You are on page 1of 3

4.2. EMENTA E PROGRAMA 4.2.1. NOME DA DISCIPLINA: Teoria Geral do Delito 4.2.2. CARGA HORÁRIA: 40 horas-aula 4.2.3.

DEPARTAMENTO: Departamento de Direito Público 4.2.4. MINISTRANTE: Érika Mendes de Carvalho .TITULAÇÃO: Doutorado .TÍTULO OBTIDO: Universidad de Zaragoza (Espanha)/ 2004 – Reconhecido pela Universidade de São Paulo. 4.2.5. METODOLOGIA: As aulas serão desenvolvidas por meio de exposição docente e discussão teórica, atividades individuais e em grupo dos pós-graduandos. 4.2.6. EMENTA: Estudo das categorias integrantes do conceito analítico de delito, das etapas de sua realização, da teoria geral do concurso de pessoas e de delitos. 4.2.7. PROGRAMA: 1. Conceito de delito 2. Ação e omissão 3. Teorias da imputação objetiva do resultado 4. Tipicidade 5. Tipo de injusto de ação doloso 6. Tipo de injusto de ação culposo 7. Ilicitude 8. Causas de justificação 9. Culpabilidade 10. Etapas da realização do delito 11. Concurso de pessoas 12. Concurso de delitos 4.2.8. BIBLIOGRAFIA: BITENCOURT, Cezar Roberto. Tratado de Direito Penal. Parte Geral. 13 ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

2003. Juan Bustos Ramírez e Sérgio Yáñez Pérez. Barcelona: Bosch. COSTA. __ Direito Penal da negligência: uma contribuição à teoria do crime culposo. I. Uma aproximação crítica a seus fundamentos. 2010. I. Ciências Penais. 2002. Leitura complementar: PRADO. José. 8 ed. Lições de Direito Penal. Luiz Regis Prado. Rio de Janeiro: Forense. 1992. 7 ed. Álvaro Mayrink da. Luis. Teoria do injusto penal. v. Instituições de Direito Penal. 2009. Eugenio Raúl. 2005. Parte Geral. São Paulo: RT. Heleno Cláudio.5-28. Aproximación al Derecho Penal contemporáneo. TOLEDO. Santiago: Jurídica de Chile. Teorias da imputação objetiva do resultado. Parte Geral. Rio de Janeiro: Forense. São Paulo: Saraiva. Claus. Diego-Manuel Luzón Peña et alii. ___ Da tentativa: doutrina e jurisprudência. 6 ed. Juarez. FRAGOSO. 5 ed. PIERANGELI.. Francisco de Assis. 6 ed. Belo Horizonte: Del Rey. TAVARES. t. Curso de Derecho Penal español. 2005. Madrid: Tecnos. Jesús-María. Curso de Direito Penal brasileiro. Fundamentos de dogmática penal. trad. Rio de Janeiro: Lumen Juris. 2006. São Paulo: RT. SILVA SÁNCHEZ. ROXIN. WELZEL. __ O novo sistema jurídico-penal. Parte Geral. 2002. 11 ed. Trad. José Henrique. Luiz Regis. Trad. Derecho Penal. São Paulo: RT. ___ O finalismo como método sintético real –normativo para a construção da teoria do delito. Rio de Janeiro: Forense. Direito Penal. ZAFFARONI. 2008. 1970. 2 ed. Miguel. 2006. 2 ed. Uma introdução à doutrina da ação finalista. Parte General. 2005. São Paulo: RT. CARVALHO. Érika Mendes de. PRADO. REALE JR. Manual de Direito Penal brasileiro. 1998. Madrid: Civitas. 9 ed. 1997. . 1994. Avaliações: 1) Apresentação oral de trabalho em equipe (máximo 5 integrantes) – Valor: 40 pontos (Datas: 05 de junho de 2010 e 19 de junho de 2010). 2. Parte Geral. Barcelona: Atelier. São Paulo: RT. Princípios básicos de Direito Penal. Luiz Regis. v. 2006. GRACIA MARTÍN. Derecho Penal alemán. Hans. Parte General. p. Parte Geral.CEREZO MIR.

. 3) Participação – Valor: 10 pontos.2) Prova escrita (leitura complementar e questões referentes às aulas) – Valor: 50 pontos (Data: 19 de junho de 2010).