You are on page 1of 5

Suponha duas firmas que produzem um produto homogêneo e escolhem simultaneamente quanto produzir.

A curva de demanda pelo bem é P=10-y1-y2 e as firmas têm curvas de custo total C1=2y1 e C2=3y2. a) Encontre as curvas de reação das duas firmas. b) Calcule as quantidades, o preço e os lucros em equilíbrio. c) Seja (y1,y2)=1(y1,y2)+ 2(y1,y2) o lucro conjunto como função das quantidades. Calcule e interprete: 2 1 1, 2 1 , 2 , 1 , 2 , 1, 2 e 1 2 1 2
                        ¡ ¢ £ ¤ ¥ ¦ § ¨ © ¤
¤ ¥ ¨ ¥ ¦

. 2 2 . sendo #  o preço cobrado pela empresa 1 e são dados por &   '  o preço cobrado pela empresa 2. 1 1   1 . a) Para a firma 1:     1 10 10   1   2    1 2  1 10 2  1   2 2 0  1 4 2 2   Para a firma 2:      1 2     1 2 3  2 10 2  2   1 3 0  2 3.   2  1 . 1 9 e 2 4 1 3 . Os custos totais da empresa 1 & %  ! ' % e os custos totais da empresa 2 são dados por . 2 =8 2  2  2 e 2 2   1  2 72  1 2  Seja um duopólio diferenciado em que a demanda enfrentada pela empresa 1 é dada por y ! #  $ # %   ! " enquanto a demanda enfrentada pela empresa 2 é dada por y % # %  ! " ! # % $ #  . . a) Encontre as curvas de reação das duas firmas.  c) As derivadas são 2 1 . 2 2.5 1 2 b) O equilíbrio de Nash é o ponto onde as duas curvas se cruzam: 5 . 1     1 2   1 .

p2)+ 2(p1. c) Seja (p1. os preços (p1e p2 ) e os lucros (1e 2) em equilíbrio. 1 .p2) o lucro conjunto como função das quantidades. 2 . 1. Calcule 2 1 1.p2)= 1(p1. 2 . 2 1 . ( ( ( ( ( ( ( ( ( ( ( ( ¡ ¢ £ ¤ ¥ ¦ § ¨ © ¤ ¤ ¥ ¨ ¥ ¦ . b) Calcule as quantidades (y1e y2). 2 e 1 2 1 2 Interprete.

. No primeiro caso. ) 1 * + . no segundo. 2 2 2 . como um monopólio. / ) 2 - 2 2 12 2 . a) Firma 1: * + . de 50. / ) 1 - 1 1 1 12 2 . ou concorrer ao estilo Cournot. cada uma delas teria um lucro de 100 e. ) 2 2 * + . Porém. 0 1 - 2 CPO (p1): 12 4 ( 1 0 2 20 ( 14 Curva de Reação: 1 4 Firma 2: * + . se uma das firmas trair o acordo de comportar-se conjuntamente como monopólio seu lucro seria de 200 naquele período enquanto nos seguintes o acordo seria desfeito. passando as firmas a concorrer ao estilo Cournot. . 1 1 . em cada período. Há um ativo financeiro que oferece rendimentos fixos de . 0 2 - 1 CPO (p2): 12 4 Curva de Reação: ( 2 2 0 1 40 ( 4 1 4 1 b) Temos então que: 16 0 4 0 ( 2 4 0 1 14 0 => 1 ( 1 72 => 15 1 1 114 15 Segue que:   0 2 14 4 0 1 => 2 78 => 15 2 96 15 1   2 210 14 15 24 38 38 722 e 5 5 5 25 26 32 32 512 2 2* 5 5 5 25 E os lucros são: 1 Em um duopólio com horizonte de vida infinito as firmas podem concordar em produzir conjuntamente.

2 por período. Qual o valor de monopólio ou trair a coalizão? 3 3 4 ¢ £ ¤ ¥ ¦ § ¨ © ¤ ¤ ¥ ¨ ¥ ¦ .

se 150 . 2 3 3 que deixa as firmas indiferentes entre agir como ¡ Se as firmas atuarem em conluio.5 = = 2 . 3 100 50 = . seu lucro será igual a 200 no período em que ocorre a traição e 50 nos demais períodos (competição de Cournot). 1 2 1 3 0. < : < 0 50 1 A firma i será indiferente entre atuar em conluio ou quebrar o acordo de coalizão se iT= iM. O valor presente do fluxo de lucros iT) será igual a: 9 : 200 50 50 2 50 3 . será igual a: 5 6 100 100 100 2 100 3 100 7 5 7 6 1 . equivalentemente. o lucro individual será igual a 100 por n períodos (n i). e 1 é um fator de desconto correspondente à taxa de desconto de 100r%. Isto é. 1 A expressão (1) significa que: 8 100 2 1 Se uma firma trair a coalizão. : 150 50 . 0 onde M denota que as firmas atuam como monopólio. : 100 50 150 1 1 A igualdade ocorre quando Ou.

d) Para que valores de a cooperação no cartel é sustentável? ¡ ¢ £ ¤ ¥ ¦ § ¨ © ¤ ¤ ¥ ¨ ¥ ¦ . @ 0 em que é a taxa de desconto e i(t) é o lucro da firma i no período t. 2 e 1 2 > >             Qual a quantidade que maximiza o lucro da firma 1 quando 2 2 ? Qual o lucro da firma 1 neste caso? Repita o mesmo procedimento para a firma 2.Suponha as condições descritas na questão 1. Em caso de desvios do preço de cartel as firmas adotam uma estratégia de punição como a descrita no exercício anterior. a) Quais as quantidades 1 e 2 que maximizam o lucro conjunto das firmas? 1 2 b) Calcule e interprete 1. 1. A função objetivo da firma i é c) > > ? : ? : . 2.

.

ou seja. E o lucro é igual a: 1 10 4 4 2* 4 1 16 No caso da firma 2: C D E B 1 10 F 2 4 F 2 3 F 2 10 2 F 2 43 0 F 2 3 2 E o lucro é igual da firma 2 é: 3 3 9 3 2 10 4 3* 2 2 2 4 2 d) Analisando as derivadas do item b) pode-se ver que a firma 1 não tem incentivo de se desviar de sua situação. qualquer quantidade que ela produzir melhorará muito sua situação. pois sua derivada é zero.0 3 1   A firma 1 maximiza o seu lucro ao produzir 4 unidades. o lucro máximo conjunto é alcançado quando apenas a firma de menor custo produz. c) Quando a firma 2 produz nada.a) Como a curva de demanda é mesma para as duas firmas. ela se trairá o acordo qualquer que seja a taxa de desconto. enquanto a firma 2 tem uma derivada positiva. ou seja. a firma 1 produz 4 enquanto a 2 não produz. . a melhor opção para a firma 1 é produzir 4. como visto no item a). No caso da firma 2. b) As derivadas parciais dos lucros individuais das firmas calculadas nas quantidades que maximizam o lucro conjunto são: Firma 1: 1 10 2 1 A A * 1 A * 2 2 1 4. qualquer quantidade que ela produzir aumentará o seu lucro.0 0 1 A Firma 2: 2 10 2 2     * 2   * 1 3 1 4. não há taxa de desconto que faça a firma 1 trair o monopólio. ou seja. ou seja. a firma 1: 1 10  1 * 1  1 2  1 1 82 1   0  * 1 4 Ou seja.