You are on page 1of 22

Evasão em Cursos Superiores e Profissionalizantes de Turismo: um estudo de caso.

Cintia ZOPPI1 Flávio Marques VICARI2 Nadia Kassouf PIZZINATTO3 Christiano França da CUNHA4 I- Introdução A área de formação do profissional de turismo, tanto em nível superior quanto técnico, é uma temática polêmica, isso porque a sua demanda foi crescente nos anos 90 e dez anos depois sofreu um declínio por vários fatores, além de conviver com índices de evasão: um levantamento de 1994 até 2007, feito pelo Inep/MEC (2007, apud Rocha & Novaes) totalizava 3.555 vagas preenchidas para alunos de curso superior, na área de turismo. Entretanto, no ano de 2009, segundo o Ministério da Educação, os cursos dessa área obtiveram o maior índice de abandono, atingindo 28% em relação aos outros. Segundo Rocha & Novaes (2007) as causas possíveis deste índice pode ser atribuído à falta de orientação, à frustração de conteúdos e perspectiva de poucas oportunidades de emprego e salários nem sempre atrativos. Segundo dados do MEC (2011), na maioria dos casos, as instituições que oferecem o curso de turismo passam por dificuldades na abertura de novas turmas. Esse fato pode ter ocorrido pela saturação do mercado e também pela falta da regulamentação do Bacharelado em turismo e tecnólogo. Além do problema da diminuição da demanda, a evasão também é uma questão desfavorável para as instituições que oferecem cursos na área de Turismo. A necessidade de
Aluna do Mestrado Profissional em Administração da Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP). Professor Doutor do Mestrado Profissional e Doutorado em Administração da Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP). 3 Professora Doutora do Mestrado Profissional e Doutorado em Administração da Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP). 4 Professor Doutor do Mestrado Profissional e Doutorado em Administração da Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP).
2 1

se desenvolver ações a fim de combater tal problema despertou para o seguinte problema de pesquisa: que fatores influenciam a evasão de estudantes de Turismo? O objetivo geral do estudo é identificar os fatores que provocam evasão de estudantes de curso de nível médio de turismo receptivo. Para atingir tal objetivo, foi realizada uma pesquisa survey junto a alunos evadidos do Curso Técnico de Turismo Receptivo da ETEC Polivalente, instituição pública de ensino médio localizada em Americana-SP. O trabalho teve como objetivos específicos: • • • Conhecer as principais causas da evasão de alunos de Turismo nos últimos anos; Identificar os fatores condicionantes da evasão; Analisar o perfil dos alunos desistentes do curso de Turismo;

2. Evasão no Ensino Superior e Profissionalizante: conceitos e fatores determinantes Antes de abordar a temática no ensino profissionalizante, é necessário refletir as bases e indícios da evasão, que é um problema social que assombra as instituições educacionais. A evasão é caracterizada como o abandono sem explicação, pela não conclusão do curso, jubilados, e trancamento de matrícula. O Fórum da Evasão Profissional do Estado de São Paulo (2011) apontou como sinalizador, para identificar a evasão, o diário de classe. A observação da ausência em sala de aula é uma das formas percebidas e eficazes de diagnosticar o problema. No Fórum de Evasão na Educação de 2011, as instituições educacionais públicas do Centro Paula Souza, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia, e privadas (SENAI, e SENAC) levantaram as principais causas e possíveis soluções para evasão. Pode-se atribuir a evasão a diversas causas, identificadas nas dimensões da Figura 1:

Um dos fatores causadores da evasão educacional é o despreparo dos alunos. SENAI. Estudos do SENAC.com. desemprego. apontam. na Tabela 1 os motivos da respectiva evasão no ano de 2010. saúde. b) culturais. e) conjunturais. Causas de Evasão Fonte: KULLER (2011). por exemplo. tais como localidade da residência. que envolvem. problemas de adaptação com professores. transporte. por exemplo.br/fepesp A Figura 1 identifica como principais causas da evasão os seguintes fatores: a)questão social. . mudança de horário de trabalho. entre outros. que incluem motivos como: não gostaram do curso. tais como problemas com relacionamentos entre pessoas. que não conseguem acompanhar o conteúdo programático e consequentemente há desestímulo e desistência. c) estruturais. www. Centro Estadual de Educação Tecnologia Paula Souza (CPCET) e Instituto Federal de Educação e Ciência (IFSP).Figura 1.cpcetec. d) econômicas. a influência de crenças.

Também se pode verificar que.br/fepesp (2011) 6% 18% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 11% 0% 0% 0% CPCETEC 26% 32% 0% 14% 0% 0% 0% 0% 0% 26% 0% SENAI 24% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% IFSP 51% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 10% SENAC 41% 24% 12% 1% 1% 1% 1% 1% 0% 0% 0% Pelos dados da Tabela 1 percebe-se que na maior parte dos casos a causa é desconhecida. Conjunturais: insatisfação com os cursos. viagem. distribuídas e administradas por quinze metrópoles e municípios sedes do Estado de São Paulo. egresso em outro curso na mesma instituição educacional.Evasão dos Cursos técnicos Profissionalizantes .com. Araújo (2011) apresentou índices do CPCETEC (FEPESP. quando investiga os motivos de desligamento. mudança de emprego e problemas financeiros. não adaptou a área. migrou ao ensino superior. o aluno não sente a necessidade de explicar os motivos pelos quais está deixando o curso. 2011) baseado nas unidades com instalações atuais e as antigas. totalizando cento e noventa e cinco . Econômicos: Ingresso ao mercado de trabalho.índices gerais incluindo cursos de turismo (SENAC e CPCETEC) no Estado de São Paulo – 2010 Fatores Causas desconhecidas Motivos pessoais Reprovação por falta Insatisfação com cursos Não adaptou com área Mudança de emprego Financeira Viagem Cursos no exterior Migrou ao ensino superior Egresso em outro curso na mesma Instituição educacional Problemas na unidade de ensino Ingresso ao mercado de trabalho Problemas com estágio Fonte: www. reprova. b. cursos no exterior.Tabela 1.cpcetec. estes dividemse fatores identificados na Figura 1 como: a. Estruturais: Problemas com estágio. c.

2011). Ainda o IFSP. Neri (2007) atribuiu o abandono ao fato de que as vantagens da educação ocorrem no longo prazo e nem todos podem esperar para auferir os seus benefícios. incluindo cursos técnicos concomitantes (curso técnico integrado com o do ensino médio).Evolução do Ensino em Turismo no Brasil . vivenciou índices de evasão em 33. 2011). Sertãozinho e São Paulo. Registro (48%) e Araçatuba (48%). Bauru (37%). 3. Mas os dados representam todos os cursos técnicos e profissionalizantes. Sorocaba (37%). Há também as restrições de crédito que impedem filhos de família de baixa renda de continuar estudando em instituições privadas.1% de alunos evadidos. O SENAC registrou em todas as unidades um total de 30. Indicadores de Evasão no IFSP (Instituto Federal de Ciência e Tecnologia de São Paulo) apresentados em relatório de Gestão baseado nas matrículas no último semestre dos seus diversos cursos. Central (37%). no ano 2010. Salto. mostra que houve evasão em todos os campi: Cubatão. a evasão correspondente está dividida nos distritos por índice do menor ao maior: São Jose dos Campos ( 35%). Todas as unidades citadas oferecem cursos de turismo. São José do Rio Preto (41%). Ribeirão Preto (41%). em uma unidade localizada em São Paulo capital. índices de evasão de 11% e que em 2010 reduziu para 8%. Presidente Prudente (37%). Franca (36%).54% (ARRUDA. Região Metropolitana de São Paulo (36%). constatando uma exceção. Guarulhos. fato atribuído pelos gestores à aplicação de um plano de combate a evasão (POZZER.unidades: segundo o autor. que tinha apresentado no ano de 2008. Campinas (36%).

Com base no pico do ano de 2007. segundo dados do e. por exemplo. A concentração geográfica dos cursos de turismo também é um fator a ser discutido. . Após o ano de 2007 o declínio foi de 55%. chegou-se às porcentagens de crescimento dos anos de 1994 a 2005. os Estados da Bahia e Rio de Janeiro possuem o mesmo número: 29 cursos e o Estado de Minas Gerais com 27 instituições IES em Turismo. A Tabela permite visualizar que. localizada na capital de paulista. Universidade Anhembi Morumbi. foi fundada a primeira instituição de Ensino de turismo no país a Faculdade de Turismo do Morumbi.MEC (2011) está concentrada nos Estados de: São Paulo (79). visto que a distribuição estadual das instituições que os oferecem. A Tabela 2 aponta a evolução dos anos das Instituições de Ensino Superior (IES) e Técnica no Brasil: Tabela 2: Oferta de cursos de turismo no Brasil (1994 a 2011) em relação às faculdades Ano 1994 1998 1999 2000 2005 2007 2011 Números de faculdades no país 33 157 196 284 570 729 403 Porcentagem 5% 22% 27% 39% 78% 100% 55% Fonte: adaptado de Inep/MEC 2007 atualizado por : e-MEC 2011 Observação: as porcentagens foram calculadas tomando-se os dados de 2007 como base igual 100% e calculando os demais anos em relação a esse dado.No ano de 1971 segundo Trigo (2002). Tocantins (30). uma queda significativa para as instituições privadas levando muitas à extinção de seus cursos. como ilustrado na Tabela 3. em 1994 havia 5% do número total de IES existente em 2007. atualmente.

Estado Acre Alagoas Amazonas Amapá Bahia Ceará Distrito Federal Espírito santo Goiás Maranhão Minas Gerais Mato Grosso Mato Grosso do Sul Pará Paraná Paraíba Pernambuco Piauí Rio de Janeiro Rondônia Roraima Rio Grande do Sul Rio Grande do Norte Santa Catarina São Paulo Tocantins Total Fonte Dados: e.Tabela 3 .MEC (2011) Em atividade 1 8 7 3 29 14 12 14 10 3 27 12 15 12 20 5 19 5 29 3 2 16 9 19 79 30 403 0 2 4 3 22 1 69 0 0 5 2 0 2 3 6 7 3 4 0 1 0 2 0 2 Extintos 0 Em extinção 1 1 0 1 9 1 3 1 3 2 15 1 6 0 16 2 1 1 2 3 1 5 1 6 30 1 113 .Cursos de Turismo de IES em atividade. Extintos e em extinção por Localização geográfica no país.

No nível técnico. O CEETEPS (2011) é responsável pela educação profissional pública de níveis básico.O que pode ter levado a tal distribuição geográfica no país? Percebe-se que São Paulo lidera a oferta (79). o que não ocorre com os dois outros estados. 4. define a oferta. O curso tem a duração de um ano e meio. A evasão escolar é um fator que estarrece as ETECs. abordando temáticas multidisciplinares com cargas horárias correspondentes a 50 e 100 horas aulas durante o período letivo. Ações são realizadas constantemente a fim de minimizar os números. Assim. distribuídas por 150 municípios paulistas. A Instituição de Ensino em estudo e seu curso de Turismo Receptivo 4. Essa medida tem auxiliado a minimizar os efeitos da evasão já no segundo módulo. no período noturno. bem como cursos de mestrado na área tecnológica. dentre eles. . pois é referencial turístico mundial. Uma ação apresentada é o reaproveitamento das vagas ociosas nos módulos. uma instituição pública que oferece cursos profissionalizantes de ensino médio e técnico. percebe-se que não somente o fato de a região ser reconhecida como ponto turístico. sendo que a evasão apresentada nessa região é de 36%. o curso de turismo receptivo. funciona a ETEC Polivalente.1 O Ensino Técnico em turismo do Centro Paula Souza. seguido de Tocantins (30) e Rio de Janeiro (29). ambos na área de turismo. denominadas de vagas remanescentes. São oferecidas 40 vagas por semestre. Este último é compreensível. é dividido em três módulos. sendo que destas. A ETEC Polivalente faz parte da administração da região de Campinas. 87 oferecem o curso técnico de turismo receptivo e o de Agente de viagens. técnico e tecnológico.Polivalente de Americana: a instituição em estudo O Centro Paula Souza (CEETEPS) é uma autarquia do governo de São Paulo que mantém 198 escolas técnicas.

Esse fato teve como consequência uma competitividade entre esse bacharelado e os formados em outras áreas que possuem outra graduação e disputam vagas no mercado do turismo. os profissionais formados em turismo são bacharéis e a profissão não é regulamentada. cujos resultados estão inseridos na Tabela 4. Outra característica interessante é a relação entre o curso de nível técnico e ao bacharelado em turismo: pessoas graduadas em turismo podem buscar o curso técnico de turismo receptivo.4. foi realizado o levantamento do número de matrículas e o índice de evasão .2. e o MEC só autoriza o credenciamento como guia turístico em cursos de nível médio ou de capacitação profissional.2. evasão.2 O Curso de Turismo Receptivo: características. diminuindo o índice. As faculdades de turismo não têm essa especialização. que ilustra a evasão dos alunos no curso a partir de 2006 por semestre e por módulo. 4. para receber a credencial da EMBRATUR que lhes permite atuar como guia turístico. ação de combate inicial 4.2 Evasão do Curso de Turismo Receptivo Em estudo feito para identificar os fatores da evasão em uma unidade da ETEC Polivalente de Americana.1 Características do Curso de Turismo Receptivo De acordo com Trigo (2002). . especialmente no curso técnico de turismo receptivo. Essas características contribuem para o aproveitamento das vagas dos evadidos.

percebe-se que no ano de 2006. Este fato reincide no ano de 2007. o total de matrículas foi de 42. independente dos módulos. no primeiro e segundo semestres (43 no primeiro e 44 no segundo). O controle da freqüência permite identificar o índice de ausências do aluno. .Tabela 4. no segundo semestre no primeiro módulo. porém na Tabela 4. 41 no primeiro semestre e 42 no primeiro semestre de 2011.Matrículas do Curso de Turismo Receptivo no período de 2006 a 2011 na ETEC Polivalente de Americana-SP Fonte: Dados da pesquisa A Tabela 4 ilustra os números de inclusão seguidos dos evadidos e o índice da evasão dos matrículados correspondente ao módulo: é possível verificar que nos primeiros módulos a evasão é elevada. O curso oferece 40 vagas. no ano de 2010. O CEETEPS tem por política desligar e substituir um aluno por outro da lista de espera caso o aluno que ocupa a vaga não compareça em nenhuma aula consecutiva nas três primeiras semanas do semestre.

2006 à 3 módulo 1ºs 2006 1 módulo1ºS.2.3 Ação de Combate Inicial à Evasão no Curso de Turismo Receptivo . No segundo semestre de 2008 há um equilíbrio estabilizando o número de evadidos para 25% dos matrículados. Comparando com as Tabelas 4 e 5 é possível diagnosticar que o índice maior da evasão.Tabela 5 – Total de evadidos do 1º módulo ao 3 módulo do Curso de Turismo Receptivo da ETEC Polivalente de Americana Módulo Referente a matrículas até o ano de conclusão 2 e 3 módulo . atingindo 75% do total de matrículados. 2006 à 3 módulo 1º s2007 1 módulo 2ºS 2006 à 3 módulo 2ºs 2007 1 módulo 1ºS2007 à 3 módulo 1ºs 2008 1 módulo 2ºS2007 à 3módulo 2ºs 2008 1 módulo 1ºS 2008 à 3 módulo 1ºs 2009 1 módulo 2º S2008 à 3 módulo 2ºs 2009 1 módulo 2º 2009 à 3 módulo 2ºs2010 1 módulo 2 S2009 à 3 módulo 2 ºs 2010 1 módulo 1S 2010 à 3 módulo 1ºs 2011 1 módulo 2 S 2010 à 3 módulo 2°s 2011 Fonte: Dados da pesquisa Total evadidos nos 3 Módulos 9 6 8 30 22 29 10 15 13 18 15 12 A Tabela 5 apresenta o total de evadidos por turma a partir do primeiro período. ocorreu nos anos de 2006 a 2008. Essa afirmação pode ser observada através das Tabelas 4 e 5. mantendo-o equilibrado até os dias atuais. 4.inicio 2005 (sem dados do inicio) 1 módulo 1º S.

Evasão na Educação Profissional. uma Política interna foi adotada para o reaproveitamento de vagas ociosas: foram divulgadas as vagas ociosas nos cursos de graduação de turismo da região. para identificar a evasão especificamente no curso de turismo da ETEC: primeiramente. visto que o referencial bibliográfico levantado generaliza com reflexões centralizadas nas unidades educacionais sem diagnosticar a causa da evasão por curso (MALHOTRA. É perceptível a inclusão destes alunos buscados na graduação. Pesquisa de Campo junto aos evadidos do Curso de Turismo Receptivo 5.Para combater a evasão no Curso de Turismo Receptivo. e os fatores da evasão das instituições educacionais apresentados no Fórum de Educação do Estado de São Paulo. foi feito um levantamento com base na relação dos alunos. levantando primeiro as instituições criadas desde o ano de 1994 até 2011. foi realizado um estudo descritivo. evitando a sua extinção. 2007. . 2007). 5. primeiro semestre seis alunos. sete alunos . conforme mostrado nas Tabelas 1 e 2. primeiro semestre um aluno e dois no segundo semestre. no segundo e terceiro módulos dos seguintes anos: 2006. a pesquisa inicial do tema foi gerada a partir da necessidade de investigar os fatores da evasão no curso técnico de turismo receptivo. Numa segunda etapa. Essa política adotada possivelmente evitou o cancelamento do curso de turismo na ETEC Polivalente de Americana. por semestre desde o ano de 2006 ao primeiro semestre do ano de 2011. 2008.1 Metodologia Como estudo exploratório. Os dados coletados foram de fontes secundárias sendo: artigos científicos e do banco de dados do MEC.

e outras). A composição dos respondentes por faixa etária é apresentada na Tabela 6. questionavam-se os motivos da desistência do curso.113 matriculados.A situação do aluno evadido foi levantada por meio do sistema de dados da instituição. Com base na inclusão de discentes.2 Resultados da Pesquisa A análise das respostas obtidas nas entrevistas com os alunos evadidos de curso de turismo receptivo da ETEC Polivalente no período de 2006 a 2011 é apresentada a seguir. idade. conseguiu-se contato com 50. porém somente 30 responderam ao questionário. Apresentação do perfil dos entrevistados: 21 são femininos e 9 do gênero masculino. Também continham perguntas de informação. Dos 180 telefones e e-mails coletados. desligaram sem prestar esclarecimento. abertas e simples. Para identificar o índice de evasão foi preciso levantar o número de matrículas por semestre e módulo totalizando 1. Após identificar os evadidos foi feita uma relação de telefones dos alunos que trancaram matrículas. .Idade dos Evadidos do Curso de Turismo da ETEC Polivalente de Americana. jubilados. Tabela 6. As questões tinham perfil de perguntas que Boyd & Westfall (1986) classificam como perguntas de classificação (para categorizar o entrevistado por sexo. que são aquelas voltadas a levantar informações vinculadas ao problema da pesquisa: assim. Quanto ao estado civil: 6 são casados. e solicitava-se uma avaliação da qualidade do curso e intenção de retorno do entrevistado. O questionário foi elaborado com questões de múltipla escolha. sendo possível captar as seguintes informações: trancamento de matrícula. obteve-se um resultado de 180 alunos evadidos no curso técnico de turismo receptivo no período de 2006 a 2011. 1 é viúvo e 23 são solteiros. retenção e desistência não formalizada. 5. segundo os mesmos autores.

67% Fonte: Dados da Pesquisa A análise da questão 1 evidencia que os entrevistados são todos maiores de idade. A Tabela 7 apresenta as áreas que os entrevistados estão cursando atualmente. No entanto. Porém 9 estão sem cursar qualquer outra área profissionalizante. Esse pode ter sido um dos fatores para a evasão do curso de nível técnico de turismo receptivo.67% 47-60 2 6.Faixa de Idade Nº Porcentagem 19-23 15 50% 24-27 8 26. 12 dos entrevistados alegaram que na ocasião eram menores de idade e não haviam concluído o ensino médio. eram matriculados nos cursos de ensino médio e técnico. . Quanto à qualificação profissional e carreira profissional atual dos entrevistados há apresentação dos seguintes dados: 15 estão cursando o ensino superior. uma delas classificada dentro da melhor idade. 6 estão matrículados em cursos profissionalizantes em área distinta ao do turismo receptivo. visto os mesmo alegaram longa jornada de estudos diária. ou seja. podendo-se notar que dentre os evadidos encontra-se duas pessoas acima da faixa etária dos 40. variando dos 19 aos 30 anos.

52% 9.52% 4. .Tabela 7 .76% 4. Cursos História Publicidade e propaganda Técnico em contabilidade Administração Direito Pedagogia Designer de cabelo Técnico de costura Informática Logística/turismo Gestão de Negócios Fisioterapia Teatro Analise de sistema Total de estudantes Fonte: Dados da pesquisa Matriculados 1 1 1 5 2 2 1 1 1 1 1 2 1 1 21 Porcentagem 4.76% 4.76% 4.76% 4. A tabela de numero 7 ilustra o tempo de empregabilidade do evadido da ETEC Polivalente de Americana.76% 23.76% 4.76% 4. e atualmente está cursando logística.00% Interessante destacar que os evadidos entrevistados seguiram as áreas profissionais que estavam antes.76% 100.33%) estão desempregados.81% 9.76% 9.76% 4. procurou o técnico para especialização do guia.67%) estão empregados atualmente e 10 (33.52% 4. Em um único caso uma aluna é graduada Bacharel em turismo. Dos 30 entrevistados.Relação dos Cursos Profissionalizantes e Universitários em áreas cursando atualmente pelos evadidos. 20 (66.

Tabela 8 .00% 12 a 24 11 55. ingressam ao vestibulinho do curso de turismo receptivo sem saber ao certo se a decisão tomada para a área profissional. . deveriam esclarecer a relação da área profissional do técnico em turismo nos segmentos: guia.00% 72 a 84 1 5. em meses Estabilidade empregatícia Evadidos Porcentagem Fonte: Dados da Pesquisa Estágio 2 10. supõem que a informação gerada antes do vestibulinho sobre a área profissionalizante do turismo receptivo e a sua atuação no mercado de trabalho.SP.Tempo de serviço dos entrevistados evadidos do curso de Turismo Receptivo da ETEC Polivalente de Americana-SP. organização de eventos.00% A empregabilidade conforme a Tabela 8 é estável entre os evadidos do curso de turismo da ETEC. Dentre os possíveis fatores da evasão.67%) disseram que buscaram meios de informação e 10 (33.00% 6 1 5. entre outras.00% 36 a 60 5 25. hotelaria. agenciamento. 5. No entanto. Fato este que pode ser observado na Tabela 9. 20 (66.33%) não.3 Análise dos resultados: possíveis Fatores que levaram à Evasão do Curso de Turismo Receptivo da ETEC Polivalente de Americana. dos 30 entrevistados.

percebe-se que os evadidos do curso de turismo da ETEC Polivalente deslumbram com quadro das atividades e atrações turísticas. Essas divulgavam a atividade turística como: atrativos naturais. Na motivação em prestar o vestibulinho para turismo.00% 5. Meios de divulgação consultados antes de vestibulinho Informações com amigos Internet Folheto Jornal Revistas Na escola Fonte: Dados da pesquisa 6 6 2 1 2 6 30. pretendia viajar. . viam no curso de turismo uma alternativa de prazer e não profissional. culturais.33% dos entrevistados não tinham preferência na carreira profissional ligada à atividade do turismo: relataram que quando prestaram o curso estavam no ensino médio na ETEC e queriam um curso prazeroso.00% 10. jornal e até internet. conhecer a área do turismo. Os alunos evadidos do curso de turismo relatam que as pesquisas nos meios de comunicação não esclareciam sobre área de atuação do profissional do turismo.Meios de informação pesquisados antes de prestar o vestibulinho e ingressar no curso técnico Turismo Receptivo da ETEC Polivalente.Tabela 9 .00% Respostas Porcentagem Constata-se a partir da Tabela 9 que as informações usadas para prestar o vestibulinho são: amigos. Diagnostica-se esse dado a partir das respostas abertas em que os evadidos relatam dentre as frases: conhecer pessoas. históricos entre outros.00% 30. folhetos.00% 10. Fato curioso é que 33.00% 30. influencia de amigo. ser guia para viajar. não esclarecem sobre a multidisciplinaridade da educação em cursos de turismo.

SP. econômicos. .33% 6.67% 33. porém os custos das viagens não agradaram os evadidos. conjunturais e operacionais) e a renda familiar. ilustrados na Tabela 11.00% 3.33% 20.67% 10.Tabela 10 . é possível identificar os motivos da causa da evasão do curso de turismo da ETEC Polivalente de Americana.00% A segmentação desejada é o guia de turismo. A partir dos dados cruzados entre fatores estruturais (fatores pessoais.Segmentos pretendidos na carreira profissional para prestar o vestibulinho da ETEC para Curso de Turismo: Agencia de viagens Meios de hospedagem Não tinha preferência Guia Recreação monitoria Eventos e Recreação Turismo empresarial Fonte: Dados da pesquisa 3 5 10 6 1 2 3 10. entendo que se tratava de um curso gratuito entendiam que as viagens não deveriam ter custos.00% 16.

Porém curiosamente 26. 6.67% (2) dois a . Salários Total de Fatores Fatores Pessoais Mudança de horário do trabalho Dupla jornada ensino médio Gravidez Migrou para outro curso Choque de horário Saúde Fatores econômicos Custo das viagens Fatores conjunturais Oportunidade de trabalho Falta de mercado na area Fatores operacionais Adaptação com o professor Adaptação com a turma Não se identificou com a área Total de respostas Fonte: Dados da pesquisa. Identificando que.Tabela 11: Fatores que geraram a evasão dos alunos no Curso de Turismo do Período de 2006 a 2011. lembrando que o número de repostas não é equivalente ao número de entrevistados. 2 1 2 34 3 4 8 1 2 12 7 2 2 3 2 3 3 2 1 2 8 3 4 3 1 1 1 1 1 1 1 2 1 4 3 2 1 2 <1 >1 2a3 4a5 >6 A Tabela 11 apresenta todos os fatores gerados pelos alunos evadidos. sendo que estes dividem-se entre as rendas familiar de : 6. porém para cálculo da porcentagem foi de 30 entrevistados. desistiram do curso por motivos financeiros sendo que estes possuíam renda familiar menor que um salário mínimo.67% (2) dos alunos evadidos do curso de turismo receptivo.67% (8) destacam como fator a dupla jornada no ensino médio.

Notando que os fatores operacionais devem ser revistos pelo curso. Foi possível diagnosticar que a ETEC Polivalente no curso de turismo.Considerações Finais O fato de a desistência não estar entre os entrevistados com menor renda. 6.67% (2) renda familiar de quatro a cinco salários. entendendo como problemas com identificação com professores 6. visto que a amostra é uma mostra de 16.33% (1) renda familiar de quatro a cinco salários e identificação com o curso 6. falta de informação. existe 83. A partir da entrevista é possível diagnosticar que da amostra coletada.00% ( 3). a falta de perspectiva no mercado de trabalho no município e região. ou seja. no entanto esses planos e para evitar que o curso feche. traça planos emergentes para conter a evasão. ou seja 16. O fator pessoal surge como principal motivo para desistência. Sendo que 6. Nos fatores operacionais. 13. como fator econômico ao curso de turismo receptivo: custo das viagens obrigatório.67% dos 180 identificados como evadidos. . Apontam-se também conjunturais.33% de causa desconhecida que não foram identificados. possui renda media familiar de dois a três salários e 10.três salários mínimos.67% (2). turma de sala 3.67% (2) sendo ambos com renda familiar acima de 6 salários. Carência de parcerias com empresas prestadoras de serviço na atividade do turismo no Município. dos entrevistados não encontraram oportunidade de trabalho na área do turismo. quatro a cinco salários. evidencia que não seria o fator financeiro o que leva os alunos a desistirem do curso. Pode ser atribuído também. quatro a cinco salários e 6.33% (4). em um curso gratuito subsidiado pela Secretaria do Estado de São Paulo. o principal fator conjuntural: dupla jornada dos alunos em ensino médio. a fim de gerar empregos e estágios remunerados.67% (2) possuem renda familiar acima de salários mínimos.65% (5).

EVASÃO NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL. Anais eletrônico São Paulo: Fórum da Educação Profissional do Estado de São Paulo. M.de Junho de 2011. Fórum da Educação Profissional do Estado de São Paulo .com. E-MEC. 2011.php: acesso em 29 de Julho de 2011.com. & WESTFALL.de Junho de 2011 ARRUDA.br/: acesso em 25. Disponível em :www.de Maio de 2011. Ministério da Educação: disponível em: http://emec. E.de Junho de 2011. M. KULLER.Seria necessário refletir quais métodos superariam as necessidades do aluno a fim de conter a evasão no futuro. Pesquisa Mercadológica . Disponível em: www.gov. Informações e causas da evasão FEPESP.com. São Paulo: FGV. A. L. 2011.com. Fórum da Educação Profissional do Estado de São Paulo. C.cpscetec. 2011. 1986. Evasão Na Educação Profissional da Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) . ABNT/NBR 6023:2002 – Referências: disponível em: https://www. Fórum da Educação Profissional do Estado de São Paulo. 7 – Referencias web grafias e bibliográficas: ARAÚJO. H.de Junho de 2011 BOYD. .br/fepesp. 2011.br/fepesp acesso em : 06.mec.cpscetec. acesso 06.br/fepesp acesso em : 06.br/fepesp. São Paulo. Informações e causas da evasão SENAC São Paulo: Evasão na Educação Profissional. T.cpscetec. 2011.cpscetec. acesso em : 06.unimep.br/conteudo/bibliotecas_servicos. Disponível em :www. Disponível em :www. A.

A Sociedade Pós Industrial e o Profissional em Turismo. disponivel em http://redalyc. disponível em: http://revistaorkant. POZZER. ROCHA. Campinas: Papirus. L. A Problemática do Turismo. A. 2007.pdf: acesso em :04 de Julho de 2011. ..uaemex. M. Porto Alegre Bookman. in Manital Status and the allocation of time with Families: Evidence from Urban México: disponivel em ftp://ftp.SKOUFAS.A.mx/pub/investigadores/delnegro/alcala/p&s.de Junho de 2011 TRIGO. 2000.com. maio/2011. Gestión Turística nº 8. Job Loss.cpscetec. 2006.C. Pesquisa de Marketing: Uma Orientação Aplicada.br/fepesp acesso em : 06. N.E.itam. 2011. Evasão no Ensino Superior: Um em cada cinco alunos abandona o Ensino no Brasil.W.S.htmli acesso em 05 de Junho de 2011.com/rede-de- noticias/educacao-e-cultura/416-evasao-no-ensino-superior. REVISTA ORKANT. Disponível em :www.de Junho de 2011. Academia e Empregabilidade do Profissional no Mercado: O Ensaio.mx/redalyc/pdf/2233/223314983005.G. 2008. PARKER. ISSN 0717-1811. 4 ed. A.pdf: acesso em 06.K. E. NOVAES.MALHOTRA. 3 ed. Melhoria da Satisfação do Aluno em sala de aula: Plano de Trabalho da Unidade de Itaquera: Fórum da Educação Profissional do Estado de São Paulo 2011 .S.G.