A Igreja Metodista precisa de reforma? Reforma é algo sempre muito difícil de se fazer!

Mesmo para se reformar uma casa ou um templo, por exemplo, sabemos que se toma, na maioria das vezes, um trabalho mais complexo e mais caro do que se construir algo novo. Nesse sentido, praticar ou refletir sobre a experiência de reforma, em qualquer nível, é sempre uma árdua e exigente tarefa. Neste mês de outubro, nossas igrejas comemoram o Dia da Reforma. O dia 31 de outubro de 1517 é lembrado como o momento de protesto (por isso, chamou-se Reforma Protestante) e de crítica profética da parte de vários cristãos e cristãs a diversas práticas de nossa igreja naquela época, que não valorizavam o ser humano e colocavam a igreja em primeiro lugar, e não Deus e nem seu Reino, como a Bíblia ensina (Mt 6.33). Isso foi sinalizado pelas 95 teses afixadas, nesse dia, por Martinho Lutero, na porta de uma importante igreja na Alemanha. Desse movimento, originou-se o que hoje chamamos de igrejas evangélicas, sendo a Igreja Metodista uma delas. Entre as principais preocupações daquela época estavam: • O ser humano necessita de Deus e não pode se salvar a si mesmo, mesmo sendo muito religioso; • A Bíblia é o centro da igreja, e todas as atividades e idéias devem ser discernidas biblicamente; • Todas as pessoas são chamadas a serem responsáveis pela igreja e pelo reino de Deus como se fossem pastores ou pastoras. É o chamado "sacerdócio universal de todos os crentes"; • A igreja precisa permanentemente passar por um processo de reforma, pois ela, embora seja santa, é também pecadora. Duzentos anos depois disso (1.700 e pouco, portanto), John Wesley e outras pessoas também praticaram uma reforma em sua igreja. De forma semelhante ao movimento liderado por Lutero, Wesley não pretendia criar uma nova igreja (tanto é que ele morreu sendo pastor anglicano). Eles desejavam uma nova vida, recriada, reformada, que pudesse responder mais adequadamente aos desafios que o mundo apresentava para a igreja. Nas palavras de Wesley: "é preciso reformar a nação, particularmente a igreja e espalhar a santidade bíblica no mundo". Agora, mais de 200 anos se passaram. Estamos há quase 500 anos de Lutero e há quase 300 de Wesley. O que significa para nós, metodistas, então, celebrar o Dia da Reforma, hoje? Muitos são o pontos a serem citados. Vamos dar preferência a dois. Primeiro: protestar contra as idéias e as práticas de salvação pelas obras, mesmo aquelas fortemente religiosas. Nós, metodistas, porque somos da mesma doutrina da Reforma, não acreditamos que, se fizermos muitas orações (sete semanas seguidas, por exemplo) ou deixarmos de ter momentos de lazer (como ir aos bailes) para se dedicar os trabalhos da igreja, seremos salvos. Se nós ouvirmos tal pregação em nossas igrejas, devemos, com amor e

Ao contrário. justificando. A Palavra de Deus ainda nos lembra que Jesus era de família pobre e. pois não queria deixar de ser como era (Mc 10. muitos desvios serão corrigidos.32-35) e que é muito difícil um rico entrar no reino de Deus (Mt 19. podemos ainda relacionar Wesley e Lutero. É preciso dizer: "isso não vem de Deus" pois é colocar o homem (no caso. em seu ministério. 4. só faz sentido se tiver do outro lado a "crítica profética".20) e que o jovem rico saiu triste quando se encontrou com Jesus. sei que não posso me esquecer dele.17-22). Segundo: deixar de pregar que a prosperidade econômica pessoal ou familiar é sinal privilegiado da bênção de Deus. Para reformar a igreja é preciso ter amor por ela. Mas é um exercício de grande valor da graça de Deus. reconheço minha dificuldade em partilhar bens e salários. assim meu direito à salvação. que fez justiça aos pobres como sinal de sua conversão (Lc 19. quando. Alguém já disse que o "protesto é uma forma de comunhão". A salvação é dom gratuito de Deus. o esforço humano) no lugar de Deus. A Bíblia diz que o sinal da bênção de Deus é uma vida de despojamento e de simplicidade (At 2. sem querer. é mais custoso do que criar uma outra igreja. lembrando-nos da imagem de uma moeda. O" coração aquecido". mesmo com imperfeições. protestar. fazer tais coisas (como orar mais e trabalhar intensamente na igreja).respeito. por vezes. Pessoalmente. Pessoalmente. .23). "não tinha onde reclinar a cabeça" (Mt 8. mas tenho bastante clareza de que isso nada serve para minha salvação. Esse é um dos pontos da fé mais difíceis de ser colocado em prática. E o que dizer de Zaqueu. se a Bíblia estiver no centro das pregações e das práticas das nossas igrejas. que também é um dom divino contra as injustiças sociais e contra nossa arrogância de querer nos salvamos a nós mesmos. que é um dom de Deus. tenho procurado.42-47.2-10)? Bem. Para finalizar. até sinto-me menos salvo. mostro-me para os outros e para Deus como alguém que é bom. As conhecidas datas 24 de maio (Dia do Coração Aquecido) e 31 de outu¬bro (Dia da Reforma) são lados de uma mesma moeda. compromissado e espiritual. Mesmo assim.