Capítulo 45: Organização do Sistema Nervoso Central, Funções Básicas das Sinapses e Neurotransmissores.

-Plano Geral do Sistema Nervoso Para diferentes tipos de neurônios podem existir desde algumas centenas até cerca de 200000 conexões sinápticas aferentes. Característica especial: o sinal se propaga apenas na direção anterógrada, do neurônio precedente para os dendritos localizados nos neurônios seguintes o que possibilita que o sinal trafegue na direção necessária para executar as funções nervosas requeridas. -Divisão Sensorial do Sistema Nervoso – Os Receptores Sensoriais Os receptores sensoriais podem provocar informações que podem ser armazenadas e determinar reações futuras ou reações imediatas. Receptores somáticos – pegam informações sensoriais vindas de toda a superfície do corpo e de algumas estruturas profundas, quando essas informações chegam pelo nervo periférico são conduzidas imediatamente para múltiplas áreas sensoriais localizadas: 1. Em todos níveis da medula espinhal; 2. Na formação reticular do bulbo, da ponte e do mesencéfalo; 3. No cerebelo; 4. No tálamo e 5. Em áreas do córtex cerebral. -Divisão Motora do Sistema Nervoso – Os efetores O SN tem função de controlar as diversas atividades do corpo, por meio de contração músculo esqueléticos, contração da musculatura lisa e secreção de substâncias químicas pelas glândulas do corpo – tudo isso sendo chamado de função motora sendo os efetores os músculos e as glândulas. Várias partes do SNC podem comandar os efetora ficando o controle de respostas automáticas contidas nas regiões inferiores e as respostas mais complexas a regiões superiores. Função integrativa do SN – é tanto a canalização quanto o processamento de informações sensoriais importantes. A maior parte do armazenamento das informações ocorre no córtex cerebral e até mesmo nas regiões subcorticais do encéfalo e da medula espinhal, processo chamado de memória. -Principais níveis funcionais do sistema nervoso central 1. Nível Medular Algumas funções após secção da medula em região superior continuam, como movimentos de marcha, reflexos que afastam partes do corpo de objetos que causam dor, reflexos que enrijecem as penas para sustentar o corpo contra a gravidade e reflexos que controlam os vasos sanguíneos locais e movimentos gastrointestinais. 2. Nível Cerebral Inferior ou Subcortical A maioria das atividades subconscientes do corpo são controladas por regiões encefálicas subcorticais – bulbo, ponte, mesencéfalo, hipotálamo, tálamo, cerebelo e gânglios da base. 3. Nível Cerebral Superior ou Cortical Ele funciona como integrador das funções dos outros níveis, nunca funciona sozinho. Por exemplo: estruturas subcorticais iniciam o estado de vigília no córtex cerebral.

é liberado um neurotransmissor no terminal do primeiro neurônio) e Sinapses elétricas (canais que conduzem eletricidade de uma célula para a próxima). São produzidas pelo RE e produzidas como moléculas grandes. --Inibição: 1. Abertura de canais de íons cloreto. glicina e glutamato.-Sinapses do SNC A informação é transmitida para o SNC por potenciais de ação chamados de impulsos nervosos que se propagam de um neurônio a outro podendo ser bloqueado. Abertura de canais de sódio. . óxido nítrico. 3. Alguns exemplos: acetilcolina.3. clivadas em o próprio neurotransmissor ou seu precursor e empacotadas pelo aparelho de Golgi daí encaminhada para a região sináptica. dopamina. então são enviadas para o aparelho de Golgi. norepinefrina. --Neuropeptídeos (ação mais lenta) São sintetizados de forma diferentes e tem ação mais lenta e muito diferente das dos neurotransmissores de moléculas pequenas. Tem ação rápida e atua no sentido de aumentar ou diminuir a condutância dos canais iônicos. -Substâncias químicas que atuam como transmissores sinápticos --Neurotransmissores de moléculas pequenas e de ação rápida. transformado de um único a impulsos repetitivos ou ainda integrado a impulsos vindos de outros neurônios. --Segundos Mensageiros: quando se precisa de mudanças prolongadas é utilizado esse tipo de componente ionóforo. 2. alguns dos mais conhecidos são: proteína G (pode fazer as seguintes mudanças abertura de canais iônicos.. --Tipos de Sinapses Sinapses químicas (a mais utilizada no SNC. Geralmente sintetizadas no citosol do neurônio pré-sináptico. ativação do AMPc ou GMPc. O papel dos íons de cálcio na liberação do neurotransmissor – quando o potencial de ação despolariza a membrana pré-sináptica os canais de cálcio se abrem e permitem a passagem de íons de cálcio para o terminal pré-sináptico. Aumento da condutância dos íons potássio para o exterior dos neurônios. -Receptores excitatórios ou inibitórios na membrana pós-sináptica --Excitação: 1. Princípio da condução unidirecional – neurônio pré-sináptico -> neurônio pós sináptico. serotonina. Ativação de enzimas receptoras que inibem funções metabólicas celulares. Alterações metabólicas do neurônio pós-sináptico para excitar a atividade celular ou alguns casos aumentar o número de receptores de membrana excitatórios ou diminuir os inibitórios. permitindo o fluxo de grande número de cargas elétricas positivas para a célula pós-sináptica. 2. ativação de uma ou mais enzimas intracelulares e ativação da transcrição gênica). GABA. A membrana do neurônio pós-sináptico contem grande quantidade de proteínas receptoras que tem dois componentes: componentes de ligação – onde se liga o neurotransmissor e componente ionóforo que pode ser de dois tipos: canal iônico – libera a passagem de tipos específicos de íons – ou ativador de segundo mensageiro --Canais iônicos: podem ser canais catiônicos (substâncias que ativam esses canais são chamadas de transmissores excitatórios) ou aniônicos (substâncias que ativam esses canais são chamadas de transmissores inibitórios). Condução reduzida pelos canais de cloreto e potássio ou de ambos.

-Eventos elétricos durante a Excitação Neuronal Neurônio motor espinhal tem potencial de repouso de membrana em torno de -65 mV o que ajuda na excitabilidade do mesmo. . podem se somar. ou seja. A alcalose aumenta a excitabilidade neuronal. Potássio e Cloreto. assim no início o estimulo é alto e depois começa a diminuir progressivamente. PPSE – potencial pós-sináptico excitatório PPSI – potencial inibitório pós sináptico Somação espacial nos neurônios – efeito de somação dos potenciais pós-sinápticos simultâneos pela ativação de múltiplos terminais em áreas muito espaçadas na membrana neuronal Somação temporal – descargas sucessivas com rapidez suficiente. Os íons cuja concentração são de maior importância para o neurônios são: íons de Cálcio. podem ser adicionadas umas às outras. Fadigada transmissão sináptica: quando as sinapses excitatórias são repetidamente estimuladas com alta frequência.