You are on page 1of 67

ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS

Escola Iniciática
www.academiadecienciasfuturas.org.br

IrIneu FIlaleto
Júnior
Caro amigo, Procuramos ajuntar neste arquivo todos os textos encontrados na Internet de Irineu Filaleto. Sabemos, no entanto, que ainda existem por aí alguns textos escritos por este alquimista, assim como referências históricas sobre ele escritas por outros autores as quais não tivemos acesso. Se você por acaso tiver ou encontrar algum destes textos, que ainda não foi compilado neste arquivo, pedimos, por favor, enviar uma cópia eletrônica do mesmo para o e-mail: academia-contato@academiadecienciasfuturas.org.br , para que possamos agregar a este tornado-o assim um arquivo completo sobre este filósofo e possamos oferecer a todos um trabalho o mais completo possível sobre Filaleto. Outros Textos sobre outros alquimistas também serão agregados em um único arquivo com o nome do Alquimista e colocado a disposição de todos em nosso site: www.academiadecienciasfuturas.org.br . Não queremos com isto ferir os direitos autorais de quem quer que seja, os textos aqui compilados por nós encontram-se livremente distribuídos pela interne e por isso considerados de direito público, caso tenhamos cometido algum engano a este respeito, por favor avise-nos para que possamos retificar nosso erro. Esperamos com isso dar a nossa contribuição, para propagar livremente e gratuitamente o acesso ao saber dos Mestres a todo sincero buscador da Arte. Agradecemos a todos pela atenção e colaboração,

Índice
IRINEU FILALETO
ENTRADA ABERTA AO PALÁCIO FECHADO DO REI - EXPERIENCIAS - MEDULA DA ALQUIMIA - COMENTÁRIO DA VISÃO DE SIR GEORGE RIPLEY - PRINCÍPIOS: PARA DIRIGIR AS OPERAÇÕES NA OBRA HERMÉTICA - O SEGREDO DO ELIXIR DA IMORTALIDADE CHAMADO ALKAEST OU IGNIS AQUA - ELUCIDANDO A PRÁTICA

ENTRADA ABERTA AO PALÁCIO FECHADO DO REI
Índice
APRESENTAÇÃO PREFÁCIO DO AUTOR DA NECESSIDADE DO MERCÚRIO DOS SÁBIOS PARA A OBRA DO ELIXIR DOS PRINCÍPIOS QUE COMPÕEM O MERCÚRIO DOS SÁBIOS DO AÇO DOS SÁBIOS DO ÍMÃ DOS SÁBIOS O CHAOS DOS SÁBIOS O AR DOS SÁBIOS DA PRIMEIRA OPERAÇÃO DA PREPARAÇÃO DO MERECÚRIO FILOSÓFICO PELAS ÁGUIAS VOLÁTEIS. DO TRABALHO E DOS CUIDADOS DA PRIMEIRA PREPARAÇÃO DO ENXOFRE QUE SE ENCONTRA NO MERCÚRIO FILOSÓFICO DA INVENÇÃO DO PERFEITO MAGISTÉRIO DA MANEIRA DE REALIZAR O PERFEITO MAGISTÉRIO EM GERAL DO EMPREGO DE UM ENXOFRE MADURO NA OBRA DO ELIXIR DAS CIRCUNSTANCIAS QUE SE PRODUZEM E QUE SÃO REQUERIDAS PARA A OBRA EM GERAL DA PURGAÇÃO ACIDENTAL DO MERCURIO E DO OURO DO AMÁLGAMA DO MERCÚRIO E DO OURO E DO PESO ADEQUADO DE UM E DE OUTRO DAS PROPORÇÕES DO VASO , DE SUA FORMA, DE SUA MATÉRIA E A MANEIRA DE FECHÁ-LO. DO ATANOR OU FORNO FILOSÓFICO DO PROGRESSO DA OBRA DURANTE OS QUARENTA PRIMEIROS DIAS DA CHEGADA DO NEGROR NA OBRA DO SOL E DA LUA

ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS
Escola Iniciática
www.academiadecienciasfuturas.org.br
DA COMBUSTÃO DAS FLORES E DO MEIO DE EVITÁ-LA O REGIME DE SATURNO, O QUE É, E POR QUE É ASSIM CHAMADO DOS DIFERENTES REGIMES DESTA OBRA. DO PRIMEIRO REGIME DA OBRA, QUE É O DO MERCÚRIO DO SEGUNDO REGIME DA OBRA, QUE É DE SATURNO DO REGIME DE JÚPITER DO REGIME DA LUA DO REGIME DE VÊNUS DO REGIME DE MARTE DO REGIME DO SOL A FERMENTAÇÃO DA PEDRA A EMBEBIÇÃO DA PEDRA A MULTIPLICAÇÃO DA PEDRA DA MANEIRA DE REALIZAR A PROJEÇÃO DOS MÚLTIPLOS USOS DESTA ARTE

EXPERIENCIAS
Índice
SEGREDO DO ARSÊNICO FILOSÓFICO SEGREDO PARA PREPARAR O MERCÚRIO COM SEU ARSÊNICO E RETIRAR-LHE AS FEZES DEPURAÇÃO DO MERCÚRIO DOS' SÁBIOS OUTRA PURGAÇÃO EXCELENTE SEGREDO DA JUSTA PREPARAÇÃO DO MERCÚRIO DOS SÁBIOS SEGREDO DO MERCÚRIO DOS SÁBIOS OUTRA PURGAÇÃO MUITO BOA TRIPLA PROVA DE EXCELÊNCIA DO MERCÚRIO PREPARADO OUTRA, E SEGUNDA PROVA. EXTRAÇÃO DE ENXOFRE DO MERCÚRIO, PELO MEIO DA SEPARAÇÃO SEGREDO PARA TIRAR O OURO MÁGICO DESTA MODO DE TIRAR O OURO POTÁVEL DESTE ENXOFRE AURÍFICO
CONJUNÇÃO GROSSEIRA DO MÊNSTRUO COM SEU ENXOFRE PARA FORMAR A PRODUÇÃO DO FOGO DA NATUREZA

ELABORAÇÃO DA MISTURA POR UM TRABALHO MANUAL IMPOSIÇÃO DO FETO NO OVO FILOSÓFICO E ÚLTIMO. REGIME DO FOGO

MEDULA DA ALQUIMIA
Índice

COMENTÁRIO DA VISÃO DE SIR GEORGE RIPLEY
Índice
VI QUE UM SAPO AVERMELHADO... ... BEBIA O SUCO DE UVAS... ... COM TANTA PRESSA... ... QUE, CHEIO TRANSBORDANDO DO CALDO, LHE EXPLODIRAM AS TRIPAS. DEPOIS DISTO, DO SEU CORPO ENVENENADO ESCAPOU O VENENO LETAL, E OS SEUS MEMBROS COMEÇARAM A INCHAR, SE SENTIA TÃO DOÍDO E TÃO MAL. EMPAPADO EM SUOR ENVENENADO, SE DIRIGIU À SUA SECRETA MADRIGUEIRA, E EXALANDO UM CHEIRO PESTILENTO BRANQUEOU AS PAREDES DA COVA. DEPOIS DE UM TEMPO, COMEÇOU A APARECER UMA NEBLINA DE COR DOURADA, CUJAS GOTAS PINTAVAM O CHÃO DE VERMELHO AO CAIR DO ALTO E QUANDO AO SAPO COMEÇOU A LHE FALTAR O ALENTO VITAL, NEGRO COMO O CARVÃO FICOU O MORIBUNDO ANIMAL. E DESTA FORMA, SE AFOGOU DENTRO DO VENENO QUE PELAS SUAS VEIAS FLUÍA. ASSIM ESTEVE, APODRECENDO, DURANTE OITENTA E QUATRO DIAS. EU DESEJAVA EXPERIMENTAR PARA EXTRAIR AQUELE VENENO, COM O VENENO OBTIDO UM REMÉDIO FABRIQUEI, GLÓRIA AO QUE NOS PROPORCIONA ESTES SECRETOS MÉTODOS,

PRINCÍPIOS: PARA DIRIGIR AS OPERAÇÕES NA OBRA HERMÉTICA
Índice

O SEGREDO DO ELIXIR DA IMORTALIDADE CHAMADO ALKAEST Ó IGNIS AQUA ELUCIDANDO A PRÁTICA

ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS
Escola Iniciática
www.academiadecienciasfuturas.org.br

IRINEU FILALETO
ENTRADA ABERTA AO PALÁCIO FECHADO DO REI
Índice

IRINEO FILALETO

APRESENTAÇÃO

Índice

Protegido pelo nome de Adepto, Filaleto (amigo da verdade ou , num jogo de palavras, amigo do esquecimento) admoestava ao longo do prefácio de sua obra (dita extremamente clara sobre a Arte Real) sobre' a necessidade de se ter o cuidado, que o estado obtido pelo adeptado obrigava a ter, necessário com o comum dos mortais: 'Mas os hábeis são ardilosos, sutis, perspicazes e seguramente são penetrantes como Argus; alguns são curiosos, outros maquiavélicos, que buscam mui profundamente na vida, nos costumes e nas ações dos homens e de quem, pelo menos, se as relações são íntimas, é muito difícil se ocultar-. E tudo isto decorre de um fato claramente exposto em outra passagem da mesma obra: "E juro, de boa-fé, que se o regime fosse somente exposto à luz do dia, os próprios tolos troçariam da Arte". Refere-se Filaleto precisamente ao mais importante deste livro que apresentamos: o conhecimento dos regimes secretos do fogo. Esta informação fundamental para a arte conhecida também sob a designação de Filosofia do Fogo, juntamente com o saber da matéria prima seriam suficientes para a obtenção da Pedra Filosofal e do Elixir da Longa Vida Contudo, que o leitor se ponha em guarda: nosso autor não é Mo claro e idoso quanto se pretende. Alguns trechos de seu livro são propositadamente obscuros a fim de evitar que o arcano seja completamente te desvelado e venha a cair na posse daqueles que muito mau uso dele poderiam fazer. Neste sentido é suficiente, para se ter urna idéia dos - pelo menos - péssimas conseqüências que adviriam de tal propalação do saber iniciático, ler o curioso livro de Lovecraft - 0 Estranho caso de Charles Dexter Ward. Como recomendação final ao leitor, gostaríamos de sugerir-lhe o livro extremamente claro de Eugéne Cânseliet - L'Alchimie expliquée sur ses textes classiques, Jean-Jacques Pauvert, Paris, 1972 em que os ensinamentos de Filaleto, entre outros, são cuidadosamente discutidos. Ainda, para os que se dispõem a ler em Português, são muitíssimo importantes dois outros livros desta mesma coleção: 0 Triunfo Hermético, de Limojon de Saínt-Didier e A Grande Arte, de Dom Pernety. Márcio Pugliesi

PREFÁCIO DO AUTOR I-

Índice

Tendo penetrado, eu, Filaleto, Filósofo anônimo, os arcanos os da medicina, da química e da física, decidi redigir este pequeno tratado, no ano 1645 da Redenção do mundo e o trigésimo terceiro de minha idade, a fim de resgatar o que devo aos Filhos da Arte e para estender a mão aos que estão desencaminhados pelos labirintos do erro. Assim, parecerá aos Adeptos que sou seu par e irmão; quanto àqueles que foram seduzidos pelos vãos discursos dos sofistas, verão e receberão a luz, graças à qual retomarão à rota mais segura. E pressagio, em verdade, que numerosos dentre eles serão esclarecidos

que se me censure. só se chegará a uma profunda ignorância. escrevendo-as pelo bem de meu próximo. em íntima e cotidiana comunicação Que a santa Vontade de Deus faça o que lhe aprouver. pois escrevi com franqueza. é um fogo puro. por assim dizer. que tem a potência dos dois sexos. ele é o grau supremo de perfeição da natureza e da arte. ou núcleo. no ouro. a ele.br por meus trabalhos. que chamamos de nossa pedra. nesta última era do mundo. Este ouro assim essencificado não é o do vulgo: chamamo-lo "nosso ouro".ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. II O ouro é então o único. reconheço-me indigno de operar tais maravilhas: adoro. Por isso. desejoso que estava de esconder a verdade sob zelosa máscara. em nossa obra. quer dizer. Esse ouro. Também o fixo se faz volátil por um tempo. sem nada ceder à violência deste. III Vê-se que todo o segredo consiste no Mercúrio. pois que sou eu mesmo Adepto. a este respeito.org. o nosso ouro que é necessário à nossa obra é de duas naturezas. CAPÍTULO PRIMEIRO DA NECESSIDADE DO MERCÚRIO DOS SÁBIOS PARA A OBRA DO ELIXIR I Índice Quem quer que deseje possuir esse Tosão de ouro. com os quais entrarei muito proximamente. citar todos os filósofos. . terão a felicidade de possuir este segredo. que é onde recebe a purificação. de onde se faz o nosso Hermafrodita. pois todo Mercúrio vulgar é macho. quanto pela arte de hábil operador. ë por isso que seu corpo se defende no fogo. Decerto. fiz e conheci: o Adepto o inferirá facilmente lendo estas páginas. tanto por sua natureza. os Alquimistas poderiam se glorificar à vontade. mas Deus me constrangia. persuado-me que há muitos mais ainda. Os espíritos demasiadamente sutis. corporal. e unem-se um ao outro por liame indissolúvel. IIIE já sei que muitos. sonham com quimeras. mas aquele dos Sábios. a quem todas as criaturas devem estar submetidas. nelas. um estado mais nobre por sua herança. cujo coração. do que o filósofo diz: "No Mercúrio se encontra tudo o que procuram os sábios". Uma levada à maturidade. com o qual se conjuga e onde deposita seu esperma. Crer-me-á quem quiser. assim corno eu. tendo o lugar de semente feminina. e que escrevo com mais clareza do que qualquer outro anterior. porém. se o deseja. Une-o a nosso ouro branco mais cru (nosso segundo ouro. pois que é em função dela somente que ele as criou e as mantém criadas. desaprovar-me-á quem puder. nem sofrer. e a quem se remete a glória no ciclo do Tempo. a altura é oculta. Donde creio que muitos. efetivamente. com o qual o enxofre coagulante que. entretanto. mas de experiências reais que vi. graças ao que obterá poderosíssima fixidez. detêm este segredo. IINão se trata de fábulas. é extrovertido. o pesquisador assíduo encontrará a verdade seguindo a via simples da natureza. certamente. Evidencia-se que esse Mercúrio não é o vulgar. e não pude resistir-lhe. simplesmente alçado ao mais alto grau de pureza e fixidez sutil a que puder ser levado. é o Latão Rubro. torna-se introvertido. mas não necessito de testemunhas. a santa Vontade de Deus. minha pena hesitou freqüentemente em escrever tudo. deve saber que nosso pó aurífero. afirmo-o. mesmo. menos cozido que o precedente). manifestada. afim de possuir em seqüência.academiadecienciasfuturas. Então. fixa. ma s a Obra Alquímica seria vã". que criou nosso Mercúrio e concedeu-lhe natureza que domina o Todo. exclusivo e verdadeiro princípio a partir do qual se pode produzir ouro. exerce o papel de macho. No entanto. o ouro corporal é morto antes de ser unido à sua noiva. não impedindo ao noviço sinceramente curioso de apreender nenhuma dúvida sem urna resposta plenamente satisfatória. basta-me declarar que jamais ninguém falou desta arte tão claramente quanto eu. Poderia. E Geber declara a seu respeito: "Louvado seja o Altíssimo. se não existisse. único que conhece os corações. e a profundidade. Assim. é o Ouro.

este Leão verde. com a cooperação da natureza. pela repetição dessas operações. nossa Lua. digo-o. vivo e vivificante. é no entanto. fabricado o Mercúrio dos Filósofos. que só é aperfeiçoada em sua natureza. entretanto.academiadecienciasfuturas. atribuindo-lhe considerável importância. porque não trabalham pela natureza. que ocupa o lugar de Mãe de todos os metais. nem criado. e quais são estas Ninfas que ele instruiu com seus encantamentos. tanto quanto eu. e quem quer que trabalhasse sem ele assemelhar-se-ia ao arqueiro que quisesse. O Filho tampouco é por nós conformado. Chaos ou espírito: com efeito. porque nossa matéria passa por diferentes estados. assemelha-se a metal fundido. composta de numerosos elementos. nosso Ar. nosso Imã. pois. Chama-se a este Chaos o nosso Arsênico. Não se pode. pois sei daqui extrair todas as coisas. O autor da "Nova Luz" dele falou sinceramente. sabei o que é o caduceu de Mercúrio. encontrá-lo em nenhum lugar sobre a terra. menos ainda. o licor de Satúrnia vegetal. antes do mênstruo de nossa prostituta seja extraído o Diadema Real. vitoriosa do Leão. então. nem espírito.br específico. o liame do Mercúrio. Apreendei tudo isso. se quereis atingir o objetivo de vossos desejos. e seu sangue se coagula com o suco da Satúrnia num só admirável corpo. sem corda. mas extraído daquelas coisas que o encerram. encontra-se nosso dragão ígneo): primeiramente. o descreverei Índice Índice . Sabeis quais são as pombas de Diana. porque ao fogo. eu. mas de forma obscura. ao passo que o nosso é espiritual. a tudo o que disser do Mercúrio. CAPÍTULO III DO AÇO DOS SÁBIOS I Os sábios Magos transmitiram a seus sucessores numerosos ensinamentos a respeito de seu Aço. porque. II O fogo é aquele de um enxofre mineral. mesmo o Sol e a Lua. não é corpo. que de tudo triunfa. a tudo destruindo por seu veneno. e afirmam ter .org. lançar flechas". II O ciúme não me levando a esconder aos investigadores de nossa Arte. nosso dragão ígneo. secundariamente. que é verdadeiramente o Dragão Babilônio. não é propriamente mineral e. pode ser penetrado pelo odor da Satúrnia vegetal. CAPÍTULO II DOS PRINCÍPIOS QUE COMPÕEM O MERCÚRIO DOS SÁBIOS I O objetivo daqueles que se aplicam a esta arte é purgar o Mercúrio de diferentes maneiras: uns o sublimam pela adjunção de sais. III A prendei. um Chaos. de maneira admirável. nosso Aço. É então. morto. o fogo que se encontra em todas as coisas.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. terciariamente. com efeito. Cada um interpretou à sua maneira. IV Atenta. segundo o Filósofo. Porem. feminino. mas sem participar destas duas substancias. e graças a arte sutil. Por isso entre os Alquimistas houve grande controvérsia em saber o que se devia entender pelo nome de Aço. pois que é totalmente volátil. coisa única feita de diversas substancias coaguladas a partir de única essência. metálico. e qual é o carvalho oco onde Cadmo pregou a serpente. Eis o que é requerido para a preparação de nossa água( em nossa água. quem são os companheiros de Cadmo e qual a serpente que os devorou. "Nosso Mercúrio é o Sal dos Sábios. sem o auxilio do elixir transmutatório. e o limpam de impurezas diversas. mas enganam-se. Que saibam então que nossa água. outros vivificam-no unicamente por si mesmo. mas sempre sobre diversos aspectos. Enfim. tem o meio entre o mineral e o metal. verdadeiramente. domesticando-o. entretanto. o que pode ser atestado por quem o viu. com a qual ele opera maravilhas.

No pólo. destarte poderá ele reinar honradamente sobre toda vida universal. II Estas palavras bastarão ao filho da Arte. Os Sábios viram-no no Oriente e contemplaram-no. Deus criou o céu e a terra. e o espírito de Deus era levado sobre as superfícies das águas. segue-a. de certo. secretamente. onde está o repouso de meu Senhor. II Por outra. Pois. III O Sábio se rejubilará. com efeito. declaro que nosso Ímã tem um centro oculto. separando-o de suas impurezas. e não se instruirá com a sabedoria. Navegando sobre este vasto mar. entretanto. e reconheceram que um Rei sereníssimo acabava de nascer no mundo.org. que o céu seja unido `a terra sobre o leito da amizade e do amor. volta-se naturalmente para o pólo. Sendo o Aço. desvelei-vos sincera e santamente a verdade. tendo em vista sua própria coagulação. Tem a cabeça tão empedernida que veriam prodígios e milagres sem por isso abandonar seus falsos arrazoados e entrar no bom caminho. até seu Berço: aí verás belo infante. medicina suprema para os três reinos da terra. todos os corpos confundidos formaram o Chaos. O céu é o espaço onde as grandes luminárias. e. a mina de ouro. III E tu. Este núcleo. no princípio. o milagre do Mundo. onde a virtude de nosso Aço é exaltada gradativamente.br verazmente. III Eis. a reunião harmônica das virtudes dos seres superiores nos seres inferiores. secreto em seu gênero. que vires tua estrela. e a terra era vazia e deserta. através dos ares. Então Deus disse: "Faça-se a Luz!" e a Luz se fez.academiadecienciasfuturas. executam suas revoluções e. e o ímã se volta espontaneamente para o aço. o espírito puro entre todos. governa sua rota pelo aspecto da estrela do Norte que nosso Ímã te fará aparecer. e. ele te dará da sua carne e de seu sangue. mas no princípio. com os astros. a matriz dos minerais. sem a qual o Fogo da lâmpada não pode ser iluminado por nenhum artifício: é a mina de ouro. por uma tendência original. É preciso. extremamente volátil. como vos ensinei. É por isso que o Todo Poderoso marcou-o com este signo notável pelo qual a natividade foi anunciada no Oriente. CAPÍTULO V O CHAOS DOS SÁBIOS I Que o filho dos filósofos escute os Sábios. CAPÍTULO IV DO ÍMÃ DOS SÁBIOS I Assim como o aço é atraído para o ímã. para abordar a uma e outra das Índias. abre teu tesouro para oferecer-lhe ouro. unânimes em concluir que esta obra deve ser comparada à criação do Universo. após sua morte. nosso Chaos é como uma terra mineral. Honra esse rebento real. que é verdadeiro fogo. por excelência. um fogo infernal. é um ar volátil no interior do qual se encontra o Céu Índice Índice . mas o insensato fará pouco caso disto. nem mesmo quando tiver visto o Polo central voltado para fora e marcado pelo signo reconhecível do Todo Poderoso. Este sal é um mênstruo na esfera da Lua e pode calcinar o ouro.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. onde jaz abundância de sal. A terra é corpo grave. e as trevas cobriam o abismo. se encontra o coração do Mercúrio. igualmente o Ímã dos Sábios atrai seu Aço. maravilhados. devemos também considerar nosso imã como verdadeira mina de nosso Aço. levando para a luz as árvores e os animais. Nosso Aço é a verdadeira chave de nossa Obra. porque ela os conserva em si mesma. comunica sua força as seres inferiores.

ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS
Escola Iniciática
www.academiadecienciasfuturas.org.br dos Filósofos, em seu centro, núcleo este verdadeiramente astral, irradiando por seu esplendor, a terra, até sua superfície. E qual é o Mago sábio o bastante para inferir do que acabo de dizer que um novo rei nasceu, mestre de todas as coisas, que resgatará seus irmãos, da impureza original, que deve morrer e ser exaltado a fim de dar sua carne e seu sangue para a vida do mundo? IV Ó Deus cheio de bondade, como tuas obras são admiráveis! Tu fizeste isto, e surge a nossos olhos como milagre. Rendo-te graças, Pai, Senhor do céu e da terra, por teres ocultado estas maravilhas aos sábios e aos prudentes, para desvelá-las aos pequeninos. CAPÍTULO VI O AR DOS SÁBIOS I O espaço, ou o firmamento, é chamado de AR nas Santas escrituras. Nosso Chaos é também chamado de AR, e isto não deixa de ser um segredo notável, pois como o ar firmamental, nosso ar é o separador das águas. Nossa Obra é pois realmente um sistema harmônico no mundo maior. Com efeito, as águas que estão sob o firmamento são-nos visíveis, a nós que vivemos sobre a terra; mas as águas superiores escapam a nossos olhares, em razão de sua distancia. Da mesma forma, em nosso microcosmo, há águas minerais sadias do núcleo, que aparecem, mas aquelas que estão encerradas no interior nos são invisíveis, e, não obstante, existem de fato. II São estas as águas de que fala o autor da "Nova Luz": elas existem, mas aparecem somente quando o artista o julga conveniente. Assim como o ar faz uma separação entre as águas, também nosso AR impede que as águas excêntricas penetrem ate aquelas que estão no centro. Pois se elas aí chegassem, e se misturassem, logo se uniriam inseparavelmente. III Direi então que o enxofre externo, vaporoso, comburente, adere tenazmente ao nosso Chaos, à tirania do qual ele não tem forças para resistir, se bem que, puro, ergue-se do fogo sob a aparência de um pó seco. Mas se sabe irrigar esta terra árida com uma água de seu próprio gênero, alargarás os poros desta terra, e este gatuno externo será expelido para fora juntamente com as operações da desordem, a água será purgada pela adição de um verdadeiro enxofre de seus excrementos leprosos e de seu humor hidrópico supérfluo; e terás em tua posse a fonte do Conde Trévisan, cujas águas são propriamente dedicadas à virgem Diana. IV Este ladrão é um birbante, armado de arsenical malignidade, que o rapaz alado abomina, e foge. E se bem que a água central seja sua noiva, ele não ousa mostrar o amor mais ardente que experimente por ela, por causa das emboscadas do biltre cujas artimanhas são quase inevitáveis. Que Diana aqui favoreça, que saiba domar as bestas selvagens e cujas duas pombas ( que foram encontradas voando sem asas nos bosques da Ninfa Vênus) temperem com suas plumas a malignidade do ar; para que o jovem entre facilmente pelos poros, logo abale as águas polares superiores, que não foram comovidas pelos maus odores, e suscite negra nuvem: aí verterás as águas, até que apareça a brancura da Lua. As trevas que estavam sobre a face do abismo serão dissipadas pelo espírito movendo-se sobre as águas. V Daí, pela ordem de Deus, aparecerá a luz. Separa sete vezes esta luz, das trevas, e esta criação filosófica do Mercúrio será perfeita; o sétimo dia será para ti um sabbat de repouso. Deste tempo, até o fim da passagem do ano, poderás esperar a geração do filho do Sol sobrenatural que virá ao mundo ao fim dos séculos para libertar seus irmãos de toda a impureza. CAPÍTULO VII

Índice

ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS
Escola Iniciática
www.academiadecienciasfuturas.org.br DA PRIMEIRA OPERAÇÃO DA PREPARAÇÃO DO MERECÚRIO FILOSÓFICO PELAS ÁGUIAS VOLÁTEIS. Índice

I Sabe, meu irmão, que a exata preparação das Águias dos Filósofos é considerada como o primeiro grau da perfeição, o que só se deixa conhecer por mente hábil. Não crê, realmente, que esta ciência tenha chegado a algum de nos por acaso, ou por imaginação fortuita, como o pensa nesciamente a massa dos ignorantes: a busca da verdade custou-nos longo e pesado labor, numerosas noites sem sono, muitos penares e suores. Portanto tu, estudioso aprendiz, sê fortemente persuadido que, sem esforço nem trabalho, a nada chegarás na primeira operação. Quanto à segunda, é apenas a natureza que opera, sem que seja necessária tua mão, senão para aplicar, externamente, um fogo moderado. II Compreende, pois, irmão, o que querem dizer os Sábios quando escrevem que devem levar suas águia a devorar o leão; quanto menos águias há, mais a batalha é rude e mais tardia a vitória; mas a operação é perfeitamente executada com um numero de sete ou nove Águias. O Mercúrio Filosófico é o pássaro de Hermes, que é chamado ora de Ganso, ora Faisão, ora este, ora aquele. III Quando os magos falam de suas Águias, delas falam no plural e contam-nas entre três e dez. Mas não querem dizer com isso que se deva ajuntar a um peso dado de terra, tantas medidas d’água quanto forem as águias, mas deve-se compreender que falam do peso interno ou da força do fogo, quer dizer, sem duvida que se deve tomar água tantas vezes sutilizadas quantas águia contam; esta atuação é feita por sublimação. Assim, cada sublimação do Mercúrio Filosófico corresponde a uma águia, e a sétima sublimação exaltará teu Mercúrio a ponto de formar um banho mui conveniente para teu Rei. IV Para desfazer a dificuldade, lê atentamente o que segue: toma quatro partes de nosso Dragão Ígneo, que esconde em seu ventre o Aço mágico, e nove partes de nosso ímã: mistura-os juntos com o auxílio do tórrido Vulcano, de modo que formem uma água mineral onde sobrenadará uma escuma que deve ser rejeitada, deixa a crosta e toma o núcleo, purga-o três vezes pelo fogo e o sal, o que será feito facilmente se Saturno contemplou sua própria beleza no Espelho de Marte. V Daí nascerá o Camaleão, quer dizer, nosso Chaos, onde estão escondidos todos os segredos, não em ato , mas em potência. É esse o infante Hermafrodita; envenenado desde o berço pela mordida do cão enraivecido de Corascena, por causa de uma hidrofobia permanente, ou medo da água, que o torna louco e insensato; e agora que a água é o elemento natural mais próximo dele, ele a abomina e foge dela. Ó Destinos! VI Não obstante, encontram-se na floresta de Diana, duas pombas que suavizam sua raiva insensata ( se as aplica com arte da Ninfa Vênus ). então para impedir que esta hidrofobia o retome, mergulhe-o nas águas, e que ele pereça. Neste momento, o Cão Negro Enraivecido, sufocado, incapaz de suportar as águas, subirá quase até a sua superfície; persegue-o à forca de chuva e golpes, e faz com que fuja para bem longe; assim desaparecerão as trevas. VII Quando a Lua brilhar plenamente, dará asas à Águia, que voará, deixando mortas atras de si as pombas de Diana, que se não sendo mortas no primeiro encontro, de nada podem servir. Reitera sete vezes esta operação, e enfim encontrarás o repouso, tendo simplesmente que fazer cozer; é a mais perfeita tranqüilidade, jogo de crianças e trabalho de mulheres.

ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS
Escola Iniciática
www.academiadecienciasfuturas.org.br CAPÍTULO VIII DO TRABALHO E DOS CUIDADOS DA PRIMEIRA PREPARAÇÃO I Alguns ignorantes, que brincam de químicos, imaginam que a obra inteira, do começo ao fim, é apenas pura recreação, onde só se encontra o deleite, e decretam que a dificuldade está fora deste lavor; que gozem desta opinião, tranqüilamente; na obra que estimam ser tão fácil, só recolhem ventos, graças as suas operações ociosas. Quanto a mim, sei por experiência própria que, uma vez adquirida a benção divina e um bom começo, só se pode Ter sucesso com muito penar, engenhosidade e assiduidade II E, certamente, não há trabalho tão fácil que se possa considerar que seja divertimento ou adivinhas, e que leve ao objetivo tão procurado. Ao contrario, como diz Hermes, não se deve poupar nenhum esforço, quer intelectual, quer físico. Senão , o que predisse o Sábio em suas parábolas, verificarse-a: o desejo do preguiçoso fá-lo-á perecer. Também não se deve surpreender que tantas pessoas se intrometem com a alquimia tenham-se reduzido à indigência, pois que fogem do trabalho, sem recear as despesas. III Mas eu, que conheço a operação, por tê-la praticado cuidadosamente, sei com certeza que não há trabalho mais enfadonho que nossa primeira preparação. Por isso que Morien advertiu seriamente o Rei Calid que muitos sábios queixam-se do cansaço que lhes causava esta operação. E não gostaria que isso fosse tomado metaforicamente, pois não considero os fatos tais como aparecem no inicio da obra sobrenatural, mas tais como se encontram desde o começo. Tornar a massa bem disposta, diz o poeta, é o trabalho, é a obra. E acrescenta: "Um, (Jasão) de um pico conhecido (mostra-te) o tosão de ouro... O outro, (Hércules), (ensina-te) que fardo deves suportar e com que trabalho submeter esta massa espessa e este enorme peso..." Ë o que faz dizer ao celebre autor do "Segredo Hermético", que o primeiro trabalho é um trabalho de Hércules. IV Encontram-se, de fato, em nosso princípio, numerosos elementos heterogêneos supérfluos impossíveis de levar à pureza (aquela que convém à nossa obra) e que se deve então completamente eliminar, o que não se pode fazer, ignorando a Teoria de nossos segredos, graças à qual ensinamos o meio de tirar do sangue menstrual desta prostituta o Diadema Real. E quando se conhece esse meio, resta ainda, um grande trabalho, tão pesado que, como diz o Filosofo, muitos, assustados pelas dificuldades, abandonam sua obra inacabada. V Não crê, no entanto, que uma mulher não possa empreender esse trabalho se ele o considera seriamente, e não como jogo. Mas uma vez preparado o Mercúrio, que Bernardo Trévisan chama a sua fonte, encontra-se enfim o repouso que, segundo o Filosofo, é bem mais desejável que todos os outros louvores. CAPÍTULO IX O PODER DE NOSSO MERCÚRIO SOBRE TODOS OS METAIS I Nosso Mercúrio é essa serpente que devorou os companheiros de Cadmo, o que nada tem de surpreendente, pois que anteriormente devorou o próprio Cadmo, se bem que mais forte que eles. Ao fim, porem, Cadmo a trespassará desde que pela força de seu sopro saiba coagulá-la. II Saberei pois que nosso Mercúrio comanda todos os corpos metálicos e pode resolvê-los em sua

Índice

II Este fogo sulfuroso é a semente espiritual que nossa Virgem (permanecendo imaculada) não deixou de receber. em verdade. Índice Índice . conserva todas as propriedades e a forma do Mercúrio. por simples e única digestão. III Concluo dizendo que esse Mercúrio é mais próximo do primeiro ente metálico do que qualquer outro Mercúrio. que faz girar a roda e virar o eixo circularmente. mas dissolve o ouro corporal. É graças a este enxofre que nosso Mercúrio é Hermafrodita. como a experiência o mostra e como o disse o autor do "Segredo Hermético". mas ativo e verdadeiro. porem. a morte deve necessariamente preceder a união perfeita. mas sendo assim composto. Ë pois necessário que esta forma lhe tenha sido dada por nossa preparação: esta forma é enxofre metálico. destarte. porque a virgindade pode suportar um amor espiritual sem ser corrompida. pelo mesmo fogo ele coagula a si mesmo. ele não se coagula. Júpiter e Vênus. liqüefazendo-o e dissolvendo-o pelo calor temperado que exige o composto. de três a sete águias. e após essa dissolução permanece com ele sob a mesma forma. e sabe que o Mercúrio de uma. comanda a Lua. que esse enxofre espiritual metálico é realmente o primeiro motor. com a permissão de Deus. comanda o Sol. e que entretanto. que Deus concedeu. Com efeito. não chego a persuadirme que ninguém a tenha tido por revelação imediata. sob a única ação de um calor externo adequado. a fim de que após a morte sejam unidos não simplesmente numa perfeição uma só vez perfeita. Este Mercúrio é. o corpo estando bem dissolvido. duas ou três águias comanda Saturno. III Isto parecer-te-á.org. por isso penetra radicalmente os Corpos Metálicos e manifesta suas profundezas secretas. E se é unido com o Sol. Nenhuma pessoa sensata poderia negar que aquele que sondou a natureza das plantas e das arvores. mas bastante puro: é por isso que. abranda-o. a cada dia assume um aspecto mais mole até que. que adquiriram o conhecimento desta ciência sem o auxílio de livros. Mas mesmo tendo-a adquirido assim. não somente ele não se coagula. ouro volátil. Mas quando se une ao Sol. quiçá . CAPÍTULO X DO ENXOFRE QUE SE ENCONTRA NO MERCÚRIO FILOSÓFICO I O mais extraordinário de tudo é que em nosso Mercúrio encontra-se um enxofre não somente atual. quando simplesmente pedira a sabedoria. coagula a si mesmo. os espíritos começam a se coagular. IV Vê-se. assumindo nigérrima cor e desprendendo odor extremamente fétido. à vontade do artista. enfim. nada impediria que a tivesse obtido pela pesquisa. exceto talvez Salomão. para que com ela possuísse a riqueza e a paz. acrescido de enxofre interno por nosso artifício. CAPÍTULO XI DA INVENÇÃO DO PERFEITO MAGISTÉRIO I Eis a maneira pela qual os Sábios de outrora. questão que prefiro não abordar. quando se tem de sete a dez. incrível. puro e limpo.academiadecienciasfuturas. transforma-se em Sol. quer dizer. Mas se o conjuga ao Sol já perfeito. do cedro do Líbano até o hissopo e a parietária. e este enxofre é um fogo que putrefaz o sol composto ou decomposto. mas mais de mil vezes perfeita. que a partir do mesmo grau visível de digestão ele contem ao mesmo tempo um princípio ativo e um princípio passivo.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. Esta coagulação se faz em forma de creme de leite como terra sutil sobrenadando as águas. mas é real que o Mercúrio Homogêneo.br mais próxima matéria mercurial separando seus enxofres. não tenha semelhantemente penetrado a natureza mineral. foram levados a possui-la. não ainda suficientemente digerido. e sua coagulação produz o Sol e a Lua.

como disto falamos suficientemente nos capítulos precedentes. mas por mais artifícios que empregassem. cujo menor grão bastaria para coagular o corpo de todo o Mercúrio. a terem possuído o Magistério. ao mais perfeito dos metais. digo que há lugar para crer que os primeiros Adeptos. pois é impossível retornar imediatamente da falta à posse. que é o ouro. privado de movimento. mas a experiência mostrou-lhes que ele conservava suas próprias escórias. e experimentaram sua ação sobre o ouro. IV Pela mesma razão. Então. o calor exterior deveria ser acompanhado de um calor interno. impediam que ele fosse digerido. o ente primordial de todos os sais. extraíram dos minerais menores. VII Enfim. esta vida só se encontra no enxofre metálico. águas extremamente quentes. e rejeita espontaneamente de seu Centro as impurezas e as escorias. por destilação. um enxofre fermentativo. que no Mercúrio havia condensações aquosas e impurezas terrosas que. conservava um movimento continuo tanto quanto o lugar e outros caracteres exteriores permanecessem bem dispostos. II Mas. senão destruindo todo o composto. para obter o fogo necessário ao sucesso. se bem que diversamente. encerrava porem. porque não continha nenhum enxofre metálico. não procuraram de início a maior perfeição.org. enquanto que deveria ser ativo. que os magos procuraram em Vênus. o sal mais . este fruto ainda verde caía por si mesmo. Convenceram-se de que era impossível.academiadecienciasfuturas. purgá-lo inteiramente. não puderam assim fazer com que o Mercúrio mudasse suas qualidades intrínsecas. com as quais corroeram o Mercúrio. não permaneciam com o corpo dissolvido. dentre os quais coloco Hermes. e que não poderiam ser eliminadas. Inicialmente. como falavam-lhes os livros.br estudo não menos agradável. VI É um enxofre passivo o que se encontra no Mercúrio. Ora. V Aprenderam. que dissolve qualquer metal que seja e coagula o Mercúrio da mesma maneira. rejeitaram todos os sais. e que para chegar a isto. quanto ao peso e à homogeneidade. Experimentaram então diferentes métodos de purgação. a crer que teria o mesmo efeito sobre o Mercúrio. e como tinha a força de desembaraçar o ouro maduro de suas impurezas. de mesma natureza. porque esta operação exige uma destruição. mas em vão. Também observaram os sábios. III Por isso pensaram que. eis porque um agente desta espécie é novamente separado dos corpos que dissolveu. apesar de seus esforços. mas contentaram-se em exaltar os metais imperfeitos à dignidade Real. e aqueles mênstruos. esforçando-se por levá-lo ao cozimento à maturidade do ouro. para as quais um agente intermediário é preciso. finalmente. enfim. e depois uma regeneração. e nas substancias semelhantes. em abundância. parecia privado de vida. que desperta a vida latente no Mercúrio: "assim a vida recebe a vida". profundamente incrustadas. retornando a nosso assunto. interessam-se por um filho de Saturno. de forma que. e que o Mercúrio era totalmente semelhante. mas nenhum fogo permitiu-lhes lá chegar. Mas. Ele é finalmente transformado basicamente. foram levados pelo argumento do maior ao menor. desde que se lhe retirassem suas impurezas e coágulos. nada perdendo de seu peso nem de suas qualidades. de fato.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. como o fogo. mas em vão. porque todas essas águas corrosivas eram apenas agentes externos. salvo um. recordaram-se da bem conhecida máxima: sê puro. mas isso só se faz por via violenta. deve-se então introduzir outra vida. que o Mercúrio havia sido destinado a ser um metal nas entranhas da terra. Digo que aprenderam a fixar a Mercúrio quando puderam se desembaraçar destas escórias. Ele Contem em si mesmo. tu que desejas purificar a outrem. e como deram-se conta que todos os corpos metálicos tinham uma origem mercurial. como os chamavam. Então procuraram este calor em diversas coisas. se por acaso se produzisse qualquer perturbação.

e tiveram êxito. sem o qual enlouqueceria e só poderia subsistir sob forma coagulada. glorioso. O céu permaneceu nublado por um pouco. o absorve e oculta em suas entranhas. XII Por fim . fiel gratuitamente aos outros pesquisadores o que me foi gratuitamente concedido por aquele doador.br puro da natureza. que ocultou aos olhos da maioria. poderia tornarse o campo em que o Sol. mas por vê-lo preparado. mas capaz de receber o enxofre. por conseguinte. que a mantém rigidamente aprisionada. Por isso é que aí puseram o Sol. imprime-lhe seu selo real. uma malignidade arsenical misturada a este enxofre. E o Todo Poderoso . e sua Lua viva. e que era somente passivo. foi vivificado o morto e morreu o vivo. muito branda e próxima do estado primeiro dos metais. e se prostituir. que em nossa operação Índice . cresceria em virtude. CAPÍTULO XII DA MANEIRA DE REALIZAR O PERFEITO MAGISTÉRIO EM GERAL. VIII Descobriram que no Mercúrio havia muito pouco enxofre. misturaram a vida com a vida. mas era bastante volátil para não deixar nenhum deposito no fundo do vaso. reencontrou sua serenidade. I Devemos oferecer a Deus eternas ações de graças por nos Ter mostrado esses arcanos da natureza. absorvido neste filho de Saturno. completamente desprovida de enxofre atual. durante um longo período. Por essa razão. ele o atrai como um ímã. Puseram-no sobre o fogo e coagularam em pouco tempo. mas ainda volátil. umectaram a seca pela a liquida. Sabe. sendo ele mesmo matéria metálica puríssima. Então rejubilaram-se os magos. como a natureza o exigia. Desvelarei. tendo em vista a grande quantidade que o enxofre detinha em sua natureza mineral. uma vez semeado. para perfazer esta obra. o espírito exaltou-se. e vivificaram a morte. em sua destilação. XIII Consideraram igualmente que sendo o ente primordial do ouro. impedia a união daquele enxofre com o Mercúrio. em sua coagulação. o qual puseram sobre o fogo. porque ainda havia. no entanto ela é estúpida aponto de preferir coabitar com o inimigo.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. metais e vegetais.org. mas depois das abundantes chuvas. Por isso que ela faz aliança com um enxofre arsenical ardente. mas somente enxofre potencial. e prosseguiram a obra. para si mesmos. pela vida. Assim. o corpo se putrefez. observaram que o Mercúrio assim purificado e não ainda coagulado não mais era metal. e a alma foi exaltada numa quintessência. pois. não somente por Ter encontrado o enxofre. X Tentaram dele se servir para purgar o Mercúrio. medicina soberana para animais.academiadecienciasfuturas. os magos o encontraram profundamente escondido na casa de Áries. tentaram temperar esta malignidade do ar com as pombas de Diana. Então . do que renunciar a ele a aparecer sob uma forma mercurial. mas sem sucesso. o corpo duro abrandou-se. O filho de Saturno acolheu-o com avidez. procurando mais ainda este enxofre ativo. para surpresa da própria natureza. encerraram-nos num vidro. esses sábios. e para sua grande surpresa. IX Então. não encontraram enxofre atual nesta posteridade de Saturno. Por esta causa. e o que era coagulado se encontrou dissolvido. encontraram o Sol e a Lua. XIV Foi o que os levou a conjugar estes dois corpos. e se bem que muito pouco. o que no Mercúrio era fixo tornou-se volátil. Por isso chamaram-no seu Sol ainda não amadurecido. XI Daqui surgiu um Mercúrio Hermafrodita. subtilizaram a passiva pela ativa.

por muito tempo. raspar a cabeça e usar uma peruca. logo se começou a falar do Elixir dos Sábios. em que a felicidade encontraríamos. numerosos segredos que. "Quem quer que me encontre. e por milagre . nós. uma sobre a outra. dentre aqueles que se atribuem o aspecto da honestidade. que pareceriam risíveis a muitos. IV Encontrei o mundo num estado tão corrompido. até com a ajuda de um corpo cru se extraia de um corpo digerido. ou apregoem seu amor pelo bem publico. isto e aquilo fariam: foi o que pensamos. quaternariamente. com que a alma experimenta grande satisfação? Muitos. Eu não agi similarmente. Falaremos de tudo isso por ordem.org. e evadir-me noturnamente. unida à sua execrável sede pelo ouro) . no estrangeiro. antes de mim. Há um provérbio que diz que as mulheres dos celibatários e os filhos das virgens estão sempre bem vestidos e alimentados. a aquisição exata das matérias que entram na obra. parece-me desejosa de desvelar estes segredos. Por isso receio menos que possa aviltar-me a Arte. sem encontrar nenhuma moradia garantida. tomar-se-á. porém.br não há maior segredo que a coobacão das naturezas. e da doce sociedade de nossos amigos de que fruíamos sem receio. fossem tão comuns quanto o estrume! Então nós. outrora. crêem que se a possuíssem. II Apraza a Deus. Quem quer que tenha uma vez escapado à morte iminente. e se bem que tudo possuamos. com fraterna sinceridade. sua preparação e sua adaptação. para não agir às cegas. que já nos cremos cumulados com a maldição de Caim. que não se encontra uma só pessoa. uma boa disposição dos elementos exteriores. mais sábio para o resto da vida. após esta preparação. submetendo. que o ouro e a prata. sem por sua vida em perigo. a propósito do Mercúrio. sem o quê. cujo anelo pessoal não seja um interesse sórdido e indigno. quinariamente. e em nenhum lugar podemos julgar-nos em segurança. secundariamente. escolhemos método mais secreto. erramos. Experimentei recentemente.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. ou operações sofisticadas. ou precipitação. paciência. neste ultimo período do mundo. estavam sem significação no mundo. de nação em nação. Poderia contar copias de historias deste gênero. minha vontade para à divina que. vagabundos. primeiramente. E nenhum mortal pode fazer algo. não nos aplicaríamos zelosamente em nos esconder. parece que somos afastados da vista do Senhor. e desapareça. chegando a gemer e muito repetindo a lamentação de Caim ao Senhor. pois a real sabedoria guarda-se a si mesma e ternamente com sua honra. terciariamente. crede-me. se não na contemplação. para que a obra não seja regida com pressa. recobraram a saúde. uma virtude muito digerida. adotar nome falso. porque quase todos os livros de química estão cheios de enigmas obscuros. diversas vezes grandes incômodos. nem mesmo na solidão. e mostrei. mas. tornados prudentes pelos perigos. que praticamos esta Arte. III Não tendo ousado cuidar de nossa família. devem-se conhecer antecipadamente as cores que aparecem no decurso da obra. matar-me-á". obrigado a alterar as vestimentas.academiadecienciasfuturas. chorando e gemendo. estranhos a esta arte. Somos atormentados como se fossemos assediados pelas fúrias. II Para requer-se. a um tal ponto que sofri. Tal não pode suceder. ou ainda de um acúmulo de palavras intrincadas. Índice . devemos com pouco nos contentar. para tanto. teria caído nas mãos dos perversos que me estendiam ciladas ( por causa de uma simples suspeita. no passado. os grandes ídolos que o mundo inteiro até hoje tem adorado. o seguinte: havia dado remédio a doentes afligidos por misérias corporais e abandonados por todos. nem mesmo obras de misericórdia. CAPÍTULO XIII DO EMPREGO DE UM ENXOFRE MADURO NA OBRA DO ELIXIR I Já falei da necessidade do Mercúrio. um bom regime.

os costumes e as ações dos homens. e sob forma de pó extremamente tênue. pois que cada . se pelo contrario. se vais até eles. eu o teria percebido. Bastaria que pessoas desesperadas tivessem ouvido dizer que tal pessoa tinha a reputação de ser hábil nesta ciência. de título mais elevado. Se te associas à plebe. já te traíste. vivo tão familiarmente com ele que o teria notado". se não é exercitada por profissional registrado. que nada vêem e que se pode vir com toda a confiança. Se então pões à venda grande quantidade de prata pura. maquiavélicos.org. sob pretexto de que tens com ele uma certa familiaridade. pois a menor conjectura bastará para que te armem ciladas. dizendo que compram de olhos fechados. VI Se tivesse ocasião de falar com algum daqueles que pensam isso de si mesmos ( que fariam tal ou tal coisa. sob pena de passar por um Cínico ou um outro Diógenes. VIII Tão grande a maldade dos homens. quão penoso é às pessoas nobres conviver com imbecis. se possuis grande soma de ouro e prata que desejes vender. é muito difícil dissimular. para que não te descubram com a mesma facilidade que crês possuir para reconhecer em uma outra pessoa um Adepto ( pois que ignoras um segredo que todos conhecem). são pessoas com quem. logo se poriam a refletir e me responderiam: "Impossível. ages um pouco mais abertamente. não vale mais que a esterlina inglesa. E o que mais não dirão? Mas. com efeito: "Se possuísse esses segredos. no estrangeiro. para verem quem és? VII Pois é preciso bem viver com as pessoas. é passível de pena capital.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. tanto mais nesta era do mundo que em todas as precedentes. desde que somos seus amigos. quer em Medicina. que são contrabandeadas. pois não ousei fazer uma liga. que prevêem que toda alteração do titulo do ouro e da prata que não seja para atender à banca do ourives. XI Eu mesmo experimentei tais coisas. quer em Alquimia. brincam contigo. Holanda e de quase todos os Estados. não podes dar três passos sem te traíres.academiadecienciasfuturas. procuram perscrutar profundamente a vida. A melhor . em todo caso. IX Estas precauções excitarão o ardor de alguns para examinar mais de perto a tua conduta. se possuísse a pedra). e ainda se apresenta sob a forma de peças assaz grosseiras. se fazes a mínima coisa em segredo. o que vi e ouvi sobre isso. penetrantes. crês que os outros não tem perspicácia igual à tua. é indigno. mas se freqüentas a sociedade das pessoas cultas.br V Dirão. X Os mercadores não são tão tolos. quando de fato eram estranhas à nossa arte. mesmo se. estará sob forma de lingotes. descoberto será que fazes coisas insólitas. Isto não deixará de causar muita murmuração. no entanto. conduzir-me-ia bem diversamente". deves estar sempre em guarda. A alquimia serve de pretexto a todos. Tu que pensas aquilo de ti mesmo. A prata que produzimos graças a nossa ciência é tão fina que não pode ser proveniente de nenhum país. segundo as leis da Inglaterra. Terás até dificuldade em te dares conta de que se alimentam suspeitas de ti. que só podem ser encontrados na Berbéria ou em Guiné. outros. Mas as outras pessoas de intelecto sutil são finas. têm olhos de Argos. e falarão de dinheiro falso. Seria fastidioso enumerar tudo o que eu mesmo vivi. perspicazes. o que é grave inconveniente. que vem da Espanha. de modo que. e se eu lhes dissesse: "És amigo de um Adepto". quando tentei vender nada mais que seiscentas libras de prata finíssima. disfarçado de mercador. malgrado a interdição das leis dos reinados. logo se perguntará de onde provém esta quantidade de ouro fino e prata puríssima. como crianças. que conheci certas pessoas que foram estranguladas ou enforcadas apenas pela suspeita ( de que possuíam a Pedra Filosofal). ao passo que o teu. alguns são curiosos. Que saibam. num piscar de olhos te denunciarão o bastante para te lançar em grande embaraço.

Instruído pelos perigos corridos. porque permaneceria imutável até o fim do mundo. mas lançado à terra. Pretendem. enquanto está ao ar seco. nunca terá sucesso. Espanha. que se tivesse dito que provinha de alhures. é vulgar. tudo é realmente como afirmei. Perguntei-lhes como o afirmavam. decidi permanecer oculto. XV E se bem que muitos Sábios pareçam sofisticamente negá-lo. se bem que seja um corpo perfeitamente digerido. com o desconhecimento geral. que é incorruptível malgrado qualquer ataque e dura eternamente. no que se assemelha ao grão. ele é filosófico. os ourives o conhecem bem: a tal ponto. quando fores um Adepto. É no ouro. logo pediriam provas. que sua atividade germinal foi suprimida. não obstantes. assim digo que. logo retoma sua vida fermentativa. afirmando todos os Sábios que não se pode fazer nenhuma tintura sem seu latão ou seu bronze. é redutível apenas em nossa água. XIII Tendo ensinado mais acima da necessidade do Mercúrio em nossa obra.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. No primeiro estado. dizse que está morto. Este discurso fez com que eu me evadisse furtivamente. e comunicar-te esta arte. XII Se. nesta obra. quer dizer. e então vive. e de Mercúrio ele recebe a multiplicação de sua semente. entretanto. abandonando minha prata e seu valor. rirão. Este caso logo fará barulho não só em seu país. em proporção à grande distancia que separa o grão vegetal do ouro metálico. sendo as interdições tão estritas e as medidas preventivas tão severas. tanto quanto para a semeadura. sendo este. e tornase nosso ouro. é destruído pelo fogo e vivificado somente na água. nosso Mercúrio. a que assim chamam. por outro lado. XIV O enxofre. com diferenças. sem reclamar mais nada. no segundo. E aqueles que souberem desta historia. que se encontra a tintura aurífica. e permaneceria eternamente se fosse conservado num ar ambiente seco. sua força vivificante está selada sob a escoria corporal. sem dúvida. enquanto que o seu seja vivo. mas também nos reinos vizinhos. e quem quer que aborde sem ele a arte transmutatória. deve-se procurar o enxofre sem o qual o Mercúrio não poderá sofrer a congelação necessária à obra sobrenatural. finges que essa grande quantidade de ouro. enquanto que o ignorante não crê que ela exista nem mesmo no ouro". quer dizer. diz-se que está vivo.org. vasos ou dinheiro. e fariam apreender o vendedor. que terão vindo para negociar. Aqueles a quem o apresentei. abranda-se e germina. também o ouro. tendo seu titulo particular para a prata e para o ouro. incha.academiadecienciasfuturas. dizendo não ser verossímil que se possa conseguir tamanha quantidade em ouro e prata e embarcá-la. porem. O patrão do navio dirá que não transportou uma tal massa de prata. logo me disseram ser prata fabricada pela arte. XVI O mesmo ocorre com nosso ouro: está morto. o grão de trigo está morto. curioso de ver o que farás para o bem público. e responderam-me simplesmente que eu não os ensinaria a distinguir a prata vinda da Inglaterra. igualmente. e que não poderia ser carregada no barco. XVII Quando o trigo é semeado no campo pelo lavrador. foi trazida do estrangeiro. e sobretudo prata. o Ouro. E assim como este grão que permanece imutável. se reencrua num só corpo. que o ouro vulgar seja morto. e que aquela que eu lhes apresentava não era deste tipo. adverti a propósito do Mercúrio. enquanto está sob a forma de anéis. em lugar de frumento . mas desde que esteja misturado à nossa água. faz o papel de macho. por exemplo. sobre particularidades que ninguém dentre os Antigos havia mostrado antes de mim.br nação. lembra que uma tal coisa ano seria feita sem ser conhecida. O famoso Sendivogius disse a esse propósito: "O sábio reconhece nossa pedra até no excremento. ele muda de nome e toma o de semente. o Ouro dos Sábios. . menos em quantidade que em qualidade. ou alhures. Assim o ouro. que leva enquanto é guardado no celeiro para fazer o pão e outros alimentos desse gênero.

enquanto que morre o Mercúrio vivo. mas fazendo-se um composto que se coze por um breve momento. submetido a um tal fogo. alguns dias mais tarde. em relação ao ouro. cujo Magistério consiste em prepará-lo convenientemente. XIX Assim.org. mas. Não se pode encontrá-lo sobre a terra já pronto para o nosso uso. que recebe proporcionalmente diferentes graus de virtude segundo as quatro qualidades dos elementos. executas a mistura conforme as regras. mas de substancia mais nobre. reduzido a limalha ou lamelas. mesmo se lhe se une o ouro. também se diz que o ouro está vivo quando mistura-se a uma tal composição. Tal é a ordem de nossa obra. por necessidade da natureza. encerramo-lo num recipiente de vidro e o fazemos cozer em fogo contínuo: o ouro é dissolvido pela virtude de nossa água. Eis pois em que consiste a natureza de nosso Magistério. a semente do ouro torna-se viva. e dizem que o tempo da morte do primeiro principio e do renascimento do segundo têm a mesma duração simultânea. na qual a vida do ouro aprisionada é libertada. que um homem está morto quando ouviu sua sentença de morte. amalgamamos perfeitamente este ouro puro. o ouro não é mais ouro. Diz-se. os mesmos Sábios que dizem que seu ouro é vivo. e casá-lo com o ouro. no qual ele não se transforma mais do que se tivesse sido deixado no cofre. até que todos os membros do composto sejam dispersos em Átomos. este ouro permanecerá vulgar. e é assim que deve ser obrigatoriamente.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. em justa proporção. XXIV Mas se não se preparou seu Mercúrio segundo as regras.br porque está em potência. que é. Pois após a podridão da morte renasce o corpo novo. que dizer. o que é a boa terra para o grão de trigo. XVIII Os Filósofos têm então razão dizendo que o ouro filosófico é diferente do ouro vulgar. Se conheces o método e após ter preparado a prata. XXI O mistério que guardamos com tantos cuidados é a preparação do Mercúrio propriamente dita. quando se está viva. pois que está unido a um agente extravagante.academiadecienciasfuturas. mas o Chaos dos Sábios. e nenhum regime de fogo fará desaparecer sua natureza corporal. os efeitos de sua vida nascente. que eles chamam viva. e retorna à sua matéria mais próxima. extrair o Sol nele escondido. e isso por razões particulares conhecidas pelos Adeptos. XXIII Por isso dizemos que nada há de secreto em nossa obra. a dificuldade desta obra é então acomodar o regime de calor à tolerância do Mercúrio. nesta vivificação. teu ouro não tardará a se tornar vivo: mas. e em reger o fogo como o Mercúrio exigir. teu mênstruo vivo morrerá. Tal é toda nossa Filosofia. realmente. Por isso os Magos aconselham vivificar o morto e mortificar o vivo. ordenam-te. de vivificar o morto. XXV . e quanto mais é unido ao Mercúrio. da mesma essência que o primeiro. é antes sua água. XXII O ouro dissolvido neste Mercúrio se putrefaz. XX Donde se vê que se deve tomar o nosso ouro quando está morto e sua água. e ele recebe a vida do Mercúrio dissolvente. e esta diferença reside na composição. que o espírito é coagulado pelo corpo dissolvido. que faças pesquisas na arte. no qual deve receber necessária e rapidamente a vida vegetativa e mostrar. neste momento. mais isto o torna capaz de resistir a este fogo. à exceção apenas do Mercúrio. e um e outro se putrefazem ao mesmo tempo em forma de lama. purgado ao extremo grau de pureza. se não há nenhum agente vivo para acompanhá-lo. porque o ouro por si mesmo não teme o fogo. esta potência pode em alguns dias ser convertida em ato. Com o Mercúrio.

como se o Senhor me expulsasse de sua vista. Vamos. e a fiz. vossos sais. e eis por que nosso ouro é espermático. está morto. mas isto não é para vós. como o trigo semeado é uma semente. em espírito) em que nós. mas porque os Israelitas. Por isso. e com as mais preciosas pedras. escrevendo eu com a pluma audaciosa. em honra de DEUS. Mesmo se o enterra numa caixa( ou. Ocidentais que põem suas colheitas no interior de uma fossa na terra. guardo-a diariamente comigo. XXIX É com razão que desprezo e detesto essa idolatria do ouro e da prata. seus pais. possuo e conheço. e se dizem maravilhas da Cidade de Deus.org. o tempo está às nossas portas( e não digo isso sob o império da vã ilusão. com os quais tudo tem preço. conjuntamente com o resto do mundo. senhores filósofos. os idolatram. Sei o que escrevo. como o veado de ouro. pois já o Artista Elias nasceu. XXVI Sei que muitos condenarão esta doutrina. em que não recearemos as emboscadas engendradas contra a nossa vida. retornaremos dos quatro cantos da terra. e o Mercúrio. ao abrigo de todo vapor d’água).br Nosso Mercúrio é uma alma viva e vivificante. sabe que eu escrevo a verdade. são nossas matérias. e em que daremos graças a Deus nosso . o que detenho. pois assim são honráveis. é apenas a compaixão que experimento pelos pesquisadores que me leva a esta desvelação. aí encontrareis a pedra? Eu a possuo. Que infâmia. a prata e as pedras preciosas. também assumirão tão pouco valor quanto o esterco. O povo está enlouquecido. mas vejo-o. XXXI Espero e aguardo que em poucos anos a prata será como esterco e que esse sustentáculo da besta do Anticristo se esboroe em ruínas. desejo que sejam reduzidos a pó. estais seguros de que vossa linguagem insultante me desola! Assevero que o ouro apenas. em estilo incomum. graças a meu trabalho. e o ouro e a prata. sem tê-la recebido de ninguém (se não de meu Deus) nem tê-la roubado: eu a tenho. Em que isso é compatível com nossa redenção próxima. morto. XXVII Tratai pois vossas águas pluviais. Ouso mesmo assegurar Que possuo mais riquezas do que todo o Universo conhecido. não enquanto criaturas de Deus. olhai em vossos bolsos: vós. enquanto que o mesmo trigo encerrado num celeiro permanece simples frumento. e vós. tão longamente aguardada? Quando as praças da Nova Jerusalém se cobrirão de ouro. XXVIII E não tem cabimento acusar-me de ciúmes . e os respeito. se ele não recebe o vapor úmido da terra. Escrevo o que sei. toquei e trabalhei.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. XXX Mas. para utilidade de meu próximo e para condenar o mundo e as riquezas. meus escritos serão estimados por muitos como o ouro mais fino. freqüentemente trabalhei-a com minhas próprias mãos. tagarelai a torto e a direito. é por ciúme? Enganai-vos: asseguro estar profundamente entristecido por ser um vagabundo errante por toda a terra. mas sabemos que é o contrário". que vão pensamento nos leva a crer que. Crede-me. louvai vosso esperma mais poderoso até que o diabo. eu sei. os Adeptos. é inútil falar: o que vi. e também a indignação com o ouro. e quando a Arvore da Vida plantada no meio do Paraíso dará suas folhas para a saúde do gênero humano? XXXII Eu sei. mas as emboscadas dos maldosos não me permitem delas servir-me. jovens aprendizes. se oculto meus segredos. como o praticam os habitantes das Índias. quer dizer. e as nações insensatas tomam como Deus a esse peso inútil. cobri-me de injurias. e DEUS que perscruta os corações.academiadecienciasfuturas. fica improdutivo e bem longe de vegetar. e que só servem à pompa e à vaidade do mundo. vossos rocios de maio. com o Mercúrio corrente. que tantas coisas sabeis. e dirão: "Este homem afirma que o ouro vulgar é o suporte material da pedra. quando suas portas cintilarão com pérolas finas.

após ter refutado os sofismas e os sonhos exóticos dos sonhadores. e repito-o. Por outra . III E não tenho ciúmes deste conhecimento. sei que ninguém pode fazê-lo frutificar tanto quanto eu mesmo. Acumulei razões tão claras e evidentes. iluminados por meus escritos. enobrece o Filosofo que o detém.academiadecienciasfuturas. XXXV Deus concedeu o repouso a meu coração. Quanto a mim. usando meu talento. e sobretudo. Índice I Destaquei da arte química todos os erros vulgares e. XXXIV Conheço muitas pessoas que possuem a Arte. sem duvida nem ambigüidade. a esperança que tenho em meu Deus faz-me pensar diversamente. desejo que tu o consigas por meus escritos. e não duvido que. XXXIII Anuncio tudo isso ao mundo como pregoeiro público. XXXVI Conseqüentemente. a fim de não morrer inútil ao mundo. servirei meu senhor. ensinei que a Arte deve Ter como princípios o Ouro e o Mercúrio. não consultei a carne. tal é o nó górdio que aquele se iniciando na arte jamais saberá desfazer se o dedo de Deus lá não estiver para guiá-lo. é impossível nada descobrir. desconhecido pelos Adeptos meus irmãos (com os quais estou em contato cotidiano). e a todo o meu próximo. Meu coração murmura-me maravilhas inauditas. tampouco procurei o assentimento de meus irmãos. todos os Adeptos que me conhecem se rejubilarão com a publicação destes escritos. e declarei sem o menor equivoco que o Mercúrio é o azougue. Que meu livro seja o precursor de Elias. que estão envolvidas nos abraços eternos de Vênus.org. CAPÍTULO XIV DAS CIRCUNSTANCIAS QUE SE PRODUZEM E QUE SÃO REQUERIDAS PARA A OBRA EM GERAL. Afirmei.br Senhor. toda nua. mas que o segundo deve ser fabricado pela Arte e que é uma chave. Então. talvez. que eu chegue ao objetivo que espero. mas num verdadeiro sentimento filosófico. porque é amável por si mesma. mostrei que o Sol é o ouro.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. Deus faça. nem o sangue. e prevejo que centenas de espíritos serão. seria honrada. da prata e das pedras preciosas seriam causa de sua depreciação. e detém suas verdadeiras chaves: todas desejam o silêncio mais rigoroso a seu respeito. não Ter afirmado isso pela fé que tenho nos escritos alheios: vi e reconheço o que sinceramente relatei. a fim de que ele prepare a via real do Senhor. II Demonstrei que o primeiro é perfeito por natureza. Praza aos céus que as almas nobres do mundo inteiro conheçam esta arte! Então. faço saber que a preparação do Mercúrio Filosófico é mui delicada. e que pode ser comprado. Então. escrevendo esta obra. o grande Elixir. a quem o devo. sua principal dificuldade é encontrar as Pombas de Diana. que é necessário se beneficiar de particular graça de Deus para chegar a seu exato conhecimento. para a glória de seu nome. e seria apreciada somente a ciência que os produz. e que somente um verdadeiro Filósofo pode ver. ao contrario. e que isto não deve ser tomado metaforicamente. Apenas este conhecimento é a perfeição da Teoria. dando-me fé inquebrantável. fazendo-o ver todos os nossos segredos. a abundância extrema do ouro. ao menos que queira fechar os olhos para não ver o Sol. fabriquei. por fim. razão pela qual escrevi este livro. IV . que. vi e possuo a pedra. Israel. minha alma exulta idéia da felicidade de todo o Israel de Deus. a virtude. e é tão difícil.

br Dei tantos pormenores. este ouro se encontra numa matéria que todos podem achar. I O ouro perfeito se tira das entranhas da terra.org. mas lava-o na água que tudo consome (exceto nossa matéria) . lava-o com água Índice . e admirarás seu brilho. se é envolvida nos invioláveis abraços de Vênus. nós o fazemos passar por numerosas provas e combinações. o regime. enfim. agitando-o fortemente de tempos em tempos. faz secar o Mercúrio. e. que consiste na adição gradual de um verdadeiro enxofre. exceto se tiver um conhecimento muito aprofundado do reino mineral. agitando-o fortemente de tempos em tempos. depois faz ferver o Mercúrio no espírito de vinagre durante uma hora numa cucúrbita ou um vidro de fundo amplo e colo estreito. e que só reste dele o que é puro. VII Para poupar-lhe a sublimação. purga-o quer com o antimônio. Resta-me descrever-te o uso e a prática. as bodas. é encontrado em fragmentos ou sob a forma de areia. Este trabalho não é absolutamente necessário. Então desseca-o e destila-o na retorta de vidro. Se sabes dissociá-los sem violência. lá. que expliquei literalmente em meus capítulos precedentes. o que ninguém fizera antes. alguns elementos heterogêneos. ou com vinagre e sal. sem adição. que encontrei e do qual servi-me. assim poderás modificá-lo e corrigi-lo à tua vontade. conforme o números das Águias: é então radicalmente purgado. com um fogo gradualmente aumentando. ou mais. além desta purgação essencial. moendo-o ao mesmo tempo no vinagre e um pouco de sal amoníaco. sobre a fabricação desta água. em terceiro lugar. não há uma palavra ou um ponto supérfluo. Retira o vinagre que se escurece. obterás deles uma concepção que dará um filho mais nobre que qualquer substancia sublunar. porem acelera a obra. II Nosso ouro produzido pela natureza. este. e eis porque é convenientemente fazê-lo. entretanto. depois. Roga ao Todo Poderoso de te descobrir este mistério. quer com o cimento real. que preparaste com número adequado de Águias. este enxofre nada mais é senão nosso Ouro. Decanta agora o vinagre. falta a purgação acidental de um e de outro. senão dar a receita. esta operação. V Mas.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. IV É Diana quem pode perfazer esta obra. ate que todo o Mercúrio seja exaltado. e leva a acetosidade com água de fonte vertida repetidamente. está pronto. aliás.academiadecienciasfuturas. senão. senão sua frágil alma pereceria. com. que nada mais saberei dizer. podes lavá-lo com urina. funde-o. ferve-o no vinagre destilado durante meio dia. VI Toma então teu Mercúrio. e sublima-o três vezes com o sal comum e pelas escorias de Marte. Enfim. ate que o Mercúrio desapareça. após ter esgotado todas as Águias. Se podes tê-lo intacto. após tê-lo reduzido em grãos e em limalha. é muito puro. até que todas as escórias sejam eliminadas. necessita uma purgação interna e essencial. depois exaltar um e outro separadamente. depois destilá-lo ao menos quatro vezes. Quando possuíres o Mercúrio animado e o Ouro. falta ao Mercúrio uma purgação acidental para lavar as fezes exteriores que a operação de nosso verdadeiro enxofre rejeitou do centro à superfície. mas sem designar os elementos sob seus próprios nomes. e seria tão morto quanto o ouro vulgar. mas está misturado a muitos elementos supérfluos. já fiz. então nosso corpo torna-se como um bico de corvo. a custo um artista em cem mil o conhece. CAPÍTULO XV DA PURGAÇÃO ACIDENTAL DO MERCURIO E DO OURO. O que. que te ensinarão facilmente a distinguir as qualidades ou defeitos do Mercúrio. que fazendo-o ferver em água forte. Repete três vezes. mas não o fundimos. também. III O Mercúrio. mas. e nenhum que falte. limpando a cada vez a retorta de aço com cinza e água: enfim. perfeito para nosso uso. e recoloca-o. e de novo conjugá-los. onde este segredo foi claramente tratado.

mas recorda-te sempre que é preciso coagulá-lo em pequenas bolas. num vidro de pescoço comprido. se deixa moldar em bolinhas. podem moldar em bolinhas. não deixa escapar algo mais líquido que toda a massa: assim é nossa mistura. Eliminarás esta impureza pela destilação de que já falei. ou duas por três.academiadecienciasfuturas. os de vidro e os de pedra são os melhores. e segundo a proporção do Mercúrio. em lamínulas ou limalha fina. faz o amalgama sobre papel limpo. depois. agitando-a. deixa ferver fortemente durante um quarto de hora. mas é um pouco mais obstinada na superfície. porque a manteiga. como manteiga. se está muito seco. endurecem em repouso. nem muito quente. que haja três partes do corpo para quatro do espírito. acelerando-a. Põe neste licor. mói com tanto cuidado quanto o dos pintores ao prepararem suas cores. V Deve-se julgar a consistência da composição. ou de madeira.org. retira todo o seu negror com água quente. separadas. se está tão maleável quanto manteiga. tritura de novo fortemente. e que estas. se endurecem de tal maneira que o Mercúrio não aparece mais brilhante na parte inferior que na superior. e. mergulhando-o em água fervente (ele seca ao ser retirado. VII Recomeça esta operação até que te seja muito difícil retirara qualquer cor do amalgama. Esta preparação faz adiantar consideravelmente a obra. que é muito macia e cede à pressão do dedo mas que as mulheres. II Mói fortemente o composto. liberá-lo de seu negror: manterá a mesma virtude. mas conserva longamente o calor) . então a proporção é correta. o amalgama será mais ou menos firme. colocado sobre um plano inclinado. de pedra ou de ferro ( o que não é muito bom). Observa como este exemplo é correto. sem serem mais líquidas no centro que na superfície. de vidro. mistura-o com ouro puríssimo. Pode redestilando o espírito de vinagre. o Mercúrio e o Sol. se ela tem a consistência da manteiga. então ele . na condição que. quando a lavam. Nota que se deixas repousar o amalgama. não deixe escoar o Mercúrio como a água hidrópica subcutânea. CAPÍTULO XVI Índice DO AMÁLGAMA DO MERCÚRIO E DO OURO E DO PESO ADEQUADO DE UM E DE OUTRO. Recoloca-a no mesmo licor. mói tua composição com um pilão de marfim. e verás que suja o papel com um negror mui sombrio. nem muito frio. ou ainda. adicionarás exatamente o que lhe falta para obter esta consistência III A lei desta mistura é que a matéria seja bem mole e flexível . a composição.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. que não adere ao centro. toma uma parte de ouro purgado. IV A natureza intrínseca do Mercúrio deve estar nesta proporção: que haja duas ou três partes do Mercúrio para uma do corpo. e que se possam fazer dela pequenas bolas. VIII Tudo isso serve para retirar a impureza exterior. e duas partes de Mercúrio. Eu tenho o hábito de servirme de um pilão de coral branco.br quente. e põe de lado o licor. coloca-os num almofariz de mármore que terás previamente aquecido. até que seja impalpável. eis como será vista: toma o Mercúrio preparado com sete ou nove Águias. pela ebulição e pela agitação. ele se endurece sozinho. depois. VI Isto feito. colocadas com cuidado sobre papel limpo. então a consistência esta boa. por exemplo. aquece um almofariz e tritura forte e cuidadosamente como já vimos. antes de seu amalgama. e nele dissolve um terço de seu próprio peso de sal amoníaco. ferve-a de novo no mesmo vidro. I Tudo isso sendo preparado segundo as regras. toma espírito de vinagre. se é inclinada. retira então tua mistura do vidro. e lava-a.

mesmo se for grande). Procede então como vou indicar-te. procedendo as diversas decantações. pretendem que tudo o que é caro em nossa obra é enganoso. é a obra final. ser bem claro e espesso. e se possuísses meu aparelho de destilação. mas não são muito caros. IV Encontram-se . Respondo-lhes: o que é a nossa obra? Fazer a pedra? Sim. em seus princípios materiais. quanto mais espesso for. porque os ventos que são formados no vaso por nosso Embrião. ferve teu composto na água pura. VIII Enfim. retira a água e faz secar o amalgama. Pois nesta obra é enganoso tudo o que custa caro. revolve-o coma ponta de uma faca sobre um papel limpo. Mas aqueles. mas vê-lo-ás recompensado pelos sinais que aparecerão na obra. mas em vão. com um florim. mesmo assim. outros. e é o melhor dentre todos para a nossa obra. comprar tanto do princípio material de nossa água quanto o necessário para animar duas libras inteiras de Mercúrio. pessoas que imaginam que toda a despesa pouco excede um ducado. Que os Sofistas cessem de vez seus murmúrios. Se o vidro não é espesso. que com tanto ardor se procura. V Muitos se empenham em procurar o Mercúrio do Sol. Deve-se selar o vidro no alto com muito cuidado e prudência. Examina bem a temperatura da composição e cuida que ela esteja exatamente de acordo com as regras que dei. mas a verdadeira obra é encontrar a umidade na qual o ouro se liquefaz como o gelo na água tépida: encontrar isso é nossa obra. Com ele fazemos um Sol que.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. Para estar bem certo (muita água estraga a obra. que não haja a menor fenda. suas falácias despudoradas. Certamente reconheço que são necessários alguns instrumentos. pode-se responder-lhes que isso prova que jamais realizaram praticamente a obra até o fim. desde que possas distinguir as ações que se desencadearão dentro dele. Afirmo que é possível. nem o menor orifício.academiadecienciasfuturas. DE SUA FORMA. VI Aliás os vasos de vidro ou de terra. a fim de com ele fazer o real Mercúrio dos Sábios. até que toda a salinidade e acrimônia tenham sido retiradas. mesmo a fabricação de uma libra de nossa água só custa duas coroas. o Mercúrio da Lua. senão a obra perecerá. O vidro deve ter um pescoço de um palmo ou dez dedos de altura. III Assim vês que a obra. II Coloca neste vidro uma meia onça de ouro com uma onça de Mercúrio. o que será bem rápido. É um trabalho difícil. tem mais valor para o artista do que tivesse sido comprado ao preço do ouro mais puro. senão lava-a a corretas proporções e procede como indiquei mais acima. Ele não deve ser mais espesso num ponto que no outro. e não menos. Pois há outras coisas necessárias à obra. apoiando-se nos filósofos. que a tanto . todo o composto não deve exceder duas onças: tal é a proporção requerida. e se adicionas o triplo de Mercúrio. Então. bastante grande para conter em sua esfera uma onça de água destilada no máximo. CAPÍTULO XVII Índice DAS PROPORÇÕES DO VASO. e que custam dinheiro. os carvões. pois resiste também a toda prova. melhor será. não conseguirá resistir ao fogo.org. deslocando-o até que tudo esteja perfeitamente seco. pois o vapor pode partir vosso vaso.br será tão claro quanto a mais pura prata e da brancura fulgurante do melhor polimento. não precisarias desses vidros que se partem facilmente. assim que é perfeito. quebra-lo-ão. não ultrapassa o preço de três ducados ou três florins de ouro. I Toma um vidro oval e arredondado. os vasos e os instrumentos de ferro não se dão por nada. DE SUA MATÉRIA E A MANEIRA DE FECHÁ-LO. se possível: deve-se tentar se aproximar bastante desta medida.

matéria afastada. deves empregar um fogo muito suave. Podes também. Se segues a primeira via. é perfeita. imatura e volátil. pela qual é afastado o encantamento que atava este corpo e o impedia de exercer seu papel de macho. preciosa. trabalhar com o Sol vulgar. receando que. porque nosso Sol é um ouro de qualidade que resiste a todo exame. mas seguindo a Segunda. Mas previno-te que tudo isso se deve compreender com uma pitada de sal. e fixa: as espécies do corpo e do espírito são do Sol e a Lua. o que é um trabalho de Hércules e que é chamado nossa primeira preparação. de sua preparação. do começo ao fim. encontrar nosso Sol e a Lua vulgar.academiadecienciasfuturas. e até mesmo estranha. ser comprado. Pois nosso Ouro é a matéria mais próxima de nossa pedra. não se pode obter tintura permanente. IV Eu mesmo procurei e encontrei-o no Sol e na Lua vulgares. podes encontrá-lo. ignoras o sujeito de nossos segredos. procurando bem. para estar ao abrigo da força tirânica do fogo. da despesa e da fatiga. é um Chaos cuja alma não é afugentada pelo fogo. III Nosso Ouro não poderia. não precisas qualquer outra chave para nossos arcanos. com inusitada clareza essas sutilezas filosóficas. e todos os outros metais. Nosso Ouro . é necessária a nossa arte. o ouro e o Mercúrio. que é o ouro puro. se sabes praticar habilmente esta fusão. e por isso pode ser vendido( uma vez reduzido a metal) sem escrúpulo. quanto ao seu nascimento. nela perderam a vida. em seu lugar. o Sol e a Lua vulgares são dela matéria próxima. Sem nosso corpo perfeito. quer do Dragão ígneo. precisas aplicar o mesmo fogo que nos administramos na multiplicação. para que seja o nosso. donde só sairás se agires com sabedoria. por outro. de sua necessidade e de seu emprego em nossa obra. isto é. mas fazer a pedra a partir de nossa matéria é trabalho bem mais fácil que extrair nossa verdadeira matéria de não importa qual metal vulgar. mas podes. mas se não suspeitaste das numerosas metáforas contidas nos precedente capítulos. VI Índice . Então. quando o Sol corporal ou a Lua vulgar servem de fermento ao Elixir para perfazê-lo. se refugiar num lugar bem fortificado. Nosso Ouro não podemos obter em sua perfeição ( ao menos comumente) porque. pois é "um dom de Deus". se não sabes qual é o ultimo. Isto será para ti verdadeiro labirinto. tudo tomado literalmente. II Expliquei. no entanto. V Mas se procuras nosso Sol numa substancia intermediária entre o perfeito e o imperfeito. nossa descendência de Vênus e de Diana. quando disse sem nenhuma ambigüidade que um dos princípios era o Mercúrio e o outro o Sol. mesmo que por ele quisesses dar uma coroa ou um reino. dissolve então o corpo do Sol vulgar. efetivamente. É o que faz dizer aos Filósofos que o fogo de Vulcano é a morte artificial dos metais porque todos aqueles que sofreram a fusão. a qualquer preço que seja. CAPÍTULO XVIII DO ATANOR OU FORNO FILOSÓFICO I Falou-se do Mercúrio.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www.org. que um se vendia comumente. cuidando para bem compreender o que digo. quer de seu corpo imperfeito. Por exemplo. por um lado. Indiquei como se deveria prepará-los e ensinei como misturá-los juntos. enquanto que o ouro vulgar é um corpo cuja alma deve. do enxofre igualmente. é vil. deves implorar o socorro do tórrido Vulcano. e de sua virtude. E nossa pedra.br seduzem. Também muito falei do vaso onde deveriam ser selados. e que o outro deveria ser fabricado por nossa arte. não ocorra te enganares freqüentemente. realmente. não recolherás outra colheita senão a da perda de tempo.

feita de argila. a mãe. interno. que aí se coloque uma pequena grelha. é diferente em sua preparação. VIII Enfim. e o elixir de um será o primeiro grau de sua perfeição e de virtude muito maior que da outra. Os buracos terão um diâmetro aproximado de uma polegada. uma torre com um ninho. não poderás chegar a nada sem fogo. mesmo neste grau muito elevado. aproximadamente duas polegadas de espessura. mas o fogo pode tocar diretamente a plataforma e sair por dois. fechar o topo com a tampa. sem que tenhas de adicionar carvão. ou o fogo de um rubro sombrio. na outra obra. X Acima do solo. que se consolidará com cinzas peneiradas. como o terceiro governador de tudo. Mas isto deve ser compreendido em relação ao forno verdadeiramente secreto. três ou quatro buracos. Mas se trabalhas com o Sol vulgar.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. putrefazer e purificar por um fogo de natureza muito suave. O ninho deve Ter uma tampa com uma pequena janela. a parte baixa contendo o fogo. Num tal forno poderás levar a bom termo a obra. XI Estando tudo destarte assim disposto. e tua pedra. Esta torre deve Ter aproximadamente dois pés. de altura. abre-se para ti a primeira porta. com a ajuda exterior de um banho vaporoso como o do esterco. de três ou quatro polegadas de altura. enfim. seja com o Sol vulgar. agrada-me bastante. ou então que se coloque no topo. que chamamos o forno comum. ou pouco mais. entre as lâminas. o ninho não pode estar abaixo da plataforma. possas aplicar a teu talante não importa que grau de calor. e embebição e a fermentação. ao lado do Sol que faz o papel de pai e da Lua. a fim de que. podes calcinar. se trabalhas com nosso Sol. ou dos alicerces. Mas por qualquer caminho que sigas. precisas antes iluminá-la e inseri-lo como o "Grande Rosário" o explica abundantemente. carvões ardentes. e depois uni-la ao leite da Virgem. A torre e o ninho não devem comportar a menor fissura. não obstante. farás a cibação . sem deslocar o vidro. é preciso por sublimação e ebulição adaptar certas matérias. o ninho uma capacidade de três a quatro ovos de vidro. uma queima mais rápida exigiria demasiado trabalho depois. ou um palmo comum. com o nosso ouro. . à altura de uma polegada. Mas dispõe o Athanor de modo que. depois outros. deve Ter uma altura de sete a oito polegadas. Não é pois em vão que o verídico Hermes estabeleceu. Sabe também que teu Mercúrio. nas duas obras. do começo ao fim. VII Ademais. com uma pedra que se adaptará um pouco acima da grelha. é completada dois ou três meses antes que nossa matéria primeira tenha sido extraída do Sol e da Lua vulgares. colocar o forno num lugar iluminado. e espessuras diminuindo insensivelmente. o fogo possa durar por si mesmo durante ao menos oito ou dez horas. se és curioso. deverás operar com um calor igual e contínuo. uma pequena porta. IX Há. será mais espessa que a parte superior.academiadecienciasfuturas. para que nenhum acesso se abra para o ar. introduzir carvões pelo alto.org. que é nosso Henrique. nove polegadas. na qual possa caber um vidro de aproximadamente um pé de altura. haverá dois buracos para permitir acesso ao ninho. XII Mas. na terceira rotação da roda. o fogo. ou pouco mais . se bem que sejam radicalmente um. outro forno. mas não mais.br Qualquer que seja o procedimento que sigas. para retirar as cinzas. inicialmente. de cada lado. se trabalha com nosso Ouro. que nenhum olho vulgar jamais viu. desde o calor da febre até o de um pequeno revérbero. podes descobrir outros meios para administrar o fogo adequado. de diâmetro interno. em baixo. feito de tijolos ou de argila ou de laminas de ferro e bronze bem unidas com argila: chamamos este forno de Athanor. quer com o nosso. completamente fechado alhures e soldado ao flanco da torre. mas as concordâncias devem ser lisas. Agora. cuja forma. O Lento (Henricus Lentus) . que farão crescer sua força ao infinito.

e verás que este Mercúrio terá separado e de novo reunido todos os elementos do Sol vulgar. no ouro vulgar se encontra nosso Sol. preferirás tornar este forno portátil ( como eu mesmo fiz). depois. ou em átomos. que Deus reservou para seus pobres desdenhados e seus santos desprezados. mas se adquiriste a ciência de nosso Mercúrio. com menos fumaça.br XIII Mas. mas Deus desviou-me de meu desígnio: que por isto seja eternamente louvado! V Digo então que ambas as vias são verdadeiras. o nosso enxofre a surgir. pois. Nosso Mercúrio é nossa via. via fácil e rara. sem nenhum motor ou movimento visíveis. ele Índice . poderás uni-lo ao ouro vulgar em vez de nosso Sol ( nota porém que a preparação do Mercúrio deve ser diferente segundo o ouro utilizado). e falam com justeza. e dizem também a verdade. que é medicina de primeira ordem. e verás durante esta operação teu Sol vulgar transformado em nosso Sol. CAPÍTULO XIX DO PROGRESSO DA OBRA DURANTE OS QUARENTA PRIMEIROS DIAS I Nosso Mercúrio e nosso Sol. se ainda não conheces em toda a extensão o processo da invenção de nosso Ouro. dando-lhes calor bastante para fazê-lo ferver e suar. então toma uma parte de Sol vulgar bem purificado. durante o tempo de multiplicação. e não há necessidade de um grande forno que seria de transporte dificultoso.academiadecienciasfuturas.. se não. faz ferver ainda cinqüenta dias. com o hábito. tivesse resolvido escondê-lo sob profundo silencio. e coloca-os sobre o fogo. se bem que ao começar o livro. feito para os ricos e poderosos da terra. que circule sem descontinuidade. como os metais seriam homogêneos? VI Se. No entanto. não prossegue o trabalho. Eu também decidira seguir o caminho do ciúme. porque ao fim. II Mas se o mistério de nosso Sol e de nosso Mercúrio te continua oculto. Com o regime conveniente. porque pode ser deslocado facilmente. encerra-os em nosso vaso e rege-os com nosso fogo. que é grande mistério. nosso Sol não é o ouro do vulgo. estender-te-ei mão segura e interpelo todos os Adeptos e os acuso de ciúme. uma vez obtido o enxofre. obterás nosso Sol após cento e cinqüenta dias: com efeito. e as outras operações não são tão difíceis nem tão complicadas. porém. exceto por estar a matéria quente. faz uma mistura. sabendo após qual preparação ele deve ser unido ao corpo perfeito. esta é a via que seguiram muitos Filósofos. nem calor perceptível ao tato. e em quarenta dias verás toda a matéria convertida numa sombra. dia e noite. quando estiveres de posse da pedra. como se disse mais acima. porque. Pois todo o nosso segredo se encontra em nosso Mercúrio e nosso Sol. coisa imperfeita que podes procurar e encontrar em uma semana por nossa Via. III Será então. conheces o método para iluminar nosso Mercúrio como necessário.org. mas ainda não oferecerá tintura. e encontraram a verdade. com eles. Movido pela caridade. mas apenas a sua verdadeira matéria. e três partes de nosso Mercúrio já iluminado. se bem que no começo sejam diferentes. uma vez preparados. e sem ele nada se fará. durante o espaço de talvez uma semana. E crê-me. são a mesma via.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. É o maior Sofisma de todos os Adeptos: uns falam do ouro e da prata vulgares. igualmente. exigem muito pouco tempo. no máximo duas ou três. durante noventa dias e outras tantas noites. e alimentar com carvões. mesmo se. seria para ti apenas despesa inútil. IV Decidi falar-vos demoradamente deste método. é um método muito trabalhoso. possas construi-lo mais depressa. não pensa já Ter a pedra. outros negam a mesma coisa.

no reino metálico algo de origem maravilhosa. prescrevem o regime de outra. mas uma é mais direta que a outra. mas aconselho a primeira como a mais fácil para todas as pessoas engenhosas. como o faço às vezes neste pequeno tratado. esta obra não é propriamente nossa Obra. unido em seguida ao Mercúrio que preparamos e que chamamos nosso leite da Virgem. encontrarás o mesmo nos dois. trabalhei com o Sol e encontrei-o nele. depois . e como o fizeram Artephius. eis aí nosso ouro. senão dois. como o gelo na água morna. a seu tempo. por exemplo. na qual nosso Sol está mais próximo que no Sol e na Lua vulgares. fiquei longamente embaraçado. se tornará nosso Ouro. outros em Saturno. são oriundos da mesma fonte. XI Há. mas isso se assemelha de certa forma ao ouro.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. E quando falam de uma operação. dará um enxofre e um Mercúrio fixo. mas a ela leva diretamente. donde se tira facilmente nosso Sol próximo: quero dizer que nosso Sol se encontra em todos os metais vulgares. se bem compreendestes isto. extrair destes o Sol vulgar. mas indiquei a mais penosa para não atrair sobre minha cabeça o anátema de todos os Sábios. porque se pode. Ripley e muitos outros. que alguns trabalham em Júpiter. VII Se os elementos do ouro vulgar são dispensados por nosso Mercúrio e são novamente reunidos.academiadecienciasfuturas.br provém naturalmente do Mercúrio. Isto não aparece na manifestação do Sol vulgar. e se lhe aplicas o mesmo regime de calor que os Sábios dizem em seus livros ter aplicado a nossa pedra. em seus livros. declaro que o calor deve ser em nossa obra o mais suave possível para a natureza. ao passo que precisarás um ano e meio. este ouro cozido seguramente te dará todos os sinais descritos pelos Filósofos. X Semelhante. mas. estás indubitavelmente no caminho do erro: é o grande labirinto onde caem quase todos os iniciantes. XII Pela terceira rotação da roda. se nossa decocção de ouro vulgar ( por mais puro que seja) unes o mesmo Mercúrio que usualmente se junta ao nosso Ouro. a mistura inteira . graças à ação do fogo. e que este Sol. É preciso.org. XIV Se trabalhas com o Sol vulgar . se o procuras a hora de seu nascimento. para encontrá-lo no segundo. procurado pela via mais longa. Conheço as duas vias. incombustível e fornecendo uma tintura à toda a prova. mas quanto a mim. pela revelação do que está escondido em nosso Mercúrio. IX Aqueles que falam do Sol vulgar. e ainda não tão forte quanto o que a natureza nos deu. falam de duas vias. por uma liquefação reiterada. com a diferença de que no primeiro o encontrarás em sete meses. para falar genericamente. É por isso. esta mesma coisa pode ser encontrada após uma digestão de cento e cinqüenta dias neste Mercúrio. diz Flamel. na condição de que o fogo seja aquele que indicaram. antes de me desembaraçar das malhas desta rede. Flamel. no entanto. XIII Sabe então que esta é a única dificuldade que se experimenta com a leitura dos livros dos homens mais sinceros: provém de que todos dão variantes a propósito de um só regime. se bem que. uma cocção muito forte e um fogo proporcionado. VIII Mas. devem ser assim entendidos: que o Sol filosófico deve ser feito do Sol vulgar e de nosso Mercúrio. nossa pedra existe em todos os metais e minerais. mas que está mais próximo no ouro e na prata. isso funde em nosso Mercúrio. porque todos os Filósofos. Assim. e consoante esta maneira de compreender. que são realmente a mesma fundamentalmente. porem.

verás o quadro colorido da Grande Obra. Esta obra não se realiza com o fogo. o branco. no "Capítulo da Calcinação". com o fogo adequado. depois coloca-os no ninho. o que. nosso enxofre. em nunca dizer claramente. que acho realmente digno de elogios. mas esta via é plena de espinhos. a cauda de pavão. nem com as mãos. mas o nosso verdadeiro enxofre. e verás não somente o negro. aonde. que se faz em nosso Mercúrio com nosso Sol. bem como o branco e o rubro perfeito. e toda a escuridão. mista.org. XVII Se é que começas o trabalho pela obra do Sol vulgar. É recolhido. Por isso que Ripley ensina a fazer girara roda três vezes. a saber: o negro. se transforma em pureza. e isto por um suave proceder. o que é o suco da Lunária. XV Portanto. após se ter retirado as impurezas. e empenhei-me diante de Deus e a equidade.academiadecienciasfuturas. que se chama o leite da Virgem. nada há de supérfluo. tira nosso Sol de nosso Mercúrio: então todos os segredos emergirão duma só imagem. se bem que puramente natural. e é a esta obra que se devem atribuir todos os sinais descritos pelos sábios. Se não. distinguindo-os. que se faz com um fogo ardente. mas sua voz chamou por Elias.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. no Sol vulgar e nosso Mercúrio. com todas as tuas forças. terás encontrado a obra mais preciosa de todas". procura nosso Sol e nossa Lua no Sol vulgar. crê. até que se torne uma pedra de fogo. acredita-me.br deve-se prosseguir com um fogo muito suave. é coisa mais perfeita que toda perfeição do mundo. sua tripla doutrina das proporções concorda com estas proporções. muito penetrante e tintorial. aliás. e adicionando um fermento de nosso enxofre em quantidade suficiente. em palavras nuas. vulgar. o citrino e o vermelho. porque estas três proporções servem a três operações. que se faz misturando ouro vulgar e nosso Mercúrio. onde fala expressamente do Sol vulgar. graças ao Deus vivo. Então se cumprem todos os milagres do mundo. até que a pura substancia de um e de outro seja expressa. Encontraras. se trabalhaste com o Sol. XIX Há uma segunda operação. tudo . Se meditares profundamente sobre o que acabo de dizer em algumas palavras. por fim. do que só se deve tomar a substancia média e rejeitar as impurezas. Recomeça então esta operação com o Mercúrio. porque a ação se faz sobre um só sujeito. desvelei toda a verdade. durante muito tempo em que um e outro cozinham. quanto ao resto. com o calor e o tempo que convém. e. XXI Procura pois. e se realiza um Elixir capaz de dar a seu possuidor as riquezas e a saúde. segundo o Filosofo que disse: "Se podes levar a bom termo a obra a partir unicamente do Mercúrio. dos dois regimes. com efeito. nem no vento. mas somente com um calor interior: o calor exterior apenas repele o frio e vence seus sintomas. XVI Se conheces a arte. Nesta obra. por intermédio de Vênus. então a ação e a paixão se farão em duas coisas. XVIII Há uma secretíssima operação. que é seu próprio sangue. cuida de realizar o casamento de Diana e de Vênus no começo das núpcias de teu Mercúrio. em peso conveniente. terceira operação . possuirás a alavanca que ergue todas as contradições aparentes dos filósofos. Deus. dando-lhe o fogo do banho de rocio. que se deve cozer mais ainda com nosso Mercúrio. mas o negro mais negro que o negro. Não é ainda a pedra. é muito misterioso. XX Há. XXII . não estava no fogo. em nosso Mercúrio. Mas faço o juramento de que. e no máximo o de areia temperada com as cinzas. com o nosso Athanor de torre. se os destinos te chamam (Si te fata vocant) .

o enxofre queimará e mudará de cor a cada dia. e uma pequena cadela da Armênia. negros e azuis.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. desde que a pedra tenha sentido o fogo que lhe é adequado. em parte espiritual. que sozinha cumpres o que é impossível a qualquer homem! IV Podes estar certo de que a fêmea sofreu os abraços do macho quando tiveres visto em teu vidro as naturezas se misturarem. Envia o céu sobre a terra tantas as vezes quantas necessárias. verás tudo negro como carvão. e deve-se retê-los com cuidado. de nosso regime de calor. alegra-te. como um sangue coagulado e queimado. após uma breve decocção. e resultarão as seguintes coisas notáveis: primeiramente. V Atenta também para o odor. se o calor foi bem contínuo. que por acaso se exale por qualquer fissura . permanecerá incombustível. Porque nosso Sol e nosso Mercúrio têm uma imagem emblemática na obra do Sol vulgar com nosso Mercúrio. e em parte corporal. Esta operação. o enxofre e o Mercúrio escoarão juntos sobre o fogo. de fato. sendo por algum tempo tingido com as cores do enxofre. cuja cor será muito obscura. e asseguro estares no bom caminho. nem cessar o cozimento em nenhum instante. pois a força da pedra sofreria dano considerável. fervente como a água. então. porque certamente. por isso o Filósofo ordena conservar zelosamente o vaso com seu fechamento. como a cera. e após sete meses. freqüentes durante a formação de nosso embrião. e todos os membros de teu composto serão reduzidos a átomos. ou dez. e junta-o ao Sol. como se disse. CAPÍTULO XX DA CHEGADA DO NEGROR NA OBRA DO SOL E DA LUA I Se trabalhaste o Sol e Lua para neles procurar nosso enxofre. observarás no fogo. mas se és um sábio. Se então queres conhecê-lo bem. E são estes os verdadeiros termos necessários para conseguir esses enxofres cuja cocção reiterada te dará nossa pedra e as tinturas. Índice . e previno-te que não se deve interromper o obra. em breve. exceto o regime. examina se tua matéria está inchada como a massa de pão. mas continua a cozer até que vejas o humor consumido. e engendrar-te-ão um filho da cor do céu". acasala-os. verás um verdor agradável que não desaparecerá antes de dez dias aproximadamente.academiadecienciasfuturas. amarelos. Mas ao cabo de cinco meses verás nossa Lua cheia. mas não será impregnado. o Mercúrio. seu grande amigo. vapores verdes. Por isso o Filósofo diz: "Toma um cão de Corascena. Ó santa natureza. Então crê firmemente que a progênie real foi concebida. e que se reduza a obra a nada. das minhas palavras. ou antes. quando as duas naturezas se transformam num caldo grosso. toma a pedra que falei acima. tal como bruma espessa ou escuma do Mar. Porque estas naturezas. II Então regozija-te. nem mover o vaso sem abri-lo.org. espera vinte dias. a quem toda a glória e toda a honra sejam dedicadas eternamente. pelo fim da Quarta semana. deduzirás mui facilmente qual. a partir deste momento. conduz a operação como sabes. conjugados a seguir. se transforma num caldo semelhante à escuma do mar ou uma bruma espessa tinta de cor lívida. o que se produzirá ao fim de trinta dias. não sejam mais que uma única matéria. ou nove. tempo durante a qual observarás diversas cores. e sobre as paredes do vaso. circularão juntas. III E juro-te pela fé prometida que nada escondi. por sua vez. e lavará completamente o latão de todas as suas impurezas.br Toma então o Mercúrio que descrevi. São ventos. como piche fundido. ou menos. a fim de que um e outro. obterás certamente o que desejas. Com teu forno aceso com fogo vivo. nada mais é que a resolução do fixo no não fixo. para que não se escapem. até que aterra tenha recebido natureza celeste. no máximo. porque. com a graça de Deus. Espera então dezessete dias após a primeira dessecação de tua matéria.

A terra.org. Mas com o calor mais violento que convém. mas a obra será estragada. Julgarás. no começo da verdadeira obra. a combustão das flores antes que as naturezas ainda frágeis sejam complemente extraídas das profundezas em que se encontram. da água misturada à terra. Por isso é necessária a água homogênea dos metais. um precipitado rubro inútil. produz sempre algo: pensarás. mas um choque. por este justo sinal. a menos que por acaso. longe de que possa haver união de um corpo e de um espírito graças às partículas mínimas. Será o grande eclipse do Sol e da Lua durante a qual nenhuma das luminárias iluminará a terra e desaparecerá o mar. o ativo se torna passivo e o espiritual. VI De tempos em tempos. Pois não há união dos corpos. répteis. continua porém a aplicar um fogo forte e. e como agora não há mais quase vapores. todo o composto se tornará um pó seco. O vaso frágil não suportará a abundância dos ventos e se partirá logo. e cores agradáveis de se ver. III Sabe que nossa obra exige uma verdadeira mutação das naturezas. de fato. uma cor vermelha muito pronunciada. esta natureza espiritual.academiadecienciasfuturas. e mostra que o céu e a terra estão unidos e conceberam o fogo natural. que não retornará sobre seu corpo. mas então. a água exige esta redução. dirige teu navio. espigas. deve-se agora esperar um pouco o negro. e mostrará uma cor de papoula silvestre. entre Sila e Caribe. mas é cometido facilmente. animais. Então. por certo. Então será perfeito o nosso Chaos: ao comando de Deus nascerão todos os milagres do mundo. após a terceira semana. ramalhetes de diversas cores aparecendo sobre as águas e sobre os flancos do vaso. à qual se prepara o caminho por uma calcinação prévia. ocorre a morte do composto: os ventos cessam e todas as coisas se abandonam ao repouso. como piloto experimentado. graças ao crivo da natureza. que só pode ser feita se união de uma e outra for total. inutilmente rubificado. mas a redução a átomos sutilíssimos. e ao fim.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. Realmente. ávida de germinação. triste cor. teu vaso seja muito grande. perceber no vidro pássaros. Índice . porque talvez duas semanas após este momento. mas altamente desejável. Este erro deve ser particularmente evitado. mas provém duma abundância conveniente de humor. por isso todo o interior do vidro será tingido de cor dourado. V Vê-se entretanto. dissolver-se-ão rapidamente e outros surgirão. ao menos não o suficiente para restaurá-lo. verá teus votos cumpridos. II Mas assim que a terra tiver começado a reter uma parte de sua água.br VI Vela sobre tua obra. apressa-te lentamente. o humor será de tal modo disperso. no início há uma tal quantidade de humor que. esta dessecação não é verdadeiramente dessecação. mas os espíritos poderão bem unir-se entre eles. tendo sido como que mortalmente golpeada com um malho. Mas elas só podem se unir sob a forma da água. quer dizer. e logo nascerá o verde. a ponto de ter sido contrário à verdadeira conjunção. na ordem que lhes é própria. mas sendo paciente. mas esta cor não durará. verás toda atua terra seca e extraordinariamente negra. verás como que ilhotas. que o fogo foi muito forte. às vezes. enquanto que o calor conveniente proporcionaria cor negra como a do corvo. o fogo poderá ser aumentado sem nenhum inconveniente ara o vaso. CAPÍTULO XXI DA COMBUSTÃO DAS FLORES E DO MEIO DE EVITÁ-LA I Não é erro leve. IV Logo. corporal. para que aterra receba o fermento transmutativo da água. se conduzes a obra com um fogo mais forte do que o necessário. mas efêmeras. se desejas recolher as riquezas de uma e outra das Índias.

meu irmão. Causa de os Sábios terem com grande artifício escondido este segredo. tudo é apenas trabalho de mulheres. que nosso regime é único e linear em toda a obra: trata-se de cozinhar e digerir. com toda a sinceridade. se bem que tenha parecido falar d grau do calor. do qual o filósofo disse a verdade. Sabe. ou à disposição de tua matéria. pois. jogo de crianças: basta fazer cozer. e estejas certo de que também o fiz. perdê-la. por cauda da excessiva confiança nesses escritos. Sobre este ponto silenciou o bom conde Índice Índice Índice . aprendiz estudioso. CAPÍTULO XXIII DOS DIFERENTES REGIMES DESTA OBRA. I Logo de inicio falar-te-ei do regime do Mercúrio. CAPÍTULO XXII O REGIME DE SATURNO. porque ela depende não daquele que a busca. ou deseja. ou até mesmo. ou a teu regime. II Por isso ele. tu. que os invejosos esconderam sobre variegados nomes e descreveram como operações diferentes. III Sabe. e a chave da obra de transmutação. CAPÍTULO XXIV DO PRIMEIRO REGIME DA OBRA. a menos que. sua esposa. QUE É O DO MERCÚRIO. E juro-te. que apenas isto fosse claramente exposto. Senão. Eu me manifestarei mais claramente o candor que prometi. Porém. e não mostraram ao principiante nenhuma luz antes do sinal essencial do negror. de que será honrado pelos princípios e os poderosos da terra. mas unicamente do Pai das Luzes. tenhas deslocado ou agitado fortemente o vidro. que nosso chumbo é mais precioso que qualquer ouro. o erro se deverá a teu Mercúrio. mas. que ele te julgue digno desta bênção. este regime único contém muitos outros em si mesmo. quer dizer.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. humilhou-se a ponto de assumir o último lugar. E POR QUE É ASSIM CHAMADO. outros.org. mesmo os imbecis mofariam da Arte. por exemplo. daquele que tiver seu conhecimento científico. uma vez conhecido. pela Segunda obra. não obstante. por acaso. alguns. trabalharam com o chumbo. I Estejas certo. o que chamarias uma lhaneza inusitada de minha parte sobre este assunto. é o limo onde a alma do ouro está unida com o Mercúrio para gerar em seguida Adão e Eva. mas com pouco sucesso. o maior.academiadecienciasfuturas. Assim a tumba em que nosso rei está enterrado é chamada Saturno em nossa obra. é preciso que espere a redenção de todos os seus irmãos em seu sangue.br VII Continua-se ininterruptamente o fogo conveniente e todos estes fenômenos terminarão antes do qüinquagésimo dia num pó de nigérrima cor. de que toda a obra da pedra só o regime é oculto. o que pode dilatar o prazo da obra. devo ao menos algo fazer para não decepcionar a esperança e o trabalho dos leitores estudiosos. por causa de seus preconceitos. I Todos os Magos que escreveram sobre este trabalho filosófico falaram da obra e do regime de Saturno. o regime de Saturno. como propus e mesmo prometi escrever com franqueza neste pequeno tratado. II Pois. Feliz aquele que pode saudar este planeta de lento caminhar! Roga a Deus. segredo jamais tratado por nenhum Sábio. O QUE É. começaram. muitos compreenderam-no parcialmente e foram lançados em diversos erros.

o artista é a cada dia confortado pelos novos sinais que aparecem. segundo o poeta: "Rebis é coisa única. Claro. uma coisa composta de duas substancias. entra só no banho. E isto. privados de guia. do qual recebe um hábito de seda negra. depois da chegada do negror até o fim da obra. e durante esse tempo. Ambas formando coisa una. Mas aqueles que penaram com a dissolução dos corpos podem atestar a verdadeira dificuldade desta operação. tendo deixado afastados todos os estrangeiros. Porque. Certamente que não. Mas ele não diz quanto tempo passa antes de deixar este hábito de ouro e emudece sobre todo o regime de talvez quarenta. onde fala de seu livro de ouro mergulhado na fonte e que ele não pode recuperar. sem dedicação e sem garantia. e a água é tornada mais sutil por esta circulação continua e . Esperei muitíssimo antes que houvesse a paz entre a água e o fogo. que ensina em suas parábolas que o Rei. . que são nosso Sol e nosso Mercúrio. extrai suavemente. uma vez os materiais conjugados.br Bernard Trévisan. sem interrupção. ate que. II Digo que todo o intervalo de tempo desde a primeira ignição até o negror é o regime do Mercúrio. III Assim. ao passo que as gotas que recaem penetram a massa residual. ninguém revelou antes de mim. na primeira obra. do Mercúrio filosófico. certifico que é preciso grande sutileza para controlar o fogo. como os alquimistas vulgares que o pôr do sol logo chegará. ou mesmo por vezes.org. e cozinha-o ao fogo contínuo conveniente até que subam o rocio e as nuvens e que recaiam em gotículas. não crê. E sabe que por esta circulação o Mercúrio sobe em sua natureza primeira. por Ter sido freqüentemente testemunha ocular. quando vem à fonte. VI Em conseqüência. sua matéria de "REBIS". cinqüenta dias. a alma do Sol. que retira e envia a Saturno. não é da maneira que pensam os Químicos Filosofistas. atenta para a minha doutrina. composta de duas. dia e noite. mas reconheço ser embaraçoso errar durante cinqüenta dias sem guia. quer dizer. Quem o contrario afirmar. o corpo comece a reter um pouco d’água: e assim comunicam-se mutuamente suas qualidades VII Mas. Toma o corpo que te indiquei e coloca-o na água de nosso mar. os infelizes principiantes entregam a experiências temerárias. que opera só durante todo este tempo. se não o fizeste cozinhar ao grau conveniente de calor. enfim. se bem que nosso Mercúrio devora o Sol. o corpo é continuamente fervido e filtrado nesta água. como nem toda a água sobe pela sublimação e permanecendo sempre uma parte com o corpo no fundo do vaso. após uma espera de um ano recuperarás o Sol intacto e em plena posse de sua virtude primeva. após a preparação da matéria. mesmo se o unes ao nosso Mercúrio. compreendendo mal a passagem do conde Bernard Trévisan." IV Estejas bem certo de que.academiadecienciasfuturas. V Aqueles no caminho do erro crêem que dissolver os corpos é uma operação tão fácil que imaginam que o ouro imerso no Mercúrio dos Sábios deve ser devorado num piscar de olhos.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. o que os ciumentos brevemente indicaram quando chamaram. princípios das duas. muito depois. vestido com um hábito dourado. Filósofo não pode ser. de modo a dissolver os corpos sem queimar suas tinturas. seu companheiro permanecendo morto até o momento propício. Dissolve-se para que em Sol ou Luna Os Espermas sejam mudados. delicadamente. Eu mesmo.

Contenta-se. em seres mantido na prisão durante quarenta dias e quarenta noites. asseguro. Mas.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. porque circula elevando-se. pois cumpriste ditosamente o regime de Júpiter . cuja obra é despojar o rei de sua vestimentas de ouro. cinqüenta dias. Esta operação chama-se regime do Mercúrio. Para os filhotes dos corvos. para não verter a água com tão pouca moderação. se multiplicarão. a morte de um. fazes neste regime sublimar algo. II Então rejubila-te. e multiplicam. ora assemelha-se ao piche fundido. não retornem a ele. para não irrigar a terra excessivamente. Saturno. que a terra que reste seja abandonada. variando até a perfeição no negror nigérrimo. ao longo destes dias. nem nenhum sintoma de vida. pela vontade de DEUS. o negro nigérrimo. com o bom Trévisan. não dura mais que três semanas. se tiveres sorte CAPÍTULO XXV DO SEGUNDO REGIME DA OBRA. A prudência. não se vê fumaça. embaixo: e este corpo. O leão morrendo. no fundo do vidro. de fatigar o leão por muitos combates e atormentá-lo até a última lassidão.org. aparecerão todas as cores imagináveis. e é a lei deste espetáculo. que saída de um regime seja a entrada de outro. que deves aqui conduzir com julgamento são. nem vento. inflar-se como a massa de pão. estas cores se reforçam. sobrevem discretamente após mais ou menos vinte dias de ebulição conveniente e contínua. neste regime. e descerá dos céus para aterra. Ó triste espetáculo. a ponto de sufocá- Índice Índice . mas que mensageiro agradável ao artista! Pois não é uma negrura ordinária. e ao fim. para levar a bom termo a obra encetada. e permite à tua frágil matéria permanecer no fundo.academiadecienciasfuturas. o Todo Poderoso dará a vida a esses cadáveres. e juro-te pela fé empenhada. à força de aumentá-lo. que é de outra cor. DEUS quer. E assim que vires a matéria. enquanto nele se embebe o corpo do Sol. seca e inútil. que é o ninho de sua concepção. entra seu sucessor. após tudo isto. quando tiverem deixado o ninho. III Tu ao menos toma cuidado com o fogo. apenas tenha Mercúrio terminado seu reinado. que não podem ser notadas precisamente. verás novamente as cores cambiantes. depois daquele. e circulará. se mostrará sobre as paredes do vaso. nasce o corvo. então aparece o regime de Saturno. estejas certo que após o período determinado pelo Todo Poderoso para esta operação. mas ora o composto está seco. perderás toda a obra. Realmente. o espírito é reconciliado com o corpo e a união de um e outro é realizada na cor negra. o nascimento de outro. e. elevar-se-á do centro para os céus. em forma de estrias ou cabelos. Igualmente. imagem da morte eterna. jubila-te: é que o espírito vivificante aí está encerrado. é passível até a aparição das cores. o espírito renascerá glorioso e glorificará seu corpo. mais que o negro mais intenso. As chuvas.br VII Assim por intermédio desta alma. Terceiramente. que o qüinquagésimo dia te dará. Pois após a putrefação necessária e a concepção feita no fundo do vaso. sem violência. no fundo do vaso. quando achar conveniente. uma brancura muito bela de se ver. II Este regime é igualmente linear no que concerne à cor. Este regime não é longo. na operação. inevitavelmente. por conseguinte. e uma sublimação circulante. QUE É DE SATURNO I Terminado o regime de Mercúrio. deve ser extrema. mas brilhante. subirá. recolhendo a força do que está no alto e do que está embaixo. CAPÍTULO XXVI DO REGIME DE JÚPITER I Ao negro Saturno sucede Júpiter. ao fim de no máximo. Durante este tempo. que ocupa o nível mais alto. que se.

humilha-se mais uma vez. sem que se lhe dê a mão . E é essa a vitrificação contra a qual os filósofos tomam tantas precauções. CAPÍTULO XXVII DO REGIME DA LUA I O regime de Júpiter estando completamente terminado.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. para que o composto não se vitrifique. ocorre ordinariamente aos imprudentes: corre-se este risco desde o meio do regime da Lua até ao sétimo ou décimo dia do regime de Vênus. inchará. e mais belos do que qualquer coisa já vista por olho humano. O que purifica é alvíssimo em sua natureza. assim como no regime de Júpiter elas participavam mais do negro que do branco. se a retiras de seu vaso. e quando elas desaparecem tudo torna-se branco. Damos graças eternas a nosso DEUS. o composto se revestirá de mil formas. às paredes do vaso. porque o regime de Júpiter foi inteiramente consagrado a purificar o latão. e isto. III Deve-se muito pouco aumentar o fogo. mas passa gradativamente do branco ao alvíssimo. a mesma pedra. quer dizer. dar-te razão demonstrativa. IV E finalmente. por vezes imitará a forma de uma árvore de prata mui fina com ramos e folhas. senão que tal é a vontade de Deus. Numa palavra. e nenhum filósofo antigo. III Mas. e prepara. enquanto que com um calor suave liquefar-se-á sozinho. Durante este trânsito do negro para a brancura. porque a lei da pedra perfeita é que ela seja fusível: por isso. E sabe que o regime da Lua será terminado em três semanas. e não mais poderás progredir. se resfria.org. é a verdadeira e perfeita tintura ao branco. antes que termine. sabe. por conseguinte. II Ao menos neste regime cuida de teu fogo. a matéria se vitrificará e aderirá. mas o corpo que ele deve limpar é de um negro extremamente escuro. belas. Pois crescendo os rios antes da coagulação cem vezes por dia. tão líquido quanto o azougue. CAPÍTULO XXVIII DO REGIME DE VÊNUS I O mais surpreendente de tudo é que nossa pedra. e dará novas Índice Índice . tão finos quanto átomos do Sol. se bem que de primeira ordem somente. uma nova volatilidade. Mas. momentâneas e desaparecendo rapidamente. ao fim do quarto mês verás aparecer o sinal da Lua crescente. Realmente. e. mas mais próximas do branco do que do negro. antes e depois que a obra ao branco seja perfeita. um branco que não é perfeito desde o primeiro dia. ver-se-ão neste regime cores variadas. distingue-se todas as cores intermediárias. evita-lo-ás com bom regime de calor exterior. que não se liquefaça passivamente como o vidro. Não posso. terás grãos muito brancos. inteiramente perfeita e capaz de dar uma tintura perfeita. de medíocre virtude em relação à virtude admirável que adquirirá pela repetição da preparação. e pela vontade de DEUS será dotado de um Espírito que se exaltará e trará consigo a pedra. Todos estes erros. encerrada num outro. fundida. ficarás a cada momento estupefato de admiração com o que vires. às vezes se assemelhará a olhos de peixe. que produziu esta obra.br la. II E sabe que neste regime tudo se torna à visão. e que. se intensificas um pouco o fogo. e é o que chama a sigilação da mãe no interior do ventre do infante que ele engendrou. e em vão tentarias levá-la mais adiante.academiadecienciasfuturas.

ocorrem. e estará seguro de ver. de não irritar demasiado o espírito. se tingirão de violeta. para ver semear e amadurecer nela o fruto do Sol. por ter conduzido a obra até aqui. um amarelo diluído com marrom. só desaparecendo totalmente ao fim de vinte dias. Este regime será cumprido após quarenta dias. continua então o calor conveniente. e se o deixar voar para o alto do vaso. dificilmente. que mostra mais freqüentemente uma cor amarelada. com ramos e folhas. e que exibe gloriosamente as cores efêmeras de Íris e do Pavão. se vitrifique. e uma cor lívida. na árvore filosófica. de púrpura obscuro. e muito agradáveis de se ver. durante este tempo cresceram. e controla o fogo com prudência. duas semanas após sua primeira manifestação. o estado do composto torna-se mais seco. já tão perto da perfeição. com o qual embebes esta matéria. se fugir para o alto do vaso. pelo trigésimo dia deste regime. Mas as cores que se servem de base a todo este regime são suaves. sem violência. então será tratado com delicadeza. Então desconfia que um calor excessivo possa degenerar o verde em negro. e quase acabaste teu trabalho. e seria insensato reduzir tudo a nada numa só pequena hora. notará sobre o corpo uma espécie de suor cítrico. e. II Considera. graças eternas. Quanto mais te aproximas da perfeição mais deves ser prudente. amarela cada vez mais. Já tudo aparece como o mais puro ouro. por medo de que. Índice Índice . com um pouco de alaranjado. e o leite da Virgem. Quando o espírito começar a se espessar.br cores. E se procedeste com as precauções necessárias. o corpo se abatendo. e pede-lhe dirigir teu julgamento. no decurso desta operação. o que destruiria a obra. ramos de diversas cores. depois vapores citrinos que. CAPÍTULO XXIX DO REGIME DE MARTE I O regime de Vênus terminado. descerá por si só. avermelhando-se um pouco com púrpura obscuro. é preciso observar a mesma precaução do regime da Lua. É aqui que a mãe selada no ventre de seu filho surge e se purifica. o azul. cuja cor é sobretudo verde. ou ao menos. e esta pureza. II Então. e a matéria toma formas variadas e fantasmagóricas. doador de todos os bens. porém de tempos em tempos. III Sabe que nossa terra virgem sofreu seu último trabalho.org. vem em seguida o regime de Marte. aonde se banha o composto é tal. impregnará quase todo composto. pois que esperaste quase sete meses. por vezes lívido. um púrpura pálido e suave. depois. Oferece a Deus. ao fim do regime de Vênus. aparecer uma cor citrina que. de início. de tempos em tempos. em seguida. V Quando tiverdes o verdor. sabe que há nele virtude germinativa.academiadecienciasfuturas. porque ele é mais corporal do que antes. para que teu zelo não te faça estragar a obra. eis os sinais que observarás: Inicialmente. que a afasta da podridão. tudo o que esteja no fundo seja queimado.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. o verde de Vênus. É a cor de Jacinto que mais usualmente aparece. IV Cuida. que durará bastante. CAPÍTULO XXX DO REGIME DO SOL I Aproximas-te do fim de tua obra.

III Faz de sorte que tudo esteja em boa fusão. porém. porque então se tornaria insolúvel. ele começará a se dessecar. quando a matéria formar grãos como átomos do Sol. II Mas. pela ordem. não vitrifica tua matéria por uma ignição muito violenta. chama-o cibação como pão e o leite. o Elixir. para que não seja prejudicado pela fumaça dos carvões. omiti dizer no capítulo precedente. com qualquer fogo que seja. se liquefará. tornar-se úmida e pesada. e obterás massa friável de belíssimo vermelho. e coloca-os num vidro. É verdadeira fermentação. tampouco jurar por seus escritos. Enfim. depois. se julgares conveniente. mas apenas translúcido.academiadecienciasfuturas. e. e de uma cor tão intensamente rubra.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. a propósito desta obra. cuja virtude fugaz condensa os espíritos tênues sem que seja necessário agir. CAPÍTULO XXXI A FERMENTAÇÃO DA PEDRA I Recorda-te que já encontraste um enxofre rubro e incombustível. finalmente. mas a primeira proporção é melhor). mistura-os bem. III Mas. em maior parte. ver aqui o fim de teus trabalhos. e parecerá completamente dissociada em pequenos grãos. antes da vinda do filho sobrenatural vestido de púrpura tirina. duas partes de teu Mercúrio Filosófico. muito rubros. mas com precaução. por tua culpa. até que se comece a se tornar granulosa. depois verte numa lingoteira. precisas ainda continuar para Ter deste enxofre. pois. introduz teu enxofre. pela vontade de Deus. CAPÍTULO XXXII A EMBEBIÇÃO DA PEDRA I Sei que muitos autores. Tão extraordinária é esta criatura. ela parecerá enegrecer como um sangue puríssimo coagulado. depois se congelará. tal é o sentimento de Ripley. depois se concentrará de novo. que ao lado do vermelho mais brilhante.org. não acostumei a citar outros. sempre renovadas. II Não crê. tomam a fermentação como o agente interior invisível a que chamam fermento. Faz fundir o Sol em um crisol próprio. a após novo giro da roda. verás tua matéria. Toma então três partes do Sol puríssimo e uma parte deste enxofre ígneo (podes tomar quatro partes do Sol puríssimo e uma parte deste enxofre. rege o fogo como antes. muito intenso. e em dois meses verás passar todos os regimes de que falei. para não te privar. Toma uma parte desta massa reduzida em pó fino. que ela não tem par em toda a natureza. e quanto ao nosso proceder da fermentação. e sobre um assunto que Índice Índice . então. no regime do Sol citrino. e em conseqüência. e a cada dia se revestirá de formas fantasmagóricas. que não pode ser aperfeiçoado mais por si mesmo. tua matéria irradiará uma luz que dificilmente podes conceber. Isto durará aproximadamente duas semanas.br Após a espera de quatorze ou quinze dias neste regime do Sol. Espera agora pelo fim próximo. e atenta bastante. muito prudente. quando estiver fundido. de um tal tesouro. pelo vigésimo sétimo dia deste regime. não se congelaria em belíssimos átomos. nela nada se encontrando que sequer lhe assemelhe. Sê. e jamais terias crido que a arte pudesse criar maravilha semelhante a este elixir. cem vezes por dia. e novamente se liquefará. que podes recomeçar. o que não a impedirá de ser carregada no ventre do vento. que verás ao fim de três dias.

Trata-se de tomar teu enxofre perfeito. e guardei minha liberdade de opinião. percorrerás em três dias todos os regimes. o que durará um mês no máximo. ou quatro. e a medicina terá para ti uma força mil vezes maior ainda. depois faz escoar a mistura num recipiente. que já coagulou uma Quarta parte quando da primeira embebição. da qual uma só parte projetada sobre dez mil as tingirá perfeitamente. adiciona ainda uma outra quarta parte. no máximo. segundo a espécie do luminar fundido. do Mercúrio da primeira obra. Então terás a verdadeira pedra de terceira ordem. toma quatro partes de cada uma das duas luminárias. coloca-os em teu vaso e sela-o. uma só hora mesmo bastaria. colocando aí tua pedra. não em relação a todo o composto. mas então não mais serias capaz de reconhecer a virtude da pedra.br conheço tão bem quanto eles. e se porventura recomeçasses uma Quinta vez a multiplicação. III Existe pois uma outra operação pela qual a pedra cresce. Recorda-te então de render eternamente graças a Deus. põe com ele tua mistura. que coagularás com o fogo requerido. e com fogo semelhante ao primeiro. o vaso estando estritamente fechado: todos os regimes passarão. CAPÍTULO XXXIV DA MANEIRA DE REALIZAR A PROJEÇÃO Índice I Toma tua pedra perfeita. como foi dito. quer seja branco. para teu prazer. quer da vermelha. e pela quantidade da medicina. fazei-as fundir num crisol limpo. Quando estiver dessecada. faz embeber e congelar três vezes nesta proporção. III E se ainda desejas recomeçar. V Enfim. esta virtude seria tal que a mente não poderia concebê-la.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. esta água que acabas de juntar se condensará. e obterás uma massa mui friável. e toda a mistura formará medicina de ordem inferior. se tentasses ainda mais uma vez a experiência.org. e após algum negror e uma cocção de seis ou sete dias. toma uma parte desta mistura e dez partes de Mercúrio bem purificado. quer da branca. mas em relação à primeira quantidade de enxofre que empregaste. CAPÍTULO XXXIII A MULTIPLICAÇÃO DA PEDRA Índice I Para isso fazer. aquece o Mercúrio até que comece a crepitar. que o penetrará num piscar de olhos. basta tomar a pedra perfeita e unir-lhe uma parte com três partes. e adicionar a três partes deste enxofre uma quarta parte de água. pois tens em tua posse o tesouro de toda a natureza. bastar-te-á um dia natural para fazer passar a obra por todos os regimes com suas cores. depois reger o fogo convenientemente durante sete dias. para a sétima embebição.academiadecienciasfuturas. introduz agora duas partes d’água em relação às três partes de teu enxofre que tomaste e pesaste antes da primeira embebição. faz de modo que todo o composto passe pelos três regimes que descrevemos. quer vermelho. como teu enxofre IV Adiciona agora uma outra parte d’água. mais em qualidade que em quantidade. II . branco ou rubro. toma cinco partes de água em relação ao enxofre empregado inicialmente. e a pedra obterá uma virtude mil vezes maior do que antes de sua multiplicação II E se tentas ainda mais uma vez a operação. funde-o a um fogo mais vivo.

àqueles que se interessam sinceramente por esta arte oculta. graças à benção de Deus.Em segundo lugar. . e que tivesse de alimentar a cada dia um milhão de homens. converter todos os metais imperfeitos do mundo em ouro ou prata verdadeiros. 3. se fosse um Adepto. que desvelei e desvelo estes arcanos. De modo que só Adepto. sem esta arte. De tal forma que este homem. pois. III Deve-se.Em terceiro e último lugar. se o desejasse.. tanto em qualidade. e obterás ouro e prata mais puros que a natureza jamais poderia proporcionar. pela mesma arte. nem se ver condenado no último dia. porque poderia multiplicar a pedra a seu bel-prazer. habitante COSMOPOLITA. a menos que se trate de Mercúrio. possui medicina universal. se o é realmente. melhor o sucesso do trabalho com o fogo.br Toma agora uma parte desta matéria e projeta-a sobre qualquer metal fundido e purgado. que pode desejar neste mundo. servir a Deus sem distrações? Que vaidade seria procurar uma irradiação vulgar por uma magnificência totalmente exterior? Aliás. ocorre um desperdício considerável de medicina. inglês de nascimento.org. afim de não parecer ingrato para com o Criador.Em primeiro lugar.academiadecienciasfuturas. nada lhe faltaria. até que haja mais tintura: porque projetando uma pequena quantidade de pedra sobre uma tal massa de metal. por causa das escórias que aderem aos metais impuros. servir-se dele para a honra de DEUS e a utilidade de seu próximo. não é o que têm no coração aqueles que possuem esta ciência. exceto poder. capaz tanto de prolongar a vida quanto curar todas as doenças. Por isso quanto mais os metais são purgados antes da projeção. ao abrigo de todo o engano e malignidade dos homens. mas desejando vir em auxílio como amigo.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. quanto em quantidade. preferível fazer a projeção gradativamente. porém. V Esta obra foi começada no ano de 1645 e por mim terminada. se vivesse mil anos. IV E aconselho àquele que goza deste talento. poderia. III É. 2. II Ao bem-aventurado que DEUS gratificou com este talento são prometidos outros prazeres bem mais desejáveis que a admiração popular. em tão grande quantidade que tua pedra poderá tingi-lo. louvar incessantemente o reino eterno. CAPÍTULO XXXV DOS MÚLTIPLOS USOS DESTA ARTE Índice I Aquele que possui perfeitamente esta arte. imortal e único Todo-Poderoso por seus dons inefáveis e seus tesouros inestimáveis. que lhe confiou este Dom precioso. Assino pelo nome de IRINEU FILALETO.. e irmão. 1. encontrar na natureza. está em condições de devolver a saúde a todos os doentes de todo o mundo. antes o desprezam e o negligenciam. fabricar pedras preciosas e gemas mais belas que todas que se poderiam. poderá..

e aligeirei a consistência da mistura. até que estivessem muito bem trabalhados. Índice Cada preparação do Mercúrio com seu arsênico é uma águia assim que as plumas da águia forem purgadas da negritude do corvo. VI . fazei de modo que a águia voe até sete vezes. reduzi-os a partículas mínimas então. III. triturai num almofariz de mármore o sal e as escórias. e outro tanto de escórias de Marte. puro. Índice Tomei o Mercúrio requerido e misturei-o com seu verdadeiro arsênico. e muito bem. por intermediação do ninho. ao escorrer. claro e resplandecente. com uma onça e meia de Mercúrio preparado. .br EXPERIÊNCIAS Índice IRINEO FILALETO Sobre a preparação do mercúrio dos sábios para a pedra. o que me fez conhecer que havia feito minha preparação segundo a Arte. ou prata. .OUTRA PURGAÇÃO EXCELENTE. -DEPURAÇÃO DO MERCÚRIO DOS' SÁBIOS. trabalhando todo o conjunto no calor exigido. e pela quinta preparação. aproximadamente oito onças de verdadeiro Arsênico filosófico foram feitas. Índice Tomei uma parte do Dragão ígneo. pelo régulo de marte. num alambique que lhe seja adequado. e que não deixe rastro. Índice Tornai dez onças de sal decrepitado. reiterai três vezes esta operação e tereis o Mercúrio muito bem preparado para o Magistério. que triturei e reduzi em partes mínimas. mais ou menos. o que me deu o corpo da Lua. e uni-os em um só corpo. em seguida. e depois lavai-o com sal de urina até que se clarifique. então a águia. que não se os distinga-. colocai o todo num vaso filosófico de vidro e destilai num alambique também de vidro. e que ainda tem alguma impureza externa. com uma cucúrbita calibrada. Tiradas do manuscrito de um filósofo americano dito Irineu Filaleto inglês de nascimento. que casei com duas partes da Virgem Diana. IV.SEGREDO PARA PREPARAR O MERCÚRIO COM SEU ARSÊNICO E RETIRAR-LHE AS FEZES Índice Meu método foi tomar uma parte de ótimo Arsênico filosófico.SEGREDO DO MERCÚRIO DOS SÁBIOS. e pela lua.academiadecienciasfuturas. quer dizer. purguei-o de maneira conveniente.SEGREDO DO ARSÊNICO FILOSÓFICO. ou ferro. II . habitante cosmopolita. . . com o antimônio e estrelado. e duas partes do corpo magnético. V.SEGREDO DA JUSTA PREPARAÇÃO DO MERCÚRIO DOS SÁBIOS. está bem preparada e disposta para erguer-se até à décima vez naturalmente. que a sublimação se faça estas tantas vezes. introduzi o Mercúrio. A quantidade do Mercúrio foi de quatro onças. com isto preparei meu Mercúrio. até que todo o Mercúrio ascenda por sublimação. ou a sublimação.org. destilei-o. I. ou ferro. preparei-os juntos por um fogo de roda. e as recolhi separadamente. que lhe serve de arena. Índice Destilai três ou quatro vezes o Mercúrio preparado. triturai ainda o todo com vinagre até que estejam tão bem misturados. purguei a composição com o sal de urina para fazer-lhe cair as fezes. depois.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www.

depois fiz voar a águia duas vezes separadamente para operar toda a extração do corpo total. e dispondo o fomo. 2. Em seguida. mas quanto mais forte é o fogo. ainda fiz urna sublimação. o que fiz longamente pelo sal de urina. tanto melhor.academiadecienciasfuturas. então fiz voar uma outra águia. 4. e o que nela há de fezes se separa facilmente. vertei-o no ovo filosófico. coloco num crisol. fazendo juntar a sublimação com o composto. de modo que não se sublime. Índice Tomai vosso Mercúrio preparado com seu arsênico. faço de modo. Purguei-o subseqüentemente segundo o uso conveniente.Tentei fazer voar urna outra águia e após ter feito rejeitar as superfluidades. porém. então. que permaneça num calor de sublimação. porém. e destarte e consistência foi consumada em muito bom regime. trituro-o como fiz antes. do qual realizei o casamento requerido. ou sublimação. até que aparecesse alguma brancura. um pouco mais leve. ela pareça pó. corri um pouco de cobre. com isto fazendo uma matéria disposta em forma de argila de modelar. VII . e ainda purguei afastando as superfluidades. lutai-o bem com o luto de Sapiência colocando-o no forno em seu ninho. e durante um tempo conveniente. até que. VIII . o amálgama se toma à parte. a hidropisia que havia reinado em cada uma das três primeiras águias ou sublimações. então eu a retiro do crisol e a trituro habilmente. Então. quase toda.OUTRA PURGAÇÃO MUITO BOA. depois remeto-a ao crisol e ao forno. 1. reenvio-o ao fogo. Tal foi a boa via que encontrei para preparar o Mercúrio dos Sábios. que achei muito bom vara esta obra.TRIPLA PROVA DE EXCELÊNCIA DO MERCÚRIO PREPARADO. retiro-a ainda e a trituro. após o que.Casei a águia. e então sirvo-me de um almofariz aquecido. . . lavo-o e purifico ainda pelo sal. nove ou dez sublimações. tornei uma meia onça de arsênico. Neste labor. oito. depois. Ajuntei isto com o Mercúrio. mesmo até que a Obra tivesse quase adquirido a brancura da Lua.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. que -não haja sublimação durante uma meia-hora. recoloco-o no crisol e sobre o fogo. até que . de modo que suba e desça neste ovo de vidro.br Em seguida. o amálgama começa a lançar muito pó branco. a massa amalgamada e casada segundo a Arte. e após um quarto de hora aproximadamente. cessou inteiramente.Fiz voar urna águia. Repito este proceder até que não mais subsistam fezes e impurezas. com tanto peso quanto o necessário para que este mesmo Mercúrio tornasse a composição fluida e ligeira. e urna grande parte de cobre permaneceu corri as pombas de Diana. purifico-a.org. como da primeira vez. 3.Casei a águia fazendo recair a sublimação sobre a confecção e adicionando-lhe cada vez mais. e tendo sido as trevas dissipadas. e de novo as pombas de Diana permaneceram corri urna tintura de cobre. e pelos graus de seu humor. Esta purgação exigiu bastante trabalho. . . adicionei a seu peso arsenical o antigo Mercúrio. pelo lavor de sete. Continuo a trabalhar aquecendo e triturando assim a massa. Diana a permaneceu no fundo do ovo filosófico. ou sublimação. assim em doze horas pude preparar unia águia. Índice A melhor via que encontrei para purgar a composição foi pelo vinagre e sal puro marinho. ou umidade radical.

lavai-a com o vinagre e o sal Amoníaco. Que vossa matéria não exceda mais de duas onças neste . Índice Agora. se converte naturalmente com o sal de urina em pó branco impalpável. então.OUTRA. no máximo. cujo corpo foi coagulado por meio da digestão e a virtude do espírito volátil. agitando-o com -a ponta de uma faca. sobre este vertendo-o aqui e ali.org. e separai o Mercúrio de seu enxofre por meio do destilatório próprio de vidro. do tamanho dum ovo de galinha. IX . até que. Índice Tornai todo o vosso composto de alma. . XVI.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www.IMPOSIÇÃO DO FETO NO OVO FILOSÓFICO. É uma operação manual que ajuda à natureza. depois fá-lo-eis secar sobre um cartão limpo. assim é que tereis admirável panacéia. PELO MEIO DA SEPARAÇÃO. continuai assim até uma perfeita coagulação. . . como um mercúrio ligeiro e volátil. rarefeitas e sutis. por meio duma cucúrbita também de vidro. quer dizer. convertido e separado em partículas ligeiras. Índice Tomai Mercúrio preparado. . lavareis toda sua acerbidade salina e sua acrimônia na água da Fonte filosófica: fonte da Salmácia. quer dizer.MODO DE TIRAR O OURO POTÁVEL DESTE ENXOFRE AURÍFICO. fonte de Juvência. Índice Se o Mercúrio. daquele Enxofre branco que é a Prata.SEGREDO PARA TIRAR O OURO MÁGICO DESTA Índice Pelo calor do fogo. agitando-se um vaso de vidro que o contenha. que é o Mercúrio filosófico. .br se coagule um pouco mais espesso que a manteiga. XIV. que é mais pesada que a Prata vulgar. a Prata filosófica. fazendo-o circular segundo a Arte com o mênstruo volátil. Índice Moei e triturai esta mistura sobre um mármore em partículas finíssimas. XV. então a água mineral é boa. ele não será. isto basta. Índice Convertereis este Enxofre amarelo em óleo vermelho como sangue. XII. X. até a fixidez perfeita. espírito e corpos misturados. oito.CONJUNÇÃO GROSSEIRA DO MÊNSTRUO COM SEU ENXOFRE PARA FORMAR A PRODUÇÃO DO FOGO DA NATUREZA. são precisas duas ou três partes no máximo de água filosófica para uma parte de Enxofre puro. em seguida.EXTRAÇÃO DE ENXOFRE DO MERCÚRIO. no entanto. E TERCEIRA Índice Destilai o Mercúrio num alambique de vidro. tirareis o Enxofre amarelo que é o Ouro. purgado e bem tirado pelo lavor de sete. de modo que não apareça mais sob a forma mercurial. e que por conseqüência também naturalmente torne a consistência ao seco e quente. purgado e triturado.ELABORAÇÃO DA MISTURA POR UM TRABALHO MANUAL. se alcance a brancura da Lua.OUTRA. . nada deixando após si. digo. nove.academiadecienciasfuturas. piscina probática. . XI. porem é melhor. se o faz passar neste estado em glóbulos imperceptíveis pela águia da fonte dos Filósofos: pois se o corpo reside em grãos. misturai-o com o Enxofre vermelho chamado Latão preparado. XIII. E SEGUNDA PROVA. e este Ouro é o chumbo rubro dos Filósofos. até que tenha depositado todas as suas fezes negras. colocareis vossa mistura bem seca num ovo filosófico de vidro. ou dez águias. o qual será muito branco e transparente. então tereis a Lua branca fixa que resiste à água forte.

dia e noite. 4. porém. E que depois seja abrandado em água mineral. por isso. era real. sem nenhuma interferência. Alimenta-o até que lhe chegue a fortaleza que o torna capaz de superar seus tenazes opositores. o corpo morrerá e o espírito será renovado. se converte em um espírito que nunca se desvanece. Poré assim é nosso sujeito. fermentado. e sela a criança no útero de sua mãe. não necessitará empregar muito dinheiro para prepará-lo pois é de matéria vil. para que possam conseguir a prata e o ouro. que as naturezas se apodreçam e morram. quer dizer. temos provado. que como o juiz no dia da sentença julga a fogo toda a terrestreidade que adere aos metais imperfeitos. Da Arte Dourada. se sabes procurar em seu próprio gênero. Índice Tende um fomo construído de maneira que nele possais conservar um fogo imortal I. 3. por sua própria virtude. deve sofrer sua sentença da negrura repetida que se desenvolverá. e ensinado por exemplos. É a esta pedra oculta que chamamos de nosso enxofre.br ovo. pela direção da arte e a operação da natureza. . permitindo que permaneça no calor até que o grito seja transformado em regozijo 6. a substancia perfeita que aqui há. E como fundamento do que pretendemos considera bem e calibra com bom juízo. Neste fomo. e seja depois fixado segundo o desejo de seu coração. exalta e depois a terra a faça voltar.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. sem problemas. quer dizer. 5. é somente o ouro levado a uma perfeição tão alta quanto é possível a tal. um calor contínuo sem interrupção. ou de outro modo gastará teu dinheiro em vão e sua obra não sufragará das inúteis cargas que possa consumir. Esta pedra não pode ser confeccionada somente pelo engenho da natureza. continuadamente. tão estimada por muitos. não conseguindo delas senão fedor e humo. da qual esteja seguro irá revivificar. cuidareis de nele entreter um calor do primeiro grau na entrada do ninho. agora nossa musa ao fim é levada a ordem para revelar sua devida prática. o qual. deve fazer pela arte. porém é um corpo firme e compacto. A MEDULA DA ALQUIMIA Índice IRINEO FILALETO 1. o rocio de nosso composto deve elevar-se e circular por si mesmo. Devemos pois encontrar um agente que possa abrir esse sujeito. que não era fábula como muitos estimavam. até que a umidade seja esgotada pela secura . que selareis hermeticamente. desta arte será feito um novo Céu. e assim permanecerá sempre constante em sua forma. pesai-o antes de aí introduzir a matéria e repesai-o depois de tê-la introduzido. Multiplique-a até que chegues ao elixir que chamamos de espírito. 2. Sabei que vossa mistura originalmente é urna água seca que não molha as mãos: nisto há grande segredo. e logo circulada com um fogo devido. nascerá uma alma nova que será glorificada e unida a um corpo imortal e incorruptível. dissemos e todavia afirmamos. Sublima. Coloca então o Rei sobre seu assento real. enfim. para conhecer e regular seu peso. XVII. desde o começo da Obra até o fim. Neste fogo. que o ouro se converta em pó. e operar naturalmente todas as maravilhas da Obra. que brilha como a chama cintilante. .E ÚLTIMO. Embeba-o então e volte a congelar. Por que? É seguro que o ouro não tem a intenção de levar-se tão longe. REGIME DO FOGO.academiadecienciasfuturas. e seu exterior asqueroso é muito sujo. a razão de nosso trabalho.org. ao qual. Aquele que queira conseguir esta essência. A pedra que buscas.

Disto falam poucos autores. Abra-o. confiando domar com o tempo sua fúria. porém deseja ser aguçado pelo sal da natureza. o interior resplandece como o dia. porém tomado em sua crueza nativa purga toda a superfluidade do sol. pois é seu único cônjuge. Pois quando a besta se acercou deste manancial. pois esta é nossa primeira porta. porém tudo em vão. pois. Porque ? É o enxofre e somente ele nosso agente requerido por nossa pedra. para o que te esforçaste. Ó. é filho de Saturno. e dividiu sua alma de seu corpo. É estranho ver um metal robusto e fixo que sabe suportar o golpe atordoador de Vulcano e que não se abrandará no fogo nem se mesclará em fluxo com metal algum. que cozinha na terra um enxofre cru. até que seu corpo explodiu. e os que o fazem obscurecem esta chave.org. 12. cujo matiz cintilante mancha o enxofre. Eu. e nelas o dragão abraçado. cujo semelhante nunca foi visto antes. que porém seja feito . separadas as carcaças. 16. e pode penetrar até o centro dos metais. uma estrela da manhã se fez aparecer da terra. Com a ajuda de Vulcano este dragão ressuscitou e do céu recebeu uma alma. e o enxofre verdadeiro.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. É de cor zibelina. A este chamaram de leão verde. e viram então algo que consideraram estranho. Sabe pois agora. Porém para não manter-te mais em suspense. porém. É venenoso em sua natureza. Atente pois primeiro a este mistério que existe em nosso agente ígneo. então me escuta: 10. e mesmo assim abusado por muitos de um modo medicinal. 15. a ajuda de Vulcano não valeu de nada. força poderosa! Os sábios contemplaram isto. Este é nosso dragão do qual o deus da guerra atacou com armadura do mais forte ferro. O ar foi aclamado com suas asas puras e prateadas. amado leitor. Creia-me esta não é uma obra a ser conseguida por um cuja ingenuidade é cega. A briga concluiu. uma estrela não vista antes mostrou que Cadmo quando sentiu esta força não pode suportar tão grande poder. a que conjuraram com feitiços. nosso leão verde. 8. É de todo volátil e nada fixo. como que assustadas as águas se retiraram. que prepararás em uma semana. Está morto. perdeu seu veneno. a água provou ser uma tumba para ele. Porém o enxofre comum não serve para nossa pedra. que nosso filho de Saturno deve ser unido a uma forma de mercúrio metálico. vil a vista. e vendo-o se assombraram. porém glorioso interiormente. Este fogo permanece extremamente fechado. ele morreu. 14. o mostrarei com sinceridade o que nunca nenhum homem o concebeu maior. O deixaram depredar os associados de Cadmo. Então apareceram as pombas de Diana com enfeites brilhantes. este sal abunda em qualidades que o fazem adequado para entrar no corpo do sol. e nenhum metal é mais frágil. pois a ociosidade é um impedimento para esta arte. Se lhe soltam os elementos pela arte. e encontraram por seu poder que alcançou o dia. que aparecem entremescladas no corpo. o que pode fazer em uma hora e lava-o depois com uma chuva prateada. Porém se tem uma maneira dócil e é industrioso. Sua pele se tornou como carvão. Ambos estão reconciliados. nem tampouco por aquele que desdenha o trabalho. este é o verdadeiro banho da ninfa. Concebe-o corretamente. e logo a fonte fedeu com um odor impuro que lhe deu nosso dragão. A substância que tomamos primeiro é um mineral familiar ao mercúrio. porém lhes apareceu um manancial fluente. 13. porque muitos deles mentem. te mostrarei plenamente estas alegorias. Se encontra que o sal do broto de Saturno é puro. não estavam longe. que mais necessita? 11. Procura este enxofre na casa de Áries. o qual flui no fogo como um metal. dividindo seu elementos e permanecendo com ele depois que é dissolvido. este é o fogo mágico dos sábios para aquecer o banho do Rei. Olha. Então a água voltou com nuvens e engoliu a besta a qual a bebeu. E deram a beber a besta deste mesmo manancial.br 7. desatando seus nós cujo sentido obscuro pode deixar perplexo o leitor. e suas almas unidas abandonaram seus corpos. com veias prateadas. 9.academiadecienciasfuturas.

e um terço (no pico) sustenta o pássaro. o robusto Áries é conhecido. esta é nossa lua. Isto. entre eles um pássaro. que se encanta na paz. cujo Reino não necessito relatar. nosso hermafrodita.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. O Deus da guerra é o Marte. 22. O pássaro alado denota ao mercúrio. completamente em outra parte. ser procurado por Deus. significado que nunca foi explicado melhor.br retrogradar por nossa nova arte. toma isto: a alma de um ao outro é um imã. e nós não podemos comerciar sem ele. com ele nós fervemos nós. o pássaro leva uma estrela na linha que fala de nossos segredos. sem seu gênero. Este é nosso aço. O que pode ser mais plano? Não pode ter ninguém tão bobo assim que não conceba que há nesta palavras um significado oculto no texto. 18. um filho da arte. está em lugares asquerosos. O Rei sustenta uma flor. bem mais nos instruem ao olho por figuras . e que são acertados por esta estrela. freqüentemente está condenado sobre o solo. razão pela qual se a demandas ( para satisfazer sua mente ). com a natureza estive em freqüente conselho. os néscios buscam nossos segredos em coisas sórdidas. todas as quais denotam. Esta substância é estrelada e está totalmente inclinada a fugir do fogo: é completamente espiritual. Não necessito citar nenhum autor. velhos cravos rebitados. Esta obra Real é selada pelo todo poderoso. Porém. O Rei e a Rainha com túnicas agraciados de um modo sumamente real. Na frota de navios no oceano. este é nosso ouro imaturo. 25. que tão poucos atinam. o que os leva a ruína. a menos que seja ensinado por um sábio mestre. cuja alma. e continuação preciosa. Observa a segunda figura que é localizado no verdadeiro Rosário dos Filósofos. ele diz. pela qual extrai-se a semente do sol tão sagrada. chamada assim por seu brilho. nele o que todos os artistas te encarregam de começar seu trabalho.org. Artefio o nomeia. e feito suave o corpo mais sólido. Por que? É. 21. porque os autores dizem que nossa pedra é vil. que ao ouvido por palavras plenas. e um corpo grosseiro o tenho convertido em uma terra fixa que não desaparece. Como ele nós aramos nossa terra. Os velhos sábios. unido com a terra estrelada que ambos velam. 23. 20. mas sem raiz. nomeie a ele em união a Saturno. domado por Vulcano. e seus nós eu os desato aqui. 19. é tão conhecido por todos (seu apelido é Dourado). Tão claro está. O uso dele é tão grande que eu não empilharei exemplos. sem ele nós não vemos nenhum navio e nem casa alguma. Vileza que é lançada livremente pelo caminho sim.academiadecienciasfuturas. ao qual corresponde tudo isso. e debaixo dos pés o Sol e a Lua. pois a vista é um corpo frágil. a Rainha a outra. Aprende esta água com . a qual os justos buscam diligentemente. e é aplicada para usa proibidos. e que nós deveríamos tomar como verdadeiro fundamento de nossa arte. eu. Belus na Turba ordena juntar o lutador com aquele que não concorda em lutar. Ninguém pode viver sem ela. e prosseguirei em meu pretendido curso de ensinar nossa água. cujo encontro apenas merece pena. mas não chega descobrir outro segredo. algumas são tão plenas que qualquer bobo pode deduzir o significado neles escondidos. A ela remeto o leitor estudioso. O que pode ser e digo ser A Casa de Marte. Este é um enigma que há muito mal explicado para os estudantes desta arte. e tão plenamente como um sol. nós cortamos nossa carne e nossos vestidos. se podes mesclá-la com mercúrio. que têm oito flores. Porém eu lhe digo : Eu estou só? Não. a isto nós chamamos de o beijo do velho Saturno. para ensinar ao prudente que aqui nasce a criança real. muitos mais declaram o mesmo. sustentando entre eles nossa verdadeira lunária. nenhum segredo pode permanecer escondido de ti. nós colhemos nosso grão. 24. pois hei visto e levado a cabo este mistério com minhas mãos. unicamente a Marte. Por ele se calçam os cavalos. lhe tenho dito para ajudar. quanto poder possui este pujante mineral 17.

28. e o cobre foram revertidos a um mercúrio real. porém é frágil. para cuja confecção se ensina a arte. quebradiço e negro com veias brilhantes. o qual endureceria a umidade por congelação. que possa ser convertida pela arte em nosso mercúrio. salvo um enxofre ardente pelo qual é congelado. que são todos separáveis. 29.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. ocultando o corpo sólido em seu ventre. É como se diz o retorno de Saturno. embora alguns possam ser mesclados com o mercúrio. Por que? Que há necessidade disto. e perceberá que seu centro nunca foi alterado. é de todo inábil para a verdadeira geração. eles não entra um no outro. este enxofre purifica a matéria. quando a natureza há produzido uma água e a há submetido a mão de todo artista. ao qual o mercúrio esteja tão aliado. estão selados ( se é perfeito). Porém não contém em si enxofre algum. se o prepara corretamente como mostra a arte. ambos metálicos.org. embora alguns possam ser misturados com o mercúrio. o chumbo. então qualquer coisa que seja convertida em ouro pela arte. 33. tanto quanto sua matéria. E se nosso mercúrio que chamamos de nossa água viva. ambos igualmente fluídos. de modo que sejam capazes de propagar sua própria espécie. 31. e se diferencia pouco do vulgar. porque todos participam do mercúrio. desatando a primeira da outra. porém no nosso buscamos um enxofre que falta nas minas. porque ela é o fundamento de nossa quintessência. O enxofre não é metálico de modo algum. como todas as coisas. Separa as fezes. portanto são de uma só origem. nem será reduzido nosso corpo a suor para emitir sua semente. deve Ter a mesma natureza. que mercúrio requer nosso mais secreto mênstruo. E se separar primeiro estas fezes obterás um mercúrio fluído e um enxofre cru. tão transformada é sua forma que realmente. Porque todos os metais. Porém nosso estimadíssimo mineral exceto por seus desperdícios crus.br toda sua diligência. conhecido por todos os magos. e quanto ao seu aspecto externo.academiadecienciasfuturas. a qual não é senão o mercúrio. mesclado pela arte com o mercúrio ( que participa do enxofre ). uma deve ser volátil e fugitiva e a outra fixa. ou participa de fezes terrenas. porém a vista pareçam mesclados. 26. eles não entram um no outro . e uma possibilidade. a arte poderia fazer que aparecesse estas águas. Assim pois. e eles partem um do outro pelo o calor. porém este é de um gênero muito remoto ao do ouro. e por tanto da substancia do ouro (porém imaturo ). Este enxofre deve ser de força magnética. ou cada uma de todas as suas águas foram chamadas como nosso mercúrio. Este fundamente deu a principio uma entrada a transmutação. mas para a vista eles vão de um para o outro pelo calor. e a faz ígnea. Se busca a razão. Aqui concluímos que nossa água sumamente secreta. Não há na terra senão um só corpo. toma esta resposta: que o enxofre que reside nos metais. porém a deixa como água. como para prepará-lo para nossa pedra secreta. e todos os cinco metais imperfeitos. o qual restaurará a vida dos corpos mortos. ambos voláteis ao fogo. não é senão ouro imaturo. carecendo de calor. que por razão de sua crueza se queimam no fogo. Porque todos os metais. mais do que vemos. e por mim mostrado. isto ocorre. senão em uma estação de fogo circulante. pois asseguramos que em peso ambos são iguais. aparece nu na forma como um metal (porém pode ser pulverizado a golpes) . e são transmudáveis por sua própria conta. qualquer. E se o mercúrio cru pode converter-se em ouro. 32. contém um mercúrio puro. e de cruezas que aborrece o mercúrio. que não se unirá a eles. o estanho. 27. como ensinam todos os sábios. também encontrará um sal alumínio. nem os encontrará alterados um pelo outro 30. nem encontrará um alterado pelo outro. Sabes pois que os metais tem todos uma matéria. 34. gerando seu semelhante. também em cor. Atente pois. Pois a água é a matriz que. e você perceberá que o seu centro nunca foi penetrado. tem a mesma matéria que o mercúrio vulgar. na qual pode ser induzida pela arte a uma forma que pode facilmente governar nossos segredos. quanto em sua forma.

o outro modo que é sumamente secreto. unida com Marte. uma estrela. reduzindo-os a sua primeira matéria. que se manifesta assim ao fogo. invertendo tudo desde seu centro oculto. e é belo contemplar. só o recomendamos a todos os que intentam ser artistas. cuja tintura é boa e verdadeira. são misturadas tão somente por nossa arte e a ajuda de Vulcano. 40. A estrela te ensinará as operações perfeitas. merece o nome de campeão. não obstante. esta é a marca que põe o todo poderoso sobre seus estranhos sujeitos. Observa primeiro como Cadmo é devorado por nossa besta feroz. 38. e sendo vertido. o qual misteriosos poetas de visão aguda. conciliando o amor e o verdadeiro deleite. igual a que faz Marte. e também com ajuda de Vulcano. que as almas de ambos (abandonando a matéria grosseira). em um fogo pequeno. purgada suas fezes. e confiando em frustrar este concerto. pois então trabalhas erradamente. então abandona a Saturno. Este é o selo real. causa nos corpos tal transformação que a negrura lustra na hora. Porém Vênus dá uma substância metálica. se unam e voem juntas até a colina. Alguns usam as pombas de Diana para preparar a água. ambas são iguais de vôo. envoltos como em uma rede. primeiro que esse mineral abrace a marte. pela destreza do artista. em pouco tempo. Tudo o que é perfeito cai ao fundo. 42. seja circulado tanto e tão freqüentemente. Assim quando a alma de Saturno de Marte. porém somente com a associação com Vênus. e para atiná-la corretamente. mostra quando se esfria. Este é o fogo celestial do qual uma chispa. que se eleva como humo. e se sabe que ela mantém um grande amor com ele. na qual. . 37.academiadecienciasfuturas. depois de atravessar valentemente. Do filho de Saturno sejam tomadas duas partes. unidos se reduziram. como se tem sido ensinado por muitos. ou de outro modo não serão separados por nenhuma manha do homem. tão só desprezível . e isto pode ser provado pois o ouro se une com o filho de Saturno. 35. e também a Marte. amada por Marte. depois da fusão. até que a alma de Marte é fixada. e porém mais claramente para os sábios. como uma pedra preciosa cintilante e coroa a nosso jovem rei com um diadema. seja retrogradado a um mineral. pois sua beleza é admirada por Marte. e suas partes não são divisíveis. Soma Vênus a este em uma proporção de vida. e faz com que seu corpo entre até suas raízes. de Cadmo uma. Somente por este mineral se consegue que Marte. a substância metálica. Observa esta estrela que é solar sem dúvida. hão descrito em linguagem oculta. 39. 36. de modo que ambos lancem fora sua terrestreidade. esposa do coxo Vulcano. 41. 43. e de teu êxito encontrara por certo como sinal isto: Um selo impresso como uma estrela. onde não as deixe permanecer tanto tempo que se congelem.org. Isto requer que se tenha um verdadeiro enxofre que encontramos na casa de Áries. também a brilhante Diana. isto se fará em quatro reiterações. Não lhe pareça isto uma fábula. E assegura-te de purificar estes pela ajuda de Vulcano tanto tempo. um raro artista pode errar duas vezes de cada uma. até que livre de fezes. Faz pois. como o mercúrio ligeiramente congelado. e estenderá sua rede para capturar a sua esposa e Marte em seu ato. esta é nossa verdadeira Vênus. e nos ensaios se encontra um ouro perfeitíssimo. lança contra um carvalho mortal aquela que todos temiam.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. a parte metálica seja pura. Vulcano crescerá em ciúmes. Porém isto deve conseguir-se pela mediação de Vênus. mostra a ambos amantes atrapalhados em sua rede. Isto lhe dá a penetração de nossa água. Que o vapor mais sutil que a água. brilhará como o céu. Doído de sentir sua cabeça adornada com cornos. pois sobrepassa em poder esta serpente. estando aliada ao ouro. nem os reverterá a pó. na qual ambos estão envolvidos. e que está pronta inclinada ao movimento. trabalho que é tedioso.br no qual se encerra uma alma terna. uma vez acendida. Diana faz deles uma separação. porém reprovada por este ato.

45.academiadecienciasfuturas. é um exemplo belo e muito ilustrativo da escritura alquímica. Três vezes ao menos. 47. Tenha cuidado porém de não por em fuga a natureza terna. esteja seguro que alcançará este mistério. seja conduzido por panelas e chamas. separando os desperdícios pela arte. que abranda o solido corpo do ouro. como requererá a razão. com calor e. 0 ilustre e misterioso Filaleto comentou dito livro numa série de tratados. ou em ungüento. para encontrar com penas e orações esta verdade oculta. e até sete. pois somente são comunicados aqueles a quem Deus se digna ensinar-lhes. o resto deve vagar em uma bruma. de modo que tenham um ao outro. 48. Filaleto goza da admiração de todos os alquimistas e sua identidade foi tema de muitas especulações. esposá-lo com o ouro. e quando ajam passados sete vezes completas. não o seque com um fogo excessivo a umidade deste pó (vermelho a vista). senão que busque o conhecimento com uma mente limpa. e depois sublima o grosseiro até o firmamento. publicado por primeira vez em Londres no ano 1677. pois procede sem uma razão verdadeira. Assim é preparada a verdadeira donzela pelo artesanato e a ajuda na natureza. Sabe também por certo que o mercúrio.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. e a quem a ambição não excite seu desejo. Inglês. ou em azeite. purgando-os artisticamente até que a rede de Vulcano encerre a ambos. até que perfuradas as almas de ambos seja glorificadas. A sua “Entrada Aberta ao Palácio Fechado do Rei” é um clássico. e perderás teu desejado resultado. 49. não pode levar a verdadeira dissolução. Cosmopolita Índice IRINEU FILALETO Este texto. senão que deve encomendar teu desesperado trabalho a outra estação tão diferente.br 44. pois assim se corrompe seu esperma feminino. separado em átomos negros. um Adepto do século XV. e branco. e aninhar no erro. então teu fogo será correto. se apodrece e se corrompe. no qual. Comentário da Visão de Sir George Ripley por Irineu Filaleto. pois então perdida a proporção. Faz a Enéias igual a sua amante. Porém aquele que inquiri estudiosamente.org. A VISÃO DE SIR GEORGE RIPLEY Cônego de Bridlington. Se eu descobrisse aqui todos os segredos que estão contidos na fabricação de nossa água. seria desdenhado por todos os verdadeiros artistas. deve ser líquido. recolhidos sob * título de Ripley Revived. e depois revive e voa de novo. Nem busque converter o mercúrio em uma goma clara e transparente. tanto na cultura inglesa como na latina ou na francesa. pois ninguém nunca escreveu a arte tão claramente. . Este é o rocio celestial que deve ser nutrido tanto e tão freqüentemente como o requeira a natureza. The Twelve Gates. a qual toma então e observa que com a água sejam bem molhados. a qual separada das fezes de converte em um broto celestial. Ripley. incluiu a sua "Visão" num livro. que deve começar a obra. 46. Busca pois tão somente somar um espírito do qual carece o mercúrio comum.

oh. Como disse outro Filósofo.. Todos escreveram da forma mais misteriosa que puderam fazê-lo. Esta visão está escrita em forma de Parábola ou Enigma. inclusive no melhor dos casos. Poderia proporcionar muitos testemunhos. se dirigiu à sua secreta Madrigueira. E exalando um Cheiro pestilento branqueou as paredes da Cova. Nisto. sendo esta um exemplo disso. embora na maioria dos casos utilizaram as descrições Cabalísticas ou Místicas. Logo. Prodígio para a vista que não pode ser narrado! Apareceram Cores estranhas por todo o Cadáver do Sapo: Tornou-se branco quando as cores desapareceram de lá.academiadecienciasfuturas. bebia o suco de Uvas. Mas. se afogou dentro do Veneno que pelas suas veias fluia. começou a aparecer uma Neblina de cor Dourada.org. todos os Escritores mostram um total acordo. a fim de escurecer a verdade. antes que apareça a cor branca. e muitos Pais desta Ciência empregaram também este método. A 0 Domínios e Honra. Vi que um Sapo Avermelhado. quando com o meu Livro ocupado me achava A visão que aqui relato apareceu perante a minha vista cansada: Vi que um Sapo Avermelhado bebia o suco de Uvas com tanta pressa Que.. distinguir os verdadeiros Escritores dos Sofistas.br Certa noite. Amém. Grande parte dos ensinamentos dos Antigos Egípcios estão escritos em linguagem Hieroglífica. Depois disto. Com o Veneno obtido um Remédio fabriquei... ao afirmar que a nossa pedra não é mais do que o Ouro digerido que alcançou o grau mais alto graças à ajuda da Natureza e da Arte. Índice . E desta forma. que necessidade temos de palavras? Sabemos a Verdade e sabemos. Que destrói o Veneno e salva o Envenenado. Eu desejava Experimentar para extrair aquele Veneno. Por conseguinte. se sentia tão Doido e tão Mal. que não existe mais do que um caminho. Adoremos e Louvemos. Assim esteve.embora poderíamos fazê-lo -. Não podem nos enganar nem seríamos capazes de enganar a outros. lhe explodiram as Tripas. ficou para sempre assim. é chamado Sapo Avermelhado. Uma vez feito isso.. e é que os Sábios Filósofos Antigos freqüentemente expunham os seus segredos deste modo. após se tingir de vermelho. Cujas gotas pintavam o chão de vermelho ao cair do alto e quando ao Sapo começou a lhe faltar o alento vital Negro como o Carvão ficou o moribundo Animal. E os seus membros começaram a inchar. mediante um Sistema de Símbolos secretos. e não necessitamos Argumentos. já que nós mesmos somos testemunhas e sabemos que não existe mais do que uma verdade. 0 que é que acontece com esses ingeniosos Filósofos que ao parecer negam tudo isto para confundir os ingênuos? Não nos corresponde buscar a reconciliação . Glória ao que nos proporciona estes secretos Métodos. Empapado em suor Envenenado. o mesmo caminho que pisaram todos os que dominaram esta Arte.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. Índice Aqui temos a descrição de um Sapo na qual se encerra todo o segredo dos Filósofos. cheio transbordando do Caldo.. Depois de um tempo. o primeiro trabalho consiste em sublimar o Mercúrio. já que muitos deles escreveram guiados pela inveja e com a intenção de nos enganar. . Todos os homens gozam desta Liberdade de utilizar expressões Enigmáticas para decifrar o que é realmente misterioso. durante Oitenta e Quatro dias. do seu Corpo envenenado escapou o Veneno letal. Mas voltemos ao tema que nos ocupa. colocando à continuação os corpos limpos no Mercúrio limpo. apodrecendo. não eram mais do que homens que descreviam as coisas de acordo com as suas Crenças filosóficas e que não escreviam de uma forma completamente transparente porque acreditavam que ao fazê-lo a Arte resultaria demasiado fácil e seria condenada para sempre. recebe este nome porque é um Corpo Terrenal e especialmente pelo veneno negro e pestilento que surge nos primeiros dias da fase preparatória desta operação. já que todos os escritores seguem esta linha. 0 Sapo é o ouro. durante o reinado de Saturno. De modo que coloquei o Cadáver sobre um Fogo muito lento.

o mesmo Mercúrio sobre o que escrevi no meu pequeno Tratado em latim. mas o mais normal é que digam que é o seu Mercúrio. no que revelei toda a Verdade. remeto o Leitor ao mencionado livro. 0 corpo. após um longo tempo.. mas lhes garanto que não significa outra coisa que Mercúrio. . o transpassa maravilhosamente.. com tanta pressa. e espera até o final. Mas há mais. hora após hora. Como diz o Filósofo. e também Acetum Acerri. porque então uma abundante Colheita será a generosa recompensa a todos os teus esforços. tenho a certeza de que o fiz com claridade suficiente. engendra uma substância similar a um Caldo sangrento que faz que as Cores do Arco íris apareçam sobre o Leão que ascende e . Não analisarei esta denominação. a Água se infiltra até as partes mais profundas. ao circular pela superfície do Corpo. deve esperar o fruto com Paciência. que faz com que o corpo se converta em Pasta. e se não o fiz com excessiva claridade. nem tampouco a água é de mais valor que o vinho. como da Fumaça. Não o repetirei aqui. A operação é de curta duração. Assim. Este caldo é o mesmo que preparou a bela Medeia e que verteu sobre as duas Serpentes que vigiavam as Maçã Douradas que cresciam no Jardim secreto das Virgens Hespérides. pela decocção. que cozinhe. nos informam à continuação que ao cabo de um tempo o Sapo (cheio transbordando de caldo) arrebentou.br Segundo o Filósofo. pelo menos o que requerem todas as decocções. o próprio Artephius. isto acontece especialmente quando. . enquanto que a natureza demora mil anos. no entanto. ao voltar ao Corpo. Conforme as palavras do Filósofo. afirma.. da mesma forma. não é mais nobre que o Ouro. E é que o Vinagre dos Filósofos.academiadecienciasfuturas.org. Mas não te desesperes. o suor. no entanto. e não sem razão. até que. dia após dia. de se queixaram da larga duração desta cocção. diz em outro momento que a tintura não aparece de uma forma imediata mas que o faz lentamente. esta Água é boa e agradável para os metais. longa decocção não seja demasiado aborrecida.. um período muito longo de tempo. e que a nossa. a decocção acaba. que necessitam muito tempo para serem realizadas. o Corpo absorve a Água ou Suco de Uvas. fazendo que o Corpo mude de Forma. como explica detalhadamente Artephius. Os filósofos chamam esta água de Aqua Ardens. a água encharca Imediatamente o nosso Corpo e circula pela sua superfície. outros muitos. que é. sem revestimentos. lhe explodiram as Tripas. isto se realiza com facilidade se a Água está à temperatura da Massa ou Levedura. Que. cheio transbordando do Caldo. É por isto que muitos Filósofos afirmam que são realizadas num curto espaço de tempo. já que existe uma grande afinidade entre a Água e o Corpo. E. Esta é a Água que desgarra os Corpos e que os faz não serem Corpos mas Espíritos que voam. cozinhe e cozinhe. o Sapo bebe o suco das Uvas. como afirma o Filósofo. Conta-nos que o Sapo bebeu este suco de Uvas.. Índice Dizer que o Sapo bebeu o suco de Uvas com tanta pressa implica que o trabalho deve ser realizado no tempo real da Natureza.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. deve esperar até que o céu tenha lançado sobre a Terra a primeira e a última Chuva. efetivamente. o Vento ou o Vapor. não se refere unicamente à Conjunção vulgar. completamente nua. ao contrário das operações Subterrâneas da Natureza. Índice Na Visão. “Entrada Aberta ao Palácio Fechado do Rei”.. Isto é o parecer do Artista que se encarrega do fogo dia após dia. embora em menor medida que quando se misturam pela primeira vez. que afirmava que este fogo da Água do nosso Mercúrio demora muito pouco tempo em realizá-la se se encontra numa superfície aberta.

passando depois a ser Amareladas. ao voltar ao Corpo. quando o Corpo começa a assumir ligeiramente a Natureza da Água e a Água a do Corpo. finalmente. ou seja. da volatilização. também recebe o nome de veneno. um alado e o outro sem asas. porque como a Levedura faz que a Massa se inche. se incha e apodrece. formando pequenas veias e gotejando continuamente. extraído do Camaleão ou Ar de nossa Magnésia física e da Siderita Mágica. porque como o veneno. Azuladas e Negruscas (por causa da virulência da matéria). simplesmente o intui ao observar as cores da podridão das Confecções. começa quando a matéria começa a reagir e dura até que ocorre a putrefação total. 0 suco de Uvas. à qual se refere Flamel no seu Sumário. Índice Esta Redução do Corpo faz esta água se torne tão venenosa que. 0 Corpo que está nesta Água se infla. o Corpo explode e se converte num pó semelhante aos Átomos do Sol. se convertem num Sapo venenoso que se arrasta pela Terra e num Corvo que nada no meio do Mar Morto. chegando até as partes mais profundas e fazendo que o oculto se manifeste através do ascenso e descenso contínuos. que se alongam muito por se apresentarem de formas muito variadas. As exalações são Brancas durante a primeira fase. é denominado mais corretamente Sapo da Terra. E verdadeiramente é maravilhoso pensar (alguns filhos da Arte são testemunhas visuais) que o Corpo de Ouro. o nosso Mercúrio. provoca o seu inchaço. Portanto. se resumem em uma: matar o vivo e ressuscitar o morto. Índice Esta fumaça venenosa das exalações. Mas o Filósofo comenta nos seus Hieróglifos dos dois Dragões não percebe o seu fedor a não ser que se rompam os Recipientes. As exalações vão-se condensando. como testemunham os Filósofos. como um Grão de Trigo. na circundação da matéria pelo interior do . até que tudo se converte num Caldo. Esta operação é contínua. que consiste na ascensão e descenso. é pois. as Águias devoram o Leão. do seu Corpo envenenado escapou o veneno letal. fazendo que se inche. quando aparece essa Terra pestilenta que Hermes chama a sua Terra Foliata ou Terra de Folhas. E todos juntos. penetram as gotas no Corpo com uma facilidade assombrosa e quantas mais penetram mais se inflama e se incha até que acaba apodrecendo completamente. Este Caldo é uma substância rala de diferentes qualidades. Depois disto. entre Água e Corpo. como diz o Filósofo.br descende. que não pode ser comprada com Dinheiro. Índice Os dois versos seguintes não são mais que uma descrição mais Ampla do trabalho. Todas estas operações. se apodreça e se converta em algo putrefato.academiadecienciasfuturas. não exista verdadeiramente em todo o Mundo um Veneno com um cheiro tão pestilento. 0 Sapo continua exalando (deveria mais bem ser chamado Leão) até que começa a se dar por vencido e então. como se fosse um cadáver. as exalações se comparam com a fumaça venenosa dos Dragões. após circular sobre a nossa verdadeira Terra Lemnia se mistura toscamente com ela.org. assumindo ao mesmo tempo a natureza viva e a vegetal. coisa que se consegue graças à admirável Virtude Divina da Água dissolvente.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. é comparado com os dois Dragões. E é por isto que os Filósofos chamam esta Água de sua Levedura. por dentro e por fora. finalmente. Empapado em suor Envenenado. Finalmente. se une a ela e se coloca sobre o fogo para ser digerido. se sentia tão Doído e tão Mal. esta Água fermenta o corpo. se dirigiu à sua secreta Madrigueira. desde o momento da primeira excitação até a putrefação final. diz-se que do seu corpo envenenado escapou o veneno letal. completamente negro e de qualidade viscosa. já mortos. Carcaça e Cadáveres. fixado e completamente digerido. continua encharcando o Corpo. E os seus membros começaram a inchar. causa a inchação ao atuar repetidamente sobre o nosso corpo.

Depois de um tempo. já que a Tintura começa a se separar do Corpo. E exalando um Cheiro pestilento branqueou as paredes da Cova. assim o afirma Bernard Trevisan. dentro dele se verte uma onça. Índice Estas cores do Mercúrio pintam adequadamente o Corpo fixo que se assenta sobre o fundo. uma vez que se agarram já não se soltam até . e desta forma o Artista poderá contemplar o processo. porque as exalações são de cor Amarela. Antes que surja esta cor Amarela irá escurecendo-se a Branca Brilhantez das fumaças. a abertura também pode ser coberta com um Cristal. levantando-se em forma de fumaça ou de Vento. o Corpo por causa da Água e a Água por causa do Corpo. Cujas gotas pintavam o chão de vermelho ao cair do alto. Referindo-se a isto. que é o símbolo da verdadeira Copulação do Homem e da Mulher. irão formando-se gotas que escorregarão para abaixo. apagadas e Azuladas. as diferentes etapas podem ser observadas antes que decorram quarenta dias. Índice Este processo continuará até que pareça que o Recipiente está banhado em Ouro. Esta fase não é muito longa. o Corpo é derrotado e morre.academiadecienciasfuturas. que se encontra situado sobre a Areia ou as Cinzas. Trata-se de um Receptáculo de forma ovalada. o Ninho e o Forno. estar disposto a permanecer encerrado durante um longo tempo. Também recebe este nome pelo caráter secreto das Cinzas ou da Areia sobre as quais se coloca o Recipiente ao introduzi-lo no Forno de Atenor Filosófico. oito dracmas do preparado. O Forno dispõe de uma Janela que pode ser aberta ligeiramente sempre que a ocasião o requeira ou resulte conveniente. em primeiro lugar. se fecha de uma forma Artificial. porque os Espíritos. pois começaram a comer o seu Cadáver. e ao morrer faz com que surjam ditas Cores.org. que devido à sua dupla Natureza é comparada com os dois Dragões. encharcando o Corpo e reduzindo a parte fixa tanto quanto seja possível. Na Luta. fundindo-o para que os Espíritos não possam escapar nem o Ar possa entrar. ao Esperma ou à Semente. A continuação o gargalo do Recipiente é fechado com um Carimbo de Hermes. E assim. Índice Depois de colocar secretamente o Recipiente. alterarão as suas cores. como possui uns seis dedos de altura e é estreito e fino. o mesmo autor o chama em outros escritos de pequeno Barril de cristal.que pelos do seu Corpo.br Recipiente. e os Corpos procedentes das exalações se Pintam de cor avermelhada. Está fabricado com Cristal Branco de grande pureza e é do tamanho de um Ovo de Galinha.a sua sabedoria e a sua lógica .ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. limitar-me-ei a explicar resumidamente o que brevemente foi exposto. começou a aparecer uma Neblina de cor Dourada. o Artista deve. ficarão aderidos à Parte Côncava do Recipiente. Flamel afirma que estas duas Naturezas ou Dragões se mordem cruelmente. O Recipiente é chamado aqui de Madrigueira secreta. Os Sábios Artistas dão a esta Operação o nome de Extração e Separação de Naturezas. Por isto recebe o nome de Madrigueira secreta. que é a quantidade adequada para preparar a mistura. pouco a pouco. A Parte Côncava deste lugar secreto ficará tão branqueada pelas fumaças que ascendem que o Artista realizará o seu trabalho guiando-se mais pelos olhos da sua mente . já que durante esse tempo as Cores dão sinais de Corrupção e Geração graças à Natureza impetuosa e demolidora das nossas Águas pônticas e à resistência do nosso Corpo. As portas do forno devem ficar hermeticamente fechadas. isto significa que as Águias conseguiram dominar o Leão e também que o Leão as contagiou ligeiramente. Lá. ou seja. aparecendo uma mistura de Cores Escuras. Não aprofundarei mais nesta Visão. ou seja. Para distinguir as cores necessitará da ajuda de uma lâmpada. Também a chamam Redução à primeira matéria.

Assim também o nosso Corpo ou Homem. depois de fazê-lo. E quando ao Sapo começou a lhe faltar o alento vital. até que é ferido e. começa a faltar alento ao Corpo do Sapo. Portanto. Esta Operação consiste.org. A partir deste momento as Naturezas se unem. pelo contrário a Mestria se alcança de uma forma completamente natural. sem dúvida. Índice Aqui acaba o Combate. acendam tanto que a Terra se apodere deles sem deixá-los voltar. este Precipitado de cor laranja indica. acaba fazendo finalmente que morra e se corrompa de uma forma natural. Como ascendem e descendem tantas vezes. Eu mesmo dei este tropeço e por isso lhes advirto. completamente exaltados. se acabam as fumaças. controla bem o Fogo. por causa das suas babas Venenosas e dos seus ataques mortais. assim como também a escuridão do Purgatório. estas Naturezas têm primeiro que atravessar um Eclipse de Lua e outro de Sol. morre. como antanho os Corvos. tão Negro como a Fumaça. como afirma Morien. porque embora um homem resista valentemente aos ataques violentos que possam turbar a sua vida. E desta forma. que se produziu a Combustão das Flores ou Virtude da Semente Vegetativa. Esta Reiteração ou Rotação das Influências do Céu. Tem cuidado. porque nesta Terra de Folhas todos os elementos se reconciliam e finalmente reina a Paz. em extrair a água da Terra e em devolvê-la. ficam completamente ensangüentadas. fervendo e cozinhando-se todas juntas como se fossem Breu derretido e intercambiando as suas formas. que é o Final da . a luz do Purgatório as renovará. Este é o Período de Escuridão inferior. Índice Considerando o que anteriormente foi exposto e o fidedigno Testemunho de todos os Filósofos. se convertem numa Quinta-Essência. pressagia a morte do Homem. sem ter outra forma que a do Pó impalpável e sem ter outra cor que a do negro mais negro. uma vez que o verdadeiro corpo se Empasta com a verdadeira Levedura. com todo o corpo coberto de sangue. cozinhando-se no seu próprio Veneno. convertendo-se em uma Água negra que às vezes muda de cor. ou seja.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. que é a Porta da Escuridão-. As diferenças Naturais se abraçam.academiadecienciasfuturas. Negro como o Carvão ficou o moribundo Animal. para que não obtenhas. Em seguida. o Sol. aparecerá nos seus lábios. em lugar de um Pó Negro como o que mais como o do Bico do Corvo. fazendo-o tantas vezes e durante tanto tempo como seja necessário para que a Terra apodreça. sem ascender. resiste durante um longo tempo como um grande Campeão. que os Espíritos estão Coagulando-se e convertendose em um Pó negro. junto com o Calor que o resseca e a Umidade que o encharca na sua veloz caída. os Espíritos começam a se fixarem convertendo-se em Pó e repousando no fundo do Recipiente. se afogou dentro do Veneno que pelas suas veias fluía. Esta fase recebe a denominação Alegórica de Morte. como o resto das coisas.um inservível Precipitado seco e meio vermelho. não seja que os teus Espíritos. Índice Antes de se renovarem. começa a aparecer a negrura. se calcina e se dissolve. Arauto da Morte. O processo da Putrefação começa imediatamente e os Espíritos permanecem no fundo durante um tempo. que.br que. mas que. Porque. se os seus Inimigos são muitos e muito fortes não poderá enfrentá-los. parece ser Certo que este trabalho não é demasiado oprimente. Depois. isto indica que a Tintura está expandindo-se. começará a perder a força e a coragem e a Palidez. ao morrer.

o Reinado de Saturno e o de seu sucessor. Conforme outro Filósofo <<durante os primeiros Cinqüenta Dias aparece o verdadeiro Corvo. como muito. moa-o e umedeça-o até que vejas que os Corpos deixam de ser Corpos e se convertem em Fumaça e Vento. Espiritual. transcorrerão quatro vezes onze dias com as suas respectivas noites. Prodígio para a vista que não pode ser narrado! Apareceram Cores estranhas por todo o Cadáver do Sapo Índice . ou seja. oh. pelo menos de uma forma Superficial. Depois de Júpiter. o que nos dá um total de quarenta e quatro dias. conforme calcula o Autor. depois irá para o expulsivo Norte. tão Negra como nenhuma outra tem uma longa duração e não desaparece até que passem pelo menos cinco meses>>. Tendo em conta todo o período de Negrume. De acordo com um deles. Durante este período. De acordo com outro. dura oitenta e quatro dias. a Cor de Tírio>>. observarás que. uns cinqüenta como máximo. aos Setenta Dias. apodrecendo. à lúgubre Escuridão da Podridão absoluta que. que reina durante pelo menos vinte dias. Os Escritores não se põem de acordo na duração deste período de tempo. começa a aparecer aos quarenta dias de ter sido removida a matéria. Assim esteve. oitenta e quatro dias. Azulados. o melhor é contar desde o dia quarenta ou cinqüenta -partindo do início da formação da Pedra. de acordo com ele. pode demorar cinqüenta dias. a Pomba Branca. o que acontece é que tudo o que se refere às suas Qualidades solares se destrói. Os que dividem a Operação em duas partes. E de fato. Depois tem lugar a Corrupção e a Putrefação e tudo adquire um aspecto parecido ao da porcaria que surge de ferver Sangue ou derreter Breu. Flemática e Invernal. aos Noventa Dias. Júpiter. embora misturada com outras Cores mais alegres. depois. a cor Negra. Aquosa e Fleumática. Negra. e. A soma destes dias é o tempo que. se converte numa Substância Volátil. Índice A Calcinação se inicia com estas Variações de Cor que demoram em aparecer. mas no que sim coincidem todos é em afirmar que para que o processo chegue ao seu Fim tem que decorrer muito tempo. Terrenal e Sólido. Ao dizer que se afoga no seu próprio Veneno e se cozinha no seu próprio Caldo. decorrerão quarenta e dois dias antes que se coloque esta Camisa Negra em lugar da sua Túnica Dourada.org. <<esta cor Negra. demora em se realizar a Putrefação. brilhante e bela. Retentiva e Outonal. a terceira Pessoa. <<quando o Rei entra no seu Banho tira a Túnica e a dá a Saturno.academiadecienciasfuturas. Uma vez feito isso. adscrevem a Saturno toda a parte da Putrefação e a Júpiter o período de variedade cromática. Sempre que o Processo tenha sido correto e o Fogo adequado. que só reina durante uns vinte ou vinte e dois dias. deixando de ser Fixo. após circular durante um período de tempo equivalente a uma estação. Então. quem por sua vez lhe dá uma Camisa Negra que ele terá em seu poder durante quarenta e dois dias>>.até o dia quatorze ou dezesseis do Reinado de Júpiter. Portanto. durante Oitenta e Quatro dias. uns quarenta e dois dias. e 'depois.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. Citrino. etc. No entanto. De modo que coloquei o Cadáver sobre um Fogo muito lento. vem a Lua. se assentam e apodrecem. algumas vezes durante vinte e dois. Ao realizar o Cômputo. ao lavar o Latão continua aparecendo a cor Negra. A Putrefação não começa até que não desapareçam as primeiras Formas.br Eclipse. onde Mercúrio rege a Água e onde a Matéria é Aquosa. no Oeste. o autor se refere ao Negrume total. uma fase de Contrição que começa pouco depois que apareçam os tons Amarelados. Eu desejava Experimentar para extrair aquele Veneno. Saturno regerá a Terra Ocidental. se o Processo foi levado a cabo de forma satisfatória. como faz Augurellus. pois o fato de que um Corpo possa recuperar a sua Natureza anterior implica que ainda não está bem moído e umedecido.

porque tudo é merecido por quem criou todas as coisas e para cuja glória todas as coisas são e foram criadas.não demasiado violento para que as Matérias possam circular bem. Com o Veneno obtido um Remédio fabriquei. Fim da Visão de Sir George Ripley. Darei a minha própria Opinião: Mistura bem as duas Naturezas. Ao Domínios e Honra. são puras. Assim. o Vermelhão ardente.. DEUS é o único que pode dispensar estes gloriosos Mistérios. verás o Reinado de Vênus. de modo repentino. após se tingir de vermelho. para Ele. a Temperatura interior do Banho é a correta. para Ele é todo a Honra e a Adoração.academiadecienciasfuturas.br Tornou-se branco quando as cores desapareceram de lá. o Branco mais Branco. e quando decorram outros vinte e dois ou vinte e quatro dias poderás ver a Lua perfeita. verás a Cauda do Pavão Real e as Cores do Arco-íris. até se converterem nessa bendita Tintura que obriga a sair todo o Veneno. ou vinte e dois ao sumo. Para Ele e unicamente para Ele é toda a Honra. Índice Índice . que criou todas as coisas e que concede o dom da sabedoria a quem considera os seus Servos. após aumentar ligeiramente o volume do Fogo. o que é verdadeiramente maravilhoso. depois que passem outros cinqüenta e seis dias. o Vermelho da Amapola da Roca. Cônego de Bridlington. mediante a Decocção simplesmente.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. Para que me entendam os Ignorantes escrevi da forma mais clara que pude e tivesse escrito mais se o Criador de todas as coisas me tivesse dado maior Autoridade. ficou para sempre assim. estas Naturezas mudam e se modificam maravilhosamente. retirando-o conforme a sua vontade. o Poder e a Glória. finalmente. Agora bem. Amém. depois seguirá o Reinado do Sol Flavus durante quarenta ou quarenta e dois dias e. o Vermelho Brilhante. a Natureza Espiritual sobre a Corporal. expulsando todas as Doenças e cortando de um Golpe tudo aquilo que seja prejudicial para o frágil Corpo Humano. se converte agora no Bálsamo da Natureza.org. que gozas desta preciosa Bendição Divina. Glória ao que nos proporciona estes secretos Métodos. ao longo de vinte dias. Depois disto. que. Logo. E tu. que durará quarenta ou quarenta e dois dias. Que destrói o Veneno e salva o Envenenado. aparecerá. apesar de que antes da Preparação fosse ela mesma um Veneno letal. e se as matérias. que durará outros quarenta e dois dias. utiliza toda a tua força para lhe servir. um Herdeiro dessa Habilidade Divina. como eles. depois que passem quarenta e seis ou cinqüenta dias poderás ver aparecer o princípio do completo Negrume. Fui para ti uma fiel Testemunha da Natureza e sei que tudo o que escrevo é certo e que todos os Filhos da Arte saberão pelos meus escritos que sou. tanto o Corpo como a Água. A continuação virá o Reinado de Marte. irá tornando-se cada vez mais brilhante. Irmão. Adoremos e Louvemos. e o Fogo externo o adequado . a Cor Tíria.

pois possui uma forma celeste e ígnea e uma virtude excelsa. o qual deve entender aqui de uma forma metafórica. [Translated by José Luis Rodríguez Guerrero. necessitareis. porém. é impossível colher o que não se semeou.br PRINCÍPIOS: PARA DIRIGIR AS OPERAÇÕES NA OBRA HERMÉTICA Índice IRINEU FILALETO Texto extraído de: Guillaume Salmon. dedicada a sua preparação. se faria demasiado ígneo. porque nosso enxofre autentico o liquefaz em cada preparação. Com o requerido tratamento – entre sete e dez vezes – o Mercúrio se purifica de forma crescente e se faz cada vez mais ativo. podemos chamá-lo. semelhante por sua forma ao azougue comum. e em vez de dissolver o corpo. 1740. Nosso mercúrio parece ser uma substância similar ao azougue ordinário. Não faças eco de quem argumenta que nosso Ouro não é o ouro ordinário. porque tudo será inútil.academiadecienciasfuturas. pois nós o associamos a um agente que sem dúvida lhe devolve a vida. porque o sujeito morrerá pronto. e não se aparte nem no mínimo deste princípio: O objeto de vossas aspirações é o Ouro ou a Prata. há de destilá-lo duas ou três vezes em uma retorta de vidro. quer dizer do ouro. o qual requer toda sua laboriosidade. Não se deixe seduzir por seus formosos discursos. quero dizer. todavia outro esperma. se faz vivo e espermático. Após a liquefação ou vitalização desse Mercúrio. porque se o há cultivado na terra apropriada. se deve purificar o mercúrio com este elemento sete vezes pelo menos. se coagular-se a si mesmo o ouro não se fundiria nem se dissolveria. Uma vez feito isto se prepara o mercúrio para o banho do Rey. podemos denominar homem morto ou rei da morte. revive. tal como nós o preparamos. ato seguido se deve lavar com vinagre e sal amoníaco. porque possivelmente caiam alguns átomos do corpo no momento de sua preparação. portanto. com razão de nosso Ouro. porém mais limpo e puro. como um grão de trigo morto que renasce na terra. empregando uma denominação contrária. só obterá de vossa operação uma cal árida. assim mesmo. então será quando está pronto para nossa Obra. "Biblothèque des Philosophes Chimiques". porem se o submetemos a um número excessivo de preparações ou sublimações. porem difere por sua textura. . Separe o Ouro. que denominam mercúrio Filosófico. É preciso impregná-lo com o ouro volátil que se encontra sobre a região lunar (lumbar?) de Marte.] E para o português por José Oswaldo Santana Júnior Não empreenda jamais a Grande Obra seguindo as regras que sejam sugeridas pelos ignorantes e os livros dos sofistas.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. se semear vosso corpo. que é o ouro. o ouro ou a prata devem ser os únicos objetivos que necessitarás perseguir por meditação de nossa fonte mercurial preparada para banhá-los. qualidades que recebe de nossa Arte.O ouro ordinário está morto. Ao cabo de seis semanas. que é o corpo e representa o papel de macho em nossa Obra. Assim pois. em nosso composto. coagularia a si mesmo. sem virtude alguma. Muitos empregam no lugar do mercúrio diversos licores e águas. que não é o ouro físico. em uma terra onde haja um mercúrio não metálico nem par igual aos metais. isso é certo. mas no entanto está vivo todavia. o ouro que está morto recobra a vida em nossa Obra. Este esperma é o mercúrio fluido. Paris. em lugar de um elixir metálico. só se recolhe o fruto quando se semeou a semente.org. que é o espírito ou alma ou a fêmea. O segredo desta preparação consiste em escolher um mineral que tenha certa semelhança com o ouro e o mercúrio. não empreenda tais trabalhos.

e amadurecem o composto. quando retirar a boca da abertura da vasilha. ou converta-o em laminas sutis. Nós o chamamos ovo filosófico. e o reanima cada dia. Deve ter forma ovalada ou esférica e capacidade suficiente para vosso composto. que se obtêm como já indiquei. sem o qual não poderá terminar vossa tarefa. esta prova experimental não falha nunca. uniforme e igual em todo o processo. amasse-os e triture-os até que formem um conjunto homogêneo.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. sua capacidade deve ser duas vezes superior a matéria que se proponha a colocar nele. a sua vontade e se mantenha pelo menos durante doze horas com absoluta uniformidade em seu mais alto grau de calor. procura conservar esta idéia em sua memória para não deixar-se enganar na seqüência. muito transparente e limpo. esta é de origem dos freqüentes erros que em que tropeçam os falsos filósofos e os imprudentes. as cores se alternam. Para comprovar se seu recipiente esta fechado de uma forma hermética. Vamos agora a mistura: Toma uma onça ou duas desse corpo já preparado. Quando colocar ali sua matéria. que é o único. embora pareça que nos estamos referindo ao calor externo. . o vidro deve ser espesso. você mesmo pelos métodos ordinários.academiadecienciasfuturas. Nosso sofisma está somente nas duas classes de fogo empregado em nossa Obra. todos nós nos servimos deste caminho que mostro aqui. absorverá o ar armazenado dentro do vaso. cuja infabilidade é indiscutível: quando o recipiente esfriar. ou seja. e todos os filósofos antigos hão se servido deste meio. como resultado da cocção. a maioria de Mercúrio vitalizado. faça o seguinte experimento. se o preferir pode calciná-lo com corrosivos o procedimento é o de menos. O Fogo secreto interno é um instrumento de Deus. já que o calor externo é quase linear. porém o filósofo experimentado não necessita de tais advertências. Uma vez concluída esta operação reduza-o a pó com uma lima ou outra ferramenta. Adicione seguidamente vinagre e sal para conseguir a pureza perfeita. Mesmo que este procedimento lhe pareça enigmático. mesmo que seja muito pequena se evaporaria o espírito sutil e se frustraria a obra.br Eleja sempre para esta obra um ouro puro e sem mescla. coloca-o nos lábios no lugar onde o fechou e aspira com força.org. O que precisara nos seus primeiros trabalhos deverá estar disposto de tal forma que proveja um calor vermelho escuro – ou algo menor. quer dizer. e duas ou três onças. se houver alguma abertura. Necessitarás prover-vos de um recipiente ou vazo de vidro. depois o lave com água morna e o seque muito bem. se não for assim quando o comprar purifica-o. não deve ter nenhuma abertura. Aqui falamos freqüentemente deste fogo. mistura a ambos os ingredientes em um almofariz de mármore previamente aquecido com água fervendo ou algo similar. e suas qualidades são imperceptíveis para os homens. Também necessitará de forno – o qual os sábios denominam de “Atanor” – com o qual poderá realizar toda a sua tarefa. Acabo de fazer um nó muito difícil e intrincado. o ar penetrará outra vez por esse orifício de tal forma que vosso ouvido perceberá claramente um sibilo. posso assegurar que o estou falando com absoluta sinceridade. Dito fogo é nosso fogo graduado. Com respeito ao fogo externo. só importa que a pulverização seja muito sutil. se gradua com sensibilidade de hora em hora. este não sofre nenhuma alteração durante a Obra do vermelho ao branco se excetuam os sete primeiro dias em que o rebaixamos para conservar a pureza da obra. fecha a boca hermeticamente. Se possuir um forno semelhante procura ater-se as estas cinco condições: A Primeira: Que a capacidade de seu forno não deve ser superior a necessária para conter se vaso e com um espaço vazio circular de uma polegada mais ou menos para que o fogo procedente da ventilação da chaminé possa circular ao redor do recipiente. pois do contrário.

portanto. A Quarta: que se sua chaminé não é de seis polegadas aproximadamente no segmento do fogo. este será excessivamente débil. Como nossa tarefa se desenvolve a toda luz no reino mineral. Este vaso deve ser colocado de tal forma que se encontre exatamente sobre a abertura de ventilação por onde chega o fogo. o fogo não pode alterá-lo. os quais são incombustíveis. no entanto faz falta retê-o com o esperma masculino em um mesmo recipiente de vidro o qual seria impossível se o fogo fosse demasiado vivo. porém não mais do que possam resistir os recipientes sem romper-se. não creia que em meu juízo o calor próprio de um seja também adequado para o outro. se comparo a procriação de um homem com a germinação de uma planta. inclusive desde o começo da primavera. por cujo conduto se canalizará uma língua de fogo ascendente e inclinada que tocará a parte alta do recipiente rodeará seu fundo e o manterá continuamente como é devido. e um homem longe de percebê-lo se veria surpreendido por um grande atrevimento. Todo o desenvolvimento desta obra que implica uma coobação da lua sobre o solo está em ascender como nuvens e cair como chuva. E recorda sempre das palavras do filósofo: “Um só recipiente. é preciso que conceba uma relação pertinente no reino onde está situada a matéria que quereis trabalhar.br A Segunda: Que vosso forno deve conter somente um recipiente. Assim dispostas as coisas. se rebaixar essa medida e fazer flamejar demasiadamente vosso fogo. em outras palavras.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. aqui só deve haver uma abertura com um diâmetro de duas polegadas aproximadamente. o calor temperado. não demasiado violento. e então o verias ante a impossibilidade de executar vossa obra Assim.academiadecienciasfuturas. uma polegada mais ou menos -. Que é incombustível e. o grau de calor requerido é necessário para fundir o chumbo e o estanho. uma só matéria. Agora somente lhe convém recordar que a natureza os tem deixado no reino mineral. já que seu forno deve ter uma capacidade três ou quatro vezes superior a seu diâmetro. por exemplo. quer dizer. no entanto um ovo não poderia se abrir com esse calor. coloca neste forno o ovo onde se encontra a sua matéria. jamais obterá a proporção necessária nem o ponto justo de calor. Você deve conhecer o calor que necessita e distinguir com precisão o débil do violento. Não ignore que a natureza há deixado vossa matéria no reino mineral. pois. não poderias aquecer o recipiente com a exatidão e continuidade requeridas. pois nós estamos seguros de que na terra onde crescem os vegetais há um calor que percebem as plantas. e embora hajamos estabelecido comparações entre vegetais e animais.org. que o Mercúrio é fluido e pode romper os recipientes que o contenham se o fogo é demasiado violento. e eleva-o até onde a natureza cesse de atuar. vaso ou ovo. Porém isso não basta se queremos obter uma tintura permanente. e a distância das brasas do o vaso por todos os lados deve ser de aproximadamente uma polegada. um só forno”. dá-lhe o calor que exige a natureza. A Quinta: que a parte dianteira de seu forno deverá ter exatamente um só orifício. de tal maneira que se projete o calor de baixo para cima com maior força. de uma amplitude necessária para introduzir o carvão filosófico – quer dizer. A Terceira: que se seu vaso fosse demasiado grande. e inclusive algo mais forte. é preciso que a água de nosso . por isso os aconselho que o sublimeis em vapores contínuos para a pedra tome ar e possa viver. Como vê aqui se demonstra que se deve iniciar o grau de calor com aquele que é próprio do reino aonde a natureza os há deixado. senão que necessita trabalhar também o ouro e o mercúrio. suave.

quando se deve ver o início do enegrecimento. Tudo quanto acabamos de dizer significa que nossa obra se reduz a fazer ferver nosso composto no primeiro grau de umidade e calor. Alimenta. deve trabalhar com absoluta confiança durante um período de cinqüenta dias no máximo. muitos imaginam que nossa solução é sumamente sensível. Autor de toda a vida e de todo o bem. que se encontra em nosso reino metálico onde o vapor interno circula ao redor da matéria. Que Deus Pai das Luzes. embora vossa pedra seja perfeita.br lago ferva com as brasas da arvore de Hermes. cada espécie tem um tempo próprio. ou melhor. sem acelerações prematuras. o conceda a graça de mostrar essa regeneração da luz para entrar da terra vital. e seu sinal será um círculo citrino. Atiça com animo o fogo até que as cores reapareçam. tal como a nozes e as ciruelas e outras frutas. porém. vencedor da morte. e então vereis. nessa umidade morrerão e ressuscitarão um ao outro. quer dizer. o corpo mais sólido do mundo. faça-a ferver. vosso fogo até a aparição das cores. e então contemplareis um formoso vermelhão e a dormideira silvestre. por este meio aumentarás sua quantidade e suas virtudes tanto quanto o desejar. porém. Eu os aconselho que a façam ferver dia e noite sem cessar. cozer uma vez mais na mesma água. Por último. porém se o arrancar da terra. lhe haverá faltado o tempo necessário para a vegetação. se semear um grão de trigo. para que a natureza celeste possa acender e a natureza terrestre possa descender nos trabalhos de nosso mar tempestuoso. Assim Seja! .ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. Se esta operação de ferver não se desenvolve com exatidão jamais poderemos denominar o carro de nossa obra. o encontrará inchado três dias depois. então poderá celebrar. porém quem a tem ensaiado ou experimentado sabe bem quantas dificuldades encontra. na terra prometida a seus fieis. pois. e a participar um dia da vida eterna. senão de digestão. Quando este se fizer visível. estará já certa formação da pedra branca. Segundo Afirma o filósofo.academiadecienciasfuturas. o ouro e o mercúrio conservarão sua forma e sua natureza. pelo contrário. se terá a prova incontestável de que a operação será natural e frutífera. se coagula com o corpo. Por exemplo. e seu espírito morre. Tão pronto como o observará. porque quando os espíritos circulam sós em silêncio e o composto que encontra abaixo não se move nem no mínimo por efeito da ebulição então a denominação apropriada é digestão. e então vereis o pico do corvo como um bom augúrio. As sementes duras necessitam de um tempo mais longo na terra para germinar. embora. Não se precipite com a esperança de fazer a colheita – quero dizer a Obra – antes de amadurecer. e quando se espera este tempo prescrito para sua ação. porque o rei. se secará e retomará a seu estado inicial. Cuida de que não se apague seu fogo nem um só instante. esta operação se o considerar necessário. Senhor e soberano. considerando que seu corpo se destrói (desmonta). ao fim o branco. ou seja. somente procura que vosso fogo seja mais débil.org. Acaso crê que o ouro. Glorifica a Deus e mostra-se agradecido. se não chega a esse enegrecimento. porque uma vez se esfrie a matéria se perderá sem remição a Obra. o que ocorrerá até o final do quinto mês. com a mesma proporção e o mesmo regime. aparecerá no oriente envolto em glória. pode mudar de forma em tão pouco tempo? É preciso manter-se em expectativa até o quadragésimo dia. e poderá reiterar uma vez mais e outra. cai reduzido a uma alma vivente. haja sido acomodado em uma matriz conveniente e a terra seja seu próprio elemento.

org. um filho da Arte e atualmente um Filósofo em forma de perguntas e Respostas O Segredo do Licor Alkahest Pergunta: Que é Alkaest? Resposta: É um menstrum Católico e Universal. porque.academiadecienciasfuturas. ou a urina humana. porque os deuses hão feito das Artes a recompensa da engenhosidade. Cada um dá um sal volátil e um fixo se sabe como coletá-lo e elaborá-lo. porque este é um excremento separado do sangue em sua maior parte. busca portanto.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. depois de haver dissolvido todas as demais coisas. conservará as mesmas virtudes que possuía ao princípio. P: Qual é ? Diga-me eu lhe rogo. porque assim está feito o fogo dos filósofos do qual falam: o vulgo queima com fogo. e depois de mil operações. P: Qual é o sal mais nobre? R: Se deseja aprender isto. volátil por um suave calor sem deixar nenhum resíduo. P: São as propriedades da urina humana mais nobres que as de outras bestas? . nós com a água. um fogo rodeou o sal a águam envolveu o fogo. posto que atua. sem reação alguma por aprte do paciente. podereis conhecer sem dificuldade a outra. P: Qual é seu igual? R: Se conhecer uma. Penetrante. e em uma palavra. Assim pois. Não lhe falta nada porque está equilibrado e por ele se pode subjugar. desça dentro de si mesmo. terás o mais precioso balsamo da vida. R: O sangue do homem fora do corpo. este espírito não é acido nem alcalino. não é nenhum sal corpóreo convertido em líquido por simples solução.br O SegredO dO elixir da ImortalIdade Chamado alkaest ó IgnIs aqua IrIneu FIlaleto Comunicado a seu amigo. senão um sal. como o sal a seu Vulcano. está formado de uma substância espiritual uniforme. P: Qual é a segunda substância ou matéria do Alkaest? R: Hei dito que é um sal. preparado com preciosa arte até satisfazer os desejos do artista engenhoso. Assim pois. pode ser chamado uma Água Ardente (ignis-Aqua). se sois capaz de discerni-la. senão um espírito salino ao qual o calor não pode fazer coagular por evaporação da umidade. sua natureza original permanece inalterada. Pergunta: De que matéria é feito? Resposta: É um sal nobre corrente. e a cujo poder nada pode resistir. sem dificuldades o queimou. um ens simples e imortal. e sem dificuldades. a levais convosco. que reduz todas as coisas a sua substância líquida original.

org. P: Explica-me mais claramente. a saber. P: Que haveis observado sobre sua virtude? R: A congelação da urina pelo frio é um argumento a favor da existência de fleuma nela. porém podem ser alteradas de diversas maneiras segundo a variedade que se recebe. Delas hei visto destilar-se um licor de igual peso que dita água.br R: Em muitos aspectos. a não ser que a salinidade do sangue e da urina sejam iguais. P: Que haveis observado em relação a seu peso? R: Hei observado muitas coisas: que três onças de urina. R: Se supões assim. é muito penetrante e o sabor difere segundo a variedade que haja sido receitada (ingerida?). Este permanece inteiro e sem digerir na urina. assim que algumas vezes é também sal com salinidade úrica. e deixa de existir depois de um tempo conveniente se não se ingere a quantidade suficiente na carne. P: Sede vosso próprio intérprete. P: Como é que parece haver tanta fleuma na urina. ou umidade aquosa insípida? R: Na maior parte das diversas bebidas. separe o sal contido na urina. P: Sem dificuldades esta mesma fleuma. seu sal não tem rival em toda natureza universal. R: Deve saber que a urina. cuidadosamente separada por destilação. embora seja com água. retém a natureza da urina.academiadecienciasfuturas.e ademais cada coisa tem seu próprio fleuma. pesariam um pouco mais de oitenta gotas de água mineral. todo o demais é uma fleuma inaproveitável. Assim pois. e em terceiro lugar por suas propriedade. que consiste em parte de um humor excremental do sangue. . ou um poço mais extraídas de um homem são. posto que o sal da urina não se congela se está um pouco mesclado com algum líquido. seu odor. por separação pode ser retirado. uma fleuma aquosa. P: De onde vem esse fleuma. é conduzido pelas bebidas até a bexiga. P: Quais são suas partes? R: Uma volátil e uma mais fixa. pois que embora seja um excremento. R: O sal da urina contem tudo o que é propriamente essencial da urina. em primeiro lugar pelo sabor.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. e desde ali penetra mais profundamente sem ser alterada sua salinidade. do que se separa o fermento úrico pelo odor. sem segundo lugar pelo peso. P: Há algo na urina que seja diferente de sua mais intima e específica natureza urinácea? R: Sim. e sal marinho que assimilamos com a carne. em parte por sua virtude separativa. porque é evidente que a maioria do sal caiu aparte. como pode perceber por seu odor e sabor.

P: Que haveis observado com respeito ao primeiro espírito? R: Se se revolve um pouco. P: Que nos há ensinado a ciência do fogo em relação a urina. o que a princípio era muito agudo se percebe mais suave. que o que poderias perceber do sal de urina dissolvido em água pura. Verta novamente este espírito e destila repetidamente quatro ou cinco vezes.br R: O Admito. Emanará um espírito que queimará a língua como se fosse um carvão em brasa viva.academiadecienciasfuturas. P: Existe tal espírito na urina? R: Por suposição.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. R: Me há ensinado a fazer volátil o sal de urina. P: Que eficácia tem este espírito? R: Uma que é de lamentar. Deixado durante um mês depois do qual a destilarás. embora muito pouco se possa discernir pelo sabor. que é o que cai? R: Um pó espesso negro e malcheiroso P: É o espírito completamente uniforme? R: Assim Aparece a vista.org. tanto pelo olfato como pelo gosto. assim o espírito se encontrará mais penetrante. tampouco poderias perceber mas. por causa de uma se coagula e por outra se dissolve. O calor que se desprendia na primeira destilação do licor se modera depois sensivelmente. Toma urina e disolva um uma quantidade conveniente de salitre. P: Dareis um exemplo disto? R: O Farei. embora não até sua última agudeza. realmente existe em toda urina. P: Que mais? R: Na coagulação da urina se descobre seu espírito etílico. extraindo cada vez no mais da metade. P: Quais são? R: Segundo sua virtude inata. P: Porque? R: Daqui o Dulech (?). e sem duvidas contem qualidades diretamente opostas entre si. e pela Arte se pode preparar uma grande quantidade. . inclusive na do mais são dos homens. P: Logo. exatamente igual ao espírito etílico quando se destila e desce pelo colo do alambique formando linhas que parecem veias. ao olfato e ao sabor. e se desvanece . e que realmente pode mobilizar nossa compaixão pela umanidade. seu mais encarniçado inimigo tem sua origem. No segundo espírito. aparecem veias azeitosas resvalando aqui e ali. já fora mediante aos odor e o sabor.

P: Que faz este espírito ao chegar este momento? R: Prova-o e vos surpreendereis do que vereis na solução dos corpos. que produzirá uma bem retificada “Aqua Vitae”. poderia extrair dela uma aguardente que seria um pouco etílico. sem que em nenhum caso o calor ou o frio excedam um devido ponto. os dará. e que também o dissolve? R: A urina. P: No alambique e submetido a um suave calor. sendo putrefado na fleuma. posto que a urina putrefada com o calor suave durante aproximadamente duas semanas emite um espírito coagulante. putrefada durante um mês e meio sob um calor mais ou menos igual ao calor do esterco de cavalo. Este segundo espírito carece desta propriedade. onde. P: Não é isto o Alkahest? . porém se requer are e engenhosidade. assim obtida. P: Todos os espíritos coagulam o espírito de vinho? R: Não muito menos. no recipiente adequado. este estalagmite de acordo com os vossos desejos. guardado ali até que o fermento emergisse por si meso na urina e produzisse bolhas. como por exemplo. pode este sal mais fixo ser convertido em um licor? R: Pode. atrás de um forno de inverno. sal marinho. P: Como se prepara este espírito que forma o Dulech (coagulação) de si mesmo com uma clara estalagmite aquosa. aparte dos espíritos mensionados? R: Seu mais fixo sal de urina.academiadecienciasfuturas. P: Onde está a fleuma? R: No sal. Isto não ocorreria senão ao cabo de muito tempo se a urina se guardasse em um recipiente de madeira e em um lugar que não fosse quente e nem tão pouco frio. porém não por todo artista. P: Como pode ser mais claro este espírito alcoólico? R: Com uma putrefação como a causada por um fermento que estimule a ebulição. posto que na preparação da putrefação.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. P: Podem ser separadas? R: Podem.br P: A que tipo de putrefação deve submeter a urina para que possa obter-se dela tal espírito? R: Deve estar em um recipiente ligeiramente fechado ou simplesmente coberto e submetido a um calor tão escasso que apenas seja perceptível. o sal.org. e acidentalmente. ascende junto com ela. P: Que contem a urina. P: Há algum outro espírito na urina? R: O há. Pode estar mais quente algumas vezes ou mais frio outras.

se a urina não fosse primeiro putrefada. com tanta quantidade de água como a metade da quantidade de urina de onde provenha este resíduo. BENDITO SEJA O NOME DO SENHOR . destiladas de urina recente.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. coado ou purgado por dissolução. P: Porque soma a urina? R: Deveis saber que para transmutar as coisas é necessário um fermento corruptivo. P: Assim. e a este respeito. que cai no fundo. Estas são transmitidas a urina ( depois que o licor excrementoso seja separado dela).AMEM . e da natureza destas cocções nos dá um sal circulatório que roda no interior do sal de Paracelso. pois o alkahest se esconde na urina e também no sangue? R: A natureza nos dá ambas: o sangue e a urina. e se observam indícios dela na urina. P: Quanta quantidade de água se calcula que é fleuma? R: Umas nove partes de dez. devem ser rejeitadas. A décima parte (sempre extraída em forma de licor) deve guardar-se. P: Que propósito em isto? R: De por manifesto as excelências do sangue do homem por cima de qualquer outro sangue. P: Pode-se obter a fleuma aparte do sal? R: Se poderia. Pode extrair-se o sal de urina seca. Então mescla este sal enormemente moendo-o com vosso último espírito e faça uma coobação.br R: Dito licor não pode ter uma composição que não compartilhe das propriedades do sangue humano.org. Verta água doce e repita esse procedimento até que o sal apareça puro. com água e um fogo suave ( que cause sublimação). pelo que a urina humana sobre-passa a todas as demais é a causa de suas magníficas propriedades. Deixado que transfira por decantação o que seja que está embebido na água.academiadecienciasfuturas. não há outro sal com a força do sal de urina. conservar sua vida media e reter sua salinidade. P: O explicaria brevemente? R: Somarei isto: o sal do sangue deve ser transmutado pelo fermento urináceo de modo que possa perder sua última vida. e filtrado através de um cristal.

Deste assunto poucos autores tratam e os que o fazem obscurecem esta chave o mais que podem. teremos que procurar o agente adequado para o abrir.br Elucidando a Prática Londres 1654 IrIneu FIlaleto Tradução de Paulo Cruz. como muitos quereriam. a qual será com freqüência embebida e fixada de modo a que o infante quede selado no ventre da sua mãe. tal como muitos já o fizeram. Ciência esta cuja prática passaremos a elucidar nesta Segunda Parte. Donde que. mas de uma verdadeira Ciência. que será então como juiz no Dia do Juízo Final. como já o dissemos e voltamos a afirmar é apenas ouro levado à máxima perfeição possível.trata-se não de uma fábula. sublimar e exaltar. É cor de sabre. que deves logo revificar. mas eu. é todo volátil e não fixo. e sendo alimentado até que se fortaleça e se torne suficientemente capaz de resistir aos seus robustos oponentes: então fermentando.que alguns chamam de Arte Dourada . o Rei. brilhará como a chama faiscante e a pedra escondida a que chamamos enxofre. se souberes procurar a variedade mais adequada. embora nada exista de natureza metálica assim tão frágil. quando tomado na sua crueza nativa purgou o Sol de toda a sua superfluidade. deve por longo tempo residir em repetida negrura até que a Natureza apodreça e morra. o qual. Aquele que se presta a encontrar tal Essência deverá então. sendo então colocado sobre o seu Selo Real. Isto tu deves multiplicar até que se transforme no elixir espiritual. através do engenho da Arte e operação da Natureza transformado num Espírito tingente que nunca se esgota que a Natureza. A substância que tomamos primeiro em mãos é um mineral semelhante ao Mercúrio que coze na Terra um enxofre cru. De maneira que a Pedra que procuras. pois a ociosidade é um verdadeiro obstáculo para esta Arte. que então circulará com um bom fogo até que quando toda a umidade se seque esta seja fixada. no entanto. o qual então flui no fogo como um metal. mas se possuis uma mente tranqüila e és trabalhador presta bem atenção ao que irei declarar. sendo o nosso Sujeito o ouro. transformar o seu ouro em pó e fazer com que se converta numa água mineral.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. como ficou por nós provado e por exemplos demonstrado na parte anterior deste tratado.org. pouco trabalho terás a preparar. com veios prateados misturados com o corpo cuja linha cintilante mancha o enxofre inato.academiadecienciasfuturas. serei de uma sinceridade como nunca viste. Se pela Arte soltamos os seus elementos o seu interior aparece resplandecente. por si nunca teria conseguido produzir pois o ouro em si não possui o poder de se elevar a tal grau de perfeição antes se mantendo eternamente na sua constância. e de novo retornar à terra onde o deves deixar no calor o tempo necessário para que a negritude se transforme na mais pura brancura. através da Arte. condenando ao fogo toda a escória que aderir à mais pura substância nos metais imperfeitos. e com justeza pesa bem a razão da nossa Obra. encontrando apenas esforço e despesa. através da qual será possível obter grande provisão de prata e ouro. querido leitor. Este é chamado de Filho de Saturno. pois embora se trate de um corpo firme e compacto é no entanto. este será vil à vista e grandemente desprezado pelo seu aspecto exterior. e que trata primeiramente daquilo que jaz escondido no nosso Agente ígneo. caso contrário é mais certo que percas o teu tempo e dinheiro em vão. O Primeiro Livro A Alquimia . E para uma boa compreensão das nossas intenções considera corretamente. . garanto-te no entanto que este não é trabalho para mentes opacas nem para aquele que desdenha trabalhar. parece de facto vil à vista mas o seu interior é glorioso. A sua natureza é venenosa e muitos abusaram dele medicinalmente.

mas do seu corpo a sua Alma se separou. e a isto nós chamamos a urina do velho Saturno. verificaram que pelo seu poder os derrotou e tendo a luta terminado. Este trabalho real foi selado pelo Todo-Poderoso para ensinar os prudentes que o Infante Real é aqui nascido. estando morto. Este é o enigma que tanto tem deixado perplexos os estudantes desta Arte. pois é apenas azougue o agente que a nossa obra requer. a não ser que o ensinasse um sábio Mestre. Este é o nosso aço. pelo que nunca nada assim tinha sido visto antes. aqueles que antes eram inimigos. e tem em abundância as qualidades necessárias para entrar no corpo do Sol. Parecia deveras estranho que um metal suficientemente robusto e fixo para suportar o golpe atordoante de Vulcano e que não se abrandará em nenhum calor nem se misturará em fluxo com nenhum metal seja no entanto pela nossa Arte retrogradado neste penetrante licor mineral. pelo que ambos se reconciliaram. iremos agora explicar claramente o significado destas alegorias. cuja fúria com encantos esperaram com o tempo domar. cujos segredos aqui vos revelo. que o Deus da guerra assaltou com uma armadura do aço mais robusto. e no nosso Leão Verde. mas podes revelá-lo numa hora e depois lavá-lo em chuva prateada. que à vista é um corpo frágil e quebradiço. o qual divide em elementos e no qual reside após a dissolução. que nunca se desvanecerá. com cujas asas prateadas o ar se acalmou. Então as Águas como uma inundação logo voltaram e engoliram a Besta. Esta substância tem uma natureza estrelada e completamente espiritual. É aquilo que é deitado à rua. pois logo uma Estrela nunca vista apareceu. Pelo que. mas o azougue comum não serve para a nossa Pedra. Oh força poderosa! Pois quando os Sábios a avistaram grandemente se surpreenderam e assim a chamaram o seu Leão Verde. Assim Zeumon na Turba p. cuja cor se tornou negra como o carvão.br Este é o nosso Dragão. deixando-o presa dos sócios de Cadmus. sendo as suas almas agora unidas. Mas pareceu-lhes deveras estranho que logo que este Dragão se tivesse aproximado da Fonte. as Águas se retirassem como que assustadas. que se encontra no rebento de Saturno e é puro interiormente. nos caminhos. e por constantemente seguir a sabedoria da Natureza fui levado a tornar brando o corpo mais sólido e do corpo mais grosseiro fazer uma Terra tingente e fixa. assim chamada pelo seu brilho: este é o nosso ouro imaturo. mas é domado por Vulcano e cuja alma se sabes misturar com Mercúrio nenhum segredo te será ocultado. pese embora o esforço de Vulcano em reconciliá-las. Mas com a ajuda de Vulcano este Dragão voltou à vida e recebeu dos Céus uma Alma.2. onde se disse que a Besta saciou a sede até que o seu ventre estoirou. disse: A nossa Pedra é vil e no entanto é combinada com o mais precioso. Mas para não te manter mais em suspenso. nas estrumeiras e nos lugares impuros que é a matéria que . presta-se no entanto a ser animado pelo sal da Natureza e verdadeiro enxofre que é o seu único conjugue. pois muitos outros o fizeram. Ars Aurif: Vol. O Enxofre deves procurá-lo na casa de Áries. sendo totalmente inclinada a fugir do fogo.academiadecienciasfuturas. Pelo que agora observa que o nosso Filho de Saturno deve ser unido a uma forma metálica e mercurial. deixaram os seus corpos e transformaram-se no verdadeiro banho das ninfas. E não sou o único que o diz. no qual o Dragão dobrado para dentro perdeu a sua picadura. pois eu vi e com as minhas mãos trabalhei este mistério. e nisto o nosso Dragão fez com que a fonte exalasse um cheiro fétido onde ele morreu e que lhe serviu de sepultura. é este o fogo mágico dos sábios para aquecer o banho do Rei (que deves preparar numa semana).18. tem o poder de penetrar o centro dos metais. olhai. mas os tolos procuram os nossos segredos em coisas sórdidas e sem sentido e o que encontram é apenas a própria ruína. Artephius nomeou-o. mas em vão.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. desatando estes nós cujo sentido obscuro poderá deixar perplexo o leitor. uma Estrela matutina foi vista a sair da Terra e após as carcaças terem sido removidas logo apareceu uma fonte corrente. Este sal. a razão é que a alma de cada um é como um íman para o outro. Então apareceram as Pombas de Diana com adornos ofuscantes. o nosso verdadeiro hermafrodita. de modo que quando Cadmus primeiramente sentiu esta força não conseguiu agüentar um tal poder. a quem eles diligentemente procuram sendo pela Estrela guiados. Este fogo está estreitamente escondido. antes disse que este deveria ser pedido a Deus.org. Não tenho necessidade de citar qualquer autor. a nossa Lua. mas o outro segredo não o revelou.

o que pode ser mais claro? Dificilmente pode existir alguém tão ignorante que julgue que estas palavras ocultam ainda um outro significado. Vol. se chumbo. pois seriam já tão diferentes na forma que qualquer um deles se poderia enquadrar no nosso Mercúrio Filosófico. em velhos pregos sem cabeça.212. que tão poucos encontram. ou virtude. ceifamos o nosso milho. for outro que não o ouro imaturo. pelo qual todos os artistas dizem que deves começar a tua obra.27. pois nunca até agora isto tinha sido tão claramente explicado. que é que enquanto o outro é fixo este deve ser volátil e alado. que não é senão o Mercúrio. e há quem a aplique em usos sórdidos. pelo que aplica-te diligentemente em aprender a obter esta Água. tendo também na cauda uma estrela que representa o nosso grande segredo. com ela aramos a nossa terra. Pois a Água. o que demonstra que apenas com Marte ela pode ser associada. para a qual remeto o leitor aplicado. Prosseguirei agora com o objectivo deste curso mostrando como obter esta Água. então qualquer metal que seja pela Arte convertível em ouro deverá conter em si essa natureza. p. vestimos.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www.2. Se o nosso Mercúrio. insta-nos a combinar o lutador com aquele que não deseja lutar. ou mercadoria que possa ser transportada. na qual através da Arte uma forma pode ser induzida de modo a comandar os nossos segredos? Atenta então bem para o que deverá ser o nosso Mercúrio que deseja ser o nosso mais secreto Menstruum. que é o ventre. e este Enxofre purifica a matéria. E se o Mercúrio bruto e todos os cinco metais imperfeitos se podem transformar em ouro. ao qual chamamos a nossa Água viva. tendo o poder de abrir e soltar o . p. Repara na segunda figura do Rosarium Philosophorum Irne. da mesma forma que pela Arte é feita o nosso Azougue. que como fundamento possibilitou primeiro a transmutação e por isto nós concluímos que a nossa muito secreta Água tem a mesma matéria que o vulgar Mercúrio. e sem ela não há barco ou casa que possa ser construído. Ars Aurif. e com ela são ferrados os cavalos. que se deliciava na paz e cujo reino não é necessário revelar uma vez que é de todos tão conhecido. pelo que deverá ser ouro verdadeiro. Assim. enquanto não estiver sob a circulação do fogo. de onde retiramos a mais secreta semente do Sol.academiadecienciasfuturas. Áries é conhecido da casa do robusto Marte. O Rei tem na mão uma flor e a Rainha outra e o pássaro segura com o bico numa terceira. no entanto. Assim parece que os antigos Sábios escolheram antes instruir o olho por imagens do que o ouvido por palavras. então poderia a Arte causar essas Águas. nem produzirá a sua semente. fervemos e cortamos a nossa carne. torna-a ígnea e no entanto não deixa de ser uma Água. nem o nosso corpo será reduzido a um humor. encontramo-la freqüentemente num estado contemplativo sobre a terra. Mas para que precisaríamos disso se a natureza produz já uma Água ao alcance do artista. deverá existir um Enxofre que não encontras no das minas. e para o mesmo propósito. pelo qual a Marte o Deus da Guerra ele atribui Saturno em união. que pouco valem o achado.2. sendo eu um filho da Arte. tenho na Cabala Sapientum a mesma explicação. Entre ambos há um pássaro. Sob os seus pés o Sol e a Lua. Ars Aurif: Vol. Em barcos ela flutua sobre os oceanos. como também da mesma origem tanto a matéria como a forma. e que por isso como vil é estimado. pois ela é o fundamento da nossa Quintessência. No entanto alguns dos seus discursos são tão simples que qualquer palerma poderá perceber o sentido que eles contêm. a razão é então como todos os Sábios ensinam que todos os metais contêm em si o Mercúrio e todos são por conseguinte igualmente transmutáveis. Sabe então que todos os metais têm apenas uma matéria. Este Enxofre deverá ter uma força. não tendo calor é totalmente inútil para a verdadeira geração. (sendo neste processo. embora imaturo. pois o pássaro alado representa Mercúrio combinado com a Terra Estrelada até que ambos se tornem voláteis e alados. pois nós garantimos que ambos são Metálicos de peso e cor semelhante. combinado pela Arte com um mercúrio que tenha em si Enxofre. Muitos mais usos ela tem os quais seria fastidioso enumerar e. Belus na Turba. estanho ou cobre fossem convertidos num verdadeiro Mercúrio. Ninguém pode viver sem ela. e devido à sua crueza consumidos pelo fogo). magnética. no nosso. apenas com esta diferença.br deveremos tomar como verdadeiro fundamento da nossa Arte. Para mais.org. e que ambos são fluídicos e voláteis sob o fogo mas. na qual o Rei e a Rainha em vestes reais seguram entre ambos a nossa verdadeira Lunária que contém oito flores e no entanto não tem raiz.

exibindo-os desta forma aprisionados. é Marte retrogradado num mineral. como se pode provar. não sendo divisíveis até que a alma de .academiadecienciasfuturas. grandes mudanças ocorrerão nos corpos. ao arrefecer nos mostra uma Estrela. E embora alguns metais possam ser fixados com Azougue não penetram uns nos outros mais que à vista. como descreveram os poetas misteriosos de vista apurada. depois de fundido e vertido. Este Enxofre não tem nada de metálico. e como prova do teu sucesso deverás seguramente nela encontrar a impressão do selo de um rei estrelado. é o rebento de Saturno sobejamente conhecido por todos os magos. Mas Vulcano ficará cada vez mais ciumento e é com desgosto que o coxo cornudo sente os cornos adornarem-lhe a cabeça.br primeiro. A isto adiciona Venus na proporção adequada. perante o qual todos sentiram temor. De forma que a alma de Saturno. que na realidade é Solar.org.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. e em pouco tempo a substância metálica deverá brilhar como os céus. mas que ao ser unida com Marte. que deverá ser procurado na casa de Aries. Mas em si não contém nenhum Enxofre. Observa também a Estrela. e que o fogo de fato evapora. mas ambos são semelhantes e voláteis. A razão é que o Enxofre que se encontra nos metais perfeitos encontra-se selado. de tal modo que a negritude é feita brilhar como uma gema cintilante. Esta é a nossa verdadeira Venus. cuja beleza é admirada por Marte e que é conhecida por lhe ter grande amor e desejo de com ele se unir. e pelo calor podem facilmente ser separados. a marca que o Todo-Poderoso afixa neste estranho corpo. aparece uma noz de aspecto metálico (que poderás moer em pó) na qual se encontra fechada uma alma terna que se mostra como fumo sob um fogo suave. É isto que dá penetração à nossa Água e lhe permite penetrar até ao centro dos corpos. que isto não seja tomado como mera Fábula. Marte e da brilhante Diana. sendo quebradiço e negro com veios brilhantes esteja congelado num Enxofre ardente. E só há um corpo na Terra suficientemente próximo do Mercúrio para o poder preparar para a nossa pedra secreta e para poder esconder o corpo sólido no seu ventre e este. e que é amada por Marte. nem são por isso melhorados. pois o ouro unido intimamente com o filho de Saturno cujas fezes foram purgadas quando tudo o que era perfeito se abateu no fundo. sendo ela afim do ouro. pois esta Serpente (de poder inquestionável) ele com a sua lança mortal trespassou contra um carvalho. Primeiro observa como Cadmus é devorado pela nossa besta feroz a quem Cadmus depois de a ter intrepidamente perfurado fez merecer nome de campeão. as escórias sendo removidas. a esposa do coxo Vulcano. No entanto. assim como faz Marte. levemente congelado. invertendo-os completamente e reduzindo-os à sua verdadeira matéria primeira e isto deseja ser reunido com um verdadeiro Enxofre. como que dobrados numa rede. exceto as suas escórias (que são totalmente separáveis) contém um Mercúrio mais puro. Mas Venus fornece uma substância metálica que só por si é desprezível. Este é o selo real. Mas o mineral que tanto estimamos. Se separares estas fezes encontrarás Mercúrio fluídico e um Enxofre cru que endureceram a umidade pela congelação bem como um Sal aluminoso mas todos eles são de natureza demasiado distante do ouro. com quem ele concilia o amor e a verdadeira união. Através deste mineral apenas e com a habilidade do artista. que fará reviver os Corpos mortos de forma a que estes possam como todas as outras coisas gerar a sua espécie. no qual ao fazer despertar uma centelha. e Marte. aparece como agradável à vista. assim que logo é inclinada ao movimento. ou nos outros partilha das fezes terrestres e impurezas que o Mercúrio abomina e com as quais nunca se unirá embora pareça à vista com eles se misturar. de forma velada mas no entanto suficientemente clara para o Sábio. de forma que ambos se libertem das suas características terrenas. semelhante ao Azougue. embora. como disse anteriormente. com a qual como um diadema o nosso jovem rei é coroado. e na esperança de os destruir atira a sua rede sobre os amantes apanhando a esposa e Marte durante o ato. e que eu aqui te mostrei. Primeiramente então faz com que Marte abrace este mineral. pois verás que eles nunca penetram o centro. são através da nossa Arte e com a ajuda de Vulcano intimamente misturados. Este é o fogo celestial. mas se corretamente separado segundo a Arte. como por muitos foi já ensaiado.

ou Água. pois de contrário laboras em erro. e então um ensaio revelará o mais puro ouro. Preocupa-te apenas então em aumentar um espírito que falta ao Azougue comum. assim os guiando através das ondas e chamas como a razão ordenará. pelo que deves então molhá-los bem com a água e mantê-los em calor e umidade até se tornem perfurados e a suas Almas sejam ambas glorificadas. até que as almas de cada (deixando a matéria grosseira) se unam e voem juntas para o alto. e a adiá-lo para outra altura. onde não as deves deixar residir durante muito tempo. pois nesse caso o teu esperma feminino estaria corrompido e falharias o teu desejado objetivo. sobre o qual ninguém em nenhuma altura falou tão claramente. pelo menos três vezes. óleo ou ungüento. que deve ser alimentado durante tanto tempo quanto seja requerido pela natureza. o que deves fazer em quatro reiterações. que depois no entanto revive e se torna volátil.academiadecienciasfuturas. Pelo que deverás assegurar que o vapor mais subtil da Água seja longa e repetidamente circulado. e uma tintura da mais pura e verdadeira.org.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. sublimar o grosseiro no firmamento e separar as escórias segundo a Arte. nem os poderia reduzir a pó. ou até sete. Faz com que AEneis (?) seja igual ao seu amado. Nem faças com que o Azougue se torne numa clara e transparente goma. que os Adeptos chamaram Fogo do Inferno. deve ser líquido e branco. o que reiterado sete vezes deves então desposar com o ouro até que quedem ambos perfeitamente combinados. Assim através da Arte e com a ajuda da Natureza é a verdadeira Donzela preparada. isto numa suave dissolução de Azougue tão uniforme que como gotas de cristal possa ser dela separado sem que nada seja depositado no fundo do vaso nem a sua virtude de qualquer maneira enfraquecida. mas toma cuidado para que não seques a umidade em pó devido a um fogo muito forte. de modo que se mostre vermelho. pois caso tenhas perdido a proporção certa nunca chegarás a uma verdadeira dissolução mas serás obrigado a suspender o teu trabalho já sem esperança. purgando-os com arte até que a rede de Vulcano os envolva a ambos. pois apenas àqueles a quem Deus deseja ensinar estes devem ser comunicados. da qual Diana produz neles a separação. de Cadmus uma parte e estas purifica com a ajuda de Vulcano até que (sendo liberta das suas fezes) a parte Metálica seja a mais pura. e cujas virtudes são tão estranhas e poderosas que (pela sua força) são capazes de resolver qualquer composto na sua Matéria primeira. mas procurar apenas o conhecimento com candura resolverá certamente este mistério. Mas esta mediação deve ser feita através de Vénus. Sabe também com certeza que o Mercúrio. Este é o Orvalho celeste. Mas aquele que com sofrimentos e orações dedicadamente procurar este segredo. mas atenta para que a terna natureza não fuja pela força de um fogo demasiado forte. cujas operações perfeitas te serão ensinadas pela Estrela. caso contrário nenhum artifício humano seria capaz de os separar. para que não congelem. Assim tira do Filho do velho Saturno duas partes. pois procedeste de forma contrária às regras da Arte. com o qual a obra deve ser iniciada.br Marte seja fixada e então deixe Saturno. enquanto que outros devem permanecer perdidos num labirinto de erros. Há alguns que através da Arte sabem preparar um maravilhoso Licor. de odor lembrando o almíscar. ou . sem nessa busca ser excitado por desejos de cobiça. o que é um trabalho tedioso em que por cada vez que o artista acerta há sempre duas em que falha: mas a outra forma (que é a mais secreta) nós recomendamos a todos os que desejam ser verdadeiros artistas. No entanto após a sua união serão reduzidos apenas pela associação de Venus. Mas se eu aqui revelasse todos os segredos do fabrico desta nossa Água seria desprezado por todos os verdadeiros artistas. a qual sendo separada das fezes se faz um rebento celeste que tornou macio o corpo sólido do Sol e ao ser separado em átomos se tornou negro e putrefato. Alguns para preparar esta Água usam as Pombas de Diana. Pois sendo repetidamente destilada deixa para trás o Azougue que como verás se assemelha a um sal fixo.

pois tudo o que é grosseiro e inútil neste é consumido. ou sublimada. Fim do Primeiro Livro. mas em algumas uma certa escória inquina a substância pura. é de tal forma estranha que todos os artistas surpreende. rejeitando todos os outros e todas as outras artes. que pela natureza é feito puro e perfeito puder através deste nosso fogo secreto ou Água ser retrogradado em Mercúrio e Enxofre. mas também o nosso admirável Fogo podem fazer o mesmo ao ouro. e que é a mãe da nossa Pedra e cujo segredo.academiadecienciasfuturas. pois nós procuramos multiplicar o Enxofre que é uma Hematina Solar e cuja cauda é lunar. que é uma nobre medicina para os enfermos. e no entanto sem dividir o Enxofre do seu centro. cujo Azougue é uma substância tão maravilhosa que não se encontra igual debaixo dos céus. Mas o mencionado Licor estranho ao dissolver destrói a homogeneidade Metálica. pois ninguém alguma vez sobre isto escreveu mais claramente. se já não ignoras. Não apenas ele. Quem não vê que tal Mercúrio está distante da nossa obra? Pois nós procuramos aumentar uma Tintura e apenas o Enxofre. que umidifica apenas aquilo que é homogêneo nos metais. Pois se Ouro. mas firmemente nele residia. tal é o poder que este Licor tem sobre qualquer matéria. e pouco tempo depois destila como um Espírito. deves calar. e de uma forma direta e gentil forçar a sua retrogradação. isto no ensaio com Saturno aparece tão fixo como a mais pura Luna. cuja virtude é tão poderosa que reduzirá até o Sol e a Lua do seu estado fixo e os tornará voláteis.org. que podes pulverizar como ferrugem e que nenhum fogo pode consumir. de modo que nenhum pode desfrutar do outro e portanto o Mercúrio Central ao ser separado do Licor tingido mantém-se em baixo de forma que a Hematina que antes no ouro tinha o Pondus de um Metal se encontra agora tão alterada que se torna num Azougue mais leve. E assim parece que tanto mais uma substância Metálica seja dissolvida nesta umidade tanto mais é transformada de uma natureza Metálica cujo Enxofre. sendo completo em substância. ou seca em pó. e que antes não podia ser separado pela força do fogo. são estes os únicos planetas que consideramos no nosso céu terrestre.ACADEMIA DE CIÊNCIAS FUTURAS Escola Iniciática www. que pela adição de um pequeno sujeito pouco a pouco se separa em duas substâncias distintas. Este Enxofre encontra-se mais ou menos em toda a coisa Metálica. pois ao separálos causa um desentendimento e desunião. pois nenhum tem poder ou mestria para a alterar: e através da forma mencionada. No entanto na nossa Arte isto não serve de nada. ou por circulação freqüente pelo fogo ser combinada. a outra (se a fazes ferver) é através da Arte redutível em Mercúrio. que como uma capa envolve o Mercúrio e é agradável à natureza Metálica e sem o qual a Água não poderá reclamar o nome de um metal. Esta substância ao ser coobada cinco ou seis vezes com a dita Água (com digestão prévia) aparecerá como que um Óleo. pela força deste Licor poderá (embora contravontade) ser pelo menos trazido até uma Água elementar. Com isto todos os Filósofos concordam. nem tão pouco ser fixada mas para sempre se manterá volátil. à vista como que um Óleo ou mesmo um Sal untuoso. sendo a primeira um Óleo ou Tintura solúvel em Licor. Esta nem com sais ou água forte poderá ser corroída em precipitado. . e nenhum Artifício humano poderá alguma vez dividir este Enxofre da sua Água excetuando o mencionado licor.br aroma. O grande Elixir não conseguirá transmutar mas de fato dissolve e destrói. e de sabor semelhante ao mel tal é a sua doçura. Mas dos metais o Sol e a Lua são revestidos tão intimamente por um puro Enxofre que suportam grandemente a maior força de Vulcano. e todos concluem que o nosso Mercúrio é apenas um. antes o vestindo com uma veste Mercurial para que ambos habitem combinadas numa Água Dourada. poderá ser produzida de todos os corpos Metálicos. pelo que deve ser destruída pelo fogo. que estando prontas serão guardadas separadamente.