FACULDADE ÁREA 1

Centro Baiano de Ensino Superior
Grupo DeVry

Instrumentação e Automação
Aprendizagem ativa com visão gerencial em controle de processo
Engenharia Mecatrônica Turma 08 5INAE-NT1 Instrumentação e Automação Ter (18:35 as 21:20) – Sala 305

Professor

Geraldo Natanael
Salvador-Ba 2011.2

Sumário
Apresentação – Plano de Curso 1. Ementa. 2. Objetivos. 3. Metodologia. 4. Bibliografia. 5. Comunicação. 6. Avaliações. 7. Recomendações. 8. Estudo Dirigido I
Instrumentação e Automação

2

Prof° Geraldo Natanael

3

Plano de curso – PE 5INAE
 1- Ementa
Ao final desta disciplina o aluno deverá ser capaz de analisar e executar pequenos projetos de instrumentação e automação industriais. Aplicar os fundamentos teóricos e práticos de instrumentação e automação de processos industriais, tais como critérios de instalação e seleção de instrumentos de medição de nível, temperatura, pressão e vazão, dimensionamento e especificação de válvulas de controle e atuadores. Além disso, serão abordadas as tecnologias de hardware e software empregadas nos sistemas de controle de processos industriais. Documentação para projetos da indústria em geral. Gerenciamento da Rotina do Trabalho do Dia-a-Dia.

Plano de curso – PE 5INAE
 2- Objetivos

4

Introduzir os estudantes na teoria e prática de instrumentação e automação de processos da indústria. A ênfase é dada ao conhecimento básico dos elementos funcionais, instrumentos de medição, instrumentos de controle e transmissão. Assim o aluno irá adquirir noções básicas sobre instrumentação, automação e controle, conhecimentos necessários ao início do exercício da profissão. - Aplicar elementos de automação como sensores, atuadores e controles. - Implementar soluções de comunicações em sistemas de automação e controle. - Projetar sistemas para soluções de problemas de automação em controladores lógicos programáveis. (PDCA / SDCA) - Implementar soluções de supervisão e controle através de softwares industriais.

5

Plano de curso – PE 5INAE
 3- Metodologia - Aulas expositivas dialogadas. - Projeção, discussão e interpretação de material audiovisual. - Atividades individuais e em grupo em sala de aula. - Análise e apresentação de estudos de casos com: estudo dirigido, seminários - Discussão sobre experiências reais do processo industrial.

6

Plano de curso – PE 5INAE
 4-

Bibliografia

 ALVES, José L. Instrumentação, Controle e Automação de Processos. Rio de Janeiro: LTC, 2006.  SIGHIERI, L.; NISHINARI, A. Controle Automático de processos Industriais: Instrumentação. São Paulo: Edgar Blucher Ltda, 1998.  OGATA, K. Engenharia de Controle Moderno. São Paulo: Prentice Hall, 2003.  BANNISTER, B.R.; WHITEHEAD, D.G. Instrumentation:

transducers_and_interfacing. Chapman & Hall, 1991.

7

Plano de curso – PE 5INAE

Bibliografia Complementar

 BONACORSO, N.G.; NOLL, V. Automação Eletropneumática. São Paulo: Érica, 1999.  FIALHO, A.B. Automação Hidráulica. Projetos, Dimensionamento e Análise de Circuitos. São Paulo: Érica, 2008.

8

Plano de curso – PE 5INAE

Bibliografia Pesquisa Adicional

 BALBINOT, Alexandre & BRUSAMARELLO, Valner João. Instrumentação e fundamentos de medidas. Vol.1. Rio de Janeiro: LTC, 2006.  BEGA, Egídio Alberto. Instrumentação Industrial. Rio de Janeiro: Interciência, 2006.  CAPELLI, Alexandre. Automação Industrial - Controle do movimento e processos contínuos. São Paulo: Érica, 2006.  CAMPOS, Mario Cesar M. M. & TEIXEIRA, Herbert C. G. Controles Típicos de Equipamentos e Processos Industriais. São Paulo: Blucher, 2006.  FIALHO, Arivelto Bustamante. Instrumentação Industrial: Conceitos, Aplicações e Análises. Erica, 2004.  MIYAGI, P. E. Controle Programável: Fundamentos do Controle de Sistemas a Eventos Discretos. São Paulo: Edgard Blücher, 1996.  NATALE, Ferdinando. Automação Industrial. São Paulo: Érica, 2005.  PHILIPPSBORN, Henry E. Dicionário de Tecnologia Industrial. Rio de Janeiro: Interciência, 2006.  RIBEIRO, Marco Antônio. Instrumentação. Salvador: Tek, 1999. (e-book).  SIGHIERI. L.; NISHIARI, A; Controle automático de processos industriais: Instrumentação São Paulo: Edgard Blücher, 1996.

Plano de curso – PE 5INAE
 5- Comunicação
 Portal acadêmico: - Para enviar material das aulas. - Para os alunos enviar as pesquisas, trabalhos, seminários, estudos dirigidos, instruções programadas.

9

 e-mail do professor: e-mail: glima@area1.edu.br

Plano de curso – PE 5INAE

10

6- Avaliações

De forma continuada durante a realização do curso.  1ª Avaliação: Prova escrita Estudos dirigidos em sala de aula / casa.  2ª Avaliação: 50% Pesquisa e seminário individual* 50% Pesquisa e seminário em grupo** * Também serão considerados os “estudos independentes”, as “instruções programadas” nos feriados, interesse individual com autonomia intelectual. ** Participação e integração no grupo.

Plano de curso – PE 5INAE

11

7- Recomendações

 As aulas começarão em 01 de agosto de 2011 e irão até 20 de dezembro de 2011.  Serão realizados em média 21 dias de encontro, sendo 14 com aulas presenciais, 04 dias de avaliações e 03 dias podendo ter feriados (porém devem ser realizadas as instruções programadas).  As avaliações escritas serão programadas e informadas no Portal Acadêmico.  Se a avaliação for em forma de trabalho de grupo, deverá ser assegurado que cada aluno participante do grupo efetivamente apreendeu o conteúdo do trabalho.  Não serão aceitas cópias de trabalhos de internet e o trabalho sendo em grupo, todos os integrantes devem apresentar o trabalho em sala e responder aos questionamentos, além do trabalho escrito propriamente dito.  O resultado das 2 avaliações condensadas serão informadas pelo Portal Acadêmico.

Plano de curso – PE 5INAE
 Seção VII - Da avaliação de aprendizagem

12

§2º. É atribuída nota 0 (zero) ao aluno que usar meios ilícitos ou não autorizados pelo professor, quando da elaboração dos trabalhos, das verificações parciais de aprendizagem, dos exames finais ou de qualquer outra atividade que resulte em avaliação do conhecimento por atribuição de notas, sem prejuízo da aplicação de sanções cabíveis por este ato de improbidade. §3º. A freqüência às aulas e demais atividades escolares é obrigatória, vedado o abono de faltas, salvo os casos previstos na legislação pertinente. A freqüência é um dos instrumentos de avaliação previsto no Regimento da Área 1. O aluno que tiver mais de 25% de faltas estará automaticamente reprovado, não podendo mais fazer as avaliações. Isto corresponde a, 5 dias de falta numa disciplina típica de 3 a 4 hs/semanal.  Serão realizadas 2 chamadas sendo a primeira através de lista de presença (antes do intervalo) e a segunda através de chamada (após o intervalo).

Plano de curso – PE 5INAE

13

 Art.1º - Só é permitido abono de falta às atividades escolares para aluno nas situações abaixo, mediante apresentação de documento comprobatório expedido por autoridade competente: - Militar Reservista matriculado em órgão de formação de Reserva que seja obrigado a faltar às atividades acadêmicas por força de exercício de manobra, exercício de apresentação de reservas ou cerimônias cívicas; - Oficial ou Aspirante-a-Oficial de Reserva convocado para serviço ativo - Em atendimento à convocação da Justiça Eleitoral; - Convocado para integrar conselho de sentença no Tribunal do Júri; -Participação em competição desportiva quando oficialmente convocado para representar a União, o Estado ou o Município.

Plano de curso – PE 5INAE

14

§1º O aluno amparado em uma das situações constantes do caput deste artigo deverá protocolar no Núcleo de Apoio ao Aluno (NAA) a solicitação do abono de faltas, mediante apresentação de documento comprobatório expedido por autoridade competente. §2º Compete ao Coordenador do Curso analisar os pedidos de abono de falta, comunicando a decisão aos professores das disciplinas envolvidas para os devidos registros acadêmicos.  Art.2º - Todas as demais situações, incluindo os afastamentos devido a convicções religiosas (Parecer CNE/CES 224/2006), problemas de saúde ou por gravidez, não são passíveis de abono, cabendo ao aluno administrar tais ausências dentre os 25% de faltas que lhe são permitidas.

Plano de curso – PE 5INAE

15

 Art. 74. São atividades curriculares, além das provas escritas e orais, previstas nos respectivos Planos de Ensino, as preleções, pesquisas, exercícios, arguições, trabalhos práticos, seminários, excursões e estágios, incluídos os realizados fora da sala de aula e da sede da Faculdade.  Art. 75. O aproveitamento é expresso por uma nota de eficiência que é a média aritmética de, no mínimo, duas notas semestrais atribuídas ao aluno, durante o período letivo.  Art. 76. Respeitado o limite mínimo de freqüência previsto no art. 44, será considerado aprovado o aluno que obtiver a média de eficiência igual ou superior a 7 (sete), em escala que variará de 0 (zero) a 10 (dez), que, nesse caso, será a Média Final, designada pela sigla MF.  Art. 77. O aluno, que após todo o processo de avaliação, obtiver a Média Parcial de Eficiência inferior a 7 (sete) e não menor do que 4 (quatro), observado o limite de frequência, após o término do período letivo poderá se submeter a Exame Final (EF), visando lograr a sua aprovação.  A 2ª chamada das avaliações serão programadas no Portal Acadêmico.

Plano de curso – PE 5INAE

16

 A média final de eficiência será calculada pela média ponderada da média de eficiência no curso, com peso de 60% (sessenta por cento), e a nota do exame final, à qual se atribui peso de 40% (quarenta por cento).  Art. 78. O exame final consiste, preferencialmente, em uma prova escrita versando sobre todo o assunto ministrado no período para verificação de aprendizagem. § 1º. O resultado do exame final é expresso com nota que varia de 0 (zero) a 10 (dez); §2º. A média final de eficiência referida no Parágrafo único do Art. 77, se igual ou superior a 5 (cinco), dará aprovação ao aluno na disciplina.  As provas finais serão programadas no Portal Acadêmico. A nota mínima total é 8,0 para que possa realizar a Prova Final, o que representa um mínimo de conhecimento para o aluno ir adiante.  Art. 80. O professor fica obrigado a remeter as notas (das duas avaliações condensadas) ao setor competente, até no máximo o quinto dia útil após a realização das provas ou dos trabalhos.

Plano de curso – PE 5INAE
 Norma 006: Critérios Avaliação do Desempenho Acadêmico

17

§1º Os professores devem adotar o critério de avaliação continuada, ou seja, utilizar diversos instrumentos, em diferentes formatos, para avaliar o desempenho acadêmico do aluno, mas contabilizando nos registros acadêmicos da Faculdade somente duas notas parciais. §3º. Cabe aos professores a ponderação dos resultados obtidos pelos alunos nos diferentes instrumentos utilizados, de forma a totalizá-los em duas notas parciais, conforme estipulado no caput desse artigo, e lançá-los nos registros acadêmicos, observados os prazos estipulados no calendário acadêmico.  Art. 2º. A partir das notas obtidas nas avaliações parciais (AP1 e AP2) será calculada a Média Parcial de Eficiência (MP), que é a média aritmética das duas avaliações parciais.

Plano de curso – PE 5INAE

18

 Art. 8º. Os valores calculados em MP e em MF deverão ser arredondados para a precisão de 1 (uma) casa decimal, segundo as normas estatísticas usuais, a saber: I - se o algarismo da segunda casa decimal for menor que 5 (cinco), este deve ser desprezado; II - se o algarismo da segunda casa decimal for maior que 5 (cinco), ao algarismo da casa anterior incrementase uma unidade; III - se o algarismo da segunda casa decimal for igual a 5 (cinco) e o algarismo da primeira casa for ímpar a este incrementa-se uma unidade. Caso seja par, deve ser desprezado.

Plano de curso – PE 5INAE
 Norma 008: Programa de Estudos Independentes

19

 Será imprescindível o compromisso dos alunos no sentido de estudar o material indicado e desenvolver as atividades prescritas, antes da aula.  Recomendamos que o aluno dedique cerca de uma hora por dia para os estudos independentes. Os textos ou atividades indicados pelos professores deverão ser selecionados de forma a demandar essa quantidade de tempo de estudo.  Serão elaborados 21 cronogramas de atividades e pelo menos 14 estudos independentes.

Plano de curso – PE 5INAE
 PROCEDIMENTOS DOCENTES • Realizar chamada eletrônica diariamente; • Reservar equipamentos e salas com antecedência de 48 horas; • Encaminhar as solicitações para o e-mail nap@area1.edu.br; • Comunicar ao NAP: - a ausência ou substituição nas aulas; - a presença de convidados para palestras; - aulas de reposição, extras, complementares e visitas técnicas.

20

21

Introdução – PE 5INAE
8 - Verificação do conteúdo programático.
 Do que se trata esta disciplina?  Qual o seu interesse nessa disciplina?  Qual a aplicação desta disciplina na sua futura profissão?  Cite instrumentos e sistemas de controle do seu interesse que poderemos estudar.  Pesquise instrumentos, escolha e cite alguns para uma prévia do seminário que você fará nessa disciplina.

Estudo Dirigido - I

Prof° Geraldo Natanael

22

Instrumentação e Automação – PE 5INAE
Copyright ©, você pode: Copiar, distribuir, exibir e executar a obra, sob as seguintes condições: Atribuição: você deve dar crédito ao autor original, da forma especificada pelo autor. Uso não-comercial: você não pode utilizar esta obra com finalidades comerciais. Vedada a criação de obras derivadas: você não pode alterar, transformar ou criar outra obra com base nesta.  Qualquer uma destas condições pode ser renunciada, desde que você obtenha permissão do autor.
Prof° Geraldo Natanael