You are on page 1of 27

FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS

1

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DISCIPLINA: ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS PROFESSOR: ARISMAR CERQUEIRA SODRÉ

1. OBJETIVOS: a) - DAR CONHECIMENTO AOS ALUNOS, DE INSTRUMENTAL TEÓRICO-PRÁTICO DAS ATUAIS TÉCNICAS DE ELABORAÇÃO E ANÁLISES DE PROJETOS;

b) - ADOTAR ESQUEMAS METODOLÓGICOS QUE POSSIBILITEM ADQUIRIR CONHECIMENTOS PARA A ALOCAÇÃO DE RECURSOS PÚBLICOS E PRIVADOS; c) - ESTIMULÁ-LO A DESENVOLVER UM ESPÍRITO CRÍTICO ACERCA DA ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS.

2. EMENTA OU CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

2.1 O PROJETO COMO INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO a) - O PROCESSO DE ELABORAÇÃO E TIPOS DE PROJETOS; b) - O PAPEL DO PROJETO NA DECISÃO DE INVESTIMENTOS; c) - ROTEIROS DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS.

2.2 ELEMENTOS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

2.2.1 - ETAPAS DO PROJETO a) - ESTUDOS PRELIMINARES; b) – ANTEPROJETOS; c) - PROJETOS FINAIS OU EXECUTIVOS; d) - MONTAGEM E IMPLEMENTAÇÃO; e) - ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO; f) – MONITORAÇÃO.

Prof. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070; e-mail: arismar@ufba.br

FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS

2

2.2.2 - CONTÉUDO DO PROJETO a) - ASPECTOS ECONÔMICOS: MERCADO LOCALIZAÇÃO TAMANHO CUSTOS E RECEITAS b) - ASPECTOS TÉCNICOS: ENGENHARIA INVERSÕES c) - ASPECTOS FINANCEIROS: FONTES DE FINANCIAMENTO RENTABILIDADE CAPACIDADE DE PAGAMENTO d) - ADMINISTRATIVO E LEGAL

2. 3. ELEMENTOS PARA ANÁLISE DE PROJETOS.

2.3.1 - ROTEIRO DE PROJETOS SOCIAIS E PRIVADOS: ATUALIZAÇÃO 2.3.2 - PRINCIPAIS CRITÉRIOS DE ANÁLISE DE VIABILIDADE ECONÔMICA - FINANCEIRO DE PROJETOS a) - ANÁLISE FINANCEIRA; b) - ANÁLISE ECONÔMICA; c) - AVALIAÇÃO DE ALTERNATIVAS COM HORIZONTES DIFERENTES; d) - ANÁLISE INCREMENTAL; e) - ANÁLISE DO BREAK EVEN POINT; f) - AMORTIZAÇÃO, DEPRECIAÇÃO, LEASING; g) - SUBSTITUIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SHADOW PRICE; h) - ANÁLISE DE INCERTEZA E DE RISCO.

3. METODOLOGIA: a) - AULAS EXPOSITIVAS TEÓRICAS E PRÁTICAS, UTILIZANDO-SE: QUADRO, TRANSPARÊNCIA, DATASHOW, FLIT CHART E FILMES;

b) - PAINÉIS SOBRE ESTUDOS DE CASOS REAIS, WORKSHOP, ETC; c) – SERÃO FORNECIDOS PROJETOS REAIS PARA SEREM ANALISADOS PELOS ALUNOS; b) - APRESENTAÇÃO EM CLASSE DOS TRABALHOS DE EQUIPE.

Prof. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070; e-mail: arismar@ufba.br

. Autor: Raymond R. Análise Financeira para Tomada de Decisão. Mayer 8. R. Análise de Investimento (Projetos Industriais e Engenharia Econômica) Autor: César das Neves 11. Manual de Análise de Projetos Industriais Autor: OCDE . Ajit K. Elaboração e Avaliação de Projetos. Autor: Simonsen. 4.Quantitativos. 9. epencer L.de Proj. D. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070. Análise Financeira de Alternativas de Investimentos. Analise de Projetos para o crescimento econômico Autor: Morais J. relacionados com o objetivo da disciplina. freqüências às aulas. Analysis of Decision Under Uncertainty. Autor: Holanda. Elaboração e Análise de Projetos. Autor: Enrlich. 2. Solomon 12. provas mensais e trabalhos em sala.br . A.FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 3 4. BIBLIOGRAFIA 1.Crit. AVALIAÇÃO Os alunos serão avaliados através de trabalho de equipe sobre “ESTUDO DE CASOS”. Theory and practice. Nilson. Autor: Bleeke. e-mail: arismar@ufba. Mario Henrique. Elaboração e Análise de Projetos Autor: Samsão Woiler e Washington Franco Mathias 5. Autor: Schlaifer. Cost-beneficit analysis. 3. Autor: Dasgupta.W. Invest. Avaliação e Sel. resolução de exercícios em classe e extraclasse. Prof. Von 6. Identificação e Elaboração de Projetos Autor: Gersdorff. Certr J. Pierre Jacques 13. 5. 10.Organizações de Cooperação e Desenvolvimento Econômico 7.C. Planejamento. Elaboração e Análise de Projetos Econômicos Autor: Amereno.J. Avaliação Social de Projetos’ Autor: Cláudio Contador 14 Avaliação de Projetos Autor: Juan Jersztajn Moldan 15. Ralph C. & Pearce.

Prof. COELHO. Autor: Hess. 28. Hein. Elementos de Análise de Custos-Benefícios. 27. CLEMENTE. Dennis J. 2002. e-mail: arismar@ufba. Investment Decisions an Capital Costs. COHEN. D. Gestão de Projetos MBA Executivo. Quantitativa as Decisões Administrativas. 22. M. 25. Autor: James C. 2 ed. C. Gestão de Projetos. Lynn 20. Luís César de Moura. 23. Matemática Financeira e Análise de Investimento .). 2003. Decisão de Investimentos e Custo de Capital. 305p. Autor: Porterfield. Geraldo 18. e GRAHAN. Rio de Janeiro: Campus. Project appraisal and planning for developing countries. Robert. MENEZES. Van Horne 21. Nacional e Universitária. A. & Mirrelees . Robichek e S. Autor: James T. São Paulo: Atlas. Rayers 24. Ademir(org. São Paulo.br . Projetos Empresariais e Públicos. Autor: Little. São Paulo: Atlas. Silvio T. Autor: Mishan. Economic analysis of Projectos. Int. Otimização das Decisões Financeiras. 17. Autor: Leonardo W. Porterfield. S. J. 2002. 26. Van Der & Squire. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070.FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 4 16. Autor: Tak. Autor: A. E. Elementos de Engenharia Econômica. J. I. James T. 19. Função e Análise das Taxas de Mercado de Capitais. Herman G.

br . DEFINIÇÃO E EQUACIONAMENTO PRELIMINAR DO PROBLEMA 2. REALIZAÇÃO DE LEVANTAMENTOS E PESQUISAS 6. APRESENTAÇÃO DE SOLUÇÕES E ALTERNATIVAS 9. ESTABELECIMENTO DE PROJEÇÕES E PROVISÕES 7. e-mail: arismar@ufba. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070.FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 5 ETAPAS DO PROCESSO DE PLANEJAMENTO 1. REALIZAÇÃO DE COLETA PRELIMINAR DE DADOS 5. FORMULAÇÃO DE DECISÕES OU PROPOSTAS 10. ELABORAÇÃO DAS DIRETRIZES BÁSICAS DO PLANEJAMENTO 3. ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS DADOS 8. FIXAÇÃO DO(S) OBJETIVO(S) 4. REPLANEJAMENTO AS 10 MEGA TENDÊNCIAS MUNDIAS Prof.

TRIUNFO DO INDIVÍDUO Prof. explicam-nos muito do que está ocorrendo a nossa volta.1 Seus produtos/serviços contribuirão para a simplificação e praticidade da vida das mulheres que trabalham? 7.2 (☼) O produto/serviço poderá ser oferecido às minorias ascendentes (homossexuais. As questões abaixo foram estruturadas tomando como base o trabalho de John Naisbitt e Patrícia Aburdene: “Megatrends”.1 O produto/serviço oferecido por sua empresa estimula e facilita o desenvolvimento cultural das pessoas? 2.1 Seus produtos/serviços são direcionados para as atividades turísticas? 5.2 (→) Sua empresa atuará no restate histórico da no ssa cultura.2 (☼) A sua empresa pretende ter algum tipo de responsabilidade social? 4.1 Sua empresa atuará no mercado alternativo de alimentação. Essas mudanças agrupadas em tendências. em “Megatrends”. famacêutico e cosmético? 8. ECONOMIA GLOBAL 1.2 O seu empreendimento atenderá as necessidades pessoais dos seus usuários? 6. idosos)? 7. OPORTUNIDADES GLOBAIS 6.2 O ecossistema e a preservação da natureza são questões de princípio no seu empreendimento? 9.2 (→) A sua empresa e o produto/serviço podem ser conhecidos por meio de redes informatizadas? 2.FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 6 Especialistas têm publicado sobre tendências de negócios no mundo.br .1 Seus produtos/serviços poderão ser consumidos no mundo pelo mesmo público alvo? 4. destaca-se como uma luz no fim do túnel das transformações verificadas no planeta.1 Os produtos/serviços oferecidos por sua empresa se enquadrariam como de menor importância nos processos produtivos de outras empresas de maior porte? 3. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070. 1. ECONOMIA DE LIBRE MERCADO 3. LIDERANÇAO FEMININA 7.1 (→) A sua empresa atuará no mercado com produtos e serviços que levarão as pessoas a se autoconhecerem? 9. BIOLOGIA / MEIO AMBIENTE 8. e-mail: arismar@ufba.2 (→) Seus produtos/serviços estão dirifidos para as mulheres que respondem pelo núcleo familiar? 8.1 (→) A oportunidade que você deseja explorar tem sido ou poderá ser bastante procurada por investidores estrangeiros? 6. ESTILO DE VIDA GLOBAL 4.2 (☼) O seu produto/serviço está voltado para um estilo de vida saudável? 5. grupos étnicos. POTENCIAL TURÍSTICO (→) 5.1 (☼) (→) A sua empresa pretende oferecer seu produto/serviço a outras partes do mundo? 1. Ajudam-nos encontrar oportunidades de futuro e saber como investir nosso capital. O trabalho de John Naisbitt e Patrícia Aburdene. valores e crenças? 3. DESENVOLVIMENTO CULTURAL 2. RENASCIMENTO RELIGIOSO 9.2 Seu negócio se proporá a divulgar e disseminar conhecimentos milenares para uma vida espiritual mais plena? 10.

Prevê-se que a população crescerá a uma taxa anual de 2% e que a renda per capita elevar-se-á razão anual de 1.br . Obs. Foi estimado que a procura do bem de consumo A deverá crescer à taxa de 5%. a) Qual será o coeficiente de elasticidade-renda implícito nestas cifras? b) Se a projeção fosse baseada no coeficiente histórico de elasticidade-renda. LISTA DE EXERCÍCIOS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS 6.FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 7 10.1 MERCADO 1. O símbolo (☼) indica que a questão foi criada.1 A sua empresa partirá do pressuposto de que o indivíduo é sua razão de existir? 10. acumulativa anual. orientada pelas megatendências mundiais. segundo a seguinte escala de graduações: (0) a oportunidade não se enquadra na tendência.2 Todos os produtos/serviços do seu negócio direcionarão à facilitação e praticidade da vida dos seus consumidores? Nota: Agora que você já avaliou suas oportunidades. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070. que Prof.5%. O símbolo (→) indica que a questão foi modificada ou realocada. 6. e-mail: arismar@ufba. (1) a oportunidade se enquadra perfeitamente na tendência. classifique essas oportunidades.

3 anos. Que qualificações adicionais seriam necessárias. A taxa de crescimento do consumo total de um bem foi. cada um. no ano de 2004. 4 anos e os outros 10%. C2 (30t/ ano). nos últimos anos. outros 30%. acumulativa anual. 10%. ademais. B e C. e a população. 30t/ ano na cidade M2 e 10t/ano na cidade M3.000 t 0. 6. Suponha-se que um sistema de transportes coletivos de uma cidade está atendido por 1. Fazer uma projeção da demanda de ônibus. Projetar a demanda do bem considerado (calcular a taxa de crescimento) de acordo com os seguintes critérios: a) Extrapolação da tendência histórica do consumo total. a. As distâncias entre fontes de matérias-primas e centro consumidores e a rede de / transportes (rodoviário somente) estão representadas no diagrama a seguir: C3 Prof.200 pessoas. Suponha-se ainda que: a) Nos próximos 10 anos a população da cidade crescerá à razão de 5%. a. Os seus requisitos de matérias-primas localizadas (exclusive matérias-primas e outros insumos localmente disponíveis) são de 50t/ ano da cidade /M1. B e C são os seguintes: Produção Coeficiente técnico a) indústria A 200. B e C.6% a. diariamente.br . C3 (50t/ ano). esperando-se. a 2..5% a. e os coeficientes técnicos de utilização do bem K nas indústrias A.5 b) Para o bem B = 1. c) A cidade é muito plana e os preços de terrenos ainda são relativamente baixos. 4.000 t 0. Projetar a procura do bem K para os anos 2005. explicando e justificando os dados adotados para fazer a projeção. está estreitamente relacionada com o nível de renda.5% a. a. e uma taxa de crescimento da população de 3%. e c) Extrapolação do consumo por habitante.6 c) indústria C 300. Sabe-se que os principais consumidores desse bem K são as indústrias que produzem os bens de consumo final A. Suponhamos que se pretenda projetar a procura do bem intermediário K.5 c) Para o bem C = 2 A produção desses bens. 2 anos.4 Sabendo-se que foi estimada uma taxa de crescimento da renda per capita de 2% a. em função do que se supõe que a cidade tenda a expandir-se mais horizontalmente que verticalmente. 3. estima-se que a população crescerá a 2. d) À data do estudo. b) A vida útil de um ônibus é de 5 anos. o mercado que o projeto deveria atender se distribui pelos centros / consumidores C1 (20t/ ano). b) Extrapolação da tendência histórica do consumo por habitante. se considerasse uma determinada taxa de crescimento de renda per capita ou uma expansão vertical da cidade. considerando a elasticidade-renda da procura. enquanto a renda total cresceu a 2.8 b) indústria B 500.4% a. Sabe-se.000 t 0. de 3.2%.000 t/ ano. 30% dos mil ônibus tem 1 ano de uso. conforme se observam dos seus respectivos coeficientes de elasticidade-renda: a) Para o bem A = 3. Para o futuro. e-mail: arismar@ufba. cuja capacidade de produção se estimou em 100. Por sua vez. ainda. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070. que a procura dos bens A. 2006 e 2007.2 LOCALIZAÇÃO 1-Suponhamos que se procura determinar a localização de uma indústria. 5 anos.FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 8 premissa haveria em relação ao preço e em relação à distribuição da renda? 2.a. um crescimento da renda total de 4. a. 20%.000 ônibus que transportam uma média de 1.

00. DISTÂNCIA DISTÂNCIA EM KM CIDADES P/o Mercado P/ Fonte de M-P _________________________________________________________________________ Consumidor (a) B 25 C 10 10 D 5 8 4. Custo de tarifa de transporte de matéria-prima: Para A = R$ 20. c) C com 350. e-mail: arismar@ufba. Para C = R$ 15.000 toneladas de um único bem. d) D com 20. Requisitos de insumos: a) Utilização de 2 ton. de matéria-prima por 1 tonelada de produto final We = 0.br .Um projeto de uma indústria que visa produzir 15.000 hab. que é um pouco mais cara na localidade C3.000 hab. tem como mercado consumidor à cidade A e como fonte de matéria-prima a cidade B. OPÇÕES DE LOCALIZAÇÃO . de produto. Prof.5 WN coeficiente utilizado b) Utilização de 4. 3. QUAL A MELHOR LOCALIZAÇÃO PARA A INDÚSTRIA? 2. c) 600 empregos diretos.CIDADES a) A com 1.00 para produtos acabados. 2.000 hab.FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 9 80 Km 100 Km 40 Km C2 70 Km 20 Km M2 30 Km 100 Km M1 C1 M3 Os custos de tarifas por t/km são de R$10. principalmente porque é centro urbano e o mercado mais importante da área considerada.00 para matérias-primas e de R$ 20. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070. b) B com 200. Os demais custos não variam de um local para outro salvo com ralação à mão-de-obra. sendo 100 qualificados. apresentando as seguintes características: 1.500.000 hab.00.000 Kwh por ton.

000 ton.00 de A e B para C (centro consumidor). os custos de mão-de-obra em A e C são iguais e em B acresce de 30%. O custo médio por cada operário em A e C é de R$ 2. 3. Prof. A distância de A para B é de 110 Km.00.00 Y B 100 Km R$ 12. b) Qual (es)o (s) fator (es) que poderiam alterar a localização indicada pelos custos mínimos de transporte? 3) Encontra-se com problema de localização um projeto que pretende produzir 30. 6. 1 Quantidade de matéria-prima utilizada (Ex: moinho de trigo).0 Utilização de 2.000 Kwh/ ton e 500 operários.br . sendo os custos de energia em A = 0. PEDE-SE: a)Calcular a melhor localização considerando os custos de transporte.(O Tamanho de um processo é definido por sua capacidade de produção. mas de C para A e B é de R$ 17.00 por Ton/Km 5.80 em B 1. PEDE-SE: DETERMINAR A MELHOR LOCALIZAÇÃO PARA O PROJETO. Conceito de capacidade de produção.000. 2.00. conforme o quadro abaixo: INSUMO LOCALIZAÇÃO DISTÂNCIA P/O TARIFA POR Ton/Km CENTRO CONSUMIDOR X A 80 Km R$ 10.70 o Kwh. e-mail: arismar@ufba. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070. SABE-SE QUE: O coeficiente de utilização de insumos são os seguintes: x = 60% e y = 40%.00 em função da dificuldade de retorno. durante um período de trabalho considerado NORMAL).3 TAMANHO. 1. e necessita de dois tipos de matérias-primas localizadas e produzidas em diferentes pontos. Unidades de Medidas.00 A tarifa de transporte por ton/Km do produto final é de R$ 15. 3 Montante de Investimento Total. 2. 2. 2 Número de empregados ou operários.00 e em C= 0.FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 10 Para D = R$ 10. 2. Definição . sendo que WM WC = 1. A tarifa de transporte do produto acabado é de R$ 20. ao ano de um determinado produto.

TAMANHO e Custo Unitário. 8. EXERCICIOS 1.000 2012 8.br . Abstraindo-se os demais custos não-relacionados com o capital. 8.custos unitários mínimos ou lucros máximos. 4.Ponto de vista Privado ( mais alta rentabilidade) 5.000 2010 2. Economias tecnológicas .máximo de produção através dos equipamentos.Conceito técnico ou de engenharia . Tamanho.custo unitário mais baixo ou menor diferença B/C. 3 Tamanho e localização. 1 Tamanho e mercado. CT = CM.baixos de custos médios decorrentes aumentos de produção. A capacidade teórica dos equipamentos e instalações disponíveis é da ordem de 40t/ano (a 100%) Na medida em que se utiliza mais intensamente a capacidade instalada. 2 Custos Médios ou Unitário CM = CF + CV (custos fixos médios) x x x 7. Limitação de Tamanho.Conceito Econômico .FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 11 3.000 2011 5. 6. Receita Total = P x Q. As Economias de Escala . 8. Suponhamos que se pretende escolher o tamanho ótimo de um projeto para atender a uma procura estimada nos seguintes níveis: Ano Procura (unidades) 2009 1. 8. 4. 1. 8. 7. Procura = Q. 7. Suponhamos que os custos de capital de um projeto (Ckt) correspondem à soma dos seus custos de capital fixo(Ckf) e custos de capital de trabalho (Ckt). 1. 9.CT 6. 2. 1 Custos fixos e variáveis CT= CF + CV 6. Lucro = RT . Elementos a serem considerados em cada Tamanho. 2 Tamanho e tecnologia. 8. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070. 2. 1. 2. 4 Tamanho e financiamento. Economias pecuniares .Poupança de insumos em termos fixos. 4. porque se torna necessário manter estoques mais elevados (de matérias-primas e produtos finais). Custos Médios = CT/Q. 3. 2.baixa dos preços dos fatores ou insumos.Q Preço = P. diminuem os custos relacionados com o capital fixo. determinar qual o nível ótimo de utilização da capacidade. e-mail: arismar@ufba.000 Prof. 5 Tamanho e outros fatores (pessoal técnico de administração).Ponto de vista social . considerando como tal àquele que assegure custos unitários mínimos de produção sabendo-se: Ckf = 1200 x Ckg = 3X Onde x = quantidades produzidas em toneladas. mas aumentam os custos relacionados com o capital de trabalho.

000 50. 2. o preço do produto considerado se mantém ao nível de R$35.000 10.Encargos Sociais. Determinar. . Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070. d) Subsídios.000 10.Do ponto de vista ECONÔMICO. b) Pelo critério de maximização dos lucros.Honorários da Diretoria.000 220.4 CUSTOS E RECEITAS CUSTOS . Prof.000 125. ORÇAMENTO DE CUSTOS E RECEITAS ANUAIS ESPECIFICAÇÃO 1.FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 12 2013 2014 2015 2016 10.00 por unidade e existem as seguintes alternativas de tamanho: TAMANHO CAPACIDADE TOTAL CUSTOS TOTAIS A 100% DE A 100% EM UNIDADES CAPACIDADE (R$MIL) PRODUZIDAS FIXOS VARIAVÉIS TOTAIS I 2. o tamanho ótimo: a) Pelo critério do custo unitário mínimo.000 180. . RECEITAS TOTAIS a) Venda de produtos principais.000 10. CUSTOS TOTAIS a) Fixos .Salários (Mão-de-obra indireta).000 II 5.br VALOR % .000 105. e-mail: arismar@ufba.000 A vida útil dos equipamentos é de oito anos.000 40.000 20. desde que seja possível atribuir um valor monetário a esse sacrifício. c) Outras receitas.000 40.000 III 10. 6. b) Venda de subprodutos.000 10. CUSTO é todo e qualquer sacrifício feito para produzir um determinado bem.000 Admite-se que estes custos são diretamente proporcionais às quantidades produzidas.

.400 12)Combustível e lubrificantes 3. . Juros s/emp.br . .Aluguéis. Comissão sobre vendas 27.00 1) Vendas de produtos principais 55. Seguros 7.Juros sobre empréstimos de curto prazo. Propaganda 21. . 6)Salários do pessoal de produção 4. . Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070. RESULTADOS TOTAIS EXERCÍCIOS: 1. Depreciação 14. longo prazo 25.Material de embalagem. Aluguéis 12.600 8)Matérias primas 18. Manutenção 26. Encargos sociais sobre a produção 18.340 . Transportes 8.600 Prof.400 5)Seguros de imobilizações técnicas 1. . Embalagem 23. Lubrificantes 24.Partindo dos elementos abaixo.Comissões sobre vendas. . .Salários e Encargos Sociais (Mão-de-obra direta). Vendas de Sub-produtos 13. . . Energia Elétrica 4.Impostos. Juros s/capital próprio 19.145 11)Material de embalagem 2. reconstitua: a) Orçamento de custos e receitas b) Ponto de nivelamento em termos percentuais c) Ponto de nivelamento em termos de volume de produção d) Ponto de nivelamento em termos da receita Valores em R$ 1.Energia elétrica. extraídos de um projeto industrial.Materiais secundários. ICMS 9.000.Depreciação. Subsídios 5. e-mail: arismar@ufba.Propaganda. Salário da Mão-de-Obra direta 11. Material Secundário 20.Matérias-primas.000 2) Salários do pessoal técnico administrativo 1.755 14)Juros sobre capital próprio 3.000 7)Encargos sociais sobre salários diretos 1. . .FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 13 . .Impostos.Seguros. Determinar quais dos itens abaixo está vinculado com a receita. Venda do produto 10.Outros custos de produção 2 .000 15)Água industrial 900 16)Comissões sobre vendas 1.Juros sobre capital próprio.Outros itens.Combustíveis e lubrificantes. . 3. custos fixo e variável: 1. Combustível 3. . Encargos sociais do pessoal da administração 22. Serviços bancários 17. Salário da mão-de-obra indireta 16.Juros sobre empréstimo a longo prazo.000 3) Encargos sociais sobre salários indiretos 400 4)Honorários da Diretoria 2. Matérias primas 2.600 13)Depreciação 4.000 9)Aluguéis a pagar anualmente 660 10)Manutenção preditiva 2. . Honorários da Diretoria 15.Amortização de despesas de Manutenção. Imposto Predial 6. b) Variáveis .

b) GASTOS PRÉ-OPERACIONAIS .000 unidades de um produto. considerando: a) os preços e custos inicialmente estimados. Prof. f) juros s/empréstimos de longo prazo = 5. .200 19)Tributação sobre imobilizado 450 20)Juros de operações a curto prazo 3. e) Impostos s/vendas = 10.00. .400 18)Juros sobre operação de longo prazo 3. c) Honorários da Diretoria = 5. em termos de porcentagem da capacidade instalada.a. i) outros custos (variáveis) = 5.000. assim distribuídos: a) mão-de-obra = 30.Obras Civis. .Projetos Executivos. h) energia = 5. .Equipamentos e máquinas. b) uma baixa de 10% nos preços de venda.Material de Expediente.Móveis e Utensílios. .000. Os custos anuais de produção foram estimados em R$ 115.produtos 25. d) matériaprima = 40. e-mail: arismar@ufba. à razão de 5% a.Veículos.00 por tonelada.000 24)Energia elétrica da produção 2.FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 14 17)Impostos sobre as vendas 2. 3 . DETERMINAR O PONTO DE NIVELAMENTO.Suponhamos que um projeto tem por objetivo a produção anual de 10 mil toneladas de um determinado bem.200 21)Manutenção preventiva 650 22)Propaganda 10 0 23)Venda de sub .00.br . l) juros imputados s/capital próprio de R$ 300. .Terrenos e Jazidas.Capacitação de Pessoal.Coquetel de Inauguração.Outros. que será vendido ao preço de R$ 16. g) materiais secundários = 10. j) depreciação de 10% sobre o capital fixo de R$100.00. 6. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070.200 Sabe-se ainda que a empresa deseja produzir 4.00. . b) Aluguéis = 5.000.Divulgação. . . cujo preço médio é R$ 20.5 INVESTIMENTO a) INVERSÕES FIXA .

Prof. Provisão para Devedores Duvidosos 4. e-mail: arismar@ufba.br . Títulos em carteira a) Vendas a crédito (1) b) Menos Descontos bancários 5. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070.FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 15 c) CAPITAL TRABALHO OU DE GIRO CAIXA COBRANÇAS COMPRAS DE MATÉRIAS-PRIMAS VALORES A RECEBER ESTOQUES VENDASaCRÉDITO PRODUTO PRODUÇÃO CAPITAL DE TRABALHO LÍQUIDO Estoque + Adiantamento a fornecedores + Títulos a receber + Dinheiro em Caixa . ITENS VALORES EM US$ 1. Estoques Médios a) Matérias-primas b) Materiais Secundários c) Materiais em Processo de Elaboração d) Produtos Acabados (1) 2.00 (Média mensal) 1. Adiantamentos a Fornecedores a) Compras pagas pôr antecipação b) Menos Compras feitas à crédito 3.(Descontos bancários + débito para com fornecedores + títulos a Pagar + Outros Créditos de curto prazo). Encaixe mínimo (saldo líquido monetário) (2) TOTAL (1) Faturamento Mensal menos (lucro + depreciação + juros sobre capital próprio) (2) Faturamento Mensal menos (lucro + depreciação + juros sobre capital próprio + matérias primas + matérias secundárias).

FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 16 EXEMPLO 1 Estimar as necessidades de capital trabalho de um projeto.000.000 b) O gasto mensal de produção é de US$ 180. 40% em dois meses. 6. e) Pagamentos antecipados para compras de Matérias-primas ou Materiais Secundários no valor US$ 50.000 Matérias-primas 30 Matérias Secundárias 20 Depreciação 40 Juros sobre o capital próprio 40 Outros custos (efetivos) 50 180 c) A Empresa precisa manter estoques médios de Matérias . 30% no prazo de 02 meses. portanto. d) Índice de 5% de inadimplência.(Método do fluxo de caixa) EXEMPLO 2 Suponhamos que o faturamento mensal de uma empresa é de US$ 12. g) Não existem créditos de curto prazo ou descontos de títulos. FONTES DE RECURSOS (INTERNAS OU EXTERNAS) 2. 1. 20% a 30 dias de prazo. Qual o valor dos títulos em carteira? Excluindo a hipótese de descontos dos títulos a admitindo que clientes paguem seus títulos com um atraso de um mês. e 20% nos prazos de três e quatro meses.Capacidade do projeto em gerar internamente as poupanças necessárias para a amortização dos empréstimos que devem ser obtidos. 10% a 90 dias de prazo.2 .Primas correspondentes a 03 meses de produção e de Matérias Secundárias 04 meses.Internas (Recursos próprios ou de participação) Prof. incluindo-se nesse valor um lucro de US$ 1.1 .1 . Qual o investimento da empresa para manter o valor permanente na carteira de títulos? Admitamos que a empresa consegue descontar nos bancos comerciais 50% dos títulos emitidos no prazo de um mês. 20% no prazo de 03 meses 10% no prazo de 04 meses Todas as vendas da empresa. não existe disponibilidade de crédito para descontos. 2.FINANCIAMENTO 1. 1. 20% a 60 dias de prazo.br . pois. f) As condições de vendas dos produtos são: 50% à vista. são feitas a prazo e todos os títulos emitidos são mantidos em carreira. As vendas da empresa são feitas nos seguintes prazos: 40% no prazo de 01 mês. Calcular o do Capital Trabalho .000. e-mail: arismar@ufba.500 e custos reajustados (juros sobre capital próprio + depreciação) de US$ 500. 2. OBJETIVOS DO ESTUDO 1.(Método Analítico) .6 . Qual o valor dos títulos na carteira? 3.Minimização dos custos de capital. com base nos seguintes dados: a) Valor do faturamento mensal é de US$ 200. a saber: US$ 1. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070.

2. 4.2 . 3.1 Para os Projetos Privados: a) Colocação de títulos primários no Mercado de Capitais.2 . c) A rentabilidade do projeto pode não ser suficiente para garantir a amortização da dívida. As receitas totais anuais são de R$ 200. e) A prestação de garantias reais e o atendimento de certas exigências dos credores. edifícios e construções. FONTES DE RECURSOS PARA PROJETOS PRIVADOS E SOCIAIS. Dos resultados totais apurados devem ser deduzidos R$ 10. exaustão e outras). Reservas (depreciação. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070.000. R$ 60.000. Para tanto são necessários investimentos de R$ 50. CAPACIDADE DE PAGAMENTO = Lucros suspensos + Fundos de reservas especiais + Fundos de Reserva legal + Depreciação.000.br 2. EXERCÍCIOS. R$ 30. enquanto a política de distribuição de lucros da empresa estabelece um dividendo de 10% sobre o capital próprio e o pagamento de gratificação a direitos e funcionários à base de 9. VANTAGENS E DESVANTAGENS DE FINANCIAMENTO COM EMPRESTIMOS.00 em maquinismos e equipamentos. 4. .000. 5.00). QUADRO DE FONTES E USOS (MODELO). enquanto os custos totais ascendem a R$ 100.Desvantagens: a) A disponibilidade de crédito não é infinita. a taxa de impostos de renda incidente sobre o lucro a distribuir é de 20%.Externas (Recursos Alheios ou de Empréstimos) .00 por unidade. juros durante a construção. c) Empréstimos internos e externos.000 unidades/ano do bem Y que serão vendidas ao preço de R$ 6.000. Lucros retidos ou não distribuídos. Empréstimos (Bancos Privados.000. Por sua vez.000. c) Mobilização de recursos de origem externa (Op. e-mail: arismar@ufba.Vantagens: a) Menor custo de capital. em terrenos. b) Obtenção de opção através de Incentivos Fiscais.Para os Projetos Sociais: a) Impostos e Tributos. Vendas de ações no mercado de capitais (ordinárias ou preferenciais) . em média.63). da ordem de R$ 10.00 em móveis e utensílios. 3.00. c) Vantagens fiscais (juros dedutíveis da Renda tributável).1. 4.00 (inclusive juros de 10% sobre o capital próprio e aporte ao fundo de depreciação da ordem de R$ 30. etc.00. 7.00. b) Manutenção do controle da Empresa. 3.1% do lucro a distribuir. 1. em 80% do valor anual gastos de produção (exclusive depreciação e juros sobre o investimento total). b) Tarifas de serviços públicos e Lucros das Estatais.000. além de gastos em estudos preliminares e testes de funcionamento. 6.000. Pergunta-se: a) Qual a capacidade de pagamento? b) Em quantos anos poderá ser amortizado o empréstimo? Um determinado projeto tem por objetivo a produção de 20.00 para constituição do Fundo de Reserva Legal. Prof. d) A obtenção do empréstimo aumenta o risco do empreendimento.00 dos quais 50% correspondem a recursos próprios e 50% a fundos obtidos de empréstimos a longo prazo.2 .FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 17 . Estatais e Internacionais). Um projeto tem um investimento total de R$ 400. . As necessidades de capital de trabalho total são estimadas. b) Prazo de empréstimos nem sempre atendem as necessidades financeiras do Projeto.

FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 18 Os promotores da iniciativa dispõem do R$ 40. R$ 6.000 IV 100. o restante dos recursos necessários será levantado no mercado de capitais. solicitou do departamento de projetos.000. custos fixos e variáveis.000 90.000 100.000 40.000 2 30.000 60.000 250.000 8 35.000. dos juros do capital próprio (em ambos os casos.000 20.000 50.000 20.000 80.000.000. d) transporte e energia. Essa previsão de custos deve ser complementada com a estimativa do valor da depreciação (pelo método linear e a vida útil do ativo fixo é de 10 anos somente para efeito de calculo. e) impostos sobre vendas. para aplicação de seu capital.00. c) velocidade de rotação do capital d) ponto de nivelamento. R$ 9.00.000.000 V 100.000___ Tomando como base os critérios de avaliação utilizados em Países Desenvolvidos Determine qual das cinco alternativas acima é a melhor.000 10 35.000 III 100.000 70.00 de recursos próprios para investir no projeto e espera obterem de um banco de desenvolvimento empréstimo de longo prazo correspondente a 50% do investimento total previsto.00.000 5 37.).000. como também. então: a) fontes de uso de recursos próprios e alheios b) receita total.000.000 30.000 100.000 100. Levantamento minucioso neste sentido foi realizado e os técnicos chegaram aos seguintes resultados conforme as cinco alternativas abaixo: Em R$ 1.) e do valor de juros a serem pagos ao banco de desenvolvimento. em percentagem.000 60.000.00.000 20.000 100.00. R$ 16.00 ALTERNAINVESTIRECEITAS LIQUIDAS ANUAIS RECEITA TOTAL TIVAS MENTO 1o 2o 3o 4o . R$ 7. Pode-se determinar. R$ 4. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070.000 9 34.000 22.000 21.000 40.000 50. estudos no sentido de verificar qual a melhor opção nessa área.000 20. à taxa de 12% a.000 4 37. mas sabe-se que as edificações são 25 anos.000 .000 20. R$ 20. 7. moveis e utensílios 10 anos. etc.000 290. 2) Cronograma das receitas e despesas Anos Receitas 1 25.a.00 Prof. I 100.br Despesas 18.000 50. b) pessoal de administração geral.LISTA DE EXERCÍCIO PARA ANÁLISE DE PROJETOS 1) Um empresário está estudando a possibilidade de investimento na área de bens de consumo duráveis. através da emissão de ações para a venda ao público em geral.000 O investimento inicial é da ordem de R$50. c) pessoal de produção.000 25.000 20.000 7 37.000.000 3 35.000 45. R$ 8.000 20. f) honorários de diretoria. Para tanto.00 230.000 II 100.000 19.000 50.00. e-mail: arismar@ufba.000 80.00.000 6 37.000.000 235.000 235. Os custos anuais de produção estão estimados em: a) matérias-primas. g) outros custos variáveis diversos. .

000 20.000. e-mail: arismar@ufba. após quatro anos.000 PROJETO GAMA .000 2 20.372.000 5.100.000 25.000 5.428.000. Sendo a taxa mínima de atratividade de 10% a companhia devera instalar a turbina? 6) A firma de processamento de dados "PRODADO" costuma pagar R$ 350.000 2.000 4.938.00.000.000 710.00 de aluguel mensal por seus equipamentos além de R$ 180.000 845.000 900.647.000 4 3.338.000.000 .000 900. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070.000 30.000 3 5. a manutenção ficaria em R$ 130.000 A vida útil da barragem e do equipamento é de 40 anos. A vida útil do projeto é de 10 anos.000 Custo de equipamentos 4. Por outro lado.10.000 1 10.00 de manutenção e mão-de-obra.000 Investimento Total 14.00 anualmente de combustível e R$ 21.000 4 25. A companhia fabricante de computadores oferece a "PRODADO" a opção de compra do equipamento por meio de um pagamento inicial de R$ 2.10.000 5.000 50.00 anuais.000.000 5. O departamento de projetos apresenta três alternativas.000 15.000.000 11.Equipamentos e instalações fixas: custo US$ 60 milhões (vida útil 10 anos) Prof.000 Custo de instalações 900. consumindo R$ 58. 4) ANO PROJETO ALFA 0 . o valor residual do equipamento seja nulo. No caso de opção da compra. e imaginar que.000. Foram estimados os seguintes elementos: a).772.500 17. O custo do capital levantado para tal tipo de empreendimento é de 10% ao ano. 65 metros. A turbina exigirá um investimento inicial de R$ 1.328. Uma empresa de mineração pretende explorar uma determinada jazida de 20 milhões de toneladas por ano. QUAL DAS ALTERNATIVAS É A MAIS VIÁVEL? 8.br .000 30. A firma considera seu custo de oportunidade do capital como sendo de 10% anuais. PROCEDA À ANÁLISE DA OPÇÃO DE COMPRA É VEJA SE ELA E CONVENIENTE.500 5.10.000 4.000 25.000 5.000.000 25. de modo que não haverá custos iniciais para o terreno. 70 metros.000 Decida pelos métodos que não levam em consideração as modificações que o capital sofre com o tempo.000 5. RT/C e RM/C 3) Anos PROJETO A PROJETO B PROJETO C 0 .000.424. seu presidente pretende assumir uma atitude conservadora.000 Valor eletricidade 3. anual 620.000 3.067.FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 19 Calcule o Payback. O resumo dos projetos segue a tabela: ALTURA DA BARRAGEM 58 m 65 m___________70m______ Custo da Barragem 9. OU SE E MELHOR CONTINUAR COM O ALUGUEL? 7) A campanha de Energia do Estado de São Paulo pretende construir uma usina geradora hidrelétrica em terreno que já é de sua propriedade.00 de manutenção.000 .000.000 3 30.00.000 0 5) Uma Companhia estuda a instalação de uma turbina para a produção de energia elétrica. após os quais não se pode recuperar nada.500 21.00 e 48 prestações mensais idênticas R$ 280.00.100.000 2 4.500.400.000 5.000 Gastos Oper.000 5 35. VERIFICAR A VIABILIDADE OU O NÃO DO EMPREENDIMENTO E EM CASO AFIRMATIVO.000 Qual o melhor projeto? PROJETO BETA .000 1 6.000.500 4.000 5 2.100.000 15.000 5. A energia será vendida por R$ 300.000 40.500. que resultam em barrasses com as seguintes alturas: 58 metros.

Equipamentos móveis custo US$ 10 milhões (vida útil de 20 anos) c). i).000.40/ton.00 para o aperfeiçoamento de suas instalações industriais.000.20/ton. 10) Uma financeira financia as vendas de uma Agência de viagens.00 PROJETO B Investir em equipamentos de terraplanagem. Custo inicial R$ 4.00 à vista. São oferecidos três planos: Plano Empréstimo Total Prestações Mensais No de meses A R$ 2.000. A demanda de serviço ao longo de 10 anos e de: t(ano) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 t/dia 300 350 400 450 500 600 700 800 900 1.25 R$ 238. QUAL A TAXA DE JUROS QUE O VENDEDOR COBRA? 12). aparecem dois projetos. e-mail: arismar@ufba.br .00 30 Se a taxa de atratividade de mercado for de 24% ao ano.Receita US$ 15.100.650.028.00 Se o retorno mínimo aceitável for fixado. b) construir já um incinerador de 500 t/dia e outro igual no inicio do período 6.34 R$ 207.000 t/dia. ou seja. escolha entre as duas alternativas: a) construir já um incinerador de 1.000. do item "c" US$ 3 milhões. g). 9.000. Considerando que a jazida seria explorada durante 20 anos verificar a economicidade do investimento para uma taxa mínima de atratividade de 20% ao ano.00 24 C R$ 5.Custo de produtos químicos: US$ 0. conforme discriminação abaixo: DEPARTAMENTO A: Quatro projetos mutuamente exclusivos para aperfeiçoamento do Departamento da tesouraria.638. fim do período 5 Repita o problema se o custo do capital for de 18% ao ano. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070. h).330. pela diretoria em 10% deveremos empreender algum Projeto? 13).Custo de energia: US$ 3. Qual dos planos é o mais vantajoso? 11) Uma autorizada anuncia de venda de carro usado segundo dois planos: 1) R$ 4.000 Sabendo-se que o custo do capital e de 7% ao ano.500.Custo de comercialização: US$ 0. Um incinerador de lixo de 1.500. A seção de orçamento de uma firma manufatureira aprovou um gasto de R$ 80.00 Tempo de vida 6 anos Renda anual R$ 2.000.728. j).000. PROPOSTA INVESTIMENTO RECEITAS LIQUIDO ANUAL Prof.500.Custo de exploração: US$ 1. Sua firma pretende investir algum dinheiro de modo a aumentar suas receitas. do item "b" US$ 4 milhões. Investimento inicial R$ 6. Um incinerador de lixo de 500 t/dia de capacidade custa 30 milhões de reais de investimento e opera a um custo variável de R$55/t.00 Vida útil dos equipamentos 6 anos Valor residual R$ 600.000.000 t/dia de capacidade custa 50 milhões de reais de investimento e opera a um custo variável de R$50/t. 2) R$ 2.00 Valor residual R$ 1. Numa reunião da diretoria.FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 20 b). dos quais apenas um devera ser implantado.45 de entrada e mais 24 prestações mensais iguais de R$ 325. PROJETO A Comprar computadores (controladores de tráfego) e arrendá-los para outros usuários.00/ton(FOB). R$ 450.000.Custo de administração: US$ 5 milhões/ano. O administrador da fabrica recebe projetos com programas de redução de custo vindos de diversos Departamentos.Instalações: custo US$ 20 milhões (vida útil 10 anos) d).Valor residual: do item "a" US$ 6 milhões.00.00 Gastos anuais manut. e).00 18 B R$ 4.00/ton. f).00 Renda anual R$ 1.59 R$ 176.60/ton.

00 7. e-mail: arismar@ufba.00 4.00 5. DETERMINAR QUAIS PROJETOS QUE DEVEM SER RECOMENDADOS.00 7.500. Se o custo de oportunidade for de 3% ao mês.00 DEPARTAMENTO B: Três projetos para aperfeiçoamento na montagem PROPOSTA INVESTIMENTO RECEITAS LIQUIDO ANUAL B1 10.00 5.00 A2 15.00 4. 14).790 Para que taxas do custo de oportunidade do capital preferiremos a alternativa I e para que valores a alternativa II? 15) Você pretende renovar a assinatura da sua revista predileta "CONJUNTURA PREDILETA" cujos preços são: 1 ano = R$ 600.00 Supõe-se que estes preços terão um acréscimo anual igual à taxa de inflação.00 .00 9. A seção de orçamento requer que cada projeto renda pelo menos 10% a.000.a. sem valor residual para as instalações e equipamentos.700. QUAL E O MAIS ECONÔMICO SE O CUSTO DE OPORTUNIDADE E DE 10% AO ANO? ESTIMATIVAS DE CUSTOS EQUIPAMENTO CUSTO GASTOS COM MANUTENÇÃO VIDA INICIAL AN01 AN02 ANO3 ANO4 ÚTIL A R$20.000 R$ 320.000.br .00 de entrada e mais 2 pagamentos iguais de R$ 1.400.000.000.000.000.00.00.000 Custo das bombas R$ 530.000.000 2 anos Prof.500.000. Você é membro de um comitê que se reúne mensalmente para decidir entre propostas de investimento para uma empresa.00 2.00 7.000. pergunta-se: a) qual dos dois planos e o maior se os equipamentos A e B tiverem ambos o mesmo desempenho e mesmo tempo de vida? b) qual dos dois planos e o melhor.00 A4 30.00 B3 30.00 C2 15.00 C3 20. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070.000.00 de entrada e mais 5 pagamentos iguais de R$ 1.000 Custo anual de energia R$ 325.000.00 A3 25.000.00 DEPARTAMENTO C: Três projetos para aperfeiçoamento da produção PROPOSTA INVESTIMENTO RECEITAS LIQUIDO ANUAL C1 10.000.000.800. sabendo-se que o equipamento A dura 25 meses e o equipamento B terá 20 meses de vida esperada? 17).00 DEPARTAMENTO D: Proposta para implantação da expedição PROPOSTA INVESTIMENTO RECEITAS LIQUIDO ANUAL D1 15. Temos: Alternativa I Alternativa II Custo das tubulações R$ 2.100. Ambas as alternativas resultam em 10 anos de serviços.000.000 R$ 3.402 R$ 114.000 500 2.00 B2 20. Dos equipamentos abaixo. Para uma determinada tarefa de bombeamento em um reservatório estamos analisando duas alternativas. Você costuma depositar suas economias mensais em deposito a prazo que lhe rende 15% ao ano mais correção monetária (que cobre precisamente a inflação).00 4. Equipamento B: dando R$ 3. QUAL O PLANO MAIS VANTAJOSO? 16).000.000.000.700.000. 3 anos = R$ 1.FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 21 A1 10.00. 2 anos = R$ 1.000.00 Supõe-se que cada projeto terá um tempo de vida de cinco anos e o valor residual seja nulo.000.00 10. Deseja comprar um equipamento e tem duas opções: Equipamento A: dando R$ 2.000.300.

considerados e concentrados no fim de cada ano são: a1 = 50. Com uma taxa de desconto de 8 % a. ele é jogado fora e não se pode recuperar nada. por 10 anos.00. tem o Governo do Estado disponibilidade para construir tal estrada? Prof.000 o preço de uma máquina com vida útil de 10 anos com valor residual estimado em US$30. a8 = 250.00 e decidiu construir uma estrada.br . Supomos que ao trocar o equipamento.000. Seja de US$180.000 por ano.a. com pista de terra. de modo que toda proposta julgada viável será aceita.000.000. A Secretária de Saúde está estudando diversas alternativas de investimento para o próximo ano. Durante o seu período de uso.000. De acordo com os dados abaixo.00 no segundo e assim por diante.000.000. acredita-se que reduza as despesas com mão-de-obra em US$36. a10 = 400.000 do 4 ao 14 ano 5. ao ano.FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 22 B C D R$25.000. 20. e 10 anos a vida útil do projeto. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070. e-mail: arismar@ufba. a9 = 300.000 1.a.000 Benefícios 12.000.000.000.00 e um com seis por R$ 300. O custo de oportunidade do capital é de 15% a.500 3. quais os projetos que deverão ser implantados? Proposta A B C D Investimentos 30.000 2 ano 10.000 Despesas 1 ano 15. a4 = 125. de 100 km de extensão. Pergunta-se: a) Qual a taxa interna de retorno antes do imposto de renda? b) Mostre o fluxo de caixa em forma de tabela e calcule a TIR depois do imposto de renda. Investimento numa máquina RONCA resulta: Investimento inicial 100. A firma esta na faixa dos 30% para fins de imposto de renda. a2 = 75. Calcular o tempo ótimo de reposição de um equipamento cujo custo inicial de US$1.000 Receitas do 1 ao 15 ano 30.000 por ano 15 ano 25.800 1.500 2.000. aumentando sempre a razão de R$ 2. O custo de oportunidade do capital é de 6%. ao custo de R$ 800.600 38. R$12.000 50.350.000.600 1.000.000.000 R$30.000 600 400 200 1.000 100. Um caminhão com cinco anos de uso pode ser vendido por R$ 400. 19.500 67. a3 = 90. elevando-se a conservação para 30 mil anuais. a e não há limitação de capital.250 16.00 e incorre em custos anuais de manutenção de R$ 10.000.000 50.000 R$32. A firma transportadora compra caminhões por R$ 1.000 3 ano 8.000 e os gastos de manutenção. O custo de oportunidade do capital e de 10% a. Decida se o melhor ficar com o caminhão durante cinco ou durante seis anos antes de trocar. Calcular a taxa de retorno interna da compra da após o imposto de renda? 21.000 Despesas anuais 5.650 23.500 3 anos 4 anos 4 anos 18.000. a7 = 200.000 10.00 por ano. a6 = 180. Esta última operação custará 600 mil. a5 = 150. O Governo do Estado da Bahia dispõe de RS 1.000 2.000 por ano A máquina RONCA será depreciada linearmente em 10 anos.000 150. Todas as alternativas têm a mesma vida de 20 anos após os quais não há nada recuperável sobre o investimento inicial.000. 22.000.00 mais 10 mil pôr ano de conservação e se pensa pavimentá-la dentro de 5 anos.00.000 20.000 1.100.000.00 no primeiro ano.

O custo de conservação para tais volumes de tráfego é de R$ 250. depois da construção da barragem.20 p/km para veículos pesados e R$ 0. amarelo e vermelho.FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 23 24. Custo operacional dos transportes: os valores médios na rodovia existente foram calculados em R$ 0. 25. e esta pequena barragem não terá função alguma.700 160 Nenhum valor residual é estimado. de modo que não restará nada exceto para os tratores no valor de R$ 200 mil reais. O tráfego é equilibrado nos dois sentidos e cresce de 10% ao ano cada uma das categorias de veículos.00 e os custos anuais de operação são de R$ 50.11 veículos pesados e R$ 0. Maior rapidez da colheita 2. estes prejuízos se reduzirão a R$ 100.000. ? Qual a relação B/C? 26.00 para veículos comerciais. Seria aceitável a compra deste semáforo se a taxa de desconto for de 10% a. sendo que os automóveis que necessitam virar a esquerda são obrigados a seguirem em frente até o contorno e voltarem ao local do semáforo para entrarem então à direita. Esta operação demora 5 minutos. e-mail: arismar@ufba. existe um semáforo comum verde. Considerando que pôr ano passam neste cruzamento 100.00 Espera-se que.br .000.30 p/km para veículos leves e na Rodovia nova R$ 0. Estudos preliminares fazem pensar que a realização de nova estrada atrairá 50 veículos por dia. 2. c) Custos: 1. Redução dos custos de pessoal.000.000 com a vida útil de 5 anos. 3. custos anuais de operação e a vida econômica estão assim estimados: Em R$ Mil Equipamentos Investimentos Custos de operação Vida útil Tratores 700 40 12 Implementos 200 30 4 Veículos 550 85 5 Outros 250 5 12 TOTAL 1. b)Tráfego: O Tráfego atual de 200 veículos pôr dia em média compõe-se de 40% de veículos LEVES (VL) e 60% de veículos PESADOS (VP).200. seus custos de capital.00 km/ ano para a rodovia nova.00 km/ ano na estrada existente de R$ 100.00 Espera-se que a vida útil do investimento seja de apenas 8 anos.000 veículos.O Projeto consiste em melhoramentos de uma Rodovia a) Comprimento: Rodovia existente: 60 km. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070. MAIOR RAPIDEZ DA COLHEITA Prof. O projeto consiste na aquisição de equipamentos agrícolas para uma fazenda de trigo. Proporcionará um maior aproveitamento da área 3. além de atravancar o trânsito. é colhidos pôr ano cerca de 140. dos quais 10% gostariam de virar a esquerda e 20% são veículos comerciais. Verificar a viabilidade econômica da construção da barragem considerando uma taxa de desconto de 15% a.000 toneladas e tanto o plantio como a colheita é feita manualmente. Num cruzamento. d)Duração das Obras: Prevê-se que a nova rodovia entre em funcionamento depois de 2 anos de obras. que a perda de 1 minuto vale R$ 20.a.00 para veículos particulares é de R$ 60. que um semáforo especial com mecanismo especial para uma seção de “virar a esquerda" custaria R$ 40. Os benefícios produzidos pelo equipamento serão: 1. Espera se que esta barragem possa ser construída em um ano e que no seguinte ela esteja em operação. Rodovia nova -55 km. sem a barragem pode-se esperar danos anuais de R$ 500. com isto espera-se reduzir os danos anuais provocados pelas enchentes no período de fortes chuvas.16 para veículos leves. SE A VIDA ÚTIL DA ESTRADA NOVA FOR DE 15 ANOS É VIÁVEL ECONOMICAMENTE FAZER ESTES MELHORAMENTOS? 27. O investimento da barragem é de R$1. porque no nono ano deverá ser construída uma hidroelétrica. O custo das obras está estimado em 5 milhões de reais.a.00. Dados colhidos em anos anteriores servem de base para se estimar que. Suponhamos que é proposto a construção de uma pequena barragem em um rio para a regularização das suas águas. Atualmente.000. Os equipamentos necessários.

resultante da mecanização. com gastos desnecessários em transportes e retardamento no atendimento médico.07 tonelada. dos quais apenas 1.18 percorrendo cerca de 44. O valor da hora é calculado em R$ 0. Após a realização do projeto e esta distância será reduzida a 14. Na região metropolitana de Salvador as Unidades que atendem emergências .03p/ paciente. b)Os investimentos de manutenção e operação atingem R$ 13.187 leitos.FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 24 O plantio e a colheita são feitos manualmente. proporcionando o custo/hora para cada paciente da ordem de R$ 6. O custo de Mão-de-obra é de R$ 0. A redução deste tempo com a implantação do projeto será de 60% e o tempo gasto atualmente é em torno de 3 horas. de acordo com os dados a seguir: a)Dentre os 15 hospitais que irão compor a integração. através da implementação de uma central de computador e rádio (VHF).440. PERGUNTA-SE: SE A TAXA DE DESCONTO FOR DE 15% a. f) Mensalmente 280 pacientes retornam às suas residências sem obter vaga percorrendo em média quatro hospitais. gerando um benefício anual da ordem de R$ 300 mil reais.00 pôr paciente. Deste modo.a. e) Em média 341 pacientes são mensalmente transportados pela ambulância aos hospitais.000 km/ mês. c) O número médio de vagas aos hospitais é de 16 pôr mês. O custo do investimento é estimado em R$ 500 mil reais. AUMENTO DA CAPACIDADE Com o emprego dos equipamentos admite-se que não é necessário ampliar agora o plantio do trigo e sim daqui a dois anos. Além disso.885 horas pôr dia.hospitais. Prevê-se. A VIDA ÚTIL DO SISTEMA DE 20 ANOS É VIÁVEL ECONOMICAMENTE A IMPLANTAÇÃO DA CENTRAL? Prof. clínicas e ambulâncias atuam isoladas com uma deficiente coordenação central. a É VIÁVEL MECANIZAR A PRODUÇÃO OU MANTÊ-LA MANUAL? 28. com um custo operacional de R$ 25.000. qualquer redução de pessoal será provavelmente neutralizada pelos maiores salários dos operadores desses equipamentos. d) Os hospitais cobram em média a diária de R$ 5. e o tempo médio gasto é de 2. levando a dispersão de recursos e o encaminhamento indevido do paciente. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070. será obtido com a mesma quantidade de Mão-de-obra. existe disponíveis 2. um aumento de 25% na produção de trigo.00 pôr ano. às vezes fatal para o paciente. g) O custo operacional p/km das ambulâncias é de R$ 0.80. gastando cerca de 90 minutos.70 p/ hora. Com a utilização dos equipamentos a redução do tempo de trabalho é estimada em 75% de melhoria com a eficiência trazida pela implementação dos equipamentos. REDUÇÃO DOS CUSTOS DE PESSOAL A introdução dos equipamentos mecânicos acarretará uma redução de pessoal. e-mail: arismar@ufba. o projeto consiste em melhorar o sistema de atendimento de emergência da rede hospitalar da RMS. com o custo em transportes de R$ 30. contudo.418 estão funcionando.000 km pôr mês.br . COM UMA TAXA DE DESCONTO DE 15% a.50.

FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 25 FORMULAS Prof. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070.br . e-mail: arismar@ufba.

e-mail: arismar@ufba.br . Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070.FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 26 NOTAS IMPORTANTES Prof.

FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔM ICAS – UFBA ECO 171 – ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS 27 Prof.br . e-mail: arismar@ufba. Arismar Cerqueira Sodré Celular: 9987-0070.