You are on page 1of 6

Obrigação de dar coisa Obrigação de fazer e não fazer Obrigação de pagar quantia certa

Quanto à natureza da obrigação Execução de entrega de coisa certa Execução de entrega de coisa incerta Execução de obrigação de fazer Execução de obrigação de não fazer Obrigação de pagar quantia certa contra devedor solvente Obrigação de pagar quantia certa contra devedor insolvente Quanto ao título em que se baseia1
Cumpriment %()&*+)E#TO ,E -E#TE#.A o de sentença “stricto sensu” (processo uno' E$ecuç!o “sine inter%allo” (processo uno' Sentença judicial que reconheça obri aç!o de "a#er e n!o "a#er (artigo 401$ %&%' Sentença judicial que reconheça obri aç!o de dar coisa (artigo 401"A$ %&%' Sentença judicial que reconheça obri aç!o de pa ar quantia (arts2 4 !"+ e 4 !"3$ %&%' 4 -entença penal condenat5ria6 -entença arbitral6 /LATO SENSU” E$ecuç!o propriamente dita (processo apartado' -entença estrangeira 7o8ologada pelo -T9: depois de distribuída a petição inicial e citado o executado$ aplica"se o procedi8ento da nova lei (art2 4 !"+ a 4 !"*$ %&%'

Títulos executivos judiciais (Artigo 4 !"#$ %&%'

Títulos executivos extrajudiciais (Artigo !;!$ %&%' E<E%(.=O

>ivro ++$ %&%?artigos !00 e segs2$ %&%

Quanto ao seu caráter Artigo !; $ ,efinitiva %&% Artigo 4 !" +$ %&% Artigo !; $ %&% Artigo 4 !" &rovis5ria +$ par2 1@ e !44$ par2 4@$ %&% Artigo 4 !" O$ %&%
1

9undada e8 título judicial e extrajudicial

9undada e8 sentença pendente de recurso desprovido de efeito suspensivo (*E e *Esp' %orre por iniciativa$ conta e responsabilidade do exeqAente$ que se responsabiliza a reparar os danos do executado$ e exige /cauç!o su"iciente e id&nea' arbitrada pelo jui# e prestada nos pr(prios autos” (art2 4 !"O$ + a +++$ %&%'

Ada &ellegrini Brinover2 %u8pri8ento da sentença$ +n: %+A#%+$ )irna6 C(A*T+E*+$ *ita (coord2'2 Temas atuais da e$ecuç!o ci%il) estudos em homena em ao pro"essor *onaldo Armelin+ -ão &aulo: -araiva$ 4DD $ p2 D;"DE2 2 *e8issão ao artigo 014$ %&%$ ou seja$ observa8"se$ subsidiaria8ente$ as regras da e$ecuç!o de título extrajudicial2

!$ Pl' serK proposta no foro do do8icílio do rIu6 se não o tiver$ no de sua residOncia ou no do lugar onde for encontrado2 .$ %&% (coisa certa' Artigos 04E a 0G1$ %&% (coisa incerta' Natureza do título Execução de obrigação de fazer fundada e8 título executivo judicial?sentença que recon7ece obrigação de "a#er ou n!o "a#er Execução de obrigação de fazer ou não fazer fundada e8 título extrajudicial Regramento legal Artigos 401 e segs2$ %&% Artigos 0G4 e segs2$ %&% Natureza do título Modalidade de execução %u8pri8ento de sentença lato sensu Execução propria8ente dita De esa do executado +8pugnaçã o E8bargos do devedor Regramento legal Artigo 4 !"3 e F 1@$ %&% Artigo 4 !">$ %&% Artigos G0 a 4 $ %&% Título executivo judicial Título executivo extrajudicial Processo de Execução Civil Hoje a execução de título judicial I deno8inada co8o cu8pri8ento de sentença2 #esse caso cu8pre"se sentença e todos os docu8entos produzidos dentro do processo2 O te8 aqui tratado diz respeito J execução extrajudicial2 Essa te8 u8a finalidade: cu8prir docu8entos que não fora8 produzidos por u8 juiz 8as que a lei conferiu eficKcia executiva2 !rocesso de "xecução LM ocorre quando o devedor não satisfaz obrigação certa$ líquida e exigível$ consubstanciada e8 título executivo$ caso contrKrio a execução serK nula2 LM -erK nula$ ta8bI8$ nos casos e8 que o devedor não for citado ou quando o ter8o ou condição não 7ouver sido verificado2 LM A propositura da execução$ deferida pelo juiz$ interro8pe a prescrição2 LM vKrias execuçNes pode8 ser cu8uladas ainda que fundadas e8 títulos diferentes$ desde que para todas elas seja co8petente o juiz e idOntica a for8a do processo2 LM Cuando o título executivo for sentença penal condenat5ria ou sentença arbitral$ a execução terK lugar no juízo cível co8petente2 LMA execução fiscal (art2 !.Natureza do título Execução de obrigação de dar coisa fundada e8 título executivo judicial?sentença que recon7ece obrigação de dar coisa Execução de obrigação de dar coisa fundada e8 título extrajudicial Regramento legal Artigo 401"A$ caput$ %&% (coisa certa' Artigo 401"A$ F 1@$ %&% (coisa incerta' Artigos 041 a 04.

+ A citaç!o ser.LM Títulos estrangeiros pode8 ser executados no Qrasil$ 8as deve8 satisfazer os requisitos de for8ação exigidos pela lei do lugar de sua celebração e indicar o Qrasil co8o o lugar de cu8pri8ento da obrigação2 LM -uspensa a execução$ I defeso praticar quaisquer atos processuais2 O juiz poderK$ entretanto$ ordenar providOncias cautelares urgentes2 LMA extinção s5 produz efeito quando declarada por sentença2 A execução de título extrajudicial I definitiva2 R provis5ria$ no entanto$ quando pende apelação de sentença de i8procedOncia dos e8bargos do executado recebidos co8 efeito suspensivo2 E8 todos os casos e8 que I defeso a u8 contraente$ antes de cu8prida a sua obrigação$ exigir o i8ple8ento da do outro$ não se procederK J execução$ se o devedor se propNe satisfazer a prestação 8ediante a execução da contraprestação pelo credor$ e este$ se8 justo 8otivo$ recusar a oferta2 Entretanto$ se o devedor deposita a coisa e8 juízo ele se exonera da obrigação e o juiz suspende a execução2 R título executivo extrajudicial o instru8ento de transação referendado pelo )&$ pela .-. .-.efensoria ou pelos advogados dos transatores$ o crIdito de serventuKrio de justiça$ de perito$ de intIrprete$ ou de tradutor$ quando as custas$ e8olu8entos ou 7onorKrios fore8 aprovados por decisão judicial2 -T3: ExecuçNes individuais de sentenças condenat5rias e8 açNes coletivas não justifica8 a prevenção do 5rgão julgador que exa8inou o 8Irito da ação coletiva2 #raude de "xecução: I a alienação ou oneração de bens: quando sobre eles pender ação fundada e8 direito real6 quando$ ao te8po da alienação ou oneração$ corria contra o devedor de8anda capaz de reduzi"lo J insolvOncia6 nos de8ais casos expressos e8 lei2 -e o be8 for alienado ou gravado co8 Snus real e8 fraude de execução ficarK sujeito J execução2 As alienaçNes e oneraçNes efetuadas ap5s a averbação serão presu8idas fraude J execução2 D$% D&'"R%$% "%!()&"% D" "*")+. !.N/R$ D"'"D.R Q+$N/&$ )"R/$ ). -e o valor da 8ulta estiver previsto no título$ o juiz poderK reduzi"lo se excessivo2 D$ "*")+.R %.0'"N/" A execução por quantia certa te8 por objeto expropriar bens do devedor$ a fi8 de satisfazer o direito do credor2 R execução e8 din7eiro2 R fonte subsidiKria das de8ais2 &rincípio da taxatividade " s5 I título por que a lei assi8 o concebeu2 A inti8ação do executado far"se"K na pessoa de seu advogado6 não o tendo$ serK inti8ado pessoal8ente2 a1 #ase inicial: co8eça co8 petição inicial2 O executado I c7a8ado para pagar e8 trOs dias$ 7oje a no8eação dos bens I concedida ao credor e8 pri8eiro lugar2 A citação I feita se8pre por o icial de justiça2 Art+ ..a/s' e$ceto) a0 nas aç1es de estado2 b0 quando "or r3 pessoa incapa#2 c0 quando "or r3 pessoa de direito p4blico2 d) nos processos de execução.."eita pelo correio' para qualquer comarca do .

e0 quando o r3u residir em local n!o atendido pela entre a domiciliar de correspond5ncia2 "0 quando o autor a requerer de outra "orma+ O juiz ao receber a petição inicial$ a pri8eira coisa que faz I fixar os 7onorKrios advocatícios do advogado do credor2 )itado2 o executado 3ode: a' pagar e encerra a execução6 -e pagar espontanea8ente e8 trOs dias$ os 7onorKrios advocatícios serão pago pela 8etade2 b' não paga$ I expedida de 8andado de pen7ora e avaliação2 Hoje o oficial ta8bI8 avalia2 " se o oficial encontra executado$ 8as não os bens: juiz suspende a execução2 " oficial encontra bens$ 8as não o executado: não I possível fazer a pen7ora$ pois s5 I possível se 7 ouver a cientificação$ e não anuOncia necessaria8ente$ do executado2 A apreensão dos bens pode ser feita$ no entanto$ 8as não serK pen7ora$ serK arresto de natureza satis ati4a$ nada a ver co8 o arresto do processo cautelar de natureza acautelat5ria2 &ara tornar pen7ora$ oficial vai por Gx nos pr5xi8os dias procurar o executado para cientificK"lo2 #ão encontrando$ deixarK bo8ba co8 executado$ executado pedirK expedição do edital e concederK o executado e i8porK prazo para o executado aparecer2 -e ele não aparecer$ o arresto converte"s e e8 pen7ora2 b1 56 ase7 !en8ora " I a constrição física do be82 HK u8a orde8 de bens suscetíveis de pen7ora na lei2 din7eiro$ veículos de transporte$ bens 85veis$ bens i85veis$ navios e aeronaves2 9ens im3en8orá4eis a' Art+ 678+ S!o absolutamente impenhor-%eis) 9 : os bens inalien-%eis e os declarados' por ato %olunt-rio' n!o sujeitos . e$ecuç!o2 99 : os m(%eis' pertences e utilidades dom3sticas que uarnecem a resid5ncia do e$ecutado' sal%o os de ele%ado %alor ou que ultrapassem as necessidades comuns correspondentes a um m3dio padr!o de %ida2 Os bens que guarnece8 a casa ta8bI8 são i8pen7orKveis$ ta8bI8 são bens de fa8ília$ a exceção de veículos de transportes$ objetos de arte e os adornos suntuosos (ultrapassa necessidade 8Idia de u8a pessoa'2 Cuando veículo for usado &A*A o trabal7o ta8bI8 serK i8pen7orKvel2 -e 7ouver bens e8 duplicidade$ u8 deles poderK ser pen7orado2 999 : os %estu-rios' bem como os pertences de uso pessoal do e$ecutado' sal%o se de ele%ado %alor2 9< : os %encimentos' subs/dios' soldos' sal-rios' remuneraç1es' pro%entos de aposentadoria' pens1es' pec4lios e montepios2 as quantias recebidas por liberalidade de terceiro e destinadas ao sustento do de%edor e sua "am/lia' os anhos de trabalhador aut&nomo e os honor-rios de pro"issional liberal' obser%ado o disposto no = >o deste arti o2 < : os li%ros' as m-quinas' as "erramentas' os utens/lios' os instrumentos ou outros bens m(%eis necess-rios ou 4teis ao e$erc/cio de qualquer pro"iss!o2 <9 : o se uro de %ida2 <99 : os materiais necess-rios para obras em andamento' sal%o se essas "orem penhoradas2 <999 : a pequena propriedade rural' assim de"inida em lei' desde que trabalhada pela "am/lia2 9? : os recursos p4blicos recebidos por instituiç1es pri%adas para aplicaç!o compuls(ria em educaç!o' sa4de ou assist5ncia social2 ? : at3 o limite de 7@ Aquarenta0 sal-rios m/nimos' a quantia depositada em caderneta de poupança+ ?9 : os recursos p4blicos do "undo partid-rio recebidos' nos termos da lei' por partido pol/tico+ b' be8 de fa8ília$ lei .DDE?ED " regra não I absoluta$ exceçNes: .

imediatamente comunicada pelo jui# deprecado ao jui# deprecante' inclusi%e por meios eletr&nicos' contando:se o pra#o para embar os a partir da juntada aos autos de tal comunicaç!o+ A9nclu/do pela Lei nG DD+>C.' de .' de ." renTncia " dívidas da e8pregada do8Istica " dívida de ali8entos " dívida do pr5prio i85vel: condo8ínio$ financia8ento$ 7ipoteca$ +&T(2 " dívida do fiador e8 contrato de locação2 E8bargos não te8 efeito suspensivo2 !en8ora online " constrição de ativos financeiros2 #ão pode ser concedida de ofício$ te8 que 7aver provocação da parte2 #os e8bargos$ 7avendo carta precat5ria$ o prazo co8eça contar da co8unicação da juntada da citação no deprecado2 Art+ B>C+ Os embar os ser!o o"erecidos no pra#o de DE Aquin#e0 dias' contados da data da juntada aos autos do mandado de citaç!o+ = Do Fuando hou%er mais de um e$ecutado' o pra#o para cada um deles embar ar conta:se a partir da juntada do respecti%o mandado citat(rio' sal%o tratando:se de c&nju es+ A9nclu/do pela Lei nG DD+>C.' de .o Nas e$ecuç1es por carta precat(ria' a citaç!o do e$ecutado ser.@@60+ 3uiz pode deter8inar localização dos bens de oficio2 #ão serK aceito lanço que$ e8 segunda praça ou leilão$ ofereça preço vil2 Assinado o auto pelo juiz$ pelo arre8atante e pelo serventuKrio da justiça ou leiloeiro$ a arre8atação considerar"se"K perfeita$ acabada e irretratá4el2 ainda que 4en8am a ser julgados 3rocedentes os embargos do executado 2 A arre8atação poderK$ no entanto$ ser tornada sem e eito: se nula6 se não pago o preço ou não prestada a caução$ se co8provada a existOncia de Snus real ou grava8e não 8encionado no edital nos cinco dias seguintes$ a requeri8ento do arre8atante no caso de e8bargos J arre8atação6 se feita por preço vil2 O executado te8 direito de 7aver o valor recebido co8o produto da arre8atação e8 caso de procedOncia dos e8bargos e se o valor do be8 for inferior #ão se efetuarK a adjudicação ou alienação de be8 do executado se8 que da execução seja cientificado$ por qualquer 8odo idSneo e co8 pelo 8enos 1D (dez' dias de antecedOncia$ o sen7orio direto$ o credor co8 garantia real ou co8 pen7ora anterior8ente averbada$ que não seja de qualquer 8odo parte na execução2 %aso contrKrio$ tais atos serão ineficazes e8 relação a essas pessoas2 *essalvados os casos de alienação de bens i85veis e aqueles de atribuição de corretores da Qolsa de Palores$ todos os de8ais bens serão alienados e8 leilão pTblico2 O leiloeiro pTblico serK indicado pelo exeqAente2 Da "xecução )ontra a #azenda !:blica " A fazenda deve ser citada para e8bargar e8 1D dias2 -e não se opuser$ o paga8ento serK requisitado por inter8Idio do presidente do tribunal2 -e o credor for preterido no seu direito de preferOncia$ o presidente$ depois de ouvido o )&$ ordenarK o seqAestro da quantia necessKria para satisfazer o crIdito2 .@@60+ = .@@60+ = >o Aos embar os do e$ecutado n!o se aplica o disposto no art+ D8D desta Lei+ A9nclu/do pela Lei nG DD+>C.

R LM oposto independente8ente de pen7ora$ dep5sito ou caução2 LM prazo de 1! dias contados da data da juntada aos autos do 8andado de citação de cada u8 dos e8bargantes2 LM quando feito por carta precat5ria$ o prazo co8eçarK a contar da co8unicação do juiz deprecado ao deprecante que o executado foi citado2 LM não tem e eito sus3ensi4o$ 8as o juiz pode o atribuir$ a requeri8ento do e8bargante e garantida a execução$ quando o prossegui8ento possa causar grave dano de difícil ou incerta reparação2 LM concessão de efeito suspensivo$ no entanto$ não i8pedirK a efetivação dos atos de pen7ora e de avaliação dos bens2 51 "M9$R. #o prazo para e8bargos$ recon7ecendo o crIdito do exeqAente e co8provando o dep5sito de GDU (trinta por cento' do valor e8 execução$ inclusive custas e 7onorKrios de advogado$ poderK o executado requerer seja ad8itido a pagar o restante e8 atI 0 (seis' parcelas 8ensais$ acrescidas de correção 8onetKria e juros de 1U (u8 por cento' ao 8Os2 Os e8bargos J execução por carta serão oferecidos no juízo deprecante ou no deprecado2 A co8petOncia para julgar serK o deprecado$ salvo se versare8 unica8ente sobre vícios ou defeitos da pen7ora$ avaliação ou alienação dos bens2 ." #os e8bargos J execução contra a 9azenda &Tblica poderK ser alegado$ dentre outras 7ip5teses: a inexigibilidade do título se esse for fundado e8 lei ou ato nor8ativo declarados inconstitucionais ou inco8patíveis co8 a constituição pelo -T9 ou se fundado6 excesso de execução2 LM junto pode8 ser oferecidos exceção de inco8petOncia do juízo$ de suspeição ou de i8pedi8ento do juiz2 H..-.% "M9$R. D"'"D.. do t/tulo2 quando recai sobre coisa di%ersa daquela declarada no t/tulo2 quando se processa de modo di"erente do que "oi determinado na sentença2 quando o credor' sem cumprir a prestaç!o que 9he corresponde' e$i e o adimplemento da do de%edor2 se o credor n!o pro%ar que a condiç!o se reali#ou2 "mbargos 11 D.% < "*")+.% D.e$cesso de e$ecuç!o) quando o credor pleiteia quantia superior .