MISSIOLOGIA

breve perspectiva bíblica teológica

I. DEFININDO CONCEITOS Missiologia é a área da ciência teológica que promove, a partir da investigação bíblica e histórica, o conhecimento do projeto supremo de Deus de levar a mensagem de salvação, o plano redentor, à todos os povos independentemente de sua situação geográfica, cultural étnica, lingüística, social e religiosa. A missiologia sistematiza as bases bíblicas da teologia e prática missionária necessárias à execução da Grande Comissão ( Grande Comissão: forma designativa comumente aplica para a tarefa,
outorgada pelo Senhor a Igreja, de evangelizar o mundo ).

Atuando prioritariamente na formulação de princípios, métodos e estratégias que propiciem a igreja definir e estender sua ação missionária além de suas fronteiras geográficas e/ou culturais a missiologia motiva continuamente a igreja na realização do objetivo fim de sua existência: levar o evangelho a todos os povos. Os estudos missiológicos fundamentam, além de revelarem, a natureza missionária da igreja bem como suas implicações no Reino de Deus, contribuindo para: a) a apropriação de conceitos e práticas em culturas diversas – o chamado intercultural; b) ampliar a visão sobre os desafios missionários mundiais da evangelização, principalmente nesta geração; c) a ampla compreensão do papel da igreja local na obra missionária mundial buscando respostas para os seus principais questionamentos – o que me cabe fazer, qual a minha parte; quando devo fazer; e como o farei. Desse modo a sistematização do conteúdo programático da matéria missiológica objetiva a ampla compreensão e aplicação teológica resultante de sua mensagem. Nessa perspectiva a formatação do conteúdo a ser apreciado passa a orientar-se pelo objetivo fim da proposta: congresso, conferência, seminário, palestra ou texto base. Para esse curso adotaremos a seguinte organização textual. I. A natureza missiológica da igreja II. Missões transculturais III. Desafios missionários IV. Estratégias e métodos V. A igreja local e missões II. MISSÕES NO VT E NT Encontramos no VT/NT abundantes e consideráveis bases bíblicas para a afirmação do projeto missionário de Deus desde os remotos tempos patriarcais. No princípio, palavra chave na compreensão do livro de Gênesis, é o primeiro texto a demonstrar a providência Divina em favor da raça humana, no princípio Deus criou todas as coisas para o bem do homem, Gênesis capítulos 1 e 2. No Velho Testamento Deus estabelece ainda alianças como a adâmica, noética, abraâmica e mosaica. ( Aliança: pacto, condicionais ou não em que Deus estabelece regras e/ou promessas ao homem para que este atinja determinado fim ) . No Novo Testamento a Nova Aliança é marcada pela demonstração do amor de Deus ao mundo, confira Jo 3:16. A Bíblia oferece a base bíblica para a definição de missões, ainda que o conceito não esteja grafado como usualmente o formulamos, a sua idéia se encontra por toda parte, de Gênesis a Apocalipse. Em síntese a Obra Missionária pode ser expressa da seguinte maneira: É a ação de sair das quatro paredes de sua cultura, de seu povo, de sua língua e de seus costumes para anunciar aos que estão em trevas e escuridão espiritual a mensagem do Evangelho de Cristo Jesus que é luz e vida.

Quanto ao conceito de sair é preciso considerar ainda: A ação de ir não está relacionada única e exclusivamente ao transpor de fronteiras geográficas ou lingüísticas. Culturas distintas da nossa, em idioma, etnia, religião e costumes podem estar, também, ao nosso lado. Os modernos samaritanos podem ser identificados, hoje, com as populações segregadas nas favelas dos grandes centro urbanos do país; nações indígenas no Brasil, em torno de trezentas, destas, cerca de cento e trinta não contam com nenhuma presença evangélica em suas comunidades; os descendentes do quilombos, da época da escravidão no país, presentes em comunidades isoladas da cultura nacional vivendo de forma primitiva, em alguns estados; grupos de crianças e adolescentes que vagam sem destino nas ruas das cidades brasileiras; comunidades rurais vivendo isoladas nos sertões do Brasil; grupos de imigrantes de diversas nações residentes no país. III. O ESPÍRITO SANTO E MISSÕES O Senhor Jesus consumada a obra redentora assentou-se no céu, e Deus “sobre todas as coisas o constituiu como cabeça da igreja” ( Ef 1:18-23 ). Conforme a promessa o Espírito Santo é enviado ( Jo 16:7; At 1:5,8 ) Ele é o representante de Cristo ( Jo 14:16,26; 16:8-14 ) e à Ele foi entregue a condução da igreja até a volta de Jesus. O Espírito Santo é autoridade executiva e administradora do projeto missionário do Senhor Jesus para a Igreja, confira: Jo16:13; At 13:1-4;16:6-10. É o Espírito quem convence o mundo do pecado ( Jo 16:8-11 ). O Espírito Santo é concedido com um propósito específico: capacitar a igreja e cada crente individualmente para a evangelização de todos os povos ( Jo 20:21,22; Lc 24:46,47 ). O revestimento com o Espírito Santo foi a estratégia que Deus concedeu aos apóstolos tornando os discípulos instrumentos poderosos em suas mãos ( Hb 1:7; At 1:5 ). Ele atua sobre a Igreja para: a) Capacitá-la em poder Jo 20:22; At 1:5,8 b) Conduzi-la na direção de campos At 8:26-39; 16:6-10 c) Tornar cada crente um ganhador de almas At 8:4; 11:19-21 d) Habilitar o crente para ser um discipulador At 9:10-17 e) Guiar atividades de obreiros no campo At 10:1-48; 18:4-11 f) Chamado, separação e envio missionário At 13:1-4 CONCLUSÃO A igreja, em cada geração, é responsável pela continuidade da tarefa missionária de anunciar e fazer conhecido em todos os lugares e a todos os povos a mensagem de salvação em Cristo Jesus, até que Ele volte a missão continuará. Cada geração cumprindo sua tarefa, a parte que lhe cabe no grande projeto de Deus. Paulo, no seu tempo realizou inúmeras viagens levando o evangelho a todo o mundo conhecido, serviu na sua geração e terminando a carreira afirmou com alegria que havia realizado e completado a parte que lhe fora destinada, veja II Tm 4:7.
Robespierre Machado (robespierremachado@gmail.com) presbítero na AD, palestrante para obreiros, família e jovens, leciona história da igreja, missiologia e evangelismo na esteadeb, ibughr e instituto macedônia, radialista. BIBLIOGRAFIA OLIVEIRA, Timóteo Ramos de. Como ser um Missionário, CPAD PATE, D. Larru. Missiologia. Editora Vida PAULA, Oséias Macedo de. Manual de Missões, CPAD QUEIROZ, Edson. Administrar Missões, Editora São Paulo WINTER, D. Ralf e WTHORNE Steven. Missões Transculturais, Editora Mundo Cristão

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful