Escola de Treinamento de Lideres de Células

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão

1

Queridos Líderes, Esta Missão tem sido confiada a você que aceita este desafio de Ministrar e Multiplicar no corpo de Cristo através das Células. Esta Visão vem nos unir em uma forte malha que não pode ser rompida. A força de um indivíduo não é o único fator determinante para sua caminhada com Deus. O restante da célula apóia cada membro com oração, encorajamento e visão pelos perdidos para mantê-los crescendo em Cristo. A presença de Jesus no centro da reunião é a força do grupo. Ele é o único que pode oferecer o poder e a visão para caminhar uma vida cristã. Quando sua célula se encontra para a edificação, o foco está em experimentar Jesus em cada parte do encontro. Células são tanto para edificação como para evangelismo. Se uma célula não traz visitantes, não cresce e não se multiplica, e se tornará um grupo apenas voltado para o egoísmo, enfadando-se até morrer. Se uma célula não ministrar e multiplicar as pessoas, não desenvolverá liderança, não formará um caráter aprovado nas pessoas e as pessoas eventualmente cairão em sua caminhada com o Senhor (ou eles irão para algum lugar em que podem ser supridos). O grupo deve focalizar-se tanto em edificar uns aos outros, como investir, orar e alcançar os perdidos. Nesta apostila você desfrutará de como planejar e organizar uma reunião de célula e sua multiplicação. Conto com vocês para algo sobrenatural em nossa Paróquia Anglicana Comunhão, uma Igreja em Células...

Do seu Pastor e Amigo: Márcio Meira + Rev.

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão

2

Índice
Lição 1: Lição 2: Lição 3: Lição 4:
Programa de trabalho da Célula - BOAS VINDAS Base bíblica as células na Igreja As células na Paróquia Anglicana Comunhão Princípios de uma Igreja em células Boas Vindas “Relacionamento Paulo - Timóteo” Adoração na célula - ADORAÇÃO E PARTILHA Aspectos da Adoração na Célula Definição de Louvor e Adoração Posturas bíblicas de Louvor e Adoração Aspectos práticos da condução do Louvor Partilha Edificação - PALAVRA Propósitos do período do estudo da PALAVRA Aprendendo na Célula Procedimento para liderar o estudo da Palavra Técnicas básicas Ministrando um ao outro Evangelismo nas Células - TRABALHOS Célula defeituosa (doente) Célula funcional (saudável) Tipos de grupos Por que multiplicar as células Hora de trabalho Ciclo de colheita de evangelismo e crescimento Evolução dos grupos de pessoas na missão e na vida da igreja Como preparar um testemunho pessoal Folheto com testemunho Gerenciando uma célula - ADMINISTRAÇÃO Seleção de um líder de célula / apoio Pastoreando uma célula Preparação para a excelência Conflito em uma célula Organograma da liderança em uma igreja celular Gerenciando a célula – A ESTAÇÃO DO PODER A vida de oração do líder de célula A identificação de um guerreiro de oração A mobilização da oração na célula Itens de oração Oração Itinerante 4 5 6 6 8 9 10 11 11 11 12 14 15 16 16 16 16 18 21 22 23 23 24 25 26 27 27 28 29 30 31 31 33 34 35 38 38 38 39 40

Lição 5: Lição 6:

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão

3

Lição Um
Programa de Trabalho da Célula

BOAS VINDAS
BASE BÍBLICA PARA AS CÉLULAS NA IGREJA AS CÉLULAS NA PARÓQUIA ANGLICANA COMUNHÃO PRINCÍPIOS DE UMA IGREJA EM CELULAS BOAS VINDAS “RELACIONAMENTO PAULO - TIMÓTEO ”

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão

4

BASE BÍBLICA PARA AS CÉLULAS NA IGREJA 1. Jesus usou a estratégia de Pequenos grupos Mc 3:14-15. a. Com todo o mundo para ser salvo, Jesus gastou a maior parte de seu tempo e ministério em particular com os 12 discípulos. b. Jesus escolheu pessoas ordinárias e comuns para seus discípulos. Ele se preocupou mais com disponibilidade do que a habilidade. 2. A Igreja primitiva se reunia em pequenos grupos. At 2:46-47 “46 E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam com alegria e singeleza de coração,47 louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E cada dia acrescentava-lhes o Senhor os que iam sendo salvos.” At 5: 42 “E todos os dias, no templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar, e de anunciar a Jesus, o Cristo.” Rm 16:3-5 “3 Saudai a Priscila e a Áqüila, meus cooperadores em Cristo Jesus, 4 os quais pela minha vida expuseram as suas cabeças; o que não só eu lhes agradeço, mas também todas as igrejas dos gentios.5 Saudai também a igreja que está na casa deles. Saudai a Epêneto, meu amado, que é as primícias da Ásia para Cristo.” 1 Tm 3: 15 “15 para que, no caso de eu tardar, saibas como se deve proceder na casa de Deus, a qual é a igreja do Deus vivo, coluna e esteio da verdade.” Os pequenos grupos são a força motriz da Igreja do Novo Testamento. 3. Ninguém possui Todos os dons. Portanto nós Dependemos uns dos outros. 1Co 12:4 1Co 12:7 comum” “Porque também o corpo não é um membro, mas muitos.” “A cada um, porém, é dada a manifestação do Espírito para o proveito

1Co 12:12 “Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros do corpo, embora muitos, formam um só corpo, assim também é Cristo.” 1Co 12:27 “Ora, vós sois corpo de Cristo, e individualmente seus membros.” 1Co 14:26 “…Que fazer, pois, irmãos? Quando vos congregais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação.” Hb 10:24-25 “… 24 e consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras, 25 não abandonando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia.”

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão

5

AS CÉLULAS NA PARÓQUIA ANGLICANA COMUNHÃO A. Declaração de Visão Somos uma comunidade cristã que se compromete a: Alcançar vidas através do Evangelismo, consolidando-os na Comunhão com ensinamentos e treinamentos para serem enviados pelo serviço, sendo agentes do amor de Deus para a sociedade. B. Cinco compromissos para qualquer membro: 1. Orar diariamente pela igreja; 2. Ler diariamente a Bíblia; 3. Evangelizar (Eventos e Células) 4. Multiplicar minha célula; 5. Ser um fiel dizimista. C. Cinco estratégias: 1. Construir um culto dominical com louvor e pregação vibrantes; 2. Continuar com a E.B.D.; 3. Criar E.T.L.C.; 4. Evangelizar através dos diversos eventos e nas células. 5. Mobilizar a Igreja a organizar-se em células e multiplicar! D. Cinco tipos de eventos: 1. Eventos para Plantação: ALCANÇAR 2. Eventos para Colheita: CONSOLIDAR 3. Eventos para Semear: TREINAR 4. Eventos para Frutificar: ENVIAR 5. Eventos para Regar: AMAR Células Culto Evangelisticio 1a Domingo – O.Vesp. Células Culto com Comunhão 2a Domingo – R. Euc. Células Culto de Ensino 3a Dominho – O.Vesp. Células Culto de Comissão 4a Domingo – B.Saúde Células Culto do Amigo 5a D. EJC; ECC; EAC; ECRI; Acampamentos; Evangelismos; SVES; JDH; FSF; MEC; Acampamentos; Comemorações; EBD; Curso de Membros; ETLC; Culto de Oração; Confelider; Servir nos eventos de Plantação, Colheita, Semear e IDE; Mãos a Obra e Dia das Células;

A Oração por Três Dias: No dia das reuniões das células, cada membro da célula indicará nomes de pessoas do seu círculo de amizade que deseja ganhar para Jesus. Durante três dias todos da célula orarão intercedendo individualmente por essas vidas. Na quarta-feira intercedermos comunitariamente no Culto de Oração e na quinta-feira ligaremos marcando uma visita e convidando para reunião da célula. Os visitantes receberão o mesmo tratamento, três dias de oração, um telefonema e visitação pra comparecer reunia da célula. PRINCIPIOS DE UMA IGREJA EM CÉLULAS I. FATORES QUE LEVAM O CRESCIMENTO DAS IGREJAS EM CÉLULAS A. Um Compromisso com a Grande Comissão para o crescimento da Igreja. B. Crer no poder da oração e nas manifestações sobrenaturais do Espírito Santo. C. Um Líder e um apoio para o líder. D. Totalmente estruturada como uma Igreja

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão

6

II. COMPREENDENDO A ESTRUTURA DE UMA IGREJA EM CÉLULAS A. A Célula é a igreja. B. A célula deve multiplicar-se dentro de no máximo 12 meses. C. Uma Igreja supervisionada de perto. O que não é: Uma negação da necessidade de programas na igreja A ausência de departamentos ou ministérios Unicamente pequenos grupos Um grupo de igrejas nos lares independentes III. 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. O que é: Uma estratégia para uma comunidade focada e orientada para as pessoas Uma estrutura de departamentos e ministérios que apóiem o sistema das células. Um sistema de células , congregação e celebração Um movimento dirigido por uma visão, que consiste nas pessoas viverem a comunidade cristã

A FORÇA DA IGREJA EM CÉLULAS

Eficaz para relacionamentos pessoa a pessoa (não só programas). Eficaz no cuidado pastoral. Eficaz para evangelismo Eficaz para o ministério do corpo. Eficaz para o crescimento cristão Eficaz para ampliar a base da liderança. Eficaz Para crescimento por multiplicação O PROGRAMA DE UMA CÉLULA A CÉLULA TEM QUE MINISTRAR Amar uns aos outros ---dentro (Edificação) A CÉLULA TEM QUE MULTIPLICAR Amar uns aos outros ---para fora (Evangelismo)

IV.

V.

QUANDO A CÉLULA SE REÚNE PARA MINISTRAR & MULTIPLICAR Programa da reunião Dinâmica Espiritual Boas Vindas Pessoa a Pessoa (Quebra gelo) Adoração Pessoa a Deus (Ministração) Acolhida Pessoa a Pessoa (Testemunho) Palavra Deus a Pessoa (Edificação) Atividades Pessoa a Pessoa (Visão) PROGRAMA DE UMA REUNIÃO DE CÉLULA

VI.

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão

7

Boas Vindas 15 minutos

Palavra 40 minutos

Acolhida 10 minutos

Atividades 15 minutos

BOAS VINDAS I. Propósitos do quebra gelo Fazer o quebra gelo em células tem tremendos benefícios: • • • • •

Leva todos da reunião a um foco comum. Leva pessoas de uma interação artificial a uma mais profunda. Ajudar as pessoas a se entrosarem de uma maneira não ameaçadora. Remove comportamento isolado. Ajuda as pessoas a descobrirem um interesse comum. Faz as pessoas se sentirem confortáveis e com facilidade de compartilhar. Encoraja a cooperação e a formação de laços entre os membros.

“Quebra gelo” Podem ser atividades que ocupem as pessoas enquanto os demais não chegam. Mas não é apenas isso, serve para maior entrosamento do grupo ⇒ O “Quebra gelo” deve ter sempre uma boa resposta e não fazer com que as pessoas se sintam infantis ou estúpidas. Um bom líder de célula terá sempre atividades apropriadas e interessantes para se fazer no início da reunião. II. Funções de cada tipo de quebra gelo FUNÇÕES • Ajuda no entrosamento sem ameaças • Remove comportamento isolado e senso de “perdido” • Ganhe a confiança dos participantes e invista neles • Descubra quem é quem • Encorajar as pessoas a partilharem opiniões • Levar pessoas a um compartilhar EXEMPLOS Encontre um jogo; levando a lhe conhecer Adivinhe minha ocupação; Pergunta estremecedora Vamos falar de ...

TIPO DE QUEBRA GELO Misturando as pessoas e levando as pessoas a participar Se familiarizando Iniciando comunicação

RELACIONAMENTO TIPO “PAULO”- “TIMOTEO” I. Relacionamento “PAULO” - “TIMOTEO”

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão

8

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7.

O que é um relacionamento do tipo “Paulo” - “Timóteo” Cuidado é Vital para a vida da Célula O que é um “Paulo”? O que é um Timóteo”? Todo Paulo TEM um “Timóteo” Ser um “Paulo” não requer que você ensine necessariamente “Paulo” e “Timóteo” devem se encontrar se possível semanalmente

II. O Ministério de um “Paulo” 1. Orar Diariamente pela freqüência da célula de Timóteo quando da multiplicação e pela freqüência na celebração; 2. Ajudar um ao outro em seu relacionamento com Deus; 3. Encorajar “Timóteo” a participar da ETLC e outros; 4. Encorajar um ao outro a ser: • Fiel na freqüência; • Fiel na oração; • Fiel no estudo; • Fiel nos dízimos e nas ofertas; 5. Encorajar a participar nas atividades especiais da Igreja; 6. Encorajar o apoio a Ligar para cada membro uma vez por semana encorajando-os a vir à célula e às celebrações na Igreja; 7. Deve ter uma vida que possa ser exemplo de dedicação a causa do Senhor; 8. Deve ser fiel a sua comunidade e aos seus pastores; 9. Deve ser fiel a visão da Igreja e não ensinar o que a igreja não autoriza;

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão

9

Lição dois
Adoração na Célula

ADORAÇÃO E PARTILHA

ASPECTOS DA ADORAÇÃO NA CÉLULA DEFINIÇÃO DE LOUVOR E ADORAÇÃO POSTURAS BIBLICAS DE LOUVOR E ADORAÇÃO ASPECTOS PRÁTICOS DA CONDUÇÃO DO LOUVOR PARTILHA

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 10

ASPECTOS DA ADORAÇÃO NA CÉLULA
ASPECTO VERTICAL ASPECTO HORIZONTAL ASPECTO INTERNO Comunicação com Deus Comunicação com os demais do grupo Adorador afetado pela adoração

DEFINIÇÃO DE LOUVOR E ADORAÇÃO
Definição de Louvor •Louvor é algo que expressamos em direção a Deus. Louvor é algo que expressamos aos outros sobre Deus; •Louvor normalmente é expresso ,vocalmente e espiritualmente; •Louvor sempre se relaciona com Deus e com o que Ele tem feito; •Louvor é aclamação acompanhada de cânticos, gritos e proclamação,danças, clamor, sons de instrumentos musicais e outras formas; •Louvor é Honrar; •Louvor é também um instrumento para batalha espiritual. ( 2 Cr 20: 20-28); Definição de Adoração •Adoração significa reconhecer ou valorizar, ou dar crédito a quem merece. Ex. Reconhecer que Ele é merecedor; •Adoração é dada a Deus...de todo nosso ser; •Adoração é uma expressão de amor do coração, adoração e louvor a Deus são uma atitude de reconhecimento de Sua supremacia e de Seu senhorio; •Adoração é a habilidade de se expressar a Deus com todo nosso ser- corpo, alma e espírito; •O coração em Adoração é uma depuração de nosso ser , desprovida de vergonha, colocando-nos diante do Senhor em profunda devoção; •Adoração é “ amor extravagante”; é comunhão com Deus, que apenas pode ser experimentada pelos seus filhos queridos; •Adoração normalmente é, comunhão envolvente e partilha;

POSTURAS BÍBILICAS DE LOUVOR E ADORAÇÃO
As Diferentes Posturas de Louvor e adoração 1. Lábios risonhos (Sl 126:2); 2. Lábios que cantam (Sl 89:1, 105:2); 3. Os joelhos curvados (Sl 95:6); 4. A cabeça encurvada (Nh 8:2, 2 Cr 29:30); 5. Os aplausos (Sl 47:1); 6. As altas vozes (Sl 95:1, 98:4-6); 7. As mãos levantadas (Lm 3:41, Ez 9:5, Sl 28:2, 134:2); 8. faces prostradas (1Rs 18:39, Ap 11:16-17); 9. A cabeça para o alto (Sl 24:7, 121:1); 10. As danças (Ex 15:20, 2 Sm 6:13-14, Sl 149:3);

ASPECTOS PRÁTICOS DA CONDUÇÃO DO LOUVOR

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 11

A. Efeitos do período de louvor 1. Levar as pessoas próximas a Deus. As pessoas devem estar liberadas para louvar e expressar o que está em seu coração ao Senhor; 2. O Período de Louvor ajuda a criar um ambiente para a unção do Espírito Santo e para a manifestação dos dons (2 Rs 3:15); 3. Prover uma base para a ministração da Palavra; 4. Ajuda a elevar o impulso espiritual das pessoas para que se possa obter uma meta espiritual; B. Como Preparar? 1. Canções que possam ser entoadas ao Espírito Santo e que lhe tocaram durante a semana. Pv 25:2 A glória de Deus é encobrir as coisas; mas a glória dos reis é esquadrinhá-las; 2. Organize, escolha as músicas de acordo com:

• • •

Por ordem : Louvor – Altos louvores - saudação - adoração - apelo - cura - ofertas; Tema : Celebração? batalha? Intercessão? Evangelístico? Cura interior? Unidade?

Foco : A quem você está cantando? Em direção aos homens ou a Deus? - Esteja atento para “ progressão negativa”. “ Eu te amo Senhor” e “ Louvado seja o nome …”

Chave - Tempo 3. Combine : se for necessário com seus líderes de louvor na célula; Ignorância ungida continua sendo ignorância! C. Adoração “Sabedoria.” • Músicos:  Escolha as canções com antecedência e dê o livreto a seu musico(s) antes do começo de reunião.  Saiba a limitação de habilidade de seus músicos.  Nunca corrija os músicos ou discuta publicamente


   

Não gaste muito tempo falando: Não introduza toda canção que você canta; Não pregue - você pode levar a distração; Não reprove as pessoas severamente; Não fale se seu espírito não está renovado - soará vazio; Só fale se… Pessoas não estiverem à vontade; For necessário dar explicação para novatos ou estranhos; Exaltação é genuinamente benéfica; Saiba suas canções. Nunca use canções se você não está _familiarizado com elas; Nunca pratique nas pessoas; Se as pessoas não estão cantando, dê uma parada e ensine novamente; Saiba bem a melodia e a letra da música; Cante canções com um toque presente de Deus; Distribua folhetos para o grupo; Faça bom uso de suas principais canções. Você tem que saber quais são as suas principais canções; Cante várias vezes se você precisar; (Leva tempo para as palavras moverem-se da cabeça ao coração! )


  


     


 

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 12

Você não tem que cantar somente as músicas que você planejou apenas; Velocidade. Saiba que nem todo mundo tem a mesma velocidade de cantar; Esteja à frente dos medianos; Não seja puxado ou empurrado, seja o líder; Mantendo o fluxo. Não pare depois de toda canção; Mantenha a música que flui entre canções e enquanto compartilha; Não tenha medo de silêncio, mas não faça grandes pausas; Se estiver esperando por uma palavra profética, espere no máximo 15 a 20 segundos… caso contrário, as pessoas vagarão; Operação de Dons espirituais. Uma Palavra ou profecia pode ser manifesta durante o tempo de adoração; Escolha um momento apropriado informe os músicos; Quando o tempo chegar, diga ao músico para tocar suavemente e então encoraje as pessoas da célula dizendo: “ Enquanto adoramos o Senhor, Ele vem e está conosco aqui e está nos falando . Se um de vocês tem uma palavra dEle, compartilhe isto conosco para que possamos todos ouvir e sermos edificados.” ; Permita não mais que 3 a 4 pessoas compartilhem. Num momento qualquer , quando não houver mais Palavra ou profecia, o líder de adoração deve assumir. Ele também pode resumir a palavra lançada; Não force profecia ou palavra… você pode se equivocar e levar a reunião para baixo.


  


   


  

D. Como encorajar o cantar canções espirituais durante tempo de adoração? 1. Explique à Célula o que é e por que nós cantamos um cântico novo ou uma canção no espírito; 2. Mostre a eles o que a Bíblia fala sobre isto. Salmo 33:3, 40:3, 96:1 3. Explique que é uma resposta espontânea a Deus em adoração; nós não cantamos letras de canções escritas ou de melodias já conhecidas, mas do coração. Nós também podemos cantar em línguas. ; 4. Isso exercitará nosso ser espiritual para adorar Deus no Espírito. Encoraje que os participantes exercitem isto na próxima oportunidade ou em suas devocionais pessoais com Deus; 5. Para encorajar a participação, sejam o Líder de Adoração e o Líder da célula os exemplos . Sejam os primeiros a começar uma canção nova ou uma canção no espírito sendo mais proeminente, ou seja, cante mais alto;


       

Liderança. Cante claramente e não apenas acompanhe com harmonia; Diga as palavras claramente se você tem fadiga vocal; Cante audível e com autoridade; Você deve Liderar e não os participantes do Grupo ou músicos; Conduza com o rosto e o corpo; Conduza através de exemplo e com alegria. ; Não deixe sua mente vagar , esteja atento(a); Saiba quando parar… não extrapole o auge do momento! Condução vocal. “Cantemos novamente”, “ olha o coro!”;


Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 13

 

Diga a linha você quer que eles repitam (não faça isto a menos que você seja experiente)! ; Se o Grupo está cantando sem acompanhamento musical e você quer ir para uma estrofe nova, imediatamente cante a primeira linha da estrofe nova sem pausar. De pé. De pé evoca uma sensação de maior presença e liderança;


O que é um Livreto de música? 1. Um jogo bem-preparado de canções para serem usados em uma sessão de louvor e adoração. 2. As canções podem ser cantadas com um ou no máximo 2 intervalos : para oração ou cânticos no espírito. 3. O livreto pode ser preparado pela equipe de adoração. 4. Livretos especiais podem ser preparados para eventos especiais. Como usar o Livreto? 1. Bata palmas depois de uma sessão de louvor. 2. Cante os cânticos do livreto preferencialmente. 3. Deixe os músicos conhecerem seu livreto.

PARTILHA
Compartilhar um testemunho é uma parte poderosa da reunião - é guerra espiritual contra incredulidade, duvida, medo e derrota. Ap. 12: 11 E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até a morte.... Quando corretamente introduzido isto construirá o clima e o nível de expectativa do grupo. Alguns Testemunhos “Sabedoria”:

• • • •

Encoraje os participantes a contar relatos e dar louvores por eles.Algo recente Não deixe ninguém dominar o tempo de testemunho… fixe um prazo e cumpra. Se um testemunho dado está obscuro, tenta parafrasear isto de um modo positivo claro. Construa um ambiente onde todo os participantes desejem trazer também um testemunho todas as semanas - será um tempo muito poderoso!

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 14

Lição Três
Edificação

PALAVRA

PROPÓSITOS DO PERÍODO DO ESTUDO DA PALAVRA APRENDENDO NA CÉLULA PROCEDIMENTO PARA LIDERAR O ESTUDO DA PALAVRA TÉCNICAS BÁSICAS MINISTRANDO UM AO OUTRO

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 15

PROPÓSITOS DO PERÍODO DO ESTUDO DA PALAVRA
1.

Permitir que Deus fale a nós através da sua Palavra escrita.

2. Levar os membros à obediência a Palavra de Deus. 3. Praticar a responsabilidade e transparência. 4. O aprendizado é o processo eficaz para mudança de valores.

APRENDENDO NA CÉLULA
COGNITIVO Mestre (professor) Comunicativo - “Molde ventilador” Lógico Conhecimento Sala de aula
* nosso propósito

AFETIVO * Facilitador Comunicativo-“Círculo” Experiência Valores Família

PROCEDIMENTO PARA LIDERAR O ESTUDO DA PALAVRA
1. Leia as escrituras 2. Apresente o Tema ( Exposição da Palavra) 3. Discuta as perguntas aplicadas ( interação) 4. Ore e Ministre Tópicos para o PERÍODO DA PALAVRA • Facilite - não ensine. • Discuta a passagem - Não apenas o Sermão do Pastor • Dê a todos uma chance de compartilhar • • •

Use perguntas abertas e definidas. Dê a todos a chance de falar, mas tenha o controle Responda a perguntas com novas perguntas. Líderes não são enciclopédias. Termine com Ministração.( oração)

TÉCNICAS BÁSICAS
PERÍODO DA PALAVRA (EDIFICAÇÃO) A. Duplo propósito do Período da Palavra: 1. Permitir que Deus fale para nós através de textos e exemplos - Feito através da pregação. 2. Permitir que o sistema de valores dos membros seja mudado - feito através da discussão. B. Preparação da exposição .

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 16

ECLESIASTES 12: 9-11 Aprenda a preparar sua exposição o mais breve possível. Tente olhar o mínimo possível para suas anotações. Você deve decorar, saber os pontos-chave de sua mensagem. C. Iniciando uma reunião. - Nunca inicie uma reunião com uma declaração negativa: apologias, dúvidas ou confusão; - Sempre crie uma atmosfera de expectativa.
  

Fale sobre Deus e não sobre o ego; Fale do poder de Deus presente para operar sinais, maravilhas e milagres; Fale de vitória e não de derrota; - Inicie com uma frase Positiva de fé que lide com o agora. Falar

D. “ Sabedoria” na comunicação: 

1. Fale Naturalmente , evite palavras difíceis que não fazem parte de seu vocabulário
Fale da forma que você normalmente fala quando está falando alto.

2. Fale de forma clara
Não diga coisas que as pessoas não entendam 3. Fale com Autoridade Princípio: Autoridade vem de uma posição de conhecimento. Dn 11: 32 “...o povo que conhece ao seu Deus se tornará forte, e fará proezas.” Autoridade vem pelo conhecimento de quem Deus é e quem você é nEle. Quando você está seguro na sua mente e ouvir sobre: …o que Deus quer daquele encontro, …como ele deve ser conduzido, …qual o perfil. Então você pode falar com a autoridade do “conhecimento”. Regra: use a parte mais baixa da sua voz. - Quando levantar o volume, conscientemente abaixe o tom de voz  É altamente "perigoso" falar de forma uniforme e monótona, no mesmo tom todo o tempo. Volume Regra: Fale um pouco mais alto do que o absolutamente necessário.

Velocidade.

Quanto maior o grupo (sua célula), mais devagar você deve falar, pois há dois fatores contra você: 1. Acústica : Não há microfone => gritar torna-se difícil quando se fala rápido.

2. Interferência : *tosse* … perde uma palavra!
Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 17

Gramática.

“…Nós é…”, “ Eu sor…”, “ Tu deve fazê…”  Hábitos. - “ Cacoetes”: “Err..”, “Hmm..”. - “ você sabe”; “ né?”.  Corpo.

Quando você fala / lidera uma canção, você precisa de duas coisas importantíssimas: 1. Estar alerta 2. Entusiasmo na sua postura. * Postura: Veja como se senta; Não se incline para o lado; Fique em postura levemente voltada para frente; Não balance para um lado e para o outro. * Gesticulação: Faça menção com os gestos ao ponto que você quer enfatizar. Não adquira vícios - ex. coçar o nariz, ouvidos, etc. * Olhos : Olhe a todos na sala - aprenda a passar uma vista em todos. * Aparência: Isto é vital, a primeira impressão é a que fica:
o

Mas não se vista muito Formal!; Sempre se vista esportivo para uma reunião de célula; Vista-se um pouco mais conservador que a média dos freqüentadores da célula; A forma de vestir descuidadamente parece se referir a uma atitude descuidada; As irmãs precisam ser cuidadosas nos decotes, pois eles podem ser vistos, especialmente quando estiverem sentadas para pregar MINISTRANDO UM AO OUTRO

o o
o

o

A. A Hora da Ministração.
Nem toda pregação necessariamente ministra e nem toda ministração é necessariamente pregação. Ministração é mais do que simplesmente falar, é permitir que o poder de Deus toque e mude as vidas das pessoas.

A Ministração da Palavra é tão importante quanto a pregação, você deve sempre permitir que as pessoas sejam ministradas; Sinais, maravilhas e milagres são os ingredientes básicos da ministração; Marcos 16: 15-18, 20; Todo líder de célula deve, portanto, perguntar: “O que Deus quer fazer nesse encontro hoje?” Quando impuser as mãos ou simplesmente orar pelas pessoas, você deve estar atento de que você está mergulhando em direção à unção; Permita que a unção flua através de você para mudar vidas;

• • • • •

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 18

Envolva a todos durante a ministração… não monopolize o momento.

B. Atitudes para o Período de Ministração. • Você deve vir pronto para abençoar/transferir/edificar/encorajar; • • • • • Você deve vir pronto para servir; Você deve vir pronto para orar pelos doentes; Você deve vir pronto para aconselhar; Você deve vir pronto para transferir a palavra a seu tempo; Você deve vir pronto para divertir-se e aproveitar o momento.

C. Ministrando às Pessoas.
Há 4 técnicas básicas que o Líder de Célula deve desenvolver na ministração às pessoas

I. Presença “Presença” significa apresentar-se fisicamente de maneira que demonstre que você está prestando atenção a seus membros. Essa técnica inclui: 1. Olhar diretamente para seus membros; 2. Manter um contato visual apropriado; 3. Demonstrar confiança para as pessoas para as pessoas; 4. Evitar comportamentos de distração; II. Técnicas de Observação Ajudam você a perceber como sua discussão está sendo recebida. Exemplo: Comportamento Não-Verbal Sorrisos & assentimento Afirmativas Bocejos, olhar vago, Olhares para o relógio Franzir da testa Sentimentos possíveis Entusiasmo Compreensão Monotonia Confusão

III. Atenção Ser um ouvinte atento significa estar ativamente procurando sentido para o que as pessoas estão dizendo; Ouvir é diferente de escutar, que por sua vez, é meramente a gravação da mensagem da outra pessoa; Para ouvir atentamente, às vezes você precisa: TORNAR MAIS CLARO & PARAFRASEAR IV.Perguntas Perguntas destinam-se a facilitar a discussão; Para procurar informação e opiniões; Para tornar mais claro; Para justificar; Para redirecionar; Para parafrasear.
Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 19

OS "NÃOS" NAS PERGUNTAS • • • • • • • Não tenha medo do silêncio; Não faça perguntas que podem ser respondidas com 'sim' ou 'não' ; Não se limite às perguntas - permita o compartilhar; Nunca diga algo se você pode fazê-lo através de perguntas; Não deixe que outra pessoa domine; Não critique; Não vá além do tempo.

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 20

Lição Quatro
Evangelismo na Célula

TRABALHOS

CÉLULA DEFEITUOSA (DOENTE) CÉLULA FUNCIONAL (SAUDÁVEL) TIPOS DE GRUPOS POR QUE MULTIPLICAR AS CÉLULAS HORA DE TRABALHO CICLO DE PLANTAÇÃO – COLHEITA – SEMEAR E FRUTIFICAR DO EVANGELISMO AO CRESCIMENTO EVOLUÇÃO DOS GRUPOS DE PESSOAS NA MISSÃO E NA VIDA DA IGREJA COMO PREPARAR UM TESTEMUNHO PESSOAL FOLHETO COM TESTEMUNHO CÉLULA DEFEITUOSA (DOENTE)
Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 21

Eu uso máscaras. Eu sou perdoado se merecer. Eu tenho que ser ator/atriz. Eu julgo a mim e a você. Eu controlo. • • • Não confie. Não sinta. Não compartilhe. Falsa Evidência Aparentando Realidade

FOCADA NO EU
Expectativas Velhos filmes Circunstâncias Feridas Necessidades Fortalezas Sentimentos

Medo de rejeição. Medo de quebra de confidências. Medo de manipulação.

O propósito falado pode até ser....

CRISTO
Comunhão Edificação Evangelismo ...mas Cristo é realmente secundário em relação aos interesses próprios.

CÉLULA FUNCIONAL (SAUDÁVEL)

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 22

• • •

É incentivada a confiança. É incentivado o sentimento. É incentivado o compartilhar.

FOCADA EM CRISTO
Comunhão (Koinonia) Edificação (Oikodomeo)

Confiança
Filipenses 2:5-8

Estamos debaixo da graça! Somos aceitos! Somos perdoados! Somos amados! Somos livres!

TIPOS DE GRUPOS
1. O estilo copo e canudo Cada membro vem ao grupo com a intenção de receber o que eles necessitam. O grupo é apenas como um copo cheio de suco de laranja e cada membro se aproxima do grupo com um canudo em suas mãos para sugar todo o líquido do grupo cada vez que eles se encontram. 2. O Discipulado Isolado Cada membro recebe a informação de que ele não é forte o suficiente para alcançar outros, portanto eles se isolam do resto do mundo em discipulado. Eles aprendem a orar, fazer estudo bíblico, etc... 3. O Grupo Refresco e Refil O grupo se encontra para tomar refresco espiritual e refil. Eles não se apóiam nos dons espirituais de cada um de seus membros. 4. O Grupo Projeto Esse tipo de grupo fará projetos periódicos agressivos de evangelismo no oikos. É uma mentalidade centrada no “NÓS contra ELES”. Depois de capturar uns poucos novos convertidos, o grupo se retira para seu confortável castelo. 5. O Modelo do Novo Testamento a. 1 Tim 3:15 “a igreja do Deus vivo, coluna e esteio da verdade...” O grupo pequeno é a pedra angular do Novo Testamento. b. 1 Cor 14:26 “Faça-se tudo para edificação....”
Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 23

c. Ef 5:19 “falando entre vós em salmos, hinos, e cânticos espirituais, cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração,.” d. Hb 10:24-25 “...e consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras..., antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia.”

POR QUE MULTIPLICAR AS CÉLULAS

• •

• •

As necessidades dos crentes e incrédulos são mais completamente supridas num ambiente de grupo pequeno; Dá aos membros da célula maior oportunidade para ministrar aos de fora; Em um grupo menor todos são importantes, ninguém é negligenciado; Mais líderes podem ser preparados; Não cria um problema físico de espaço; Não há muitas linhas de comunicação;

QUANDO AS CÉLULAS NÃO MULTIPLICAM • Estagnação • Mutação • Mortificação Plano para multiplicar 1. Trace uma meta definida, clara e possível 2. Mantenha uma visão. Trabalhe para multiplicar 1. Persista em oração; 2. Treine um apoio; 3. Evangelismo forte; 4. Nutrição aos novos convertidos; 5. Recrute membros. Multiplicação em celebração 1. Marque a data para a multiplicação; 2. Fixe um endereço para a nova célula; 3. Consulte o pastor da área para alocar os membros; 4. Organize um jantar; 5. Finalize os detalhes com o pastor da área.

HORA DE TRABALHO
1. PROPÓSITOS I. Permitir que o encontro finalize com um foco evangelístico. • Não-crentes • crentes II. Reter novos membros para a Célula. 2. COMPONENTES
Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 24

I. Compartilhe a Visão • Visão CGC; Cumprir a Grande Comissão • • Metas & estratégias; Metas das células - Ministração & Multiplicação; • Visão Pessoal. Exemplo II. Evangelismo Eficaz na Célula: 1. Identificar os não-crentes na célula. 2. Orar pelos perdidos; 3. Visitação; 4. Equipar os membros ( EEIII); 5. Mobilizar os membros para a colheita; 6. Conservar a colheita; 7. Identificar participantes para eventos de colheita e crescimento ( Cursilhos, SVES, Alpha, acampamentos, Conferências etc) III. Participação na visão, nos eventos e trabalhos da Igreja  Freqüência nos cultos  Divulgar atividades  Indicar ministérios para os novos membros  Ser parte viva da comunidade  Saber e transmitir a declaração de visão da Igreja e seus princípios  Levar as pessoa a se tornarem membros da igreja ( confirmação) Classe para membros IV. Orar e planejar a multiplicação  Esta ênfase deve ser dada no momento certo  Não sobrecarregar o grupo, mas passar isso naturalmente.  Grupos novos devem sentir-se motivados e não pressionados  Sempre orar na reunião por novas pessoas e ter um plano de pessoal para isso • Como compartilhar Cristo eficazmente? PASSOS PARA PAZ COM DEUS

CICLO DE PLANTAÇÃO – COLHEITA – SEMEAR E FRUTIFICAR
Observar o CALENDÁRIO ANUAL e lembrar da importância do BOLETIM SEMANAL para cada reunião das Células.
Além dos diversos Movimentos, os cultos dominicais terão sempre uma ênfase especifica para cada passo da Visão, onde todas as células deverá estar mobilizada.

CELEBRAÇÕES

Tudo Baseado na Célula

Cultos de Oração

EVENTOS Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 25

Teremos semanalmente: 01 – Celebrações dominicais com ênfases especificas para da passo da visão; 02 – Células; 03 - Cultos de Oração todas as quartas-feiras; 03 – Escola Bíblica Dominical; 04 – Classe para Novos Membros.

EVOLUÇÃO DOS GRUPOS DE PESSOAS NA MISSÃO E NA VIDA DA IGREJA
Os que visitam os cultos e Eventos da Igreja Sociedade Os Membros que não são comprometidos Multidão Congregaçãooo Aqueles que são ativos em ministérios.

Este é o campo Missionário, a região em que vivemos.

Núcleo Comprometidos

Os comprometidos com a Igreja e seu crescimento = Nossa Missão como Igreja

COMO TESTEMUNHO PESSOAL

PREPARAR

UM

Qualquer assunto pode ser apresentado com mais eficácia através de organização cuidadosa. Um testemunho cuidadosamente preparado, no poder do Espírito Santo, nosso desejo é apresentar Cristo de forma tão clara, atraente, mas forma simples, que aqueles que escutam não apenas quererão conhecê-Lo também, mas também saberão “como” conhecê-Lo pessoalmente. A B C = = = AUTÊNTICO BREVE CENTRADO EM CRISTO

Efeitos de um bom testemunho

1. Glória de Deus; 2. Derrota do inimigo (Ap. 12:11);
Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 26

3. Crescimento da Fé.
“SIM” E “NÃO” DE UM TESTEMUNHO DE UM MINUTO: SIM’s: 1. Peça ao Senhor para lhe dar sabedoria e direção quando você escrever (Js 1:5-6); 2. Faça um esboço em três tópicos “Minha Vida com Cristo”; a) Vida antes de conhecer a Cristo; b) Como você veio a conhecer a Cristo (seja específico). Explique palavras como “aceito”, “recebido”; c) Vida depois que você recebeu Cristo: mudanças que Ele tem feito, o que Ele significa para você agora; 3. Enfatize o ponto “c” acima se você se tornou Cristão quando criança; 4. Inicie uma sentença interessante, que atraia atenção e termine com uma boa frase de conclusão; 5. Escreva de tal forma que outros possam se sentir associados com você com experiências do passado e presente; 6. Dê bastante ênfase e exemplos que atraiam interesse; 7. Use um verso, se isso for pertinente ao seu testemunho. Só utilize dois versos quando isso for necessário para completar um pensamento; 8. Escreva cuidadosamente e reescreva antes do esboço final. Uma porção importante de seu testemunho será o que para você poderá parecer bastante simples - mudanças específicas e positivas em sua vida, mas essas coisas do dia-a-dia comunicam de forma eficaz às pessoas. NÃO’s: 1. Use jargões Cristãos. Palavras tais como “salvo”, “convencido”, “nascido de novo” e “pecado” do não comunicam verdades ao não Cristão comum. Apesar dessas palavras e frases serem preciosas para nós, elas são freqüentemente mal compreendidas e, conseqüentemente, ridicularizadas pelos não Cristãos; 2. Seja claro , detalhado ou enfatize quão mal você era anteriormente; 3. Fale em generalidades reluzentes. Afaste-se de palavras tais como “maravilhoso”, “glorioso”, “gozo”, “felicidade”, “paz fantástica”, etc...Se você usar um termo geral, dê exemplo do que você quer dizer; 4. Mencione igreja como denominação; 5. Fale de forma crítica ou negativa em relação a outro indivíduo ou membro do grupo; 6. Dê a impressão de que a Vida Cristã é um "mar de rosas”. Quando você for convidado a compartilhar seu testemunho, procure enfaticamente: 1. Compartilhá-lo com entusiasmo e amor no poder do Espírito. (Ef 5:18); 2. Fale de forma audível e clara, num tom de voz relaxado e natural. (Evite os vícios ministeriais); 3. Evite maneirismos quando você falar, tais como coçar o nariz, balançar moedas em seu bolso, balançar o corpo, limpar a garganta e usar “uh’s” e “ah’s”; 4. Evite discussões e outros tipos de métodos de pressão para forçar a pessoa a se “decidir” por Cristo; 5. Lembre-se que pessoas são nascidas do Espírito, não pela persuasão ou lógica dos homens, apesar de Cristo ter usado a ambos; 6. Sempre sorria! Peça ao Senhor para te dar uma face feliz, radiante; 7. Memorize seu testemunho e pratique-o até que ele se torne natural; 8. Mantenha ele suave e curto

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 27

FOLHETO COM TESTEMUNHO
Antes de receber a Cristo eu vivia desta forma: * * * * * Como eu recebi a Cristo: (Se alguém foi instrumento na sua conversão, mencione seu nome. Explique que através daquela oração você convidou a Jesus para ser senhor de sua vida.) * * * * * Depois que eu recebi a Cristo essas mudanças positivas ocorreram em minha vida: (não deixe de enfatizar vida eterna e a fidelidade de Deus.) * * * * * * Verso favorito ou pertinente pelo qual eu possa encerrar:(Se for possível, explique porque esse verso é pertinente em sua vida.) *

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 28

Lição Cinco
Gerenciando Uma Célula

ADMINISTRAÇÃO

SELEÇÃO DE UM LÍDER DE CÉLULA / APOIO PASTOREANDO UMA CÉLULA PREPARAÇÃO PARA A EXCELÊNCIA CONFLITO EM UMA CÉLULA ORGANOGRAMA DA LIDERANÇA EM UMA IGREJA CELULAR

SELEÇÃO DE UM LÍDER DE CÉLULA /APOIO
Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 29

1. PRINCÍPIO DE JETRO Êxodo 18:21 Mas você deve escolher alguns homens capazes e coloca-los como chefes do povo: chefes de mil, de cem, de cinqüenta e de dez. Êxodo 18 Quatro qualidade de alguém para estar acima de outros dez: • “Homens capazes” _____________ HABILIDADE • “Temente a Deus _____________ ESPIRITUALIDADE • “Confiável” _____________ RELACIONAMENTOS • “Odeie ganhos desonestos _______ ETICA Sugestões de JETRO para o líder: Êxodo 18:17-21 Sete sugestões para aquele que se sobrepõe sobre o povo 1. Compartilhar o fardo (18:17-21,23) • O líder será capaz de suportar a barra • O povo ira para casa satisfeito
2.

Ouvir bom conselho (18:19 a) Representar o povo perante Deus (18:19 b)

3.

4. Ensinar o povo (18:20 a) • Os estatutos e as leis 5. Mostrar ao povo (18:20 b) • Modelar a maneira de viver • Modelar os deveres que eles devem fazer 6. Selecionar lideres dentre o povo (18:21) • Mostrar-lhes sobre itens específicos • Deixe-os fazerem suas tarefas • Estar disponível ara problemas graves 7. Estabelecer um plano (18:24) 2. O QUE PROCURAR • Uma pessoa que ame Jesus. Aquele que está crescendo continuamente como Jesus, através de oração e leitura regularmente da Bíblia, e desejoso de obedece-lo. • Uma pessoa que ame o povo e mostre isso através de seu/sua paciência, com vontade de escutar, cuidado e interesse, disponibilidade e serventia. • Uma pessoa que ame a igreja de Cristo demonstrando através de sua lealdade, procurando manter a unidade da igreja e trabalhando para o seu crescimento em numero e qualidade. 3. CARÁTER CDSA • • • Confiável Disponível Submisso

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 30

Aprendizável

4. COMPROMISSO COM A VISÃO

PASTOREANDO UMA CÉLULA
O TRABALHO DO LÍDER DE UMA CÉLULA 1. Orar pelos membros da célula; 2. Liderar as reuniões semanais da célula; 3. Prover os membros da célula com uma ministração efetiva e evangélica; 4. Levantar um novo líder de célula (líder interino); 5. Segurar rapidamente `as duas agendas das células; 6. Ajudar o Pastor a mobilizar a igreja em eventos grandes; 7. Comparecer as reuniões dos lideres; 8. Orar e planejar a multiplicação; 9. Apresentar seu relatório semestral. O TRABALHO DO LÍDER APOIO DE CÉLULA. 1. Dar assistência e apoiar seu líder de célula em todos os momentos; 2. Liderar as visitas a membros necessitados; 3. Entrar em contato com todos os membros da célula que faltaram à reunião ou ao culto; 4. Orar pelo seu líder de célula; 5. Comparecer semanalmente as reuniões dos lideres; 6. Preparar-se para liderar uma célula quando seu grupo multiplicar;

PREPARAÇÃO PARA A EXCELÊNCIA
Existem mais algumas “dicas” aprendidas através de anos de experiência do ministério de grupos de células. 1. NA VÉSPERA DO DIA DA REUNIAO DA CELULA a. Você precisa estar certo do seguinte: • Você entrou em contato com todos os membros da célula para virem; • Alguém esta trazendo um novato e uma pessoa idosa; • Transporte para todos e estacionamento para os carros não e um problema; • As crianças dos membros serão bem cuidadas; • Orará a Deus para ministrar ao povo através de Sua Palavra e Espírito. 2. NO DIA DA REUNIAO: PREPARATIVOS PARA ANTES DA REUNIÃO a. Ir cedo para o local da reunião (Recepcionar o anfitrião) • Ser simpático, cortês e amistoso para com o proprietário da casa; • Ajudar o anfitrião a preparar a sala. b. Boas-vindas • O líder da célula deve dar pessoalmente as boas vindas às pessoas na sua chegada; • Cumprimente cada membro antes da reunião começar;
Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 31

• Seja entusiasta, caloroso e amigável (Pv 18:24 = não existe); • No sentido de começar a reunião no horário não entre em uma conversação prolongada, aconselhamento ou orando por necessidades. c. Boa acomodação • As pessoas idosas devem ser acomodadas em cadeiras confortáveis; • Mantenha os assentos vazios mais perto da porta. d. Seqüência da reunião É uma boa prática escrever sempre o roteiro da reunião em um pedaço de papel. • Ele dar uma orientação simples; • Isso reduz uma desnecessária ligação super espiritual. (1 Co 14:32); • Isso promove ordem e decência; 3. ABERTURA DA REUNIÃO. Comece sempre a reunião no horário. Nunca comece atrasada! Se você começa a reunião na hora, você ganha virtude ... se a começar atrasada, ganha vicio; Começando na hora é um bom exemplo de compromisso; Construa credibilidade e perfeição no seu grupo, com isso:  Você demonstra que respeitamos o horário dos outros.  Você estabelece um padrão para reuniões futuras do grupo. Começar tarde = ter “preguiça” ...você não pode prosperar. Pv 10:4 O preguiçoso fica pobre, mas quem se esforça no trabalho enriquece. Lembre-se: Você esta morando num mundo que rejeita a disciplina. Somente aqueles que tem amor e almejam perfeição amam a disciplina.  Você deve conduzir seus membros do grupo de célula a preferirem a perfeição. Se você ensina o seu pessoal ter pontualidade, eles irão responder a isso. Quanto mais tarde você começar a reunião, mais tarde eles virão para as próximas reuniões. 1. Você deve começar na hora e terminar na hora; 2. Deixe que as pessoas tenham conhecimento de que a reunião será clara, direta e pontual; 3. Eles responderão a isso e irão querer retornar nas próximas reuniões. 4. AMBIENTE DA SALA a. Dimensões físicas da sala: Tenha certeza de que a sala tem o tamanho apropriado para a sua célula.

b. A arrumação das cadeiras: • A arrumação das cadeiras está muito formal? Dirigida a uma calorosa camaradagem? • Tem o numero correto de cadeiras? • Sentar-se em um grande circulo não e uma boa arrumação A pessoa que está no lado oposto se sentirá muito longe de cada um; • Você arrisca a expor a pessoa a uma má compreensão; • Há um fraco contato no olhar quando você ora ...alguns têm de se virar para o lado; • Não há um melhor efeito sonoro quando o grupo da célula canta. c. Claridade: Assegure-se de que a sala esteja bem iluminada.
Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 32

d. Ventilação: • Está muito quente? Abafado? Ponha-se sempre no lugar dos outros; • Ar condicionado: para uma melhor concentração mantenha a temperatura sempre entre 22º C e 24ºC ... preste atenção a corrente de ar direta. e. Verifique coisa que possam distrair: • Você está colocado em frente a algo que o distraia? • A sala está arrumada? Limpa? • Assegure-se de que toda a atividade familiar tenha terminado. Os brinquedos das crianças foram guardados, os pratos do jantar foram retirados, não há crianças correndo; • Assegure-se de que a televisão e o radio estejam desligados. Mesmo durante a hora de confraternização ... trará desconcentração. f. Folhas de cânticos e outros apetrechos: Deverão estar cuidadosamente arrumados em um canto. g. Relógio: A localização do relógio deve estar fora da visão das pessoas.

CONFLITO EM UMA CÉLULA
Existe uma diferença entre um conflito sadio e um conflito destrutivo em um grupo de célula. É um conflito sadio discordar honestamente de alguma coisa que esteja sendo discutida no grupo. Porém o alvo num conflito sadio é: • ser ouvido; • • • • expressar um ponto de vista; expandir e clarear o entendimento do grupo; promover (cura) pessoal e para o grupo; receber respostas pessoais e ajuda;

• concluir em unidade, paz e consenso para encorajar o líder. Entretanto, um antagonista que traz uma dinâmica doentia para o grupo de célula deve ser identificado e confrontado. O alvo de um antagonista é: - atenção; - separação; - destruição; - interesse próprio; - conflito em vez de paz; - controlar e manipular; - a necessidade de mudar outros; - ganhar uma discussão; - estabelecer facções no grupo; enfraquecer a liderança e a autoridade O que um líder de grupo deve fazer a respeito de um antagonista? 1. Se antecipar ao antagonista: Se você reconhecer um antagonista antecipadamente, tente não deixa que ele se envolva com o grupo. Uma vez que isso aconteça, haverá muita chance de que você vá ter problema. 2. Não se aquiete com antagonista: Uma vez que o antagonista torne-se parte do grupo, não se aquiete com ele porém, mantenha-se alerta e leve em conta eventuais ações dele que possam ser destrutivas e separatistas. 3. Tome ações imediatas:
Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 33

Fale diretamente com ele na hora da desavença ou crítica e diga; “Isto não é apropriado. O que você está dizendo é prejudicial a este grupo. Eu não permitirei que isso aconteça”. 4. Exerça uma liderança forte: Seja forte. Nunca permita que um antagonista ganhe a primeira rodada ou a habilidade de intimidar. Exerça a sua autoridade como líder de grupo. 5. Proteja o grupo: Se necessário, simplesmente peca a ele que não retorne ao grupo. O grupo é mais importante do que uma pessoa! 6. Mostre o lugar apropriado para curar-se: Ele precisa de aconselhamento e ajuda espiritual, não de um grupo pequeno.

ORGANOGRAMA DA LIDERANÇA EM UMA IGREJA CELULAR
REITOR EQUIPE PASTORAL

PASTOR DE ÁREA

PASTOR DE ÁREA

PASTOR DE ÁREA

PASTOR DE ÁREA

SUPERVISOR

SUPERVISOR

SUPERVISOR

LÍDER DE CÉLULA

LÍDER DE CÉLULA

LÍDER DE CÉLULA

LÍDER DE CÉLULA

LÍDER DE CÉLULA

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 34

Lição Seis
Gerenciando a Célula

A Estação do Poder

A VIDA DE ORAÇÃO DO LÍDER DE CÉLULA A IDENTIFICAÇÃO DE UM GUERREIRO DE ORAÇÃO A MOBILIZAÇÃO DA ORAÇÃO NA CÉLULA ITENS DE ORAÇÃO ORAÇÃO ITINERANTE

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 35

A VIDA DE ORAÇÃO DO LÍDER DE CÉLULA
1 Sm. 12:23 “Quanto a mim, longe de mim esteja que eu cometa pecado contra o Senhor, deixando de orar em favor de vocês tudo quanto for bom e direito. Existem dois tipos de pecados:

A. B.

Pecado da ação – alguém está fazendo o que nós sabemos ser errado; Pecado da omissão – Alguém não está fazendo o que nós sabemos ser certo.

Assim sendo a falta de oração é pecado. Não adianta ter o conhecimento sem que seja colocado em prática. Quando disseram a Rainha Vitória que ela seria a próxima rainha, a primeira coisa que ela fez foi ajoelhar-se e orar. Porque ela estabeleceu como prioridade orar, ele governou a Inglaterra por 64 anos. O Pastor Lawrence Khong, Pastor Sênior da Igreja Batista da Fé Comunitária (IBFC), uma vez ele disse, “A oração é como uma força aérea fazendo uma guerra. O campo de batalha é decidido pelo lado que tem a supremacia aérea”. Nós todos sabemos da importância da oração. A oração modifica as coisas. Deve começar com você, o líder!

1. 2. 3.

Desenvolver uma vida pessoal de oração. Identificar um guerreiro de orações para a célula. Mobilizar pessoas de oração dentro da célula.

A IDENTIFICACAO DE UM GUERREIRO DE ORAÇÃO
A pessoa deve ser:

1. 2. 3.
4. 5.

Determinada a orar especialmente pelo grupo da célula. Desejosa a sacrificar-se. Preparada para ser instruída para aprimorar o dom da intercessão. Comparecer a pelo menos a uma reunião de oração. Crescer espiritualmente.

A MOBILIZAÇÃO DA ORAÇÃO NA CÉLULA
O quanto mais forte for a vida de oração de cada membro da célula, mais forte será o grupo da célula. O líder da célula deve ser um exemplo e um motivador. 1. A oração no Grupo da Célula: Orar pelo: ο O propósito da igreja; ο ο ο Os ministérios da igreja; As colheitas dos eventos; A multiplicação da célula;

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 36

ο ο ο ο

Líder da célula; Pastor Sênior, Pastor da Área, Supervisor da Área e os empregados da igreja; Família; Governantes;

ο Nação. Ministrar: ο Pelas necessidades dos membros; ο Entre um e outro; 2. Orações pessoais: ο Orações normais e urgentes;

ο

Cartão OASA (Orar Até a Salvação Acontecer);

ο Itens de oração do boletim semanal. 3. Oração Corporativa: ο Encontro Matinal de Orações; ο ο ο ο Oração antes da Celebração; Encontro de oração da Área; Encontro de oração Interigrejas; Caminhada de oração / carreata de oração.

ITENS DE ORAÇÃO
ο 1. 2. 3. 4. ο 1. 2. 3. 4. 5. 6. ο 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. O Pastor Reitor, Pastor de Área, Supervisor e a equipe da Igreja: Visão clara; Unção, encher-se do Espírito Santo; Humildade e vida corretas; Proteção: saúde, família, relacionamento, casamento, finanças e integridade. Líder da Célula: Unção na liderança espiritual; Bom senso na liderança espiritual; O coração do pastor; O amor intimo e o relacionamento com Deus; Frutificar e eficácia no ministério; Proteção Divina. Membros da Célula: Necessidades pessoais; Profunda sede de Deus e de Sua Palavra; Progresso na vida pessoal; Maturidade espiritual e vida de oração; Compromisso com o grupo da célula; Envolvimento no ministério e vontade de ser treinado; Proteção. Cartão OASA – Oração Até a Salvação Acontecer:

ο

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 37

É um cartão usado para motivar que cada membro ore por 5 propósitos em 5 itens por 5 minutos e 5 dias por semana. 1. Sede por Deus; 2. Aberto ao Evangelho; 3. Sensível ao Espírito Santo; 4. Derrubar fortalezas; 5. Amarrar o poder das trevas; 6. Liberar as bênçãos de Deus.

A ORAÇÃO INTINERANTE
    É batalha espiritual; É não ficar atado a qualquer regra ou regulamento; Requer fé, paciência e perseverança; É uma demonstração de bênçãos para comunidade através da oração;

A. PROPÓSITO: Mover a igreja dentro da comunidade.  Melhora nossa amizade  A caminhada ajuda a sensibilizar você a realidade de sua comunidade.  Destaca as necessidades e muda as condições de sua comunidade.  Vai ate onde o povo está.  Alarga a nossa visão.  Invade o território de Satanás. B. OBJETIVO: Steve Hawthrone no seu livro “A oração intolerante” define ser “Orar num local com discernimento”.

Orar em lugares é importante para nós. Quando oramos assim, nós precisamos estar cientes de três coisas. compreensiva – abre os nossos olhos para observar. Percepção compreensiva é a habilidade de observar e ver os pequenos detalhes das coisas.

a) Percepção b) Pesquisa

compreensiva – algumas pessoas que oram intinerantemente, fazem antecipadamente uma pesquisa sobre cultura, etc. A pessoa que ora tendo o conhecimento é eficaz por causa de nossa convicção através da pesquisa.

c) Revelação compreensiva – deve ser baseada nas Escrituras. O Espírito Santo pode também nos
dar revelações quando nós oramos.

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 38

C. SEIS CONHECIMENTOS BASICOS NA ORAÇÃO INTINERANTE: 1. Oração conversacional: Será melhor se for feita em grupos de 3 para melhores resultados e consistência. Algumas regras simples para se fazer uma oração conversacional: a. Fale um de cada vez: Se todo mundo falar ao mesmo tempo, como você irá ouvir o que os outros estão dizendo? Não recomendamos que um grupo estejam orando em línguas em voz alta enquanto outros estão orando em linguagem comum.

b. Mantenha sua conversa simples e curta; c. Tenha um motivo para a oração;
d. Orando em línguas e em linguagem comum; e. Orar audível porem sem ser estridente; f. Louve, dê graças e cante com dedicação; g. Caminhe lado a lado em vez de um atrás do outro; h. Siga o mover do Espírito Santo. 2. Orar com as escrituras: Leia em conjunto uma parte das Escrituras. Reforce a verdade com suas próprias palavras. Por exemplo: Is 55:7 “Que as pessoas perversas mudem a sua maneira de viver e abandonem os seus maus pensamentos. Voltem para o Eterno, o nosso Deus, pois ele tem compaixão e perdoa complemente.” Use este versículo para orar por aqueles que não crêem e diga: “Pai, você é um Deus misericordioso. Você perdoará livremente a todo aquele se voltar para Si. Deixe que aquele que visite este lugar abandonem seus caminhos e se voltem para Ti.” 3. Ore com o Espírito de Deus: Fique quieto. Algumas vezes você quer apenas ficar quieto enquanto você anda de um lado para o outro para ouvir o Senhor. Pratique os dons espirituais. Ouçam uns aos outros. O Senhor pode mostrar visões, uma passagem das Escrituras, ou uma ação profética que deva ser tomada. 4. a) b) c) Identificação da Intercessão: Identificar-se com os pecadores. Implorar por perdão. Buscar arrependimento.

5. Orar pelas bênçãos: Benção é a forma mais poderosa de afirmação. FALE ALTO AS SUAS BÊNÇÃOS. Pv. 11:11 “Quando as pessoas honestas abençoam uma cidade, ela se torna importante, mas as palavras dos maus a destroem.” 6. Oração em contato: Isto significa orar por pessoas para terem uma chance de encontro. a. Iniciando a amizade:
Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 39

Desejo de criar expectativas. Seja amigável. Estenda a mão de amizade para eles. Tenha sempre um sorriso na face; Comece com uma simples introdução; Cumpra a etiqueta social. Não seja intrometido. b. Desenvolvendo a amizade: Pare sempre no mesmo lugar; Agarre as oportunidades para orar por bênçãos; Orações simples: Ore diretamente para o propósito e no nome de Jesus; Esteja a disposição. Encontre um meio de fazer acompanhamento e desenvolver um relacionamento posterior; O orador itinerante pode agarrar o momento de Deus ou semear as sementes para depois colhe-las mais tarde. Aprenda a conhecer o momento de Deus; Não é necessário onerar o orador itinerante com testemunhos ou técnicas padrões de evangelização. Como Deus responde as preces, você encontrará oportunidades de explicar a fé. D. PROCEDIMENTOS: 1. Clame pelo sangue de Jesus sobre nos mesmos, nossa família e as pessoas que amamos; 2. Esteja espiritualmente preparado através da penitencia e purificação; (2 Cr 7:14) 3. Comece com louvores e ações de graças; 4. Coloquemo-nos sob a liderança do Espírito Santo; 5. Peça discernimento ao Espírito Santo; 6. Clame pelo nome de Jesus e declare o reinado da palavra de Deus sobre este lugar; 7. Ore pela revelação de Jesus em nossa vizinhança: Js 1:3 Como disse a Moisés, eu lhes darei toda a terra que pisarem... Você nunca será derrotado. Eu estarei com você como estive com Moisés. Nunca o abandonarei. 2 Rs 6:16 Não tenha medo, pois aqueles que estão conosco são mais numerosos do que os que estão com eles. Ls 10:19 Eu dei a vocês poder para pisar cobras e escorpiões e vencerem a forca do inimigo, sem sofrerem nenhum mal. Mt 16:18b· Nem a morte poderão vencer a igreja. 8. Glorifique e adore e conclua a oração.

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 40

1. Eventos Plantação: ALCANÇAR

Células

Culto Evangelistico 1a Domingo O.V.

EJC; ECC; EAC; Acampamentos Evangelismos;

2. Eventos Colheita: CONSOLIDAR 3. Eventos Semear: TREINAR 4. Eventos Frutificar: ENVIAR 5. Eventos Regar: AMAR

Células

Culto c/ Comunhão 2a Domingo – R. E.

SVES;JDH;MEC Acampamentos Comemorações

Células

Culto de Ensino 3 Dominho – O.V.
a

EBD; Membros ETLC; confelide

Células

Culto de Comissão 4a Domingo – B.S.

Servir nos eventos IDE;

Células

Culto do Amigo 5a Domingo

Dia das Células Mãos a Obra!!!

Apostila do Curso de Líderes de Células da Paróquia Anglicana Comunhão 41