You are on page 1of 51

Estratégias para a Comercialização da Energia Eólica

Evandro Gonçalves Pizeta Núcleo de Projetos Especiais Andrade & Canellas Consultoria e Engenharia

28 de fevereiro de 2007

 Agenda: Introdução sobre a Andrade & Canellas; Tendências dos preços de energia; Custo de energia para consumidores finais; O mercado de energia eólica no Brasil; Formatação de negócios para a energia eólica; Características de um Project Finance; Comentários finais.

 O que é Andrade & Canellas ?

Empresa de consultoria e engenharia com atuação em toda cadeia do setor energético, abrangendo geração, transmissão, distribuição e gestão de energia.

 O que faz a Andrade & Canellas ?
Serviços de Administração do Proprietário; Avaliação de Ativos na Área de Energia; Desenvolvimento de Consórcios para Participação em Leilões de Energia; Auditoria de Empreendimentos ("due dilligence"); Avaliação e Projeções de Mercado; Assessoria Financeira para Projetos de Geração e Transmissão Elaboração de Perfis de Consumo e Apoio na Contratação de Energia; Estratégia e Apoio à Energia; Apoio Regulatório; Estudos Estratégicos de Médio e Longo Prazo; Apoio ao Cliente no Relacionamento com Instituições; Estudos de Viabilidade Técnica & Econômica para Sistemas de Geração de Energia.

 Clientes Andrade & Canellas

Formatação de negócios para a energia eólica. Agenda: Introdução sobre a Andrade & Canellas. Características de um Project Finance. Tendências dos preços de energia. O mercado de energia eólica no Brasil. . Comentários finais. Custo de energia para consumidores finais.

24 68.80 62. os preços de energia das concessionárias de distribuição até 2012 Base:Dez/06 Preço (R$/MWh) 20 . na média.66 80 70 60 50 40 Volume (GW.80 71.80 71.08 71.médio) 15 10 30 20 10 5 - - 2005-08 2006-08 2006-03 2007-08 2007-08 2008-08 2009-08 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Os leilões de energia velha amorteceram.69 70. Leilões de energia existente: 25 67.80 71.

 Leilões de energia nova: .7 30.8 83.2 67.9 129.0 60.7 80.8 71.2 70.Resultados dos leilões: 70. GW.0 40.1 71.4 67.médio 133.0 20.0 2005 Preço Existente Preço Nova Preço do Mix 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Leilão Existente Leilão Nova 62.4 132.1 129.7 68.0 10.3 85.0 R$/MWh 129.0 62.2 68.3 85.3 80 60 40 20 Efeito mais forte dos leilões de Energia Nova no Mix já ocorre em 2009.0 50.8 71. Energia passa de R$ 72 / MWh para R$ 80 / MWh.7 72.8 71.0 140 120 100 .

00 10.00 110.00 70.00 170.000 12.médio) .000 8.00 80.00 120.00 50.000 2.000 Energia (MW.00 20.00 1.00 150.00 90.000 11.000 7.000 3.médio) Botox Nova Carvão Gás Natural Óleo Combustível Diesel Base.00 100.00 40.Preço de Equilíbrio Médio por Fonte: 200.000 9. set/06 Energia (MW. Leilões de energia nova: .00 190.00 Preço (R$/MWh) Nova Licitando Botox Operando Gás de Processo Biomassa Preço (R$ / MWh) 130.00 140.000 6.00 60.000 5.000 10.00 180.000 4.00 160.00 30.

839 - 61. Balanço de energia assegurada: . O crescimento considerado do PIB foi de 3.982 69.961 61.796 1. 74.649 Déficit Sobra Carga En.608 55.206 55.958 63.5% a.845 65.948 53.a. 53.960 753 58.007 66.835 - 76.990 - 1.752 52.828 68.303 51.604 .Estimativa A&C: Premissas: – – – Configuração inicial até 2011 – PMO (Janeiro de 2007) do ONS A partir de 2012 foi utilizada uma taxa de crescimento 4.274 1. Ass.846 - 2.a.508 56.507 1.412 72.204 439 178 1.5% a.329 76.574 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 .402 71.

 Balanço energético brasileiro: .Geração: 2007-2010 2011-2013 2013-2016 Oferta Planejada Em estudo de viabilidade Angra III (Jun/2013) Continuação Madeira (2014) Belo Monte (Jan/2015) Oferta “Definida” Em construção Leilão de Energia Nova 2005 Leilão A-3 2006 Complementar Corte do Lastro das Térmicas à GN Oferta Reduzida Portfolio pequeno e Grande Incerteza Poucos estudos de Viabilidade Leilões de Energia Nova GNL no NE (2011) Madeira (Jan/2012) Aposta Grande – licenciamento ambiental .

 Projeção PLD Sudeste: .Estimativa A&C: [R$/MWh] 300 250 274 200 219 185 167 142 147 163 201 150 142 100 85 50 0 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 .

 Agenda: Introdução sobre a Andrade & Canellas. Custo de energia para consumidores finais. Características de um Project Finance. O mercado de energia eólica no Brasil. Tendências dos preços de energia. Comentários finais. Formatação de negócios para a energia eólica. .

.Consumidor Livre na Distribuição: GERADORES DISTRIBUIDORES TRANSMISSÃO CONSUMIDORES PIE APE SPG SERVIÇO SERVIÇO USO + ENCARGOS GERAÇÃO ENCARGOS + ENCARGOS + ENERGIA + TRIBUTOS + TRIBUTOS + TRIBUTOS + ENCARGOS + CUSTO DA ENERGIA USO + TRIBUTOS ENERGIA Os Consumidores Finais são responsáveis por pagar todos os encargos e tributos recolhidos ao longo da cadeia. Custo Final da Energia: .

 Custo Final da energia: . Conexão. ONS ONS RGR. RGR.Tarifas de fornecimento – Consumidor Cativo: TARIFA TARIFA MÉDIA MÉDIA DE DE FORNECIMENTO FORNECIMENTO – – CONS. CATIVO CATIVO TARIFA TARIFA DE DE USO USO PARCELA PARCELA FIO FIO Remuneração Remuneração e e O&M O&M TUST TUST Perdas Perdas Técnicas Técnicas Perdas Comerciais Perdas Comerciais Conexão. CONS. P&D P&D TFSEE TFSEE CVA CVA PARCELA PARCELA ENCARGO ENCARGO CCC CCC CDE CDE PROINFA PROINFA Perdas Perdas Comerciais Comerciais P&D P&D TFSEE TFSEE CVA CVA TARIFA TARIFA ENERGIA ENERGIA Mix Mix de de Compra Compra Encargo Encargo de de Serviço Serviço do do Sistema Sistema Transporte de Itaipu Transporte de Itaipu Perdas Perdas Rede Rede Básica Básica TFSEE/P&D TFSEE/P&D CVA CVA + + Realinhamento Realinhamento Tarifário Tarifário Incide RTE (Recomposição Tarifária Extraordinária) .

Preço Final Consumidor Livre: TARIFA TARIFA MÉDIA MÉDIA FINAL FINAL – – CONSUMIDOR CONSUMIDOR LIVRE LIVRE TARIFA TARIFA DE DE USO USO PARCELA PARCELA FIO FIO Remuneração Remuneração e e O&M O&M TUST TUST Perdas Perdas Técnicas Técnicas Perdas Comerciais Perdas Comerciais Conexão. Conexão. P&D P&D TFSEE TFSEE CVA CVA PARCELA PARCELA ENCARGO ENCARGO PREÇO PREÇO ENERGIA ENERGIA Mix Mix de de Compra Compra do do Consumidor Livre Consumidor Livre OUTROS OUTROS CUSTOS CUSTOS Contrato Contrato de de Conexão Conexão Perdas Perdas Rede Rede Básica Básica Custo Custo CCEE CCEE ESS ESS CCC CCC CDE CDE PROINFA PROINFA Perdas Perdas Comerciais Comerciais P&D P&D TFSEE TFSEE CVA CVA . ONS ONS RGR. RGR. Custo Final da energia: .

médio APE CL 23% do mercado 23% do mercado dez/02 dez/01 dez/03 dez/99 dez/00 dez/04 dez/05 abr/02 abr/04 abr/03 abr/00 abr/01 ago/04 ago/03 ago/02 abr/05 ago/05 ago/00 ago/01 abr/06 .Crescimento do mercado livre (APE+CL) 12000 10000 8000 6000 4000 2000 0 MW. Mercado Livre: .

tarifas de uso e encargos e tributos . Mercado Livre: .Futuras estimativas: 55% Mercado interessante para a energia eólica (500 kW a 3 MW) 40% 35% ACL Futuro 23% ACL Max hoje Liberação da Tensão de 69 kV ACL Max amplia Redução de 3 MW para 1 MW ACL hoje Este caminhos dependem de comandos legais. preços da energia e sua disponibilidade.

) com base em fontes solar. cuja potência instalada seja menor ou igual a 30.000 kW..163 de julho de 2004  Regulamenta. biomassa. eólica.” . Art.. 48: “os empreendimentos (. a comercialização de energia elétrica. ou conjunto de consumidores reunidos por comunhão de interesses de fato ou de direito cuja carga seja maior ou igual a 500kW. Incentivos à Geração Renovável Decreto N°5. entre outros. poderão comercializar energia elétrica com consumidor.

com unidade ou conjunto de unidades consumidoras cuja carga seja maior ou igual a 500 kW e dá outras providências. Incentivos à Geração Renovável Resolução N° 247 de dezembro de 2006 energia elétrica. oriunda de empreendimentos de geração que utilizem fontes primárias incentivadas.  Estabelece as condições para a comercialização de .

Comentários finais. Características de um Project Finance. Agenda: Introdução sobre a Andrade & Canellas. Custo de energia para consumidores finais. Formatação de negócios para a energia eólica. . O mercado de energia eólica no Brasil. Tendências dos preços de energia.

 Usinas Eólicas .Outorgadas e em operação: Fonte: CBEE Fonte: ANEEL .

4 150.8 1.153.3 63.5 277.3 1.9 327.1 21.Outorgadas e em operação: Em operação: Estado PE CE RN PR SC RS Total Quantidade 2 3 2 1 3 3 14 Potência (MW) 0.5 17.0 64.9 Estado BA PE CE RN PB SC PI RS RJ Total Fonte: ANEEL Outorgadas: Quantidade 1 5 25 17 13 14 3 25 6 109 Potência (MW) 192.229.362.5 14. Usinas Eólicas no Brasil: .691.9 .3 4.9 1.4 51.0 235.1 2.

 Usinas em Operação Usina Eólica da Taíba 10 x E-40/500 = 5 MW Cliente da Energia: COELCE Usina Eólica da Prainha 20 x E-40/500 = 10 MW Cliente da Energia: COELCE Fonte: Wobben Windpower .

8 MW Cliente: CENAEEL Fonte: Wobben Windpower .8 MW Cliente: PETROBRAS HORIZONTE Usina Eólica de Horizonte 8 x E-40/600 = 4. Usinas em Operação MACAU – RN Usina Eólica de Macau 3 x E-40/600 = 1.

Formatação de negócios para a energia eólica. . O mercado de energia eólica no Brasil. Custo de energia para consumidores finais. Agenda: Introdução sobre a Andrade & Canellas. Características de um Project Finance. Comentários finais. Tendências dos preços de energia.

(Limitador  preço teto da fonte definido para o processo) . (Limitador  Valor de Referência com base nos Leilões de Energia Nova A3 e A-5).  Autoprodução. (Limitador  Preço de Energia do Consumidor Cativo + Isenção de Encargos). Formatação de Negócios para Energia Eólica: Geração Consumidor Final  Venda para consumidor final (Limitador  Preço de Energia do Consumidor Cativo + 50% Fio). Distribuidor  Venda para concessionários de distribuição através de processo licitatório.  Deve-se enquadrar como geração distribuída. Leilão Regulado  Venda de energia nos Leilões de Energia Nova e Energia Existente.

5 100 52.6 89. Empreendedor Heraklion Participações Fonte: EPE .25 46.6 30 100 158. Formatação de negócios para a energia eólica: .196.5 50.1 22.5 20 98.Participação em leilões regulados UEE cadastradas para o leilão de maio de 2007 Empreendimento BA3 – Caetité Campo do Cemintério Jaguarão Livramento Macacos 1 e 2 Paracuru Pedra do Sal REN 01 -MEL Santa Marta Santa Vitória do Palmar Serra dos Antunes Três Pinheiros Ubajara Verdes Mares Total UF BA PI RS RS RN CE PI RN SC RS RS SC CE RN Potência Inscrita (MW) 192.15 74.4 SBER GAMESA GAMESA Nova Energia da Serra Verde Cataventos de Paracuru SeaWest do Brasil Enerbrasil ENERSAN ELEBRAS GAMESA Santa Cruz Energia Cataventos de Ubajara Eólica Verdes Mares Geração e Comercialização de energia Ltda.8 161.4 1.

Resolução ANEEL no. – Preços resultantes do processo de chamada pública serão atualizados. a cada 12 meses. pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA: ▫ Repasse às tarifas dos consumidores finais será autorizado pela ANEEL. Formatação de negócios para a energia eólica: . – Limitada a 10% da carga do agente de distribuição.70 / MWh (Despacho N° 2461/2006). energia provenientes de empreendimentos classificados como geração distribuída: – Processo de chamada pública  publicidade. porém limitado ao Valor Anual de Referência VR = R$ 77. 167/05 Concessionárias de distribuição podem contratar diretamente de agentes de geração.Venda à distribuidora:  Necessidade de enquadramento como geração distribuída. . transparência e igualdade aos interessados em comercializar este tipo de energia.

. conforme regulação dada pela Resolução ANEEL Nº 228/2006.empreendimento termelétrico.Venda à distribuidora: De acordo com o Decreto 5. enquadram-se como geração distribuída: .163/2004. com eficiência energética superior a 75%. inclusive de cogeração. . . Formatação de negócios para a energia eólica: .empreendimento hidrelétrico com capacidade instalada inferior a 30 MW.empreendimentos de geração que devem estar conectados diretamente ao sistema elétrico de distribuição do comprador.

a ser aplicado às tarifas de uso dos sistemas elétricos de transmissão e de distribuição. incidindo na produção e no consumo da energia comercializada pelos empreendimentos” . Benefícios para compra de PIE: Resolução Normativa N°77 de agosto de 2004 Estabelece os procedimentos para a redução de tarifas de uso dos sistemas de transmissão e distribuição para empreendimentos de fontes renováveis. Art 2°: “Fica estipulado o percentual de redução de 50% (cinqüenta por cento).

exclusivamente com relação à parcela de energia elétrica destinada a consumo próprio.CDE. a comercialização de energia elétrica.” . Incentivos à Geração Renovável Decreto N°5. entre outros. Art.163 de julho de 2004  Regulamenta. 74: “ Os autoprodutores e produtores independentes não estão sujeitos ao pagamento das quotas da Conta de Desenvolvimento Energético .. tanto na produção quanto no consumo.

- - . II – TUSD – CCC isolado aplicada à parcela do consumo mensal.. 15 a 17 deverão ser aplicadas ao consum mensal de energia elétrica de cada unidade consumidora. As tarifas definidas conforme os arts. 19. exceto aquela pertencente à Subclasse Residencial Baixa Renda cujo consumo seja igual ou inferior a 80 kWh/mês. observando os seguintes critérios: . III – TUSD – CDE S/ SE/ CO e TUSD – CDE N/ NE aplicadas sobre a parcela do consumo mensal que exceda o atendimento feito por empreendimento próprio de produção independente e/ou de autoprodução da unidade consumidora localizada nas respectivas regiões geoelétricas. e IV – TUSD – PROINFA aplicada à parcela do consumo mensal. considerando todas as unidades consumidoras dos sistemas interligado e isolados. que exceda o atendimento feito por empreendimento próprio de autoprodução e/ou de produção independente.. que exceda o atendimento feito por empreendimento próprio de produção independente e/ou de autoprodução. Incentivos à APE: Resolução Normativa N°166 de outubro de 2005 “Art..” ..

Venda ao consumidor final  Compra de PIE: Rede Básica ~ TUSDG TUSTRB TUSTRB TUSDC Consumidor Desconto de 50% do Fio Margem para negociação da energia Fio Encargos Energia . Formatação de negócios para a energia eólica: .

 Formatação de negócios para a energia eólica: . CDE e PROINFA Margem para geração Fio Deve-se considerar ainda os benefícios fiscais da autoprodução de energia Encargos Energia .Venda ao consumidor final  APE: Rede Básica ~ TUSDG TUSTG TUSTC TUSDC Consumidor Isenção de CCC.

4 50 161.3 167.9 37.7 28.2 37. Formatação de negócios para a energia eólica: .4 / MWh 2.8 150 100 142.9 Mercado Livre Fontes Renováveis Autoprodução .2 18.8 (R$/MWh) 200 28.Distribuidora do Sudeste  A2 (FCp = FCfp = 80%): 300 Energia 250 Fio Encargo R$ 208.

Distribuidora do Sudeste  A4 (FCp = FCfp = 80%): 300 Energia 250 Fio Encargo R$ 246.1 28.2 150. Formatação de negócios para a energia eólica: .2 200 (R$/MWh) 68.4 / MWh 2.2 34.6 50 Mercado Livre Fontes Renováveis Autoprodução .7 28.1 150 100 184.1 175.1 68.

48 151.80 142.67 31.Distribuidora do Sul  A2 (FCp = FCfp = 80%): 300 Energia 250 Fio Encargo (R$/MWh) 200 R$ 183.26 / MWh 0.11 15.11 150 31.86 25. Formatação de negócios para a energia eólica: .35 25.05 Mercado Livre Fontes Renováveis Autoprodução .35 100 50 126.

82 157.49 (R$/MWh) 200 25.83 Mercado Livre Fontes Renováveis Autoprodução .11 62.Distribuidora do Sul  A4 (FCp = FCfp = 80%): 300 Energia 250 R$ 221. Formatação de negócios para a energia eólica: .58 50 164.11 31.49 150 100 133.86 25.24 62.17 / MWh Fio Encargo 0.

Distribuidora do Nordeste  A3 (FCp = FCfp = 80%): 300 Energia 250 Fio Encargo R$ 209.1 62.1 (R$/MWh) 150 100 50 126.1 20.2 / MWh 200 2.5 20.8 31.3 144.8 62. Formatação de negócios para a energia eólica: .6 Mercado Livre Fontes Renováveis Autoprodução .2 157.

5 20.4 20.Distribuidora do Nordeste  A4 (FCp = FCfp = 80%): 300 Energia 250 Fio Encargo R$ 234.3 / MWh 2.7 85.4 50 Mercado Livre Fontes Renováveis Autoprodução .7 128.8 200 (R$/MWh) 85.0 146.4 150 100 170. Formatação de negócios para a energia eólica: .8 42.

Características de um Project Finance. Comentários finais. Custo de energia para consumidores finais. Tendências dos preços de energia. . O mercado de energia eólica no Brasil. Agenda: Introdução sobre a Andrade & Canellas. Formatação de negócios para a energia eólica.

ou cedidas em favor dos financiadores. Fluxo de caixa suficiente para saldar financiamentos. . Receitas futuras sejam vinculadas. Características de um Project Finance:  Realizado no setor de infra-estrutura em operações de créditos com características de: Beneficiária SPE (Sociedade de Propósitos Específicos) que agrega fluxo de caixa e riscos do projeto.

comerciais dos  Flexibilidade Financeira: .Timing mais lento. .Alocação de riscos/ proteção do fluxo de caixa do acionista. .Complexa Estrutura Contratual.Isolamento das outras atividade investidores. Características de um Project Finance:  Organização: .Possui personalidade jurídica (SPE): .  Riscos: .

Órgãos bi e multilaterais.Garantias do próprio projeto: ativos e fluxo de caixa. . Características de um Project Finance:  Estrutura de Contratos de Dívida: .Alavancagem limitada pela capacidade de repagamento. etc.Principais fontes de financiamentos: BNDES.  Capacidade de Endividamento . . . financiamento privado no mercado de capitais local.Serviço da dívida baseado em garantias de performance.

 Estrutura de uma SPE: Patrocinador Instituições de Crédito e Financiamento Construtores Fornecedores SPE Operadores Seguradoras Poder Concedente Comprador do Serviço e/ou do Produto Final .

. Tendências dos preços de energia. Formatação de negócios para a energia eólica. Comentários finais. Project Finance. O mercado de energia eólica. Agenda: Introdução sobre a Andrade & Canellas. Custo de energia para consumidores finais.

pode ser vantajosa a compra de energia incentivada mesmo para consumidores A2: . . .Indica a contratação de energia antes dos leilões do ACR.Possibilidade do custo do mix de compra mais elevado no período até 2012. de aumentos para a relicitação dos contratos de Analisar o mix de compra de concessionárias de distribuição que possuem pouca ou nenhuma compra nos leilões de energia existente: .Custo do mix de compra tende a aumentar nos próximos anos. mesmo com o amortecimento dos leilões de energia existente. . apresentando consequentemente uma margem mais elevada.Tendência energia. Comentários finais:  Em muitas concessionárias de distribuição.

por exemplo consumidores A2. Comentários finais:  Analisar distribuidoras que possuem custo do “Fio” mais elevado: . que são os encargos mais pesados. CDE e PROINFA. .Mais adequada para consumidores de níveis de tensão mais “altos”. . . .A energia do empreendimento destinada a APE não possui incentivos de redução do fio. devido à menor Parcela Fio.  Formação de autoprodução: consórcio com consumidores para .Possibilidade de otimização fiscal.Isenção dos encargos setoriais CCC.Aumenta a margem de negociação da fonte incentivada.

.

e Eng. Antô Antônio . Contato: Evandro Gonç Gonçalves Pizeta Núcleo de Projetos Especiais Tel. Edifí Edifício Corporate Plaza Rua Alexandre Dumas.: +55 (11) 21222122-0440 . Consult.São Paulo – SP www.: +55 (11) 21222122-0400 Fax. Nº Nº 2.andradecanellas.com.br Tel.100 – 13° 13° Andar Chá Chácara Sto.: +55 (11) 21222122-0473 Andrade & Canellas Consult.