You are on page 1of 14

Processo Saúde-Doença

:

EPIDEMIOLOGIA
Ciência que estuda o processo saúde-doença na sociedade, analisando a distribuição populacional e os fatores determinantes do risco de doenças, agravos e eventos associados à saúde, propondo medidas específicas de prevenção, controle ou erradicação de enfermidades, danos ou problemas de saúde e de proteção, promoção ou recuperação as saúde individual e coletiva, produzindo informação e conhecimento para apoiar a tomada de decisão no planejamento, na administração e na avaliação de sistemas, programas, serviços e ações de saúde.

Determinantes e Condicionantes

TEREZA

ANGÉLICA LOPES DE ASSIS

Processo Saúde e Doença

Conceitos

 

1- O que significa ter saúde? O que contribui para que as pessoas tenham saúde? 2- O que significa estar doente? O que faz com que as pessoas adoeçam? 3- Como os profissionais de saúde interferem no processo saúde – doença?

Prática clínica

“Ausência de doença” “Doença: Falta ou pertubação da saúde”


OMS (1948)

“Saúde é um completo estado de bem estar físico, mental e social.”


Aurélio

“Saúde é o estado do indivíduo cujas funções orgânicas, físicas e mentais se acham em situação normal.”

Como percebemos Saúde?
 Saúde  Saúde

CONCEITO DE SAÚDE E DE DOENÇA

como ausência de doença como tratamento e recuperação  Saúde como prevenção da doença  Saúde como promoção da vida  Saúde como direito de cidadania

BINÔMIO SAÚDE-DOENÇA:  Tempos remotos – magia ou a feitiçaria p/explicar os fenômenos do universo pajé, feiticeiro.

1

de uma asma não menos teimosa e de uma lesão de coração: era um hospital concentrado. ambiente.CONCEITO .OMS . que padecia de um reumatismo teimoso. – a saúde resultava do equilíbrio existente entre o corpo.1947 . Teoria dos Miasmas: “maus ares” René Descartes – filósofo do séc. chupado e amarelado.saúde é um completo estado de bem estar físico. estilo de vida. o Viegas. CONCEITO . mental e social.SAÚDE / DOENÇA  Séc.SAÚDE / DOENÇA  – 400 a. “A segunda pessoa era um parente de Virgília.” Machado de Assis (1881) Mémorias Póstumas de Brás Cubas Promoção da Saúde e Prática Médica     Conceitos de Doença     Conceitos de Doença Conceitos de Saúde Limites da Medicina da Doença Possibilidades da Medicina da Saúde Teoria da Promoção da Saúde Promoção da Saúde e Prática Médica    Síndrome clínica Teorias da Doença: germe. XX . Foi considerado amplo demais.SAÚDE / DOENÇA  Hipócrates CONCEITO . não meramente a ausência de doença. um cangalho de setenta invernos. gene Fisiopatologia Conceito de Risco Abordagem socioantropológica 2 . a mente e o meio ambiente. Os olhos porém luziam de muita vida e saúde.C. XVII Teoria mecanicista do universo mente e corpo absolutamente separados e distintos – visão fragmentada da realidade – não leva em conta funcionamento global ou integral do corpo humano. e pouco concreto.

individualismo Reificação e Tecnologia Conceito Biomédico de doença 1.MODELO BIOMÉDICO  “desajuste ou falha no mecanismo de adaptação do organismo ou uma ausência de reação aos estímulos a cuja reação está exposto(.. O conceito se aplica indiferentemente a organismo de todas as espécies.) processo que conduz a uma pertubação da estrutura ou da função de um órgão. 2-MODELO PROCESSUAL DE SAÚDE-DOENÇA Denominado Modelo de História Natural das Doenças.1982)     Modelo teórico que considera doença como resultado da agressão de um agente etiológico a um organismo.MODELO SISTÊMICO. de um sistema ou de todo o organismo oude suas funções vitais”(Jénick & Cléroux...Limites da MBD (Medicina Baseada na Doença)   Modelos explicativos 1. Aborda duas perspectivas: a Patologia e a Clínica Médica Conceitos de Saúde       Possibilidades da MBS (Medicina Baseada na Saúde)     Saúde como ausência de doença Função e desempenho Equilíbrio (homeostase) Valor/bem Teoria dos graus de saúde Teoria dos níveis de saúde Níveis de Saúde Sensibilidade às diferenças Abordagem dos coletivos (Saúde da Família) Modelos de intervenção:     Prevenção de doenças. Modelos explicativos Modelos de intervenção:     Correção de defeitos Supressão de agentes Compensação de carências Controle de desequilíbrios   Fragmentação do Sujeito. 3. riscos e agravos Recuperação da saúde Proteção da saúde Promoção da saúde 3 . Eficaz para explicação de doenças infecciosas e parasitárias.MODELO BIOMÉDICO.

“Pai” da Patologia Moderna e da Medicina Social. (Wikipedia). descanso. técnicas de análise espacial Criação de uma agenda local e avaliação         1947 OMS Saúde – bem estar físico. antropólogo e político envolvido em preocupações sociais como saneamento básico. Cria o termo promoção da saúde como uma das tarefas da Medicina. lazer. educação. mental e social 1960 Reforma Sanitária movimento social por saúde 1974 Relatório de Lalonde – Promoção da saúde 1978 Alma-Ata – ações básicas de saúde 1986 VIII Conferência Nacional de Saúde 1986 I Conferência Internacional Promoção da Saúde 1988 Constituição Brasileira – Sistema Único de Saúde 2006 Política Nacional de Promoção da Saúde O que é Promoção da Saúde? Promoção da Saúde . mapa de risco da violência ( trânsito e homicídios) Microlocalização.Promoção da Saúde e Prática Médica Teoria da Promoção da Saúde      Práticas de saúde individuais: hábitos e estilos de vida Práticas de saúde micro sociais: famílias. grupos sociais e profissionais Intervenções ambientais Intervenções estratégicas (OMS 1986)   MBS – Uma nova prática médica Prática médica como recuperação da saúde Prática médica como proteção da saúde   Direta – menor N de doentes Indireta – monitoramento e vigilância   Prática médica como “advocacy” Prática médica como fomentadora de uma cultura da saúde e qualidade de vida Afinal o que é Saúde? EXPERIÊNCIAS INOVADORAS  Marcos Conceituais de Saúde   Estudos ecológicos sobre desigualdade em saúde: distribuição da mortalidade infantil. Henry Sigerist (1946): francês. Movimento da Medicina Social e História da Medicina... XIX) – polonês que viveu entre 1821 a 1902. 4 . 1974): relatório enfatiza fatores particulares da Promoção da Saúde: estratégia governamental visando mudanças nos estilos de vida – campo da saúde. população vulnerável.Origens Rudolf Virchow (séc. melhoramento de técnicas de inspeção de carne e higiene escolar(Wikipedia). Jean-Marc LalondeMinistro da Saúde do Canadá (Otawa. arquitetura de construção hospitalar. relacionando trabalho. cultura física.

meio ambiente. 1986) Saúde tem como determinantes diversos fatores como alimentação. Promoção da Saúde “O processo de capacitação da comunidade para atuar na melhoria da sua qualidade de vida e saúde .Conferência Internacional sobre CUIDADOS PRIMÁRIOS DE SAÚDE em Alma-Ata . lazer e o acesso aos bens e serviços essenciais e de direito (VIII Conferencia Nacional de Saúde. Saúde para Todos no Ano 2. Assembléia Mundial de Saúde Oito elementos essenciais para alcançar saúde para todos:  educação dos problemas de saúde prevalentes. Otawa. Informe Lalonde (1974) – Modelo do “Campo da Saúde”: Saúde determinada por um conjunto de fatores     Biologia humana Ambiente Estilo de vida Organização da Atenção à Saúde. Marco inicial . renda. Entretanto.  abastecimento de água e saneamento básico apropriados. I-A conquista do mais alto grau de saúde exige a intervenção de muitos outros setores sociais e econômicos além do setor saúde. incluindo o planejamento familiar.  atenção materno-infantil. prevenção e controle. mental e social.  tratamento apropriado das doenças comuns e dos acidentes.PROMOÇÃO DA SAÚDE “Até agora. ineqüidades e crise de credibilidade.  imunizações contra as principais doenças infecciosas. ineficiência. saneamento básico. incluindo uma maior participação no controle deste processo”. concentraram-se na assistência médica. II-A promoção e proteção da saúde da população é indispensável para o desenvolvimento econômico e social sustentado e contribui para melhorar a qualidade de vida e alcançar a paz mundial.  promoção do suprimento de alimentos e nutrição adequada. medicalização. 1986 . satisfazer necessidades e modificar favoravelmente o meio ambiente. “A Promoção da Saúde é o nome dado ao processo de capacitação da comunidade para atuar na melhoria de sua qualidade de vida e saúde. transporte.medidas p/ promover a saúde de todos os povos do mundo.CONCEITO SAÚDE / DOENÇA Década de 70 Crise dos sistemas de saúde: Ineficácia.  prevenção e controle de doenças endêmicas. Para atingir um estado de completo bem-estarfísico. 1986)  Implementação de políticas públicas saudáveis  Criação de ambientes saudáveis  Reforço da ação comunitária  Desenvolvimento de habilidades pessoais  Reorientação do sistema de saúde 5 . educação.000(1977 ) – 30a. desenvolvimento tecnológico e explosão de custos e gastos. mais globalizantes. quase todos os esforços da sociedade canadense destinado a melhorar a saúde. Canadá. assim como os gastos setoriais diretos. as causas principais de adoecimento e morte têm origem nos outros três componentes do conceito” (A New Perspective on the Health of Canadians).  distribuição de medicamentos básicos CONCEITO SAÚDE / DOENÇA  1978 . incluindo uma maior participação no controle deste processo” (Carta de Otawa. moradia. articulando saúde e qualidade de vida. tanto os indivíduos e grupos devem saber identificar aspirações. face à transição demográficoepidemiológica: envelhecimento e mudança nos padrões nosológicos. Novas concepções do processo saúde-doençacuidado.1ª Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde.

Ênfase: ações voltadas para o coletivo de indivíduos e ambiente (físico. e psicobiológica (individual).080 (art. o saneamento básico. proteção e recuperação”. político. a renda.CONSTITUIÇÃO FEDERAL -1988 LEI ORGÂNICA DA SAÚDE-1990 SUS-8. 6 . dinâmico  a enfermidade é um desequilíbrio das forças do organismo com o meio. atividade física. Lei 8. a alimentação.  Saúde como produto de amplo espectro de fatores relacionados a qualidade de vida.080 E 8142  Concepções de Saúde Saúde como produto de comportamentos de indivíduos e famílias (estilos de vida. feijoada. cultural) Esse tipo de promoção da saúde .churrasco Faça atividade física (não seja sedentário. SER HUMANO BIOPSICOSOCIAL O BINÔMIO SAÚDE-DOENÇA: Não são fenômenos apenas físicos (bom ou mau funcionamento de um órgão). os níveis de saúde da população expressam a organização social e econômica do país (par. a educação.mexa-se) Salte do ônibus dois ponto antes de sua casa Só tome sol antes das 10 e depois das 16 horas Use protetor solar Transe só com camisinha – ou não transe! Conceito saúde/ doença Visão HOLÍSTICA da saúde .2º): “A saúde tem como fatores determinantes e condicionantes. normativo não muda e nem transforma sujeitos e realidade Não fume Não beba Não use drogas Coma frutas. entre outros.3 fatores interdependentes entre si: o individual. o lazer e o acesso a bens e serviços sociais. 3º). hábito de fumar). o social e o ecológico. econômico.   Art. sociocultural (coletiva). 196: “A saúde é um direito de todos e dever do Estado. verduras e legumes.manteiga de garrafa. ao menos 5 x ao dia Evite acarajé. dieta. o trabalho. o transporte. Ênfase: programas educativos relacionados a riscos comportamentais passíveis de mudança. PAIM (1992): conceitos básicos de doença = ontológico  o agente mórbido invade o organismo e provoca a doença. social. o meio ambiente. possuem também uma dimensão psicológica (vivências e emoções). garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doenças e outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção.

para o enfrentamento e resolução de problemas de saúde e seus determinantes (Buss. educação.Conceito de Saúde – Mais abrangente  Conceitos de Doença / Qualidade de vida  Saúde é a resultante das condições de alimentação. as quais podem gerar profundas desigualdades no níveis de saúde. Conferência Nacional de Saúde A doença é um sinal da alteração do equilíbrio homem-ambiente. produzida pelas transformações produtivas. A qualidade de vida resulta da adequação das condições sócio-ambientais às exigências humanas.  Bases conceituais  PROCESSO SAÚDE E DOENÇA SISTEMAS INTERNOS COMPLEXOS Promoção e prevenção   Promover melhoria das condições/estilos de vida (medidas inespecíficas) Prevenir exposição a riscos (atuais e potenciais) PSICOLÓGICO MATURIDADE E ENVELHECIMENTO BIOLOGIA HUMANA HERANÇA GENÉTICA RECUPERAÇÃO SOCIAL  Campo da saúde  AMBIENTE Fatores ligados à biologia humana. renda.baseada no conhecimento da história natural da doença para tornar seu progresso improvável. Articulação de saberes técnicos e populares e a mobilização de recursos institucionais e comunitários. demográficas e culturais. meio ambiente. Implica no conhecimento epidemiológico para o controle e. chegar antes de. territoriais. gerar. Ação antecipada.. Projetos de prevenção e educação baseiam-se na informação científica e recomendações normativas. ambiente. 8a. 2000).. Refere-se a medidas que não se dirigem a doenças específicas. mas que visam aumentar a saúde e o bem estar. acesso a serviços de saúde.. estatisticamente relevante e precocemente calculável.. 2003) Prevenir: • Preparar. originar. resultado de formas de organização social de produção. • • • 7 . fomentar. transporte. acesso e posse da terra. redução do risco de doenças. públicos e privados. liberdade. Implica no fortalecimento da capacidade individual e coletiva para lidar com a multiplicidade de dos condicionantes da saúde. estilos de vida e acesso às ações e serviços de saúde Momentos de reprodução biológica. ecológica. econômica e sociocultural (comportamentos e condutas) Campo da saúde Fatores explicativos Processo saúde-doença SISTEMA DE ORGANIZAÇÃO DOS SERVIÇOS PREVENTIVO CURATIVO FÍSICO  Determinação social  PARTICIPAÇÃO NO EMPREGO E RISCOS OCUPACIONAIS ESTILO DE VIDA (RISCOS AUTOCRIADOS) RISCOS DA ATIVIDADE DE LAZER PADRÔES DE CONSUMO PROMOÇÃO DA SAÚDE Definição • Promoção x Prevenção (Czeresnia. impedir que se realize. trabalho. Promover: • • Impulsionar. emprego.. lazer.

8 . invalidez. “Causa Suficiente”: conjunto de fatores que contribuem diretamente para a ocorrência da doença. “Fator de Risco”? (1)  Cadeia de eventos Rede de causas Múltiplas causas – múltiplos efeitos Tríade ecológica: agente. desde as primeiras forças que criam o estímulo processo patológico no meio ambiente. do suscetível e do meio ambiente que afetam o processo global e seu desenvolvimento. passando pela resposta do homem ao estímulo. hospedeiro e meio ambiente Dupla ecológica: hospedeiro e meio ambiente  Modelos ecológicos     Abordagem sistêmica da saúde Etiologia social da doença    Vertente centrada no componente sócio-político (estrutura social) Vertente centrada na influência dos fatores comportamentais (indivíduo) “Causa Necessária”: Fator que participa como parte de todas as causas suficientes para a ocorrência da doença. “Determinante”. incluindo a dimensão biológica e individual. ou em qualquer outro lugar. até as alterações que levam a um defeito.História natural da doença “as inter-relações do agente.HISTÓRIA NATURAL DE UMA DOENÇA NO HOMEM 2. recuperação ou morte” (Leavell & Clark. 1976) •Período Pré-patogênico (epidemiológico) Interação susceptível – ambiente •Período Patogênico Pré-condições internas Ambiente Saúde ótima Saúde sub-ótima Doença ou incapacidade declarada Próximo da morte Interação Horizonte clínico Morte Produção de estímulos Etapa Sub-clínica Período pré-patogênese Período de patogênese ATENCÃO INTEGRAL DE SAÚDE Racionalidades  Ciências médicas X Ciência Epidemiológica Objeto singular: a doença no indivíduo Qual o estágio da doença? Quais os órgão afetados? Objeto singular: a doença na população Que segmentos desta população são acometidos? Em que circunstâncias ou época? Como se distribui a doença espacialmente? O enfoque epidemiológico do problema envolve todo o processo saúde-doença. “Causas”. diagnosticada e tratada pela medicina. MODELOS PARA REPRESENTAR FATORES ETIOLÓGICOS EM EPIDEMIOLOGIA  Modelo Biomédico    “Causa”.

O fator de risco representa uma probabilidade maior de ser atingido por determinada afecção ou dano.  Intersociais: agressões ao meio ambiente.8) Asbestose (J60.-) “Causa”.  Ambiente biológico: determinantes biológicos.-) Neoplasia Maligna dos Brônquios e do Pulmão (C34. tida como geradora de agravos à saúde.  Anatomia e fisiologia do organismo humano. “Fator de Risco”? (3)  “Fator de Risco”: “Um aspecto do comportamento pessoal ou do estilo de vida.1). traduzidos em morbidade e mortalidade.  Ambiente físico: determinantes físico-químicos.  Estilo de vida. são inerentes ao organismo e estabelecem a receptividade do indivíduo.  Ambiente social: determinantes sócio-culturais. estarem associados com condições importantes de se prevenir para proteger a saúde.” (Luís Rey. 1999) “Causa”. Categorias gerais desses determinantes:   Herança Genética Anatomia Fisiologia Comportamentais   HOMEM  Organizacionais  Psicossociais  Relacionados à personalidade do indivíduo. do Pericárdio (C45. “Causas”. do Peritônio (C45. intercâmbio social e conflitos. produção e desenvolvimento (apropriação dos recursos sociais). Dicionário de Termos Técnicos de Medicina e Saúde. 1999)  DUPLA ECOLÓGICA: HOSPEDEIRO x MEIO AMBIENTE Ambiente Físico  FATORES DETERMINANTES SOCIAIS A aquisição de conhecimentos sobre os determinantes sociais parte do estudo da desigualdade social. característica ou outra entidade definível que causa mudança nas condições de saúde ou em outro processo definido” (Luís Rey. no quadro geral da ecologia da doença.  “Determinante”: “Em Epidemiologia.  Herança genética.-) Placas Pleurais (J92. Estruturais  Ocupação  Família  Nível socioeconômico Evolutivos  Relacionados ao Desenvolvimento  Intrasociais: convivência (mobilidade social). diz-se de qualquer fator. migrações populacionais.-) Neoplasia Maligna da Laringe (C32. “Causas”. “Determinante”. e competição. Ambiente Biológico Estilo de Vida Ambiente Social  Interação complexa com o ambiente 9 .Uma “Causa”. “Fator de Risco”?  FATORES DETERMINANTES DA DOENÇA Endógenos: Fatores determinantes que. tendo como base a evidência epidemiológica. ou uma característica própria ou herdada do indivíduo que se sabe. étnicos (relacionados à cultura). Vários “Efeitos”: Asbesto (Amianto) – Lista A Neoplasia Maligna do Estômago (C16. Hábitos e estilos de vida: sexualidade. acontecimento. adquiridos. da exposição ao meio ambiente. “Determinante”.-) Derrame Pleural (J90.0). Dicionário de Termos Técnicos de Medicina e Saúde.-) Mesotelioma da Pleura (C45.2) Placas Epicárdicas ou Pericárdicas (I34. Exógenos: Fatores determinantes que dizem respeito ao ambiente.

reproduz a vida.1996) . individuais e coletivos. que constroem suas identidades nos territórios.. 2006)  Iniqüidades: as desigualdades na saúde evitáveis. A epidemiologia mostra que os fatores de riscos para as maiores cargas de doença hoje no mundo estão articuladas à lógica do consumo e a indicadores de desenvolvimento.). a sociedade se estrutura.Desigualdades e Iniqüidades na Vida  Epidemia moderna: as mortes violentas Desigualdades: diferenças sistemáticas na situação de saúde de grupos populacionais (Jairnilson.1-6 6. injustas e desnecessárias (Whitehead) Determinantes sociais de saúde são as condições sociais em que as pessoas vivem e trabalham ou "as características sociais dentro das quais a vida transcorre” (Tarlov. 1982-2003 25% 20% 15% 10% 5% 0% <1 1..e a vida transcorre num mundo de múltiplas relações: das sujeitos. Pelotas. Nesses. • (WHO.1-3 3.1-10 >10 % adolescentes Renda familiar em salários mínimos Fonte: Coorte de 1982 (Pelotas) Consumo e Mídia • Determinantes sociais de saúde São as condições sociais em que as pessoas vivem e trabalham ou "as características sociais dentro das quais a vida transcorre” (Tarlov. organiza a cultura e vive a história. 10 .1996)  Saneamento básico: quem não tem água Percentuais de mulheres que engravidaram na adolescência. 2002.

políticas. estimulando o exercício de poder local. na perspectiva de construção coletiva com participação de todos os atores. a autonomia e os direitos de cidadania Determinantes da Saúde Inter setorialidade Participa ção social Distais Intermedi ários Proximais Intervenções sobre os DSS baseadas em evidências e promotoras da eqüidade em saúde (Dahlgren et Whitehead.Determinantes Sociais e Promoção da Saúde Os determinantes sociais podem ter um efeito na saúde positivo (fomento. doenças e agravos) Substituição da abordagem comportamental por abordagem ampla dos problemas de saúde: ação sobre determinantes. controle e de erradicação Fornece indicadores para a gestão dos serviços de saúde 11 .    Estratégias combinadas: individuais. danos e eventos) Propõe medidas de prevenção. 1992). capacidade dos indivíduos e de comunidades. Adaptado por Paulo Buss PROCESSO SAÚDE E DOENÇA PROCESSO:  MEDIAÇÃO DO ESTADO DE SAÚDE  ESTADO DE DOENÇA  Trata-se de um processo social específico  A interação entre saúde e doença é socialmente determinada  O adoecimento é um processo biológico que desenvolve-se de maneira particular a cada grupo social   PROCESSO SAÚDE-DOENÇA E A EPIDEMIOLOGIA     Estuda a distribuição da morbidade e da mortalidade Identifica o perfil de saúde-doença nas coletividades Analisa a distribuição e os fatores determinantes (Enfermidades. promo ção da saúde e da qualidade de vida) ou negativo (riscos. políticas públicas. ambientais. caráter coletivo.

Fatores Universais Intervenientes no Processo Saúde/Doença “A saúde e a doença dependem das condições socioeconômicas. etc) Hábitos. Vícios. ainda que não somente delas. etc. Lazer. salário. os desejos. Ação Protagonista dos Serviços de Saúde Saúde/Doença (2)  O serviço de saúde precisa reconhecer seu papel como integrante do território da comunidade e priorizar a construção de programas e a produção da saúde valorizando o saber popular. “Universalidade” e “Integralidade” Promoção da Saúde (ou à Saúde): “estilo de vida”. demandas e necessidades dessa comunidade Primeiros registros: a visão do poeta romano Lucrécio (98-55 aC):  “Não viste nem ouviste como morrem em tão pouco tempo.4 Serviços de Saúde 12 10 12 14 7 0 3 3 18 6 10 Medicina Social: centralidade no conceito de “classe social” Saúde Coletiva priorização do conceito de “coletivo”. Recreação. Abuso de Drogas ESTILO DE VIDA Outros: Alimentação. quando ainda tinham tanto vida pela frente?”  Morte prematura  “anos potenciais de vida perdidos” (APVP) 12 . Exercício. “ação intersetorial DETERMINANTES DO ESTADO DE SAÚDE Caracteres Raciais e Antropológicos Caracteres Genéticos e Hereditários BIOLOGIA Sexo e Idade Prevenção e Promoção Físico Biológico AMBIENTE ESTADO DE SAÚDE SERVIÇOS DE SAÚDE Reabilitação Tratamento Sócio-Econômico (ocupação.  Contribuição estimada de quatro fatores nas 10 principais causas de morte de pessoas com menos de 75 anos FATORES CAUSAS DE MORTE Doenças do Coração Câncer Acidentes com veículos a motor Outros acidentes Acidentes vasculares cerebrais Homicídios Suicídio Cirrose hepática Gripe / Pneumonia Diabetes Todas as 10 causas juntas Estilo de Vida 54 37 69 51 50 63 60 70 23 34 50.1 25 29 1 4 21 2 2 18 39 60 19.5 Ambiente Biologia 9 24 18 31 22 35 35 9 20 0 20.

sentimentos que são expressões legítimas de insatisfações tendo como conseqüência o uso de drogas. Disponível em: http://portalweb05. científicos e do conhecimento/informação. ar. floresta.2006 Numa dimensão individual.54 55 . etc. 70 60 50 40 % 30 20 10 0 18 . em diferentes sociedades. Estilos de vida: formas de viver constituídas nas sociedades modernas caracterizada por vida sendentária e estressante.24 25 -34 35 -44 Faixa etária (anos) 45 . socialmente definida em função da dinâmica de padrões culturais. possa criar condições para a tomada de consciência das situações de saúde das comunidades envolvidas e possibilitar a construção de estratégias de enfrentamento de seus problemas. num dado momento. BRASIL . políticos. confrontado com o saber popular. terra. poluição dos ambientes.PREVALÊNCIA DE HIPERTENSÃO ARTERIAL POR FAIXA ETÁRIA. Ministério da Saúde.br/portal/arquivos/pdf/relatorio_vigitel_2006_cd. a noção do que é dano ou agravo à saúde é a resultante do complexo somatório das dimensões individuais.   13 . a noção do que é dano ou agravo à saúde é fortemente influenciada por valores culturais. a uma pessoa.água potável. ansiedades e depressão . carências alimentares e educacionais. de infra-estrutura adequada às necessidades humanas . variando também de acordo com o nível de sensibilidade e idiossincrasia de cada pessoa: o que é prejudicial. Mobilização comunitária: resgate e reforço de valores como a solidariedade e a ética.64 =65 BRASIL. As noções são diversas no correr do tempo e. Ademais.gov. os ambientes de trabalho são freqüentemente insalubres. econômicos. nos ambientes escolares há grandes e persistentes dificuldades de se conter a violência e o desrespeito às regras básicas da convivência social. A promoção da saúde pode contribuir capacitando as comunidades. o progresso vêm estimulando ataques permanentes ao meio ambiente: rios. lícitas ou não. Promover saúde é lidar com:  Promover saúde é lidar com:  Condições sócio-econômicas dos segmentos populacionais mais carentes.pdf. geradora de angústias. • enfrentar a pobreza e toda a desestruturação em seu entorno: falta de emprego. mangues. Vigitel Brasil 2006: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Modelo de Determinantes da Equipe de Eqüidade da Organização Mundial de Saúde Numa dimensão populacional. compartilhando saber técnico que. Acesso em: 29 mar 2007. destino adequado do lixo e esgoto . não necessariamente assim o é “sentido” por outra. nocivo.saude. Meio ambiente. mares.

Cadernos de Saúde Pública.Z. Guanabara Koogan. PEREIRA. 6º edição. Ed. M. M. Capítulo 2: Epidemiologia.C. ROUQUAYROL.Mobilização Social Transporte e Qualidade de Vida Humanização do Cuidado Iniciativas de Promoção da Saúde no Brasil AGITA BRASIL Referências bibliográficas    MINAYO M. G. 1995. 14 . Epidemiologia: teoria e prática. 4(4):363381. Rio de Janeiro. RJ. MEDSI. 2003.S. História Natural e Prevenção de Doenças. Capítulo 3: Saúde e Doença. Saúde – doença: uma concepção popular da etiologia. Epidemiologia e Saúde. 1988.