You are on page 1of 2

3/2/2014

63ª Reunião Anual da SBPC

www.sbpcnet.org.br/livro/63ra/resumos/resumos/4068.htm

E. Ciências Agrárias - 7. Ciência e Tecnologia de Alimentos - 2. Engenharia de Alimentos CRESCIMENTO DA BACTÉRIA Burkholderia sacchari EM DIFERENTES TEMPERATURAS E FONTES DE CARBONO Ana Cláudia Miguel Baliero 1 Valkirea Matos do Nascimento 1 Evilon Luiz de Souza 1 Fabiano Avelino Gonçalves 1 Gustavo Graciano Fonseca 2 1. Faculdade de Engenharia, Universidade Federal da Grande Dourados-UFGD 2. Prof.Dr./orientador -Faculdade de Engenharia, Universidade Federal da Grande Dourados-UFGD INTRODUÇÃO: Polihidroxialcanoatos (PHAs) são polímeros que podem ser acumulados, na forma de inclusões citoplasmáticas, por diversas bactérias em grande quantidade. A síntese de PHAs normalmente ocorre quando há excesso de fonte de carbono disponível e limitação de pelo menos um nutriente, como N, P ou O, essencial à multiplicação das bactérias. Os PHAs se diferenciam nas propriedades em função da estrutura, onde o comprimento e variabilidade da cadeia monomérica influem no ponto de fusão, hidrofobicidade, temperatura de transição vítrea e grau de cristalinidade, sendo que a composição monomérica depende do substrato utilizado. A utilização de resíduos da agroindústria em bioprocessos permite a obtenção de substratos alternativos de baixo custo para processos fermentativos. O glicerol é o principal co-produto gerado na produção de biodiesel, sendo que em torno de 10% do volume total de biodiesel produzido correspondem a glicerol. O mesmo apresenta-se como uma opção de substrato econômico para a produção deste tipo de biopolímeros. Este trabalho teve por objetivo avaliar a fisiologia de duas linhagens de Burkholderia sacchari (LFM 026 e LFM 101) em termos cinéticos, utilizando como substrato glicerol e os açúcares glicose, frutose e sacarose, como fonte única de carbono, a 30 e 35°C. METODOLOGIA: Para o estudo utilizaram-se duas linhagens de B. sacchari (LFM 026 e LFM 101), obtidas liofilizadas. Cultivos foram realizados em frascos Erlenmeyer de 500 mL, contendo 200 mL de meio mineral (LEE e CHOI, 2001). As fontes de carbono utilizadas foram o glicerol e os açúcares glicose, frutose e sacarose, grau P.A, na concentração de 10 g/L, sendo autoclavadas separadamente e adicionadas assepticamente ao meio. Previamente realizou-se o pré-inóculo, o qual oferece ao microrganismo as mesmas condições que encontrará durante o experimento. A partir deste foi realizado a inoculação nos frascos. Para o procedimento utilizou-se incubadora shaker a 30 e 35°C, a 260 rpm. Os cultivos foram realizados em frascos inoculados de modo que a densidade óptica inicial (λ= 600nm) nos cultivos fossem 0,1. A cada 30 minutos foram feitas leituras de densidade óptica. Densidade óptica foi obtida utilizando-se espectrofotômetro UV-Vis (λ=600 nm) nas diluições requeridas a cada instante. A fase exponencial de crescimento foi identificada como a região linear da plotagem do ln (DO) versus tempo para os dados de cultivo, sendo DO a densidade óptica. A velocidade específica de crescimento máxima (µmax) foi determinada como a inclinação desta reta e o tempo de duplicação (DT) pelo quociente do ln(2) pelo µmax. RESULTADOS: Avaliando os experimentos realizados obteve-se os parâmetros cinéticos de crescimento microbiano necessários para comparação entre os diferentes ensaios. Foram realizados cultivos com os substratos glicose, frutose, sacarose e glicerol à temperatura de 30°C, e alguns ensaios com glicerol à 35°C. Para o cultivo contendo glicose, ambas as linhagens chegaram à fase estacionária num menor período em relação aos outros substratos, indicando ser um substrato mais acessível. A sacarose, que é extracelularmente convertida em glicose e frutose, teve um déficit temporal em relação à glicose provavelmente devido ao tempo necessário a hidrólise do dissacarídeo. Percebeu-se a maior velocidade de crescimento em glicose e o menor desempenho em frutose, com resultados intermediários para sacarose. A bactéria B. sacchari LFM 026 apresentou tempo de duplicação de 0,9h (com glicose), sendo menor em relação ao da LFM 101, que foi de 1,24h. Utilizando o substrato glicerol, fez-se a comparação de crescimento frente a duas temperaturas e observou-se que com a elevação de 5°C o tempo de duplicação da linhagem diminuiu. A LFM 026 desenvolveu-se melhor em 35 ºC. Isto foi evidenciado pelo período da fase lag, em que a 35 ºC teve duração de três horas e em 30ºC de oito horas. CONCLUSÃO: Pelo parâmetro tempo de duplicação, que o menor valor para ambas as linhagens foi obtido no cultivo contendo glicose como fonte de carbono, ou seja, atingiram a maior densidade ótica em menor intervalo de tempo. Em comparação entre todos os açúcares,concluiu-se que Burkholderia sacchari LMF 026 apresentou

http://www.sbpcnet.org.br/livro/63ra/resumos/resumos/4068.htm

1/2

TD = 1.htm tempo. http://www.org.org.htm 2/2 .3/2/2014 www. polihidroxialcanoatos (PHAs). sacchari LFM 026 apresentou melhor crescimento em glicerol na temperatura de 35°C (μmax = 0.sbpcnet.br/livro/63ra/resumos/resumos/4068. cinética. Conclui-se ainda que B. Palavras-chave: Burkholderia sacchari.sbpcnet.br/livro/63ra/resumos/resumos/4068.67 h-1.concluiu-se que Burkholderia sacchari LMF 026 apresentou melhor crescimento em glicose quando comparado a frutose e sacarose. Em comparação entre todos os açúcares.03 h) quando comparada ao crescimento em 30°C e à linhagem LFM 101 nas duas temperaturas.