You are on page 1of 93

Mapeamento de Cobertura Vegetal do Bioma Cerrado

Edital Probio 02/2004
Projeto Executivo B.02.02.109

Relatório Final

Brasília/DF Junho/2007

Participantes
Instituição proponente
Nome: Sigla: CNPJ: End: Telefax: E-Mail: Fundação de Apoio à Pesquisa e ao Agronegócio FAGRO 04.246.755/0001-21 STN Lote K, Ed. Montreal III, Sala 07 70.770-100 – Brasília, DF (61) 3272-3972 fagro@brturbo.com.br

Instituições parceiras
Nome: Sigla: CNPJ: End: Tel: Fax: E-Mail: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro de Pesquisa Agropecuária dos Cerrados Embrapa Cerrados 00.348.003/0039-93 BR-020 km 18 Cx. Postal 08223 CEP: 73310-970 – Planaltina, DF (61) 3388-9898 (61) 3388-9879 sac@cpac.embrapa.br

Nome: Sigla: CNPJ: End:

Tel: Fax: E-Mail:

Universidade Federal de Uberlândia Departamento de Geografia UFU 25.648.387.0001-18 Av. João Naves de Ávila, 2121 Campus Santa Mônica – Bloco H CEP: 38.408-100 – Uberlândia, MG (34) 3239-4169 (34) 3239-4210 cocge@ufu.br

Nome: Sigla: CNPJ:

Universidade Federal de Goiás Instituto de Estudos Sócio-Anbientais UFG/IESA 01.567.601/0001-43

Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado

2

End:

Telefax: E-Mail:

Universidade Federal de Goiás Instituto de Estudos Sócio-Ambientais Campus II, Setor Samambaia - Cx. Postal 131. CEP: 74001-970 Goiânia, GO (62) 3521-1184 direcao@iesa.ufg.br

Equipe Técnica (em ordem alfabética)
Aline Batista Ferreira Ana Carolina de Paula Silva Anne Karoline Alves Baltazar Casagrande Beatriz Aparecida Bessa Florêncio Carla Rodrigues Santos Dayane Cavalcante de Abreu Edson Eyji Sano Edwin Andrés Piscoya Rodríguez Elaine Cristina de Oliveira Elaine Marra Santana Eristelma Teixeira de Jesus Barbosa Silva Fernanda Massuda Gisele Martins Amaral Gustavo Bayma Siqueira da Silva Gustavo Isac Monteiro de Oliveira Heleno da Silva Bezerra Jorge Luis Silva Brito Laerte Guimarães Ferreira Manuel Eduardo Ferreira Marcus Vinícius Coelho Vieira da Costa Marina de Fátima Vilela Miriam Rodrigues da Silva Pedro da Costa Novaes Mirna Karla Amorim da Silva Raphael de Oliveira Borges Roberto Rosa Geógrafa Enga Agrônoma Bolsista, UFU Geógrafo Geógrafa Geógrafa Bolsista, Embrapa Cerrados Geólogo, coordenador técnico Engo Industrial Geógrafa Geógrafa Geógrafa Bolsista, UFU Geógrafa Geógrafo Geógrafo Geógrafo Agrimensor, pesquisador senior Geólogo, pesquisador senior Geógrafo Bolsista, UFU Enga Florestal Geógrafa Geógrafo Geógrafa Geógrafo Geógrafo, pesquisador senior

Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado

3

Rodrigo Carvalho Sara Nunes Giffoni Tatiana Diniz Prudente Thaise Sussane de Souza Lopes Valdir Aparecido Steinke Engo Agrônomo Geógrafa Geógrafa Geógrafa Geógrafo Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 4 .

br Período: nov/2004 a dez/2006 Montante: R$ 682.663.00 Apoio técnico e administrativo: IBGE CNPq Título original do projeto aprovado no edital: “Levantamento dos remanescentes de cobertura vegetal do bioma Cerrado” Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 5 .Identificação do Projeto Contratante: PROBIO (Projeto de Conservação e Utilização Sustentável da Diversidade Biológica Brasileira) do Ministério do Meio Ambiente Coordenação técnica: Edson Eyji Sano Pesquisador da Embrapa Cerrados Tel: (61) 3388-9904 E-mail: sano@cpac.embrapa.

................................................................................................................................................................................. 07 08 09 12 14 16 17 21 22 23 29 45 47 75 76 77 79 82 Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 6 ............ Introdução ............. Objetivos ............................................... LISTA DE QUADROS ..................................................................................... LISTA DE SIGLAS .............................................................. 1....................... Bibliografia ................. 5............................................ LISTA DE TABELAS .................. 7.......Sumário Pág............................... Resultados ............................................ Divulgação ................. Citação........................................................ Produtos entregues ............................................................. Método ................................................. RESUMO ................................................................................................................................................................ 9....................................................................................................... 11...... ANEXOS ............................................................. 4............................. 10........................................................................................................................ Legenda ............................................................. 2......................... 3............................................................................. Considerações finais .............................................................. LISTA DE FIGURAS ................................... 8................ 6....................................................... GLOSSÁRIO ......................... Atividades: previstas & realizadas ...............................

....................... 5.............................. Datas das imagens do satélite Landsat utilizadas para a elaboração do mapa de cobertura vegetal do bioma Cerrado............................................ Valores entre 62 a 76 representam os pontos nesse mesmo Sistema........................ 4..................... ...................Lista de Quadros Pág................ Ano = 2002......................................................... Síntese da legenda do mapeamento de cobertura vegetal antrópica do bioma Cerrado ........... Exemplo de chave de interpretação utilizado para o mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado............................... 3... 2....................... 1.............................. Síntese da legenda do mapeamento de cobertura vegetal natural do bioma Cerrado ......................................... Resumo das atividades previstas e executadas pelo projeto aprovado pelo PROBIO ..... 45 36 32 25 24 Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 7 ....................................... Valores emtre 217 a 229 representam as órbitas do Landsat no Sistema de Refefrência Mundial.........

Lista de Tabelas
Pág. 1. Cálculo de área ocupada por diferentes classes de cobertura vegetal do bioma Cerrado ........................................................................................ 2. Cálculo de áreas ocupadas pelas fisionomias florestais, savânicas e campestres no bioma Cerrado ................................................................ 3. Cálculo de área ocupada por cobertura vegetal natural e antrópica em cada unidade federativa coberta pelo bioma Cerrado ............................. 4. Regiões hidrográficas pertencentes ao bioma Cerrado, com seus respectivos cálculos de áreas ...................................................................... 5. Matriz de erros resultante dos dados de referência (colunas) e mapa 74 68 54 51 50

de cobertura vegetal do bioma Cerrado (linhas) ......................................

Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado

8

Lista de Figuras
Pág. 1. Localização do bioma Cerrado no Brasil ............................................... 2. Localização e identificação de recortes de imagens no bioma Cerrado. Os números correspondem aos respectivos MIR (Mapa Índice Reduzido) das cartas planialtimétricas do IBGE/DSG na escala de 1:250.000 3. Exemplos de composições coloridas RGB/453 do satélite Landsat ETM+ sobre algumas áreas agrícolas do bioma Cerrado. (a) Pastagem cultivada; (b) Cultura agrícola; e (c) Reflorestamento............................ 4. Exemplos de composições coloridas RGB/453 do satélite Landsat ETM+ da região de Barreiras/Bahia, mostrando áreas com textura lisa (a) e rugosa (b)...................................................................................... 5. Exemplo de composição colorida RGB/453 do satélite Landsat ETM+ da região de Cristalina/MG mostrando áreas circulares no recorte de imagem, associado a sistema de irrigação por pivô-central. .................. 6. Roteiro de trabalho de campo na região próxima ao Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, Goiás para verificação de padrões espectrais e de campo das principais fitofisionomias presentes na região. As linhas amarela e azul representam as curvas de nível e as rodovias principais, respectivamente. Em vermelho, os pontos de amostragem de campo. As sedes municipais estão representadas em círculos pretos ......................................................................................................... 7. Roteiro dos trabalhos de campo na porção sul do bioma Cerrado. ........ 8. Localização dos pontos de referência no bioma Cerrado, utilizados para validar o mapeamento de cobertura vegetal do referido bioma. ............. 44 41 42 39 38 37 34 19

Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado

9

9. Diferenças nos limites do bioma Cerrado proposto pela Embrapa Cerrados na década de 1980 (cor azul, dado não publicado) e pelo IBGE em 2004 (cor vermelha). .............................................................................. 10. Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e cobertura vegetal antrópica no bioma Cerrado.................................................. 11. Porcentagens de cobertura vegetal natural encontradas em cada carta temática................................................................................................. 12. Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e antrópica no Distrito Federal. ........................................................................... 13. Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e antrópica no estado de Goiás........................................................................... 14. Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e antrópica no estado de Minas Gerais. .............................................................. 15. Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e antrópica no estado de Mato Grosso................................................................ 16. Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e antrópica no estado de Mato Grosso do Sul..................................................... 17. Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e antrópica no estado de Tocantins. ................................................................... 18. Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e antrópica no estado da Bahia........................................................................... 19. Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e antrópica no estado do Piauí............................................................................ 20. Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e antrópica no estado do Maranhão. ................................................................... 66 65 63 62 61 59 58 57 55 53 52 49

Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado

10

e 10 = Tocantins...................21................ 9 = Paraná. Porcentagem de fisionomia savânica encontrada em cada região hidrográfica do bioma Cerrado............. 5 = Parnaíba. 2 = Parnaíba... 7 = Paraguai. Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e antrópica no estado de São Paulo...... Porcentagem de fisionomia florestal encontrada em cada região hidrográfica do bioma Cerrado.......... ...... Porcentagens de cobertura vegetal natural encontradas nas principais regiões hidrográficas do bioma Cerrado.. 1 = Atlântico Nordeste Oriental.. 2 = Atlântico Sudeste.. 7 = Paraguai... 6 = Amazônica......... 3 = Atlântico Leste.... 1 = Atlântico Nordeste Oriental....... e 10 = Tocantins......... e 10 = Tocantins. 9 = Paraná................ Porcentagem de fisionomia campestre encontrada em cada região hidrográfica do bioma Cerrado......... 3 = Atlântico Leste. 8 = São Francisco........ 8 = São Francisco.................. 2 = Atlântico Sudeste........... 6 = Amazônica.. 5 = Parnaíba........ 5 = Parnaíba.............................. .. 3 = Amazônica...... 5 = São Francisco....... 4 = Atlântico Nordeste Ocidental..... 25. Porcentagem de cobertura vegetal natural encontrada nas seguintes regiões hidrográficas do bioma Cerrado...... 7 = Paraguai....... 3 = Atlântico Leste...................... 72 71 70 70 69 67 Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 11 ................. 9 = Paraná...... ... 24.................................... 4 = Paraguai...... 23..... e 7 = Tocantins.... 26............. 22................... 6 = Paraná........... .. 6 = Amazônica.......... 4 = Atlântico Nordeste Ocidental....... 4 = Atlântico Nordeste Ocidental... 1 = Atlântico Nordeste Ocidental................... 2 = Atlântico Sudeste..... 1 = Atlântico Nordeste Oriental. 8 = São Francisco...

Inc.Lista de Siglas AGETOP AGMA CNPq CONABIO CONACER CPAC EMBRAPA ESRI ETM+ FAGRO GEF GPS IBGE IESA INPE MIR MMA MODIS Agência Goiana de Transportes e Obras Agência Ambiental do Estado de Goiás Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Comissão Nacional de Biodiversidade Comissão Nacional do Programa Cerrado Sustentável Centro de Pesquisa Agropecuária dos Cerrados Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Environmental Systems Research Institute. Mapeador temático realçado (Enhanced Thematic Mapper Plus) Fundação de Apoio à Pesquisa e ao Agronegócio Brasileiro Fundo para o Meio Ambiente Global (Global Environment Fund) Sistema de Posicionamento Global (Global Positioning System) Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Instituto de Estudos Sócio-Ambientais Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais Mapa-Índice Reduzido Minstério do Meio Ambiente Espectroradiometro Imageador de Resolução Moderada (Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer) PAD-DF Plano de Assentamento Dirigido do Distrito Federal Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 12 .

UFG UFU UTM Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros Região Hidrográfica Universidade Federal de Goiás Universidade Federal de Uberlândia Universal Transverse de Mercator Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 13 .PROBIO Projeto de Conservação e Utilização Sustentável da Diversidade Biológica Brasileira PNCV R.H.

áreas de pastagens nativas são computadas como cobertura vegetal natural.Blue) dos sistemas de vídeos coloridos.África. cobertura vegetação natural: área que apresenta cobertura vegetal original.Red). desta forma. estimular o desenvolvimento de atividades entre os setores público e privado e disseminar informações sobre diversidade biológica. A reconstituição da cor dos objetos presentes na imagem é obtida. sudeste da Ásia e Austrália.Green) e azul (B . Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 14 . foi um projeto do Ministério do Meio Ambiente e teve financiamento do Banco Mundial/GEF (Global Environment Facility). PROBIO: sigla para Projeto de Conservação e Utilização Sustentável da Diversidade Biológica. junto ao Programa Nacional da Diversidade Biológica PRONABIO. a identificar ações prioritárias. Para cada imagem. destina-se livremente uma das cores primárias R. mesmo que a maior parte dessas áreas sejam utilizadas para criação de gado. Segundo essa definição. G ou B. onde a soma das três cores primárias resulta no branco e. com ou sem a presença de atividade antrópica.Glossário bioma Cerrado: complexo vegetacional (grande biossistema subcontinental) que possui relações ecológicas e fisionômicas com outras savanas da América tropical e outros continentes . por um processo aditivo de cor. as combinações em pares. composição colorida RGB: processo computacional que consiste em combinar três imagens quaisquer com as três cores primárias vermelha (R . magenta (azul + vermelho) e amarela (verde + vermelho). verde (G . O PROBIO objetivou subsidiar o Governo Brasileiro. nas cores cian (azul + verde).

segmentação de imagens: subdivisão de uma imagem em regiões ou segmentos compostos por conjuntos de pixels espectralmente uniformes. shapefile: formato de arquivos do software ArcView da ESRI (Environmental Systems Research Institute. no tempo de processamento de segmentação e principalmente no número de classes de segmentação produzido. os quais possuem influência direta no número de polígonos gerados. linhas e/ou polígonos de uma determinada área de estudo. UTM (Universal Transverse de Mercator): tipo de sistema de projeção cartográfica. composto por um conjunto de arquivos que contém dados pontuais. As coordenadas UTM são denominadas E no sentido horizontal e N no sentido vertical. com valores apresentados em metros ou quilômetros ou em milhas. Inc. Nesse sistema. Os valores de similaridade e área devem ser escolhidos empiricamente e dependem das características espectrais do terreno em questão. que é o default do layout do software ArcView. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 15 .). os meridianos são paralelos entre si e perpendiculares aos paralelos (limitdos a 80º S e 84º N). A unidade de medida é métrica. Essa técnica requer que o usuário selecione os valores de similaridade e área (pixels).

implementada com recursos do PROBIO . O mapeamento de 172 recortes mostrou que 61% do bioma possuem cobertura vegetal natural (áreas com cobertura vegetal original.Projeto de Conservação e Utilização Sustentável da Diversidade Biológica Brasileira.000 e segmentadas no software SPRING 4. Esse número pode chegar a mais de 90% na porção norte do bioma (estado do Piauí) ou a menos de 15% no sul do bioma (estado de São Paulo). com 61%. Em termos de cobertura vegetal antrópica. vindo a seguir.0. é o segundo bioma brasileiro mais rico em biodiversidade e possui uma dinâmica acentuada em termos de sazonalidade e antropismo.000. pastagens cultivadas. respectivamente. Cada órbita/ponto corresponde a uma cena com 185 km x 185 km de extensão. de forma inédita. Os segmentos foram convertidos para o formato shapefile e posteriormente mapeados na tela do monitor de computadores. As imagens foram mosaicadas e recortadas segundo a articulação das folhas cartográficas do IBGE na escala de 1:250. Índices Kappa e de exatidão global indicaram precisão de mapeamento de 92 e 97%. com ou sem atividade antrópica). as seguintes classes foram mapeadas: cultura agrícola. Foi adquirido um conjunto com 121 órbitas/pontos do satélite Landsat ETM+ da estação seca de 2002. Para o mapeamento da cobertura vegetal natural. com 32% e 7%. a fisionomia savânica é a que predomina no bioma. reflorestamento. Tratou-se de uma iniciativa da Secretaria de Biodiversidade e Florestas do Ministério de Meio Ambiente. as fisionomias florestal e campestre. o mapeamento completo da cobertura vegetal do referido bioma na escala de 1:250. até ao nível de subformação. respectivamente. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 16 . Dentre as classes de cobertura vegetal natural. georreferenciadas para o sistema de projeção UTM e datum = SAD69. áreas urbanas e áreas degradadas por mineração.Resumo O bioma Cerrado ocupa mais de 200 milhões de hectares na porção central do Brasil. cobertura antrópica e massas de água. utilizou-se a legenda proposta pelo Sistema Brasileiro de Classificação da Vegetação Brasileira do IBGE. Esse estudo propôs efetuar. quando a legenda é analisada em termos de cobertura natural.

Esse relatório final enfatiza a abordagem metodológica e os principais resultados obtidos para o bioma Cerrado.1. foram abertos editais específicos para os seis biomas brasileiros (Amazônia. em 1992. o qual envolveu a formação de uma parceria entre o Ministério do Meio Ambiente (MMA). durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento (RIO-92).Projeto de Conservação e Utilização Sustentável da Diversidade Biológica Brasileira.000. é fundamental para o estabelecimento de políticas públicas e identificação de oportunidades para conservação e uso sustentável da nossa biodiversidade. Historicamente. Esse mapeamento irá subsidiar os compromissos assumidos pelo país. Introdução Iniciativa Em 2004. Além disso. apenas a Amazônia e a Mata Atlântica têm recebido programas permanentes de monitoramento da evolução da cobertura vegetal. Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Fundo para o Meio Ambiente Global (GEF) do Banco Mundial. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 17 . Pampa e Pantanal). Mata Atlântica. ano-base: 2002). Cerrado. Todos os biomas deveriam executar os seus respectivos mapeamentos temáticos utilizando os mesmos padrões em termos de legenda (Sistema Brasileiro de Classificação de Vegetação do Brasil) e base de imagens de satélite (Landsat ETM+. junto à Convenção da Diversidade Biológica e à Agenda 21. Caatinga. o governo brasileiro lançou um grande desafio para a comunidade técnico-científica do Brasil: mapear a cobertura vegetal do Brasil num nível de detalhe compatível com a escala de 1:250. implementada com recursos do PROBIO . O lançamento do referido desafio correspondeu a uma iniciativa da Secretaria de Biodiversidade e Florestas do Ministério de Meio Ambiente. mas também de todos os outros biomas brasileiros. o conhecimento da real situação em que se encontra a cobertura vegetal não só do Cerrado. Para isso.

estão todas situadas no bioma Cerrado. Apenas O Cerrado caracteriza-se como uma formação do tipo savana tropical. 1993. Piauí. savânicas. Maranhão. que engloba áreas com predomínio de espécies herbáceas e algumas arbustivas. Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e Parque Nacional das Emas no estado de Goiás). Nesse nível. em diferentes proporções. de formações herbáceas. predominam. composto por três formações: florestais. Regiões como Luís Eduardo Magalhães na Bahia. regional e estadual. mas sem a presença de árvores na paisagem. obtido com a integração de diferentes sistemas sensores. conhecidos pela sua elevada produtividade e intensa mecanização. no bioma em questão. a região do Cerrado aparece subdividida em três classes: campos. Em termos de cultura agrícola. Mato Grosso.9 milhões de hectares (IBGE. os extensos plantios de soja. Engloba parte dos seguintes estados brasileiros: Bahia. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 18 . com formação de dossel contínuo ou descontínuo e predomínio de espécies arbóreas. O bioma Cerrado é um complexo vegetacional. Apenas 0. Mato Grosso do Sul. Minas Gerais. (2004) que produziram um mapa de cobertura de solo da América do Sul utilizando uma escala de mapeamento definida por sistemas sensores orbitais com resolução espacial de 1 km.85% de sua área é integralmente protegida na forma de unidades de conservação (por exemplo. São Paulo e Tocantins. arbustivas e arbóreas (Eiten. savanas e agricultura. Ribeiro e Walter. destaca-se o trabalho desenvolvido por Eva et al. sem a formação de dossel contínuo. embora também se estenda até o litoral nordeste do estado do Piauí e norte do estado do Paraná (Figura 1). com destacada sazonalidade e presença. além do Distrito Federal. feijão. O trabalho apresenta um mapa continental com nível de generalização 1. café e cana-de-açúcar. e campestre. Goiás. milho. As iniciativas de mapeamento da cobertura vegetal natural e uso antrópico no bioma em questão podem ser divididas em três escalas: continental. A nível continental. algodão. Jataí e Rio Verde em Goiás e Lucas do Rio Verde e Sinop em Mato Grosso. 1998). com presença de áreas com árvores e arbustos espalhados sobre um estrato graminoso.O bioma Cerrado O bioma Cerrado possui uma área de 205. 2004) e ocupa a porção central do Brasil. Paraná.

2004). os dados divulgados por Machado e colaboradores constituiam-se nos dados mais recentes relativos a antropização do Cerrado Em termos estaduais. Nesse estudo.Figura 1. os autores estimaram que cerca de 55% do Cerrado tinham sido desmatados até o ano de 2002. baseado na análise de imagens do Landsat. Os autores ressaltaram ainda que essa porcentagem pode estar subestimada em função da resolução espacial relativamente grosseira do sensor MODIS. a Conservação Internacional lançou os resultados da análise de imagens do sensor Terra/MODIS (Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer. Mantovani e Pereira (1998). Esses últimos autores não apresentaram nenhum resultado em forma de mapa temático. Cerrado não-antropizado. destacam-se os trabalhos desenvolvidos pelas Secretarias Estaduais de Goiás e de São Paulo e pelo Instituto Estadual de Florestas de Minas Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 19 . Localização do bioma Cerrado no Brasil. estimaram a integridade da cobertura vegetal do Cerrado relacionando-a com quatro graus distintos de antropização: não-cerrado. Até a presente data. resolução espacial de 250 metros) do Cerrado (Machado et al. Cerrado antropizado e Cerrado fortemente antropizado. Em 2004.. A nível regional.

mais especificamente na seguinte página eletrônica: http://www. Em termos de fitofisionomias do Cerrado.go. GO. o que corresponde a 14% do estado. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 20 . 2005). foram mapeados cerca de 3. Nesse estudo.Gerais/Universidade Federal de Lavras. Nesse estudo. 2006). isto é. foram encontrados 210. cerca de 9.000 hectares de encraves.85% da superfície estadual. A Agência Ambiental (AGMA) e a Agência Goiana de Transportes e Obras (AGTOP) de Goiás concluíram recentemente o levantamento de cobertura vegetal do referido estado. com dados precisos sobre a fragmentação que a cobertura vegetal original sofreu nos 500 anos de ocupação do território paulista.gov. para o ano-base de 2003. A Universidade Federal de Lavras coordenou o trabalho intitulado “Mapeamento e Inventário da Flora Nativa e dos Reflorestamentos do Estado de Minas Gerais” (Scolforo e Carvalho.500 hectares de Floresta Estacional Semidecidual e mais de 117. (2005) durante o XII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto em Goiânia.br. foram encontrados. verão e inverno (Carvalho.5 milhões de hectares de vegetação natural. 0.sieg. Tais dados foram obtidos com base na análise de imagens do satélite Landsat de primavera.000 hectares. O Instituto Florestal da Secretaria Estadual do Meio Ambiente de São Paulo produziu um diagnóstico da situação da cobertura vegetal do estado. Os resultados estão disponíveis no atlas denominado de “Inventário Florestal da Vegetação Natural do Estado de São Paulo” ou no trabalho apresentado por Kronka et al. Os dados estão disponíveis na página eletrônica correspondente ao Sistema Estadual de Estatística e de Informações Geográficas de Goiás.

Gerar cartas-imagem do bioma Cerrado segundo as quadrículas do DSG e IBGE na escala de 1:250. Objetivos A seguir.000. Interpretar os mosaicos de imagens do Landsat. Elaborar mapa síntese do bioma Cerrado. são listados os principais objetivos geral e específicos que nortearam esse estudo: Objetivo geral Produzir mapa de remanescentes da cobertura vegetal e de uso da terra do bioma Cerrado na escala de 1:250. Objetivos específicos Elaborar mapa-índice e relatório das iniciativas existentes. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 21 . além de reunir os principais mapeamentos existentes da área de estudo (mapas-zero). e Gerar informações que subsidiem o PROBIO em suas atribuições referentes à conservação e utilização sustentável da diversidade biológica do Brasil.2.000.

000 (arquivo digital. c) mapa de desmatamento do estado de Mato Grosso. Mapas finais de cobertura vegetal na escala de 1:250.3.000.000.000. b) cobertura vegetal do estado de Goiás na escala de 1:250. No DVD # 2. são encontradas as cartas-imagem do bioma Cerrado. Produtos entregues Os seguintes produtos estão sendo entregues ao contratante. na escala de 1:250. junto com esse relatório final: Mapa-índice das iniciativas existentes (papel A0 e arquivo digital em formato shapefile). no formato pdf. e d) cartas de serviço do projeto RADAMBRASIL na escala de 1:250. Os seguintes shapefiles foram incluídos nessa mídia: a) cobertura vegetal atualizada da Amazônia Legal. O DVD # 1 contém os shapefiles mais importantes que estavam disponíveis no início do projeto ou que foram disponibilizados durante a execução do mesmo.000. O DVD # 4 contém os arquivos digitais para impressão em papel A0. formato pdf). Cartas-imagem do bioma Cerrado na escala de 1:250.000. são encontrados os shapefiles correspondentes ao mapeamento final da cobertura vegetal do bioma Cerrado na escala de 1:250. e Mapa-síntese (mosaico de cartas 1:250.000 correspondente aos mapas finais) (papel A0 e arquivo digital em formato shapefile). No DVD # 3. articulados de acordo com as folhas topográficas do IBGE (papel A0 e arquivos digitais em formatos shapefile e pdf – portable document format). Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 22 . Planilhas eletrônicas referentes a dados municipais do Censo Agropecuário do IBGE de 1995/96 também estão incluídas nesse pacote.

4. As florestas-de-galerias. Legenda A legenda do mapeamento é composta por dois grupos principais de cobertura vegetal. reflorestamento (R). não são separadas nesse sistema de classificação. e Savana Gramíneo-Lenhosa (Sg). portanto. é importante destacar o conceito que o PROBIO está utilizando para o termo “cobertura vegetal natural”: “cobertura vegetal natural corresponde àquelas áreas que apresentam vegetação original. Savana Arborizada (Sa). pode-se ter a Savana Arborizada sem floresta-de-galeria (Sas) ou a Savana Arborizada com floresta-de-galeria (Saf). pelas suas dimensões. Tais áreas de regeneração também foram computadas no grupo de cobertura vegetal natural. pastagem plantada (Ap). numa determinada área. Aqui. Nesse sistema. 1992). sendo consideradas. nesse presente estudo. As seguintes classes compõem o grupo de cobertura vegetal antrópica: cultura agrícola (Ac). área com influência urbana (Iu) e área degradada por mineração (Im). cerca de 28 milhões de hectares de pastagens nativas computadas pelo Censo Agropecuário do IBGE de 1995/1996 (Sano et al. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 23 . define as subformações vegetais. como sendo cobertura vegetal natural. como componentes do Cerrado. a antrópica (Quadro 1) e a natural (Quadro 2). o Cerrado propriamente dito foi subdividido em quatro subgrupos de formação: Savana Florestada (Sd).. De acordo com essa definição. Por exemplo. A presença ou ausência delas. Savana Parque (Sp). Outro aspecto que merece ser ressaltado é o caso da vegetação em regeneração (Vs) que aparece principalmente ao longo da região de transição com o bioma da Amazônia. A legenda referente à cobertura vegetal natural foi baseada no Sistema Brasileiro de Classificação da Vegetação Brasileira (IBGE. 2001) foram contabilizadas. independentemente da existência ou não de algum tipo de uso antrópico”.

em especial. 2007). 2005. a equivalência se dá com o Parque de Cerrado e. variados graus de umidade e fertilidade de solo. eventualmente. ela não foi adotada aqui por não ser extrapolável para outros biomas. Embora a classificação proposta por Ribeiro e Walter (1998) seja bastante utilizada em estudos que envolvem análise de imagens de satélite (por exemplo. olhos d’água ou circundando veredas e bordas de matas de galeria.Quadro 1. a Savana Arborizada corresponde ao tipo fitofisionômico denominado Cerrado Sentido Restrito e. A Savana Gramíneo-Lenhosa é caracterizada pela presença de um número pequeno de arbustos e subarbustos e ausência completa de árvores (Sano et al.. como Campo Sujo e Campo Rupestre. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 24 . Essa fisionomia pode ser encontrada em diferentes posições topográficas. com Vereda. a Savana Parque equivale aos subtipos definidos como Cerrado Ralo e Cerrado Rupestre e. Classe Cultura agrícola Pastagem cultivada Reflorestamento por Pinus ou eucalipto Área com influência urbana Área degradada por mineração Im Iu Símbolo Ac Ap R A título de comparação com o sistema proposto por Ribeiro & Walter (1998). Nos terrenos bem drenados. chapadas. às vezes. 2007). Nos terrenos mal drenados. Ferreira et al. principalmente sobre encostas.. Sano et al. Síntese da legenda do mapeamento de cobertura vegetal antrópica do bioma Cerrado. Campo Sujo Úmido e Campo Sujo com Murundus. aos subtipos Cerrado Denso e Cerrado Típico.

Síntese da legenda do mapeamento de cobertura vegetal natural do bioma Cerrado.Quadro 2. Região Fitoecológica Floresta Ombrófila Densa (D) Floresta Ombrófila Aberta (A) Floresta Ombrófila Mista Floresta Estacional Semidecidual (F) Nível de Formação Aluvial Submontana Aluvial Submontana Montana Aluvial Terras baixas Submontana Montana Floresta Estacional Decidual (C) Terras baixas Submontana Montana Florestada Savana (S) Arborizada Parque Gramíneolenhosa Florestada Arborizada Savana Estépica (T) Parque Gramíneolenhosa Vegetação Secundária (Vs) Refúgios Vegetacionais Sem floresta de galeria Com floresta de galeria Sem floresta de galeria Com floresta de galeria Sem floresta de galeria Com floresta-de-galeria Sem floresta de galeria Com floresta de galeria Sem floresta de galeria Com floresta de galeria Sem floresta de galeria Com floresta de galeria Nível de Subformação Símbolo Da Ds Aa As Mm Fa Fb Fs Fm Cb Cs Cm Sd Sas Saf Sps Spf Sgs Sgf Td Tas Taf Tps Tpf Tgs Tgf Vs r No bioma em questão. foram mapeadas outras unidades pertencentes às seguintes regiões fitoecológicas: Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 25 .

ou de 24 a 32º de latitude sul. elevação variando em torno de 50 a 500 metros. elevação variando em torno de 500 a 1.submontana (Ds). de 4º de latitude norte a 16º de latitude sul.a) Floresta Ombrófila Densa (floresta tropical pluvial): . elevação variando em torno de 100 a 600 metros). elevação variando em torno de 5 a 30 metros. ou de 16 a 24º de latitude sul. b) Floresta Ombrófila Aberta (faciações da Floresta Ombrófila Densa): . elevação variando em torno de 30 a 400 metros. e .terras baixas (Fb).aluvial (Aa). ou de 16 a 24º de latitude sul. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 26 . ao longo dos flúvios. ou de 24 a 32º de latitude sul. de 4º de latitude norte a 16º de latitude sul. elevação variando em torno de 5 a 100 metros.000 metros. d) Floresta Estacional Semidecidual (Floresta Tropical Subcaducifólia): . . ou de 24 a 32º de latitude sul.submontana (Fs).submontana (As). elevação variando em torno de 50 a 500 metros.500 metros. ao longo dos flúvios (Da). elevação variando em torno de 100 a 600 metros. e . elevação variando em torno de 5 a 50 metros. elevação variando em torno de 100 a 600 metros. elevação variando em torno de 30 a 400 metros. elevação variando em torno de 400 a 1. de 16º a 24º de latitude sul.aluvial (Da).aluvial (Fa). ou de 16 a 24º de latitude sul. . c) Floresta Ombrófila Mista (floresta de araucária): . ou de 24 a 32º de latitude sul. de 4º de latitude norte a 16º de latitude sul. ao longo dos flúvios.Montana (Mm). de 4º de latitude norte a 16º de latitude sul.

. de 4º de latitude norte a 16º de latitude sul. de 4º de latitude norte a 16º de latitude sul. elevação variando em torno de 600 a 2. ou de 16 a 24º de latitude sul. de 4º de latitude norte a 16º de latitude sul. ou de 16 a 24º de latitude sul. Campos de Roraima. elevação variando em torno de 500 a 1. elevação variando em torno de 50 a 500 metros. e . Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 27 . elevação variando em torno de 500 a 1. . ou de 16 a 24º de latitude sul.terras baixas (Cb). f) Savana Estépica (Caatinga do sertão árido. . elevação variando em torno de 100 a 600 metros. elevação variando em torno de 50 a 500 metros. e) Floresta Estacional Decidual (Floresta Tropical Caducifólia): . de 4º de latitude norte a 16º de latitude sul.gramíneo-lenhosa. g) Formações Pioneiras: . . elevação variando em torno de 30 a 300 metros. elevação variando em torno de 400 a 1.arborizada.000 metros. Chaco sulmatogrossense e Parque de Espinilho da Barra do rio Quarai): .000 metros.montana (Fm). ou de 24 a 32º de latitude sul.000 metros. sem floresta de galeria (Tas) ou com floresta de galeria (Taf).500 metros. ou de 24 a 32º de latitude sul. ou de 16 a 24º de latitude sul. sem floresta de galeria (Tgs).000 metros.florestada (Td). elevação variando em torno de 100 a 600 metros. elevação variando em torno de 30 a 400 metros.parque. elevação variando em torno de 400 a 1. elevação variando em torno de 600 a 2. sem floresta de galeria (Tps) ou com floresta de galeria (Tpf).. ou de 24 a 32º de latitude sul.com influência marinha (restinga) (Pm).500 metros. ou de 24 a 32º de latitude sul.submontana (Cs).montana (Cm).

Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 28 . Com o intuito de reduzir o número total de classes de cobertura vegetal no bioma Cerrado. evitouse o uso de representações convencionais de classes que ocorrem ao longo de contatos ou tensões ecológicas com outros biomas.. o termo SNc/Sd + Fs foi simplificado para Sd.com influência flúviomarinha (Pf). Por exemplo. As outras classes de cobertura vegetal que completaram a legenda desse trabalho foram a Vegetação Secundária (Vs). e .com influência fluvial e/ou lacustre (Pa). que é a classe dominante nesse tipo de representação. a qual ocorrem próximo ao bioma Amazônia e as áreas de refúgios vegetacionais (r). Todas as áreas de Vs encontradas no bioma Cerrado foram contabilizadas no grupo de cobertura vegetal natural.

disponíveis nas três instituições executoras desse trabalho. foi dada ênfase para a operação das principais funções de processamento.5. destacam-se a: a) Geração do mapa-zero.gov.0.br/portalbio. Método Dentre os outros grandes grupos de atividades que foram desenvolvidas. a qual ocorreu em dezembro de 2006 e encontra-se disponível no portal de biodiversidade e florestas do MMA: http://www. o ENVI 4. e g) Validação do mapeamento. b) Aquisição de imagens Landsat ETM+. Os principais pacotes computacionais de processamento de imagens e de sistema de informações geográficas que foram utilizados nesse estudo foram o SPRING (Sistema de Processamento de Informações Georreferenciadas. o interessado deve Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 29 . o ArcView 3. 1998). Nesse treinamento. d) Processamento e análise dos mosaicos do Landsat. foi contratado um consultor para ministrar treinamento em Geoprocessamento aos bolsistas e técnicos envolvidos no processamento de imagens. No início do projeto.0™ (The Environment for Visualizing Images). conforme previstas na proposta aprovada pelo PROBIO. c) Mosaicagem e recorte de imagens Landsat ETM+ . e) Trabalhos de campo.2 e o ArcGIS 9. arquivos em formato pdf para impressão em tamanho A0 e elaboração da nota técnica e do relatório final. f) Geração de arquivos em formato shapefile. Uma nota técnica foi preparada para acompanhar a divulgação dos resultados alcançados pelos seis biomas. Após acessar esse site.mma. Câmara et al.. análise e estruturação de dados georreferenciados do Cerrado.

Esse sensor foi selecionado por apresentar: resolução espacial de 30 metros.000. confiabilidade na aquisição de dados em termos de qualidade radiométrica e geométrica. na opção “Cobertura Vegetal dos Biomas Brasileiros”. faixa de imageamento relativamente extensa de 185 km. Cenas adicionais foram adquiridas posteriormente para minimizar o efeito de cobertura de nuvens em algumas cenas. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 30 . foram identificados e selecionados com base em consultas realizadas em bibliotecas de instituições de ensino e pesquisa. Mapas-zero A primeira grande atividade desenvolvida nesse projeto correspondeu à identificação dos mapas-zero. Aquisição de Imagens Landsat ETM+ A base de imagens de sensoriamento remoto desse projeto foi composta por um conjunto de 121 órbitas/pontos do satélite norte-americano Landsat ETM+. georreferenciadas para o sistema de projeção UTM (Universal Transverse de Mercator) e datum = SAD´69. tanto em formato digital como em formato analógico. O conjunto de imagens do Cerrado foi adquirido pelo PROBIO junto ao INPE e disponibilizado ao coordenador no início do projeto. em torno de R$ 1. compatível com a escala de mapeamento (1:250.00/cena. contatos telefônicos a secretarias estaduais e pesquisas na rede mundial de computadores (bibliotecas virtuais).000). posteriormente.“clicar” na opção “Biodiversidade Brasileira” e. Os mapas-zero referem-se àquelas iniciativas mais importantes de mapeamento de uso e cobertura vegetal que estavam disponíveis para o bioma Cerrado no início desse projeto ou que foram concluídos durante a execução desse estudo. o que evita a necessidade de aquisição de um número relativamente elevado de cenas. e custo relativamente baixo de aquisição. Os mapas mais importantes.

Gera-se então. uma intensidade de cor correspondente à intensidade de brilho daquele pixel. pastagens secas. infravermelho médio (1. Para cada imagem. A banda 4 (infravermelho próximo) representa a região que apresenta picos máximos de reflectância das folhas verdes. onde a soma das três cores primárias resulta no branco e. foram necessárias a aquisição de duas ou mais cenas para minimizar o problema de presença de nuvens. Em alguns casos. solo exposto.76 – 0. solo coberto com palhada seca. magenta (azul + vermelho) e amarela (verde + vermelho).90 µm). G ou B. verde (G Green) e azul (B . nas cores cian (azul + verde). setembro e outubro. O Quadro 3 mostra as datas de imagens analisadas para cada cena. Por problemas de cobertura de nuvens. A vegetação verde e sadia absorve quantidade máxima de radiação eletromagnética na faixa espectral do vermelho (banda 3). Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 31 . A técnica de realce por composição colorida RGB consiste em combinar três imagens quaisquer com as três cores primárias vermelha (R .Red). correspondentes aos canais de vídeo RGB. desta forma. uma LUT (look-up table) que destina. respectivamente.55 – 1. áreas urbanas e culturas agrícolas com exposição predominante do componente solo). por exemplo. No processo para obtenção de uma composição colorida. A banda 5 do Landsat (faixa do infravermelho médio) é útil para a discriminação de alvos sem cobertura vegetal (por exemplo. três bandas são inicialmente carregadas na memória de uma unidade de visualização. o que corresponde à estação seca no referido bioma. através dos três canhões de cores do tubo de elétrons. para as órbitas/pontos 218/73 e 224/72. as combinações em pares. as quais obtém imagens nas faixas espectrais do infravermelho próximo (0.Toda a análise de imagens foi baseada na composição colorida RGB das bandas 4. 33% do total das imagens exigiram a utilização de uma combinação de duas cenas da mesma área. A imagem digital é então convertida para a forma analógica para ser exposta no monitor de vídeo colorido. A maioria das cenas foram adquiridas em agosto. A reconstituição da cor dos objetos presentes na imagem é obtida. por um processo aditivo de cor. destina-se livremente uma das cores primárias R.63 – 0. identificada em termos de órbita e ponto.69 µm). relacionada com atividades fotossintéticas. 5 e 3.75 µm) e vermelho (0. para cada pixel da banda armazenada naquele canal.Blue) dos sistemas de vídeos coloridos.

Datas das imagens do satélite Landsat utilizadas para a elaboração do mapa de cobertura vegetal do bioma Cerrado. 229 228 227 226 225 224 223 222 221 220 219 218 217 62 62 21/06 24/08 17/08 23/06 26/08 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 229 228 227 16/08 05/10 11/08 12/09 12/09 08/06 15/10 28/09 28/09 28/09 28/09 28/09 04/08 20/08 04/08 20/08 04/08 05/09 08/11 04/08 04/08 21/09 21/09 12/07 16/10 17/09 17/11 17/09 17/11 17/11 26/06 26/06 16/10 30/09 30/09 28/07 01/11 22/08 22/08 22/08 22/08 21/07 19/06 22/08 22/08 06/08 31/03 03/06 03/06 06/08 06/08 06/08 28/06 28/06 21/12 21/12 02/10 20/10 16/09 15/08 11/02 15/08 15/08 02/10 02/10 03/11 24/08 24/08 24/08 11/10 11/10 11/10 07/07 11/10 11/10 11/10 11/10 11/10 11/10 25/09 11/10 11/10 02/09 20/10 17/08 13/05 20/10 13/05 20/10 13/05 18/09 30/06 02/09 02/09 18/09 18/09 20/10 20/10 20/10 02/09 02/09 02/09 22/05 26/08 13/10 03/05 20/05 26/08 13/10 20/04 10/08 13/10 09/07 13/10 20/04 13/10 20/04 13/10 20/04 13/10 09/07 13/10 27/09 13/10 13/10 13/10 13/10 07/06 13/10 06/10 29/04 06/10 29/04 06/10 29/04 06/10 22/10 29/04 09/09 06/10 28/03 03/08 22/10 02/07 09/09 06/10 02/07 09/09 06/10 63 64 65 66 67 68 69 70 21/03 15/10 15/10 13/09 04/10 20/06 15/10 16/08 25/08 03/09 31/07 25/08 05/10 17/07 26/09 01/07 71 72 73 74 75 76 77 226 225 224 223 222 221 220 219 218 217 . Ano = 2002. Valores entre 62 a 76 representam os pontos nesse mesmo Sistema.Quadro 3. Valores entre 217 a 229 representam as órbitas do Landsat no Sistema de Referência Mundial.

a região de estudo (por exemplo.8 milhões de hectares. Cada carta possui uma área de 1º x 1. Processamento e Análise de Imagens Todos os recortes foram processados através da técnica de segmentação de imagens por crescimento de regiões. realiza-se a união entre elas. O recorte da imagem consiste em delimitar. Inicialmente. através do uso de uma máscara. divide-se a imagem em um conjunto de subimagens e.. então.0. A seguir. o que equivale a uma área em torno de 1. Os pixels da imagem que não fazem parte da região de estudo passam a ser desconsiderados a partir dessa função. são analisadas as médias de cada subimagem. Essa técnica corresponde a um método estatístico baseado na função de distribuição cumulativa (Shimabukuro et al. O Anexo 1 apresenta as correspondências dessas cartas com os seus respectivos índices de nomenclatura e nome das folhas. 1991). O Anexo 2 mostra o passo-a-passo referente não .Mosaicagem e Recorte de Imagens Landsat ETM+ A mosaicagem de imagens foi efetuada por meio do uso da técnica de equalização de histogramas. 2002) e está disponível nos principais softwares de processamento digital de imagens como o ENVI™.5º. a máscara correspondeu aos limites das cartas planialtimétricas do IBGE ou do DSG.. disponível no aplicativo SPRING 4. Para isso. Nesse estudo.000. O processo de segmentação de imagens consiste em dividir uma imagem em regiões ou segmentos compostos por conjuntos de pixels adjacentes espectralmente uniformes (Earthal et al. uma bacia hidrográfica ou um limite municipal). a técnica de segmentação considera cada pixel de uma imagem como sendo uma região distinta. A Figura 2 mostra a localização dos recortes de imagens no bioma Cerrado com os seus respectivos índices (MIR – Mapa Índice Reduzido). A referida equalização agrupa duas ou mais imagens considerando-se uma delas como sendo a imagem referência. Foram elaborados 172 recortes na escala de mapeamento de 1:250. segundo um limiar de agregação preestabelecido.

Em função da escala de mapeamento proposto pelo edital do PROBIO.000.somente à segmentação de imagens. Localização e identificação de recortes de imagens no bioma Cerrado. cada segmento foi associado a uma determinada classe de cobertura vegetal natural ou antrópica. 105 126 149 172 199 226 252 278 302 317 336 337 354 370 386 318 338 355 371 387 403 339 356 372 388 404 340 357 373 389 405 419 432 443 456 469 481 444 457 470 482 445 458 471 483 358 322 342 359 374 375 390 406 420 433 446 459 472 484 391 407 421 434 447 460 473 485 486 497 506 303 323 343 360 376 392 408 422 435 448 461 253 279 304 324 344 361 377 393 409 423 436 449 462 475 487 498 507 173 200 227 254 280 305 325 345 362 378 394 410 424 437 450 463 476 488 499 174 201 228 255 281 306 326 346 363 379 395 411 425 438 451 464 477 150 175 202 229 256 282 307 327 347 364 380 396 412 426 439 452 465 106 127 151 176 203 230 257 283 308 328 348 365 381 397 413 427 440 453 107 128 398 Figura 2. Os polígonos gerados pela segmentação de imagens foram convertidos para o formato shapefile e exportados para o software ArcView GIS 3.000. Nesse aplicativo. Esse mapeamento foi feito diretamente no monitor da tela de computador. conforme mencionado anteriormente. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 34 . mas também para o recorte de imagens.2. através da sobreposição do recorte de imagem com o mapa vetorial de segmentação e utilizando-se uma escala de visualização de aproximadamente 1:50. Os números correspondem aos respectivos MIR (Mapa Índice Reduzido) das cartas planialtimétricas do IBGE/DSG na escala de 1:250.

a textura e as formas geométricas dos alvos são conceitos visuais interrelacionados que auxiliam a percepção e o reconhecimento de objetos e feições no terreno (Rosa. como são as áreas de reflorestamento (Figura 3c). Áreas agrícolas com predomínio de solo exposto ou palhada seca (Figura 3b) apresentam padrões róseo ou esbranquiçado. alvos com cobertura vegetal pouco densa como são os casos de pastagens cultivadas (Figura 3a) apresentam coloração esverdeada. A textura pode variar de lisa a rugosa e depende não só das características dos alvos. a tonalidade. as feições naturais geralmente tendem a apresentar formas irregulares. aparecem com coloração vermelho-escuro. onde cada alvo reflete a radiação eletromagnética incidente com intensidade distinta. A Figura 3 mostra exemplos de como alguns alvos agrícolas representativos do Cerrado aparecem nas composições coloridas RGB. enquanto que feições antrópicas frequentemente apresentam padrões geométricos regulares. mas também da resolução do sistema sensor e da escala de trabalho. Em termos de forma geométrica. fruto da alta reflectância das folhas verdes na faixa espectral do infravermelho próximo. O Quadro 4 ilustra um modelo de chave de interpretação que foi utilizado nessa etapa do trabalho. A Figura 4 mostra exemplos de imagens de satélite com texturas lisa e rugosa. enquanto áreas com cobertura vegetal densa. isto é. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 35 . A tonalidade é a responsável pelas variações nas cores numa composição colorida.polígonos com dimensões inferiores a 40 hectares foram englobados na classe adjacente maior. Nessa composição. 2007). Todos os elementos de fotointerpretação mencionados aqui. A tonalidade está relacionada com o comportamento espectral dos alvos. em diferentes faixas de comprimento de onda. texturais e geométricas das classes de mapeamento presentes no bioma Cerrado. Essa chave incluiu a definição das características tonais. Uma chave de interpretação das composições coloridas foi construída para orientar os técnicos envolvidos na análise de imagens. A textura corresponde ao padrão de arranjo espacial dos elementos texturais (menor feição contínua e homogênea distinguível em uma imagem de satélite e passível de repetição). Um exemplo clássico de feição regular são as áreas irrigadas por sistema de irrigação por pivô-central (Figura 5).

forma geométrica: regular A última etapa de análise de imagens correspondeu ao ajuste de bordas entre duas cartas adjacentes. forma geométrica: irregular Savana gramínio-lenhosa Padrão de cor: verde (Sg) claro. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 36 .Quadro 4. 1990). Classe de Cobertura Vegetal Savana arborizada (Sa) Padrões Característicos de Interpretação Padrão de cor: vermelho brilhante. textura: intermediária a lisa. forma geométrica: irregular Exemplo numa Composição Colorida RGB/453 Pastagem cultivada (Ap) Padrão de cor: verde azulado. Exemplo de chave de interpretação utilizado para o mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado. forma geométrica: irregular Savana parque (Sp) Padrão de cor: verde escuro. Todo o trabalho de processamento e análise de imagens pelos bolsistas e técnicos envolvidos no projeto passou por uma auditoria detalhada por parte do coordenador técnico. Esse ajuste de mapeamento é necessário pois é comum uma classe de mapeamento extrapolar os limites de uma carta topográfica ou de uma imagem de satélite (Star e Estes. textura: intermediária a rugosa. textura: intermediária. textura: intermediária a rugosa.

Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 37 . (a) Pastagem cultivada. Exemplos de composições coloridas RGB/453 do satélite Landsat ETM+ sobre algumas áreas agrícolas do bioma Cerrado. e (c) Reflorestamento. (b) Cultura agrícola.(a) (b) (c) Figura 3.

mostrando áreas com textura lisa (a) e rugosa (b). Exemplos de composições coloridas RGB/453 do satélite Landsat ETM+ da região de Barreiras/Bahia.(a) (b) Figura 4. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 38 .

com o auxílio de fotografias digitais. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 39 . No campo. Posteriormente. Exemplo de composição colorida RGB/453 do satélite Landsat ETM+ da região de Cristalina/MG mostrando áreas circulares no recorte de imagem.Figura 5. Cadernetas de campo foram ainda utilizadas para se anotar detalhes de cobertura vegetal como porte. foi feita a conversão para o sistema do IBGE. Trabalhos de Campo Os trabalhos de campo na porção norte do bioma foram realizados em expedições curtas (1-3 dias) nas regiões agrícolas de Barreiras/BA. estrutura e identificação da classe. pois a maioria dos técnicos possuíam maior experiência com esse referido sistema. além das condições topográficas de ocorrência. associado a sistema de irrigação por pivô-central. Diversas coordenadas geográficas com receptores GPS (Global Positioning System) foram registradas durante as campanhas de campo. redor do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (PNCV). PAD-DF (Plano de Assentamento Dirigido do Distrito Federal) e na região com predomínio de cobertura vegetal natural. utilizou-se o sistema de classificação proposto por Ribeiro e Walter (1998).

foram realizados três trabalhos de campo. Pirapora. nos meses de agosto/setembro (26/08/05 a 02/09/05) – Campo 1. Bahia e na bacia do rio Preto (parte da bacia situada no Distrito Federal) para refinamento da chave de interpretação das principais culturas agrícolas de sequeiro encontradas no Cerrado. Patrocínio. Uma outra etapa de campo foi conduzida em novembro de 2005 para caracterizar. Morro do Garimpão. Paracatu. Araguari e retorno a Uberlândia. Patos de Minas. Chapada Gaúcha. norte e oeste de Minas Gerais). Januária. Janaúba. Os trabalhos de campo ficaram concentrados nos seguintes pontos de acesso no interior do parque: Mirante da Serra do Santana. outras classes de cobertura vegetal natural. Colina do Sul. Trilha da Corredeira e rodovia que interliga a vila de São Jorge à sede do município de Alto Paraíso de Goiás. novembro (05 a 12/11/05) – Campo 2 e dezembro (03 a 08/12/05) – Campo 3 (Figura 7). elucidação de dúvidas de interpretação de imagens e principalmente para elaborar chave de interpretação para separar áreas com pastagens cultivadas de áreas naturais com predomínio da formação gramíneo-lenhosa. Unaí.No período de 13 a 14 de maio de 2005. Cavalcante. Montes Claros. no campo. Nova Roma e Teresina de Goiás. O PNCV ocupa uma área de 65. foram identificadas as principais fitofisionomias do Cerrado presentes no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (PNCV). Os seguintes municípios foram contemplados nesse novo trabalho de campo (Figura 6): Alto Paraíso. Um total de 16 pontos foi visitado nos dois dias de campo. Serra da Boa Sorte. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 40 . mediante autorização do IBAMA (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis). Na parte sul do Cerrado. Nos meses de abril e dezembro de 2005. Coromandel. No Campo 1 (Alto Paranaíba.514 hectares e situa-se nos municípios de Cavalcante e Alto Paraíso de Goiás. Manga. foram realizadas campanhas de campo na região de Luís Eduardo Magalhães. São João da Aliança. foram percorridas as rodovias que ligam as seguintes localidades: Uberlândia. Monte Carmelo.

+
CA TG

+

NR

+

+
CS

+

+
JG

+

+

AP

SJ

+ + ++ +

c
Figura 6. Roteiro de trabalho de campo na região próxima ao Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, Goiás para verificação de padrões espectrais e de campo das principais fitofisionomias presentes na região. As linhas amarela e azul representam as curvas de nível e as rodovias principais, respectivamente. Em vermelho, os pontos de amostragem de campo. As sedes municipais estão representadas em círculos pretos (SJ = São João d’Aliança; AP = Alto Paraíso; JG = São Jorge (vila); CS = Colina do Sul; NR = Nova Roma; TG = Terezinha de Goiás; e CA = Cavalcante).

No Campo 2 (Triângulo Mineiro, São Paulo, sul e centro de Minas Gerais), o trajeto dos trabalhos de campo envolveu as seguintes localidades: Uberlândia, Uberaba, Ribeirão Preto, Franca, Passos, Formiga, Divinópolis, Itaúna, Pará de Minas, Sete Lagoas, Curvelo, Diamantina, Pompeu, Martinho Campos, Luz, Campos Altos, Ibiá, Araxá e Uberlândia. No Campo 3 (Triângulo Mineiro, sul e oeste de Goiás), a equipe partiu de Uberlândia, com destino a Araguari, Caldas Novas, Goiânia, Acreúna, Quirinópolis, Paranaiguara, Santa Vitória, Ituiutaba, Monte Alegre e retorno a Uberlândia.

Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado

41

Figura 7. Roteiro dos trabalhos de campo na porção sul do bioma Cerrado. Cada equipe de campo era composta por quatro participantes: motorista, fotointérprete, operador de GPS e um responsável pelos registros das informações levantadas. O material básico utilizado foram as cartas-imagem com buffer de 5 km de cada um dos lados das rodovias que seriam percorridas. Com o carro em velocidade reduzida (aproximadamente 60 km/h) o foto-intérprete anotava sobre as cartas-imagem, códigos previamente estabelecidos para cada uma das diferentes feições visíveis na imagem. Posteriormente e em laboratório, este código foi comparado com os mapas que estavam sendo elaborados. Os trabalhos de campo nas duas porções do Cerrado tiveram, como objetivos, checar “in loco” e validar as diferentes categorias de cobertura vegetal e uso antrópico que estavam sendo mapeadas a partir de imagens do Landsat, avaliar a chave de foto-interpretação e obter registro fotográfico das diferentes categorias. As categorias mapeadas foram: florestas, Cerradão, Cerrado, Campo Sujo, Campo Limpo, Campo Rupestre, reflorestamento, culturas irrigadas, áreas agrícolas diversas, pastagens, áreas de influência urbana, áreas de influência mineral e massa d’água. O Anexo 3 traz exemplos de fotografias de campo, as quais ilustram algumas das classes de cobertura vegetal representativas do bioma em questão.

Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado

42

Validação do Mapeamento
A etapa de validação do mapeamento realizado foi conduzida comparando-se o mapa resultante da classificação dos dados das imagens Landsat com os dados de referência ou verdade de campo, conforme Jensen (1996) e Lillesand e Kiefer (1994). A definição do número de observações, ou dados de referência baseou-se na equação apresentada por Fitzpatrick-Lins (1981), citado por Jensen (1996), a qual define um número mínimo de 204 observações para um percentual de exatidão de 85% e um erro admissível de 5%. Os dados de referência foram obtidos plotando-se um conjunto de pontos aleatoriamente espacializados no bioma Cerrado. Os pontos plotados sobre alvo ou feições de tamanho reduzido, ou localizado em área de difícil acesso ou de estradas inexistentes foram desconsiderados. Já os pontos plotados próximo à borda de alvos tiveram suas coordenadas alteradas para o centro dos mesmos. Um total de 319 pontos de referência foi identificado em campo, cuja espacialização pode ser observado na Figura 8. É importante ressaltar, no entanto, que, em quatro pontos visitados, os remanescentes da vegetação Cerrado haviam sido convertidos em agricultura e pastagem. A relação entre mapa resultante da classificação e os dados de referência foi resumida em uma matriz de erros, também denominada matriz de confusão ou tabela de contingência. A partir da matriz de erros calcularam-se os índices Exatidão Global e Kappa para o mapa de remanescentes da vegetação do Bioma Cerrado. O cálculo dos índices de Exatidão global e Kappa empregaram metodologia já consolidada por Campbell (1987), Jensen (1996) e Brites (1996).

Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado

43

Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 44 .Figura 8. utilizados para validar o mapeamento de cobertura vegetal do referido bioma. Localização dos pontos de referência no bioma Cerrado.

O arquivo digital em formato pdf encontrase no DVD # 4. As cartas-imagens encontram-se no DVD # 2.6. dos principais mapas-zero da área de estudo 3. Essa atividade correspondeu a aproximadamente 80% do tempo do projeto e foi a base de todo o mapeamento executado. em formatos digital ou analógico. Resumo das atividades previstas e executadas pelo projeto aprovado pelo PROBIO. num SIG. Uberlândia e Goiânia aproximadamente a cada seis meses. Treinamento em processamento de imagens 100% realizada 100% realizada 100% realizada 5. conforme mostrada a seguir (Quadro 5). foi prevista a execução de 10 atividades. em formato digital. Os principais mapas-zero. encontram-se no DVD # 1. de um mapa-índice e de um relatório descritivo com as principais iniciativas de mapeamentos de uso e cobertura vegetal do Cerrado Atividade Prevista 100% realizada Observações O mapa-índice encontra-se impresso em papel A0. Os shapefiles resultantes dessa análise encontram-se no DVD # 3. Quadro 5. Realização de Workshops internos 100% realizada 7. A idéia inicial era de se agrupar conjuntos com 16 shapefiles 2. Mosaicagem e geração de cartas-imagem 4. uma foi executada parcialmente e uma outra não foi executada. Essa atividade foi executada no início do projeto. Geração de submosaicos de uso e remanescentes do Não realizada Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 45 . Elaboração. Atividade Prevista 1. das quais oito foram executadas integralmente. Reuniões internas com os pesquisadores seniors do projeto e com técnicos do IBGE foram programadas e realizadas em Brasília. Atividades: Previstas x Realizadas Na proposta de projeto aprovada pelo PROBIO. Foi contratado um especializada em Geotecnologia para ministrar o referido treinamento. Detalhes relevantes dos trabalhos selecionados encontram-se no relatório final. Aquisição. Análise dos mosaicos do Landsat 100% realizada 6.

Geração de relatórios técnicos e artigos em revistas indexadas 10. A carta-síntese encontra-se impressa em papel A0 e em formato digital pdf no DVD # 4.Cerrado 8. Os artigos científicos ainda não foram preparados. - Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 46 . A auditoria foi substituída pelas visitas técnicas períodicas do especialista em Cerrado. Elaboração de carta-síntese do Cerrado 9. Coordenação das atividades do projeto 100% realizada Parcialmente realizada 100% realizada adjacentes para facilitar a auditoria técnica por parte de especialistas em vegetação e cartografia do IBGE. o engenheiro florestal Luis Dambrós – IBGE/Goiânia.

elaborado pelo consórcio formado entre uma empresa privada com fins lucrativos de São José dos Campos/SP (IMAGEM Sensoriamento Remoto e uma organização não-governamental (WWF) para atender uma demanda do governo do estado de Goiás. Foi feito um esforço significativo pelos técnicos do IBGE para recuperar esses documentos. Resultados Mapas-zero Os seguintes shapefiles. A atualização foi realizada com base nas imagens do Landsat ETM+ de 2002 da Amazônia. Essas cartas correspondem a materiais de campo que foram utilizados pelos engenheiros florestais do projeto RADAMBRASIL para elaborar os mapas fitoecológicos do mesmo projeto e que foram divulgados na escala de 1:1.000. que correspondeu a uma atualização dos mapas fitoecológicos do Projeto RADAMBRASIL da referida região. e d) cartas de serviço na escala de 1:250. como área de estudo. O levantamento também foi realizado com base nas imagens do Landsat ETM+ de 2002.000. Os shapefiles apresentam basicamente duas classes de mapeamento: área natural e área desmatada. elaborado pelo governo do estado de Mato Grosso por meio de contrato de prestação de serviço com o Instituto Socioambiental. denominados de mapas-zero. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 47 . c) mapeamento de desmatamento do estado de Mato Grosso. foram identificados e rotulados como relevantes para o mapeamento proposto: a) cobertura vegetal atualizada da Amazônia Legal. a Amazônia Legal. preparada pelo IBGE a partir de uma demanda do CENSIPAM. O produto disponível encontra-se num shapefile único e teve.000 do projeto RADAMBRASIL no formato jpg (joint photographic experts group).7.000. escanerizá-los e disponibilizá-los para os coordenadores de cada bioma. b) mapeamento de cobertura vegetal do estado de Goiás na escala de 1:250.

7 milhões de hectares e pelo Laboratório de Biofísica Ambiental da Embrapa Cerrados . sabe-se que o estado de São Paulo possui um nível de antropização bastante elevado em praticamente todo o seu território. conforme mostra a Figura 9. conforme demonstrado por Kronka et al. com área do Cerrado de 204. com destaque para a inclusão de áreas relativamente extensas na porção central do estado de São Paulo. no oeste da Bahia e na porção oriental do estado do Piauí. As novas regiões que foram incluídas no limite proposto pelo IBGE estão realçadas na cor vermelha. Praticamente toda a área de Cerrado delimitada pela proposta da Embrapa Cerrados nesse estado foi excluída na proposta do IBGE.7 milhões de hectares.203.716 hectares para o bioma Cerrado.4 milhões de hectares. os interessados devem ter em mente as inclusões de novas regiões e as exclusões de outras. Um caso típico de omissão é encontrado no estado de Rondônia. Nessa figura. a área delimitada na cor azul corresponde ao limite digital proposto pela Embrapa Cerrados na década de 1980 (dado não publicado). Por exemplo.2 gerou uma área de 204. Esse número é ligeiramente diferente em relação aos que vinham sendo adotados por diferentes autores como são os casos dos obtidos por Adámoli et al. (2005). Para todos os cálculos de área subseqüentes.207. a inclusão ou a omissão de parte significativa de terras desse estado pode levar a superestimar ou a subestimar os índices de antropização do Cerrado como um todo. (1985) . Mais do que o número em si.667. Então. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 48 . Essas diferenças espaciais são particularmente importantes nos estudos sobre a ocupação do Cerrado.Limite do Cerrado A função de cálculo de área disponível no ArcView 3. esse estudo adotou o shapefile do IBGE.

5% (Tabela 1). consideradas como áreas antrópicas por Machado et al. A diferença nos dois valores pode ser explicada pelas diferenças no conceito sobre cobertura vegetal natural. (2004). pois a vegetação original continua preservada. Cálculo de Áreas (bioma) A porcentagem de cobertura vegetal natural encontrada para o bioma Cerrado foi de 60. por exemplo.Figura 9. dado não publicado) e pelo IBGE em 2004 (cor vermelha). os 45% de remanescentes que foram encontradas pela Conservação Internacional (Machado et al. devido à presença de criação de gado bovino e como áreas naturais pelo MMA. Essa porcentagem é maior que. 2004).. Um exemplo típico são os casos de pastagens nativas. Diferenças nos limites do bioma Cerrado proposto pela Embrapa Cerrados na década de 1980 (cor azul. Outro parâmetro que pode ter Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 49 .

852 17. Cálculo de área ocupada por diferentes classes de cobertura vegetal do bioma Cerrado.391 47. Os resultados da Conservação Internacional foram baseados na análise de imagens de satélite com uma resolução espacial de 1 km.165. Cobertura Vegetal Natural Classe Aa As Da Ds Mm Cb Cm Cs Fa Fb Fm Fs Saf Sas Sd Spf Sps Sgf Sgs Pa Pf Pm Taf Tas Td Tpf Tps Tgs r Vs Ac Ap Im Iu R agua Área (hectares) 18.770.436 1.252.0 Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 50 .235.586.158 353.928 181.889 54.463 891.045 6.815 8.854 10.908 23. mais grosseira que os 30 metros do satélite Landsat.218 2.493 5.6 100.613 171.149.891 3.994 5.983.652 1.698 16.978.942 6.contribuído para essa diferença foram as resoluções espaciais distintas dos dois sistemas sensores envolvidos (MODIS e ETM+).026.238.283 Porcentagem 60.381.994.912.550 188.917 204.090.168 84.694 42.609. Diferenças nos limites do bioma também pode ter contribuído para a presença dessa diferença.227 1. Tabela 1.5 Antrópica 38.377.848 12.388 204.9 Massa de Água TOTAL 0.495 22.716 2.102 195.087 704.744 13.417.376 18.997 65.228 457.443 21.063 9.123.

Tas. 61% correspondem à fisionomia savânica (áreas com árvores e arbustos espalhados sobre um estrato graminoso. quando a indústria de café estava em plena atividade.229. Sps. contínuo ou descontínuo) e campestre (áreas com predomínio de espécies herbáceas e algumas arbustivas. e Vs. o governo de Getúlio Vargas (1930-1945) promoveu um incentivo à ocupação do sul do estado de Goiás. savânicas e campestres no bioma Cerrado. sem a formação de dossel contínuo). Da. foram englobadas as seguintes classes: Saf. Td. As seguintes classes foram consideradas como pertencentes às fisionomias florestais: Aa. nas formações campestres. Sd. Ds. com o esgotamento de terras férteis do sul e sudeste do Brasil e com o crescimento populacional. Sgf. Tabela 2. principalmente no estado de São Paulo. através de fornecimento de subsídios e assistência técnica aos pecuaristas interessados (Klink e Moreira.Dos 123. foram incluídas as classes Pa.576 123. A ocupação do Cerrado iniciou-se na década de 1920. As áreas mais extensas são encontradas na porção norte da região de estudo. Cm. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 51 . r. A porção norte encontra-se relativamente preservada por causa das dificuldades de acesso e pela distância aos grandes centros urbanos e consumidores. Fm. onde há formação de dossel. Fa.677. Fb. as fisionomias florestal (áreas com predominância de espécies arbóreas. Pf. faltando árvores na paisagem). respectivamente. Sgs e Tgs. Fs. Esse retrato é fruto do próprio histórico de ocupação das terras do Brasil. Sas. Spf.044 8. As. Tpf e Tps.098 75. Nas formações savânicas. Mais tarde. Mm. Cs. Pm. vindo a seguir.7 milhões de hectares de cobertura vegetal natural encontrados no bioma Cerrado (Tabela 2). enquanto a maior parte da região sul apresenta um domínio da cobertura vegetal antrópica. Taf. Fisionomia Florestal Savânica Campestre TOTAL Área (hectares) 40. com destaque para a intensa antropização de toda a parte do estado de São Paulo coberta pelo Cerrado. com 32 e 7%. Cálculo de áreas ocupadas pelas fisionomias florestais. Cb.061.655. Por último.075 Porcentagem (%) 32 61 7 100 Um outro aspecto importante que deve ser ressaltado desse estudo é a distribuição espacial bastante heterogênea da cobertura vegetal natural no bioma em questão (Figuras 10). 2002).

esse índice diminui para porcentagens inferiores a 10% em várias cartas temáticas. Triângulo Mineiro. são encontradas.cobertura natural cobertura antrópica Figura 10. As áreas com menor preservação são encontradas em maior extensão no sul de Goiás. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 52 . Na porção norte do Cerrado. índices superiores a 90% de preservação em várias cartas temáticas. mais especificamente no oeste de Tocantins e sul dos estados de Maranhão e Piauí. Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e cobertura vegetal antrópica no bioma Cerrado. São Paulo e Mato Grosso do Sul. A Figura 11 mostra a porcentagem de áreas remanescentes encontradas em cada carta temática. Na porção sul. As áreas mais preservadas correspondem à porção nordeste do bioma. com freqüência.

Cálculo de Áreas: Unidades Federativas Na Tabela 3.89 93 97 62 87 86 74 82 57 72 71 66 33 61 69 66 44 53 84 42 41 56 47 39 26 67 66 69 44 45 33 38 38 26 23 19 60 66 64 58 52 38 31 18 28 21 74 86 79 70 66 37 45 45 29 19 29 17 16 79 67 84 81 71 48 46 24 26 29 17 20 6 9 6 34 67 68 78 83 72 68 58 65 71 64 37 24 28 25 25 11 13 13 9 19 68 80 93 94 97 95 94 90 85 77 54 52 49 26 32 27 20 14 38 74 84 94 82 89 96 93 72 67 74 76 83 70 51 73 56 22 21 99 94 85 83 94 91 90 95 91 82 77 65 72 70 50 59 69 62 53 95 89 93 89 93 89 97 98 95 100 90 82 70 47 42 56 59 67 73 99 47 Figura 11. os três estados da região norte do Cerrado. são mostradas as porcentagens de remanescentes por unidade federativa. Paraná e Mato Grosso do Sul foram os estados que apresentaram os menores índices de cobertura vegetal natural: 15. São Paulo. 89 e 79%. Por outro lado. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 53 . foram os estados que apresentaram os maiores índices de preservação: 92. Porcentagens de cobertura vegetal natural encontradas em cada carta temática. isto é. respectivamente. 32 e 32%. Maranhão e Tocantins. respectivamente. Piauí.

048 3.032.605 13.423 Formação Florestal (ha) 833.311 6.387 20.362.565 14.888 84.460 2.Tabela 3.762 7.902 4.251.035 Formação Savânica (ha) 210.147 15.337.267 44.716 118.482 15.867.896 20.085 468.690 12.078.138 18.192.696 17.790 61. Cálculo de área ocupada por cobertura vegetal natural e antrópica em cada unidade federativa coberta pelo bioma Cerrado.599.740.095 3.965 2.717.279.418.148.028 758.441 14.964 155.692 6.318.762 362.319.951 6.753.932 12.389 2.080 7.210.838.722.151 518.161 11.165 382.963.333.404 213.095 4.164 687. Estado Porcentagem do Bioma Cobertura Vegetal Cobertura Vegetal no Estado (%) Natural (ha) Antrópica (ha) 33 2 61 100 97 57 40 27 92 65 37 1.333 11.873 23.794.934.085 Formação Campestre (ha) 34.203 255.249.527 14.558 2.935.590.209.180.688 6.582 6.706 8.718 11.868.706.929.357.786 18.033 3.826 162.462 Cobertura Vegetal Natural (%) 13 32 32 37 44 53 66 74 79 89 91 SP PR MS DF GO MG MT BA TO MA PI .645 2.090.322.502 3.102 3.639.

percebe-se o predomínio das formações savânicas. As formações campestres aparecem com maior extensão na porção sul. Tais áreas encontram-se em áreas permanentemente protegidas por lei. no sul do DF.000 hectares) no norte do DF ou a reserva ecológica do Jardim Botânico.A Figura 12 mostra a distribuição espacial da cobertura vegetal no Distrito Federal (DF). Dentre as fisionomias naturais. como são os casos do Parque Nacional de Brasília (30. impróprias para agricultura. Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e antrópica no Distrito Federal.000 hectares) e a Reserva Ecológica de Águas Emendadas (~ 8. As outras áreas naturais correspondem a áreas com relevo acidentado. Pouco mais de 1/3 do DF apresenta coberturas vegetais naturais. Unidade Federativa (UF): Ocorrência do bioma na UF: % cobertura vegetal natural na UF: formação florestal: formação savânica: formação campestre: % cobertura vegetal antrópica na UF: Distrito Federal 100% 37% 8% 28% 1% 63% Figura 12. .

o DF destaca-se das demais unidades federativas do Cerrado por apresentar contribuição significativa de manchas urbanas. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 56 . Conseqüentemente. associado aos complexos máficos e ultramáficos) tendem a apresentar porcentagens elevadas de cobertura vegetal natural. notadamente Brasília. fruto da ocorrência de extensas áreas de pastagens cultivadas com o gênero Brachiaria. As áreas mais extensas de cobertura vegetal natural encontram-se na porção nordeste. feijão e hortaliças. Em termos de produção altamente tecnificada de grãos. ou seja. A área antrópica da porção oeste do DF corresponde ao PAD-DF (Plano de Assentamento Dirigido do DF).Em termos de cobertura vegetal antrópica. 2007). milho. a qual produz soja e milho com emprego intensivo de mecanização. O estado de Goiás é um outro exemplo de unidade federativa onde há um predomínio da cobertura vegetal antrópica sobre a cobertura natural (Figura 13). pobres em nutrientes. principalmente nas porções sul e leste do estado. Com relação à cobertura vegetal do estado de Minas Gerais (Figura 14). na região conhecida como Vão do Paranã. A primeira é a ocorrência de formações campestres em grandes extensões. notadamente soja. Minas Gerais é o estado que apresentou a maior quantidade desse tipo de fisionomia no bioma Cerrado. Nessa região. com cerca de 3. A fisionomia natural do bioma Cerrado que predomina nesse estado é a formação savânica. localizados nesse compartimento geomorfológico. destaca-se a região de Rio Verde no sudoeste do estado. cobrindo cerca de 28% da área estadual pertencente ao bioma Cerrado..2 milhões de hectares. tendem a apresentar porcentagens elevadas de preservação (Sano et al. os solos são arenosos ou pedregosos. De fato. cidades-satélites e condomínios rurais mais recentes. onde ocorre a produção de alimentos para consumo interno. A cobertura antrópica de Goiás encontra-se espalhada praticamente em todo o estado. Municípios que possuem grande parte do seu território ocupada por parques nacionais como são os casos de Cavalcante (Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros) e Mineiros (Parque Nacional das Emas) ou que possuem terrenos acidentados (Niquelândia. destacamse duas características marcantes. municípios como Flores de Goiás e Iaciara.

Esse valor é Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 57 .Unidade Federativa (UF): Ocorrência do bioma na UF: % cobertura vegetal natural na UF: formação florestal: formação savânica: formação campestre: % cobertura vegetal antrópica na UF: Goiás 97% 44% 9% 34% 2% 56% Figura 13. principalmente na região do Triângulo Mineiro. Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e antrópica no estado de Goiás. A outra característica que se sobressai com relação a esse estado é a presença de extensas áreas de cobertura vegetal antrópica no sudoeste do estado. A porcentagem média de cobertura vegetal original nessa região do Triângulo situou-se em torno de 25%.

Nela. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 58 . A fisionomia campestre possui baixa representatividade no estado. numa área que corresponde à região de transição com o bioma da Amazônia. predomina a fisionomia savânica (44% de cobertura). Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e antrópica no estado de Minas Gerais. enquanto que as fisionomias florestais aparecem principalmente na porção central do estado. Na área do estado de Mato Grosso coberto pelo bioma Cerrado.significativamente mais baixo em relação à média estadual encontrada por Scolforo e Carvalho (2006): 41%. Unidade Federativa (UF): Ocorrência do bioma na UF: % cobertura vegetal natural na UF: formação florestal: formação savânica: formação campestre: % cobertura vegetal antrópica na UF: Minas Gerais 57% 53% 10% 34% 10% 47% Figura 14. 66% correspondem a cobertura vegetal natural (Figura 15).

milho e. Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e antrópica no estado de Mato Grosso. Na porção central do estado. o que corresponde aos municípios de Sinop e Sorriso. também conhecido pela importância em termos de Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 59 . de algodão.Unidade Federativa (UF): Ocorrência do bioma na UF: % cobertura vegetal natural na UF: formação florestal: formação savânica: formação campestre: % cobertura vegetal antrópica na UF: Mato Grosso 40% 66% 21% 44% 0% 34% Figura 15. Na porção sul do estado. o Rondonópolis. mais recentemente. destaca-se outro município. destaca-se ainda uma grande mancha de cobertura antrópica. amplamente conhecidos pela alta produtividade e produção agrícola. notadamente de soja.

na porção leste do estado. Não se percebe a presença de nenhum município contendo fragmentos mais extensos do Cerrado. enquanto as fisionomias campestres predominam na porção noroeste do estado. O estado de Tocantins que. depois do DF e de GO.. A fisionomia campestre é representada por uma grande mancha que ocorre na porção oeste do estado. Predominam as fisionomias florestal e campestre. Na parte leste do estado. mais especificamente na região de Jalapão. vindo. é o estado que possui a maior porcentagem de área coberta pelo bioma Cerrado. próximo às margens do rio Tocantins. As coberturas vegetais antrópicas de MS são representadas principalmente pelas pastagens cultivadas. principalmente na porção sul do estado. restam apenas 32% de cobertura vegetal natural na porção estadual coberta pelo bioma Cerrado (Figura 16). Com relação ao estado do Mato Grosso do Sul. As áreas antrópicas mais extensas de Tocantins encontram-se ao longo da rodovia Belém-Brasília (BR-153). Nessa região. o oeste baiano ressalta-se pela produção Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 60 . e também na porção noroeste.. os quais ocupam 13 e 17% da área total do Cerrado no referido estado. Mato Grosso do Sul é o estado que apresenta o maior contingente bovino do Brasil (Sano et al. Nesse bolsão. destacase a região conhecida como “bolsão matogrossense”. respectivamente. a fisionomia florestal (18%). a qual encontra-se espalhada por todo o território tocantinense. Já as formações campestres encontram-se concentradas em duas grandes áreas. Essa é uma região de transição com a formação savana-estépica do bioma Caatinga. Por outro lado. existem boa infraestrutura de rodovias e presença de um número significativo de frigoríficos (Sano et al. que cobre uma área de cerca de 3 milhões de hectares dominadas por solos arenosos e de baixa fertilidade. apresentou um índice de 79% de cobertura vegetal natural (Figura 17). O estado da Bahia destaca-se pelo predomínio da fisionomia savânica na sua porção central (Figura 18). a principal atividade econômica é a criação de gado de corte.produção nacional de grãos e também pela expansão de áreas implantadas com pastagens cultivadas nos municípios ao redor. As fisionomias florestais ocorrem na porção oriental do estado. a seguir. Há um predomínio da fisionomia savânica (52%). 1999). 1999).

de café e algodão irrigado. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 61 . Unidade Federativa (UF): Ocorrência do bioma na UF: % cobertura vegetal natural na UF: formação florestal: formação savânica: formação campestre: % cobertura vegetal antrópica na UF: Mato Grosso do Sul 61% 32% 13% 17% 2% 68% Figura 16.agrícola de grãos de sequeiro e. conferindo um predomínio da cobertura vegetal antrópica. mais recentemente. Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e antrópica no estado de Mato Grosso do Sul.

Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e antrópica no estado de Tocantins. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 62 .Unidade Federativa (UF): Ocorrência do bioma na UF: % cobertura vegetal natural na UF: formação florestal: formação savânica: formação campestre: % cobertura vegetal antrópica na UF: Tocantins 92% 79% 18% 52% 9% 21% Figura 17.

Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 63 . Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e antrópica no estado da Bahia.Unidade Federativa (UF): Ocorrência do bioma na UF: % cobertura vegetal natural na UF: formação florestal: formação savânica: formação campestre: % cobertura vegetal antrópica na UF: Bahia 27% 74% 22% 48% 3% 26% Figura 18.

Essa tendência de elevada porcentagem de cobertura natural tende a ser gradativamente modificada a partir da porção sul do estado. Esse estado destaca-se por ser um dos poucos estados a apresentar fisionomia florestal maior que a da fisionomia savânica: 58 e 29%. uma classe de vegetação que não é típica do bioma Cerrado. com exceção dos três municípios do sul maranhense. com 13% (Figura 21). a distribuição espacial da cobertura vegetal desse estado não está sendo apresentado nesse relatório. Assim sendo. Balsas. onde receberam incentivos do governo japonês para implementar projetos de irrigação nessa região. Os outros 3% de cobertura natural de SP correspondem à formação savânica.O estado do Piauí é um dos estados que apresentam maior cobertura vegetal natural: 92% (Figura 19). São Paulo é o estado que apresenta a menor porcentagem de cobertura vegetal natural. o que corresponde a 66% de toda a cobertura vegetal do estado coberto pelo Cerrado. mais especificamente no Vale do Gurguéia. deve-se ressaltar a sua extensão em área do Cerrado relativamente baixa. Em termos de produção de grãos. isto é. o bioma Cerrado cobre apenas 2% de toda a área estadual. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 64 . A maior parte dessa cobertura natural (~ 10%) é representada pela floresta-de-galeria. O estado do Maranhão também é um dos estados do Cerrado com maior índice de cobertura vegetal natural: 89% (Figura 20). Tasso Fragoso e Alto Parnaíba. predomina a fisionomia savânica. pois ocupa apenas 27% de todo o território estadual. A instalação de armazéns por parte de grandes multinacionais e a construção da ferrovia transnordestina também são fatores que devem acelerar o processo de ocupação no sul do Piauí. Nessas áreas naturais. esse estado não possui destaque no cenário nacional. Porém. No estado do Paraná. respectivamente. onde já se notam produções extensas de soja para exportação.

Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e antrópica no estado do Piauí.Unidade Federativa (UF): Ocorrência do bioma na UF: % cobertura vegetal natural na UF: formação florestal: formação savânica: formação campestre: % cobertura vegetal antrópica na UF: Piauí 37% 92% 25% 66% 1% 8% Figura 19. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 65 .

Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e antrópica no estado do Maranhão.Unidade Federativa (UF): Ocorrência do bioma na UF: % cobertura vegetal natural na UF: formação florestal: formação savânica: formação campestre: % cobertura vegetal antrópica na UF: Maranhão 65% 89% 58% 29% 2% 11% Figura 20. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 66 .

) que fazem parte do bioma Cerrado. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 67 . As regiões denominadas de Atlântico Nordeste Oriental. As regiões hidrográficas do Tocantins.Unidade Federativa (UF): Ocorrência do bioma na UF: % cobertura vegetal natural na UF: formação florestal: formação savânica: formação campestre: % cobertura vegetal antrópica na UF: São Paulo 33% 13% 10% 3% 0% 87% Figura 21. 43 e 37 milhões de hectares. publicado no Diário Oficial da União de 17 de dezembro de 2003. não foram incluídas em algumas das análises subseqüentes. Distribuição espacial de áreas com cobertura vegetal natural e antrópica no estado de São Paulo. Cálculo de Áreas (Bacia Hidrográfica) Na Tabela 4. As delimitações dessas R. constam da Resolução 32 do Conselho Nacional de Recursos Hídricos. com cerca de 60.H. são mostradas as regiões hidrográficas (R.H. respectivamente. com suas respectivas áreas em hectares. portanto. Paraná e São Francisco são as três mais extensas do referido bioma. de 15 de outubro de 2003. Atlântico Sudeste e Atlântico Leste ocupam menos de 2% da área total do Cerrado e.

a R.8 17. do Atlântico Nordeste Ocidental e a R. Com exceção da R. todas as outras regiões apresentaram porcentagens de cobertura vegetal natural superiores a 50% (Figura 23). as regiões de Atlântico Nordeste Ocidental e do Paranaíba foram as que apresentaram os maiores índices de cobertura natural.6 6. 46% de toda a formação florestal do Cerrado (~ 40.573. apesar de cobrir uma área de quase 3 milhões de hectares.471 15.H. são apresentadas os principais cálculos de áreas obtidos tendo como unidade de mapeamento.H. a região hidrográfica.H. localizados na porção nordeste do bioma Cerrado correspondem às regiões com maior porcentagem de cobertura vegetal natural (Figura 22): 89 e 90%. Com aproximadamente 90% de cobertura natural.0 No Anexo 4. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 68 .093 43.7 8.891 Porcentagem (%) 0. do Paraná.H. Região Hidrográfica Atlântico Nordeste Oriental Atlântico Sudeste Atlântico Leste Atlântico Nordeste Ocidental Parnaíba Amazônica Paraguai São Francisco Paraná Tocantins TOTAL Área (ha) 12.6 7. possui apenas 7% da fisionomia florestal do Cerrado. Essa porcentagem vai se reduzindo gradativamente em direção ao sul do bioma.477.603 204.649.608 164.013.0 29.679. Em termos de recursos florestais naturais (fisionomia florestal).513.1 7.836 12. do Paraguai.3 milhões de hectares) (Figura 24). do Paraguai. Regiões hidrográficas pertencentes ao bioma Cerrado. respectivamente. do Tocantins possuem. passando de 69% (região hidrográfica do Tocantins) até chegar nos 25% na R.823 3.538 18.8 21.025.672 15. com seus respectivos cálculos de áreas.0 0.Tabela 4.324. A R.H.213 59. As regiões hidrográficas do Atlântico Nordeste Oriental e do Atlântico Sudeste. juntas.3 100.1 1.034 36.865.

Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 69 .H. Atlantico NE Ocidental R.H.H.H.H. Paraguai R. Parnaiba R. Amazonica R. Porcentagens de cobertura vegetal natural encontradas nas principais regiões hidrográficas do bioma Cerrado.R.H.H. Tocantins 89 90 69 69 66 51 25 300 0 300 km Figura 22. Parana R. Sao Francisco R.

Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 70 . e 7 = Tocantins. 7 = Paraguai. 9 = Paraná. e 10 = Tocantins. 2 = Parnaíba. 1 = Atlântico Nordeste Ocidental. 6 = Amazônica. Porcentagem de fisionomia florestal encontrada em cada região hidrográfica do bioma Cerrado. 3 = Amazônica. 1 = Atlântico Nordeste Oriental. 4 = Paraguai. 24 21 18 % Fisionomia Florestal 15 12 9 6 3 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Região Hidrográfica Figura 24. 5 = São Francisco.100 90 80 % Cobertura Natural 70 60 50 40 30 20 10 0 1 2 3 4 5 6 7 Região Hidrográfica Figura 23. 6 = Paraná. 2 = Atlântico Sudeste. 5 = Parnaíba. Porcentagem de cobertura vegetal natural encontrada nas seguintes regiões hidrográficas do bioma Cerrado. 4 = Atlântico Nordeste Ocidental. 8 = São Francisco. 3 = Atlântico Leste.

é a que apresentou as maiores áreas de fisionomias tanto savânica como campestre do Cerrado. possuindo pouco mais de 20% e 25% de toda a fisionomia savânica e campestre do Cerrado.H. 5 = Parnaíba. 6 = Amazônica. do Tocantins. e 10 = Tocantins. Porcentagem de fisionomia savânica encontrada em cada região hidrográfica do bioma Cerrado. Em segundo lugar. respectivamente.As duas figuras seguintes apresentam o quadro das regiões hidrográficas do bioma Cerrado que foi encontrado para as fisionomias savânica e campestre. do São Francisco. 2 = Atlântico Sudeste. 8 = São Francisco. respectivamente (Figuras 25 e 26). Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 71 . 7 = Paraguai. 40 35 % Fisionomia Savânica 30 25 20 15 10 5 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Região Hidrográfica Figura 25. 9 = Paraná. 4 = Atlântico Nordeste Ocidental. 1 = Atlântico Nordeste Oriental. 3 = Atlântico Leste. aparece a R.H. com cerca de 37%. A R.

1 = Atlântico Nordeste Oriental. 8 = São Francisco. notadamente entre as classes Ac e Ap. 3 = Atlântico Leste. Porcentagem de fisionomia campestre encontrada em cada região hidrográfica do bioma Cerrado. A similaridade espectral dos alvos também foi observada nas classes Ap e R. 5 = Parnaíba.19% e 68. 2 = Atlântico Sudeste. 7 = Paraguai. e 10 = Tocantins. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 72 . o que já era esperado em função do comportamento espectral similar dos alvos e da prática de rotação dessas duas atividades na mesma área (acentuada dinâmica). 4 = Atlântico Nordeste Ocidental. 6 = Amazônica. Os erros de omissão e comissão apresentados na matriz de erros (Tabela 5) mostram a confusão na classificação de algumas classes. 9 = Paraná.40 35 % Formação Campestre 30 25 20 15 10 5 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Região Hidrográfica Figura 26.31%. notadamente quando essa última classe encontrava-se nas fases iniciais de implantação ou reforma dos povoamentos florestais. Validação do Mapeamento Os índices de Exatidão Global e Kappa obtidos para o mapa final de cobertura vegetal do Cerrado foram 74. A diferença entre os índices Kappa e Exatidão Global é decorrente da eliminação da concordância em razão da casualidade para os cálculos do índice Kappa. respectivamente.

A confusão entre as classes Ap e Ac e entre as diversas fitofisionomias da vegetação natural do Cerrado é observada claramente pelos índices Kappa e Exatidão Global obtidos quando as classes mapeadas são agrupadas em cobertura natural. Cs.5%. Sgf). Fa. Exemplos dessas alterações são o possível adensamento da vegetação sugerido pelos erros de omissão para as classes Savana Florestada (Sd) e Floresta estacional (Cm. cobertura antrópica e massa de água.As confusões observadas na classificação de diversas fitofisionomias do bioma Cerrado podem ser decorrentes de alterações ocorridas após o mapeamento e/ou atualização do mapa de vegetação pelo IBGE.3% e 96. respectivamente. Fs) e a possível exploração dos recursos sugerida pelo erro de comissão para a classe Savana Gramíneo Lenhosa (Sgs. os quais alcançaram valores de 92. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 73 .

0000 0.6000 0.3125 0.7500 0.2933 0.0000 11 3 2 5 39 4 9 21 5 13 2 5 0.2828 0.4736 1 0.0000 0.1012 0.Tabela 5.5000 0.3606 0.4878 0.1333 6 0.0000 6 1 3 1 1 10 0.1166 0.0714 0. Matriz de erros resultante dos dados de referência (colunas) e mapa de cobertura vegetal do bioma Cerrado (linhas).2857 315 1 3 1 0. Classes Ap Ac Sp Sa F&C Água Iu Sd Sg R Erro de Omissão Ap 71 5 Ac 21 53 Sp Sa F&C 1 Água Iu 1 Sd Sg R 5 1 1 22 1 2 Erro de Comissão 0.6470 .8000 0.

com destaque para: Jornal da Record. a porcentagem de cobertura vegetal natural do Cerrado encontrada nesse trabalho foi amplamente divulgada pela mídia. Divulgação Resultados parciais e propostas metodológicas desse estudo foram apresentados nos seguintes eventos científicos. Agência Estado.Cerrado: Desafios e perspectivas no uso de dados de sensoriamento remoto No mês de fevereiro de 2007. Revista Veja. . na forma de palestras convidadas ou apresentações orais em simpósios e congressos: CONACER: Evento: Local: Data: CONABIO: Evento: Local: Data: 6ª Reunião Ordinária da Comissão Nacional do Programa Cerrado Sustentável Brasília/DF 04 de abril de 2007 12ª Reunião Extraordinária da CONABIO Brasília/DF 20 de dezembro de 2006 CONGRESSO DE BOTÂNICA: Evento: 57º Congresso Nacional de Botânica Local: Gramado/RS Data: 12 de novembro de 2006 Título da palestra: Sintese do mapeamento da cobertura vegetal dos biomas brasileiros: bioma Cerrado WORKSHOP: Evento: Local: Data: II Workshop sobre a Rede de Parcelas Permanentes dos Biomas Cerrado e Pantanal Alto Paraíso/GO 12 de novembro de 2005 SIMPÓSIO DE SENSORIAMENTO REMOTO: Evento: XII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto Local: Goiânia/GO Data: 21 de abril de 2005 Título da palestra: Projeto PROBIO .8. Rádio CBN. Jornal de Brasília e Correio Braziliense. O Globo.

enquanto a segunda classe foi contabilizada no grupo de cobertura vegetal natural. Pastagens cultivadas apresentam um padrão geométrico mais regular. Duas abordagens foram essenciais na solução dessa dificuldade: a análise visual de imagens.9. a primeira classe foi contabilizada no grupo de cobertura vegetal antrópica. onde o aspecto geométrico é um fator importante na discriminação desses dois tipos de pastagens. Considerações Finais Um dos principais desafios desse estudo foi a separação precisa de áreas com pastagens plantadas e áreas com pastagens nativas. onde foram identificadas a presença de quase 28 milhões de hectares de pastagens nativas. A outra abordagem importante foi o uso de dados municipais do Censo Agropecuário do IBGE. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 76 . Conforme mencionado anteriormente.

118 cm x 84 cm. Escala 1:250.br/geodados/brasil/vegetacao/vegetacao2002/>. Para citar esse estudo. 1 mapa.gov. color. Disponível em: Acesso <http://mapas. 118 cm x 84 cm. Se a consulta tiver sido na rede mundial de computadores: EMBRAPA CERRADOS.. São Luiz: Folha SA-23-Z-A: cobertura vegetal dos biomas brasileiros.gov. Se a consulta tiver sido em DVD: EMBRAPA CERRADOS. Escala 1:250. Escala 1:250. resultados desse trabalho ainda não foram publicados ainda em nenhuma revista técnico-científica.. sugere-se utilizar o portal do Ministério do Meio Ambiente: http://www.br/portalbio Para citar os mapas temáticos. 1 DVD.10. color. 118 cm x 84 cm. 2006. DF: Ministério do Meio Ambiente. Brasília. color. 2007. DF: Ministério do Meio Ambiente. 1 mapa.mma. em: 16 abr. 1 mapa. Brasília. DF: Ministério do Meio Ambiente. sugerem-se os seguintes modelos: Se a consulta tiver sido em mapas temáticos impressos: EMBRAPA CERRADOS. Brasília. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 77 . São Luiz: Folha SA-23-Z-A: cobertura vegetal dos biomas brasileiros. 2006. São Luiz: Folha SA-23-Z-A: cobertura vegetal dos biomas brasileiros.. Citação Até essa data. 2006.mma.000.000.000.

Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 78 .br.A Secretaria de Biodiversidade e Florestas do Ministério do Meio Ambiente agradece a gentileza da comunicação de falhas verificadas nesse relatório ou nos mapas temáticos através do endereço eletrônico: cid@mma.gov.

Monteiro. R. M. p. SP. J. 17–73. H.. J. vol. Huber. Campbell. C..S.). 3. São José dos Campos: INPE. Di Bella. R.G.E.G. Belward. New York: The Guilford. p. SBC: Porto Alegre. 101p. L. Câmara. Madeira Netto. 1. 2004. F. In: Pinto.. p.. L. G. S. Anais...). Cerrado: Caracterização.Universidade Federal de Viçosa. Garrido... Tese (Doutorado em Ciências Florestais) . Gond. 1991. 1993.N.. GO. Anais. (ed. Computer & Graphics. 2. A. Freitas. p. Macedo. SPRING: integrating remote sensing and GIS by object-oriented data model.. A Vegetação do Cerrado. São Paulo: Nobel. 1987. Introduction to Remote Sensing. G.D. Azevedo. Goiânia.S. Cap. O. R. 1985. (ed. Carvalho. A land cover map of South America. 33-74. A...M. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO. J. Eiten. M. U. 20. São José dos Campos: INPE (INPE-5291-PRE/1696). Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 79 . Um sistema de segmentação e classificação de imagens de satélite. Viçosa: UFV. L. Bibliografia Adámoli.. Fonseca. E.. S. In: Goedert. V. Miranda. S.. J.T. p. J. Mapeamento da flora nativa e das florestas de produção do estado de Minas Gerais: procedimentos metodológicos e resultados parciais. 551 p. Global Change Biology. G.11. Um método de classificação nãosupervisionada por regiões..M. RS. Jones. M. Velasco.. São Carlos.. 4029-4036.. Brasília: Embrapa Centro de Pesquisa Agropecuária dos Cerrados.M. 1993. Earthal. Sgrenzaroli. Brasília: Universidade de Brasília.M. Fonseca.C. 395-403. p.. n. Bins. 10. 2ª ed. Brites. Souza.65-68. 1996. Ocupação e Perspectivas. Tecnologias e Estratégias de Manejo.. S. Eva.. 1996. L.J. 1996. 12. G. vol. L. J. L. Bins. Solos dos Cerrados. 2005.. Caracterização da região dos Cerrados..M. W. M.. 731-744.. Verificação de exatidão em classificação de imagens orbitais: efeitos de diferentes estratégias de amostragem e avaliação de índices de exatidão. Fritz. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA E PROCESSAMENTO DE IMGENS. 6.B.. Cap. Erthal.

2005. E. São José dos Campos: INPE.ibge. 1998. Lima. Gonçalves.. Sano. Planaltina: Embrapa Cerrados.E.. São José dos Campos. n. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 80 . Introductory Digital Image Processing: a Remote Sensing Perspective.P. H. Nalon. Uberlândia: EDFU. INPE. 87-166. Estimativas de perda da área do Cerrado brasileiro. p. 1569-1576. E.K.. Bezerra.F. S. Ywane. Walter.A. M. Klink. M. Ribeiro.. 2007. 1999. Pavão..F.. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO. Brasília/DF. 316 p. p. 2a ed. F..R. 28. Tabor.htm>..A. J. Chichester: John Wiley & Sons.E. [1 CD-ROM]. L. Planaltina: EMBRAPACPAC.. Jensen.br/biomas2/viewer. M. Área e distribuição espacial de pastagens cultivadas no Cerrado brasileiro.B.000.M.P.S. 1992. D. A. 21 p. R.B. Relatório técnico não publicado. 248 p. Goiânia. S... IBGE. 413-429. Spectral linear mixture modelling approaches for land cover mapping of tropical savanna areas in Brazil.. Kiefer. 707-713.N. 23 p.000..S.A. M.. Guillaumon. Kronka..: Barcellos. 2. E. C. 1996. 750 p.. Santos. 1998. Estimativa da integridade da cobertura vegetal de Cerrado através de dados TM/Landsat... C..S. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO.. 2a ed.M. IBGE. J. Lillesand.. B. 6ª ed. K. (eds.. R.E.A.G. Fitofisionomias do Bioma Cerrado. 9. vol. J.Ferreira. Conservation of the Brazilian Cerrado. Steininger.. Manetti. n. 2004. J. 3. Caldas. Pereira.T. vol. Sano.E. New Jersey: Prentice Hall. 1). In: Sano. Matsukuma.. P. Barradas. S..G. 12... Machado. N.F. p.C. Mantovani.B. Ramos Neto.R. Conservação Internacional. 2004..O. M.P. R. Manual Técnico da Vegetação Brasileira.E.S. 1994. Machado. Introdução ao Sensoriamento Remoto. SP. Santos. L.. Rio de Janeiro: IBGE (Série Manuais Técnicos em Geociências.R. il. p. 2005. SP.M. 19. R. Shimabukuro.. Escala 1:5. Remote Sensing and Image Interpretation.). Mapa de Biomas do Brasil.W. Conservation Biology.J. Y.M. Anais. ALMEIDA. 2007. Monitoramento da vegetação natural e do reflorestamento no estado de São Paulo.M. Ferreira. M. International Journal of Remote Sensing.. Cerrado: Ambiente e Flora. Rosa. GO.gov. Borgo. A. L. Pereira. 3. A. Cap. T. n. Anais.. Disponível em: <http://mapas.

Sano. Cap. In: Ferreira. 9.M. 2002. vol. Synthetic aperture radar (L-band) and optical vegetation índices por discriminating the Brazilian savanna physiognomies: a comparative analysis. p. Y. vol.S. J. Sano..R.. 288 p. 1-15. Amazon river mainstem foodplain Landsat TM digital mosaic.T. il. 3 (no prelo). Mertes. Oliveira. Sociedade e Natureza. E.. (org. J. L.. 2001. G.K. E. 57-69.E. Mapeamento e quantificação de áreas remanescentes do Cerrado através de um Sistema de Informações Geográficas. Bezerra. Englewood Cliffs: Prentice Hall. Paper no. 13. Padrões de cobertura de solos do estado de Goiás. 3).E. Scolforo. J.S.E. E. Novo. Carvalho..M. Earth Interactions. Estes.A. H. Lavras: UFLA..T. p.G. 1990. 2007. L. n. p. 47-62. Geographic Information Systems. 2006. R.(Boletim de Pesquisa.R.C. L. L. Conservação da Biodiversidade e Sustentabilidade Ambiental em Goiás. Brites. Star. Mapeamento e Inventário da Flora Nativa e dos Reflorestamentos de Minas Gerais. Sano. n. Ferreira. n... 303 p. 25. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 81 . Jesus. Goiânia:SEMARH/AGMA.. E. Embrapa Cerrados.. Shimabukuro. E. A. International Journal of Remote Sensing.). 1. Dambrós.E... vol. Inc.G. L. Huete. 2005. 15. An Introduction. 23.

ANEXOS Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 82 .

ANEXO 1 IDENTIFICAÇÃO DE CARTAS TOPOGRÁFICAS DO BIOMA CERRADO Mapa-Índice Reduzido (MIR) 0105 0106 0107 0126 0127 0128 0149 0150 0151 0172 0173 0174 0175 0176 0199 0200 0201 0202 0203 0226 0227 0228 0229 0230 0252 0253 0254 0255 0256 0257 0278 0279 0280 0281 0282 0283 0302 0303 0304 0305 0306 0307 0308 0317 0318 0322 0323 Nomenclatura SA-23-Z-A SA-23-Z-B SA-24-Y-A SA-23-Z-C SA-23-Z-D SA-24-Y-C SB-23-V-B SB-23-X-A SB-23-X-B SB-22-X-D SB-23-V-C SB-23-V-D SB-23-X-C SB-23-X-D SB-22-Z-B SB-23-Y-A SB-23-Y-B SB-23-Z-A SB-23-Z-B SB-22-Z-D SB-23-Y-C SB-23-Y-D SB-23-Z-C SB-23-Z-D SC-22-X-A SC-22-X-B SC-23-V-A SC-23-V-B SC-23-X-A SC-23-X-B SC-22-X-C SC-22-X-D SC-23-V-C SC-23-V-D SC-23-X-C SC-23-X-D SC-22-Y-B SC-22-Z-A SC-22-Z-B SC-23-Y-A SC-23-Y-B SC-23-Z-A SC-23-Z-B SC-21-Y-C SC-21-Y-D SC-22-Y-D SC-22-Z-C Nome da Carta São Luiz Barreirinhas Itapecuru Mirim Chapadinha Vitorino Freire Bacabal Caxias Marabá Imperatriz Barra do Corda Presidente Dutra Terezina Xambioá Tocantinópolis Fortalezad dos Nogueira São João dos Patos Araguaína Carolina Balsas Uruçuí Redenção Conceição do Araguaia Itacajá Tasso Fragoso São João do Piauí Santana do Araguaia Miracema do Norte Lizarda Guilbués Bom Jesus Remanso Rio Comandante Fontoura Santa Terezinha Porto Nacional Ponte Alta do Norte Corrente Curimatã Xique-Xique Juína Porto dos Gaúchos Serra do Roncador São Félix do Araguaia Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 83 .

0324 0325 0326 0327 0328 0336 0337 0338 0339 0340 0342 0343 0344 0345 0346 0347 0348 0354 0355 0356 0357 0358 0359 0360 0361 0362 0363 0364 0365 0370 0371 0372 0373 0374 0375 0376 0377 0378 0379 0380 0381 0386 0387 0388 0389 0390 0391 0392 0393 0394 0395 0396 SC-22-Z-D SC-23-Y-C SC-23-Y-D SC-23-Z-C SC-23-Z-D SD-20-X-B SD-21-V-A SD-21-V-B SD-21-X-A SD-21-X-B SD-22-V-B SD-22-X-A SD-22-X-B SD-23-V-A SD-23-V-B SD-23-X-A SD-23-X-B SD-21-V-C SD-21-V-D SD-21-X-C SD-21-X-D SD-22-V-C SD-22-V-D SD-22-X-C SD-22-X-D SD-23-V-C SD-23-V-D SD-23-X-C SD-23-X-D SD-21-Y-A SD-21-Y-B SD-21-Z-A SD-21-Z-B SD-22-Y-A SD-22-Y-B SD-22-Z-A SD-22-Z-B SD-23-Y-A SD-23-Y-B SD-23-Z-A SD-23-Z-B SD-21-Y-C SD-21-Y-D SD-21-Z-C SD-21-Z-D SD-22-Y-C SD-22-Y-D SD-22-Z-C SD-22-Z-D SD-23-Y-C SD-23-Y-D SD-23-Z-C Dianópolis Formosa do Rio Preto Santa Rita de Cássia Barra Vilhena Aldeia Espirro Rio Treze de Maio Sorriso Vera Cascalheira Araguaçu Alvorada Arraias Barreiras Santana Ibotirama Vila Oeste Utiariti Rio Claro Boca da Mata Guarapu Canarana São Miguel do Araguaia Porangatu Campos Belos São Domingos Santa Maria da Vitória Bom Jesus da Lapa Uirapuru Rosário do Oeste Paranatinguá Nova Xavantina Itapaci Uruaçu Iaciara Posse Manga Guanambi Jauru Barra dos Bugres Dom Aquino General Carneiro Barra do Garças Goiás Goianésia Brasília Buritis Januária Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 84 .

0397 0398 0403 0404 0405 0406 0407 0408 0409 0410 0411 0412 0413 0414 0419 0420 0421 0422 0423 0424 0425 0426 0427 0432 0433 0434 0435 0436 0437 0438 0439 0440 0443 0444 0445 0446 0447 0448 0449 0450 0451 0452 0453 0456 0457 0458 0459 0460 0461 0462 0463 0464 SD-23-Z-D SD-24-Y-C SE-21-V-B SE-21-X-A SE-21-X-B SE-22-V-A SE-22-V-B SE-22-X-A SE-22-X-B SE-23-V-A SE-23-V-B SE-23-X-A SE-23-X-B SE-24-V-A SE-21-X-D SE-22-V-C SE-22-V-D SE-22-X-C SE-22-X-D SE-23-V-C SE-23-V-D SE-23-X-C SE-23-X-D SE-21-Z-B SE-22-Y-A SE-22-Y-B SE-22-Z-A SE-22-Z-B SE-23-Y-A SE-23-Y-B SE-23-Z-A SE-23-Z-B SE-21-Y-D SE-21-Z-C SE-21-Z-D SE-22-Y-C SE-22-Y-D SE-22-Z-C SE-22-Z-D SE-23-Y-C SE-23-Y-D SE-23-Z-C SE-23-Z-D SF-21-V-B SF-21-X-A SF-21-X-B SF-22-V-A SF-22-V-B SF-22-X-A SF-22-X-B SF-23-V-A SF-23-V-B Janaúba Pedra Azul Cáceres Poconé Rondonópolis Guiratinga Iporá São Luis de Montes Belos Goiânia Unaí São Romão Montes Claros Araçuaí Almenara Itiquira Mineiros Jataí Rio Verde Morrinhos Paracatu João Pinheiro Pirapora Capelinha Coxim Parque Nacional das Emas Caçu Quirinópolis Uberlândia Patos de Minas Três Marias Curvelo Guanhães Corumbá Porto Carrero Camapuã Paraíso Paranaíba Iturama Prata Uberaba Bom Despacho Belo Horizonte Ipatinga Ribas do Rio Pardo Andradina Votuporanga São José do Rio Preto Franca Furnas Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 85 .

0465 0469 0470 0471 0472 0473 0475 0476 0477 0481 0482 0483 0484 0485 0486 0487 0488 0497 0498 0499 0506 0507 SF-23-X-A SF-21-V-D SF-21-X-C SF-21-X-D SF-22-V-C SF-22-V-D SF-22-X-D SF-23-V-C SF-23-V-D SF-21-Y-B SF-21-Z-A SF-21-Z-B SF-22-Y-A SF-22-Y-B SF-22-Z-A SF-22-Z-B SF-23-Y-A SF-22-Z-C SF-22-Z-D SF-23-Y-C SG-22-X-A SG-22-X-B Divinópolis Xavantina Dracena Araraquara Ribeirão Preto Varginha Ponta Porã Loanda Presidente Prudente Marília Bauru Campinas Cornélio Procópio Itapetininga São Paulo Telêmaco Borba Itararé Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 86 .

Clique em Apply.0.000 no ENVI 4. na janela # 1 Vector Parameters. Selecione o nome do arquivo resultante e o diretório onde o mesmo vai ser armazenado. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 87 . Selecione o arquivo (imagem) a ser recortada. clique em Imagem e Classificação e Extração de Regiões no menu principal do SPRING. clique em Imagem e Segmentação no menu principal do SPRING. os limites das cartas topográficas na escala de 1:250. Executando a etapa de segmentação da imagem no SPRING 4. similaridade = 10 e área (pixels) = 10. Selecione o método de Crescimento de regiões. Clique em Select Mask Band no menu Apply Mask Input File. clique em Ferramentas e Máscara e Aplicar Máscara no menu principal do ENVI 4.0: visualize no Display # 1 do ENVI 4.0. Ative a opção “Display # 1”. clique em Imagem e Classificação e novamente Classificação no menu principal do SPRING.1. clique em Vetor do menu principal do ENVI e Abrir Arquivo de Vetor e ArcView Shape File. Clique em OK e selecione o diretório e o nome do arquivo resultante.ANEXO 2 PASSO A PASSO Executando a etapa de recorte da imagem tendo como máscara. importar arquivo-imagem referente aos pivôscentrais da área de estudo.1: do menu principal do SPRING. clique em File e Export Active Layers to ROIs e Convert All Vectors to one ROI. selecionar o arquivo no diretório apropriado. clique em Ferramentas e Máscara e Construir Máscara no menu principal do ENVI 4.0. a imagem Landsat da área de estudo. clique em Options e Import ROIS e Select ROIs for Mask no menu Mask Definition Input ROIs. Clique em OK. clique em Imagem e Classificação e Mapeamento no menu principal do SPRING.

ANEXO 3 FOTOGRAFIAS DE CAMPO DE ALGUMAS CLASSES DE COBERTURA VEGETAL NATURAL E ANTRÓPICA DO BIOMA CERRADO Foto 1. Área de pastagem cultivada no município mineiro de Chapada Gaúcha (agosto de 2005). Área de Savana-parque no município mineiro de Unaí (agosto de 2005). Foto 2. Rosa. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 88 . Foto: R. Foto: R. Rosa.

Foto: R. Área com pastagem cultivada no município mineiro de Uberlândia (dezembro/2005). Foto: R. Área de solo preparado para cultivos de culturas anuais (soja e milho) no município mineiro de Paracatu (setembro de 2005). Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 89 .Foto 3. Rosa. Foto 4. Rosa.

Área com savana arborizada no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 90 . Rosa. Foto: R.Foto 5. Foto: Edson Sano. Área com savana gramíneo-lenhosa no município mineiro de Diamantina (novembro de 2005). Goiás (maio de 2005). Foto 6.

Foto: Marina Vilela. Foto 8. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 91 . Área com floresta estacional semidecidual submonta no município tocantinense de Aurora do Toncantins. Área com floresta estacional decidual próximo aos limites municipais goianos de Goianésia e Santa Izabel. Foto: Marina Vilela.Foto 7.

Foto 10. Foto: Edson Sano. Goiás (maio de 2005). nordeste de Goiás (novembro de 2005). Área com savana gramíneo-lenhosa no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Mosaico de área natural e antrópica no Vão do Paranã. Foto: Edson Sano.Foto 9. Edital Probio 02/2004 – Mapeamento de cobertura vegetal do bioma Cerrado 92 .

067.613.629 531.213 59.337 258.034 36.637 343.961.382.367.822.526 2.159 8.947 3.310 9.617 2.530 21.557 1.857 3.229 39.921 1.656 12.687.169 24.626.165.498 19.324.823 3.628.525 0 71.281 1.982.860 27.372.559 .553.573.347 3.813 1.843 6.119 820.726 5.907 14.477.361.093 43.373 3.762.022.661 754.603 587 73.023 75.989 54.898 1.025.462 4.198 10.386 0 12.606 197.747.228 5.492.190.721.958 59.739.013.308.176 290.723 6.538 18.838 16.471 15.743.122 9.122.649.339 4.865.606 3.277.197 802.796.604 0 765 488.679.321.ANEXO 4 DISCRIMINAÇÃO DE ÁREAS OCUPADAS POR DIFERENTES CLASSES DE COBERTURA VEGETAL EM DIFERENTES REGIÕES HIDROGRÁFICAS DO CERRADO Região Hidrográfica Atlântico Nordeste Oriental Atlântico Sudeste Atlântico Leste Atlântico Nordeste Ocidental Parnaíba Amazônica Paraguai São Francisco Paraná Tocantins TOTAL Área Total (ha) Florestal Cobertura Natural (Fisionomia) Savânica Campestre Pastagem Cultivada Cobertura Antrópica Cultura Reflorestamento Agrícola 0 0 58.354 57.330 45.907 40.891 12.990.529.619 0 39.019.246 1.513.341.834 2.885 1.543 28.150 2.608 164.400 9.222 4.836 12.672 15.636.412.998.816.216.603 204.305 8.