You are on page 1of 4

Psicologia A 11 Ano lectivo 2009/10

Professor Paulo Gomes


Documento 10 – Ficha Formativa 01 - Correcção 1º Período 9/10/2009
Deve ter em atenção que esta ficha de correcção apresenta somente tópicos de orientação das respostas.
Esses tópicos apresentam apenas uma parte dos elementos da matéria que podem servir de base às respostas.
De modo algum serão penalizadas as respostas que sigam vias diferentes das propostas.
As respostas não devem limitar-se a apresentar listas de tópicos, mas antes devem ser redigidas como textos
consistentes, com uma introdução, um desenvolvimento e uma conclusão.

Grupo I
Documento auxiliar: vídeo “A mão biónica”.
1. Por que razão será tão difícil imitar a mão humana? Responda a esta questão
partindo da explicação da que a mão teve na evolução da espécie humana.
Tópicos para orientação da resposta:
a) A mão humana é difícil de imitar, porque é o resultado dum longo processo de
evolução que está na origem de adaptações que a foram moldando, dando-lhe a
configuração actual. Pode dizer-se que esse processo de evolução se deu por
tentativa e erro, o que permitiu a selecção das funcionalidades que melhor
serviam à adaptação dos hominídeos ao seu habitat.
b) A mão humana não pode ser
separada do cérebro e, sendo assim,
só se pode imitar o funcionamento da
mão desenvolvendo simultaneamente
os seguintes parâmetros: a anatomia
e a fisiologia da mão; a sensibilidade
– a capacidade de percepção táctil
que dá à mão uma alta gama de
possibilidades de captação de dados
sensoriais; o cérebro e a rede
altamente complexa de ligações
neurais que controlam os
movimentos da mão e processam os
dados sensoriais delas provenientes.
Sem o desenvolvimento destes 3
parâmetros estaremos muito longe
duma imitação, mesmo que muito grosseira, da mão humana.
c) Foi a libertação da mão, resultante da adopção da postura erecta, que permitiu o
desenvolvimento do cérebro. À medida que a mão ganhava em destreza, o
cérebro tornava-se maior e mais complexo, o que levou a um aumento
progressivo da destreza manual, num processo que acompanhou toda a
hominização. Neste sentido, o homem é o resultado do seu próprio trabalho.

1. Será possível construir um robô com o mesmo tipo de inteligência que o ser
humano? Fundamente a sua resposta com três argumentos da sua autoria. (min. 200
palavras).
Tópicos para orientação da resposta:
Para Construir um robô com o mesmo tipo de inteligência que o ser humano, teria que
ser possível reunir as seguintes condições:
a) o robô deveria ter uma estrutura semelhante à de um organismo vivo;
b) teria que ter as mesmas capacidades perceptivas do ser humano (para ver como
funciona a percepção, veja o seguinte documentário: “A sensibilidade humana” ) –
sensibilidade táctil na mão; visão estereoscópica, audição estereofónica, etc.;
c) teria que ser capaz de aprender com a experiência e de realizar as suas próprias
descobertas/aprendizagens significativas;
d) teria que possuir auto-consciência;
e) teria que ser capaz de usar uma linguagem simbólica;
f) teria que ser capaz de produzir cultura;
g) teria que ter uma identidade pessoal (personalidade), etc.

Grupo II
Texto 2

“ Os Panídeos (Gorilas e Chimpanzés) representam provavelmente os descendentes dos


nossos antepassados que permaneceram numa paisagem coberta, enquanto os
Australopitecos e os Homens são os descendentes dos nossos antepassados que, isolados
por um acidente tectónico convertido gradualmente numa barreira ecológica, foram obrigados a
adaptar-se a uma paisagem aberta. O "homem racional" surgiu na face da Terra porque "a
Terra se fracturou" e o clima secou, ou, como preferia dizer Engels, a evolução do homem
começou pelos pés e não pela cabeça, como supunham os darwinistas do seu tempo.”|Doc.05.

1. Comente o texto 2 a partir duma reflexão sobre o documentário “História do corpo


humano” visionado na aula. (min. 250 palavras).
Tópicos para orientação da resposta:
a) Os seres humanos distinguem-se dos panídeos (igualmente primatas) porque os seus
antepassados tiveram que descer das árvores e que se adaptar a um ambiente de
savana (ver um excerto do documentário “A Evolução a Espécie Humana”, o que os
obrigou a desenvolver estratégias de sobrevivência que passaram pela aquisição da
postura erecta (com todos os problemas que esta acarreta, no que diz respeito,
nomadamente, à pressão sobre a coluna vertebral e as articulações);
b) a libertação da mão também é importação da mão que, com um polegar oponível, pôde
transformar-se na mais eficaz das ferramentas;
c) esta adaptação da mão permitiu que os nossos antepassados ganharam um conjunto de
capacidades sensoriais que lhe lhes deu uma supremacia, em termos de adaptação ao
meio, sobre todos os outros animais. Em termos sensoriais os hominídeos têm um maior
equilíbrio entre os diversos órgãos, não tenso uns órgãos mais desenvolvidos em relação
aos outros, ao contrário do que acontece com muitas outras espécies;
d) outra diferença em relação às outras espécies, é a forma como as regiões sensoriais do
córtex cerebral dos seres humanos estão dispostas, permitindo uma intensa troca de
informação entra as áreas auditiva e visual. Este factor está ligado à criatividade, ou seja,
à capacidade de exploração de novas soluções para os desafios ambientais;
e) “a evolução do homem começa pelos pés” - o bipedismo, com a libertação da mão,
permitiu que ocorresse uma série de mudanças anatómicas e fisiológicas, entre as quais
se conta a mudança de posição do crânio (que permitiu uma evolução equilibrada do
cérebro, uma vez que o seu centro de gravidade permitiu que crescesse em todas as
direcções). Estas transformações levam também a modificações da laringe, responsáveis
pelo desenvolvimento da fala;
f) A libertação da mão, para além de ter possibilitado um grande desenvolvimento do
cérebro – à medida que a mão se tornava capaz de executar novas actividades, mais
complexas e minuciosas, o cérebro foi aumentando o número de células e ligações
nervosas. Isto permitiu igualmente acabar com a simetria do funcionamento cerebral,
levando a uma especialização dos hemisférios cerebrais em ordens de tarefas
diferenciadas: o hemisfério esquerdo, responsável pelo raciocínio lógico e abstracto, o
hemisfério esquerdo, responsável pelas tomadas de decisão centradas nas emoções
(inteligência emocional).

Texto 3
“O que o Sapiens sapiens perdera em força e adaptação à natureza, ganhou em flexibilidade. O
que perdeu em defesa e agressão espontâneas, ganhou na capacidade de fazer equipa com os
seus congéneres. Os problemas respiratórios derivavam de uma postura anormal da laringe e do
controlo voluntário da respiração - como da musculatura somática -, o que lhe permitiu manipular
os sons que produzia e utilizá-los na comunicação, até conseguir falar e pensar. A precocidade
do nascimento permitiu que o seu comportamento futuro ficasse mais ao sabor da aprendizagem
e da relação com os seus próximos do que dos instintos. Em suma, o novo ser estava mais
talhado para a comunicação e dela fez a sua vantagem.”|Doc.04.

1. Comente o texto 3.

Tópicos para orientação da resposta:

A. Ao longo da evolução, o homo sapiens perdeu:


a) em força (deixou de ter grandes músculos, o seu peso e estatura não lhe permitem
competir com os grandes predadores e os animais mais ágeis);
b) deixou de estar biologicamente muito bem adaptado ao meio, ou seja, o ser
humano não nasce com adaptações naturais (ele tem que se adaptar culturalmente ao
meio – daí a importância da socialização);
c) perdeu meios de defesa naturais, armas naturais, como garras, membros muito
possantes, dentes afiados e maxilares muito robustos, etc.;

B. Ao longo da evolução, o homo sapiens ganhou:


a) flexibilidade adaptativa – deixou de estar preso a um conjunto rígido de
capacidades e formas de adaptação. O que lhe permite adaptar-se a mudanças drásticas
no meio em que vive, bem como permite que se adapte a todos os habitats - existentes
na Terra (e até criando habitats artificiais onde a vida humana seria insustentável - no
Espaço (por exemplo, fabricando naves espaciais e estações orbitais); no fundo dos
oceanos; na Antárctida, etc.;
b) passou a depender da coesão grupal e da interacção com outros membros da sua
espécie para poder defender-se de agressões externas;
c) ganhou a capacidade de controlar a respiração de forma voluntária, o que lhe
permitiu o desenvolvimento da fala que constitui o maior avanço evolutivo da espécie, a
par do desenvolvimento cerebral;
d) desenvolveu um cérebro capaz de se recriar constantemente, alterando a sua
configuração e permitindo aprendizagens contínuas ao longo de toda a vida dos
indivíduos, o que permitiu que o ser humano se tornasse num ser cultural.

Imagens recolhidas através do Google.

Este documento só será distribuído em formato digital.