Tubo em “U”

Aluno João Pedro Limeira mat: UC12006256

Fenômenos do trensporte, Thyago Mangueira 19 de agosto de 2013

Introdução
O experimento do tubo em “U” possibilita uma maior compreensão sobre pressão. É possível obter equações para pressões diferentes em um sistema de fluidos em repouso através dos conceitos de pressão e densidade (Halliday, 2008).:

  


P

m v

(Eq.01) (Eq.02) (Eq.03)

F A F  ma

Substituindo a Eq.01 na Eq.02 através do conhecimento prévio da Eq.03, obtemos: 

 P   ha

(Eq.04)

Sabendo disso é possível analisar uma partícula de um fluído e a pressão exercida sobre ela. Vamos considerar um cilindro imaginário dentro de um recipiente com água, tem se então uma força F1 apontando para baixo referente a força exercida pela água na parte superior do cilindro, uma força F2 apontando para cima referente a força exercida pela água na parte inferior do cilindro e uma força peso mg apontando para baixo. Já na segunda imagem temos um diagrama de forças desse corpo.

Figura 1

Figura 2 Se sabemos que (Halliday. 2008): (Eq.) (Eq.10) (Eq. 2008):   F2  F1  mg F  PA Então (Halliday.05) (Eq.09)   Pint   líquido 2 ( L  D ) g  Pint   líquido1Lg (Eq.08) P  Pint   líquido 2 ( L  D ) g (No lado esquerdo. então pode se achar a densidade que falta:   líquido 2   líquido1L ( L  D) (Eq.2008):   P  Pint   líquido1Lg (No lado direito. a variação de pressão terá valor negativo caso a distância da altura seja para cima e terá valor positivo caso a distância da altura seja para baixo. Sabemos pois que em um tubo em “U” temos dois líquidos.12) . se tivermos as distâncias entre a interface e o topo de cada lado conseguimos estabelecer a seguinte equação (Halliday.07) De tal forma sabemos que a pressão em um ponto é a pressão inicial mais a variação de pressão.11)   líquido 2 ( L  D )   líquido1L Como se sabe a densidade do líquido em maior quantidade e sabe se as distâncias.06)  P2 A  P 1 A   vg  P2  P 1   Hg (Eq.) Igualando os dois termos: (Eq.

distância da interface até o topo. Os dados fornecidos são: quatro líquidos sendo que o líquido em maior quantidade terá sempre sua densidade igual a 1 g/cm³.8 m/s².líquidos com densidades diferentes. aceleração gravitacional de 9. . Para documentar o experimento foram usados os seguintes materiais: Figura 4 – filmadora.Figura 3 – Tubo em “U” Procedimento / Resultados O experimento consiste em definir a densidade de cada líquido utilizado de forma direta pelo apêndice fornecido no roteiro e de forma indireta pelos conhecimentos de fluidos. Figura 5 .

80±0.1cm L=8.apêndica com massa e volume dos líquidos    Vermelho tem densidade de 0.03 g/cm3.Distâncias da interface até o topo de cada lado.Figura 6 .40±0. Verde tem densidade de 0.78±0. . Roxo tem densidade de 0.30±0.03 g/cm3. Papel Milimetratado e Seringa. Ou então indiretamente através do experimento: D+L=10. A densidade procurada pode ser calculada diretamente pelo apêndice através da Eq.01: Tabela 1 .1cm Interface Figura 7 .80±0.03 g/cm3.Tubo em "U".

Análise dos Resultados Comparando os dois modos de obter as densidades dos líquidos.30 cm e sua densidade é de 0.01 g/cm³. O experimento coloca como dificuldade as imagens de baixa resolução . devido a um erro menor.00±0.83±0.82±0.00 cm. (D+L) = 9.82±0.01 g/cm³. (D+L)= 10.Distâncias da interface até o topo de cada lado.60±0.30 cm e sua densidade é de 0.40 cm. D+L=9. percebe se que.1cm L=8.00 cm.80 cm e sua densidade é de 0.1cm L=8.1cm Interface Figura 8 .3±0.1cm Interface Figura 9 . Analisando o líquido roxo temos que L=8. (D+L)= 10. Analisando o líquido verde temos que L = 8.80±0.01 g/cm³. através da equação de pressão para um tubo em “U” obtém se o melhor resultado.Distâncias da interface até o topo de cada lado.Analisando o líquido vermelho temos que L=8. D+L=10.

as imagens de baixa resolução influenciou negativamente aumentando os erros. David .acarretando então erros de medida.Fundamentos de física .8° edição – Rio de Janeiro: LTC. Jearl Walker. volume 1 : mecânica / David Halliday . pois densidade e pressão contêm grandezas que se relacionam entre si. Robert Resnick. tendo imagens mais nítidas. conseguiria resultados mais precisos. Conclusão Conforme o experimento percebe que os conhecimentos sobre fluidos pode nos auxiliar em cálculos para densidade. Bibliografia Halliday. 1916 . Percebe se também que pela forma indireta para chegar até a densidade obtém resultados mais precisos. 2008. . Tal experimento ao ser feito pessoalmente. ou seja. O experimento proporciona um maior entendimento sobre a ação da pressão e densidade em um tubo em “U”. pode se encontrar resultados mais preciso.