UNIRIO – CCH FACULDADE DE FILOSOFIA FILOSOFIA ANTIGA – PROFESSORA PAULA LOPES FRANCISCO GABRIEL DA ALEXANDRIA PIRES

A POLÍTICA NO PERÍODO PRÉ-SOCRÁTICO

INTRODUÇÃO Neste trabalho apresentaremos alguns elementos do contexto histórico da Grécia Antiga, especificamente do período pré socrático. Analisaremos elementos que fizeram parte desta conjuntura e que nos permitem melhor compreender o surgimento da Filosofia. Trataremos da relação social, política e econômica deste momento que geraram as condições históricas para as transformações e a relação da nascente filosofia com a política e as novas formas de poder, como a democracia. Em seguida analisaremos o discurso de três pensadores Heráclito, Parmênides e Empédocles na política nascente e suas implicações no contexto da época.

CONTEXTO DE SURGIMENTO DA DEMOCRACIA E A POLÍTICA Tradicionalmente, a Grécia Antiga abrange o período de 1.100 a.C. até a dominação romana em 146 a.C. É um período histórico rico em transformações, que levou alguns estudiosos a cunharem o termo “milagre grego” para descrever o salto de uma cultura rudimentar até o surgimento de uma sociedade que lançou as bases culturais de todo o ocidente. O tempo histórico dos filósofos pré-socráticos é compreendido do século VI a.C. ao início do século IV a.C. mas não porque todos os seus membros teriam nascido ou vivido antes de Sócrates e sim pelos temas que abordaram. A sociedade Grega emergiu de uma cultura de clãs sedentários, que viviam de a uma agricultura insipiente e pequenas criações de animais e era marcada pelo patriarcado, pela noção hereditária de linhagem. Com o desenvolvimento econômico e aumento populacional a necessidade de expandir cresceu. O relevo, compartimentando o território, torna alguns locais mais facilmente interligáveis através do mar, o que acelerou a comunicação, o

A medida que explicações racionais ganharam espaço em detrimento da palavra do poeta. O PENSAMENTO DOS PRÉ-SOCRÁTICOS HERÁCLITO Para os que entram no nos mesmos rios. produzir em maior quantidade e armazenar produtos. até V a. do rei. na Jônia. a moeda. reúnem-se. e. a escrita alfabética. pois foi possível aumentar o repertório de consumo. agregando os pontos positivos e abstraindo os pontos negativos.. Lançando mesmo que em germe as sementas das cidades-estados gregas.comércio. as instituições e a organização social. Heráclito.C. crenças e valores culturais entende-se que procuremos que os nossos sejam verdadeiros. O comércio foi fundamental na constituição da conjuntura grega antiga. e do profeta – que eram tidas como a verdade. explicações racionais da realidade. Nasceu em Éfeso... inspiradas nas musas. (Heráclito de Éfeso) Heráclito de Éfeso provavelmente viveu entre o século IV a. como o fortalecimento de um setor dedicado as navegações. Nesse contexto de confrontamento de ideias. Dispersaram-se e. juntas vêm e para longe fluem. assim gerando riqueza e o desenvolvimento de novas técnicas.C. geralmente. aproximam-se e afastam-se. nesse aspecto. ainda que conservassem a estrutura mitológica e o estilo fantasioso. ao contrário da maioria dos pré-socráticos tem fragmentos e bastante doxografia nos quais podemos notar algumas nuances de seu pensamento. o calendário e etc... deuses ou mitos – essas figuras foram aos poucos perdendo suas funções políticas. inclusive. outra e outras são as águas que por eles correm. o confronto com outras culturas e povos. conhecido na tradição filosófica como o “Obscuro” e “Enigmático”. da pólis A comunicação com outros povos só foi possível a partir de um esforço para lidar com as diferenças e entendê-las.. com coerência interna e sustentação argumentativa ganharam um espaço na disputa com explicações mitológicas. Substituídas pelos membros de conselhos ou assembleias.. como no trecho a seguir: “Pois uma só coisa escolhem os . As novas colônias fundadas a partir do fluxo migratório procuravam manter as tradições...

(Os) que falam com inteligência é necessário que se fortaleçam com o comum de todos. nem deveriam tomar decisões políticas importantes e definir os rumos da cidade. se for o melhor” (Galeno De Dignoscendis Pulsibus.” (Clemente de Alexandria. mas a maioria está empanturrada como animais. . 174) A Lei da cidade se fortaleceria com comum de todos. “Lei (é) também persuadir-se a vontade de um só” (Clemente de Alexandria. domina tão longe quanto quer. a divina. vemos que Heráclito não considera a democracia como a melhor forma de governo. 166). com o respeito de todos. ou melhor. e uns ele revelou deuses. assim como o escravo e o livre. de todas rei. V. respeitar a ordem. Nessa última citação ele abriu espaço pra outra interpretação. XI. o rei é feito rei pelo combate. que dizia que o logos. 2. respeitá-las. também é respeitar a lei divina. Florilégio. e que é preciso persuadir-se para segui-las. Em “Um para mim vale mil. que se interpretada literalmente é uma declaração de apoio à oligarquia ou a tirania. legitimando não só a tirania e a oligarquia. Refutação. VIII. de uns fez escravos. outros homens. um rumor de glória eterna contra as (coisas) mortais. Tapeçarias. já que “animais” não são capazes. deixando claro que a lei é de interesse de poucos. muito mais fortemente: pois alimentam-se todas as leis humanas de uma só. o que expressa uma justificação dos deus para as leis dos mortais. através de um discurso racional. Heráclito coloca uma relação entre o divino e mortal como se os mortais fossem determinados pelo divino. as leis mortais. I. “O combate é de todas as coisas pai.melhores contra todas as outras. 9) A lutas dos contrários um dos pensamentos centrais de Heráclito. mas também as instituições de poder nascente. pois. de um só. e é suficiente para todas (as coisas) e ainda sobra (Estobeu. de outros livres” (Hipólito. a racionalidade.) Aqui podemos perceber uma atitude aristocrática. a ordem do mundo é fruto de tensões contrárias que se sucedem sem cessar aparece aqui como explicação para situação social e política. Tapeçarias. assim sendo. tal como com a lei da cidade. e obedeceria a lei superior. A pólis ganhou aqui uma explicação proveniente da explicação cosmogónica de Heráclito. A lei é fundamental para o bom funcionamento da organização social. I. a lei divina. 733) Heráclito defende a mesma posição. é o poder em sua forma jurídica.

do âmago inabalável da verdade bem redonda. do sensível. anualmente os magistrados de Eleia faziam os cidadãos jurar guardar leis que Parmênides lhes dera. a palavra leiga das assembleias. No entanto também isto aprenderás. . o ser é imóvel. Temos aqui um posicionamento político importante de Parmênides.PARMÊNIDES “Pois não foi o mau destino que te mandou perlustrar esta via (pois ela está fora da senda dos homens). isto é. longe das praças. onde o escravo é escravo e não pode deixar de ser.” (Parmênides de Eléia) Nasceu em Eleia e. onde se encontrou com o jovem Sócrates. tendo sido o primeiro legislador de sua cidade recém-fundada. portando entre 504 e 500 a. segundo Diógenes de Laércio. extraímos uma justificação para a organização social “engessada”. longe dos escravos e perto de uma elite pensante. e Via da Opinião. onde ele foi levado até a presença da Deusa que revelou lhe a Verdade. separada em Via da Verdade. sem transformações drásticas. e o rei é rei e não pode deixar de ser.” ( CHAUÍ. é preciso que de tudo te instruas. e já que são não podem não ser. A questão do movimento. Mais que uma explicação á longo prazo para as camadas sociais existentes. o caminho do ser. como as aparências deviam validamente ser. das palavras mutáveis. porém segundo Platão. quando no terreno social também pode ser utilizada para fins políticos. que coloca a verdade. um sistema imutável. Uma é a via inspirada.. “Parmênides participou ativamente da política. e. a outra a via das opiniões. conhecido na tradição filosófica pelo título Sobre a Natureza. da racionalidade. o poder de decisão como proveniente de uma racionalidade. de uma aristocracia. e de opiniões de mortais. mas lei divina e justiça. segundo os doxógrafos. imutável. 2002) Deixou um poema do qual restam alguns fragmentos.C. seu florescimento situa-se na 69ª Olimpíada. em que não há fé verdadeira. Parmênides esteve em Atenas. tudo por tudo atravessando. Já que “o ser é e o não ser não é”. também se pode dizer que é as instituições políticas são. uma organização.

o sistema político que permite que forças contrárias fossem a harmonia. O segundo ponto da citação de Nietzsche é mais rico politicamente. o contemporâneo de Ésquilo. Uma teoria que suportou dentro de si o Amor e Ódio foi tendencialmente democrática. que ganharam movimento com Ódio que as separa e com Amor que as junta. e todos mereciam. O que mais me surpreende nele é seu extraordinário pessimismo. Não é comum que alguém de uma casta superior queira dividir os privilégios materiais ou políticos. Friedrich. pois a reforma social e a abolição da propriedade. terra. seu pensamento básico é levar os homens à “sociedade de amigos”. Ele não enxergava as diferenças sociais com bons olhos já que todos eram capazes de viver em harmonia. dramaturgo.EMPÉDOCLES “Ele é o filosofo trágico. Empédocles nasceu em Agrigento. em 444-443 a. Apolodoro fixa seu florescimento por volta da 84ª Olimpíada.C. a criação de tudo. Para fundar o reino exclusivo do amor fraternal. Empédocles foi poeta. escolheu a vida de profeta errante depois de ter fracassado em Agrigento” (NIETZSCHE. agua e éter(ou ar).” (CHAUÍ. mas um pessimismo ativo e não quietista. “Seu pai tinha um lugar importante no governo democrático da cidade e ele próprio participou da vida política de Agrigento. quer. já que o “milagre” grego e . Ora. São as raízes de todas as coisas existentes no mundo. Isto revela uma um pensamento radicalmente democrático. místico inventor da eloquência. por isso Empédocles é uma figura ímpar de sua época. médico e cosmólogo. foi desterrado pelo tirano. contudo parece um tanto utópico. Além de político. O Nascimento da Filosofia na Época Trágica Grega) Filho de Metão. tendo combatido a tirania que ali tentara se instalar e. mas como faz delas as causas do movimento. indestrutíveis. quando ela se tornou vitoriosa. dos pitagóricos. a reforma social e abolição da propriedade. não se faz distinção daqueles que podem participar da “sociedade” e a propriedade tem de ser um bem de todos no reino do amor fraternal. homem de ciência. 2002) Nietzsche define Empédocles politicamente como democrático o que faz muito sentido se analisarmos as teorias cosmogônicas do pré-socrático. Empédocles quer estabelecer uma “sociedade de amigos”. Empédocles não teoriza sobre seu “reino do amor fraternal”. misturando e fazendo surgir tudo que há. Se suas opiniões política são democráticas. portanto. Há que se fazer uma consideração. é a democracia. Empédocles não só agrupa forças contrárias dentro de sua teoria. São quatro raízes de todas as coisas: fogo.

Estima-se que as participações políticas na ágora ou assembleias tomavam grande parte do tempo útil do gregos o que só era possível se estivessem liberados de trabalhos pesados. acima de qualquer interesse pessoal. ainda há muitas conclusões a tirar de todo uma época. embora saibam que alguns deles mesmo que não em toda vida.todo o desenvolvimento técnico econômico e até a política grega eram baseados numa força de trabalho escravo. mas não entendiam ou não sabiam como funcionava a sociedade grega? Prezado leitor. do desenvolvimento político e econômico. Quem eram as pessoas quem não participavam da vida política grega? Como elas eram chamada? E as pessoas que tinham algum tipo de ferramenta política. existem pouquíssimos fragmentos declaradamente políticos. a pessoa que o representará e defenderá seus direitos com unhas e dentes. O salto da sociedade grega só foi possível um sistema complexo de escravidão. Conclusão Não é um exagero dizer que a sociedade grega lançou as bases de todo o ocidente. ainda é possível enxergar um fio de continuidade em vários aspectos. Os discursos analisados aqui refletem não só a sociedade da época. Se a partir das reflexões postas o leitor tenha feito qualquer tipo de analogia com a sociedade em que vive o objetivo está cumprido. inclusive na política. o partido. Os Filósofos pré-socráticos analisados nesse breve trabalho (Heráclito. como o voto. qualquer benefício próprio. Parmênides e Empédocles) não dedicaram a maioria de suas obra as questões sócias ou políticas. Se é possível enxergar que ainda hoje uma pequena casta política toma as decisões por completo e que ao resto cabe escolher de dois em dois anos qual será o número. mas também aspectos claros da condição social. participaram ativamente da vida política de sua época. Politicamente acredito que não tenhamos esgotado o tema. os seus direitos políticos hoje são o suficiente para que seus interesses estejam resguardados? Quem garante a produção de mercadorias hoje e o desenvolvimento tecnológico? Esse grupo se sente satisfeito politicamente? É necessário que a grande maioria da população não interfira nas decisões políticas da sociedade para o bom funcionamento da democracia? Quem são os principais representados na democracia de hoje? . e apesar das diferenças radicais. transformações ao longo de 2500 anos. embora tenha sido ostensivamente estudada.

Os Filósofos Pré-Socráticos. Os Pré Socráticos. G. J. Fundação Calouste Gulbekian. Rio de Janeiro. Gustav. Escala. A cidade Grega. S – RAVEN. Marilena. Zahar. . Bertrand Brasil. 2008 NIETZSCHE. Companhia das Letras. 2002. Friedrich. MARCONDES. São Paulo. São Paulo.BIBLIOGRAFIA CHAUÍ. Rio de Janeiro. Introdução à História da Filosofia. GLOTZ. José C. 1988 SOUZA. E. A Filosofia na época trágica dos gregos. Rio de Janeiro. 1978 KIRK. Danilo. 2002. Abril Cultural. Textos Básicos de Filosofia. 2007.