Simulado nº 8 – Exatas 3 – 1º/2009

SIMULADO ELABORADO PELOS PROFESSORES:
Biologia - Chico
Matemática - Fausto
Física - Marcos Vinícius
Química - Alex
CIÊNCIAS DA NATUREZA E MATEMÁTICA – 3
O gráfico a seguir representa a curva de solubilidade de
NaNO3 em função da temperatura. Quatro misturas de nitrato de
sódio, A, B, C e D, foram preparadas, em diferentes temperaturas,
misturando-se diferentes massas de nitrato de sódio em água.

Com base no texto apresentado e conhecimentos
correlatos, julgue os itens de 1 a 6.
1.

O processo de dissolução do nitrato de sódio em água é
globalmente endotérmico, ainda que exista uma fase
exotérmica nesse processo.

2.

Na mistura A, trata-se de uma solução supersaturada.

3.

Das misturas que apresentam corpo de fundo, C é a que possui
maior massa de precipitado.

4.

A mistura A + C, mantida a 70 °C, é um exemplo de solução
insaturada.

5.

Se a mistura D fosse resfriada a 20°C, seria formado um corpo
de fundo de 20g.

6.

Aumentando-se a pressão do sistema, sob temperatura
constante, o coeficiente de solubilidade do nitrato de sódio
sofreria um incremento.

Um aluno realizou uma série de testes envolvendo reações
de óxido-redução em solução aquosa. Em uma síntese de suas
observações, o aluno anotou:



o metal zinco (Zn) reage com solução aquosa de HCl;
o metal estanho (Sn) reage com solução aquosa de HCl;
o metal prata (Ag) não reage com solução aquosa de HCl;
o metal estanho (Sn) não reage com solução aquosa de íons
Zn2+.

9.

A solução aquosa de HCl poderia ser substituída por uma solução
aquosa de H2SO4, sem prejuízo para as conclusões do aluno.

10.

A pilha que fornece a maior diferença de potencial elétrico, a
partir das espécies analisadas pelo aluno, deve ser formada por
eletrodos de zinco e prata.

11.

No caso das reações evidenciadas pelo aluno, o HCl atuou
como redutor enquanto o metal, como oxidante.

12.

De acordo com os resultados evidenciados pelo aluno, pode-se
inferir que o Sn presta-se como metal de sacrifício do Zn.

13.

Para obtermos a máxima potência elétrica fornecida pela pilha,
devemos ligar a ela um conjunto de resistores de tal forma que
a resistência equivalente seja igual à metade da resistência
interna do citado gerador elétrico.

14.

Um pilha recarregável funcionando como receptor elétrico
mantém constante sua resistência elétrica.

15.

A corrente de curto circuito para uma associação em paralelo
de duas pilhas iguais equivale à metade da corrente de curto
circuito de cada pilha.

Uma notícia circula na Internet, por e-mails e fóruns,
sobre como seria possível enganar o bafômetro ingerindo-se uma
mistura de coca-cola e gelo momentos antes de passar pelo teste do
assopro. Seria possível confundir o aparelho com esta ingestão já
que a mistura promove a liberação de hidrogênio, confundindo o
sistema. Mesmo que você tenha ingerido uma grande quantidade de
bebida alcoólica, continua a notícia, o teste vai dar negativo ou
abaixo dos 0,02 mg/L.
A explicação é a seguinte:
“Isto acontece pelo fato de o hidrogênio liberado pelo gelo
anular a maior parte da associação do álcool no ar do seu pulmão.
Esta dica é velha e foi descoberta por estudantes de química
americanos que tiveram que enfrentar o mesmo tipo de punição nos
anos 70 e 80. A coca-cola, para que serve? Poxa, você não vai
querer ser parado com um copo de whisky com gelo. Então, bota
qualquer refrigerante, menos água, pois demora mais para retirar o
hidrogênio do gelo.”
Disponível em: http://<www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u430605.shtml>.
Acesso em: 07 ago. 2008.

Considerando o texto anterior e de acordo com o
conhecimento químico, julgue os itens de 16 a 21.
16.

A informação é verdadeira porque, ao fundir, o gelo libera o
hidrogênio presente na molécula de água.

17.

O hidrogênio pode ser obtido quando se passa uma corrente
elétrica (eletrólise) na água acidulada por ácido sulfúrico, mas
é impossível liberar hidrogênio nas condições citadas acima.

de 7 a 15.

18.

0,02 mg/L significa que a massa do etanol é de 0,02 mg em
cada litro de ar expirado.

7.

Entre os metais estudados pelo aluno, conclui-se que um
eletrodo de zinco deve apresentar o maior potencial padrão de
redução.

19.

O hidrogênio, por ser um comburente, poderá causar uma
explosão quando a pessoa expirar próximo de uma chama.

8.

A reação do metal estanho com a solução aquosa de HCl pode
ser representada pela equação: Sn + 2HCl  SnCl2 + H2.

20.

O pronome “isto”, no último parágrafo, é um termo anafórico
e tem como referente o processo que ensina a como enganar o
teste do bafômetro.

Analisando os dados obtidos pelos alunos, julgue os itens

1

Simulado nº 8 – Exatas 3 – 1º/2009

21.

A bebida alcoólica citada é produzida a partir da fermentação
de carboidratos por fungos anaeróbicos num processo em que
há liberação de gás carbônico e, posterior, destilação.

Uma espécie de besouro, cujo nome científico é
Anthonomus grandis, destrói plantações de algodão, do qual se
alimenta. Seu organismo transforma alguns componentes do algodão
em uma mistura de quatro compostos, A, B, C e D, cuja função é
atrair outros besouros da mesma espécie:

Considere as seguintes afirmações sobre esses compostos
e julgue os itens de 22 a 31.
22.

A e B são isômeros de cadeia.

23.

A quantidade de água produzida na combustão total de um
mol de B é igual àquela produzida na combustão total de um
mol de D.

24.

Apenas as moléculas do composto A contêm átomos de
carbono quiral.

25.

O composto B apresenta isômeros da função ácido carboxílico.

26.

O ponto de ebulição da molécula B é menor que a molécula D,
considerando a formação de interações intermoleculares mais
intensas entre as moléculas do aldeído.

27.

A molécula A não apresenta isomeria geométrica.

28.

As moléculas C e D apresentam ressonância, apesar de não
serem aromáticas.

29.

Analisando-se apenas as estruturas moleculares, pode-se
inferir que a molécula A é mais solúvel em água que a C.

30.

C e D são moléculas planas.

31. Nos ovários de uma fêmea de Anthonomus grandis, há meiose
na formação de gametas. Os ovários de flores do algodoeiro
originam frutos após a fecundação.
A produção de lixo decorrente das atividades humanas é
responsável por sérios problemas ambientais causados pela
liberação inadequada de resíduos residenciais ou industriais. Um dos
resíduos que merece destaque na contaminação do ambiente é o
mercúrio metálico e seus compostos. O mercúrio tem larga
aplicação como eletrodo no processo de obtenção de cloro gasoso e
da soda cáustica (NaOH(s) impuro), a partir da eletrólise da salmoura
(NaCl(aq)). O metal mercúrio também é utilizado no garimpo do ouro
em leito de rios e, na fabricação de componentes elétricos como
lâmpadas, interruptores e retificadores. Compostos iônicos contendo
cátions de mercúrio (I) ou (II), respectivamente Hg 22+ e Hg2+, são
empregados como catalisadores de importantes processos industriais
ou ainda como fungicidas para lavoura ou produtos de revestimento
(tintas). O descarte desses compostos, de toxicidade relativamente

baixa e geralmente insolúveis em água, torna-se um grave problema
ambiental, pois algumas bactérias os convertem em dimetilmercúrio
(CH3HgCH3) e no cátion metilmercúrio (II) (CH3Hg+) que são
altamente tóxicos. Esses derivados são incorporados e acumulados
nos tecidos corporais dos organismos, pois estes não conseguem
metabolizá-los.
Com base no assunto do texto, julgue os itens de 32 a 37.
32.

Na eletrólise da salmoura, o gás cloro é produzido no cátodo.

33.

A cadeia carbônica do dimetilmercúrio classifica-se como
alifática, saturada e homogênea.

34.

Um dos descartes de compostos iônicos de mercúrio é o
sulfato de mercúrio (I). Dessa forma, quando esse composto é
convertido em dimetilmercúrio pela ação das bactérias, podese inferir que o elemento mercúrio sofre oxidação.

35.

A alta toxicidade do dimetilmercúrio e do metilmercúrio (I)
comparada aos compostos iônicos insolúveis de mercúrio
deve-se, entre outros aspectos, a sua maior solubilidade e a sua
maior facilidade em atravessar membranas.

36.

A bioacumulação dos derivados tóxicos do mercúrio nos
tecidos humanos pode ser entendida pela ausência de enzimas
nesses organismos capazes de biotransformá-los em
compostos que tenham características químicas que lhes
permitam ser excretados, tais como baixa solubilidade em
água e alta capacidade de coagulação.

37.

Contrariamente aos demais metais, o mercúrio é o único que se
encontra em fase líquida em temperatura ambiente, portanto,
comparado aos demais metais e sob mesma temperatura, pode-se
concluir que o mercúrio apresenta baixa pressão de vapor.

KERS
KERS não é um nome, é a sigla de Kinetic Energy
Recovering System (sistema de recuperação de energia cinética).
O KERS foi incluído no regulamento da F-1(Fórmula 1)
para 2009, inicialmente como opcional. As regras permitem que as
equipes desenvolvam seu próprio sistema ou comprem de terceiros,
sem obrigá-las a usar o equipamento.

A potência fornecida pelo KERS representa cerca de 10%
da potência máxima de um motor de F-1 e deverá ser particularmente
útil em ultrapassagens. Pelo regulamento, a cada volta o KERS poderá
liberar no máximo 400 kJ, e nunca mais de 60 kW (1kW=1kJ/s) em
um determinado intervalo de tempo. Um dos fabricantes de KERS é a
Flybrid, que desenvolveu um sistema baseado num volante acoplado
por embreagem a um câmbio CVT, ligado ao câmbio do carro. O
volante, feito de aço e fibra de carbono, gira a mais de 60.000 rpm no
vácuo, graças a uma câmara selada, para diminuir o atrito. O
equipamento completo pesa 24 kg e é capaz de gerar até 81,5 cv. É o
controle da relação das polias do câmbio CVT que define quando o
sistema armazena ou libera energia. Na desaceleração, o movimento é
dirigido ao volante, que acumula energia cinética.

2

Simulado nº 8 – Exatas 3 – 1º/2009

Fora de uma casa comum existe um conjunto de postes
com um condutor fase (de aproximadamente 7.200 volts) e um fio
condutor terra (embora às vezes haja duas ou três fases no poste,
dependendo de onde a casa está localizada na rede de distribuição).
Em cada casa, há um transformador conectado ao poste, assim:
Em muitos bairros, as linhas de distribuição são
subterrâneas e há caixas verdes de transformadores em cada uma ou
duas casas. Aqui estão alguns detalhes dos elementos presentes no
poste:
O sistema desenvolvido pela equipe Williams também usa
um volante, mas ele é acionado eletricamente, e não há um câmbio
CVT. No KERS da Williams o volante, também mantido em
compartimento com vácuo, é produzido em fibra de carbono, com
rolamentos de cerâmica e eixo de aço, e ultrapassa 100.000 rpm.
No volante do sistema da Williams partículas magnéticas
são incorporadas ao material do volante, e a passagem de corrente
(gerada nas frenagens, graças à ligação dos semi-eixos com um
gerador) o leva a acelerar. Um inversor permite o fluxo no sentido
contrário quando o piloto aperta o botão de acionamento do KERS,
o volante funciona como um gerador, enviando corrente elétrica ao
motor elétrico auxiliar.
Outros sistemas em desenvolvimento usam tecnologias
diferentes, como o emprego de geradores, baterias (de íon-lítio) ou
supercapacitores e motor elétrico para respectivamente produzir,
armazenar e despejar potência extra.
Adote Lfusão=80 cal/g. cgelo=0,5 cal/g oC. 1 cal=4,18 J.
Com base no texto apresentado e conhecimentos
correlatos, julgue os itens de 38 a 47.
38.

Infere-se do texto que o motor de um carro de F1 tem menos
de 750 cv.

39.

Infere-se do texto que o piloto tem aproximadamente 6,7
segundos de intervalo de tempo para usar toda a potência
adicional.

40.

A velocidade angular do volante, feito de aço e fibra de
carbono, é superior a 600 rad/s.

41.

O equipamento completo citado no texto cuja massa equivale
a 24 kg tem capacidade térmica superior a uma massa idêntica
de água.

42.

Infere-se do texto que os supercapacitores são utilizados para
produzir energia elétrica.

43.

Os supercapacitores citados no texto, quando ligados a um
gerador elétrico, têm suas placas carregadas eletricamente por
indução eletrostática.

44.

Admitindo que os supercapacitores são feitos de placas planas
e infinitas, dispostas paralelamente uma à outra, podemos
afirmar que a densidade superficial de cargas elétricas nele
armazenadas é diretamente proporcional à tensão elétrica entre
suas placas.

45.

A energia liberada a cada volta pelo KERS não é suficiente
para derreter metade de um bloco de gelo, com 1,5 kg,
inicialmente a -10 oC.

46.

Infere-se do texto que 1 cv equivale a aproximadamente
736,2 W.

47.

Um ponto na superfície externa do
volante usado no KERS da Williams
possui velocidade tangencial maior do
que um ponto na superfície externa do
volante usado pela Flybrid.

O função do transformador é reduzir a tensão elétrica de
7.200 volts para os 240 volts usados nas instalações elétricas
residenciais normais.
Observa-se na figura:

um cabo exposto descendo pelo
poste: o fio terra. Todo poste no
planeta tem um. Se você vir uma
empresa de energia instalar um novo
poste, perceberá que a extremidade
do cabo exposto está conectada a uma
haste na base do poste e, por isso, está
em contato direto com a Terra,
percorrendo de 1,8 a 3,0 m no
subsolo. Esta é uma conexão boa e
sólida com a Terra. Se você examinar
um poste com cuidado, verá que o fio
terra que corre entre os postes
está conectado a essa ligação direta
com o solo;
dois cabos saindo do transformador e três cabos entrando
na casa. Os dois cabos do transformador são isolados e o
terceiro é exposto. O cabo exposto é o fio terra. Os dois cabos
isolados possuem cada um 120 volts, mas estão 180 graus
defasados; então, a diferença entre eles é de 240 volts. Essa
configuração permite que o proprietário da casa use tanto os
aparelhos de 120 volts como os de 240 volts. O transformador é
enrolado neste tipo de configuração:

3

Simulado nº 8 – Exatas 3 – 1º/2009

e estruturas aéreos, antecipando para o piloto detalhes da rota
a ser seguida pela aeronave, garantindo a segurança do vôo.
58.

Os 240 volts "entram" em sua casa por meio de um típico
medidor como este:

O medidor permite que a empresa de energia faça a correta
medição da energia elétrica utilizada pelos moradores.
Com base no texto apresentado e conhecimentos
correlatos, julgue os itens de 48 a 58.

As linhas de transmissão de energia elétrica que saem da UHE
de Itaipu e se dirigem para o Centro-Oeste do Brasil são ditas
linhas de baixa tensão, pelo fato de a UHE citada ser a de
maior potencial gerador da Terra.

A luz solar é uma radiação eletromagnética – energia de
muitos comprimentos de ondas diferentes emitida pelo Sol. Ela
atravessa o espaço numa velocidade enorme de 299.274 km por
segundo. Essa energia nos provê da luz e do calor de que
necessitamos e também dos prejudiciais raios ultravioleta (UV). A
maneira pela qual a radiação solar nos afeta depende do seu
comprimento de onda, o qual determina como ela será absorvida
pelos nossos diferentes tecidos. Esses tecidos incluem aqueles do
olho, responsáveis pela visão, e os da pele, todos suscetíveis à lesão
pelos UV.
Com base no texto apresentado e conhecimentos
correlatos, julgue os itens de 59 a 69.
59. Quanto maior o comprimento de onda de uma radiação no
vácuo, menor será sua frequência.
60.

Por causa do aquecimento gerado pelo Sol durante o dia, a
temperatura de Brasília não varia, normalmente, mais de 5ºF.

61.

Caso ocorra uma alteração no Sol, a informação desse fato
chegará instantaneamente a nossos olhos.

62.

A onda emitida pelo Sol que chega até a Terra é longitudinal.

63.

A luz do Sol, ao entrar na atmosfera terrestre, experimentará
refração, mesmo que sua trajetória não seja alterada.

64.

Dois recipientes fechados contendo água são expostos à luz
solar, sendo um pintado de preto e outro de branco. Pode-se
notar que, após algum tempo, a água que está dentro do
recipiente preto estará mais quente, pois ele absorveu mais
calor.

65.

Os mesmos recipientes do item anterior, após a primeira
experiência, são colocados em um ambiente escuro e frio.
Nota-se que o branco esfriará primeiro, pois ele tem um maior
poder de reflexão.

48.

O transformador, de acordo com o texto, tem como função a
redução da tensão elétrica e da potência elétrica.

49.

A razão entre o número de espiras do primário e do secundário
do transformador citado no texto equivale a 30.

66.

50.

A corrente elétrica alternada utilizada em muitos aparelhos
elétricos residenciais é oriunda de uma variação temporal de
fluxo magnético.

A frequência de radiação refletida por um corpo é diretamente
proporcional à sua temperatura, em kelvin, elevada à quarta
potência.

67.

51.

O transformador opera de acordo com o princípio de que uma
corrente contínua em um circuito elétrico induz uma f.e.m. em
um circuito elétrico vizinho devido a indutância mútua dos
dois circuitos.

As várias radiações que compõem a luz solar são absorvidas
pelas clorofilas A e B durante o processo fotossintético,
fornecendo energia para a movimentação de elétrons na
membrana tilacoidal dos seres autótrofos.

68.

52.

A unidade de medida utilizada no equipamento de medição é o
Kilowatthora. Essa unidade é resultado da razão entre a
potência em kW e o tempo em horas.

Os cones são mais sensíveis à radiação de baixa luminosidade
por apresentarem pigmentos que absorvem com maior
eficiência a radiação solar na penumbra.

69.

53.

O campo magnético gerado pelo solenóide do transformador
possui linhas de campo fechadas, em contrapartida as linhas
de campo elétrico são sempre abertas.

A ação da radiação UV na pele pode provocar mutações e
desencadear o desenvolvimento de câncer de pele.

54.

Em transformadores reais pode-se observar uma alteração nas
potências entre as duas bobinas do transformador.

55.

A água represada no Lago Paranoá é um bom exemplo de
armazenamento de energia cinética.

56.

Durante a vigência do Horário Brasileiro de Verão, a curva de
demanda de energia é jogada para fora do horário de pico
habitual. Se essa medida não fosse executada, a maioria das
UHE (usinas Hidrelétricas) deixaria de funcionar.

57.

As linhas de transmissão de energia elétrica espalhadas pelo
País têm umas esferas (semelhantes às bolas de basquete) que
servem como indicativos de que naquela região existem cabos

As engrenagens são usadas em
milhares de dispositivos mecânicos. Elas
realizam várias tarefas importantes, mas
a mais importante é que elas fornecem
uma redução na transmissão em
equipamentos
motorizados.
Por
exemplo, uma chave de fenda elétrica
tem uma redução de transmissão muito
grande, porque precisa de muito torque
para girar os parafusos, mas o motor só
produz quantidade de torque pequena e velocidade alta. Com a
redução de transmissão, a velocidade de saída pode ser diminuída e
o torque, aumentado.

4

Simulado nº 8 – Exatas 3 – 1º/2009

No diferencial existente entre as rodas traseiras do seu
carro, a energia é transmitida por um eixo que passa pelo centro do
carro, o que faz com que o diferencial tenha de "deslocar" essa
energia em 90º, para aplicá-la sobre as rodas.
Engrenagens sem-fim são usadas quando grandes reduções
de transmissão são necessárias. Esse tipo de engrenagem costuma
ter reduções de 20:1, chegando até a números maiores.
Muitas engrenagens sem-fim têm uma propriedade
interessante que nenhuma outra engrenagem tem: o eixo gira a
engrenagem facilmente, mas a engrenagem não consegue girar o
eixo. Essa característica é útil para máquinas como transportadores,
nos quais a função de travamento pode agir como um freio para a
esteira quando o motor não estiver funcionando. Outro uso muito
interessante para engrenagens sem-fim está no diferencial Torsen,
que é usado em carros e caminhões de alto desempenho.
Pinhão e cremalheira são usados para converter rotação
em movimento linear.

em pacientes infectados com HIV quando a terapia antirretroviral é
interrompida”, destaca o pesquisador.
Método seguro
Os ensaios clínicos atestaram a segurança do emprego da
técnica em humanos: não houve morte nem complicações clínicas
(cardiovasculares, renais ou hepáticas) ou infecções severas entre os
participantes que receberam as células modificadas. Os
pesquisadores também não detectaram o desenvolvimento de
resistência viral durante o tratamento. (...)
(...)Segundo o pesquisador, é preciso aperfeiçoar as
técnicas de inserção de genes, talvez usando mais de um gene antiHIV para atingir vários locais dentro do vírus, e encontrar melhores
meios de permitir que as células modificadas geneticamente
resistam e se desenvolvam nos pacientes. “Se conseguirmos tornar
esse tratamento mais efetivo no controle do HIV, ele poderá um dia
ser capaz de substituir ou reduzir a necessidade do tratamento
contínuo com drogas antirretrovirais”, avalia.
Thaís Fernandes (Ciência Hoje On-line, 16/02/2009)

Com base no texto apresentado e conhecimentos
correlatos, julgue os itens de 74 a 77.

Com base no texto apresentado e conhecimentos correlatos, julgue
os itens de 70 a 73.
70.

Infere-se do texto que um pequeno motor girando muito
rapidamente consegue fornecer energia suficiente para um
dispositivo, mas não consegue dar o torque necessário.

71.

Infere-se do texto que as engrenagens promovem ajustes de
direções de rotação.

72.

Infere-se do texto que o ângulo do eixo de uma engrenagem
sem fim é tão pequeno que, quando a engrenagem tenta girálo, o atrito entre a engrenagem e o eixo não deixa que ele saia
do lugar.

73.

Um exemplo perfeito do sistema pinhão e cremalheira é o
sistema de direção de muitos carros. O volante gira uma
engrenagem que se une à cremalheira. Conforme a
engrenagem gira, ela desliza a cremalheira para a direita ou
para a esquerda, dependendo do lado para o qual está virando
o volante.
Novidade promissora contra a AIDS
Terapia gênica mostra-se segura e relativamente
eficaz em testes com portadores do vírus HIV

Uma equipe internacional acaba de obter um importante
avanço no combate à AIDS. Ensaios clínicos mostraram que a
aplicação de terapia gênica em portadores de HIV é segura e tem
efeitos positivos – embora modestos – sobre os pacientes. Os
resultados indicam que a técnica, depois de aperfeiçoada, poderá se
tornar uma alternativa ao tratamento com drogas antirretrovirais,
que precisam ser administradas por toda a vida e geram vários
efeitos colaterais.
A terapia gênica empregada pelo grupo consiste em inserir
um novo gene em células-tronco sanguíneas (que dão origem a todas
as células imunes do sangue) retiradas dos próprios pacientes. A
sequência genética em questão impede a replicação do HIV ao agir
sobre duas proteínas essenciais para o vírus. As células modificadas
são então reintroduzidas na corrente sanguínea dos pacientes. (...)
(...)“O estudo mostrou a aplicabilidade do método para
reduzir a replicação do HIV e melhorar os níveis de células T CD4+

74.

A terapia gênica consiste no tratamento de doenças, de origem
genética ou não, pela introdução de gene(s) nos pacientes a
fim de promover melhora ou cura.

75.

A tecnologia do DNA recombinante permite a produção de
vírus ou plasmídios alterados geneticamente para serem
utilizados como vetores de genes de interesse.

76.

A técnica utilizada é classificada como in vivo que modifica
diretamente o HIV impedindo a produção de duas proteínas
importantes em sua replicação.

77.

As células CD4, citadas no texto, são linfócitos que possuem,
em sua plasmalema, receptores para o HIV. Quando são
destruídas, o reconhecimento dos antígenos é afetado e a ação
do sistema imunológico contra parasitas torna-se precária,
podendo provocar a morte por infecções oportunistas.

Mutação pode tornar a pílula masculina real
Cientistas descobrem alteração genética que impede
espermatozóide de “nadar” e fecundar óvulo. Droga
contraceptiva imitaria defeito
Uma nova revolução sexual pode estar se delineando nos
laboratórios da Faculdade de Medicina Carver, na Universidade de
Iowa. (...)
(...)A chave da pesquisa de Michael está no gene Catsper1,
fonte de uma proteína homônima que garante ao espermatozóide a
capacidade de se movimentar. “Nós identificamos as mutações no
Catsper1 em duas famílias iranianas, nas quais alguns dos homens
não podiam ter filhos”, explicou ao Correio o especialista, por email. “Faltava neles essa proteína, o que impedia o espermatozóide
de entrar no óvulo para fertilizá-lo.”
A proteína Catsper1 é produzida na cauda do gameta
masculino. Ao analisar o DNA dos voluntários iranianos, Michael
percebeu uma alteração genética que danificava o gene, impedindo a
“fabricação” da substância. “As mutações na Catsper1 são apenas
uma causa da infertilidade em alguns homens. As outras são um
pequeno número de genes e fatores ambientais”, afirmou. Os
pesquisadores de Iowa esperam utilizar tudo o que sabem sobre a
mutação para desenvolverem uma droga capaz de transtornar o
funcionamento da Catsper1. “Poderíamos usar um medicamento que
se colaria à proteína, interferindo em sua função normal”, comentou
o líder do estudo.
Se a candidata à pílula masculina bloquear com eficiência
a função da proteína e mostrar segurança em camundongos,
permitiria a realização de um teste clínico em humanos. Ainda não
existe um prazo para o contraceptivo dos homens chegar às
farmácias. Michael afirma que os estudos com animais levarão
vários anos, mas a perspectiva é otimista. “A pílula provavelmente
será segura porque a proteína é produzida somente no

5

Simulado nº 8 – Exatas 3 – 1º/2009

espermatozóide e não em outras células, o que reduz o risco de
efeitos colaterais”, explicou. Além disso, a técnica não envolveria
manipulação genética. Segundo o especialista, o padrão de resposta
da droga seria reversível: a pessoa seria infértil apenas enquanto
tomasse o medicamento. “Com a interrupção do uso da pílula, a
fertilidade seria restabelecida.”
Rodrigo Craveiro (Correio Braziliense, 04 de abril de 2009)

Com base no texto apresentado e conhecimentos
correlatos, julgue os itens de 78 a 81.
78.

A ausência da Catsper1 impede a movimentação do flagelo e,
assim, a locomoção do espermatozóide.

79.

Os flagelos de eucariotos são formados por nove trincas de
microtúbulos. Sua origem está relacionada a uma estrutura
denominada centríolo.

80.

O anticoncepcional proposto agiria diretamente nos
espermatozóides, afetando sua locomoção sem modificar o
funcionamento de células produtoras de hormônios
masculinos e, consequentemente, sem riscos de disfunções
eréteis.

81.

A espermatogênese não seria afetada pelo anticoncepcional
masculino. Os espermatozóides produzidos seriam normais,
porém incapazes de ultrapassar as barreiras em torno do ovócito.

Infertilidade masculina
A infertilidade masculina pode ter diversas causas, como
hipogonadismo, anormalidades no trato genital, infecções, doença
crônica, medicação, exposição a agentes químicos e varicoceles. Uma
delas é a agenesia bilateral congênita de vasos deferentes, encontrada
em aproximadamente 1,4% dos homens inférteis da população. É, em
grande parte, causada por mutações no gene da fibrose cística CFTR
(sigla de cystic fibrosis transmembrane regulator), localizado no
cromossomo 7. A proteína produzida a partir desse gene age como um
transportador na superfície das células responsáveis pela liberação de
substâncias como sódio e água nos canais do sistema reprodutor
masculino. Juntamente com os espermatozóides essas substâncias
formam o sêmen. A agenesia (ausência) congênita de vasos deferentes
(e conseqüente infertilidade) é um sinal clínico comum em homens
afetados por fibrose cística. Entretanto, o portador de uma mutação no
gene da fibrose cística pode apresentar a ausência de vasos deferentes
como única manifestação clínica, sem nenhum outro sinal da doença
fibrose cística. Quando a infertilidade não é decorrente de agenesia de
vasos deferentes, pode ser causada pela obstrução bilateral dos dutos
ejaculatórios.
Fibrose cística, ou mucoviscidose, é uma doença genética
que se manifesta em ambos os sexos. O gene defeituoso é
transmitido pelo pai e pela mãe (embora nenhum dos dois manifeste
a doença) e é responsável pela alteração no transporte de íons
através das membranas das células. Isso compromete o
funcionamento das glândulas exócrinas que produzem substâncias
(muco, suor ou enzimas pancreáticas) mais espessas e de difícil
eliminação.
Com base no texto apresentado e conhecimentos
correlatos, julgue os itens de 82 a 86.
82.

Conclui-se a partir das informações que a fibrose cística é uma
anomalia recessiva.

83.

O transporte de íons através da membrana é classificado como
uma difusão simples. Eles atravessam a bicamada de
fosfolipídios sem gasto energético, constituindo, portanto, um
tipo de transporte passivo.

84.

Existem canais protéicos na membrana plasmática que
controlam a entrada de certas substâncias na célula. Nem
sempre eles encontram-se abertos, sendo esse controle
importante para o funcionamento celular normal.

85.

A ausência de canais deferentes tem um efeito semelhante à
vasectomia, ou seja, há produção de espermatozóides, porém
não há liberação durante a ejaculação.

86.

Os dutos ejaculatórios ligam os canais deferentes à uretra no interior
da próstata. Eles recebem os espermatozóides, o líquido das
vesículas seminais e o líquido prostático que constituem o sêmen.

Em seu estado de equilíbrio, a natureza parece ter solução
para todos os problemas que nos afligem, como o de se livrar de
resíduos. As plantas absorvem nutrientes do solo e sintetizam alimento
para si e para o restante da cadeia alimentar a partir de carbono
atmosférico (CO 2 ), luz e água. Os herbívoros e carnívoros consomem a
energia das plantas e decompõem o alimento em elementos simples
como CO 2 , água e compostos minerais, que podem ser utilizados pelas
plantas para recomeçar tudo outra vez. Restos e raspas são consumidos
por vermes, insetos, bactérias e fungos. Só sobram os ossos e dentes que
nos permitem reconstituir o passado da biosfera. (...)
(...) Isso significa que nunca podemos nos livrar
totalmente daquilo que lançamos no ambiente, sejam compostos
naturais como os metais, que extraímos de depósitos inertes e
emitimos para ar, água, solos e, portanto, alimentos, ou as milhares
de substâncias sintéticas que inventamos para os mais diversos fins e
que acabam sendo lançadas no ambiente, porque... o ciclo da
matéria é fechado. Nos preocupamos, com boas razões, com os
rejeitos radioativos que levarão séculos para decair, mas
esquecemos que o carbono, o chumbo, o arsênico e tantos outros são
eternos.
Dispersão de poluentes
Um bom exemplo dos problemas que esse ciclo nos traz é a
dispersão ambiental dos compostos organoclorados, como o DDT
(sigla para dicloro-difenil-tricloroetano), inseticida hoje banido para
uso doméstico e agrícola e admitido apenas para campanhas de saúde
pública em caso de emergência sanitária. Nos anos 1960, seu uso
doméstico era intenso no Brasil, para controle de pulgas, piolhos,
mosquitos, baratas etc. A partir da década de 1970, com a sua
proibição, o DDT foi substituído por substâncias mais caras, menos
tóxicas e, sobretudo, menos persistentes. Embora o composto não seja
mais usado, o termo dedetização continua sendo de uso corrente.
A persistência é um dos principais problemas dos
organoclorados e seus produtos de degradação. Anos após seu
banimento, continuamos detectando essas substâncias no leite
materno humano, em peixes e outros alimentos, mesmo em áreas
remotas do planeta, porque são resistentes às vias de degradação
naturais.
O DDT era considerado uma maravilha tecnológica, até
aparecerem os efeitos em aves – em particular sobre a águia calva,
símbolo nacional americano –, descritos por Raquel Carsson em seu
livro seminal Primavera silenciosa. Silenciosa porque não havia
mais aves que a cantassem. Os primeiros estudos sobre a dispersão
desses poluentes analisavam amostras de áreas contaminadas, mas,
para avaliar os resultados, era preciso compará-los com aqueles
obtidos em áreas remotas, onde supostamente as concentrações
seriam muito mais baixas.
Qual não foi a surpresa quando se constatou que ocorria
exatamente o contrário! Nas áreas mais frias do planeta, como as áreas
polares ou de maior altitude, os níveis de DDT em carnívoros eram
muito mais elevados do que em carnívoros das áreas contaminadas,
embora esses compostos nunca tivessem sido usados naquelas regiões.
A lógica por trás disso é que esses compostos são voláteis
e emitidos mais intensamente para a atmosfera em áreas mais
quentes. Eles então são transportados pelos ventos e condensam-se
em áreas mais frias, depositando-se novamente no ambiente até a
próxima oportunidade de volatilização.
Assim, haveria uma destilação global desses poluentes,
que iriam se dirigindo aos saltos para as áreas polares ou o topo das
montanhas – daí o nome “efeito gafanhoto” que dá titulo a esta
coluna. Foi assim que os inseticidas foram parar no Ártico.
Persistência que cruza fronteiras
Os inseticidas domésticos atuais são de baixa persistência
e menor toxicidade que o DDT, mas diversos poluentes orgânicos de
uso atual continuam pulando fronteiras por aí, sempre na companhia
dos poluentes persistentes já banidos, mas que continuam
circulando, porque... são persistentes, ora.

6

Simulado nº 8 – Exatas 3 – 1º/2009

Não é a toa que está na moda usar papel reciclado e não
branqueado. Derruba menos florestas por ser reciclado e não requer
uso de cloro por não ser branqueado. Por que o fato de não adicionar
cloro é importante? Porque a combinação de cloro com compostos
orgânicos é justamente o que confere a esses produtos poluentes
suas características, incluindo a persistência.
No tratamento da água para consumo, por exemplo,
adicionamos cloro à água como biocida para controlar infecções. Mas o
cloro se combina com a matéria orgânica dissolvida e forma compostos
organoclorados “naturais”, que têm em comum com os sintéticos os
efeitos neurotóxicos, hepatotóxicos, de disrupção endócrina e
cancerização.
Mas esses compostos estão em concentrações muito
baixas, assim como todos os demais poluentes da sopa tóxica diluída
que inalamos e ingerimos. Então tudo bem, certo?
Não, nada bem. Isso porque muitos poluentes exibem o que
chamamos de biomagnificação: o que o ambiente dilui, às vezes a
cadeia alimentar concentra. Mas isso é assunto para outra ocasião...
Jean Remy Guimarães (Ciência Hoje on-line, 23/12/2008)

Com base no texto apresentado e conhecimentos
correlatos, julgue os itens de 87 a 96.

A expressão diferencial de algumas proteínas conhecidas
como fatores de transcrição durante o desenvolvimento embrionário
tem chamado a atenção dos cientistas. Pesquisas mostraram que
algumas dessas proteínas estão envolvidas na diferenciação celular
por meio da ativação ou inibição de genes após a sua ligação com
regiões específicas do DNA.
Uma dessas proteínas, conhecida como Oct4 (octâmero-4),
se expressa nas células no início do desenvolvimento embrionário –
depois, a expressão dessa proteína torna-se restrita à região que
posteriormente originará o embrião (massa celular interna). Em
seguida, a Oct4 é observada apenas no epiblasto posterior, uma
região ligada à formação das células germinativas primordiais
(precursoras dos espermatozóides e dos óvulos). Após o nascimento,
esse fator de transcrição pode ser encontrado apenas nos ovócitos.
Intrigantemente, a Oct4 não ocorre nas células germinativas
masculinas após o período embrionário.
Portanto, os níveis de expressão da Oct4 são vitais para a
regulação da pluripotência e para as fases iniciais da diferenciação
embrionária. Pesquisas indicam que embriões de camundongos
deficientes em Oct4 são incapazes de formar a massa celular interna
e as estruturas derivadas dessa região.
Além disso, estudos recentes têm mostrado que teratomas
– tumores contendo células indiferenciadas – estão associados à
ativação da Oct4 ou à incapacidade do organismo de desativar esse
fator de transcrição. Algumas pesquisas também têm sugerido que a
Oct4 é essencial para a autorrenovação das células-tronco adultas
existentes em diversos locais como o epitélio intestinal, a medula
óssea, a retina, o fígado e o cérebro.
Um estudo publicado em 2000 e realizado por uma equipe
dirigida por Hitoshi Niwa, da Universidade de Edimburgo, Escócia,
mostrou que a expressão de níveis precisos de Oct4 é essencial para
o programa de desenvolvimento embrionário em camundongos.
Concentrações elevadas da proteína levam à diferenciação das
células nos tecidos embrionários endoderma e mesoderma. Em
contraste, a repressão de sua expressão induz à perda da
pluripotência.

87.

A síntese de alimento, realizada pelas plantas, é denominada
fotossíntese. No processo fotossintético, os compostos
orgânicos são sintetizados numa etapa caracterizada pelo ciclo
do ácido cítrico que ocorre no estroma dos cloroplastos.

88.

A respiração aeróbica é realizada por animais e plantas.
Enquanto a glicólise ocorre no hialoplasma, a cadeia
respiratória processa-se nas cristas mitocondriais, permitindo
alta produção de ATP.

89.

Entre os decompositores citados, estão os vermes que possuem
várias espécies parasitas. As minhocas, que são importantes
recicladoras de matéria, pertencem ao filo Anellida, sendo,
portanto, animais celomados com sistema nervoso ganglionar
ventral e circulação fechada.

90.

Os insetos possuem exoesqueleto quitinoso, simetria bilateral e
apêndices articulados, características não observadas em vermes.

Sem restrições éticas
(...)Como as células-tronco embrionárias genuínas, as
células iPS são capazes de gerar, após estímulo adequado, qualquer
tecido do corpo de um indivíduo adulto. Além disso, como elas não
são provenientes de embriões, não sofrem as restrições éticas ligadas
às pesquisas com células-tronco embrionárias.
(...)O domínio da técnica de reprogramação celular é
importante porque permite que o país crie linhagens de iPS que
poderão ser utilizadas para o estudo de doenças como o mal de
Parkinson, a esquizofrenia, cardiopatias, síndrome de Down e
distrofia muscular.

91.

A bioacumulação ou biomagnificação determina uma relação
direta entre o nível trófico ocupado na cadeia e a concentração
das substâncias persistentes, como o DDT.

Com base no texto apresentado e conhecimentos
correlatos, julgue os itens de 97 a 100.

92.

A ação neurotóxica do cloro deve-se a um efeito direto nos
canais iônicos dos neurônios pelo ânion.

93.

De acordo com a hibridação de seus carbonos, pode-se inferir
que o DDT é uma molécula plana.

94.

95.

96.

Jerry Carvalho Borges (Ciência Hoje on-line, 06/02/2009)

97.

A substituição dos átomos de cloro do DDT por grupos
hidroxila aumenta a volatilidade do composto, intensificando
o efeito gafanhoto.

As linhagens iPS produzidas a partir da reprogramação de
células adultas apresentam pluripotência, característica
essencial para o tratamento de problemas citados no texto,
encontrada apenas em células embrionárias até o estágio de
mórula.

98.

O fato de os compostos organoclorados terem alta persistência
está intimamente ligado às suas estruturas moleculares, que
conferem determinadas propriedades físico-químicas de forma
a torná-los altamente reativos do ponto de vista biológico.

A produção de embriões para pesquisa, permitida hoje no
Brasil com pequenas restrições, deve ser abandonada caso essa
tecnologia avance e tenha sucesso.

99.

Os fatores de transcrição controlam a expressão gênica, agindo
antes do splicing.

A estrutura molecular do DDT permite inferir a presença de
carbono quiral, de modo que o dicloro-difenil-tricloroetano
apresenta isomeria óptica.
Fatores de transcrição

100. As vírgulas presentes no primeiro período do texto justificamse pela mesma regra de pontuação.

Pastagem contra o aquecimento global
Alimentação adequada para o gado pode ajudar a diminuir
gases do efeito estufa na atmosfera

7

Simulado nº 8 – Exatas 3 – 1º/2009

Pastos bem-cuidados, além de nutrir os animais, podem
funcionar como um bom absorvedor de dióxido de carbono (CO 2), o
principal gás acusado de promover o efeito estufa do planeta.
Melhores cuidados com a alimentação bovina também diminuem a
emissão de gás metano (CH4) na atmosfera. O problema – que
parece inicialmente uma piada para os menos habituados ao assunto
– está relacionado à eructação, o popular arroto, de bovinos. O
metano é altamente prejudicial para o aquecimento global porque,
junto com o CO2 e o óxido nitroso (N2O), impede o calor gerado
pelos raios solares de deixar a superfície da Terra e as camadas mais
baixas da atmosfera. Esses gases, mais o vapor d’água natural
gerado nos oceanos, formam uma barreira de moléculas que, quando
muito espessa, não deixam o calor se dissipar para as camadas mais
altas da atmosfera. “Uma pastagem bem-cuidada é um sumidouro de
dióxido de carbono (CO2)”, diz o engenheiro agrônomo Odo
Primavesi, coordenador da equipe técnica que realizou as primeiras
medições de metano de bovinos brasileiros em condições de campo
e estudou as pastagens e a alimentação desses animais até se
aposentar recentemente da Embrapa, unidade Pecuária Sudeste, em
São Carlos, no interior paulista.
As pastagens no Brasil representam mais de 60% da área
agriculturável e as queimadas são as maiores emissoras de CO 2,
situação que está relacionada ao avanço da fronteira agrícola sobre as
matas nativas, grande parte para a formação de pastos, além da
queima de restos de matéria orgânica e de resíduos vegetais de
lavouras para “limpar” o terreno. Em relação ao metano, a pecuária
bovina é a principal fonte, responsável por 68% do total das atividades
relativas à ação humana no Brasil, que possui o maior rebanho
comercial de gado do mundo, com cerca de 180 milhões de cabeças.
Os outros animais de criação são responsáveis por 3,2% do total. Se o
foco do CO2 está nas queimadas, o problema do metano está ligado ao
processo digestivo dos herbívoros ruminantes, que inclui bovinos,
búfalos, ovelhas, cabras e camelos. É a chamada fermentação entérica
que ocorre no rúmen, a primeira parte do estômago desses animais,
quando o material vegetal ingerido é metabolizado por uma população
de microrganismos anaeróbicos que vive sem oxigênio e inclui
bactérias, fungos e protozoários. Estima-se a emissão de 8 milhões de
toneladas de metano liberados pelos bovinos no Brasil por ano. Isso
representa 10% do metano ruminal do mundo e 3% do total produzido
pelas atividades humanas. Ao ser comparado ao CO2, embora seja
emitido em nível mundial em menor quantidade, o metano é 25 vezes
mais potente em reter calor na atmosfera.(...)
Marcos de Oliveira (Pesquisa FAPESP nº 158 - Abril 2009)

Com base no texto apresentado e conhecimentos
correlatos, julgue os itens de 101 a 104.
101. O excesso de gases estufa intensifica o aquecimento global,
podendo provocar alterações climáticas desfavoráveis para
muitas espécies cultivadas.
102. As pastagens são formadas por gramíneas, angiospermas
monocotiledôneas que possuem sementes, mas não frutos.
103. A fermentação entérica, citada no texto, produz os mesmos
gases da respiração aeróbica, porém com um rendimento
energético menor pela ausência do gás oxigênio, essencial
para a sobrevivência dos ruminantes.
104. A associação entre os microrganismos citados e os ruminantes
é um tipo de mutualismo.
O 'magnetismo' das moscas
Estudo acrescenta peça importante para explicar a sensibilidade
de organismos a campos magnéticos
Nos últimos 50 anos, muito foi revelado sobre a
sensibilidade de organismos a campos magnéticos, tendo como caso
clássico o dos pombos-correios, que, orientados pelo campo
terrestre, podem voltar, muito tempo depois, ao lugar de onde
migraram. No entanto, muitas perguntas continuam sem resposta
nessa área. Haveria, em alguns organismos, um sistema de recepção

do campo magnético e de tradução dessa informação para o sistema
nervoso?
Agora, um estudo feito com moscas-das-frutas coloca mais
uma peça importante nesse cenário complexo: uma proteína sensível a
certas freqüências da luz tem papel-chave na sensibilidade desse inseto
ao campo magnético. O artigo foi publicado na revista Nature.
O estudo do comportamento de organismos frente a
campos magnéticos tem sido feito intensamente desde meados do
século passado. Assim, verificou-se, por exemplo, que os pomboscorreios podem se orientar pelo campo da Terra e que as trutas têm
partículas do mineral magnético magnetita na região próxima ao
bulbo olfativo. Entretanto, a descoberta das bactérias magnéticas,
em 1975, foi o único caso em que um receptor de campo magnético
(ou magnetorreceptor) foi identificado, e seu efeito na orientação
dos microrganismos comprovado inequivocamente.
Bactérias magnéticas vivem em ambientes aquáticos, e seu
movimento sofre efeito direto de um campo magnético. No interior
delas, existe uma cadeia linear de cristais nanométricos de
magnetita, responsáveis por sua orientação, agindo como se fossem
a agulha de uma bússola. Mesmo quando a bactéria está morta, é
possível orientá-la com um ímã, embora ela não possa mais nadar
Os casos do pombo-correio e da truta enquadram-se no
estudo da migração em grandes distâncias ou volta ao ambiente de
onde o organismo partiu, mesmo após um tempo longo. A
orientação passiva a um campo magnético aplicado não seria
possível para animais com porte maior que o das bactérias, pois a
inércia do organismo impediria essa orientação.
A busca, portanto, de um sistema magnetorreceptor
continua em aberto, assim como a de um mecanismo magnetotransdutor, ou seja, capaz de traduzir a informação contida no campo
para uma forma que possa ser ‘entendida’ pelo sistema nervoso do
animal, gerando no organismo uma ação (orientação, navegação
etc.) correlacionada a alguma característica do campo (por exemplo,
direção, sentido ou intensidade).
Detecção do campo magnético
Atualmente, existem três modelos que buscam explicar a
detecção de um campo magnético por organismos, baseados em: i) no
fenômeno da indução eletromagnética, ou seja, o campo magnético do
ambiente geraria no organismo uma pequena corrente elétrica, como é
o caso do peixe elétrico, o poraquê (Electrophorus electricus); ii) na
presença de partículas magnéticas (como as das bactérias) que
mudariam de orientação na presença de campos magnéticos, gerando
impulsos em células nervosas (neurônios) presentes na região próxima
aos cristais; iii) em reações químicas que são moduladas por campos
magnéticos e envolvem receptores de luz (fotorreceptores).
Neste comentário, nosso interesse recai sobre este último
tópico. Um modelo químico de sensibilidade ao campo magnético
propõe que a informação magnética é transmitida ao sistema
nervoso por meio dos produtos resultantes de reações químicas
sensíveis a campos magnéticos que ocorrem em fotorreceptores
especializados.
Um desses fotorreceptores seria a proteína chamada
Cryptochrome (abreviada como Cry). Ela tem sido apontada como
capaz de gerar, em reações químicas induzidas pela luz, pares de
moléculas (radicais) que, por sua vez, possibilitariam ao organismo
detectar campos magnéticos. Robert Gegear e colaboradores, do
Departamento de Neurobiologia da Universidade de Massachusetts
(Estados Unidos), comprovaram que, na mosca-das-frutas
(Drosophila melanogaster), o fotorreceptor Cry é necessário para
que, na presença de certas freqüências de luz, ocorra a sensibilidade
desses insetos ao campo magnético. (...)
Marcos Farina (Ciência Hoje 252, setembro de 2008)

Com base no texto apresentado e conhecimentos
correlatos, julgue os itens de 105 a 110.
105. A respiração das moscas é independente da circulação
sanguínea. De fato tais animais não apresentam sistema
circulatório, visto que as traqueias assumem tal função.

8

Simulado nº 8 – Exatas 3 – 1º/2009

106. Drosophila melanogaster é um representante dos artrópodes e,
como tal, apresenta metameria, corpo dividido em cabeça,
tórax e abdômen e seis patas articuladas.
107. O desenvolvimento das moscas é indireto. São insetos
holometábolos que apresentam fase larval durante sua
metamorfose.
108. O estudo da orientação magnética de pombos, bactérias e
moscas demonstrou que ainda não foi encontrado um
magnetorreceptor, apenas forreceptores.
109. A proteína citada no texto é sensível a uma frequência menor
que a frequência das ondas de rádio AM.
110. Infere-se do texto que a proteína Cry é capaz de gerar
moléculas por meio de reações químicas induzidas por fótons
de luz.
FORÇA LASER
Uma brincadeira para quem é fera na pontaria! Parecido
com um jogo de paintball, o Força Laser traz para a brincadeira um
capacete munido de alerta de perigo e indicador de vidas, além de
uma luva laser equipada com bússola, mira e recarga de munição.
Funciona com 10 pilhas AAA (não inclusas): 3 em cada
luva laser e 2 em cada capacete. Todos os Força Laser (luvas e
capacetes) interagem com outros Força Laser. Assim, todas as
crianças que tiverem um Força Laser poderão brincar com outras que
também tenham o mesmo brinquedo. Importante: O Força Laser é um
jogo e foi produzido para promover diversão. Nunca deve haver
contato físico ou violência entre seus jogadores. O "laser" na verdade
é um infravermelho e por isso, a brincadeira deve ser dentro de um
ambiente fechado para o perfeito funcionamento à distância.
Visando obter lucro com a brincadeira, um empresário da
cidade de São Paulo montou um campo de batalha próprio para o
uso do Força Laser. Este campo é limitado por seis paredes
retangulares justapostas, de modo a formar um prisma hexagonal
regular de 2,60 metros de altura e 6 metros de aresta da base (figura
I). As paredes internas, incluindo a porta de entrada, foram
totalmente revestidas com espelhos perfeitamente planos com o
objetivo de que um jogador possa ser atingido tanto diretamente
pelo infravermelho quanto por seu reflexo sobre os espelhos.

B

M

C
D

A
F

E
H

2,6 m
I
J

G
L

K

N
6m

Figura I
A figura II ilustra uma vista por cima do piso (hexágono
regular GHIJKL). Perpendiculares a esse piso, estão duas paredes de
proteção de comprimentos 3 3 metros e alturas 2,0 metros.
Essas paredes aparecem na figura II como os segmentos
e
RS
TU , os quais estão contidos, respectivamente, nas retas
suportes dos segmentos HL e IK, de modo que seus pontos médios
pertençam à reta que passa pelos pontos G e J.

I

H

R

T
O

G
S

J
U
6m

L

K

Figura II
Considerando o texto acima e sabendo que o ponto O é o
centro da base inferior do prisma, julgue os itens de 111 a 119 a
seguir adotando 3 igual a 1,72.
111. A área interna de cada uma das paredes é inferior a 15,0 m².
112. Para o revestimento interno das seis paredes, incluindo a porta,
foram gastos mais de 90 m² de espelho plano.
113. O hexágono regular GHIJKL possui área igual a 92,88 m².
114. Com o objetivo de evitar escorregões, o piso do campo foi
completamente revestido de material emborrachado cujo custo
de aplicação é de R$ 32,00 para cada metro quadrado revestido.
Desse modo, pode-se afirmar que, no revestimento de todo o
piso, foram gastos mais de R$ 2970,00.
115. A área do triângulo GHI é inferior a 15,3 m².
116. Sendo a , b e c os comprimentos dos lados do triângulo GRS e R1 e
R2 , respectivamente, os raios das circunferências inscrita e
a.b.c
R .R
= 1 2
circunscrita nesse triângulo, é correto concluir que
a +b+c
4
.
117. O raio da circunferência inscrita no triângulo LKN, sendo N o
3. 21
ponto médio do segmento KJ, é igual a
m.
2
118. É possível que um disparo partindo de um ponto situado sobre
a reta suporte do segmento GJ, a um metro de distância do
ponto G, atinja, por meio do espelho plano BCIH, um jogador
localizado exatamente no centro do campo de batalha.
119. No teto do campo de batalha, há fios de energia elétrica ligando
vários pontos. O comprimento do fio que une os pontos A e M,
sendo M o ponto médio do segmento BC, é superior a 7,5 m.
A arte da geometria
Ivan Serpa (1923-1973) propiciou, no ambiente do Rio de
Janeiro, um espaço de encontros e debates para os artistas do Grupo
Frente e da etapa concretista de formulação do Neoconcretismo.
Inquieto e generoso, foi um dos primeiros pintores geométricos no
Brasil. Essa característica marcante pode ser percebida no jogo de
círculos da obra Construction Dynamique (década de 1950),
produzida com óleo sobre tela de 70x70 cm.
O esquema gráfico originário dessa pintura está representado
na figura I. Nele, os arcos ARH, ASG, GTB, CUG, CVF, FXD e DZE
são semicircunferências com diâmetros sobre a reta suporte do
segmento AH. O diâmetro AH da maior das semicircunferências foi
dividido em sete partes congruentes, ou seja, HG = GF = ... = BA = 1
cm. Observe que nesse esquema, há sete regiões disjuntas, duas na
forma de semicírculos e cinco no formato determinado pelos arcos ARH
e ASG e pelo segmento de reta HG.

9

Simulado nº 8 – Exatas 3 – 1º/2009

desses relacionamentos foi feito por acaso e sim com uma grande
aplicação da geometria à arte.
Considerando que o ponto B tem abscissa igual a 1 e que
os lados EA e EF estão contidos nos eixos coordenados de um plano
cartesiano com origem no ponto E, julgue os itens de 126 a 130.

A

B

Construction Dinamique
Figura I
Considerando as informações acima, julgue os itens de 120 a 125.
120. As semicircunferências ASG e CVF possuem o mesmo centro.
121. Sabendo que o comprimento C de uma circunferência é dado
pela fórmula C = 2.π.r, sendo r o raio da circunferência, podese afirmar que o comprimento do arco ASG é igual ao
comprimento da circunferência de diâmetro FC.
122. A área da região delimitada pelo segmento de reta FG e pelas
7.π
semicircunferências CVF e CUG é igual a
cm².
4
123. A semicoroa circular delimitada pelas semicircunferências
GTB e CVF possui área superior a 2.π cm².
124. Considere que cada uma das sete regiões do esquema gráfico
será pintada de uma cor distinta das demais e que o pintor
disponha de dez cores diferentes. Nessa situação, ele poderá
pintar o esquema de 604.800 maneiras distintas.
125. Dispondo-se de nove cores distintas e considerando que
exatamente três regiões do esquema representado na figura I
terão a mesma cor e as demais regiões, cores distintas, pode-se
afirmar que haverá mais de 500.000 maneiras distintas de se
pintar todo o esquema gráfico.
Outro grande exemplo de aplicação da geometria à arte foi
encontrado na obra intitulada de A CRUCIFICAÇÃO, de Antonio di
Antonio (1430-1497), conhecido como Antonello da Messina.
Pintor italiano nascido na cidade de Messina, expoente
máximo da integração e da síntese das diversas correntes artísticas,
usou em sua obra uma imagem que, à primeira vista, ilustra uma
aparente simetria causada principalmente pela posição central da
cruz e pela linha do horizonte.
Embora haja essa ilusão de ótica, o formato retangular
representado pelo plano pictórico- retângulo ABFE - indica a
possibilidade de relações assimétricas no conteúdo dessa obra. De
fato, o retângulo ABFE é derivado do quadrado ABCD num
procedimento de estruturação geométrica bastante usado desde os
tempos da arte egípcia: a base superior do retângulo corresponde ao
lado AB do quadrado ABCD, enquanto sua altura BF tem
comprimento igual ao da diagonal desse mesmo quadrado.
A inter-relação de retângulo e quadrado estabelece as
subdivisões da imagem, determinando também as várias posições e
áreas de grande importância visual e psicológica. Por exemplo,
traçando-se duas circunferências com centros nos pontos C e D e
raios congruentes aos lados do quadrado ABCD, determinou-se, na
interseção dessas circunferências, o ponto que representa a posição e
o movimento da cabeça de Cristo. Da mesma forma, mas com
centros nos pontos F e E, foi marcado o ponto correspondente aos
pés de Cristo.
Considere agora, com centros nos pontos F e E, duas
circunferências de raios com comprimentos iguais a CF e ED,
respectivamente. A quarta parte de cada uma dessas circunferências
determina as áreas ocupadas por São João e Maria.
Enfim, tomando como ponto central a cabeça de Cristo e
como raio a distância entre sua cabeça e seus pés, será encontrada a
circunferência que interligará com Cristo, a um só tempo, as figuras
dos dois ladrões com ele crucificados. Vê-se então que nenhum

A

D

C

E

F

y

B

D

E

C

F

x

126. A circunferência de centro A e raio AC passa pelo ponto E.
127. A cabeça de Cristo está representada por um ponto equidistante
dos pontos D e C.
128. O triângulo determinado pelo ponto correspondente aos pés de
Cristo e pelos pontos E e F é equilátero.
129. A distância entre os pontos A e E é superior a 1,2 unidade de
comprimento.
130. A reta que passa pelos pontos A e B possui equação
19
a.x + b.y = 1 , com a + b >
.
10
Com crise alimentar, transgênicos saem vitoriosos
Enquanto o mundo inteiro assiste passivamente à maior
alta generalizada dos preços dos alimentos nos últimos 20 anos, a
transgenia ressurge na agenda de países ricos e pobres como
possível antídoto aos efeitos do aumento da demanda por comida.
Até a Europa, adversária histórica dos organismos geneticamente

10

Simulado nº 8 – Exatas 3 – 1º/2009

modificados (OGMs), dá sinais de que pode rever determinados
conceitos. Os Estados Unidos avançam a passos largos na pesquisa e
investem bilhões de dólares em novas variedades. Entre as nações
emergentes, crescem cada vez mais o plantio e a intenção de
consumir.
Alda Lerayer, diretora-executiva do Conselho de
Informações sobre Biotecnologia (CIB), explica que os estudos
podem ajudar a aumentar a produtividade no campo, reduzindo perdas
e custos. Para ela, este é o momento de debater o assunto sem as
amarras do passado ou preconceitos. “A prioridade deve ser garantir o
sustento de todos. E o Brasil está em uma posição privilegiada”, diz.
Os números comprovam a tese da especialista. Estudo do
ISAAA, uma organização sem fins lucrativos internacional, indica
que os agricultores brasileiros cultivaram 15 milhões de hectares de
lavouras transgênicas em 2007 — o maior crescimento em valores
absolutos em todo o planeta. O país plantou nada menos do que 3,5
milhões de hectares a mais do que em 2006, quando a área cultivada
foi de 11,5 milhões de hectares.
Em 2007, das terras plantadas com variedades transgênicas
no Brasil, 14,5 milhões de hectares correspondem à soja tolerante à
herbicida e 500 mil hectares foram utilizados para o plantio de
algodão resistente a insetos. No ano passado, a Comissão Técnica
Nacional de Biossegurança (CTNBio) aprovou a liberação comercial
do milho transgênico resistente a insetos. De acordo com Alda, o
plano que está em estudo por parte do governo brasileiro de incentivar
o aumento da produção agrícola tem de passar necessariamente pelos
transgênicos. “Temos de incentivar a pesquisa. Perdemos tempo
demais. Já poderíamos estar à frente de outros países”, completa.
A figura abaixo ilustra, aproximadamente, um campo de
plantação de soja tolerante à herbicida. Seu formato é representado
pelo quadrado ABCD de 4 km de lado e, por questões técnicas, foi
construído um poço artesiano no afixo do complexo z5 (ponto P) de
modo que as distâncias AP, DP e AD sejam iguais. Com base nas
informações do texto e tomando a figura como referência, julgue os
itens a seguir considerando que os lados AD e DC do quadrado
ABCD pertencem, respectivamente, aos eixos real e imaginário de
um plano complexo de origem no ponto D e que z1 , z2 , z3 e z4
são quatro complexos com afixos, respectivamente, A, B, C e D.

Im
A

F

instalação deverá ocorrer no centro da circunferência
z − z5
circunscrita ao triângulo PFA com raio igual a 1
.
2
134. A maioria das raízes da equação x 7 − 256 x 3 = 0 tem seus
afixos sobre uma circunferência de raio igual a z5 .
135. Os pontos A, B, C,D, F e P determinam exatamente 14 retas
distintas.
136. De 2006 para 2007, houve um aumento superior a 30% no
cultivo de lavouras transgênicas no Brasil.
137. Em 2007, mais de 97% das lavouras transgênicas cultivadas no
Brasil são correspondentes ao plantio de soja tolerante à herbicida.
Um Curioso exemplo de Rede Alimentar
Pesquisadores brasileiros que estudam a nascente de águas
cristalinas de Baía Bonita, na região de Bonito (MS), registraram
uma curiosa rede alimentar que envolve plantas terrestres, macacos,
peixes, insetos e serpentes.
Esses pesquisadores verificaram que peixes conhecidos
por piraputanga (Brycon microlepis) concentram-se em regiões
dessa nascente, onde grupos de macacos-prego (Cebus apella) se
alimentam de frutos das árvores existentes ao redor da água. Foi
possível comprovar que, ao se alimentar, esses macacos deixam cair
na água galhos quebrados e frutos, atraindo rapidamente as
piraputangas, que se alimentam desses frutos.
À medida que o grupo de macacos pula de galho em galho
para outras árvores, o cardume de peixes acompanha o deslocamento
desses mamíferos em busca dos frutos que eles deixam cair na água.
Concentradas na obtenção de alimento e em seguir o grupo
de macacos, as piraputangas tornam-se alvo mais fácil de predadores,
como o peixe dourado e grandes serpentes a exemplo das sucuris.
Observando, especificamente, o comportamento populacional de
piraputangas e dourados e a relação predador-presa relativa as essas
duas espécies, foram construídas as funções P(t) e D(t) que
fornecem as populações de piraputangas e de dourados,
respectivamente, em função do tempo t, com t variando de 0 a 25
anos.
 t π
D( t ) = 1000.cos  − ÷+1500
2 4 
 t π
P ( t ) = −2000 .sen  − ÷+ 3000
2 4

B

e

Com base nessas informações, julgue os itens de 138 a 145.

4 km

138. Durante os 25 anos analisados, a população máxima de
dourados foi igual a 2550 indivíduos.

•P

139. De acordo com a função P(t), a população mínima de
piraputanga será superior a 1000 indivíduos.

D

C

Re

Com base no texto e assuntos correlatos, julgue os itens de 131 a 137.
131. O ponto F, afixo do complexo z6 , situado a 1 km de B,
representa a fonte de energia elétrica responsável pela
eletricidade usada no funcionamento do poço artesiano. Com
isso, pode-se afirmar que a distância entre a fonte F e o poço P
é igual z5 − z6 = 25 − 6 3 km.
132. Considerando um número complexo w tal que w = i .z5 , para

i = −1 , pode-se afirmar que

w = 4−1 .( z1 .z5 ) .

133. Se for instalado um irrigador em um ponto equidistante do
poço artesiano, da fonte de energia elétrica e do ponto A, tal

140. Transcorridos 4π anos, a população de dourados volta a ser
igual à população inicial verificada no início da observação.
141. Entre os tempos 5 e 10 anos, ambas as populações estão
crescendo.
142. A população de piraputangas em t = 2π anos é superior a 1610
indivíduos.
143. Sendo
144. A

D ( t ) − 1500
1000

função

=k e

D(t)

3000 − P ( t )
2000

pode

2
2
= w , tem-se k + w =

ser

escrita

na

π
.
2

forma

t
t

D ( t ) = 500. 2 . cos + sen ÷+ 1500 .
2
2


t

t

145. P ( t ) = 1000 . 2 . cos − sen ÷ + 3000 .
2
2
Diversidade metabólica

11

Simulado nº 8 – Exatas 3 – 1º/2009

Os organismos diferem entre si significativamente quanto à
suscetibilidade à determinada substância – alguns respondem a doses
muito baixas de uma substância, outros requerem doses mais elevadas
para reagir. Por isso, foram criados a relação dose-resposta, para se
determinar a toxidade de uma substância, e o termo dose letal ( LD50 )
, que expressa a dose dessa substância que mata 50% da população a
ela exposta. Desse modo, a dose da substância administrada é
expressa como massa do composto, usualmente em miligramas, por
unidade de massa corporal do organismo testado, habitualmente
expressa em quilogramas. Considere que, para determinada
substância, a função que descreve a fração da população que morre –
f – em termos da dose dessa substância – x , em mg/kg – seja dada
−x
por f ( x ) = a + b .3 , em que a e b são constantes que podem ser

Normal
pré-obeso
Obeso classe I
Obeso classe II
Obeso classe III

18,5 a 24,9
25 a 29,9
30 a 34,9
35 a 39,9
≥ 40,0

médio
aumentado
bem aumentado
severo
muito severo

147. Tendo o texto acima como referência inicial e considerando
f ( x ) = a.x 2 + b.x + c , com a , b e c pertencentes aos reais,
como sendo a função que fornece o IMC de acordo com a
massa x em kg de um indivíduo de 1,80 metro de altura,
determine o valor de 1000.( a + b + c ) . Despreze a parte
fracionária do resultado, caso exista.

Fração da população que morre

determinadas utilizando-se o gráfico dessa função, ilustrado abaixo.

1

2/3
1/2

0

0,0 0,5 1,0 1,5 2,0 2,5 3,0 3,5 4,0
dose (mg/kg)

146. Com base nas informações apresentadas no texto e no gráfico e
adotando
2 = 30 ,315 ,
determine
o
valor
de

200.( 5.a + b ) + 10.( LD50 ) . Para a marcação da resposta,
despreze a parte fracionária do resultado caso exista.

148. A aspirina é um fármaco do grupo dos anti-inflamatórios não
esteróides (AINEs) e
também um
antiplaquetar, utilizado
como anti-inflamatório,
antipirético, analgésico e
inibidor da agregação
das plaquetas
sanguíneas. A aspirina
em alguns países é ainda
nome comercial
registrado, propriedade da farmacêutica Bayer® para o
composto ácido acetilsalicílico. Objetivando-se determinar a
massa de ácido acetilsalicílico em comprimidos padrões de
aspirina, que ainda contêm componentes inertes como amido,
carboximetilcelulose sódica e óxido de silício, um químico
triturou uma amostra de 1 comprimido de 100 mg,
dissolvendo-o em água para um volume de 50 mL. Uma
alíquota de 10 mL dessa solução foi titulada com solução
padrão de hidróxido de sódio 0,01 mol/L, em que foram gastos
10 mL desse titulante. Calcule a massa de ácido
acetilsalicílico, em miligramas, que está contida no
comprimido padrão de aspirina dosado pelo químico. Para
efeito de marcação, desconsidere a parte fracionária de seu
resultado, caso exista.
O

C

OH

O
O

C
O

CH3

+ NaOH

C

O-+Na
O

C

CH3

+ H2 O

O

IMC
Diante do aumento da incidência da obesidade em todo o
mundo, especialistas propuseram um sistema de classificação para
avaliar essa condição em pessoas adultas. Para isso, criaram o índice
de massa corporal (IMC), que é obtido a partir da divisão da massa
do indivíduo (em kg) pelo quadrado de sua altura (em metros).
Nesse sistema, os indivíduos são classificados de acordo com a
tabela abaixo.
Classificação

IMC

Magro

< 18,5

Risco de doenças
associadas
baixo

12

Simulado nº 8 – Exatas 3 – 1º/2009

149. A energia liberada pela atividade de um animal denomina-se
taxa de metabolismo basal (BMR), que fornece a medida de
conversão de energia de um alimento em outras formas de
energia. Um calorímetro destinado a medir a BMR consiste
em uma caixa termicamente isolada com um termômetro para
medir a temperatura do ar. O ar possui densidade igual a
1,20 kg/m3 e calor específico igual a 1020 J/kg.K. Um hamster
de 50 g é colocado em um destes calorímetros que contém
0,050 m3 de ar na temperatura ambiente. Quando o animal
corre ao logo de uma roda, a temperatura do ar no interior do
calorímetro aumenta 1,6 oC por hora. Suponha que o hamster,
ao se alimentar, converta determinados grãos de ração
ingeridos em calor com um eficiência de 10% e que o grão
ingerido possua um valor alimentício equivalente a 24 J/g.
Calcule a massa de grãos, em gramas, que deve ingerir o
animal, por hora, para fornecer essa energia. Para devida
marcação no cartão de respostas, despreze a parte fracionária,
caso exista.

150. Fernandio, com pigmentação normal, semelhante a seus pais,
cuja irmã era albina, casa-se com Fromagia, de fenótipo igual
ao seu, em relação ao albinismo. Os pais de Fromagia eram
normais, porém portadores do alelo para albinismo. Sabendo
que o casal em questão possui visão normal, porém são
heterozigotos em relação à miopia, qual a probabilidade de
Marfedio, filho do casal, não apresentar nenhuma das duas
anomalias? Dê a resposta em porcentagem, desprezando a parte
fracionária, se houver.

13

Simulado nº 8 – Exatas 3 – 1º/2009

1

2

1 ,0

4 ,0

3

4

5

6

7

8

9

10

5 ,9

9 ,0

1 0 ,8

1 2 ,0

1 4 ,0

1 6 ,0

1 9 ,0

2 0 ,2

11

12

13

14

15

16

17

18

2 3 ,0

24

2 7 ,0

2 8 ,1

3 1 ,0

32

3 5 ,5

3 9 ,9

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

32

33

34

35

36

3 9 ,0

4 0 ,0

4 5 ,0

4 7 ,9

5 0 ,9

5 2 ,0

5 5 ,0

5 6 ,0

5 8 ,9

5 8 ,7

6 3 ,5

6 5 ,4

6 9 ,7

7 2 ,6

7 4 ,9

7 9 ,0

80

8 3 ,8

37

38

39

40

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50

51

52

53

54

8 5 ,5

8 7 ,6

8 8 ,9

9 1 ,2

9 2 ,9

9 5 ,9

(9 9 )

1 0 1 ,1

1 0 2 ,9

1 0 6 ,4

108

11 2 ,4

1 1 4 ,8

1 1 8 ,7

1 2 1 ,8

1 2 7 ,6

127

1 3 1 ,3

55

56

5 7 -7 1

72

73

74

75

76

77

78

79

80

81

82

83

84

85

86

1 3 2 ,9

1 3 7 ,3

1 7 8 ,5

1 8 0 ,9

1 8 3 ,8

1 8 6 ,2

1 9 0 ,2

1 9 2 ,2

1 9 5 ,1

1 9 7 ,0

2 0 0 ,6

2 0 4 ,4

207

2 0 9 ,0

(2 1 0 )

(2 1 0 )

(2 2 2 )

87

88

104

105

106

107

108

109

11 0

(2 2 3 )

(2 2 6 )

89 103

* S é r ie d o s L a n ta n id io s
N ú m e ro
A tô m ic o
S ÍM B O L O
M assa
A tô m ic a

57

58

59

60

61

62

63

64

65

66

67

68

69

70

71

1 3 8 ,9

1 4 0 ,1

1 4 0 ,9

1 4 4 ,2

(1 4 7 )

1 5 0 ,4

1 5 2 ,0

1 5 7 ,2

1 5 8 ,9

1 6 2 ,5

1 6 4 ,9

1 6 7 ,3

1 6 8 ,9

1 7 3 ,0

1 7 5 ,0

* * S é r ie d o s A c tin id io s
89

90

91

92

93

94

95

96

97

98

99

100

101

102

103

(2 2 7 )

2 3 2 ,0

(2 3 1 )

2 3 8 ,0

(2 3 7 )

(2 4 2 )

(2 4 3 )

(2 4 7 )

(2 4 7 )

(2 5 1 )

(2 5 4 )

(2 5 3 )

(2 5 6 )

(2 5 3 )

(2 5 7 )

GABARITO
1.
2.
3.
4.
5.
6.
7.
8.
9.
10.
11.
12.
13.
14.
15.
16.
17.
18.
19.
20.
21.
22.
23.
24.
25.
26.
27.
28.
29.
30.
31.
32.
33.
34.
35.

C
E
E
C
C
E
E
C
C
C
E
E
E
C
E
E
C
C
E
C
C
C
E
C
E
E
E
C
C
E
C
E
E
E
C

36.
37.
38.
39.
40.
41.
42.
43.
44.
45.
46.
47.
48.
49.
50.
51.
52.
53.
54.
55.
56.
57.
58.
59.
60.
61.
62.
63.
64.
65.
66.
67.
68.
69.
70.
71.

E
C
E
C
C
E
E
C
C
E
C
E
E
C
C
E
E
E
C
E
E
C
E
C
E
E
E
C
C
E
E
E
E
C
C
C

72. C
73. C
74. C
75. C
76. E
77. C
78. C
79. E
80. C
81. C
82. C
83. E
84. C
85. C
86. C
87. E
88. C
89. C
90. E
91. C
92. E
93. E
94. E
95. E
96. E
97. E
98. E
99. C
100. E
101. C
102. E
103. E
104. C
105. E
106. E
107. C

14

Simulado nº 8 – Exatas 3 – 1º/2009

108. E
109. E
110. C
111. E
112. C
113. C
114. C
115. E
116. E
117. E
118. C
119. C
120. E
121. C
122. E
123. C
124. C
125. C
126. C
127. C
128. C
129. C
130. E
131. E
132. C
133. E
134. C
135. E
136. C
137. E
138. E
139. E
140. C
141. E
142. E
143. E
144. C
145. C
146. 803
147. 308
148. 090
149. 040
150. 066

15