You are on page 1of 3

Campus Universitário

Cx. Postal 6001 CEP 86.051-970 Londrina Paraná Brasil

Centro de Letras e Ciências Humanas Departamento de História DISCIPLINA CÓDIGO NOME 2his115 ESPAÇOS, TERRITÓRIOS E PATRIMÔNIO DOCENTE Richard Gonçalves André CURSO História e Patrimônio CARGA HORÁRIA ANUAL SEM/OFERTA T P TOTAL 1º Sem. 45 45 X SEMESTRAL 2º Sem.

ANO LETIVO 2013

SÉRIE Especialização HABILITAÇÃO Especialização

EMENTA A compreensão dos espaços e territórios como elementos integrantes do patrimônio cultural.

OBJETIVOS A disciplina tem por objetivo desenvolver discussões em torno dos espaços e territórios, compreendidos em suas dimensões natural, rural e urbana, como elementos que podem integrar o patrimônio cultural de determinadas sociedades. Compreende-se o conceito de patrimônio em sentido lato, perpassando fenômenos culturais materiais e imateriais que constituem potenciais identidades sociais.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. O conceito de patrimônio cultural: discussões, problematizações e implicações; 2. A espacialidade como dimensão do patrimônio cultural; 3. O espaço como construção social, material e simbolicamente; 4. As transformações espaciais na sociedade brasileira; 5. As práticas predatórias e o meio ambiente brasileiro; 6. O espaço urbano; 7. Estratégias e políticas de preservação do patrimônio espacial.

n. A. A alegoria do patrimônio. FUNARI. 1991. Natureza. Habitus. et. 121-134. Projeto História. nação. 4. 2001. (orgs. Gilmar. sertão. Elaboração de um trabalho escrito de caráter individual. 2000. v. 15. Gestão do patrimônio cultural integrado. 2000. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. BOURDIEU. A história ambiental: temas. n. serão avaliados aspectos como coesão e coerência textual. Pernambuco: CECIUFPE. serão realizadas aulas expositivas abertas às diferentes formas de interação com o público. ed. _________. Patrimônio histórico e cultural. al. Estudos históricos. 2005. Françoise. O poder simbólico . . 18. ARRUDA. A ferro e fogo: a história e a devastação da Mata Atlântica brasileira./jun. Elaboração de um trabalho escrito em grupos de aproximadamente três pessoas no qual os alunos deverão selecionar. maio 1999. 1. tendo como base a leitura e discussão de textos pertinentes à temática. utilização das reflexões desenvolvidas na disciplina e pertinência da argumentação. Errante no campo da razão: o inédito na História: contribuição para um estudo de História e Ecologia. 2002. problematizar e analisar qualquer processo de patrimonialização espacial realizado em alguma cidade. Pedro Paulo. Warren. AVALIAÇÕES E CRITÉRIOS 1. Ao longo das aulas. BIBLIOGRAFIA BÁSICA ALMEIDA. Rio de Janeiro. José Augusto. 1996. Jozimar Paes de. p. no qual o aluno deverá analisar o processo de transformação do espaço londrinense e as políticas patrimoniais relacionadas. ed. Os critérios de avaliação serão a coesão e coerência textual. 2. principalmente a projeção de slides. jan. 8. 8. Pierre. 1995. Goiânia. Antonio Augusto. _________. São Paulo. DEAN. PELEGRINI. ARANTES. AMADO.). fronteiras e territórios. fontes e linhas de pesquisa. O patrimônio cultural e seus usos: a dimensão urbana. Londrina: Editora da UEL. Cidades e sertões: entre a história e a memória. 2009. serão utilizados os recursos didáticos disponíveis.METODOLOGIA Para o desenvolvimento da disciplina. 1996. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor. 2. v. 425-435. DRUMMOND. Estudos históricos. CHOAY. 2006. (org. 4. a utilização das reflexões desenvolvidas na disciplina e a pertinência da argumentação. n.). Londrina: EDUEL. p. Janaína. Sandra C. Região. v. J. n. São Paulo: Companhia das Letras. Bauru: EDUSC. Repensando os aspectos sociais da sustentabilidade: a conservação integrada do patrimônio ambiental urbano. São Paulo: EDUNESP. JOKILEHTO. 3. Como critérios. Rio de Janeiro.

In: BITTENCOURT. PAES-LUCHIARI. 51. Sandra C. Simon. . Paisagem e memória. 26. 51.LE GOFF. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor. 2006. Transformações da terra: para uma história agroecológica. O saber histórico na sala de aula . PELEGRINI. cidadania e identidade cultural: o direito à memória.). São Paulo. Cultura e natureza: os desafios das práticas preservacionistas na esfera do patrimônio cultural e ambiental. Ambiente e sociedade. ZANIRATO. p. Patrimônio. 2002. Silvia Helena. Patrimônio cultural: a percepção da natureza como um bem não renovável. José Augusto. A. SCHAMA. ______________________________ Richard Gonçalves André ________________________________ Aprovado pelo Departamento/Colegiado Londrina. v. Maria Tereza D. 2007. SERRANO. RIBEIRO. 1989. São Paulo: Companhia das Letras. 26. São Paulo. Raymond. São Paulo: Companhia das Letras. Um sopro de destruição: pensamento político e crítica ambiental no Brasil escravista (1786-1888). BRUHNS. O campo e a cidade na história e na literatura. 1997. 1996. 251-262. Jacques. 5 e 6. 1998. v. n. Célia (orgs. THOMAS. 115140. Campinas: Papirus. São Paulo: Contexto. Keith. março de 2013. 2003. WILLIAMS. Patrimônio histórico. n. PÁDUA.). Heloisa Turini. Wagner Costa. natureza e cultura. n. Revista brasileira de História. Circe (org. São Paulo: Companhia das Letras.. Revista brasileira de História. p. O homem e o mundo natural: mudanças de atitude em relação às plantas e aos animais (1500-1800). Donald. WORSTER. 2006.