You are on page 1of 3

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO – UEMA

NÚCLEO DE TECNOLOGIAS PARA EDUCAÇÃO – UEMANET


SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO E
DIVERSIDADE DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO – SECAD/MEC
CURSISTA: MARIA APARECIDA MARCONCINE
TUTORA: ANDREIA OLIVEIRA VICENTE
CURSO FORMAÇÃO DE TUTORES

TAREFA FINAL: ESTUDO DE CASO


Resumo

Este trabalho apresenta um estudo de caso para EAD (Ensino a Distância) que faz parte
da atividade final do Curso de Tutores, da Universidade Estadual do Maranhão (Uema),
onde descreve uma solução para problemas apresentados em um curso a distância, tendo
como suporte um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), para a postagem dos
conteúdos, atividades, correção e interação. Todo o curso é estruturado para acontecer
neste respectivo ambiente, mas supondo que este AVA não possa mais ser utilizado, é
preciso reestruturar o curso, escolher outras tecnologias de forma a disponibilizar o
conteúdo e as atividades, receber, corrigir e enviar o resultado das atividades, além de
interagir com os alunos.

Palavras-chave: Educação a distância; Tecnologias da Informação e Comunicação;


Tutoria

Como organizar um curso EAD sem AVA

A Educação a Distância (EAD) é uma modalidade de ensino caracterizada


pela separação física entre o professor e o aluno, onde o contato entre ambos é mediado
por ferramentas e meios tecnológicos (CAVALCANTI, 2002). O ambiente virtual de
aprendizagem (AVA) é uma plataforma que dá suporte e disponibiliza recursos e
ferramentas para a interação e a interatividade tão necessárias a um curso a distância,
que oportunize a autoria e a autonomia do aluno/cursista.
Em se tratando de um curso de EAD um fator que é de fundamental
importância para que o método de ensino a distância tenha o maior proveito possível
tanto pelo professor, como pelo aluno, será pela forma como os professores irão
ministrar suas aulas e o local onde os alunos irão ter acesso às mesmas, tais como
fóruns, chats, e-mail etc (OLIVEIRA; SANTOS, 2006).
No presente estudo de caso, tendo em vista a não possibilidade de uso do
AVA, é necessário pensar em estratégias alternativas para que o aluno tenha acesso ao
material e às atividades, que haja a devida interação entre tutor e cursistas, assim como
o envio e devolução de atividades, envio de notas e avaliações.
Uma maneira de conseguir a interação com alunos seria o uso de emails e
chats (bate-papo), onde poderiam ser marcados horários para que ocorressem esses
momentos de tirar as dúvidas e orientações das atividades. Uma lista de discussão
poderia ser também criada para que todos possam interagir, dando opiniões e debatendo
os temas lidos.
Quanto aos fóruns, muitos sites e portais disponibilizam espaço para isso,
que poderiam ser criados para que as discussões pudessem ocorrer a contento, como por
exemplo o inforum (http://inforum.insite.com.br/), o Portal do Professor
(http://portaldoprofessor.mec.gov.br/index.html), o Educarede
(http://www.educarede.org.br/educa/index.cfm), entre outros portais.
As atividades e leituras obrigatórias seriam encaminhadas via email,
exportadas para pdf e HTML (conforme o caso), para garantir a acessibilidade de todos
os cursistas. O recebimento das atividades também aconteceria via email.
Poderia ser criado também um blog, onde ficariam disponíveis os vídeos a
serem assistidos, os links para os sites sugeridos e todo o material para download, assim
como um espaço para chat, onde também poderia ocorrer interação via blog.
Por fim, a ferramenta wiki, “que é software colaborativo que permite ao
usuário editar coletivamente documentos hipertextuais e publicá-los em tipos
específicos de páginas da Internet” (WIKI – Escola BR), seria o suporte para a
construção de textos colaborativos, em grupos e seria muito bem-vinda para suprir a
ausência de um AVA, em colaboração e cooperação, principalmente.
O certo é que:

“A Internet oferece não apenas recursos de pesquisa aos


interessados em estudar educação, mas constitui numa poderosa
ferramenta de trabalho para se atuar em ambientes educacionais.
Através da Internet, programas de educação a distância, que já
vinham sendo executados com a utilização de outros meios de
comunicação, como livros, jornais, rádio, e televisão, encontram
novas perspectivas com os recursos multimídias, com a
combinação na rede de diversas formas comunicacionais
(GOULART; NEDER; PIMENTEL, pág. 120, 2005)
REFERÊNCIAS

CAVALCANTI, Carolina Magalhães Costa. Tendências e Possibilidades da


Educação a Distância como modalidade de ensino. Disponível em:
<http://www.unisa.br/unisadigital/tendencias_possibilidades_ead.pdf> Acesso em 07
jun. 2009.

GOULART, Delmar; NEDER, Cristiane; PIMENTEL, Nara Maria (Org). Curso de


Formação em Educação a Distância. Universidade Virtual do Maranhão (Univima).
Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Fundação de Ensino e Engenharia de
Santa Catarina (Feesc), 2005.

OLIVEIRA, Saulo Alves; SANTOS, Willian Bolzan dos. Um Estudo de Caso para
EAD (Ensino a Distância) no Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná VEUJI/
ULBRA. Disponível em:
<www.revista.ulbrajp.edu.br/seer/inicia/ojs/include/getdoc.php?id=695&article=247&m
ode=pdf> Acesso em 07 jun. 2009.

WIKI – ESCOLARBR. Página Principal. Disponível em: <


http://www.escolabr.com/virtual/wiki/index.php?title=P%C3%A1gina_principal>
Acesso em 07 jun. 2009.