Lições Adultos Lição 1 - Leis no tempo de Cristo

Cristo e Sua lei 29 de março a 5 de abril

Sábado à tarde

Ano Bíblico 1Sm 2!"2#

$%&S' (A&A )%)'&*+A& ,-uando. /ois. os 0entios. 1ue não t2m lei. /rocedem. /or nature3a. de

con4ormidade com a lei. não tendo lei. ser5em eles de lei /ara si mesmos,6 &m 2 176 Leituras da Semana Lc 2 1-58 9b 1! 2:8 ;t 1< 2-=8 L5 1 1-98 Lc 17 1-=8 >0 2 :-12 ?a maioria das sociedades. 5árias leis 4uncionam ao mesmo tem/o6 (ode @a5er leis 0erais 1ue se a/licam a todos e leis 1ue t2m 5alidade a/enas em uma comunidade es/ecí4ica6 ?os tem/os do ?o5o >estamento. 1uando uma /essoa usa5a a /ala5ra comum /ara ,lei, Anomos. em 0re0o. leB em latim e >ora@ em @ebraicoC. /odia estar se re4erindo a 1ual1uer uma de uma sDrie de leis6 )uitas 5e3es. o Enico indicador 1uanto à lei eBata 1ue esta5a em discussão era o conteBto da con5ersa6 Assim. à medida 1ue estudarmos neste trimestre. sem/re /recisaremos ter em mente o conteBto imediato. a 4im de entender mel@or 1ual lei está sendo discutida6 A lição desta semana eBamina as 5árias leis 1ue esta5am em 5i02ncia na comunidade durante o tem/o de Cristo e da i0reFa /rimiti5a6 %studaremos essas di5ersas leis. mas a/enas no conteBto de sua utilidade /ara estabelecer a base /ara o estudo da lei 1ue será nosso 4oco /rinci/al neste trimestre a lei moral de ;eus. os ;e3 )andamentos6 ;omin0o - Lei romana Ano Bíblico 1Sm 27"2< !ue li"#es

1. Leia Lucas 2:1-5. De que forma José e Maria interagiram com o poder político podemos aprender com isso

G?a1ueles dias. 4oi /ublicado um decreto de CDsar Au0usto. con5ocando toda a /o/ulação do im/Drio /ara recensear-se6 %ste. o /rimeiro recenseamento. 4oi 4eito 1uando -uirino era 0o5ernador da Síria6 >odos iam alistar-se. cada um à sua /rH/ria cidade6 IosD tambDm subiu da JalilDia. da cidade de ?a3arD. /ara a IudDia. à cidade de ;a5i. c@amada BelDm. /or ser ele da casa e 4amília de ;a5i. a 4im de alistar-se com )aria. sua es/osa. 1ue esta5a 0rá5ida6K ALucas 2 1-5 &AC ;esde o tem/o da /rimeira re/Eblica. os romanos recon@eciam a im/ortLncia das leis escritas /ara o 0o5erno da sociedade6 ?a 5erdade. o sistema de direito constitucional estabelecido /elos romanos continua sendo a base dos sistemas Furídicos encontrados em muitas sociedades democráticas atuais6 ?a maior /arte das 5e3es. &oma /ermitia 1ue os reinos 5assalos manti5essem os /rH/rios costumes. mas todos os sEditos de5iam obedecer às leis do im/Drio e do senado romano6 'b5iamente. isso era 5álido tambDm /ara IosD e )aria6 A 2n4ase da lei romana era a ordem na sociedade6 (or isso. ela não aborda5a a/enas 1uestões de 0o5erno. mas tambDm estabelecia re0ras /ara o com/ortamento no Lmbito domDstico6 AlDm de esti/ular os
$eFa esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em @tt/ MMNNN6c/b6com6brM@tdocsM/eriodicosMles2!176@tml

/rocedimentos /ara a seleção de /essoas /ara car0os /Eblicos. o direito romano tambDm lida5a com coisas como o adultDrio e a relação entre sen@ores e escra5os6 )uitos dos cHdi0os sociais são semel@antes aos encontrados no Anti0o >estamento e em outras sociedades6 >odas as tentati5as de entender a cultura em 1ue os li5ros do ?o5o >estamento 4oram escritos de5em le5ar em conta o 4ato de 1ue o *m/Drio &omano 4orma5a o cenário /olítico /ara o mundo em 1ue 5i5eram Iesus e a i0reFa /rimiti5a6 )uitas coisas 1ue ocorreram no ?o5o >estamento. desde a morte de Iesus atD a /risão de (aulo. 4a3em muito mais sentido 1uando con@ecemos o conteBto de seu tem/o6 ?ão D /reciso ser es/ecialista em @istHria romana a 4im de com/reender o 1ue /recisamos /ara a sal5ação6 ?o entanto. o con@ecimento @istHrico D realmente Etil6 A/esar do mila0re da 0ra5ide3 de )aria e da atuação do Sen@or nesse acontecimento. o casal ainda obedeceu à lei. 1ue eBi0ia 1ue eles deiBassem seu lar. mesmo 1uando )aria esta5a em um está0io a5ançado da 0ra5ide36 ?ão teria sido mel@or sim/lesmente ter 4icado em casa. considerando as circunstLncias eBtraordináriasO ' 1ue suas ações ensinam sobre a atitude 1ue de5emos ter /ara com a lei ci5ilO (ense na 4acilidade 1ue eles teriam /ara Fusti4icar a desobedi2ncia6 Se0unda - Lei ci$il do %ntigo &estamento Ano Bíblico 1Sm 2:"#1

%mbora os Fudeus esti5essem sob o domínio romano na D/oca de Iesus. eles receberam autoridade sobre 1uestões eBclusi5as de seus costumes e reli0ião AAt 1: 15C6 ' Hr0ão le0islati5o res/onsá5el /ela administração da lei Fudaica era c@amado SinDdrio6 Ps 5e3es mencionado como consel@o AIo 11 7<8 At 5 2<. A&CC. o SinDdrio era com/osto /or <1 @omens escol@idos entre os sacerdotes. anciãos e rabinos e era /residido /elo sumo sacerdote6 Ser5ia como uma es/Dcie de Su/remo >ribunal Qederal 1ue lida5a com costumes. tradições e leis dos Fudeus6 Gmas. se D 1uestão de /ala5ra. de nomes e da 5ossa lei. tratai disso 5Hs mesmos8 eu não 1uero ser Fui3 dessas coisasRK AAtos 1: 15 &AC G%ntão. os /rinci/ais sacerdotes e os 4ariseus con5ocaram o SinDdrio8 e disseram -ue estamos 4a3endo. uma 5e3 1ue este @omem o/era muitos sinaisOK AIoão 11 7< &AC G>rouBeram-nos. a/resentando-os ao SinDdrio6 % o sumo sacerdote interro0ou-os.K AAtos 5 2< A&CC A lei ci5il Fudaica esta5a 4undamentada nos cHdi0os ci5is re5elados nos cinco li5ros de )oisDs6 (or1ue )oisDs 4oi o autor dos cinco /rimeiros li5ros bíblicos. as leis são mencionadas como a lei de )oisDs6 -uando ;eus ori0inalmente deu as leis a )oisDs. /laneFou um estado em 1ue %le seria o 0o5ernante e o /o5o cum/riria Seus mandamentos6 ?a D/oca de Iesus. os Fudeus esta5am suFeitos ao direito romano6 ?o entanto. o 0o5erno romano /ermitia 1ue eles usassem a lei mosaica a 4im de resol5er 1uestões relacionadas com seus costumes6 ?esse as/ecto. o trabal@o do SinDdrio era es/ecialmente im/ortante6 ' ?o5o >estamento a/resenta 5ários eBem/los de a/licação da lei mosaica. ou de re4er2ncias a ela. em 1uestões ci5is @omens Fudeus ainda de5iam /a0ar o im/osto de meio siclo /ara o tem/lo A)t 1< 27-2<8 SB #! 1#C8 di5Hrcios ainda eram re0idos /elas dis/osições estabelecidas /or )oisDs A)t 19 <8 ;t 27 1-7C8 as /essoas ainda se0uiam a lei do le5irato. em 1ue a 5iE5a de5ia se casar com o irmão de seu marido A)t 22 278 ;t 25 5C8 meninos ainda eram circuncidados no oita5o dia AIo < 2#8 L5 12 #C e os adElteros de5iam ser /unidos /or a/edreFamento AIo : 58 ;t 22 2#. 27C6 G>endo eles c@e0ado a Ca4arnaum. diri0iram-se a (edro os 1ue cobra5am o im/osto das duas dracmas e /er0untaram ?ão /a0a o 5osso )estre as duas dracmasO Sim. res/ondeu ele6 Ao entrar (edro em casa. Iesus se l@e anteci/ou. di3endo Simão. 1ue te /areceO ;e 1uem cobram os reis da terra im/ostos ou tributo dos seus 4il@os ou dos estran@osO &es/ondendo (edro ;os estran@os. Iesus l@e disse Lo0o. estão isentos os 4il@os6 )as. /ara 1ue não os escandali3emos. 5ai ao mar. lança o an3ol. e o /rimeiro /eiBe 1ue 4is0ar. tira-o8 e. abrindo-l@e a boca. ac@arás um estáter6 >oma-o e entre0a-l@es /or mim e /or ti6K A)ateus 1< 27-2< &AC G>odo a1uele 1ue /assar ao arrolamento dará isto metade de um siclo. se0undo o siclo do santuário Aeste siclo D de 5inte 0erasC8 a metade de um siclo D a o4erta ao S%?9'&6K ASBodo #! 1# &AC G&e/licaram-l@e (or 1ue mandou. então. )oisDs dar carta de di5Hrcio e re/udiarOK A)ateus 19 < &AC
$eFa esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em @tt/ MMNNN6c/b6com6brM@tdocsM/eriodicosMles2!176@tml

GSe um @omem tomar uma mul@er e se casar com ela. e se ela não 4or a0radá5el aos seus ol@os. /or ter ele ac@ado coisa indecente nela. e se ele l@e la5rar um termo de di5Hrcio. e l@o der na mão. e a des/edir de casa8 e se ela. saindo da sua casa. 4or e se casar com outro @omem8 e se este a aborrecer. e l@e la5rar termo de di5Hrcio. e l@o der na mão. e a des/edir da sua casa ou se este Eltimo @omem. 1ue a tomou /ara si /or mul@er. 5ier a morrer. então. seu /rimeiro marido. 1ue a des/ediu. não /oderá tornar a des/osá-la /ara 1ue seFa sua mul@er. de/ois 1ue 4oi contaminada. /ois D abominação /erante o S%?9'&8 assim. não 4arás /ecar a terra 1ue o S%?9'&. teu ;eus. te dá /or @erança6K A;euteronTmio 27 1-7 &AC G)estre. )oisDs disse Se al0uDm morrer. não tendo 4il@os. seu irmão casará com a 5iE5a e suscitará descend2ncia ao 4alecido6K A)ateus 22 27 &AC GSe irmãos morarem Funtos. e um deles morrer sem 4il@os. então. a mul@er do 1ue morreu não se casará com outro estran@o. 4ora da 4amília8 seu cun@ado a tomará. e a receberá /or mul@er. e eBercerá /ara com ela a obri0ação de cun@ado6K A;euteronTmio 25 5 &AC G%. se o @omem /ode ser circuncidado em dia de sábado. /ara 1ue a lei de )oisDs não seFa 5iolada. /or 1ue 5os indi0nais contra mim. /elo 4ato de eu ter curado. num sábado. ao todo. um @omemOK AIoão < 2# &AC G%. no oita5o dia. se circuncidará ao menino a carne do seu /re/Ecio6K ALe5ítico 12 # &AC G% na lei nos mandou )oisDs 1ue tais mul@eres seFam a/edreFadas8 tu. /ois. 1ue di3esOK AIoão : 5 &AC GSe @ou5er moça 5ir0em. des/osada. e um @omem a ac@ar na cidade e se deitar com ela. então. trareis ambos à /orta da1uela cidade e os a/edreFareis atD 1ue morram8 a moça. /or1ue não 0ritou na cidade. e o @omem. /or1ue @umil@ou a mul@er do seu /rHBimo8 assim. eliminarás o mal do meio de ti6K A;euteronTmio 22 2#-27 &AC 2. Leia Mateus 2':5(-'1) *e+reus 1,:2-) Deuteron.mio 1/:2-'. !ue princípio importante é $isto nesses te0tos 1 que isso nos di2 a respeito dos conceitos +í+licos de 3usti"a e igualdade G'ra. os /rinci/ais sacerdotes e todo o SinDdrio /rocura5am al0um testemun@o 4also contra Iesus. a 4im de o condenarem à morte6 % não ac@aram. a/esar de se terem a/resentado muitas testemun@as 4alsas6 )as. a4inal. com/areceram duas. a4irmando %ste disse (osso destruir o santuário de ;eus e reedi4icá-lo em tr2s dias6K A)ateus 2= 59-=1 &AC GSem misericHrdia morre /elo de/oimento de duas ou tr2s testemun@as 1uem ti5er reFeitado a lei de )oisDs6K A9ebreus 1! 2: &AC G-uando no meio de ti. em al0uma das tuas cidades 1ue te dá o S%?9'&. teu ;eus. se ac@ar al0um @omem ou mul@er 1ue /roceda mal aos ol@os do S%?9'&. teu ;eus. trans0redindo a sua aliança. 1ue 5á. e sir5a a outros deuses. e os adore. ou ao sol. ou à lua. ou a todo o eBDrcito do cDu. o 1ue eu não ordenei8 e te seFa denunciado. e o ou5ires8 então. inda0arás bem8 e eis 1ue. sendo 5erdade e certo 1ue se 4e3 tal abominação em *srael. então. le5arás o @omem ou a mul@er 1ue 4e3 este male4ício às tuas /ortas e os a/edreFarás. atD 1ue morram6 (or de/oimento de duas ou tr2s testemun@as. será morto o 1ue @ou5er de morrer8 /or de/oimento de uma sH testemun@a. não morrerá6K A;euteronTmio 1< 2-= &AC Leia al0umas leis ci5is encontradas nos /rimeiros li5ros da Bíblia6 Al0umas dessas leis não nos /arecem estran@asO $eFa. /or eBem/lo. ;euteronTmio 216 Considerando 1ue ;eus D o autor dessas leis. o 1ue isso nos di3 sobre a con4iança 1ue de5emos ter n%le em todas as coisas. /rinci/almente na1uilo 1ue não com/reendemos com/letamenteO >erça - Lei cerimonial do %ntigo &estamento Ano Bíblico 2Sm 1"7

4. Leia Le$ítico 1:1-() 2:15-1') 5:11-14. % que essas leis se referiam !ue importantes $erdades elas ensina$am GC@amou o S%?9'& a )oisDs e. da tenda da con0re0ação. l@e disse Qala aos 4il@os de *srael e di3e-l@es -uando al0um de 5Hs trouBer o4erta ao S%?9'&. trareis a 5ossa o4erta de 0ado. de reban@o ou de 0ado miEdo6 Se a sua o4erta 4or @olocausto de 0ado. trará mac@o sem de4eito8 à /orta da tenda da con0re0ação o
$eFa esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em @tt/ MMNNN6c/b6com6brM@tdocsM/eriodicosMles2!176@tml

trará. /ara 1ue o @omem seFa aceito /erante o S%?9'&6 % /orá a mão sobre a cabeça do @olocausto. /ara 1ue seFa aceito a 4a5or dele. /ara a sua eB/iação6 ;e/ois. imolará o no5il@o /erante o S%?9'&8 e os 4il@os de Arão. os sacerdotes. a/resentarão o san0ue e o as/er0irão ao redor sobre o altar 1ue está diante da /orta da tenda da con0re0ação6 %ntão. ele es4olará o @olocausto e o cortará em seus /edaços6 % os 4il@os de Arão. o sacerdote. /orão 4o0o sobre o altar e /orão em ordem len@a sobre o 4o0o6 >ambDm os 4il@os de Arão. os sacerdotes. colocarão em ordem os /edaços. a saber. a cabeça e o reden@o. sobre a len@a 1ue está no 4o0o sobre o altar6 (orDm as entran@as e as /ernas. o sacerdote as la5ará com á0ua8 e 1ueimará tudo isso sobre o altar8 D @olocausto. o4erta 1ueimada. de aroma a0radá5el ao S%?9'&6K ALe5ítico 1 1-9 &AC GSe trouBeres ao S%?9'& o4erta de manFares das /rimícias. 4arás a o4erta de manFares das tuas /rimícias de es/i0as 5erdes. tostadas ao 4o0o. isto D. os 0rãos esma0ados de es/i0as 5erdes6 ;eitarás a3eite sobre ela e. /or cima. l@e /orás incenso8 D o4erta de manFares6 Assim. o sacerdote 1ueimará a /orção memorial dos 0rãos de es/i0as esma0ados e do a3eite. com todo o incenso8 D o4erta 1ueimada ao S%?9'&6K ALe5ítico 2 17-1= &AC G(orDm. se as suas /osses não l@e /ermitirem tra3er duas rolas ou dois /ombin@os. então. a1uele 1ue /ecou trará. /or sua o4erta. a dDcima /arte de um e4a de 4lor de 4arin@a como o4erta /elo /ecado8 não l@e deitará a3eite. nem l@e /orá em cima incenso. /ois D o4erta /elo /ecado6 %ntre0á-la-á ao sacerdote. e o sacerdote dela tomará um /un@ado como /orção memorial e a 1ueimará sobre o altar. em cima das o4ertas 1ueimadas ao S%?9'&8 D o4erta /elo /ecado6 Assim. o sacerdote. /or ele. 4ará o4erta /elo /ecado 1ue cometeu em al0uma destas coisas. e l@e será /erdoado8 o restante será do sacerdote. como a o4erta de manFares6K ALe5ítico 5 11-1# &AC AlDm das leis ci5is de *srael. @a5ia tambDm o 1ue D 0eralmente c@amado de ,lei cerimonial,6 %ssa lei esta5a centrali3ada no santuário e em seus rituais. os 1uais 4oram /roFetados /ara ensinar aos 4il@os de *srael o /lano da sal5ação e a/ontar /ara eles o )essias 1ue 5iria6 ?as /assa0ens bíblicas acima. /or duas 5e3es D mencionado 1ue a ,eB/iação, seria 4eita /or intermDdio dessas cerimTnias6 %ssas leis 4oram consideradas ,mini/ro4ecias, de Cristo e Sua obra eB/iatHria /elos /ecados do /o5o6 ,A lei cerimonial 4oi dada /or Cristo6 )esmo de/ois 1ue ela não mais de5ia ser obser5ada. (aulo a a/resentou aos Fudeus em sua 5erdadeira /osição e 5alor. mostrando seu lu0ar no /lano da redenção e sua relação com a obra de Cristo6 % o 0rande a/Hstolo declara 0loriosa essa lei. di0na de seu di5ino Autor6 ' ser5iço solene do santuário ti/i4ica5a as 0randiosas 5erdades 1ue seriam re5eladas durante 0erações sucessi5as6 U666V Assim. atra5Ds de sDculos e sDculos de tre5as e a/ostasia. a 4D se conser5ou 5i5a no coração dos @omens atD c@e0ar o tem/o /ara o ad5ento do )essias /rometido, A%llen J6 W@ite. (atriarcas e (ro4etas. /6 #=<C6 %mbora instituído /or Iesus. o sistema cerimonial 4oi concebido /ara 4uncionar a/enas como um ti/o. um símbolo de uma realidade 4utura a 5inda de Iesus. Sua morte e ministDrio sacerdotal6 Xma 5e3 1ue %le com/letasse Sua obra na >erra. esse anti0o sistema. com seus sacri4ícios. rituais e 4estas Fá não seria necessário A9b 9 9-12C6 %mbora Fá não obser5emos a lei cerimonial. ao estudá-la. /odemos reunir ideias sobre o /lano da sal5ação6 GY isto uma /arábola /ara a D/oca /resente8 e. se0undo esta. se o4erecem tanto dons como sacri4ícios. embora estes. no tocante à consci2ncia. seFam ine4ica3es /ara a/er4eiçoar a1uele 1ue /resta culto. os 1uais não /assam de ordenanças da carne. baseadas somente em comidas. e bebidas. e di5ersas abluções. im/ostas atD ao tem/o o/ortuno de re4orma6 -uando. /orDm. 5eio Cristo como sumo sacerdote dos bens Fá reali3ados. mediante o maior e mais /er4eito tabernáculo. não 4eito /or mãos. 1uer di3er. não desta criação. não /or meio de san0ue de bodes e de be3erros. mas /elo seu /rH/rio san0ue. entrou no Santo dos Santos. uma 5e3 /or todas. tendo obtido eterna redenção6K A9ebreus 9 9-12 &AC ?o centro do ser5iço do santuário esta5a o sacri4ício de animais. 1ue a/onta5a /ara a morte de Iesus6 (or 1ue nossa sal5ação de/ende da Sua morte em nosso 4a5orO ' 1ue isso di3 sobre o custo do /ecadoO -uarta - Lei ra+ínica Ano Bíblico 2Sm 5"<

AlDm das leis mosaicas. os Fudeus da D/oca de Iesus tambDm esta5am 4amiliari3ados com a lei dos rabinos6 %stes eram o braço acad2mico dos 4ariseus. e assumiam a res/onsabilidade de 0arantir 1ue a lei mosaica /ermanecesse rele5ante /ara o /o5o6 's rabinos contaram =1# leis nos cinco li5ros de )oisDs Aincluindo #9
$eFa esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em @tt/ MMNNN6c/b6com6brM@tdocsM/eriodicosMles2!176@tml

relacionadas ao sábadoC6 %les usa5am essas leis como base /ara sua le0islação e com/lementa5am as leis escritas com uma lei oral 1ue consistia em inter/retações dos /rinci/ais rabinos6 A lei oral D con@ecida como @alaZ@a. 1ue si0ni4ica ,camin@ar,6 's rabinos considera5am 1ue. se o /o5o se0uisse suas numerosas @alaZot@ A/lural de @alaZ@aC. eles iriam andar no camin@o das =1# leis /rinci/ais6 %mbora ten@am sur0ido como lei oral. as @alaZot@ rabínicas 4oram or0ani3adas e re0istradas em 4orma de li5ro6 Al0umas das inter/retações da D/oca de Iesus sobre5i5eram em comentários con@ecidos como )idras@. en1uanto outras estão re0istradas em uma coleção de leis c@amada )is@ná6 )uitos Fudeus reli0iosos ao lon0o dos sDculos. e atD @oFe. /rocuram cum/rir ri0orosamente essas leis6 5. Leia Lucas 15:1-') Jo6o (. 7m+ora Jesus ten8a sido acusado de transgredir o s9+ado com :eus milagres de cura; ser9 que o %ntigo &estamento considera$a pecado curar no dia de s9+ado Como podemos e$itar os erros dos 3udeus enquanto procuramos <andar fielmente no camin8o< GAconteceu 1ue. ao entrar ele num sábado na casa de um dos /rinci/ais 4ariseus /ara comer /ão. eis 1ue o esta5am obser5ando6 'ra. diante dele se ac@a5a um @omem @idrH/ico6 %ntão. Iesus. diri0indo-se aos intDr/retes da Lei e aos 4ariseus. /er0untou-l@es Y ou não D lícito curar no sábadoO %les. /orDm. nada disseram6 %. tomando-o. o curou e o des/ediu6 A se0uir. l@es /er0untou -ual de 5Hs. se o 4il@o ou o boi cair num /oço. não o tirará lo0o. mesmo em dia de sábadoO A isto nada /uderam res/onder6K ALucas 17 1-= &AC GCamin@ando Iesus. 5iu um @omem ce0o de nascença6 % os seus discí/ulos /er0untaram )estre. 1uem /ecou. este ou seus /ais. /ara 1ue nascesse ce0oO &es/ondeu Iesus ?em ele /ecou. nem seus /ais8 mas 4oi /ara 1ue se mani4estem nele as obras de ;eus6 Y necessário 1ue 4açamos as obras da1uele 1ue me en5iou. en1uanto D dia8 a noite 5em. 1uando nin0uDm /ode trabal@ar6 %n1uanto estou no mundo. sou a lu3 do mundo6 ;ito isso. cus/iu na terra e. tendo 4eito lodo com a sali5a. a/licou-o aos ol@os do ce0o. di3endol@e $ai. la5a-te no tan1ue de SiloD A1ue 1uer di3er %n5iadoC6 %le 4oi. la5ou-se e 5oltou 5endo6 %ntão. os 5i3in@os e os 1ue dantes o con@eciam de 5ista. como mendi0o. /er0unta5am ?ão D este o 1ue esta5a assentado /edindo esmolasO Xns di3iam Y ele6 'utros ?ão. mas se /arece com ele6 %le mesmo. /orDm. di3ia Sou eu6 (er0untaram-l@e. /ois Como te 4oram abertos os ol@osO &es/ondeu ele ' @omem c@amado Iesus 4e3 lodo. untou-me os ol@os e disse-me $ai ao tan1ue de SiloD e la5a-te6 %ntão. 4ui. la5ei-me e estou 5endo6 ;isseram-l@e. /ois 'nde está eleO &es/ondeu ?ão sei6 Le5aram. /ois. aos 4ariseus o 1ue dantes 4ora ce0o6 % era sábado o dia em 1ue Iesus 4e3 o lodo e l@e abriu os ol@os6 %ntão. os 4ariseus. /or sua 5e3. l@e /er0untaram como c@e0ara a 5er8 ao 1ue l@es res/ondeu A/licou lodo aos meus ol@os. la5ei-me e estou 5endo6 (or isso. al0uns dos 4ariseus di3iam %sse @omem não D de ;eus. /or1ue não 0uarda o sábado6 ;i3iam outros Como /ode um @omem /ecador 4a3er taman@os sinaisO % @ou5e dissensão entre eles6 ;e no5o. /er0untaram ao ce0o -ue di3es tu a res/eito dele. 5isto 1ue te abriu os ol@osO -ue D /ro4eta. res/ondeu ele6 ?ão acreditaram os Fudeus 1ue ele 4ora ce0o e 1ue a0ora 5ia. en1uanto não l@e c@amaram os /ais e os interro0aram Y este o 5osso 4il@o. de 1uem di3eis 1ue nasceu ce0oO Como. /ois. 52 a0oraO %ntão. os /ais res/onderam Sabemos 1ue este D nosso 4il@o e 1ue nasceu ce0o8 mas não sabemos como 52 a0ora8 ou 1uem l@e abriu os ol@os tambDm não sabemos6 (er0untai a ele. idade tem8 4alará de si mesmo6 *sto disseram seus /ais /or1ue esta5am com medo dos Fudeus8 /ois estes Fá @a5iam assentado 1ue. se al0uDm con4essasse ser Iesus o Cristo. 4osse eB/ulso da sina0o0a6 (or isso. D 1ue disseram os /ais %le idade tem. interro0ai-o6 %ntão. c@amaram. /ela se0unda 5e3. o @omem 1ue 4ora ce0o e l@e disseram ;á 0lHria a ;eus8 nHs sabemos 1ue esse @omem D /ecador6 %le retrucou Se D /ecador. não sei8 uma coisa sei eu era ce0o e a0ora 5eFo6 (er0untaram-l@e. /ois -ue te 4e3 eleO como te abriu os ol@osO %le l@es res/ondeu Iá 5o-lo disse. e não atendestes8 /or 1ue 1uereis ou5ir outra 5e3O (or5entura. 1uereis 5Hs tambDm tornar-5os seus discí/ulosO %ntão. o inFuriaram e l@e disseram ;iscí/ulo dele Ds tu8 mas nHs somos discí/ulos de )oisDs6 Sabemos 1ue ;eus 4alou a )oisDs8 mas este nem sabemos donde D6 &es/ondeu-l@es o @omem ?isto D de estran@ar 1ue 5Hs não saibais donde ele D. e. contudo. me abriu os ol@os6 Sabemos 1ue ;eus não atende a /ecadores8 mas. /elo contrário. se al0uDm teme a ;eus e /ratica a sua 5ontade. a este atende6 ;esde 1ue @á mundo. Famais se ou5iu 1ue al0uDm ten@a aberto os ol@os a um ce0o de nascença6 Se este @omem não 4osse de ;eus. nada /oderia ter 4eito6 )as eles retrucaram >u Ds nascido todo em /ecado e nos ensinas a nHsO % o eB/ulsaram6 'u5indo Iesus 1ue o tin@am eB/ulsado. encontrando-o. l@e /er0untou Cr2s tu no Qil@o do 9omemO %le res/ondeu e disse -uem D. Sen@or. /ara 1ue eu nele creiaO % Iesus l@e disse Iá o tens 5isto. e D o 1ue 4ala conti0o6 %ntão. a4irmou ele Creio. Sen@or8 e o adorou6 (rosse0uiu Iesus %u 5im a este mundo /ara Fuí3o. a 4im de 1ue os 1ue não 52em 5eFam. e os 1ue 52em se tornem ce0os6 Al0uns dentre os 4ariseus 1ue esta5am /erto dele /er0untaram-l@e Acaso. tambDm nHs somos ce0osO &es/ondeu-l@es Iesus Se 4Tsseis ce0os. não teríeis /ecado al0um8 mas. /or1ue a0ora di3eis ?Hs 5emos. subsiste o 5osso /ecado6K AIoão 9 1-71 &AC
$eFa esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em @tt/ MMNNN6c/b6com6brM@tdocsM/eriodicosMles2!176@tml

%mbora seFa 4ácil. da nossa /ers/ecti5a. ridiculari3ar muitas dessas leis orais. es/ecialmente /or1ue elas 4oram usadas contra Iesus. a 4al@a esta5a mais na atitude dos líderes. não nas leis6 Ainda 1ue 4osse cum/rida de maneira le0alista. as @alaZot@ 4oram 4eitas /ara ser muito es/irituais. in4undindo um elemento es/iritual nas ati5idades mais rotineiras. dando-l@es um si0ni4icado reli0ioso6 Como /odemos dar um si0ni4icado reli0ioso às mais corri1ueiras ati5idades de nossa 5idaO -uinta - % lei moral Ano Bíblico 2Sm :"1!

(or mais 1ue o direito romano. a lei mosaica e a lei rabínica im/actassem a 5ida dos Fudeus 1ue 5i5eram em *srael no /rimeiro sDculo. muitas /essoas 1ue se0uiam a reli0ião de *srael 5i5iam 4ora da (alestina e alDm das 4ronteiras do *m/Drio &omano6 Assim. muitas dessas leis não teriam desem/en@ado um /a/el im/ortante em sua 5ida6 ?o entanto. todo se0uidor do ;eus de *srael teria sido 4iel aos ;e3 )andamentos6 ,'s ;e3 )andamentos /ro5iam a estrutura moral 1ue sustenta5a *srael6 A metá4ora 1ue a Bíblia usa /ara eB/ressar essa relação D aliança6 %mbora a metá4ora 5en@a da es4era do direito internacional. D errado com/reender os mandamentos a/enas como um resumo das obri0ações de *srael /ara com ;eus6 U666V A obedi2ncia de *srael aos mandamentos era mais uma res/osta ao amor do 1ue uma 1uestão de submissão à 5ontade di5ina, ALeslie I6 9o//e. ,>en Commandments, U;e3 )andamentosV. %erdmans ;ictionar[ o4 t@e Bible U;icionário da BíbliaV8 Jrand &a/ids. )* %erdmans. 2!!!. /6 162:5C6 's ;e3 )andamentos su/era5am 1ual1uer sistema Furídico con@ecido /or Fudeus no /rimeiro sDculo6 )esmo os 4ariseus. 1ue tin@am memori3ado meticulosamente as =1# leis mosaicas. recon@eciam a im/ortLncia dos ;e3 )andamentos6 A di5isão da )is@ná c@amada >amid A5 1C contDm um mandamento rabínico de recitar os ;e3 )andamentos diariamente6 Acredita5a-se 1ue todas as outras leis esta5am contidas nos ;e3 )andamentos6 ?a 5erdade. o 4ilHso4o Fudeu Qilo. contem/orLneo de Iesus. escre5eu um li5ro sobre a /osição central 1ue os ;e3 )andamentos tin@am entre todas as leis bíblicas6 5. Leia Mateus 1(:1'-1() =omanos 14:--1,) &iago 2:--12. 1 que esses $ersos di2em so+re o papel dos De2 Mandamentos na $ida dos seguidores de Cristo G% eis 1ue al0uDm. a/roBimando-se. l@e /er0untou )estre. 1ue 4arei eu de bom. /ara alcançar a 5ida eternaO &es/ondeu-l@e Iesus (or 1ue me /er0untas acerca do 1ue D bomO Bom sH eBiste um6 Se 1ueres. /orDm. entrar na 5ida. 0uarda os mandamentos6 % ele l@e /er0untou -uaisO &es/ondeu Iesus ?ão matarás. não adulterarás. não 4urtarás. não dirás 4also testemun@o8 @onra a teu /ai e a tua mãe e amarás o teu /rHBimo como a ti mesmo6K A)ateus 19 1=-19 &AC GA nin0uDm 4i1ueis de5endo coisa al0uma. eBceto o amor com 1ue 5os ameis uns aos outros8 /ois 1uem ama o /rHBimo tem cum/rido a lei6 (ois isto ?ão adulterarás. não matarás. não 4urtarás. não cobiçarás. e. se @á 1ual1uer outro mandamento. tudo nesta /ala5ra se resume Amarás o teu /rHBimo como a ti mesmo6 ' amor não /ratica o mal contra o /rHBimo8 de sorte 1ue o cum/rimento da lei D o amor6K A&omanos 1# :-1! &AC GSe 5Hs. contudo. obser5ais a lei rD0ia se0undo a %scritura Amarás o teu /rHBimo como a ti mesmo. 4a3eis bem8 se. toda5ia. 4a3eis ace/ção de /essoas. cometeis /ecado. sendo ar0\idos /ela lei como trans0ressores6 (ois 1ual1uer 1ue 0uarda toda a lei. mas tro/eça em um sH /onto. se torna cul/ado de todos6 (or1uanto. a1uele 1ue disse ?ão adulterarás tambDm ordenou ?ão matarás6 'ra. se não adulteras. /orDm matas. 5ens a ser trans0ressor da lei6 Qalai de tal maneira e de tal maneira /rocedei como a1ueles 1ue @ão de ser Ful0ados /ela lei da liberdade6K A>ia0o 2 :-12 &AC P semel@ança de seus irmãos Fudeus. os escritores do ?o5o >estamento recon@eciam o /ro/Hsito dos ;e3 )andamentos /ara o /o5o de ;eus6 Al0umas das lições deste trimestre 4alarão sobre a maneira /ela 1ual Cristo intera0iu com outros sistemas de leis do Seu tem/o6 ?o entanto. a 2n4ase /rinci/al será Sua relação com os ;e3 )andamentos. con@ecidos como a ,lei moral,6 SeBta - 7studo adicional Ano Bíblico 2Sm 11. 12

Leia. de %llen J6 W@ite. >estemun@os (ara a *0reFa. 56 1. /6 2!1-2!7 ,(restar Iuramento,6
$eFa esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em @tt/ MMNNN6c/b6com6brM@tdocsM/eriodicosMles2!176@tml

,Se Adão não ti5esse trans0redido a lei de ;eus. nunca teria sido instituída a lei cerimonial6 ' e5an0el@o das boas-no5as 4oi /rimeiramente dado a Adão na declaração 1ue l@e 4oi 4eita. de 1ue a semente da mul@er 4eriria a cabeça da ser/ente8 e 4oi transmitido atra5Ds de sucessi5as 0erações a ?oD. Abraão e )oisDs6 ' con@ecimento da lei de ;eus e do /lano da sal5ação 4oi comunicado a Adão e %5a /elo /rH/rio Cristo6 %ntesouraram cuidadosamente a im/ortante lição. transmitindo-a 5erbalmente aos 4il@os e aos 4il@os dos 4il@os6 Assim 4oi /reser5ado o con@ecimento da lei de ;eus, A%llen J6 W@ite. )ensa0ens %scol@idas. 56 1. /6 2#!C6 (er0untas /ara re4leBão 16 Antes de )oisDs escre5er as leis de *srael. os e0í/cios e babilTnios tin@am leis ci5is 1ue eram. em al0uns casos. semel@antes às leis de ;eus6 AtD mesmo as sociedades ateístas t2m leis 1ue /rote0em o /o5o e as /ro/riedades6 A lei 0eralmente D 4undamentada em conceitos morais8 a lei de5e le5ar as /essoas a e5itar o mal e a /raticar o bem6 'nde as sociedades obt2m esse senso do bem e do malO 26 Como o conceito do bem e do mal a4eta a 1uestão da eBist2ncia de ;eusO %m outras /ala5ras. se ;eus não eBiste. de onde 52m os conceitos do bem e do malO #6 Qalamos sobre di5ersas leis Lei da 0ra5idade. e le0islação tributária6 ' 1ue todas essas leis conse1u2ncias da 5iolação dessas leisO -uais /rincí/ios dessas leis nos aFudam a entender o cristãosO lei do mo5imento. leis internacionais. Constituição Qederal t2m em comumO ?o 1ue elas di4eremO -uais são as são os bene4ícios de se coo/erar com elasO Como os /ro/Hsito dos ;e3 )andamentos em relação à 5ida dos

76 's Fudeus sobrecarre0aram a lei com re0ras 1ue não 4oram /laneFadas /or ;eus6 Como e5itar esse erro em nossos diasO (or 1ue D 4ácil cometer esse erro. ainda 1ue esteFamos bem-intencionadosO &es/ostas su0esti5as 16 %les obedeceram ao decreto de CDsar Au0usto e 4oram /artici/ar do recenseamento. a/esar da 0ra5ide3 de )aria e da distLncia6 ;e5emos 4a3er todo o es4orço /ossí5el /ara 5i5er em @armonia com as leis do nosso /aís6 26 A lei eBi0ia duas testemun@as /ara 1ue o cul/ado 4osse condenado6 %ssa re0ra ainda era 5álida no tem/o de Iesus6 A lei de5ia ser a/licada a todos /ara 0arantir i0ualdade e Fustiça social6 ?o caso de Iesus. @ou5e 4alsidade na a/licação dessa lei6 #6 Aos sacri4ícios de animais /ara eB/iação de /ecados8 às o4ertas de cereais misturadas com a3eite. 1ue 4a3iam /arte das o4ertas8 essas leis e rituais ensina5am sobre o sacri4ício 1ue Iesus 4aria na cru3 /ara nos sal5ar6 76 ' Anti0o >estamento não /roibia a cura no sábado6 Iesus deiBou claro 1ue o sábado D o dia da cura e da restauração6 Se os Fudeus tira5am do /oço um animal 1ue @ou5esse caído no dia de sábado. o ser @umano tambDm de5ia ser tirado do so4rimento6 A cura do ce0o /ermitiu 1ue esse @omem 0uardasse o sábado de modo mais com/leto e 4eli3. /or1ue ele /assou a contem/lar a criação di5ina6 (ara e5itar os erros dos Fudeus. de5emos entender o /rincí/io /or trás da lei6 Cristo 4e3 o ce0o enBer0ar6 Sem Cristo. os Fudeus 4icaram ce0os6 56 's ;e3 )andamentos são o camin@o a ser se0uido /or a1ueles 1ue encontraram a sal5ação em Cristo6 ' amor D o cum/rimento da lei. ou seFa. se amamos. cum/rimos toda a lei6 -uem tro/eça em um sH /onto. D cul/ado de 1uebrar toda a lei6 (raticar a lei D 5i5er li5re do /ecado6 AuBiliar - =esumo &e0to-c8a$e &omanos 1# :-1! ' aluno de5erá Con@ecer 's di4erentes ti/os de leis mencionadas nas %scrituras6 Sentir $alori3ar a lei de ;eus como eB/ressão do Seu eterno amor e do Seu caráter6 Qa3er &es/onder a ;eus com amor. 0uardando Sua lei6 %sboço *6 Con@ecer ' caráter abran0ente da lei A6 Como os 5ários sistemas de leis contribuem /ara nossa com/reensão da lei moral de ;eus. os ;e3 )andamentosO
$eFa esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em @tt/ MMNNN6c/b6com6brM@tdocsM/eriodicosMles2!176@tml

;isci/ulado

B6 -ual D a relação entre a lei e uma cultura es/ecí4icaO C6 Como os ;e3 )andamentos su/eram 1ual1uer sistema de leis con@ecido da @umanidadeO **6 Sentir Amor /ela lei de ;eus A6 Como /osso ter uma atitude /ositi5a em relação à lei de ;eusO B6 Como /osso comunicar e4ica3mente aos meus 4il@os o a/reço /ela lei de ;eusO C6 )oti5ação e sentimento são a mesma coisaO (or 1u2O >en@o 1ue deseFar 0uardar a lei de ;eus. ou @á momentos em 1ue obedec2-la 5ai contra meus sentimentosO ***6 Qa3er Xma res/osta de amor A6 ?a /rática. 1ual D a li0ação entre o amor de ;eus e Sua leiO B6 Como de5o res/onder às leis ci5is do meu /aísO C6 Considerando 1ue ;eus 5alori3a min@a moti5ação. como /osso incor/orar uma res/osta de amor às tare4as e obri0ações cotidianasO &esumo ;i5ersas leis 0o5erna5am a sociedade no tem/o de Cristo6 Xma com/reensão do conteBto @istHrico e cultural /ro52 uma estrutura /ara a lei moral de ;eus. os ;e3 )andamentos6 Ciclo do A/rendi3ado Moti$a"6o Qocali3ando as %scrituras Salmo 19 : Conceito-c@a5e /ara o crescimento es/iritual 's ;e3 )andamentos não são a/enas uma lista de obri0ações6 Ao contrário. eles o4erecem a estrutura moral /ara manter um relacionamento de aliança com ;eus. em res/osta ao Seu amor6 Somente /ara o /ro4essor )uitas /essoas. dentro e 4ora da i0reFa. t2m associações relati5amente ne0ati5as /ara com a lei de ;eus6 Al0uns ac@am irrele5ante a letra da lei. es/ecialmente o 1uarto e o dDcimo mandamentos. considerados relí1uias anti0as6 'utros temem a lei. acreditando 1ue sua sal5ação de/ende da estrita obser5Lncia dos ;e3 )andamentos6 A lição desta semana considera 5árias leis em 5i02ncia no tem/o de Cristo. a 4im de nos aFudar a estabelecer a base /ara uma aborda0em mais /ositi5a da lei de ;eus6 (recisamos de leis a 4im de des4rutar uma ele5ada 1ualidade de 5ida6 %mbora al0umas leis. como as 1ue de4endem a se0re0ação ou a escra5idão. seFam moralmente erradas. as leis @umanas 0eralmente o4erecem se0urança. /roteção e nos /ermitem le5ar uma 5ida /roduti5a6 >odas as boas leis ci5is são baseadas em conceitos morais e t2m sua ori0em no ;eus de amor. o Le0islador 1ue deseFa o mel@or /ara nHs6 Ati5idade de aberturaM&e4leBão (eça 1ue a classe medite sobre os /ossí5eis resultados de acabar com todas as leis de trLnsito Aou. tal5e3. com as leis de /ro/riedadeC6 Comente sobre os e4eitos 1ue isso traria sobre a 1ualidade de 5ida das /essoas6 Certi4i1ue-se de destacar a 1ualidade /rotetora da lei /ara a 5ida cotidiana6 Comente com a classe (or 1ue eBistem tantas leis ci5is a res/eito do relacionamento entre as /essoasO (or 1ue as leis são necessárias nos relacionamentosO Comentário Bíblico ;esde o tem/o da &e4orma. os conceitos teolH0icos 4undamentais de lei e 0raça 4re1uentemente 4oram colocados em o/osição6 (ara destacar a im/ortante mensa0em da Fusti4icação /ela 4D. os re4ormadores Ae seus @erdeirosC. muitas 5e3es /ensa5am na lei de modo ne0ati5o e en4ati3a5am a 4utilidade de tentar alcançar a Fustiça /ela obedi2ncia à lei e tentar obter /ontos com ;eus /elas obras6 A lei e a 0raça eram consideradas mundos se/arados 1ue re/resentam dois eBtremos de uma lin@a6 ?o entanto. um eBame cuidadoso do 1uadro bíblico mais am/lo em relação à lei e à 0raça nos lembra 1ue ambos os termos descre5em os dois lados da mesma moeda e não de5em ser /ostos em o/osição6 ?as Eltimas dDcadas. teHlo0os bíblicos recon@eceram 1ue. tanto no Anti0o 1uanto no ?o5o >estamento. a lei D
$eFa esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em @tt/ MMNNN6c/b6com6brM@tdocsM/eriodicosMles2!176@tml

uma eB/ressão da 5ontade e do caráter de ;eus 1ue re1uer cuidadoso Ae ale0reC estudo e a/licação obediente6 ?o comentário a se0uir. 4ocali3aremos tr2s características /rinci/ais da lei bíblica6 *6 A lei bíblica D am/la A&eca/itule com a classe o Sl 1196C Antes de discutir essas características. seria bom lembrar 1ue sem/re D 4ácil de4inir e classi4icar a ,lei, na Bíblia6 ?o entanto. os 1ue são treinados na lH0ica e raciocínio ocidentais são /ro/ensos a tentar 4a3er eBatamente isso6 -ueremos saber sobre 1ue ti/o de lei estamos 4alando e encontramos rHtulos. como moral. ci5il ou cerimonial /ara descre5er a lei em um conteBto es/ecí4ico6 %mbora essas di5isões /ossam ser Eteis em al0umas circunstLncias. elas tendem a ser bastante arti4iciais6 (or eBem/lo. @á inEmeros termos @ebraicos 1ue /arecem ser intercambiá5eis e 1ue /odem ser tradu3idos como ,lei,. ,estatuto,. ,mandamento,. ,/receito,. ou 1ual1uer outra 5ariação do tema6 ' Salmo 119. um dos mais entusiásticos teBtos do Anti0o >estamento com 4oco na lei. contDm /elo menos oito di4erentes termos @ebraicos 1ue di0ni4icam ,lei, ou um de seus sinTnimos6 %sses termos são usados alternadamente e em di4erentes combinações ao lon0o das 22 estro4es desse ma0ní4ico /oema6 Jordon Wen@am. estudioso do Anti0o >estamento. escre5eu ,A ]lei] ou ]instrução] en5ol5e toda a re5elação de ;eus a *srael. seFa ela encontrada no (entateuco ou em outras /artes da Bíblia, AJordon I6 Wen@am. (salms as >ora@ &eadin0 Biblical Son0 %t@icall[ USalmos como >ora@ Lendo %ticamente o CLntico BíblicoV8 Jrand &a/ids. )ic@i0an. BaZer Academic. 2!12. /6 9<C6 %la está tão intimamente li0ada a ;eus. o Le0islador. 1ue o salmista escre5eu no Salmo 119 1! ,;e todo o coração >e bus1uei8 não me deiBes 4u0ir aos >eus mandamentos6, (ense nisto Se o a4astamento dos mandamentos de ;eus si0ni4ica des5iar-se d%le. o 1ue /odemos 4a3er /ara incenti5ar um en4o1ue /ositi5o sobre a lei de ;eusO **6 A lei de ;eus D boa e D uma dádi5a /ara Sua criação A&eca/itule com a classe o Sl 19 :6C Como a criação 4oi boa Aou muito boa8 con4ira em J2nesis 1 7. 1!. 12. 1:. 21. 25 e #1C. a lei de ;eus tambDm se caracteri3a /ela bondade e /er4eição6 ' Salmo 119 #9 di3 ,>uas ordenanças são boas,. ecoando um conceito similar encontrado no Salmo 19 < ,A lei do Sen@or D /er4eita e restaura a alma8 o testemun@o do Sen@or D 4iel e dá sabedoria aos sím/lices6, ?o Anti0o >estamento. bondade e /er4eição estão intimamente associadas com ;eus6 Le0islador e lei re4letem as mesmas características básicas6 ?esse conteBto. não im/orta 1ue ti/o de lei D considerada6 Xma 5e3 1ue essa lei Acomo /arte da eB/ressão eterna da 5ontade de ;eus ou comunicada em um conteBto @istHrico es/ecí4icoC emana de ;eus. ela D boa e D uma dádi5a /ara Sua criação A?e 9 1#C6 Xma noção semel@ante D eB/ressa /or (aulo em &omanos < 12 Acom/are com 2 Coríntios # <-15C6 (ense nisto Como /ode a Bíblia e1ui/arar ,boas dádi5as, com a leiO ***6 A lei de ;eus de4ine a comunidade da aliança A&eca/itule com a classe &m 9 #1 e 1! 76C A eB/ressão da aliança di5ina estabelece um /o5o Aou. nos termos do ?o5o >estamento. um cor/o de crentesC6 %ssas /essoas são caracteri3adas /ela obedi2ncia à lei de ;eus6 )ediante a aliança Acom suas b2nçãos e /otenciais maldiçõesC elas 4oram adotadas na 4amília de ;eus6 ?o entanto. i0norar as condições da aliança resultou em /unição di5ina. como a @istHria de *srael ilustra am/lamente6 ?o ?o5o >estamento. (aulo usou uma eB/ressão Enica. ,lei de Fustiça,. em &omanos 9 #16 %ssa lei não alcança a Fustiça. mas testemun@a da Fustiça intrinsecamente li0ada a ;eus como Le0islador e Sal5ador6 %la deiBa um sabor nos 1ue a eB/erimentaram " não amar0o nem 5enenoso. mas doce e /rometendo uma solução mais com/leta6 (ense nisto %m 4ace do eB/osto acima. como de5emos entender a lei em &omanos 1! 7O %m sua res/osta. considere o /a/el de um tutor romano 1ue orienta seu aluno6 *$6 Lei e 5ida A&eca/itule com a classe L5 1: 5 e Io 1! 1!6C >er uma 5ida 4iel à lei di5ina A>ora@C si0ni4ica ter 5ida /lena6 Le5ítico 1: 5 eB/ressa esta noção ,'bedeçam aos )eus decretos e ordenanças. /ois o @omem 1ue os /raticar 5i5erá /or eles6 %u sou o Sen@or, A?$*C6 %sse teBto Ae outros. como %3e1uiel 1: 5-9. Salmo 119 9# e ;euteronTmio #! 15. 1=C destaca a estreita li0ação entre a lei e a 5ida6 Sim. /ara *srael a obedi2ncia si0ni4ica5a 5ida na >erra (rometida. mas a obedi2ncia está intimamente li0ada ao /rH/rio Sen@or e de5e ser conectada à declaração /ro0ramática de
$eFa esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em @tt/ MMNNN6c/b6com6brM@tdocsM/eriodicosMles2!176@tml

Iesus em Ioão 1! 1! ,%u 5im /ara 1ue ten@am 5ida e a ten@am em abundLncia6, 'bedi2ncia. bem como um íntimo relacionamento com o Le0islador. D essencial /ara uma 5ida aut2ntica6 A obedi2ncia não /a0a /ela 5ida eterna. mas D a eB/eri2ncia dos 1ue Fá estão /ro5ando essa 5ida abundante em um reino 1ue está a1ui. /orDm. ainda está /or 5ir6 (ense nisto (or 1ue os cristãos muitas 5e3es tentam 0an@ar a sal5ação /or meio da obser5Lncia da lei. em lu0ar de deiBar 1ue a obser5Lncia da lei seFa o resultado de um relacionamento 5ibrante com Iesus Cristo. A1uele 1ue 5eio /ara nos dar ,5ida abundante,O (er0untas /ara re4leBão 16 -uando ;eus ori0inalmente deu as leis a )oisDs. %le ideali3ou um %stado no 1ual %le seria o c@e4e do 0o5erno6 %m 1uais as/ectos as leis de ;eus e dos estados seculares são com/atí5eisO 26 Cin1uenta anos atrás. al0uns com/ortamentos. como a /rática da @omosseBualidade. eram 5istos /elas sociedades em 0eral como errados6 A0ora. /arece @a5er uma mudança em muitas sociedades nas 1uais tais escol@as de estilo de 5ida não são mais 5istas dessa 4orma6 'nde a sociedade obtDm a noção do 1ue D moral e amoralO #6 (or 1ue di3emos 1ue os ;e3 )andamentos ainda são rele5antes. en1uanto outras leis dos /rimeiros cinco li5ros da Bíblia. como a circuncisão no oita5o dia. não mais são consideradas rele5antesO ASu0estão considere o 1uadro am/lo do relacionamento entre ;eus como Le0islador e a lei como eB/ressão de Seu caráter6C 76 A/ocali/se 12 1< coloca a obedi2ncia aos mandamentos de ;eus no conteBto do con4lito 4inal entre o bem e o mal6 A obser5Lncia dos mandamentos realmente sal5a esse remanescente 4inal. ou D a/enas um sinal eBterno de al0o maiorO Iusti4i1ue sua res/osta6 (er0untas de a/licação 16 Como de5emos rea0ir às leis ci5is 1ue consideramos ino/ortunas ou inEteisO 26 's rabinos dos dias de Iesus tentaram asse0urar 1ue a lei de ;eus continuasse rele5ante. adicionando muitas re0ras6 Como nHs. ad5entistas do sDtimo dia. /odemos mostrar ao mundo a rele5Lncia da lei de ;eus sem 4a3er nossa /rH/ria lista de re0ras. /or eBem/lo. sobre o 1ue /odemos e o 1ue não /odemos 4a3er no sábadoO >odas essas re0ras são ruinsO %plica"6o Somente /ara o /ro4essor Xm dos 0randes desa4ios do cristianismo D reinter/retá-lo e torná-lo rele5ante /ara o sDculo 216 A maioria de nHs 5i5e em /aíses em 1ue /odemos adorar li5remente6 (odemos não ser entendidos. mas. /elo menos. não temos 1ue temer a /risão ou a morte /or causa da nossa 4D6 A/licações à 5ida diária Xma reli0ião 1ue não eBi0e muito não D muito 5alori3ada6 (ode ser /or isso 1ue o cristianismo esteFa de4in@ando em muitas /artes do mundo6 A i0reFa sim/lesmente não está 4a3endo di4erença6 ' 1ue 5oc2 mais 5alori3a em sua 4D cristãO $oc2 /ode ima0inar o 1ue si0ni4ica ser /erse0uido /or al0um as/ecto de sua 4DO Se assim 4or. /elo 1ue 5oc2 /oderia ser /erse0uidoO % 1ue 4orma a /erse0uição /ode tomarO Criati$idade e %ti$idades pr9ticas -uais seriam os e4eitos sobre os relacionamentos @umanos e sobre nosso relacionamento com ;eus. se a/enas um dos ;e3 )andamentos 4osse eliminadoO *ma0ine 1ue um mandamento es/ecí4ico 4osse. de 4ato. re5o0ado6 -uais seriam as conse1u2ncias de abolir esse mandamento es/ecí4icoO ' 1ue esse eBercício nos ensina sobre a necessidade da lei de ;eus /ara /reser5ar e /rote0er nossa 4elicidade e nossos relacionamentosO (laneFando ati5idades ' 1ue sua classe de %scola Sabatina /ode 4a3er na /rHBima semana como res/osta ao estudo da liçãoO Y /roibida a re/rodução. total ou /arcial. do conteEdo sem /rD5ia autori3ação da Casa (ublicadora Brasileira6

$eFa esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em @tt/ MMNNN6c/b6com6brM@tdocsM/eriodicosMles2!176@tml