You are on page 1of 5

Frota nacional e o Mercado de transporte no Brasil

No Brasil, segundo dados da IEA (Internacional Energy Agency), observa-se pelo Gráfico 1, que o setor de transporte é o segundo maior responsável pelo consumo energético no ano de 2011. Com aproximadamente 34% do consumo de energia brasileiro, fica atrás somente do setor industrial, com aproximadamente 38%, sendo que nesse setor de transportes 79,8% dessa demanda energética provem de derivados do petróleo. 1
0.19% 4.58% 4.99% 7.52%

10.67%

38.00%

34.04%

industria transporte residencial serviços comerciais/publicos Agricultura/Silvicultura não especificados

Com base no ano de 2012, o Ministério de Minas e Energia (MME) aponta que o transporte rodoviário tem demanda energética aproximada de 91,69% em relação à outros modais como ferroviário, aéreo e hidroviário. 2 A elevada participação do modal rodoviário no setor de transporte nacional reflete a estratégia de industrialização do país a partir dos anos 50, quando o governo brasileiro passou a privilegiar investimentos neste modal. Ainda que as distorções advindas desse processo já tenham sido precisamente diagnosticadas nos anos 80 (os choques do petróleo motivaram várias análises sobre tais distorções), as sucessivas crises econômicas, as demandas de curto prazo e a inércia das estruturas decisórias têm contribuído para a manutenção, quando não agravamento, dessa situação.3 Devido à importância do segmento rodoviário na matriz de transporte nacional, este estudo não abordará os outros modais, isto é, ferroviário, aéreo, hidroviário, etc. Ou seja, focará somente na frota automotiva do país.

que são feitas de duas formas: baseada em cadastros de veículos ou estimadas a partir de uma função de probabilidade de sobrevivência do veículo. Já o DENATRAN (Departamento Nacional de Trânsito) baseia suas estimativas no cadastro de veículos nas agencias dos DETRANs.902 CO 3. Destaca-se que 30% dessa frota se concentram no estado de São Paulo que junto com os demais estados do Sudeste somam aproximadamente metade da frota nacional. .527 19. de acordo com Mattos e Correia. ᶜ Incluindo Caminhoneta.934 27. O Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças) disponibiliza dados da frota nacional estimados por metodologias estatísticas a partir da probabilidade de sucateamento dos veículos por idade e com base no histórico das vendas no país.738 SE 23.519 3. optou-se por utilizar como referência os dados fornecidos pelo DENATRAN por conter melhor classificação de dados.Neste aspecto. observa-se uma dificuldade de coleta de informações sobre a frota automotiva em todo país em decorrência de altas diferenças de dados fornecidos por algumas instituições.232 11 14. 5 Regiões Automóveis Utilitários Ônibusᵃ Caminhõesᵇ Motosᵈ Tratores Total N 1.231 18 44 141 NE 4. além de ser o mais atualizado.072 5.2 74.682 408 833 2.668 0. A Tabela 1 apresenta a frota de veículos classificados por tipo e região.092 1 11. estes dados trazem em si problemas metodológicos.661 Brasil 42. 4 Neste trabalho.777 7.852 201 439 1. ᵈ Incluindo Motonetas.896 14 37.929 70 158 416 1.2 Caminhoneteᶜ 386 1. No ano de 2012. tipo de veiculo e ano de simulação. havia no Brasil cerca de 76 milhões de veículos.494 S 9. ᵇ Incluindo Caminhão-trator.202 79 132 727 1. causando.873 7. Esta discrepância está relacionada às diferentes metodologias utilizadas para o cálculo da frota nacional.2 ᵃ Incluindo Microônibus.468 39 60 274 773 2.2 3.046 1 6. tendo em vista que grande parte dos proprietários não requer a baixa de seus veículos sucateados e há dupla contagem quando há transferência de propriedade entre estados. classificação por estado. Porem.488. isto é.315 3. uma superestimação das estatísticas consolidadas.284.

a Tabela 2 faz um levantamento dos dados da ANP (Agência Nacional de Petróleo) relativos ao consumo de combustíveis no mercado brasileiro em 2012.150 No que se refere ao consumo de Gás Natural Veicular (GNV) a SIDICOM (Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes) alega que foram revendidos 822 mil m³ de GNV no ano de 2012.762 39.7 .790 116.698 17. Consumo (em mil m³) 55.900 2.6 Combustível Óleo diesel Biodiesel Gasolina Comum Etanolᵃ Total refere-se ao etanol total (anidro e hidratado).Para atender a demanda dessa frota de veículos.

Frota de Veículos por tipo e região. 2012 (em 10³ veículos) Tabela 2. 2.org/statistics/statisticssearch/report/?&country=BRAZIL&year=2011&prod uct=Balances. 3. G. E. J.. Consumo de combustíveis no mercado brasileiro em 2012 . Vendas de combustíveis pelas associadas do Sindicom. Brasil. Brasil. A. Empresa de Pesquisa Energética. Balanço Energético Nacional 2006. 2012. acessada em Dezembro 2013. B. Schaeffer. http://www. 6. Legendas de Figuras Gráfico 1.iea. 4..br/Paginas/Agencia_Noticia. Frota de Veículos..org. SINDICOM. Brasil. 2004.http://www. Correia. Relatório Técnico. 7. Departamento Nacional de Trânsito. Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes. Uma Nova Estimativa da Frota de Veículos Automotivos no Brasil. 2012. Ministério de Minas e Energia. Szklo.aspx?n=8793. 5. DENATRAN. 1996. Brasil. VII Congresso Brasileiro de Energia – CBE. Universidade Federal do Rio de Janeiro.REFERÊNCIAS 1. L. Matriz Energética Brasileira 2003-2023. Mattos. Brasil. A. Consumo Final Energético dos Setores Produtivos do Brasil Tabelas Tabela 1. Machado.. 2012.cnt. acessada em Janeiro 2014. R..

br/mme/galerias/arquivos/publicacoes/BEN/2_-_BEN_-_Ano_Base/5__Capxtulo_3.org.ANEXO. sites pesquisados (NÃO COLOCAR NO ARTIGO APENAS INFORMACIONAL) http://www.aspx?n=8793 http://www.gov.pdf http://www.mme.br/Paginas/Agencia_Noticia.pdf.ppe.br/images/file/estatisticas/Vendas_Combst_SINDICOM-porCIAANO2012_201303(1).ufrj.sindicom.cnt.pdf http://www.com. . acessada em Dezembro 2013.br/ppe/production/tesis/bsborba.