23

ESCOLA DE MINISTROS INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA MINISTRANTE: MARCELO VARGAS DA FONTOURA – BACHAREL EM TEOLOGIA E-MAIL: it.palav a!"vi!a#$%ail.&'%

ESCOLA DE MINISTROS - INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA - I.T.P.V. – ITA(NA -MG

)UE TIPO DE MINISTRO DEUS PROCURA* A motivação do ministério do homem e da mulher tem que ser o amor e nenhuma outra coisa mais! O Senhor move a nossa vida de forma a gerar o puro e verdadeiro amor. O amor precisa estar na direção de Deus! Ca a&t" +,ti&a, !' %i-i,t. i' /0" a$ a!a a D"0,. - Amor - Amarás o Senhor teu Deus te todo o vosso coração Podemos refletir o amor de Deus o amor na igreja no serviço e para isso é necess!rio ter amor e compai"ão. #"istem muitas pessoas que levam o ministério no piloto autom!tico. $ necess!rio ter amor e compai"ão pelas pessoas. %uando somos movidos pelo amor somos instrumentos de edificação e construção no reino de Deus! E1i,t"% p",,'a, /0" p "&i,a% ," a%a!a, . Acima de tudo ame a Deus os irmãos ame o seu chamado. Amar o chamado é valorizar o que Deus tem nos dado . &ão leve seu ministério de forma leviana ou 'anal. %uando assim fa(emos levamos a sério santidade de vida car!ter. %uantos m)sicos não levam a sério a santidade dos seus ministérios* Sa'e por que* Porque não h! amor nos seus ministérios. Tudo que tem amor prospera! O amor resgata e não dei"a ninguém perdido não dei"a ninguém desamparado. - O ministério tem que ser cheio do Esp rito ! E" #$%&' ( co )$%* Deus nos fa( deposit!rios do seu #sp+rito por uma ra(ão. O ministro de Deus deve ser cheio do amor e cheio do #sp+rito. Dei"e o #sp+rito Santo te ensinar. ,ma pessoa que é ensinada pelo #sp+rito Santo não age intempestivamente. - +ortalecimento do Esp rito Santo - O Esp rito "ortalece -odo ministério tudo que fa(emos deve ser feito na força do #sp+rito Santo. .oc/ pode ser forte nos dons e talentos mas o ministério e o poder do #sp+rito t/m que vir na frente. &ão a'revie a longevidade do seu ministério colocando outras coisas na frente d0#le. ,nção não é apenas rece'er uma unção de 1leo so're a ca'eça. A continuidade da unção depende de uma sintonia fina com a vontade de Deus. %uanto mais sintoni(amos o nosso coração com o coração de Deus crescemos na unção do Senhor. ,nção é quando encontramos o enfermo na hora dele ser curado. %uando voc/ tra( a palavra certa na hora certa para a vida de alguém. - Todo ministério deve viver e ,uscar separação para com Deus$ ( -ro #$.% Separação não é apenas servir a Deus em ministério integral. Separação é certe(a de destino. $ certe(a do chamado de Deus para a sua vida. ,ma verdadeira separação ministerial define seus sonhos. /A0rada-te do Senhor e ele
ESCOLA DE MINISTROS - INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA - I.T.P.V. – ITA(NA -MG

23

0.Disponi. Depois é confirmado pela fam+lia 2c3njuge filhos. Davi era um rapa( dispon+vel! #m o'edi/ncia ao pai foi levar pão e queijo para os irmãos.a '.INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA .ma ha'ilidade especial de fa(er algo B?4 Ea'ilidade do inventarA ESCOLA DE MINISTROS . &apa3". >?4 @argo ou of+cio de 5inistro 2@onselheiroA au"iliarA empregado4 B?4 Desempenho de um serviço C?4 #"erc+cio de um serviço religioso especial como o dos levitas sacerdotes profetas e ap1stolos Segundo V'&a..ma pessoa chamada para o ministério sa'e onde usar seu tempo.2' e algumas de suas definiç=es< >?4 Su'stantivo femininoA tend/ncia B?4 DisposiçãoA tend/ncia predominante numa pessoaA atitude caracter+stica C?4 DnclinaçãoA modo de pensar em relação a algo -erceiro D'% e algumas de suas definiç=es< >?4 @apacidade que o #sp+rito Santo concede aos servos de Deus para uso em favor dos outros B?4 Presente C?4 Oferta # por )ltimo Tal"-t' e algumas de suas definiç=es< >?4 .olias ele era pau para toda o'ra. %" a/0i S"-6' 75 MINIST8RIO4 VOCA9:O4 DOM E TALENTO COMO IDENTIFICAR* Primeiro Mi-i. -2' 0.. 8s ve(es voc/ tem um chamado para um outro pa+s e voc/ est! estagnado no local errado.I.Se1a eternamente dispon vel a Deus! Deus sempre quer nos usar. # para colhermos os frutos precisamos tam'ém ser su'missos 9queles que Deus colocou so're n1s. i' e algumas de suas definiç=es. %uando Saul estava pertur'ado tocou harpa para ele.4 e depois acontece a preparação. 8s ve(es o tempo de preparação é no deserto.a '. D"0. Deus tirou Davi por de tr!s das malhadas porque ele era dispon+vel para servir. %ai.satis"ará o dese1o do seu coração$2 &ão minimi(e o potencial de Deus na sua vida Deus tem coisas grandes para voc/.4 D"0.t. O chamado de uma pessoa é confirmado em primeiro lugar pelo #spirito Santo.. Depois da confirmação da preparação é o tempo de colher os frutos.T. Deus usa na sua o'ra os dispon+veis! Seja dispon+vel diga ao Senhor< 5Ei.P. – ITA(NA -MG 23 .p'-+v"i. -odo aquele que é chamado precisa se preparar. . . 5oisés foi preparado durante 67 anos e foi para o deserto. &o deserto de uma faculdade por e"emplo mas l! na frente Deus usar! aquele conhecimento para a sua gl1ria e louvor. Disp3s:se a lutar com o gigante .V. !i.ilidade .

?>@ I-t '!0. Ooão Q. Agora é 'om pontuar que eles tinham @risto como alvo mesmo que ainda não tivessem uma revelação total.2' Antes de pensarmos em &eemias seu car!ter suas estratégias de liderança precisamos pensar em conceitos. PR:PQ.B. #stas duas palestras são sim'i1ticas pois uma fala mais dos aspectos ligados ao car!ter de &eemias e a outra das estratégias. %uando penso em F+deres vejo os @Os de grandes empresas os pol+ticos administradores etc e se assim faço corro o perigo de achar que estes modelos são aquilo que o Senhor ideali(ou para n1s. #ntão pode:se concluir que todos n1s nascemos com um -AF#&-O e através desse talento desco'rimos a nossa . %ual a importNncia disto* Os conceitos definem em muito as atitudes. O que é liderança* %uais as refer/ncias na liderança* JSo're conceitos temos que o'servar que o pr1prio termo Jl+derK é emprestado do mundo secular : J O l+der J #m latim ducatus significa Jcondu(idoL ou condu(indo. >?.P M Dgualmente o atleta não é coroado se não lutar segundo as normas. O MINISTRO )UE DEUS USA O Mi-i.C?4 @riar no pensamentoA ser o primeiro a ter a ideia deA Pois 'em sa'endo isso podemos agora analisar as diferenças e"istentes entre si. %uando essa vocação é voltada para a o'ra de Deus rece'emos o DO5 de Deus que nos capacita para e"ercermos o 5D&DS-$IDO ao qual Deus tem nos chamado. &eemais no cap. @risto neles portanto é e deve ser nossa 'usca. &eemias e tantos outros são servos de @risto e s1 podem nos ensinar o que rece'eram Dele. O que estes homens descritos nas #scrituras falaram fi(eram e foram que reflete Oesus podem ser usados como refer/nciais para n1s nem tudo pois estavam em outro conte"to e".INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA . Se vejo ministros então sim tenho outros refer/ncias< Profetas patriarcas etc. #".M Ou seja os ESCOLA DE MINISTROS . #le através de sua onisci/ncia e onipot/ncia criou o homem com uma caracter+stica inigual!vel no aspecto da sua individualidade. &o conte"to '+'lico entende:se que Deus escolhe o homem para determinados fins. #stes eram chamados de ministros : MservosM : profetas ap1stolos e outros. #m'ora seu significado traga semelhança com ministério cristão não é um termo '+'lico quando em relação os homens que se ocupavam deste papel nas #scrituras. O Ap. – ITA(NA -MG 23 . 0.T.V. Paulo recomenda em DD -im. Assim quando imaginamos que para e"ecução de um determinado serviço é necess!rio a utili(ação de v!rios instrumentos podemos dedu(ir que para cada tipo de o'ra Deus se utili(a dessa individualidade do homem.O@AGHO.a.t ' < L+!" = /0" D"0.BP 2 ler4.>C. T"1t': N""%ia.P. #ntão podemos concluir que Oesus deve ser a refer/ncia maior. . @ar!ter e estratégia se misturam pois dependendo do c!rater do F+der:ministro assim serão suas estratégias. 5as mesmo neste afunilamento precisamos ainda usar outro crivo a régua medidora so're o modelo de liderança que é @risto como e"emplo m!"imo de liderança cristã.I.ejamos A'raão Oesus fala que o desejo dele era ver o Seu dia e viu e rego(ijou:se.

. P. Sinceridade no grego MeliSrineiaM lit. B.>T e outros Sincero diante até dos inimigos. cap. ?. >-A O 5inistro:l+der que Deus usa é compassivo sente a dor do pr1"imo. -emos muito o que aprender de seu car!ter em @risto. &ap.ti&a.t '-l+!" /0" D"0.T A. Cap.Q 2 ler4. Podemos ser l+deres sem esta caracter+stica tam'ém s1 olharmos os l+deres pol+ticos de nossa nação mas não podemos ser realmente uma 'enção nas mãos de Deus.T Sincero diante de seus superiores : cap.V. P na questão das injustiças sociais : cap. P. >:C Sincero diante dos liderados. &+veis desta sinceridade< Sincero diante de Deus : cap. < &a a&t" +. Mjulgado pela lu( do SolM transpar/ncia clare(a nos atos e palavras. 5c Q. . joão C. Aos poucos tenho aprendido a orar assim. &ap.B. A . >. Assim nestes dois estudos pode ser que idéias se misturem. B7 Sincero mesmo diante dos aparentemente MpoderososM. Fiderar o povo sem am!:lo é poss+vel mas não agrada a Deus porque Deus é em ess/ncia amor. O Ap.P. O %i-i. 0."$.2' a!i&al.a. @oloquei aqui esta caracter+stica para não coloc!:la em estratégia pois oração não é estratégia é vida de intimidade com Deus. R 2conte"to4. cap. -em coração como Oesus se move na compai"ão.emos em v!rios momentos este homem orando e aqui logo no in+cio esta oração radical. Vi!a !" ' a.T. P. P. Paulo fala so're sinceridade em > @or. Spurgeon definiu este tipo de oração comoM oração l+quidaM. B. C'%pai12'. >. >. B. 5inha e"peri/ncia em B77Q parte D. &eemias falava a verdade em sinceridade e confiava no Deus da verdade não tinha compromisso com o pai da mentira.CT.INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA . B. "% N""%ia.fins não justificam os meios e o que eu sou determina o que eu faço o que faço 9 partir do que eu sou determina o pr/mio ou aprovação de Deus. 5uitos l+deres hoje são e"+mios articulistas suas palavras vão além do sim Sim! não &ão! propostos por Oesus quando afirmou que o passar disto vem do mal+gno. A. &eemias era sens+vel ao sofrimento outro e"emplo vemos no cap. 5t. C'-ti-0a &' !"i ' %". 6 %uando &eemias era atacado orava não usou as mesmas armas dos seus advers!rios.I. &eemias não teve um sentimentalismo passageiro não! #le sentiu profundamente aquela terr+vel situação que seu povo estava vivendo. #studar &eemias é uma jornada desafiadora nele vemos o papel do restaurador de 'rechas o nome &eemias significa MrestauradorM é uma figura do #sp+rito Santo em n1s como instrumento de restauração de vidas na Dgreja. O ministro:l+der que Deus usa tem uma vida de oração radical. Si-&" '.%' "% %"i' a'. cap.>R.= >. – ITA(NA -MG 23 . %ual foi a )ltima ve( que oramos nesta intensidade por nossas fam+lias liderados ovelhas* Oesus nos dei"ou este e"emplo 'asta nos lem'rarmos das gotas de sangue. l'@'. A motivação volutiva de Oesus era compai"ão como é a de Deus. ESCOLA DE MINISTROS .

Os profetas tinham este papel povoavam as mentes e coraç=es do povo de Deus de imaginaç=es fant!sticas de Deus : !gua flores no deserto: eram instrumentos de Deus de mostrar ao povo o Deus dos imposs+veis. DD @or. Ou+(es T. &ap.ma e"peri/ncia pessoal frustrante4. Oesus falando aos T7 disc+pulos em 5t. >D4BE #le sa'e que a 'enção de Deus est! na unidade. Sl >CC. .nidade m+stica vertical : unidade com Deus em @risto pelo #sp+ritoA unidade corporativa em @risto somos um corpoA unidade de prop1sitos visão M para que o mundo creiaM Ooão >T. O lo'o parece mais forte mas a pom'a 2 #sp+rito Santo4 s1 desce so're o cordeiro aleluia! .Sa'ia que precisava fa(er a o'ra sem perder a doçura da sua nature(a em @risto.T.. I. . Precisamos como l+deres sermos promotores da unidade. 2 te"to4 5anter:se cordeiro em meio aos lo'os é um desafio para o ministro:lider liderar é um terreno arriscado muitos tornaram:se lo'os no meio de lo'os. &ap.>6U. @omo uma mente povoada de imaginaç=es fant!sticas o povo ganhava motivação para a jornada e para o tra'alho. P '%'t' !" 0-i!a!" . #m &eemias vemos isto unidade envolvimento do povo participação coletividade : perigo do individualismo em nossa herança cultural.odri um palestrante motivacional fa( uma analogia em outros conte"tos mas serve pra n1s aqui. . M'tiva!' p"l' E.?H Precisamos tra'alhar com homens e mulheres de confiança. C e 6. 5as sua motivação vinha de Deus da sua compai"ão da sua visão clara e do prop1sito do seu chamado.sa a figura do . Alia-.INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA . #ntendemos que a Aliança de vida é com Deus em @risto pelo sangue de Oesus mas uma aliança para a missão é poss+vel. 2. B>. 5as o pro'lema é de nature(a o lo'o é lo'o o cordeiro é cordeiro. &ap.m l+der como &eemias d! vontade de servir. Daniel . – ITA(NA -MG 23 . Precisamos dei"ar claro que unidade não é aus/ncia de de'ates e não pode ser as custas da verdade. Precisamos de lealdade entre os ministros para que o povo veja o 'om e"emplo em n1s. F. cap. A.nidade em todos os seu n+veis< . #ste era o papel profético em seu car!ter.V. Por todo o te"to sagrado aparecem certe(as como estas descritas < e". 2 comentar4.M p.Gv"l.I. &eemias sofreu todo o tipo de ataque na pr1"ima palestra vou descrever as estratégias do Dia'o mas não usou das mesmas armas< cal)nia escarneo intrigas etc. C. D. >7. >7. O melhor recurso para a motivação é a comunicação da Palavra de Deus. ESCOLA DE MINISTROS .ato e do @achorro. B.nidade é um grito na garganta de Deus! Deus sa'e e o Dia'o tam'ém o poder da unidade.eja no 'atismo de Oesus.B7 cap Q. # sempre lem'rava ao povo os planos de Deus a hist1ria da fé as intervenç=es de Deus. Precisamos ser confi!veis e andarmos com pessoas confi!veis. Sanders no livro Fiderança #spiritual descreve< M ele 2&eemias4 conseguiu isto estimulando:lhes a fé e dirigindo seus pensamentos para longe da grande(a de seus pro'lemas imediatos e para 'em perto da grande(a e fidelidade de Deus. A. >7. >A Perce'emos em &eemias um +mpeto ele era proativo. #ste t1pico é sim'i1tico com a pr1"ima palestra que fala de estratégia pois unidade é uma estratégia de vit1ria mas deve começar no coração.P. Precisamos aprender da pom'a : simplicidade no #sp+rito e precisamos aprender das serpentes apenas a prud/ncia.p+ it'4 %'tiva ' p'v' -a Palav a. #le era o que era motivado e motivador. . >T e >Q. >R.

C'-&l0. @ontudo o ministério não é e"aurido pela pregação mas é um estilo de vida que se esforça por levar avante o evangelho em todos os lugares e esta'elecer o reino dos céus em todos os ESCOLA DE MINISTROS . Através dele Deus espalha o conhecimento de seu Vilho como uma fragrNncia.Vé gera fé. O pessimismo gera descrença o papel do 5inistro:l+der é ser motivado e motivador de esperanças e a Palavra é o melhor instrumento pois #la sai da 'oca de Deus e cumpre o que lhe apra(.V. @omecei falando que o e"emplo maior é Oesus.P.INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA .64.ase em nossos pr4prios méritos' mas a nossa capacidade vem de Deus$ Ele nos capacitou para sermos ministros de uma nova aliança' não da letra' mas do Esp rito5 pois a letra mata' mas o Esp rito vivi"ica$ 6. 23 KTal é a con"iança que temos diante de Deus' por meio de -risto$ 3ão que possamos reivindicar qualquer coisa com .I. – ITA(NA -MG .2' Poderiamos ver outras caracter+sticas do car!ter de &eemias mas vou dei"!:las impl+citas quando falar das estratégias na liderança dele. A pregação do evangelho portanto é um acontecimento momentoso. $ um aroma muito atrativo para aqueles que cr/em mas um cheiro da morte para aqueles que rejeitam a mensagem.T.-o 7$8-)92 O ministério do evangelho é como o desfile vitorioso de @risto diante do mundo 2B.

5as ela é muito comum entre os crentes. $ assim que o mundo funciona e a igreja segue o seu e"emplo. Admitidamente até alguns descrentes não t/m adotado inteiramente essa maneira de pensar. Dsso se aplica 9 compet/ncia no ministério. – ITA(NA -MG 23 . @omo Paulo disse< J5as quem est! capacitado para tanto*K A resposta é que ninguém est! capacitado para tal tarefa em si mesmo mas um crente pode tornar:se competente no ministério do evangelho quando Deus o ensina e capacita.m ministro competente e"ecuta a sua o'ra com e"cel/ncia e ao longo de uma vida de santidade e uma atitude de caridade e tra( honra ao Senhor Oesus @risto.coraç=es.P. A W+'lia não ensina issoA eles aprenderam do mundo. O mundo acha que o importante não é o que voc/ sa'e mas quem voc/ conhece. Ainda que todos os cristãos devam participar disso ele é claramente uma ocupação diferente de qualquer outra.INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA .ou chamar voc/ de o Iei &etuno X e emitir um certificado para ser e"i'ido X desde que voc/ me chame de o 5estre de O)piter.T. %uando esse tipo de pensamento é tra(ido da sociedade não cristã para a cultura cristã o produto é como a hipocrisia assassina dos fariseus incompetentes. Deus endossa uma pessoa e a sua o'ra com o selo do #sp+rito Santo. #les tinham todas as credenciais e autori(aç=es humanas mas isso nada tinha a ver com Deus e a sua verdade X eles estavam alicerçados em um acordo de m)tuo louvor. A compet/ncia é demonstrada pelo poder divino e não pela aprovação humana.I. Ainda que essas sejam cruciais sem as quais alguém seria 'arrado para o ministério a compet/ncia tam'ém é uma qualidade necess!ria e não dei"ar de ser espiritual considerar isso. .oc/ não passou no teste ESCOLA DE MINISTROS . #ntão quando um homem apareceu para e"p3:los os fariseus o mataram. #la é vista não na vida e o'ra de alguém mas num diploma. Para o mundo a compet/ncia não vem do dom divino mas de formação institucional.ma das ra(=es é que eles continuam de amores com o mundo e se agarram a tudo que se refere a ele com uma o'stinação so're:humana.V. . Algumas pessoas se convencem de que aç=es espirituais são somente éticas de tal modo que as qualidades essenciais do servo de Deus consistem de santidade sinceridade (elo e coisas semelhantes. A outra ra(ão é o mesmo é verdade com a maioria dos ministros de modo que e"istem muito poucos que sai'am falar so're isso. O meu certificado nada significa mesmo que voc/ produ(isse algum tipo de teste para eu reali(ar a fim de o't/:lo. A compet/ncia é relevante. . &ossa passagem oferece os seguintes pontos como guia para o nosso pensamento. . .ma das coisas mais dif+ceis de fa(er no ministério é convencer os crentes a pararem de pensar como o mundo. &ão o quanto voc/ estudou mas onde voc/ estudou.B4. 5as &etuno não é seu a menos que Deus lhe conceda. Paulo escreve< J&ão se amoldem ao padrão deste mundo mas transformem:se pela renovação da sua menteK 2Im >B.

# ninguém a poderia ter escrito ou imprimido X ela foi escrita nos coraç=es humanos pelo poder divino. Dsso ele fe( de acordo com a sua pr1pria vontade porque ninguém poderia ter lhe forçado a mão. #lias enfrentou centenas de falsos profetas e manejou o pr1prio poder do céu enquanto doutor fulano de tal se curva diante da sogra em nome do amor cristão. Da mesma forma no treinamento e aperfeiçoamento de ministros do evangelho e"iste com freqY/ncia X nem sempre X algum envolvimento humano mas nenhum homem pode capacitar outro homem nas coisas espirituais. O pr1prio #sp+rito Santo a autori(ou.P. Os cor+ntios eram atormentados por falsos mestres e falsos ap1stolos que aparentemente tentavam solapar Paulo criticando:o de um ponto de vista humano. – ITA(NA -MG 23 . %ue lhe faltava carisma presença e força.I. #le sem d)vida tem uma carta de recomendação X os cor+ntios convertidos era a sua carta da parte de @risto.INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA .V. # novamente< Ja nossa compet/ncia vem de DeusK.de Deus.C4. #le quer ensinar aos seus leitores uma nova maneira de pensar uma maneira que esteja de acordo com os poderes celestiais e não com os padr=es do mundo. #le e"plica< J&ão que sejamos competentes em n1s mesmos para afirmar qualquer coisa por n1s mesmos mas a nossa compet/ncia vem de DeusK. O homem não tem o poder de produ(ir e nem de torn!:la nula.m aceno de ca'eça do irritado #lias é mais valioso que qualquer graduação em semin!rio ou certificado de ordenação ou uma carta de recomendação da parte de algum pastor céle're. 5esmo se Deus usar homens para conferir essa compet/ncia nenhum treinamento ou endosso humanos podem conferir o poder e efeito do céu que o ministério do evangelho requer. Ainda que os cor+ntios tivessem muito que melhorar o ministério do ap1stolo efetuou neles genu+na e permanente mudança algo que não poderia ser operado pelo poder humano. &ão foi escrita com tinta mas com o #sp+rito de Deus e não em t!'uas de pedra mas em t!'uas de coraç=es humanos 2C. Paulo demonstra verdadeira compet/ncia no ministério mas a fonte de sua compet/ncia não est! nele mesmo. #sse é um tema recorrente nas cartas de Paulo. O fator decisivo est! sempre além da contri'uição do homem. %uando iremos parar de co'içar louvores sem valor* # até #lias tinha as suas faltas. A compet/ncia vem de Deus. #ssa carta não vem de instituição ou autoridade humana e nem est! sujeita a autoridade do homem. De qualquer modo Paulo ensina os cor+ntios a parar de julgar segundo os parNmetros do mundo.T. # que ele não tinha as cartas de recomendação apropriadas. @ompet/ncia é um dom de Deus. . Dessa forma ele escreve antes< JDe fato j! t+nhamos so're n1s a sentença de morte para que não confi!ssemos em n1s mesmos mas em Deus que ESCOLA DE MINISTROS . Provavelmente di(iam que Paulo não era suficientemente 'rando. Deus usa homens para pregar o evangelho mas ninguém cr/ a menos que o #sp+rito Santo aja diretamente nos coraç=es daqueles que ouvem a mensagem.

#"istem aqueles que pensam que qualquer reconhecimento de compet/ncia tem as suas ra+(es no orgulho e que a magnitude da arrogNncia est! em proporção direta com a magnitude da reivindicação. $ poss+vel um cristão sa'er se ele é competente e reconhecer isso. JPois quando sou fraco é que sou forteK 2>B. &ão h! nada de errado com ele se for preciso e realista quanto 9s suas ha'ilidades. %uando eles se medem e se comparam consigo mesmos agem sem entendimentoK 2>7. O que acontece quando alguém mais confiante aparece* #les pensam que deve ser porque tal pessoa acha que tem mais em si mesmo e por si mesmo. B4. Dsso é o que os falsos mestres e falsos ap1stolos fa(em como mencionado nas cartas de Paulo. #le est! ciente de como o mundo pensa< J&ão temos a pretensão de nos igualar ou nos comparar com alguns que se recomendam a si mesmos.T4. .T< J5as temos esse tesouro em vasos de 'arro para mostrar que este poder que a tudo e"cede provém de Deus e não de n1sK. #les se medem por si mesmos e então se gloriam quanto a si mesmos.isto que a confiança deles est! 'aseada na opinião que eles t/m de si mesmos e visto que o mais iludido egoman+aco se d! conta que ele tem limites essas pessoas reconhecem os seus limites.C e 64. 5as o que eles pensam que t/m eles pensam que o t/m por si mesmos. – ITA(NA -MG 23 .T. Assim em realidade é a atitude deles que 'rota da arrogNncia e do egocentrismo. Aqueles que se gloriam so're si mesmos geralmente se revestem de uma apar/ncia de humildade. #ntão em 6.I. A compet/ncia é uma 'ase para a confiança. Paulo diria a eles< J. Dronicamente os crentes muitas ve(es usam os padr=es deste mundo para avaliar a compet/ncia no uso das armas espirituais! O ap1stolo força uma grande mudança em nosso pensamento. # h! a passagem familiar< JPortanto eu me gloriarei ainda mais nas minhas fraque(as para que o poder de @risto repouse em mim. #le não est! se referindo 9s armas espirituais em algum sentido m+stico mas est! fa(endo um contraste com Jos padr=es deste mundoK 2v.U e >74. #ssa cr+tica é importante pois ainda é a forma como os cristãos pensam e julgam a compet/ncia em si mesmos e nos outros.U4.INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA . As armas com as quais lutamos não são humanasA ao contr!rio são poderosas em Deus para destruir fortale(asK 2>7. @ontudo isso sugere que eles associam a compet/ncia apenas consigo mesmos que eles pensam que n1s somos sempre a fonte da nossa compet/ncia de modo que a compet/ncia seja sempre para o nosso louvor. Assim ESCOLA DE MINISTROS . A humildade não consiste em negar a compet/ncia mas no admitir que ela venha de Deus e que outras pessoas tam'ém a podem possuir pela graça dele.ressuscita dos mortos 2>. Dsso é o que ele quer di(er quando escreve Jpois em'ora vivamos como homens não lutamos segundo os padr=es humanos.V. Por isso por amor de @risto rego(ijo:me nas fraque(as nos insultos nas necessidades nas perseguiç=es nas ang)stias.P.>B4.oc/s o'servam apenas a apar/ncia das coisasK 2>7.

#star! voc/ disposto a pagar o preço* >. %uem quer ter sucesso no comércio deve dedicar a maior parte do seu tempo e o melhor esforço da sua mente ao seu neg1cio.nesse modo de pensar uma falta de confiança se torna um sinal de humildade e a coragem se torna um sinal de arrogNncia.I. Dsto era o segredo do seu sucesso. &ão deve haver lugar para outras preocu: paç=es.INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA . O HOMEM )UE DEUS USA TEM SÓ UM PROPÓSITO NA VIDA . . 23 O MINISTRO<HOMEM-MULHER= )UE DEUS USA -enho procurado conhecer as qualidades necess!rias ao homem que Deus usa no serviço cristão e até agora tenho desco'erto que h! oito pontos essenciais. -inha no seu coração uma grande pai"ão a de tornar conhecido o #vangelho e se entregou plenamente a este tra'alho. ESCOLA DE MINISTROS . Paulo era um homem de Jum prop1sitoK. O homem com interesses variados raramente far! sucesso em qualquer ramo.m coração dividido nunca pode ficar completamente satisfeito. Se as suas afeiç=es forem consagradas uma parte 9 sua esposa e a outra parte a outra mulher a vida matrimonial terminar! em desastre. J. – ITA(NA -MG . A o'ra de Deus merece atenção integral. &enhum homem pode estar satisfeito se não ocupa o primeiro lugar no coração da sua esposa. &ada somos em n1s mesmos mas não somos dei"ados so(inhos. #le nos fa( ministros competentes da nova aliança. Deus não revela sempre no começo da caminhada o tamanho do preço a ser pago mas quando chegamos ao ponto de estarmos dispostos para qualquer sacrif+cio Deus começa a nos usar. #ssa maneira de pensar se aplica 9 teologia como um todo desde a justificação pela fé até 9 compet/ncia no ministério. #"iste uma glorificação apropriada que equivale a um ato de adoração e ministério e é a seguinte< ostentar:se so're o poder e a graça de Oesus @risto não 9 parte de n1s mas em n1s e por n1s. O mesmo se o'serva com o homem que quer ser usado por Deus mas num grau muito maior.T. Oesus @risto est! conosco pelo seu #sp+rito.ma coisa façoK disse ele. &ão é poss+vel alguém ser confiante porque confia nos ilimitados recursos de Deus e em sua graça para o socorrer em tempo de necessidade* 5as eles não pensam assim pois agem pelos padr=es do mundo e Deus tem pouqu+ssimo espaço no pensamento deles. #u me lem'ro muito 'em de como andava de um lado para o outro no meu quarto e"clamando< JOh Deus usa:me custe o que custar! Alegremente pagarei qualquer preço a fim de ser usado por -iK. &ão talve( na medida de algumas outras pessoas mas certamente na medida de sua capacidade e se alguém não for usado a culpa é dele mesmo.m homem que passar uma parte do seu tempo no escrit1rio e a outra na mesa do jogo com certe(a fracassar!. Dsso honra as grand+ssimas e preciosas promessas do evangelho e nos salva do orgulho e da falsa humildade. &o entanto estou a'solutamente convencido de que qualquer homem que esteja disposto a pagar o preço pode ser usado por Deus apesar da rique(a ou po're(a dos seus talentos e dons. $ poss+vel que o preço seja grande.P.V.

Ainda pode ser ci)me mal+cia avare(a incredulidade ou interesse pr1prio de uma forma ou de outra.ta. A grande dificuldade é que os homens hoje estão interessados em muitas coisas para serem usados por Deus. " &'% '. &'i. Fem'remo:nos de que Acã causou o fracasso de Dsrael.I...T. O Senhor sa'e e a pessoa tam'ém. A. Oac1 e"clamou< JN2' t" !"i1a "i i 4 . B.4 pa a /0" ' t"0 p '$ ".t' a t'!'. HOMEM )UE DEUS USA 8 UM HOMEM LIVRE DE IMPEDIMENTOS &inguém precisa di(er:me o que o impede de ser usado por Deus. O HOMEM )UE DEUS USA 8 UM HOMEM )UE SE COLOCA ABSOLUTAMENTE N DISPOSI9:O DE DEUS 8s ve(es procedemos como se tivéssemos medo de Deus medo de dar:lhe controle pleno de nossas vidas.4 " p "val"&". $ poss+vel que seja o uso do fumo. 6'%"-."Ka %a-iL". Oesus em meio 9s suas grandes atividades retirava:se do meio da multidão 9 procura de ESCOLA DE MINISTROS .'a ".a. – ITA(NA -MG 23 .#screvendo a -im1teo deu:lhe este conselho< JM"!ita ". O HOMEM )UE DEUS USA 8 UM HOMEM )UE SABE PREVALECER EM ORA9:O Os homens grandemente usados por Deus eram poderosos em oração.V.M 2> -im1teo 6<>P4. Eaver! um Acã no seu coração alguma coisa escondida atr!s da porta um pecado que ninguém v/ a não ser Deus* O povo julga que voc/ é o que parece ser.-t"M.t" &'% D"0.. #le precisa tratar isso com Deus. -enho conhecido estudantes cujo interesse era tão dividido entre os seus estudos e as suas namoradas que suas vidas não causavam 'oa impressão a ninguém.P. &ão consagram todo o seu tempo 9 o'ra do ministério." vi GM 2Salmo >7><R4. 5as ser! que realmente o conhece* Ousa voc/ a'rir a cortina para que possam v/:lo como é* 2Dsa+as PU<>:B4. ?. Seja qual for é necess!rio que seja removido antes de poder ser usado por Deus. Pode ser somente um impedimento ou pode ser um pecado definido possivelmente impure(a de pensamento palavras ou aç=es. Pelas suas 'iografias se desco're que o desejo de oração predominava. Apenas insisto para que esses interesses sejam somente os indispens!veis e acima de tudo que sejam considerados secund!rios a fim de que Deus e os seus tra'alhos tenham prioridade e constituam o grande prop1sito da vida. &ão estou di(endo que não pode haver outros interesses na vida. @onheço alguns ministros que dão uma parte do tempo ao comércio. Antes de entrar no ministério comprei um lote de terreno para com ele negociar mas depois da minha ordenação ao ministério vendi:o o mais cedo poss+vel para que pudesse ser inteiramente livre e me dedicar ao tra'alho de Deus." %" ." -2' %" a@"-. %ue poderia fa(er o oleiro se o 'arro recusasse render:se* %ue poderia fa(er o médico se o doente recusasse confiar nele* %ue valor tem o soldado insu'ordinado* JO /0" a-!a "% &a%i-6' "t'4 ".M Deus respondeu< JZ l0ta. Devo di(er que nenhum moço pode ser poderosamente usado por Deus se ele continuamente se ocupa com namoros.4 '&0pa-t" -"la.INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA .' .

T. Assim as despesas serão menores e o povo escapar! do transtorno de assistir reuni=es em tempos dif+ceis. . 5as que mensagem tem voc/ para a pr1pria P!tria* Por que est! entrando no ministério* Se quiser oferecer apenas divertimento ao povo deve dei"!:lo aos teatros porque eles o farão melhor do que voc/. F. %ue possamos e"perimentar uma vida de oração semelhante a de homens como Vransell Osto'[ @arvasso Oohn Smith e Vinne[! C.I. .um lugar deserto para orarA 9s ve(es passava noites inteiras s1 com o Pai orando com tanto fervor de #sp+rito que o seu suor era como sangue."0 Fil6' 0-i$Q-it' pa a /0" t'!' a/0"l" /0" -"l" & Q -2' p" ". Se a sua missão é educar o povo ser! melhor aconselh!:lo a ler os livros de @arl[le #merson Wro\ning e ShaSespeare. Precisamos orar efica(mente e rece'er a resposta. #sta é a mensagem da cru(. %uero enfati(ar a necessidade de cada um retirar:se para um lugar secreto a fim de prevalecer em oração a oração que alcança o que se 'usca.P. Além disto o povo poder! adquirir o gosto pela poesia em clu'es organi(ados para esse fim. O HOMEM )UE DEUS USA 8 UM HOMEM ESTUDIOSO DAS ESCRITURAS SAGRADAS A Palavra de Deus é nossa arma.V. 5eu irmão o seu tra'alho é de 'em maior importNncia do que isto! A mais alta mais gloriosa e mais importante vocação é a sua.oc/ est! disposto a pagar o preço* O homem pode ser maravilhosamente preparado e ha'ilitado para o serviço de Deus mas se não tiver aprendido a prevalecer em oração não pode esperar a '/nção de Deus no seu tra'alho.. p"&a!'.t' %' "0 p' -'.'.M "4 JP D"0.oc/ tem uma mensagem* Por que voc/ vai* Se a sua missão é meramente o serviço social educação religiosa ou reforma pol+tica ser! melhor que fique em casa e dei"e o serviço para os peritos em serviços sociais para os professores os médicos e os reformadores.oc/ cr/ que o te"to acerca do qual prega é a Palavra de Deus viva* # tem certe(a de que não voltar! va(ia* Deus não pode usar o homem que duvida da sua Palavra. # voc/ não ter! tempo para discuss=es ESCOLA DE MINISTROS . Os que querem apenas encantar com orat1rias ou grandes composiç=es musicais poderão conseguir isto melhor em sal=es de concertos pois em nada somos melhores do que os outros. Se a sua missão for levar a civili(ação ocidental ou meramente a religião cristã aos pagãos ser! melhor dei"ar que os agentes do governo o façam. Somente o homem que estuda intensa e diariamente a Palavra de Deus pode manej!:la como Deus quer. O resto é da compet/ncia do #stado. #sta é a hist1ria de todos os homens usados por Deus. JI!" p' t'!' ' %0-!' " p "$ai ' "va-$"l6' a t'!a & iat0 aM.a4 %a. – ITA(NA -MG 23 .INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA .oc/ espera ir a uma terra estrangeira* 5uito 'em o que vai di(er ao povo* . @omo pode alguém us!:la efica(mente sem uma fé ina'al!vel no seu poder* $ a )nica fonte de informação para o crente. t"-6a a vi!a "t" -aM. &ão! E! somente uma mensagem de 'astante importNncia para tirar:nos de nossos lares confort!veis levar:nos através do mar e dos ares e colocar:nos no meio da perseguição das (om'arias dos sacrif+cios e grandes saudades e esta mensagem é< JC i. O HOMEM )UE DEUS USA 8 UM HOMEM )UE TEM UMA MENSAGEM VIVA E EFICAO PARA O MUNDO PERDIDO . &ada menos ser! suficiente. a%'0 ' %0-!' !" tal %a-"i a /0" !"0 ' . Outras pessoas t/m suas vocaç=es individuais mas a sua a'range a todas porque tem que tratar com todas as classes em todas as condiç=es.

#scute meu amigo< Se voc/ est! firmemente convencido de que Jtodos pecaramK e que estão perdidos e que Oesus @risto é o )nico Salvador e sair para proclamar esta mensa : gem Deus ser! com voc/A e eu lhe asseguro< o seu ministério ser! glorioso. Fem'ro:me do jovem pregador que se apro"imou do Iev. # n1s tam'ém parti: cipamos de uma corrida mas nossa corrida graças a Deus tem como alvo a salvação de ESCOLA DE MINISTROS .! então confiando no poder do Senhor. &unca vi uma corrida em que os homens corressem em todas as direç=es. #les sempre tinham um o'jetivo em vista e corriam para um ponto determinado. O HOMEM )UE DEUS USA 8 UM HOMEM DE F84 )UE ESPERA RESULTADOS O nosso maior erro é que não esperamos que algo aconteça.e controvérsias. 5eu irmão o que os homens pensam de n1s* Ser! que di(em< J%ue sermão!K* ou J%ue grande @risto! %ue Salvador maravilhoso!K* Fem're:se que n1s representamos a Oesus isto quer di(er que devemos agir com grande sinceridade porque a alguns a nossa mensagem ser! para vida e a outros para a morte.P. I.I. %uem dera que voc/ reconhecesse a grande(a da sua tarefa! &ão estamos no p)lpito para agradar e divertir nem tampouco para nos e"i'ir. # graças a Deus podemos tam'ém procurar acertar um alvo definido.V. #ntão é por isso que voc/ não v/ o que deseja ] replicou o grande homem de Deus. . A mensagem é a que Deus lhe mandou entregar a mensagem de vida e morte e voc/ ter! de dar conta da sua mordomia. -enho sempre esperado o e"traordin!rio e nisto não tenho sido desapontado. 5ultid=es t/m ficado comovidas pelo #vangelho simples e muitos ainda ficarão. -enho notado que os homens que jogam fute'ol não chutam a 'ola de qualquer maneira mas procuram acertar o gol e assim acontece com outros desportistas. Se nada diferente acontece sinto que tenho falhado.oc/ tem uma mensagem honrada pelo #sp+rito Santo* #le convence do pecado quando voc/ prega* A sua pregação salva as almas e edifica os crentes* #st! proclamando serm=es humanos ou mensagens dadas por Deus* Se a sua mensagem é do #sp+rito Santo não precisa envergonhar:se. . #stamos contentes por continuar na mesma formalidade e se uma alma angustiosa clamasse< JO que farei para me salvar*K ficar+amos estupefatos. &ão h! necessidade de se ter medo. 5ilhares se t/m congregado para ouvir essa mensagem durante todos os séculos e milhares ainda o farão. O artista que canta para demonstrar o seu talento ser! louvado por sua capacidade pela harmonia da vo( mas o mensageiro que leva uma mensagem ser! esquecido por causa das suas mensagens. &unca pude ficar contente em ver tudo acontecer como de costume.T.m grande artista uma ve( e"plicou a diferença entre o ator e o ministro di(endo< JO clero fala das coisas reais como se não fossem reais enquanto que o ator fala de coisas não reais como se fossem reaisK.INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA . – ITA(NA -MG 23 . Spurgeon desanimado porque não estava vendo resultados em seu tra'alho evangel+stico. #ntão permita:me perguntar mais uma ve(< . #ntão voc/ quer di(er:me ] e"clamou Spurgeon ] que espera resultados cada ve( que prega* Wem não ] respondeu o jovem um pouco acanhado. &ão estamos esperando resultados.

"Kai. OS ? PECADOS DO MINISTRO OU LRDER )UE DEUS USA JAi deles! Porque prosseguiram pelo caminho de @aim e movidos de ganNncia se precipitaram no erro de Walaão e pereceram na revolta de @or!K 2Oudas >>4.M. '. #sta a ra(ão de sua oferta ser rejeitada e a de A'el aceita. JMa.T. @oloca:se inteiramente ao dispor de Deus.ti!'. a p '%". H. Deus o advertiu de antemão de que devia se desviar do mal e não cometer nenhum desatino. #stamos acertando: o* Durante a Segunda . O p i%"i ' p"&a!' . %i-6a.t"%0-6a. p'!" 4 a' !". # sem esses resultados as reuni=es seriam re'eldes. i %2'. #spera resultados definidos e tra'alha com a unção do #sp+rito Santo.'@ " vS. Ser! que n1s estamos procurando recrutas para o nosso Iei.p+ it' Sa-t'4 " .4 ta-t' "% V" 0. Feia as 'iografias dos homens de Deus e voc/ desco'rir! que cada um 'uscou e rece'eu este revestimento de poder l! do alto.4 &'% a.uerra 5undial havia reuni=es para recrutamento de homens não para diversão mas para se o'ter recrutas. -em um s1 prop1sito na vida.0. " Ma ia4 %2" !" V".almas. #stamos assistindo a um festival de pecado perpetrado por pessoas que se consideram l+deres da igreja 'rasileira.% &'%' "% t'!a V0!. &'%"ti!' i-t"-&i'-al%"-t" . Li&ai -a &i!a!"4 at. %uando o advogado est! tratando de uma causa ele não procura meramente agradar. # louvado seja Deus n1s estamos tam'ém procurando uma decisão. #le procura uma decisão favor!vel para o seu cliente. – ITA(NA -MG 23 .. .ma pregação feita na unção do #sp+rito Santo vale mais que mil na energia da carne. %0l6" ". "&"@" "i.4 " &'% . &o concurso de tiro cada participante atira ao alvo. #nquanto me e"ercitava caminhando pelo 'airro dei"ei escapar um clamor a Deus suplicando que me ajude a não cair em tentaçãoA pois foi ele que nos ensinou a orar assim e que me livre do 5aligno. !a t" aM. &'-Li-.t".I.Upli&a. Sa'e prevalecer em oração. t".V."0." "i. $ um estudioso da palavra de Deus. O pecado proposital."v" ava% 0-a-i%"%"-t" "% ' a.al. JT'!'.'@ " vS.2' " . Deus lhe disse< JSe procederes 'em não é certo que ser!s aceito* Se todavia ESCOLA DE MINISTROS . O HOMEM )UE DEUS USA 8 UM HOMEM )UE TRABALHA COM A UN9:O DO ESPRRITO SANTO.INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA . # nunca sequer pensaram em ser testemunhas sem aquele poder. Portanto não devemos ficar satisfeitos com uma s1.ia " Sa%a ia4 " at. JE-vi' . # ser! que estamos esperando consegui:los* -enhamos fé para alcançar resultados definidos. /0" !' alt' . ". #ste é o caso de @aim< ele pecou propositalmente.&" . "v". #ntão nosso ministério ser! verdadeiramente glorioso. ' E. #u estava refletindo so're os pecados dos l+deres da igreja X pecados a que todos estamos sujeitos X e que nesses dias t/m sido destaque da imprensa 'rasileira.a !" %"0 PaiT %a. !" p'!" M. #st! livre de todos os impedimentos. &1s temos um alvo. Oh! 5eu irmão 'usquemos estas oito qualificaç=es a fim de que Deus nos possa usar da melhor maneira poss+vel.P. #ste então é o homem que Deus usa. p" . #le tem uma mensagem vital para o mundo perdido.

#le j! planejava assassinar seu irmão.procederes mal eis que o pecado ja( 9 portaA o seu desejo ser! contra ti mas a ti cumpre domin!:loK. &estas palavras de Deus a @aim encontramos a ra(ão de sua oferta não haver sido aceita.T. O pecado não surge de repente X um momento de desli(e X 'em ao contr!rio ele é alimentado todos os dias em seu coração em seus pensamentos. O t" &"i ' p"&a!' /0" &'. %uase sempre os famosos pregadores que conseguem se proteger do pecado de @aim e não incorrem no pecado de @or! aca'am por cair no de Walaão porque este pecado é muito sutil.t0%a aL"ta '. Os grandes pregadores televisivos dos #stados . ' !" Bala2' . # 5oisés não podia ser l+der so(inhoA o povo os reconhecia tam'ém como l+deres espirituais. 5uitas novas congregaç=es ou igrejas t/m surgido so' o princ+pio do dia'o com a alegação de que Deus est! no controle de tudo. Promovendo:se por tr!s de jogadores de fute'ol famosos e de pol+ticos. $ o pecado de @aim. A impressão que se tem é que quanto mais espiritual o l+der mais re'elde se tornaA sim porque a re'elião verdadeira costuma se esconder so' a capa da espiritualidadeA so' o argumento de que tam'ém Deus fala com a pessoaA de que o povo os t/m como l+deres etc. %uando surge a oportunidade l! est! o homem de Deus pecando. O . 8 guisa de recolher dinheiro para se fa(er a o'ra de Deus usa:se dos recursos financeiros para enriquecimento pessoal. #le alegou que 5oisés não era o )nico que ouvia de DeusA que Deus tam'ém os usava poderosamente no ministério.I. Assim os pregadores famosos do Wrasil estão co'rando preços e"or'itantes para ministrar em algum lugar e quando não são convidados 2porque o cach/ é alto4 arrumam uma maneira deles pr1prios fa(erem suas confer/ncias nas cidades recolhendo ofertas levando seu material 2livros fitas v+deos toda a livraria am'ulante4 dilapidando o povo com suas promoç=es e ofertas especiais. $ assim que os Wala=es continuam ministrando< eles t/m dons especiaisA t/m orat1ria ESCOLA DE MINISTROS . l+!" ". #ste o pecado de @or!. Alegação justa se não estivesse de'ai"o da co'ertura da re'elião.INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA . # não e"iste nada de errado em ficar famosoA o pro'lema é quando a fama não é 'em administrada e o o'reiro passa a co'rar valores enormes para ministrar nas igrejas a ponto de despre(ar as igrejinhas menores que não podem arcar com as despesas do o'reiro famoso. # a re'elião é um princ+pio de Satan!s. %uando um o'reiro alimenta desejos pecaminosos cedo ou tarde cair!. !a i$ "Ka . Afinal di(em somos homens 2ou mulheres4 de Deus e temos um compromisso com a verdade. -emos que admitir< quando uma pessoa é usada poderosamente com os dons de Deus ela tende a ser famosa. Assemelha:se aquele comercial antigo< provoque a sede até não poder mais< depois é s1 'e'er. – ITA(NA -MG 23 . J5ovidos de ganNnciaK di( Oudas esses l+deres usam a espiritualidade os dons de Deus os dons espirituais a capacidade de liderança para auferir ou o'ter lucros pessoaisA para enriquecimento il+cito. ' !a "@"li2' muito 'em e"emplificado na figura de @or! que liderou du(entos e cinqYenta l+deres de Dsrael num motim contra 5oisés.V.P.nidos ca+ram desta maneira e alguns dos famosos pregadores que circulam por mega:eventos denominacionais aqui do Wrasil são suspeitos de adultério e prostituição. @om que argumentação* Argumentando que Deus os coloca entre os pr+ncipes e reis para proclamar o reino de Deus! 5as aca'am proclamando seu pr1prio reino! O pecado de Walaão é sutilA porque o pregador Walaão continua fluindo nos dons de Deus X não foi assim que aconteceu com o verdadeiro Walaão* #le s1 falou coisas divinas corretasA falou diretamente do coração de Deus mas levou a grana de Walaque porque sou'e apontar ao rei o caminho que traria maldição so're o povo de Deus."$0-!' p"&a!' .

#les X como tantos outros X enriqueceram rapidamente e usam o ministério para ganhar dinheiro.I. ESCOLA DE MINISTROS . 5uitos não lamentam pelo que aconteceu ao #stevan Eernandes e sua mulher a 'ispa S3nia que j! apareceu na revista @aras e aparece num @D com um casaco de pele de 5arta. Se o 5inistério P)'lico investigar mais gente ser! processada e indo parar no "ilindr1. 5uitos dos novos cristãos grandemente aquinhoados com rique(a la'oraram duramente para alcançar o status social que ostentam. – ITA(NA -MG . Diferentemente de certos pregadoresZ 5as a maioria dos pregadores pode até se aposentar porque enriqueceram rapidamente negociando com sa'edoria e intelig/ncia os dons que Deus lhes deu.P. 23 HONRANDO SEU LRDER > S% D. Assim como não se chegavam ao templo com as mãos va(ias as pessoas sa'iam honrar o homem de Deus e levavam presentes a ele.INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA . 5as não foi o que aconteceu com Walaão< ele morreu pelas mãos de Oosué anos depois.T. %ue se humilhem diante de Deus e que devolvam tudo para os po'res! Va( pouco tempo que escrevi no face'ooS que quando Oesus terminasse de aprontar seu a(orrague ia ser aquela correria! # que ponham a 'ar'a de molho os pregadores que estão todos os dias na televisãoA que levantam ofertas pela tev/A que amealham recursos para comprar prédios X como se Deus deles precisasse.V. # não haver! escape< nesta hora de nada adianta levantar um clamor e gritar< J#spada do SenhorZK. %ue reconheçam seus erros.contam hist1rias sa'em tra'alhar com a emoção das pessoas e conseguem se enriquecer rapidamente. Até imagino qual deles ser! a J'ola da ve(K. Os que escaparem dos Oosués modernos 2O 5inistério P)'lico que caça os corruptos4 irão cair de'ai"o do a(orrague 2chicote4 de Oesus. #"iste uma prosperidade natural que vem pela pr!tica do evangelho mas ela não é repentinaA ela vem com o progresso do evangelho e se reflete na prosperidade da nação. #sta pregação de que somos pr1speros e ricos em @risto é muito sutil. A espada é do Senhor contra os que procedem erroneamente e o mais interessante que Deus não fa( mal mas sim aquele que procura 'rechas em nossas vidas cuidado por favor. Até o momento não conseguem orar pela li'ertação delesA não que tal intercessão v! li'ert!:los da cadeia ou de que seja tão importante diante de Deus que interfira a favor delesA mas gente Deus tem que fa(er uma limpe(a na sua igreja. Se a nação melhora todos melhoramos. S1 faço uma oração< %ue se arrependam de seus pecados. # perdoem:me os amigos pregadores X eu tam'ém viajo por todo o pa+s pregando o evangelho e promovendo avivamento X a prosperidade é s1 do lado de quem a prega.F-H Dntrodução< O epis1dio registrado neste te"to mostra a importNncia que as pessoas davam no trato com os homens de Deus.

E1i. $ mandamento divino 25t >P. B. C4 O o'reiro que se dedica ao ensino da palavra e que lidera 'em deve rece'er sal!rio em do'ro< JDevem ser considerados merecedores de do'rados honor!rios os pres'+teros que presidem 'em com especialidade os que se afadigam na palavra e no ensinoK 2> -m P.K Aqui j! h! uma diferenciação entre n+veis de respeito e honra. Os d+(imos eram levados para o templo e serviam de sustento para todos os da fam+lia de Arão os levitas.a!'. Por e"emplo os pais devem ser honrados.T Paulo argumenta a favor do pagamento de tri'utos e impostos acrescentando< Ja quem respeito respeitoA a quem honra honra.ivei em pa( uns com os outrosK 2> -s P.6A >U.>PA C6." 6'.B74 J-r/s ve(es no ano todo varão entre ti aparecer! perante o S#&EOI teu Deus no lugar que escolher na Vesta dos Pães Asmos e na Vesta das Semanas e na Vesta dos -a'ern!culosA porém não aparecer! de mãos va(ias perante o S#&EOIK 2Dt >R.BU:C74.INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA . – ITA(NA -MG . Eoje como não apresentamos ao Senhor* @laro que Deus não pede nada de n1s a não ser que nos ofereçamos a ele em sacrif+cio vivo santo e agrad!vel 2#m >B. Eoje não se praticam tais coisas mas ' p i-&+pi' de se tra(er o d+(imo para Deus continua o mesmo! T'!'.>. . &inguém podia comparecer diante de Deus de mãos va(ias< Jninguém apareça de mãos va(ias perante mimK 2#" BC." 6'. O! em Iomanos >C. #stes tomavam do d+(imo dos d+(imos e entregavam a fam+lia sacerdotal. As ofertas tam'ém. &em sempre se pode andar e o'edecer a certas pr!ticas do povo judeu no A.4.>B:>C4.V..I. !"v"% .. J-ratai a todos com honraK di( Pedro 2> Pe B. J&ada façais por partidarismo ou vangl1ria mas por humildade considerando cada um os outros superiores a si mesmoK 2Vp B.>U4. !"v"% . Aprendendo a andar o mais pr1"imo poss+vel do princ+pio '+'lico.T.>T4. C.alor estima preciosidade é o sentido da palavra grega aqui empregada! #ssa é a normalidade entre os irmãos.a!'. 5as o princ+pio é claro< Deus gosta de ser honrado! # uma das formas de se honrar a Deus é honrando os homens de Deus. >4 Paulo pediu que #pafrodito fosse honrado pela vida que tinha< JIece'ei:o pois no Senhor com toda a alegria e honrai sempre a homens como esseA visto que por causa da o'ra de @risto chegou ele 9s portas da morte e se disp3s a dar a pr1pria vida para suprir a vossa car/ncia de socorro para comigo. O. B4 Os que tra'alham na o'ra devem ser honrados< JAgora vos rogamos irmãos que acateis com apreço os que tra'alham entre v1s e os que vos presidem no Senhor e vos admoestamA e que os tenhais com amor em m!"ima consideração por causa do tra'alho que reali(am.Q ss. #liseu foi tratado muito 'em por uma sunamita 2B Is P. Paulo di(< JAmai:vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal preferindo:vos em honra uns aos outrosK 2Im >B. 2Vl B. 23 ESCOLA DE MINISTROS .P. Se alguém merece deve ser honrado e nem por isso a pessoa que é honrada pecar! por isso. a4 A entrega dos d+(imos é uma forma de se honrar a Deus.C4. #ra um princ+pio divino. l+!" ".t" a 6'.>T4. 6.a !iL" "-&ia!a. .mas é poss+vel ater:se ao princ+pio.>4.>7 grifo do autor4. #ste princ+pio era estendido aos servos do Senhor aos homens de Deus.>R4.

Arão e 5iriam re'elaram:se contra 5oisésA mais tarde todo Dsrael falou contra Arão e 5oisés 2&m >B4.C>4. #". Assim como Deus honra o seu profeta e o a'ençoa assim a promessa se estende aqueles que honram o profeta< Iece'em o galardão de Deus em justa medida.l R.oc/ divide as '/nçãos rece'idas de Deus com ele* @omo est! seu coração* A maneira como voc/ trata seu o'reiro é e"emplo de como voc/ trata o seu Deus.oc/ se preocupa com a sa)de dele e com as necessidades '!sicas de sua fam+lia* . J%uem rece'e um profeta no car!ter de profeta rece'er! galardão de profetaA quem rece'e um justo no car!ter de justo rece'er! o galardão de justoK 25t >7. O que queria di(er Oesus* %uando rece'emos e honramos uma pessoa enviada de Deus ele nos recompensar! devidamente é o que se dedu( do conte"to.R4.V. Su'missão é uma atitude de coração.#IP.>T4. D! teu melhor para o mestre d! tua força e vigor! # não desampare seu l+der! Eonre:o com as prim+cias da tua casa dos teus ganhos< JEonra ao Senhor com os teus 'ens e com as prim+cias de toda a tua rendaA e se encherão fartamente os teus celeiros e trans'ordarão de vinho os teus lagares 2Pv C. I CARACTERRSTICAS DA NOVA LIDERAN9A NEOPENTECOSTAL ESCOLA DE MINISTROS . Deus sa'ia de onde 'uscar homens e mulheres para sua o'ra. Deus fe( o teste da vara que floresceu 2&m >T4. Oesus reclamava das pessoas que levavam a ele muitas ofertas mas apenas o honravam com os l!'ios< J#ste povo honra:me com os l!'ios mas o seu coração est! longe de mimK 25t >P.U:>74.I.T. . Oesus falou em galardão de profeta< Voi Oesus quem ensinou a questão da honra.P.elam por voc/sA prestarão contas de voc/sA para que façam isto com alegria e não gemendo porque isto não aproveita a v1s outros. 5amãe honrara os servos de Deus.R4.ma pessoa pode o'edecer sem se su'meter. P4 O o'reiro que cuida do re'anho de ser 'em tratado< JO'edecei aos vossos guias e sede su'missos para com elesA pois velam por vossa alma como quem deve prestar contas para que façam isto com alegria e não gemendoA porque isto não aproveita a v1s outrosK 2E' >C. Dgrejas que morreram porque trataram seus pastores como empregados. P. #". As parteiras de fara1. O. #mpresas que faliram porque não trataram com honra seus funcion!rios. – ITA(NA -MG 23 .64 O disc+pulo deve honrar ao seu mestre com os recursos que possui. J# o que é instru+do na palavra reparta de todos os seus 'ens com aquele que o instruiK 2. '4 Su'meter:se. O'serve< a4 O'edecer.QA 5c T. O povo costuma e"plorar o homem de Deus< #"istem pessoas que querem rece'er rece'er e rece'er mas s1 am'icionam lucro< J#les v/m a ti como o povo costuma vir e se assentam diante de ti como meu povo e ouvem as tuas palavras mas não as p=em por o'raA pois com a 'oca professam muito amor mas o coração s1 am'iciona lucroK 2#( CC. .INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA .6>4. Deus tira seus melhores homens e mulheres de lares cujas pessoas sempre aprenderam a honrar os servos de Deus! @omo est! a vida financeira de seu l+der* .

Procure ler o te"to de > Pedro P. Assim conseguem enco'rir do re'anho suas verdadeiras intenç=es para que este não se interesse em sa'er como é a vida deles no dia a dia de sua vida particular. #ra assim tam'ém no passado quando pastores de denominaç=es pentecostais decidiam o que o povo devia usar o que pensar e em como viver. D'%i-a!' ". B. – ITA(NA -MG 23 . A0t' ita i. ESCOLA DE MINISTROS . Vrases como Jaconteceu tal coisa porque não ouviu o homem de DeusK é comum ouvir de seus l!'ios.T.V. A ostentação de rique(a o ganho f!cil e a confort!vel vida movida a avi=es particular helic1pteros e festas não é pr1pria apenas dos neopentecostais mas tam'ém de outros segmentos da igreja X uma dessas igrejas até 'em tradicional em que seu l+der se locomove para a casa da montanha de helic1ptero enquanto e"ige que seus mem'ros nem televisão possuam! #nquanto milhares de o'reiros residem em casas modestas no meio de sua comunidade ao n+vel do povo que pastoreiam vivendo na simplicidade 'uscando o m+nimo de conforto outros se afastam do meio do re'anho e passam a viver em condom+nios inacess+veis ao povo. >. Veli(mente algumas denominaç=es amadureceram e a'andonaram tais pr!ticas que v/m sendo adotadas com grande ardor pelos novos l+deres pentecostais. As pessoas precisam v/:los como homens de Deus l+deres espirituais +ntegrosA no p)lpito diante de seu povo riem choram profeti(am pulam gesticulam e pregam mensagens de prosperidade. !' "@a-6'. A seguir colhi sete caracter+sticas dessa liderança atual X que não é apenas da liderança neopentecostal mas tam'ém de muitos l+deres de igrejas pentecostais hist1ricas. Eoje os ap1stolos 'ispos pres'+teros e pastores X não importa o t+tulo que ostentem X decidem se os mem'ros devem cele'rar o &atal os alimentos que devem comer as festas que podem participar os D. $ a justificação de uma aparente santidade. U. que mant/m so' regras r+gidas o comportamento e o estilo de vida de seus mem'ros ou disc+pulos. As pessoas são orientadas a viverem conforme o pensamento do l+der e de maneira a agrad!:lo. A JdoutrinaK ou ensinamento apost1lico foi por eles aperfeiçoado porque tirou do povo o direito 9 vida e de decidir o que fa(er e de como viver. #ssa é a nova cara da liderança eclesi!stica da igreja 'rasileira. -ais l+deres advogam a si o direito de ter a palavra final em quest=es doutrin!rias e de pr!ticas cristãs. -al autoritarismo não é pr1prio apenas de igrejas neopentecostais mas tam'ém de alguns que se di(em JigrejaK sem nomeA comunidades cristãs etc. @r/em que podem criar novos padr=es de ensinamento e neles atrelar a congregação. Ga-W-&ia Li-a-&"i a " l01U ia. Por tr!s do carisma que lhes é peculiar tais ministros fa(em o que querem com o povoA se justificam demonstram humildade e santidade e aproveitam para atacar sutilmente os que lhe deso'edecem 9s ordens.@ontrariamente 9s recomendaç=es de Pedro aos l+deres da igreja de que o l+der deve ser 2>4 testemunha 2m!rtir4 dos sofrimentos de @ristoA 2B4 de que não deve e"ercer o pastoreamento por constrangimento isto é o'rigado a pastorear como se a igreja dependesse deleA 2C4 de que não deve andar de olho no dinheiro alheio 2s1rdida ganNncia4 e 264 de que não deve ser dominador do povo ou do re'anho porque este é de Deus muitos dos atuais l+deres da igreja especialmente os que ostentam o t+tulo de ap1stolos agem no sentido oposto.a% ' pUlpit' &'%' a %a !" ata/0".P. $ poss+vel ver este autoritarismo em v!rias denominaç=es tam'ém.Ds que devem assistir e quais igrejas ou congregaç=es podem visitar.I.%'. &unca ouse pensar ou agir de maneira que contrarie seu l+der! O l+der é o novo paradigma ou modelo de fé a ser seguido e não os modelos da W+'lia. Sua congregação não tem acesso a casa deles X diferentemente de quando nossa casa estava a'erta aos irmãos. A.>:6. ?.INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA .

&1s os pastores somos os respons!veis para que a igreja recupere o seu papel. J&1s somos sacerdotesK de Deus para cuidar do re'anho di(em quando 'i'licamente toda a igreja é povo sacerdotal! F.T p' /0" ".INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA . !". #nquanto todos os demais tra'alham para a vinda do reino esses novos l+deres cr/em que estão no reino e que j! são pr+ncipes de @risto aqui na terra. pa a "l". !"%ai.I. #stes são a pontinha do ice'erg porque e"istem milhares de pastores vendidos ao mundo e que rece'em polpudas somas de dinheiro para transformar sua congregação em curral eleitoral.t2' a&i%a !'.a&" !'ti3a.2' !' %i-i. Seu império particular e o império de sua denominação ou de suas comunidades constituem o reino deles na terra. # #le deu para a igreja pastores e mestres para que eles na qualidade de ministros de Deus pudessem condu(ir homens e mulheres como um s1 corpo no caminho ESCOLA DE MINISTROS . -2' . 8 lu( dessas sete caracter+sticas é poss+vel identificar o tipo de igreja que se frequenta o tipo de l+der que se o'edece e decidir se deve seguir o caminho do discipulado cristão ou se far! parte do novo reino dos deuses da terra. .T. & "-t". C. São estes os novos l+deres que 9 semelhança de @oré Datã e A'irão defendem seu sacerd1cio e proclamam que tam'ém Jt/m direitos espirituaisK como nos dias de 5oisés. A . #nquanto Oesus apontava para a chegada iminente do reino de Deus a nova liderança da igreja cr/ que vive o reino aqui e agora! Por isso intrometem:se na pol+tica pensando que por ela governarão na terra e trarão o governo de @risto aos homens. # da mesma forma que entram na pol+tica e 'uscam para si t+tulos pol+ticos se prostituem com o sistema e podem ser vistos agradecendo a Deus pelas graças rece'idas como no caso dos deputados evangélicos neopentecostais do Distrito Vederal. O "i-' !"l".# grande parte dos crentes defende o estilo de vida de seus l+deres e se do'ra perante eles como fa(iam os escravos diante de seus senhores.t. A nova liderança dos neopentecostais tem outro foco que não é o reino de Deus futuro mas o reino deles agora. 8 semelhança de @aim pecam voluntaria e conscientemente esquecendo que j! rece'eram na testa o sinal de Deus que os manter! so' ju+(o e condenação. 23 A igreja mudou a visão de igreja mudou muito todavia o que se o'serva é que o povo est! va(io de Deus. – ITA(NA -MG . Alguns desses novos l+deres criaram a nova casta de JlevitasK que são os que cuidam do louvor da igreja mas criaram tam'ém a Jfam+lia sacerdotalK que é composta do l+der e de seus familiares num atentado grotesco ao verdadeiro sacerd1cio de Oesus @risto. A& "!ita% /0" ' K0+3' !'. #les t/m pra(er nas coisas do mundo.t" %0-!'. # para viver como pr+ncipes formam seu séquito de seguidores que os servem humildemente. I. 5uitos ainda que reneguem pu'licamente tal conceito ostentam:no no ensino aos seus l+deres isto é estes são orientados a consider!: los sacerdotes de @risto a serviço do povo. A igreja é a noiva de @risto por quem #le deu sua pr1pria vida a fim de que ela fosse pura e sem m!cula. . i'. @riticam a Walaão mas vivem como ele profeti(ando em nome de Deus mas de olho nos 'ens de Walaque X porque são insaci!veis financeiramente. %uando se perde o temor de Deus leva: se uma vida desenfreada de pecado escondida so' o manto da espiritualidade e da vida piedosa. As pessoas precisam encontrar na Dgreja a resposta para suas perguntas mais +ntimas elas precisam encontrar na igreja aquilo que é capa( de encher seu coração va(io.P. Por isso perderam o temor de Deus e nem imaginam o que lhes espera no dia do ju+(o de @risto quando todos haveremos de prestar contas.V.

I..K 5uitas ve(es os profetas deviam ser ousados e infle"+veis com o pecado e declarar aos homens a vontade de Deus assim como tam'ém declarar:lhes seus pecados. %uando o pastor chegou a senhora olhou para ele e perguntou:lhe< JPastor o Senhor é um homem de Deus*K #la sa'ia que ele era um pastor porém sua pergunta é muito profunda. >:CA Am T. e tu lhes dir!s< assim di( o Senhor 2#( B.>U:BBA Fv >U.m profeta um homem de Deus possu+a as seguintes caracter+sticas< A. #le rece'eu uma chamada espec+fica e pessoal da parte de Deus 2#" C.TA4 O profeta aparecia perante os homens na qualidade de um homem que se apresentara perante Deus 2>Is.U4. O homem de Deus de uma maneira geral deve 'uscar entendimento da mensagem profética.>R:>T4. O ministro de Deus deve a'rir a 'oca e di(er< JAssim di( o Senhor. #steve preocupado com o 'em estar de seu povo 2#" B.T4 e lhes dir!s as minhas palavras e eles quer ouçam ou dei"em de ouvir porque são casa re'elde hão de sa'er que esteve no meio deles um profeta. @erto dia uma irmã que era mem'ro de sua igreja chamou: o para orar por uma pessoa enferma no hospital. Os profetas estavam seguros de que as palavras de sua 'oca eram a palavra de Deus e a forma de pronuncia:las s1 pode acontecer com homens que estiveram presentes nos conselhos de Deus e ali rece'eram o que deviam di(er so're a terra. Por essa ra(ão este vers+culo é uma realidade muito importante para n1s hoje.elho -estamento era denunciar a impiedade 2>Sm >P. A função do profeta era tanto falar em &O5# de Deus como falar a PAFA.2' !" 0% %i-i.>>ssA Dt B6.= .U4 D.. RA Or >.C 6A B. Por outro lado aquelas são as palavras de um determinado individuo proferidas em determinada ocasião so' certas circunstancias.>P: >U4. Eavia uma dupla consci/ncia nos livros dos profetas< por um lado aquelas eram as palavras que Deus dera ao profeta.>P4A isto é ele sai da presença de Deus para apresentar:se ao homem com um recado divino não com uma palavra sua. Para o profeta #(equiel Deus falou da seguinte maneira< JVilho do homem eu te envio aos filhos de Dsrael.P. -estamento rece'eu sua forma normativa na vida e na pessoa de 5oisés que passou a constituir padrão de comparação para todos os profetas do futuro 2Dt >Q. BC<BBA Am C.6 P4.IA de Deus para o povo 2B-m C. A W+'lia fala do homem de Deus e define pelo menos tr/s funç=es importantes que o homem de Deus deve desempenhar na congregação as quais ainda que sejam distintas entre si possuem a mesma importNncia em sua relação com a igreja. ESCOLA DE MINISTROS .>UA Or BP. 5as tu lhes dir!s as 5D&EAS PAFA.>7 >R:>UA BSm >B.T.t ' <6'%"% !" D"0.RA >Is >C. Ora o que se requer dos administradores é que cada um seja achado fielK 2>@o 6.>UA Or.>A BIs 6. A p i%"i a L0-. E..T:>B e reprovar aos +mpios 2BIs >T.>A >Q. 2>Is BB.>CA B@r B6. >T. . Paulo di(< JAssim pois importa que os homens nos considerem ministros de @risto e administradores dos mistérios de Deus. $ importante que os homens nos considerem ministros de @risto.V.6:>UA #(. A profecia do A.INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA . &osso alvo é que cada um seja conhecido como um homem de Deus. . >. Deus escolhera aquele homem para ser seu porta vo(A as palavras são palavras de Deus. O o'jetivo e o efeito prim!rio da chamada era uma introdução 9 presença de Deus.BTA U. .>TA Ds. As pessoas não estão muito preocupadas em sa'er se voc/ é um pastor um mestre de teologia um doutor. -enho um amigo que é pastor.m pregador quando a're a W+'lia fala a palavra do Senhor por essa ra(ão é tam'ém um profeta de Deus. A mensagem profética era uma com'inação de proclamação e predição.>A >Sm B. Seu ministério principal no .. O profeta era tam'ém chamado de Eomem de Deus 2Dt CC.>P >P4 B.IAS. C.. @aps.> B4. Dsso nem sempre é agrad!vel e muitos profetas foram perseguidos por essa ra(ão.. – ITA(NA -MG 23 .do céu. A e"peri/ncia '!sica do profeta era< veio a mim a palavra do Senhor di(endo.>:6. a FUN9:O PROF8TICA.

>B >C4.BB4.2' !" 0% %i-i.>6A P. R. A segunda função do sacerdote era a'ençoar o povo 2&m R. Profeti(ar é declarar aos homens o que Deus pensa. $ interessante notar ainda que os sacerdotes s1 entravam no santu!rio para fa(erem intercessão pelos pecadores depois do sacrif+cio feito em seu favorA visto que s1 nessas condiç=es Deus lhes poderia ser prop+cio.0a FUN9:O SACERDOTAL <>P" B.> P TA B@r CP.V.INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA .aio ele disse uma coisa muito importante a qual refletia o coração pastoral do ap1stolo< J&ão tenho maior go(o do que ESCOLA DE MINISTROS . A S"$0-!a F0-. Primeiramente ele deve tomar conta do ta'ern!culo.> e por )ltimo manter sempre aceso o fogo do altar 2Fv.T.>4 e Paulo disse aos pres'+teros JAtendei por v1s e por todo o re'anho so're o qual o #sp+rito Santo vos constituiu 'ispos para pastoreardes a Dgreja de Deus a qual #le comprou com Seu pr1prio sangue 2At B7..6C 6QA E' >7..6A 2c4 age no interesse dos homens nas coisas pertencentes a Deus isto é nas coisas religiosasA 2d4 sua o'ra especial consiste em oferecer d!divas e sacrif+cios pelos pecadosM.BRA Q.BQ4.se referem 9 o'ra sacerdotal de @risto.BC BT4. A'ençoar o povo significa ministrar so're eles orar com eles e por eles. %uando Ooão escreveu a segunda ep+stola dirigida a .2' !" 0% 6'%"% !" D"0.P. #ssa função sacerdotal do homem de Deus é muito importante para as pessoas em qualquer igreja. . >Q.>A 6.t ' !" D"0.elas servem como analogia das funç=es pastorais hoje. a FUN9:O PASTORAL A função do pastor é apascentar. Outra de suas tarefas é cuidar do altar e oferecer os sacrif+cios pelo pecado 2&m. &isso foi tam'ém tipificado que a o'ra intercessora de @risto tem por 'ase o seu sacrif+cio e"piat1rio como ficou revelado no fato de que a cru( precedeu a sua ascensão ao céu.. A terceira função do sacerdote era fa(er intercessão pelos pecados 2&m >R. A T" &"i a F0-. E' P. #m'ora o t+tulo de sacerdote aplicado a Oesus apareça no &ovo -estamento unicamente na ep+stola aos Ee'reus 2C. Dsto significa que uma de suas tarefas é acender e conservar acesas as lNmpadas do santu!rio 2#" BT.C 64. O .Assim di( o Senhor.>>4. %ual é a função geral do sacerdote* O que deve ele fa(er* São tr/s as tarefas principais do sacerdote.I. O sacerdote oferecia os sacrif+cios pelos pecados do povo e orava em particular com Deus pedido o perdão para a congregação. B. #m'ora estas tarefas fossem pr!ticas na vida do sacerdote do . As verdadeiras caracter+sticas do sacerdote consistiam no seguinte< M2a4 o sacerdote é tomado dentre os homens para ser seu representanteA 2'4 é constitu+do por Deus cf.B7 B>A Fv B6.PA R.B7A T. Assim na sua função profética o ministro de @risto é aquele que deve declarar aos homens nada mais nada menos que a Palavra de Deus. Oesus disse para Pedro< Japascenta minhas ovelhasK e Pedro dei"ou para n1s a m!"ima< JApascentai o re'anho de Deus não por constrangimento mas como guias do re'anho 2>Pe P.>>A E' P. . A escritura mais uma ve( é clara com respeito a este of+cio de @risto. – ITA(NA -MG 23 . ?. O sacerdote tam'ém fa(ia a intercessão pelo povo 2E' T. @risto e"erce o of+cio de sacerdote oferecendo:se a si mesmo uma ve( em sacrif+cio sem m!cula a Deus para ser a propiciação pelos pecados do seu povo e fa(er cont+nua intercessão por esse mesmo povo.D= A diferença do profeta e do sacerdote consistia no seguinte< o primeiro era o representante de Deus perante o povo ao passo que o segundo era o representante do povo perante Deus.>4 muitos outros livros do &.BP4 e os a'ençoava em nome de Deus 2Fv U.>C4. #st! claro que Deus é o autor das palavras que ele di(.6 e ^c R. a .elho -estamento predi( e prefigura o sacerd1cio do Iedentor vindouro 2Sl >>7.

INSTITUTO TEOLÓGICO PALAVRA DE VIDA .T.uia:me X dar direção rumo c. Ovelhas sem pastor e. # Paulo arremata em #f R. Eoje necessitamos ter muito cuidado. Preparas uma mesa na presença dos advers!rios : Apoio na hora da angustia h. Podemos ver melhor a função pastor usando a analogia do salmo BC< a.>U< Orai tam'ém por mim para que me seja dada no a'rir da minha 'oca a palavra para com ousadia fa(er conhecido o mistério do evangelho. Por isso o te"to de Ee'reus di( em >C. 23 LEMBRE-SE )UE DEUS 8 )UEM VX VOCX EM TODO TEMPO4 APRESENTE-SE SEMPRE APROVADO A ELE 4 MAS PARA CHEGAR NELE )UE VOCX N:O VX4 TEM )UE SERVIR BEM A )UEM VOCX VX. MARCELO VARGAS ESCOLA DE MINISTROS .este de ouvir que meus filhos andam na verdadeK.P. Pastoreio não é detr!s do p)lpito. #st!s comigo X companheirismo.V.I. $ caminhar junto é ser dispon+vel f. 5ais do que nunca estas funç=es ministeriais precisam ser vistas e praticadas na igreja hoje. O'edecei a vossos pastores e sujeitai:vos a eles pois velam pelas vossas almas como quem tem de dar contas a Deus para que o façam com alegria não se quei"ando porque isto nos é proveitosoK.nges a ca'eça X refere:se tanto ao alimento espiritual como 9 cura das feridas CONCLUS:O< #"istem muitos falsos mestres hoje que podem vir somente tra(endo coisas 'oas apresentando um falso amor com o o'jetivo de enganar. 5uitas ve(es o pastor não é reconhecido por alguns porém o seu go(o ninguém pode tirar e quando olhamos para tr!s podemos ver as vidas daqueles a quem ninguém h! pregado o evangelho. . #"ortar X a vara e o cajado significam tanto a e"ortação como a orientação. &ada me faltar! X o pastor d! suprimento 9s necessidades '!sicas das ovelhasA '.T X JIecordai:vos de vossos pastores que vos falaram a Palavra de Deus considere qual foi o resultado de sua conduta e imitai a fé que tiveram. g. Iefrigera a minha alma X prov/ descanso para o cansado X la(er d. D! segurança X o mundo est! inseguro desorientado. . – ITA(NA -MG .