You are on page 1of 12

XXIV Congresso Brasileiro de Biblioteconomia, Documentação e Ciência da Informação Sistemas de Informação, Multiculturalidade e Inclusão Social Maceió, Alagoas, 07 a 10 de Agosto

de 2011 Temática 1: Informação, Conteúdos e Conhecimento na Sociedade da Informação

Ontologias e Taxonomias convergências e divergências
Luciane Paula Vital
luciane.vital@ufpe.br Universidade Federal de Pernambuco
RESUMO

PALAVRAS-CHAVE:

Ontologia. Representação do Conhecimento. Informação. Taxonomia.

Representação da

1 Introdução Os processos de representação da informação e do conhecimento são considerados fundamentais como meio de fornecer acesso aos recursos de informação, em todos os suportes. Proporcionam a criação de uma estrutura conceitual e a descrição de objetos informacionais para a recuperação. O desenvolvimento de modelos e metodologias de representação da informação e do conhecimento implica em maior qualidade na recuperação da informação. Partindo da análise realizada por Café e Brascher (2008) no sentido de esclarecer e evidenciar as diferenças nas conceituações referentes à representação da informação e do conhecimento, abordaremos as definições desses processos. Para as autoras,

Trabalhos técnico-científicos

O presente artigo trata de dois processos de representação do conhecimento, taxonomia e ontologia. Tem como objetivo realizar uma distinção entre os dois processos, já que, muitas vezes, são utilizados de forma equivocada, demonstrando a falta de clareza conceitual. Caracteriza-se como uma pesquisa exploratória e utiliza o método sintético-analítico, baseado na teoria do conceito. Na análise dos conceitos foi possível verificar que as taxonomias classificam e ordenam, enquanto as ontologias descrevem e representam. As taxonomias trabalham no sentido de organizar a informação, já as ontologias buscam estabelecer relações semânticas entre conceitos, em forma de redes conceituais. Os dois processos de representação do conhecimento são complementares e aperfeiçoam o processo de representação e recuperação da informação.

. 1996).] visa a construção de modelos de mundo que se constituem em abstrações da realidade” e apresenta como produto desse processo a representação do conhecimento que “[.” Sendo assim. Multiculturalidade e Inclusão Social Maceió. Já a organização do conhecimento. visando a representação da informação. um processo que envolve a descrição física e de conteúdo dos objetos informacionais. isto é.]é fruto de um processo de análise de domínio e procura refletir uma visão consensual sobre a realidade que se pretende representar.XXIV Congresso Brasileiro de Biblioteconomia. modelos de representação do conhecimento seriam aplicados na representação inequívoca de alguma interpretação de uma sentença (lógica). no Departamento de Ciência da Informação da Universidade Federal de Pernambuco. principalmente no processo de análise de assunto. E complementam dizendo que. Alagoas. sendo por vezes confundidos e abordados de forma equivocada na literatura. 07 a 10 de Agosto de 2011 A organização da informação é. estando portanto. representar objetos informacionais individuais.. no intuito de evidenciar suas diferenças e semelhanças. Nesse sentido.. sendo aqui apresentados resultados preliminares. Documentação e Ciência da Informação Sistemas de Informação. aplicada a domínios específicos. portanto. Este trabalho faz parte dos estudos desenvolvidos pela linha de pesquisa Organização do Conhecimento e as Tecnologias de Informação. Para isso. e está em desenvolvimento. Segundo Woods (1975 apud WELTY. apóia-se na metodologia desenvolvida por Moreira (2003). no contexto da organização e representação da informação o objeto é o registro da informação. que se relacionam em uma linha muito tênue.. no mundo fisico. a representação do conhecimento consiste. baseada na Teoria do conceito desenvolvido por Dahlberg (1978) para analisar as definições extraídas da literatura. com um método para ‘tradução’ da linguagem natural para a de representação. Os modelos de representação do conhecimento fornecem subsídios ao processo de organização da informação. . O produto desse processo descritivo é a representação da informação. permitindo consistência. segundo Café e Brascher (2008) se aplica a unidades do pensamento (conceitos) e “[. entendida como um conjunto de elementos descritivos que representam os atributos de um objeto informacional específico. as ontologias e taxonomias são modelos de representação do conhecimento com escopo conceitual próprio. na determinação dos conceitos que o compõem e os relacionamentos semânticos existentes entre eles. ontologia e taxonomia. O trabalho objetiva analisar os conceitos dos dois modelos de representação do conhecimento.

Sob o aspecto intensional. Guarino e Giaretta (1995 apud ALMEIDA e BAX. Na área da Ciência da Computação apresenta a seguinte definição: “Uma ontologia é uma especificação formal e explícita de uma conceitualização compartilhada” (BORST. a ontologia se propõe a classificar as coisas em categorias. formando assim redes relacionais. 2003) explicam que. aceito por um grupo. na perspectiva do sujeito e da linguagem do domínio.. 2005).] um ponto inicial nesse esforço de tornar claro o termo será uma análise da interpretação adotada por Gruber. 1997). [. enquanto a noção que temos em mente é uma relação intensional. O principal problema com tal interpretação é que ela é baseada na noção conceitualização. Guarino (1998 apud ALMEIDA e BAX. usadas involuntariamente pelo ser humano. Segundo Neches (1991 apud FEITOSA. Partindo da definição de Gruber (1996. o sentido é diferente. “formal” significa que a ontologia deve ser legível por computadores. Documentação e Ciência da Informação Sistemas de Informação. a qual não corresponde à nossa intuição. “compartilhado” quer dizer conhecimento consensual. [.. A partir de uma determinada área de domínio.] Uma conceitualização é um grupo de relações extensionais descrevendo um ‘estado das coisas’ particular. com forma generalista no século XVII. e “conceitualização” diz respeito a um modelo abstrato de algum fenômeno do mundo real e a identificacao de seus conceitos. . p. e estavam ligadas à metafísica.” Ou seja. “Uma ontologia define os termos básicos e as relações.. 2003) afirma que “[. que devem estar explicitamente definidos. Ciência que estuda o ser. 07 a 10 de Agosto de 2011 2 Ontologia e Taxonomia: Breve Contextualização A palavra ontologia deriva do grego onto (ser) + logia (estudo).. Alagoas. “especificação explícita” diz respeito ao tipo de conceitos utilizados e suas restricoes. compreendendo o vocabulário de uma área de tópico.XXIV Congresso Brasileiro de Biblioteconomia.. bem como as regras para a combinação de termos e as relações para definir as extensões do vocabulário”.. Nessa definição Almeida e Bax (2003) afirmam que.. Multiculturalidade e Inclusão Social Maceió. designando ‘aquilo que existe’. Na organização e representação do conhecimento. como tal.1) onde “Uma ontologia é uma especificação explícita de uma conceitualização”. mais um conjunto de fatos explícitos e aceitos que dizem respeito ao sentido pretendido para as palavras do vocabulário.] ontologia se refere a um artefato constituído por um vocabulário usado para descrever uma certa realidade. As primeiras definições de ontologia surgiram na Filosofia. nomeando algo como uma rede conceitual a qual se superpõe a vários possíveis ‘estados das coisas’. conceito da Ciência da Informação. uma ontologia é construída com base nas relações intensionais.

de acordo com o W3C. é a criação da estrutura (ordem) e dos rótulos (nomes) que ajudam a localizar a informação relevante. pois buscam atribuir significado aos termos através de suas relações. Noy e Guinness (2001) citam como componentes básicos de uma ontologia: dados).] permitem formas de representação baseadas em lógica. Multiculturalidade e Inclusão Social Maceió. o que possibilita o uso de mecanismos de inferência para criar novo conhecimento a partir do existente”. Gruber (1996). tornando-se alvo de estudos da Ciência da Informação e áreas correlatas. os próprios . Documentação e Ciência da Informação Sistemas de Informação. equiparadas com estruturas taxonômicas de classes. nos ambientes digitais seu aparecimento e uso.106) “A taxonomia. relações (representam o tipo de interação entre os conceitos de um domínio). subclasse e relações entre elas. nesse contexto as ontologias são definidas. conforme afirmação de Gruber (1992). como sistemas que criam uma taxonomia de classe. (2004. p. E assim. corrobora a afirmação de Almeida e Bax (2003. A palavra taxonomia vem do grego taxis=ordem e onoma=nombre e derivou-se de um dos ramos da Biologia que trata da classificação lógica e científica dos seres vivos. Essa forma de organização. apesar das taxonomias serem derivadas da Biologia. Alagoas. surge um problema. ou seja. Pelo fato das taxonomias serem citadas no processo de desenvolvimento de uma ontologia. p. de que as ontologias são. Em classes (organizadas em uma taxonomia). em um sentido amplo. Porém.XXIV Congresso Brasileiro de Biblioteconomia. onde se discute formas de otimizar o processo de recuperação da informação construindo categorias em linguagens que tenham sentido para o computador. segundo autores como Edols (2001). Para Martinez.. fruto do trabalho do médico e botânico sueco Carolus Linnaeus (ou Karl von Linné). 2005). axiomas (usados para modelar sentenças sempre verdadeiras) instâncias (utilizadas para representar elementos específicos. et al. frequentemente. FUJITA. dotando-a de significado (RAMALHO.. 07 a 10 de Agosto de 2011 As ontologias são inerentes aos estudos de web semântica.17) de que as ontologias “[. em uma relação intensional. assim como a mente humana. VIDOTTI. Adams (2000) e Plosker (2005) está relacionado com as formas automatizadas de organização da informação. constitui-se em alvo de estudos da Web semântica. As ontologias organizam o conhecimento na forma de uma teia de relações. objetivando o processamento automatizado da informação.

2005. da relação hierárquica ou relação de gênero-espécie entre os termos. a divisão em classes e subclasses. alguns critérios devem ser observados: Comunicabilidade: termos utilizados devem transparecer os conceitos carregados de acordo com a linguagem utilizada pelos usuários do sistema. utilizada na construção de ontologias. onde um elemento é associado a tantas classes. que uma em relação a outra apresenta uma característica adicional. A formação de taxonomias se beneficia da marcação dos documentos.104) como sendo aquela que aparece “[. Documentação e Ciência da Informação Sistemas de Informação. Multiculturalidade e Inclusão Social Maceió. Frutas.. Compatibilidade: contem somente estruturas de campo que se está ordenando e que façam parte das atividades ou funções da organização. de modo que surge entre eles uma hierarquia”. Esse tipo de relação é definida por Dahlberg (1978. Alagoas. Porém.3) Podemos perceber que os critérios de construção enfatizam o uso e a significação da taxonomia para domínios específicos. principalmente. nem sempre é desejável. como também para a disseminação dos documentos com base em . Campos e Gomes (2008) apontam a existência de diversidade nas relações taxonômicas “Ao contrário do princípio dicotômico adotado na concepção de taxonomia original. 2010). A marcação é um passo importante. Na construção de taxonomias. onde a relação hierárquica. que permite organizar sistematicamente a informação primária”. sendo. Ex. e subclasses quantas necessárias.. pode-se.]entre dois conceitos que têm idênticas características. pêra. (VITAL. 07 a 10 de Agosto de 2011 um sentido mais específico. construir taxonomias policotômicas. ou seja. Estimulação: uso de termos que induzem o usuário a continuar a navegação pelo sistema.. é o ordenamento e rotulação de metadados. porém. A taxonomia organiza a informação da mais genérica a mais específica. (TERRA et al. dentro de um domínio especializado ou tarefa.” Essa característica também foi evidenciada em um trabalho desenvolvido por nós. atualmente. não só para garantir que mecanismos de busca encontrarão os documentos mais facilmente e os organizarão em classes. assim como as ontologias. utilizando-se. no desenvolvimento de taxonomias em organizações. sem especificar cada uma como maça.XXIV Congresso Brasileiro de Biblioteconomia. Utilidade: apresentar somente os termos necessários. Cloreto de sódio (utilizado para especialistas) e sal (utilizado para leigos). É interessante notar que a estrutura mais citada na literatura para a taxonomia é a hierárquica. p. Ex. p. sendo uma forma de caracterizá-la.

precisa acompanhar a natureza dinâmica e as variações lingüísticas que ocorrem no fluxo de informações do ambiente em que foi desenvolvida. A análise será realizada em artigos científicos que apresentem o conceito de taxonomia e ontologia. precisa estar bem estruturado são as linguagens de marcação. base das linguagens de marcação como HTML e XML. autoria. área do conhecimento. E.. . Os metadados provêm os contextos de significados necessários à informação e tornam os documentos mais facilmente localizáveis por mecanismos de busca. e. como por exemplo. Segundo Terra et al. E é através dos metadados.org>. 80% dos artigos recuperados sobre taxonomia não apresentaram definições 1 World Wide Web Consortium. o local onde o documento está armazenado não interfere na sua localização. 3 Análise das Definições pelo Processo Analítico-Sintético A pesquisa se caracteriza. A taxonomia. é documental. A W3C1 define metadado como sendo “informações localizadas na Web. é central para a evolução da Internet. Disponivel em:< http://www. segundo os procedimentos metodológicos.] a localização dos documentos pelos mecanismos de busca independentemente de alguma informação prévia da localização física”. os ‘caminhos’ que conduzem até a informação. da descrição da informação que as taxonomias são estruturadas. de fato. também sendo escolhidos os 10 mais citados. como qualquer outra forma de representação do conhecimento. quanto aos objetivos. assunto. Multiculturalidade e Inclusão Social Maceió. 2002).. facilitam “[.4). quando tratamos de ambientes Web. ou dados que descrevem dados. O conceito de metadados. Os documentos sobre ontologia foram recuperados. a definição de localização física não cabe. 07 a 10 de Agosto de 2011 regras de personalização. que apresenta os artigos em ordem de citação. como exploratória. conseqüentemente.XXIV Congresso Brasileiro de Biblioteconomia. com a palavra-chave ontologies. Até mesmo porque. inteligíveis por um computador”. com a palavra-chave taxonomies e na área do conhecimento ‘Ciência da Informação’. (2005. Alagoas. pois busca proporcionar maior familiaridade com o problema. na Base de dados CiteSeer. Documentação e Ciência da Informação Sistemas de Informação.w3. Porém. tentando torná-lo mais explícito ou objetivando constituir hipóteses (GIL. Já os documentos sobre taxonomia foram recuperados na base de dados ISI – Web of Knowledge. p. estar em constante avaliação. sendo escolhidos para análise os dez mais citados. O que. criando as classificações e a ordenação. entre outros. auxiliando-os a resolver diversas ambigüidades das línguas naturais que trazem ruídos ao processo de busca.

Multiculturalidade e Inclusão Social Maceió. Os termos foram classificados de acordo com as categorias instituídas por Moreira (2003) e assinalado em qual dos processos é citado. Como dito anteriormente.Objeto: agrupa os termos relacionados a objetos concretos mencionados nas definições. p. parte da análise (características do conceito categorizadas) para a síntese (representação por um termo). por julgarmos que as mesmas são condizentes aos objetivos dessa pesquisa. .Atributo: reúne os termos associados a propriedades dos objetos que estão sendo definidos. Sendo assim. totalizando 15 conceitos. . formulado pelo autor do trabalho. . Sendo assim. sendo assim. buscando evidenciar as semelhanças e diferenças entre eles. Dahlberg (1978) define o conceito como sendo “a compilação de enunciados verdadeiros sobre determinado objeto. que foram aplicadas na comparação entre ontologia e tesauro.Processos: agrupa os termos relacionados com os processos mencionados nas definições. fixada por um símbolo linguístico”.72) e abrangem a análise conceitual proposta: .Conteúdo semântico: agrupa os termos associados a elementos de significado. 07 a 10 de Agosto de 2011 provenientes de seus autores. a partir delas. A tabela abaixo apresenta o . Alagoas. o corpus final foi de 6 conceitos acerca da taxonomia e 8 de ontologia. Documentação e Ciência da Informação Sistemas de Informação.Espaço de conhecimento: reune os termos relacionados com a delimitação do espaço de conhecimento. ou seja. elaborar categorias gerais. que passaram por uma pré-análise em uma abordagem onomasiológica. foram selecionados os artigos que apresentavam os elementos significativos constitutivos do conceito. as categorias utilizadas nesse trabalho foram desenvolvidas por Moreira (2003.Linguagem: reúne os termos relacionados com o tipo de linguagem. . destacando os termos significativos.Sistematização: agrupa os termos relacionados com a organização e estruturação.XXIV Congresso Brasileiro de Biblioteconomia. e também foram recuperados os 10 documentos mais citados. para a análise do conceito é necessário extrair os enunciados verdadeiros sobre ele. Os conceitos foram analisados e extraídas de cada um suas características. . Para a análise dos conceitos. .Agentes: agrupa termos relacionados a agentes. O material de análise foi composto por 22 trabalhos. a busca também foi realizada na base CiteSeer. . foram usadas as categorias desenvolvidas por Moreira (2003). a autora baseou-se na Teoria do conceito de Ingetraut Dahlberg. suas características e.

Alagoas. Documentação e Ciência da Informação Sistemas de Informação. 07 a 10 de Agosto de 2011 resultado da análise realizada nos conceitos de ontologia e taxonomia dentro de cada categoria.XXIV Congresso Brasileiro de Biblioteconomia. Tabela 1: Categorias e termos correspondentes CATEGORIAS OBJETO Documento Informação Base de conhecimento Palavra Entidade Metadado ESPAÇO DE CONHECIMENTO Assunto Domínio Discurso CONTEÚDO SEMÂNTICO Conceito Conceituação Conhecimento Semântica LINGUAGEM Termo Vocabulário controlado Vocabulário Vocabulário estruturado PROCESSOS Classificação Ordenação Especificação Representação Descrição ATRIBUTO Hierárquicas/Hierarquia Inferência Associativas Formal Explícita Restringe Compartilhado Especifica SISTEMATIZAÇÃO Estrutura Relações Esquemas Sistema AGENTES Usuários Agentes humanos Agentes inteligentes ONTOLOGIAS TAXONOMIA X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X . Multiculturalidade e Inclusão Social Maceió.

Os termos Formal. evidenciando que é possível um intercâmbio entre as duas áreas. assim como o termo . as duas áreas apresentam a Hierarquia como uma das formas de organização dos termos. . Também sinaliza a preocupação na construção e compartilhamento de uma linguagem em um domínio específico. não excluindo outros relacionamentos semânticos. Fato que já ocorre no processo de construção das ontologias. .Objeto: Não há convergência entre os objetos mencionados nas definições das duas áreas. Esse fato sinaliza para uma distinção e até certo ponto. já que utilizam linguagens semelhantes. propondo-se a serem mapas dos domínios que pretendem representar. . vocabulário estruturado. o uso do termo ‘Relações’ nos dois contextos. . Alagoas.XXIV Congresso Brasileiro de Biblioteconomia. Na categoria Atributo. das 8 (oito) categorias. que apresenta classes e subclasses baseadas nas relações taxonômicas. Na categoria ‘Conteúdo Semântico’ o termo conceito é compartilhado. é um termo próximo de vocabulário controlado e de vocabulário. justificado pelo fato de que as ontologias e taxonomias trabalham com termos (representações conceitos – signo) e suas relações.Agentes: Não há convergência entre os agentes das duas áreas. evidenciado também. sendo que em 2 (duas) categorias (Atributo e Conteúdo Semântico) apenas 1 (um) termo aparece concomitantemente nas duas áreas. . um distanciamento no conceito de ontologia e taxonomia. evidenciam o uso das ontologias em contextos automatizados.Espaço do conhecimento: Nenhum dos termos aparece concomitantemente nas duas áreas. Sistema e Agentes Inteligentes.Linguagem: Na categoria linguagem há compatibilidade entre três dos quatro termos.Atributo: Somente o termo Hierárquica/Hierarquia ocorre nas duas áreas. 07 a 10 de Agosto de 2011 A partir da análise das categorias apresentadas na Tabela 1 é possível realizar algumas inferências: . foi possível verificar que as ontologias e as taxonomias possuem. Documentação e Ciência da Informação Sistemas de Informação. Explícita.Processos: Não há convergência entre os processos utilizados nas duas áreas. levando em consideração que o termo que aparece somente nas ontologias.Conteúdo Semântico: O termo conceito é utilizado nos dois contextos. vocabulário e vocabulário controlado. . A partir da classificação dos termos nas categorias previamente definidas. . 4 (quatro) que convergem. o que pode ser uma das causas da falta de clareza na distinção entre estes termos. Multiculturalidade e Inclusão Social Maceió.Sistematização: Os termos Estrutura e Relações ocorrem nas duas áreas. A categoria ‘Linguagem’ foi a que apresentou o maior número de ocorrências concomitantes: termos. na categoria ‘Sistematização’.

Nesse sentido. 2000.C. BAX. Alagoas./dez. set. Brasília. ALMEIDA. 3 Considerações Finais A busca pelo desenvolvimento e aprimoramento de ferramentas e metodologias que proporcionem uma recuperação eficaz ganha lugar de destaque no gerenciamento de informações. objetivando o desenvolvimento de um ‘consenso lingüístico’ em áreas específicas. apesar de apresentarem convergências.org/aug00/article_structure. Na análise dos processos percebemos claramente que as taxonomias classificam e ordenam. Inf. v.. e para isso. As taxonomias são eficientes no processo de desenvolvimento das ontologias. são processos de representação do conhecimento com objetivos diferentes. aplicações. Uma visão geral sobre ontologias: pesquisa sobre definições. Acesso em: 10 maio.3. A pesquisa pretende aprofundar alguns pontos da análise dos conceitos. corroborando no sentido de instituir um mapa semântico de uma determinada área. com relacionamentos hierárquicos e até mesmo associativos.XXIV Congresso Brasileiro de Biblioteconomia. K. objeto de estudo da Web Semântica. utiliza-se de grande flexibilidade em seu desenvolvimento. instituindo classes e subclasses. Já as ontologias preocupam-se com a adequação da linguagem e seu significado em áreas do conhecimento específicas. não centra seu objetivo na busca de um consenso lingüístico em áreas do conhecimento. Documentação e Ciência da Informação Sistemas de Informação. as ontologias vão além. Multiculturalidade e Inclusão Social Maceió. Ci. Porém. enquanto as ontologias descrevem e representam. métodos de avaliação e de construção.32. tipos. n. ela pretende fazer sentido aos usuários do ambiente no qual foi desenvolvida. 2003. p. 2010.7-20. 07 a 10 de Agosto de 2011 Semântica. buscando representá-las. .html>. Immersed in structure: the meaning an function of taxonomies. Maurício Barcellos.internettg. Enquanto as taxonomias buscam o desenvolvimento de categorias para facilitar a inserção e recuperação da informação. Marcello P. mas já foi possível inferir que ontologias e taxonomias. a clareza conceitual é importante para que os processos sejam desenvolvidos levando em consideração os objetivos a que se propõem. Referências ADAMS. Disponível em: <http://www.

edu/>. D. 2008.pdf>.. NOY. n. São Paulo. Acesso em: 12 jun. Las categorías o facetas fundamentales: una metodología para el diseño de taxonomías corporativas de sitios Web argentinos. n. Disponível em: <http://wwwksl. nov..ist. T. What is na ontology? 1996. Tese (Phd). 2. 2008.html>. Ci. p. Acesso em: 10 maio. CAFÉ. v. Tesauros e ontologias: estudo de definições presentes na literatura das áreas da Ciência da Computação e da informação utilizando-se o metodo analíticosintético. 2003. 1997. CAMPOS.com>. Brasília.XXIV Congresso Brasileiro de Biblioteconomia. Brasília. Disponível em: <http://www. 2. Inf. Marisa.br/ago08/F_I_art. v. et al. ISI Web of Knowledge. Disponível em: <http://web. 1978. 150f. 106-111. 1995. Toward principles for the design of ontologies used for knowledge sharing. Ligia. Teoria do conceito. 200. 33.. Disponível em: <http://www. 2001. São Paulo: ANCIB/USP.edu/kst/what-is-an-ontology. 4-5. 2005. Taxonomia e classificação: o princípio de categorização. Multiculturalidade e Inclusão Social Maceió. L. Maria Luiza de Almeida. Disponivel em: <http://tomgruber. Wilen Nico. Disponível em: http://www. n. R. Alexandra. Acesso em: 26 maio 2010. 7. p. 2010. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Universidade de Brasília. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO. GRUBER. Ana. Acesso em: 20 maio 2010. 2005. MARTINEZ. Brasília. Taxonomies are what? 2001. Ci. Construction of Engineering Ontologies for Knowledge Sharing and Reuse.htm. Acesso em: 25 maio 2010. 2010.psu. Acesso em: 01 jun. GOMES. Hagar Espanha. 2003. v.. ago. GUINNESS.L. 43. n. R.com/go/newsletter/97#feature>.ub. maio/ago. Disponivel em: <http://www. CITESEER: Scientific Literature Digital Library. I . Ontology development 101: a guide to create your first ontology. v.isiknowledge. 07 a 10 de Agosto de 2011 BORST. Documentação e Ciência da Informação Sistemas de Informação.nl/webdocs/inf/1/t0000004. Alagoas. EDOLS. Belo Horizonte.freepint. 2004. 2010. 2010.. Acesso em: 02 maio 2010. Disponivel em: <http://citeseerx.9. p.ksl. Ailton Luiz Gonçalves.101-107.org. MOREIRA. GRUBER.utwente.4.stanford. Inf. 907-928. .dgz.org/writing/onto-design. DAHLBERG. Acesso em: 15 abr. T. Organização da informação ou organização do conhecimento?.. terminologia e web semântica na organização e representação da informação legislativa. 9. Anais. A integração entre sistemas legislativos. DataGramaZero.html>.stanford. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade Federal de Minas Gerais. International Journal of Human-Computer Studies. F.htm>. FEITOSA. N. BRASCHER.edu/people/dlm/papers/ontology101/ontology101-noymcguinness.

.A. Alagoas. Acesso em: 01 maio. p.html>.cs. José Cláudio Cyrineu. Luciane Paula. Multiculturalidade e Inclusão Social Maceió. 2005./fev. G. Acesso em: 25 maio. 2010.B. Disponível em: <http:// www. Florianópolis: PGCIN/UFSC. v..vassar. 2010.edu/faculty/welty/papers/phd/HTML/dissertation-1. New Jersey..S. Florianópolis. Anais. 1996. S. 2005. Disponível em: <http://www.29.G. (Série Livro-Texto). M. et al. 2005.. Documentação e Ciência da Informação Sistemas de Informação. 6.1. WELTY. TERRA. Recife: Ed. VIDOTTI.XXIV Congresso Brasileiro de Biblioteconomia.. jan.com. Online. Web semântica: aspectos interdisciplinares para a organização e recuperação de informação.S. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO. Taxonomia como ferramenta para a representação do conhecimento em portais corporativos. . 07 a 10 de Agosto de 2011 PLOSKER. 2005. R. Christopher A. Taxonomies: facts and opportunities for information professionals. n. Na integrated representation for software development and discovery. 2010. Taxonomia: elemento fundamental para a gestão do conhecimento.A. FUJITA. RAMALHO. VITAL.br>.terraforum. UFPE. 58-69.L.