>BoletimVERMOIM VERMOIM

www.jfvermoim.org
Boletim Informativo da Junta de Freguesia de Vermoim - Maia | Distribuição gratuíta número 4 | julho 2007

N

o dia 4 de Junho abriu no Sobreiro, em instalações cedidas pela Junta de Freguesia de Vermoim, a Loja Social da Comissão Social Inter-Freguesias de Vermoim e da Maia. Esta loja, fruto da pa r c e r i a e n t r e a s freguesias de Vermoim e da Maia, da Câmara Municipal da Maia, da Segurança Social e de diversas entidades públicas e privadas integradas na Rede Social da Maia, constitui um Gabinete de Atendimento Integrado Local. Diariamente aí se disponibilizam técnicos de acção social que atendem e encaminham as necessidades de ajuda de todos aqueles que aí se dirijam.

Visa-se com esta iniciativa o acompanhamento social de indivíduos e famílias em dificuldades, com vista à melhor prevenção e resolução dos seus problemas em áreas como a habitação, a saúde, a educação ou o emprego, entre outras.

>Boletim VERMOIM
w w w.jf vermoim.org

número 4 | julho 2007

Projecto Tampinhas

»Editorial
ão cessa de crescer a minha perplexidade perante as crescentes manifestações de falta de civismo com que quotidianamente nos deparamos nos espaços públicos. Aquilo que é de todos, para alguns é como se fosse a sua coutada particular. Os rios e ribeiros não são mais do que vazadouros privados de porcarias particulares; os passeios e jardins parecem feitos à medida para o alívio da cachorrada de donos sem pedigree; as placas e sinais de trânsito exercem um estranho fascínio sobre os hércules de meia tijela, como se, ali inanimados, desafiassem os passantes para um braço de ferro regenerador de egos caídos ; e uma parede caiada parece acirrar a criatividade inexistente nos picassos da lata de spray de tinta. No dia 7 de Junho quisemos chamar a atenção dos mais distraídos, para o nosso Almorode. Os de Barca deram uma mãozinha do lado de lá e, felizmente, foram muitos os que acorreram à chamada e nos ajudaram a limpar os leitos e as margens do nosso pequeno rio. Não faltou quem, do alto da sua pequena cátedra, (querendo dar razão à sabedoria popular de que “quem não faz...ensina a fazer”) escarnecesse da iniciativa, pregando que a carta só chegaria a Garcia à custa de muita participação popular nas decisões, de muitos fóruns e conselhos ambientais. Enfim, de muita Agenda 21 Local, verdadeiro ovo de colombo ambiental. Não duvido da eficácia da panacéia. Quem sou eu para duvidar dos benefícios da discussão e das decisões participadas? É pregar a convertido. Em termos de decisões, porém (perdoem-me a falta de visão estratégica), interessa-me mais perceber o que leverá o meu vizinho a decidir ditatorialmente despejar um cilindro, ou pneus de camião, no Almorode. A essas micro-decisões solitárias não há Agenda 21 que lhes valha. E hoje, apesar de tudo, são elas que causam verdadeira mossa. Qual Agenda 21 qual carapuça. Precisamos mesmo é de uma Agenda 365; alerta tantos dias quantos tem o ano. Ainda hoje tenho dificuldade em acreditar nas coisas que tiramos do Almorode.
Presidente da Junta de Freguesia

Almorode conVIDA

N

Aloísio Maia Nogueira

Estórias do Almorode
Durante muito tempo, os mancebos de Vermoim, quando eram convocados para prestar provas para o serviço militar obrigatório (a "Inspecção") tinham por tradição, na noite anterior à partida, percorrer as ruas da freguesia, em grupo, a rufar bombos alugados ao Cipriano. A noite só terminava, madrugada alta, com um banho colectivo, em pelota, no Rio Almorode.
2

oram muitos os que, no dia 7 de Junho, aceitaram o desafio para uma manhã de feriado diferente: ajudar a limpar o rio Particularmente notada foi a presença de muitas crianças do Centro de Animação da Infância de Vermoim, acompanhadas dos seus pais e educadores. Fundamental foi a colaboração prestada pela Protecção Civil da Maia e pelos Bombeiros Voluntários de Moreira, a quem Vermoim presta público agradecimento. Impressionante foi a colecção de tralha retirada do rio: desde partes de motor de automóvel a cilindros de aquecimento de àguas, passando por carrinhos de bébé e pneus de diversas marcas e feitios. O rio Almorode, também conhecido por Avioso ou Arquinho, nasce em S. Pedro de Avioso (Maia) e desagua em Gueifães, no rio Leça, do qual é afluente. No seu percurso de 11 Km atravessa, sucessivamente, as freguesias de S. Pedro de Avioso, St.ª Maria de Avioso, Vermoim, Nogueira, Milheirós e Gueifães, recebendo água principalmente de 3 afluentes: a ribeira de Silva Escura, ribeiro de Guindes e a ribeira dos Mogos. O Almorode, com uma bacia hidrográfica de 33 km2, é o maior afluente do Rio Leça e o maior curso de àgua que nasce no concelho da Maia. Até ao último terço do século passado, os ecossistemas que lhe estavam associados eram ricos em biodiversidade, albergando uma fauna e uma flora pujantes. Peixes, anfíbios, répteis, crustáceos, mamíferos e toda a sorte de plantas aí conviviam em harmonia natural. Constituia, igualmente, um importante recurso económico para as populações das suas margens. A fertilização induzida pelas suas cheias de Inverno tornavam os campos agrícolas adjacentes os mais produtivos de todo o distrito. A força motriz das suas àguas movia inúmeros moínhos que produziam a farinha que deu o pão a gerações inteiras de maiatos. Até hà 40 anos atrás, quando as máquinas de lavar eram mera ficção científica, pode dizer-se que o Rio Almorode lavava a roupa a meia cidade do Porto. Era nas suas àguas que muitas das ínumeras lavadeiras da Maia (a profissão que, em Vermoim, rivalizava em número de

F

efectivos com a de tamanqueiro) lavavam as roupas dos seu clientes da cidade do Porto, que transportavam em trouxas à cabeça. As roupas a secar e a corar, espalhadas pelas suas margens, eram a visão materializada do filme “Aldeia da Roupa Branca”. Noutros tempos, em que o mundo era mais pequeno, o nosso rio foi o “Parque Temático”, a Disneylandia possível, de sucessivas gerações de crianças. Palco de mirabolantes aventuras e épicas “cóboiadas”. Os seus “fundões” eram as piscinas onde se aprendia a nadar sem monitor, à custa de muitos “pirolitos” engolidos. Era o nosso pequeno Mississipi. A industrialização e a pressão urbanística que se fez sentir sentir nas suas margens, particularmente a partir de finais dos anos 60 do século passado, acabariam por transformar o Almorode num verdadeiro esgoto a céu aberto e matou a vida que pululava nas suas àguas. Uma perda lamentável para todos nós. Felizmente que o encerramento de algumas indústrias e o investimento que foi feito no saneamento básico proporcionou a oportunidade ao Almorode para demonstrar a sua tenacidade e a fibra de que é feito. As suas àguas têm vindo a recuperar alguma limpidez e os ecossistemas que lhe estão associados têm vindo a recuperar. Os peixes regressaram e os lagostins vermelhos, espécie exótica invasiva, também já cá chegaram. Com eles regressaram as galinhas de àgua (galeirões) que, de boa vontade, introduziram os lagostins na sua dieta. Porém, o leito do Almorode continua a ser para alguns, o seu vazadouro particular de toda a sorte de lixos. Desde pneus a bidões, passando por banheiras, carrinhos de bébé, cadeiras, garrafas plásticas e mobílias, de tudo se encontra no nosso rio. Esta situação não pode continuar. E não existe nenhuma desculpa para continuar. Existe recolha de lixo porta-aporta e os ecopontos e ecocentros estão espalhados pelo concelho. A existência de lixo no Almorode é pura falta de civismo. E isso não é tolerável.

número 4 | julho 2007

>Boletim VERMOIM
w w w.jf vermoim.org

Passeios Temáticos
o dia 4 de Junho iniciou-se mais uma edição dos Passeios Temáticos da Junta de Freguesia de Vermoim, dirigidos à população sénior da freguesia. Desta feita, durante uma semana, todos os dias, grupos de vermoenses foram visitar o Lugar do Desenho, da Fundação Mestre Júlio Resende. Estas visitas proporcionaram uma “viagem” à obra do consagradíssimo pintor portuense, guiada e explicada de viva voz pelo próprio. No final de cada visita, os visitantes de Vermoim tiveram à sua disposição uma tela, tintas e pincéis, para testarem a sua criatividade, com a cooperação do premiado artista, que não quis deixar de dar o seu contributo plástico para a obra colectiva que daí resultou, que, no final, veio enriquecer o património da Junta.

Julio Resende com Séniores de Vermoim

N

ecorreu de 21 a 24 de Junho a edição do corrente ano do Vermudi – Festival Cultural de Vermoim, desta vez centralizado no excelente espaço público que constitui o Centro Comunitário de Vermoim, no Sobreiro. O programa escolhido procurou dar ênfase à produção artística e cultural de Vermoim. A orquestra da Filarmonia de Vermoim apresentou um excelente concerto; a Oficina de Dança mostrou o trabalho de muita qualidade que vem desenvolvendo todas as semanas na sede da Junta; e a Oficina de Teatro estreou com êxito estrondoso “A Peça da Peça Sonho de Uma Noite de Verão”, adaptação do conhecido texto de William Shakespeare. De fora vieram o teatro de marionetas da Mandrágora e a música cubana de “Los Cubanitos”.Cabe aqui, a este propósito, um público reconhecimento a todas as entidades que colaboraram na montagem dos eventos, não podendo deixar de se destacar particularmente a Santa Casa de Misericórdia da Maia e a sua equipa do Centro Comunitário de Vermoim, que foi incansável em proporcionar aos artistas todas as condições para a execução da sua arte, e a Junta de Freguesia de Leça do Balio, que, uma vez mais, nos cedeu e montou gratuitamente o seu excelente palco.

D

>Boletim VERMOIM
w w w.jf vermoim.org

número 4 | Julho 2007

A

I Mostra Social da Maia SOBREIRO 1 Filarmonia, ano

Junta de Vermoim esteve representada com um stand na I Mostra Social do Concelho da Maia, que decorreu de 15 a 17 de Junho, no Parque Central. Mau grado a chuva e o vento que se fizeram sentir, muitos foram os que nos visitaram e tomaram contacto com o trabalho que a autarquia vem desenvolvendo no domínio da Acção Social. Vermoim foi a única Junta de Freguesia com representação própria no certame.

Nos dias 28 e 29 de Maio, a convite da Câmara Municipal da Maia, o Presidente Aloísio Nogueira deslocou-se a Pamplona, Espanha, integrado numa delegação da Assembleia Municipal, com intuito de conhecer de perto a realidade empresarial e o trabalho que tem vindo a ser realizado, no domínio da reabilitação urbanística, pela empresa espanhola, Miguel Rico & Associados, S.A., com a qual a Câmara Municipal da Maia pretende estabelecer protocolo para uma parceria publico-privada, com o objectivo de realizar a requalificação urbana da zona onde actualmente se encontra o Bairro do Sobreiro, que por todos é reconhecida como urgente. Dado que tal operação de requalificação importará a necessidade de proceder, entre outras coisas, ao realojamento de quase 600 famílias que actualmente aí habitam, esta matéria constitui, logicamente, uma permanente preocupação para a Junta de Freguesia, tal como para a Câmara Municipal. Daí que a Junta de Freguesia irá Plano de Actividades acompanhar de perto todos os passos desta operação, tudo fazendo para que a e Orçamento 2007 mesma decorra no estrito respeito dos interesses e direitos das famílias envolvidas, para que, particularmente para elas, constitua tão-somente uma oportunidade de melhoria das sua condições de habitação.

Corrida Solidária

Concerto no Fórum da Maia

Assembleia de Freguesia

Bandeira Verde Sardinhada de S.Pedro

Realizou-se a 26 de Junho a 2ª Sessão Ordinária da Assembléia de Freguesia de Em 28 de Junho, a Misericórdia da Maia Vermoim, presidida por Marta Peneda. Da Ordem de Trabalhos constava a realizou no Centro Comunitário de Vermoim a apreciação da Informação do Presidente da Junta sobre tradicional Sardinhada de S. Pedro, dedicada as actividades da autarquia no período que decorreu aos Utentes dos Centros de Dia da Misericórdia desde 16 de Abril, data da anterior informação. Sob da Maia, à excepção dos idosos do Centro de proposta da Presidente da Assembleia, os deputados Dia do Lar Prof. Doutor José Vieira de Carvalho apreciaram e aprovaram alteração do Regimento da que, dado o seu elevado número, já haviam Assembléia, para permitir a utilização de meios realizado festa de S.João com os Utentes da electrónicos nas convocatórias das sessões. O valência Lar de Idosos do mesmo Presidente da Junta, a propósito de questão que lhe foi Estabelecimento. Aloísio Maia Nogueira, colocada sobre do Parque de Jogos de Vermoim, afirmou Hernâni Ribeiro, a Provedora Lurdes Maia e o que era tempo de se fazer uma reflexão sobre o destino a Presidente da Câmara da Maia, Bragança dar àquele espaço e determinar se faz sentido construir Fernandes, não faltaram a esta jornada de Marta Peneda mais um campo de futebol, ou se, pelo contrário, não se saudável convívio inter-geracional. deveria apostar noutro tipo de equipamento. A sessão ficou ainda marcada pelo anúncio feito por Marta Peneda da renúncia ao mandato comunicada pelo JUNTA DE FREGUESIA DE VERMOIM deputado socialista Amaro Moreira Gomes Barreiro, um “histórico” com Iniciação à Fotografia Largo da Igreja dezenas de anos de ligação à politica e à autarquia de Vermoim.
A informação do Presidente da Junta pode ser consultada na página electrónica da autarquia, em www.jfvermoim.org

O rio Almorode

>Ficha Técnica
Propriedade, redacção, concepção e execução gráfica > Junta de Freguesia de Vermoim - Maia Fotos > Fundação Júlio Resende, Aloísio Maia Nogueira, António Maia e Mário Jorge Martins

Vermoim 4470-303 MAIA Portugal Telefone: + 351 22 944 80 88 Fax: + 351 22 941 98 98 email: geral@jfvermoim.org www.jfvermoim.org