RESUMO DO LIVRO MANUAL DE SAÚDE VOCAL: teoria e prática da voz falada e cantada para professores e comunicadores – Rita de Cássia

Fucci Amato São Paulo: Atlas 2010

1 A VOZ PROFISSIONAL
A voz profissional é assim designada quando é utilizada como um instrumento indispensável para o desempenho de diversas funções

profissionais. Segundo Vilkman (2000, p. 120), “nas sociedades modernas, cerca de um terço da força de trabalho está exercendo profissões nas quais a voz é a ferramenta primária”. Por isso, diversos estudos têm sido realizados no Brasil quanto aos profissionais da voz, mostrando a necessidade de estes desenvolverem uma maior habilidade na percepção e no cuidado de sua voz, tendo em vista o papel crucial desse instrumento em sua qualidade de vida e desempenho profissional. A orientação vocal para os professores é processo essencial nesse âmbito e tem sido inclusiva objeto de leis que obrigam as escolas públicas a oferecerem essa informação a seus docentes. 1.1 Profissionais da Voz A voz é um instrumento de comunicação capaz de servir diversas finalidades desde a expressão artístico-musical, no caso da voz cantada, até, no caso da voz falada, a expressão artístico – teatral, científica, didática, política, jornalística, amorosa: uma encenação, uma palestra em um evento acadêmico, uma aula, um discurso político, um telejornal e uma conversa familiar são situações que bem ilustram o uso da voz como poderosa ferramenta de transmissão de informações e emoções. Profissionais da voz são, portanto, aqueles para os quais a voz é um componente básico para o desempenho de sua competência. Portanto, profissional da voz não é apenas o cantor e o ator profissionais, mas também diversas outras pessoas que profissionalmente exerçam atividade como as de: • • • • • • • Jornalistas (rádio e TV); Vendedor; Corretor de imóveis; Professores de qualquer nível de ensino; Educador físico; Educador musical; Palestrante

a efetividade no desempenho de uma função. Pessoas que utilizam intensamente a voz. Para os profissionais da voz. especialmente. como médicos. psicólogos. e podendo afetar a produtividade (no caso das faltas no trabalho advindas de problemas vocais). 1. terapeutas. ainda. ou. etc. Como representa a ferramenta de trabalho de boa parte da população economicamente ativa. Qualquer pessoa que embora não utilize a voz profissional. a boa saúde vocal justifica-se pelo impacto econômico que a voz pode ter. Telefonista Recepcionistas ou funcionários de atendimento ao público. participe de outras atividades nas quais a fala e ou o canto são fundamentais e intensamente requisitados. mas não são profissionais da voz: • • • Cantores de corais não profissionais.. como para aqueles que desempenham alguma atividade não profissional ligada à voz e para os profissionais da voz. Cantores e atores amadores. fonoaudiólogos.2 Por que a saúde vocal é importante? Manter a saúde vocal é de fundamental importância tanto para quem utiliza a voz cotidianamente. Profissional do Direito Padre/pregador religioso. a qualidade estética de determinado trabalho artístico (por exemplo. quando um ator ou cantor está com problemas vocais). .• • • • • Profissionais da saúde.

Algumas orientações gerais para uma boa produção de voz podem ser elaboradas. como sua voz é alterada para um padrão de maior agradabilidade.2 SAÚDE VOCAL A saúde vocal refere-se aos hábitos e cuidados que devem ser praticados pelas pessoas. propriocepção e consciência corporal e vocal Você convive em com seu corpo? Está satisfeito com as respostas corporais que você se dá a si mesmo e aos outros? Seu corpo realiza movimentos com graça e flexibilidade? Faça uma flexão e verifique se suas mãos tocam o chão. que permita evitar prejuízos e fomentar condições favoráveis à integridade vocal. sempre com a ressalva de que é o próprio indivíduo que estabelecerá suas prioridades. em especial por todos os profissionais da voz. 2. psíquica e emocional efetiva. em um processo de autopercepção eficaz. podemos praticar sessões de alongamento como as que são realizadas em aulas de ioga ou em práticas similares. Com o passar dos anos. Alguns estudiosos como Pederiva e Galvão(2006) realizaram considerações a respeito dos significados de corpo. transmitindo calma e docilidade. Perceba depois desse tipo de atividade. nosso corpo acumulou tensões e criamos uma couraça que vai limitando nossas energias e minando nossos prazeres corporais. . Os exercícios que flexibilizam nosso corpo nos trazem um relaxamento que imediatamente é refletido na nossa fala. Para restabelecer nossa energia vital. se possuidor de consciência corporal. Sente-se com a coluna ereta e perceba por quantos minutos consegue permanecer nessa posição.1 Relação corpo – voz – mente. entendendo-o como veículo de expressão da sensibilidade pelas diferentes metáforas que podem ser assumidas na relação performática de comunicação de significados pelo corpo.

.Destacaram as categorias: • • • • • • • • Corpo instrumento: como meio para agirmos no mundo. Corpo cultura: corpo como produto social. Corpo-mente: corpo cujas ações são comandadas pela mente. P. a totalidade corpovoz é essencial. Assim. abrangendo a saúde vocal. devem ser avaliados quanto à sua adequação ou não para o ato fonatório. é importante pensarmos na complexidade do ser humano que engloba necessidades primárias biológicas. Os aspectos posturais tais como a inclinação da cabeça. “A integração corpo-voz é um dos parâmetros básicos pelos quais podemos avaliar o equilíbrio emocional de um indivíduo. tangível. comunicam-se para o mundo exterior. um termo conhecido pela fonoaudiologia chamado propriocepção designa a percepção de si próprio em suas nuances internas. Corpo objeto: corpo como coisa concreta. Perante o exposto. através dela. Corpo – organismo: corpo organizado de vários órgãos. Corpo – base: corpo como substrato para a aprendizagem. Corpo – emoção: dimensão psíquica. emocionais e desejos e todas essas dimensões influem na produção da voz e..] o corpo e a voz devem expressar a mesma intenção” (BEHLAU. a inclinação dos ombros. Nessa elaboração. 124) Isso significa que a tomada de consciência corporal aliada à performance vocal ( fala ou canto) é de extrema relevância para o profissional da voz. 1995. sistema. a propriocepção define a consciência do indivíduo acerca de sua saúde. como resposta a um estímulo externo provocado. Percebendo a si próprio. a curvatura da coluna vertebral no andar e sentar. o posicionamento do queixo em relação ao peito. a tensão muscular cervical. [. PONTES. Nesse sentido. o sujeito pode perceber sua voz e expressar seu conhecimento e seu saber sobre sua voz para as . mensurável. Corpo – sujeito: dimensão da personalidade e individualidade.

de maneira determinante os problemas vocais. para realizar o acompanhamento da evolução do atendimento clínico na área de voz e subsidiar o planejamento de ações para a promoção da saúde vocal do docente. fonoaudiólogos. há que se tomar consciência da unidade corpo-mente. não se garante que ter certo hábito evitará ou provocará. . as orientações visando á manutenção da saúde vocal não têm um efeito instantâneo e não produzirão resultados se não forem incorporadas à prática cotidiana individual. Apenas destacam-se as atitudes que. 2.2 Avaliação vocal: Questionário de qualidade de vida e voz (QVV) – ESTE QUESTIONÁRIO ENCONTRA-SE AO FINAL DESTE RESUMO Segundo GRILLO&PENTEADO (2005. incluindo orientadores vocais. O QVV envolve dez itens e relaciona qualidade de vida e voz envolvendo o domínio físico.outras pessoas. O auto cuidado para a manutenção da boa qualidade de produção da voz é especialmente salutar para os profissionais da voz. 2. uma vez tomadas com relação à voz. 322) o QVV vem sendo utilizado em diversas pesquisas da área de fonoaudiológica para a investigação das relações entre qualidade de vida e voz em professores e sujeitos com e sem alterações vocais e vem sendo apontado como importante instrumento para avaliar o impacto da disfonia sobre a vida de pessoas em atendimento fonoaudiológico. incluindo a voz nessa dimensão uma e harmônica. socioemocional e global. como hábito. Por meio de uma propriocepção refinada.3 Condicionantes de boa saúde vocal Ao destacar os fatores condicionantes de boa ou má saúde vocal. visto que fazem parte do grupo de alto risco vocal. Assim. tendem a criar condições para a permanência de sua saúde ou para seu desgaste. para avaliar a capacidade de percepção dos sujeitos quanto ao impacto da voz sobre sua qualidade de vida. professores de técnica vocal. ao lado também da prática de exercícios de técnica vocal. p.

Má alimentação. repertório inadequado.4 Condicionantes de má saúde vocal Alguns hábitos vocais inadequados que prejudicam a saúde vocal são relevantes causadores de disodias e disfonias. Hidratação e a higienização. a saber: • • • • • • • Alimentação balanceada. fisiológicas. e patológicas. Mudanças de temperatura. são alterações na voz falada ou alterações do comportamento fonatório que correspondem a um defeito de adaptação e coordenação dos diversos órgãos que intervêm na produção da voz. Práticas esportivas. As disfonias por sua vez. Sono. Alergias. Poluição. Repouso vocal. método imperfeito. alguns pontos são essenciais para uma boa saúde da voz. Fumo. As imprudências e agressões mais comumente cometidas contra o aparelho fonador e que colocam em risco a produção falada e cantada são: • • • • • • • • Ingestão de bebidas alcoólicas. Ar condicionado. respiração inadequada. Automedicação.Resumidamente. Postura corporal adequada. 2. As disodias são alterações que se apresentam na prática do canto e suas causas são classificadas em físicas. Atividades de relaxamento físico-mentais. .

Dificultador da boa postura. Tais problemas são agravados pela ingestão habitual de cafeína. 2. competir com ruídos. Sobrecarga vocal – uso intenso da voz em um grande período de tempo. saliva viscosa e mau hálito. tossir com força. Impossibilidade de uso de equipamentos para amplificação sonora. como azia. Posturas inadequadas. o falante tende a emitir a voz de maneira mais grave ao final do dia. Quando o refluxo gastresofágico torna-se habitual. como microfones. como a estrutura interna da laringe. pigarro constante. ou seja. é considerado uma doença – a doença do refluxo gastresofágico (DRGE).• • • • • • • • • • • Descanso inapropriado. o que evidencia seu desgaste. sapatos de salto alto. provocando o edemaciamento (inchaço. como por exemplo. Necessidade de se projetar a voz a longas distâncias. Vestuário impróprio. geralmente por acúmulo de líquidos) das pregas vocais e outros sintomas. O mau uso da voz afeta a qualidade da fonação e as características vibratórias das pregas vocais. conseqüentemente afetam também a freqüência fundamental da voz. O abuso vocal pela atividade profissional resulta. Má qualidade do ar.5 Aprofundamento de alguns pontos importantes Alimentação – o refluxo gastresofágico (DRGE) Caracteriza por refluxo gastresofágico quando o ácido clorídrico ou muriático presente no suco gástrico do estômago sobe em direção à cavidade bucal (em forma gasosa) e atinge a laringe. Ambientes com grande ruído. Acústica deficiente. em disfonia ocupacional – alterações na voz falada decorrente do próprio trabalho. Maus hábitos vocais como pigarrear. Sua principal consequência destacada pelos .

aumento de secreção e infecções. Evitar uso de roupas apertadas e desconfortáveis. perder peso pela suspensão ou moderação da ingestão de alimentos com grande índice de gorduras. afetando o muco que lubrifica as paredes desses sistemas. Quanto à voz dos fumantes passivos. cítricos. Na presença de obesidade. Assim é importante a busca por ambientes mais ventilados para que a fumaça se disperse mais facilmente. alterações no muco. causando irritação. bebidas gaseificadas. Elevar a cabeceira da cama em 15 cm. A fumaça quente por este produzida agride todo o sistema respiratório e fonador. Bebidas alcoólicas O consumo de bebidas alcoólicas – quer sejam fermentadas (cerveja. pode-se afirmar que estes terão no mínimo problemas semelhantes aos dos tabagistas. bebidas alcoólicas. Cigarro O fumo é severamente nocivo para a voz. champanhe e vinho). produtos à base de tomate e chocolate. gerando uma estreita associação entre consumo excessivo de álcool e o câncer de laringe ou pulmão. A fumaça do cigarro afeta em especial as pregas vocais. tosse. O pulmão perde sua elasticidade e adquire o aspecto de uma esponja escura e rígida. o que certamente diminui drasticamente a capacidade respiratória. • • Evitar refeições exageradas. quer sejam destiladas (uísque. . café. cachaça e conhaque) – causa irritação no aparelho fonador.otorrinolaringologistas é a inflamação da laringe que afeta diretamente a saúde vocal. Medidas para a prevenção do refluxo gastresofágico: • • • Evitar deitar-se nas 2 horas posteriores às refeições. vodca. As bebidas destiladas irritam e acometem mais intensamente os tecidos. edema (inchaço).

sua dificuldade de vibração e produção de sons.Muitos sentem uma sensação de melhora momentânea na emissão vocal quando ingerem álcool. cujas consequências são sentidas após a passagem do efeito da bebida. por conseguinte. como gritar. o que ocasiona também a falta de hidratação das pregas vocais e. o que influencia negativamente a performance glótica. A atitude ideal com o ar condicionado seria evitá-lo. conseqüentemente. Ao afetar a mucosa da laringe. causando dificuldades na vibração das pregas vocais. A desumidificação do ar acaba ressecando a mucosa que recobre as vias aéreas superiores. pois este aparelho leva à desumidificação do ar. isto é. Porém. abrir as janelas também pode aumentar o ruído do ambiente. que ocorre tanto no abaixamento de temperatura provocado pelo ar condicionado. ao provocar essa anestesia. Ar condicionado A exposição constante ou habitual a ambientes por ar – condicionado deve ser evitada. a bebida alcoólica faz com que se cometam quase inconscientemente. Caso o professor tiver a opção de substituir a refrigeração por ar condicionado pela refrigeração natural da sala abrindo as janelas. como também em ambiente aquecidos artificialmente. quando se percebe a voz fraca e rouca e tem-se uma sensação de “queimação”. a emissão vocal. Entretanto. liberando uma grande descarga de muco nas pregas vocais. cometendo esforço vocal) e. o que ocasionará dificuldade para comunicação do docente e dos discentes (pois terão que falar mais alto. Isso se deve ao fato de que o álcool leva a uma leve anestesia da faringe. que também poderão ser vítima de inchaço por acúmulo de fluidos. altera as características físico-químicas do fluido que recobre sua parede. Bebidas ou alimentos em temperatura extremada Quando ingerimos líquidos ou alimentos em temperaturas extremadas o organismo reage. certos abusos vocais. para o processo de . deve fazê-lo.

o que se pode fazer. É importante ressaltar que em ambiente com ar condicionado não há uma adequada circulação e revitalização do ar. pode-se optar para a refrigeração por ventiladores. mantendo um ar “viciado”. de monóxido de carbono (CO). Assim. como a poluição atmosférica é uma questão de saúde pública. Durante uma exposição oral. onde costuma haver grande concentração de gás carbônico/dióxido de carbono (CO2) ou. esse ambiente tende a ficar com maior concentração de poluentes.ensino aprendizagem. ingeridos lentamente. como locais onde há pessoas fumando ou garagens. por exemplo. Poluição atmosférica A poluição pode produzir alterações vocais e laríngeas agudas (crises constantes) ou crônicas (alterações prolongadas). Em todo caso é necessário o controle do ressecamento das vias aéreas pela ingestão constante de líquidos por via oral e/ou nasal (solução de soro fisiológico). muitas vezes o ar condicionado é útil para mantermos uma temperatura mais amena em dias de calor intenso. pois o ar interno não sai do ambiente com facilidade e o ar externo não pode entrar adequadamente. como rouquidão. No carro. No carro e no ambiente de trabalho é sempre recomendável manter-se uma garrafa ou copo de água. pior ainda. sensação de irritação na boca. deve-se intercalar a fala com pequenos goles de água. para evitarmos a fumaça direta dos veículos que trafegam na via e para reduzir o incômodo causado pelo barulho das vias de trânsito. Em alguns casos é preferível usar o ar condicionado à refrigeração natural do ambiente. . Porém. Nesse caso. de imediato. tosse e outros sintomas. faringe e nariz. Para ambos os aparelhos é muito importante mantê-los limpos para evitar alergias e outras infecções. é não permanecer em ambientes fechados poluídos. com grandes implicações socioeconômicas a ser resolvida somente em longo prazo.

onde para nos comunicarmos temo que realizar um grande esforço vocal. emitindo a voz em alta intensidade (volume sonoro). em geral e em termos do sistema respiratório e do aparelho fonador. o que ajuda a criar um ambiente menos propício ao bolor. redobrar o cuidado na higiene destes e na limpeza doméstica. caso os tenha. ao mofo e à reprodução de microorganismos. pelos pisos frios ou de madeira. Tirar o pó dos móveis. as pregas vocais passam a ter dificuldade de vibrar. isto é. quando possível. Nesse sentido. • • Limpar os colchões com pano molhado e com álcool. Lavar as colchas e trocar travesseiros regularmente. • Manter os ambientes arejados e iluminados. que tendem a acumular mais pó e são mais difíceis de limpar. gera o estresse de nossas pregas vocais e de toda a estrutura muscular da laringe. dos enfeites e do chão com pano molhado. tornado a voz rouca. O que evitar? É importante poupar a voz quando: • • • Avenida com grande quantidade de sons. Em festas quando todos falam muito alto. Essa situação entretanto.Poluição sonora Costumamos ter um grande desconforto em ambiente de intensa poluição sonora. algumas orientações podem ser elaboradas: • Evitar tapetes e carpetes muito grossos. praticamente gritando e a isso se chama de “competição vocal”. ou seja. panos secos ou espanadores. • • Evitar animais domésticos e. incluindo sofás e cadeiras. que espalham o pó e têm eficiência reduzida na higiene do lar. . e não com flanelas. optar. Televisão ou música com volume elevado. Pó e poeira Manter a higiene doméstica é indispensável para se ter uma boa saúde.

com volume sonoro acima do normal. falar baixo não é sempre sinônimo . imitando a aceleração de um motor de automóvel. contraindo excessivamente os músculos laríngeos e estressando-os. Para evitar o pigarro e seus efeitos danosos sobre as pregas vocais. A hidratação oral é a maneira mais eficiente de se manter a necessária quantidade e qualidade de muco nas pregas vocais. Em quaisquer casos. ou seja. pigarreia-se novamente. isto é. Grito e pigarro É comum encontrarmos pessoas que pigarreiam com freqüência. asma. faringite e laringite) e alterações vocais. A produção vocal falada e cantada é prejudicada de maneira singular por alterações nas vias aéreas. ou seja. Quando gritamos.Alergias respiratórias Existe uma grande correlação entre alergias/distúrbios respiratórios (rinite. como hidratar-se para manter o muco fluido. bronquite. usando ou não a voz propriamente dita. O grito. chegando mesmo a feri-las. Entretanto. Tais sons podem ser surdos ou sonoros. para eliminá-lo. consiste em emitir a voz a voz falada em alta intensidade. que sobrecarrega a musculatura da laringe. Há também um estresse dessa musculatura quando sussurramos. a vibração das pregas vocais torna-se praticamente uma colisão. devem ser tomadas algumas atitudes. é recomendável visita a um otorrinolaringologista para a realização de exames que permitam um diagnóstico adequado e para a indicação do tratamento conveniente. ou seja. Cria-se assim. Outra atitude recomendável são os exercícios de vibração de língua (“RRRRRRR”). por sua vez. aumentando para proteger as pregas. pois o muco produzido pode dar uma nova sensação de presença de um corpo fisiológico estranho às pregas e. Esse ato provoca atrito das pregas vocais. o organismo reage a tal agressão alterando a produção de muco. devido principalmente a alterações na respiração do indivíduo e em sua produção do muco nas vias aéreas. um círculo vicioso. menos denso.

Os cantores e atores podem emitir sons de alta intensidade sem prejudicar seu aparelho fonador devido ao preparo respiratório intenso. O que se deve buscar é o volume ideal de conversação. Especificamente sobre o tratamento dos problemas vocais. mantendo uma adequada proteção térmica do corpo. já se prepara o apoio respiratório necessário para a vibração de forma que haja menor esforço das pregas vocais. sendo a melhor opção uma boa hidratação. mas não devem ser empregado com freqüência. fazendo a pessoa pensar que sua voz está plenamente restabelecida e.de poupar a voz. é um consenso entre os pesquisadores da voz que balas. a busca de um profissional que conduza um tratamento eficiente a partir de um diagnóstico adequado – fonoaudiólogos e otorrinolaringologistas. então levando a um uso extenuante da voz. Mesmo quando gritam. mascaram eventuais irritações no aparelho fonador. aquele em que a emissão vocal se dá em excessivo esforço. o emprego de uma técnica vocal corretamente orientada e. que potencialmente leva a inchaço (edemaciamento) das pregas vocais. que prejudicam a emissão vocal . produzindo um “grito empostado”. A vestimenta adequada ajuda a prevenir eventuais alergias. na ocasião de problemas de saúde. uma vez que provocam alterações no estado das mucosas. Sprays e pastilhas Algumas pastilhas e medicamentos em forma de spray produzem uma ação analgésica e anestésica sobre as mucosas da boca e da faringe. podem atenuar uma sensação desagradável momentaneamente. Assim. Vestimentas A roupa deve estar de acordo com a temperatura do ambiente de trabalho. muitas vezes. pastilhas e sprays são meros paliativos para uma voz saudável. que não fere as pregas vocais. Antes de “gritar”. podem conscientemente associar seu esforço muscular laríngeo a um bom controle de fluxo respiratório. Isso acontece por causa de um condicionamento respiratório e muscular adquirido durante anos de treinamento vocal.

fazem a pessoa gastar mais energia que o necessário para respirar e a respiração ainda continua ineficiente. . Sapatos de salto extremamente alto podem gerar desequilíbrio e ocasionar má postura corporal. isso pode implicar a má projeção da sua voz. Assim. caso a temperatura abaixe durante o dia. assim. Roupas apertadas dificultam bastante a ação do diafragma. impedindo uma emissão vocal de qualidade. Para o professor. o docente poderá escolher as roupas termicamente mais adequadas para o desempenho de sua função. também pode tensionar excessivamente o pescoço e. Evitar o uso de roupas apertadas é muito importante. assim. pois roupas inflexíveis comprimem a musculatura respiratória e. a laringe. portanto.e geram espirros. tórax projetado para frente e cabeça muito erguida. um maior desgaste. é sempre recomendável usar roupas mais frescas e levar ao trabalho um casaco. fazendo necessária uma fala em volume mais elevado e. Além do desconforto. Ademais. é essencial conhecer as salas de aula em que trabalha em termo da temperatura que o ambiente costuma ter. deve-se evitar tecidos que podem causar reações alérgicas. com ombros extremamente abertos. O calçado também influencia na emissão vocal. portanto. interrompendo a comunicação. principal músculo respiratório. Uma má postura. Ou seja. geram mais cansaço e perda de fôlego.

com músculos. o conjunto dos órgãos envolvidos de modo mais imediato na produção vocal – o chamado aparelho fonador – é constituído basicamente pelo sistema respiratório. Destacam-se a seguir as relações que existem entre alguns sistemas fisiológicos e a emissão vocal. envolvendo elementos que integram diferentes funções do organismo humano. como o diafragma. inchando as pregas vocais. respiratório e digestivo. em um trabalho conjunto dos sistemas nervoso. diversas funções fisiológicas têm uma interferência mediata ou imediata na produção da voz.3 FISIOLOGIA DA VOZ A emissão da voz requer a sinergia de muitos mecanismos.1 Sistema Respiratório É o que participa de maneira mais imediata da produção da voz e inclui as vias aéreas superiores (faringe e laringe). . De fato. músculos localizados entre as costelas. Nesse sentido. usadas para a manutenção de nossas estruturas fisiológicas.2 Sistema Digestivo Aquele que decompõe os alimentos e líquidos ingeridos em susbstÂncias básicas. A respiração fornece o ar que é a matéria – prima básica para a vibração das pregas vocais e a produção do som de nossa voz que se dá a partir do fluxo respiratório que passa pela laringe. o s pulmões e os músculos respiratórios. Além disso. Uma má digestão pode ocasionar a subida de gases ácidos que podem atingir a laringe. ocasiona dificuldades de movimentação dos músculos respiratórios. com a adição dos articuladores presentes na cavidade bucal (como a língua e os dentes). 3. para a reserva de gordura e para a produção de energia. ossos. ligamentos. harmoniosamente concatenados para uma emissão eficiente. Por isso respirar com eficiência é o mais importante pré-requisito para falar e cantar bem. órgãos. principalmente. músculo localizado sob os pulmões e os intercostais. células e tantas outras estruturas. 3.

3. Percebe-se que o aparelho fonador compõe-se basicamente dos mesmos órgãos que o sistema respiratório. dois músculos que ficam na posição horizontal. nasal e dos seios paranasais. brônquios e traquéia. conseguintemente. Constitui-se essencialmente de: • • • Produtores e canalizadores: pulmões. estão as pregas vocais. assim.3 Aparelho Fonador Conjunto de órgão que atuam mais diretamente na produção da voz. Temos as cavidades oral.4 O trato vocal O trato vocal é formado por cavidade e subdividido em regiões anatômicas. que é um apêndice do véu palatino que recobre o céu da boca. véu palatino. rinofaringe ou cavum). língua. fazendo o som da voz sair mais pela boca e diminuindo. o trato vocal representa a parte superior (a partir da . a nasalidade de nossa voz. parte oral da faringe (orofaringe) e parte laríngea da faringe (laringofaringe). 3. Quando elas vibram. Portanto. Nessas cavidades o som é amplificado e assim chega àquela qualidade que percebemos como sendo a voz. Na laringe. o nariz e os seios paranasais. As regiões do trato vocal são: parte nasal da faringe (nasofaringe. em forma de “u”. mandíbula e dentes. A úvula ajuda a diminuir a passagem da vibração das pregas para o nariz. lado a lado. nariz e seios paranasais Articuladores: lábios. mecanismos característicos da emissão vocal articulada e. Cavidades de ressonância: laringe. como a boca. inteligível. boca. acrescentando-se a este apenas os seios paranasais (na função de cavidade de ressonância) e os articuladores. produzem um som básico (buzz laríngeo). Na boca existe a úvula. faringe. Esse som produzido pelas pregas vocais passa da laringe à faringe e chega a outras cavidades de ressonância.

Essa é a configuração anatômica que pode ser observada: .laringe) do aparelho fonador.

exercícios utilizando as escalas musicais com as vocais. mais grave ou mais aguda? Como você e os outros percebem sua fala? Ela é autoritária e convincente. A percepção da nossa voz falada pode ser trabalhada com exercícios que envolvam formas de expressão vocal que não façam parte de nosso cotidiano. de . falada ou cantada. O exercício de leitura em voz alta de trechos de poesi.4 TÉCNICA VOCAL A técnica vocal.. em sentido estrito.1 Consciência auditiva da própria voz Pense a respeito de sua voz. Além de servirem diretamente à preparação para a emissão vocal. você aprenderá a identificar a postura vocal mais adequada para cada situação. como ela revela seus estados emocionais? É importante também perceber a dinâmica fonatória dos outros: a voz da pessoa que você está ouvindo é mais rouca ou mais delicada? Da voz do outro saem símbolos que expressam se sua vida foi mais sofrida ou mais calma. cintura escapular e também de postura corporal. antipática e arrogante ou doce e confortável? Quando você está irritado (a) ou angustiado (a). são realizados os vocalizes. permitindo o cultivo de um senso de propriocepção refinado. visando diretamente à preparação para a produção vocal. saberá expressar-se melhor pela sua voz. os exercícios objetivam o desenvolvimento de uma consciência maior acerca da voz e do corpo. dizendo muito mais apenas pelos sons que seu corpo emite das pregas vocais. Após essa preparação. Em seguida. Ao tomar consciência da imensidão de vozes que cerca sua vida a todo momento. pescoço. especialmente. rosto. É basicamente realizada com exercícios de relaxamento da região da nuca. você está satisfeito com ela? Perceba sua voz: como ela é. se sua rotina está estafante. são trabalhados exercícios respiratórios para controle de fluxo respiratório.. faz referência aos exercícios práticos (físicos) realizados. 4. se naquele momento a pessoa está equilibrada.

prevenção de lesões e torções musculares e a tomada de consciência corporal. Atividade corporal (postura.2. . Flexibilidade vocal e ajuste da dinâmica vocal á interpretação do texto. Capacidade de reação e correção de erros depois de interferências (por exemplo. Adequação da intensidade vocal. Afinidade com texto escolhido. que leva à maior facilidade para realização de movimentos. Tudo isso reflete na sua voz e permite um maior equilíbrio físico e mental incluindo o vocal.2 – Relaxamento muscular Entre os benefícios dos alongamentos estão a diminuição da tensão muscular e o relaxamento do corpo e da mente. Práticas de relaxamento para cintura escapular são essenciais para uma boa postura e para a produção vocal falda e cantada. Temos muita facilidade para acumular tensões nessa região. ruídos).crônicas. a melhora da coordenação. contos e outros gêneros de textos poderá contribuir para a dinamização da fala e a flexibilidade vocal. 4.1 – Relaxamento da cintura escapular e região do pescoço A cintura escapular PE a estrutura formada para conectar os braços ao nosso tronco. padrões de fala e técnicas de apresentação. 4. A prática da performance falada de textos em verso e prosa auxilia no desenvolvimento de posturas. A movimentação dos braços está diretamente ligada à cintura escapular e a musculatura que a envolve. Você pode avaliar sua performance vocal falada de textos segundo alguns parâmetros: • • • • • • • • Estudo e preparação. Clareza e articulação na performance. trabalhando a desinibição e a interpretação eficaz em aulas e palestras aprimorando sua propriocepção. Capacidade de envolvimento emocional. olhos e mãos) durante a interpretação.

com menor esforço. as costelas se elevam e o diafragma é pouco ativo em seu deslocamento.Alguns exercícios podem ser realizados com ganho postural e tranqüilidade na emissão da voz. Média. pela elevação e tensão da laringe.2 – Relaxamento da musculatura facial e trato vocal Promover o relaxamento das estruturas musculares do nosso rosto é muito importante para a emissão vocal mais tranqüila. O diafragma se contrai. 4. Temos basicamente quatro tipos de respiração: 1. na região da pelve. na região da cintura. na região do períneo.3 Consciência respiratória Os atos respiratórios podem ser percebidos em várias regiões do nosso corpo: na região anterior e posterios das costelas. È mais utilizada quando em repouso ou em conversações diárias. mas as costelas não se elevam. pois o ar vai apenas para o pulmão. Inferior ou abdominal: ausência de movimentos na região superior do abdome e expansão da região inferior.2. A produção vocal é alterada pelo aporte insuficiente de ar e o som tende a ser agudo. Não propirciona elevada pressão aérea. 3. na frente do abdome. mas é inapropriada para o uso profissional da voz. 2. A ação combinada de músculos e demais elemento da mecânica respiratória define o tipo respiratório que é utilizado. Todas essas percepções em nosso corpo não alteram a fisiologia respiratória. nem . com menos gasto energético e mais eficiente porque a voz sai mais clara e demanda menos ar. 4. para frente e para trás. clavicular ou superior: o tórax se dilata na inspiração. mista ou torácica: pouca movimentação superior ou inferior do tórax durante a inspiração e um deslocamento anterior da região média torácica.

Diafragmático-abdominal ou costo-diafragmático-abdominal: expansão harmônica da caixa torácica e abdominal. usando apenas as notas que a voz do cantor consegue alcançar. das mais graves às mais agudas. com duração média de 5 minutos: • • • b. Assim.satisfatório domínio dos movimentos. 4. daí ser imprórpio para a fonação mais apurada. Para tanto o corpo deve ser preparado através de exercícios de relaxamento e práticas respiratórias. evitando o abuso decorrente da utilização prolongada dos ajustes do canto. segue um programa para o desaquecimento. . Por isso o desenvolvimento da respiração diafragmático abdominal é a mais eficaz para o desenvolvimento da voz profissional. necessárias a uma psicodinâmica vocal que sugere autoridade e confiabilidade. Aquecimento e desaquecimento Aquecer a voz significa realizar exercícios com vogais adequados a cada registro vocal.com.editoraatlas. Relaxamento facial pela técnica do bocejo. O aquecimento vocal evita a sobrecarga muscular (pelo uso ineficiente) e a fadiga vocal. Rotação de cabeça com vogais escuras. ou seja. O desaquecimento vocal tem como objetivo principal fazer com que o indivíduo retorne ao ajuste fonoarticulatório da voz coloquial. ou depois de prolongada utilização da voz profissional. Sons nasais e ou vibrantes em escalas descendentes. – Site de apoio http://www. possibilitando maior volume aéreo circulante. mais vigor e maior domínio das ações. a. A atividade docente requer resistência vocal para o uso da voz com forte intensidade e boa projeção.br – seção correspondente ao Manual de saúde vocal ou materiais de apoio. sem excesso na região superior ou inferior.

com .http://www.fonoaudiologia.

Tenho me tornado menos expansivo por causa da minha voz Isso nunca acontece e não é nenhum problema Isso Isso Isso Isso acontece acontece acontece acontece às muito e sempre e pouco e vezes e é um quase realmente é raramente pe problema sempre é um um problema um problema moderado problema ruim CONSIDERAÇÕES FINAIS .Não sei como a voz vai sair quando começo a falar 4 .Evito sair socialmente por causa da minha voz 9 .QUESTIONÁRIO DE QUALIDADE DE VIDA E VOZ Autoavaliação pelo questionário de qualidade de vida e voz (QVV) Resposta Questão 1 .Fico deprimido(a) por causa da minha voz 6 .Tenho dificuldade em falar forte (alto) ou ser ouvido(a) em ambientes ruidosos 2 .Tenho dificuldades ao telefone por causa da minha voz 7 .Preciso pegar ar muitas vezes enquanto eu falo 3 .Fico ansioso(a) ou frustrado(a) por causa da minha voz 5 .Tenho problemas no meu trabalho ou para desenvolver minha profissão por causa da minha voz 8 .Tenho que repetir o que falo para ser compreendido por causa da minha voz 10 .

.O objetivo das informações aqui propostas é de elucidação e autoconhecimento para a melhoria das condições de vida. portanto cuide bem desse instrumento raro. visando à manutenção ou promoção da saúde vocal dos profissionais da voz. Sua voz é um diamante a ser lapidado. Espera-se que o objetivo possa ser alcançado! Faça bom proveito do material. É único e precioso.

.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS AMATO. São Paulo: Atlas. Rita de Cássia Fucci. 2010. Manual de saúde vocal: teoria e prática da voz falada para professores e comunicadores.