You are on page 1of 3

RESUMO DA CINEMÁTICA ESCALAR 1- Ponto material: corpo que pode apresentar todas as propriedades físicas(sempre terá massa

, e poderá ter luz, calor, etc), mas nunca terá seu tamanho considerado, pois este fica desprezível em relação às outras dimensões do fenômeno.. 2- Referencial: corpo A que por hipótese permanece fixo. Se outro corpo B muda sua posição em relação a este corpo tomado como referencial, então B estará em movimento em relação à A. Se B é o corpo tomado como referencial, e portanto ficar fixo, então A estará em movimento em relação à A. 3- Relatividade: Na frase: .......em relação à _______, o que vem depois deste: à, permanece fixo, pois é considerado como referencial. 4- Trajetória: Caminho de um corpo em movimento em relação a um referencial. Pode ser curva ou reta, e depende do referencial. A trajetória sempre é orientada e tem uma placa de número zero, denominada “origem”. 5- Espaço ou abscissa ( S ou X): É a posição do corpo na trajetória, dada por um valor com sinal e unidade, que indica sua localização na trajetória. É número da placa que se encontra ao lado do corpo em cada instante. 6- Deslocamento = ∆S: é a definição de movimento, pois indica a mudança de posição, sem se importar com o quanto que o corpo andou ( espaço percorrido). É a indicação de onde o corpo chegou e de onde ele saiu, sem levar em conta o caminho que fez: ∆S = deslocamento = SF – SI ( número da placa da chegada menos o número da placa de saída) 7- Velocidade média: é regra de três. Se o corpo desloca-se ∆S ( metros ou quilometros), no intervalo de tempo tempo ∆t, então em cada unidade de tempo ( segundo ou hora) desloca-se X = VM 8- Aceleração escalar média: É regra de três. Se a velocidade do corpo aumenta em valor um certo ∆V ( m/s ) no intervalo de tempo ∆t ( segundo ), então em cada segundo aumenta X = aM . A aceleração escalar média é também denominada aceleração tangencial ( aT). 9- Classificação dos movimentos: A base para classificar um movimento é o que acontece com o valor da sua velocidade. Inicialmente classificamos o movimento em: Movimento Progressivo: o corpo se movimenta a favor da orientação da trajetória.Então ∆S e V são positivos. Movimento Retrógrado: o corpo se movimenta contra a orientação da trajetória. Então ∆S e V são negativos. Em seguida classificamos o movimento Progressivo ou Retrógrado em: Movimento acelerado: quando o valor absoluto de V (|V|) aumenta de valor. Movimento retardado: quando o valor absoluto de V diminui de valor. Movimento Uniforme: quando o valor absoluto de V permanece constante.

Gráficos e suas propriedades: Gráfico de S = f(t): S So ___α___ (M U) S • No vértice: V = zero (M U V) Propriedade: tg α = V . com velocidade constante e igual a 10m/s. Pode-se também se obter a velocidade em cada instante.Equação de Torricelli: É a equação que deve ser usada mais em Dinâmica Escalar do que em Cinemática. basta fazer a regra de três: Em 1 instante se aproximam VR. se o valor da velocidade varia a ( aceleração escalar) em cada um instante. Ela é: S = So + Vot + at2/2 Equação da velocidade instantânea: è a derivada equação da posição dS/dT. que é o tempo gasto para se encontrarem. ou então usando as propriedades do gráfico da velocidade. 14. Para se obter a velocidade do corpo num instante t igual à 5s. 13. Podemos resolver os problemas de cinemática sem usá-la.10. chegará na posição SF.Ultrapassagem de corpos extensos: Pegar um ponto em cada corpo. utilizando apenas a composição da função horária com a equação da velocidade instantânea.a. Lembrar que a derivada da equação da velocidade dá o valor da aceleração escalar. que é a posição do corpo na trajetória no instante t= 5s. Assim. Sai de So = 8m. avança 50m. no instante t = 5s será: 13 m/s.Movimento uniformente variado ΙVΙ varia. aplicar a regra de três: Se o valor da velocidade é V. fazemos: Em 1s a velocidade varia seu valor em 2 m/s.Encontro de pontos materiais: Usar velocidade relativa de um comparado com o outro. Para se aproximarem a distância D que existia inicialmente entre eles. Ela é: Vf 2 = Vo 2 + 2. Daí em t instantes se deslocará ∆S. O tempo gasto para esses pontos se encontrarem. tem valor constante). os mais afastados entre si. Saindo de So e deslocando-se ∆S. Pode-se memorizar a equação ou procurar resolver o exercício utilizando as propriedades do gráfico da velocidade. 15. então no instante t será VF = Vo + ∆V.∆S. Se estão no mesmo sentido: VR = Vdo corpo mais rápido – Vdo corpo mais lento. Em 5s variará 10 m/s.Movimento uniforme: |V| constante e portanto aM = zero ( resultante das forças sobre o corpo é nula) Para obter a posição S do corpo num instante t qualquer. Exemplo: Vo = 3m/s e a = 2m/s2. Função horária: é a equação que dá o valor da posição S em função do instante t. Sendo Vo a velocidade inicial para t = 0. Era Vo = 3 m/s e como aumentou 10 m/s. significa que em cada um instante o corpo se desloca V posições. 12. em t instantes variará ∆V. por regra de três. e existe aceleração escalar constante ( a resultante das forças que agem no corpo e na direção do movimento. 11. levarão o tempo T. Em 5s avançará: 50m. Queremos obter a posição deste corpo no instante t = 5s: Em 1s avança 10m ( V = 10m/s). Estando em sentidos opostos: VR = é a soma das velocidades dos corpos. é o tempo gasto na ultrapassagem. Exemplo: O corpo sai de So = 8m. Para se obter o tempo gasto para os pontos se encontrarem. chega em SF = 58m.

Y = 16 Y´= zero Y´ = 15X2 + 4X – 3 e Y´´ = 30X + 4 e Y´´´´ = 30 Dado Y = 5X3 + 2X 2 – 3X + 8 . Y = aX Y´= a . Y = a Y´ = zero 3-1 2 Y´ = 3. Y = 5X Y´ = 5 . ÷ o no por 3.2 X = 6X . no em k/h para passar a m/s. Y= Y = 2X 3 a. usual é o Km V e ∆V: SI é m/s. Derivada de uma função: Y´ = naX n -1 .6. usual é o km/h A aceleração é só em m/s2 ( SI).T T Gráfico de V = f (t): V (MU) V V (MUV) Propriedades: área = ∆S tang α = aceleração α Área = ∆S t T T Gráfico de a = f(t): a ( M U) aceleração = zero a área ( MUV) Propriedade: A área = ∆V é = ∆V T T Unidades: S e ∆S: SI é o metro (m).Xn 1 km = 103 m.