You are on page 1of 7

CE São Cristóvão Nome:

- Apostila do 1ª ciclo do 1ª bimestre - 3º série do Ensino Médio

TEXTO GERADOR 1

O texto abaixo corresponde a trechos extraídos do manifesto Pau Brasil, publicado em 1924, no jornal ―O

Correio da Manhã‖. O manifesto defendia a necessidade de se criar uma arte verdadeiramente brasileira.

Buscava-se, portanto, uma retomada da consciência nacional e a aceitação da nossa pluralidade cultural.

Manifesto da Poesia Pau-Brasil

A poesia existe nos fatos. Os casebres de açafrão e de ocre nos verdes da Favela, sob o azul cabralino, são fatos

estéticos. O Carnaval no Rio é o acontecimento religioso da raça. Pau-Brasil. Wagner submerge ante os cordões de Botafogo. Bárbaro e nosso. A formação étnica rica. Riqueza vegetal. O minério. A cozinha. O vatapá, o ouro e a dança. Toda a história bandeirante e a história comercial do Brasil. O lado doutor, o lado citações, o lado autores conhecidos. ( ) ... O lado doutor. Fatalidade do primeiro branco aportado e dominando politicamente as selvas selvagens. O bacharel. Não podemos deixar de ser doutos. Doutores. País de dores anônimas, de doutores anônimos. O Império foi assim. Eruditamos tudo. Esquecemos o gavião de penacho. A nunca exportação de poesia. A poesia anda oculta nos cipós maliciosos da sabedoria. Nas lianas da saudade universitária. A língua sem arcaísmos, sem erudição. Natural e neológica. A contribuição milionária de todos os erros. Como falamos. Como somos. Não há luta na terra de vocações acadêmicas. Há só fardas. Os futuristas e os outros. Uma única luta - a luta pelo caminho. Dividamos: poesia de importação. E a Poesia Pau-Brasil, de exportação. ( ) ... Obuses de elevadores, cubos de arranha-céus e a sábia preguiça solar. A reza. O Carnaval. A energia íntima. O sabiá. A hospitalidade um pouco sensual, amorosa. A saudade dos pajés e os campos de aviação militar. Pau- Brasil. (ANDRADE, Oswald de. Manifesto da Poesia Pau-Brasil. Disponível na íntegra em

ATIVIDADES DE LEITURA QUESTÃO 1

O Texto Gerador 1 integra a primeira fase do Modernismo brasileiro e propõe uma nova maneira de fazer arte.

Retire do texto trechos que comprovem as seguintes características desse período:

  • a) Valorização da natureza e da cultura nacionais.

  • b) Exaltação do índio brasileiro.

  • c) Combate ao academicismo na arte.

  • d) Crítica ao período de colonização do país.

Habilidades trabalhadas

Caracterizar o Modernismo brasileiro e Identificar o caráter de transgressão/manutenção presente na literatura

modernista.

QUESTÃO 2

A primeira fase do Modernismo brasileiro é marcada por um forte caráter anárquico que busca romper com todas as estruturas do passado. O trecho do Texto Gerador 1 que mais evidencia essa busca por uma ruptura dos modelos de reprodução da arte tradicional e pela construção de uma produção artística realmente brasileira é ...

  • (a) ―A poesia existe nos fatos.‖

  • (b) ―O Carnaval no Rio é o acontecimento religioso da raça. Pau-Brasil.‖

  • (c) ―O minério. A cozinha. O vatapá, o ouro e a dança.‖

  • (d) ―Dividamos: poesia de importação. E a Poesia Pau-Brasil, de exportação.‖

  • (e) “Obuses de elevadores, cubos de arranha-céus e a sábia preguiça solar.”

Habilidades trabalhadas

Caracterizar o Modernismo brasileiro e Identificar o caráter de transgressão/manutenção presente na literatura

modernista.

TEXTO GERADOR 2

O texto a seguir é composto por fragmentos de “Dois poemas acreanos”, de Mário de Andrade. Essa é uma

obra representativa da primeira fase do Modernismo brasileiro (1922-1930), que se caracterizou como um movimento de renovação radical na linguagem, nos formatos e no conteúdo, marcando a ruptura definitiva da arte tradicional. Além disso, os modernistas defendiam a reconstrução da cultura brasileira sobre bases nacionais e a promoção de uma revisão crítica de nosso passado histórico e de nossas tradições culturais.

Dois poemas acreanos

I

Descobrimento

a Ronald de Carvalho

Abancado à escrivaninha em São Paulo Na minha casa da rua Lopes Chaves De sopetão senti um friúme por dentro. Fiquei trêmulo, muito comovido Com o livro palerma olhando pra mim. Não vê que me lembrei que lá no norte, meu Deus! muito longe de mim Na escuridão ativa da noite que caiu Um homem pálido magro de cabelo escorrendo nos olhos, Depois de fazer uma pele com a borracha do dia, Faz pouco se deitou, está dormindo. Esse homem é brasileiro que nem eu.

II

Acalanto do seringueiro

Seringueiro brasileiro, Na escureza da floresta Seringueiro, dorme. Ponteando o amor eu forcejo Pra cantar uma cantiga Que faça você dormir. ( ) ...

Seringueiro, seringueiro, Queria enxergar você ... Apalpar você dormindo, Mansamente, não se assuste, Afastando esse cabelo Que escorreu na sua testa. Algumas coisas eu sei ... Troncudo você não é. Baixinho, desmerecido,

Pálido, Nossa Senhora!

Parece que nem tem sangue. Porém cabra resistente Está ali. Sei que não é Bonito nem elegante ... ( ) ... Mas porém é brasileiro, Brasileiro que nem eu ... Fomos nós dois que botamos Pra fora Pedro II ... Somos nós dois que devemos Até os olhos da cara Pra esses banqueiros de Londres ... Trabalhar nós trabalhamos Porém pra comprar as pérolas Do pescocinho da moça Do deputado Fulano.

Companheiro, dorme! ( ) ... Seringueiro, dorme! Num amor-de-amigo enorme Brasileiro, dorme! Brasileiro, dorme. (ANDRADE, Mário. Clã do Jaboti. In:

1980)

________.

Poesias completas. São Paulo: Livraria Martins Editora,

ATIVIDADES DE LEITURA

QUESTÃO 3

O Texto Gerador 1, o manifesto, propõe uma nova forma de fazer arte. Podemos recuperar o atendimento a

essa proposta no Texto Gerador 2. Transcreva do poema versos que comprovem os seguintes traços defendidos no manifesto:

  • a) Valorização da natureza brasileira:

  • b) Volta às origens, por meio da crítica ao passado histórico:

  • c) Construção de uma arte com maior liberdade formal:

  • d) Utilização de uma linguagem mais informal, coloquial:

Habilidades trabalhadas

Caracterizar o Modernismo brasileiro e identificar o caráter de transgressão/manutenção presente na literatura

modernista)

QUESTÃO 4

―Descobrimento‖ retrata a imersão do poeta em sua vida de intelectual e de morador de uma das maiores cidades do país: São Paulo. Em meio a esse cotidiano, ele descobre um outro ambiente, que retrata uma realidade brasileira diferente. Pode-se dizer que o poema revela uma tentativa de ...

  • (a) distanciamento dessa outra realidade;

  • (b) aproximação dessa outra realidade;

  • (c) desvalorização dessa outra realidade;

  • (d) depreciação dessa outra realidade;

  • (e) negação dessa outra realidade.

Habilidade trabalhada

Caracterizar o Modernismo brasileiro.

QUESTÃO 5 Em “Acalanto do seringueiro”, há predomínio da primeira pessoa do singular (“Algumas coisas eu sei

...

”). No

entanto, em determinado ponto do poema, passa-se a utilizar a primeira pessoa do plural (“Trabalhar nós trabalhamos”). Tendo em vista os ideais da primeira fase modernista, justifique essa mudança de pessoa verbal. Destaque versos que comprovem sua resposta.

Habilidade trabalhada

Caracterizar o Modernismo brasileiro.

TEXTO GERADOR 3

O texto a seguir apresenta fragmentos do poema “Os sapos”, de Manuel Bandeira: uma obra também

representativa da primeira fase modernista. Esse poema foi lido na segunda noite da Semana de Arte Moderna

de 1922 e revela uma das características mais marcantes desse período: a forte rejeição à poesia parnasiana.

“Os sapos” dialoga, de forma satírica, com o Texto Complementar.

Os sapos

O sapo-tanoeiro, Parnasiano aguado, Diz: "Meu cancioneiro É bem martelado. Vede como primo Em comer os hiatos! Que arte! E nunca rimo Os termos cognatos. O meu verso é bom Frumento sem joio. Faço rimas com Consoantes de apoio. ( ) ...

Urra o sapo-boi:

"Meu pai foi rei". "Foi!". "Não foi!". "Foi!". "Não Foi!".

Brada em um assomo O sapo-tanoeiro:

"A grande arte é como Lavor de joalheiro.

Ou bem estatuário, Tudo quanto é belo, Tudo quanto é vário, Canta no martelo." ( ) ...

Lá, fugido ao mundo, Sem glória, sem fé, No perau profundo E solitário, é

Que soluças tu, Transido de frio, Sapo-cururu Da beira do rio ...

BANDEIRA, Manuel. Os sapos. Disponível em (http://www.mac.usp.br/mac/templates/projetos/jogo/certo3.asp)

Verbete Assomo Sinal. Cancioneiro Coleção de canções, coleção de poesias líricas. Cognatos Palavras que apresentam o mesmo radical. Ex.: pedra, pedreiro. Estatuário Relativo a estátuas. Escultor de estátuas. Frumento Trigo. Qualquer cereal. Joio Planta que infesta a seara. Coisa má que, misturada com as boas, as prejudica e deprecia. Lavor Trabalho. Martelado verbo martelar. Insistir, teimar. Repetir muitas vezes, para aprender ou decorar. Perau Declive rápido do fundo do mar ou de um rio, junto à costa ou à margem.

ATIVIDADES DE LEITURA

QUESTÃO 6

Uma tendência forte do primeiro momento do Modernismo foi fazer o poema-piada, modalidade em que se enquadra ―Os sapos‖. Manuel Bandeira satiriza o movimento parnasiano, criticando a preocupação excessiva com o aspecto formal. Essa foi outra grande tendência do movimento modernista: criticar a literatura parnasiana, que os modernistas consideravam ultrapassada. Recupere, no Texto Gerador 3, trechos que evidenciem a referência crítica à arte parnasiana

Habilidade trabalhada

Identificar o caráter de transgressão/manutenção presente na literatura modernista.

QUESTÃO 7

O Texto Gerador 3 procura discutir como a poesia deveria ser, portanto, é um poema metalinguístico. Os sapos

são uma metáfora dos tipos de poetas. O sapo-tanoeiro, por exemplo, representa o poeta parnasiano, enquanto o sapo-cururu é a figuração do poeta modernista. Assinale a alternativa que apresenta a correlação adequada entre os tipos de sapo descritos no poema e as características do movimento literário que cada um representa:

(1) Sapo-tanoeiro (2) Sapo-cururu

( ) Uso de linguagem cotidiana. ( ) Perfeição formal. ( ) Descritivismo. ( ) Simplicidade. ( ) Uso de palavras raras.

  • (a) 1, 1, 2, 2, 1.

  • (b) 2, 1, 2, 1, 1.

  • (c) 2, 1, 1, 2, 1.

  • (d) 1, 2, 2, 1, 2.

  • (e) 2, 2, 1, 1, 1.

Habilidades trabalhadas - Caracterizar o Modernismo brasileiro e Identificar o caráter de transgressão/manutenção presente na literatura modernista.

ATIVIDADE DE USO DA LÍNGUA QUESTÃO 8

Em ―Os sapos‖, para criticar e ironizar a poesia parnasiana, Bandeira emprega, em seu próprio poema, recursos

utilizados na obra desse estilo. Um deles é o uso de termos acessórios que ilustram o caráter descritivista do Parnasianismo. Um exemplo de termo acessório é o aposto (uma palavra ou expressão posta após (aposto) um termo com o objetivo de esclarecer, explicar ou detalhar melhor esse termo). Considerando essas informações, assinale a alternativa em que a vírgula foi empregada para isolar um aposto:

  • (a) ―Enfunando os papos, / saem da penumbra,/ Aos pulos, os sapos.‖

  • (b) ―Lá, fugido ao mundo,/ Sem glória, sem fé,‖

  • (c) ―Que soluças tu,/ Transido de frio,/ Sapo-cururu‖

  • (d) ―O sapo-tanoeiro, / Parnasiano aguado, / Diz: ’Meu Cancioneiro‖

  • (e) ―Ou bem estatuário,/Tudo quanto é belo,/Tudo quanto é vário,/ Canta no martelo‖

Habilidade trabalhada

Explorar questões relacionadas à pontuação em sua articulação com a estrutura sintática e

com as escolhas estilísticas dos autores.

TEXTO GERADOR 4

A Semana de Arte Moderna foi o marco inicial do Modernismo brasileiro. O evento teve como principal objetivo a ruptura entre o velho e o novo, entre o antigo e o moderno. A Semana aconteceu nas noites de 13, 15 e 17 de

fevereiro de 1922, no Teatro Municipal de São Paulo, e contou com a participação de vários artistas que mostraram obras com uma linguagem nova, afinada com as correntes estéticas do começo do século. O texto gerador 4 é um panfleto da época.

(Disponível em <a href=http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Arte-moderna-8.jpg ) QUESTÃO 10 Assinale a alternativa que apresenta, adequadamente, a função desse panfleto: (a) Discutir as principais ideias do Modernismo. (b) Promover o caráter transgressor da Semana. (c) Polemizar a escolha do Teatro Municipal como palco do evento. (d) Debater temas políticos inerentes ao Modernismo. (e) Divulgar o local, a data, a programação do evento e o valor dos ingressos. Habilidade trabalhada Avaliar a significação dos panfletos na configuração estética das produções literárias modernistas. TEXTO GERADOR 5 Macunaíma é uma das conhecidas personagens da literatura brasileira. Pode-se dizer que, nesse romance, Mário de Andrade tentou representar o multiculturalismo que integra a identidade brasileira. Em outras palavras, buscou mostrar que é o caráter heterogêneo que faz do Brasil uma entidade homogênea. O autor valorizou o folclore, as raízes, a linguagem e tudo quanto fosse mais próximo do povo. A seguir, apresenta-se um trecho do romance que narra as impressões de Macunaíma em relação ao espaço urbano: As cunhãs rindo tinham ensinado pra ele que o sagui-açu não era saguim não, chamava elevador e era uma máquina. De manhãzinha ensinaram que todos aqueles piados berros cuquiadas sopros roncos esturros não eram nada disso não, eram mas cláxons campainhas apitos buzinas e tudo era máquina. As onças pardas não eram onças pardas, se chamavam fordes hupmobiles chevrolés dodges mármons e eram máquinas. Os tamanduás os boitatás as inajás de curuatás de fumo, em vez eram caminhões bondes autobondes anúncios- luminosos relógios faróis rádios motocicletas telefones gorjetas postes cidade era só máquina! chaminés. . . Eram máquinas e tudo na (ANDRADE, Mário de. Macunaíma - o Herói sem Nenhum Caráter. São Paulo: Livraria Martins Editora S. A, 1974, p. 28.) QUESTÃO 11 Pode-se destacar como característica modernista a ruptura da linguagem literária tradicional. No Texto Gerador 5, procura-se criar uma língua brasileira, que incorpora variações regionais, palavras indígenas, coloquialismos e influências estrangeiras. Considerando essa característica, responda às questões a seguir: a) Destaque exemplos que comprovem a incorporação de diferentes culturas na formação brasileira. b) A enumeração de palavras indicadoras de ruídos, de marcas de automóveis e de elementos da cidade aparece de forma inadequada a uma regra de pontuação. Justifique. Como essa inadequação se relaciona ao espaço urbano retratado? " id="pdf-obj-5-2" src="pdf-obj-5-2.jpg">

QUESTÃO 10

Assinale a alternativa que apresenta, adequadamente, a função desse panfleto:

  • (a) Discutir as principais ideias do Modernismo.

  • (b) Promover o caráter transgressor da Semana.

  • (c) Polemizar a escolha do Teatro Municipal como palco do evento.

  • (d) Debater temas políticos inerentes ao Modernismo.

  • (e) Divulgar o local, a data, a programação do evento e o valor dos ingressos.

Habilidade trabalhada

Avaliar a significação dos panfletos na configuração estética das produções literárias modernistas.

TEXTO GERADOR 5

Macunaíma é uma das conhecidas personagens da literatura brasileira. Pode-se dizer que, nesse romance, Mário de Andrade tentou representar o multiculturalismo que integra a identidade brasileira. Em outras palavras, buscou mostrar que é o caráter heterogêneo que faz do Brasil uma entidade homogênea. O autor valorizou o folclore, as raízes, a linguagem e tudo quanto fosse mais próximo do povo. A seguir, apresenta-se

um trecho do romance que narra as impressões de Macunaíma em relação ao espaço urbano:

As cunhãs rindo tinham ensinado pra ele que o sagui-açu não era saguim não, chamava elevador e era uma máquina. De manhãzinha ensinaram que todos aqueles piados berros cuquiadas sopros roncos esturros não eram nada disso não, eram mas cláxons campainhas apitos buzinas e tudo era máquina. As onças pardas não eram onças pardas, se chamavam fordes hupmobiles chevrolés dodges mármons e eram máquinas. Os tamanduás os boitatás as inajás de curuatás de fumo, em vez eram caminhões bondes autobondes anúncios-

luminosos relógios faróis rádios motocicletas telefones gorjetas postes cidade era só máquina!

chaminés. . .

Eram máquinas e tudo na

(ANDRADE, Mário de. Macunaíma - o Herói sem Nenhum Caráter. São Paulo: Livraria Martins Editora S. A, 1974, p. 28.)

QUESTÃO 11

Pode-se destacar como característica modernista a ruptura da linguagem literária tradicional. No Texto Gerador 5, procura-se criar uma língua brasileira, que incorpora variações regionais, palavras indígenas, coloquialismos e influências estrangeiras. Considerando essa característica, responda às questões a seguir:

a) Destaque exemplos que comprovem a incorporação de diferentes culturas na formação brasileira. b) A enumeração de palavras indicadoras de ruídos, de marcas de automóveis e de elementos da cidade aparece de forma inadequada a uma regra de pontuação. Justifique. Como essa inadequação se relaciona ao espaço urbano retratado?

Habilidades trabalhadas

Caracterizar o Modernismo brasileiro e explorar questões relacionadas à pontuação em sua articulação com a

estrutura sintática e com as escolhas estilísticas dos autores.

ATIVIDADE DE PRODUÇÃO TEXTUAL QUESTÃO 12

Os panfletos são textos que apresentam certa regularidade. Podemos destacar algumas características desse

gênero:

são folhas avulsas preenchidas, geralmente, de um dos lados;

podem ser entregues diretamente às pessoas ou deixados em lugares acessíveis que possibilitem a livre circulação;

possuem enunciados construídos de forma direta e objetiva; utilizam linguagem verbal e não verbal (os recursos gráficos são muito importantes); circulam com o objetivo de divulgar determinado assunto/evento.

Você já estudou o Manifesto da Poesia Pau-Brasil neste Roteiro. Releia-o com atenção e, a partir das considerações feitas, produza um panfleto com o objetivo de divulgar esse movimento de renovação cultural aos artistas da atualidade.

Habilidade trabalhada

Produzir manifestos e panfletos que discutam aspectos políticos e sociais abordados nos textos literários

estudados, considerando a importância do tópico frasal para a proposição de argumentos e premissas.