You are on page 1of 5

Show de Truman e os esquemas de condicionamento usados no filme, na escola e sociedade

As teorias há muito tempo tentam entender o processo de ensino e desenvolvimento da aprendizagem. Ao longo de todos esses anos várias teorias surgiram e cada uma delas enfocou objetos de estudo diferentes (sujeito que ensina, meio, sujeito que aprende etc). Dentre elas, a teoria Comportamental, tamb m conhecida como !ehaviorismo, se dedicou ao estudo das intera"#es entre indiv$duo e ambiente. %m dos principais nomes dessa corrente, &'inner, dedicou( se ao estudo dos comportamentos por condicionamento de est$mulo e resposta, aplicados at os dias de hoje na escola e sociedade. ) !ehaviorismo radical de &'inner muito criticado na atualidade por educadores, sociedade e m$dia, em especial a televisiva, que algumas vezes aborda este assunto na teledramaturgia. %m dos filmes que enfocou bastante esta rela"*o do indiv$duo com o ambiente de ,ruman. ) &ho+ de ,ruman uma esp cie de !!!, criado por um diretor que acredita no controle das a"#es humanas. -ara prova essa cren"a, ele criou o realit. sho+ de ,ruman, um programa l$der em audi/ncia, porque tem como personagem principal um sujeito que desde cedo foi educado por refor"os positivos0negativos e por refle1os condicionados. ) filme se passa em uma ilha cenográfica e para manter ,ruman nela Christof, o diretor do filme, refor"a de maneira negativa a perman/ncia de !urban' simulando a morte por afogamento de seu pai, fazendo com que ele tenha medo do mar , portanto n*o tenha coragem de pegar um barco e sair da ilha. ,ruman tem uma vida pacata, casado com uma enfermeira e o &ho+

. &eus movimentos s*o todos calculados. na qual os alunos no sentido metaf2rico seriam !urban'.trabalha numa corretora de seguros.al compara"*o da fic"*o com realidade poss$vel porque a escola de aquele uma forma geral ainda trabalha dentro de uma perspectiva de transmiss*o de conhecimento. 6o filme ela tarefa fácil e Christof assim como os behavioristas esqueceram que o ser humano tem sua aflorada logo que ele conhece &. o primeiro ato de espontaneidade que forje ao controle do diretor. 6o entanto. 4ntretanto a sa$da da mo"a n*o impede que !urban' continue apai1onado. ) professor que 3ensina bem5 . Acontece que controlar uma pessoa n*o subjetividade.lvia e surge um amor 7 primeira vista. Christof tenta acabar com estes conflitos atrav s de investimentos parentais 8 no caso a m*e e a esposa que tentam fazer com que ele mude de id ias 8 o amigos outros que tentar pessuad$( lo a esquecer suas indaga"#es.ruman e vindo para a realidade percebe(se que os condicionamentos do comportamento humano muito presente nas escolas.ruman n*o se dei1a levar por eles e sai em busca de respostas e quando as encontra pula fora daquele mundo de pseudo seguran"a. tenham um bom dia5 e sai. Contudo. a escola a buc2lica cidadezinha litor9nea de &ea:eaven e os professores o diretor Christof que trabalho com o condicionamento a partir de est$mulos respostas. aliás este um dos fatores que vai motivá(lo a encontrar respostar para a sua vida e a se questionar sobre sua e1ist/ncia. no entanto isso nunca acontece. &aindo da fic"*o do &ho+ de . no caminho encontrar outras pessoas dentre elas dois velhinhos que sempre dizem que ir*o ao trabalho dele fazer um seguro. . todos os dias ele se levanta vai para o trabalho encontro os vizinhos e repete a mesma frase 34 se eu n*o os v/ de novo. &ua vida mon2tona. mas que a equipe imediatamente tira de cena.

em grande parte. <esmo com tudo isso o estimulo n*o garante a aprendizagem porque segundo &'inner o refor"ador principal o professor que atrav s de uma metodologia adequada possibilita ao aluno a observa"*o do sucesso de sua aprendizagem e isso faz com que seu comportamento de aprender seja refor"ado. na maioria das vezes os conhecimentos.que facilita uma resposta dos alunos. contudo isso n*o acontece na sala de aula porque o principal refor"ador. n*o s*o do aluno. provas e trabalhos. 6a escola atual esses refor"adores est*o muito restritos a pontos que os alunos ganham por meio de simulados. esquecimento rápido. =uanto a modelagem nas salas de aula os professores n*o possuem condi"#es para elaborar uma metodologia de ensino e planejamento de aprendizagem. evas*o da escola. tem que lidar com vários alunos ao mesmo tempo e isso faz com que seu refor"o e sua regra n*o sejam de acordo com a resposta emitida pelo aluno. falta de desejo de aprender. isolamento dos colegas 8 ficando sem recreio ou indo para a sala do diretor ou biblioteca copiar alguma tarefa ( . um processo de refor"amento negativo muito utilizado nas escolas atrav s de tarefas e1tras. )utro problema s*o os refor"adores positivo que s*o apresentados na sala de aula. já os bons alunos s*o aqueles que consegue memorizar o maior n. . Diante dessas situa"#es o aluno at estuda para livra(se delas. mas da metodologia adotada pela escola para fazer com que ele aprenda. feira de ci/ncias. já pronto. dentre outra.mero poss$vel de resposta e que estuda a fim de evitar as puni"#e. gincana. agressividade. mas surgem outros problemas como ansiedade. s*o apresentados aos alunos. o professor. &'inner se posiciona diante dessas situa"#es ressaltando que tais problemas que surgem no cerne da sala de aula.

<arcus @inicius da. &'inner rompe com o & ( ? a partir do momento que postula o constructo te2rico do Condicionamento )perante. ?io de CaneiroD D-Ea. abs . -eter. KLLO. possibilitando assim a aprendizagem e fazendo com que os elementos refor"adores promovam o sucesso da modelagem.res em FG0GA0FGGM C2digo do te1toD . ?efer/ncias C%6:A.ecnologia do ensino. &HI664?. 4d. adoreii S <e ajudou bastante D) KO0KG0FGKG KTDAT ( Marcelo Souza Qn*o autenticadoR &2 uma corre"*o.4ntretanto as escolas ainda possuem alguns meios de refor"ar o comportamento de aprendizagem atrav s de manipula"*o direta do ambiente. com poucas conseq>/ncias aversivas. FGGA. da %niversidade de &*o -aulo. !urrhus Jrederic.PKOLAA Comentários KL0KG0FGKF KGDPP ( Laís Qn*o autenticadoR <uito bom o te1too. N4I?. fazendo com que os estudantes selecionem quais tipos de autocontrole eles aceitam ou quais n*o aceitam. isso liberdade para um behaviorista. 4%A. &*o -aulo. =uem faz isso Natson. AB edi"*o. -sicologia da 4duca"*o. janayres 4nviado por jana. KLMF.ruman. -aramount -ictures. . &ho+ de . &'inner n*o se dedicou a estudar a rela"*o 4stimulo ( resposta.

41iste uma incompreens*o dos pressupostos te2ricos desta abordagem. bem como aumentar a qualidade de vida das pessoas.dos. ) !ehaviorismo estuda estas rela"#es e procura meios de melhorá(las. 6a minha opini*o. o uma lei a qual estamos submetidos. -arab ns.KA0GL0FGKG KODFK ( Vinícius Qn*o autenticadoR &eu te1tos traz 2timas observa"#es e conte. com grandes contribui"#es para o desenvolvimentos das pessoas e da sociedade. ) filme retrata uma situa"*o fict$cia onde uma pessoa artificialmente desde o seu nascimento e sua vida milhares de telespectadores. . querendo ou n*o. KK0GU0FGKG KPDKA ( We erton !onseca )lá. Como vc disse o behaviorismo alvo de muitas cr$ticas. que gera muito preconceito e interpreta"#es equivocadas. @ivemos em uma sociedade que pune e recompensa comportamentos. a maioria das vezes infundadas. o !ehaviorismo radical uma das mais s rias e rigorosas teorias da controlada psicologia. Com certeza esta n*o condicionamento vendida como um sho+ para a proposta do !ehaviorismo.