You are on page 1of 9

EDUCAÇÃO CORPORATIVA: CAPACITAÇÃO DOS SERVIDORES INTERNOS DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RONDÔNIA1 Wilber Carlos dos Santos Coimbra2

Edson Aparecida Querido de Oliveira3

Resumo O presente trabalho objetivou analisar os métodos adotados pelo TCE –RO para conceber o programa de capacitação de seus servidores internos e sua efetividade. O enfoque da pesquisa justifica-se na busca pelas informações referentes ao planejamento, levantamento de necessidades e aproveitamento dos cursos de atualização profissional através da capacitação. Os resultados obtidos com a pesquisa foram os seguintes: o Tribunal de Contas possui um método de levantamento de necessidades de capacitação consolidado, mas algumas inconsistências foram identificadas na organização do calendário anual de cursos que podem prejudicar o cumprimento das atividades propostas. Palavras-chave: Capacitação. Servidor Público. Tribunal de Contas.

CORPORATE EDUCATION: SERVERS TRAINING OF INTERNAL AUDITORS OF THE COURT OF THE STATE OF RONDÔNIA. Abstract This study aimed to analyze the methods adopted by the TCE-RO to design the training program for their internal servers and its effectiveness. The focus of the research is justified in seeking information regarding to the planning, needs assessments and utilization of professional development courses through the training. The results obtained from the research were as follows: the Court of Accounts has a consolidated method of training needs assessment, but some inconsistencies were identified in the organization's annual calendar of courses that may affect the achievement of the proposed activities. Key words: Training. Public Servants. Court of Accounts.

1 2

4th International Congresso on University Industry Cooperation Mestrando, UNITAU (Universidade de Taubaté) conselheiro.wilbercoimbra@hotmail.com 3 Doutor, UNITAU (Universidade de Taubaté), edson@unitau.com.br
The 4th International Congress on University-Industry Cooperation – Taubate, SP – Brazil – December 5th through 7th, 2012 ISBN 978-85-62326-96-7

Buscando-se otimizar os serviços prestados. Ao adentrar no setor público. Um dos requisitos para ser um servidor do Estado é manter um vínculo com o mesmo. organizar. prestam serviço ao Estado. 2009). Um dos órgãos responsáveis por essa atualização é o TCE-RO e os investimentos para este fim são demandados através da Lei de Orçamento Anual – LOA. mediante convênio. 2012 ISBN 978-85-62326-96-7 . Com intuito de valorizar os conhecimentos dos servidores públicos do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia através de constante atualização.” O treinamento e a capacitação é um direito do servidor. 2 REFERENCIAL TEÓRICO De acordo com a Lei complementar nº 68. Para tanto. aquelas pessoas físicas. planejar. que mantendo vínculo de emprego estatutário ou contratual de caráter permanente ou eventual.112/90). SP – Brazil – December 5th through 7th. “dentro da política de valorização profissional. por essa razão. através de concurso público. São disponibilizados recursos para contratação de instrutores. The 4th International Congress on University-Industry Cooperation – Taubate. a capacitação mostra-se um instrumento indispensável para alcançar o desenvolvimento organizacional. o trabalho se propõe a identificar os procedimentos adotados para conceber o programa anual de capacitação do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia e sua efetividade. cabe ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas do Estado. a constante atualização das práticas e rotinas é indispensável. recorre-se aos programas de treinamento e capacitação para o desenvolvimento tanto profissional quanto institucional. a principal atribuição deste instituto é a organização e administração de cursos de treinamento e de aperfeiçoamento para os servidores do Quadro de Pessoal do Tribunal de Contas e da Administração Pública Estadual e Municipal. em consonância com o Governo Federal direitos e deveres. Para Melo (2006) são denominados servidores públicos. Os programas de capacitação tendem a aperfeiçoar habilidades individuais e que estão relacionadas ao cargo. o servidor que não considera a capacitação necessária tende a dificultar os trâmites no ambiente de trabalho. promover e executar cursos. De acordo com a referida lei. Dessa forma. É considerado servidor público a pessoa legalmente investida em cargo público (Lei nº 8. estágios e treinamento para capacitação dos Recursos Humanos. impressão de material. Os servidores públicos estatutários seguem um regime jurídico de natureza pública e trabalham na administração direta. é necessário utilizar-se de métodos eficientes para levantamento das carências de habilidades de cada setor. organização do espaço dentre outras necessidades.1 INTRODUÇÃO A administração pública direta e indireta está cada vez mais ciente de que o investimento em seus recursos humanos representa investimento também na qualidade dos serviços oferecidos para a população. Capitulo IV Art. Diante desse cenário. Cada estado possui o seu estatuto próprio. foi criado o Instituto de Estudos e Pesquisas Conselheiro José Renato da Frota Uchoa (IEP) através da lei complementar nº194/97. para oferecer cursos personalizados e com maior aproveitamento dos conhecimentos adquiridos. nas autarquias e fundações públicas (SANTOS. 63.

e não como uma vantagem competitiva. além de ocultar uma visão global do que os mesmos propiciavam. mas aproveitar a habilidade de cada um. Isso. adquiridas em diferentes fases da vida. surge a concepção da aprendizagem corporativa.]. SP – Brazil – December 5th through 7th. nem todo servidor consegue desenvolver-se por si só. Não se confunde com treinamento. [. observa-se que o servidor público do Estado possui o direito a capacitação e desenvolvimento para ampliação de conhecimento. segundo consta na citação abaixo de Bergamini (1987). reconhecimento e merecimento também acontece com o servidor público... de acordo com o Núcleo de Estudos sobre o Trabalho e Educação. De acordo com Pacheco et al. conservando-se.. Nesse. os programas de desenvolvimento oferecem uma oportunidade de dilatar habilidades para serem aplicadas no ambiente de trabalho. implica a transformação de recursos humanos em comportamentos objetivos. possuidora de faculdades. dentro da política de valorização profissional planejar. à competência do Tribunal de Contas e o Ministério Público do Estado. Eles eram utilizados apenas para profissionalização interna.38). Com o ocorrência da globalização e competitividade. 2012 ISBN 978-85-62326-96-7 . O desejo de realização profissional através de promoção. que através da capacitação busca aprimorar a visão dos seus clientes internos. sem dúvida. Contudo. de tornar uma pessoa capaz. 63. de acostumar o trabalhador às tarefas que deverá assumir no seu trabalho. Por essa razão. os treinamentos sempre tiveram relevante papel em termos de desenvolvimento parcial. A seguir. de transmitir conhecimentos e informações. não obstante. A partir dessa necessidade. The 4th International Congress on University-Industry Cooperation – Taubate. organizar. 1987 p. permitir uma atualização do potencial intrínseco a cada um dos participantes. ou seja. Nesta concepção. estágios e treinamento para capacitação dos Recursos Humanos. de habituar [. Entende-se por capacitação o ato ou efeito de habilitar.O servidor público pertencente ao quadro estadual de Rondônia é gerido pelo Regime Jurídico Único disposto na Lei complementar nº 68 de 09 de dezembro de 1992. Bergamini (1987) deixa claro que o desenvolvimento não implica em mudança de personalidade ou características individuais. ocorre nos órgãos públicos.. Art. tornaram-se ineficientes por não apresentarem mensuração de resultados. incondicionalmente. o processo de ensino-aprendizagem é tomado na perspectiva de instruir. (2009). capitulo VI. potencial e habilidades para estar em estado de compreender e desenvolver uma determinada atividade. portanto.] devem eles facultar que os potenciais de ação se transformem em ações efetivas. todo o respeito para com as características individuais e típicas da personalidade de cada um (BERGAMINI. é exposta uma definição de capacitação. Os programas para desenvolvimento de pessoal devem. Uma concepção muito utilizada nas empresas privadas. promover e executar cursos. Através do citado regime o servidor conhece seus diretos e deveres para com o Estado. Encontra-se na referida lei.

através do Decreto nº5. Através da crescente busca pela especialização surge a necessidade de investir em programas de capacitação profissional. 2012 ISBN 978-85-62326-96-7 .d). Como finalidades. São consideradas ações de capacitação. Com aprovação e a formação que o cargo compete.707. a melhoria na qualidade dos serviços públicos prestados aos cidadãos. o citado decreto visa. adequação de competências requeridas dos servidores aos objetivos das instituições. servidores novos.(Núcleo de Estudos sobre Trabalho e Educação. 2000:45 apud Pacheco et al. em primeiro lugar a requisitos que o cargo especifica. avaliação de desempenho e capacitação. seguido de inúmeras etapas como testes físicos e apresentação de laudos médicos. O desenvolvimento permanente das pessoas. 3). o cidadão precisa ter. A aprovação em concurso público é o segundo prérequisito. divulgação e gerenciamento das ações de capacitação. a PNDP expõe de maneira clara um de seus objetivos para capacitação. desenvolvimento do servidor. para atender a administração pública federal direta. a PNDP valoriza o servidor com a revisão de políticas de seleção. aquelas que contemplam tanto a aquisição de novas habilidades e conhecimentos. o Governo Federal instituiu a Política Nacional de Desenvolvimento de Pessoal (PNDP). Abaixo. conferindo grande importância também à capacitação gerencial e à qualificação para ocupação dos cargos de Direção e Assessoramento Superior DAS. o governo federal busca sempre aperfeiçoar os serviços prestados à população. tendo como referência o plano plurianual. remuneração. (PLANO NACIONAL DE CAPACITAÇÃO DE SERVIDORES DO INCRA. dentre outros. s. incluindo a aprendizagem por meio de novos métodos que levem a práticas inéditas na administração pública. A necessidade de capacitação surge devido a vários fatores. SP – Brazil – December 5th through 7th. Como investidura no cargo público. 2008-2011 P. de um modo geral implica em desenvolver habilidades para execução de determinadas tarefas. aprimoramento do conhecimento. autárquica e fundacional. (PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL DE SANTA CATARINA. investindo nos seus servidores e em suas competências. é outro objetivo da nova política. Esta mostra-se uma maneira de conseguir alcançar patamares elevados de qualidade no serviço e melhor aproveitamento de competências. dentre eles atualização de sistemas ou de rotinas de trabalho. Com políticas de desenvolvimento. quanto o desenvolvimento de características comportamentais que contribuam na preparação do servidor público para torná-lo agente e facilitador na prestação de serviços à sociedade e no aprimoramento dos processos. o servidor está apto a The 4th International Congress on University-Industry Cooperation – Taubate. Ao buscar a profissionalização do serviço público federal. A Capacitação. 2009) Em 23 de fevereiro de 2006.

Outro exemplo que se utiliza a capacitação surge quando o servidor precisa se adequar as novas leis impostas pela administração direta. capacitação para atualização de conhecimento. O estudo de caso foi adotado neste presente trabalho. (2009) a utilização de estratégias para elaborar programas de capacitação e desenvolvimento. Delineando-se cada uma das etapas é possível obter um resultado satisfatório na execução de programas de capacitação. são importantes pois indicam a que resultado se pretende chegar e o caminho a percorrer até alcançar os objetivos pré-estabelecidos. O Tribunal de Contas do Estado de Rondônia oferece aos seus servidores capacitação interna organizada pelo IEP. descrever. as quais são realizadas quando há necessidade de inserir ou aperfeiçoar novos conhecimentos em outras cidades. SP – Brazil – December 5th through 7th. Além disso. 2010). interpretar. o ambiente. os órgãos públicos programam através de curso. Porém. O estudo de caso é o elemento essencial da pesquisa qualitativa (Mayring 2002 apud Günther. investe em uma intensa programação de cursos de treinamento e aperfeiçoamento de seu capital intelectual. 2006) pois visa analisar. A programação de capacitação para servidores internos chegou a 15 cursos no ano envolvendo 614 servidores.desenvolver as atividades que lhe foram incumbidas no órgão público. Pessoas competentes capacitam novos servidores para desempenhar seus cargos. mais de 4. palestras. 4 RESULTADOS E DISCUSSÃO O Tribunal de Contas do Estado de Rondônia. ao iniciar suas tarefas ele terá no início que se ambientar. tendo em vista que o mesmo deseja identificar as variáveis dentro do ambiente do Tribunal de Contas do Estado. Em 2010. avaliar cada uma dessas etapas proporciona o fedback aos responsáveis pelo programa deixando-os sempre atentos quanto a satisfação e necessidades dos participantes. O foco principal deste tipo de pesquisa é. a ambientação no serviço. que cedem servidores para ministrar palestras dos mais diversos temas relacionados ao The 4th International Congress on University-Industry Cooperation – Taubate. ou seja.000 pessoas entre servidores e membros externos participaram de cursos. mas também externa. o estudo caracteriza-se como qualitativo. 3 METODOS/PROCEDIMENTOS Quanto a sua forma de abordagem. o estudo apresenta-se como descritivo. pois o pesquisador considera que há uma relação dinâmica entre o mundo real e o sujeito que não pode ser quantificável. por descrever o método utilizado pelo tribunal de contas para identificar a necessidade de capacitação nos setores. Com relação aos objetivos de pesquisa. números válidos apenas para a capital Porto Velho. segundo SIENA (2007) a interpretação dos fenômenos e a atribuição de significados. Em 2011. Geralmente. seminários e treinamento oferecidos pelo TCE-RO (REVISTA DE CONTAS. O Tribunal conta com parcerias e convênios com outros órgãos públicos. coordenado pelo Instituto de Estudos e Pesquisas. o calendário de capacitação também foi extenso. 2012 ISBN 978-85-62326-96-7 . Segundo Pacheco et al.

onde são oferecidos conteúdo e material atualizados para um melhor aproveitamento e compreensão dos servidores participantes. ao se deparar com determinadas situações. Os cursos ministrados possuem diferentes cargas horárias. direito administrativo e constitucional. auditoria em obras. inclusive. O Tribunal conta. para verificar estas carências. administração financeira.1 PROGRAMAÇÃO ANUAL DE CAPACITAÇÃO Para conceber a programação anual de cursos oferecidos aos servidores internos do TCE-RO. A carga horária dos cursos compreende 20 a 40 horas-aula e ocorrem também no horário de expediente. como exemplos. Atendendo as necessidades identificadas em cada setor. Os instrutores adotam. teoria geral do processo. The 4th International Congress on University-Industry Cooperation – Taubate. a fim de incentivar os participantes a entender melhor a maneira correta de se agir. qualificação e eventos. orçamento público. foram oferecidos cursos voltados para licitação. o Tribunal. A reunião é realizada com a presença da gerente setorial de treinamento.2 LEVANTAMENTO DE NECESSIDADE E CALENDÁRIO ANUAL DE CAPACITAÇÃO Inicialmente. Não há um estudo detalhado pelo IEP. que é o setor responsável pela capacitação. 4. foi entrevistada a gerente responsável pelo setor de treinamento e qualificação do Tribunal. a dinâmica de estudos torna-se mais proveitosa e menos cansativa. auditoria interna e governamental. Nesse ponto. a gerente informou que são realizadas pesquisas e reuniões com representantes de todos os setores onde os mesmos expõem suas opiniões. As mais presentes nas capacitações oferecidas pelo TCE são a Escola de Administração Fazendária (ESAF) e a Associação Brasileira do Orçamento Público (ABOP). através do levantamento das necessidade de capacitação contrata as mais conceituadas empresas para capacitação de seus servidores. primeiramente. faz-se necessário. casos ocorridos no próprio ambiente de trabalho. O público alvo são os servidores efetivos e comissionados com diversas formações em nível superior e estagiários de nível superiror. 4. e o diretor da escola de contas. com servidores da própria corte que também ministram cursos para o público interno em diversas áreas do conhecimento. já que não consta em suas atribuições descritas na lei complementar nº194/97. identificar as carências de habilidades setoriais. 2012 ISBN 978-85-62326-96-7 . SP – Brazil – December 5th through 7th. Os cursos são listados e posteriormente são estudadas as possibilidades de realização. Após este procedimento é realizado o levantamento das necessidades de capacitação e a criação do calendário anual de cursos. gestão de pessoas. Algumas perguntas foram realizadas a fim de entender melhor os métodos utilizados para levantamento de necessidade e a elaboração do calendário anual de capacitação.campo de atuação do TCE-RO. planejamento estratégico dentre outros. Através da entrevista com a gerente do setor de treinamento. jurisprudência aplicada ao TCU. é possível identificar que as mesmas são realizadas pelos chefes de setores e próprios servidores através de questionários. Além desses convênios e parcerias. Com relação ao método empregado para o levantamento das necessidades de cursos.

Conforme observação.3 DINÂMICA DA CAPACITAÇÃO NO TCE-RO Após as etapas de levantamento de necessidades de capacitação e formatação do calendário anual de cursos faz-se necessária a execução dos cursos. Como ponto fraco. 2012 ISBN 978-85-62326-96-7 . os servidores respondem a avaliação de reação. Porém. ou superior completo nas mais diversas especializações como direito. Os participantes possuem os seguintes nível de escolaridade: nível médio. comissionados e estagiários. são encontrados pontos fortes. há cursos com carga horária superior a 20 horas em que se faz necessária a utilização do período matutino. O calendário dos cursos é iniciado no mês de fevereiro. administração. a gerente destaca que são inúmeros cursos solicitados. A burocracia do serviço público também mostra-se prejudicial em alguns pontos. 4. Após este procedimento. às 13h e 30 min. a reunião para consultar a necessidade de capacitação por setor proporciona ao IEP uma visão geral sobre as dificuldades que os demais setores enfrentam com relação ao preparo do servidor. encerrando-se no mês de novembro. Os servidores que participam dos cursos oferecidos pelo Instituto são estatutários. SP – Brazil – December 5th through 7th. Os instrutores são requisitados no próprio Tribunal. Ao término da capacitação. O Tribunal oferece a seus servidores duas salas de aulas equipadas com materiais informatizados para facilitar o aprendizado. após o horário do expediente.De acordo com a gerente. Os mesmo selecionam e preparam o material a ser utilizado através de apostilas ou slides para serem fornecidos aos participantes. que resultam no cancelamento ou remanejamento do curso. o calendário não mostra-se concreto a ponto de funcionar rigorosamente durante o ano. é elaborado o calendário anual de cursos para o ano seguinte. Para isso. Segundo a Gerente de treinamento o método empregado para levantamento de necessidades de cursos é eficiente. pois conforme observações no ambiente os processos para convênio e contratações são dispendiosas e vagarosas a ponto de cancelar cursos. Os cursos que foram solicitados na reunião entre os setores serão listados e distribuídos durante todo o ano. onde a mesma destina-se a conhecer o grau de satisfação e o impacto causado pelo curso perante seus participantes. Como ponto forte. mas também pontos fracos neste método. e nem todos podem ser realizados. Os horários em que os cursos são ministrados geralmente são no período vespertino. reuniões com pesquisa de opinião são The 4th International Congress on University-Industry Cooperation – Taubate. mas também dentro e fora do Estado. Há inconsistências devido a fatos imprevisíveis. economia e ciências contábeis. As especializações também compreendem diversas áreas do conhecimento no que concerne ao ramo de atividade do Tribunal. pois não são de interesse do TCE-RO. superior cursando. 5 CONCLUSÃO Anualmente é elaborado o calendário de cursos que serão ministrados no decorrer do ano para servidores e jurisdicionados. Outro fator que prejudica o fluxo do calendário é a falta de profissionais aptos a ministrar curso no estado ou mesmo valores incompatíveis com o que o TCE-RO oferece.

as reclamações são quanto ao acumulo de trabalho e impossibilidade de deixar o setor em horário de serviço apenas para fazer um curso. 1998.394 de 20 de dezembro de 1996. É primordial que o servidor compreenda que a capacitação retorna bons frutos através do desenvolvimento pessoal e profissional. Disponível HTTP://perfildomunicipio. Existem inúmeras reclamações quanto a incompatibilidade de horários. Coletânea Educação e Tecnologia: publicação do programa de Pós-graduação em Tecnologia. as reclamações se concentram no início das atividades que costumam ser às 14 horas. 21 de Dezembro de 1996.caged. 1997. The 4th International Congress on University-Industry Cooperation – Taubate.cesp. CEFET-PR. FIERO. Acesso em: 10 ab. J. Quando a carga-horária é de 20 horas. no período da tarde. 2009. O fedback das habilidades que são desenvolvidas devem ser trabalhadas constantemente. afeta bastante essa dinâmica de realização dos cursos. Acesso em 16 out. Disponível em:<www. isto é. S. Revista Técnico Científica dos Programas de Pós-graduação em Tecnologia dos CEFETs PR/MG/RJ.PPGTEICEFET-PR. ano I. já que o término do expediente dar-se-á 13 horas e 30 minutos. J. Quando os cursos são de 40 horas. De acordo com observações. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Curitiba. W. S.org. TEM/CAGED. 2012 ISBN 978-85-62326-96-7 .org/cunia/>>.amazonlink. em: CENTRO DE PESQUISAS DE POPULAÇÕES TRADICIONAIS CUNIÃ. SP – Brazil – December 5th through 7th. Brasília.br/index.br/publicações. A. 4-29. Lei Federal n° 9. A educação tecnológica – conceitos.2008. A. Educação & Tecnologia. 2010. n° 1. L. L.realizadas para conhecer as carências de cada setor e assim formatar a capacitação de acordo com as necessidades. Desse modo. no período da manhã e da tarde. abr. 2008. características e perspectivas. A burocratização do serviço público. Tecnologia & Educação. a resistência dos servidores em participar destes cursos também é muito grande.asp. Acesso em: 18 fev. REFERÊNCIAS BASTOS. Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Acesso em fev/2010>. Educação e Tecnologia. A. BRASIL. A. Rondônia: economia e desenvolvimento. Disponível em:< WWW. A conscientização de cada um é um fator a ser reforçado.fiero. BASTOS.gov. o método de trabalho que o Instituto de Estudos e Pesquisas adota para levantamento de necessidades de cursos e a contratação de entidades para ministrar os cursos mostra-se muito burocrático e dispendioso. Curitiba. PP. ______ Ministério do Trabalho e Emprego. CAMATA. porém. J. tornando-a vagarosa e muitas vezes falha.

Técnicas de Pesquisa. 113.34. DELUIZ. Florianópolis: UFSC. 2012 ISBN 978-85-62326-96-7 . Antonio Carmona F. SENAI. Revista Brasileira Pedagógica. MENEZES. E. A estrutura das revoluções científicas. A. V. 1996. J. Formação do trabalhador: produtividade e cidadania. Revista Brasileira de Educação. C. N. 2008. Tese de Doutorado em Educação.12. MESEGUER. Brasília. 1991. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) – Racionalização da Construção. Perspectiva.o /org. O discurso pedagógico da modernidade.com/empresa/pessoasconhecimento/programas-desenvolvimento/programa-acreditar. 2005.2007. The 4th International Congress on University-Industry Cooperation – Taubate. São Paulo. F. SESI. 2008. RICHARDSON. D. jan/abr. RONDÔNIA. LAKATOS. Rio de Janeiro: UFRJ. RIVA. Rio de Janeiro: Shape.135. Educação para a nova indústria: uma ação para o desenvolvimento sustentável do Brasil. Pesquisa Social: Métodos e técnicas. 1993.. v.n. São Paulo: Sinduscon/Projeto/PW. T. SEDUC/RO. Título original Controle de Qualidade e Garantia da Qualidade na Construção. Paulo Roberto do Lago Helene. A. MARCONI. 178 p. D. 1995. Plano de Educação Estadual. nº 185 p. O. S. E. PINTO. 1991. SP – Brazil – December 5th through 7th. Gestão da qualidade em projetos: Ênfase em Recursos Humanos.odebrecht-ec. E. São Paulo: Atlas. 2010. Brasília. E. Controle e garantia da qualidade na construção. 2009. 1993. DF: CNI. 1978. KUHN. A. D. FAU/UFRJ. G. Condição pós-moderna. Tradução por Roberto José Falcão Bauer. 77. SAVIANI. São Paulo: Loyola. ODEBRECHT. Faculdade de Educação. Acesso em out. Disponível em http://www. 1991. M.. 2009. Trabalho e Educação: fundamentos ontológicos e históricos. FOGAÇA. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. Rio de Janeiro. Sobre educação e economia: um estudo sobre a automação flexível e a recuperação da inteligência na produção. jan/abr. E. M. Atlas. L. SILVA. HARVEY.CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA. R.