEXANDRE ROSA DOS SANTOS
TESTE 2 / VALOR = 10 PONTOS (PESO 1)
02
TESTE

Graduando (a): ___________________________________________________

TESTE 02

1) Complete with the Indefinite Articles (a or an):
a) Libiny is ___________________ intelligent girl.
b) That is ___________________ shop.
c) _________________ acquaintance is not _______________ friend.
d) You are ___________ old friend, not _______________ new friend.
e) __________________ shop is not _________________ house.

2) Write the Plural Form of these sentences:
a) You are a boy.
You ______________________________________________________.

b) Maya is a girl.
Judy and Sara _____________________________________________.

c) I am a student.
We ______________________________________________________.

3) Ask questions about the words in boldface using the Interrogative Words given:

a) Libiny is tired.
Who _____________________________________________________?

b) Mrs. Delgado is fine.
How _____________________________________________________?



47
c) Tom is in that shop.
Where ___________________________________________________?

4) Fill in the blanks using the correct form of BE:
a) Gleissy and Tom ____________________________ old friends.
b) She and I ____________________ classmates.
c) You ________________ intelligent girls!
d) ______________ Libiny and Gleissy tired?
e) Éric and I ____________ not friends. We ____________ acquaintances.
f) Telma and João Batista ___________ not Americans. They _____________ Brazilians.






















48

INGLÊS INSTRUMENTAL - ENG 06849
PROF. DR. ALEXANDRE ROSA DOS SANTOS
TESTE 2 / VALOR = 10 PONTOS (PESO 1)
02
CORREÇÃO
TESTE

Graduando (a): ___________________________________________________

CORREÇÃO TESTE 02

5) Complete with the Indefinite Articles (a or an):
f) Libiny is ______an______ intelligent girl.
g) That is _____a______ shop.
h) ________An_________ acquaintance is not ____a____ friend.
i) You are ____an____ old friend, not ____a____ new friend.
j) ____A______ shop is not _____a_____ house.

6) Write the Plural Form of these sentences:
d) You are a boy.
You _are boys.______________________________________________.

e) Maya is a girl.
Judy and Sara __are girls._____________________________________.

f) I am a student.
We _are students.__________________________________________.

7) Ask questions about the words in boldface using the Interrogative Words given:

d) Libiny is tired.
Who _is tired?________________________________________________


49
e) Mrs. Delgado is fine.
How is Mrs. Delgado?_______________________________________

f) Tom is in that shop.
Where _is Tom?_______________________________________________

8) Fill in the blanks using the correct form of BE:
g) Gleissy and Tom _are______ old friends.
h) She and I ___are____ classmates.
i) You __are__ intelligent girls!
j) __Are___ Libiny and Gleissy tired?
k) Éric and I __are___ not friends. We __are__ acquaintances.
l) Telma and João Batista __are__ not Americans. They __are__ Brazilians.

















50

INTERPRETAÇÃO DE TEXTO 02

TECHNOLOGY AND HUMANI TY

"A man without technology,..., is not a man". (José Ortega y Gasset)

The Spanish philosopher José Ortega y Gasset, in his essay "Thoughts on
Technology", defines technology in the context of humanity and nature.
According to Ortega y Gasset, human real needs are independent of nature and
rather are based on an individual's will and desires. These acts of will translate
into humanity's manipulation of nature in an effort to address these needs.
When compared to natural needs, such as food and sleep, personal needs are
superfluous. The end result is that humanity creates a new nature, a super-
nature, which is separate from “real nature”. The super-nature can be dominant
over the real nature leading to numerous ethical issues. From this point of view,
technology is the means whereby humanity separates itself from nature and
that it is the mechanism used to adapt the natural environment to the individual.
This is the reason why the Spanish philosopher said that “a man without
technology is not man”.
According to José Ortega y Gasset "Everything becomes clear...when we
realize that there are two purposes [of technology]: "One, to sustain organic life,
mere being in nature, by adapting the individual to the environment; the other,
to promote the good life, well-being, by adapting the environment to the
individual." Thus Ortega y Gasset distinguishes technology which is for survival
from technology which is the result of will and desire. Therefore technology
must be recognized as going beyond minimal existence. In doing so, technology
becomes integral with using our environment for what we see as good; values
generate technology.


51
CORREÇÃO DO TEXTO 0 2

TECNOLOGI A E HUMANI DADE

TECHNOLOGY AND HUMANI TY

“Um homem sem tecnologia…, não é um homem”. (José Ortega de
Gasset)

"A man without technology,..., is not a man". (José Ortega . Gasset)

O !il"so!o es#anhol José Ortega Y Gasset, em sua composição “Reflexões
sobre a tecnologia”, define tecnologia no contexto da humanidade e da
natureza. De acordo com Ortega Y Gasset, as reais necessidades humanas
são independentes da natureza e um tanto baseada no que cada indivíduo
QUER e DESEJA.

The Spanish philosopher José Ortega Y Gasset, in his essay "Thoughts on
Technology", defines technology in the context of humanity and nature.
According to Ortega y Gasset, human real needs are independent of nature and
rather are based on an individual's will and desires.

Estes atos de manipulação da natureza traduzirão em um esforço para suprir
essas necessidades. Quando comparado com as necessidades naturais como
comer e dormir, as necessidades pessoais são supérfluas.


52

These acts of will translate into humanity's manipulation of nature in an effort to
address these needs. When compared to natural needs, such as food and
sleep, personal needs are superfluous.

O resultado final é que a humanidade cria uma nova natureza, a SUPER-
NATUREZA, que é separada da “REAL NATUREZA”.
The end result is that humanity creates a new nature, a super-nature, which is
separate from “real nature”.

A SUPER-NATUREZA pode dominar a REAL NATUREZA gerando inúmeras
questões éticas. Deste ponto de vista, A TECNOLOGIA É O MEIO PELO
QUAL A HUMANIDADE SE SEPARA DA NATUREZA sendo o mecanismo
usado para adaptar o ambiente natural ao indivíduo. Esta é a reação pela qual
o filósofo espanhol disse que “UM HOMEM SEM TECNOLOGIA NÃO É
HOMEM”.

The super-nature can be dominant over the real nature leading to numerous
ethical issues. From this point of view, technology is the means whereby
humanity separates itself from nature and that it is the mechanism used to
adapt the natural environment to the individual. This is the reason why the
Spanish philosopher said that “a man without technology is not man”.

De acordo com José Ortega y Gasset tudo será claro... quando entendermos
que existem duas finalidades [da tecnologia]: “Uma, para sustentar a vida
biológica, apenas estar na natureza através da adaptação do indivíduo ao meio


53
ambiente, a outra, para promover a boa vida, bem estar, através da adaptação
do ambiente para o indivíduo”.

According to José Ortega y Gasset "Everything becomes clear...when we
realize that there are two purposes [of technology]: "One, to sustain organic life,
mere being in nature, by adapting the individual to the environment; the other,
to promote the good life, well-being, by adapting the environment to the
individual."

Assim Ortega y Gasset distingue a tecnologia e para a sobrevivência de uma
tecnologia o resultado da vontade e desejo. Por conseguinte, a tecnologia deve
ser reconhecida como algo que vai além da mínima existência.

Thus Ortega y Gasset distinguishes technology which is for survival from
technology which is the result of will and desire. Therefore technology must be
recognized as going beyond minimal existence.

Com isso, a tecnologia se torna parte integrante, usando o nosso meio
ambiente para ser vista como boa; VALORES A FIM DE GERAR
TECNOLOGIA.

In doing so, technology becomes integral with using our environment for what
we see as good; values generate technology.




54





TÓPICO 03 DA EMENTA








ENSINO, APRENDIZAGEM DA LEITURA
EM LÍNGUA ESTRANGEIRA:
HABILIDADES E ESTRATÉGIA


INTERPRETAÇÃO DE TEXTO 03








55

DEMOSTRATIVE ADJECTIVES - THESE, THOSE
SUBJECT PRONOUNS, INTERROGATIVE
WORDS AND EXPRESSIONS - WHAT,
WHAT...LIKE
03
GRAMÁTICA

GRAMÁTICA 03

Os assuntos abordados neste capítulo serão:

Demostrative adjectives - these, those
Subject pronouns,
Interrogative words and expressions - what, what...like


1 – DIALOGUE 3 (DIALOGO 3)

REVISÃO: DIÁLOGO ANTERIOR (DIALOGO 1)

TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
Dikson: Excuse me. Are you Libny?
Girl: No, I am not. That girl is Libny.
Dikson: Thank you.
Dikson: Libny? Hi! I am Dikson Delgado!
Libny: Hello, Dikson!
Dikson: This is Libny, Mom.
Mrs. Delgado: Hello, Libny. I am Géssica
Delgado.
Libny: Hello! How are you, Mrs. Delgado?
Mrs. Delgado: Just fine, thanks.
Dikson: Com licença. Você é Libny?
Girl: Não, Eu não sou. Aquela garota é Libny.
Dikson: Obrigada.
Dikson: Libny? Oi! Eu sou Dikson Delgado!
Libny: Oi, Dikson!
Dikson: Esta é Libny, Mãe.
Mrs. Delgado: Oi, Libny. Eu sou Géssica
Delgado.
Libny: Oi! Como vai você, Mrs. Delgado?
Mrs. Delgado: Muito bem, obrigada.



56
REVISÃO: DIALOGUE 2 (DIALOGO 2).

TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
Dikson: Here is Emanuel, Libny.
Mr. Delgado: I am Guilherme Delgado. Nice
to meet you, Libny!
Libny: Nice to meet you, Mr. Delgado.
Mr. Delgado: Let’s go. Libny is tired.
Dikson: Where is Erik?
Mrs. Delgado: He is in that shop.
Libny: Who is Erik?
Mr. Delgado: He is an old friend.
Dikson: We are classmates.
Dikson: Aqui está Emanuel, Libny.
Mr. Delgado: Eu sou Guilherme Delgado. Prazer
em conhecê-lo, Libny!
Libny: Prazer em conhecê-lo também, Mr.
Delgado.
Mr. Delgado: Vamos. Libny está cansada.
Dikson: Onde está Erik?
Mrs. Delgado: Ele está no shop.
Libny: Quem é Erik?
Mr. Delgado: Ele é um velho amigo.
Dikson: Nós somos amigos de sala.


REVISÃO: DIALOGUE 3 (DIALOGO 3).

TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
Mr. Delgado: Here is Eric. And he is
embarrassed.
Mrs. Delgado: What is that, Eric?
Eric: This is a present for Libny.
Dikson: What is it?
Libny: Oh! It is a diary! It is really nice.
Thank you, Eric!
Mr. Delgado: Aqui está Eric. E ele está sem jeito
(acabrunhado).
Mrs. Delgado: O que é isto, Eric?
Eric: Isto é um presente para Libny.
Dikson: O que é?
Dikson: Oh! É um diário! Ele realmente é bom.
Obrigada, Eric!


57
Eric: You are welcome, Libny. Libny: De nada, Libny.



2 – ORAL LANGUAGE PRACTICE 3 (PRÁTICA DE LINGUAGEM ORAL 3)


TEXTO EM INGLÊS TEXTO EM PORTUGUÊS
1. Eric is embarrassed. 1. Eric está sem jeito (acabrunhado)
angry com raiva (irado,furioso)
nervous nervoso
happy feliz
sad triste


TEXTO EM INGLÊS
2. This is a present
for Libny.
These are presents

That is a present
for Libny.
Those are presents
TEXTO EM PORTUGUÊS
2. Este é um presente
para Libny.
Estes são presentes

Aquele é um presente
para Libny.
Aqueles são um presentes



TEXTO EM INGLÊS TEXTO EM PORTUGUÊS
3. The diary is nice. 3. O diário é bom (legal).
thick grosso
thin fino
big grande
small pequeno
good bom


3 – STRUCTURE OBJECTIVES 3 (ESTRUTURAS OBJETIVAS 3)








58
1. Demonstrative Adjetives (Pronomes demonstrativos)

SINGULAR PLURAL
this these
that those


Examples:

a)

This book is thick.
These books are thick.

b)

That diary is thin.
Those diaries are thin.


2. Subject pronouns (Pronomes subjetivos)

2.1. It (objetcts, animals)

Examples:

a)

The present is beautiful!


59
It is beautiful!
It’s beautiful!

2.2. They (plural form of he, she, it)

Examples:

The cars are new.
They are new
They’re new


3. Interrogative Word (Palavra interrogativa)

What (objects, animals, profession, religion)

Examples:

a)

TEXTO EM INGLÊS TEXTO EM PORTUGUÊS
Question: What is it?. O que é isto?
Answer: It’s a present for Libny. Isto é um presente para Libny.

b)

TEXTO EM INGLÊS TEXTO EM PORTUGUÊS
Question: What is Mr. Santos? Qual é a profissão do Sr. Santos?
Answer: He is a teacher. Ele é um professor.






60
4. Interrogative Expression (Expressão Interrogativa)

What …like (description of people or things) (descrição de pessoas e pertences)

Examples:

a)

TEXTO EM INGLÊS TEXTO EM PORTUGUÊS
Question: What is the diary like?. Como é o diário?
Answer: It is thick. Ele é grosso.

b)

TEXTO EM INGLÊS TEXTO EM PORTUGUÊS
Question: What is Iracema like?. Como é Iracema?
Answer: She is very nice. Ela é muito boa.



4 – Verbs (verbos)


to need, needed, needed precisar (de)
to have (has), had, had (to had to) ter; beber; comer; ter que
to understand, understood, understood entender
to write, wrote, written (to) escrever (para, a)
to prefer, preferred, preferred preferir
to live, lived, lived (in, on, at, with, for, by) morar; viver (em, no(a), com, para, por, próximo a)






61
5 - Vocabulary (Vocabulário)

nice bom
good bom
bad ruim
tall alto
short baixo
cold frio
hot quente
interesting interessante, atraente
boring chato
intelligent inteligente
stupid estúpido, bobo, besta
poor poble
rich rico
handsome bonito, belo
ugly feio
coffee café
wine vinho
beer cerveja
juice suco
in, at em
to the ao, à, aos, às (***)
here aqui
there lá, ali, aí
now agora
today hoje
tomorrow amanhã


62
apple maçã
sugar açúcar
sweetener adoçante
of (the) de (do, da)
glass(es) copo(s)
cup xícara
bottle garrafa
yes sim
not não
but mas, porém
child (children) criança(s); filho(s)
(at the) movies (no) cinema
(at the) bank (no) banco
(at the) store (na loja; mercado; armazém; depósito
market mercado
portuguese português

***preposição + artigo definido – movimento; em direção a, para

6 - Idiomatic expressions (expressões idiomáticas)


How are you? Como vai você?; Como está você?
I’m fine, tanks Vou bem, obrigado; Estou bem, obrigado
sorry desculpe; sinto muito
hello alô; olá
so, so mais ou menos
(for) breakfast (no, para o) café da manhã


63
(for) lunch (no, para o) almoço
(for) dinner (no, para o) jantar


7– Word Informatic (palavras da informática)

Cache Hit
Quando o dado de que o processador precisa está localizado no cache. O contrário, um cache
miss ocorre quando o dado não está no cache e o processador precisa acessá-lo na memória
RAM, perdendo tempo. Em geral, num processador atual com 32 KB de cache L1 e 256 KB de
cache L2 (ou mais) o índice de cache hits fica em torno de 98%.
Cache Server
Usado em algumas redes, é um servidor que armazena todas as páginas, ou mesmo arquivos
baixados, repassando-os aos usuários que os solicitarem novamente. Isto serve para ao
mesmo tempo agilizar as transferências de dados já baixados, quanto para diminuir o tráfego
de dados através do link com a Internet. Neste ponto, o cache server tem um funcionamento
semelhante ao de um servidor proxy, porém mais limitado. Ocache server apenas armazena
arquivos, não serve para compartilhar aconexão, nem para barrar acessos não autorizados ou
acrescentar qualquer segurança.
CAS
Column Address Strobe. Do ponto de vista do processador, a memória RAM é dividida em
linhas (Row) e colunas (column). Cada acesso é feito enviando os valores CAS e RAS, que
correspondem a estes endereços de linha e coluna. Combinados os dois endereços é
acessado o bit de dados desejado. Em geral existe no setup a opção de configurar o valor.
CBS
CAS Before RAS, modo de acesso à memória onde são feitos quatro acesso consecutivos à
memória enviando apenas um endereço de linha (RAS) e em seguida quatro endereços de
coluna. Isto permite ganhar tempo, acelerando a leitura dos dados. Este modo vem sendo
usado apartir das memórias FPM.
CD
Compact Disk. O CD substituiu os disquetes de 3,5" na distribuição de programas e aposentou
os disco de vinil. Um CD armazena 650MB de dados ou 72 minutos de audio, tudo em modo
digital, ou seja zeros e uns. Leia mais em.
Celeron (intel)
Lançado pela Intel em 98 com o objetivo de ser o sucessor do Pentium MMX no mercado de
baixo custo. As primeiras versões de 266 e 300 MHz não tinham cache, sendo grandes fiascos
de vendas. A partir do 300A foram incorporados 128 KB de cache L2, que garantiram um
desempenho próximo ao do Pentium II. Todos os Celerons com core Coopermine ( o 533a e do


64
566 em diante) são na verdade processadores Pentium III, que tem metade de seu cache L2
desabilitado ainda em fábrica.
Centronics
(interface) - Foi o primeiro padrão de portas paralelas, ou portas de impressoras bidirecionais.
O conector possui 25 pinos e a porta transmite a aproximadamente 150 KB/s. As portas
Centronics foram substituídas pelas portas ECP e EPP usadas atualmente, que possuem
compatibilidade retroativa com elas.
CGI
Common Gateway Interface, pequenos programas, rodados a partir do servidor que permitem
adicionar vários recursos a uma página Web. Os programas são executados a partir de
solicitações do navegador, retornando a resposta desejada. Os scripts CGI podem
desempenhar desde funções bem simples, quanto interagir com grandes bases de dados,
geralmente são escritos em Perl.
Chorus
Efeito de eco utilizado para melhorar a qualidade do som. Suportado por alguns programas e
aparelhos de som.
CI
Circuito integrado, vários componentes que são encontrados na forma de chips, em vários tipos
de placas.
CISC
Complex Instruction Set Computer. Computadores que executam diretamente um conjunto
complexo de instruções, como o 486. Os processadores atuais incorporam um núcleo RISC
(Reduced Instruction Set Computer), sendo chamados de híbridos. Leia mais em
Clean Room
Sala limpa, um local com temperatura controlada e completamente livre de partículas de
poeira, onde discos rígidos são fabricados, ou onde podem ser abertos para manutenção. Abrir
um HD fora de uma sala limpa condenará o equipamento, pois como os discos giram a
velocidades muito altas, qualquer partícula de poeira que entre em contato com uma das
cabeças de leitura é suficiente para causar um bom estrago nos discos magnéticos. O HD
continuará funcionando mas, poucos minutos depois, começarão a surgir inúmeros setores
defeituosos.
Clone
Um sistema compatível com uma certa arquitetura, mas produzido por outro fabricante. Por
exemplo, durante muito tempo os PCs fabricados pela Compaq, Dell, etc. eram chamados de
"clones" de IBM PC, pois eram compatíveis com o IBM PC da IBM. Já existiram também clones
de Macintosh, Macs produzidos por outras empresas sob um licença especial fornecida pela
Apple. Em geral, os fabricantes permitem a fabricação de clones quando desejam tornar seu
produto um padrão de marcado. A IBM foimuito bem sucedida neste sentido, já que hoje em
dia mais de 90% dos computadores do mundo são PCs. A Apple por outro lado acabou
cancelando as licenças depois de algum tempo, pra evitar que os clones passassem a
concorrer com seus próprios produtos.


65
Cluster
Um conjunto de setores do HD que são endereçados pelo sistema operacional como uma
única unidade lógica. Em outras palavras, um cluster é a menor parcela do HD que pode ser
acessada pelo sistema operacional. Cada cluster tem um endereço único, um arquivo grande é
dividido em vários clusters, mas um cluster não pode conter mais de um arquivo, por menor
que seja. O tamanho de cada cluster varia de acordo com o sistema de arquivos escolhido na
formatação do HD. Usando FAT 16 cada cluster tem até 32 KB, usando FAT 32 cada cluster
possui apenas 4 KB. Usando NTFS (o sistema de arquivos utilizado pelo Windows NT e 2000)
cada cluster possui entre 512 bytes e 4 KB, dependendo do tamanho da partição. Quanto
menores forem os clusters, menor será a quantidade de espaço desperdiçada no HD,
sobretudo ao gravar vários arquivos pequenos, já que mesmo com apenas 1 byte de tamanho,
qualquer arquivo ocupará um cluster inteiro.
CMOS
Complementary Metal Oxide Semiconductor. É um chip que funciona como uma memória,
pode manter um dado gravado desde que a sua alimentação não seja interrompida. A bateria
que tem na placa-mãe alimenta continuamente este tipo de memória, para manter as
configurações do SETUP do micro.
CMYK
Cian, Magenta, Yellow and Black, é um padrão de quatro cores primárias, que combinadas
formam cores ilimitadas. O padrão CMYK é mais usado para impressão em papel, onde 4
cores de tinta geram ma qualidade final melhor do que apenas 3. Porém, monitores, televisões,
etc. usam o padrão RGB, Red, Green and Blue, onde são usadas apenas três cores. É por isto
que uma mesma imagem vista no monitor apresenta leves alterações na tonalidade das cores
ao ser impressa. Alguns programas gráficos como o Corel Draw incorporam filtros, que tentam
mostrar no monitor a imagem exatamente como será impressa. Além do CMYK e do RGB
existem vários outros padrões de cores, como o Pantone, onde ao invés de termos um certo
número de cores primárias que são combinadas para gerar as demais, temos uma tinta para
cada cor que for ser utilizada na impressão. Isto garante que a cor impressa seja exatamente a
mesma que é vista no mostruário, entretanto não permite usar muitas cores diferentes no
mesmo impresso, já que precisaríamos de uma tinta diferente para cada cor.
CNR
Communication and Networking Rise, um novo tipo de barramento criado pela Intel, com o
objetivo de acomodar placas de som, modems e placas de rede. Pode ser encontrado em
algumas das placas mãe mais modernas. Aparece como um pequeno slot marrom na placa
mãe, em geral no canto oposto ao do slot AGP. Não confundir com AMR, os dois padrões são
aparecidos, mas são incompatíveis entre si. Maiores informações em
CODEC
COmpression DECompression, uma tecnologia qualquer que converte vídeo e som analógicos
em sinais digitais, comprimindo-os a fim de diminuir o tamanho dos arquivos. Um exemplo é o
QuickTime.
Codigo Fonte
O arquivo que contém os comandos e rotinas que formam um programa. Este código é então
compilado, gerando o arquivo binário que será executado. Ao comprar um programa qualquer,


66
recebemos apenas os binários, que permitem instalar e executar o programa, mas não o
código fonte, que permitiria altera-lo ou entender como ele funciona. Em programas comerciais,
o código fonte é cuidadosamente guardado, mas existe um movimento crescente de
desenvolvimento de softwares livres, onde o código fonte é distribuído junto com o programa, o
que permite a qualquer um com conhecimentos de programação alterá-lo, corrigir bugs ou
adicionar novos recursos, desde que sejam mantidos os créditos para o criador original. O
movimento de software livre inclui o Linux e a maior parte dos aplicativos desenvolvidos para
ele.
Compression
Compressão, técnica usada para diminuir o tamanho dos arquivos de áudio, video e imagens, a
fim de diminuir seu tempo de transmissão ou economizar espaço. Existem tanto algoritmos que
permitem compactação sem perda de qualidade, quanto algoritmos que sacrificam parte da
qualidade a fim de gerar arquivos menores.
Concurrent PCI
É um recurso que permite que periféricos ISA e PCI instalados na máquina realizem
transferencias de dados simultaneamente. Esta opção aparece no Setup de algumas placas
mãe. Deixa-la ativada representa uma pequena melhora no desempenho.
Core
Centro ou Núcleo. Em informática, o uso mais comum é em relação ao processador. O "core"
neste caso, é a pequena pastilha de silício que contém todos os transístores. Esta pastilha, que
mede pouco menos de um centímetro quadrado na maioria dos processadores, é encapsulada
numa estrutura de cerâmica, metal, plástico, ou mesmo fibra de vidro, formando os
processadores que encontramos à venda. Core também é usando em relação à arquitetura
usada no processador. Por exemplo, quando alguém fala em "processadores Celeron com core
Coppermine" está se referindo aos Celerons que usam a arquitetura Coppermine, a mesma
usada no Pentium III. Existem também os Celerons com core Deschutes (mais antigos, já
descontinuados) e a partir de 2002 teremos os Celerons baseados no core Tualatin, um projeto
mais avançado, que permite produzir processadores usando transístores de 0.13 mícron, que
são mais rápidos, consomem menos energia e são mais baratos de se produzir.
Cookies
Biscoito em inglês. São pequenos códigos gravados na sua máquina quando você acessa
determinado site. Da próxima vez que voltar ao mesmo, o servidor poderá identifica-lo lendo o
Cookie que foi gravado da última vez. Os Cookies podem ser usados para fins úteis, como por
exemplo dispensar você de digitar username e senha toda vez que acessar o site, mas
também podem ser utilizados para espionar os hábitos de navegação do usuário.
CPU
Central Processing Unit. Era mais usado na época dos mainframes, muitos técnicos usam este
termo para se referir ao gabinete do micro por nele estar o processador. Pode aparecer
também como UCP (Unidade Central de Processamento) O termo mais atual é processador.
Cracker
É um vândalo virtual, alguém que usa seus conhecimentos para invadir sistemas, quebrar
travas e senhas, roubar dados etc. Alguns tentam ganhar dinheiro vendendo as informações


67
roubadas, outros buscam apenas fama ou divertimento. Na hierarquia hacker o Craker está
acima do Lammer (que sabe muito pouco) mas abaixo do Hacker, que é alguém de mais
maturidade, que ao invés de usar seu conhecimento para destruir tudo que vê pela frente, o
utiliza para construir coisas.
Criptografia
Consiste em codificar um arquivo ou mensagem usando um conjunto de cálculos. O arquivo
codificado (ou encriptado) torna-se incompreensível até que seja decodificado (ou
desencriptado). Os cálculos usados para encriptar ou desencriptar o arquivo são chamados de
chaves. Apenas alguém que tenha a chave poderá ler o arquivo criptografado. Existem vários
níveis de criptografia, quanto mais complexo, mais seguro.
Crosstalk
Interferência causada pela proximidade entre dois circuitos ou cabos.
CRT
Catodic Ray Tube, os monitores de raios catódicos, ou seja, que utilizam tubo de imagem, que
ainda são os mais comuns atualmente.


















68

INGLÊS INSTRUMENTAL - ENG 06849
PROF. DR. ALEXANDRE ROSA DOS SANTOS
TESTE 3 / VALOR = 10 PONTOS (PESO 1)
03
TESTE

Graduando (a): ___________________________________________________

TESTE 03

Resolva o teste abaixo observando o resumo da tabela abaixo:

RESUMO RÁPIDO
BE – SIMPLE PRESENT
I’m I’m not Am I...?
you’re you aren’t Are you ...?
he’s he isn’t Is he...?
she’s she isn’t Is she...?
it’s it isn’t Is it...?
we’re we aren’t Are we...?
you’re you aren’t Are you...?
they’re they aren’t Are they...?
INTERROGATIVE WORDS AND EXPRESSIONS
Who What How
Where What...like
DEMONSTRATIVE ADJECTIVES
this these


69
that those
INDEFINITE ARTICLES
a an

9) Change the sentence to Plural Form (Mude as frases para o plural)
Model: This is a present for Mikaio.
These are presents for Mikaio.

a) This is a nice book.
_____________________________________________________________

b) That is a satellite.
_____________________________________________________________

c) That is a nice teacher.
_____________________________________________________________

d) This is a good friend.
_____________________________________________________________

10) Replace the words in boldface with the correct Subject Pronoun (Substitua as palavras em
negrito com a correto Pronome Subjetivo)


g) The CD is new.
_____________________________________________________________.

h) Dogs are good friends..
_____________________________________________________________.



70
i) That house is beautiful!
_____________________________________________________________.

j) Are those stores small?
_____________________________________________________________.


11) Ask question about the words in boldface using What… like?: (Fazer pergunta sobre as
palavras em negrito usando What… like?:)

g) _________________________________________________________
These CDs are new.

h) _________________________________________________________
That university is large.

i) _________________________________________________________
The girl is beautiful.

j) _________________________________________________________
These classrooms are small.












71

INGLÊS INSTRUMENTAL - ENG 06849
PROF. DR. ALEXANDRE ROSA DOS SANTOS
TESTE 3 / VALOR = 10 PONTOS (PESO 1)
03
CORREÇÃO
TESTE

Graduando (a): ___________________________________________________

CORREÇÃO TESTE 03

Resolva o teste abaixo observando o resumo da tabela abaixo:

RESUMO RÁPIDO
BE – SIMPLE PRESENT
I’m I’m not Am I...?
you’re you aren’t Are you ...?
he’s he isn’t Is he...?
she’s she isn’t Is she...?
it’s it isn’t Is it...?
we’re we aren’t Are we...?
you’re you aren’t Are you...?
they’re they aren’t Are they...?
INTERROGATIVE WORDS AND EXPRESSIONS
Who What How
Where What...like
DEMONSTRATIVE ADJECTIVES


72
this these
that those
INDEFINITE ARTICLES
a an

12) Change the sentence to Plural Form (Mude as frases para o plural)
Model: This is a present for Mikaio.
These are presents for Mikaio.

e) This is a nice book.
___These are nice books.__________________________________

f) That is a satellite.
____Those are satellites.____________________________________



g) That is a nice teacher.
____Those are nice teachers.______________________________

h) This is a good friend.
____These are good friends._______________________________

13) Replace the words in boldface with the correct Subject Pronoun (Substitua as palavras em
negrito com a correto Pronome Subjetivo)




73
k) The CD is new.
___It is new.________________________________________________.

l) Dogs are good friends..
___They are good friends._________________________________.

m) That house is beautiful!
___It is beautiful!____________________________________________.

n) Are those stores small?
___Are they small? _________________________________________.


14) Ask question about the words in boldface using What… like?: (Fazer pergunta sobre as
palavras em negrito usando What… like?:)

k) _What are these CDs like?______________________________
These CDs are new.

l) _ What is that university like? ___________________________
That university is large.

m) _ What is the girl like? ___________________________________
The girl is beautiful.

n) _ What are these classrooms like? ______________________
These classrooms are small.






74
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO 03


TECHNOLOGY AND PROBLEM SOLVING

Humans create technology to adapt their environment to themselves, but
technology also changes the way humans live, think, multiply, and die. In this
sense, we say that humanity and technology live in symbiosis, as to a large
extent one creates the other. Indeed, while it is useful to think about technology
as a means to solve problems, sometimes the introduction of the tool precedes
the problem to be solved! Did the introduction of the firearm “solve” the civil war
problem in Japan? The invention of the telephone also did not solve a particular
problem, as humans were communicating in other ways before its invention. But
it did enable faster communication.
Seeing technology as a means to solve problems, while correct, is not the
whole story. Tools enable us to both cope and change our environment, but as
the environment changes so do our needs and ourselves, leading us to use the
same and new tools in unforeseen ways, in an endless loop of social-
technological interaction. Every new tool changes the “problem space”. This
permanent evolution of the problem-space is emphasized by our highly creative
use of tools. As the German philosopher Martin Heidegger pointed out, we do
not usually deliberately think about how to use our (best) tools. The tools
available in our environment simply “show up” as solutions to present problems
(Prem, 1998). And these may be problems that the introduction of the tool itself
created!











75
CORREÇÃO DO TEXTO 03

TECNOLOGIA E SOLUÇÃO DE PROBLEMAS

TECHNOLOGY AND PROBLEM SOLVING

Os seres humanos CRIAM TECNOLOGIA PARA ADAPTAR O AMBIENTE
PARA SI PRÓPRIOS, mas a tecnologia também MUDA A MANEIRA COMO
OS SERES HUMANOS VIVEM, PENSAM, SE MULTIPLICAM
(REPRODUZEM) E MORREM.

Humans create technology to adapt their environment to themselves, but
technology also changes the way humans live, think, multiply, and die.

Neste sentido, podemos dizer que a HUMANIDADE E A TECNOLOGIA VIVEM
EM SIMBIOSE à medida que um é criado através do outro. De fato, embora
seja útil pensar na tecnologia como um meio para resolver problemas, às
vezes, a introdução de ferramentas precede o problema a ser resolvido! SERÁ
QUE A INTRODUÇÃO DA ARMA DE FOGO “RESOLVEU” O PROBLEMA DA
GUERRA CIVIL NO JAPÃO?

In this sense, we say that humanity and technology live in symbiosis, as to a
large extent one creates the other. Indeed, while it is useful to think about
technology as a means to solve problems, sometimes the introduction of the
tool precedes the problem to be solved! Did the introduction of the firearm
“solve” the civil war problem in Japan?

A invenção do telefone também não resolveu um problema particular, já que os
seres humanos estavam se comunicando por outros meios antes da sua
invenção. Mas possibilitou uma comunicação mais rápida.



76
The invention of the telephone also did not solve a particular problem, as
humans were communicating in other ways before its invention. But it did
enable faster communication.

Vendo a tecnologia como um meio para resolver problemas, embora correta,
não é tudo. Ferramentas permitem nos enfrentar e mudar nosso ambiente, mas
como o ambiente muda para satisfazer nossas necessidades e nós mesmos,
leva-nos a usar essas novas ferramentas de forma imprevista, num ciclo
interminável ou interação sócio-tecnológica.
Seeing technology as a means to solve problems, while correct, is not the
whole story. Tools enable us to both cope and change our environment, but as
the environment changes so do our needs and ourselves, leading us to use the
same and new tools in unforeseen ways, in an endless loop of social-
technological interaction.

Cada nova ferramenta MUDA O “ESPAÇO DO PROBLEMA”. Essa evolução
permanente do problema de espaço é enfatizado pelo nosso uso altamente
criativo de ferramentas.

Every new tool changes the “problem space”. This permanent evolution of the
problem-space is emphasized by our highly creative use of tools.

Como o filósofo alemão Martin Heidegger salientou, nós normalmente não
pensamos deliberadamente sobre como usar (melhor) nossas ferramentas. As
FERRAMENTAS DISPONÍVEIS EM NOSSO MEIO, SIMPLESMENTE
“APARECEM” COMO SOLUÇÕES PARA OS PROBLEMAS ATUAIS (Prem,
1998).

As the German philosopher Martin Heidegger pointed out, we do not usually
deliberately think about how to use our (best) tools. The tools available in our
environment simply “show up” as solutions to present problems (Prem, 1998).

E ESSES PODEM SER OS PROBLEMAS QUE A INTRODUÇÃO DAS
FERRAMENTAS EM SI TEM CRIADO!



77
And these may be problems that the introduction of the tool itself created!




























78




TÓPICO 04 DA EMENTA








DESENVOLVIMENTO DAS
HABILIDADES LINGUÍSTICAS


INTERPRETAÇÃO DE TEXTO 04










79


POSSESSIVE FORM, INTERROGATIVE WORD -
WHOSE
04
GRAMÁTICA

GRAMÁTICA 04


Os assuntos abordados neste capítulo serão:

Possessive form
Interrogative word - whose


1 – DIALOGUE 1 (DIALOGO 1)

REVISÃO: DIÁLOGO ANTERIOR (DIALOGO 1)

TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
Dikson: Excuse me. Are you Libny?
Girl: No, I am not. That girl is Libny.
Dikson: Thank you.
Dikson: Libny? Hi! I am Dikson Delgado!
Libny: Hello, Dikson!
Dikson: This is Libny, Mom.
Mrs. Delgado: Hello, Libny. I am Géssica
Delgado.
Libny: Hello! How are you, Mrs. Delgado?
Dikson: Com licença. Você é Libny?
Girl: Não, Eu não sou. Aquela garota é Libny.
Dikson: Obrigada.
Dikson: Libny? Oi! Eu sou Dikson Delgado!
Libny: Oi, Dikson!
Dikson: Esta é Libny, Mãe.
Mrs. Delgado: Oi, Libny. Eu sou Géssica
Delgado.
Libny: Oi! Como vai você, Mrs. Delgado?


80
Mrs. Delgado: Just fine, thanks. Mrs. Delgado: Muito bem, obrigada.

REVISÃO: DIALOGUE 2 (DIALOGO 2).

TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
Dikson: Here is Emanuel, Libny.
Mr. Delgado: I am Guilherme Delgado. Nice
to meet you, Libny!
Libny: Nice to meet you, Mr. Delgado.
Mr. Delgado: Let’s go. Libny is tired.
Dikson: Where is Erik?
Mrs. Delgado: He is in that shop.
Libny: Who is Erik?
Mr. Delgado: He is an old friend.
Dikson: We are classmates.
Dikson: Aqui está Emanuel, Libny.
Mr. Delgado: Eu sou Guilherme Delgado. Prazer
em conhecê-lo, Libny!
Libny: Prazer em conhecê-lo também, Mr.
Delgado.
Mr. Delgado: Vamos. Libny está cansada.
Dikson: Onde está Erik?
Mrs. Delgado: Ele está no shop.
Libny: Quem é Erik?
Mr. Delgado: Ele é um velho amigo.
Dikson: Nós somos amigos de sala.


REVISÃO: DIALOGUE 3 (DIALOGO 3).

TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
Mr. Delgado: Here is Eric. And he is
embarrassed.
Mrs. Delgado: What is that, Eric?
Eric: This is a present for Libny.
Mr. Delgado: Aqui está Eric. E ele está sem jeito
(acabrunhado).
Mrs. Delgado: O que é isto, Eric?
Eric: Isto é um presente para Libny.


81
Dikson: What is it?
Libny: Oh! It is a diary! It is really nice.
Thank you, Eric!
Eric: You are welcome, Libny.
Dikson: O que é?
Dikson: Oh! É um diário! Ele realmente é bom.
Obrigada, Eric!
Libny: De nada, Libny.


REVISÃO: DIALOGUE 4 (DIALOGO 4).

TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
Mr. Delgado: Where are the car keys?
Dikson: They are in Mom’s hand.
Mrs. Delgado: Here you are, honey.
Mr. Delgado: Okay. Let’s go home. The car is
in the parking lot.
Mr. Delgado: Onde estão as chaves do carro?
Dikson: Elas estão nas mãos da mamãe.
Mrs. Delgado: Aqui estão elas, bem.
Mr. Delgado: Ok. Vamos para casa. O carro
está no estacionamento.


2 – ORAL LANGUAGE PRACTICE 4 (PRÁTICA DE LINGUAGEM ORAL 4)


TEXTO EM INGLÊS
1. They keys are in Mrs. Delgado’s hand.
Dikson’s purse
Mikaio’s pocket

TEXTO EM PORTUGUÊS
1. As chaves estão nas mãos da Senhora Delgado.
na bolsa (carteira) de Dikson
no bolso de Mikaio.


TEXTO EM INGLÊS
2. The car is in the parking lot.
garage
street
highway

TEXTO EM PORTUGUÊS


82
2. O carro esta no (a) Estacionamento.
garagem
rua
Alto estrada


3 – STRUCTURE OBJECTIVES 4 (ESTRUTURAS OBJETIVAS 4)


1. Possessive Form: ’s s’

After a Proper or Singular Noun: ’s (Depois de substantivos Próprios e Singular)

TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
Eric’s friends.
Amigos de Eric.
James’s car.
O carro de James.
The girl’s house.
A casa da garota.
Mr. Jones’s office.
O escritório do Sr. Jones.


After a Plural Noun ending in s: s’ (Depois de um substantivo no plural terminando em s)

TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
The girls’ books.
Os livros das garotas.
The boys’ street.
A Estrada (rua) dos garotos.


More than one Noun: ..and... ’s s’ (Mais do que um Substantivo)



83
TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
Mr. and Mrs. Delgado’s car.
O carro do Sr. e Sra. Delgado.
Tiago, Sebastião and the girls’ friend.
O amigo de Tiago, Sebastião e das garotas.


2. Interrogative Word (palavra interrogativa)

Whose (possession) (posse, propriedade)

Whose + NOUN (de quem, do qual + substantivo)

Question: Whose house is beautiful?
Answer: Gleissy’s house is beautiful.

4 – Verbs (verbos)

to speak, spoke, spoken (with) falar (linguas) (com)
to talk, talked, talked (to) falar; conversar (com)
to sell, sold, sold (to) vender (a, para)
to read, read, read ler
to know, knew, known saber; conhecer*
to close, closed, closed fechar

* to know how to – sempre antes de verbo (saber como).

Ex: I know how to read (Eu sei como ler)





84
5 - Vocabulary (Vocabulário)

what o que, que, qual
why por que (?)
to a (prep. movimento, em direção a)
because porque
of the do (a), dos (as)
door porta
window janela
book livro
school escola
church igreja
apartment apartamento
then então; depois
already já
downtown centro, ao centro, no centro
neighbor vizinho (a)
more mais
chiken galinha; frango
newspaper jornal
magazine revista
class (es) aula (s), a aula
or ou
new novo
city cidade
some algum, alguma, alguns, algumas, um pouco de
meat carne




85
6 - Idiomatic expressions (expressões idiomáticas)

Good afternoon Boa tarde
Good evening Boa noite (ao chegar)
Good night Boa noite (ao sair)
A lot of Muito (s) (antes de substantivos); bastantes
A lot Muito (a), bastante
about Sobre; a respeito de; mais ou menos; em torno de (contável)*

(*) Eu daquilo que pode ser contado.

Ex: I have about 150 publications. (Eu tenho em torno de 150 publicações).


7– Word Informatic (palavras da informática)

DAC
Digital to Analog Converter, o inverso do ADC, refere-se a um dispositivo que transforma um
sinal digital num sinal analógico. É outro componente da placa de som, responsável por
transformar o sinal digital recebidos do processador no sinal analógico que é enviado para as
caixas de som.
Daemon
Designação dada ao programas que são executados em memoria de forma invisivel (em
background) ao operador e só aparecem quanto solicitação do usuário ou de outros
programas. O DosKey é um exemplo. O termo Daemon (demônio) vem da mitologia grega,
onde os Daemons são espíritos guardiões. Este termo é muito pouco usado hoje em dia.
DAT
Originalmente foi um padrão criado para gravar áudio digital, com Qualidade de CD em fitas
magnéticas especiais. Em 1988 Sony e HP Aperfeiçoaram o padrão, que passou a ser usado
também para gravar dados nas mesmas fitas. Hoje em dia as fitas DAT ainda são muito
utilizadas para fazer backup, pois são relativamente baratas e armazenam até 40 GB de dados.
DC


86
Direct Current, corrente elétrica que trafega numa única direção, usada por computadores e
dispositivos eletrônicos em geral. Num PC, a fonte de alimentação tem a função de converter a
corrente AC (alternada) da tomada na corrente contínua, DC usada pelo equipamento.
DDR
Double Data Rate. Um tipo de memória duas vezes mais rápido que as memórias SDRAM
atuais, que vem ganhando popularidade.
Developer
Driver de dispositivo. Conjunto de rotinas que permitem ao sistema operacional acessar o
periférico. O driver funciona como uma espécie de tradutor entre o dispositivo, uma placa de
vídeo por exemplo o sistema operacional ou programas que o estejam utilizando. Por ser
especializado, o driver funcionará adequadamente apenas junto com o para que foi escrito. Em
geral existe uma versão diferente do driver para cada sistema operacional.
Dial-up
Acesso discado (usando um modem e uma linha telefônica) a uma rede qualquer ou à Internet.
Disc
O mesmo que disk, disco. Em informática, o termo "disc" é geralmente usado em relação à
discos ópticos enquanto "disk" é mais comunmente usado em relação a discos magnéticos,
como os HDs. De qualquer forma, ambos os termos são considerados corretos. Você
encontrará um ou outro dependendo do autor que escreveu a literatura.
DIMM
Double Inline Memory Mode. Os módulos de memória de 168 vias usados atualmente.
Dithering
Recurso que cria a ilusão de novas cores, misturando pontos de cores diferentes. Um exemplo
clássico é uma foto de jornal, apesar da foto aparentar ser composta por várias tonalidades de
cinza, existem apenas pontos brancos e pretos, que intercalados dão a impressão de novas
tonalidades. Note que o dithering não cria novas tonalidades de cor, apenas intercala pontos
das tonalidades disponíveis.
DLL
Dynamic Link Library, são arquivos que contém rotinas e funções que podem ser utilizadas
pelos programas. O mesmo programa pode utilizar várias DLLs diferentes e a mesma DLL
pode ser usada por vários programas. O uso de DLLs visam facilitar o trabalho dos
programadores, que podem utilizar funções que já estão prontas em alguma DLL ao invés de
ter de cria-las.
DMA
Direct Memory Access. É uma recurso da placa mãe que permite que os periféricos acessem
diretamente a memória RAM, sem consumir poder de processamento do processador.
DMS
Domain Name Service. Transforma os endereços IP em nomes amigáveis, como
www.guiadohardware.net, pode ser usado também em Intranets.


87
Domain
Domínio, são os endereços de sites na Internet, obedece a uma hierarquia. Em
guiadohardware.net, o .net é o domínio primário, enquanto o guiadohardware é o domínio
secundário, que está dentro do primeiro. Os endereços são lidos apartir do final. O browser
primeiro procurará pelo domínio .net para depois procurar o domínio guiadohardware que está
subordinado a ele.
DOS
Disk Operating System. Pode ser usado em relação a qualquer sistema operacional, mas é
normalmente usado em relação ao MS-DOS
DOS/V
O DOS/V é uma versão do MS-DOS destinada ao mercado Japonês. Como o idioma utiliza
caracteres bem diferentes dos ocidentais, desde os primeiros computadores, existiam
problemas de incompatibilidade entre programas e computadores Japoneses e os usados no
restante do mundo. O DOS/V, desenvolvido em 91, veio para solucionar este problema, sendo
compatível com todos os comandos e programas do MS-DOS ocidental, e também com
comandos e programas usando ideogramas em Kanji. Pouco tempo depois, foi lançada uma
versão do Windows 3.1 com a mesma compatibilidade, o Win/V. Apartir do Windows 95, toda a
família Windows possui suporte multilíngue, bastando instalar os pacotes de idiomas
necessários para exibir qualquer conjunto de caracteres. Para visualizar páginas com
ideogramas em Kanji no IE 5, por exemplo, basta clicar em Exibir > Codificação > Mais, e
instalar o suporte a Japonês. Atualmente, os teclados usados no Japão possuem teclas com os
caracteres ocidentais e os equivalentes em Kanji.
Download
Baixar algum arquivo através da rede, ou via Internet. Down significa "baixar" ou "puxar",
enquanto load "significa "carregar", no sentido de carregar um programa ou arquivo.
DPI
dots per inch, pontos por polegada. É usado com relação à resolução de uma imagem
impressa. Se aplica tanto à Impressoras quanto a scanners. Uma imagem de 5,2 x 5,2 cm (2
polegadas) impressa a 300 DPI possui 600 x 600 pontos. O mesmo pode-se dizer da mesma
imagem de 5,2 x 5,2 Cm digitalizada a 300 DPI por um scanner.
DSTN
Mesmo que Matriz passiva, uma tecnologia usada em monitores de cristal líquido.
DTR
Data Transfer Rate, taxa de transferencia de dados alcançada por um dispositivo qualquer, um
modem ou rede por exemplo. Existem dois tipos de taxas de transferência, taxa de pico (peak),
que corresponde à velocidade máxima alcançada e a taxa média.
Dual Boot
Permite instalar dois ou mais sistemas operacionais diferentes no mesmo micro. Em geral é
instalado um boot manager, que pergunta qual sistema deve ser inicializado cada vez que o
micro é ligado.


88
Duron (AMD)
Processador da AMD, lançado com o objetivo de concorrer com o Celeron no mercado de
processadores de baixo custo. Arquitetura idêntica ao AMD Athlon, mas com apenas 64 KB de
cache L2. Originalmente lançado em versões de 600, 700 e 800 MHz.
DVD
Digital Versatile Disk, armazena muito mais dados que o CD-ROM, sendo atualmente usado
para armazenar filmes.
























89

INGLÊS INSTRUMENTAL - ENG 06849
PROF. DR. ALEXANDRE ROSA DOS SANTOS
TESTE 4 / VALOR = 10 PONTOS (PESO 1)
04
TESTE

Graduando (a): ___________________________________________________

TESTE 04


1) Make the sentences Interrogative and Negative:

7) The car keys are in Mrs. Delgado’s hand.
Int - _____________________________________________


Neg - ____________________________________________

8) Fernanda’s new home is nice..

Int - _____________________________________________


Neg - ____________________________________________

2) Answer the question using the Possessive Form ’s or s’

Model: Whose house is beautiful? (the Delgados).
The Delgados’ house is beautiful.


90
i) Whose car is big? (Alexandre).
_____________________________________________________________

j) Whose garage is small? (João).
_____________________________________________________________

k) Whose friend is nice? (Beatriz e Mateus).
_____________________________________________________________

3) Ask question about the words in boldface. Use whose.


o) The girls’ bedroom is nice.
_____________________________________________________________.

p) This is Priscila and Jéssica’s house.
_____________________________________________________________.

q) That is Conceição’s car.
_____________________________________________________________.












91

INGLÊS INSTRUMENTAL - ENG 06849
PROF. DR. ALEXANDRE ROSA DOS SANTOS
TESTE 4 / VALOR = 10 PONTOS (PESO 1)
04
CORREÇÃO
TESTE

Graduando (a): ___________________________________________________

CORREÇÃO TESTE 04

1) Make the sentences Interrogative and Negative:

9) The car keys are in Mrs. Delgado’s hand.
Int - _Are the car keys in Mrs. Delgado’s hand?_______

Neg - _ The car keys aren’t in Mrs. Delgado’s hand. __

10) Fernanda’s new home is nice.

Int - _Is Fernanda’s new home nice? ___________________


11) Neg - _ Fernanda’s new home isn’t nice. ________________

2) Answer the question using the Possessive Form ’s or s’

Model: Whose house is beautiful? (the Delgados).
The Delgados’ house is beautiful.

l) Whose car is big? (Alexandre).


92
___Alexandre’s car is big._ _________________________________

m) Whose garage is small? (João).
___ João’s garage is small.__________________________________

n) Whose friend is nice? (Beatriz e Mateus).
___Beatriz and Mateus’ friend is nice._______________ _______

3) Ask question about the words in boldface. Use whose.


r) The girls’ bedroom is nice.
___Whose bedroom is nice?_________________________________.

s) This is Priscila and Jéssica’s house.
___Whose house is this?_____________________________________.

t) That is Conceição’s car.
___Whose car is that?________________________________________.











93
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO 04


Tr a ns pa r e nt Te c hnol og y

"For a successful technology, reality must take precedence over public
relations, for Nature cannot be fooled". (Richard P. Feynman)

Naturally, not all technology affords the same degree of ease of interaction. We
can even speak of transparent and opaque technology. Andy Clark (from the
book in our course materials) defines a transparent technology as “a technology
that is so well fitted to, and integrated with, our own lives, biological capacities,
and projects as to become almost invisible in use. An opaque technology, by
contrast, is one that keeps tripping the user up, requires skills and capacities
that do not come naturally to the biological organism, and thus remains the
focus of attention even during routine problem-solving activity”. When using
opaque technologies, such as our personal computers, we are constantly aware
of the tool and ourselves as we use it. Transparent technologies, in contrast,
are not noticeable. We are capable of using them, unconsciously, as extensions
of our own bodies to solve problems in our environment.

Examples of transparent technologies are our wristwatches, pen and paper,
proficiently driving a car, using sports or music equipment. “Often, such
integration and ease of use require training and practice. We are not born in
command of the skills required. Nonetheless, some technologies may demand
only skills that already suit our biological profiles, while others may demand
skills that require extended training programs designed to bend the biological
organism into shape. The processes by which a technology can become
transparent thus include both natural fit (it requires only modest training to learn
to use a hammer, for example) and the systematic effects of training. The line
between opaque and transparent technologies is thus not always clear-cut; the
user contributes as much as the tool.” (ibid)

As Clark well describes, a very good example of transparent technology is our
wristwatch which we have incorporated into our sense of self. Indeed, most of
us, when asked if we know the time, will answer yes before we actually read the


94
time from the watch. This means that we conceive the ability to get the time
from a reliable and portable tool as our own knowledge. We access the external
watch in the same way as we access memories in our brains. The tool has
become a part of ourselves, and we have expanded not only our capacities but
also our bodies, minds, and social organization.

As we build much more sophisticated portable, knowledge tools, such as cell
phones which allow us to query the web in real time (e.g. the Google SMS
service,or via browsing with a third generation mobile), we may find that our
sense of personal knowledge will expand much further.At which point will our
ability to easily and reliably obtain a piece of knowledge on the web, via our
portable devices, become as second nature as checking the time? When will we
incorporate the Web's knowledge into our sense of knowing?




















95
CORREÇÃO DO TEXTO 04

Tr a ns pa r e nt Te c hnol og y

"Para uma tecnologia de sucesso, a realidade deve ter precedência sobre as
relações públicas, para a Natureza não ser enganada". (Richard P. Feynman)

"For a successful technology, reality must take precedence over public
relations, for Nature cannot be fooled". (Richard P. Feynman)


Naturalmente, nem toda a tecnologia proporciona o mesmo grau de facilidade
de interação. Podemos até falar de TECNOLOGIA TRANSPARENTE E
OPACA. Andy Clark (a partir do livro de matérias do nosso curso) define uma
tecnologia transparente como "uma tecnologia que é tão bem montada, e
integrada com a nossa própria vida, as capacidades biológicas, e os projetos
que se tornam quase invisíveis em uso.

Naturally, not all technology affords the same degree of ease of interaction. We
can even speak of transparent and opaque technology. Andy Clark (from the
book in our course materials) defines a transparent technology as “a technology
that is so well fitted to, and integrated with, our own lives, biological capacities,
and projects as to become almost invisible in use.

Uma tecnologia opaca, ao contrário, é um propulsor que mantém o usuário
acima, REQUER HABILIDADES E CAPACIDADES que não vem naturalmente
para o organismo biológico e, portanto, continua a ser o foco de atenção do
problema durante a rotina de resolução de atividades".

An opaque technology, by contrast, is one that keeps tripping the user up,
requires skills and capacities that do not come naturally to the biological
organism, and thus remains the focus of attention even during routine problem-
solving activity”.


96

Quando utilizamos tecnologias opacas, tais como os nossos computadores
pessoais, estamos constantemente conscientes da ferramenta que estamos
usando. Tecnologias transparentes, em contrapartida, NÃO SÃO
PERCEPTÍVEIS. Somos capazes de usá-las, inconscientemente, como
extensões de nossos próprios corpos para resolver os problemas em nosso
meio.

When using opaque technologies, such as our personal computers, we are
constantly aware of the tool and ourselves as we use it. Transparent
technologies, in contrast, are not noticeable. We are capable of using them,
unconsciously, as extensions of our own bodies to solve problems in our
environment.


Exemplos de tecnologias transparentes são os nossos relógios de pulso,
caneta e papel, profissionais dirigindo automóveis, utilizando equipamentos
esportivos ou musicais. "Muitas vezes, essa integração e facilidade de uso
requer treinamento e prática. Não nascemos com o comando das habilidades
exigidas. No entanto, algumas tecnologias podem exigir competências que já
são adequadas ao nosso perfil biológico, enquanto outros podem exigir
habilidades que requerem um extensivo programa de treinamento submetidas
ao organismo biológico em forma.

Examples of transparent technologies are our wristwatches, pen and paper,
proficiently driving a car, using sports or music equipment. Often, such
integration and ease of use require training and practice. We are not born in
command of the skills required. Nonetheless, some technologies may demand
only skills that already suit our biological profiles, while others may demand
skills that require extended training programs designed to bend the biological
organism into shape.

Os processos pelos quais a tecnologia pode tornar-se transparente, portanto,
incluir tanto ajuste natural (que exige apenas a formação modesta para
aprender a usar um martelo, por exemplo) como os efeitos sistemáticos de
formação. A linha entre as tecnologias opacas e transparentes, não é assim,
sempre é clara, o usuário contribui tanto quanto a ferramenta.



97
The processes by which a technology can become transparent thus include
both natural fit (it requires only modest training to learn to use a hammer, for
example) and the systematic effects of training. The line between opaque and
transparent technologies is thus not always clear-cut; the user contributes as
much as the tool.”

Como Clark descreve, um bom exemplo de tecnologia transparente é o nosso
relógio de pulso que temos incorporado em nosso senso de identidade. Na
verdade, a maioria de nós, quando perguntado se sabemos o tempo, vai
responder sim, antes de realmente ler o tempo do relógio. Isto significa que
podemos conceber a possibilidade de obter o tempo de uma ferramenta
confiável e portáteis como o nosso próprio conhecimento.

As Clark well describes, a very good example of transparent technology is our
wristwatch which we have incorporated into our sense of self. Indeed, most of
us, when asked if we know the time, will answer yes before we actually read the
time from the watch. This means that we conceive the ability to get the time
from a reliable and portable tool as our own knowledge.

Temos acesso ao relógio externo, da mesma forma como nossas memórias de
acesso em nossos cérebros. A ferramenta tornou-se uma parte de nós
mesmos, e nós temos expandido não só as nossas capacidades, mas também
os nossos corpos, mentes e organização social.


We access the external watch in the same way as we access memories in our
brains. The tool has become a part of ourselves, and we have expanded not
only our capacities but also our bodies, minds, and social organization.

Como vamos construir muito mais portáteis sofisticados e ferramentas de
conhecimento, tais como telefones celulares que permitem a consulta na
Internet em tempo real (por exemplo, o serviço Google SMS, ou através de
navegação com um móvel de terceira geração), podemos achar que o nosso
senso pessoal de conhecimento irá expandir muito mais.



98
As we build much more sophisticated portable, knowledge tools, such as cell
phones which allow us to query the web in real time (e.g. the Google SMS
service,or via browsing with a third generation mobile), we may find that our
sense of personal knowledge will expand much further.


Até que ponto vai a nossa capacidade de obter de forma fácil e confiável uma
parte (porção) de conhecimento na web, através de nossos aparelhos portáteis,
como tornar-se uma segunda natureza, a verificação do tempo? QUANDO
VAMOS INCORPORAR O CONHECIMENTO DA WEB EM NOSSO SENSO
DE SABER?

At which point will our ability to easily and reliably obtain a piece of knowledge
on the web, via our portable devices, become as second nature as checking the
time? When will we incorporate the Web's knowledge into our sense of
knowing?

















99





TÓPICO 05 DA EMENTA








SUGESTÃO DE EXERCÍCIOS
COMPLEMENTARES

INTERPRETAÇÃO DE TEXTO 05











100

POSSESSIVE ADJECTIVES
05
GRAMÁTICA

GRAMÁTICA 05


Os assunto abordado neste capítulo será:

Possessive adjetives

1 – DIALOGUE 1 (DIALOGO 1)

REVISÃO: DIÁLOGO ANTERIOR (DIALOGO 1)

TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
Dikson: Excuse me. Are you Libny?
Girl: No, I am not. That girl is Libny.
Dikson: Thank you.
Dikson: Libny? Hi! I am Dikson Delgado!
Libny: Hello, Dikson!
Dikson: This is Libny, Mom.
Mrs. Delgado: Hello, Libny. I am Géssica
Delgado.
Libny: Hello! How are you, Mrs. Delgado?
Mrs. Delgado: Just fine, thanks.
Dikson: Com licença. Você é Libny?
Girl: Não, Eu não sou. Aquela garota é Libny.
Dikson: Obrigada.
Dikson: Libny? Oi! Eu sou Dikson Delgado!
Libny: Oi, Dikson!
Dikson: Esta é Libny, Mãe.
Mrs. Delgado: Oi, Libny. Eu sou Géssica
Delgado.
Libny: Oi! Como vai você, Mrs. Delgado?
Mrs. Delgado: Muito bem, obrigada.



101
REVISÃO: DIALOGUE 2 (DIALOGO 2).

TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
Dikson: Here is Emanuel, Libny.
Mr. Delgado: I am Guilherme Delgado. Nice
to meet you, Libny!
Libny: Nice to meet you, Mr. Delgado.
Mr. Delgado: Let’s go. Libny is tired.
Dikson: Where is Erik?
Mrs. Delgado: He is in that shop.
Libny: Who is Erik?
Mr. Delgado: He is an old friend.
Dikson: We are classmates.
Dikson: Aqui está Emanuel, Libny.
Mr. Delgado: Eu sou Guilherme Delgado. Prazer
em conhecê-lo, Libny!
Libny: Prazer em conhecê-lo também, Mr.
Delgado.
Mr. Delgado: Vamos. Libny está cansada.
Dikson: Onde está Erik?
Mrs. Delgado: Ele está no shop.
Libny: Quem é Erik?
Mr. Delgado: Ele é um velho amigo.
Dikson: Nós somos amigos de sala.



REVISÃO: DIALOGUE 3 (DIALOGO 3).

TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
Mr. Delgado: Here is Eric. And he is
embarrassed.
Mrs. Delgado: What is that, Eric?
Eric: This is a present for Libny.
Dikson: What is it?
Libny: Oh! It is a diary! It is really nice.
Mr. Delgado: Aqui está Eric. E ele está sem jeito
(acabrunhado).
Mrs. Delgado: O que é isto, Eric?
Eric: Isto é um presente para Libny.
Dikson: O que é?
Dikson: Oh! É um diário! Ele realmente é bom.


102
Thank you, Eric!
Eric: You are welcome, Libny.
Obrigada, Eric!
Libny: De nada, Libny.


REVISÃO: DIALOGUE 4 (DIALOGO 4).

TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
Mr. Delgado: Where are the car keys?
Dikson: They are in Mom’s hand.
Mrs. Delgado: Here you are, honey.
Mr. Delgado: Okay. Let’s go home. The car is
in the parking lot.
Mr. Delgado: Onde estão as chaves do carro?
Dikson: Elas estão nas mãos da mamãe.
Mrs. Delgado: Aqui estão elas, bem.
Mr. Delgado: Ok. Vamos para casa. O carro
está no estacionamento.

REVISÃO: DIALOGUE 5 (DIALOGO 5).

TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
Dikson: Victoria is a beautiful city, Libny. And
our house is really nice.
Mr. Delgado: It is close to school and
downtown.
Mrs. Delgado: And Dikson’s friends are good.
Dikson: Vitória é uma cidade bonita, Libny. E
sua casa é realmente boa.
Mr. Delgado: Ela está perto da escola e do
centro.
Mrs. Delgado: E os amigos de Dikson são bons.


2 – ORAL LANGUAGE PRACTICE 5 (PRÁTICA DE LINGUAGEM ORAL 5)


TEXTO EM INGLÊS
1. The Delgados’ house is really nice.
Their


103
My
Your
Her
Mara
Our


TEXTO EM PORTUGUÊS
1. A casa dos Delgados é realmente boa.
A casa deles é realmente boa.
Minha casa é realmente boa.
Sua casa é realmente boa.
Sua casa é realmente boa.
Nossa casa é realmente boa.

TEXTO EM INGLÊS
2. Their house is really nice.
town
city
hometown
state
country


TEXTO EM PORTUGUÊS
2. Sua casa é realmente boa.
pequena cidade (vila)
cidade
cidade natal
Seu estado
Seu país


TEXTO EM INGLÊS
3. The house is close to school.
near
far from


TEXTO EM PORTUGUÊS
3. A casa está próximo da escola
perto da
longe da


3 – STRUCTURE OBJECTIVES 5 (ESTRUTURAS OBJETIVAS 5)

New Strutures

1. Possessive Adjetives


104
Examples

a)

TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
Mikaio’s friends is here.
Os amigos de Mikaio estão aqui.
His friends is here
Seus amigos estão aqui.





b)

TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
Eric is Franciane’s and my friend.
Eric é meu amigo e de Franciane.
His friend is here
Eric é nosso amigo.


c)

TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
Aline’s classmates nice.
Os colegas (amigos de sala) de Aline são bons.
Her classmates nice.
Seus colegas (amigos de sala) são bons.





105
ATENÇÃO

SUBJECT PRONOUNS POSSESSIVE ADJETIVES PORTUGUÊS
I my meu, minha, meus, minhas
you your seu(s), sua(s), teu(s), tua(s)
he his seu (s), sua (s), dele
she her seu(s) , sua (s), dela
it its dele, dela, seu (s), sua (s)
we our nosso, nossa
you your seu(s), sua(s), teu(s), tua(s)
they their seu(s), sua(s), deles, delas


4 – Verbs (verbos)

to learn, learned, learned aprender (how to – antes de verbo) (a)
to wash, washed, washed (for) lavar (para)
to come, came, come (to, from) vir (para, a, de)
to cook, cooked, cooked (for) cozinhar (para)
to stay, atayed, stayed (at, in, on, with) ficar (em, com); permanecer
to take, took, taken (to) levar (a, para); tomar; tirar; pegar (condução)


5 - Vocabulary (Vocabulário)

for por, para (**)
for me para mim, por mim
this este, esta, isto


106
that aquele, aquela, aquilo, que, esse, essa, isso
from de (procedência)
good bom
bad mau, ruim
old velho (a) (adj.)
young jovem (adj.)
beautiful bonito, lindo
next (no,na) próximo (a), que vem
parents pais
still ainda
where onde, aonde
food comida
rice arroz
beans feijão
very muito (antes de adj,/ advérb.)
week semana
red vermelho
blue azul
white branco
money dinheiro

(**) for the – pelo, pela, pelos, pelas

6 - Idiomatic expressions (expressões idiomáticas)

how much? quanto?, quanta?
in the morning de manhã


107
in the afternoon de tarde
in the evening à noite (inicio da noite)
at night à noite
tonight hoje à noite
every week toda semana
in here aqui dentro


7– Word Informatic (palavras da informática)

E1
Um link de alta velocidade que pode ser alugado na Europa, que oferece acesso bidirecional a
2 Mbps.
EBPP
Electronic bill presentment and payment, apresentação e pagamento de contas por meio
eletrônico. É como é chamado o envio de contas e boletos via Internet. Ao assinar um serviço
qualquer, ou comprar numa loja online, você recebe um boleto, que pode ser impresso e pago
num banco, ou mesmo pago online.
ECP
Extended Capabilities Port é o padrão atual para a porta da Impressora, bem mais rápido que
os padrões anteriores.
EDO RAM
Extended Data Output Dynamic Ramdom Access Memory, evolução das memórias FPM,
usada principalmente em micros Pentium antigos.
Eiffel
Uma linguagem de programação desenvolvida pela ISE. A linguagem foi disponibilizada em
1986, junto com um compilador para Windows, não sofrendo mudanças desde então. O
compilador Eiffel gera código em C, que pode ser modificado e recompilado posteriormente
usando um compilador C.
EISA
Extended Industry Standard Architecture, barramento encontrado em algumas placas mãe para
micros 386 e 486, que aparece na forma de slots marrons, um pouco mais altos que os slots
ISA. Apesar de ser um barramento mais rápido, os slots EISA mantém compatibilidade com
placas ISA comuns.


108
Emulador (Emulator)
Um programa que simula o ambiente de um outro computador. Existem atualmente emuladores
para PC que emulam quase todos os equipamentos antigos, desde video games até sistemas
como o MSX e Amiga. O problema dos emuladores é que por trabalharem traduzindo
instruções, sempre há perda de desempenho. É preciso um Pentium para rodar
satisfatoriamente um jogo de Mega Drive, um equipamento completamente ultrapassado.
EPIC
Explicitely Parallel Instruction Computing, um termo inventado pela Intel para referir-se ao
processador Itanium (antigo Merced). Este processador usa uma arquitetura VLIW,
processando várias instruções como se fossem uma única, o termo EPIC surgiu para disfarçar
este fato, fazendo parecer que o processador usa uma arquitetura completamente nova. Na
prática os dois termos tem o mesmo significado, o que muda é apenas o Marketing.
EPP
Enhanced Parallel Port, padrão de porta paralela anterior ao ECP, tem a mesma velocidade,
mas não suporta DMA.
ESCD
É uma pequena área de memória, localizada no chip do BIOS, que armazena as configurações
do plug-and-play, referente aos endereços e recursos utilizados por cada periférico. Os dados
armazenados no ESCD são alterados sempre que há qualquer mudança no hardware do
micro, alteração que pode ser feita tanto pelo BIOS quanto pelo sistema operacional. No Setup
de algumas placas existe a opção "Force Update ESCD", que limpa o ESCD, forçando uma
nova detecção. Esta opção costuma resolver alguns conflitos de hardware.
ESDI
Enhanced Small Device Interface, um padrão de interface para a Conexão de discos rígidos
desenvolvido no início da década de 80 por um Consórcio de fabricantes. Lento e problemático,
o EDSI chegou a ser usado por algum tempo, mas foi logo substituído pelas interfaces SCSI e
IDE, usadas atualmente.
Ethernet
É o padrão de rede mais usado atualmente. O padrão consiste em placas de rede, cabos, hubs
e outros periféricos de rede compatíveis entre sí. Existem basicamente dois padrões Ethernet,
10 e 100, que se diferenciam pela velocidade. Uma placa Ethernet 10/10 transmite dados a 10
Mbits, enquanto uma 10/100 transmite a 100 Mbits, podendo transmitir também a 10 caso
ligada a uma placa 10/10.
EULA
End User License Agreement. O contrato que você aceita antes de instalar os programas,
geralmente sem ler.
Expansion Card
Placa de expansão. Placa que ao ser instalada adiciona alguma funcionalidade ao micro, como
uma placa de som, modem, placa SCSI, etc.


109

INGLÊS INSTRUMENTAL - ENG 06849
PROF. DR. ALEXANDRE ROSA DOS SANTOS
TESTE 5 / VALOR = 10 PONTOS (PESO 1)
05
TESTE

Graduando (a): ___________________________________________________
WRITTEN LANGUAGEM PRATCTICE E:
TESTE 05

1. Replace the words in boldface with Possessive Adjectives (my, your, his, her, its, our, your, their):

a) The keys are in Mrs. Delgado’s hand.

______________________________________________

b) Tom is the Ferreira’s friend.

______________________________________________

c) Mr. Delgado’s car is in the garage.

______________________________________________

d) This is Patricia’s present.

______________________________________________

e) Portland is Débora’s and my city.

______________________________________________

f) Caio’s and your school is nice.

______________________________________________

2. Replace the words in boldface with Subject Pronouns and Possessive Adjectives:

a) Alexandre is in Mrs. Delgado’s car.

______________________________________________


110
b) Mrs. Delgado’s car is in Gleissy’s garage.

______________________________________________

c) The diary is Patricia’s present.

______________________________________________

d) The student’s are in Mr. Souza’s office.

______________________________________________

e) Pandora’s dogs are nice.

______________________________________________

3. Ask questions about the words in boldface using Interrogative Words or Expressions:

______________________________________________

a) Mr Delagao’s car is in the parking lot.

______________________________________________

b) The Delgado’s house is really nice.

______________________________________________

c) Alexandre is sad.

______________________________________________

d) Luciana’s friend is beautiful.

______________________________________________

e) That present is really big.

______________________________________________

f) Micaio’s friend is angry.



111

INGLÊS INSTRUMENTAL - ENG 06849
PROF. DR. ALEXANDRE ROSA DOS SANTOS
TESTE 5 / VALOR = 10 PONTOS (PESO 1)
05
CORREÇÃO
TESTE

Graduando (a): ___________________________________________________

CORREÇÃO TESTE 05


WRITTEN LANGUAGEM PRATCTICE E:

4. Replace the words in boldface with Possessive Adjectives (my, your, his, her, its,
our, your, their):

g) The keys are in Mrs. Delgado’s hand.

The keys are in her hand.

h) Tom is the Ferreira’s friend.

Tom is their friend.

i) Mr. Delgado’s car is in the garage.

His car in the garage.

j) This is Patricia’s present.

This is her present.



112
k) Portland is Débora’s and my city.

Portland is our city.

l) Caio’s and your school is nice.

Your school is nice


5. Replace the words in boldface with Subject Pronouns and Possessive
Adjectives:

f) Alexandre is in Mrs. Delgado’s car.

He is is her car.

g) Mrs. Delgado’s car is in Gleissy’s garage.

It car is in her garage.

h) The diary is Patricia’s present.

It is her present.

i) The student’s are in Mr. Souza’s office.

The are in hir office.

j) Mooly’s dogs are nice.

Her dogs are nice.



113
6. Ask questions about the words in boldface using Interrogative Words or
Expressions:

Where is Mr. Delgado’s car?

g) Mr Delgado’s car is in the parking lot.

Worat is the Delgado’s house like?

h) The Delgado’s house is really nice.

How is Alexandre?

i) Alexandre is sad.

Whose friend is beautiful?

j) Luciana’s friend is beautiful.

What is really big?

k) That present is really big.

Whose is angry?

l) Micaio’s friend is angry.








114





TÓPICO 06 DA EMENTA








AVALIAÇÃO DE LEITURA


INTERPRETAÇÃO DE TEXTO 06










115

THERE IS - THERE ARE - SOME - ANY - NO
06
GRAMÁTICA

GRAMÁTICA 06


Os assunto abordado neste capítulo será:

There is - There are - Some - Any - No


1 – DIALOGUE 1 (DIALOGO 1)


TEXTO EM INGLÊS
TEXTO EM PORTUGUÊS
The Delgado’ house is big and
comfortable. It is yellow. There are some
bushes in the front yard. The garage is on
the left side of the house. There is a dog
house in the back yard. The Delgado’ dog is a
big collie.
A casa dos Delgado é grande e confortável. Ela
é amarela. Existem (há) alguns arbustos na
frente do jardim. A garagem é do lado esquerdo
da casa. Existe um cachorro atrás do jardim (no
quintal). O cachorro dos Delgados é um collie
grande.


2 – ORAL LANGUAGE PRACTICE 6 (PRÁTICA DE LINGUAGEM ORAL 6)


TEXTO EM INGLÊS
1. The house is big
school
office
building
store



116
TEXTO EM POTUGUÊS
1. A casa é grande
escola
escritório
apartamento (prédio)
loja (casa comercial)


TEXTO EM INGLÊS
2. Their house is yellow
white
green
blue
brown
black
grey

TEXTO EM PORTUGUÊS
2. Sua casa é amarela.
branca
verde
azul
marron
preta
cinza


TEXTO EM INGLÊS
3. There are some bushes in the front yard.
flower beds
trees


TEXTO EM PORTUGUÊS
3. Existem alguns arbustos no jardim da frente.
canteiros de flores
árvores


3 – STRUCTURE OBJECTIVES 6 (ESTRUTURAS OBJETIVAS 6)


New Strutures

1. There is, there are




117
Examples:

• There is a dog in the back yard. (singular)
• There are two dogs in the back yard. (plural)


F
O
R
M
U
L
A
AFFIRMATIVE NEGATIVE INTERROGATIVE
There is… There is not (isn’t)… Is there…?
There are… There are not (aren’t) Are there…?


2. Some, no, any

• •• • Some + noun = Indefinite quantity.
There are some bushes in the front yard.
• •• • Alguns + substantivo = quantidade indeterminada.
Existem alguns arbustos no jardim da frente.

• Any + noun = Indefinite quantity.
Are there any bushes in the back yard?
• •• • Alguns + substantivo = quantidade indeterminada.
Existem alguns arbustos atrás do jardim (quintal)?.


• No + noun = Zero quantity.
There are no bushes in the back yard.
• •• • Nenhum + substantivo = quantidade indeterminada.
Não existem nenhum abustos atrás do jardim.



118
• Not…any + noun = Zero quantity.
There are not (aren’t) any bushes in the back yard.
• Not…any + noun = Zero quantity.
Não existem nenhum abustos atrás do jardim (quintal).


NOTE THIS
Question: Are there any bushes in the front yard?

Answer 1: No, there aren’t any bushes in the front yard.

Answer 2: No, there are no bushes in the front yard.

Answer 2 is more emphatic than Answer 1


4 – Verbs (verbos)

to start, started, started começar
to finish, finished, finished terminar
to see, saw, seem ver
to think, thought, thought (about) achar (de); pensar (sobre, em)
to travel, traveled, traveled (to, from) viajar (para, de)
to give, gave, given (to) dar (a, para)


5 - Vocabulary (Vocabulário)

Usually – geralmente
Never – nunca
Always – sempre


119
Only – somente; só; único (**)
Big – grande
Small – pequeno
Wife – esposa
Husband – marido
Homework – dever de casa, tarefa de casa
Letter – carta; letra (alfabeto)
Everything – tudo
Month – mês
Year – ano
Bicycle – bicicleta
(on) Monday – (na) segunda
(on) Tuesday – (na) terça
(on) Friday – (na) sexta
(on) Saturday – (no) sábado
(on) Sunday – (no) domingo
Test – teste; prova
When – quando
Time (s) – tempo; hora; vez (es)
Green – verde
Yellow – amarelo
Black – preto
Orange – laranja (fruta e cor)


6 - Idiomatic expressions (expressões idiomáticas)

A. Do you want to have breakfast with me tomorrow?
Você (s) quer (querem) tomar café da manhã comigo amanhã?



120
B. Do you want to have lunch with me tomorrow?
Você (s) quer (querem) almoçar comigo amanhã?

C. Do you want to have dinner with me tomorrow?
Você (s) quer (querem) jantar comigo amanhã?


7– Word Informatic (palavras da informática)

(aillover
Um sistema de "backup" que visa aumentar a confiabilidade de sistemas de missão crítica,
grandes servidores de banco de dados por exemplo. Caso algum componente, um
processador, ou mesmo um servidor inteiro apresente algum problema, ou mesmo seja
intencionalmente desligado para manutenção, o sistema de backup entra em cena, substituindo
o sistema titular. Naturalmente este tipo de solução é mais cara, pois é necessária
redundância, mais de um componente para fazer o trabalho de um.
(alt Torera"ce
Tolerante a Falhas. É um sistema preparado para continuar funcionando caso haja alguma
falha de hardware ou software. Existem vários níveis de tolerância, como por exemplo usar
dois HDs em RAID 1, onde o segundo HD armazena uma cópia exata dos dados contidos no
primeiro. Caso o HD principal falhe, a Controladora mudará imediatamente para o segundo,
permitindo que tudo continue funcionando como se nada tivesse acontecido. Um nível mais alto
seria usar dois ou mais servidores completos no mesmo sistema, onde caso o primeiro
falhasse o segundo assumiria imediatamente. Um nível mais baixo seria fazer um simples
backup para evitar perda de dados ou mesmo usar um no-break para se prevenir de falhas na
corrente elétrica.
(A)
Frequently Asked Questions. As perguntas mais comuns sobre algum tema. Para ler antes de
perguntar.
(AT
File Allocation Table ou Tabela de alocação de arquivos. Num HD armazena a lista dos
endereços ocupados por cada arquivo guardado, permitindo que estes sejam encontrados
quando necessários.
(DD
Floppy Disk Drive. O drive de disquetes, hoje o mais ( e ainda) usado é o de 1,44MB de
capacidade, para disquetes de 3,5" de tamanho.
(DDI


121
Fibre Distributed Data Interface, um padrão ANSI, que utiliza cabos de fibra óptica para criar
links de 100 Mbps, com alcance de até 2 KM. Muito usado em backbones, apesar de já ser um
padrão obsoleto atualmente.
(errite
Material composto basicamente de óxido de ferro, usado na camada magnética de fitas K-7,
fitas de vídeo, disquetes e HDs muito antigos. Também usado como núcleo de bobinas de FI
de radio e televisores.
(ido*et
Rede mundial de BBS, baseada no uso do protocolo Fido, interligando computadores usando o
sistema telefônico. Já foi razoavelmente popular, mas com o aparecimento da Internet entrou
em vias de extinção.
(ile Server
Servidor de arquivos. Computador de disponibiliza arquivos através da rede. Existem dois tipos
de servidores de arquivos, o servidor dedicado, que executa apenas esta tarefa, e o não
dedicado, que além de disponibilizar arquivos executa outras funções. Um micro usado pela
secretária, mas que ao mesmo tempo compartilha arquivos na rede é um exemplo de servidor
não dedicado.
(i"&er
Comando Unix que permite obter informações sobre usuários de uma máquina.
(irewall
"Parede de fogo" ou "Muro de fogo", programa ou componente dedicado, que protege a rede
contra invasões externas e acessos não autorizados. Atualmente os firewall estão deixando de
fazer parte apenas das redes de grandes empresas, para proteger também os usuários
domésticos.
(irmware
Conjunto de instruções essenciais para o funcionamento do Dispositivo. Atualmente
encontramos firmwares em vários dispositivos, como modems, gravadores de CD, etc. O
firmware é armazenado em um chip de memória ROM ou memória Flash no próprio dispositivo.
(le+-ATX,
Este é um formato de placa ainda menor que o Mini-ATX, com espaço para apenas dois slots
de expansão. A idéia seria uma placa de baixíssimo custo, com video, som e rede onboard e
mais um ou dois slots para que o usuário possa incluir mais alguma coisa.
(oot-ri"t
Apesar de um tanto quanto fora de moda, este termo tem dois Significados. É usado para
referir-se ao espaço físico ocupado pelo micro (big-footprint por exemplo é um PC que ocupa
muito espaço no chão) e também pare referir-se ao espaço no HD consumido por um programa
ou arquivo qualquer.


122
(orm (actor
O formato e tamanho de um determinado periférico. Este termo é mais usado em relação a
placas mãe. "ATX form factor" por exemplo se refere ao formato padrão para uma placa mãe
ATX.
(P !A
Fast Page Mode RAM, é o tecnologia de memória RAM anterior às EDO mas posterior às
memórias regulares. A tecnologia FPM consiste em enviar apenas uma vez o endereço de
linha e em seguida enviar vários endereços de colunas seqüenciais, ganhando tempo.
(PS
Frames per Second ou Quadros por segundo. Expressão relacionada ao frame-rate, indica o
número de quadros por segundo em um jogo, vídeo, ou qualquer outro tipo de imagem em
movimento. Quanto mais quadros por segundo mais perfeita será a movimentação. No cinema
temos 24 quadros, na TV temos 30, nos jogos o ideal é também acima de 30 quadros.
(reeware
Programa que pode ser usado gratuitamente. Não é a mesma coisa que de domínio público. O
programa continua pertencendo ao seu criador.
(ro"tside .us
O barramento de dados que conecta o processador à memória RAM. O Backside Bus por sua
vez, é o barramento rápido que conecta o núcleo do processador ao cache L2 em
processadores que trazem cache L2 embutido, como os Pentium II e III, Celeron, Athlon, etc.
(TP
File Transfer Protocol ou Protocolo de Transferencia de Arquivos. É um protocolo usado para
transferir arquivos pela Internet.
(ull Du-le+
Usado em relação a placas de rede e outros dispositivos de comunicação. Diz respeito a um
dispositivo, a um modo de operação onde dados podem ser transmitidos e recebidos
simultaneamen









123

INGLÊS INSTRUMENTAL - ENG 06849
PROF. DR. ALEXANDRE ROSA DOS SANTOS
TESTE 6 / VALOR = 10 PONTOS (PESO 1)
06
TESTE

Graduando (a): ___________________________________________________

TESTE 06

1. Fill in the blancks with There is, There are. Pay attention to the differences between
affirmative, negative and interrogative sentences:

a) ________ a big dog in front of the house.

b) ________big buildings on that street?

c) ________factories in my area.

d) ________a green car in that garage?

e) ________flowers in the front yard.

f) ________not a dog house in Bill’s back yard.

2. Complete with some, any or no:

a) There are ________ students in that parking lot. (5 or 6 students)

b) There are ________ flowers in the flower-bed. (10 or 20)

c) There are ________ trees in the front yard.

d) There aren’t ________ trees in the front yard.

e) There are ________trees in the back yard. (2 or 3)



124
f) There aren’t ________books on the table.

Review of Possessive Adjectives

3. Replace the words in boldface with the appropriate Possessive Adjectives:

a) Sara’s new home is large.

______________________________________

b) Mr. and Mrs. Phillips’s car is blue.

______________________________________


c) Sara is Tom’s new friend.

______________________________________

d) Ms. Smith is Judy’s and my teacher.

______________________________________

e) The dog’s name is Spot.

______________________________________

f) Monica’s and your books are interesting.

______________________________________





125
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO 06


ANIMATED PEDAGOGICAL AGENTS

Eliseo Berni Reategui **
Márcia Cristina Moraes ***

Artigo publicado na revista Renote – Novas Tecnologias na Educação, V. 4 Nº 2, Dezembro,
2006. Versão adaptada para o Curso de Licenciatura em Pedagogia a Distância, FACED,
UFRGS.

http://www.pead.faced.ufrgs.br/sites/publico/material_mec/eixo1/tics_1/Agentes_Pedago
gicos.pdf


Abstract. In the last years we have seen the emergence of a new paradigm for interactive
learning interfaces: animated pedagogical agents. These kind of agents are represented by
characters capable of helping students during the execution of their tasks, giving tips and
affective answers that are suitable for each learning event. Some researches have shown that
users apply social rules to computers even when their interfaces are not explicitly
antropomorphic. In this way, several authors have tried to personify their systems’ interfaces
with animated agents that present coherent, interesting and believable behaviors that are
similar to those of humans. Research in the area indicate that interface personification through
animated characters can have a positive effect in students’ learning experiences.

Keywords: animated agents, pedagogical agents, developing tools for pedagogical agents




* Este artigo consiste em um resumo do mini-curso intitulado Agentes Pedagógicos Animados – Concepção Desenvolvimento e
Aplicação, de autoria de Eliseo Reategui e Márcia Cristina Moraes, apresentado no Simpósio Brasileiro de Informática na Educação
(SBIE), Novembro 2006, Brasília DF.
** Doutor em Computação. Professor Adjunto do Departamento de Informática – Universidade de Caxias do Sul (UCS). Rua Francisco
Getúlio Vargas, 1130 – 95070-560 Caxias do Sul – RS – Brasil. E-mail: ebreateg@ucs.br
*** Doutora em Computação. Professora da Faculdade de Informática – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
(PUCRS). Av. Ipiranga, 6681 - 90619-900 Porto Alegre – RS. E-mail: mmoraes@inf.pucrs.br










126
CORREÇÃO DE TEXTO 06


ANIMATED PEDAGOGICAL AGENTS

Eliseo Berni Reategui **
Márcia Cristina Moraes ***

Artigo publicado na revista Renote – Novas Tecnologias na Educação, V. 4 Nº 2, Dezembro,
2006. Versão adaptada para o Curso de Licenciatura em Pedagogia a Distância, FACED,
UFRGS.

http://www.pead.faced.ufrgs.br/sites/publico/material_mec/eixo1/tics_1/Agentes_Pedago
gicos.pdf


Abstract. In the last years we have seen the emergence of a new paradigm for interactive
learning interfaces: animated pedagogical agents. These kind of agents are represented by
characters capable of helping students during the execution of their tasks, giving tips and
affective answers that are suitable for each learning event. Some researches have shown that
users apply social rules to computers even when their interfaces are not explicitly
antropomorphic. In this way, several authors have tried to personify their systems’ interfaces
with animated agents that present coherent, interesting and believable behaviors that are
similar to those of humans. Research in the area indicate that interface personification through
animated characters can have a positive effect in students’ learning experiences.

Keywords: animated agents, pedagogical agents, developing tools for pedagogical agents


AGENTES PEDAGÓGICOS ANIMADOS*

Resumo. Os últimos anos viram surgir um novo paradigma na construção das interfaces dos
ambientes interativos de aprendizagem: os agentes pedagógicos animados. Estes são
personagens capazes de guiar os estudantes, auxiliando-os na realização de tarefas,
apresentando dicas e respostas afetivas apropriadas para cada situação de aprendizagem.
Pesquisas mostram que os usuários aplicam regras sociais aos computadores, mesmo que
suas interfaces não sejam explicitamente antropomórficas. Desta maneira, vários
pesquisadores têm buscado personificar a interface de seus sistemas incorporando a elas
agentes animados, os quais apresentam comportamentos coerentes e credíveis, semelhantes
aos dos seres humanos. Pesquisas na área indicam que a personificação da interface
realizada através destes personagens pode ter um efeito positivo nas experiências de
aprendizagem dos estudantes.
Palavras-chaves: agentes animados, agentes pedagógicos, ferramentas para desenvolvimento
de agentes pedagógicos.



* Este artigo consiste em um resumo do mini-curso intitulado Agentes Pedagógicos Animados – Concepção Desenvolvimento e
Aplicação, de autoria de Eliseo Reategui e Márcia Cristina Moraes, apresentado no Simpósio Brasileiro de Informática na Educação
(SBIE), Novembro 2006, Brasília DF.
** Doutor em Computação. Professor Adjunto do Departamento de Informática – Universidade de Caxias do Sul (UCS). Rua Francisco
Getúlio Vargas, 1130 – 95070-560 Caxias do Sul – RS – Brasil. E-mail: ebreateg@ucs.br
*** Doutora em Computação. Professora da Faculdade de Informática – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
(PUCRS). Av. Ipiranga, 6681 - 90619-900 Porto Alegre – RS. E-mail: mmoraes@inf.pucrs.br



127




TÓPICO 07 DA EMENTA








AVALIAÇÃO DA COMPREENSÃO DA
LINGUAGEM ORAL

INTERPRETAÇÃO DE TEXTO 07












128

CARDINAL NUMBERS, QUANTITY
EXPRESSIONS - MANY, A LOT OF, FEW, MUCH,
LITTLE INTERROGATIVE EXPRESSIONS - HOW
MANY, HOW MUCH
07
GRAMÁTICA

GRAMÁTICA 07


Os assunto abordado neste capítulo será:

Cardinal numbers
Quantity expressions - many, a lot of, few, much, little
Interrogative expressions - how many, how much


1 – DIALOGUE (DIALOGO)


TEXTO EM INGLÊS

There are many rooms in the house. There are three bedrooms and two bathrooms
upstairs. Downstairs, there is a living room, a dining room, a TV room, a kitchen, and Mr.
Delgado’s study. The laundry is in the basement. There is a lot of room in the house.

EXPRESSIONS
• There are three bedrooms upstairs.
• The laundry is in the basement.
• There is a lot of room in the house.


TEXTO EM PORTUGUÊS



129
Existem muitos cômodos na casa. Existem três quartos e dois banheiros no andar de cima. No
andar de baixo (lá embaixo), existe uma sala de estar, uma sala de jantar, uma sala de
televisão, uma cozinha e o quarto de estudo do Sr. Delgado. A lavanderia é no porão. Existe
muito espaço na casa.

EXPRESSÕES
• Existem três quartos em no andar de cima.
• A lavanderia é no porão.
• Existe muito espaço na casa.

OBS:

Double bed: cama de casal
Single bed: cama de solteiro
Roons: cômodos
Room: espaço

2 – ORAL LANGUAGE PRACTICE 7 (PRÁTICA DE LINGUAGEM ORAL 7)

1. TEXTO EM INGLÊS

There are many rooms in the house
few people at the airport
many offices in the building
few cars the parking lot
many students in the classroom


1. TEXTO EM PORTUGUÊS

Existem muitos cômodos na casa
poucas pessoas no aeroporto
muitos escritórios no edifício
poucos carros no estacionamento
muitos estudantes na sala de aula

OBS:
little = few




130
2. TEXTO EM INGLÊS

The laundry is in the basement.
downstairs
on the first floor
upstairs


2. TEXTO EM PORTUGUÊS

A lavanderia é no porão.
no andar de baixo
no primeiro andar
no andar de cima


3. TEXTO EM INGLÊS

There is a lot of room in the house
little coffee in the coffee pot
lots of water in the swimming pool
little paper in the notebook


3. TEXTO EM PORTUGUÊS

Existe muito espaço em casa
pouco café no bule.
muita água na piscina
pouco papel no bloco de notas (caderno de apontamentos)

OBSERVATION
Cardinal Numbers
1- one 11- eleven 30- thirty
2- two 12- twelve 40- forty
3- three 13- thirteen 50- fifty
4- four 14- fourteen 60- sixty
5- five 15- fifteen 70- seventy
6- six 16- sixteen 80- eighty


131
7- seven 17- seventeen 90- ninety
8- eight 18- eighteen 100- a hundred
one hundred 9- nine 19- nineteen
10- ten 20- twenty 1,000- a thousand
one thousand


3 – STRUCTURE OBJECTIVES 7 (ESTRUTURAS OBJETIVAS 7)

New Structures

1. Quantity Expressions: many, a lot of, lots of, few, much, little.


• Count Nouns (Sustantivos contábeis)

1) a car (few car) ( poucos carros)
2) two car (few car) (poucos carros)
3) sixty car (many, a lot of (lots of)) (muitos carros)


• No-Count Nouns (Sustantivos não-contábeis)

1) little sugar (pouca açúcar)
2) much sugar (muita açúcar)
3) a lot of (lots of) sugar (muita açúcar)

OBS:

Many ≠ Few Much ≠ Little
dollars money
students space
rooms room


132
cars water
classmates salt
men patience
women love
boys interest
girls paper


NOTE THIS

Normally, we use much in questions and negative sentences, e.g.:

Question: Is there much coffee in the pot?
Negative answer: No, there isn’t much coffee in the coffee pot.
Affirmative answer: Yes, there is a lot of (lots of) coffee in the pot.



2. Interrogative Expressions:

• How many + count nouns (Quantos + substantivos contábeis)

Question: How many books are there on the table? (Quantos livros estão sobre a mesa)
Answer: There are five books on the table.

• How much + non-count nouns (Quanto + substantivos não-contábeis)

Question: How much water is there in the bottle? (Quanta água existe dentro da garrafa?)

Answer1: There’s little water in the bottle.


133
Answer2: There isn’t much water in the bottle.
Answer3: There’s a lot of (lots of) water in the bottle.


4 – VERBS (VERBOS)

to wait, waited, waited (for) – esperar (por)
to send, sent, sent (to) – mandar, enviar (a,para)
to do, did, done (for) – fazer (por, para)
to run, ran, run (to,from) – correr (para,de)
to tell, told, told (sempre seguido de pronome ou de nome) – contar, dizer (a, para)
to put, put, put (in,on)
(*)
– colocar (no,na =dentro de; no,na =sobre

(*)

“to put the book on the table”.
- pôr o livro na mesa

“to put on clothes”, “to put clothes on”.
- vestir roupa

“to put the books in the car”
- pôr os livros no (dentro do) carro


5 - VOCABULARY (VOCABULÁRIO)

dog – cachorro
cat – gato
present – presente
story – estória (fantasia)
history – história (real, antiga)
baby – nenén, bebê
horse – cavalo
animal – animal
thing – coisa


134
relative (s) – parente (s)
family – família
soon – logo, em breve
(on) vacation (s) – férias
(****)

(at the) meeting – (na) reunião
(on the) beach – (na) praia
(in the) park – (no) parque
(at the) (swimming-) pool – (na) piscina
(at the) club – (no) clube
(at the) party – (na) festa
(at the) drugstore – (na) farmácia
(at the) shop – (na) loja (pequena)
his – seu (s), sua (s), dele
her - seu (s), sua (s), dela
our – nosso (s), nossa (s)
their - seu (s), sua (s), deles, delas
any – algum, alguma, qualquer, quaisquer, nenhum
(*****)


(****)

• Usa-se no plural somente quando se trata das ferias de pessoas diferentes a lugares
diferentes.

Ex: The three secretaries at the Office always tell me about their vacations.
As três secretarias no escritório sempre me contam sobre as suas férias.

• No caso de um grupo de pessoas indo ao mesmo lugar, a palavra é usada no singular.

Ex: My family and relatives always go on vacation together.
Minha família e parentes sempre saem de férias juntos.

(*****)
• Usado na afirmativa somente no sentido de “qualquer tipo”.

Ex: I want any pen.
Eu quero qualquer (tipo de ) caneta.


135
6 - IDIOMATIC EXPRESSIONS (EXPRESSÕES IDIOMÁTICAS)

a) She plays volleyball very well.
Ela joga vôlei muito bem.

b) She plays the flute very well.
Ela toca flauta muito bem.

c) She plays the piano very well
Ela toca piano muito bem.




















136
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO 07


ERGONOMICS AND THE USE OF COMPUTERS: A STUDY WITH
PRIMARY AND SECONDARY SCHOOLS IN THE STATE OF SÃO PAULO


http://www.scielo.br/pdf/ep/v29n1/a06v29n1.pdf

Lys Esther Rocha
Raquel Aparecida Casarotto
Laerte Sznelwar
Universidade de São Paulo

Abstract

The use of computers as a teaching tool is becoming disseminated in
education. The present study has as its purpose to investigate how computers
are being used in schools within the metropolitan area of São Paulo, evaluating
the level of ergonomic issues considered when introducing this tool.
Ergonomics comprise the collection of scientific knowledge to ensure the
comfort, safety, and efficacy of products. The work included 126 schools
distributed as follows: 37 primary schools (1st to 4th year) with 21,824 students;
49 primary schools (5th to 8th year) with 29,851 students; and 40 secondary
schools with 31,516 students. Most schools have declared to use computers as
an auxiliary tool in their syllabuses since 1995. The use of computers in the 5th
to 8th year of schooling was predominant in private schools, with an average of
two to three students per computer, and an average duration of classes of up to
1h59min per week. The majority of tables and chairs installed in computer
classrooms at schools lack height adjustments to fit the anthropometric
characteristics of pupils. Thirty percent of schools supplied computer
ergonomics guidelines. In most of the schools no complaints were observed
regarding students’ visual or muscular discomfort during the use of computers.
This fact can be related to the small number of hours of use. We have
concluded that the acquisition of furniture and equipment for computer
classrooms should include consulting anthropometric databases and students’
perception of comfort.

Keywords: Computing – Schools – Computers – Ergonomics

Contact:
Lys Esther Rocha
Rua Teodoro Sampaio, 115
05405-000 — São Paulo/SP
e-mail: lysrocha@usp.br


80 Educação e Pesquisa, São Paulo, v.29, n.1, p. 79-87, jan./jun. 2003


137
CORREÇÃO DE TEXTO 07


ERGONOMICS AND THE USE OF COMPUTERS: A STUDY WITH
PRIMARY AND SECONDARY SCHOOLS IN THE STATE OF SÃO PAULO


http://www.scielo.br/pdf/ep/v29n1/a06v29n1.pdf

Lys Esther Rocha
Raquel Aparecida Casarotto
Laerte Sznelwar
Universidade de São Paulo

Abstract

The use of computers as a teaching tool is becoming disseminated in
education. The present study has as its purpose to investigate how computers
are being used in schools within the metropolitan area of São Paulo, evaluating
the level of ergonomic issues considered when introducing this tool.
Ergonomics comprise the collection of scientific knowledge to ensure the
comfort, safety, and efficacy of products. The work included 126 schools
distributed as follows: 37 primary schools (1st to 4th year) with 21,824 students;
49 primary schools (5th to 8th year) with 29,851 students; and 40 secondary
schools with 31,516 students. Most schools have declared to use computers as
an auxiliary tool in their syllabuses since 1995. The use of computers in the 5th
to 8th year of schooling was predominant in private schools, with an average of
two to three students per computer, and an average duration of classes of up to
1h59min per week. The majority of tables and chairs installed in computer
classrooms at schools lack height adjustments to fit the anthropometric
characteristics of pupils. Thirty percent of schools supplied computer
ergonomics guidelines. In most of the schools no complaints were observed
regarding students’ visual or muscular discomfort during the use of computers.
This fact can be related to the small number of hours of use. We have
concluded that the acquisition of furniture and equipment for computer
classrooms should include consulting anthropometric databases and students’
perception of comfort.

Keywords: Computing – Schools – Computers – Ergonomics

Contact:
Lys Esther Rocha
Rua Teodoro Sampaio, 115
05405-000 — São Paulo/SP
e-mail: lysrocha@usp.br


80 Educação e Pesquisa, São Paulo, v.29, n.1, p. 79-87, jan./jun. 2003


138
USO DE COMPUTADOR E ERGONOMIA: UM ESTUDO SOBRE AS
ESCOLAS DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DE SÃO PAULO

Lys Esther Rocha
Raquel Aparecida Casarotto
Laerte Sznelwar
Universidade de São Paulo

Resumo

A utilização da informática como instrumento de ensino tem se disseminado na
educação. Este estudo teve como objetivo verificar como o computador está
sendo usado em escolas da região metropolitana de São Paulo, avaliando o
grau de considerações sobre ergonomia na introdução dessa ferramenta. A
ergonomia compreende o conjunto de conhecimentos científicos visando o
conforto, segurança e eficácia dos produtos. Participaram 126 escolas, 37
delas do ensino fundamental, de 1ª à 4ª série, com 21.824 alunos; 49 escolas
do ensino fundamental, de 5ª à 8ª série, com 29.851 alunos e 40 escolas do
ensino médio com 31.516 alunos. A maioria das escolas informou utilizar o
computador como ferramenta auxiliar das matérias curriculares a partir de
1995. O uso do computador predominou, no período de 5ª à 8ª série, nas
escolas particulares; com um computador para cada 2 ou 3 alunos e com a
duração semanal das aulas de até 1h59min. Nas salas de informática
instaladas nas escolas, predominou a ausência de mesas e cadeiras com
ajustes de altura para as características antropométricas dos alunos. As
orientações sobre ergonomia da computação foram fornecidas em 30% das
escolas. Na maioria das escolas não se observou queixa de desconforto visual
ou muscular sofridos pelos alunos durante a utilização do computador. Esse
fato pode estar relacionado ao pequeno número de horas de utilização do
computador. Concluímos que a aquisição de mobiliário e equipamentos para
as salas de informática deve incluir a consulta a banco de dados
antropométricos e à percepção de conforto dos estudantes.


Palavras-chave: Informática – Escolas - Computador - Ergonomia


respondência:
Lys Esther Rocha
Rua Teodoro Sampaio, 115
05405-000 — São Paulo/SP
e-mail: lysrocha@usp.br








Educação e Pesquisa, São Paulo, v.29, n.1, p. 79-87, jan./jun. 2003 79


139





TÓPICO 08 DA EMENTA








AVALIAÇÃO DA PRODUÇÃO ORAL E
ESCRITA


INTERPRETAÇÃO DE TEXTO 08









140

1) PRESENT CONTINUOUS TENSE,
INTERROGATIVE WORD – WHO
2) TEMPO DO PRESENTE CONTÍNUO, PALAVRA
INTERROGATIVA – QUEM, QUE PESSOA
3) PRÉ-ZENT KÓNTI-NIUÂL TÉNSS, INTÂRÓ-GÂTIV UÂRD
08 A
GRAMÁTICA

GRAMÁTICA 08 A


Os assuntos abordados neste capítulo serão:

Present Continuous Tense (TEMPO - PRESENTE CONTÍNUO) (PRÉ-ZENT KÓNTI-NIUÂL TÉNSS)
Interrogative Word – who (PALAVRA INTERROGATIVA – QUEM, QUE PESSOA) (INTÂRÓ-GÂTIV UÂRD)


1. DIALOGUE 8 (DIALOGO ÊIGHT) (DÁI-ÂLÓG ÊIT )


TEXTO EM INGLÊS

It (it) is (is) Sunday (sân-dêi). Right (ráit) now (náu), Libny is (is) in (inn) her (hâr) bedroom (béd-rumm). She (shi) is
(is) writing (ráiting) a (êi) letter (lé-târ) to (tu) her (hâr) Brazilian (brâsi-liânn) family (fê-mili). Dikson is (is) watching
(uótshing) television (televisiân) in (inn) the (dhâ) TV (ti-vi) room (rumm). Mr. (mis-târ) and (ând) Mrs. (mis-tréss) Delgado
are (ár) having (héving) tea (ti) and (ând) cookies (ku-kis) in (inn) the (dhâ) kitchen (ki-tishenn). The (dhâ) cookies (ku-
kis) are (ár) delicious (dili-shânn).

OBS:
MR = MISTER (senhor) (mis-târ)
MRS = MISTRESS (senhora) (mis-tréss)







141
TEXTO EM PORTUGUÊS

É domingo. Neste momento, Libny está em seu quarto. Ela está escrevendo uma carta para
sua família brasileira. Dikson está assistindo TV na sala de televisão. O Sr. e Sra. Delgado
estão tomando chá com biscoitos na cozinha. Os biscoitos são deliciosos.


2. GENERAL KNOWLEDGE 8 (CONHECIMENTO GERAL OITO) (DJÉ-NÂRÂL NÓ-LEDJ ÊIT)

DIAS DA SEMANA DAYS OF THE WEEK DÉIZ OV DHE UIK
domingo sunday sandei
segunda monday mandei
terça tuesday tíuzdei
quarta wedneday uénzdei
quinta thursday thérzdei
sexta friday fradei
sábado saturday séturdei


MESES DO ANO MONTHS OF THE YEAR DHE MANTHS OV DHE IAR
janeiro january djenueri
fevereiro february februeri
março march mártch
abril april êipril
maio may méi
junho june djíunn
julho july djulái
agosto august ógust
setembro september septembar


142
outubro october octoubar
novembro november nouvembar
dezembro december dissembar

CORES COLORS KALARZ
amarelo yellow ielou
azul-marinho navy-blue néivi-blu
branco white huáit
azul blue blu
cinza grey grêi
crème cream krimm
lilás lilac láilek
cor-de-rosa pink pink
cor-de-vinho burgundy bêrgandi
preto black bleck
verde green grinn
marrom brown braunn
verde-escuro dark green dark grinn
verde-claro light green lait grinn
vermelho red red
roxo purple pârpol


3. ORAL LANGUAGE PRACTICE 8 (óral lén-guid prék-tiss ) (PRÁTICA DE LINGUAGEM ORAL 8)


Libny is (is) writing (ráiting) a (êi) letter (lé-târ) to (tu) her (hâr) brazilian (brâsi-liânn) family (fê-mili).
parents (pé-rent) (pais)


143
grandparents (grénd-párents)(avós)
brothers (brâ-dhâr) (irmãos)
sisters (sis-târ) (irmã / freira)
relatives

Dikson is (is) watching (uótshing) television (televisiân) in (inn) the (dhâ) TV (ti-vi) room (rumm).
reading a magazine (lendo uma revista)
listening to some new cd’s (ouvindo alguns dos novos CD's)
doing his homework (fazendo sua lição de casa)




They (dhêi) are (ár) having (héving) tea (ti) and (ând) cookies (ku-kis).
coffee and brownies (bráu-nis) / (Café com bolinhos)
iced tea (áiss ti) / (chá gelado)

The (dhâ) cookies (ku-kis) are (ár)
delicious (dili-shânn).
great (grêit) (grande / ótimo / excelente)
perfect (pârfek-t) (perfeitos)
crunchy (krântsh) (crocante)







144
4. STRUCTURE OBJECTIVES 8 (STRÂCK-TSHUR) (ESTRUTURAS OBJETIVAS 8)


4.1. PRESENT CONTINUOUS TENSE (PRÉ-ZENT KÓNTI-NIUÂL TÉNSS) (TEMPO DO PRESENTE CONTÍNUO)

Refers to na action in progress at the moment (refere-se a uma ação em progresso ou no momento)

FORMULA

BE + VERB - ing

Examples:

Interrogative: Are the Delgado watching television now?
Negative: No, they aren’t. They aren’t watching television.
Affirmative: They are having tea and cookies now.

Adverbs usually uses with the Present Continuous

now (agora)
right now (exatamente agora)
at this moment (neste momento)
at the moment (no momento)
at this time (no momento)
at present (no momento)







145
4.2. INTERROGATIVE WORD – WHO (INTÂRÓ-GÂTIV UÂRD) (PALAVRA INTERROGATIVA – QUEM, QUE PESSOA)

Examples:

Who (subject):

Who is writing a letter to her family? (Quem está escrevendo uma carta para sua família?)
Answer: Libny and Maria are writing a letter to her family (Libny e Maria estão escrevendo uma carta para sua família)

Who (object):

Who is Libny writing a letter to? (Para quem Libny está escrevendo uma carta?)
Answer: To her family. Libny is writing a letter to her family. (Para sua família. Libny está escrevendo uma carta para
sua família.)
OBS:

study studying
watch watching
have having
do doing
eat eating
run running
write writing
drink drinking
live living
read reading
listen listening




146
5. VERBS (VERBOS) (VÂRBS)


INFINITIVE PAST TENSE PAST PARTICIPLE
LAY (lêi) = colocar, pôr LAID (lêid) = colocado, posto LAID (lêid) = colocado, posto
LEAD (léd) = conduzir, levar LED (léd) = conduziu, levou LED (léd) = conduzido, levado
LEARN (lâr-nn) = aprender LEARNT (lâr-nn-ti) = aprendeu LEARNT(lâr-nn-ti) = aprendido
LEAVE (liv) = deixar, partir LEFT (léft) = deixou, partiu LEFT(léft) = deixado, partido
LEND (lénd) = emprestar LENT (lénti) = emprestou LENT (lénti) = emprestado
LET (lét) = deixar, permitir LET (lét) = deixou, permitiu LET (lét) = deixado, permitido
LIE (lái) = estar deitado, jazer LAY (lêi) = deitou LAIN (lêinn) = deitado
LIE (lái) = mentir LIED (lái-di) = mentiu LIED (lái-di) = mentido
LIGHT (láit) = iluminar, acender LIT (liti) = iluminou, acendeu LIT (liti) = iluminado, acendido
LOAD (lôud) = carregar LOADED (lôuded) = carregou LOADEN (lôudénn) = carregado
LOSE (luz) = perder LOST (lóst) = perdeu LOST (lóst) = perdido


6. INFORMATION VOCABULARY (VOCABULÁRIO DE INFORMÁTICA) (INFÓRMÊI-SHÂNN VOKÉ-BIULÉRI)

G (dji): sétima letra do alfabeto português e inglês;

GARBAGE (gár-bid): lixo, informação desnecessária;

GATEWAY (ghêit-uêi): meio de acesso, o link (ligação) conectivo entre computadores, que faz
a tradução entre dois tipos diferentes de rede;

GENDER BENDER (djên-dâr bêender): adaptador, plugue especial que transforma uma cabo
com conexão fêmeaem cabo com conexão macho e vice-versa;

GENDER CHANGER (djên-dâr têchen-djâr): adaptador, plugue especial que transforma uma cabo
com conexão fêmeaem cabo com conexão macho e vice-versa;

HACK (hék): pratear, modificar uma programa de modo ilegal;



147
HACKER (hé-kâr): pirata, pessoa muito habilitada em computação que consegue adentrar em
qualquer sistema, via modem ou de outra maneira, descobrindo a senha de enrada
(password), roubando, assim, informações confidenciais;

HARD-DISK (hárd disck): disco rígido, dispositivo interno do computador que armazena
programas, arquivos, etc;

HARDWARE (hárd-uér): componentes da complexa aparelhagem que forma um micro,
chamada, às vezes, parte material, em oposição a software que é sua parte imaterial;

HOME COMPUTER (hôumm kóumpiu-târ): computador doméstico;

HOME-KEY (hôumm ki): tecla que, se acionada, move o cursor para o início ou topo de um
documento ativo no computador.


7. IDIOMATIC EXPRESSIONS (EXPRESSÕES IDIOMÁTICAS) (IDIOMÉ-TIK ÉKSPRÉ-SHÂNN)

Thank you/ Thanks (tank iú / tanks): obrigado;

Thank you very much (tank iú veri match): muito obrigado;

You’re ou You are welcome (iú aer uélcam): seja bem vindo;

Not at all (nót étól): de nada / não tem que / não de modo algum;

Good morning (gud mórning): bom dia;

Good afternoon (gud afternun): boa tarde;

Good evening (gud ivinim): ao entardecer / boa noite;

How are you? (háu ár iú): como vai você?;

How do you do? (háu dú iú dú): como vai passando?

It’s very kind of you (iris véry káind óv iú): é muito bondade sua.




148

1. SIMPLE PRESENT TENSE, INTERROGATIVE
WORDS - WHICH, WHEN, PRONOUNS -ONE,
2. TEMPO DO PRESENTE SIMPLES, PALAVRAS
INTERROGATIVAS – QUE/QUAL,QUANDO, PRONOME- UM,
ALGUM, ALGUÉM
3. SIMPL PRÉ-ZENT KÓNTI-NIUÂL TÉNSS, INTÂRÓ-GÂTIV
UÂRDS– HUITSH, HUÉNN, PRÔU- NÁUNN - UÂNN
08 B
GRAMÁTICA

GRAMÁTICA 08 B


Os assuntos abordados neste capítulo serão:

Simple Present Tense (TEMPO DO PRESENTE SIMPLES) (SIMPL PRÉ-ZENT KÓNTI-NIUÂL TÉNSS)
Interrogative Words – Which, When (PALAVRAS INTERROGATIVAS – QUE/QUAL, QUANDO) (INTÂRÓ-GÂTIV UÂRDS–
HUITSH, HUÉNN)
Pronouns –One (PRONOME- UM, ALGUM, ALGUÉM) (PRÔU- NÁUNN - UÂNN)


1. DIALOGUE 9 (DIALOGO NINE) (DÁI-ÂLÓG NÁINN)


TEXTO EM INGLÊS

Libny: Who’s (hu’s) that (dhét) boy (bói) over (ôu-vâr) there (dhér)?
Maria: Which (huitsh) one (uânn)? The (dhâ) blond one (uânn)?
Libny: No (nôu), that (dhét) one (uânn), the (dhâ) one (uânn) in (inn) the (dhâ) blue (blu) shirt
(shârt).
Dickson: Oh (óh), that’s (dhét’s) Mikaio. He’s (hi’s) really (ri-âli) shy (shái)!
Gleissy: He’s (hi’s) a (êi) bookworm (buk-uârmm). He (hi) studies (stâ-dies) a (êi) lot (lót). He
(hi) stays (stêi) home (hôumm) on (ónn) week (uik) nights (náit).





149
TEXTO EM PORTUGUÊS

Libny: Quem é aquele menino (garoto) ali (lá)?
Maria: Qual deles? O loiro?
Libny: Não, aquele, o de camisa azul.
Dickson: Ah, aquele é o Mikaio. Ele é muito tímido!
Gleissy: Ele é um come livro(rato de biblioteca). Ele estuda muito. Ele fica em casa nas noites
de semana.


2. GENERAL KNOWLEDGE 9 (CONHECIMENTO GERAL NOVE) (DJÉ-NÂRÂL NÓ-LEDJ
NÁINN)


ESTAÇÕES DO ANO STATION OF THE YEAR STÊI-SHÂNN OV DHE IAR
Primavera Spring Sprinn
Verão Summer Sãmer
Outono Fall Fóul
Inverno Winter Uinter



ALPHABET (ALFABETO) ÉL-FÂBITÁIZ
a êi
b bi
c si
d di
e i


150
f éf
g dji
h êitsh
i ái
j djêi
k kêi
l él
m émm
n énn
o ôu
p pi
q kiu
r áer
s éss
t ti
u in
v vi
w dâ-bliu
x éks
y uái
z zed


3. ORAL LANGUAGE PRACTICE 9 (PRÁTICA DE LINGUAGEM ORAL NOVE) (ÓRAL
LÉN-GUID PRÉK-TISS NÁINN)


Mikaio is really shy.
polite (elegante) (pó-lish)


151
friendly (amigável) (frénd-li)
Handsome (bonito) (hén-sâmm)


Mikaio studies a lot.
Does his homework (Mikaio faz sua lição de casa) (dou-es hiz hôum-uôrk))
eats pancakes (come panquecas) (its pén-kéik)
goes out on Sundays (sai aos domingos) (gôues áut ónn sandeis)


Mikaio stays home on week nights.

in the morning (de manhã) (inn dhâ mórning)
in the afternoon (de tarde) (inn dhâ afternun)
at night (à noite) (ét náit)
on the weekends (nos fins de semana) (ónn dhâ uik-énd)


4. STRUCTURE OBJECTIVES 9 (ESTRUTURAS OBJETIVAS NOVE) (STRÂCK-TSHUR
ÓBDJÉK-TIV NÁINN )


4.1. SIMPLE PRESENT TENSE (TEMPO DO PRESENTE SIMPLES) (SIMPL PRÉ-ZENT
TÉNSS)

Used to:

Indicate a habitual action:

Patricia goes to school every day.


152


Express a long-term (permanent) situation:

Americans like baseball.


FORMULA

AFFIRMATIVE NEGATIVE INTERROGATIVE
I
You
We
They
study English.
I
You
We
They
do not study English.
(don’t)
Do
I
You
We
They
study English?
He
She
It
studies English.
He
She
It
does not studies English.
(doesn’t)
Does
He
She
It
study English?


Examples:

Interrogative: Does Gleissy live with the Mendonças? (Gleissy vive (mora) com os Mendonças?)
Negative: No, She doesn’t. She doesn’t live with the Mendonça.
Affirmative: She lives with the Delgados.


Interrogative: Do you study French?
Negative: No, We don’t. We don’t study French.
Affirmative: We study English at CCA-UFES.


153
4.2. INTERROGATIVE WORDS – WHICH, WHEN (PALAVRAS INTERROGATIVA –
QUE/QUAL,QUANDO) (INTÂRÓ-GÂTIV UÂRDS HUITSH, HUÉNN)

Examples:

Which (selection, specification):

There are two books on the desk (Há dois livros sobre a mesa.). Gleissy’s book is green and
Mikaio’s book is blue. (O livro de Gleissy é verde e do Mikaio é azul.)
Question: Which book is Gleissy’s?
Answer: Gleissy’s book is the green one. (O livro de Gleissy é um verde.)

When (general time):

Question: When does Mikaio stay home? (Quando Mikaio fica em casa?)
Answer: He stays home at night.


4.3. PRONOUNS: ONE, ONES (PRONOMES:UM, UNS) (PRÔU- NÁUNN – UÂNN)

Examples:

Which (selection, specification):

There are some cars in the parking lot.
Question: Which ones are Japanese? (Quais são Japonêses?)
Answer: The small ones are Japanese. (Os pequenos são Japonêses)
Ones referes to the Japanese cars.


154
5. VERBS (VERBOS) (VÂRBS)


INFINITIVE PAST TENSE PAST PARTICIPLE
MAKE (mêik) = fazer MADE (mêid) = feito,fabricado MADE (mêid) = feito,fabricado
MEAN (minn) = querer, dizer,
significar
MEANT (minnt) = dito,
significado
MEANT (minnt) = dito,
significado
MEET (mit) = encontra-se MET (mit) = encontrou MET (mit) = encontrado
MISTAKE (mistêi-k) = errar,
enganar
MISTOOK (mistôi-k) = errou,
enganou
MISTOOK (mistôi-k) = errado,
enganado
MOW (môu) = ceifar, cortar
grama
MOWED (môu-éd) = ceifou,
cortou
MOWED (môu-éd) = ceifado,
cortado
PAY (pêi) = pagar PAID (pêid) = pagou PAID (pêid) = pagado
PUT (put) = colocar, pôr PUT (put) = colocou PUT (put) = colocado
QUIT (kuit) = abandonar,
desistir de
QUIT/QUITTED ((kuit/kuitêd)) =
abandonou, desistiu de
QUIT/QUITTED ((kuit/kuitêd)) =
abandonado, desistido de
READ (ridi) = ler READ (ridi) = leu READ (ridi) = lido
RID (rid) = desembarcar,
livrar
RID/RIDDED (rid/ridêd) =
desembarcou, livrou
RID/RIDDED (rid/ridêd) =
desembarcado, livrado


6. INFORMATION VOCABULARY (VOCABULÁRIO DE INFORMÁTICA) (INFÓRMÊI-
SHÂNN VOKÉ-BIULÉRI)

ICON (ái-kónn): figuras ou imagens que substituem os comandos de acesso aos
programas;

INPUT (in-pât): entrada, informações que alimentam o computador no sentido que possa
produzir algum tipo de resultado (OUTPUT);

INTERFACE (inter-fêis): é a conexão que se verifica entre o computador, seus diversos
dispositivos e o usuário;

INTERNET (inter-nét): rede internacional de comunicação eletrônica, via computadores,
interligados por telefone, modem, etc;



155
JACKET (djé-két): a caixa plástica quadrada que protege os discos flexíveis;

JOIN (djóinn): associação, termo que se utiliza quando há uma referência cruzada entre
dois arquivos;

JOYSTICK (jóin-estik): dispositivo de controle que move o cursor na tela do computador;

JUMP (djâmp): salto, mudança repentina de uma instrução subsequente num programa, de
uma lugar para outro;

JUSTIFY (djâs-tiái): comando que permite que o computador faça um alinhamento de texto
automaticamente.



7. IDIOMATIC EXPRESSIONS (EXPRESSÕES IDIOMÁTICAS) (IDIOMÉ-TIK ÉKSPRÉ-
SHÂNN)

Who’s there? (hús dhér?) (Quem é?)

What do you want? (uót du ant?) (O que você deseja?)

What time is? (uát’ táim ês êt?) (Que horas são?)

Listen to me. (lissen tchú mi) (Me escute)

Bye-Bye. / Good bye. (bai-bai / gud bai) (Adeus)

So long. (sou long) (Até logo)

See you tomorrow. (si’iú tchu’mórou) (Vejo-o amanhã)

What’s the matter? (uáts dhâ mâdder?) (O que acontece? / Qual é o problema?)

It’s time to go away. (It’s taimi tu gou auei) (É hora de ir embora)

I need to leave. (Ai niid tu livi) (Preciso partir)




156
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO 08

DIGITAL GAME AS A TOOL TO SUPPORT THE TEACHING-LEARNING OF
FOREIGN LANGUAGE MODERN FOR CHILDREN

http://br-ie.org/pub/index.php/sbie/article/view/643/629

Marco Túlio da Silva Lima
1

1
Núcleo de Pós-Graduação – Centro Universitário de Goiás - Uni-Anhangüera
Rua Prof. Lázaro Costa, 456, Cidade Jardim, Goiânia-GO, Caixa Postal 637
marco.lima@serpro.gov.br


Abstract. The $100 laptop is in focus in the media since its announcement. In
Brazil, one of the aim countries of this initiative, a lot has been discussed about
this equipment and its real need facing the condition of the schools and the
teachers’ bad preparedness and low remuneration. Thus, the cost of the
equipment is widely discussed when just a little is being considered about how
they could help improve the learning process in public schools. In order to
promote this kind of debate, it is presented in this paper a proposal to a
software to be utilized in these laptops: an educational game to help the
learning of a modern foreign language.

Keywords: education, foreign language, games, CALL.
















157
CORREÇÃO DE TEXTO 08

DIGITAL GAME AS A TOOL TO SUPPORT THE TEACHING-LEARNING OF
FOREIGN LANGUAGE MODERN FOR CHILDREN

http://br-ie.org/pub/index.php/sbie/article/view/643/629

Marco Túlio da Silva Lima
1

1
Núcleo de Pós-Graduação – Centro Universitário de Goiás - Uni-Anhangüera
Rua Prof. Lázaro Costa, 456, Cidade Jardim, Goiânia-GO, Caixa Postal 637
marco.lima@serpro.gov.br


Abstract. The $100 laptop is in focus in the media since its announcement. In
Brazil, one of the aim countries of this initiative, a lot has been discussed about
this equipment and its real need facing the condition of the schools and the
teachers’ bad preparedness and low remuneration. Thus, the cost of the
equipment is widely discussed when just a little is being considered about how
they could help improve the learning process in public schools. In order to
promote this kind of debate, it is presented in this paper a proposal to a
software to be utilized in these laptops: an educational game to help the
learning of a modern foreign language.

Keywords: education, foreign language, games, CALL.


JOGO DIGITAL COMO FERRAMENTA DE APOIO AO ENSINO-
APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA PARA
CRIANÇAS

Resumo. O laptop de cem dólares ganhou grande destaque na mídia desde o
seu anúncio. No Brasil, um dos países alvo desta iniciativa, muito se tem
discutido sobre o equipamento e a sua real necessidade frente à condição das
escolas e o mau preparo e remuneração dos professores. Fala-se bastante
sobre o custo dos equipamentos e muito pouco sobre como eles poderiam
ajudar a melhorar o ensino em nossas escolas públicas. Assim, para promover
esse debate, apresentamos neste artigo uma proposta de software educacional
para ser utilizado nestes laptops: um jogo educacional para auxiliar o ensino de
língua estrangeira moderna.

Palavras-Chave: educação, língua estrangeira, jogos, aprendizagem mediada
por computador.