You are on page 1of 7

CURSO: _________________________ PROF.: JOAQUIM CARVALHO, M.Sc DISCIPLINA: TRATAMENTO DE DADOS ALUNO(A): ___________________________ MATRÍCULA: ________________ DATA DE ENTREGA: 18 !" #!

1$ L%&'( )* E+*,c-c%.&
M*)%)(& )* T*/)0/c%( C*/',(1, )* D%&2*,&3. * )* A&&%4*',%(. 1o) Uma indústria do centro-oeste produz suportes de aço para equipamentos elétricos. O principal componente do suporte é uma placa de aço, em baixo-relevo, obtida a partir de uma bobina de aço, com calibre 14. la é produzida pela punç!o pro"ressiva de uma prensa de #$% toneladas, com uma operaç!o de limpeza, colocando-se duas &'rmas de (% "raus no aço plano, para &azer o baixo-relevo. ) dist*ncia de um lado a outro é cr+tica, em raz!o da necessidade de o suporte ser , prova de -"ua, quando em uso externo. ) empresa exi"e que a lar"ura do baixo-relevo este.a entre /,01 pole"adas e /,11 pole"adas. ) se"uir, apresentamos as lar"uras dos baixos-relevos, em pole"adas2 /,0% 1 /,43 1 /,40 1 /,43 # /,04 0 /,0/ # /,41 0 /,44 4 /,01 3 /,4/ 4 /,4/ ( /,4# ( /,0/ 0 /,4% 0 /,41 4 /,41 % /,04 / /,41 4 /,4/ 1 /,41 # /,41 % /,41 ( /,41 $ /,4# % /,0$ 1 /,0/ $ /,43 ( /,41 % /,03 0 /,41 $ /,4# ( /,4% $ /,4/ 1 /,4( / /,4$ / /,0# 0 /,401 /,443 /,41# /,41/

4etermine2 a) )s médias2 aritmética, 5arm'nica e "eométrica, a moda e a mediana das lar"uras, em pole"adas6 b) Os valores2 71, 70, 81% e 8(% das lar"uras, em pole"adas6 c) )mplitude interquart+lica das lar"uras, em pole"adas6 d) ) amplitude total das lar"uras, em pole"adas6 e) O desvio médio absoluto das lar"uras, em pole"adas6 &) ) vari*ncia das lar"uras, em pole"adas6 ") O desvio padr!o das lar"uras, em pole"adas6 5) O coe&iciente de vari*ncia das lar"uras, em pole"adas. avalie a dispers!o desta série a partir do 9: obtido6 i) ) vari*ncia relativa desta série6 .) )valie esta série quanto a sua assimetria, utilize o coe&iciente de assimetria de 8earson. indique a medida de tend;ncia central que mel5or a represente6 l) )valie esta série quanto , concentraç!o dos dados no entorno da medida de tend;ncia central, utilize o coe&iciente de curtose. #o) Uma m-quina produz peças que s!o embaladas em caixas contendo 4/ unidades. Uma pesquisa realizada com 1$ caixas, revelou a exist;ncia de peças de&eituosas se"uindo a tabela2 <o de peças de&eituosas por caixa % <úmero de caixas #1

utilize o coe&iciente de assimetria de 8earson. )( P.. por peça6 ") O desvio padr!o da vida útil.. utilize o coe&iciente de curtose. em 5oras. concentraç!o dos dados no entorno da medida de tend. avalie a dispers!o desta série a partir do 9: obtido6 i) ) vari*ncia relativa desta série6 . por peça6 &) ) vari*ncia da vida útil.:(:%1%)()*& 4o) <uma urna s!o misturadas dez bolas numeradas de 1 a 1%. indique a medida de tend.1 # 0 4 $ 1$ 11 / 1 4 4etermine2 a) )s médias2 aritmética. em 5oras.%83../)%83. )* 5. por peça6 c) )mplitude interquart+lica da vida útil. indique a medida de tend. 0o) Uma amostra do tempo de vida útil de uma peça &orneceu a se"uinte distribuiç!o2 N.. )* 2*8(& 9% 1 0# /1 1#$ 3# 1% 4etermine2 a) )s médias2 aritmética. b) sem reposiç!o. 81% e 8(% do no de peças de&eituosas por caixa6 c) )mplitude interquart+lica do no de peças de&eituosas por caixa6 d) ) amplitude total do no de peças de&eituosas por caixa6 e) O desvio médio absoluto do no de peças de&eituosas por caixa6 &) ) vari*ncia do no de peças de&eituosas por caixa6 ") O desvio padr!o do no de peças de&eituosas por caixa6 5) O coe&iciente de vari*ncia do n o de peças de&eituosas por caixa. por peça6 d) ) amplitude total da vida útil. )* P. em 5oras. por peça. em 5oras. 81% e 8(% da vida útil. em 5oras.%9-c%. . .) )valie esta série quanto a sua assimetria.ncia central.. em 5oras.) )valie esta série quanto a sua assimetria. por peça6 b) Os valores2 71. 70. 5arm'nica e "eométrica. 4uas bolas s!o retiradas =a. 70.ncia central que mel5or a represente6 l) )valie esta série quanto .ncia central que mel5or a represente6 l) )valie esta série quanto .%:. por peça6 e) O desvio médio absoluto da vida útil. concentraç!o dos dados no entorno da medida de tend.(& (6%)( 7'%1) %  1%% 1%%  #%% #%%  0%% 0%%  4%% 4%%  $%% $%%  1%% N. a moda e a mediana do n o de peças de&eituosas por caixa6 b) Os valores2 71. utilize o coe&iciente de curtose P. em 5oras.ncia central.9. utilize o coe&iciente de assimetria de 8earson. em 5oras./)%)()* ). 7ual a probabilidade de a > b ? /@ $o) Os dados de #%% peças usinadas est!o resumidos a se"uir2 C. avalie a dispers!o desta série a partir do 9: obtido6 i) ) vari*ncia relativa desta série6 . 5arm'nica e "eométrica.:(:%1%)()* * D%&'. por peça6 5) O coe&iciente de vari*ncia da vida útil. a moda e a mediana da vida útil.

s pessoas trabal5arem nessa atividade. ac5ar a probabilidade de que. sem reposiç!o. e somente se. escol5idas ao acaso. sendo a probabilidade de &al5a de cada equipamento mostrada na &i"ura. de #% conexDes.s pessoas se acidentarem6 b) a probabilidade de nen5uma pessoa so&rer um acidente6 c) a probabilidade de pelo menos uma pessoa se acidentar. 11o) ) duraç!o de um certo componente eletr'nico tem média /3# dias e desvio-padr!o 41 dias.*+'.am apertados até o limite apropriado@ b) 7ual é a probabilidade de que no m+nimo um dos para&usos selecionados n!o ten5a sido apertado até o limite apropriado@ 3o) Uma lo. ten5amos2 a) nen5uma de&eituosa6 b) 4 de&eituosas6 c) mais do que 1 boa. das 04 conexDes 11 s!o de&eituosas. da esquerda para a direita. <a primeira. 4 apresentam de&eitos. 9onsidere que equipamentos &al5em independentemente. numa amostra de (% l*mpadas. Uma conex!o é retirada aleatoriamente de cada caixa. 7ual é a probabilidade de que o circuito opere@ 1%o) Fe 4.*4%)( )* Arosseira Boderada Cisa )cima do valor dese. 9alcular a probabilidade desse componente durar2 a) entre 30% e 1.am apertados até o limite apropriado.%%% dias6 b) mais que /1$ dias6 c) menos que 3$% dias6 . 9alcule a probabilidade de2 a) )penas uma ser de&eituosa6 b) )mbas serem de&eituosas6 c) )mbas n!o serem de&eituosas.a de material de construç!o possui # caixas de conexDes. /o) O risco de uma pessoa so&rer um acidente em uma atividade durante a sua vida pro&issional é de 1E$%. a) 7ual é a probabilidade de que todos os quatro para&usos selecionados este. (o) O circuito a se"uir opera se.ado ( ## 1/ a) 7ual é a probabilidade de que uma peça selecionada ten5a uma extremidade em condiç!o moderada e uma pro&undidade do ori&+cio abaixo do valor alvo@ b) 7ual é a probabilidade de que uma peça selecionada ten5a uma extremidade em condiç!o moderada ou uma pro&undidade do ori&+cio abaixo do valor alvo@ c) 7ual é a probabilidade de que uma peça selecionada n!o ten5a uma extremidade em condiç!o moderada ou n!o ten5a uma pro&undidade do ori&+cio abaixo do valor alvo@ 1o) Uma placa de aço contém #% para&usos. <a se"unda caixa. Fe tr. 9onsidere que quatro para&usos n!o este.$G das l*mpadas de certa marca s!o de&eituosas. 7uatro para&usos s!o selecionados ao acaso. determine2 a) a probabilidade das tr. 5ouver um camin5o de equipamentos &uncionais. para veri&icaç!o do toque.ado 11 #0 1# )baixo do valor dese.

a.a ter ($G de con&iança de estar estimando a média aritmética da populaç!o. ##14 ##/1 ##03 ##10 ##4( #01/ ##%4 ##$$ ###$ ##3$ #0%1 #0%$ 9onstrua uma estimativa do intervalo de con&iança de ($G para a resist.ncia média.a &ora do intervalo de con&iança que voc. T(4(/5.) 10o) Fe x =1#1 . 0./9%(/8( 2(. n ? #$. Utilizando estes resultados. )( A4. #.( M<)%(&. um valor extremo) sobre o intervalo de con&iança./9%(/8( )( M<)%( A. embora este. le testa 1# corpos de prova e obtém os se"uintes dados. )./9%(/8( )( M<)%( A. )* C. I/'*./5*c%).6(1. 13o) ) resist. 1 e #%. ) "er. Uma amostra aleatIria de 14 l*mpadas indicou uma média aritmética da vida útil da amostra i"ual a 0$% 5oras. P. e admitindo que a populaç!o se.%%% dias. σ ? #$ e n ? 4(.83. * V(.%% e H 1(/. 4%% 5oras@ xplique.ada no sentido de determinar a média aritmética de despesas médicas &amiliares anuais de empre"ados de uma "rande empresa do setor de construç!o. e) Fupon5a que o desvio-padr!o do processo se.%% com desvio-padr!o de H #$. µ. verdadeira média aritmética da populaç!o correspondente a despesas médicas anuais.6(1. b) :oc. µ.( ( M<)%( A. dentro dos limites de um erro de amostra"em de ± $ . construa uma estimativa para o intervalo de con&iança de (/G da média aritmética da populaç!o. da média aritmética da populaç!o.sendo testada por um en"en5eiro civil. com base nos números 1. média aritmética da populaç!o.%'4<'%c( 1/o) Fe voc.%'4<'%c( (σ )*&c. dese. d) xplique por que um valor observado de 0#% 5oras n!o é incomum.a normalmente distribu+da.ncia do concreto . $. e recalcule o intervalo de con&iança.. 4. a) 4e que taman5o precisa ser a amostra@ .%'4<'%c( (σ c. F ? 1$.a alterado para /% 5oras. a) 9onstrua uma estimativa para o intervalo de con&iança de ($G da verdadeira média aritmética da populaç!o relativa .2.&'. c) ) populaç!o da vida útil de l*mpadas precisa ser distribu+da de &orma normal neste caso@ xplique. construa uma estimativa do intervalo de con&iança de ((G. vida útil de l*mpadas nesta remessa. calculou. Um estudo-piloto indica que o desvio-padr!o pode ser estimado i"ual a H4%%.a estar ($G con&iante de que a média aritmética da amostra é correta. )* C.6(1. 7uais seriam suas respostas para =a) e =b)@ E&'%4('%6( ). D*'*. 11o) 9onstrua uma estimativa do intervalo de con&iança de ($G. em média.( 2(. descreva o e&eito de um outlier =ou se.4%/(83.%%. I/'*.d) exatamente 1. correspondente .) 1$o) Fe x =$% .%%6 b) dentro de que desvios de ambos os lados da média. )* C. )ltere o valor #% para 3. e o desvio-padr!o &or admitido i"ual a 1/.%=/c%( E&'%4('%6( ). dentro dos limites de ± H$% em relaç!o ./5*c%). cair!o (1G dos sal-rios@ I/'*. e) 7ual deve ser o número de dias necess-rios para que ten5amos de repor no m-ximo $G dos componentes@ 1#o) O sal-rio semanal dos oper-rios da construç!o civil s!o distribu+dos normalmente em torno de uma média de H #0%. 14o) O "erente de controle de qualidade de uma &-brica de l*mpadas precisa estimar a média aritmética da vida útil de uma "rande remessa de l*mpadas. que taman5o de amostra é necess-rio@ 1(o) Uma pesquisa é plane..ncia da empresa dese. O desvio-padr!o do processo é con5ecido como sendo i"ual a 1%% 5oras. compress!o est. 8ede-se2 a) encontre a probabilidade de um oper-rio ter sal-rio semanal situado entre H 11$. ac5a que o &abricante tem o direito de declarar que as l*mpadas duram.

o qual acredita ser de #% dias. D*'*.. 9onstrua uma estimativa do intervalo de con&iança de ($G. ). Onternet estavam sendo monitorados pelos empre"ados. se a dist*ncia a ser via. ##o) ) :ault. 7ue taman5o de amostra é necess-rio@ E&'%4('%6( ). 4$0 dentre /$4 "erentes de pessoal indicaram que candidatos a empre"os./ 0. D%&'=/c%( (@4) #%% 1#% 13$ 1$% 0%% 0#% #4% 1/% #1% #1% T*42.2. Uma vez que n!o tem acesso a dados anteriores.%0.. dando a dist*ncia via.s vezes.sendo monitorado pelo empre"ador. e 1/4 revelaram que n!o acreditavam que seus acessos .1#0 empre"ados admitiram que nave"am em sites que n!o s!o relacionados ao trabal5o.ada e o tempo "asto. que taman5o de amostra é necess-rio@ #%o) Fupon5a que uma empresa de &ornecimento de "-s dese. dentro de um intervalo de P %. Onternet durante o 5or-rio de expediente. um site da Leb de pesquisa de empre"o.ado e o erro de amostra"em aceit-vel. 9onstrua uma estimativa do intervalo de con&iança de ($G. #0o) Um Ir"!o de pesquisa de opini!o pública dese.83. da proporç!o da populaç!o.com. que tem sua base em <ova MorN. #1o) m uma recente pesquisa conduzida pela Society for Human Resource Management =Fociedade para Aer.% 4.votar no candidato 4emocrata. )* C.a ter (%G de con&iança de que sua previs!o est.a estar correta dentro dos limites de ±H#$ . 4e acordo com a pesquisa.. T(4(/5. )( A4.. proporç!o da populaç!o de empre"ados que acreditam que o acesso . que taman5o de amostra é necess-rio@ d) 9om base em suas respostas para =a) Q =c) . b) ncontre o coe&iciente de correlaç!o e a equaç!o da lin5a de re"ress!o e declare-os claramente. ela &az sua prIpria estimativa independente do desvio-padr!o. A/>1%&* )* R*?.ncia de Jecursos Kumanos).(&) 0. que conclusDes "erais podem ser retiradas sobre os e&eitos do n+vel de con&iança dese. . dentro dos limites de ± $ dias.b) Fe a "er. * )* C. #4o) Uma empresa de transportes &orneceu os se"uintes dados com relaç!o a uma amostra de via"ens &eitas./ #. &alsi&icam seus sal-rios anteriores.83.*&&3. para investi"ar o acesso .% 0.3 $.&'. que taman5o de amostra é necess-rio@ c) Fe ele dese. em uma campan5a eleitoral para a presid.%4 da proporç!o da populaç!o. Onternet est.ada &or con5ecida.$ a) )presente os dados utilizando um dia"rama de dispers!o apropriado./9%(/8( 2(.a ter ($G de con&iança. O Ir"!o de pesquisa de opini!o pública dese. &alsi&icam seus sal-rios anteriores.( ( P. conduziu uma pesquisa de *mbito nacional entre 1.# #.ncia dos U).% #.correta.interessada em desenvolver um modelo para prever o tempo "asto com uma via"em.( ( P. com ($G de con&iança.( 2(. correspondente .a estimar a proporç!o de eleitores que ir. .#44 empre"ados. em relaç!o ao taman5o da amostra necess-rio@ 4iscuta. 1.4 4.. .ncia dese. ) empresa est.a estimar sua média de tempo de espera para instalaç!o do serviço.2.6(1..ar ter ($G de con&iança e um erro de amostra"em correspondente a P %..4%/(83. dos "erentes de pessoal que acreditam que candidatos a empre"os. I/'*. (5.*1(83.$ 0.s vezes. a) 7ue taman5o de amostra é necess-rio@ b) Fe o Ir"!o de pesquisa de opini!o pública dese.

Teste Ko2 µ =1.1 %.0 %.1 %. #1.un5o de #%11 s!o &ornecidos abaixo2 Mês P.%1 .%$. b) ). revelando 10 de&eitos. 0. e . interprete o valor encontrado.%$.ustado correspondente a x ? %.%$ versus K12 p ≠ %.% &t-lbEin. . Os dados a se"uir se re&erem ../*1()(&) Van. c) stime a concentraç!o média de cloreto para 1G de -rea das encostas exploradas.10 11. usando α = %.4 %. #$o) Um arti"o no Journal of Environmental Engineering =:ol.c) 4ois camin5Des est!o prestes a deixar a "ara"em. concentraç!o de cloreto =em m"El).% ./ %.3 %. T. #$ .13 1%.83.1 %.%4 % Bar. b) Trace um "r-&ico apropriado para representar os +ndices calculados. #1.uste um modelo de re"ress!o linear simples usando o método dos m+nimos quadrados. pp./ %.& Í/)%c*& #/o) Um +ndice salarial do pessoal da CRster and Aalé se"uir2 n"innerin" no &inal dos anos (% é &ornecido a Ano Í/)%c* 1((4 (3 1(($ (( 1((1 1%% 1((3 1%1 1((/ 114 a) Bude o ano-base de 1((1 para 1((4 e calcule os novos +ndices =arredondados para o inteiro mais prIximo) para cada ano. #3o) st--se estudando a &raç!o de circuitos inte"rados de&eituosos produzidos em um processo de &otolito"ra&ia. enquanto o outro via.ncia de sIdio e cloreto nas correntes super&iciais de um rio na parte central de Rhode Island.$4 % a) 9alcule um +ndice encadeado para estes números. Utilizando sua equaç!o de re"ress!o. estime o tempo de via"em para cada camin5!o.3% 14. 1%/-11() reportou os resultados de um estudo a respeito da ocorr.1# % )br.1% a) 4esen5e um dia"rama de dispers!o dos dados. Uma amostra aleatIria de 0%% circuitos é testada. N74*. teria em cada uma dessas respostas@ d) 4etermine a taxa média do tempo.0/ % Bai.#( % Wev.( %.1( 1. em 5oras. 11$.1$ (. respectivamente.##% Nm. d) ncontre o valor a.% versus padr!o obtidos da amostra &oram x = K12 µ >1.uma via"em de (% Nm. M S 4.ar. -rea =em G) das encostas exploradas para an-lise. x.a maior do que 1. <o. 9omente os elementos salientados do "r-&ico. xiba estes +ndices em um "r-&ico e &aça coment-rios apropriados. stabeleça qualquer suposiç!o necess-ria sobre a distribuiç!o dos dados sob consideraç!o. T*&'*& )* H%2A'*&*& #1o) Um teste de impacto Ozod &oi &eito em #% corpos de prova de tubo de 8:9. &ornecendo suas respostas com uma casa decimal. b) ncontre o valor 8 para o teste.3% 1%.'(1 )* A4%(/'. ) média e o desvio1. Use α = %. ('. a) Use os dados para testar Ko2 p ? %. Um &ar. O padr!o )FTB para esse material requer que a resist..). #$. #3.43 1#.aneiro e . b) Fe o sal-rio em 1((/ era H #3% por semana. para o intervalo de 1$% a 0%% Nm. 7uanto de con&iança voc. qual era o sal-rio semanal em 1((4@ #(o) Os valores da produç!o de amianto no Urasil entre . #$. #1. e retire conclusDes. R. 1(/(.43 e o res+duo associado.$3 1%.#$ e s = %.ncia ao impacto Ozod se.(1 $ Vun.

promover a &ormaç!o pro&issional e o bem-estar da sociedade mediante prestaç!o de serviços educacionais. con&orme os princ+pios da &é crist! e da ética luteranaY. . de saúde e tecnolI"icos.MISSBO2 X8roduzir con5ecimentos.