VARIABILIDADE DAS PROPRIEDADES FÍSICAS E QUÍMICAS DO SOLO EM UMA LAVOURA DE CAFÉ CATUAÍ NA REGIÃO DE PATOS DE MINAS MG Fulano de Tal

(1); Ciclano de Tal (2)
(1) (2)

Graduando em xxxxxxxxxxx do Centro Universitário de Patos de Minas - UNIPAM. email do aluno Professor do curso de xxxxxxxxxxxxx do Centro Universitário de Patos de Minas – UNIPAM.email facultativo

INTRODUÇÃO O café (Coffeaarabica L.) é uma importante commodity no mercado mundial de produtos agrícolas e agroindustriais. No início do século XXI estimava-se que o setor do agronegócio cafeeiro movimentou cerca de U$ 55 bilhões anuais em todo o mundo (STRENGER, 2001). Minas Gerais tem se destacado como um dos principais produtores do país, e esta liderança deve-se, principalmente, a inserção de áreas de Cerrado no sistema produtivo como a região do Alto Paranaíba. Essa região que antes foi considerada pobre para a agricultura, hoje possui lavouras empresariais, com prioridade para a mecanização e boa qualidade do café produzido. Souza e Alves (2003) demonstraram que sob uso os solos tendem a apresentar modificações quanto às características físicas e químicas em relação ao Cerrado nativo, sendo essas alterações mais evidentes na camada superficial (ALVARENGA e DAVIDE, 1999). Considerável contribuição a essas alterações é dada pela modificação rápida dos teores iniciais de matéria orgânica incitada pela utilização da prática de revolvimento de camadas superficiais do solo. Em solos tropicais a matéria orgânica do solo tem grande influência sobre os atributos químicos e físicos, por isso, é considerada componente chave para a sustentabilidade dos sistemas agrícolas (ALVES et al., 2006). Visto a importância da cultura para a região, estudos que envolvem a qualidade do solo são imprescindíveis, tendo em vista que esta pode ser de fundamental importância para o desenvolvimento das plantas, correção e fertilização das lavouras. Desta forma, o presente trabalho teve por objetivo estudar a variação dos teores de matéria orgânica e propriedades físicas e químicas em uma lavoura de café na projeção da saia e entre linhas.

MATERIAL E MÉTODOS O experimento foi realizado em uma lavoura comercial de café Catuaí (CoffeaarabicaL.), com dois anos de idade, localizada na Escola Agrotécnica Afonso Queiroz

(2006). Em cada amostra foram determinados os teores de: Ca2+. e na entre linha a 1. que afirmaram que esse efeito é possivelmente devido às pressões aplicadas pelas máquinas.00m entre plantas e 3. densidade de partículas sólidas (Dp). Tais efeitos demonstram a .0 a 0.00m entre linhas em Latossolo Vermelho Eutroférrico textura argilosa (EMBRAPA. K+ e Al3+ trocáveis. pH em H2O. três para cada ponto de amostragem. acidez potencial por Acetato de Cálcio. respectivamente. Maiores valores de densidade do solo (Ds) foram observados na entre linha (1.50m do caule. RESULTADOS E DISCUSSÃO Com base nos resultados observaram-se diferenças significativas nos atributos físicos excluindo os valores de porosidade total (PT) e a densidade de partícula (Dp) indicando a homogeneidade da composição mineralógica das frações granulométricas que compõem o solo (Tabela 1). três blocos e três pontos de amostragem. dois tratamentos (projeção da saia e entre linha). As amostragens foram realizadas aleatoriamente em 9 pontos. matéria orgânica total (MO).20m.05 de probabilidade utilizando o software Sisvar (FERREIRA. As determinações laboratoriais foram realizadas no Laboratório de Análises de Solos da Faculdade de Ciências Agrárias do UNIPAM tendo como base a metodologia proposta pela Embrapa (1997). observaram-se variações físicas e químicas entre os tratamentos estudados dependentes do manejo da fertilidade e tratos culturais utilizados. umidade e porosidade total (PT). Tal prática é comum.0 a 0. modificando o arranjo das partículas do solo. na profundidade de 0.43 Mg m-3). com 3 repetições por ponto de amostragem. P-disponível por Meh-1. Em cada ponto foram coletadas amostras indeformadas na projeção da saia a uma distância de 0. tais resultados foram também constatados por Silva et al. Nos mesmos pontos amostrados foi determinado o grau de compactação utilizando um penetrômetro de impacto na profundidade de 0. 2000). utilizando-se um trado de anel de Kopen. 2006).20m. Mg2+. principalmente quando úmidos. uma vez que é realizado o controle do mato na entre linha com roçadeira.no município de Patos de Minas na região do alto Paranaíba em Minas Gerais. O delineamento experimental foi o em blocos inteiramente casualizados em um esquema fatorial 2x3x3. densidade do solo (Ds). A partir das determinações os dados foram submetidos à análise de variância e as médias foram comparadas pelo teste de Tukey a 0. A lavoura foi implantada com espaçamento de 1.40m do caule. Contudo.

Tabela-1.20m---------------------------------------0. 2009.48 a 6. a 5% de probabilidade. em lavoura comercial irrigada. 2008. Patos de Minas.57 a 0.99 Médias seguidas de mesma letra. na região do Alto Paranaíba em Minas Gerais. não diferem entre si pelo teste de Tukey. MG.79 1.0 a 0.necessidade de acompanhar mais detalhadamente do desenvolvimento das plantas e resposta em produtividade.30 a 8.44 a 29. na linha. Dp:Densidade de partícula. .(2)U:Umidade do solo. PT:Porosidade total. Atributos físicos em Latossolo Vermelho Eutroférrico argiloso. a fim de se aprimorar as técnicas de cultivo. RP:Resistência a penetração. (ii) acúmulo de matéria orgânica e CTCT foram semelhantes nos tratamentos saia e entre linha. Local de coleta Projeção da saia Entre linha CV % (1) PT Ds Dp RP U m-3m-3 Mg m-3 Mg m-3 PMa % ------------------------------------------0. na projeção da saia e entre linhas.41 1.43 a 4.57 b 22.52 a 2.15 b 1.27 3.27 a 3.11 a 11.73 30. Ds:Densidade do solo. em uma lavoura de café. 1900ral 1900ral 1900ral Série 1 1900ral Série 2 Série 3 1900ral 1900ral 1900ral Categoria 1 Categoria 2 Categoria 3 Categoria 4 Figura 1 – Modelos de regressão e curvas de produtividade de milho (kg ha -¹) em função de aplicação de doses de P2O5 (kg ha-1) com monofosfatoamônico polimerizado (POL) e convencional (MAP). CONCLUSÕES (i) a área da entre linha apresentou maiores valores de densidade do solo e de resistência a penetração.

Z.v. J. Jornal Coffee Business. Brasília. . p-133-162. Calagem no sistema semeadura direta. C. DAVIDE. STRENGER. Ci. n. Efeitos de sistemas de preparo e de cultura na dinâmica da matéria orgânica e na mitigação das emissões de CO2. & MARTIN-NETO.512.. C. R. EMBRAPA – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. REFERÊNCIAS ALVARENGA. Embrapa – SPI. Solo. 212p. C.. Ci. C. MERCANTE. 1997.R. 22:675. CAMPOS. Lei da oferta e da procura. 2001. R. 2006. Ci.684. n. M. T. 41:18-22. Bras. 2003. Dinâmica da Matéria orgânica do solo em sistemas conservacionistas: modelagem matemática e métodos auxiliares. M. ALVES. J. 2000.(iii) o efeito da correção do solo e uso de fertilizantes na lavoura esteve restrito a projeção da saia das plantas.. D. L. p. M.. POTTKER.& BEN. C. 2 ed. 2000. SILVA.9. Solo. Manual do sistema Sisvar para análises estatísticas. D.C. F. Rev. Bras. 24:599-607. C. FERREIRA. Os resumos devem conter no máximo 4 páginas . 1997. p.G. BLANCANEAUX. R. 23. Calagem para uma rotação de culturas no sistema plantio direto. Ci. v. M. M. N. R. SALTON. In. Propriedades químicas de um Latossolo Vermelho Distrófico de cerrado sob diferentes usos e manejos. 4. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Bras. ROSCOE. 66 p. Lavras: UFLA.3. R. Embrapa Agropecuária Oeste. Manual de métodos de análise de solo. BODDEY. Solo. S. Bras. Características físicas e químicas de um latossolo vermelho escuro e a sustentabilidade de agroecossistemas. Viçosa. n. CURI. BAYER. SISTI. Sua normatização (formatação) deve seguir as sugestões apresentadas nesse modelo. N. 2485 – 2492. A. D. Brasília.M. URQUIAGA.. v. ed.. N. SALTON. 12. v. Dourados. ALVES.. P. J. 1999. n.. Rev. 27. 35. J. 1998. SÁ. J. SOUZA. J. 1. M. Pesquisa Agropecuária Brasileira. Emprego do isótopo estável C13 para o estudo da dinâmica da matéria orgânica do solo.. P.. J. R. B. MIELNICZUK. V.. L. 2006. F. Solo. Sistemas de manejo e qualidade estrutural de latossolo roxo.