Projecto de uma instalação de utilização

Projecto de uma instalação de utilização
Instalações tipo C (*) – são instalações abastecidas a partir da rede pública de baixa tensão. Estas instalações são certificadas pela Certiel – Associação Certificadora de Instalações Eléctricas Só é obrigatório projecto se a S> 50KVA (*) Anteriormente designadas por instalações eléctricas particulares de ! categoria. Se u!ncia de procedimentos para o desen"ol"imento de um projecto de uma instalação de utilização de uma #a$itação uni%amiliar& "om base na planta da #abitação e respecti$a escala (%xemplo& escala '&'(( )uer di*er )ue ' cm na planta corresponde a '(( cm no real). '( )e%inição da utilização a dar a cada di"isão da casa *( Classi%icação dos locais+ %actores de in%lu!ncia e,terna consultar secção 5'* das -.I/0.1 Salas+ )uartos+ corredores& AA, e A-, (temperatura ambiente& . /" a 0,(/" e clima temperado). "asas de ban#o+ co*in#as& A12 (presença de gotas de 3gua). / uipamentos el2ctricos+ caracter3sticas dos in"4lucros 4ndice de protecção m5nimo dos in$ólucros dos e)uipamentos& 672( 8 69(,. 4ndice de protecção dos in$ólucros dos e)uipamentos para utili*ação no $olume 2 das casas de ban#o& 672: 8 69(,. 4ndice de protecção dos in$ólucros dos e)uipamentos para locais inund3$eis por la$agem ;re)uente com jactos de 3gua+ p3tios e terraços descobertos& 672 8 69(,.
<=>A& <o código IP56+ o algarismo 5 $aria de ( a ? e tradu*+ de ;orma crescente+ o grau de protecção contra a penetração de corpos s4lidos+ en)uanto o algarismo 6 $aria de ( a @ e tradu*+ também de ;orma crescente+ o grau de protecção contra a penetração de l3 uidos. <o código IK55+ o número AA $aria de ( a '( e tradu*+ de ;orma crescente+ o grau de protecção contra as acções mec7nicas.

8( )esen#ar o es uema ar uitectural na planta da #a$itação Bocali*ação do )uadro de entrada (junto C entrada da #abitação+ no interior) Bocali*ação dos pontos de utili*ação (iluminação+ tomadas+ etc.) Bocali*ação dos e)uipamentos (interruptores+ comutadores+ caixas de deri$ação+ etc.) 1esen#ar um es)uema ar)uitectural para& . 6luminação . >omadas de uso geral . Sinali*ação . %)uipamentos espec5;icos (m3)uinas de la$ar+ ;orno+ cilindro+ placa $itrocerDmica+ etc.)
NOTA: O traçado dos circuitos deve ser feito com linhas hori ontais e verticais e tam!ém se deve representar o n"mero de condutores por circuito #em cada troço$% 73gina ' de '(

ixos de climati*ação ambiente+ de modo a )ue cada circuito não alimente mais de aparel#os. Ba$andaria& ' tomada para usos geraisF ' tomada para m3)uina de la$ar roupaF ' tomada para m3)uina de secar roupaF ' ponto de iluminação. e outra no $olume :).). NOTA: Atender aos &uatro volumes diferenciados nas casas de !anho: 'olume ( – local ou ona de risco m)*imo+ 'olume . "asa de ban#o& 2 pontos . Pontos de utilização recomendados numa #a$itação Salas& ' tomada de usos gerais por cada m de paredeF ' ou 2 pontos de iluminaçãoF ' caixa terminal para ligação do aparel#o de climati*ação (ar condicionado ou a)uecedor eléctrico).ixos de iluminaçãoF 2 tomadas de uso geral (uma junto ao la$atório .) de$em ser distintos.ornos+ . 73gina 2 de '( . mas /) é menor+ 'olume 0 – local de risco mais redu ido "orredores e $est5bulos& ' ou 2 pontos de iluminaçãoF ' tomada de usos gerais por cada ? metros. "o*in#as& tomadas para usos geraisF ' tomada para m3)uina de la$ar louçaF ' ou 2 pontos de iluminaçãoF ' caixa terminal para ligação da placa $itrocerDmicaF ' caixa terminal para ligação do .– local onde o risco e*iste.Projecto de uma instalação de utilização 9( Calcular o n:mero de circuitos "omo regra geral+ os circuitos destinados a utili*ações distintas (iluminação+ tomadas de usos gerais+ tomadas de a)uecimento+ co*in#a eléctrica+ m3)uinas de la$ar+ etc. Circuitos independentes para alimentação de m3)uinas com potEncia signi. 7re$isão de circuitos destinados a iluminação e tomadas de modo )ue cada circuito não alimente mais do )ue @ pontos de utili*ação.ornoF ' caixa terminal para ligação do exaustorF ' caixa terminal para ligação do aparel#o de climati*ação (ar condicionado ou a)uecedor eléctrico). Guartos& : tomadas para usos geraisF ' ponto de iluminaçãoF ' caixa terminal para ligação do aparel#o de climati*ação (ar condicionado ou a)uecedor eléctrico).ogões+ m3)uinas de la$ar roupa e louça+ m3)uinas de secar roupa+ placa $itrocerDmica+ etc.icati$a (. 7re$isão de circuitos independentes para alimentação de aparel#os . – local ou ona de risco elevado+ 'olume . Arrecadações e garagens& ' tomada de usos geraisF ' ponto de iluminação. $olume 2 .

35 Com mais de 6 compartimentos Monofásica Notas: As instalações de locais de ha!itação são em re1ra monof)sicas até . "alcular a <rea de cada compartimento (comprimento x largura) (%xemplo& %scala '&'(( H ' cm na planta corresponde a '(( cm no real). Tipo de utilização *! mina&'o e tomadas de so +era! C!imati%a&'o am(iente e!)ctrica Máq inas de !a"ar Nº de compa timentos Co%in.se calcular a pot!ncia a instalar com $ase na <rea dos compartimentos& Pot!ncia pre"is3"el com $ase na <rea dos compartimentos .9 10.3 KVA 3 KVA 4 KVA 5 KVA # KVA 1.45 6. "alcular a potEncia a instalar em .ormação mais precisa relati$amente aos e)uipamentos a considerar e com base no número de compartimentos podem.0. m2 com excepção das co*in#as+ casas de ban#o e corredores.se considerar as seguintes pot!ncias m3nimas Habitação Com 1 compartimento De 2 a 6 compartimentos Tipo de alimentação Monofásica Monofásica Potência mínima (KVA) 3. .23'A% 4e houver receptores trif)sicos o tipo de alimentação deve ser trif)sica% Para uma a"aliação mais precisa da pot!ncia el2ctrica de"e.unção da 3rea e das pot!ncias espec3%icas indicadas na tabela seguinte.a e!)ctrica At) 3 4 5 6 o mais Aq ecimento de á+ a e!)ctrico At) 3 4e5 6 o mais Potência específica 25 VA$m2 #0 VA$m2 3. <a ausEncia de in.Projecto de uma instalação de utilização )imensionamento dos circuitos '( Pot!ncia pre"is3"el com $ase no n:mero de compartimentos São considerados compartimentos todas as 3reas superiores a .5 KVA 2 KVA 3 KVA 73gina : de '( .

/.5 4 6 10 16 25 35 50 -0 95 120 !ntensidade da co ente (A) 1-..?( ser3 regulado para ?(A.3sicas até ':+@ 9IA e sem receptores tri.3sicas+ respecti$amente. 1e$em ter calibres em con. %ste e)uipamento de$e ser colocado a jusante do contador.ormidade com a potEncia contratada. dispositi$o controlador de potEncia).5 2.3sicas ou tri. pois 1eralmente não estão a tra!alhar ao mesmo tempo todos os receptores% 8( Veri%icar se a instalação de utilização de"e ser mono%<sica ou tri%<sica As instalações em locais de #abitação são+ em regra+ mono.emplo& 7otEncia contratada& ':+@ 9IA >ensão mono. Correntes admiss3"eis> em amperes para dois condutores carregados isolados a policloreto de $inilo (7I").emplos& 7ara uma corrente estipulada de 80A a secção m5nima do condutor de$er3 ser de ? mm*+ por)ue a secção m5nima nas entradas é de ? mm2 segundo as Q>6%->. 9( Calcular o cali$re do disjuntor de entrada %ste disjuntor de entrada é colocado pela %17 e tem como .unção controlar a potEncia contratada (é designado por )CP . .K com uma secção ue reDulamentarmente não pode ser in%erior a ? mm*.Projecto de uma instalação de utilização *( /scol#er a pot!ncia a re uisitar = /)P =s $alores de potEncia contratada t5picos para as #abitações são& '>'5 8 8>95 8 ?>@ 8 '0>85 8 '8>A 8 'B>*5 8 *0>B KVA Nota: A pot5ncia contratada 6 E78 não precisa de ser i1ual 6 pot5ncia calculada anteriormente /) &ue raramente ela é toda utili ada simultaneamente. 5( )imensionar a secção dos condutores de entrada a partir da corrente estipulada MCondutores isolados em condutas circulares Ctu$os1 em$e$idas nos elementos da construção> em al"enaria.5 24 32 41 5-6 101 125 151 192 232 269 73gina . de '( .N Ktili*ação de condutores isolados a policloreto de $inilo (7I") dos tipos O(PI.inais do tipo mono.Q ou O(PI. "ecção do conduto (mm#) 1.3sico. . 7ara uma corrente estipulada de ?0A a secção m5nima do condutor de$er3 ser de '? mm*.3sica& 2:( I S J K x 6 H ':@(( J 2:( x 6 H 6 J ':@(( L 2:( H 6 J ?( A = 1"7 com regulação :(. 7ara uma corrente estipulada de 95A a secção m5nima do condutor de$er3 ser de '0 mm*. =s 1"7 podem ser bipolares ou tetrapolares+ para instalações mono. /.3sicos+ sendo genericamente os circuitos .

issional não podem ser empreDues canalizações com tu$os de di7metro nominal in%erior a 8* mm+ o tubo a usar ter3 de ter :2 mm e não 2 mm de S.emplo+ Supon#amos uma alimentação mono.Projecto de uma instalação de utilização ?( )imensionar o di7metro do tu$o de entrada> a partir do n:mero de condutores e respecti"as secções /.3sicas ou tri. 73gina de '( . "onsultando a tabela+ $eri. A+ logo a secção m5nima do condutor ser3 de '( mm2.icamos )ue o diDmetro do tubo seria de 2 mm para : condutores (Rase+ <eutro e 7%) de '( mm2 no entanto+ como segundo as Q>6%-> nas entradas (mono.3sicas) destinadas a alimentar locais residenciais ou de uso pro.3sica com uma corrente estipulada de .

*! mina&'o % . 0omadas ) . Máq ina de !a"ar $ # % & ' ( ) * * .Projecto de uma instalação de utilização B( Eazer o es uema uni%ilar do uadro el2ctrico de entrada Eazer o es uema uni%ilar do uadro el2ctrico de entrada+ com di7metros de tu$os> n:mero de condutores> secções e disjuntores& Circuitos de sa3da $ . 0omadas ( . *! mina&'o 10A 10A 10A 6A 16A16A 16A 16A & . /ina!i%a&'o ' . 0ermoac m !ador 73gina ? de '( . *! mina&'o # .

orem rele$antes. =s uadros de$em ser e)uipados com barramentos de . KBJ (I para os restantes casos).icado. T uma protecção recomendada )uando as instalações . P.(+ ?:+ @(+ '((A 73gina P de '( ..erencial de$e ter em conta os $alores m3ximos da resistEncia de terra pre$is5$el e ainda as tensões limite con$encionais (KBJ2 I co*in#as+ casas de ban#o+ locais #úmidos e mol#ados em geral . (ligação das massas C terra em associação com o aparel#o di.ere ao reDime de neutro+ para estas instalações+ o es)uema de ligações t5pico é o es uema . >odos os circuitos de$erão ser dotados de condutor de protecção (7%) Secção m3nima dos condutores& Sinali*ação e comando& (+ mm2 6luminação e estores eléctricos& '+ mm2 >omadas+ termoacumulador+ m3)uinas de la$arLsecar+ climati*ação ambiente+ portão eléctrico+ ban#eira de #idromassagem& 2+ mm2 RogãoL.se um descarreDador de so$retensões (1S>) a instalar C entrada da instalação (a montante ou a jusante do dispositi$o di. . Circ ito de sa4da 2mm23 Dis1 ntor 2A3 1.+ 8 ? 8 '( 9A =s aparel#os de corte e protecção contra sobreintensidades dos circuitos de sa5da dos )uadros de$em ter os seguintes calibres . mm2 ou ? mm2 . A selecção da sensibilidade (IFn) do aparel#o di.erencial).Projecto de uma instalação de utilização .5 10 2.icar. N + . )isjuntores 6ntensidades estipuladas& ? 8 '( 8 '? 8 2( 8 2 8 :2 8 . A protecção de pessoas contra contactos indirectos é tipicamente reali*ada por meio de aparel#os di%erenciais (*) (I) 8 6nterruptor di.5 16 4 20 6 32 .orem alimentadas por redes aéreas de distribuição em -> (condutores nus ou torçadas) e )uando a segurança de bens eLou a continuidade de ser$iço .erencial) de sensibilidade ade)uada.ase+ de neutro e de terra ou ligador de terra de$idamente identi. ' = poder de corte é a corrente m3xima de curto.orno& .circuito )ue o disjuntor é capa* de interromper sem se dani.( 8 ( e ?:A 7oder de corte' estipulado normali*ado& '+ 8 : 8 .8 1isjuntor di. 7ara a protecção contra sobretensões usa. <o )ue se re.erencial ou )).erenciais 6n de 2 + .erencial) . (*) "orrentes estipuladas dos di.

era! 6at re%a da inf! 5ncia C!asse Cate+oria das inf! 5ncias Ambiente A A at) " 21.i)uem tapados pelas portas+ )uando estas abrem+ e estarem situadas a uma altura uni.T – 8arte 9 < 4ecção 9. Codifica&'o das inf! 5ncias e=ternas <!ementos constit intes do c:di+o 18 9etra do c:di+o 28 9etra do c:di+o 67mero %xemplos& AA9 A .emperado C.icado é con. Ae22 nat re%as3 2e4 0/* CA' 73gina @ de '( .onst ução de edifícios .emperatura am$iente 9 .raçado das canalizações As canali*ações instaladas nas paredes+ embebidas ou C $ista+ de$em ser sempre estabelecidas em traçados $erticais ou #ori*ontais (não são permitidas diagonais). 25 nat re%as3 1a5 .ternas %stes .actores são identi.ic3$eis mediante um c4diDo al%anum2rico+ constitu5do por duas letras e um algarismo+ cujo signi.$ 0 8 "ategoria geral& Itilização / 8 <ature*a da in. . As tomadas nas di$isões principais de$em ser instaladas a uma altura uni.orme situada entre (+( m e (+:(mF as tomadas de co*in#a+ entre '+'(m e '+2(mF as tomadas nas casas de ban#o entre '+ (m e '+?(m.A#CA$ das :TIE. >odo o material de$er3 ser de )ualidade compro$ada (marcação C/) .orme compreendida entre '+'(m e '+2(m (C altura das maçanetas das portas). <ature*a da in. In%ormação complementar Eactores de in%lu!ncias e. . "ategoria geral& Am$iente A .A#AA$ das :TIE.T – 8arte 9 < 4ecção 9.nat re%as3 1a# /tilização A at) .Projecto de uma instalação de utilização Pormenores t2cnicos A localização dos interruptores> comutadores e tomadas o$edece tam$2m a normas m3nimas+ .T – 8arte 9 < 4ecção 9.A#.luEncia& Jatureza dos produtos tratados ou armazenados * 8 "lasse& -iscos de inc!ndio #ver &uadro 9.$ /i+nificado de cada e!emento Cate+oria .orme a tabela.E$ das :TIE. "lasse& .luEncia& Kateriais de construção ' 8 "lasse& Jão com$ust3"eis #ver &uadro 9. =s interruptoresGcomutadores de$em ser colocados em posição tal )ue não .5(C a H 90(C1 #ver &uadro 9.$ C 8 "ategoria geral& Construção de edi%3cios A 8 <ature*a da in.luEncia& .

50 0.00 20.20 0.ne 1ia de impacto (2oule) 00 01 02 03 04 05 06 00# 09 10 6'o prote+ido 0.35 0.Projecto de uma instalação de utilização C4diDo de protecção IP C4diDo de protecção IK !K .15 0.00 0assa de co po 2em +ramas q e prod % a ener+ia de impacto n ma q eda de 1 metro de a!t ra3 > 15 20 35 50 -0 100 200 500 1000 2000 73gina U de '( .00 10.00 5.-0 1.00 2.

Ialor m3ximo da resistEncia de terra em .5 ? 5? 10 ? 1.erencial+ por exemplo+ se .? 500 ? 16-0 ? 41-0 ? #330 ? Valo m34imo da esistência de te a /56 #' V 1.5 ? 5? #.or de ((mA& Q x 6∆n V (I H Q V ( L (+ A Q V '((W Q x 6∆n V 2 I H Q V 2 L (+ A Q V (W NOTA: Na medida do poss=vel a resist5ncia de terra não deve e*ceder .ensão limite con"encional de contacto ILM *5 V Aplic3$el Cs instalações e locais especiais.icados como locais especiais.ensão limite con"encional de contacto ILM 50 V Aplic3$el Cs instalações em locais de #abitação+ tipo industrial+ comercial e outros não classi.o ente esidual 8dife encial estipulada (!9n) 20 A 10 A 5A 3A 1A Valo m34imo da esistência de te a /56 '7 V 2. .3 ? 250 ? #33 ? 20#3 ? 416.(( >% ?uc=nio 8re a de Ara"/o 73gina '( de '( .25 ? 2.unção da sensibilidade do aparel#o de protecção di.? M)dia sensi(i!idade 500 mA 300 mA 100 mA 30 mA 12 mA 6 mA A!ta sensi(i!idade .3 ? 25 ? 50 ? #3.? 50 ? 100 ? 16.Projecto de uma instalação de utilização Selecção da sensi$ilidade do aparel#o di%erencial "ensibilidade @ai=a sensi(i!idade .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful