Título: HairCut Performance Data da apresentação: 23 de maio de 2013 Local da apresentação: Centro de Artes, Humanidades e Letas da Universidade do Recôncavo

da Bahia – UFRB – Cachoeira - Bahia - Brasil Nome do Artista: Zimaldo Melo (Bactéria) Endereço: Rua Tambor Soledade, 45, apt 10, Cachoeira - Bahia - Brasil - CEP 44300-000 Email: zimaldo@gmail.com Site: http://bacteriarte.wordpress.com/ Crédito Foto: Emerson Santos

Descrição da Obra: Todos temos várias identidades. Somos a imagem que fazemos de nós mesmos, mas os outros têm uma imagem de nós que pode divergir daquela que criamos. A aparência por si mesma é uma qualidade efêmera, pois estamos em constante transformação no decorrer do tempo. A HairCut Performance explora a ambiguidade entre o eu e o outro, num gesto alheio de desconstrução. Ela começa meses antes da sua conclusão, pois o artista se nega a manter uma aparência “comportada”, deixando que cabelo e barba cresçam sem nenhuma interferência estética, adquirindo assim um aspecto que causa estranhamento às pessoas sujeitas às normas estéticas socialmente aceitas. As crianças vivem este estranhamento mais intensamente que os adultos. Sem comentários, os pequenos observam indiscretamente. Já os adultos, de forma velada, tecem a crítica no tom de ironia: “E aí, vai virar Jesus?” Dessa forma a performance se dá no dia-a-dia do artista, em sua rotina de vida. O público, nesse caso, são todos com quem ele tem contato em seu cotidiano. Essas pessoas são afetadas pela performance de forma involuntária, pois a ação se passa sem um local ou momento estabelecido, confundido-se na rotina diária de quem convive ou apenas tem um contanto furtivo com o artista. A conclusão da performance tem como referências as performances Cut Piece, da artista do grupo Fluxos, Yoko Ono, de 1965, e a perforance Rhythm 0, de Marina Abranovic, de 1974. Ambas as performances questionam os limites da relação entre o público e o artista. A HairCut Performance tem como ação final a interferência direta do público na aparência que o artista adquiriu. O artista se coloca a disposição para ter seu cabelo e barba cortados pelo público. O artista circula no lugar da ação com uma foto antiga dele com a cabeça totalmente raspada e indaga o público se este reconhece aquela pessoa. Depois senta em uma

cadeira. resultando uma nova identidade construída de forma coletiva. e ao seu lado. Emerson Santos a publicar a foto em anexo de sua autoria. HairCut é na verdade uma experiência sociológica. pois o artista procura descobrir se um coletivo é capaz de criar uma nova identidade para ele ou se a catarse culmina em uma barbarie identitária. DECLARAÇÃO Declaro que fui autorizado pelo Sr. . com o corpo envolvido em uma peça de tecido branca. de forma que sua identidade final se torna imprevisível. pois cada um interfere de acordo com a sua própria vontade. algumas tesouras postas sobre uma mesa oferecem ao públicoa possibilidade da interferência.

Related Interests